O BIBLIOTECÁRIO E O DESAFIO DA LIDERANÇA NA GESTÃO DE PESSOAS NA ERA DA SUSTENTABILIDADE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O BIBLIOTECÁRIO E O DESAFIO DA LIDERANÇA NA GESTÃO DE PESSOAS NA ERA DA SUSTENTABILIDADE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA MALKENE WYTIZA FREIRE DE MEDEIROS O BIBLIOTECÁRIO E O DESAFIO DA LIDERANÇA NA GESTÃO DE PESSOAS NA ERA DA SUSTENTABILIDADE NATAL/RN 2012

2 MALKENE WYTIZA FREIRE DE MEDEIROS O BIBLIOTECÁRIO E O DESAFIO DA LIDERANÇA NA GESTÃO DE PESSOAS NA ERA DA SUSTENTABILIDADE Monografia apresentada ao Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Biblioteconomia. Orientadora: Profª. Drª. Eliane Ferreira da Silva. NATAL/RN 2012

3 Catalogação da Publicação na Fonte Biblioteca Setorial da Escola de Música M488b Medeiros, Malkene Wytiza Freire de. O bibliotecário e o desafio da liderança na Gestão de Pessoas na era da sustentabilidade / Malkene Wytiza Freire de Medeiros. Natal, f. Orientadora: Eliane Ferreira da Silva. Monografia (graduação em Biblioteconomia) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Bibliotecas Administração de pessoal Monografia. 2. Liderança - Monografia. 3. Sustentabilidade - Monografia. I. Silva, Eliane Ferreira da. II. Título. RN/BS/EMUFRN CDU 023: RN/UF/DEBIB CDU:

4 MALKENE WYTIZA FREIRE DE MEDEIROS O BIBLIOTECÁRIO E O DESAFIO DA LIDERANÇA NA GESTÃO DE PESSOAS NA ERA DA SUSTENTABILIDADE Monografia apresentada ao curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, como requisito parcial para obtenção do título de Bacharel em Biblioteconomia. MONOGRAFIA APROVADA EM / / 2012 BANCA EXAMINADORA PROFª DRª. ELIANE FERREIRA DA SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE (ORIENTADORA) PROFª. MSC. MÔNICA MARQUES CARVALHO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE (1ª EXAMINADORA) PROFª. MSC. JACQUELINE APARECIDA DE SOUZA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE (2ª EXAMINADORA)

5 Dedico essa monografia ao corpo docente do curso de Biblioteconomia da UFRN, meus queridos professores que contribuíram com maestria na construção do meu conhecimento. Serei sempre grata a todos vocês.

6 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus, por ter me dado saúde para ter conseguido atingir meu objetivo. Aos meus pais por terem me cobrado tão enfaticamente que eu precisava continuar meus estudos, me motivando a continuar. Aos meus irmãos mais novos, todos formados que me orgulharam tanto em suas formaturas, me enchendo de desejo de retribuir a mesma alegria. Aos meus filhos, pela paciência de me ver trancada tantas vezes estudando, sem lhes dar atenção. Ao meu marido, companheiro de todos os dias, grande motivador da minha persistência, admirador do meu esforço que sempre me elogiou e acreditou que eu conseguiria. As minhas amigas Bruna Laís, Carla Beatriz, Midinai Gomes e Patrícia Severiano que compartilharam comigo de tantos momentos entre estudos, encontros, tantas madrugadas elaborando trabalhos e dividiram comigo momentos de plena alegria. Agradeço aos professores que me ensinaram tantas coisas e despertaram em mim o prazer de construir um conhecimento sólido que levarei para toda vida. Agradeço em especial a minha orientadora, Profª Eliane Ferreira da Silva, pessoa admirável com grande capacidade intelectual, que me orientou de maneira brilhante, me despertando o prazer da pesquisa e transformando a construção do meu trabalho em momentos de prazer. Meus eternos agradecimentos a todos que participaram direta ou indiretamente da realização do meu sonho.

7 O fardo é proporcional às forças, como a recompensa será proporcional à resignação e à coragem. Kardec

8 RESUMO Aborda o valor da gestão. Apresenta o início dos recursos humanos no Brasil rumo à gestão de pessoas. Ressalta a seriedade da gestão de pessoas nas instituições. Analisa a importância da liderança frente as equipes de trabalho e o processo de transformação dos tipos de liderança na era da informação. Descreve o progresso do profissional da informação com o advento das novas tecnologias e a necessidade de se manter atualizado frente ao domínio das mesmas. Explica a relevância do bibliotecário em unidades de informação e o domínio técnico desse profissional que quando aliada as novas tecnologias, prevalece uma qualidade superior na organização das informações. Ressalta a importância da sustentabilidade nas unidades de informação. Enfoca a iniciativa do bibliotecário em adotar práticas sustentáveis na organização para contribuir com a preservação do meio ambiente. Comenta o papel do bibliotecário como disseminador de práticas voltadas a preservação da natureza. Enaltece a política dos 3 Rs para propagar a economia de fontes esgotáveis do meio ambiente. Objetiva mostrar o quanto é importante à relação do profissional da informação com aspectos diversos do cotidiano. A metodologia utilizada foram pesquisas bibliográficas em diversos suportes informacionais desde livros aos suportes eletrônicos. Conclui que o bibliotecário engloba responsabilidades diversas que além de dominar técnicas trabalhistas, seu papel na sociedade abrange uma dimensão de mediador da informação e agente conscientizador da sociedade. Palavras-chave: Bibliotecas Administração de pessoal. Liderança. Sustentabilidade.

9 ABSTRACT It approaches the value of management. It describes the evolution of human resources in Brazil towards people management. It emphasizes the seriousness of people management in organizations. It analyzes the importance of leadership ahead work groups and the transformation process of the types of leadership on the information era. It describes the development of the information professional with the rise of new technologies and the necessity to be updated. It explains the relevance of the librarian in units of information and their technical skill that, when allied to new technologies, a superior quality in organization of this information prevails. It emphasizes the importance of sustainability in units of information. It focuses the librarian initiative by adopting sustainable practices in their organization to contribute with the environment preservation. It comments the rule of the librarian as the spreader of practices committed to nature preservation. It extols the 3 Rs politics to propagate the economy of exhaustible resources. It has as a goal showing how important is the rapport between the information professional with different everyday aspects. The methodology used was bibliographical researches in different informational supports, from books to electronic supports. It concludes that the librarian job comprehends diverse responsibilities beyond its job skills: it encompasses a dimension of information mediator and conscientious agent of society. Keywords: Libraries - Personnel Administration. Leadership. Sustainability.

10 LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Tipos de líderes Figura 2 - O ciclo do papel Figura 3 - Projeto Menos papel, mais sustentabilidade... 37

11 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO RECURSOS HUMANOS NO BRASIL O VALOR DA GESTÃO GESTÃO DE PESSOAS O PERFIL DO LÍDER TIPOS DE LIDERANÇA O líder 360 graus O líder Empreendedor O líder Construtor de Pontes O líder Inspirador PERFIL DO BIBLIOTECÁRIO NA ERA DA INFORMAÇÃO ATITUDES VOLTADAS À SUSTENTABILIDADE EM UNIDADES DE INFORMAÇÃO O PAPEL DO BIBLIOTECÁRIO NA ERA DA SUSTENTABILIDADE CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS ANEXO A Curiosidades APÊNDICE A Slides da Apresentação... 48

12 Se os teus projetos forem para um ano, semeia o grão; se forem para dez anos, plante uma árvore; se forem para cem, instrui o povo. (PROVÉRBIO CHINÊS)

13 11 1 INTRODUÇÃO O mundo está em constante transformação cada vez mais acelerada. Essas mudanças estão presentes em diversas atividades, sejam econômicas, sociais, culturais e até nas formas de organização, seja nos setores de comércio, indústria ou na prestação de serviços que atualmente engloba uma gigantesca fatia no mercado mundial. O sucesso da prestação de serviços atinge seu ápice com a satisfação do cliente ou usuário. Mas para que isso ocorra, o comprometimento com as pessoas e entre as pessoas de uma determinada organização, seja de qualquer área, deve ser contínua. Diante desse cenário hodierno surgem indagações pertinentes: como o bibliotecário deve se comportar na gestão de pessoas? Devido à sutileza das interações humanas, quais ferramentas utilizar na gestão de pessoas? A partir de alguns questionamentos, percebe-se que as pessoas por trás da organização, são as grandes responsáveis pelo sucesso desta. E para gerir estas pessoas, a organização precisa de um Líder capaz de extrair o melhor delas. Diante disso, é preciso estabelecer relações positivas de hierarquia para que o processo de aproximação dos líderes com seus subordinados, seja de parceria entre os membros da equipe, criando assim uma cumplicidade capaz de motivá-los, buscando atingir os objetivos propostos pela organização. Essa relação de cumplicidade entre pessoas de uma organização precisa ser analisada a partir de paradigmas baseados num novo olhar por parte do gestor. Esse novo olhar está relacionado com a era digital e a globalização, que resultou na disseminação da informação de maneira cada vez mais rápida. Sendo assim, a importância que a realidade virtual trouxe para parâmetros diversos está focada no compartilhamento de ideias e informações. As sugestões são dadas, ouvidas e discutidas por todos, a fim de sobrepor o que já existe. Na busca pelo diferencial capaz de mover esta equipe: o Líder seria a peça chave? Mas afinal, o que é um líder? Qual o seu papel dentro de um grupo? Como este líder deve se comportar perante seus subordinados? Quais os tipos de liderança? Um líder é o mesmo que um gestor? Qual a diferença entre eles? Como ser um líder gestor ao mesmo tempo? Essas e outras indagações serão analisadas no decorrer do trabalho, a fim de perceber como é fundamental a gestão de pessoas numa organização.

14 12 Sob esse viés, a percepção do gestor em admitir a valorização das pessoas dentro da organização, colabora com a necessidade de mudar a visão tradicional em relação aos subordinados, inclusive estreitando a relação entre as pessoas de hierarquias distintas e compartilhando desafios e conhecimentos com a equipe. Essas transformações ocorreram através de décadas, onde a valorização restringiase à linha de produção. Atualmente na Era do Conhecimento, as pessoas enfim são percebidas como o motor das organizações, pois é a partir delas que tudo acontece. A valorização dos colaboradores transforma equipes dispersas em gigantes, se liderados por alguém capacitado a motivá-las e a identificar as qualidades de cada um, reconhecendo a capacidade e potencialidade individual dentro de um determinado grupo. As tendências do mercado estão em contínua mudança e isto exige também uma mente aberta a novos conceitos, capazes de antever situações que possam vim a acontecer, preparando a organização para suportar algumas decorrências indesejadas. Um gestor precisa estar apto a identificar os riscos e antecipar sua equipe a reagir de maneira enérgica, isso o submete a dinamizar sua sensibilidade, no tocante a desenvolver uma visão globalizada e mantê-la sempre eficaz para não perder o foco da organização. Trazendo essas indagações reflexivas para o contexto de uma Unidade de Informação, se estabelece a importância da liderança do Bibliotecário diante de sua equipe e a busca constante de qualificação desse profissional como gestor, a fim de desenvolver ou aprimorar sua capacidade de gerir pessoas com eficiência, englobando aspectos importantes de liderança, como motivação, parceria e comprometimento entre os membros da equipe. Diante de tantos desafios, o bibliotecário como disseminador da informação precisa internalizar conceitos ambientalistas que levem a uma reflexão do quanto é importante às iniciativas voltadas ao meio ambiente e adotar práticas pensando na sustentabilidade. Essa preocupação com a sustentabilidade já é considerada fator determinante na tomada de decisões em grandes empresas. Compartilhando desse pensamento, o bibliotecário precisa agregar essa tarefa de divulgar novas atitudes em relação ao meio ambiente, começando por adotar políticas de ações voltadas a práticas sustentáveis dentro de unidades de informação. Nesse contexto, a presente pesquisa foi motivada a partir da experiência como bolsista da Biblioteca de Música da UFRN, onde pude observar a estreita

15 13 relação entre a pessoa à frente dessa unidade de informação com os demais bibliotecários da mesma e a boa relação dos bibliotecários para com a equipe, onde consequentemente, todos estão engajados e comprometidos com os objetivos propostos pela organização, criando assim, um ambiente agradável e gratificante de trabalho. Neste mesmo ambiente, percebi o quanto é importante ter habilidades para lhe dar com pessoas com objetivos diferentes e conseguir de maneira dinâmica envolvê-las numa relação de valores compartilhados e respeito mútuo entre todos da equipe. Com relação ao que foi citado acima, o objetivo geral do trabalho é analisar as competências do bibliotecário em relação à gestão de pessoas em uma unidade de informação, mediante a evolução dessa profissão, enfatizando a valorização das pessoas e adotando medidas voltadas à sustentabilidade. A partir disso, os objetivos específicos irão caracterizar: a Biblioteca como organização em transformação; o Líder e a Gestão Estratégica de Pessoas; O Bibliotecário e suas competências na liderança de pessoas em diferentes perspectivas; iniciativas voltadas à preservação do meio ambiente e o como o bibliotecário pode contribuir com atitudes sustentáveis em unidades de informação. A pesquisa baseia-se em revisão de literatura, com leitura de textos e artigos em formato impresso e digital, acrescidas de informações levantadas através de vídeos assistidos de palestras e seminários disponibilizados na internet, objetivando fundamentação teórica para ampliação do conhecimento para fins de desenvolver a pesquisa de monografia. O trabalho foi desenvolvido primeiramente abordando a questão dos recursos humanos no Brasil, enfatizando datas relevantes que marcaram história num contexto voltado a mudanças em relação ao tratamento destinado aos trabalhadores e a necessidade de se ter criado esse departamento que inicialmente era apenas de cunho legal e servia para tratar assuntos unicamente burocráticos relacionados ao quadro de pessoal. O terceiro capítulo retrata algumas mudanças que ocorreram nas instituições e nos modelos de gestão, que devido à concorrência teve que se reinventar numa nuance em que as pessoas dentro das empresas são o capital principal e as relações interpessoais são fatores determinantes para a valorização das mesmas. O quarto capítulo enfatiza o papel do líder e a estreita relação que o mesmo tem com sua equipe, descrevendo características e tipos de liderança e fazendo

16 14 uma comparação entre o líder 1.0 e o líder 2.0 e ao mesmo tempo uma relação desses perfis com a web 1.0 e 2.0. A partir do quinto capítulo o perfil do bibliotecário é descrito como em processo de transformação, onde as tomadas de decisão e o casamento com as novas tecnologias é fator determinante para permanecer no mercado e ser valorizado profissionalmente. No sexto capítulo é abordado o tema sustentabilidade, relatando a importância da mesma para a qualidade de vida de gerações futuras, a urgência em preservar e renovar as fontes esgotáveis do planeta e iniciativas desenvolvidas ambicionando despertar uma conscientização nas pessoas para a preservação do meio ambiente.

17 15 Somente depois da última árvore derrubada, depois do último animal extinto,e quando perceberem o último rio poluído, sem peixe, o Homem irá ver que dinheiro não se come. (PROVÉRBIO INDÍGENA)

