Visual Basic.NET. Universidade Federal da Bahia. Departamento de Ciência da Computação. Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Visual Basic.NET. Universidade Federal da Bahia. Departamento de Ciência da Computação. Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial."

Transcrição

1 Universidade Federal da Bahia Departamento de Ciência da Computação Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial. Aluno: Nailton Gonzaga dos Santos. Visual Basic.NET Salvador, setembro de 2008.

2 Introdução: A linguagem VB.NET esta sendo bastante utilizada atualmente em aplicações comerciais, apesar de que do framework.net C# é atualmente mais utilizado do que vb.net, muitas empresas optam por vb.net, principalmente aquelas que anteriormente tinham suas aplicações em Visual Basic. 1 Em que contexto a linguagem surgiu? A linguagem VB.NET surgiu com o surgimento do framework.net da Microsoft, o framework.net foi feito com o intuito de atender principalmente a área comercial, para ser possível desenvolver aplicações rapidamente, com todo o suporte necessário, onde surge três linguagens, C#, Vb.NET e J#, sendo VB.Net uma evolução da ultima versão do Visual Basic, o VB6. A linguagem foi desenhada para ser lida facilmente por leigos e acessível por todos, desde programadores novatos, como para arquitetos de sistemas experientes[1]. 2 Quais os principais nomes (pessoas ou empresas) envolvidos na criação da linguagem? A linguagem foi desenvolvida pela Microsoft, mas especificamente, pelo visual basic team:(http://blogs.msdn.com/vbteam/) como uma evolução do Visual Basic. Hoje, com todas as mudanças do vb.net, não existe mais a compatibilidade de código, nem entre a última versão do vb[5].

3 3 Quantas versões anteriores possuiu a linguagem? Quais as principais evoluções que ocorreram? (Deve se desenvolver um quadro comparativo entre as versões.) A linguagem possui quatro versões, a primeira é datada de 2002, as versões foram [2]: * Visual Basic.NET (VB7) A primeira versão de VB.NET * Visual Basic.NET 2003 (VB 7.1) Foi adicionado suporte ao Microsoft.NET Compact Framework. * Visual Basic 2005 (VB8). Na versão de 2005 foi adicionado: Suporte a generics (Coleções fortemente tipadas), Partial classes: possibilidade de escrever uma mesma classe em arquivos diferentes Nullable types: possibilidade de um tipo primitivo poder ser nulo. Suporte a documentação através de XML. Sobrecarga de operadores (Possibilidade de interagir com os objetos utilizando operadores da linguagen, como + e /) Suporte a inteiro não sinalizado (unsignedint) Operador IsNot (Se não) * Visual Basic 2008(VB 9.0) É a versão mais recente do vb.net; Foi adicionado:

4 Operador de resposta imediata condicional (IF (boolean, valor, valor)), equivalente a? em C. Tipos anônimos (Variáveis sem tipo definido). Suporte a LINQ (busca integrada a linguagem) onde na própria linguagem é possível fazer queries de SQL sobre objetos da linguagem. Expressões lambdas(possibilidade de definir uma função sem nome). Inferência de tipo. 4 Quais aplicações comerciais já foram desenvolvidas com esta linguagem? (Incluir site para as mesmas.) Existem diversas aplicações que comerciais desenvolvidas em vb.net, exemplos são: Site do centro de inovação da Microsoft: O sistema de gestão da C&R Licitações:

5 5 A linguagem foi desenvolvida para ser interpretada ou compilada? Independente de máquina? Quais os requisitos mínimos e desejáveis para se executar um programa nesta linguagem? (Exemplo: precisa se das bibliotecas runtime X, servidor de página Y na versão X ou superior.) As linguagens do framework. Net (VB.Net incluindo) são compiladas, e é gerado um código intermediário independente de máquina e de linguagem, a CIL(Common Intermediate Language), esse código intermediário é depois processado por outra ferramenta, a CLR (Common language runtime) e então é gerado um código executável (no caso de aplicações desktop), é necessário que o usuário possua o framework.net de versão compatível com o seu desenvolvimento instalado na sua máquina, o framework é gratuito e se desejar, você poderá distribuí lo junto a sua aplicação. Desta maneira, vb.net consegue ser ao mesmo tempo compilada para um executável (sem perda de desempenho, caso a linguagem fosse interpretada ou semiinterpretada) e portável para qualquer plataforma que tenha um CLR. No caso de aplicações web, também será gerado um código independente de linguagem onde um servidor web que suporta o framework.net deverá interpretar e gerar uma página a partir da requisição do usuário. Para servidores Windows, costuma ser utilizado o IIS (Internet Information Service), o qual o visual Studio está integrado, mas com o projeto mono, já é possível fazer aplicativos web em servidores Linux. Independente do servidor, a página web gerada pode ser visualizada em qualquer browser de qualquer sistema operacional.

