INVESTIMENTO CULTURAL UTILIZANDO O ICMS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INVESTIMENTO CULTURAL UTILIZANDO O ICMS"

Transcrição

1 INVESTIMENTO CULTURAL UTILIZANDO O ICMS

2 CULTURA PARA DESENVOLVER A Cultura promove o desenvolvimento humano, social e econômico de uma sociedade. Ao patrocinar um projeto cultural, a empresa incentivadora se diferencia e se destaca das demais, pois amplia a forma como se comunica com seu público alvo, solidifica sua imagem institucional e dá visibilidade à sua marca.

3 OBJETIVOS DA LEIC Apoiar projetos culturais produzidos por artistas e produtores mineiros; Promover a descentralização da produção cultural; Ampliar o acesso aos bens culturais e artísticos; Valorizar a diversidade cultural; Fomentar projetos de criação de novas linguagens; Investir na profissionalização e capacitação; Preservar o patrimônio cultural material e imaterial; Procurar a sustentabilidade na cadeia produtiva da cultura; Buscar a democratização do acesso aos bens culturais.

4 LEGISLAÇÃO Lei , de 4 de julho de 2008 altera e revoga a Lei , de 30 de dezembro de Decreto , de 1º de agosto de 2008 e o Decreto , de 11 de maio de Lei , de 23 de maio de 2013 altera a Lei , de 4 de julho de LEI DE TRIBUTAÇÃO incorpora as prescrições da LEIC à Lei Geral de Tributação de Minas Gerais (Lei nº de 14/12/2012 ) Instrução Normativa IN 03/2012. Edital anual.

5 A LEIC é um instrumento de apoio a projetos culturais e tem como base o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços ICMS, em duas modalidades: ICMS corrente a partir do faturamento da empresa é possível deduzir 99% do investimento; Dívida Ativa Art 5 - O contribuinte com crédito tributário inscrito em dívida ativa há mais de doze meses, contados da data do requerimento do incentivador, poderá quitá-lo com desconto de 25% (vinte e cinco por cento), desde que apoie financeiramente projeto cultural, nos termos deste artigo.

6 QUEM PODE USUFRUIR O EMPREENDEDOR A pessoa física ou jurídica com ou sem fins lucrativos, diretamente responsável pela promoção e execução do projeto cultural, domiciliada no estado de Minas Gerais, com objetivo e atuação prioritariamente culturais, comprovados, há no mínimo, um ano. O INCENTIVADOR O contribuinte de ICMS corrente que esteja em dia com seu recolhimento e/ou o devedor inscrito em Dívida Ativa, que queira apoiar financeiramente projeto artístico-cultural.

7

8 Leis e Decretos LEI Nº , DE 23 DE MAIO DE 2013

9 INCENTIVADOR - EMPRESAS Faturamento da empresa Investimento ICMS mensal Dedução Receita bruta anual entre R$ ,00 e R$ ,00 Receita bruta anual entre R$ ,00 e R$ ,00 Receita bruta anual acima de R$ ,00 10% 99% 7% 97% 3% 95% O restante será repassado como contrapartida, que pode que podem ser em moeda corrente, serviços e/ou mercadorias.

10 O REPASSE DO INCENTIVO O valor do incentivo pode ser repassado ao empreendedor em parcela única, ou em até doze parcelas, incluindo a contrapartida. A forma de repasse se dará por meio de cheque nominal ou transferência eletrônica (TED ou DOC), depositado em conta bancária, específica para o projeto.

11 RENÚNCIA FISCAL A LEIC opera com recursos provenientes de Renúncia Fiscal sobre o ICMS, sendo disponibilizado 0,30% da receita líquida do ICMS. Em 2013 a estimativa é de R$ 73 milhões.

12 EDITAL ANUAL DE APROVAÇÃO DE PROJETOS Para todo Estado de Minas Gerais com percentual previsto para projetos do interior de um mínimo de 45% dos recursos aprovados. A Legislação específica as áreas que podem ser contempladas com a LEIC, além dos valores limites para cada modalidade de projeto. Anualmente é realizado edital para aprovação dos projetos que poderão concorrer aos benefícios.

13 AVALIAÇÃO E APROVAÇÃO DOS PROJETOS A Comissão Técnica de Análise de Projetos - CTAP, é formada por técnicos da Secretaria Estadual de Cultura e por representantes de entidades do setor cultural de Minas Gerais. A CTAP analisa os projetos e aprova aqueles que atendem aos critérios técnicos, artísticos, de fomento e financeiro. Após publicação no Diário Oficial do Estado a relação dos projetos aprovados o empreendedor de posse do Certificado de Aprovação - CA que tem validade, por um ano, busca a captação do incentivo cultural junto às empresas. Publicação completa e diferenciada no site:

14 PARCERIA DA SEF O incentivo é formalizado na Secretaria de Estado de Fazenda - SEF, por meio da Declaração de Incentivo-DI. Após a homologação e deferimento da Declaração de Incentivo-DI, pela Secretaria de Estado de Fazenda, o empreendedor abre conta bancária, específica, para cada projeto. A movimentação da conta pelo empreendedor, só pode ser iniciada, após depósito pela empresa de, no mínimo, 20% do valor aprovado. Após a execução do projeto artístico cultural o Empreendedor Cultural é obrigado a apresentar a Prestação de Contas do projeto, contendo todos os documentos comprobatórios das despesas, conforme Instrução Normativa e Leis Culturais vigentes.

15 CREDIBILIDADE As mais modernas empresas utilizam o patrocínio cultural para estreitar seu relacionamento com consumidores e clientes, conquistando sua confiança e credibilidade por intermédio de atitudes que demonstram compromisso com a sociedade e contribuem para o desenvolvimento e o crescimento de sua região. Ao redirecionar suas verbas, antes destinadas apenas à publicidade tradicional, muitas Empresas têm demonstrado sua confiança no investimento em patrocínio cultural.

