RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013

2

3 APRESENTAÇÃO pág. 6 TRANSPARÊNCIA pág. 20 NOSSO NEGÓCIO É A CIÊNCIA DA VIDA pág. 34 CUIDANDO DE QUEM CUIDA pág. 56 CIDADANIA EM AÇÃO pág.78 ENSINO E PESQUISA A SERVIÇO DA SAÚDE pág.102 EM SINTONIA COM O MEIO AMBIENTE pág.110 DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO pág.124 RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013 SOBRE ESTE RELATÓRIO pág.130

4 APRESENTAÇÃO Muitas histórias são escritas dentro de um hospital.

5 O ano de 2013 foi um período que podemos caracterizar principalmente pela continuidade de projetos iniciados em períodos anteriores. Os impactos gerados dentro ou fora do hospital são expressivos e, por isso, adotamos um conceito amplo de sustentabilidade que, apoiado nos pilares social, ambiental e econômico, serve de orientação para nossas estratégias. Neste ano, revisamos o mapa estratégico, alinhando nossa visão de futuro com o caminho que consideramos apropriado para alcançar nossa meta mais importante: assegurar a perenidade e os compromissos social e ambiental da instituição. Sabemos da responsabilidade que o nome deste hospital carrega. Ser uma das lideranças no mercado da saúde exige um enorme empenho, já que grande parte da sociedade nos considera pioneiros e detentores de uma expertise a ser replicada. Por causa disso, nossa responsabilidade sobre os impactos da operação é cada vez maior. Do ponto de vista ambiental, a ampliação de nosso hospital é um desafio diário. Essa obra, que vai dobrar a capacidade operacional da instituição, é realizada dentro de rígidos critérios de construção sustentável, com a inclusão de tecnologias relevantes para o desempenho assistencial e das áreas de apoio da instituição. Este tornou-se o marco mais importante do ano. A previsão de inauguração dos primeiros andares em 2014 exige um trabalho coletivo que envolve praticamente todos os colaboradores. A tarefa de implantar novos leitos nos impõe, além de infraestrutura adequada, um corpo de profissionais experientes que mantenham a qualidade de nossos serviços e beneficiem um maior número de pessoas. A respeito do pilar social, temos compromissos com a sociedade por meio dos projetos de responsabilidade social e apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS), projetos com a comunidade do entorno e um trabalho sólido na área de gestão de pessoas. Na responsabilidade social, esse foi mais um ano de projetos de expressiva abrangência. Nos cursos que visam à capacitação de profissionais do SUS, conseguimos alcançar a marca de mais de 21 mil participantes, todos compartilhando e adquirindo conhecimento que é aplicado na linha de frente dos serviços públicos de saúde do país. Este foi também um ano de ações significativas quanto à tarefa de engajar e reter nossos colaboradores. A pesquisa de engajamento uma amostra consistente sobre o clima organizacional realizada em 2012 indicou diversos pontos que precisávamos melhorar na gestão de pessoas. Um amplo leque de iniciativas trouxe a valorização dos profissionais mais antigos da casa. Demos início ao projeto que cria um plano de carreira para todos os colaboradores, ampliamos significativamente nossa creche para tentar eliminar as filas de espera, aumentamos as ações de qualidade de vida, entre outros benefícios. Temos a convicção de que nossos profissionais fazem a grandeza da instituição. Investimos nas pessoas por acreditar que somos o resultado do empenho de todos. Sustentabilidade é sempre um tema complexo em instituições de saúde como a nossa e exige transparência de informações. Em favor disso, lançamos, em 2013, o Portal do Paciente, iniciativa que esclarece e dá acesso a informações necessárias para uma assistência adequada e segura. Com mais esse canal de comunicação, envolvemos o paciente nas etapas e ações de seu tratamento. Nesta iniciativa unimos dois valores que compõem os pilares deste hospital: calor humano e excelência. É por meio do cuidado humanizado e altamente qualificado que garantimos uma assistência segura aos nossos pacientes. No campo do ensino, demos início ao nosso programa de pós-graduação stricto sensu em três áreas do conhecimento, desempenhando um papel ainda mais ativo no aprimoramento de profissionais que atuam na área da saúde. Por fim, lembramos do desafio diário que é manter nosso desempenho econômico. Garantir a perenidade da instituição, especialmente neste momento de grandes investimentos por causa do projeto de expansão, exige disciplina e dedicação rigorosas. Nosso esforço contínuo está, portanto, presente na redução de desperdícios, na otimização de processos e na racionalização do consumo em diversas frentes. É um conjunto de ações que foi adotado pelos colaboradores, seja por meio do aumento da produtividade, mantendo a qualidade da assistência, seja pelos austeros e responsáveis compromissos orçamentários. Afirmamos, sem hesitar, que esta tem sido uma das nossas maiores vitórias. Vivian Abdalla Hannud Presidente da Sociedade Beneficente de Senhoras Gonzalo Vecina Neto Superintendente Corporativo do Hospital Sírio-Libanês MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA

6 TRAJETÓRIA EMPREENDEDORA E PIONEIRA 1959 Ocorre o primeiro evento para arrecadar fundos para a reforma do prédio 1960 Violeta Jafet (filha de Adma Jafet) assume o projeto de reconstrução e a presidência da Sociedade Escrevemos uma história de pioneirismo na incorporação de tecnologia e na realização de novos processos assistenciais 1921 Criada a Sociedade Beneficente de Senhoras 1923 Comprado o terreno de 17 mil m 2 para a construção do hospital 1931 Lançada a pedra fundamental do hospital 1937 Chegam os primeiros equipamentos de última geração 1941 a 1959 O prédio é ocupado pela Escola de Cadetes de São Paulo 1972 Nasce a Unidade de Terapia Intensiva, pioneira no país 1978 Criado o Centro de Estudos e Pesquisa (CEPE) que, em 2003, torna-se o Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP) 1961 Dr. Daher Cutait faz a primeira cirurgia no hospital e assume a Diretoria Clínica 1965 Inaugurado oficialmente o Hospital Sírio-Libanês, com 35 leitos 1972 Concluído o prédio de 10 andares (bloco B): início do crescimento 1972 Criado o primeiro serviço de radioterapia com acelerador linear do Brasil 1981 Implantação do Serviço de Voluntários 1992 Inaugurado o terceiro prédio (bloco C), totalizando 300 leitos 1992 Começa a funcionar a Unidade de Pediatria e o Centro de Transplantes de Órgãos 1994 Implantada a Escola de Enfermagem 1995 O CEPE passa a oferecer cursos de pós-graduação lato sensu, com os programas de residência médica 1998 Criado o Ambulatório de Pediatria Social, instalado próximo ao hospital, destinado a crianças em situação de vulnerabilidade social de até 12 anos 1998 Inaugurado o Centro de Oncologia 1999 Instituído no hospital o primeiro programa de telemedicina do país 2000 Realizada a primeira cirurgia por microcâmera do Hemisfério Sul 2001 Construído o Memorial em homenagem a Adma Jafet e Daher Cutait 2001 Implantado o programa comunitário Abrace seu Bairro, destinado à melhoria da qualidade de vida de famílias em condições de vulnerabilidade social da Bela VIsta 2003 Começa a funcionar no hospital o equipamento PET/CT de medicina nuclear, o primeiro da América Latina 2003 Início do convênio com a Prefeitura de São Paulo para atendimento de pacientes do SUS 2004 Renovação da Diretoria de Senhoras, decisão de profissionalizar a gestão da instituição e contratação de consultoria da Fundação Getulio Vargas (FGV) 2005 Implantado no hospital o primeiro tomógrafo 64C do país 2007 O hospital é acreditado pela Joint Commission International (JCI) 2008 Fundado o Instituto Sírio-Libanês de Responsabilidade Social 2010 Inaugurada a Unidade Itaim 2010 Publicação do primeiro relatório de sustentabilidade com os resultados alcançados em 2009 em consonância com as metodologias da Global Reporting Initiative (GRI) 2011 Inauguradas as Unidades Brasília - Centro de Oncologia e Jardins - Clínica da Mulher 2012 Implantada a Unidade Avançada de Insuficiência Cardíaca (UAIC) 2013 Portal do Paciente: o Hospital Sírio-Libanês é precursor na criação de um canal na internet que dá transparência às informações a fim de ampliar a segurança de seus pacientes e do público em geral 2014 Será inaugurada a principal fase do maior programa de expansão do Hospital Sírio-Libanês, que dobrará a capacidade atual de atendimento 10 11

7 APRESENTAÇÃO com a comunidade local, detalhados nas páginas deste relatório, são os melhores exemplos de que não saímos de nossa rota traçada há 92 anos. Temos desenvolvido a ciência da saúde, promovendo a assistência médica e social, cuidando de nossos pacientes, aprimorando técnicas, compartilhando experiência, pesquisando e ensinando. Para cumprirmos nossa missão diária, criamos uma fórmula cujos componentes calor humano, pioneirismo, filantropia, conhecimento e excelência sintetizam nossa essência. TRAJETÓRIA APOIADA EM VALORES Fachada do bloco C, inaugurado no início da década de 1990 Profissionais que atuam no Laboratório de Reprodução Humana Por isso, a incorporação constante e necessária de novas tecnologias, a evolução das práticas médicas e o programa expansionista da instituição não afastaram nossa essência, traduzida em cuidado com os pacientes, integração de equipes e cooperação entre os colaboradores e o corpo clínico. Por acreditarmos que conhecendo mais cuidamos melhor, construímos três pilares sólidos: assistência, ensino e pesquisa e responsabilidade social. Instituição brasileira de saúde sem fins lucrativos, a Sociedade Beneficente de Senhoras, que deu origem ao Hospital Sírio-Libanês, foi formalizada em 28 de novembro de Esse processo iniciou-se com um grupo de mulheres das comunidades síria e libanesa lideradas por Adma Jafet que, na ocasião, lançara o desafio de construir um hospital que atendesse a todas as classes sociais. Oficialmente inaugurado em 1965, após o prédio ter sido requisitado pelo governo do Estado, o hospital começou com 35 leitos e planos ambiciosos de crescimento, amparados nas doações de pessoas que compartilhavam o sentimento de retribuir à nação brasileira o privilégio de terem sido bem acolhidas e a oportunidade de fixar residência e de progredir. Esse foi apenas o início de nossa história. Se nessas décadas obtivemos variadas conquistas e reconhecimentos é porque nunca esquecemos da trajetória permeada por momentos de luta e adversidades, de tenacidade e trabalho árduo, que foram fundamentais para concretizar o propósito filantrópico que perdura até os dias atuais. Os muitos projetos de apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS), a contribuição com a saúde pública municipal e estadual e os programas Qualidade e segurança são os dois principais focos na assistência aos pacientes Na assistência disponibilizamos tratamentos de alta complexidade, programas de medicina preventiva, atendimento médico de urgência, centro de diagnósticos, reabilitação, núcleos e centros de especialidades. Além da matriz no bairro da Bela Vista, possuímos as seguintes unidades: no bairro do Itaim Bibi/SP com centros de diagnóstico, de oncologia, de reprodução humana e de check-up, além de hospital-dia; centro de saúde da mulher, no bairro dos Jardins/SP; e centro de oncologia, em Brasília/DF. Nossas instalações totalizavam, no fim de 2013, 372 leitos, dos quais 48 na Unidade de Terapia Intensiva

8 APRESENTAÇÃO Ensino/Pesquisa Assistência Responsabilidade social Na inter-relação desses pilares, que trabalham em sintonia, está o nosso propósito: cuidar. Para alcançar a excelência no cuidar destacamos o serviço de voluntários, um exemplo de cidadania, que há 32 anos colabora na construção do relacionamento humanizado com pacientes e acompanhantes. Para avançarmos ainda mais, em 2008 criamos o Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês que, embora seja uma entidade jurídica independente, tem a mesma preocupação com o cuidar, que está na essência do trabalho realizado pela Sociedade. Faz a gestão de unidades de saúde públicas, levando a experiência e o conhecimento adquiridos ao longo dessas décadas aos pacientes do SUS. Por sermos uma instituição que cuida, zela pela vida e trabalha pela reabilitação e reintegração social dos pacientes que procuram nossos serviços, sabemos que temos a obrigação de oferecer pessoal altamente capacitado. Porém, vamos além, ao reunir um time que adota o cuidado com o paciente como o objetivo primeiro de suas carreiras. Nossa prática médica está alinhada às principais tendências do setor de saúde e nos destacamos em tratamentos de alta complexidade em várias especialidades médicas. Muitos de nossos profissionais são referência no Brasil e no exterior. A cada ano investimos mais em capacitação e atualização a partir de uma sólida estrutura de treinamentos, incentivos à pesquisa e estimulo à participação e realização de congressos nacionais e internacionais. Nossa qualidade é acreditada pela certificação da Joint Commission International, que desde 2007 atesta o padrão de excelência de nossos serviços e nos auxilia na busca contínua pela melhoria de processos e a segurança dos pacientes e profissionais de saúde. Em 2013, nós avançamos e nos preparamos para as certificações ISO 14001, de gestão ambiental, e OHSAS 18001, de gestão de segurança do trabalho e saúde ocupacional. Esses números praticamente dobrarão com a inauguração das novas torres na Bela Vista, até O Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP) é o centro difusor de nosso conhecimento, onde reunimos iniciativas educacionais que integram a teoria e a prática com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da qualidade assistencial, a incorporação de novas tecnologias e a promoção e acesso à medicina de ponta para um número crescente de brasileiros. A responsabilidade social integra os projetos no campo da saúde pública nos quais compartilhamos nossa experiência e conhecimento com o Sistema Único de Saúde (SUS). Permeia, portanto, a assistência, o ensino e a pesquisa e completa a tríade da Sociedade. É o que melhor representa a cultura de nossa instituição. Equipe assistencial e voluntários atuam de forma integrada 14 15

9 EM DESTAQUE Fortalecendo o diálogo com nossos pacientes Cuidar também é ouvir, informar e orientar sobre procedimentos e dar transparência às ocorrências que podem desafiar o cumprimento de nossos objetivos e a segurança de nossos pacientes. Reconhecemos o protagonismo daqueles que nos escolhem para recuperar a saúde e, para tanto, criamos, em nosso endereço na internet, o Portal do Paciente. Também abrimos outros canais de diálogo, como a pesquisa pós-alta. Responsabilidade social: retribuir e ir além Ampliamos os projetos de assistência, ensino e pesquisa, em conjunto com o Ministério da Saúde, em Qualificados como instituição filantrópica de excelência, devolvemos as isenções fiscais em forma de serviços à sociedade e, invariavelmente, seguimos além dessa obrigatoriedade. Nosso diferencial principal é criar multiplicadores de conhecimento para que nossa experiência seja replicada em unidades públicas de saúde por todo o país. Colaborar significa trabalhar junto Os resultados da pesquisa de engajamento 2012 estimularam iniciativas de valorização constante de nossos colaboradores. Os programas Tempo de Casa, Celebra Equipe, Meu Valor e Trilhas de Carreira chegaram para enaltecer os profissionais que fazem a diferença, são motivados e trabalham com dedicação. Evolução da qualidade A padronização dos processos assistenciais e o monitoramento de inúmeros indicadores têm contribuído para a evolução de nossa qualidade. Nosso empenho diário é implementar melhorias contínuas dos processos e o cumprimento das exigências ambientais, sociais e econômicas do mercado de saúde. Disseminamos a cultura do aprimoramento às nossas equipes e nos preparamos para as certificações ISO e OHSAS 18001, bem como para a recertificação da Joint Commission International (JCI). Construindo o nosso futuro As várias ações e os indicadores decorrentes do planejamento estratégico têm sido comunicados a todos os colaboradores pelo Integra, programa que adotou o slogan Construindo o nosso futuro e que tem como principais objetivos dar visibilidade às ações do plano estratégico e manter a equipe sintonizada com a melhoria dos processos internos. Ensino: poder transformador O Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP) desenvolve uma metodologia transformadora: construir conhecimento por meio da reflexão em cima da prática. Em 2013, avançamos ao aprofundar o conhecimento de diferentes cenários em várias regiões do Brasil. Iniciamos, em parceria com o Ministério da Saúde e com apoio da Fundação Dom Cabral (FDC), a capacitação de gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) de 32 regiões de saúde brasileiras, com o objetivo de contribuir para a melhoria da gestão da área no setor público. A iniciativa integra uma série de projetos de responsabilidade social do hospital referentes ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), do Ministério da Saúde, que estão sendo executados no período Pesquisa: espiral virtuosa do conhecimento Para ensinar, é preciso conhecer. Conhecer é estar envolvido na produção do conhecimento. Produzir conhecimento é o que nos qualifica a ensinar. O programa de mestrado e doutorado acadêmico em ciências da saúde do IEP foi aprovado pela CAPES/MEC, e a primeira turma teve início em março de Nossa produção científica tem sido publicada nas principais revistas nacionais e internacionais. Durante o ano, foram 117 artigos. Nossa missão também está presente aqui As parcerias do Instituto Sírio-Libanês de Responsabilidade Social com o município e o Estado de São Paulo nos dão a possibilidade de compartilhar nosso conhecimento e ampliar o alcance de nosso trabalho. Ao levar nossa expertise a várias comunidades, desenvolver e aperfeiçoar alunos residentes, oferecer cursos e melhorar os resultados a cada ano, o Instituto faz uma significativa contribuição aos usuários da assistência pública de saúde. Expansão Desde 1972, com a inauguração do bloco B, estamos em contínua expansão. Em 2005, construímos o plano estratégico formal para o crescimento da instituição que considerou um projeto de arquitetura e ocupação hospitalar para os anos seguintes. O resultado foi um programa composto por uma sucessão de fases que vem transformando a instalação inicial em um complexo de saúde maior e melhor. Até 2016, com a inauguração das novas torres, a matriz da Bela Vista receberá mais 85 mil m 2, dobrando o espaço atual de atendimento. São edifícios projetados e construídos de acordo com os padrões do US Green Building Council, organização internacional que certifica edificações sustentáveis que minimizam os impactos ao meio ambiente. Outras obras estão previstas para os próximos anos no entorno, como um edifício destinado a hospital-dia, outro com espaços para pacientes de longa permanência e grandes pavimentos com vagas de estacionamento, a fim de mitigar o impacto do trânsito na região. Um dos destaques dessa expansão é o novo data center. Com 160 m² de área, a estrutura está preparada para o início da operação das novas torres e o crescimento da instituição nos próximos anos. Será responsável por garantir o funcionamento dos sistemas de informação e o armazenamento de dados. Os avanços tecnológicos e as novas instalações comprovam as grandes mudanças pelas quais temos passado nessas décadas

10 RECONHECIMENTOS E PREMIAÇÕES O Serviço de Radioterapia ganhou os dois principais prêmios durante o IV Encontro de Residentes da Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT) e o XV Congresso da SBRT, realizados em Fortaleza (CE). Os trabalhos foram apresentados pelo médico residente Dr. Elton Trigo Teixeira Leite e pelo médico assistente Dr. Gustavo Nader Marta. A instituição foi eleita centro de excelência do Brasil na área da saúde, em um estudo conduzido pela revista HealthCare Management, que destacou os esforços para garantir a sustentabilidade e aprimorar continuamente os processos de assistência ao paciente. A atuação do Hospital Sírio- Libanês na área de gestão de pessoas foi premiada pela editora Gestão & RH. A instituição recebeu um certificado e constou da lista das 150 Melhores Empresas em Práticas de Gestão de Pessoas PGP Pelo segundo ano consecutivo, o Hospital Sírio-Libanês foi eleito a empresa mais admirada do país no setor da saúde pelo jornal DCI, que publica esse ranking anualmente, baseado nos votos colhidos junto a executivos das empresas do setor e líderes de opinião. Um estudo inédito que trouxe resultados muito relevantes no diagnóstico do câncer de ovário e que teve a participação do Prof. Dr. Jesus Paula Carvalho, integrante do corpo clínico, foi publicado como artigo de capa da revista Science Translational Medicine. O relatório Be a hero, give blood: stories from around the world, publicado pela Cruz Vermelha da Coreia do Sul em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), deu destaque à comemoração do Dia Mundial do Doador de Sangue promovida pelo Hospital Sírio-Libanês. A Profª. Drª. Vera Maria Cury Salemi, integrante da equipe da Unidade Crítica Coronariana (UCC), foi homenageada pela Associação Beneficente e Cultural da Comunidade do Hospital das Clínicas e recebeu o prêmio World Parlament of Security and Peace pela sua atuação na área da saúde. O Dr. Vanderson Rocha, coordenador da Unidade de Transplante de Medula Óssea (TMO), recebeu em abril a Medalha da Inconfidência, a mais alta insígnia concedida pelo governo mineiro a personalidades que prestaram serviços relevantes à sociedade e contribuíram para o desenvolvimento do Brasil. Um trabalho desenvolvido por médicos integrantes do Serviço de Medicina Nuclear e PET/CT recebeu o prêmio Alexander Gottschalk como o melhor trabalho em oncologia clínica do Congresso da Society of Nuclear Medicine and Molecular Imaging (SNMMI), em Vancouver, no Canadá. O estudo tem como autores Aline Leal, Maurício Etchebehere, Allan Santos, Celso Darío Ramos, Edwaldo Camargo e Elba Etchebehere. O Hospital Sírio-Libanês obteve a certificação Fixação Segura, na categoria Diamante (nível mais alto), concedida pela 3M do Brasil. O Dr. Ricardo Beyruti, cirurgião torácico do corpo clínico e membro do Núcleo de Doenças Pulmonares e Torácicas, foi o primeiro brasileiro indicado a integrar o Comitê Internacional de Estadiamento do Câncer de Pulmão da International Association for the Study of Lung Cancer (IASLC). O Prof. Dr. Fausto Hironaka, um dos pioneiros na implantação da UTI do Hospital Sírio-Libanês e da medicina nuclear brasileira, recebeu o título de Fellow na American Heart Association (AHA). A Câmara Municipal de São Paulo outorgou a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade aos professores doutores Alfredo Barros e Miguel Srougi. Pelo segundo ano consecutivo, a revista Época selecionou dois médicos do hospital como lideranças nacionais: os professores doutores Roberto Kalil Filho e Miguel Srougi, que apareceram na lista das personalidades mais influentes do Brasil em 2013 por contribuírem ativamente para o desenvolvimento da sociedade, praticando uma medicina humanizada e de alto nível. Uma equipe liderada pela cirurgiã Dra. Cintia Yoko Morioka foi agraciada com o prêmio Young Investigator Awards durante o congresso anual da American Pancreatic Association (APA), realizado em Miami/EUA

11 1 Para TRANSPARÊNCIA nós, essa prática significa educar, orientar e informar as pessoas.

12 TRANSPARÊNCIA DNA DA INSTITUIÇÃO Atuação de todos os profissionais é orientada pelo manual de conduta e ética Os fundamentos que norteiam as atividades diárias da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês estão firmemente arraigados às práticas de cidadania, justiça social e solidariedade, razões de ser da instituição. Um dos desafios é transmitir esses princípios à população de colaboradores jovens e recémcontratados que, como os demais, devem zelar pela perenidade da Sociedade e de sua essência. No hospital, o modelo de atendimento e cuidado das equipes mais antigas tem sido o principal exemplo que inspira os mais novos e que faz com que a missão, a visão e os valores sejam muito mais do que simples frases. Todos os colaboradores têm acesso ao manual em que estão expressos os códigos de conduta e de ética profissional. Os vários itens incluem preceitos como: transparência, honestidade, dignidade da pessoa humana, respeito ao semelhante, lealdade, comprometimento, qualidade e o desenvolvimento de todos, buscando um melhor atendimento aos pacientes, à comunidade e aos colaboradores. As regras de contratação e negociação exigem um comportamento íntegro em relação a fornecedores, a pacientes e seus familiares e aos colegas. Quanto à ética médica, o hospital adota o manual do Conselho Federal de Medicina (CFM) que, entre outros assuntos, aborda relação com pacientes e familiares, sigilo profissional, responsabilidades e direitos. Essas publicações refletem os itens que têm elevada significância para a instituição e reforçam o cuidado com o paciente. MISSÃO A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês é uma instituição filantrópica brasileira que desenvolve ações integradas de assistência social, de saúde, de ensino e de pesquisa. VISÃO Ser reconhecida internacionalmente pela excelência, liderança e pioneirismo em assistência à saúde e na geração de conhecimento, com responsabilidade social, ambiental e autossustentabilidade, atraindo e retendo talentos. Pioneirismo Excelência Filantropia Calor humano VALORES Conhecimento Integrantes das equipes gerencial e médica da Unidade Brasília 22 23

13 TRANSPARÊNCIA MODELO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA: construindo confiança pela transparência A cooperação entre pessoas, departamentos e unidades é a base da governança corporativa da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, que entende que essa característica é indissociável de sua missão como instituição brasileira sem fins lucrativos e filantrópica. A Sociedade tem caráter beneficente, social e científico e integra as áreas de assistência social, saúde, ensino e pesquisa. Seu quadro social é constituído por pessoas físicas ou jurídicas e distribuído da seguinte maneira: Fundadores: grupo das 27 pessoas que assinaram a ata de fundação da Sociedade Beneficente de Senhoras em Sócios beneméritos: são aqueles que fizeram contribuições por meio de doações, legados ou relevante prestação de serviços à Sociedade Beneficente de Senhoras ou à humanidade, mediante proposta da Diretoria ou do Conselho Deliberativo e aprovação desse último órgão. Sócios honorários: são os que, por ato de relevância social, tenham feito jus a esse título por indicação e aprovação da Diretoria. O membro da Diretoria Executiva ou do Conselho Deliberativo que tenha exercido o cargo por cinco mandatos passa automaticamente à categoria de associado honorário. Contribuintes: grupo composto por pessoas físicas ou jurídicas que pagam, de forma regular e contínua, mensalidades ou anuidades. Para garantir qualidade, segurança e eficiência dos processos assistenciais e administrativos, a estrutura organizacional (vide quadros a seguir) possui níveis ecisórios que trabalham em conjunto com comitês e comissões multidisciplinares. Os órgãos diretivos são: Assembleia Geral, Conselho Deliberativo, Diretoria de Senhoras, Conselho de Administração e Conselho Fiscal. Os integrantes que compõem os órgãos diretivos exercem suas funções estatutárias de forma não remunerada. A Assembleia Geral, composta apenas por mulheres, é o órgão deliberativo soberano. Nela, apenas as sócias efetivas têm direito a voto. O Conselho de Administração é o órgão diretivo máximo da governança e possui 12 membros, escolhidos pela Diretoria de Senhoras. Seus componentes são: quatro senhoras da mantenedora, quatro empreendedores com experiência em gestão administrativa e/ou hospitalar e quatro médicos do corpo clínico do hospital, criando o equilíbrio necessário para a tomada de decisões. Têm a missão de proteger, valorizar e perenizar a instituição. São responsáveis por indicar os superintendentes corporativo e de estratégia corporativa, que, juntamente com os demais superintendentes, compõem a alta administração. A busca pela transparência permeia todos os níveis dessa estrutura organizacional e, por isso, a comunicação dos princípios da governança tem adquirido importância crescente, bem como o compartilhamento de informações sobre ações e decisões de todas as áreas. Comitê de Ética em Pesquisa Comissão Assessora da Diretoria Clínica Comissão de Ética Médica Comissão de Credenciamento Superintendência de Engenharia e Obras Diretoria Clínica Superintendência de Filantropia Superintendência de Novos Negócios e Farmácia ORGANOGRAMA 2013 Superintendência Corporativa ( ) Superintendência de Ensino Superintendência de Pesquisa Sociedade Beneficente de Senhoras Gerência de Oncologia e Unidade Itaim Gerência da Unidade Jardins Gerência da Unidade Brasília SAC Conselho de Administração Superintendência de Controladoria e Finanças Superintendência de Logística Superintendência de Estratégia Corporativa Superintendência Comercial Superintendência de Gestão de Pessoas e Qualidade Conselho de Ensino e Pesquisa do IEP Gerência de Planejamento Estratégico Gerência de Marketing e Comunicação Corporativa Gerência de Relações Institucionais Superintendência de Atendimento e Operações Assessoria Superintendência de Pacientes Internados Superintendência Técnico-Hospitalar Comissões Superintendência de Tecnologia da Informação 24 25

14 TRANSPARÊNCIA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL Assembleia Geral Órgão deliberativo soberano, composto por 380 associados da instituição. Elege o Conselho Deliberativo e decide sobre outros assuntos submetidos à sua apreciação. Reúne-se a cada três anos. Conselho Deliberativo Presidente Anna Maria Tuma Zacharias Vice-presidente Denise Alves da Silva Jafet Secretária-geral Maria Angela Atallah 1ª Secretária Lenah Barrionuevo Cochrane Cutait Integrantes Adriana Abdalla Hannud Rizkallah Adriana Penteado Camasmie Alzira Maria Assumpção Angela Haidar Chede Cecilia Elisabeth Cassab Cutait Cecília Rizkallah Camasmie Claudia Camasmie Ferraretto Claudia Chohfi Cristiane Tamer Lotaif Cynthia Parodi Cutait Dolly M. Lahoud Dora Camasmie Jereissati Dulce A. C. Abdalla Edith Jafet Cestari Edmea Eduardo Jafet Eliane Cury Nahas Elizabeth Camasmie Zogbi Elizabeth Nahas Trabulsi Flavia Assad Jafet Georgia Abdalla Hannud Gladis Chade Cattini Maluf Grace Tamer Lotaif Cury Guilnar Atallah Abbud Ieda Karan de Araujo Vianna Irene Jafet Panelli Laura Emilia Calfat Chammas Lilian Cury Lilian Dabus Zarzur Lina Saigh Maluf Lourdes Henaisse Abdon Luciana Murad Hannud Maria Angela Kalil Rizkallah Maria de Lourdes F. Junqueira Franco Maria Helena Andraus Cintra Maria Regina Ugolini Chamma Marilena Camasmie Razuk Marilena Racy Bussab Marta Kehdi Schahin Milena Abdalla Hannud Munira Salomão Nancy Luiza Pagnoncelli Cury Neide Salemi Rosemary Schahin Archer de Carmargo Ruth Salem Sader Sandra Mary Maluf Elias Sandra Sarruf Chohfi Silvana Said Haidar Silvane Racy Cury Sonia Abdalla Jafet Sylvia Suriani Sabie Vania Cutait de Castro Cotti Vera Assad Jafet Kehdi Vera Lygia Bussab Saliba Vivian Abdalla Hannud Zeina Chakmati Conselho Fiscal Membros efetivos Sr. Antonio Sarkis Junior Sr. Marcelo Haddad Buazar Sr. Paulo André Jorge Germanos Suplentes Dr. Alexandre Saddy Chade Sr. Marcelo Chakmati Diretoria da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês Presidente Honorária Violeta Basílio Jafet Presidente Vivian Abdalla Hannud 1ª Vice-presidente Dulce Antonia Camasmie Abdalla 2ª Vice-presidente Marta Kehdi Schahin Secretária-geral Vera Jafet Kehdi 1ª Secretária Marilena Racy Bussab Tesoureira-geral Maria Helena Andraus Cintra 1ª Tesoureira Claudia Chohfi 2ª Tesoureira Renata Rizkallah Diretora de Patrimônio Cecília Elisabeth Cassab Cutait Diretora de Sede Irene Jafet Panelli Diretora Social e de Eventos Sandra Sarruf Chohfi Diretora Social e de Eventos Marilena Camasmie Razuk Diretora de Relações Públicas e Marketing Sylvia Suriani Sabie Diretora de Ações Sociais Edith Jafet Cestari Diretora de Ações Sociais Lílian Cury Diretora de Voluntariado Angela Haidar Chede Conselho de Administração Sra. Angela Haidar Chede Sra. Dulce A. Camasmie Abdalla Sra. Marta Kehdi Schahin Sra. Vivian Abdalla Hannud (presidente) Prof. Dr. Giovanni Guido Cerri Prof. Dr. Paulo Hoff Prof. Dr. Roberto Kalil Filho Prof. Dr. Sergio Carlos Nahas Sr. Luiz Henrique Maksoud Sr. Fabio Cutait Dr. Mauricio Ceschin Sr. Salim Taufic Schahin Conselho Vitalício O Conselho Vitalício é composto por ex-diretoras e ex-conselheiras deliberativas que atingiram a idade de 75 anos. Arlette Abussamra Yazigi Beatriz Jafet Chohfi Ellye Zarzur Cury Gladys Irma Maluf Chamma Guinar Calfat Andraus Ilda Zarzur Ivette Rizkallah Lilian Nader Atallah Lourdes Zarzur Cury Lucia Camasmie Kurbhi Magnólia Chohfi Atallah Maria Sylvia Haidar Suriani Myrna Suriani Haidar Rachel Tamer Lotaif Rose Zarzur Cozman Vera Cattini Mattar Zilda Camasmie Taleb Comissão Médica Prof. Dr. Antranik Manissadjian Prof. Dr. Dario Birolini Prof. Dr. David Everson Uip Prof. Dr. Fábio Biscegli Jatene Prof. Dr. Lenine Garcia Brandão Prof. Dr. Marcel Cerqueira César Machado Dr. Mario Luiz Silva Barbosa Prof. Dr. Milberto Scaff Prof. Dr. Paulo Hoff Prof. Dr. Rudelli Sergio Andrea Aristide Prof. Dr. Sérgio Carlos Nahas Dra. Yana Augusta Sarkis Novis Comissões multidisciplinares Comissão de Ética Médica Comissão de Ética de Enfermagem Comissão de Controle de Infecção Hospitalar Comissão Assessora da Diretoria Clínica Comissão de Credenciamento Comissão Intra-hospitalar de Transplantes Comissão de Revisão de Prontuários Médicos Comissão de Revisão de Óbitos Comissão de Padronização e Auditoria Transfusional Comissão de Farmácia e Terapêutica Comissão de Reanimação Cardiopulmonar Comissão de Pronto-Atendimento Comissão de Vanguarda Comissão do Paciente Crítico Comissão de Unidades Críticas Comissão dos Núcleos de Medicina Avançada Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional 26 27

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013 RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013 RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2013 APRESENTAÇÃO pág. 6 TRANSPARÊNCIA pág. 20 NOSSO NEGÓCIO É A CIÊNCIA DA VIDA pág. 34 CUIDANDO DE QUEM CUIDA pág. 56 CIDADANIA EM AÇÃO

Leia mais

A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ

A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ O contexto Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio Libanês (2005) Assistencialismo Hospital Municipal Infantil Menino Jesus (2005) Responsabilidade

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL

ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL A SANTA CASA BH TEM TODOS OS CUIDADOS PARA VOCÊ CONQUISTAR UMA CARREIRA SAUDÁVEL. Missão Humanizar a assistência

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ Origem A preocupação com as questões sociais fez com que o professor e sacerdote italiano D. Luigi Maria Verzé chegasse ao Brasil, em 1974, através do Monte

Leia mais

Pronta para se tornar uma das 20 maiores produtoras de cimento do mundo

Pronta para se tornar uma das 20 maiores produtoras de cimento do mundo 06 Governança TRANSPARÊNCIA 23 Corporativa e Gestão Conselho de Administração O Conselho de Administração da Camargo Corrêa Cimentos é composto de até seis membros, sendo um presidente, três vice-presidentes

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social A Sustentabilidade no HSL Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social Sustentabilidade HSL Panorama Geral Desequilíbrio do processo econômico Fonte: New Scientist (18 October 2008, p 40). Legenda:

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar março de 2012 Introdução Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar na gestão pública. A criação

Leia mais

Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados

Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados Hospital de Clínicas de Porto Alegre Administração Central Responsável: Sérgio Carlos Eduardo

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Política de humanização no estado de São Paulo

Política de humanização no estado de São Paulo Artigo Política de humanização no estado de São Paulo Por Eliana Ribas A autora é psicanalista e doutora em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como coordenadora

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015

PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015 PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015 1. O PRÊMIO O Prêmio Talento em Sustentabilidade foi criado para reconhecer o trabalho de empregados, estagiários e terceiros do Grupo Votorantim que

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 Anexo à Resolução CGM 1.143 DE 08/07/2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 INTRODUÇÃO Este trabalho é o produto de discussões finalizados em fevereiro de 2014, junto à Comissão

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTEÚDO 1. OUVIDORIA INTERNA... 4 2. OUVIDORIA EXTERNA... 6 3. PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO... 7 4. CALL CENTER ATIVO DA SAÚDE... 12 5. OUVIDORIA UNIDADES

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

V Encontro dos Aprimorandos do Estado de São Paulo. O SUS no Estado de São Paulo: Contexto Atual

V Encontro dos Aprimorandos do Estado de São Paulo. O SUS no Estado de São Paulo: Contexto Atual V Encontro dos Aprimorandos do Estado de São Paulo O SUS no Estado de São Paulo: Contexto Atual Abril de 2011 Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (2005) Gestão Plena do SUS no município recente

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br

especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br Psicologia Intensiva uma especialidade Psic. Raquel Pusch pusch11@terra.com.br www.psicosaude.com.br PSICOLOGIA INTENSIVA O intensivismo é uma especialidade que apresenta um caráter interdisciplinar voltado

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2.

ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2. ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2.008 Aos 17 dias do mês de setembro do ano de dois mil e oito,

Leia mais

Programação e Ações: Proposta para o período 2016-2020

Programação e Ações: Proposta para o período 2016-2020 Profa. Dra. Sissi Kawai Marcos Programação e Ações: Proposta para o período 2016-2020 Introdução Esta proposta de programação e ações para a Reitoria, mandato 2016-2020, procura respeitar o contexto atual

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

Ref.: PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DO TRANSPORTE ITL CNT

Ref.: PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO DO TRANSPORTE ITL CNT ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE TERRESTRE DE PASSAGEIROS SAUS Quadra 1 Bloco J Edifício CNT 8º andar Entrada 10/20 Torre A / CEP 70070-944 Brasília DF T.: + 55 (61) 3322-2004 F.: + 55

Leia mais

Auditoria no Terceiro Setor

Auditoria no Terceiro Setor Auditoria no Terceiro Setor Percepções e Resultados da Pesquisa 2006 AUDIT 1 Introdução O Terceiro Setor vem em crescente processo de evolução porém, nos últimos anos, um das principais missões das entidades

Leia mais

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos.

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. Q A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. É uma alusão à essência e ao compromisso da Secretaria

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Agenda 1 ANAHP. 2 Governança Corporativa. 3 Timeline. 4 Reforma Estatutária. 5 Modelo de Planejamento Estratégico

Agenda 1 ANAHP. 2 Governança Corporativa. 3 Timeline. 4 Reforma Estatutária. 5 Modelo de Planejamento Estratégico 10a Jornada Agenda 1 ANAHP 2 Governança Corporativa 3 Timeline 4 Reforma Estatutária 5 Modelo de Planejamento Estratégico 6 Modelo de Arquitetura Organizacional 7 Benefícios Governança Corporativa ANAHP

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO APRESENTAÇÃO A Casa de Saúde São José foi fundada em 1923 e tem como missão Servir à Vida, promovendo Saúde. É uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, católica,

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

A revolução da excelência

A revolução da excelência A revolução da excelência ciclo 2005 PNQ Foto: Acervo CPFL CPFL Paulista, Petroquímica União, Serasa e Suzano Petroquímica venceram o Prêmio Nacional da Qualidade 2005. A Albras, do Pará, foi finalista.

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Padrão Nível 1 Uso seguro e racional de medicamentos Dimensões da qualidade Aceitabilidade, adequação e integralidade Assistência Farmacêutica

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Associação Congregação de Santa Catarina: Estrutura de Governança Corporativa. Dezembro/2014

Associação Congregação de Santa Catarina: Estrutura de Governança Corporativa. Dezembro/2014 Associação Congregação de Santa Catarina: Estrutura de Governança Corporativa Dezembro/2014 Origem e Características Um rede social a serviço da Vida; Entidade filantrópica brasileira; Está presente em

Leia mais

São Paulo, 25 de abril de 2013.

São Paulo, 25 de abril de 2013. São Paulo, 25 de abril de 2013. Discurso do diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Luiz Edson Feltrim, na SME Banking Conference 2013 1 Dirijo saudação especial a Sra. Ghada Teima, IFC Manager

Leia mais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais O mapa da Acreditação no Brasil A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais metodologias Thaís Martins shutterstock >> Panorama nacional Pesquisas da ONA (Organização

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

Projeto Corporativo Relacionamento Externo. Apresentação RIALIDE

Projeto Corporativo Relacionamento Externo. Apresentação RIALIDE Projeto Corporativo Relacionamento Externo // 1 Apresentação RIALIDE 25 de novembro de 2014 1 Agenda // 2 Contextualização e Objetivos do Projeto Abordagem Metodológica Etapas do Projeto Benchmarking Segmentação

Leia mais

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações CIDADES DIGITAIS CONSTRUINDO UM ECOSSISTEMA DE COOPERAÇÃO E INOVAÇÃO Cidades Digitais Princípios

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Estrutura de Governança Corporativa

Estrutura de Governança Corporativa Estrutura de Governança Corporativa Conselho de Administração Composto de nove membros, sendo dois independentes (sem vínculos com os acionistas signatários do acordo de acionistas, na forma da regulamentação

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE Preâmbulo Os representantes do CONFAUeD, reunidos em assembléia, no dia 30 de junho de 2011, para instituição dos regimentos dos seus laboratórios e núcleos, após deliberação aprovou o REGIMENTO INTERNO

Leia mais

BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO

BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO A unidade BIC Amazônia está localizada na cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, onde são produzidos canetas, lápis,

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Dr. Cid Buarque de Gusmão Diretor Presidente Centro de Combate ao Câncer

Dr. Cid Buarque de Gusmão Diretor Presidente Centro de Combate ao Câncer Dr. Cid Buarque de Gusmão Diretor Presidente Centro de Combate ao Câncer 31 de Agosto de 2010 Centro de Combate ao Câncer QUEM SOMOS Centro de Combate ao Câncer NOSSAS DIRETRIZES Nossa Visão - O que buscamos

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO - 1 - PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar o investimento social

Leia mais

Criando Oportunidades

Criando Oportunidades Criando Oportunidades Clima, Energia & Recursos Naturais Agricultura & Desenvolvimento Rural Mercados de Trabalho & Sector Privado e Desenvolvimento Sistemas Financeiros Comércio & Integração Regional

Leia mais

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR!

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! Eleições 2014 Faculdade de Odontologia UFRJ VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! PLANO DE TRABALHO EQUIPE - CHAPA 1: Diretor - Maria Cynésia Medeiros de Barros Substituto Eventual do Diretor - Ednilson

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Elaborado por: GT Especial do ABNT/CB-25 Grupo de Aperfeiçoamento do

Leia mais

ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971

ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971 ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971 ATA SUMÁRIA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 7 DE FEVEREIRO DE 2014 DATA, HORA E LOCAL: Em 7 de fevereiro de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

qualidade do cuidado em saúde A segurança

qualidade do cuidado em saúde A segurança A Segurança nos serviços de saúde é um problema tão grande e as causas tão diversas e complexas que não é mais possível não separar as práticas da Qualidade e as práticas da Segurança. A qualidade do cuidado

Leia mais

Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0

Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0 Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0 Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0 Índice Mapa Estratégico OCB/MS 2015-2020 Visão do Cooperativismo Missão da OCB/MS Valores

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes MISSÃO Somos uma rede nacional escoteira de

Leia mais

A Faculdade Certificada pela FGV em Goiás. Acordo de Parceria - Convênios 2011. AFFEGO Associação Funcionários do Fisco de Goiás

A Faculdade Certificada pela FGV em Goiás. Acordo de Parceria - Convênios 2011. AFFEGO Associação Funcionários do Fisco de Goiás A Faculdade Certificada pela FGV em Goiás Acordo de Parceria - Convênios 2011 AFFEGO Associação Funcionários do Fisco de Goiás ACORDO DE PARCERIA - CONVÊNIOS 2011 Preparada Por: Empreza Educação e Serviços

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Programa

Leia mais

Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil. Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC

Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil. Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC Gestão e Sustentabilidade das Organizações da Sociedade Civil Alfredo dos Santos Junior Instituto GESC QUEM SOMOS? INSTITUTO GESC - IGESC Fundação da AMBA, pelos alunos do primeiro curso de MBA. Serviços

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Práticas Corporativas

Práticas Corporativas Práticas Corporativas Nível 1 de Governança Corporativa Fontes: Estatuto Social Código de Conduta Relatório de Sustentabilidade Formulário de Referência Política de divulgação e negociação Atualizado em

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais