Escola Superior de Artes e Design, Matosinhos. Relatório Anual - Ano Letivo 2012/13

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola Superior de Artes e Design, Matosinhos. Relatório Anual - Ano Letivo 2012/13"

Transcrição

1 Relatório Anual - Ano Letivo 2012/13 1

2 A ESAD desenvolve a sua ambiciosa missão educar, criar, melhorar, inovar orientada por um espírito onde a valorização das artes e do design reflete um olhar atento sobre a realidade na qual a Escola se integra e uma vontade infinita de contribuir sempre para tornar essa realidade melhor. Relatório Anual (de acordo com o artigo 159º do RJIES, DR nº 174 de 10 de Setembro de 2007) Ano Letivo de Relatório elaborado em Março de 2014 (Prof. Doutor José António de Oliveira Simões) Aprovado pelo Conselho de Direção em 1 de Abril de 2014 Aprovado pelo Conselho Pedagógico em 3 de Abril de 2014 Aprovado pela Direção do CIFAD, Lda. Em 3 de Abril de

3 Índice 07 Introdução 08 Recursos Materiais e Infra-estruturas 09 Corpo Docente e Não Docente 11 Ano Letivo Caracterização dos estudantes admitidos Conselho Técnico-Científico Conselho Pedagógico Conselho de Direção Conselho Consultivo Associação de Estudantes 32 Desenvolvimento e Consolidação da ESAD 33 Colaboração Institucional e Intercâmbio Cultural 35 Mobilidade Erasmus e Cooperação Internacional 37 Participação dos Estudantes no Processo de Ensino-Aprendizagem 38 Promoção do Sucesso Escolar 45 Desenvolvimento de Competências Extracurriculares 46 Inserção na Vida Ativa 51 Anexo A Relatório de atividades dos cursos Curso de Artes de Joalharia Curso de Artes Digitais e Multimédia Curso de Design de Comunicação Curso de Design de Produto Curso de Design de Interiores Curso de Design de Moda Curso de Mestrado em Design 133 Anexo B Relatório de actividades da Associação de Estudantes 137 Anexo C Relatório de actividades do Gabinete de Projeto e Comunicação 4 5

4 Introdução Este relatório, de acordo com o artigo 159º do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior (publicado em Diário da República, 1ª série Nº de setembro de 2007) descreve as actividades desenvolvidas pela Escola Superior de Artes e Design (ESAD) de Matosinhos referente ao ano letivo de 2012/13, de acordo com o seu plano anual referente ao ano letivo de 2012/13 aprovado pelo Conselho de Direção, pelo Conselho Pedagógico e pelo CIFAD. No que se refere aos objetivos propostos no plano de atividades, estes foram totalmente realizados. As actividades referidas foram ainda complementadas com outras não previstas no referido plano, como se poderá atestar pelos diversos relatórios de atividades de cada um dos coordenadores de curso/ramo, do Gabinete de Projeto e Comunicação e da Associação de Estudantes. No que se refere à eficiência da gestão administrativa, esta foi cumprida de forma adequada no âmbito dos Serviços de Gestão Académica (Serviços de Secretaria, Serviços de Contabilidade, Gabinete de Inserção Profissional (empregabilidade), Gabinete de Mobilidade e Relações Internacionais e Gabinete de Projeto e Comunicação) e das competências de cada um dos seus funcionários. No que se refere à eficiência da gestão financeira, esta foi globalmente cumprida de acordo com o orçamento previsto para o ano letivo 2012/13, com pequenos desvios de menor relevância nalgumas rubricas. As principais receitas (propinas, projectos de investigação, outras prestações de serviços e venda de livros) totalizaram o valor de As despesas (vencimentos e encargos gerais de funcionamento da Escola) totalizaram o valor de Não se registou qualquer alteração de fundo da situação patrimonial e financeira digna de referência no ano letivo 2012/13, como se pode verificar pela diferença entre os proveitos e as despesas e, neste sentido, a não sustentabilidade da instituição não se coloca. 6 7

5 Recursos Materiais e Infraestruturas Corpo Docente e Não Docente Durante este ano letivo, alguns melhoramentos foram realizados ao edifício da Escola, designadamente: - Foram feitas obras de conservação no interior dos edifícios; - Realizou-se a alteração e beneficiação de toda a zona administrativa, hall de entrada e quartos de banho, beneficiados os serviços administrativos e ampliada a secretaria. Foi, ainda, ampliada a zona de arquivo; - Na alteração efetuada na zona administrativa salienta-se a adaptação de uma sala com a finalidade de assumir a função de sala de professores; - Por motivo de danificação por causa das intempéries foi recuperado o vitral norte do pavilhão sul e prolongada a placa de piso do primeiro andar; - Melhorou-se o equipamento informático e a respetiva rede, nomeadamente o investimento realizado a nível do acesso à internet através da Gigabit da Zon e o acesso à plataforma Suyara e na área tecnológica com o Lagoa Rendering System; - Melhorou-se, também, o equipamento das diferentes áreas laboratoriais, com especial relevância para a moda, a biblioteca e a serigrafia, bem como para apoio genérico às aulas; - Procedeu-se à substituição de algum mobiliário dos gabinetes da zona administrativa e direção da ESAD e aguarda-se a entrega de mais mobiliário para a sala de professores; - Foi adaptado ainda um gabinete na zona da Biblioteca para o Provedor do Aluno. Todos os anos há a preocupação da Direção Administrativa para a atualização do seu equipamento informático, assim como a aquisição de novas licenças de aplicações informáticas. Foi também feito o reforço do apoio técnico para melhorar as condições de realização de trabalhos práticos e laboratoriais nas horas de contacto e fora delas, incentivando formas de aprendizagem ativa. Tem havido a preocupação de dotar a Escola de um corpo docente cada vez mais qualificado e de acordo com as exigências incluídas no Regulamento Jurídico das Instituições do Ensino Superior. Relativamente aos movimentos de pessoal docente e não docente, por motivo de falta de horário, foi rescindido o contrato com três docentes. Foram também substituídos dois docentes que decidiram deixar a Escola para abraçarem outros projetos profissionais. Tendo em consideração o Estatuto do Ensino Superior Particular e Cooperativo foi prosseguido a política iniciada há já alguns anos de se continuar a procurar diminuir o número de docentes a prestar serviço em regime de acumulação e aumentar o número de docentes com grau de doutor e com o título de especialista. Foram melhoradas as condições contratuais de alguns docentes. Contudo, contínua a verificar-se uma forte pressão, por parte de muitos docentes, com vista à melhoria da sua situação remuneratória. No que se refere ao pessoal não docente, foi mantido o pessoal existente durante o exercício da gestão do ano e feitos os acertos remuneratórios que a legislação constante do contrato coletivo de trabalho determina para o pessoal não docente. O corpo docente para o ano letivo de 2012/13 foi constituído por 76 docentes, tendo 16 o grau de doutor (21%), 1 com título de especialista (1%), 25 o grau de mestre (33%), 28 o grau de licenciado (37%) e 6 com outro tipo de qualificação (8%) (gráfico 1). No que diz respeito ao título de especialista, cerca de 26 docentes foram convidados a realizarem a candidatura para a obtenção do título, para efeitos de acreditação, pela Comissão Técnico-científica da Escola. A análise das candidaturas estará a cargo de uma comissão eleita pelo Conselho Técnico-Científico, constituída pelo Prof. Doutor José Bártolo (Presidente do Conselho Técnico-Científico), Prof. Doutor José Simões (Diretor da ESAD), Profª Doutora Joana Santos (Diretora Adjunta da ESAD), Prof. Doutor António Torres Marques (Professor Catedrático da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto) e Prof. Doutor Eduardo Corte Real (Prof. Associado do Instituto de Artes Visuais e Design Marketing). Prevê-se a conclusão deste processo até final do ano letivo 2013/