16 VANTAGENS Utilização dos recursos do ICMS para o desenvolvimento da própria comunidade na qual a empresa está inserida, com a valorização da cultura e das artes como expressão e identidade de um povo. Auxílio direto na preservação de patrimônio local, gerando reconhecimento por parte da comunidade. Comunicação com seu público de maneira diferenciada e elegante.

17 MARKETING CULTURAL Estruturado como um conjunto de ações planejadas que visam o envolvimento da empresa com a sociedade, por meio da atividade cultural, mas fundadas em compromissos éticos e sociais. CULTURA L A Lei Estadual de Incentivo à Cultura permite que a Empresa faça a escolha de um projeto cultural para investimento e parceria com a sociedade civil. Retorno do imposto para a sociedade.

18 RECIPROCIDADE PARA AS EMPRESAS O investimento em cultura pode gerar retorno nas dimensões: social e cultural; institucional e econômica-mercadológica. Pode atingir a todos os stakeholders da Empresa: acionistas, clientes, comunidades, público interno e familiares, governo, imprensa etc.

19 DIMENSÃO INSTITUCIONAL IMAGEM Geração de visibilidade/exposição para a marca. Contato com a marca de maneira positiva. Geração de valor agregado (sólida, boa imagem, saúde financeira, boa gestão, idoneidade). Reconhecimento, consolidação e valorização da marca.

20 DIMENSÃO INSTITUCIONAL IMAGEM Aproximação com órgãos oficiais Poder Público de maneira positiva. Sustentação e perenidade de imagem positiva. Geração de mídia espontânea positiva. Reconhecimento como empresa responsável e preocupada com o desenvolvimento local, regional e nacional. Adesão corporativa empregados que reconhecem e valorizam o posicionamento da Empresa.

21 Possibilidade de desenvolvimento de ações conjuntas com os projetos culturais dentro de um mix de comunicação empresarial, marketing de relacionamento, marchandising, business to business, endomarketing e marketing social. RECIPROCIDADE

22 CONTATOS Eliane Parreiras Secretária de Estado de Cultura (31) Superintendência de Fomento e Incentivo à Cultura Superintendente: Nora Vaz de Mello (31) Diretoria da Lei Estadual de Incentivo à Cultura Diretora: Sônia Valadares (31)

23 OBRIGADA! Eliane Parreiras Secretária de Estado de Cultura de Minas Gerais

Fórum de Políticas Culturais de Minas Gerais

Fórum de Políticas Culturais de Minas Gerais Fórum de Políticas Culturais de Minas Gerais 13 de maio de 2014 Desafios das Políticas de Incentivo Apoiar projetos culturais produzidos por artistas e produtores mineiros; Promover a descentralização

Leia mais

Busca de apoio para gravação do DVD DUDU DO CAVACO CONVIDA UM PROJETO APROVADO NA LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA. Apoie nossa causa.

Busca de apoio para gravação do DVD DUDU DO CAVACO CONVIDA UM PROJETO APROVADO NA LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA. Apoie nossa causa. Busca de apoio para gravação do DVD DUDU DO CAVACO CONVIDA UM PROJETO APROVADO NA LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA Apoie nossa causa. Vídeo: Acesse: idea.me/proyeto/ 589/(sintitulo) DUDU DO CAVACO A

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DO FUNDO NACIONAL DA CULTURA INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO

PROCESSO SELETIVO DO FUNDO NACIONAL DA CULTURA INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO PROCESSO SELETIVO DO FUNDO NACIONAL DA CULTURA INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO O que é Edital do FNC? É um processo seletivo com objetivo de fomentar e incentivar ações da cultura brasileira

Leia mais

Apoie a Orquestra Criança Cidadã por meio da Lei Rouanet.

Apoie a Orquestra Criança Cidadã por meio da Lei Rouanet. Conheça as vantagens de patrocinar a Orquestra Criança Cidadã por meio da Lei Rouanet Você sabia que é possível incentivar a cultura e a cidadania em Pernambuco com uma parte do imposto de renda da sua

Leia mais

Lei Nacional de Incentivo à Cultura

Lei Nacional de Incentivo à Cultura Lei Nacional de Incentivo à Cultura Lei nº 8.313 de 23 de dezembro de 1991 Sancionada pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello é a lei que institui políticas públicas para a cultura nacional, como o

Leia mais

VIII SALÃO DE ARTE DE ITABIRITO REGIONAL 2015 Itabirito, Ouro Preto e Divinópolis

VIII SALÃO DE ARTE DE ITABIRITO REGIONAL 2015 Itabirito, Ouro Preto e Divinópolis PROJETO VIII SALÃO DE ARTE DE ITABIRITO REGIONAL 2015 Itabirito, Ouro Preto e Divinópolis Obras premiadas na VII Salão de Arte de Itabirito Regional 2014 1º Lugar S.T., Série Xifopagia Dyana Santos, 2º

Leia mais

FUNDO ESTADUAL DE CULTURA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS CÂMARAS SETORIAIS PARITÁRIAS EDITAL CSP 01/ 2013

FUNDO ESTADUAL DE CULTURA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS CÂMARAS SETORIAIS PARITÁRIAS EDITAL CSP 01/ 2013 FUNDO ESTADUAL DE CULTURA EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS CÂMARAS SETORIAIS PARITÁRIAS EDITAL CSP 01/ 2013 A Secretaria de Estado de Cultura, no uso de suas atribuições legais e em consonância com a Lei nº 15.975/2006,

Leia mais

Lei 8.313/ Lei Rouanet. Lei federal de incentivo à cultura Como investir em projetos culturais usando o Imposto de Renda

Lei 8.313/ Lei Rouanet. Lei federal de incentivo à cultura Como investir em projetos culturais usando o Imposto de Renda Lei 8.313/1991 - Lei Rouanet Lei federal de incentivo à cultura Como investir em projetos culturais usando o Imposto de Renda Lei 8.313/1991 - Lei Rouanet Objetivos: I. facilitar, a todos, os meios para

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCÍNIOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Patrocínios das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE PATROCÍNIOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Patrocínios das Empresas Eletrobras Política de Patrocínios das Empresas Eletrobras Versão 2.0 19/05/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceito de Patrocínio... 3 3. Princípios... 3 4. Diretrizes... 4 4.1. Áreas de atuação... 4 4.2. Restrições...

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria da Receita Estadual PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL II

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria da Receita Estadual PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL II SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria da Receita Estadual PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL II PPE II CONDIÇÕES DO DÉBITOD O débito pode estar: Formalizado ou não; Inscrito ou não em dívida ativa;

Leia mais

apresenta Grupo Girino espetáculo

apresenta Grupo Girino espetáculo apresenta Grupo Girino espetáculo Apresentação MetaForMose é um espetáculo de teatro de bonecos que aborda a temática da metamorfose e das transformações e anseios da condição humana. O espetáculo é fruto

Leia mais

Incentivo à Cultura. Investir em Cultura é um Bom Negócio

Incentivo à Cultura. Investir em Cultura é um Bom Negócio Incentivo à Cultura Investir em Cultura é um Bom Negócio O que é Incentivo Cultural? Trata-se de um instrumento complementar, que dinamiza e impulsiona o fazer cultural, ao envolver o conjunto da sociedade,

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCÍNIOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE PATROCÍNIOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE PATROCÍNIOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 3.0 06/02/2017 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceito... 3 3 Princípios... 3 4 Diretrizes... 4 4.1 Áreas de atuação... 4 4.2 Restrições... 5 4.3 Modalidades

Leia mais

Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA

Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA 1 Instrução Normativa 004/2014 A prestação de contas de cada projeto acontecerá conforme o estabelecido na INSTRUÇÃO NORMATIVA

Leia mais

Fatores para o cálculo do preço de exportação

Fatores para o cálculo do preço de exportação Fatores para o cálculo do preço de exportação No cálculo do preço de exportação devem ser levados em conta, entre outros fatores: IPI - IMUNIDADE do Imposto sobre Produtos Industrializados, na saída de

Leia mais

Decreto n /2017 REFAZ 2017

Decreto n /2017 REFAZ 2017 Ref.: nº 06/2017 1. Programa REFAZ De acordo com o Decreto n 53.417/2017, fica aberto, de 31 de janeiro a 26 de abril de 2017, o prazo para adesão ao programa REFAZ, que tem por objetivo regularizar os

Leia mais

LEI ROUANET. - Abatimento de 100% do valor incentivado até o limite de 4% do IRPJ devido. - (A empresa deve estar tributada com base no lucro real)

LEI ROUANET. - Abatimento de 100% do valor incentivado até o limite de 4% do IRPJ devido. - (A empresa deve estar tributada com base no lucro real) Leis de Incentivo LEI ROUANET Lei Federal de Incentivo à Cultura, regulamenta a renúncia fiscal do Imposto de Renda de empresas patrocinadoras de projetos culturais. Os Programas e Projetos da 3S Projetos

Leia mais

EFD-Reinf. Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais. Palestrante: Ricardo Nogueira R.Nogueira Consultoria e Treinamento

EFD-Reinf. Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais. Palestrante: Ricardo Nogueira R.Nogueira Consultoria e Treinamento Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais Palestrante: Ricardo Nogueira O que é? Instituída pela Instrução Normativa RFB nº 1.701/2017, tratase de uma nova obrigação tributária

Leia mais

ATOS DA FMEL - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER DE ITAJAÍ EDITAL Nº. 001/2016 LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO AO ESPORTE

ATOS DA FMEL - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER DE ITAJAÍ EDITAL Nº. 001/2016 LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO AO ESPORTE ATOS DA FMEL - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER DE ITAJAÍ EDITAL Nº. 001/2016 LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO AO ESPORTE O Superintendente da Fundação Municipal de Esporte e Lazer de Itajaí, no uso de

Leia mais

PROJETO Captação 2015

PROJETO Captação 2015 PROJETO Captação 2015 Quem somos O Instituto HAHAHA é uma organização cultural não governamental sem fins lucrativos. A Instituição é formada por artistas, gestores culturais e profissionais da saúde,

Leia mais

LEI , DE 24 DE OUTUBRO DE 2017 INSTITUI O PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT.

LEI , DE 24 DE OUTUBRO DE 2017 INSTITUI O PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT. INFORME JURÍDICO OUTUBRO/2017 LEI 13.496, DE 24 DE OUTUBRO DE 2017 INSTITUI O PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT. Prezado Cliente, São Paulo, 25 de outubro de 2017. Foi publicada hoje,

Leia mais

CARTILHA DE INFORMAÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO CREDITÍCIO

CARTILHA DE INFORMAÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO CREDITÍCIO SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal CARTILHA DE INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

Política de Responsabilidade Social, Doações e Patrocínios

Política de Responsabilidade Social, Doações e Patrocínios Política de Responsabilidade Social, Doações e Patrocínios Política de Responsabilidade Sumário Introdução Objetivo Aprovação Patrocínios 3 4 5 6 1. Categorias de Patrocínios 6 2. Patrocínios via Leis