6 6 Sintaxe/modo de uso dos principais elementos e estruturas da linguagem, incluindo: 6.1 Instruções condicionais If then endif: As instruções condicionais são feitas com if then endif, opcionalmente, a expressão poderá conter um else no final, ou n elseif no meio, esse é um exemplo completo: If a = 1 Then Response.Redirect("pagina1") ElseIf a = 2 Then Response.Redirect("pagina2") Else Response.Redirect("pagina3") End If Neste exemplo, se a variável inteira a for 2, será executado Response.Redirect( pagina2 ), case a variável for 34, será executado Response.Redirect( pagina3 ) Select Case Quando a condição é feita toda sobre uma variável, o mais ideal é que se utilize o modelo condicional de Select Case, ele é aplicável se a variável for enumerável (enumeradores, inteiros, caracteres). Opcionalmente poderá conter um case else, para o caso onde nenhum dos casos anteriores for verdadeiro, veja um exemplo completo: Select Case a Case 1 Response.Redirect("pagina1") Case 2 Response.Redirect("pagina2") Case Else Response.Redirect("pagina3") End Select Neste exemplo, se a variável inteira a for 2, será executado Response.Redirect( pagina2 ), case a variável for 34, será executado Response.Redirect( pagina3 ) 6.2 Instruções de repetição.

7 6.2.1 Do... Loop O que estiver dentro de Do... Loop será repetido, para a condição de parada, inserimos While (enquanto) ou Until (até) ou após o do, ou após o Loop, caso seja após o loop, garantimos que pelo menos uma vez será executado aquele trecho de código. Exemplo: Dim valor As Integer valor = 0 Do Console.Write("Valor: " + valor) valor = valor + 1 Loop Until valor = 100 Neste exemplo, serão impresso na tela os números de zero á While... End While Idêntico a Do While... Loop, o trecho de código será executado enquanto a expressão após o while for verdadeira For... Next A seqüencia For... Next instancia uma variável e a incrementa no bloco entre as duas palavras chaves. Exemplo: For a As Integer = 1 To 10 For b As Integer = 1 To 10 Console.Write(a + " + " + b + " = " + (a + b)) Next Next Neste exemplo, será exibido no console da aplicação a tabuada de soma dos números de 1 a For Each Next For Each Next é uma facilidade utilizada para percorrer coleções de objetos, você, na definição do for... each, indica uma variável que

8 representará cada item da coleção em cada iteração seguido da coleção que você deseja percorrer. Exemplo: Dim colecao As List(Of String) = New List(Of String) colecao.add("casa") colecao.add("carro") colecao.add("mesa") For Each Item As String In colecao Console.Write(Item) Next Nesse exemplo, será exibido na tela todas as strings da lista de strings, no caso, casa, carro e mesa. Como se trata de uma lista, será exibido exatamente nesta mesma ordem, se sua coleção fosse de um tipo ordenado, seria exibido na ordem definida. Obs.: a coleção não pode ser alterada no bloco do for each... next, caso isso ocorra, uma exceção subirá. 6.3 Definição de função/objetos Definição de uma classe. Definimos uma classe com a palavra reservada Class, devemos então dizer se a classe herda de outra (Inherits) e/ou se implementa uma interface(implements). Uma classe pode ser parcial (partial) o que significa que outros arquivos além do escrito representam essa mesma classe. Exemplo: Partial Class ResourceClass Implements IDisposable Definimos os atributos: Private disposed As Boolean = False Definimos os métodos: Método obrigatório da interface IDisposable Protected Overridable Sub Dispose(ByVal disposing As Boolean) Codigo do método. End Sub End Class Definição de métodos.

9 Existem dois tipos de métodos que uma classe poderá ter em vb.net, as funções e as sub rotinas, a única diferença das duas é que as funções retornam valores, e as sub rotinas não. Primeiro listamos os modificadores do método, depois indicamos se queremos Sub ou Function, dizemos o nome do método e depois entre parênteses listamos os parâmetros. Os parâmetros poderão ser ByVal (passagem por valor), ByRef (passagem por referencia, ou seja, se for alterado dentro do método, será alterado no local que o chamou), também poderá ser Optional, se for um parâmetro não obrigatório do método. Exemplo: ''' <summary> ''' Método que soma dois números e retorna a soma. ''' </summary> ''' <param name="numero1"> ''' O primeiro número a ser somado. ''' </param> ''' <param name="numero2"> ''' O segundo número a ser somado. ''' </param> ''' <returns> ''' A soma dos números ''' </returns> Public Function SomaNumeros(ByVal numero1 As Integer, _ ByVal numero2 As Integer) As Integer Return numero1 + Numero2 End Function Declarando um objeto. As: Podemos declarar um objeto utilizando as palavra reservadas DIM e Ex: Dim teste As string Nesse exemplo declaramos o objeto teste como sendo do tipo string. 6.4 Definição de comentários. Todos os comentários são de linha, e pode ser feito adicionando uma aspa simples onde você deseja começar o comentário, ou utilizando a palavra reservada REM.

