Como Transformar Organizações Rígidas em Organizações Inovadoras

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Como Transformar Organizações Rígidas em Organizações Inovadoras"

Transcrição

1 Como Transformar Organizações Rígidas em Organizações Inovadoras Tadeu Cruz Prof. M.Sc.

2 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio sem a expressa autorização do autor. A violação dos direitos de autor (Lei no /73) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.

3 Sir Francis Bacon (1620) Os maiores embaraços e extravagâncias do intelecto provêm da obtusidade, da incompetência e das falácias dos sentidos. E isso ocorre de tal forma que as coisas que afetam os sentidos preponderam sobre as que, mesmo não o afetando de imediato, são mais importantes. Por isso, a observação não ultrapassa os aspectos visíveis das coisas, sendo exígua ou nula a observação das invisíveis.

4 Business Process Management Organizacional Análise, desenho, redesenho, modelagem, melhoria, operacionalização e gerenciamento de processos de negócio. (DOMP) Ferramental Tecnologias da Informação (BPMS)

5 PROJETAR O PRODUTO QUE O PROCESSO DEVE PRODUZIR! Nenhum processo existe sem produzir um produto, que pode ser um bem ou um serviço.

6 Conceito Discussões iniciais Desenvolvimento do projeto Prototipação Especificação de algo que pode ser produzido

7 PROBLEMA Como integrar foreground processes (processos em primeiro plano) e background processes (processos em segundo plano)?

8 A Organização Pessoas Primeiro Plano Segundo Plano Tecnologias da Informação Tecnologias

9 PRIMEIRA DIRETRIZ Os processos executados em primeiro plano devem estar SEMPRE alinhados ao negócio, NUNCA à estrutura organizacional.

10 SEGUNDA DIRETRIZ Os processos em segundo plano são SEMPRE processos que apóiam os processos em primeiro plano. Essa ordem não deve ser invertida NUNCA!

11 TERCEIRA DIRETRIZ Os processos em segundo plano devem ser mapeados, analisados, organizados e gerenciados com o mesmo rigor com que devem ser mapeados, analisados, organizados e gerenciados os processos em primeiro plano.

12 Estrutura Hierárquica

13 A Organização PROCESSOS C PESSOAS TI

14 Redes Sociais

15 Estrutura em Rede

16 Contas a Receber Gerente de Manutenção Diretor Financeiro Contas a Pagar Operador de Torno Diretor de Manutenção Suporte Técnico Atendente de Telemarketing Processo A Vendedor Presidente Tesoureiro Auxiliar de Expedição Gerente de Contabilidade Telefonista Analista Programador Gerente de TI Auxiliar de Estoque Recepcionista Vigilante Entregador Processo B

17 POR QUÊ PROCESSOS? Criar um novo negócio. Produzir um novo bem ou serviço. Melhorar a qualidade do produto. Melhorar a eficiência e a eficácia da Organização. Controlar o uso dos recursos e das tecnologias Motivar pessoas. Etc.

18 Pessoas TIC TIC Informações Capacitação Competência Colaboração Conhecimento Estruturadas 20% Não Estruturadas 80% * Maior parte em papel * Organização / Gestão Metodologia DOMP

19 Pessoas TIC Processos TIC Informações Capacitação Competência Colaboração Conhecimento Mapeamento Modelagem Melhoria Implantação Estruturadas 20% Não Estruturadas 80% * Maior parte em papel * Organização / Gestão Metodologia DOMP

20 O PROCESSO DE NEGÓCIO OBJETIVO(S) DO PROCESSO CADEIA DE REQUERIMENTOS OU REQUISITOS (dos Clientes) atividade atividade atividade atividade A B C D FORNECEDORES (externos) Fornecedores e Clientes (internos) CLIENTES (externos) CADEIA DE CONFORMIDADES (com os Clientes)

21 ATIVIDADE PROCESSO de NEGÓCIO PROCESSO (Conjunto de subprocessos) SUBPROCESSO (Conjunto de Atividades) SUB-PROCESSO (Conjunto de Atividades) ATIVIDADE ATIVIDADE ATIVIDADE (Cadeia de Eventos) PROCESSO (Conjunto de Atividades) ATIVIDADE Evento Evento Evento Evento Evento EVENTO ((pode ser uma) Cadeia de Micro-Eventos) CLIENTE(S) FINAL(IS) DO PROCESSO Micro-Evento Micro-Evento Micro-Evento Micro-Evento ATIVIDADE ATIVIDADE Clientes Externos Clientes Internos Fornecedores Externos Fornecedores Internos Atividades Eventos Papeis Funcionais Procedimentos Tarefas Metas Indicadores de Desempenho Regras de Negócio Exceções Anomalias Tempos Rotas

22 A organização ENGESSA a organização? (sim ou não?) DOC!

23 Elemento PESSOAS + -

24 METODOLOGIA DOMP Análise Inicial Análise do Processo Atual As Is Modelagem do Novo Processo Will Be Implantação do Novo Processo... Gerenciamento do Processo Ponto de Controle Ponto de Controle Ponto de Controle Ponto de Controle t Variável t Cíclico

25

26 MUITAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO... Electronic Document Management Knowledge Management Business Intelligence Computer Output on Laser Disc Data Warehouse Supply Chain Management Efficient Consumer Response Customer Relationship Management Enterprise Content Management Workflow Workgroup Enterprise Resource Planning - EDM - - BI - COLD - DW - SCM - ECR - CRM - ECM - Wkf - Wkg - ERP

27

28 Ferramentas para Modelagem de Organizações Ferramentas para Desenho, Redesenho e Modelagem de Processos Ferramentas para Modelagem de Processos Ferramentas para Simulação SMTP POP Ferramentas para Estatística Integração - Independente Web Service (WS). Ferramentas para Gerenciamento de Regras de Negócio Aplicações de BPM Ferramentas para Monitoração de Processos Motor(es) do Motor(es) Workflow do Motor(es) Workflow do Workflow Simple Object Access Protocol (SOAP) Universal Description Discovery and Integration (UDDI). Motor(es) do Motor(es) Workflow do Motor(es) Workflow do Workflow Outros Serviços de ativação do Workflow Serviços de ativação do Workflow Ferramentas para Desenvolvimento de Software Web Services Description Language (WSDL) Linguagens BPMS XML, BPEL, BPML Ferramentas EAI Ferramentas SOA Ferramentas para gerenciamento do ambiente Workflow. Clients Servidores de Aplicações

29 Atividades A1 A1 A3 A4 A5 A6 A7 SOA Processos em Primeiro Plano CRM SOA SOA SOA BI Workflow SOA EDMS Service-Oriented Architecture (Enterprise Application Integration) SOA SOA SOA SOA Processos em Segundo Plano SOA SCM SOA ECR SOA SOA DW SOA SOA CM SOA ERP COLD

30

31 Câmara Municipal de São Paulo Secretarias da Fazenda do Estado de São Paulo do Estado do Ceará Instituto de Previsión Social del Paraguay Clear Channel USA Fabio Perine Máquinas Brasil e Itália Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS Certegy Meios de Pagamento Procuradoria Geral da Fazenda Nacional Procuradoria Regional da Fazenda Nacional em São Paulo Porto Açegre Rio e Recife. TJ - Rio

32 MUITO OBRIGADO Meu

COMO AUMENTAR A PRODUTIVIDADE DA SUA EMPRESA E A QUALIDADE DOS SEUS PRODUTOS POR MEIO DO CONTROLE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc.

COMO AUMENTAR A PRODUTIVIDADE DA SUA EMPRESA E A QUALIDADE DOS SEUS PRODUTOS POR MEIO DO CONTROLE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. COMO AUMENTAR A PRODUTIVIDADE DA SUA EMPRESA E A QUALIDADE DOS SEUS PRODUTOS POR MEIO DO CONTROLE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução

Leia mais

Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM Marcos Sganderlla Henrique Brodbeck

Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM Marcos Sganderlla Henrique Brodbeck Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM Marcos Sganderlla Henrique Brodbeck Agosto, 2013 Modelos de negócio Processos de negócio Modelos de processos de negócio 2 Modelo de negócio Descrição formal

Leia mais

Introdução à Gestão de Processos de Negócios

Introdução à Gestão de Processos de Negócios Introdução à Gestão de Processos de Negócios Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2. Semestre de 2016 SSC0531 - Gestão de Sistemas de Informação Slides inicialmente preparados por Roberto Rocha e Prof. João

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Apresentação do Plano de Ensino. Luiz Leão

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Apresentação do Plano de Ensino. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Quem sou eu? Site: http://www.luizleao.com Introdução Para aprender a Gerir, Conceber, Desenvolver, Testar, avaliar a qualidade, avaliar a segurança,

Leia mais

contidos na descrição do serviço para localizar, contactar e chamar o serviço. A figura mostra os componentes e a interação entre eles.

contidos na descrição do serviço para localizar, contactar e chamar o serviço. A figura mostra os componentes e a interação entre eles. Web Services Web Service é um componente de software identificado por uma URI que independe de implementação ou de plataforma e pode ser descrito, publicado e invocado sobre uma rede por meio de mensagens

Leia mais

BPMN e BPMS. Ad, Décio, Marcos, Yuri

BPMN e BPMS. Ad, Décio, Marcos, Yuri BPMN e BPMS Ad, Décio, Marcos, Yuri BPM - Business Process Management Surgimento Contexto Conceito Prós e Contras Ciclo de vida Design Modelagem Execução Monitoramento Otimização Reengenharia BPMn - Business

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Lista de Exercícios 02. Luiz Leão

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Lista de Exercícios 02. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Exercício 01 Conceitue e-business e quais o seu principal objetivo? Exercício 01 Resposta Conceitue e-business e quais o seu principal objetivo? É todo

Leia mais

INFORMÁTICA. Instruções: Para responder às questões de números 71 e 72, considere o texto a seguir:

INFORMÁTICA. Instruções: Para responder às questões de números 71 e 72, considere o texto a seguir: INFORMÁTICA Prova de Agente Fiscal de Rendas do ICMS-SP/2013 - FCC. Por Ana Lucia Castilho* Instruções: Para responder às questões de números 71 e 72, considere o texto a seguir: A equipe de TI da empresa

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais

Sistemas de Informação Gerenciais Sistemas de Informação Gerenciais Seção 1.2 Conceitos e perspectivas em SI Seção 1.3 Classificação dos SI 1 EMPRESA E TECNOLOGIA 2 Contexto Já perceberam que as empresas no mundo moderno estão relacionadas

Leia mais

Gestão Por Processos. Prof. Me. Silvio Mota Fone:

Gestão Por Processos. Prof. Me. Silvio Mota Fone: Gestão Por Processos Prof. Me. Silvio Mota Fone: 55 11 3285 6539 contato@daryus.com.br Biografia Mestre em Administração de Empresas, Pós Graduado em Análise de Sistemas, atua no mercado prestando consultoria

Leia mais

Curso Mapeamento de Processos com BPMN

Curso Mapeamento de Processos com BPMN UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ Curso Mapeamento de Processos com BPMN 13, 14 e 15 de fevereiro (12 horas) Horário: 14 às 18 h Prof. Dr. Cláudio Márcio Mendonça cmarcio@gmail.com 1 PROCESSOS BPM / BPMN 13/2

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Processo Demoiselle para Modelagem de Negócio Palestrantes: Alisson Wilker alisson-wilker.silva@serpro.gov.br http://www.frameworkdemoiselle.gov.br/projetos/process 00/00/0000 Agenda

Leia mais

Aumentando a Produtividade e Reduzindo os Custos da Fábrica. Antonio Cabral

Aumentando a Produtividade e Reduzindo os Custos da Fábrica. Antonio Cabral Aumentando a Produtividade e Reduzindo os Custos da Fábrica Antonio Cabral acabral@maua.br Roteiro Desafio; Sistemas; O custo e o valor do controle de processo; Mapeamento; Principais indicadores usados

Leia mais

Aula 12 Modelagem de Processos de Negócio Prof. Filipe Wall Mutz

Aula 12 Modelagem de Processos de Negócio Prof. Filipe Wall Mutz Aula 12 Modelagem de Processos de Negócio Prof. Filipe Wall Mutz Introdução Devido a dinâmica do mundo dos negócios, empresas frequentemente se veem com processos obsoletos e ineficientes. Novas tecnologias

Leia mais

Aplicativos Integrados. Profa. Dra. Ellen Francine Barbosa PAE Lívia Castro Degrossi

Aplicativos Integrados. Profa. Dra. Ellen Francine Barbosa PAE Lívia Castro Degrossi Aplicativos Integrados Profa. Dra. Ellen Francine Barbosa PAE Lívia Castro Degrossi Aplicativos Integrados ERP (Enterprise Resource Planning) CRM (Consumer Relationship Management) SCM (Supply Chain Management)

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais

Sistemas de Informação Gerenciais Sistemas de Informação Gerenciais Seção 2.2 Sistemas Empresariais: ERP SCM 1 Sistema empresarial Constitui uma estrutura centralizada para uma organização e garante que as informações possam ser compartilhadas

Leia mais

Curso Gestão de Documentos e Registros

Curso Gestão de Documentos e Registros Curso Gestão de Documentos e Registros Objetivos Apresentar o fluxo documental e o processo de gestão documental nas organizações; Conceituar a Tipologia de Documentos; Apresentar os aspectos de Taxonomia,

Leia mais

Oficina - Gestão por Processos

Oficina - Gestão por Processos Oficina - Gestão por Processos Isaac da Silva Torres João Francisco da Fontoura Vieira 02/09/2015 Escritório de Processos 1 Tópicos Nesta oficina, apresentaremos a Gestão por Processos e a sua relação

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO SOFTWARES DE SEGMENTO P LÁS TIC O S E DE EMBALAGENS CSW PLÁSTICOS E EMBALAGENS Empresas que atuam neste segmento necessitam de planejamento e gerenciamento com especial atenção na produção para o controle,

Leia mais

Sistemas de Informação e Decisão II. Douglas Farias Cordeiro

Sistemas de Informação e Decisão II. Douglas Farias Cordeiro Sistemas de Informação e Decisão II Douglas Farias Cordeiro Processos As empresas são grandes coleções de processo! Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo. Não existe

Leia mais

Oficina - Gestão por Processos

Oficina - Gestão por Processos Oficina - Gestão por Processos Isaac da Silva Torres João Francisco da Fontoura Vieira 02/09/2015 Escritório de Processos 1 Tópicos Nesta oficina, apresentaremos a Gestão por Processos e a sua relação

Leia mais

O papel estratégico das tecnologias nas organizações Aula 5

O papel estratégico das tecnologias nas organizações Aula 5 O papel estratégico das tecnologias nas organizações Aula 5 Marta Kerr Pinheiro martakerr@gmail.com Informação de valor e TIs Força do suporte Competência técnica Potencializar o conhecimento organizacional.

Leia mais

Modelagem de Processos

Modelagem de Processos Modelagem de Processos Prof. Reginaldo Gotardo UNISEB Centro Universitário 30/7/2013 Recados importantes Pré-aula Fóruns Mensagens Material auxiliar Estudos e leituras complementares Plantões Roteiros

Leia mais

Av Therezinha Pauletti Sanvitto,208 / SL 602 Caxias do Sul - RS - CEP Fone (54) e 3226.

Av Therezinha Pauletti Sanvitto,208 / SL 602 Caxias do Sul - RS - CEP Fone (54) e 3226. http://www.fullsoft.com.br/ Av Therezinha Pauletti Sanvitto,208 / SL 602 Caxias do Sul - RS - CEP 95110-195 Fone (54) 3029.9350 e 3226.1100 Agenda Empresa Fullsoft; Contextualização; Case Processo de Suporte

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO SOFTWARES DE SEGMENTO MOVELEIRO CSW MOVELEIRO Um segmento que pede boas ferramentas de controle de estoques, demandas, pedidos e processos precisa de soluções seguras e eficientes para otimizar as rotinas

Leia mais

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS.

Prof. Fulvio Cristofoli CONCEITOS. CONCEITOS Prof. Fulvio Cristofoli fulviocristofoli@uol.com.br www.fulviocristofoli.com.br O QUE VAMOS APRENDER... Estratégia Administração Estratégica Planejamento Estratégico Decisão Estratégica Eficiência

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE DISCIPLINAS DAS SÉRIES ANTERIORES ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE GESTÃO ESTRATEGICA GESTÃO FINANCEIRA AVANÇADA LOGISTICA

Leia mais

Aula 1. Noções Básicas sobre Processos. Prof. Carina Frota Alves

Aula 1. Noções Básicas sobre Processos. Prof. Carina Frota Alves Aula 1 Noções Básicas sobre Processos Prof. Carina Frota Alves 1 O que significa BPM? BPM Business Process Modelling BPM Business Process Management Em geral, iniciativas BPM referem-se ao ciclo de vida

Leia mais

O que não pode faltar em seus projetos de BI. Neimar Chagas

O que não pode faltar em seus projetos de BI. Neimar Chagas O que não pode faltar em seus projetos de BI Neimar Chagas Consultor de Business Intelligence e Professor. Especialista em projetos de BI com Pentaho. Especialista em Integração de Dados e Data Warehouse

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO TÊXTIL. CONSISTEM

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO TÊXTIL. CONSISTEM SOFTWARES DE SEGMENTO TÊXTIL CSW TÊXTIL (CONFECÇÃO, TECELAGEM E TINTURARIA) O segmento têxtil e suas ramificações movimentam uma fatia considerável da economia brasileira. Gera milhares de empregos diretos

Leia mais

Aula 12 -QS -Engenharia de SW Orientada a Serviço

Aula 12 -QS -Engenharia de SW Orientada a Serviço Aula 12 -QS - Engenharia de SW Orientada a Serviço Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Roteiro Contexto Arquiteturas Orientadas a Serviços Engenharia de Serviços Desenvolvimento de Software

Leia mais

GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 07: Tecnologia da Informação

GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 07: Tecnologia da Informação GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 07: Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Ao final dessa aula o aluno deverá conhecer: Informações e cadeia de suprimentos; Níveis da cadeia de suprimentos

Leia mais

Sistemas de Informação na Empresa

Sistemas de Informação na Empresa Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 04 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO SOFTWARES DE SEGMENTO ALIMENTÍCIO CSW ALIMENTÍCIO Empresas que atuam neste segmento necessitam de planejamento e gerenciamento com especial atenção na produção para o controle, redução de custo e melhoria

Leia mais

Apresentação... XI Introdução Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo Dado Informação Conhecimento...

Apresentação... XI Introdução Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo Dado Informação Conhecimento... Sumário Apresentação... XI Introdução... 1 1 Dado, Informação e Conhecimento: A Base de Tudo... 3 1.1 Dado... 3 1.2 Informação... 4 1.3 Conhecimento... 6 2 Dados X Informações X Conhecimento... 7 3 Gestão

Leia mais

Enterprise Application Integration (EAI)

Enterprise Application Integration (EAI) Enterprise Application Integration (EAI) Histórico Sistemas de Informação (SI) muito caros As empresas passaram a contar com mais de um SI July Any Rizzo Oswaldo Filho Informações perdidas por falta de

Leia mais

Sistemas de informação aula 03

Sistemas de informação aula 03 Sistemas de informação aula 03 Sistemas? Informação ou conhecimento Informação Conjunto de procedimentos organizados que quando executados provem informação de suporte a organização [amaral-1994] Conhecimento

Leia mais

Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning)

Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) O que significa ERP? ERP - Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais) são sistemas de informações que integram todos os dados e processos

Leia mais

TQM Total Quality Management

TQM Total Quality Management TQM Total Quality Management Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT O que é TQM? Administração da Qualidade Total total quality management (TQM) Pode ser visto como uma extensão lógica da maneira como a

Leia mais

Processos Mapeamento, Análise e Normatização. Métricas de mensuração dos processos. Métricas de Mensuração. Aula 03. Prof.

Processos Mapeamento, Análise e Normatização. Métricas de mensuração dos processos. Métricas de Mensuração. Aula 03. Prof. Processos Mapeamento, Análise e Normatização Métricas de mensuração dos processos Aula 03 Prof. Frank Pizo Métricas de Mensuração Mensurar: 1. Determinar a medida de; medir. 2. Determinar a extensão ou

Leia mais

Introdução a Web Services

Introdução a Web Services Introdução a Web Services Mário Meireles Teixeira DEINF/UFMA O que é um Web Service? Web Service / Serviço Web É uma aplicação, identificada por um URI, cujas interfaces podem ser definidas, descritas

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Gestão de Sistemas de Informação

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Gestão de Sistemas de Informação INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Gestão de Sistemas de Informação Setembro 2016 UNIDADES CURRICULARES DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GSI Os objetivos e os conteúdos a cobrir

Leia mais

ADO. Módulo 5. MRP - Material Requirements Planning MRP II - Manufactoring Resurce Planning ERP - Enterprise resource planning

ADO. Módulo 5. MRP - Material Requirements Planning MRP II - Manufactoring Resurce Planning ERP - Enterprise resource planning ADO Administração de Empresas 4 Per. Módulo 5 MRP - Material Requirements Planning MRP II - Manufactoring Resurce Planning ERP - Enterprise resource planning O Que é MRP MRP é a sigla para Material Requirements

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa Prof. Marcelo de Sá Barbosa LISTA DE EXERCÍCIOS GRUPO 1: MÓDULO 1: Caracterização de Sistemas Distribuídos; Internet; Intranets; Computação Móvel e Ubíqua; Compartilhamento de recursos e a web; Serviços

Leia mais

MELHORIA DO DESEPENHO A PARTIR DA GESTÃO POR INDICADORES DE DESEMPENHO. Alexandre Fanfa Ribas Sócio

MELHORIA DO DESEPENHO A PARTIR DA GESTÃO POR INDICADORES DE DESEMPENHO. Alexandre Fanfa Ribas Sócio MELHORIA DO DESEPENHO A PARTIR DA GESTÃO POR INDICADORES DE DESEMPENHO Alexandre Fanfa Ribas Sócio alexandrefanfa@falconi.com Pensamento Sistêmico Indicadores de Desempenho Lacunas e Metas Planos de Ação

Leia mais

Componentes de SIs. Pessoas Organiz. Tecnologia

Componentes de SIs. Pessoas Organiz. Tecnologia Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 03 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC UNIDADE 03

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC UNIDADE 03 UNIDADE 03 / AULA 06 UNIDADE 03 Apostila Estácio Sociedade da Informação de Demerval L. Polizelli e Adalton M. Ozaki, 1ª Edição/2007 1 INTRODUÇÃO 2 A Revolução Digital marca o fim da uma Sociedade Industrial

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto Prof. Andréa Cristina dos Santos, Dr. Eng. andreaufs@gmail.com

Leia mais

Projeto Mapeamento de Processos da DIRAP Diretoria de Administração e Planejamento

Projeto Mapeamento de Processos da DIRAP Diretoria de Administração e Planejamento Diretoria de Administração e Planejamento Priscila Paiva Renata Paz Valéria Marques Roteiro: 1 Histórico da DIRAP/CEFET; Estruturação da Equipe; Escolha da Gestão por Projetos; O que é processo; Nosso

Leia mais

Modelo Corporativo MERCADO COMITÊ DE AUDITORIA/ CONSELHO FISCAL. Auditoria interna. Fraude, controles e divulgação. Auditoria obrigatória

Modelo Corporativo MERCADO COMITÊ DE AUDITORIA/ CONSELHO FISCAL. Auditoria interna. Fraude, controles e divulgação. Auditoria obrigatória Modelo Corporativo MERCADO Ética Corporativa Governança Corporativa CO ONTROLES INTERNOS Conselho de Administração Administração Sustentação Empresarial Funcionários COMITÊ DE AUDITORIA/ CONSELHO FISCAL

Leia mais

PAINEL 2: RELACIONAMENTO SUPRIMENTOS E FORNECEDORES - CONSTRUTORES DE NEGÓCIOS

PAINEL 2: RELACIONAMENTO SUPRIMENTOS E FORNECEDORES - CONSTRUTORES DE NEGÓCIOS 24 de outubro de 2016 PAINEL 2: RELACIONAMENTO SUPRIMENTOS E FORNECEDORES - CONSTRUTORES DE NEGÓCIOS Prof. Fabio Cerquinho PhD IESE Business School Coordenador dos Programas de Estratégia de Compras -

Leia mais

Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP

Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP AULA 09 Customer Relationship Management (CRM) Prof. Dr. Joshua Onome

Leia mais

Cadeia de Suprimentos. Aula 1. Contextualização. O que é Supply Chain Management? Prof. Luciano José Pires

Cadeia de Suprimentos. Aula 1. Contextualização. O que é Supply Chain Management? Prof. Luciano José Pires Cadeia de Suprimentos Aula 1 Contextualização Prof. Luciano José Pires O que é Supply Chain Management? Atual e futuro A Logística é uma das atividades econômicas mais antigas e também um dos conceitos

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação O uso consciente da tecnologia para o gerenciamento Prof. Msc. Christien Lana Rachid Organização 1. Vínculo Administração-Tecnologia 2. Introdução a sistemas 3. Empresas e Sistemas

Leia mais

Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP

Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Contabilidade e Atuária EAC FEA - USP AULA 10 Supply Chain Management (SCM) Prof. Dr. Joshua Onome Imoniana

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO ERP

SISTEMA DE GESTÃO ERP SISTEMA DE GESTÃO ERP DEFINIÇÃO, CONCEITUAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE BPM E TÉCNICAS DE MODELAGEM DE PROCESSOS Walison de Paula Silva Agenda BPM MODELAGEM DE PROCESSOS Sistemas de Gestão ERP BPM - Business

Leia mais

OBJETIVOS DETERMINAM OS ALVOS QUE A EMPRESA PRETENDE ATINGIR E SÃO DEFINIDOS EM TERMOS QUANTITATIVOS. OBJETIVOS:

OBJETIVOS DETERMINAM OS ALVOS QUE A EMPRESA PRETENDE ATINGIR E SÃO DEFINIDOS EM TERMOS QUANTITATIVOS. OBJETIVOS: Por: Dorival Paula Trindade, Prof. Ms. GESTÃO versus OBJETIVOS e METAS OBJETIVOS DETERMINAM OS ALVOS QUE A EMPRESA PRETENDE ATINGIR E SÃO DEFINIDOS EM TERMOS QUANTITATIVOS. OBJETIVOS: Exemplos de uma empresa

Leia mais

S T E M A I N T E G R A D O A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMINISTRAÇÃO DE SUA EMPRESA Indústria Comércio Serviço

S T E M A I N T E G R A D O A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMINISTRAÇÃO DE SUA EMPRESA Indústria Comércio Serviço S A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMNSTRAÇÃO DE SUA EMPRESA ndústria Comércio Serviço S O GestãoPro foi desenvolvido para atender as empresas que atuam nos setores da indústria, comércio e serviço. O grande diferencial

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas

Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2012 Paradigmas e Processo de Software Engenharia de Software: Abrangência Engenharia de Software possui

Leia mais

FAB implanta sistema para unificar os processos de Logística: o SILOMS (Sistema Integrado de Logística de Material e de Serviços)

FAB implanta sistema para unificar os processos de Logística: o SILOMS (Sistema Integrado de Logística de Material e de Serviços) FAB implanta sistema para unificar os processos de Logística: o SILOMS (Sistema Integrado de Logística de Material e de Serviços) MAIO/2016 Perfil A missão constitucional da Força Aérea Brasileira (FAB)

Leia mais

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação Contatos: E-mail: profanadeinformatica@yahoo.com.br Blog: http://profanadeinformatica.blogspot.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/anapinf Concurso da Prefeitura São Paulo Curso Gestão de Processos,

Leia mais

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Marlene Silva YPÊ Curitiba 05/12/12 Quem Somos Marca líder no segmento de higiene e limpeza no Brasil, a Ypê possui uma linha

Leia mais

Apresentação do Capítulo 4 MDA (Model-Driven Archtecture) ALUNO: DOMENICO SCHETTINI FILHO NÚMERO USP:

Apresentação do Capítulo 4 MDA (Model-Driven Archtecture) ALUNO: DOMENICO SCHETTINI FILHO NÚMERO USP: Apresentação do Capítulo 4 MDA (Model-Driven Archtecture) ALUNO: DOMENICO SCHETTINI FILHO NÚMERO USP: 8429016 Definição de MDA OMG (Object Management Group) propôs uma aplicação abrangente das práticas

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Sistemas de Telecomunicações. Disciplina: Fundamentos de Sistemas Multimídia.

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Sistemas de Telecomunicações. Disciplina: Fundamentos de Sistemas Multimídia. Universidade Federal Fluminense Mestrado em Sistemas de Telecomunicações Disciplina: Fundamentos de Sistemas Multimídia Web Services Aluno: Leonardo Severo Alves de Melo leonardo.severo@ig.com.br Introdução

Leia mais

Soluções integradas SOLUÇÕES LOGÍSTICAS EMBALAGEM PROJETOS ESPECIAIS

Soluções integradas SOLUÇÕES LOGÍSTICAS EMBALAGEM PROJETOS ESPECIAIS Soluções integradas SOLUÇÕES LOGÍSTICAS EMBALAGEM PROJETOS ESPECIAIS O resultado do nosso trabalho reflete os nossos valores. Somos uma empresa jovem, criada em 2010, com uma visão inovadora, aliada a

Leia mais

Analista de Negócio 3.0

Analista de Negócio 3.0 Conteúdo do Primeiro Módulo Fundamentos da Análise de Negócio: Neste módulo apresentaremos os principais problemas que afetam a maioria das empresas, por que as empresas precisam de um profissional como

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

Desenvolva passo a passo um Sistema Web seguro com C# e Web Services!

Desenvolva passo a passo um Sistema Web seguro com C# e Web Services! Desenvolva passo a passo um Sistema Web seguro com C# e Web Services! Indo além do Desenvolvimento Desktop do módulo anterior, desenvolva nesse curso Aplicações Web de alta performance e agilidade através

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini   / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SIG Aula N : 06 Tema: Fundamentos da inteligência

Leia mais

Anexo H. Modelo de Referência de Aplicações

Anexo H. Modelo de Referência de Aplicações Anexo H Modelo de Referência de Aplicações v 2.0 Setembro - 2016 1 2 Informações do Documento Título do Documento: Modelo de Referência de Aplicações Versão: 2.0 Versão Final Setembro/16 Data de Publicação:

Leia mais

Ricardo Augusto Bordin Guimarães Auditoria Administrativa Hospitalar ricardo@rgauditoria.com.br (51) 9841.7580 www.rgauditoria.com.br www.twitter.com/ricardorgaud Qualidade e Gestão em Saúde através da

Leia mais

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira

Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Maria da Conceição B.de Rezende Ladeira Junho/2016 ADMINISTRAÇAO PÚBLICA Transparência; Governança; Indicadores de Resultados alinhados a estratégias dos governos; Qualidade do gasto público;... Novo cenário

Leia mais

Informática e as Organizações

Informática e as Organizações Informática e as Organizações Prof. Gerson Volney Lagemann Tecnologia da Informação - TI A TI e seus emergentes recursos evoluíram muito nesses últimos 45 anos, Inovou na formação das pessoas e na gestão

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA /1

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA /1 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO NA ÁREA DE INFORMÁTICA: HABILITAÇÃO TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2008/1 DC 9481 03/10/07 Rev. 00 1. Dados Legais Autorizado pelo Parecer 278 do Conselho

Leia mais

Gestão Estratégica da Qualidade

Gestão Estratégica da Qualidade UNIVERSIDADE DE SOROCABA Curso Gestão da Qualidade Gestão Estratégica da Qualidade Professora: Esp. Débora Ferreira de Oliveira Aula 2 16/08 Objetivo: relembrar o que foi dado, tirar possíveis dúvidas

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação. Prof Wellington

Administração de Sistemas de Informação. Prof Wellington Administração de Sistemas de Informação Prof Wellington 1 Metodologia Participação em Sala de aula 0,5 SEMINÁRIO SIG-RH 1,5 DESAFIOS e AVALIAÇÃO CONTINUADA www.maestrocarreira.com.br 2 PROVA OFICIAL 6

Leia mais

Organização orientada por processos

Organização orientada por processos Organização orientada por processos Leandro Jesus VP Associações ABPMP Brasil as.abpmp.br@gmail.com 21 25615619 21 99790945 O Palestrante Leandro Jesus: Sócio-Diretor da ELO Group, consultoria especializada

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P : O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 CUSTOS NO SETOR PÚBLICO: P Diversidade de visões. Objetivos - custo para otimização de resultados, para melhoria de

Leia mais

Programa Operações Logísticas e Supply Chain ESPM/SENAI-MS. Manual do Curso

Programa Operações Logísticas e Supply Chain ESPM/SENAI-MS. Manual do Curso Programa Operações Logísticas e Supply Chain ESPM/SENAI-MS Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2017 Apresentação Oferece aos profissionais, que atuam nas indústrias e serviços, visão ampla de

Leia mais

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS. Prof. Fabiano Papaiz IFRN

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS. Prof. Fabiano Papaiz IFRN RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS Prof. Fabiano Papaiz IFRN O RUP recomenda as seguintes práticas que devem ser utilizadas no desenvolvimento de um software: 1. Desenvolver de forma iterativa

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Unidade III - Sistemas de Gestão Empresarial. Luiz Leão

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Unidade III - Sistemas de Gestão Empresarial. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 3.1 e-business: Negócios eletrônicos 3.2 ERP - Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais) 3.3 CRM -

Leia mais

SAD-GMAF Sistema de Avaliação do Desempenho da Gestão da Manutenção de Activos Físicos Rui Assis 2014

SAD-GMAF Sistema de Avaliação do Desempenho da Gestão da Manutenção de Activos Físicos Rui Assis 2014 SAD-GMAF Sistema de Avaliação do Desempenho da Gestão da Manutenção de Activos Físicos Rui Assis 2014 rassis@rassis.com http://www.rassis.com O problema O desempenho de instalações e de equipamentos é

Leia mais

Termos de Referência para serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Transito

Termos de Referência para serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Transito Termos de Referência para serviços especializados de consultoria Individual na área de Especialista em Transito Projeto de Modernização Fiscal do Tocantins (PMF/TO) Banco Interamericano de Desenvolvimento

Leia mais

UML Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada

UML Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada UML Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada Prof. Gilberto Porto e-mail: porto@gilbertoporto.com.br A linguagem UML n UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO I D E N T I F I C A Ç Ã O Departamento: Sistemas de Informação Disciplina: Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Pré-Requisitos: - CH: 7 Curso: Bacharelado em Sistemas de Informação Semestre: 2011/2

Leia mais

Tecnologia da Informação Aplicado à Logística. Sistema de Informação

Tecnologia da Informação Aplicado à Logística. Sistema de Informação Tecnologia da Informação Aplicado à Logística Prof. Leonardo Rocha Definição Conjunto de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam (processo) e disseminam (saída) dados

Leia mais

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa Certificate in Business and People Management - CBPM. Nome completo

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa Certificate in Business and People Management - CBPM. Nome completo Certificate in Business and People Management - CBPM Nome completo PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE EQUIPE: TÍTULO DO PROJETO São Paulo 2016 Nome do Autor(a) PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE EQUIPE: TÍTULO DO PROJETO

Leia mais

Workflow. 8/28/2003 José Alves Marques. Definição

Workflow. 8/28/2003 José Alves Marques. Definição Workflow Definição Automatização de processos ou de percursos de trabalho nos quais são passados documentos, informação ou tarefas segundo determinadas regras ou procedimentos de um participante para outro.

Leia mais

Sistemas de Informação na Produção

Sistemas de Informação na Produção Sistemas de Informação na Produção Sistemas e-business e sistemas de apoio a decisão. Classes de e-business. Aula 2 - Questões para Refletir (1) Que tipo de BD a sua empresa possui? Centralizado ou Distribuído?

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2009

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2009 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2009 Área de Tecnologia da Informação: TI descentralizada (Equipes: Fras-le e Randon Implementos, além de recursos alocados nas demais empresas do Grupo); Falta de uma gestão de

Leia mais

Bonita BPM uma solução inovadora para gerenciar o seu processo de negócio

Bonita BPM uma solução inovadora para gerenciar o seu processo de negócio 60 Resumos Expandidos: XII Mostra de Estagiários e Bolsistas... Bonita BPM uma solução inovadora para gerenciar o seu processo de negócio Douglas Alves Rodrigues¹ Luciana Alvim Santos Romani² Resumo: Neste

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 5 (pág. 136 - PLT) Fundamentos da Inteligência de Negócios:

Leia mais

Sistema de informação integrada. Ana Paula Domingos

Sistema de informação integrada. Ana Paula Domingos Sistema de informação integrada Ana Paula Domingos ERP (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING * ) Os sistemas integrados de gestão, ou ERP (Enterprise Resource Planning) são apresentados algumas vezes como solução

Leia mais

PROJETOS. Reduza seus Custos com TI sem perder a qualidade.

PROJETOS. Reduza seus Custos com TI sem perder a qualidade. PROJETOS Reduza seus Custos com TI sem perder a qualidade. Conheça a FNC IT A FNC é uma empresa especializada em oferecer soluções completas e dinâmicas em tecnologia da informação para o mercado corporativo,

Leia mais

ANEXO VII Perfil para futuros concursos de TI da UNIFESP

ANEXO VII Perfil para futuros concursos de TI da UNIFESP ANEXO VII Perfil para futuros concursos de TI da UNIFESP Proposição de perfil para futuros concursos de TI da UNIFESP (ainda não foi utilizado) 174 Perfil para futuros concursos de TI da UNIFESP 1º. Cargo:

Leia mais

PAPEL E CELULOSE. Assim, sua empresa garante maior competitividade para assumir um papel cada vez mais importante no mercado.

PAPEL E CELULOSE. Assim, sua empresa garante maior competitividade para assumir um papel cada vez mais importante no mercado. Segmento MANUFATURA PAPEL E CELULOSE Para a sua empresa de papel e celulose, as soluções de software de gestão para o segmento de manufatura da TOTVS oferecem fluidez na informação e nos fluxos de trabalho.

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE BPM E SOA PARA O GERENCIAMENTO DE NEGÓCIOS DAS EMPRESAS

A UTILIZAÇÃO DE BPM E SOA PARA O GERENCIAMENTO DE NEGÓCIOS DAS EMPRESAS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Ricardo Takazu Hatae A UTILIZAÇÃO DE BPM E SOA PARA O GERENCIAMENTO DE NEGÓCIOS DAS EMPRESAS SÃO PAULO 2016 Ricardo Takazu Hatae A UTILIZAÇÃO

Leia mais