6 Ano Letivo Outras Qualificações Licenciatura Mestrados Especialista Doutoramento O ano letivo de 2012/13 foi, no essencial, dedicado a consolidação das reformas que têm vindo a ser implantadas durante estes últimos anos, na era pós-bolonha da Escola. Foram desenvolvidas diversas actividades, destacando-se as seguintes: - Desenvolvimento de acções visando a preparação de candidaturas ao título provisório de especialista para acreditação do curso de Design e de Artes; - Discussão da proposta de regulamento de avaliação de desempenho docente; - Desenvolvimento de iniciativas para aumentar a taxa de empregabilidade dos recém-licenciados da ESAD; Gráfico 1 Percentagens de docentes/qualificação. Os órgãos colegiais e unipessoais da Escola desenvolveram as suas actividades de acordo com os estatutos e regulamentos diversos. Cada curso, através do seu coordenador, elaborou o relatório de atividades que se apresenta em Anexo A

7 0,0 0,2 0,4 0,6 0,8 1,0 0,0 0,2 0,4 0,6 0,8 1,0 Relatório Anual Caraterização dos alunos admitidos na ESAD O estudo sobre os estudantes que se candidataram e matricularam na ESAD é também parte integrante da concretização do processo de Bolonha e, neste sentido, descreve-se a caracterização (vagas preenchidas, notas de candidatura, proveniência distrital e escolar) dos estudantes admitidos na ESAD no ano letivo de 2012/13. Inclui- -se, também, uma análise comparativa entre as notas dos estudantes da ESAD e do ensino superior público, universitário e politécnico, com oferta de cursos na área do Design. As tabelas 1 e 2 resumem os dados quantitativos mais significativos referentes às notas de candidatura dos estudantes admitidos através de concurso nacional e das candidaturas especiais (maiores 23 anos, mudança, transferência, curso superior e frequência do ensino superior no estrangeiro). Curso Design Curso Artes Os dados apresentados na tabela 1 mostram que houve uma diminuição ligeira do número total de estudantes admitidos no curso de Design (99% no ano letivo de para 93%). Esta foi mais acentuada no curso de Artes (70% no ano letivo de para 35%). Para este último curso a diminuição relativa foi de 46%. Este facto indicia, e de acordo com a diminuição generalizada do número de estudantes para o ensino superior, que a Escola terá de discutir e engendrar outro tipo de medidas para aumentar a atractividade do curso de Artes, nomeadamente o de Joalharia que tem vindo a perder candidatos nestes últimos anos. Os gráficos 2 e 3 ilustram o número de estudantes candidatos, respetivamente no curso de Artes e Design, entre os anos letivos 2008/09 e 2012/13 (últimos 5 anos letivos). Contudo, os dados apresentados nestes gráficos referentes ao ano 2012/13 foram ligeiramente alterados devido a desistências de matrícula, a maioria dos casos após conhecimento dos seus processos de candidatura ao ensino superior público. Numerus Clausus Total número de estudantes admitidos 185 (93%) 19 (38%) 1ª Fase - Número de estudantes admitidos Nota de Candidatura mais elevada Nota de Candidatura mais baixa ª Fase - Número de estudantes admitidos Nota de Candidatura mais elevada Nota de Candidatura mais baixa ª Fase - Número de estudantes admitidos Nota de Candidatura mais elevada Nota de Candidatura mais baixa / / / / / / / / / /2013 Tabela 1 Dados relativos aos estudantes matriculados através de candidatura normal. Curso Design Curso Artes Total número de estudantes admitidos 44 6 Cursos Superiores 7 3 Transferências 7 0 Mudanças de Curso 10 1 Frequência Ensino Superior (estrangeiro) Reingresso Maiores de 23 anos 12 2 Outros 0 0 Tabela 2 Dados relativos aos estudantes candidatos através de candidatura especial. Gráfico 2 Número de estudantes candidatos Gráfico 3 Número de estudantes candidatos nos anos letivos de 2008/09 a 2012/13 nos anos letivos de 2008/09 a 2012/13 (curso de Artes). (curso de Design). percentagem normalizada para 100%) de escolha da ESAD com instituição do ensino superior por parte dos estudantes para prosseguirem os estudos superiores. São diversas as formas de conhecerem a ESAD e motivos para prosseguirem os estudos. Foi feito inquérito aos estudantes que referiram entre outros (gráfico 4): - Através das redes sociais; - Informação/publicidade em meios comerciais (cinema, internet, jornais, guias de estudantes, etc.); - Através de artigos (jornais, revistas, televisão, radio, internet ou outros meios); - Visita à Escola na Semana da ESAD; - Sugestão (amigos, estudantes e professores); 12 13

8 ,0 0,2 0,4 0,6 0,8 1,0 Relatório Anual Aconselhamento vocacional; - Outras formas (pesquisa, acompanhamento de professores em fóruns diversos, família, etc.) / / , / / ,5 6,8 4,4 8,8 2,6 1,6 1,6 7, /2013 Redes sociais Informação/Publicidade Artigos sobre a ESAD Visita Semana da ESAD Visita da ESAD à Escola Evento promocional da ESAD alunos e professores Aconselhamento de amigos, Aconselhamento vocacional Outros métodos ,1 159, ,1 118, Gráfico 5 Notas máximas e mínimas dos estudantes matriculados nos anos letivos de 2008/09 a 2012/13 (Curso de Artes). Gráfico 4 Percentagem dos factores de escolha da ESAD. Os gráficos 5 e 6 identificam as notas máximas e mínimas (1 ª e 2ª fases) dos estudantes matriculados nos cursos de Artes e Design, respetivamente. A média das médias das notas dos estudantes matriculados foram de 132,4 (134,4 no ano letivo 2011/12) para o curso de Artes e 141,9 (141,6 no ano letivo 2011/12) para o curso de Design. Neste âmbito, não houve diferenças de assinalar. De facto, como se pode verificar, as médias das médias das notas dos candidatos para ambos os cursos não sofreram alteração de registo / / / / , / , ,9 114, Gráfico 6 Notas máximas e mínimas dos estudantes matriculados nos anos letivos de 2008/09 a 2012/13 (Curso de Design)

9 Para se ter uma melhor perceção sobre as notas de candidatura dos estudantes matriculados, os gráficos seguintes, 7 e 8, ilustram o número de estudantes matriculados (somente os da 1ª e 2ª fases) em função de diferentes níveis de intervalos de notas considerados Gráfico 7 Número (14) de estudantes versus intervalos de notas de candidatura (Curso de Artes) Como se pode constatar, o número de estudantes matriculados no curso de Design difere significativamente do número de candidatos. Dos 169 candidatos da 1ª e 2ª fase, 28 não efectivaram a matrícula. No curso de artes, somente 4 não o fizeram. No que diz respeito às médias de admissão, e relativamente ao curso de Design, 16% foram superiores a 160 pontos e cerca de 74% estão entre 120 e 159 pontos. A comparação referente às percentagens de vagas dos cursos de Design preenchidas, assim como as notas do último estudante colocado entre a ESAD e as instituições de ensino superior públicas é de seguida apresentada. Não foi feito idêntico estudo para o curso de Artes da ESAD porque a tipologia dos ramos (Artes Digitais e Multimédia e Joalharia) não apresentam características comparáveis com os cursos de Artes disponibilizados pelas instituições de ensino superior públicas. De acordo com os dados publicados pela Direção Geral do Ensino Superior (DGES) referentes ao Concurso Nacional de Acesso de 2012, a oferta de cursos de Design (com a palavra Design) foi de 41 (15 universitários e 26 politécnicos), totalizando 1580 vagas (Anexo I), mais 68 vagas que no ano lectivo 2011/12. Destas vagas, 1350 (85%) foram preenchidas na 1ªa fase, tendo sobrado 230 vagas. Na 2ª fase, o número de vagas foi de 476 tendo sido preenchidas 317 vagas (67%). A discrepância entre as vagas sobrantes e as oferecidas para a 2ª fase deveu-se ao facto das instituições com vagas terem aumentado significativamente as mesmas para a 2ª fase. A título de exemplo, a Universidade da Beira Interior, que preencheu todas as vagas disponíveis na 1ª fase, colocou mais 29 vagas para a 2ª fase do concurso. Para a 3ª fase, foram disponibilizadas 187 vagas (embora tenha sobrado somente 127 vagas da 2ª fase), tendo sido preenchidas 44 (24%). A soma das vagas da 1ª, 2ª e 3ª fase foi de 2243, tendo sido preenchidas 1711, ou seja 76%. A percentagem de vagas da ESAD que foram preenchidas foi de 93%, superior em 17 pontos percentuais. O gráfico 9 ilustra comparativamente a percentagem de vagas preenchidas para a ESAD e para as instituições superiores de ensino público/cursos que não preencheram a totalidade das vagas que disponibilizaram nas três fases Gráfico 8 Número (143) de estudantes versus intervalos de notas de candidatura (Curso de Design)

10 100% 75% 50% 91% 94% 98% 71% 98% 70% 92% 53% 64% 62% 43% 55% 93% 25% 28% 0% Universidade da Beira Interior Design de Moda Universidade da Beira Interior Design Industrial Universidade do Minho Design de Produto IPB - Escola Superior de Educação de Braga Arte e Design IPCB - Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco Design de Interiores e Equipamento IPCB - Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco Design de Moda e Têxtil IPCB - Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco Design de Comunicação e Produção Audiovisual IPG - Escola Superior de Tecnologia e Gestão Design de Equipamento IPL - Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha Design de Cerâmica e Vidro IPP - Escola Superior de Tecnologia e Gestão Design de Comunicação IPP - Escola Superior de Tecnologia e Gestão Design e Animação Multimédia IPV - Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Tecnologias e Design de Multimédia IPT - Escola Superior de Tecnologia de Tomar Design e Tecnologia das Artes Gráficas ESAD Design Gráfico 9 Taxa de preenchimento de vagas (incluindo as tês fase), por instituição de ensino superior público, para os diferentes cursos de Design. O gráfico 10 ilustra a percentagem de estudantes da ESAD que teriam vaga em cursos de Design nas diferentes instituições de ensino superior públicas, não tendo em consideração as vagas que ficaram por preencher nalguns dos cursos. Verifica-se que 11,3 % dos estudantes ESAD poderiam ter entrado em qualquer curso de Design e em qualquer instituição superior pública. Seis estudantes da ESAD poderiam ter entrado no curso de Design de Comunicação da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde se registou a média mais alta do último estudante colocado

11 100% 80% 60% 40% 20% 0,0 IPB - Escola Superior de Comunicação, admisnistração e Turismo de Mirandela - Design de Jogos Digitais Instituto Politécnico de Viseu - Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu - Tecnologias e Design Multimédia IPVC - Escola Superio de Tecnologia e Gestão Design de Ambientes IPCB - Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco - Design de Moda e Têxtil Univ. da Madeira Engenharia Informática + Design de Media Interativos Instituto Politécnico de Tomar - Escola Superior de Tecnologia de Tomar - Design e Tecnologia das Artes Gráficas Univ. da Madeira Design IPB - Escola Superior de Educação de Bragança Arte e Design Univ. da Beira Interior Design Industrial IPL - Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha Design Gráfico e Multimédia Instituto Politécnico de Portalegre - Escola Superior de Tecnologia e Gestão Design de Comunicação IPCB - Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco Design de Comunicação e Produção Audiovisual Univ. do Algarve - Escola Superior de Educação e Comunicação de Faro Design de Comunicação IPL - Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha Design de Cerâmica e Vidro IPL - Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha Design de Ambientes Instituto Politécnico da Guarda - Escola Superior de Tecnologia e Gestão Design de Equipamento IPCB - Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco Design de Interiores e Equipamento Univ de Aveiro - Escola Superior de Design, Gestão e Tecnologias de Produção de Aveiro - Norte Tecnologia e Design de Produto Instituto Politécnico de Viseu - Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Tecnologia e Design de Mobiliário Instituto Politécnico de Portalegre-Escola Superior de Tecnologia e Gestão Design e Animação Multimédia Univ. de Évora - Escola de Artes Design Univ. da Beira Interior Design de Moda IPVC - Escola Superior de Tecnologia e Gestão Design de Produto Univ. do Minho Design de Produto IPCA - Escola Superior de Tecnologia Design Gráfico Univ. da Beira Interior Design Multimédia Instituto Politécnico do Porto - Escola Superior de Estudos Industriais e de GestãoDesign IPCA - Escola Superior de Tecnologia Design Industrial IPL - Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha Design Industrial Univ. Técnica de Lisboa - Faculdade de Arquitectura Design de Moda IPL - Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha Design Gráfico e Multimédia Instituto Politécnico de Coimbra - Escola Superior de Educação de Coimbra Comunicação e Design Multimédia Univ. Técnica de Lisboa - Faculdade de Arquitectura Design IPCA - Escola Superior de Tecnologia Design Gráfico Univ. do Minho Design e Marketing de Moda Univ. de Coimbra - Faculdade de Ciências e Tecnologia Design e Multimédia Instituto Politécnico de Coimbra - Escola Superior de Educação de Coimbra Arte e Design Univ. de Lisboa - Faculdade de Belas Artes Design de Equipamento Universidade de Aveiro Design Univ. de Lisboa - Faculdade de Belas Artes Design de Comunicação Univ. de Porto- Faculdade de Belas Artes Design de Comunicação Gráfico 10 Percentagem de estudantes da ESAD que teriam vaga nas instituições de ensino superior públicas

12 A tabela 3 indica a proveniência dos estudantes relativamente às escolas secundárias e aos colégios para o curso de Design. A tabela 4 indica a proveniência dos estudantes para o curso de Artes. Como se pode constatar, a grande maioria dos estudantes vieram da Escola Secundária Soares dos Reis, cerca de 22% (no ano anterior tinha sido de 21%). Um dos objetivos da Semana da ESAD, que se tem vindo a realizar nestes últimos cinco anos, consiste em apresentar a Escola e os planos curriculares dos seus cursos aos estudantes do ensino secundário, com o objetivo de informar melhor os candidatos ao ensino superior e para que possam tomar uma melhor decisão no que diz respeito à seleção da escola/curso a prosseguir. Paralelamente, o Departamento de Projecto e Comunicação responde a convites das escolas secundárias, integrando conferências, espaços de conversa ou promovendo pequenas exposições, visando informar os estudantes sobre a oferta educativa da ESAD. Nº Alunos Escolas / Colégios /Externatos 39 Escola Secundária Soares dos reis 13 Externato Académico 11 Escola Secundária de Ermesinde 8 Escola Secundária da Maia 7 Colégio Internato dos Carvalhos 7 Colégio D. Dinis (Santa Catarina) 6 Escola Secundária Garcia da Orta 6 Escola Secundária de Penafiel 6 Escola Secundária Augusto Gomes 5 Escola Secundária Padrão da Légua 5 Escola Secundária Camilo Castelo Branco - V. N. Famalicão 5 Colégio Luso-Francês 4 Escola Secundária Marco de Canaveses 4 Escola Secundária Carolina Michaellis 4 Colégio Nossa Senhora do Rosário 3 Externato Ribadouro 3 Escola Secundária de Rio Tinto 3 Escola Secundária da Boa Nova 3 Escola Secundária D. Maria II 2 Escola Secundária Santa Maria Maior 2 Escola Secundária Francisco de Holanda 2 Escola Secundária Dr. Manuel Gomes de Almeida 2 Escola Secundária da Trofa Nº Alunos Escolas / Colégios /Externatos 2 Escola Secundária D. Dinis 2 Escola Secundária Aurélia de Sousa 2 Escola Secundária Alcaides de Faria - Arcozelo 2 Escola INED - Nevogilde 2 Escola Artística António Arroio 2 Colégio Liceal de Nossa Senhora Maria de Lamas 2 Colégio D. Diogo de Sousa 2 CEBES 2 Agrupamento de Escolas Santa Maria Maior 1 Grande Colégio Universal 1 Escola Secundária Tomás Cabreira 1 Escola Secundária Gabriel Pereira 1 Escola Secundária Filipa de Vilhena 1 Escola Secundária Eça de Queirós 1 Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves 1 Escola Secundária Domingos Sequeira 1 Escola Secundária de Valongo 1 Escola Secundária de Santa Maria de Lamas 1 Escola Secundária de Lousadda 1 Escola Secundária D. Manuel Gomes de Almeida 1 Escola Secundária Carlos Amarante 1 Escola Secundária Alexandre Herculano 1 Escola Secundária Alberto Sampaio 1 Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas 1 Escola Básica e Secundária de Águas Santas 1 Colégio de Gaia 185 Total Tabela 3 Número e proveniência dos estudantes relativamente às Escolas Secundárias/ Colégios (curso de Design) 22 23

13 Nº Alunos Escolas / Colégios /Externatos 5 Escola Secundária Soares dos Reis 2 Colégio D. Dinis (Santa Catarina) 2 Escola Secundária de Ermesinde 2 Externato Académico 1 CEBES 1 Colégio Internato dos Carvalhos 1 Escola Secundária Camilo Castelo Branco - V. N. Famalicão 1 Escola Secundária Carolina Michaellis 1 Escola Secundária da Boa Nova 1 Escola Secundária de Penafiel 1 Escola Secundária Garcia da Orta 1 Escola Secundária Padrão da Légua 19 Total Tabela 4 Número e proveniência dos estudantes relativamente às Escolas Secundárias/ Colégios (curso de Artes) O gráfico 11 ilustra a proveniência (distrito) dos estudantes que se matricularam na ESAD (candidaturas normais) em ambos os cursos. Tal como nos anos anteriores, a maioria dos estudantes da ESAD é do distrito do Porto (68%), tendo havido, relativamente ao ano letivo anterior, um decréscimo de cerca de 16% Venezuela Turquia Suécia Inglaterra França EUA China Canadá Cabo Verde Brasil Angola Alemanha Africa do Sul O gráfico 12 indica o número de estudantes estrangeiros matriculados neste ano letivo. Neste âmbito, estão a ser engendradas medidas de internacionalização dos cursos da Escola. A este propósito foi criado e aprovado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) um novo curso de Design de Interiores e de Mobiliário em parceria com a Escola de Design de Vilnius da Lituânia (Vilnus College of Design - VDC), a ser lecionado em inglês e com a permuta obrigatória dos estudantes entre a ESAD e o VDC no segundo e terceiro semestres do curso Gráfico 12 Gráfico ilustrativo do número de estudantes estrangeiros matriculados na Escola em Porto Aveiro Braga Castelo Branco Faro Lisboa Viana do Castelo Leiria Vila Real Gráfico 10 Gráfico ilustrativo do número de estudantes por distrito matriculados na Escola

14 Conselho Técnico-Científico As atividades do Conselho Técnico-científico (CTC) para o ano letivo 2012/13 incidiram, entre outros, na: - Aprovação da distribuição do serviço docente para o ano 2013/14; - Aprovação do calendário escolar; - Avaliação, através da respectiva comissão, da capacidade para a frequência do ensino superior dos candidatos maiores de 23 anos; - Elaboração de pareceres diversos sobre os processos de creditação; - Analise e aprovação de novos cursos de especialização, pós-graduação e de curta e media duração. Foi ainda realizado um Curso de Formação de Professores, Qualidade do Ensino- Aprendizagem em Artes e Design, com vista à elaboração do relatório de autoavaliação

15 Conselho Pedagógico Conselho de Direção As seguintes atividades foram desenvolvidas: - Deu pareceres sobre requerimentos e reclamações; - Discutiu e aprovou alterações a diversos regulamentos; - Discutiu e aprovou relatórios de carácter pedagógico; - Promoveu a eleição do Conselho Pedagógico para o ano letivo de 2012/13. O Conselho de Direção desenvolveu as suas atividades de acordo com as suas competências, sendo de realçar o trabalho desenvolvido no âmbito da preparação da proposta do Estatuto da Carreira Docente da ESAD, da proposta de Regulamento de Avaliação do Desempenho Docente e da proposta de criação da Associação ESAD_ IDEA para a formalização do modelo de investigação da Escola. No âmbito das suas competências, o órgão reuniu três vezes, tendo dado pareceres sobre o plano de atividades de 2012/13 e sobre o relatório de atividades de 2011/

16 Conselho Consultivo Associação de Estudantes No âmbito do deste conselho, a ESAD promoveu o encontro (24 de Outubro de 2013) de reflexão e debate sobre a investigação em design em Portugal. O encontro teve como objetivo a apresentação das diferentes unidades de investigação que desenvolvem projetos na área do design em Portugal, a convergência de pontos de vista entre as diferentes entidades e protagonistas e o reforço de iniciativas e projetos comuns. O programa do encontro foi: A Associação de Estudantes da Escola, de acordo com as competências, desenvolveu as acções que se apresentam em anexo B. 14:00 Abertura (José Simões) 14:15 Enquadramento dos trabalhos (José Bártolo) Tackling Societal Challenges 14:30 Economia Criativa e Desenvolvimento Regional (Nuno Oliveira da Câmara Municipal de Matosinhos) Competitive Industries 14:45 A relação entre o sector empresarial e a Universidade (José António Teixeira do Grupo RAR) Excellent Science 15:00 Apresentação da 9th InternationalCommittee Design History and Design Studies 2014 (Helena Barbosa da Universidade de Aveiro) 15:10 Investigação e Redes partilhadas em Design (Raul Cunca do CIEBA) 15:25 CDRSP Centre for Rapid and Sustainable Product Development (Paulo Bártolo do ISL) 15:40 CIAUD (Leonor Ferrão da FA/UL) 15:55 CECL (Teresa Cruz da UNL) 16:10 CIEBA Centro de Investigação e Estudos em Belas-Artes/Secção Design de Comunicação (Victor Almeida da FBAUL) 16:25 ID+ (Vasco Branco da UA e Heitor Alvelos da UP) 16:40 UNIDCOM (Eduardo Côrte-Real do IADE) 17:00/18:00 Debate 18:00 Encerramento dos trabalhos por José Bártolo da ESAD 18:30 Inauguração/Visita (José Bártolo da ESAD e Jorge Silva da SilvaDesigners) Exposição Almanaque - Uma História do Design Português em Revista na galeria Quadra do Mercado Municipal de Matosinhos. Participantes: ESAD das Caldas da Rainha (IPL); Instituto Politécnico de Portalegre; Universidade de Évora; Instituto Politécnico de Viana do Castelo; Colégio das Artes - Universidade de Coimbra; Instituto Politécnico de Castelo Branco 30 31

17 Desenvolvimento e Consolidação da esad Colaboração Institucional e Intercâmbio Cultural O processo de concretização de Bolonha, tal como nos anos letivos anteriores, tem vindo a ser consolidado de uma forma coerente e sustentado. Reiterando, novamente, o que foi referido em relatórios anteriores, a perda de uma maior capacitação ao nível dos processos de projeto dos recém-licenciados não tem sido compensada através do 2º ciclo. Esta constatação é, mais uma vez, confirmada pela baixa adesão dos estudantes ao 2º ciclo do Mestrado e aferida pela qualidade dos projetos dos estudantes do último ano de Licenciatura (estudantes do 3º ano). Este é um facto e um tema que deve merecer por parte dos órgãos da Escola uma reflexão profunda no sentido de engendrar medidas que visem consciencializar os estudantes para a importância de continuar através do Mestrado o prosseguimento de estudos, para uma melhor e mais sólida aquisição de conhecimentos e competências ao nível da atividade projectual, de modo a minimizar as diferenças inerentes entre o profissional no mercado de trabalho e o recém-licenciado. É urgente a reformulação do Mestrado, que aparentemente não é convincente ou não é atrativo. No âmbito do processo da autoavaliação em desenvolvimento, necessário para o processo de acreditação dos cursos de Design e de Artes, foi constituída uma comissão de acreditação interna da ESAD (CAESAD). Esta comissão tem desenvolvido o trabalho de acordo com o solicitado no guião de autoavaliação definido pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES). Espera-se ter o processo concluído em finais do ano de No que diz respeito à colaboração institucional transnacional e intercâmbio cultural, esta foi mantida em níveis idênticos aos dos anos letivos anteriores. Temos vindo a aumentar ligeiramente o número de acordos com instituições congéneres europeias, o que nos tem obrigado a realizar um processo de seleção dos alunos que pretendem frequentar a ESAD. No sentido de estudar uma atuação de desenvolvimento mais consentânea com a atual situação do país, foi realizado um contrato com a empresa Augusto Mateus & Associados que tem por objeto a consultoria e assistência técnica como propósito da elaboração do Plano Estratégico ESAD Este estudo está a ser desenvolvido também com a finalidade da criação de plataforma de investigação aplicada. No que se refere a parcerias institucionais, orientadas a aproximação da Escola a comunidade, e de referir a continuada colaboração com a Camara Municipal de Matosinhos, com a Camara Municipal de Santo Tirso no âmbito do projeto I-MOD e com a Camara Municipal de Paredes no âmbito do projeto Arts on Chairs. Foi ainda objetivo incrementar o número de parcerias e consolidar a colaboração com as empresas e institutos de I&D através dos cursos da Escola, nomeadamente no âmbito das unidades curriculares de Projeto. Do ponto de vista pedagógico foi objectivo dinamizar atividades de projecto com os alunos dos dois ciclos de formação e dos cursos de pós-graduação, apoiar e realizar seminários e workshops, cursos e participar em concursos de design industrial e em exposições. Na sequência do apoio e das parcerias da Câmara Municipal de Matosinhos à ESAD, o CIFAD/ESAD continuou a dar suporte à área cultural na dinamização e realização de eventos na Galeria Quadra. Ainda integrada nestas parcerias e na dinamização da zona da Quadra Marítima de Matosinhos, realizaram-se os Projetos de arquitetura para instalar a Incubadora de empresas do Mercado e para requalificação de um edifício em Brito Capelo onde irá ser instalada o Espaço Quadra. Prosseguiu o apoio que se tem dado à área das publicações, com a edição, entre outras, de um livro sobre o arquiteto Siza Vieira, outro referente a Guimarães capital da cultura, e ainda à publicação da revista PLI. Continuou a dar-se apoio a docentes no que respeita à participação em congressos workshops e outras manifestações culturais no país e estrangeiro. Desenvolveu-se, ainda, mais a colaboração da escola com entidades no sector da prestação de serviços. Promoveu-se o apoio genérico às manifestações da escola quer de caráter cultural externa e interna quer às atividades circum-escolares organizadas pelos seus docentes

18 Mobilidade Erasmus e Cooperação Internacional Apoiou-se o desenvolvimento das relações da escola com outras instituições quer nacionais quer estrangeiras, nomeadamente no âmbito dos programas de mobilidade, em especial o de Erasmus. Foi objetivo intensificar a cooperação internacional através da assinatura de novos acordos bilaterais com instituições do ensino superior europeias. E, tal como nos anos anteriores, foi objetivo: Manteve-se a política de incrementação da publicitação da ESAD e seus cursos, tendo-se participado com stands em feiras do setor, no sentido de procurar contrariar a diminuição da procura verificada genericamente no ensino privado. Paralelamente deu-se apoio à realização de contatos mais próximos com escolas secundárias. O gabinete de projecto e comunicação da ESAD tem como missão principal gerir as questões de comunicação referentes a Escola, como a presença em escolas do ensino secundário para sessões de esclarecimento relativas aos cursos ministrados, assim como a organização da Semana da ESAD. O Gabinete de Projeto e Comunicação prestou diversos serviços externos e estabeleceu diversas parcerias, que estão identificadas no seu plano em anexo. - Manter as oportunidades de mobilidade dos estudantes, procurando que o crescimento seja sustentado, de acordo com os padrões das Instituições do Ensino Superior e com as suas dimensões; - Dinamizar a oferta de estágios curriculares e profissionais a alunos estrangeiros; - Promover a mobilidade de pessoal não docente no âmbito de uma estratégia de formação institucional, fazendo, assim, parte integrante do plano de formação da Escola; - Incentivar e criar as condições necessárias a mobilidade dos docentes; - Apoiar e aumentar a participação dos alunos em programas IP; - Aumentar o número de professores de escolas estrangeiras a ESAD, que trazem benefícios pedagógicos e científicos aos nossos alunos; - Preparação conjunta de propostas de projetos europeus; - Preparação, em conjunto com escolas pertencentes à rede CUMULUS, projectos de carácter científico-cultural. O gráfico 13 mostra o número de estudantes estrangeiros que frequentaram a ESAD, assim como a sua proveniência no âmbito do programa de mobilidade ERASMUS. Como se pode constatar, a ESAD recebeu 112 alunos de instituições diversas do espaço Europeu, 12 do Brasil e 1 do Canada, num total de 125 estudantes, o que corresponde a cerca de 12% do total de alunos do 1º ciclo. A grande maioria dos estudantes veem de Espanha, principalmente pelo facto de a língua não constituir obstáculo maior, 31% da totalidade dos estudantes estrangeiros. Tal como em anos anteriores, a ESAD continua a ser muito procurada pelos estudantes de países de leste com Polónia, Lituânia e Turquia, que totalizaram este ano cerca de 29%. Se excluirmos os estudantes espanhóis, cerca de 60% são estudantes de países de leste. No que se refere à mobilidade dos docentes, a ESAD recebeu cerca de 40 docentes provenientes de Espanha, Turquia, Bélgica, Brasil, Escócia, Lituânia e Polónia. Estiveram 31 alunos da ESAD em mobilidade, 23 da licenciatura, 2 do mestrado e 7 ao abrigo de acordos bilaterais com instituições de ensino superior brasileiras

19 Participação dos Estudantes no Processo do Ensino-Aprendizagem Os estudantes, tal como em anos anteriores, têm participado no processo do ensino aprendizagem, particularmente através do Conselho Pedagógico e de outras formas não formais. Um dos principais instrumentos utilizado no processo são os inquéritos de ensino-aprendizagem, realizados no final do ano letivo pelos estudantes e que tem como objetivo colher opiniões referentes às relações Escola-docente-unidade curricular. Tal como nos outros anos, é feita a análise dos resultados destes inquéritos, que 25 são apresentados, discutidos e apresentados no Conselho Pedagógico A Associação de Estudantes tem organizado a realização de reuniões gerais de 0 1 Alemanha 4 4 Bélgica Eslovénia Espanha 2 1 Finlândia França 4 4 Grécia Hungria 2 Irlanda 7 Itália Lituânia 4 Letónia Polónia 2 Roménia Turquia Brasil 1 Canadá estudantes para debaterem os seus problemas, incluindo os referentes ao processo de ensino-aprendizagem. As atas dessas reuniões são posteriormente debatidas no Conselho Pedagógico. Os coordenadores de curso têm também um papel importante na resolução de problemas inerentes ao processo de ensino-aprendizagem e têm engendrado medidas diversas com os seus pares e com os estudantes para resolver os mesmos. Neste âmbito, o Conselho Pedagógico tem tido um papel interventivo, nomeadamente através dos Gráfico 13 Gráfico indicativo do número de estudantes ERASMUS e sua proveniência. seus membros do corpo discente e através do Provedor do Estudante, o Prof. Almiro Amorim. O facto da composição do Conselho incluir um estudante por curso (Licenciatura e Mestrado) e do 1º ano, permite também um maior e pormenorizado conhecimento dos diversos problemas dos estudantes e de uma forma geral da Escola. Tem sido reiteradamente confirmado pelos docentes que a organização dos cursos está mais direcionada para o mercado de trabalho e neste sentido, tem sido estimulado o desenvolvimento de projetos em contextos reais de trabalho, sempre que possível com empresas, e também com a perspetiva de criar com as mesmas possibilidades de emprego para os recém-licenciados

20 Promoção do Sucesso Escolar O sucesso escolar é necessariamente uma vertente importante no processo de ensino- -aprendizagem e, neste sentido, foram introduzidas medidas nos regulamentos de estudos e de aproveitamento dos estudantes. Com objetivos meramente estatísticos, apresentam-se as percentagens de aprovação em cada unidade curricular referentes ao ano letivo de 2012/13. Estes indicadores devem ser analisados com sentido crítico, tendo em especial atenção ao número de estudantes inscritos em cada unidade curricular de cada curso. As percentagens de aprovações às unidades curriculares do 1º ciclo e do 2º ciclo, referentes ao ano letivo de 2012/13, estão apresentadas nas tabelas 5, 6, 7, 8 e 9. Deve referir-se que a sigla F.E.A. indica Falta de Elementos de Avaliação, ou seja, os estudantes não se sujeitaram a todas as avaliações previstas; a sigla S.E.A. indica Sem Elementos de Avaliação que se refere ao estudante que não se sujeitou a qualquer momento de avaliação, ou tendo-se inscrito não frequentou a unidade curricular. Unidades Curriculares Apr. Rep. F.E.A. S.E.A. Total % Apr. Desenho I Fundamentos do Design Geometria e Projectação História da Arte e do Design I Laboratório de Imagem Laboratório Digital I Teoria da Percepção Tabela 5 Percentagens de aprovações das unidades curriculares do 1º ano. Tal como em anos anteriores, as taxas de aprovação (TA) das unidades curriculares (UCs) de História da Arte e do Design I e Teoria da Perceção são comparativamente baixas e semelhantes aos anos letivos anteriores. No que diz respeito à UC de História da Arte e do Design I, verificou-se um aumento da TA de cerca de 15%. A média das TA foi de 79%, mais 1% relativamente ao ano anterior. Unidades Curriculares Apr. Rep. F.E.A. S.E.A. Total % Apr. Desenho II Metodologias em Design Artes Digitais e Multimédia Desenho para Ecrã Laboratório de Som Laboratório de Video Escrita Criativa e Proc. Narrativos História dos Media Joalharia Projecto I - Joalharia Laboratório Digital II Materiais e Tecnologias História da Moda e da Joalharia Técnicas de Produção I Comunicação Projecto I - Comunicação Laboratório Digital II Ilustração Estudos Tipografia História dos Media Interiores Projecto I - Interiores Laboratório Digital II Construção para Interiores História dos Interiores Laboratório de Materiais Produto Projecto I - Produto Laboratório Digital II Modelos e Protótipos História do Design Industrial Laboratório de Materiais Moda Projecto I - Moda Desenho de Moda I Técnicas Produtivas História da Moda e da Joalharia Laboratório de Materiais Tabela 6 Percentagens de aprovações das unidades curriculares do 2º ano

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Iade Instituto De Artes Visuais,

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE MATOSINHOS REGULAMENTO DE ADMISSÃO NO MESTRADO EM DESIGN. Preâmbulo

ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE MATOSINHOS REGULAMENTO DE ADMISSÃO NO MESTRADO EM DESIGN. Preâmbulo ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE MATOSINHOS REGULAMENTO DE ADMISSÃO NO MESTRADO EM DESIGN Preâmbulo De acordo com o novo Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, a Escola Superior de Artes

Leia mais

Suplemento ao Diploma

Suplemento ao Diploma IADE-U Instituto de Arte, Design e Empresa - Universitário A estrutura do Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. Tem por objectivo

Leia mais

NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Ensilis - Educação E Formação Sa A.1.a.

Leia mais

Sumário analítico do. Percurso dos estudantes admitidos na Universidade do Porto em 2008/2009, pelo regime geral

Sumário analítico do. Percurso dos estudantes admitidos na Universidade do Porto em 2008/2009, pelo regime geral Sumário analítico do Percurso dos estudantes admitidos na Universidade do Porto em 2008/2009, pelo regime geral Universidade do Porto. Reitoria >> Serviço de Melhoria Contínua. Versão3. 13 janeiro 2012

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM PUBLICIDADE E RELAÇÕES PÚBLICAS O presente regulamento foi homologado pelo Presidente

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18

Leia mais

Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning. Normas regulamentares. Artigo 1.º Criação

Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning. Normas regulamentares. Artigo 1.º Criação Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning Normas regulamentares Artigo 1.º Criação A Universidade Nova de Lisboa, através da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH/UNL), confere o grau de Mestre

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares. Artigo 1.º Grau

Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares. Artigo 1.º Grau Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares Artigo 1.º Grau A Escola Superior Artística do Porto confere a Pós-Graduação em Arte Contemporânea Artigo 2.º Objectivos do curso 1. A Pós-Graduação

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação do pedido Versão 1.0 março de 2015 0. Âmbito do guião e síntese

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DAS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DA ESTBarreiro/IPS

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DAS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DA ESTBarreiro/IPS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DAS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DA ESTBarreiro/IPS 1. INTRODUÇÃO Este documento tem por objetivo estabelecer o Sistema de Gestão da Qualidade das Atividades Pedagógicas da ESTBarreiro/IPS

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO

REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO O presente regulamento decorre do Regulamento dos Segundos Ciclos de Estudos do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA (Aprovado pela Assembleia de Faculdade, em 16 de Janeiro de 2014) CAPÍTULO

Leia mais

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas CANDIDATURAS 1ª Fase: A partir de 1 de Abril a 1 de Agosto 2ª Fase: De 2 de Agosto a 31 de Outubro REQUISITOS/ ACESSOS Ser titular do grau de licenciado ou equivalente

Leia mais

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Ensino Superior Regulamento n.º 319/2013 Regulamento do Programa de Apoio Social a Estudantes através de atividades de tempo Parcial (PASEP) da Universidade

Leia mais

ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA SUPLEMENTO AO DIPLOMA (versão em português) A estrutura do suplemento ao diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. Tem por objetivo fornecer

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA Ano 2008/2009 Data 30/12/2009 Página 1 de 11 RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2008/2009 (em cumprimento do Artigo 66º do Decreto-Lei nº 107/2008, de 25 de Junho)

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL porto. aveiro. lisboa LICENCIATURA & MESTRADO THE MARKETING SCHOOL Somos uma escola vocacionada essencialmente para as empresas e mercados. Queremos qualificar

Leia mais

ACEF/1213/23052 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1213/23052 Relatório preliminar da CAE ACEF/1213/23052 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa

Leia mais

Auditoria Sistemática

Auditoria Sistemática ISAL Instituto Superior de Administração e Línguas Auditoria Sistemática Resumo do Relatório da Inspecção Geral do MCTES 18.Novembro.2010 Índice INTRODUÇÃO... 3 CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DOS PROCEDIMENTOS...

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico)

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico) Guião para a autoavaliação Ciclo de estudos em funcionamento (Ensino Universitário e Politécnico) Guião ACEF 2014/2015 PT (Revisão aprovada em 26.03.2014) Caracterização do pedido A1. Instituição de ensino

Leia mais

CEF/0910/25616 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/25616 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/25616 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Ensinus-Estudos

Leia mais

A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior

A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior A difícil concretização do processo de Bolonha no Ensino Superior O SNESup e o Núcleo de Estudantes de Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra realizaram mais um debate integrado

Leia mais

RELATÓRIOS DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIOS DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA 2009/2010 RELATÓRIOS DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA 2009/2010 Escola Superior de Tecnologia do Barreiro Documento onde se estabelecem as linhas orientadoras para elaboração dos Relatórios de Concretização

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) CONCURSO DE ACESSO E DE REINGRESSO NOS CURSOS DE MESTRADO. Edição de 2014/2015 EDITAL

ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) CONCURSO DE ACESSO E DE REINGRESSO NOS CURSOS DE MESTRADO. Edição de 2014/2015 EDITAL EDITAL João Alberto Sobrinho Teixeira, Presidente do Instituto Politécnico de Bragança; João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave; Maria do Rosário Gambôa

Leia mais

ACEF/1213/03857 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1213/03857 Relatório preliminar da CAE ACEF/1213/03857 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Outras

Leia mais

Mestrado (2º ciclo) em Ecologia Ambiente e Território

Mestrado (2º ciclo) em Ecologia Ambiente e Território Mestrado (2º ciclo) em Ecologia Ambiente e Território RELATÓRIO DA CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA Ano Lectivo 2008/2009 Porto, Dezembro 2009 1 Índice 1. O curso de 2º ciclo em Ecologia,

Leia mais

Relatório de atividades do IPAM- Aveiro

Relatório de atividades do IPAM- Aveiro Relatório de atividades do IPAM- Aveiro 2013 2014 Índice INTRODUÇÃO... 4 1. Grau de cumprimento do plano estratégico e do plano anual e dos respetivos objetivos... 5 Enquadramento: plano e objetivos...

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE

Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE Diário da República, 2.ª série N.º 62 30 de março de 2015 7769 Doutor Bruno Filipe Rama Travassos, Professor Auxiliar da Universidade da Beira Interior; Doutor Victor Manuel de Oliveira Maças, Professor

Leia mais

Seminário Final. O Processo de Bolonha em Portugal Presente e Futuro

Seminário Final. O Processo de Bolonha em Portugal Presente e Futuro Seminário Final O Processo de Bolonha em Portugal Presente e Futuro Universidade de Aveiro, 26 de Junho de 2009 CONCLUSÕES Relatora: Maria de Lurdes Correia Fernandes Sessão de abertura: Secretário de

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei

Leia mais

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 2) Cartas de curso identificação do Reitor da Universidade Nova de Lisboa, identificação do titular do grau, n.º do documento de identificação

Leia mais

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância Universidade Aberta Sede R. da Escola Politécnica, 147 1269-001 Lisboa Campus do Taguspark Av. J. Delors, Edifício Inovação I 2740-122 Porto Salvo, Oeiras Coordenadora: Guia de Curso Lídia Grave-Resendes

Leia mais

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE

ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE ACEF/1112/03902 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

Universidade Portucalense. Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING

Universidade Portucalense. Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING Universidade Portucalense Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING APROVADAS NO CONSELHO CIENTÍFICO 9 _2009 DE 23 DE SETEMBRO DE 2009

Leia mais

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS Portugal, 2010 Documento elaborado pelo grupo de trabalho designado como Formação com base em orientações determinadas no encontro nacional de profissionais

Leia mais

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher?

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? A publicação da Lei n.º 85/2009, de 27 de Agosto, estabelece o regime de escolaridade obrigatória para as crianças e jovens em idade escolar,

Leia mais

ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS

ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS ANO LECTIVO 2008/2009 O Presidente do Conselho Directivo da Escola Náutica Infante D. Henrique,

Leia mais

CEF/0910/27461 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/27461 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/27461 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Ese

Leia mais

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO PRIMEIRO CICLO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18 de maio

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM MARKETING Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas 1 a 7 1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade De Aveiro 1.a. Descrição

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS EDUCATIVAS RELATÓRIO ANUAL (2009/2010) Índice 1 Cumprimento do plano estratégico e do plano anual... 2 1.1. Do plano estratégico... 2 1.1.1. - Desenvolvimento e Inovação

Leia mais

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05)

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Instituto Politécnico de Portalegre ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE ELVAS Normas regulamentares dos Cursos de Especialização Tecnológica (Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Elvas Julho de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem GUIA DE CANDIDATURA PARA MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA ESTÁGIOS ERASMUS+ (SMP)

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através do Departamento

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA (Edição 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Portugueses. Documentos do CCISP. Sobre o Ensino Superior Português

Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Portugueses. Documentos do CCISP. Sobre o Ensino Superior Português Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Portugueses Documentos do CCISP Sobre o Ensino Superior Português 2010 Índice ÍNDICE... 2 1 BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SISTEMA PORTUGUÊS DE ENSINO SUPERIOR...

Leia mais

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO

Grupo Parlamentar. Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO Grupo Parlamentar Projecto de Lei N.º 52/IX ALTERA A LEI DE BASES DO SISTEMA EDUCATIVO O chamado processo de Bolonha não é, por essência, negativo, particularmente se for adoptado numa óptica de estímulo

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro RELATÓRIO ANUAL 2012-2013 IPAM Aveiro Índice Nota Introdutória... 3 1. Do grau de cumprimento do plano estratégico e do plano anual... 4 2. Da realização dos objetivos estabelecidos;... 4 3. Da eficiência

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 4 3. FINALIDADE... 4 4. OBJECTIVOS GERAIS... 4 5. PLANO CURRICULAR... 5 6.

Leia mais

CEF/0910/27636 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/27636 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/27636 Relatório final da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 Escola de Ciências Universidade do Minho 1. Missão A Escola de Ciências tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Exatas e da Natureza e domínios

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fedrave - Fundação Para O Estudo E

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

Regulamento de Transição Curricular e Plano de Creditações para o Ano Letivo 2015/2016

Regulamento de Transição Curricular e Plano de Creditações para o Ano Letivo 2015/2016 Regulamento de Transição Curricular e Plano de Creditações para o Ano Letivo 201/201 Os cursos de 1º ciclo da ESCS, estruturam- se num Plano de Estudos de seis semestres curriculares num total de 180 ECTS

Leia mais

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos ESTE ANO VOU CONHECER NOVAS PESSOAS ESTE ANO VOU ALARGAR CONHECIMENTOS ESTE ANO VOU FALAR OUTRA LÍNGUA ESTE ANO VOU ADQUIRIR NOVAS COMPETÊNCIAS ESTE ANO VOU VIAJAR ESTE ANO VOU SER ERASMUS Guia do Estudante

Leia mais

NCE/13/00111 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/13/00111 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/13/00111 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Isla - Santarém, Educação E Cultura,

Leia mais

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Cofac - Cooperativa De Formação E

Leia mais

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de 3 APROVADO POR: Conselho Técnico Científico 26 09 2011 Data: / / 26 09 2011 Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de licenciado na ESEP INTRODUÇÃO Os Decretos Lei n.º

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DE EMPRESAS Artigo 1.º Criação A Universidade

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA 2007/2008 DEPARTAMENTO Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial CURSO Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial (2.º Ciclo) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO. Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2015/2016

ORDEM DE SERVIÇO. Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2015/2016 N.º: 2015001 DATA: 14-05-2015 Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2015/2016 Por deliberação da Direcção da CEU-Cooperativa de Ensino Universitário, CRL, entidade instituidora

Leia mais

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8 EDITAL 1º Ciclo de Estudos - Ano Letivo 2015/2016 Concurso para os regimes de Reingresso, Mudança de Curso, Transferência, e Concursos Especiais de Ingresso (titulares de curso médio ou superior e maiores

Leia mais

DESPACHO. Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.

DESPACHO. Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. DESPACHO N.º07/2014 Data: 2014/02/11 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e Não Docente ASSUNTO: Estrutura Orgânica dos Serviços da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. Os Estatutos

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO DE UNIDADES DE SAÚDE Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira

Leia mais

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação

Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Mestrado em Conservação e Restauro 1 Mestrado em Conservação e Restauro com área de especialização em Conservação e Restauro ou Ciências da Conservação Artigo 1º Criação A Universidade Nova de Lisboa (UNL),

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010

ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010 ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010 EMPREGABILIDADE A informação estatística recolhida neste documento é baseada no relatório

Leia mais

Produção Multimédia Interactiva

Produção Multimédia Interactiva Produção Multimédia Interactiva Candidaturas 2012/13 secretaria@ipa.univ.pt http://pmi.ipa.univ.pt www.ipa.univ.pt IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos No IPA prosseguimos os seguintes

Leia mais

Escola Superior de Artes e Design, Matosinhos. Inquérito aos Licenciados que terminaram os seus cursos em 2006, 2007 e 2008

Escola Superior de Artes e Design, Matosinhos. Inquérito aos Licenciados que terminaram os seus cursos em 2006, 2007 e 2008 Escola Superior de Artes e Design, Matosinhos Inquérito aos Licenciados que terminaram os seus cursos em 2006, 2007 e 2008 1 Relatório Empregabilidade 2006-2008 (adaptado 2010) Este relatório tem como

Leia mais

Suplemento ao Diploma

Suplemento ao Diploma Suplemento ao Diploma 1. INFORMAÇÃO SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO 1.1 Apelido(s): XXXXXXx 1.2 Nome(s) próprio(s): XXXXXXXXXXXXX O presente Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão

Leia mais

Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado. Edital 1ª Edição 2012-2013

Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado. Edital 1ª Edição 2012-2013 Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado Edital 1ª Edição 2012-2013 Barreiro, Maio de 2012 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Gestão da Sustentabilidade do Edificado (PGGSE) é uma realização

Leia mais

DESPACHO/SP/43/2014. Artigo 1.º

DESPACHO/SP/43/2014. Artigo 1.º DESPACHO/SP/43/2014 Aprovo a seguinte alteração ao Regulamento do Mestrado em Radiologia Especialização Ósteo-articular, ministrado na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC), homologado

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA REGULAMENTO. Objeto, duração e definições

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA REGULAMENTO. Objeto, duração e definições CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA REGULAMENTO Objeto, duração e definições Artigo 1.º Objecto do Curso 1. O Curso de Especialização em Gestão e Organização da Justiça é um Curso de

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg PREÂMBULO O Decreto Lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado pelos Decretos Lei n. os 107/2008, de 25 de Junho,

Leia mais