10 Exemplos: Criando a variável casa Dim Casa As string Ou REM Criando a variável casa Dim Casa As string 6.5 Mecanismo de controle de erros (exceção) Definindo uma classe de exceção: Definimos uma classe de exceção em VB.Net como uma classe normal, só que ela deve herdar da classe System.Exception Exemplo: Public Class Exemplo Inherits System.Exception Public Sub New(ByVal message As String) MyBase.New(message) End Sub Public Sub New(ByVal message As String, ByVal inner As Exception) MyBase.New(message, inner) End Sub Public Sub New( _ ByVal info As System.Runtime.Serialization.SerializationInfo,_ ByVal context As System.Runtime.Serialization.StreamingContext) MyBase.New(info, context) End Sub End Class Lançando uma exceção. Caso nós identifiquemos um comportamento não previsto em um método, podemos lançar uma exceção, para que ela seja tratada por quem utilizou esse método, fazemos isso utilizando a palavra reservada Throw. Ex.: If parametro = 0 then Throw New ApplicationException("Parametro não deveria ser 0")

11 Endif Obs.: Ao contrário de linguagens como Java, um método em VB.net não precisa explicitar todas as exceções que ele pode lançar no cabeçalho Tratando exceções. Podemos tratar as exceções com as estruturas de try catch, try finally ou try catch finally. No final devemos explicitar o termino do tratamento com end try. O bloco try é o bloco que queremos tratar, O bloco catch que se relaciona com uma classe que estende de exception representa o código que deve ser executado caso ocorra uma exceção daquela classe, e o bloco finally é o bloco que será executado independente de que haja exceção ou não, ideal para desfazer conexões, limpeza de dados, etc. Exemplo: Try Obj.execute() 'Executaremos esse codigo Catch ex As NullReferenceException 'Caso o objeto obj seje nulo, será executado essa linha Console.Write("Passado um objeto nulo") Finally cnn.dispose() 'Esse codigo é sempre executado End Try No exemplo mostrado, no bloco catch, definimos um objeto ex que será do tipo NullReferenceException, se quisermos, podemos acessar as propriedades desse objeto para saber os detalhes da exceção. 6.6 Mecanismos de acesso ao banco de dados e arquivos. Acessamos o banco de dados através do ADO.NET (ActiveX Data Objects.NET) que é a evolução do antigo ADO utilizado em ASP e VB6. A arquitetura do ADO.NET se divide em duas partes primárias, Data provider e os Datasets. A primeira adquire os dados de uma fonte de dados de um SGBD, possui objetos que realizam a conexão com o banco de dados, e possuem um sistema de passagem de parâmetros, que impedem ataques de SQLInjections, envia se comandos e obtêm os dados.

12 Os Datasets são classes que representam os dados retornados pelo SGBD. Como eles representão as tabelas, é útil para não haver confusão com os nomes dos dados na tabela. 6.7 Mecanismo de acesso aos dispositivos externos (Exemplo: dispositivos biométricos, impressoras, scanners, etc.). Você utilizará as bibliotecas que já estão disponíveis na linguagem para fazer o acesso a esses dispositivos, para cada dispositivo existe uma interface diferente, as bibliotecas facilitam muito o trabalho de acesso, pois basta você utilizar os métodos disponíveis nos objetos para você fazer o que puder. 6.8 Uso de bibliotecas/controles feitos na própria linguagem. Para utilizar bibliotecas feitas em vb.net, primeiro precisamos incluir o namespace da mesma, para que ela seja identificada no arquivo, isso é feito com a palavra reservada Imports. Ex: Imports System.Data Então pode se utilizar as classes dessa biblioteca pelo nome, acessar seus métodos, propriedades e atributos(caso sejam públicos) através do ponto. Exemplo: Console.Write( teste ). 6.9 Forma e disponibilidade para acesso a bibliotecas/controles desenvolvidos em outras linguagens (método de interação entre sistemas) Exemplo: a linguagem de programação escolhida pode acessar bibliotecas em C++? E em Java? Dentro do.net Framework, podemos a partir do Visual Basic acessar bibliotecas em qualquer outra linguagem que é convertida para a CLI, isso inclui C++/CLI, J#, C#,IronLisp(Lisp), A#(ADA), P#(Prolog), etc. E isso ocorre de forma transparente, simplesmente podemos acessar classes e objetos definidos na CLI como se fosse da própria linguagem.

13 7 A linguagem possui utilitários ou formas de automação/ auxílio na documentação? Apesar de que ao principio, a linguagem apenas suportava comentários comuns, sem padrão de documentação (onde era preciso utilizar programas de terceiros como o VBCommenter), atualmente ela já suporta documentação nativamente. Ela é feita com um formato de XML, para escrever a sua documentação, você deve, logo acima do que você deseja documentar (classe, método, atributo, etc.) três aspas simples, se você está em uma ferramenta como Visual Studio, automaticamente aparecerá as tags XML que você deve preencher para aquele item. Exemplo: ''' <summary> ''' Método que soma dois números e retorna a soma. ''' </summary> ''' <param name="numero1"> ''' O primeiro número a ser somado. ''' </param> ''' <param name="numero2"> ''' O segundo número a ser somado. ''' </param> ''' <returns> ''' A soma dos números ''' </returns> Public Function SomaNumeros(ByVal numero1 As Integer, _ ByVal numero2 As Integer) As Integer Return numero1 + Numero2 End Function Utilizando IDEs como o Visual Studio, em tempo de programação é possível ver a documentação das coisas que você utiliza em janelas de popup. Isso facilita muito o desenvolvimento em equipe. [1].