18 16 2 RECURSOS HUMANOS NO BRASIL No início do século XX, 80% da população do Brasil habitavam as áreas rurais, já por volta de 1907 dados levantados na época em questão mostra uma faixa de trabalhadores inseridos em pólos industriais centralizados no estado de São Paulo. Começava a corrida pela oportunidade de trabalho em atividades que não fossem agricultura. Nessa época a população na região aumentou consideravelmente em busca de novas oportunidades. Contribuiu para isso a presença significativa de trabalhadores europeus, dotados de elevado grau de conscientização política, que se instalaram sobretudo em São Paulo e em cidades do sul do país. (GIL, 2010, p. 52). Devido a essa invasão de povos europeus com conhecimentos políticos, não tardou a organização de grupos e posteriormente a criação de sindicatos na busca de defender direitos para os trabalhadores. A partir disso os movimentos grevistas se iniciaram. Em 1930 no governo de Getúlio Vargas, algumas intervenções foram criadas em favor do trabalhador, nesse mesmo governo posteriormente a nova Constituição proibiu as greves. Só em 1943 foi consolidado as Leis do Trabalho. A partir daí devido à criação do imposto sindical e direitos e deveres dos trabalhadores, houve a necessidade de uma organização por parte das empresas para atender as novas exigências trabalhistas. Com isso, foi criada a seção de pessoal, que tinha como objetivo cuidar das rotinas atreladas aos trabalhadores. De acordo com Gil (2010, p. 53), a Administração de Pessoal surgida nesse período era de natureza legal, disciplinadora, punitiva e paternalista. A partir de 1950 houve a expansão da indústria que se direcionava por campos diversos, e com o passar do tempo, as relações de trabalho foram se transformando a custa de muitos movimentos liderados por sindicalistas, obrigando indiretamente as empresas a constituírem setores para gerenciar problemas voltados ao quadro de pessoal. Esse novo setor cuidava dos direito, deveres e obrigações dos trabalhadores, focando apenas a parte disciplinar dessa relação, organização x trabalhador. Por sua vez, os conflitos foram se estabelecendo de

19 17 forma diferenciada entre as partes envolvidas empregador x empregado. Como se pode ver: A falência das abordagens tradicionais da gestão de pessoas foi motivada por pressões que emergiram durante a década de 60 e consolidaram-se no início dos anos 80. Essas pressões provêm de duas fontes: o ambiente em que a organização se insere e as pessoas que nela trabalham. (DUTRA, 2010, p. 13). Torna-se evidente, as mudanças que surgiram de acordo com as transformações mundiais, e esse processo se estabeleceu de forma permanente, devido ao aparecimento da tecnologia e seu artifício de disseminar a informação, que contribuiu de modo decisivo na metamorfose do setor Recursos Humanos (RH), que posteriormente viria a ser o objetivo maior da Gestão de Pessoas (GP), que tem como foco primordial a relação entre pessoas dentro de uma organização. Para um melhor entendimento dessa transição entre Recursos Humanos e Gestão de Pessoas, faz-se necessário apresentar as características da gestão de pessoas no contexto atual.

20 18 "Você poderia tirar de mim as minhas fábricas, queimar os meus prédios, mas, se me der o meu pessoal, eu construirei, outra vez, todos os meus negócios." Ford

21 19 3 O VALOR DA GESTÃO As mudanças são cada vez mais rápidas nas organizações, as que insistem em manter os tradicionais estilos de gestão, mais cedo ou mais tarde precisam se adequar a essas transformações, pois o dia a dia dentro dessas empresas, sejam comerciais ou prestadoras de serviços tendem a transformar-se naturalmente devido a cobrança dos próprios clientes e usuários. De acordo com Chiavenato (2008, p. 5) fica difícil separar o comportamento das pessoas e o das organizações. Diante disso, a percepção do gestor deve estar voltada para a valorização das pessoas dentro das organizações facilitando assim o relacionamento dentro da mesma. Ao longo dos tempos os modelos de gerir as organizações foram evoluindo e se transformando, adequando-se com o objetivo de melhorar de forma a atingir resultados desejados. Com isso percebeu-se como a mão de obra, termo utilizado há algumas décadas, influenciava o alcance desses objetivos. Diante disso, França (2007, p ) discorre sobre a evolução dos modelos de gestão, que vai do modelo diretivo (ou diretivo-autoritário) e o modelo participativo (ou consultivo-participativo). O modelo diretivo utiliza predominantemente a autoridade formal e a burocracia e seus mecanismos, para obter a obediência. Nas organizações que adotam o modelo diretivo, as pessoas são dirigidas por uma estrutura administrativa centralizada. [...] os chefes não podem ser questionados e dispõem de instrumentos coercitivos para reforçar seu papel. Analisando o que foi citado, conclui-se que esse modelo dito diretivo, reduz à zero a autonomia dos subordinados, gerando frustração na equipe devido à autoridade centralizada. Esse tipo de administração centrada no gestor impossibilita o compartilhamento de ideias e exige obediência dos funcionários. Sob esse contexto, percebeu-se a necessidade de uma mudança de paradigmas. Essa nova visão de valorizar as pessoas, resultou no surgimento do modelo participativo de gestão, que funciona de modo contrário ao modelo diretivo. Para dar segmento a essa consideração, França (2007, p. 18) conceitua o modelo de gestão participativo ressaltando as características predominantes como sendo: [...] a liderança, a disciplina e a autonomia. [...] as pessoas são responsáveis por seu próprio comportamento e desempenho. A

22 20 disciplina é interior e não imposta de fora, por meio de regulamentos. Quanto maior a autonomia das pessoas e quanto maior a possibilidade de tomarem as decisões que afetam seu próprio trabalho, mais participativo é o modelo [...]. Essa descrição do modelo participativo revela a influência das pessoas em uma organização. Baseada na influência atribuída a esse modelo de gestão, percebe-se como a valorização das pessoas em uma instituição, pode gerar equipes voltadas para o resultado. O reconhecimento profissional, resulta na qualidade das relações, criando um ambiente de trabalho prazeroso e gratificante. A partir disso, pode-se concluir que a gestão participativa adota uma relação de proximidade com as pessoas, reconhece as competências individuais, valoriza a liberdade de iniciativa e compartilha conhecimentos e desafios com a equipe. Com base nessas considerações, é possível fazer uma comparação entre os diferentes modelos de gestão e extrair o melhor de cada modelo, objetivando um gerenciamento eficiente para a instituição. Essas transformações ocorreram de modo a proporcionar as formas de se relacionar dentro da empresa, valorizando a participação das pessoas. Essa mudança de paradigma fundamentou a transição do modelo atual intitulado como gestão de pessoas, que será abordado a seguir: Em seguida, é retratada algumas mudanças que ocorreram nas instituições e nos modelos de gestão, que devido à concorrência teve que se reinventar numa nuance em que as pessoas dentro das empresas são o capital principal e as relações interpessoais são fatores determinantes para a valorização das mesmas. 3.1 GESTÃO DE PESSOAS Como o próprio termo diz, gestão de pessoas está relacionado com administrar pessoas, lidar com pessoas, gerir pessoas, ou como se queira conceituar. Na percepção de Andrade (2005, p. 22) A gestão ou administração é a atividade responsável pela eficiência e eficácia de uma organização. Através dela, desenvolve-se ações [...], desenvolvimento e influência. Por este motivo, a gestão integra diferentes perspectivas de ponto de vista dentro de uma organização, a fim de extrair o melhor de cada um, para juntos somar

23 21 inovação e criatividade, qualidades que interligadas criam um atrativo capaz de oxigenar a empresa. De acordo com Gil (2010, p.17): Gestão de pessoas é a função gerencial que visa à cooperação das pessoas que atuam nas organizações para o alcance dos objetivos tanto organizacionais quanto individuais. Constitui, a rigor, uma evolução das áreas designadas no passado como Administração de Pessoal, Relações Industriais e Administração de Recursos. Para dar segmento a esse conceito, cabe frisar que a evolução da gestão de pessoas deu-se ao longo das décadas, adicionando em cada fase de sua transformação o melhor das experiências analisadas. Fica demonstrado que após décadas de valorização na linha de produção, as pessoas enfim são reconhecidas como o motor das organizações, considerando que é a partir delas que tudo acontece. Por tudo isso, vale ressaltar a valorização dos colaboradores. Esse modo de saber tratar as pessoas é capaz de transformar equipes dispersas em gigantes, quando liderados por alguém capacitado a motiválas e a identificar as qualidades individuais. Sendo assim, a necessidade de mudanças no perfil de liderança, tornou-se indispensável aos gestores, que tiveram que desenvolver habilidades e se qualificar para se destacarem em um mundo globalizado. Segundo Maximiano (2000, p. 42) No início do século XX, a palavra-chave era eficiência. No final do século XX, a palavra-chave é competitividade [...], atualmente a eficiência tornou-se um dos ingredientes da competitividade. Dessa maneira os gestores tiveram que acompanhar essas mudanças se reciclando, para permanecerem aptos na competitividade frente às organizações que representam. Daí surge a figura do líder acessível, que passa de chefe inquestionável ao Líder atrativo, aquele que ouve, aceita, considera todas as colocações, despertando na equipe o respeito e admiração, fatores decisivos que contribuem de forma competente a qualidade das relações dentro das organizações, como veremos a seguir.

24 22 "Grandes líderes mudam de estilo para levantar a auto-estima de suas equipes. Se as pessoas acreditam nelas mesmas, é impressionante o que elas conseguer [sic] realizar." Walton

25 23 4 O PERFIL DO LÍDER Desde sempre, o líder é tido como peça chave nas organizações, independente do segmento destas. Mas não se deve confundir líder com chefe, esses termos quando utilizados erroneamente gera um entendimento surreal que torna-os sinônimos. Ao contrário dos tradicionais estilos de liderança onde o líder era o chefe, a liderança atualmente é vista como sinônimo de competência, parceria e valorização da equipe. Como em todos os segmentos, os estilos de liderança, também passam por transformações. E essas mudanças ocorrem acompanhando as tendências na era da informação, onde a tecnologia também exerce seu papel de transformação nesses estilos. Desse modo, a velocidade da tecnologia também influenciou a maneira de pensar das pessoas, contribuindo de forma eficiente na qualidade da informação e consequentemente o estilo de vida destas, principalmente no trabalho. Como podemos acompanhar, a internet também passou por uma transformação de perfil. Antes conhecida como Web 1.0, dispunha de muitas informações, mas o usuário era apenas espectador e leitor. Com o passar do tempo a Web 1.0 se transformou em Web 2.0, onde a interatividade é permitida e todos podem contribuir na construção da informação. À partir disso, faz-se uma comparação entre Web 1.0 e Web 2.0 com o perfil do Líder 1.0 e o Líder 2.0. Esses estilos de lideranças também sofreram a influência da era da informação. Para analisar essa comparação, Souza (2007, p. 13) ressalta as características no modelo do Líder 1.0: O modelo mental dentro do qual fomos educados nos levou a acreditar que: Liderança é sinônimo de cargo, posição social, dinheiro e, até mesmo, tempo de serviço; Liderança é uma arte, destinada apenas a pessoas visionárias, bem informadas; Liderança é inata, pois alguns já nascem com este dom ; Existe um estilo ideal de liderança, que as pessoas devem procurar praticar; Líder competente é quem possui seguidores leais; Líderes competentes inspiram pelo carisma e pela hierarquia, pois manda quem pode, obedece quem tem juízo. Com base nessas características, pode-se perceber como o conceito de liderança durante muito tempo esteve ligado à hierarquia. Mas atualmente, essa

26 24 consideração sobre líder se altera rapidamente, priorizando características de liderança inversas as já conhecidas. Vale salientar, a evolução no perfil do líder influenciada pela crescente competitividade nas organizações dentro e entre elas. Sendo assim, essa comparação entre o perfil de liderança tradicional com os novos estilos de liderança demonstra uma relação com o Líder 1.0 e o Líder 2.0. A partir dessa relação de transição entre estilos de liderança, Souza (2007, p. 17) ressalta novas características apreciadas em um novo tipo de líder: Esse novo tipo de líder se destaca por reunir algumas características, as Cinco Forças do Líder 2.0, [...] Oferecer causas, não apenas tarefas ou metas; Formar outros líderes, não apenas seguidores; Liderar em 360 graus, não apenas em 90 graus; Surpreender pelos resultados, fazendo mais do que o combinado; Inspirar pelos valores, não apenas pelo carisma. O papel do Líder 2.0 dentro de um grupo, não é mais o de ordenar como antes, mas de se relacionar, extraindo de seus subordinados uma melhor interação entre todos, estreitando os laços e fortalecendo a parceria, gerando com isso um comprometimento maior entre as pessoas e destas com a organização. Sendo assim, esse novo perfil de liderança sofreu transformações positivas capaz de melhorar a relação entre as pessoas numa organização o que reflete na obtenção de resultados almejados como objetivos propostos à equipe, trazendo satisfação aos membros desta, pois os desafios e conhecimentos compartilhados geram uma melhor qualidade na relação interpessoal, trazendo harmonia e sinergia à equipe. Deste modo, fica evidente a importância de um líder e seus diferentes estilos na gestão de uma organização que será considerada a seguir. 4.1 TIPOS DE LIDERANÇA Em uma perspectiva diferente do ponto de vista tradicional, os tipos de liderança vêm se destacando como diferencial num gestor, capaz de englobar características próprias e influenciar as pessoas, envolvendo-as de forma enigmática. Essa característica peculiar é responsável por diferenciar os diversos tipos de líderes. Na concepção de Souza (2007, p. 21): [...] não existe receita pronta. Se quiser realmente se tornar um Líder Inspirador, você terá, por si mesmo, de encontrar as respostas para

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL

ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL Antonia Maria Gimenes 1, Renato Nogueira Perez Avila 2 Cleiton Riz Aleixo 3, Jakeline da Silva 4 Thayane C. Anjos Afonso 5 RESUMO Este estudo

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Palavras-Chave: Organizações, Colaboradores, Recursos, Gestão de Pessoas

Palavras-Chave: Organizações, Colaboradores, Recursos, Gestão de Pessoas DA ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS À GESTAO DE PESSOAS Josiane de C. Aparecida Lacerda 1, Renata Valentina Bigolotti 2, Nivaldo Carleto 3 1 Fatec-Taquaritinga. Gestão do Agronegócio. Taquaritinga-SP

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381 GESTÃO DE PESSOAS APLICADA ÀS UNIDADES DE INFORMAÇÃO 1 Mailza Paulino de Brito e Silva Souza 2 Sandra Pontual da Silva 3 Sara Sunaria Almeida da Silva Xavier 4 Orientadora: Profª M.Sc. Luciana Moreira

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Camila Cristina S. Honório 1 Maristela Perpétua Ferreira 1 Rosecleia Perpétua Gomes dos Santos 1 RESUMO O presente artigo tem por finalidade mostrar a importância de ser

Leia mais

Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas

Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas 1 Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas RESUMO A empresa vivia um cenário claro de desequilíbrio na gestão empresarial e

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO A Biblioteca da FAPPES é uma Biblioteca especializada, mantida pela Sociedade

Leia mais

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

Gestão escolar: revendo conceitos

Gestão escolar: revendo conceitos Gestão escolar: revendo conceitos Myrtes Alonso É um equívoco pensar que o desempenho da escola se expressa apenas nos resultados da aprendizagem obtidos nas disciplinas e que é fruto exclusivo do trabalho

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

Curso Introdução ao Secretariado Empresarial

Curso Introdução ao Secretariado Empresarial Seja bem Vindo! Curso Introdução ao Secretariado Empresarial CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 20hs Conteúdo Programático: 1. Um novo perfil 2. Da era da máquina datilográfica à internet 3. Um perfil

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

ESCOLA DE GOVERNO - MARAVILHA. O sucesso de qualquer empresa depende da qualidade de seus profissionais. O funcionário público não trabalha???

ESCOLA DE GOVERNO - MARAVILHA. O sucesso de qualquer empresa depende da qualidade de seus profissionais. O funcionário público não trabalha??? ESCOLA DE GOVERNO - MARAVILHA PALESTRA: A GESTÃO DE PESSOAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MINISTRANTE: Prof. ADEMAR DUTRA, Dr. VERDADES OU MENTIRAS??? O sucesso de qualquer empresa depende da qualidade de seus

Leia mais

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL COMUNICAÇÃO SUBTEMA: QUESTÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS A MATEMÁTICA

Leia mais

Entrepreneurship Lab Inovação, Desempenho e Crescimento Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Entrepreneurship Lab Inovação, Desempenho e Crescimento Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa CAVACO S Combustível de Biomassa RESPEITANDO A NATUREZA www.cavacos.com EM 2014 OS NOSSOS SONHOS SÃO AINDA MAIORES. APRESENTAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E PARCEIROS UMA NOVA CAVACO S, MUITO MAIS MODERNA, COM

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira²

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE UM MELHOR APROVEITAMENTO DO GESTOR NA ORGANIZAÇÃO BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² RESUMO O mundo tem passado por constantes mudanças, que têm

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador

ADMINISTRAÇÃO. Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador ADMINISTRAÇÃO Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador O que devemos.. Tirar todas as dúvidas a qualquer momento Participar

Leia mais

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

UM CAMINHAR DA ADMINISTRAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: LIDERANÇA, MOTIVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES.

UM CAMINHAR DA ADMINISTRAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: LIDERANÇA, MOTIVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES. UM CAMINHAR DA ADMINISTRAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: LIDERANÇA, MOTIVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES. Eder Gomes da Silva 1 Resumo: O presente artigo trazer um estudo teórico buscando adquirir

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 Autora: Maria Thaís de Oliveira Batista Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Email: taholiveira.thais@gmail.com

Leia mais

O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Missão Capacitar Administradores, propiciando uma base técnico-científica que lhes permita um aprendizado hábil a absorver, processar e adequar informações

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR Programa de Capacitação PAPEL D GESTR CM MULTIPLICADR Brasília 12 de maio de 2011 Graciela Hopstein ghopstein@yahoo.com.br Qual o conceito de multiplicador? Quais são as idéias associadas a esse conceito?

Leia mais

Metodologia e dinâmica do workshop O fim das vendas e do marketing da insistência

Metodologia e dinâmica do workshop O fim das vendas e do marketing da insistência Metodologia e dinâmica do workshop O fim das vendas e do marketing da insistência Como andam seus esforços em Prospecção, Follow-up e Networking? A forma como você faz hoje é a mais adequada? Será que

Leia mais

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS SUMÁRIO 1. O QUE SIGNIFICA GESTÃO DE PESSOAS... 3 2. PRINCIPAIS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS... 3 3. O CONTEXTO DA GESTÃO DE PESSOAS... 4 4. EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE GESTÃO...

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL 1.Osnei FranciscoAlves 2. Jéssica Barros 1. Professor das Faculdades Integradas Santa Cruz. Administrador, MBA Executivo em Gestão de Pessoas e

Leia mais

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER C. Bringhenti, M. Eng.* E. M. Lapolli, Dra.** G. M. S. Friedlaender, M. Eng* * Doutorandos do Curso de Pós Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: O papel do Gestor de RH

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: O papel do Gestor de RH ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: O papel do Gestor de RH A importância de se implantar programas para aperfeiçoamento de gestores Ana Clara Jorge Carolina Marques de Rezende Isabela Amantéa M. Lima Marcelle

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

INOVAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO, ORGANIZACIONAL E DE MARKETING NAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS

INOVAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO, ORGANIZACIONAL E DE MARKETING NAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS INOVAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO, ORGANIZACIONAL E DE MARKETING NAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS Fábio Luiz Papaiz Gonçalves Faculdade de Administração CEA Centro de Economia e Administração fabiopapaiz@gmail.com

Leia mais

A Evolução do Profissional de TI Brasileiro

A Evolução do Profissional de TI Brasileiro Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Tecnologia da Informação 31 de Março de 2015 A Evolução do Profissional de TI Brasileiro Bruno Henrique dos Santos Noronha RESUMO O presente estudo

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS Marino, Reynaldo Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde - FASU/ACEG GARÇA/SP-

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA

MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA MANUAL DE TRANSIÇÃO DE MARCA Mudança da Marca e Posicionamento Esse boletim explicativo tem o objetivo de esclarecer suas dúvidas sobre a nova marca Evolua e de que forma ela será útil para aprimorar os

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

Os Sete Níveis de Consciência da Liderança

Os Sete Níveis de Consciência da Liderança Os Sete Níveis de Consciência da Liderança Existem sete níveis bem definidos de liderança, que correspondem aos sete níveis de consciência organizacional. Cada nível de liderança se relaciona com a satisfação

Leia mais

LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira

LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira Manual de Sobrevivência dos Gestores, Supervisores, Coordenadores e Encarregados que atuam nas Organizações Brasileiras Capítulo 2 O Gestor Intermediário

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

O meio ambiente e o planejamento estratégico

O meio ambiente e o planejamento estratégico O meio ambiente e o planejamento estratégico Roberto Sanches Garcia, Prof.Dr.Alfredo Colenci Junior Mestrado em Tecnologia: Gestão, Desenvolvimento e Formação. CEETEPS - São Paulo SP Brasil roberto.sanches4@terra.com.br;

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES. CARDOSO, Sandra Regina 1. BERVIQUE, Janete de Aguirre 2

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES. CARDOSO, Sandra Regina 1. BERVIQUE, Janete de Aguirre 2 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES CARDOSO, Sandra Regina 1 BERVIQUE, Janete de Aguirre 2 RESUMO Este artigo tem por finalidade apresentar fatores que influenciam na qualidade de

Leia mais

Como driblar a crise. e obter sucesso no Gerenciamento de Projetos

Como driblar a crise. e obter sucesso no Gerenciamento de Projetos Como driblar a crise e obter sucesso no Gerenciamento de Projetos COMO DRIBLAR A CRISE E OBTER SUCESSO NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Índice Introdução 03 A crise 04 Conclusão 22 Sobre a Projectlab 24 8

Leia mais

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O TRABALHO DO TUTOR COMO MEDIADOR DO CONHECIMENTO SOEK, Ana Maria (asoek@bol.com.br) Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Brasil HARACEMIV,

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

Coleção ajuda no sucesso profissional

Coleção ajuda no sucesso profissional COLEÇÃO Unic Josafá Vilarouca Renata Tomasetti (11) 5051-6639 josafa@unicbuilding.com.br renata@unicbuilding.com.br Coleção ajuda no sucesso profissional Série lançada pela Publifolha possui 36 títulos,

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Andresa Léia de Andrade 1 e Daniela Pereira dos Reis de Almeida 2 1 Aluna do Curso de Arquivologia

Leia mais

AMERICAN ASSOCIATION OF SCHOOL LIBRARIANS PARÂMETROS PARA O APRENDIZ DO SÉCULO 21

AMERICAN ASSOCIATION OF SCHOOL LIBRARIANS PARÂMETROS PARA O APRENDIZ DO SÉCULO 21 AMERICAN ASSOCIATION OF SCHOOL LIBRARIANS PARÂMETROS PARA O APRENDIZ DO SÉCULO 21 CONVICÇÕES COMPARTILHADAS A leitura é uma janela para o mundo. A leitura é uma competência fundamental para a aprendizagem,

Leia mais

A importância do treinamento em grandes corporações: Um estudo de caso na empresa Schincariol

A importância do treinamento em grandes corporações: Um estudo de caso na empresa Schincariol 1 A importância do treinamento em grandes corporações: Um estudo de caso na empresa Schincariol RESUMO Bruna Aparecida Pereira RAYMUNDO 1 Cristiane Aparecida RABELO 2 Emerson Pallotta RIBEIRO 3 Humberto

Leia mais

INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos

INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos Cláudia Peixoto de Moura Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS E-mail: cpmoura@pucrs.br Resumo do Trabalho:

Leia mais

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado.

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado. Automotivação Antes de abordarmos a importância da motivação dentro do universo corporativo, vale a pena iniciarmos esta série de artigos com uma definição sobre esta palavra tão em voga nos dias atuais.

Leia mais

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES

A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES A ÉTICA E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL SOB A ÓTICA DAS ORGANIZAÇÕES Ítalo Camilo da Silva Nogueira Mestrando em Desenvolvimento Regional (mídias sociais), docente na Faculdade Nossa Senhora Aparecida/FANAP-GO.

Leia mais

Leader coach e estratégia Disney

Leader coach e estratégia Disney 34 Leader coach e estratégia Disney As organizações enfrentam grandes desafios. Surge a necessidade de adaptação. Um dos principais fatores que fazem a diferença são seus líderes. Os líderes precisam adotar

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS FATOR CHAVE DE SUCESSO PARA AS ORGANIZAÇÕES.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS FATOR CHAVE DE SUCESSO PARA AS ORGANIZAÇÕES. 1 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS FATOR CHAVE DE SUCESSO PARA AS ORGANIZAÇÕES. Alessandra Cristina Rubio¹ Regina Aparecida de Alcântara Gonzaga 1 Thiago Silva Guimarães³ RESUMO É notória e cada vez mais

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil O valor da educação Um aprendizado para a vida Relatório do Brasil A pesquisa O valor da educação é uma pesquisa do consumidor independente sobre tendências globais de educação realizada para o HSBC. O

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Uma resposta às mudanças organizacionais através do trabalho em equipes multifuncionais: um estudo de caso na indústria de fertilizantes

Uma resposta às mudanças organizacionais através do trabalho em equipes multifuncionais: um estudo de caso na indústria de fertilizantes Uma resposta às mudanças organizacionais através do trabalho em equipes multifuncionais: um estudo de caso na indústria de fertilizantes Adriane Hartman (CEFET-PR-PG) adriane.h@terra.com.br Prof. Dr. Dálcio

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NA PROFISSÃO CONTÁBIL

A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NA PROFISSÃO CONTÁBIL A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NA PROFISSÃO CONTÁBIL Contador da Empresa Menendez Amerino & Cia Ltda Contato: Sumário: I Introdução. II Importância da Informática na Contabilidade. III A Valorização do Profissional

Leia mais

O QUE É COACHING? O QUE É COACHING? INSTRUMENTO PODEROSO PARA MELHOR PERFORMANC E RESULTADOS QUAIS CONTEXTOS PODEMOS UTLIZAR O COACHING?

O QUE É COACHING? O QUE É COACHING? INSTRUMENTO PODEROSO PARA MELHOR PERFORMANC E RESULTADOS QUAIS CONTEXTOS PODEMOS UTLIZAR O COACHING? O QUE É COACHING? INSTRUMENTO PODEROSO PARA MELHOR PERFORMANC E RESULTADOS QUAIS CONTEXTOS PODEMOS UTLIZAR O COACHING? COMO SURGIU E ESTÁ EVOLUINDO O COACHING? QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS? IMPORTÂNCIA

Leia mais

Design Sustentável aplicado à decoração de Natal do Shopping Popular de Curitiba.

Design Sustentável aplicado à decoração de Natal do Shopping Popular de Curitiba. Design Sustentável aplicado à decoração de Natal do Shopping Popular de Curitiba. Sustainable Design applied to the decoration of Christmas Shopping Popular de Curitiba. Perozza, Roberta Augustinho; Graduanda;

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais