Parte II. Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web. Roteiro. z Usabilidade. z Interatividade. z Comunicabilidade. Conceitos Problemas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parte II. Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web. Roteiro. z Usabilidade. z Interatividade. z Comunicabilidade. Conceitos Problemas"

Transcrição

1 Parte II Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web Roteiro z Usabilidade Conceitos Problemas z Interatividade Modelo teórico Técnicas e diretrizes z Comunicabilidade Modelo teórico Técnicas e diretrizes

2 Usabilidade z Qualidade que avalia a utilização de um sistema O que fazer? Como fazer? z Facilidade de Uso O usuário comete poucos erros durante a interação? z Facilidade de Aprendizado O usuário aprende rápido? O usuário memoriza o que aprendeu? z Produtividade O usuário faz suas tarefas com rapidez? z Flexibilidade A interface oferece alternativas de interação? z Satisfação O usuário gosta de utilizar o sistema? Usabilidade em Sistemas Web 2 TXH ID]HU" &RPR XVDU"

3 Problemas de Usabilidade exemplo 1 4XHUR OLYURV VREUH /HLWH (X QmR VRX GH SHUGHU WHPSR 9RX ID]HU XPD SHVTXLVD UiSLGD XVXiULR Problemas de Usabilidade exemplo 2 2 TXH VLJQLILFD HVWH UHVXOWDGR" (UD R TXH HX TXHULD"? XVXiULR

4 Problemas de Usabilidade exemplo 3 2 TXH VLJQLILFD HVWH UHVXOWDGR" (UD R TXH HX TXHULD" XVXiULR Exemplos de problemas de usabilidade z O sistema tem a informação ou serviço que eu preciso? z Onde posso encontrar a informação ou o serviço? z Como posso solicitar este serviço? Quais informações devo fornecer? z Qual foi o resultado? Era o que eu queria? z Para que serve este elemento? z O que significa esta figura? z Para onde leva este link?

5 Outros problemas que afetam a Usabilidade z Desempenho A página demora a carregar! O servidor não responde em tempo. A página demora a ser exibida! z Portabilidade Não é exibido corretamente neste browser! A linguagem script não funciona neste browser ou servidor. z Funcionamento Eu mandei os dados, mas o sistema processou errado! Exemplo de problema de funcionamento z Usuário fez uma busca sobre Patins

6 Como resolver os problemas de usabilidade? z Uso de modelos teóricos de IHC z Princípios, métodos e técnicas de design centrado no usuário z Técnicas de interação adequadas às tarefas e aos usuários z Tecnologias de interface apropriadas z Métodos e técnicas de avaliação da usabilidade Engenharia Cognitiva z Modelo de Norman [Norman, 1986] *ROIR GH $YDOLDomR percepção interpretação avaliação LQWHUDomR execução especificação da seqüência de ações formulação da intenção Comece por aqui *ROIR GH ([HFXomR

7 Exemplo do processo de interação percepção $SDUHFHX XPD QRYD WHOD FRP YiULRV QRPHV *ROIR GH $YDOLDomR interpretação 2V GDGRV DSUHVHQWDGRV FRUUHVSRQGHP j EXVFD TXH HX IL]" LQWHUDomR avaliação (QFRQWUHL DV LQIRUPDo}HV TXH HX TXHULD" &RPSOHWHL D WDUHID FRP VXFHVVR" 4XHUR FRPSUDU XP OLYUR VREUH /HLWH $WLYR ERWmR ³3URFXUDU 'LJLWR QRPH GR OLYUR HP ³QRPH GR OLYUR 6HOHFLRQR ³(QYLDU 'HYR VHOHFLRQDU R FRPDQGR GH ³EXVFD H HQWUDU FRP RV GDGRV TXH HX WHQKR 9RX ID]HU XPD FRQVXOWD XVDQGR R VHUYLoR GH EXVFD GR VLVWHPD execução especificação da seqüência de ações formulação da intenção Comece por aqui *ROIR GH ([HFXomR Design da Interação na Engenharia Cognitiva z Principais elementos da Interação Informação do domínio z Representações de objetos do domínio Funções da aplicação z Modificam os objetivos do domínio Comandos de função z Comandam as funções Interações Básicas z Ações que formam um comando Resultados de interação z Respostas do sistema

8 Informações do domínio: Conceito z Conjunto de informações típicas de um domínio de aplicação que são processadas pelo sistema z As informações do domínio pode ser: Informações textuais estáticas, armazenadas em páginas HTML Informações geradas dinamicamente Dados relacionais armazenados em bancos de dados Informações do domínio: Exemplos Categorias Dados Notícias

9 Informações do domínio: Diretrizes z Use o vocabulário do usuário z Categorize as informações adequadamente z Textos longos devem ser escritos por pessoas que saibam escrever bem z Dados devem ser modelados com técnicas de projetos de bancos de dados z Evite deixar as informações desatualizadas z Se as informações são dinâmicas notícias, cotações, etc. permita a recuperação futura. z Use técnicas de layout e estruturação para organizar as informações Funções da aplicação: Conceito z Determina quais são as funções da aplicação necessárias para as tarefas z Cada função determina um caso de uso z Opera sobre informações z Uma função pode ser usada em mais de uma tarefa z Uma tarefa pode precisar de mais de uma função

10 Funções da aplicação: Exemplo z O usuário quer comprar passagem, mas o sistema da VASP não oferece esta função Funções da aplicação são casos de uso z Casos de Uso Um caso de uso é uma descrição de uma seqüência de eventos que ocorre quando um ator (agente externo) usa um sistema para realizar uma tarefa [Jacobson 92] z Estrutura Nome do caso de uso Atores Fluxo de eventos Pré-condições Pós-condições Procurar livro Colocar na sacola Cancelar pedido Calcular Postagem Cadastrar livros Atualizar preços Sistema de vendas remotas Cliente Funcionário

11 Funções da aplicação: Usabilidade z Para diferentes tarefas, identifique o esforço de planejamento entre a meta do usuário e a função que o sistema oferece distância semântica [Hutchins, Holland & Norman, 1986] z Faça medições sobre o número de funções necessárias para cada tarefa z Verifique se a função retorna resultados adequados para o usuário z A função é flexível? Pode ser personalizada para casos específicos? Funções da aplicação: Diretrizes z As funções da aplicação devem ser derivadas do modelo de tarefas z Identifique no modelo de tarefas quais sub-tarefas são mais comuns a várias tarefas. Elas provavelmente serão funções da aplicação z As informações do domínio são dinâmicas? Identifique quais funções modificam as informações z O sistema armazena informações? Especifique funções para criar, ler, atualizar ou eliminar estas informações z Se a função não modifica um estado funcional do sistema, então ela não é uma função da aplicação

12 Comandos de função: Conceito z Um comando de função corresponde a um conjunto de interações básicas necessárias para controlar uma função da aplicação z Exemplos: Fornecer os dados em qualquer ordem Clique em enviar apenas após fornecer os dados Combinação de menus Comandos de função: Exemplo z Comando de busca

13 Comandos de função: Usabilidade z Verifique o número de erros durante as interações de um comando z Verifique se o usuário fornece todas as informações necessárias para o comando z Verifique se o número de interações básicas é excessivo Interações básicas: Conceito z Definem atividades básicas que o usuário realiza com os elementos de interface Clicar em botões ou links Visualizar ou ler uma informação Digitar dados Escolher informação z As interações básicas são utilizadas em comandos de função ou para navegação z Um comando é composto por interações básicas

14 Interações básicas: Exemplos Acionar Visualizar Digitar informação Escolher Informação Problemas de Usabilidade em Interações básicas z Um menu se sobrepõe ao outro z O usuário precisa clicar exatamente na seta dourada

15 Interações básicas: Usabilidade z O usuário tem dificuldade em clicar na área de um link ou widget? Teste o número de erros e acerto z O usuário precisa alternar muito entre digitação e teclado? z Verifique se o tipo e o tamanho do widget está adequado à informação que o usuário deve fornecer Resultados de interação: Conceito z Resultados de interação são as respostas que o sistema envia sobre comandos e interações básica. z Podem ser resultados de processamento de informações do domínio z Podem ser mensagens de erros, advertências, confirmações, etc.

16 Resultados de Interação: Exemplos z Resultado de uma busca: listagem de produtos z Aviso informando que um produto procurado não foi encontrado z Aviso informando que o usuário não preencheu todos os campo e um formulário Resultados de interação: Usabilidade z Existe feedback para todas as ações do usuário? z O usuário percebe cada resultado? z A mensagem de erro permite ao usuário voltar ao ponto para corrigir? z Existem mensagens de aviso para os dados que o sistema não pode processar?

17 Problemas de Comunicação 1RPH GR DXWRU RX WtWXOR" (QYLDU SDUD RQGH VH HX TXHUR EXVFDU" 2 TXH VLJQLILFD HVWH UHVXOWDGR" (UD R TXH HX TXHULD"? XVXiULR O designer precisa comunicar o modelo de de interação para para o usuário Engenharia Semiótica z Sistemas Computacionais são artefatos de metacomunicação [de Souza, 1993] z Designer envia para o usuário uma mensagem interativa e unidirecional z Semiótica: disciplina que estuda os signos e os processo de significação, codificação e comunicação 8VDQGR FDL[DV GH WH[WR HXPERWmRGH ³SURFXUDU HOH YDL FRQVHJXLU ID]HU D EXVFD (VWH IRUPXOiULR PH SHUPLWH ID]HU D EXVFD GR OLYUR SRU ³/HLWH GHVLJQHU XVXiULR

18 Signos em Interfaces Web Figuras Widgets Símbolos (índice) Cores Texto Símbolos (Marcas) Mensagens interativas exemplo (1) 4XHUR ID]HU XPD UHVHUYD GH SDVVDJHP DpUHD XVXiULR

19 Mensagens interativas exemplo (2) (X TXHUR ID]HU XPD FRQVXOWD H DLQGD QmR WHQKR UHVHUYD 9RX HVFROKHU D VHJXQGD Mensagens interativas exemplo (3) 2 TXH p LVWR" 2QGH HVWmR DV RSo}HV GH Y{R"

20 Mensagens interativas exemplo (4) ehvwhry{r TXH HX TXHUR &RPR GHYR HVFROKHU",K 0DV HVWi /27$'2 Comunicabilidade z O designer precisa comunicar ao usuário qual a sua solução para as necessidades dos usuários z Quais signos escolher? Quais códigos? z A comunicabilidade visa avaliar este processo metacomunicativo z [Prates, de Souza e Barbosa, 2000] desenvolveram um método para avaliação da comunicabilidade

21 Informações do domínio: Comunicabilidade z Diversas técnicas de Visualização da Informação podem ser empregadas Função da aplicação: Comunicabilidade z Exemplo de uma função mal comunicada Interpretação do usuário Compra para que já tem reserva Compra para quem ainda não tem reserva Significado real Compra de bilhete para uma data específica Compra de bilhete sem data específica tarifa total

22 Comandos de função: Comunicabilidade 1 z O layout da página ajuda ao usuário entender a seqüência de ações z Agrupamento, alinhamento, balanceamento, repetição, contraste e subordinação são técnicas de diagramação que orientam o usuário Ruim Boa Comandos de função: Comunicabilidade 2

23 Comandos de função: Diretrizes z Naturalidade: Organize a seqüência de interações da maneira mais natural para o usuário z Flexibilidade: Permita alternativas de interações para um mesmo comando z Não-modal: Permita ao usuário consultar outras informações durante o comando e depois retornar ao ponto onde estava z Perdão: permita ao usuário corrigir ou voltar atrás z Unidade: Procure colocar os comandos em um única janela. Se tiver mais de um comando na mesma janela, construa grupos separados Interações básicas: Comunicabilidade 1 z Problemas: z Usuário acha que é um menu. z Usuário não sabe se deve clicar ou não z Áreas de clicar muito pequena

24 Interações básicas: Comunicabilidade 2 z Problemas: z Botão tem como significado preferencial ativar comandos z Link deve ser usado para navegação Link usado para função Botão usado para navegação Interações básicas: Diretrizes z Escolha o objeto de interação adequado para a ação que o usuário deve fazer z Objeto adequado é aquele com o qual o usuário está familiarizado z Use rotulação para comunicar a ação que o usuário deve fazer

25 Resultados de interação: Comunicabilidade 1 Mensagem ruim Mensagem boa Resultados de interação: Comunicabilidade 2 z Deixando o usuário ciente do que está acontecendo

26 Resultados de interação: Comunicabilidade 3 z Resposta a uma senha digitada incorreta: o usuário não entende o vocabulário Resultados de interação: Diretrizes z Use o vocabulário do domínio do usuário. Evite termos técnicos. z Resultados devem fazer referências às informações passadas no comando. z Advertências e avisos deve ser colocados em primeiro plano para chamar a atenção do usuário. z Cores fortes e diferenciadas de outros elementos chamam atenção. Sons também podem ser utilizados. z Os resultados de função devem ser destacados de outros elementos da página (banners, menus,...).

Fundamentos de Design Web

Fundamentos de Design Web Fundamentos de Design Web Usabilidade, Interatividade e Comunicabilidade na Web Dimensões do sistema &RQFHLWXDO )XQFLRQDO,QWHUDomR &RPXQLFDomR Conceitual Modelo conceitual da aplicação. Funcional Funções

Leia mais

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Arte X Engenharia Desenvolver Sistema Web é arte? A Web oferece espaço para arte...... mas os usuários também desejam

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia Cognitiva e Semiótica Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos

Leia mais

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação

Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação 1 Design de IHC Design da Comunicação Modelos de Interação INF1403 Introdução a IHC Luciana Salgado Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações e Aspectos de IHC Representações

Leia mais

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST E-DOC Peticionamento APRESENTAÇÃO O sistema E-DOC substituirá o atual sistema existente. Este sistema permitirá o controle de petições que utiliza certificado digital para autenticação de carga de documentos.

Leia mais

Teoria para IHC: Engenharia Semiótica

Teoria para IHC: Engenharia Semiótica Teoria para IHC: Engenharia Semiótica ERBASE EPOCA 2009 2010 Engenharia Semiótica: uma nova perspectiva A Engenharia Semiótica é uma abordagem para IHC na qual o design e a interação fazem parte de um

Leia mais

Sistema de Gerenciamento Remoto www.pevermelho.art.br

Sistema de Gerenciamento Remoto www.pevermelho.art.br Sistema de Gerenciamento Remoto www.pevermelho.art.br 1 - SOBRE O SGR Este manual irá lhe ajudar a entender o funcionamento do SGR (Sistema de Gerenciamento Remoto) permitindo assim que você possa atualizar

Leia mais

A abordagem da Engenharia Semiótica para o desenvolvimento de software centrado no usuário

A abordagem da Engenharia Semiótica para o desenvolvimento de software centrado no usuário A abordagem da Engenharia Semiótica para o desenvolvimento de software centrado no usuário Jair Cavalcanti Leite Departamento de Informática e Matemática Aplicada Universidade Federal do Rio Grande do

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 16 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

Flex. MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo

Flex. MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo 2011 MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo Aprenda como é simples utilizar a ferramenta Flex como seu gerenciador de conteúdo online. Flex Desenvolvido pela ExpandWEB 31/01/2011

Leia mais

Sistema da Comissão Nacional de Residência Médica

Sistema da Comissão Nacional de Residência Médica Sistema da Comissão Nacional de Residência Médica APRESENTAÇÃO: Este Manual apresenta as telas que são utilizadas para a navegação no Sistema de Comissão Nacional de Residência Médica. Neste manual estão

Leia mais

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Teoria de IHC Explicações e previsões fenômenos de interação entre usuário e o sistema. Na década de 80 as fundamentações

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Estrutura e estética: Organização, layout, cores e tipos

Estrutura e estética: Organização, layout, cores e tipos Design Web Estrutura e estética: Organiação, layout, cores e tipos Apresentação: Estrutura e Estética Organiação Navegação Layout Cores e Tipografia! " Representação e Apresentação Representação Utiliar

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 15 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

Como criar e editar Blogs. Manual Básico do. Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz

Como criar e editar Blogs. Manual Básico do. Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz Como criar e editar Blogs Manual Básico do Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz São Carlos Setembro / 2008 Sumário Introdução...3 Criando um Blog no Edublogs...4

Leia mais

Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços

Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços Departamento de Logística Integrada Versão 1.0 novembro/2008 Utilização do sistema de transcrição de notas fiscais de serviços. Preferencialmente

Leia mais

Guia operação site www.atu.com.br

Guia operação site www.atu.com.br Guia operação site www.atu.com.br OBS: as telas no site bem como no sistema de gestão poderão sofrer alguma alteração, com base nos exemplos ilustrativos deste manual. 1. Objetivo Este guia tem como objetivo

Leia mais

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Para acessar sua senha: 1. Entrar no portal Metodista online Acesse o site www.bennett.br. No lado superior direito aparecerá a janela da área de login,

Leia mais

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13 Visão Empresa de Contabilidade Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse

Leia mais

Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado. Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel

Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado. Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel Acesso para cadastramento da empresa 2 Caso já tenha se

Leia mais

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC Sumário Apresentação... 1 1. Orientações Iniciais... 2 2. Recursos... 4 2.1 Rótulos... 4 2.2 Página de Texto Simples... 8 2.3 Página de Texto Formatado... 12 2.4 Site... 16 2.5 Arquivo... 21 2.6 Pasta

Leia mais

Tutorial do Sistema de Requerimentos On-line

Tutorial do Sistema de Requerimentos On-line Tutorial do Sistema de Requerimentos On-line Atenção: Os requerimentos de segunda oportunidade, matrícula em disciplina, rematrícula, matrícula em dependência e trabalhos orientados só poderão ser abertos

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SUPORTE PARA ACESSO À FATURA NA INTERNET

SUPORTE TÉCNICO SUPORTE PARA ACESSO À FATURA NA INTERNET SUPORTE TÉCNICO Saldo / Fatura 1) Como acessar a Fatura...01 2) Escolha o tipo de cartão...02 3) Alerta de Segurança...03 4) Identificação Positiva...04 5) Visualização da fatura...05 6) Erros mais comuns...06

Leia mais

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Sumário Acessando o sistema gerencial... 1 Enviando logomarca, banners e destaques... 1 Logomarca... 1 Destaques... 2 Banners... 3 Cadastrando produtos... 4 Embalagem...

Leia mais

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO 1 Guia Rápido de Uso Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO 1 Acesso ao sistema...3 2 Entenda o Menu...4 3 Como enviar torpedos...6 3.1 Envio

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC. Treinamento Básico do Correio Eletrônico

Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC. Treinamento Básico do Correio Eletrônico Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC Treinamento Básico do Correio Eletrônico Brasília Março de 2012 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 1.1 Como acessar

Leia mais

(FRQRPLDGD(GXFDomR. 3HGUR7HOKDGR3HUHLUD )UHTXrQFLD 'XUDomRPLQXWRV 7ySLFRVGHUHVROXomR

(FRQRPLDGD(GXFDomR. 3HGUR7HOKDGR3HUHLUD )UHTXrQFLD 'XUDomRPLQXWRV 7ySLFRVGHUHVROXomR (FRQRPLDGD(GXFDomR 3HGUR7HOKDGR3HUHLUD )UHTXrQFLD 'XUDomRPLQXWRV 7ySLFRVGHUHVROXomR Nome: Nº: $VUHVSRVWDVGHYHPVHUGDGDVQDIROKDGHHQXQFLDGR, 8PDGDVGHILQLo}HVGH(FRQRPLDp ³2HVWXGRGDIRUPDFRPRDVVRFLHGDGHVXWLOL]DPUHFXUVRVHVFDVVRVSDUDSURGX]LU

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 -

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 - GUIA RÁPIDO - 1 - Sumário Introdução...3 Por que utilizar o Construtor de Sites?...3 Vantagens do Construtor de Sites...3 Conceitos básicos...3 Configuração básica do site...5 Definindo o layout/template

Leia mais

DESCRIÇÃO DO CASO DE USO

DESCRIÇÃO DO CASO DE USO Z:\Projetos\Wilson_Sons\Intranet\Análise\Casos de Uso\Fase_2 Página: i de 9 DESCRIÇÃO DO CASO DE USO Wilson, Sons - Intranet _05_Manter Ouvidoria Versão Identificação do Projeto Cliente Wilson Sons

Leia mais

WEB COLABORADOR. Envio e Recebimento de arquivos de consignação

WEB COLABORADOR. Envio e Recebimento de arquivos de consignação TUTORIAL Envio e Recebimento de arquivos de consignação Para acessar o Web Colaborador e transferir arquivos de consignação, entre com os dados de CNPJ, usuário e senha, nos campos correspondentes. Regras

Leia mais

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR MANUAL E DICAS DO ASSISTENTE VIRTUAL (AV) POR ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 ÍNDICE Introdução...3 Requisitos e Restrições do Assistente...3 Diferenças da Versão

Leia mais

TABELAS PARA CERTIFICADOS E LIVROS

TABELAS PARA CERTIFICADOS E LIVROS TABELAS PARA CERTIFICADOS E LIVROS 1. Informações Gerais. O sistema permite a Manutenção de Tipo de Certificado. Informe todos os dados solicitados. Havendo duvidas sobre o preenchimento de qualquer um

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE INTRODUÇÃO O portal do Afrafep Saúde é um sistema WEB integrado ao sistema HEALTH*Tools. O site consiste em uma área onde os Usuários e a Rede Credenciada,

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

FALE CONOSCO TUTORIAL

FALE CONOSCO TUTORIAL FLE CONOSCO TUTORIL Índice 1. Como acessar a ferramenta... 2 Figura 1 Link de acesso para a ferramenta Fale Conosco... 2 Figura 2 cesso ao Fale Conosco... 3 Figura 4 Esqueci minha senha... 4 Figura 5 Tela

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

4. SISTEMA PORTAL SUPORTE IMPORTANTE

4. SISTEMA PORTAL SUPORTE IMPORTANTE 4. SISTEMA PORTAL SUPORTE IMPORTANTE Em caso de possuir um chamado aberto acompanhe até finalizar, pois é através da Aba Mensagem que o técnico pode solicitar outras informações detalhadas para solução.

Leia mais

BAIXA E INSTALAÇÃO DE CERTIFICADO A1. Versão 1.0r0 de 29 de Janeiro 2015. Classificação: Ostensivo

BAIXA E INSTALAÇÃO DE CERTIFICADO A1. Versão 1.0r0 de 29 de Janeiro 2015. Classificação: Ostensivo Versão 1.0r0 de 29 de Janeiro 2015 Classificação: Versão 1.0r0 de 29/10/2014 Página 2 de 15 Catalogação do Documento Título GESTÃO DE RISCOS DE SEGURANÇA Classificação Versão 1.0r1-29 de Janeiro de 2015

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site

Tutorial USERADM. Inserindo conteúdos no site Tutorial USERADM Inserindo conteúdos no site Como acessar o Administrador de Conteúdos do site? 1. Primeiramente acesse o site de sua instituição, como exemplo vamos utilizar o site da Prefeitura de Aliança-TO,

Leia mais

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Objetivos - por que avaliar? Critérios - o que avaliar? Métodos e técnicas - como avaliar? Forma - quando e onde avaliar?

Leia mais

Sistema Qualicell na Internet

Sistema Qualicell na Internet Sistema Qualicell na Internet Área do Lojista (Estabelecimento) I) Acesso Acessar o Site www.qualicell.com.br e clicar em Área do Lojista 1 Para acessar o Sistema Qualicell, é necessário informar o Login

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

CORREIO inotes. Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet.

CORREIO inotes. Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet. CORREIO inotes Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet. Na sua Área de Trabalho execute dois cliques rápidos no ícone do Internet Explorer. Ao ser exibida a primeira tela do Internet

Leia mais

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express)

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) A Secretaria de Estado da Educação está disponibilizando uma nova ferramenta para acesso ao e-mail @see. Essa nova ferramenta permitirá

Leia mais

/LQX[:LQGRZV 6DPED. Para executar os procedimentos abaixo você precisa estar logado como root. $YLVR

/LQX[:LQGRZV 6DPED. Para executar os procedimentos abaixo você precisa estar logado como root. $YLVR /LQX[:LQGRZV 6DPED (GLomR Autor E-mail Home-page Coadjuvante 'DQLHO3HUHLUD*XLPDUmHV WHPS#WHFQRE\WHFRPEU ZZZWHFQRE\WHFRPEU $QW{QLR3HUHLUD*XLPDUmHV,QWURGXomR Não podemos negar que a maior parte dos usuários

Leia mais

Figura 2 - Menu "Config. Rede"

Figura 2 - Menu Config. Rede Produto: CL Titânio Assunto: Como acessar o CL Titânio remotamente via browser? Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio: Entre no menu Principal. clicando com o botão

Leia mais

Produto: Webscan Relatório III Manual de instruções. Documentos de ajuda sensitiva ao contexto integrado às várias telas do sistema

Produto: Webscan Relatório III Manual de instruções. Documentos de ajuda sensitiva ao contexto integrado às várias telas do sistema Produto: Webscan Relatório III Manual de instruções. Documentos de ajuda sensitiva ao contexto integrado às várias telas do sistema Sérgio Oliveira Campos Contrato N : 2008/000514 Sumário 1 Introdução

Leia mais

AQUI SEGUEM OS TÓPICOS TRATADOS NESSE GUIA, PARA QUE VOCÊ APRENDA A USAR O SISTEMA CLUBE TURISMO MOBILE.

AQUI SEGUEM OS TÓPICOS TRATADOS NESSE GUIA, PARA QUE VOCÊ APRENDA A USAR O SISTEMA CLUBE TURISMO MOBILE. GUIA RÁPIDO DE USO AQUI SEGUEM OS TÓPICOS TRATADOS NESSE GUIA, PARA QUE VOCÊ APRENDA A USAR O SISTEMA CLUBE TURISMO MOBILE. 1 Acesso ao sistema...3 2 Entenda o Menu...3 2.1 Contatos...3 2.2 Mensagens...4

Leia mais

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP Interação Humano-Computador Avaliação em IHC: Percurso Cognitivo www.inf.puc-rio.br/~inf1403 4 paradigmas para a avaliação de IHC 1. O rápido e rasteiro (que prima pela informalidade) 2. Os testes de usabilidade

Leia mais

Manual de Utilização. Obter Acesso aos Sistemas Educação. Projeto: Obter Acesso Versão Doc.: <1.0> Data de criação: 15/10/2010

Manual de Utilização. Obter Acesso aos Sistemas Educação. <Versão: 1.0> Projeto: Obter Acesso Versão Doc.: <1.0> Data de criação: 15/10/2010 Obter Acesso aos Sistemas Educação Manual de Utilização Página 1/9 Conteúdo 1. Introdução... 3 1.1 Objetivo... 3 1.2 Escopo... 3 1.3 Acesso... 3 1.4 Requisitos básicos... 3 2. Interface de

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.1

Manual SAGe Versão 1.1 Manual SAGe Versão 1.1 Submissão de Proposta de Bolsa Estágio de Pesquisa no Exterior (a partir da versão 12.08.01 ) Conteúdo Introdução... 2 Instruções iniciais... 3 Entrando no SAGe... 4 Criando nova

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

Compacta e de fácil programação possuindo:

Compacta e de fácil programação possuindo: '(6&5,d (6*(5$,66/$; Sua central de alarme 6/ ± $;, é microcontrolada, com quatro setores independentes, com fios ou sem fios (dependendo dos opcionais instalados), controle remoto e discador telefônico,

Leia mais

2 Trabalhos Relacionados

2 Trabalhos Relacionados 2 Trabalhos Relacionados Neste capítulo serão descritos alguns modelos para o design de sistemas interativos e suas limitações, apontando as motivações práticas e teóricas para se criar novas representações

Leia mais

Cenários do CEL. Acessar ao sistema

Cenários do CEL. Acessar ao sistema Cenários do CEL Acessar ao sistema Permitir que o usuário acesse ao Sistema de Léxicos e Cenários nas seguintes condições: logando-se, quando já estiver cadastrado; ou incluindo usuário independente, quando

Leia mais

Moodle - CEAD Manual do Estudante

Moodle - CEAD Manual do Estudante Moodle - CEAD Manual do Estudante Índice Introdução 3 Acessando o Ambiente 4 Acessando o Curso 5 Navegando no Ambiente do Curso 5 Box Participantes 5 Box Atividades 5 Box Buscar nos Fóruns 5 Box Administração

Leia mais

Comunidade de Suporte e Feedback

Comunidade de Suporte e Feedback Comunidade de Suporte e Feedback O objetivo deste complemento é criar um canal simples, barato e eficiente de suporte aos clientes, onde eles possam na maioria das vezes aproveitar dúvidas já respondidas,

Leia mais

Nova Intranet - Jucemg Manual do Usuário. Gerência de Tecnologia da Informação e Conhecimento Diretoria de Gestão da Informação e Modernização

Nova Intranet - Jucemg Manual do Usuário. Gerência de Tecnologia da Informação e Conhecimento Diretoria de Gestão da Informação e Modernização Nova Intranet - Jucemg Manual do Usuário Gerência de Tecnologia da Informação e Conhecimento Diretoria de Gestão da Informação e Modernização Belo Horizonte, MG - Julho de 2013 Sumário Intranet da JUCEMG...

Leia mais

Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula

Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula Aula 1 Capítulo 1 - Introdução ao Dreamweaver CS6 Aula 2 Continuação do Capítulo 1 - Introdução ao Dreamweaver CS6 Aula 3 Capítulo 2 - Site do Dreamweaver

Leia mais

Manual Email marketing v.240215

Manual Email marketing v.240215 1º Passo Acessar a página www.marketing.vardigital.com.br e fazer login com os seguintes dados: Usuário: email@dominio Senha: var@emkt 2º Passo A página seguinte é o painel geral de administração, sendo

Leia mais

Table of Contents. PowerPoint XP

Table of Contents. PowerPoint XP Table of Contents Finalizando a apresentação...1 Usando anotações...1 Desfazer e repetir...1 Localizar e substituir...2 Substituir...2 Efeitos de transição...3 Esquema de animação...6 Controlando os tempos

Leia mais

"Manual de Acesso ao Moodle - Discente" 2014

Manual de Acesso ao Moodle - Discente 2014 "Manual de Acesso ao Moodle - Discente" 2014 Para acessar a plataforma, acesse: http://www.fem.com.br/moodle. A página inicial da plataforma é a que segue abaixo: Para fazer o login, clique no link Acesso

Leia mais

Para uma melhor compreensão das ferramentas disponíveis no ambiente, é importante:

Para uma melhor compreensão das ferramentas disponíveis no ambiente, é importante: Módulo A Introdutório - Bases legais, ao Curso políticas, e ao conceituais Ambiente Virtual e históricas da educação Apresentação Este módulo tem por objetivo promover o conhecimento do Ambiente Virtual

Leia mais

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO TUTORIAL PARA TUTORES PLATAFORMA MOODLE OURO PRETO 2014 1 SUMÁRIO 1. PRIMEIRO ACESSO À PLATAFORMA... 03 2. PLATAFORMA DO CURSO... 07 2.1 Barra de Navegação...

Leia mais

GRUPO ARESTO E-CRM CONTÁBIL. Rua: Farjalla Koraicho, 49 sl 02 11 5565 6259 cotato@aresto.com.br

GRUPO ARESTO E-CRM CONTÁBIL. Rua: Farjalla Koraicho, 49 sl 02 11 5565 6259 cotato@aresto.com.br GRUPO ARESTO Rua: Farjalla Koraicho, 49 sl 02 11 5565 6259 cotato@aresto.com.br E-CRM CONTÁBIL Conheça o e-crm Contábil, a nova ferramenta que o nosso escritório colocou a sua disposição. Com ele, nosso

Leia mais

Tutorial Ouvidoria. Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante

Tutorial Ouvidoria. Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante Tutorial Ouvidoria Acesso, Utilização, Visualização das Manifestações e Resposta ao Manifestante Como acessar a Ouvidoria? 1. Primeiramente acesse o site de sua instituição, como exemplo vamos utilizar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Manual do Usuário. Programa de Avaliação de Desempenho PROAD

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Manual do Usuário. Programa de Avaliação de Desempenho PROAD UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Manual do Usuário Programa de Avaliação de Desempenho PROAD Versão 1.0 02/09/2009 Índice 1. Introdução 2. Plataforma

Leia mais

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema TORPEDO MOBILE. 1 Acesso ao sistema...

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema TORPEDO MOBILE. 1 Acesso ao sistema... Guia Rápido de Uso Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema TORPEDO MOBILE 1 Acesso ao sistema... 2 2 Entenda o Menu...... 3 2.1 Contatos...... 3 2.2 Mensagens......

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER. Manual do Usuário

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER. Manual do Usuário GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER SIGED Sistema de Gestão de Despesas Manual do Usuário MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESPESAS - SIGED SUMÁRIO

Leia mais

Tema UFPel 2.0 WP Institucional Guia de Opções de Personalização

Tema UFPel 2.0 WP Institucional Guia de Opções de Personalização Tema UFPel 2.0 WP Institucional Guia de Opções de Personalização Sumário 1. Configurações Iniciais...2 1.1. Configurando o Menu Personalizado...2 1.2. Configurando os Widgets...3 2. Localize o nome de

Leia mais

Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio:

Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio: Produto: CL Titânio Assunto: Como acessar o CL Titânio remotamente via browser? Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio: Entre no menu clicando com o botão direito do

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 2. Tela Inicial... 2 3. Abrindo uma nova Solicitação... 3 4. Acompanhando as solicitações abertas... 4 5. Exibindo Detalhes da Solicitação... 6 6.

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO CASO DE USO: INCLUIR CLIENTE Sumário: este caso de uso se inicia quando o usuário precisa incluir um cliente no sistema. Atores: Atendente Pré-condições: Documentação do

Leia mais

Cursos a Distância para Competências Transversais SENAI. Manual de Utilização do Ambiente

Cursos a Distância para Competências Transversais SENAI. Manual de Utilização do Ambiente Cursos a Distância para Competências Transversais SENAI Manual de Utilização do Ambiente 1. Objetivo O objetivo deste manual é orientar os alunos dos Cursos a Distância para Competências Transversais do

Leia mais

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência Produto IV: ATU SAAP Manual de Referência Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988 Brasília, 30 de outubro de 2008 1 Sistema de Apoio à Ativideade Parlamentar SAAP

Leia mais

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO Diretoria de Vigilância Epidemiológica/SES/SC 2006 1 Módulo 04 - Exportação e Importação de Dados Manual do SINASC Módulo Exportador Importador Introdução O Sistema SINASC

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 2.2 DISPOSITIVO NÃO REGISTRADO...

Leia mais

3 Sistemas de Monitoração

3 Sistemas de Monitoração 3 Sistemas de Monitoração Este capítulo apresenta o que são sistemas de monitoração, para que servem e quais são suas principais características. Na sequência, são apresentados, de forma geral, três sistemas

Leia mais

Manual do usuário. Manual do Usuário DER-MG Página : 1

Manual do usuário. Manual do Usuário DER-MG Página : 1 Manual do usuário Manual do Usuário DER-MG Página : 1 Índice Ajuda 3 Operação do calendário 4 Operação de lista de passageiros 7 Operação de listas de veiculo 8 Esqueci minha senha 10 Alterar senha 11

Leia mais

Clique no botão novo

Clique no botão novo Tutorial para uso do programa Edilim Criado pela profª Carina Turk de Almeida Correa 1- Abra o programa Edilim. Clique no botão novo, como mostrado abaixo: Clique no botão novo 2- Todos os arquivos a serem

Leia mais

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL ATENÇÃO! Para utilizar este tutorial não se esqueça: Onde estiver escrito seusite.com.br substitua pelo ENDEREÇO do seu site (domínio). Ex.: Se o endereço do seu site é casadecarnessilva.net

Leia mais

DIRETRIZES DE USO DA MATRIZ DE SISTEMATIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES

DIRETRIZES DE USO DA MATRIZ DE SISTEMATIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico Coordenação Geral de Regionalização PROGRAMA DE REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO Roteiros do Brasil

Leia mais

Renovação Online de Certificados Digitais A3 (Com Boleto Bancário)

Renovação Online de Certificados Digitais A3 (Com Boleto Bancário) Renovação Online de Certificados Digitais A3 (Com Boleto Bancário) Guia de Orientação Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. 2013 Página 1 de 47 Índice PRÉ-REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO...

Leia mais

Manual de utilização do EAD SINPEEM. EaD Sinpeem

Manual de utilização do EAD SINPEEM. EaD Sinpeem 2015 Manual de utilização do EAD SINPEEM EaD Sinpeem 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2. COMO ACESSAR UM CURSO... 3 3. COMO ALTERAR MINHA SENHA... 5 4. COMO EDITAR MEU PERFIL... 5 5. COMO ACESSAR O CURSO...

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER

CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER Blog é uma abreviação de weblog, qualquer registro frequênte de informações pode ser considerado um blog (últimas notícias de um jornal online por exemplo). A maioria das

Leia mais

MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES

MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES Esse Manual tem como objetivo explicar todas as funções do novo sistema de abertura de chamados da Datacom Automações. Esse novo programa facilitará o atendimento entre

Leia mais

Instruções de trabalho

Instruções de trabalho Navegação Básica SAP R/3 - Versão 4.7 Instruções de trabalho Objetivo Use estas instruções de trabalho para aprender a navegação básica do sistema SAP R/3, versão 4.7. Procedimento Fazer Logon no Sistema

Leia mais

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância 1 Introdução Bruno Astuto Arouche Nunes Sergio Barbosa Villas-Boas 1 Henrique Falleiros Tendo em vista que o processo de ensino, nos dias de hoje,

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

MANUAL DE SOLICITAÇÃO DE RENOVAÇÃO DE E-CPF A3 ONLINE

MANUAL DE SOLICITAÇÃO DE RENOVAÇÃO DE E-CPF A3 ONLINE MANUAL DE SOLICITAÇÃO DE RENOVAÇÃO DE E-CPF A3 ONLINE A renovação online do certificado somente poderá ser feita uma única vez em sistema operacional Windows XP utilizando navegador Internet Explorer,

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região DIMI - Divisão de Microinformática e Redes Índice: O que é a Internet? 3 O que são Intranets? 3 Sobre o Nestcape Navigator 3 Para iniciar o

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 3 INICIANDO PROCESSO DE LEITURA...

Leia mais

Interface Homem- Computador

Interface Homem- Computador Interface Homem- Computador (IHC) Profª. Leticia Lopes Leite Software Educacional I Interface Deve ser entendida como sendo a parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato física,

Leia mais