Circulante Não circulante

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Circulante Não circulante"

Transcrição

1

2

3

4

5 BALANÇO PATRIMONIAL CONDENSADO EM 31 DE DEZEMBRO Em milhares de reais Ativo /01/2009 Circulante Não circulante Ativos financeiros mantidos até o vencimento Contas a receber de clientes Tributos a recuperar Imposto de renda e contribuição social diferidos Depósitos judiciais Partes relacionadas Demais contas a receber Investimentos em coligadas Outros investimentos Imobilizado Intangível Total do ativo As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras Passivo e Patrimônio Líquido /01/2009 Circulante Não circulante Patrimônio líquido Capital social Reservas de capital Reservas de lucros Outros resultados abrangentes Ações em tesouraria (59.271) (10.376) Prejuízos acumulados ( ) ( ) Total atribuível aos acionistas da Companhia Participação dos acionistas não controladores em controladas Total do passivo e patrimônio líquido DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO Em milhares de reais Receita líquida de vendas Lucro bruto Receitas (despesas) Despesas de vendas, distribuição e gerais e administrativas ( ) ( ) Outras receitas (despesas) operacionais ( ) (59.414) Resultado de participações societárias Resultado de combinação de negócios Lucro operacional Resultado financeiro ( ) Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social Imposto de renda e contribuição social - correntes (61.536) ( ) Imposto de renda e contribuição social - diferidos ( ) Lucro líquido do exercício Atribuível a: Acionistas da Companhia Participação de acionistas não controladores em controladas (5.824) Lucro líquido por ação atribuível aos acionistas da Companhia ao fim do exercício (expresso em reais por ação): Lucro básico por ação - ON e PN 2,6497 0,7734 Lucro diluído por ação - ON e PN 2,6491 0,7737 As notas explicativas da Administração são parte integrante das demonstrações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E DE 2009 (Valores expressos em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) 1. BASE DE PREPARAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras consolidadas foram preparadas e estão sendo apresentadas conforme as práticas contábeis adotadas no Brasil, incluindo os pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs) e de acordo com os Padrões Internacionais de Demonstrações Financeiras (International Financial Reporting Standards (IFRS) emitidos pelo International Accounting Standards Board (IASB). Estas são as primeiras demonstrações financeiras apresentadas de acordo com CPCs e IFRS pela Companhia. As principais diferenças entre as práticas contábeis adotadas anteriormente no Brasil ( BRGAAP ) e CPCs e IFRS, estão descritas na Nota ADOÇÃO INICIAL IFRS As demonstrações financeiras consolidadas para o exercício findo em 31 de dezembro de 2010 são as primeiras demonstrações financeiras consolidadas anuais em conformidade com os CPC s e o IFRS. A Companhia aplicou os CPC s 37 (R1) e 43(R1) e o IFRS 1 na preparação destas demonstrações financeiras consolidadas. A data de transição é 1 de janeiro de A administração preparou os balanços patrimoniais de abertura segundo os CPC s e o IFRS naquela data. 2.1 Isenções e exceções na transição das práticas contábeis A Braskem optou por aplicar as seguintes isenções e exceções com relação à aplicação retrospectiva, previstas no CPC 37 (R1) e IFRS 1 na preparação do balanço de abertura Isenções da aplicação retrospectiva (i) Combinação de negócios O CPC 37 (R1) e o IFRS 1 dão a opção de aplicar o CPC 15 e IFRS 3 prospectivamente à data de transição ou à uma data específica anterior à data de transição. Essa opção exclui a obrigação de aplicação retrospectiva para todas as combinações de negócios que ocorreram em data anterior à data de transição. Nessa linha, a Companhia aplicou essa isenção e não reapresentou as combinações de negócios que ocorreram antes de 1 de janeiro de (ii) Benefícios a empregados A Companhia optou por reconhecer, em lucros acumulados, todos os ganhos e perdas atuariais passados, cumulativamente, em 1 de janeiro de 2009 para todos os planos de pensão com benefício definido Exceções da aplicação retrospectiva (i) Contabilização de hedge A administração utilizou a contabilização de hedge a partir de 1 de janeiro de 2009 somente nos casos em que a relação de hedge atendia aos critérios de contabilização de hedge previstas na CPC 38 e IAS 39. Na data de transição, a Companhia possuía derivativos designados como hedge de fluxo de caixa que se qualificavam para contabilização de hedge. (ii) Estimativas As estimativas segundo os CPC s e o IFRS, em 1 de janeiro de 2009, eram consistentes com as práticas contábeis adotadas anteriormente pela Companhia. 2.2 Reconciliação entre BR GAAP e CPC s e IFRS As tabelas a seguir apresentam as reconciliações das demonstrações financeiras consolidadas para o balanço de abertura e demonstrações para 31 de dezembro de a) Reconciliação do patrimônio líquido do balanço de abertura 1 de janeiro de 2009 Patrimônio líquido BRGAAP Ajuste para consolidação proporcional da RPR (17.458) Indexação adicional ao imobilizado Reversão de gastos capitalizados com pesquisa (25.121) Reversão do saldo do ativo diferido ( ) Benefícios de plano de pensão com benefício definido (80.828) Reversão de saldos de deságio Imposto de renda diferido sobre os ajustes de prática ( ) Constituição de IR diferido sobre prejuízo fiscal com realização superior a 10 anos Constituição de IR diferido sobre ágio de controladas com realização superior a 10 anos Patrimônio líquido consolidado ajustado aos CPC s e IFRS b) Reconciliação do patrimônio líquido e do lucro líquido do exercício 31 de dezembro de 2009 Patrimônio Lucro Líquido Líquido Conforme BR GAAP Ajuste para consolidação proporcional da RPR (1.829) Indexação adicional ao imobilizado (41.266) Reversão de gastos capitalizados com pesquisa Reversão do saldo do ativo diferido (70.980) Benefícios de plano de pensão com benefício definido (73.341) Reversão de saldos de deságio (4.595) Combinação de negócios Triunfo Baixa de ágio - Combinação de negócios Triunfo (17.000) (17.000) Imposto de renda diferido sobre os ajustes de GAAP ( ) Constituição de IR diferido sobre prejuízo fiscal com realização superior a 10 anos ( ) Constituição de IR diferido sobre ágio de controladas com realização superior a 10 anos (269) Ajustado aos CPC s e IFRS Notas de reconciliação entre BR GAAP e CPC s e IFRS As notas a seguir resumem os principais ajustes que impactaram as demonstrações financeiras da Companhia no balanço de abertura e em 31 de dezembro de 2009, na reconciliação entre BR GAAP e CPC s e IFRS a) Indexação adicional ao imobilizado De acordo com o IAS 29, as demonstrações financeiras da Companhia deveriam refletir o efeito da inflação nos saldos do imobilizado e do patrimônio líquido referente aos exercícios de 1996 e 1997, quando o Brasil ainda era considerado uma economia hiper inflacionária, de acordo com o IFRS. Como resultado, as demonstrações financeiras da Companhia foram ajustadas com impacto na conta de imobilizado, nos montantes de R$ , em 1 de janeiro de 2009 e R$ , em 31 de dezembro de 2009 e dos efeitos tributários decorrentes desse ajuste. A partir do exercício de 2009, o resultado será impactado pela depreciação desse ajuste, no montante de R$ e dos efeitos tributários dela decorrentes. b) Reversão do saldo do ativo diferido Para cumprimento das novas práticas contábeis brasileiras e convergência ao IFRS, a Companhia reverteu integralmente o saldo do ativo com impacto em lucros acumulados no montante de R$ , em 1 de janeiro de 2009 e R$ , 31 de dezembro de 2009, e dos efeitos tributários decorrentes desses ajustes. O resultado do exercício de 2009 foi impactado pela reversão da amortização registrada originalmente no montante de R$ , com impacto de imposto de renda e contribuição social diferidos. c) Planos de pensão com benefício definido Com a adoção da isenção contida na CPC 37 (R1) e no IFRS 1, a Companhia reconheceu contra lucros acumulados, no balanço de abertura, uma perda atuarial no montante de R$ , com efeito de imposto de renda e contribuição social diferidos. Em 31 de dezembro de 2009 essa perda atuarial montava R$ , o que gerou um impacto positivo no resultado no valor de R$ e dos efeitos tributários dele decorrente. d) Combinação de negócios Triunfo Com a adoção do CPC 15 e IFRS 3, a Companhia reconheceu no resultado do exercício de 2009 o valor de R$ , como compra vantajosa, já líquido do efeito de imposto de renda e contribuição social diferidos. Ainda em 2009, o resultado do exercício foi ajustado pelo registro da depreciação da mais valia do imobilizado em R$ e realização integral dos estoques em R$ 4.086, com efeito de imposto de renda e contribuição social. Adicionalmente, o patrimônio líquido da Companhia foi ajustado pelo impactado pela avaliação a valor justo de ações em tesouraria no montante de R$ O ágio apurado com base no BR GAAP, no valor de R$ , foi integralmente revertido para o resultado do exercício de 2009 e dos efeitos tributários dele decorrente. e) Imposto de renda e contribuição social diferidos O imposto de renda e a contribuição social diferidos foram calculados sobre os ajustes oriundos das mudanças das práticas contábeis para adoção das CPC s e IFRS às alíquotas de 25% em 1 de janeiro de 2009 e 34% em 31 de dezembro de O efeito na mudança da alíquota de 25% para 34% foi registrado no resultado do exercício de Com a adoção dos CPC s e IFRS, a Companhia ajustou suas demonstrações financeiras no balanço de abertura para reconhecer os valores do imposto de renda e da contribuição social diferidos ativos, cuja realização excedia o limite de 10 anos, no montante de R$ Desse total, R$ foram utilizados no programa de parcelamento de débitos federais instituídos pela MP 470/09 e ajustados nas demonstrações financeiras da Companhia no resultado de COMBINAÇÃO DE NEGÓCIOS 3.1 Quattor Participações S.A. Em 27 de abril de 2010, a Braskem adquiriu ações da Quattor representando 60% do capital total e adiantou para a Unipar o valor de R$ Ao adquirir os 60% do capital votante da Quattor, a Companhia, nos termos do acordo de investimentos de 22 de janeiro de 2010, se obrigou a adquirir as seguintes participações societárias: (i) 40% do capital votante da Quattor detidos pela Petrobras por meio de troca por ações de emissão da Companhia; (ii) 33,33% do capital votante da Polibutenos S.A. detidos pela Unipar por meio do pagamento em caixa de R$ ; (iii) 0,68% em participações de não controladores na Quattor Química, estes acionistas possuem direito de venda de suas ações por preço em até 80% do preço pago ao acionista controlador; e (iv) 25% do capital votante da Riopol detidos pela BNDESPar. A seguir resumo da contraprestação paga para os acionistas das empresas do Grupo Quattor e os valores dos ativos adquiridos e passivos assumidos reconhecidos na data da aquisição: Contraprestação transferida (A) Valor justo reconhecido de ativos identificáveis adquiridos e passivos assumidos (B) Resultado de combinação de negócios (B) -(A) Petroquímica Triunfo Em 30 de abril e 5 de maio de 2009, as Assembleias Gerais Extraordinárias da Braskem e da Petroquímica Triunfo ( Triunfo ), respectivamente, aprovaram a compra e a incorporação da Triunfo pela Companhia, sendo esta última a data em que a Braskem adquiriu controle da Triunfo. A seguir resumo da contraprestação paga para os acionistas das empresas da Triunfo e os valores dos ativos adquiridos e passivos assumidos reconhecidos na data da aquisição Contraprestação transferida (A) Valor justo reconhecido de ativos identificáveis adquiridos e passivos assumidos (B) Resultado de combinação de negócios (B) -(A) A Triunfo foi incorporada pela Companhia imediatamente após a data da compra de seu controle acionário, e sua aquisição foi aprovada pelo CADE em 9 de julho de Sunoco Chemicals, Co. Em 1 de Abril de 2010, a Braskem adquiriu 100% das ações da Sunoco Chemicals por R$ (US$ 350,7 milhões), cuja razão social foi alterada para Braskem PP Americas, na data da aquisição do seu controle. A seguir resumo da contraprestação paga para os antigos acionistas da Sunoco Chemicals e os valores dos ativos adquiridos e passivos assumidos reconhecidos na data da aquisição. Contraprestação transferida (A) Valor justo reconhecido de ativos identificáveis adquiridos e passivos assumidos (B) Resultado de combinação de negócios (B) -(A) A aquisição da PP Americas foi submetida para apreciação pelo CADE em 23 de fevereiro de 2010 e foi aprovada pelo rito sumário em 03 de novembro de A operação também foi submetida ao órgão regulatório americano (HSR) em 23 de fevereiro de 2010 e foi devidamente aprovada em 22 de março de Unipar Comercial Em 10 de maio de 2010, a Companhia adquiriu 100% do capital votante da Unipar Comercial, sendo esta a mesma data da aquisição do seu controle. Nesta operação, a Companhia reconheceu no resultado do exercício ganho de compra vantajosa, na linha de resultado de combinação de negócios, o montante de R$ INVESTIMENTOS EM CONTROLADAS E COLIGADAS Lucro líquido Participação no (prejuízo) do Patrimônio capital total (%) exercício, ajustado líquido ajustado (a.1) Investimentos da controladora Controladas Braskem America 100, (4.249) Braskem Chile 100, (325) Braskem Distribuidora 100,00 (3.552) (24.029) Braskem Europa 100,00 (3.039) Braskem Finance 100,00 (1.663) Braskem Idesa 65,00 (17.391) Braskem Inc. 100,00 (53.982) (12.170) Braskem Participações 100,00 (1.417) (130) CINAL (i) (119) (1.373) Ideom 99, (2.669) (917) (1.969) IPQ Argentina 96,77 (2.997) IPQ Chile 99,02 62 (94) IQAG 0, ISATEC 100,00 (1.994) (300) (77) Polibutenos (ii) Politeno Empreendimentos 100,00 (29) 713 (20) 9 Quantiq 100, Quattor (ii) 96,96 ( ) Quattor Petroquímica (ii) 100,00 (5.504) Riopol (ii) 100,00 (42.718) Unipar Comercial (ii) 100, Controlada em conjunto RPR 33, (14.193) Coligadas CETREL 53, Borealis 20, CODEVERDE 35,75 (1.004) (770) Sansuy Administração, Participação, 20,00 (13) (40) Representação e Serviços Ltda (a.2) Investimentos das controladas Braskem America PP Americas 100, Braskem Distribuidora Braskem Importação 100, IPQ Argentina 0,06 (2.997) Lantana 96,35 (3.531) (1.774) Braskem Participações Ideom 0, (2.669) (917) (1.969) Braskem México (iii) 100,00 (380) Braskem Inc. Lantana 3,65 (3.531) (1.774) Quantiq IQAG 99, IPQ Chile IPQ Argentina 3,17 (2.997) Braskem Europa Controladas em conjunto Propilsur 49,00 (3.564) (5.476) (5.288) Polimerica 49,00 (2.625) (5.950) (5.760) Quattor (ii) Commom Industries Ltd 100,00 (284) Norfolk Trading 100, Quattor Petroquímica (ii) Quattor (ii) 3,04 ( ) (i) Controlada incorporada pela Companhia em dezembro de (ii) Lucro líquido (prejuízo) do exercício corresponde ao resultado de janeiro a dezembro de A equivalência patrimonial é apurada a partir da aquisição de cada um dos investimentos. (iii) Empresa constituída em setembro de FINANCIAMENTOS Encargos financeiros anuais Juros médios (exceto Moeda estrangeira Atualização monetária quando indicado) /01/2009 Eurobonds Adiantamentos de contratos de câmbio Variação cambial do US$ 6,61% Pré-pagamentos de exportações Medium-Term Notes Variação cambial do US$ 11,75% FINIMP Variação cambial do US$ 4,02% Financiamentos de matérias-primas Variação cambial do US$ 6,42% Financiamento para aquisição de investimento Variação cambial do US$ 4,45% BNDES Correção monetária pós-fixada (UMBNDES) (i) 6,62% Variação cambial do US$ 6,37% Capital de giro Variação cambial do US$ 7,49% Correção monetária pós-fixada 105,5% do CDI Financiamento para projetos (NEXI) Variação cambial do YEN 0,95% acima da TIBOR Adiantamento sobre cambiais entregues (ACE s) Custos de transação, líquido (29.195) (28.041) (45.806) Moeda nacional Capital de giro Correção monetária pós-fixada 100,0% a 116% do CDI ,14% % a 130% CDI + IOF TR Juros fixos 9,93% FINAME TJLP 1,34% ,46% BNDES TJLP 3,03% BNDES EXIM 7,00% BNB 8,50% FINEP Correção monetária pós-fixada (TJLP) 0,01% ,50% FUNDES 6,00% Duplicatas descontadas Custos de transação, líquido (3.538) (10.744) Total Passivo circulante Passivo não circulante Total (i) UMBNDES = Unidade monetária do BNDES. 6. COMPOSIÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL DIFERIDOS Composição do IR diferido /01/2009 Ativo Prejuízos fiscais Ágios amortizados Provisões temporárias Adequação Lei /07 e Lei / Outras diferenças temporárias IFRS Não circulante Total Passivo Adequação Lei /07 e Lei / Variações cambiais Outras diferenças temporárias IFRS Não circulante Total Composição da CSL diferida /01/2009 Ativo Base negativa de contribuição social Ágios amortizados Provisões temporárias Adequação Lei /07 e Lei / Outras diferenças temporárias IFRS (2.753) Não circulante Total Passivo Adequação Lei /07 e Lei / Variações cambiais Outras diferenças temporárias IFRS (1.619) Não circulante Total PATRIMÔNIO LÍQUIDO (a) Capital social Em 31 de dezembro de 2010, o Capital social subscrito e integralizado da Companhia é de R$ , representado por ações sem valor nominal, sendo ações ordinárias, ações preferenciais classe A e ações preferenciais classe B. (b) Dividendos propostos e destinação do resultado De acordo com o estatuto social da Companhia, o lucro líquido do exercício, ajustado nos termos da Lei nº 6.404/76, tem a seguinte destinação: (i) 5% para a constituição da reserva legal, que não excederá a 20% do capital social; (ii) 25% para o pagamento de dividendos obrigatórios, não cumulativos, observadas as vantagens legais e estatutárias das ações preferenciais. Quando o valor do dividendo prioritário pago às ações preferenciais for igual ou superior a 25% do lucro líquido do exercício, calculado na forma do artigo 202 da Lei das Sociedades por Ações, caracteriza-se o pagamento integral do dividendo obrigatório. Havendo sobra do dividendo obrigatório após o pagamento do dividendo prioritário, será ela aplicada: (i) no pagamento às ações ordinárias de um dividendo até o limite do dividendo prioritário das ações preferenciais; (ii) se ainda houver saldo remanescente, na distribuição de um dividendo adicional às ações ordinárias e às preferenciais classe A, em igualdade de condições, de modo que cada ação ordinária ou preferencial de tal classe receba o mesmo dividendo. A Administração propõe pagamento de dividendos totais no valor de R$ Esta proposta corresponde a 40% do lucro líquido do exercício ajustado para o cálculo do dividendo. Os dividendos totais propostos representam R$ 0, para as ações ordinárias e preferenciais classe A e R$ 0, para as ações preferenciais classe B, em conformidade com as disposições do estatuto social da Companhia. Considerando os dividendos propostos, a Administração da Companhia propõe à Assembleia Geral Ordinária a seguinte destinação do resultado de 2010: 2010 Lucro líquido do exercício Realização da indexação adicional do imobilizado Dividendos prescritos / outros (2.650) Absorção de saldo de prejuízos acumulados ( ) Lucro líquido do exercício ajustado Parcela destinada à reserva legal (87.710) Parcela destinada à reserva de incentivos fiscais (5.347) Lucro líquido do exercício ajustado para o cálculo do dividendo Dividendos totais propostos (*) ( ) Parcela destinada à reserva de lucros a realizar ( ) Saldo de lucros acumulados (*) Dividendos mínimos obrigatórios - 25% sobre o lucro líquido ajustado (i) Dividendos adicionais propostos Dividendos totais (i) Apresentado no passivo circulante (ii) Apresentado no patrimônio líquido, na rubrica dividendo adicional proposto (ii) As Demonstrações Financeiras completas, parecer do Conselho Fiscal e relatório dos Auditores Independentes sem ressalva, emitidos pela PricewaterhouseCoopers Auditores independentes, estão sendo publicadas de forma integral, nesta data, no Diário Oficial do Estado da Bahia e no dia 19 de março de 2011, no Jornal A Tarde. Essas demonstrações também podem ser acessadas através do website:

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.888 67.330 Fornecedores 4.797 8.340 Aplicações financeiras 3.341

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Odebrecht Serviços e Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009

Odebrecht Serviços e Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 Odebrecht Serviços e Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 Balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2009 Em milhares de reais Ativo Passivo e patrimônio líquido Não circulante

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante R$ Circulante R$ Caixa e equivalentes

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2013 Balanço patrimonial tivo Circulante Nota 31 de dezembro de 2013 31 de

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Balanço patrimonial em 31 de dezembro Em milhares de reais

Balanço patrimonial em 31 de dezembro Em milhares de reais Balanço patrimonial em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.431 27.730 Fornecedores

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 8 Demonstração do Fluxo de Caixa 9 Demonstração das Mutações

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A. Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações

Raízen Combustíveis S.A. Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações Informações Financeiras Consolidadas Condensadas em 31 de dezembro de 2013 e relatório sobre a revisão de Informações Financeiras Consolidadas Condensadas Relatório sobre a revisão de informações financeiras

Leia mais

SBC Valorização de Resíduos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013

SBC Valorização de Resíduos S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e de 2013 SBC Valorização de Resíduos S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 Notas explicativas às demonstrações financeiras (Valores expressos em milhares de Reais) 1 Contexto operacional A SBC Valorização de Resíduos

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BICICLETAS MONARK SA Versão : 3. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BICICLETAS MONARK SA Versão : 3. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Braskem S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 e do relatório dos auditores independentes

Braskem S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 e do relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 e do relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras individuais e consolidadas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ MULTIPLUS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ MULTIPLUS SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Braskem S.A. Informações trimestrais ITR para o período findo em 30 de junho de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes

Braskem S.A. Informações trimestrais ITR para o período findo em 30 de junho de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes Informações trimestrais ITR para o período findo em 30 de junho de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes Relatório sobre a revisão de informações trimestrais ITR Aos Acionistas, Conselheiros

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ LOJAS AMERICANAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ LOJAS AMERICANAS SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 2 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração do Fluxo de Caixa 7 Demonstração das Mutações

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Braskem S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e de 2011 e relatório dos auditores independentes

Braskem S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e de 2011 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e de 2011 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras individuais e consolidadas

Leia mais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais TEREOS INTERNACIONAL S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS INDIVIDUAIS PARA O PERIODO DE NOVE MESES FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhões de reais

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Raízen Combustíveis S.A. Informações contábeis intermediárias consolidadas condensadas em 30 de setembro de 2016 e relatório de revisão dos auditores independentes) KPDS 166933 Raízen Combustíveis S.A.

Leia mais

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero...

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... ENET Protocolo Página 1 de 1 https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... 15/08/2011 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ FRAS-LE SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ FRAS-LE SA Versão : 1. Balanço Patrimonial Ativo 1. Balanço Patrimonial Passivo 2 Índice DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 1 Balanço Patrimonial Passivo 2 Demonstração do Resultado 3 Demonstração do Resultado Abrangente 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Mudanças significativas nas práticas contábeis e efeitos significativos das alterações em práticas contábeis 1. - Efeitos da adoção das IFRS

Mudanças significativas nas práticas contábeis e efeitos significativos das alterações em práticas contábeis 1. - Efeitos da adoção das IFRS Mudanças significativas nas práticas contábeis e efeitos significativos das alterações em práticas contábeis 1. - Efeitos da adoção das IFRS nas demonstrações contábeis consolidadas 2. - Aplicação do IFRS

Leia mais

Relatório da Administração QGMI Construção S.A.

Relatório da Administração QGMI Construção S.A. Relatório da Administração QGMI Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração e as demonstrações financeiras

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BANCO BRADESCO S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BANCO BRADESCO S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2016 - BANCO BRADESCO S.A. Versão : 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ ALPARGATAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

EARNINGS RELEASE 3T17

EARNINGS RELEASE 3T17 Recuperação do Lucro Líquido e margem EBITDA crescendo em torno de 10 p.p.. São Paulo, 31 de Outubro de 2017 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa brasileira consolidadora e operadora

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BRF - BRASIL FOODS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BRF - BRASIL FOODS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A.

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A.

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS INTERMEDIÁRIAS PARA O TRIMESTRE FINDO EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Em milhares de reais - R$,

Leia mais

Braskem S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e de 2012 e relatório dos auditores independentes

Braskem S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e de 2012 e relatório dos auditores independentes Balanço patrimonial em 31 de dezembro Valores expressos em milhares de reais Consolidado Controladora

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ UNIPAR - UNIÃO DE INDS. PETROQUÍMICAS SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ UNIPAR - UNIÃO DE INDS. PETROQUÍMICAS SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/28 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Ativo Nota 2014 2013 Passivo Nota 2014 2013 (Ajustado) (Ajustado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 5 48.650 835 Fornecedores 10

Leia mais

Indústrias Romi S.A. Informações Trimestrais - ITR em 30 de setembro de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais

Indústrias Romi S.A. Informações Trimestrais - ITR em 30 de setembro de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais Indústrias Romi S.A. Informações Trimestrais - ITR em 30 de setembro de 2013 e relatório sobre a revisão de informações trimestrais Relatório sobre a revisão de informações trimestrais Aos Administradores

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ PORTOBELLO SA / Avenida das Américas nº 3959 Sala 116

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ PORTOBELLO SA / Avenida das Américas nº 3959 Sala 116 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/23 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/ EMBRAER S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. 31 de julho de 2009 com Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. 31 de julho de 2009 com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras ibi Participações S.A. com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Parecer dos auditores independentes...1 Demonstrações financeiras Balanço patrimonial...3

Leia mais

RIO GRANDE ENERGIA S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGULATÓRIAS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E DE

RIO GRANDE ENERGIA S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGULATÓRIAS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E DE RIO GRANDE ENERGIA S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGULATÓRIAS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E DE 2012 (Valores expressos em milhares de reais, exceto quando indicado

Leia mais

Demonstrações Financeiras Intermediárias 30 de junho de 2017

Demonstrações Financeiras Intermediárias 30 de junho de 2017 Demonstrações Financeiras Intermediárias 30 de junho de 2017 BRGAAP em R$ Demonstrações Financeiras Intermediárias Vale S.A. Conteúdo Página Relatório sobre a revisão de informações trimestrais - ITR 3

Leia mais

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS EDITAL SISTEMATIZADO APRESENTAÇÃO... 21

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS EDITAL SISTEMATIZADO APRESENTAÇÃO... 21 Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 13 EDITAL SISTEMATIZADO... 15 APRESENTAÇÃO... 21 CAPÍTULO I NOÇÕES DE CONTABILIDADE... 23 1. Noções de contabilidade...23 1.1. Conceitos,

Leia mais

RJCP EQUITY S.A Notas explicativas de 30 de junho de 2012 e 31 de março de 2012 (Em Reais)

RJCP EQUITY S.A Notas explicativas de 30 de junho de 2012 e 31 de março de 2012 (Em Reais) RJCP EQUITY S.A Notas explicativas de 30 de junho de 2012 e 31 de março de 2012 (Em Reais) 1. Contexto operacional A Companhia ( Sociedade ) foi constituída em 09 de agosto de 2006, com seu estatuto social

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ STARA S.A. - INDÚSTRIA DE IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ STARA S.A. - INDÚSTRIA DE IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Beleza Participações S.A.

Beleza Participações S.A. 1 Informações gerais A Beleza Participações S.A., ("Companhia") foi constituída em 15 de junho de 2011, por meio da cisão parcial da Basel Participações S.A., como companhia de capital aberto com sede

Leia mais

METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas. Informações Consolidadas

METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas. Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Metalúrgica Gerdau no 3 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ ODONTOPREV S.A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ ODONTOPREV S.A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/27 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

EARNINGS RELEASE. 3T12 e 9M12

EARNINGS RELEASE. 3T12 e 9M12 EARNINGS RELEASE 3T12 e 9M12 São Paulo, 01 de abril de 2013 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BICICLETAS MONARK SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ BICICLETAS MONARK SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

SECULUS CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A.

SECULUS CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A. SECULUS CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A. Relatório da Administração Senhores acionistas, Cumprindo determinação legal e estatutária, temos o prazer de apresentar-lhes as Demonstrações Financeiras

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures

LOJAS RENNER S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures LOJAS RENNER S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2014 Lojas Renner S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

Informações Consolidadas

Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Gerdau no 2 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com as normas

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,02

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,02 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. 937.418.802,02 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ BOMBRIL SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ BOMBRIL SA / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/26 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

SGCE Participações Societárias S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e parecer dos auditores independentes

SGCE Participações Societárias S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores e Acionistas SGCE Participações Societárias S.A. 1 Examinamos

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2017 2016 Passivo e patrimônio líquido 2017 2016 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 50.383 78.050 Fornecedores 22.725 23.096 Contas

Leia mais

Nordeste Transmissora de Energia S.A. Demonstrações contábeis regulatórias em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Nordeste Transmissora de Energia S.A. Demonstrações contábeis regulatórias em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações contábeis regulatórias em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações contábeis regulatórias em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Conteúdo Balanços patrimoniais Demonstrações de resultados 2

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil 01 1.1 Conceito 01 1.2 Métodos de escrituração 01 1.2.1 Método das partidas dobradas 02 1.2.1.1 Funcionamento das contas nas partidas dobradas 04 1.3 Normas legais

Leia mais

Comentário do Desempenho

Comentário do Desempenho Gerdau S.A. Comentário do Desempenho Controladora 1T16 Desempenho no 1º trimestre Controladora A Gerdau S.A. é uma sociedade anônima de capital aberto, com sede no Rio de Janeiro, capital. A Companhia

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ SARAIVA SA LIVREIROS EDITORES Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ SARAIVA SA LIVREIROS EDITORES Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Contabilidade Introdutória

Contabilidade Introdutória Contabilidade Introdutória Profa. Mara Jane Contrera Malacrida 1 Ö : Parte residual do patrimônio Riqueza líquida da empresa PL = Ativo Passivo Evidencia os recursos dos proprietários aplicados no empreendimento

Leia mais

METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas. Informações Consolidadas

METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas. Informações Consolidadas METALÚRGICA GERDAU S.A. e empresas controladas Desempenho da Metalúrgica Gerdau no 2 o trimestre As Demonstrações Financeiras Consolidadas da Metalúrgica Gerdau S.A. são apresentadas em conformidade com

Leia mais

Informações Financeiras Trimestrais Magnesita Refratários S.A.

Informações Financeiras Trimestrais Magnesita Refratários S.A. Informações Financeiras Trimestrais Magnesita Refratários S.A. 30 de junho de 2015 com Relatório dos Auditores Independentes Edifício Phelps Offices Towers Rua Antônio de Albuquerque, 156 11º andar - Savassi

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ USINAS SIDERURGICAS DE MINAS GERAIS SA Versão : 3. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ USINAS SIDERURGICAS DE MINAS GERAIS SA Versão : 3. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ HELBOR EMPREENDIMENTOS S.A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ HELBOR EMPREENDIMENTOS S.A / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/27 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES / CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

BAUMER S.A. Mogi Mirim - SP NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE JUNHO 2012 E 2011.

BAUMER S.A. Mogi Mirim - SP NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE JUNHO 2012 E 2011. 1 (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) BAUMER S.A. Mogi Mirim - SP NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE JUNHO 2012 E 2011. NOTA 1. INFORMAÇÕES GERAIS A Baumer

Leia mais

CPC 26 Apresentações de Demonstrações Contábeis-Balanço

CPC 26 Apresentações de Demonstrações Contábeis-Balanço CPC CPC 26 Apresentações de Demonstrações Contábeis-Balanço Este Pronunciamento Técnico não prescreve a ordem ou o formato que deva ser utilizado na apresentação das contas do balanço patrimonial, mas

Leia mais

4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações

4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações 4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações Financeiras e Resultados Operacionais da Emissora Eventos

Leia mais

Braskem S.A. e suas controladas

Braskem S.A. e suas controladas e suas controladas Informações trimestrais para o trimestre findo em 30 de setembro de 2010 e relatório de revisão dos auditores independentes Relatório de revisão dos auditores independentes Aos Administradores

Leia mais

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Informações Contábeis Intermediárias Individuais e Consolidadas Referentes aos Períodos de Três e Nove Meses Findos em 30 de Setembro de 2016 e Relatório sobre a Revisão

Leia mais

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas

Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Iochpe-Maxion S.A. e Controladas Informações Contábeis Intermediárias Individuais e Consolidadas Referentes aos Períodos de Três e Nove Meses Findos em 30 de Setembro de 2017 e Relatório sobre a Revisão

Leia mais

Gas Brasiliano Distribuidora S.A.

Gas Brasiliano Distribuidora S.A. Balanço patrimonial em 31 de março (não auditado) Ativo 2016 2015 Passivo e patrimônio líquido 2016 2015 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 78.050 132.536 Fornecedores 23.096 19.064 Contas

Leia mais

Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A.

Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Demonstrações contábeis regulatórias em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Empresa de Transmissão do Alto Uruguai S.A. Demonstrações contábeis regulatórias em 31

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ SEIVA S.A. - FLORESTAS E INDÚSTRIAS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/ SEIVA S.A. - FLORESTAS E INDÚSTRIAS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

1. Destinação do resultado

1. Destinação do resultado 1 Módulo 6 Egbert 2 Conteúdo: 16 Demonstração de lucros ou prejuízos acumulados: forma de apresentação de acordo com a Lei nº 6.404/1976. 17 Demonstração de Mutações do Patrimônio Líquido: forma de apresentação

Leia mais

Ponto IX - AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Ponto IX - AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ponto IX - AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1. BALANÇO PATRIMONIAL 2. DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PL 3. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO 4. DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA 5. DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

Leia mais

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2016

Cosan S.A. Indústria e Comércio. Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2016 Demonstrações financeiras intermediárias Demonstrações financeiras intermediárias Para os períodos findos de três e seis meses findos em 30 de Junho de 2016 Conteúdo Relatório sobre a revisão de informações

Leia mais

PANATLÂNTICA S/A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (em reais)

PANATLÂNTICA S/A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (em reais) Notas Explicativas PANATLÂNTICA S/A NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (em reais) NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede

Leia mais

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras

31/03/ /12/ /03/ /12/2015 Caixa e Bancos Aplicações financeiras NOTAS EXPLICATIVAS DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS - ITR (Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma) 1 - CONTEXTO OPERACIONAL Bicicletas Monark S.A. ( Companhia ) tem por objetivo a industrialização

Leia mais

Os impactos da convergência contábil (IFRS) no setor elétrico. Leonardo George de Magalhães Superintendente de Controladoria

Os impactos da convergência contábil (IFRS) no setor elétrico. Leonardo George de Magalhães Superintendente de Controladoria Os impactos da convergência contábil (IFRS) no setor elétrico Leonardo George de Magalhães Superintendente de Controladoria Convergência brasileira para o IFRS uma tsunami Até 2006 O IFRS era utilizado

Leia mais

V I T A L E N GENHARIA A M B I E N T AL S.A.

V I T A L E N GENHARIA A M B I E N T AL S.A. V I T A L E N GENHARIA A M B I E N T AL S.A. 2 relatório da administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições estatuárias, submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

ALESAT COMBUSTÍVEIS S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALESAT COMBUSTÍVEIS S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALESAT COMBUSTÍVEIS S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Alesat Combustíveis S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário

Leia mais

SPE Turbina 16 S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

SPE Turbina 16 S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes SPE Turbina 16 S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte Touche Tohmatsu

Leia mais

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004

TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o primeiro trimestre de 2004 Publicação, 07 de maio de 2004 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Charles E. Allen TELEFONICA DATA

Leia mais

ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015

ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures Série Única Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A.

SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 SPE - BRASIL SOLAIR LOCAÇÃO E ARRENDAMENTO DE PAINÉIS SOLARES S.A. Demonstrações

Leia mais

Informações Consolidadas

Informações Consolidadas RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas: No exercício de 2016, a Metalúrgica Gerdau priorizou a geração de caixa livre positiva que totalizou R$ 2,3 bilhões, por meio da redução de capex, redução

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ EMBRAER S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ EMBRAER S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

OI S.A. (ATUAL DENOMINAÇÃO DE BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (ATUAL DENOMINAÇÃO DE BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (ATUAL DENOMINAÇÃO DE BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2014 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

Participação no capital total (%) Controladas Direta Indireta Direta Indireta Direta Indireta

Participação no capital total (%) Controladas Direta Indireta Direta Indireta Direta Indireta 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Nadir Figueiredo Indústria e Comércio S.A é uma empresa de capital aberto, com sede na cidade de São Paulo, contando com instalações industriais nas cidades de São Paulo e Suzano.

Leia mais

29/04/ Comunicado ao Mercado - Demonstrações Contábeis em IFRS

29/04/ Comunicado ao Mercado - Demonstrações Contábeis em IFRS 29/04/2011 - Comunicado ao Mercado - Demonstrações Contábeis em O Banco do Brasil S.A. comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que, em conformidade com a Resolução CMN 3.786/09 e Instrução CVM

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ GERDAU SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ GERDAU SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE

ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE ENCERRAMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 17/01/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis IFRS. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE

Leia mais

FG Holding International S.A.

FG Holding International S.A. 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais 31.12.11 31.12.11 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 5.000 TOTAL DO CIRCULANTE 5.000 TOTAL DO CIRCULANTE NÃO CIRCULANTE

Leia mais