14 8 Pode ser utilizado para desenvolver aplicações Web? E desktop? A linguagem VB.Net, como todas a linguagens do framework.net podem ser utilizadas para fazer aplicações tanto para web quanto para desktop, no caso de aplicações web, ela é utilizada junto com a linguagem de página ASP.Net[1]. A linguagem VB.Net também pode ser utilizada para desenvolver aplicações em outro tipo de plataformas como aplicações móveis, webservices, etc. 9 Permite desenvolver controles personalizados? Como? Sim, para isso, primeiro criamos a interface do nosso controle, ele será formado de outros controles, definimos como eles serão expostos na tela para depois definimos uma classe, que irá herdar de System.windows.Forms.UserControl, que irá conter os eventos que o nosso controle poderá disparar. Um exemplo clássico é criar um controle de login, ele seria formado por dois textbox e um botão de log, os textbox e o botão tem por si vários eventos, mas para alguém que queira usar esse nosso controle de login, apenas seria interessante saber quando o usuário logou e se o log dele é válido ou inválido, e é isso que é feito, encapsulamos os eventos dos controles que fazem parte do nosso novo controle em apenas um evento de usuário tenta logar.[4] Depois de um controle feito, ele poderá ser usado não só em qualquer parte da sua aplicação, como também em outras aplicações que você desejar. No caso de aplicações web, a parte de definir controles personalizados não ficará completamente com o vb.net, e sim com a interface web (asp.net), mas utilizaremos o vb.net no código os eventos[1].

15 10 Quais os ambientes de desenvolvimento integrados (IDEs) disponíveis? Informar fabricante, site, tipo de licença, características e valor (se for o caso) de cada uma delas. Visual Studio: O Visual Studio é a principal IDE da Microsoft, pode ser utilizada para desenvolver aplicações console, gráfica e móveis com facilidades a manipulação de Windows Forms. Desenvolve aplicações web, sites web e webservices (Pela W3C, um sistema de software desenhado para suportar iterações de máquina a máquina sobre uma rede), tanto com código nativo(direto para o processador) como com código gerenciável (Utilizando uma máquina virtual) para todas as plataformas que suportadas pelo Windows, Windows Móbile(Para aplicações para celulares),.net Framework,.Net Compact Framework e Microsoft Silverlight (Plugin do IE que faz animações, vetores, etc.)[2]. O Visual Studio possui diferentes edições, são elas: Visual Studio Express Visual Studio Express é um conjunto de ides bem leves que são na verdade uma versão bem reduzida da ide em si, mas que contém o básico para desenvolver na linguagem. Ela é uma versão gratuita da linguagem e pode ser baixada pelo site oficial de desenvolvimento da Microsoft. Ela tem o intuito de ser utilizada por estudantes ou por amadores. [2] Visual Studio Standard É a versão padrão do visual Studio, ela não é gratuita mas ao contrário da versão express, com essa se tem todos os recursos da IDE como extenções, criação de instaladores, integração com o MSDN(Completa), Desenhador de Classes, Refactoring(Completo, a versao express possui uma versão reduzida), Possui um debugador mais completo, e com ela é possível criar aplicações para plataforma de 64bits. Visual Studio Profissional

16 É uma versão mais cara do visual Studio, mas contém funcionalidades extras, possui tudo o que a versão standard possui. Possui o chamado Visual Studio Tools for Office, que é como o visual studio pode ser integrado ao office. Visual Studio Team System O Visual Studio Team System possui todas as funções do Visual Studio Profissional, mas possui recursos extras para o desenvolvimento em time. Mono: O mono foi um ambiente de desenvolvimento feito para permitir usar o framework.net no Linux e em outro sistemas operacionais livres. Mono provê os softwares necessários prara desenvolver e executar clientes e servidores de aplicações.net no linux, solaris, MAC OS X, Windows e Unix, ele foi patrocinado pela Novell e é atualmente a maneira mais utilizada de desenvolver em vb.net no Linux [3]. 11 A linguagem é padronizada (ANSI/ISO)? Qual a referência (documento, data, ano)? Não, a linguagem foi criada comercialmente pela Microsoft, está em constante modificação e não possui padronização prevista atualmente. As implementações de vb.net sempre procuram se adequar as versões lançadas pela Microsoft, mas há diferenças.

17 Referencias: [1] Microsoft Development Network: us/library/ us/vbasic/ [2] Wikipédia a enciclopédia livre: [3] Mono Project: project.com/ [4] Free Computer Tutorials: [5] Macoratti.net

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi Fundamentos da plataforma.net André Menegassi O que é o.net Framework?.NET é uma plataforma de software para desenvolvimento de aplicações que conecta informações, sistemas, pessoas e dispositivos através

Leia mais

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C#

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Linguagem de Programação 3 Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Prof. Mauro Lopes 1-31 35 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net, o ambiente de desenvolvimento

Leia mais

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br Professor Apresentação Agenda Ementa, Objetivo, Conteúdo Programático, Bibliografia,

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

Principais características

Principais características .Net Framework O que é.net? Proprietário da Microsoft Versão simplificada para Linux Versão compacta para dispositivos móveis Plataforma de desenvolvimento e execução Interface com usuário, conectividade

Leia mais

19/05/2009. Módulo 1

19/05/2009. Módulo 1 ASP.NET Módulo 1 Objetivo Mostrar os conceitos fundamentais da plataforma Microsoft.Net e suas ferramentas; Apresentar os conceitos fundamentais de aplicações web e seus elementos; Demonstrar de forma

Leia mais

ASP.NET. Guia do Desenvolvedor. Felipe Cembranelli. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

ASP.NET. Guia do Desenvolvedor. Felipe Cembranelli. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br ASP.NET Guia do Desenvolvedor Felipe Cembranelli Novatec Editora www.novateceditora.com.br 1 Introdução à plataforma.net A plataforma Microsoft.NET.NET é uma nova plataforma de software para desenvolvimento

Leia mais

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

ASP.NET 2.0 e PHP. Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes

ASP.NET 2.0 e PHP. Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes ASP.NET 2.0 e PHP Autor: Glauber de Almeida e Juarez Fernandes Linguagens pesquisadas ASP.NET 2.0 e PHP. 1 - ASP.NET 2.0 ASP.NET não é nem uma linguagem de programação como VBScript, php, nem um servidor

Leia mais

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework Introdução ao C# Microsoft.NET (comumente conhecido por.net Framework - em inglês: dotnet) é uma iniciativa da empresa Microsoft, que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas

Leia mais

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes Ambiente de Programação Visual Framework.NET Prof. Mauro Lopes 1-31 16 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net. Ao final desta aula, o aluno terá compreendido a Arquitetura de uma aplicação.net.

Leia mais

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes Ambiente de Programação Visual Framework.NET Prof. Mauro Lopes 1-31 13 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net. Ao final desta aula, o aluno terá compreendido a Arquitetura de uma aplicação.net.

Leia mais

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Willian Magalhães 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

Parte I Princípios básicos do Microsoft.NET Framework

Parte I Princípios básicos do Microsoft.NET Framework Sumário Parte I Princípios básicos do Microsoft.NET Framework Capítulo 1 A arquitetura da plataforma de desenvolvimento.net Framework.............................. 35 Compilando código-fonte em módulos

Leia mais

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Tratamento de Exceções

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Tratamento de Exceções Programação Estruturada e Orientada a Objetos Tratamento de Exceções 2013 O que veremos hoje? Introdução Tratamento de exceções Exercícios Transparências baseadas no material do Prof. Gilbert Azevedo Referencias

Leia mais

A interface do Microsoft Visual Studio 2005

A interface do Microsoft Visual Studio 2005 Tarefa Orientada 1 A interface do Microsoft Visual Studio 2005 Objectivos: Introdução à framework.net Iniciar o Visual Studio 2005. Criar um novo projecto de Windows Forms em Visual Basic Introdução à

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos.

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3 COMANDOS CONDICIONAIS E DE LAÇO Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3.1 COMANDOS CONDICIONAIS 3.1.1 Comando IF Como o próprio nome já indica, estes comandos

Leia mais

EMENTA DO CURSO. Tópicos:

EMENTA DO CURSO. Tópicos: EMENTA DO CURSO O Curso Preparatório para a Certificação Oracle Certified Professional, Java SE 6 Programmer (Java Básico) será dividido em 2 módulos e deverá ter os seguintes objetivos e conter os seguintes

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Como acompanhar a evolução dos aplicativos? Console >> Desktop >> Web >> Mobile >> Cloud. Como aproveitar o melhor de cada programador?

Como acompanhar a evolução dos aplicativos? Console >> Desktop >> Web >> Mobile >> Cloud. Como aproveitar o melhor de cada programador? Como acompanhar a evolução dos aplicativos? Console >> Desktop >> Web >> Mobile >> Cloud Como aproveitar o melhor de cada programador? Clientes querem tudo pra ontem. Como atender essa necessidade? Microsoft.NET

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 CAMPUS SANTO ANDRÉ CELSO CANDIDO SEMESTRE 2014 1 Características da Plataforma.NET A plataforma.net Framework 4.0 (.NET 4.0) é uma plataforma de softwares que fornece

Leia mais

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Seminário - C# DSO II Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2 Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Roteiro Breve Histórico Plataforma.NET Características da Linguagem Sintaxe Versões

Leia mais

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem.

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem. 1 - O que é JAVASCRIPT? É uma linguagem de script orientada a objetos, usada para aumentar a interatividade de páginas Web. O JavaScript foi introduzido pela Netscape em seu navegador 2.0 e posteriormente

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL Deinf/Dine4 Versão 1.3 20/05/2013 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/11/2007 1.0 Elaboração da primeira versão

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

Microsoft.NET. Grupo: Eduardo Getassi Maicon Lima Rodrigo Cunha

Microsoft.NET. Grupo: Eduardo Getassi Maicon Lima Rodrigo Cunha Microsoft.NET Grupo: Eduardo Getassi Maicon Lima Rodrigo Cunha Microsoft.NET Introdução ao CLR.NET WebServices FrameWork.NET MVC WebForms Linguagens.NET Versões Visual Studio ADO.NET INTRODUÇÃO Metodologia

Leia mais

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++ Fundamentos de Programação II Introdução à linguagem de programação C++ Prof. Rafael Henrique D. Zottesso Material cedido por Prof. Msc. Everton Fernando Baro Agenda IDE HelloWorld Variáveis Operadores

Leia mais

Programação para Dispositivos Móveis Aula 1. Prof. William Yamamoto

Programação para Dispositivos Móveis Aula 1. Prof. William Yamamoto Programação para Dispositivos Móveis Aula 1 Prof. William Yamamoto Visual Studio É uma ferramenta de desenvolvimento completa que atende praticamente a todas as plataformas de desenvolvimento, como: Web

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

Algoritmos e Estrutura de Dados. Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira

Algoritmos e Estrutura de Dados. Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira Algoritmos e Estrutura de Dados Aula 1 Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira Linguagem a ser Utilizada? Nossa disciplina é de Algoritmos e Estrutura de Dados, e não de linguagem

Leia mais

PARTE I A Linguagem C#

PARTE I A Linguagem C# PARTE I A Linguagem C# Capítulo 1, C# 3.0 e o.net 3.5 Capítulo 2, Iniciando: Hello World Capítulo 3, Fundamentos da Linguagem C# Capítulo 4, Classes e Objetos Capítulo 5, Herança e Polimorfismo Capítulo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE II. Aula 07 A linguagem de programação C# e sua sintaxe

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE II. Aula 07 A linguagem de programação C# e sua sintaxe DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE II Aula 07 A linguagem de programação C# e sua sintaxe Na aula passada... Avaliamos o conceito de Integrated Development Environment (IDE); Aprendemos um pouco da evolução do

Leia mais

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA

CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA CURSO DE PROGRAMAÇÃO EM JAVA Introdução para Iniciantes Prof. M.Sc. Daniel Calife Índice 1 - A programação e a Linguagem Java. 1.1 1.2 1.3 1.4 Linguagens de Programação Java JDK IDE 2 - Criando o primeiro

Leia mais

A Linguagem Algorítmica Estrutura de Repetição. Ex. 2

A Linguagem Algorítmica Estrutura de Repetição. Ex. 2 Estrutura de Repetição. Ex. 2 A ESTRUTURA Enquanto faça{} É MELHOR UTILIZADA PARA SITUAÇÕES ONDE O TESTE DE CONDIÇÃO (V OU F) PRECISA SER VERIFICADO NO INÍCIO DA ESTRUTURA DE REPETIÇÃO.

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Guia do Programador Joel Saade

Guia do Programador Joel Saade C# Guia do Programador Joel Saade Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial,

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 09 Introdução à Java. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 09 Introdução à Java Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Java: Sintaxe; Tipos de Dados; Variáveis; Impressão de Dados.

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho O que é um Programa? Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService

Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Faculdade de Negócios e Administração de Sergipe Disciplina: Integração Web Banco de Dados Professor: Fábio Coriolano Desenvolvimento de Aplicação Windows Mobile Acessando um WebService Professor: Fabio

Leia mais

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express EMENTA: Introdução ao Visual C#. Fundamentos da Linguagem. Estruturas de decisão e repetição. Modularização de Programas: Funções. Arrays

Leia mais

Fundamentos da Programação

Fundamentos da Programação Fundamentos da Programação Renato Haddad Microsoft Most Valuable Professional Brasil Meu nome é Renato Haddad e sou Microsoft Most Valuable Professional no Brasil 1 Objetivo Mostrar os fundamentos da programação

Leia mais

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS PARA DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Wyllian Fressatti 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 02 APRESENTAÇÃO: Apresentação; conceitos básicos da linguagem java; estrutura

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP. Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014

MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP. Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014 MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014 1. Nomes e localização dos arquivos do projeto: O template

Leia mais

Estudo de caso de solução integrada ao AutoCAD através da API.NET para conversão de desenhos

Estudo de caso de solução integrada ao AutoCAD através da API.NET para conversão de desenhos Estudo de caso de solução integrada ao AutoCAD através da API.NET para conversão de desenhos Augusto Cesar Silva Brighenti Álamo Soluções em TI A sessão será um estudo de caso de uma solução de integração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMATICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS DE APLICAÇÃO COMERCIAL SILAS QUEIROZ SILVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMATICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS DE APLICAÇÃO COMERCIAL SILAS QUEIROZ SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMATICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS DE APLICAÇÃO COMERCIAL SILAS QUEIROZ SILVA Mini-Seminário Visual Basic 6.0 Salvador - BA 18/05/2009

Leia mais

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP Antes de mais nada, vamos conhecer alguns conceitos, que serão importantes para o entendimento mais efetivos dos assuntos que trataremos durante a leitura desta apostila.

Leia mais

Dominando Action Script 3

Dominando Action Script 3 Dominando Action Script 3 Segunda Edição (2014) Daniel Schmitz Esse livro está à venda em http://leanpub.com/dominandoactionscript3 Essa versão foi publicada em 2014-05-02 This is a Leanpub book. Leanpub

Leia mais

Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB

Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB Visão Geral do Visual Basic.NET Conceitos Básicos Antes de codificar um programa dentro do Visual Studio

Leia mais

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda:

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: 33 Capítulo 3 Procedimentos (macros) Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: O objetivo de uma macro é automatizar as tarefas usadas com mais freqüência. Embora algumas macros sejam

Leia mais

Anderson Martins dos Anjos. Arleson Nunes Silva. Fábio Antonio Oliveira Novais. Silas Queiroz

Anderson Martins dos Anjos. Arleson Nunes Silva. Fábio Antonio Oliveira Novais. Silas Queiroz Anderson Martins dos Anjos Arleson Nunes Silva Fábio Antonio Oliveira Novais Silas Queiroz.NET Framework e linguagem C# Salvador 2009 Anderson Martins dos Anjos Arleson Nunes Silva Fábio Antônio Oliveira

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas

ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas ADO.NET - Roteiro básico e Boas Práticas Confuso com tantos conceitos novos, com tantas siglas e acrósticos? Qual provedor usar? Devo usar DataSet ou DataReader? Se essas e outras dúvidas te atormentam,

Leia mais

Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br

Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br Aula 15 (Revisão prova B2): Conteúdo programático Teórica Conteúdo da Aula 12 até a

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e)

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) S Manual de Utilização do Web Service (Modelo Nacional Versão 1.0) Sistema desenvolvido por Tiplan Tecnologia em Sistema de Informação. Todos os direitos reservados. http://www.tiplan.com.br Página 2 de

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e)

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) S Manual de Utilização do Web Service (Modelo Nacional - Versão 1.1) Página 2 de 14 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. SERVIÇOS DISPONÍVEIS... 4 2.1. SERVIÇOS DO MODELO NACIONAL... 4 2.1.1. Recepção e Processamento

Leia mais

Comparando Java e C#

Comparando Java e C# Por: Lincon Alexandre Marques Jonathan T. Dos Santos Ricardo Fumio Tanimoto Abril, 2009 Comparando Java e C# Introdução Escolhemos como tema deste artigo um comparativo entre as linguagens Java e C#, duas

Leia mais

Validando dados de páginas WEB

Validando dados de páginas WEB Validando dados de páginas WEB Para que validar os dados? Validar os dados informados pelo usuário garante que sua aplicação funcione corretamente e as informações contidas nela tenha algum sentido. Outro

Leia mais

4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911. Xerox FreeFlow Core Guia de Instalação: Windows 8.1 Update

4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911. Xerox FreeFlow Core Guia de Instalação: Windows 8.1 Update 4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911 2015 Xerox Corporation. Todos os direitos reservados. Xerox, Xerox com a marca figurativa e FreeFlow são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros

Leia mais

1.6. Tratamento de Exceções

1.6. Tratamento de Exceções Paradigmas de Linguagens I 1 1.6. Tratamento de Exceções Uma exceção denota um comportamento anormal, indesejado, que ocorre raramente e requer alguma ação imediata em uma parte do programa [GHE 97, DER

Leia mais

1 Função e criação do Programa. Relatório de desenvolvimento do projecto Programador/designer : Tiago MC Simões

1 Função e criação do Programa. Relatório de desenvolvimento do projecto Programador/designer : Tiago MC Simões Relatório de desenvolvimento do projecto Programador/designer : Tiago MC Simões 1) Função e criação do Programa 2) Lista de transacções/funções 3) Interface Gráfico do programa 4) A base de dados 4.1)

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java

FBV - Linguagem de Programação II. Um pouco sobre Java FBV - Linguagem de Programação II Um pouco sobre Java História 1992: um grupo de engenheiros da Sun Microsystems desenvolve uma linguagem para pequenos dispositivos, batizada de Oak Desenvolvida com base

Leia mais

INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO Na plataforma Java SE 7, há cerca de 4000 classes e interfaces disponíveis para utilizarmos em nossas aplicações Podemos visualizar a documentação dessas classes e interfaces

Leia mais

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec Guia de Consulta Rápida PHP com XML Juliano Niederauer Terceira Edição Novatec Copyright 2002 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Introdução a lógica de programação. Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express

Introdução a lógica de programação. Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Introdução a lógica de programação Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Roteiro da aula Linguagem de Programação Visual C#: Introdução a C# através de comandos de entrada

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java.

O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação excepcional do seu tratamento, ao se programar um método em Java. Exceções em Java Miguel Jonathan DCC/IM/UFRJ (rev. abril de 2011) Resumo dos conceitos e regras gerais do uso de exceções em Java O uso de exceções permite separar a detecção da ocorrência de uma situação

Leia mais

Arquivos de Textos no C - Básico

Arquivos de Textos no C - Básico OpenStax-CNX module: m47676 1 Arquivos de Textos no C - Básico Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License 3.0 TRABALHANDO

Leia mais

É uma das linguagens de programação que fazem parte da Plataforma.NET (em inglês: dotnet) criada pela Microsoft (Microsoft.NET).

É uma das linguagens de programação que fazem parte da Plataforma.NET (em inglês: dotnet) criada pela Microsoft (Microsoft.NET). C ( C-Sharp ) LPI 1. A Plataforma.NET (em inglês: dotnet) Visão Geral C é uma linguagem de programação. É uma das linguagens de programação que fazem parte da Plataforma.NET (em inglês: dotnet) criada

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e)

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) S Manual de Utilização do Web Service (Modelo Nacional - Versão 1.0) Página 2 de 16 Índice ÍNDICE... 2 1. INTRODUÇÃO... 3 2. SERVIÇOS DISPONÍVEIS... 4 2.1. SERVIÇOS DO MODELO NACIONAL... 4 2.1.1. Recepção

Leia mais

Convenções. Este recurso traz informes específicos de determinado assunto abordado em um tópico, dando ao usuário conselhos e informações extras.

Convenções. Este recurso traz informes específicos de determinado assunto abordado em um tópico, dando ao usuário conselhos e informações extras. Desenvolvido por Convenções Este manual está dividido em sete capítulos e recomenda-se sua leitura sequencial, contudo existem alguns tópicos onde você é orientado a navegar para uma página específica,

Leia mais

Instalação, configuração e manual

Instalação, configuração e manual Cardápio Moura Instalação, configuração e manual Conteúdo Instalação... 4 Requisitos mínimos... 4 Windows 8... 5 Instalação do IIS no Windows 8... 5 Configuração do IIS no WINDOWS 8... 15 Windows 7...

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Pessoa Física NFE (RFB) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Pessoa Física NFE (RFB) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior Manual de Integração Tecnologia: WebServices SOAP XML Área: CDC Produto: CDC Pessoa Física NFE (RFB) Versão: 1.0 Autor: Angelo Bestetti Junior Conteúdo Introdução... 3 Considerações Iniciais... 4 Privacidade...

Leia mais

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7).

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7). Excel Avançado Atenção! 1. Nunca referenciamos valores, mas sim o nome da célula que contém o valor, como A1, sendo A a coluna e 1 a linha. 2. As fórmulas sempre iniciam com sinal de =. 3. Lembre-se de:

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando nossas aulas sobre

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01

IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01 IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01 Prof. Manoel Campos da Silva Filho Tecnólogo em Processamento de Dados / Unitins Mestre em Engenharia Elétrica / UnB http://lab.ifto.edu.br/~mcampos

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Criando um carrinho de compras

Criando um carrinho de compras Criando um carrinho de compras Um carrinho de compras feito em ASP.NET para você adaptar ao seu negócio e incluir no seu site. Além de aprender conceitos importantes relacionados a tecnologia ASP.NET vai

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com. IntroduçãoàTecnologiaWeb FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb

Leia mais

2 echo "PHP e outros.";

2 echo PHP e outros.; PHP (Hypertext Preprocessor) Antes de qualquer coisa, precisamos entender o que é o PHP: O PHP(Hypertext Preprocessor) é uma linguagem interpretada gratuita, usada originalmente apenas para o desenvolvimento

Leia mais

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Estendida (Física) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior

Manual de Integração. Tecnologia: WebServices SOAP XML. Área: CDC. Produto: CDC Estendida (Física) Versão: 1.0. Autor: Angelo Bestetti Junior Manual de Integração Tecnologia: WebServices SOAP XML Área: CDC Produto: CDC Estendida (Física) Versão: 1.0 Autor: Angelo Bestetti Junior Conteúdo Introdução... 3 Considerações Iniciais... 4 Privacidade...

Leia mais

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015 Visual Basic VBA Macros Funções Conjunto de instruções que são executadas sempre que se desejar e pela ordem apresentada As funções são

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD)

Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) Lua Pós graduação em Telemática - Desenvolvimento de Aplicações Interativas para o Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) Manoel Campos da Silva Filho Mestre em Engenharia Elétrica / UnB http://manoelcampos.com

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais