Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários - 30.130-140 - Belo Horizonte/MG Fone: (31) 3409-8830 - Fax: (31) 3409-8818"

Transcrição

1 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN Conteúdo Programático Disciplinas Obrigatórias 1º PERÍODO ACR-041 Análise Crítica da Arte ACR-042 Estética TAU050 Metodologia do Design I TAU053 Introdução ao Design TAU054 Introdução à Oficina

2 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA ACR 041 Análise Crítica da Arte Departamento(s) responsável(eis): Análise Crítica e Histórica da Arquitetura e do Urbanismo Eixo estruturante: Área de Humanas Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 60 horas Créditos: 4 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 1 o período Ementa: Apresentação e análise crítica dos conceitos fundamentais para a compreensão da evolução da linguagem artística com ênfase na produção européia e seus desdobramentos nas Américas. Serão abordados os ideais artísticos e estéticos desde a antiguidade clássica até a contemporaneidade, ressaltando as alterações nas formas de criação e produção plástica, o papel do artista, seu compromisso teórico, sua formação e a recepção pública da arte. Bibliografia básica: ARGAN, CC. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, CROUZET, M. (sob a dfreção de). História Geral das Civilizações, O Oriente e a Grécia Antiga, Vo] 1 e 2, São Paulo e Rio de Janeiro: Ed. Bertrand Brasil, GOMBRICH, E.H. A História da Arte. Rio de Janeiro: LTC, JANSON, A. F. & JANSON, H.W. Iniciação à História da Arte. São Pauro: Marlins Fontes, JANSON, H.W. História Geral da Arte. São Paulo Martins Fontes, HALL, H.R. História Antiga do Oriente Próximo. Rio de Janeiro, NUNES, B. Introdução à filosofia da Arte. São Paulo: Ática, Bibliografia complementar: BOLTSHAUSER, J. História da Arquitetura, VaI 1 e 3. GAGNEBIN, J. Sete Aulas sobre Linguagem, Memória e História. Rio de Janeiro: mago, PANOFSKY, E. Arquitetura Gótica e Escolástica. São Paulo: Martins Fontes. STIERLIN, H. Enciclopedia af World Architecture. Evergreen, 1977; ZEVI, B. Saber ver a arquitetura. São Paulo: Martins Fontes,

3 Objetivo: - Sensibilizar para o universo da arte e do design através da análise de repertório visual e conceitual composto por objetos, espaços, processos e suas implicações filosóficas e sociais estimulando o estudante a compreender o seu lugar na história; - Desenvolver instrumentos básicos para a reflexão, a crítica e a criação em design; - Apresentar a arte como um campo móvel de produção de questionamentos e diálogos com o mundo, empregando a crítica de arte como uma via de compreensão do mundo através das obras. Conteúdo: 1. Conceitos da historiografia da arte Introdução à história como disciplina crítica e criativa, evidenciando as possibilidades de se lidar com o fenômeno histórico. Estudo de autores que tratam a história na sua dimensão subjetiva e cotidiana (microhistória x história oficial). O papel da arte na formação dos sujeitos; reconhecimento da esfera afetiva de objetos e espaços. 2. Natureza, natureza-morta e paisagem Análise histórica desses temas e gêneros clássicos de representação. O naturalismo na antiguidade clássica. O esquematismo na Idade Média. As relações entre os conceitos, os hábitos e a imaginação por trás da natureza-morta. A paisagem no Renascimento. O olhar colonizador. Os gabinetes de curiosidades. História transdisciplinar da paisagem. Discussão das abordagens da natureza na arte contemporânea. 3. Habilidade, técnica e tecnologia A Revolução Industrial e suas implicações na vida cotidiana, no conceito de corpo, na arte e no design. Estudo do surgimento de uma estética da máquina e das próteses e invenções científicas que mudaram radicalmente a nossa percepção do mundo. As Vanguardas Históricas. Análise histórica do paradigma da habilidade artística, a ruptura da arte conceitual e as relações atuais entre os artistas e a tecnologia. 4. Retratos e outras intimidades Discussão, a partir desse gênero clássico de representação, das relações entre público e privado na arte. O surgimento da fotografia e a popularização da própria imagem. O cotidiano na arte. Arte e documentário. O desafio do olhar onipresente dos satélites. 5. Arte e cidade, arte e política Pensamentos e práticas artísticas na segunda metade do século XX: arte e espaço minimalismo, instalação, land art, arte ambiental, arte pública. Discussão de táticas e estratégias de comunicação e difusão da arte no espaço urbano. 6. Estética relacional e Do it! Discussão de duas propostas críticas para a arte contemporânea, a partir de autores contemporâneos. Crítica e curadoria, história da arte e geografia da arte. 3

4 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA ACR 042 Estética Departamento(s) responsável(eis): Análise Crítica e Histórica da Arquitetura e do Urbanismo Eixo estruturante: Área de Humanas Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 45 horas Créditos: 3 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 1 o período Ementa: Introdução às noções gerais sobre a filosofia estética desde a antiguidade clássica. Destaca as principais contribuições teóricas e suas articulações com a criação artística, a arquitetura, o design e a cidade. Conceitos contemporâneos da filosofia estética, enfatizando as suas repercussões e condicionamentos teóricos na experiência artística e suas inovadoras linguagens. Bibliografia básica: ADORNO, T.W. Teoria Estética. Lisboa: edições OSBORNE, Harold, Estética e Teoria da Arte. Editora Cultrix, p. FLUSSER, Vilém. O mundo codificado. Editora Cosac Naify, 2007, 224p. BAYER, R. História da Estética. São Paulo: Cultrix, BENJAMIN,W. A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica. São Paulo: Brasiliense, HEGEL,G.F.W. Estética: a idéia e o ideal. São Paulo: Abril Cultural, 1974(Os pensadores XXX, ) HEIDEGGER,M. A origem da obra de arte. Lisboa: edições 70, Bibliografia complementar: ARNHEIM, R. Arte e Percepção Visual. São Paulo: Pioneira, BENSE, M. Pequena Estética. São Paulo: Perspectiva, BRONOWSKI, J. Arte e Conhecimento. Lisboa: edições 70, CALABRESE, O. A Linguagem da Arte. Rio de Janeiro: Globo,1986. CHIPP, H.B. Teorias da Arte Moderna. São Paulo: Martins Fontes,

5 Objetivo: - Discutir algumas das principais contribuições da filosofia estética e do pensamento ocidental acerca do belo e das artes desde a antiguidade até os dias atuais; - Identificar e estudar pensadores, textos e produções mais importantes, relacionando-os na história; - Ler com os alunos criticamente esses textos e produções, orientando-os à crítica e à produção de conhecimento a partir deles; - Estudar importantes trechos de tratados artísticos na história; - Preparar o aluno para a discussão estética relacionada às artes e ao design, na história e na contemporaneidade; Conteúdo: Unidade 1 Grécia antiga: as origens do pensamento acerca do Belo A Grécia e a descoberta do Belo A concepção mágica e mítica da beleza arcaica e a concepção matemática e racional da beleza clássica O surgimento da filosofia e do pensamento racional a respeito do belo A natureza como modelo de imitação Socrátes, Platão e Aristóteles a sistematização da Retórica e da Poética e sua importância para as artes até o século XVIII Unidade 2 - Renascimento O humanismo italiano e a reinvenção da antiguidade greco-romana A concepção matemática e proporcional da beleza A descoberta da perspectiva e seu papel nas artes O amor e a concepção da beleza no Renascimento: Leonardo da Vinci e Michelangelo Unidade 3 A retórica barroca A concepção da beleza como formosura adequada no período chamado Barroco. Retórica e persuasão, decoro, engenho e eficácia, a rica preceptiva das artes nos séculos XVII e XVIII A adaptação das normativas do belo eficaz na colônia brasileira e em Minas Gerais Unidade 4 Romantismo e idealismo alemão O nascimento propriamente dito da Estética como ciência do Belo (Baumgarten) Kant e a crítica da faculdade de julgar A assimilação de categorias como o sublime e o pitoresco nas artes Unidade 5 Modernidade Temas para trabalhos e seminários dos alunos John Ruskin e Willian Morris Friedrich Nietzsche, Apolo e Dioniso. A música e o nascimento da tragédia A escola de Warburg e a história da arte Adorno e Walter Benjamin, a escola de Frankfurt As novas ciências da relação do homem com as artes. A fenomenologia de Husserl e Merleau-Ponty e o existencialismo de Heidegger O pensamento situacionista Derrida, Deleuze e Guatarri A erotização da experiência artística contemporânea O humanismo renovado na experiência do corpo 5

6 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA TAU 050 Metodologia do Design I Departamento(s) responsável(eis): Tecnologia da Arquitetura e do Urbanismo Eixo estruturante: Área Projetual Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 30 horas Créditos: 2 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 1 o período Ementa: Introdução aos métodos de estudos e pesquisas relacionados à área do Design. Apresentação da metodologia de projeto e desenvolvimento em design: definição de objetivos, técnicas de coleta e de tratamento de dados, geração e avaliação de alternativas, configuração de solução e comunicação de resultados. Bibliografia básica: BAXTER, M. Projeto de produto: guia prático para o desenvolvimento de novos produtos. 2.ed. rev. São Paulo: Edgard Blucher, p. BROWN, T. Design Thinking: Uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas idéias. Campus Elsevier, p. FUENTES, R. A prática do design gráfico: Uma metodologia criativa. Edições Rosari, 2ª ed., p. LÖBACH, B. Design industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Edgard Blücher, p. MUNARI, B. Das coisas nascem coisas. São Paulo: Martins Fontes, p. MUNARI, B. Design e comunicação visual. São Paulo: Martins Fontes, PEÓN, M. L. Sistemas de identidade visual. 2AB Editora, 4ª Edição, p. PHILLIPS, P. L. Briefing: a gestão do projeto de design. São Paulo: Edgard Blücher, p. RIBEIRO, M. Planejamento visual gráfico. 10 ed. atualizada. Brasília: L.G.E., p. SLACK, N. Administração da produção: edição compacta. São Paulo Atlas p. Bibliografia complementar: ADG. O Valor do Design. Adg Brasil Associação dos Designers Gráficos / Senac São Paulo, p. BANN, David. Novo Manual de Produção Gráfica. Porto Alegre: Bookman, p. BERGSTRÖM, Bo. Fundamentos da Comunicação Visual. São Paulo: Edições Rosari, p. BRINGHURST, Robert. Elementos do estilo tipográfico. Editora Cosac Naify, 3ª ed p. FRANÇA, J. L. et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 8. ed. rev. Belo Horizonte: Editora UFMG, p. FONSECA, J. Tipografia e design gráfico: Design e produção gráfica de impressos e livros. Porto Alegre: Bookman, p. GOBE, M. A emoção das marcas. Negócio Editora, p. LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia cientifica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2006 LUPTON, Ellen. Pensar com tipos: um guia para designers, escritores, editores e estudantes. Editora Cosac Naify, p. 6

7 Objetivo: Estimular a reflexão e a análise crítica dos conteúdos expostos na disciplina, que tratam de abordagens metodológicas, métodos e técnicas em design e os obstáculos encontrados em sua prática, a partir da aquisição de conhecimento aprofundado, obtido diretamente em leituras de referências bibliográficas. Fomentar a apreensão do conteúdo das referências bibliográficas estudadas, por meio da discussão e comparação das abordagens dos autores discutidos. Conteúdo: I) INTRODUÇÃO/CONCEITOS BÁSICOS Apresentação da Disciplina com a exposição dos objetivos, conteúdos e sistema de avaliação. Introdução dos conceitos a serem trabalhos, apresentando as noções do pensamento cartesiano e do paradigma da complexidade sistêmica, a fim de instigar a reflexão sobre a adoção dos métodos no design e sobre o estudo dos mesmos. II) METODOLOGIA E OS MÉTODOS DO DESIGN Apresentação das abordagens metodológicas ligadas à prática do design e discussão sobre seus referenciais e sua aplicação. Análise de alguns métodos adotados no design. Apresentação das técnicas e ferramentas empregadas e discussão sobre sua aplicação. Informações necessárias à realização do design estão em evolução constante e acompanham as mudanças da sociedade. A absorção de novos conhecimentos implica no aumento de complexidade para a prática do design e requer um controle mais apurado do processo. Controle do processo em design está diretamente ligado ao rigor metodológico de projeto que, em última análise, lida com a organização e a manipulação das informações. Os diversos métodos de projeto existentes seguem uma estrutura básica e, apesar de seu aspecto linear, apresentam caráter evolutivo e retroativo, no qual as soluções são desenvolvidas de acordo com a confrontação dos parâmetros retidos e com as restrições previstas ou não ao longo do processo. III) CONHECIMENTOS DE CONFRONTAÇÃO O paradigma da complexidade sistêmica: o mundo é considerado como um todo indissociável e, portanto, requer uma abordagem multidisciplinar para a construção do conhecimento, pois os fenômenos não são mais considerados em sua causalidade, mas em sua totalidade orgânica. Essa aglutinação de áreas do conhecimento e de pessoas constitui-se de um sistema complexo. Na noção dos sistemas complexos os problemas encontrados, mais que complicados, nos quais a solução pode ser dada por uma única área do conhecimento, se apresentam como complexos, pois seu desfecho é somente possível através da cooperação de vários especialistas, coordenando de maneira satisfatória um conjunto de critérios muitas vezes contraditórios. A apropriação: A identidade é fundamental para a apropriação. Nos apropriamos dos produtos e da cultura para nos relacionar com o meio, isto o fazemos porque temos uma identidade, em nível individual e ao mesmo tempo coletivo. A apropriação implica na individualidade, isto é, no estudo da pessoa. Somos capazes de sair da condição do natural, ou seja, da categoria do Ser humano e deixarmos de pertencer a um mundo único, somos divididos. Por exemplo, não falamos a língua humana, falamos várias línguas e somos capazes de formar grupos, mas, ao mesmo tempo, somos capazes de nos individualizar. O que define essa individualidade da pessoa é a divisão que nos constitui. Se admitirmos a divisão, admitimos a diferença. Tal diferença leva à interpretação, à percepção, que é individual, e leva também à apropriação. Entretanto, não é a linguagem que diferencia o Ser humano do animal. Não é só o fato de falar que determina a pessoa, mas existem outras racionalidades: existe a lógica e o contra-senso no plano da linguagem e da consciência; o trabalho e o lazer no plano da atividade e do comportamento; o individual e o coletivo no plano da sociedade e do singular; o desejo e o direito no plano da emoção e da moral. O Ser humano é, portanto, paradoxal e funciona segundo essas quatro racionalidades, que são dialéticas. A inovação: A inovação tecnológica aliada ao progresso técnico causaram implicações econômicas significativas na recente indústria: melhorou a concepção de produtos, a qualidade e variedade de serviços, o padrão de vida dos consumidores e o conforto. Também fez aparecer produtos que tornaram o funcionamento das empresas mais eficiente. As análises de Schumpeter* ilustram bem a repercussão da revolução industrial e da inovação tecnológica sobre o desenvolvimento econômico. Ele menciona que a inovação consiste a industrializar o objeto de uma descoberta e depois introduzi-lo com sucesso no mercado. Esta definição exclui todas as "boas idéias" de bens ou de novos serviços que não ultrapassam o estágio operacional nem são ratificadas pelo mercado. A inovação se diferencia da invenção; esta última consiste na descoberta de um novo princípio ou processo e participa da renovação de conhecimento independentemente das aplicações comerciais. O progresso técnico e os novos sistemas de produção fizeram surgir outras inovações tanto no modo de distribuição aos clientes quanto nas formas de vendas dos produtos. Este fator vai levar ao aumento do desenvolvimento do design e de sua influência sobre os processos de concepção de novos produtos na indústria. * Definições do economista austríaco Joseph Schumpeter ( ), que analisa o processo de evolução econômica capitalista e o papel do empreendedor. 7