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE. Julho / 2005

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE. Julho / 2005 ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE Julho / 2005 TRIBUTOS QUE PODERÃO INCIDIR SOBRE A ENERGIA ELÉTRICA Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Imposto

Leia mais

saiba como realizar seu projeto cultural com o incentivo da prefeitura Cultura Lei de Incentivo à

saiba como realizar seu projeto cultural com o incentivo da prefeitura Cultura Lei de Incentivo à saiba como realizar seu projeto cultural com o incentivo da prefeitura Lei de Incentivo à Cultura ENTENDENDO A LIC LEI DE INCENTIVO À CULTURA LIC - Lei de Incentivo à Cultura O QUE É A LEI? A Lei de Incentivo

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CEBC COMO SE ASSOCIAR 2014

APRESENTAÇÃO DO CEBC COMO SE ASSOCIAR 2014 APRESENTAÇÃO DO CEBC 201 QUEM SOMOS FUNDADO EM 200, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA,

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Orientações Consultoria de Segmentos EFD-REINF Conceito da obrigação

Orientações Consultoria de Segmentos Orientações Consultoria de Segmentos EFD-REINF Conceito da obrigação 25/05/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 3 3.1 Instrução Normativa 1701 de 2017... 3 3.2 Descrição Simplificada dos Eventos... 5 3.3 Sequencia

Leia mais

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG. Subsecretaria da Receita Estadual - SRE. Superintendência de Tributação - SUTRI

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG. Subsecretaria da Receita Estadual - SRE. Superintendência de Tributação - SUTRI Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG Subsecretaria da Receita Estadual - SRE Superintendência de Tributação - SUTRI ALTERAÇÕES NO SIMPLES NACIONAL E AS IMPLICAÇÕES NO ÂMBITO ESTADUAL

Leia mais

Museu Farmaco Hospitalar do Imperial Hospital de Caridade

Museu Farmaco Hospitalar do Imperial Hospital de Caridade Museu Farmaco Hospitalar do Florianópolis / SC Etapa de Restauração do Antigo Casarão da Fundação Senhor dos Passos e desenvolvimento do Plano Museológico RESUMO DO PROJETO O projeto prevê a estruturação

Leia mais

Consultoria Projetos Incentivados Recursos Públicos ao Esporte

Consultoria Projetos Incentivados Recursos Públicos ao Esporte Consultoria Projetos Incentivados Para refletir... A LIE pode ser uma armadilha para quem se aventurar a usá-la A maior dificuldade dos Clubes será na execução Eles costumam ter muita dificuldade de comprovar

Leia mais

Milhões de crianças e. adolescentes brasileiros vivem em. situação de risco. São meninos e. meninas expostos à violência, à

Milhões de crianças e. adolescentes brasileiros vivem em. situação de risco. São meninos e. meninas expostos à violência, à Milhões de crianças e adolescentes brasileiros vivem em situação de risco. São meninos e meninas expostos à violência, à exploração sexual, ao trabalho forçado ou ao consumo de drogas. Todos com a mesma

Leia mais

TUTORIAL DO EDITAL SECULT BA PROGRAMA FAZCULTURA 2017

TUTORIAL DO EDITAL SECULT BA PROGRAMA FAZCULTURA 2017 TUTORIAL DO EDITAL SECULT BA PROGRAMA FAZCULTURA 2017 Abril/2017 EDITAL SECULT BA PROGRAMA FAZCULTURA 2017 Este tutorial tem por finalidade orientar os interessados a apresentarem propostas com vistas

Leia mais

Tema MP nº 766/17 Projeto de lei de conversão da MP nº 766/17 Condições gerais

Tema MP nº 766/17 Projeto de lei de conversão da MP nº 766/17 Condições gerais Comparação de pontos relevantes do PRT na MP nº 766/17 e no projeto de lei de sua conversão (* não contempla outros assuntos que constam do projeto de lei e questões formais, operacionais e demais condições

Leia mais

PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT MEDIDA PROVISÓRIA Nº 783/17

PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT MEDIDA PROVISÓRIA Nº 783/17 PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA PERT MEDIDA PROVISÓRIA Nº 783/17 JULHO 2017 PROGRAMA ESPECIAL DE REGULARIZAÇÃO TRIBUTÁRIA - PERT Instituído pela Medida Provisória nº 783/17 Regulamentação:

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003 Altera a legislação do Imposto de Renda relativamente à concessão de benefícios fiscais para as doações destinadas à assistência e promoção social. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

TRIBUTÁRIO. Destacamos abaixo as informações consideradas por nós como as mais importantes relativas ao PERT: 1. INFORMAÇÕES GERAIS. 1.

TRIBUTÁRIO. Destacamos abaixo as informações consideradas por nós como as mais importantes relativas ao PERT: 1. INFORMAÇÕES GERAIS. 1. TRIBUTÁRIO 1/6/2017 Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) Informamos que ontem, dia 31 de maio de 2017, foi publicada na Edição Extra do Diário Oficial da União, a Medida Provisória nº 783

Leia mais

EDITAL DE CONVOCATÓRIA PARA SELEÇÃO DE ARTISTAS PARA RESIDÊNCIA E REALIZAÇÃO DE PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO URBANA EDITAL Nº 001/2013

EDITAL DE CONVOCATÓRIA PARA SELEÇÃO DE ARTISTAS PARA RESIDÊNCIA E REALIZAÇÃO DE PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO URBANA EDITAL Nº 001/2013 EDITAL DE CONVOCATÓRIA PARA SELEÇÃO DE ARTISTAS PARA RESIDÊNCIA E REALIZAÇÃO DE PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO URBANA EDITAL Nº 001/2013 APRESENTAÇÃO O Projeto Muros Territórios Compartilhados em sua 3º edição

Leia mais

Universidade para Todos

Universidade para Todos Projeto: Universidade para Todos Transformando pelo o esporte Fundada em 24 de janeiro de 2014, a partir de um grupo de profissionais que acredita no poder transformador do esporte e da cultura na sociedade,

Leia mais

RESOLUÇÃO SETUR Nº 09, DE 25 DE AGOSTO DE 2010.

RESOLUÇÃO SETUR Nº 09, DE 25 DE AGOSTO DE 2010. RESOLUÇÃO SETUR Nº 09, DE 25 DE AGOSTO DE 2010. Estabelece os critérios necessários para a liberação do Certificado de Reconhecimento dos Circuitos Turísticos a que se refere o Decreto Estadual nº 43.321/2003.

Leia mais

Na hora de investir, conte com o conhecimento e a segurança do maior grupo financeiro de Portugal.

Na hora de investir, conte com o conhecimento e a segurança do maior grupo financeiro de Portugal. Na hora de investir, conte com o conhecimento e a segurança do maior grupo financeiro de Portugal. 1 Grupo Caixa Geral de Depósitos A CGD é o maior grupo financeiro português e detém a maior plataforma

Leia mais

LEI Nº 17.615, DE 4 DE JULHO DE 2008. (MG de 05/07/2008)

LEI Nº 17.615, DE 4 DE JULHO DE 2008. (MG de 05/07/2008) LEI Nº 17.615, DE 4 DE JULHO DE 2008. (MG de 05/07/2008) O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, Dispõe sobre a concessão de incentivo fiscal com o objetivo de estimular a realização de projetos culturais

Leia mais

Sustentabilidade nos negócios. Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle

Sustentabilidade nos negócios. Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle Sustentabilidade nos negócios Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle Sustentabilidade nos Negócios Agenda Um pouco do do Bradesco Sustentabilidade e o Bradesco Planejamento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESCRITORIO ESPECIALIZADO EM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PARA ATENDER A IBKRIN ASSOCIAÇÃO BEPOTIRE XIKRIN

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESCRITORIO ESPECIALIZADO EM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PARA ATENDER A IBKRIN ASSOCIAÇÃO BEPOTIRE XIKRIN TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESCRITORIO ESPECIALIZADO EM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PARA ATENDER A IBKRIN ASSOCIAÇÃO BEPOTIRE XIKRIN 1 - INTRODUÇÃO O Instituto Bepotire Xikrin IBKRIN

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 11 10 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 366 - Data 18 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA RETIDO NA FONTE - IRRF RENDIMENTOS DE RESIDENTES

Leia mais

FUNDAÇÃO CULTURAL DE JACAREHY JOSÉ MARIA DE ABREU

FUNDAÇÃO CULTURAL DE JACAREHY JOSÉ MARIA DE ABREU ANEXO I INCENTIVO MUNICIPAL À CULTURA - ANO 2015 À LIC - Lei de Incentivo à Cultura, Fundação Cultural de Jacarehy. Rua José Cristóvão Arouca, 40 Centro Jacareí/SP Número da inscrição: /2016 (para uso

Leia mais

N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE D E C R E T A: Seção I Das Disposições Gerais

N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE D E C R E T A: Seção I Das Disposições Gerais D E C R E T O N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE 2013 DISCIPLINA O PARCELAMENTO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS E NÃO TRIBUTÁRIOS, INSCRITOS OU NÃO EM DÍVIDA ATIVA, DO MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS, DE SUAS AUTARQUIAS

Leia mais

Transforme seu imposto em música

Transforme seu imposto em música LEI FEDERAL DE INCETIVO À CULTURA LEI ROUANET Transforme seu imposto em música Associação Cultural Casa de Música de Ouro Branco O QUE É A LEI ROUANET A Lei Rouanet (Lei 8.313/1991), instituiu o Programa

Leia mais

Programa Especial de Regularização Tributária (PERT)

Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) Medida Provisória nº 783/2017 Principais questões envolvendo o novo programa de parcelamento Almeida Advogados CONFIDENCIAL WWW.ALMEIDALAW.COM.BR INTRODUÇÃO

Leia mais

A DESCENTRALIZAÇÃO DA PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS

A DESCENTRALIZAÇÃO DA PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS A DESCENTRALIZAÇÃO DA PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS Elaboração: Carlos Henrique Rangel I - INTRODUÇÃO Minas Gerais desponta no país na implementação de políticas visando a preservação

Leia mais

Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos. Elton Bozzetto (51)

Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos. Elton Bozzetto (51) Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos Elton Bozzetto (51)99666 5592 eltonbozzetto@gmail.com SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade: é a capacidade de uma organização de manter o seu projeto

Leia mais

2016 Fernanda Monturil

2016 Fernanda Monturil 2016 Fernanda Monturil Mundial de Planadores A Federação Brasileira de Voo a Vela é uma entidade de fins não econômicos e de caráter desportivo, criada em 15 de janeiro de 1954, e vinculada ao Comitê Olímpico

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2016 PIS (PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL) COFINS (CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL) REGIME CUMULATIVO E NÃO-CUMULATIVO Para iniciar o estudo

Leia mais

Segmento(s): (Caso o Normativo Interno seja aplicado a uma unidade menor que a estrutura acima)

Segmento(s): (Caso o Normativo Interno seja aplicado a uma unidade menor que a estrutura acima) Aplicável a: Grupo(s) de negócio(s): ( X ) Todo Conglomerado (Não preencher as demais) ( ) VP Operações ( ) VP Finanças ( ) Auditoria Interna ( ) VP Riscos & Crédito ( ) Recursos Humanos Segmento(s): (Caso

Leia mais

Guia para comprovação de investimentos FINEP Inovacred

Guia para comprovação de investimentos FINEP Inovacred Guia para comprovação de investimentos FINEP Inovacred 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE 2016

PROJETO DE LEI Nº DE 2016 PROJETO DE LEI Nº DE 2016 Altera os prazos previstos na Lei nº 13.254, de 13 de janeiro de 2016, que dispõe sobre o Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária (RERCT) de recursos, bens ou direitos

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO: ESSA PARCERIA É 10. VIGÊNCIA: 01/05/2016 à 30/04/2017

REGULAMENTO PROMOÇÃO: ESSA PARCERIA É 10. VIGÊNCIA: 01/05/2016 à 30/04/2017 REGULAMENTO PROMOÇÃO: ESSA PARCERIA É 10 VIGÊNCIA: 01/05/2016 à 30/04/2017 1. A MAPFRE VIDA S.A., que é a PROMOTORA DA PROMOÇÃO, irá mensalmente adquirir Títulos de Capitalização, que serão por ela integralmente

Leia mais

Banco inovador, parceiro do cliente em soluções financeiras, para. empresas comprometidas com a geração de oportunidades e o

Banco inovador, parceiro do cliente em soluções financeiras, para. empresas comprometidas com a geração de oportunidades e o ABIMAQ Maio de 2014 BDMG Missão: Banco inovador, parceiro do cliente em soluções financeiras, para empresas comprometidas com a geração de oportunidades e o desenvolvimento sustentável de Minas Gerais.

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital

Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital Instrução Normativa SRF nº 038, de 27 de junho de 1996 DOU de 28/06/1996 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

Ebook. Abra Sua Empresa. Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa.

Ebook. Abra Sua Empresa. Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa. Ebook Abra Sua Empresa Tudo o que você precisa saber sobre abertura e legalização de empresa. Índice Introdução Procedimentos, Natureza Jurídica e Consulta Comercial Busca de nome e marca, Solicitação

Leia mais

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa.

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. CARTILHA NACIONAL SIMPLES Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. O que é Simples Nacional? Como enquadro minha empresa no Nacional Simples? O Simples Nacional é um regime tributário

Leia mais

CRESCER SEM MEDO LC 155/2016

CRESCER SEM MEDO LC 155/2016 CRESCER SEM MEDO LC 155/2016 1 4 7 Parcelamento Investidor- Anjo MEI 2 Simples Nacional 5 Fator Emprego 8 Dupla Visita CRESCER SEM MEDO 3 6 9 Salão de Beleza Fabricantes de Bebidas Vigência PARCELAMENTO

Leia mais

RESUMO DO EDITAL SECULT BA Nº 02/2017 APOIO A AÇÕES CONTINUADAS DE INSTITUIÇÕES CULTURAIS 2017/2010

RESUMO DO EDITAL SECULT BA Nº 02/2017 APOIO A AÇÕES CONTINUADAS DE INSTITUIÇÕES CULTURAIS 2017/2010 RESUMO DO EDITAL SECULT BA Nº 02/2017 APOIO A AÇÕES CONTINUADAS DE INSTITUIÇÕES CULTURAIS 2017/2010 Abril/2017 EDITAL SECULT BA Nº 02/2017 APOIO A AÇÕES CONTINUADAS DE INSTITUIÇÕES CULTURAIS 2017/2010

Leia mais

Notícias Online. Veja nesta edição. 11 de Agosto de Fique por Dentro. tributários

Notícias Online. Veja nesta edição. 11 de Agosto de Fique por Dentro. tributários N º 7 2 3 Notícias Online 11 de Agosto de 2017 Informativo do SINDAC Sindicato das Indústrias de Adubos e Corretivos Agrícolas do Estado de MG Veja nesta edição Rua Bernardo Guimarães, 63/3º andar Funcionários

Leia mais

4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações

4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações 4. INFORMAÇÕES RELATIVAS À EMISSORA Informações Financeiras Selecionadas da Companhia Análise e Discussão da Administração sobre Demonstrações Financeiras e Resultados Operacionais da Emissora Eventos

Leia mais

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 206 Conteúdo - Atos publicados em maio de 2017 Divulgação em junho de 2017

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 206 Conteúdo - Atos publicados em maio de 2017 Divulgação em junho de 2017 www.pwc.com.br Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) - instituição - MP nº 783/2017 ECF - Novo manual de orientação do leiaute - ADE RFB nº 30/2017 Clipping Legis Publicação de legislação

Leia mais

Regulamento do Fundo Social. Sicredi Ouro Verde MT

Regulamento do Fundo Social. Sicredi Ouro Verde MT Regulamento do Fundo Social Área Responsável Gerência de Relacionamento / Diretoria Executiva Substitui e revoga Versão: 1.0 Abrangência Externo Período de Vigência De: 2017 Sumário 1 INTRODUÇÃO... 3 2

Leia mais

MARGEM DE SOLVÊNCIA. Conceito e composição contábil/legal

MARGEM DE SOLVÊNCIA. Conceito e composição contábil/legal MARGEM DE SOLVÊNCIA Conceito e composição contábil/legal CONCEITO DE MARGEM DE SOLVÊNCIA Em termos contábeis solvência é quando os ativos são superiores ao passivo da entidade. A Margem de Solvência é

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N O, DE 2016

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N O, DE 2016 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N O, DE 2016 (Do Sr. EDUARDO CURY) Institui o Programa de Incentivo à Regularização Fiscal do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas

Leia mais

Federação Paulista de. Hóquei e Patinação REVISÃO: 00 (28/03/17)

Federação Paulista de. Hóquei e Patinação REVISÃO: 00 (28/03/17) Federação Paulista de Hóquei e Patinação Leis de Incentivo Fiscal ao Esporte: Quais são e comoo utilizá-las. REVISÃO: 00 (28/03/17) FPHP - Leis de Incentivo Fiscal ao Esporte [2] Conteúdo Leis de Incentivo

Leia mais

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Apoio à Inovação São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Classificação de porte Porte da Empresa MPMEs Micro Pequena Média Grande Receita Operacional Bruta Até R$ 2,4 milhões Até R$ 16 milhões Até R$ 300 milhões

Leia mais

Coprodução Internacional. Projeto Aprovado. Acordos Internacionais MP /01

Coprodução Internacional. Projeto Aprovado. Acordos Internacionais MP /01 Coprodução Internacional Projeto Aprovado MP 2228-1/01 Acordos Internacionais Coprodução Internacional MP 2228-1/01 Art 1º Para fins desta Medida Provisória entende-se como: () V - obra cinematográfica

Leia mais

Refis da Copa Eliminação dos honorários sobre os débitos previdenciários

Refis da Copa Eliminação dos honorários sobre os débitos previdenciários Refis da Copa Eliminação dos honorários sobre os débitos previdenciários Marcelo Alvares Vicente Mestre em Direito Tributário pela PUC/SP, advogado especialista em administração do passivo fiscal, professor

Leia mais

CRITÉRIO PARA A ENTIDADE OBTER O RECURSO

CRITÉRIO PARA A ENTIDADE OBTER O RECURSO CRITÉRIO PARA A ENTIDADE OBTER O RECURSO Ser Entidade Constituída Juridicamente; Realizar programas de atendimento à criança e ao adolescente; Possuir registro no CMDCA- Conselho Municipal dos Direitos

Leia mais

Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos Substituição Tributária das Operações com Lâmpadas Elétricas

Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos Substituição Tributária das Operações com Lâmpadas Elétricas Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4. 13 Substituição Tributária das Operações com Lâmpadas Elétricas Protocolo ICMS 17/1985 Alterações: Protocolo 09/1986, 10/87, 51/91, 08/98, 26/01, 37/01, 42/08,

Leia mais

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES 2009-2014 FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS MINHA CASA, MINHA VIDA - ENTIDADES PMCMV ENTIDADES/ FDS Produção e aquisição de unidades habitacionais

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO

DISTRIBUIÇÃO DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO O COOPERATIVISMO DISTRIBUIÇÃO DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO Produção 3% Consumo 2% Infra-estrutura 2% Transporte 12% Habitacional 5% Mineral 1% 1 Saúde 12% Agropecuário 20% Trabalho 24% Crédito 15% Educacional

Leia mais

OABSP. Temas Jurídicos do Terceiro Setor

OABSP. Temas Jurídicos do Terceiro Setor OABSP Temas Jurídicos do Terceiro Setor Incentivos fiscais Flavia Regina de Souza Oliveira Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados Títulos concedidos pelo Poder Público Título de Utilidade

Leia mais

11/08/2016. Breve histórico do tratamento. GOVERNO: Federal Estadual Municipal. Tratamento diferenciado. Art. 179 GESTÃO DE MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

11/08/2016. Breve histórico do tratamento. GOVERNO: Federal Estadual Municipal. Tratamento diferenciado. Art. 179 GESTÃO DE MICROS E PEQUENAS EMPRESAS GESTÃO DE MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Breve histórico do tratamento Profa. MsC. Célia Regina Beiro da Silveira celiabeiro@expresso.com.br GOVERNO: Federal Estadual Municipal Tratamento diferenciado A Lei

Leia mais

WOOZ ARTE & CULTURA RELATÓRIO FINANCEIRO. Plano Anual Maio de 2012

WOOZ ARTE & CULTURA RELATÓRIO FINANCEIRO. Plano Anual Maio de 2012 WOOZ ARTE & CULTURA RELATÓRIO FINANCEIRO 2 0 1 1 Plano Anual 2010-2011 Maio de 2012 A Wooz Arte & Cultura é uma associação sem fins lucrativos qualificada como organização da Sociedade Civil de Interesse

Leia mais

REGULAMENTO MULTIASSISTÊNCIA CASAS BAHIA (LOJA) PERÍODO DE VIGÊNCIA: 01/07/2015 A PRAZO INDETERMINADO

REGULAMENTO MULTIASSISTÊNCIA CASAS BAHIA (LOJA) PERÍODO DE VIGÊNCIA: 01/07/2015 A PRAZO INDETERMINADO VERSÃO EXTERNA REGULAMENTO MULTIASSISTÊNCIA CASAS BAHIA (LOJA) PERÍODO DE VIGÊNCIA: 01/07/2015 A PRAZO INDETERMINADO DADOS DA PROMOTORA DA PROMOÇÃO USS SOLUÇÕES GERENCIADAS LTDA Alameda Tocantins, 525

Leia mais

DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CUIABÁ MATO GROSSO

DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CUIABÁ MATO GROSSO PROGRAMA DE DIVULGAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA/2016 DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM CUIABÁ MATO GROSSO SETEMBRO/2016 PIR/2016 PALESTRA: FUNDO DO IDOSO Palestrante: Yuiti Shimada Renato Moreira Pinheiro

Leia mais

PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL. Lei nº

PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL. Lei nº PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL Lei nº. 17.247 BASE LEGAL Convênio 51/07 Lei nº. 17.247/07 DEC. 44.695/07 DEC. 44.704/08 O que é: Programa que concede descontos para pagamento de débitos relativos a:

Leia mais

Cidadão PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL CULTURA REGIONAL CENA CULTURAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. entre

Cidadão PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL CULTURA REGIONAL CENA CULTURAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. entre PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL DO ESTADO DE SÃO PAULO CULTURA REGIONAL Produção e exibição em 2009 - Série de TV sobre a Cultura Regional do Estado de São Paulo. Foram abordados 10 temas com mini-histórias

Leia mais

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS Nilson José Goedert Contador 2016 Slide 2 Obrigações Federais para Pessoas Jurídicas em Geral: 1. SPED Sistema Público de Escrituração

Leia mais

O que é um plano de negócio. Prof. Marcio Cardoso Machado

O que é um plano de negócio. Prof. Marcio Cardoso Machado O que é um plano de negócio Prof. Marcio Cardoso Machado Planejamento Definição Um plano de negócio é um documento que descreve por escrito os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para

Leia mais

Plano CV Prevdata. Conheça mais sobre o seu Plano de Previdência Complementar

Plano CV Prevdata. Conheça mais sobre o seu Plano de Previdência Complementar Plano CV Prevdata Conheça mais sobre o seu Plano de Previdência Complementar A entidade Nossos números Patrimônio de R$ 1,1 bilhão (dez/2016) 2 planos de benefícios e plano de gestão administrativa 36

Leia mais

MANUAL DO PATROCINADOR Conselho Regional de Contabilidade - SC 31/08/2016

MANUAL DO PATROCINADOR  Conselho Regional de Contabilidade - SC 31/08/2016 MANUAL DO PATROCINADOR www.manualdopatrocinador.com.br Conselho Regional de Contabilidade - SC 31/08/2016 Panorama Panorama Incentivo Fiscal Estímulos concedidos pelo governo, na área fiscal, para viabilização

Leia mais

Regulamento Bônus Celular

Regulamento Bônus Celular Regulamento Bônus Celular Dados da Promotora: Pernambucanas Financiadora S.A. Crédito, Financiamento e Investimento. CNPJ: 43.180.355/0001-12 Rua da Consolação, 2411, CEP: 01301-100 São Paulo - SP A Pernambucanas

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 25/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 25/2016 ANO XXVII - 2016-3ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 25/2016 IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IRPF - COMUNICAÇÃO DE SAÍDA DEFINITIVA DO PAÍS - 2016 - NORMAS GERAIS... Pág. 360 IMPOSTO DE RENDA

Leia mais

ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor

ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos ITCMD Conceito

Leia mais

VII FÓRUM CATARINENSE DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA

VII FÓRUM CATARINENSE DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA VII FÓRUM CATARINENSE DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA RODOLFO JOAQUIM PINTO DA LUZ PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA Treze Tílias, 10 a 12 de maio de 2017. PAPEL DO ESTADO NA GESTÃO PÚBLICA

Leia mais

Cotação prévia de preço Divulgação Eletrônica Tipo: Menor preço global

Cotação prévia de preço Divulgação Eletrônica Tipo: Menor preço global TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO POR SERVIÇO ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO CENTRO DE REFERÊNCIA PATRIMONIAL E HISTÓRICO DE DUQUE DE CAXIAS (AA-CRPH) E REDE DE MUSEOLOGIA SOCIAL DO RIO DE JANEIRO (REMUS-RJ)

Leia mais

COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS

COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS COELBA COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA REGULAMENTO DE PATROCÍNIO DOS PROJETOS CULTURAIS A Coelba, uma empresa do Grupo Neoenergia, tem consciência do seu importante papel na melhoria da qualidade

Leia mais

Análise Demonstrações Financeiras do Estado de São Paulo

Análise Demonstrações Financeiras do Estado de São Paulo Análise Demonstrações Financeiras do Estado de São Paulo GRUPO: Eduardo Torrecilha Nº USP 663150 José Alves Nº USP 9252317 Marcos Alviano Nº USP 9321432 Vinício Pensa Nº USP 5240539 Estrutura Organizacional

Leia mais

POLÍTICA DE PAGAMENTO DE DIVIDENDOS E/OU JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A

POLÍTICA DE PAGAMENTO DE DIVIDENDOS E/OU JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A POLÍTICA DE PAGAMENTO DE DIVIDENDOS E/OU JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A DICRI/NURIN JUNHO/2017 Política de Pagamento de Dividendos e/ou Juros Sobre Capital Próprio do Índice

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

Comunicação Interna. - Inserção do novo colaborador - Movimento Lojista Nacional - JORNAL MURAL- CIRCULANDO

Comunicação Interna. - Inserção do novo colaborador - Movimento Lojista Nacional - JORNAL MURAL- CIRCULANDO Comunicação Interna - Inserção do novo colaborador - Movimento Lojista Nacional - JORNAL MURAL- CIRCULANDO Comunicação Externa Associados, não associado e comunidade. COMUNICAÇÃO PRESENCIAL: Visitas de

Leia mais

INSTITUTOS DE PREVIDÊNCIA

INSTITUTOS DE PREVIDÊNCIA ABRIL/2017 - Informativo - Edição 04 INSTITUTOS DE PREVIDÊNCIA PRAZO OBRIGAÇÃO FORMA PRESTAÇÃO DE CONTAS LEGISLAÇÃO Até o 5º dia útil Efetuar o pagamento dos salários, relativos ao mês vencido, aos servidores

Leia mais

LEI DE INCENTIVO AO DESPORTO - ASPECTOS TRIBUTÁRIOS

LEI DE INCENTIVO AO DESPORTO - ASPECTOS TRIBUTÁRIOS LEI DE INCENTIVO AO DESPORTO - ASPECTOS TRIBUTÁRIOS 1. Incentivos Federais ao Desporto 2. Incentivos Estaduais e Municipais ao Desporto 1. INCENTIVOS FEDERAIS AO DESPORTO LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE -

Leia mais