8 Conteúdo (continuação): IV) PROCESSO DE AVALIAÇÃO A avaliação tem como fundamento o contato direto dos alunos com autores diversos que tratam do tema, por meio da leitura e elaboração de resenhas e críticas dos livros. A elaboração da resenha de um livro permite que os alunos adquiram conhecimento aprofundado diretamente na fonte das referências bibliográficas consultadas. O objetivo é estimular a reflexão e a análise crítica dos conteúdos tratados na disciplina. É elaborada em equipes, cada grupo analisando um ou dois livro, como no exemplo a seguir, a serem discutidos nas atividades propostas: GRUPO 1: MUNARI, Bruno. Das coisas nascem coisas. São Paulo: Martins Fontes, e MUNARI, Bruno. Design e comunicação visual. São Paulo: Martins Fontes, GRUPO 2: BAXTER, Mike. Projeto de produto: guia prático para o desenvolvimento de novos produtos. São Paulo: Edgard Blucher, GRUPO 3: LÖBACH, Bernd. Design industrial: bases para a configuração dos produtos industriais. São Paulo: Edgard Blücher, GRUPO 4: SLACK, Nigel. Administração da produção: edição compacta. São Paulo Atlas GRUPO 5: PHILLIPS, P. L. Briefing: a gestão do projeto de design. São Paulo: Edgard Blücher, GRUPO 6: PEÓN, Maria Luísa. Sistemas de identidade visual. 2AB Editora, 4ª Edição, p. e FUENTES, Rodolfo. A prática do design gráfico: Uma metodologia criativa. Edições Rosari, 2ª Edição, p. GRUPO 7: RIBEIRO, Milton. Planejamento visual gráfico. 10 ed. atualizada. Brasília: L.G.E., GRUPO 8: BROWN, Tim. Design Thinking: Uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas idéias. Campus Elsevier, p. A avaliação é feita com base na Resenha de Livro, no Seminário e em Prova que serão desenvolvidos ao longo do curso. 8

9 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA TAU 053 Introdução ao Design Departamento(s) responsável(eis): Tecnologia da Arquitetura e do Urbanismo Eixo estruturante: Área de Tecnologia Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 45 horas Créditos: 3 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 1 o período Ementa: Conceitos associados ao Design, implicações e desdobramentos. Evolução formal e tecnológica do design. Panorama das principais correntes de pensamento e escolas de design. Design no Brasil, identidade e especificidades. Princípios da profissão e áreas de atuação do designer. Bibliografia básica: BÜRDEK, B. E. História, Teoria e Prática do Design de Produtos. Tradução de Freddy Van Camp. São Paulo: Blücher, CARDOSO, R. Uma Introdução à História do Design. São Paulo: Blücher, CARDOSO, R. O design brasileiro antes do design: aspectos da história gráfica, São Paulo: Cosac Naify, SCHULMANN, D. O Desenho Industrial. Tradução de Maria Carolina. São Paulo: Papirus, FILHO, J. G. Design do Objeto: bases conceituais. São Paulo: Escrituras, MORAES, D. Limites do Design. São Paulo: Studio Nobel, MORAES, D. Análise do Design Brasileiro: entre mimese e mestiçagem. São Paulo: Blücher, NIEMEYER, L. Design no Brasil: origens e instalação. Rio de Janeiro: 2AB, WILTON, A. O que é design. São Paulo: Brasiliense: Bibliografia complementar: 9

10 BEZERRA. C. O Designer Humilde: lógica e ética para inovação. São Paulo: Rosari, BORGES, A. Designer não é Personal Trainer. São Paulo: Rosari, HESKETT, J. Design. Tradução de Márcia Leme. São Paulo: Ática, LOBACH, B. Design Industrial: Bases para a configuração dos produtos industriais. Tradução de Freddy Van Camp. São Paulo: Blucher, MALDONADO, T. Design Industrial. Tradução de José Francisco E. M. Lisboa: Edições 70, SOUZA, P. L. P. Notas para uma História do Design. Rio de Janeiro: 2AB, Objetivo: Possibilitar ao aluno uma visão analítico-reflexiva sobre design e história do design. Conteúdo: I) CONCEITOS ASSOCIADOS AO DESIGN, IMPLICAÇÕES E DESDOBRAMENTOS Estudo e análise dos conceitos, sobre design, de autores representativos na área de design: John Heskett, Denis Schulmann, Bern Lobach, Charles Bezerra e Bernhard Burdek. Implicações e desdobramentos dos conceitos em relação à atividade e atuação profissional. II) ÁREAS DE ATUAÇÃO DO DESIGNER Possibilidades da profissão e campos de atuação do designer. III) EVOLUÇÃO FORMAL E TECNOLÓGICA DO DESIGN. PANORAMA DAS PRINCIPAIS CORRENTES DE PENSAMENTO E ESCOLAS DE DESIGN Origem do design. Estudo e análise da evolução formal e tecnológica e suas implicações no projeto. Estudo dos principais movimentos ao longo da história e seus reflexos na atividade de design. IV) DESIGN NO BRASIL, IDENTIDADE E ESPECIFICIDADES Estudo e análise do design no Brasil. Articulação dos referenciais culturais e dos aspectos sócio-ambientais brasileiros. Referências locais para a inserção do design brasileiro no cenário internacional. 10

11 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA TAU 054 Introdução à Oficina Departamento(s) responsável(eis): Tecnologia da Arquitetura e do Urbanismo Eixo estruturante: Área de Representação Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 75 horas Créditos: 5 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 1 o período Ementa: Desenho como instrumento de representação e exploração do objeto e da forma. Relações figura-espaço e estímulo à livre expressão. Estudo da Forma. Desenvolvimento de modelos tridimensionais. Utilização de instrumentos de medida e materiais diversos para construção de modelos e moldes. Bibliografia básica: DOCZI, György. O Poder dos Limites: Harmonias e Proporções na Natureza, Arte e Arquitetura. Tradução de Maria Helena de Oliveira Tricca e Júlia Bárány Bartolomei. São Paulo: Mercuryo, p. DONIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual. São Paulo: Martins Fontes, FILHO, João Gomes. Gestaut do Objeto: Sistema de Leitura Visual da Forma. São Paulo: Escrituras, OSTROWER, Fayga. Universos da Arte. 2ª ed. Rio de Janeiro: Campus, p. Bibliografia complementar: ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. Tradução de Yvonne Terezinha de Faria São Paulo: Editora da Universidade de Sã Paulo, BEZERRA, Charles. O Designer Humilde, São Paulo: Edições Rossari, DROSTE, Magdalene. Bauhaus: Bauhaus Archiv Germany: Taschen, MOTRO, René. Tensegrity: Structural Systems for the Future. London: Kogan Page Science, p. PUGH, Anthony. Polyedra: a Visual Approach. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, p. PUGH, Anthony. An Introduction to Tensegrity. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, p. SÁ, José Ricardo C. C. Edros. São Paulo: Projeto Editores Associados, p. STRAUB, Ericson et all. ABC do Rendering São Paulo: Infolio, WONG, Wucius. Principios de forma e desenho. São Paulo: Martins Fontes, Objetivo: 11

12 Desenvolver no aluno o ferramental necessário para, por meio de representações bidimensionais e modelos tridimensionais, expressar e relacionar-se com o objeto e o espaço. Conteúdo: INTRODUÇÃO/CONCEITOS BÁSICOS Apresentação da Disciplina: conceitos, discussão e exposição dos objetivos e conteúdos. 1. REPRESENTAÇÃO TRIDIMENSIONAL 1.1. Princípios de construção e desenvolvimento de modelos tridimensionais: uso de materiais e técnicas de montagem, modelagem e construção de objetos tridimensionais Desenvolvimento da expressão intuitiva, da repetição e criação de repertório para o desenvolvimento de volumes no espaço Introdução às superfícies tridimensionais: poliedros Uso de instrumentos de medida e materiais necessários à construção de objetos tridimensionais. 2. REPRESENTAÇÃO BIDIMENSIONAL 2.1. Introdução dos conceitos básicos da representação bidimensional 2.2. Exploração dos elementos visuais e conceituais da representação bidimensional: linha, ponto, plano, espaço,volume e luz Exploração dos elementos relacionais da representação bidimensional, contraste, proporção, profundidade e perspectiva. Experimentação de técnicas diferenciadas de representação bidimensional. 12

13 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN Conteúdo Programático Disciplinas Obrigatórias 2º PERÍODO DES058 Cor, Forma e Composição PRJ063 Design e Arquitetura TAU055 Design I TAU056 Oficina I TAU057 Metodologia do Design I

14 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA DES 058 Cor, Forma e Composição Departamento(s) responsável(eis): Desenho Eixo estruturante: Área de Representação Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 60 horas Créditos: 4 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 2 o período Ementa: Estudo da forma, da cor e da composição em seus aspectos teóricos e relacionais. Bibliografia básica: BARROS, Lilian Ried Miller. A cor no processo criativo; um estudo sobre a Bauhaus e a teoria de Goethe. São Paulo: Senac, GUIMARÃES, Luciano. A cor como informação; a construção biofísica, lingüística e cultural da simbologia das cores. São Paulo: Annablume, WONG, Wucius. Fundamentos del diseño bi y tridimensional. Barcelona: Gustavo Gilli, Bibliografia complementar: 14

15 ARHEIN, Rudolf. Arte e percepção visual. São Paulo: Edusp, 1980 DAY, R. H. Psicologia da percepção. Rio de Janeiro: José Olímpio, FARINA, Modesto. Psicodinâmica das cores. São Paulo: Edgard Blucher, GUILLAUME, Paul. Psicologia da forma. São Paulo: Nacional, GOMES FILHO, João. Gestalt do objeto; sistema de leitura visual da forma. São Paulo: Escrituras, KÖHLER, Wolfgang. Psicologia da Gestalt. Belo Horizonte: Itatiaia, RIBEIRO, Milton. Cor e Luz. In:. Planejamento visual gráfico. Brasília: Linha Gráfica, p TORNQUIST, Jorrit. Color y luz; teoría y prática. Barcelona: Gustavo Gilli, Objetivo: Habilitar o aluno a desenvolver (no âmbito teórico e prático): o raciocínio espacial; a percepção; a capacidade de explorar as cores e de organizar elementos visuais em estruturas bi e tridimensionais; Situar a problemática da disciplina no campo do design. Conteúdo: Conceito de forma; A forma bidimensional; A forma tridimensional; Forma e função (utilitária, simbólica etc.); Espaço e forma; Organização de elementos visuais/conceito de layout (forma e contra-forma, equilíbrio, movimento, ritmo etc); Textura visual; Módulos e estruturas; A forma tipográfica; Conceito de cor; Cor luz/cor pigmento; Classificação das cores; Características das cores: matiz (tonalidade), saturação, brilho (luminosidade); Contraste: valor absoluto/valor relativo; A cor: fenômeno físico e fenômeno cultural. 15

16 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA PRJ 063 Design e Arquitetura Departamento(s) responsável(eis): Projetos Eixo estruturante: Área de Humanas Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 45 horas Créditos: 3 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 2 o período Ementa: Contexto histórico-social, cultural, tecnológico e ambiental da interseção entre Design e Arquitetura. Sistemas de objetos e produtos na arquitetura e urbanismo. Conceitos de ergonomia e acessibilidade no espaço arquitetônico e urbano. Design como processo e metodologia aplicada à produção da arquitetura, do espaço e da paisagem urbana: mobiliário, equipamentos e sistemas de informação. Componentes construtivos: produtos e sistemas para a arquitetura. Impactos ambientais dos processos, uso de materiais e seu descarte. Bibliografia básica: ALBRECHT, Donald. The work of Charles and Ray Eames: a legacy of invention. New York: Abrams Books, ARCHITECTURE FOR HUMANITY. Design like you give a damn: architectural responses to humanitarian crises. New York: Metropolis Books, ARTIGAS, Vilanova. Caminhos da arquitetura. São Paulo: Cosacnaify, BARDI, Lina Bo. Tempos de grossura: o design no impasse. Instituto Lina Bo e Pietro M. Bardi. São Paulo, Bell, Bryan (ed). Expanding Architecture: Design as Activism. New York: Metropolis Books, Bell, Bryan (ed). Good Deeds, Good Design: Community Service Through Architecture. New York: Metropolis Books, CANÇADO, Wellington; CAMPOS, Alexandre; MARQUEZ, Renata; TEIXEIRA, Carlos. Espaços Colaterais / Collateral Spaces. Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, Bibliografia complementar: 16

17 CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1.artes de fazer. Petrópolis: Vozes, COLOMINA, Beatriz. Privacy and publicity: modern architecture as mass media. Cambridge: MIT Press, DAVIS, Mike. Ecologia do medo: Los Angeles e a fabricação de um desastre. Rio de Janeiro: Record, FERRO, Sergio. Arquitetura e trabalho livre. São Paulo: Cosacnaify, FLUSSER, Vilém. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. São Paulo: Cosacnaify, FONTENELLE, Isleide. O nome da marca: McDonald s, fetichismo e cultura descartável. São Paulo: Boitempo, GANZ, Louise; SILVA, Breno. Banquetes: expansões do doméstico. Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, GANZ, Louise; SILVA, Breno. Lotes vagos: ocupações experimentais. Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, GROPIUS, Walter. Bauhaus: novarquitetura. São Paulo: Perspectiva, hough, stephen. Naturaleza y ciudad. Barcelona: Gustavo Gili, JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, JACQUES, Paola Berenstein. Estética da Ginga. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2001 Jégou, François; Manzini, Ezio (Editors). Collaborative services: Social innovation and design for sustainability. Milão: Edizioni POLI.Design, KLEIN, Naomi. Sem Logo: a tirania das marcas em um planeta vendido. Rio de Janeiro: Record, KOOLHAAS, Rem. S, M, L, LX. Rotterdam: 010, KUNSCH, Graziela. Urbania 3. São Paulo: Editora Pressa, KWON, Miwon. One place after another: site-specific art and locational identity. Cambridge: MIT Press, LAGNADO, Lisette. 27. Bienal de São Paulo: Seminários. Rio de Janeiro: Cobogá, LE CORBUSIER. Por uma arquitetura. São Paulo: Perspectiva, LE CORBUSIER. Urbanismo. São Paulo: Martins Fontes, Meroni, Anna (Editor). Creative communities: People inventing sustainable ways of living. Milão: Edizioni POLI.Design, OVERMEYER, Claus. Urban pioneers. Berlin: Jovis, PEREC, Georges. Especies de espacios. Madrid: Montesinos, PEREC, Georges. La vida instrucciones de uso. Barcelona: Anagrama, RENA, Alemar. Do autor tradicional ao agenciador cibernético: do biopoder à biopotência. São Paulo: Annablume, SANTOS, Laymert Garcia dos. Politizar as novas tecnologias: o impacto sócio-técnico da informação digital e genética. São Paulo: Ed. 34, SENNETT, Richard. O artífice. São Paulo: Record, SMIERS, Joost. Un mundo sin copyright: artes y medios en la globalización. Barcelona: Gedisa, SMITH, Cynthia E.. Design for the other 90%. New York: Cooper-Hewitt, National Design Museum, SOUSA SANTOS, Boaventura de. Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, TAFURI, Manfredo. Projecto e utopia. Lisboa: Presença, VIRILIO, Paul. O espaço crítico. São Paulo: Ed. 34, ZITTEL, Andrea. Critical space. Berlin: Prestel Verlag,

18 Objetivo: Discutir, apresentar e problematizar as interfaces entre a arquitetura e o design na modernidade, do ínício do século XX até os dias atuais e principalmente os desdobramentos estéticos, políticos, culturais, econômicos e ambientais do design e da cultura do projeto no Brasil. Discutir, apresentar e problematizar o Design como um elo importante na cadeia produtiva, como processo cultural amplo e como ferramenta prospectiva e de transformação do cotidiano. Objetivos específicos: Induzir, incentivar e aprimorar a capadicade dos alunos de: Pesquisar sobre modos de fazer, origem das matérias-primas, organização dos sistemas logísticos e fornecedores, etc. Coletar e interpretar de dados financeiros, logísticos, socio-econômicos, tecnológicos, culturais, ambientais, físico-geográficos; bem como dos quantitativos: Litros de H2O, Toneladas de matéria-prima, Horas de trabalho, KW de energia, etc, necessários para a produção. Sintetizar as principais informações, elaborar de diagramas, gráficos, mapas temáticos, tabelas, croquis, documentação fotográfica, visitas, análise crítica, etc. Elaborar e produzir de material gráfico. Desenvolver de projetos/iniciativas, estratégias, processos, serviços, conceitos, produtos, interfaces no campo do design que sejam de interesse público, com ênfase nos seguintes tópicos: Alternativas de locomoção e mobilidade urbana, a relação entre as vias e os espaços públicos, dos caminhos e obstáculos na cidade, as possibilidades e políticas de acesso público nas suas formas materiais e imateriais, bem como práticas E iniciativas de reivindicação de acesso aos lugares, à cultura, à informação, à tecnologia, à moradia, à mobilidade, à acessibilidade universal, à democracia, etc. Os fluxos de ocupação não tecnicista e não funcionalista dos espaços públicos, a prática do jogo no território, as pausas e os intervalos espaço-temporais, as possibilidades da infância na cidade, os registros de vivências e memórias coletivas dessa constituição urbana.várzeas, playgrounds, quadras públicas, campinhos desenhados na rua, brincadeiras na calçada, pipas na laje, etc. A coexistência, a coletividade, a solidariedade e a segregação voluntária e involuntária nas dinâmicas de construção da vida urbana, as possibilidades de viver junto, de cohabitação e compartilhamento de recursos e idéias, construção de espaços públicos reais e virtuais, etc. Os ciclos de vida dos produtos industriais e a obsolescência imobiliária dos espaços urbanos, o desperdício, o reaproveitamento, o abandono, a novidade, o descartável, bem como os achados e perdidos, a limpeza pública, o lixo privado, os lixões, a reciclagem, os lixeiros, a logística da coleta seletiva, os catadores, os colecionadores e antiquários, as ruínas urbanas e os lugares esquecidos. Natureza e cultura, a domesticação da natureza no cotidiano da cidade (hortas, jardins, pomares, quintais, jardineiras, arborização, agricultura urbana etc), a cultura da paisagem, as práticas e pensamentos ecológicos, bem como as experiências de cultivo de hábitos urbanos e as táticas de incitar, provocar ou 18 sugerir transformações colaborativas do espaço público a partir Versão de iniciativas para consulta. individuais ou coletivas.

19 Conteúdo: Texto 01: objeto e valor / Vídeo: Objectfied Texto 02: Olhos que não veêm 2. O avião / Aula expositiva: Le Corbusier + Santos Dumont = designer, Le Corbusier e Arquitetura Moderna Brasileira / Vídeo: Curso noturno Texto 03: Minha concepção da idéia da Bauhaus / Aula expositiva: Bauhaus / Vídeo: 90 anos da Bauhaus Texto 04: Brasil cinza / Aula expositiva: Nova objetividade e Mies van der Rohe / Vídeo: Der Maulwurf Vídeo: Arquitetura da destruição / Seminário discussão Projetos Texto 05: Sobre desenho e design / Aula expositiva: Eames / Vídeo: Powers of ten Texto 06: Um balanço dezesseis anos depois / Aula expositiva: Lina Bo Bardi / Vídeo: Lina Bo Bardi Texto 07 : A não-coisa [2] / Aula expositiva: Design like you give a damn Texto 08: Espaços Colaterais / Aula expositiva: Espaços Colaterais / Videos: Ciclo 1 Texto 09: Prática Urbana / Aula expositiva: Comunidades criativas e serviços comunitários Texto 10: Design and democracy / Vídeo: Euroafricans Texto 11: Sitios manufacturados / Aula expositiva: Design, autonomia, interesse público 19

20 Escola de Arquitetura/UFMG Rua Paraíba, 697- Funcionários Belo Horizonte/MG Fone: (31) Fax: (31) COLEGIADO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DESIGN DISCIPLINA TAU 055 Design I Departamento(s) responsável(eis): Tecnologia da Arquitetura e do Urbanismo Eixo estruturante: Área Projetual Classificação: [ X ] Obrigatória [ ] Optativa Carga horária: 45 horas Créditos: 3 Pré-Requisitos: [ X ] Não [ ] Sim Período (caso seja obrigatória): 2 o período Ementa: Forma e configuração da idéia. Iniciação à prática de desenvolvimento de projeto de design. Aprendizado/prática da metodologia básica de desenvolvimento de produto. Aprendizado quanto à configuração das idéias, a partir de conceitos simbólicos prédefinidos. Exploração de técnicas de criatividade. Bibliografia básica: LESKO, Jim. Design industrial: Materiais e processos de fabricação. Edgard, Blücher, p. LIMA, Marco Antonio Magalhães. Introdução aos materiais e processos para designers. Ciência Moderna Editora, p. MONTENEGRO, G. A. A Investigação do Projeto. São Paulo: Edgar Blücher, MUNARI, Bruno. Design e Comunicação Visual. Ed. Martins Fontes, São Paulo, NEGRÃO, Celso e CAMARGO, Eleida. Design de embalagem: Do marketing à produção. Novatec, p. NORMAN, Donald A. Design emocional: Por que adoramos (ou detestamos) os objetos do dia-a-dia. Rocco, p. NORMAN, Donald A. The design of everyday things. New York: Doubleday, 1990, c p. ONO, Maristela. Design e Cultura, sintonia essencial. Edição da Autora, Curitiba, p. PANERO, Julius; ZELNIK, Martin. Dimensionamento humano para espaços interiores: um livro de consulta e referência para projetos. Barcelona: G. Gili, p. Bibliografia complementar: 20

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos DESIGN 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado HABILITAÇÃO: Projeto do Produto PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO Objetivo: Proporcionar

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003637C - Projeto I

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003637C - Projeto I Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina 0003637C - Projeto I Docente(s) Mônica Cristina de Moura, Claudio Roberto Y Goya Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento Departamento

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Curso: COMUNICAÇÃO SOCIAL 2. Código: 12 3.Modalidade(s): Bacharelado X Licenciatura Profissional

Leia mais

PLANO DE ENSINO I EMENTA

PLANO DE ENSINO I EMENTA PLANO DE ENSINO CURSO: Comunicação Social Publicidade e Propaganda Série: 4º semestre TURNO: Diurno e Noturno DISCIPLINA: Oficina De Criação E Redação CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4h/aula I EMENTA O curso instruirá

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003615B - História da Arte III

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003615B - História da Arte III Curso 2302N - Bacharelado em Design Ênfase Identificação Disciplina 0003615B - História da Arte III Docente(s) Joedy Luciana Barros Marins Bamonte Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE BELAS ARTES 1 PERÍODO DISCIPLINA: Artes Visuais I CÓDIGO DA DISCIPLINA: APL008 PROGRAMA DE DISCIPLINA CARGA HORÁRIA: 60 h/s CRÉDITOS: 04 DEPARTAMENTO OFERTANTE:

Leia mais

Bacharelado em Moda Matriz Curricular 2010-1

Bacharelado em Moda Matriz Curricular 2010-1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA Bacharelado em Moda Matriz Curricular 2010-1 Fase Cod. Disciplina I II III IV Prérequisitos Carga Horária Teórica

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 CRIATIVIDADE... 3 02 HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN... 3 03 INTRODUÇÃO AO... 3 04 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 3

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1 1 1 INTRODUÇÃO AO DESIGN DE MODA Terminologias e conceitos da área. Contextualização e processo de moda. Mercado. Ciência e. 2 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO Leitura analítica e crítica. Gêneros textuais.

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no mundo e no Brasil.

Leia mais

Design Manual do curso

Design Manual do curso Design Manual do curso Informações gerais INFORMAÇÕES GERAIS Nome: curso de Design, bacharelado Código do currículo: 2130 Nível: curso superior de graduação Início: o curso de Design com habilitação em

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1 1 1 ACESSÓRIOS Fase: 5ª Carga Horária: 30h/a Créditos: 02 Concepção e desenvolvimento de desenho. Modelagem. Montagem. Técnicas de aprimoramento. Fichas técnicas. Processo de padronização. Mostruário.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CURSO DE DESIGN DISCIPLINAS OPTATIVAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CURSO DE DESIGN DISCIPLINAS OPTATIVAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CURSO DE DESIGN DISCIPLINAS OPTATIVAS DDI11243 Estudo e Concepção de Jogos Estudo da história, conceituação e características dos jogos. Aspectos cognitivos, estéticos

Leia mais

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos MODA 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Moda PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2.

Leia mais

Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos.

Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos. Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos. 1º PERÍODO Área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas DISCILINA: Metodologia Científica CARGA CÓDIGO CRÉDITOS HORÁRIA H11900 04

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase. Disciplina 0003737A - Plástica

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase. Disciplina 0003737A - Plástica Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo Ênfase Identificação Disciplina 0003737A - Plástica Docente(s) Alexandre Suarez de Oliveira Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento Departamento

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE MATRIZ CURRICULAR 2016.1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 49/15, 2015 de 7 de outubro de 2015. SUMÁRIO 2 1ª FASE... 4 01 DESENHO DE MODA I... 4 02 HISTÓRIA: ARTE E INDUMENTÁRIA...

Leia mais

Específicos: O aluno deverá ter a capacidade de interpretar mensagens na leitura de formas visuais.

Específicos: O aluno deverá ter a capacidade de interpretar mensagens na leitura de formas visuais. Ficha de Unidade Curricular Cursos de Design: Industrial e Ambientes 2009/2010 Unidade Curricular Designação: Comunicação Visual Área Científica: Design de Comunicação (DC) Ciclo de Estudos: Licenciatura

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo PLANO DE ENSINO CÓDIGO DA DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: EAR008 TEÓRICA: 30 H/A 2 PRÁTICA: 30 H/A 2 TOTAL: 60 H/A 4

Arquitetura e Urbanismo PLANO DE ENSINO CÓDIGO DA DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: EAR008 TEÓRICA: 30 H/A 2 PRÁTICA: 30 H/A 2 TOTAL: 60 H/A 4 Arquitetura e Urbanismo PLANO DE ENSINO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: DESENHO LIVRE E ESPAÇO PÚBLICO CÓDIGO DA DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: EAR008 TEÓRICA: 30 H/A 2 PRÁTICA: 30 H/A

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003607B - Desenho de Observação I

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003607B - Desenho de Observação I Curso 2302N - Bacharelado em Design Ênfase Identificação Disciplina 0003607B - Desenho de Observação I Docente(s) Milton Koji Nakata Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento Departamento

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Missão da Fean Formar profissionais competentes e eficientemente preparados para atuar no mercado, aptos a prever, antecipar e intervir positivamente nas mudanças e oportunidades.

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 17032441 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA Evolução das Artes Visuais II ETAPA 2ª Período

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase. Disciplina 0003706A - Desenho de Observação

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase. Disciplina 0003706A - Desenho de Observação Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo Ênfase Identificação Disciplina 0003706A - Desenho de Observação Docente(s) Alexandre Suarez de Oliveira Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento

Leia mais

Área de concentração TEORIA E PROJETO DE DESIGN

Área de concentração TEORIA E PROJETO DE DESIGN PROCESSO SELETIVO DOCENTE 2010 1 CURSO DE DESIGN Na área do design, para as duas áreas de concentração, é necessária e indispensável a apresentação, à banca, do portifólio de trabalhos realizados pelo

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Comunicação Visual Área Científica: Design de Comunicação (DC) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 1º ECTS: 6 Tempo

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 PLANO DE CURSO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 PLANO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 Componente Curricular: ARTE E CULTURA Código: --- Pré-requisito: --- Período Letivo: 2013.1

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LAC1532T1 - Linguagem Visual I

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LAC1532T1 - Linguagem Visual I Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina LAC1532T1 - Linguagem Visual I Docente(s) Rita Luciana Berti Bredariolli Unidade Instituto de Artes Departamento Departamento de Artes Cênicas, Educação

Leia mais

PLANO DE ENSINO BIBLIOGRAFIA BÁSICA. ASCENSÃO, José de Oliveira. Direito autoral. Rio de Janeiro: Forense, 1980.

PLANO DE ENSINO BIBLIOGRAFIA BÁSICA. ASCENSÃO, José de Oliveira. Direito autoral. Rio de Janeiro: Forense, 1980. PLANO DE ENSINO Disciplina: DIREITOS AUTORAIS: TEORIA CRÍTICA E Código: ESTUDO DE CASOS Natureza: ( ) obrigatória (X) optativa Semestral (X) Anual ( ) Modular ( ) Pré-requisito: Co-requisito: Modalidade:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN Matriz Curricular do Curso de Design Fase Cód. Disciplina Créditos Carga Horária 01

Leia mais

Design de superfície informativo para capa de cadernos

Design de superfície informativo para capa de cadernos Design de superfície informativo para capa de cadernos 1. Introdução A oferta crescente de novos produtos acirrou a concorrência entre itens similares existentes no mercado. Para um produto se destacar

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 04035356 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA DESIGN GRÁFICO EM PUBLICIDADE ETAPA 3 Período

Leia mais

2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO

2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO PROGRAMA DE DESENHO 10ª, 11ª e 12ª classes 2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Área das Artes Visuais Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Desenho - 10ª, 11ª e 12ª classes EDITORA: INIDE IMPRESSÃO: GestGráfica,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Disciplina: Projeto Urbano e Paisagístico I PUP I Carga horária: 80 horas Ano Letivo: 2012 Série: 2ª Série Justificativa da Inclusão da Disciplina

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO. 1. Das inscrições

EDITAL DE SELEÇÃO. 1. Das inscrições UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIDADE ACADÊMICA DE DESIGN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESIGN MESTRADO EM DESIGN EDITAL DE SELEÇÃO O Coordenador do Programa de

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO CÓDIGO UNIDADE 042 CÓD. CURSO CURSO 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL HAB: JORNALISMO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CHS TEORIA PRÁTICA ANO 340.3451.1 ESTÉTICA E HISTÓRIA DA ARTE 4ª 04 04 2/2009 OBJETIVOS Desenvolver

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 63/14, 2011 de 10 de dezembro de 2014. 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO...

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

INVESTIGAÇÃO DE METODOLOGIA DE ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA: uma experiência com estudantes de arquitetura e urbanismo

INVESTIGAÇÃO DE METODOLOGIA DE ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA: uma experiência com estudantes de arquitetura e urbanismo INVESTIGAÇÃO DE METODOLOGIA DE ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA: uma experiência com estudantes de arquitetura e urbanismo José Euzébio Costa Silveira PUC-MINAS Pontifícia Universidade de Minas Gerais euzebio65@hotmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Arte e Educação - JP0029 PROFESSOR: Ms. Clóvis Da Rolt I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II EMENTA A disciplina de Arte e

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de São Paulo PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES MESTRADO/DOUTORADO

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de São Paulo PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES MESTRADO/DOUTORADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES MESTRADO/DOUTORADO PLANO DE ENSINO - 2014 DISCIPLINA: Relações entre Arte e Design na Contemporaneidade: diálogos, hibridismos e conflitos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Mônica

Leia mais

EDITAL Nº 43/2012. Art. 4º O candidato deverá atender ao perfil estabelecido no quadro abaixo: 01*(CR)

EDITAL Nº 43/2012. Art. 4º O candidato deverá atender ao perfil estabelecido no quadro abaixo: 01*(CR) EDITAL Nº 43/22 Processo Seletivo de Docentes do Curso de e Urbanismo Estácio FIC 22. A REITORIA do Centro Universitário Estácio do Ceará - Estácio FIC, no uso de suas atribuições e regimentais, torna

Leia mais

FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO

FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 02406 Projeto A 068 FAU Projeto B 136 76074

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/ MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: HISTÓRIA LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 05 (CINCO)

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG

Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG Programa de Pós- Graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG O Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFMG- NPGAU foi criado

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. ANO DA TURMA: 3º ano EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. ANO DA TURMA: 3º ano EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES FORMA/GRAU:(X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Componente Curricular: Filosofia Código: CTB-110 CH Total: 60h Pré-requisito: Período Letivo: 2015. 2 Turma: 1º semestre Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora

Leia mais

Faculdade de Engenharia de Presidente Prudente FEPP. Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores UNOESTE. E-mail: marcelomota@unoeste.

Faculdade de Engenharia de Presidente Prudente FEPP. Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores UNOESTE. E-mail: marcelomota@unoeste. 1032 MODELO CRIATIVO E AVALIAÇÃO NO DESIGN Marcelo José da Mota Faculdade de Engenharia de Presidente Prudente FEPP. Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores UNOESTE. E-mail: marcelomota@unoeste.br

Leia mais

Representação Carga horária:?

Representação Carga horária:? DSG 1006 - Projeto Avançado Usos e Impactos Sócio Ambientais 2012.1 Supervisão: Nathalia Cavalcante Tópico Representação Carga horária:? Trabalhar questões relativas a processos, técnicas, ferramentas

Leia mais

PLANO DE CURSO. Pré-requisito: ----- Professor: Argemiro Ribeiro de Souza Filho Titulação: Doutor em História Social pela USP

PLANO DE CURSO. Pré-requisito: ----- Professor: Argemiro Ribeiro de Souza Filho Titulação: Doutor em História Social pela USP CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Autorizado plea Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU de 30/08/10 Componente Curricular: HISTÓRIA DA ARQUITETURA E DA ARTE I Código: ARQ - 012 CH Total: 30 h Pré-requisito:

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO AO SERVIÇO SOCIAL EMENTA: A ação profissional do Serviço Social na atualidade, o espaço sócioocupacional e o reconhecimento dos elementos

Leia mais

NOVA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA BÁSICA

NOVA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA BÁSICA NOVA ABORDAGEM PARA O ENSINO DE GEOMETRIA DESCRITIVA BÁSICA Jocelise J. Jacques 1, Gabriela Z. Azevedo 2, José L. F. Aymone 3 e Fábio G. Teixeira 4 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Departamento

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro

Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro Ficha de Unidade Curricular Curso de Design Cerâmico e Vidro Unidade Curricular Designação: Desenho II Área Científica: Desenho (DES) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 2º ECTS:

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA Campus Ilha Centro Curso de Arquitetura e Urbanismo IAU PLANO DE ENSINO Unidade de Aprendizagem: INTRODUÇÃO AO PROJETO DE ARQUITETURA E URBANISMO Ano/ Semestre Letivo:

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Opção Profissional. Design Gráfico. Design Produto. Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010

Opção Profissional. Design Gráfico. Design Produto. Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010 Opção Profissional? Design Gráfico ou Design Produto Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010 CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL MEC Ensino Superior Desenho Industrial / Habilitações Projeto do Produto PP (Objetos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei 5.152 de 21/10/1966 São Luís Maranhão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei 5.152 de 21/10/1966 São Luís Maranhão RESOLUÇÃO N 758CONSEPE, de 24 de maio de 2010. Aprova a mudança de denominação do Curso de Desenho Industrial para Design, modalidade Bacharelado, e sua reestruturação pedagógica. O Reitor da Universidade

Leia mais

Processo Seletivo Simplificado / Edital EDITAL nº. 002/2016 - UFU

Processo Seletivo Simplificado / Edital EDITAL nº. 002/2016 - UFU Processo Seletivo Simplificado / Edital EDITAL nº. 002/2016 - UFU ÁREA I: Projeto de Interiores, Plástica e Detalhamento 1. Programa 1.1. Metodologia de projeto de interiores; 1.2. Projeto de interiores:

Leia mais

Apresentação das diretrizes do 1º módulo do Projeto de Graduação; Unidade II: Planto de Trabalho (alunos da modalidade Projeto )

Apresentação das diretrizes do 1º módulo do Projeto de Graduação; Unidade II: Planto de Trabalho (alunos da modalidade Projeto ) PERÍODO 7º DISCIPLINA Teoria do Design I 1 SEMESTRE [x] PROFESSOR Paula Glória Barbosa 2 SEMESTRE [] CURSO Design de Ambientes ANO 2014 CARGA HORÁRIA 32h/a N DE VAGAS 80 CLASSIFICAÇÃO [x] OBRIGATÓRIA [

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA PROGRAMA DA DISCIPLINA CÓDIGO ARQ 20 PRÉ-REQUISITOS DISCIPLINA NOME Plástica I CURSO Arquitetura e Urbanismo SEMESTRE CARGA HORÁRIA 60 h COLEGIADO EMENTA Projeto e execução de formas bi e tridimensionais,

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

Habilidades Específicas - Arquitetura

Habilidades Específicas - Arquitetura Habilidades Específicas - Arquitetura 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da Unicamp prepara o profissional arquiteto para compreender e projetar soluções viáveis e criativas para as necessidades

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1

EMENTAS DAS DISCIPLINAS. CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURRÍCULO 4/803 - Ingresso Vestibular a partir de 2007/1 NÍVEL I 4111W - 04 Matemática para Arquitetura Ementa: Fundamentos do Cálculo Diferencial, Cálculo Integral e Geometria

Leia mais

DESIGN DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO

DESIGN DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA DESIGN NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO Raciocínio Lógico Matemática Financeira A disciplina trata

Leia mais

DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente

DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente Pós-graduação lato ou stricto sensu na área da disciplina. Currículo publicado

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE DESIGN, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O estágio não obrigatório,

Leia mais

PROGRAMA PRONOTURNO-DESIGN

PROGRAMA PRONOTURNO-DESIGN PROGRAMA PRONOTURNO-DESIGN Proposta encaminhada ao Comitê Coordenador do Programa PRONOTURNO PROGRAD 1. Proposta O projeto apresentado a seguir diz respeito ao Grupo PRONOTURNO-Design e está estruturado

Leia mais

Ensinar Geometria com Modelagem o professor deve ir onde o aluno está

Ensinar Geometria com Modelagem o professor deve ir onde o aluno está Marly de Menezes Gonçalves, doutora na área de Design e Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP; FASM / IED-SP Ensinar Geometria com Modelagem o professor

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: INFORMÁTICA FORMA/GRAU:( X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 10 h/a Créditos: 2 : A Antropologia enquanto ciência e seus principais ramos. Metodologia da pesquisa em Antropologia

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ÉTICA PROFISSIONAL

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ÉTICA PROFISSIONAL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ÉTICA PROFISSIONAL Código: CTB-467 Pré-requisito: ----------.Período Letivo: 2015.2 Professor:

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU 30/08/10

Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU 30/08/10 C U R S O D E AR Q U I T E T U R A E U R B A N I S M O Autorizado pela Portaria nº 1.205 de 27/08/10 DOU 30/08/10 Componente Curricular: PROJETO III Código: ARQ-030 Pré-requisito: Projeto II(ARQ-020) Período

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

OPTATIVAS - 2 Semestre 2015

OPTATIVAS - 2 Semestre 2015 S - 2 Semestre 2015 01 SALA 61 DISCIPLINA Estudos em Design Social II Práticas e Ferramentas Equipe DS/ Coordenação Maria Flávia Vanucci de Moraes 2º SEMESTRE CARGA HORÁRIA 64hs N DE VAGAS 32 13:30h às

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo. Ênfase Curso 2010 - Arquitetura e Urbanismo Ênfase Identificação Disciplina 0003704A - História da Arquitetura I - Da Antiguidade ao Barroco Docente(s) Vladimir Benincasa Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

VIII Colóquio de Moda 5ºCongresso Internacional

VIII Colóquio de Moda 5ºCongresso Internacional FORMATO POSTER DESEJOS DE MUDANÇAS DESIRES FOR CHANGES Martins, Claudia Regina; Universidade Anhembi Morumbi cacau_regina@hotmail.com Navalon, Eloize; Msa; Universidade Anhembi Morumbi eloizenavalon@gmail.com

Leia mais

Aula 2 - Especi cidades do design. professor Rafael Ho mann

Aula 2 - Especi cidades do design. professor Rafael Ho mann Aula 2 - Especi cidades do design professor Rafael Ho mann Especi cidades do design Design de produto/industrial Trabalha com a criação e produção de objetos e produtos (bens de consumo) tridimensionais

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec:Paulino Botelho/ Professor E.E. Arlindo Bittencourt (extensão) Código: 092-2 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação

Leia mais

DESIGN GRÁFICO. Criação Desenho Industrial:Resolução n.º 3007, de 16.07.96, alterada a denominação através da Resolução CEPE n.º 98, de 18.08.04.

DESIGN GRÁFICO. Criação Desenho Industrial:Resolução n.º 3007, de 16.07.96, alterada a denominação através da Resolução CEPE n.º 98, de 18.08.04. DESIGN GRÁFICO Criação Desenho Industrial:Resolução n.º 3007, de 16.07.96, alterada a denominação através da Resolução CEPE n.º 98, de 18.08.04. Implantação do Curso na UEL 24.02.97 Reconhecimento Decreto

Leia mais

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A ARQUITETURA E URBANISMO PROFESSORA: ELOANE CANTUÁRIA TURMAS: 1ARQV-1 e 1ARQN-1 UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 MACAPÁ-AP MARÇO/2006

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA UPE Campus Petrolina Obrigatória: ( x ) PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: GEOGRAFIA Disciplina: Geografia Urbana Carga Horária: 60 Teórica: Semestre: 8º. Professora: Gêisa Silva Prática: Obrigatória: ( x )

Leia mais

OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO

OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO Ano: 3º ANO Disciplina: História Professor Responsável: Wladson Quiozine OBJETIVOS 3º TRIMESTRE ENSINO MÉDIO 1. Retomar os aspectos essenciais do conteúdo programático da disciplina de História do Ensino

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Fotografia PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Técnicas de Comunicação Escolas Proponentes / Autores ETIC José Pacífico (Coordenador)

Leia mais

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem o propósito de preparar o arquiteto para ser um profissional capaz de compreender

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Legislação urbana e ambiental: Ergonomia Urbana CÓDIGO: URB033 CLASSIFICAÇÃO: G5 PRÉ-REQUISITO: NÃO CARGA HORÁRIA: TÉORICA

Leia mais

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias C/H Memória Social 45 Cultura 45 Seminários de Pesquisa 45 Oficinas de Produção e Gestão Cultural 45 Orientação

Leia mais

PUB025. 36 5 o PROGRAMA DE DISCIPLINA ANO LETIVO CURSO 2015.2. Comunicação Publicidade & Propaganda DISCIPLINA CÓDIGO

PUB025. 36 5 o PROGRAMA DE DISCIPLINA ANO LETIVO CURSO 2015.2. Comunicação Publicidade & Propaganda DISCIPLINA CÓDIGO Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Arquitectura e Artes Licenciatura Design Unidade Curricular Desenho de Observação Semestre: 2 Nº ECTS: Regente Prof. Doutora Joana Pimentel Assistente Carga Horária

Leia mais

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios,

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios, Prezados colégios, Buscando atender a demanda por GeekieTestes para o 1º e 2º anos do Ensino Médio, elaboramos nossa Matriz Geekie de Avaliação para 2014. Nela, buscamos contemplar os principais conteúdos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular CICLO GERAL OU CICLO BÁSICO AR081- FOLCLORE BRASILEIRO OBRIGATÓRIO 1 30 30 60 3 Fórmula: AR280 AR280- FOLCLORE BRASILEIRO FOLCLORE, ORIGENS, CAMPOS DE ATUAÇÃO E INTERLIGAÇÃO COM OUTRAS CIÊNCIAS, INFLUÊNCIA

Leia mais

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Móveis Integrado FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais