ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE ERP DA EMPRESA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE ERP DA EMPRESA."

Transcrição

1 PEDRO LUIZ VEPPO ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE ERP DA EMPRESA. EMPRESA: P&P Informática LTDA. SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Mauricio Pensky ORIENTADORA: Daniela Gorski Trevisan CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL

2 ii NOVEMBRO/2009 APROVADO EM.../.../... Professora Daniela Gorski Trevisan Doutora em Ciências Aplicadas Professora Orientadora Professor Gilmário Barbosa dos Santos Doutor em Engenharia Elétrica Professor Marco Antonio T Rojas Mestre em Ciências da Computação Mauricio Pensky Supervisor da CONCEDENTE

3 iii UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR FOLHA DE AVALIAÇÃO FINAL Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: P&P Informática LTDA CGC/MF: / Endereço: Rua Henrique Meyer, 68 Bairro: Centro CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Supervisor: Mauricio Pensky Cargo:Gerente de Desenvolvimento ESTAGIÁRIO Nome: Pedro Luiz Veppo Matrícula : Endereço: Rua Euclides da Cunha, 385 Bairro: Bom Retiro CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Curso de: Ciência da Computação Título do Estágio: Desenvolvimento e manutenção do sistema ERP da empresa. Período: 02/09/2009 a 13/10/2009 Carga horária: 180 horas AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor de Estágio: Carlos Norberto Vetorazzi Junior CONCEITO FINAL NOTA Rubrica do Professor do Estágio Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) Local e data:

4 iv UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO PELA EMPRESA Nome do Estagiário: Pedro Luiz Veppo QUADRO I a) AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS Pontos 1 - QUALIDADE DO TRABALHO - Considerando o possível 2 - ENGENHOSIDADE - Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. 3 - CONHECIMENTO - Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. 4 - CUMPRIMENTO DAS TAREFAS - Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável 5 - ESPÍRITO INQUISITIVO - Disposição demonstrada para aprender 6 - INICIATIVA - No desenvolvimento das atividades SOMA Pontuação para o Quadro I e II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos. QUADRO II b) AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS Pontos 1 - ASSIDUIDADE - Cumprimento do horário e ausência de faltas 2 -.DISCIPLINA - Observância das normas internas da Empresa. 3 - SOCIABILIDADE - Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. 4 - COOPERAÇÃO - Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. 5 -SENSO DE RESPONSABILIDADE - Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA c) AVALIAÇÃO FINAL Pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 102 a REGULAR SOMA TOTAL De 148 a BOM De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: P&P Informática LTDA Representada pelo Supervisor: Mauricio Pensky CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data: Carimbo da Empresa

5 v UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO ESTAGIÁRIO Nome: Pedro Luiz Veppo Matrícula: Endereço: Rua Euclides da Cunha, 385 Bairro: Bom Retiro CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Endereço (Local estágio): Rua Henrique Meyer, 68 Bairro: Centro CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Regularmente matriculado no semestre: 7 Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2010/1 Curso: Ciência da Computação UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: P&P Informática LTDA CGC/MF: / Endereço: Rua Henrique Meyer, 68 Bairro: Centro CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Atividade Principal: Desenvolvimento de Sistemas ERP via Web. Supervisor: Mauricio Pensky Cargo: Gerente de Desenvolvimento DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Desenvolvimento de Sistemas Web Departamento de atuação: Desenvolvimento Fone: Ramal: Horário do estágio: 10:00 às 12:00 e 14:00 às 18:00 Total de horas do Estágio: 180 Período: 02/09/2009 a 13/10/2009 Total de horas semanais: 30 horas Nome da Professora Orientadora: Daniela Gorski Trevisan Departamento: Departamento de Ciência da Computação ( DCC ) Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 2 Quais: TCC I Trabalho de Conclusão de Curso I TOCI-09 - Interconexão de Redes de Computadores OBJETIVO GERAL Desenvolvimento e manutenção do sistema ERP da empresa.

6 vi ATIVIDADES Estudo sobre o funcionamento e políticas internas e externas da empresa OBJETIVO ESPECÍFICO Compreender as regras de convivência entre: funcionáriosempresa, empresa-cliente; Conhecimento da relação entre funcionários e bens da empresa; Boas práticas de programação. HORAS 8 Horas Estudo sobre tecnologias e ferramentas de desenvolvimento utilizadas pela empresa Desenvolvimento de Sistema ERP Estudo de ASP, javascript, SQL e Visual Basic; Estudo das ferramentas: Microsoft Visual Web Developer e Microsoft SQL Server. Utilizando os conhecimentos obtidos anteriormente, o estagiário deverá: Desenvolver novas rotinas ou telas, atendendo as necessidades dos clientes da concedente; Prestar manutenção as rotinas ou telas já existentes no sistema; Realizar a substituição das rotinas ou telas a medida que forem sendo atualizadas. 18 Horas 144 Horas Rubrica do Professor Orientador Aprovação do Comitê Rubrica do Coordenador de Estágio Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Data: Carimbo da Empresa

7 vii CRONOGRAMA FÍSICO REAL ATIVIDADES PERÍODO (6 HORAS) Estudo sobre o funcionamento e políticas Internas e externas da empresa P X X R X X Estudo sobre tecnologias e ferramentas de Desenvolvimento utilizados na empresa P X X X R X X X Desenvolvimento de Sistema ERP P X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X R X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X Legenda: P - Previsto R - Real

8 viii TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Este Termo de Compromisso tem por objetivo a realização do estágio curricular obrigatório dos acadêmicos da UDESC, não gerando vínculo empregatício, nos termos da Lei nº /2008. ESTAGIÁRIO: Nome: Pedro Luiz Veppo CPF: Data Nasc.: 19/09/1984 Endereço: Rua Euclides da Cunha CEP: Telefone: Curso: Ciência da Computação Fase: 7 fase Ano/Semestre: 2009/2 Matrícula: O estagiário acima qualificado está segurado pela apólice nº INSTITUIÇÃO DE ENSINO: FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA, fundação pública instituída e mantida pelo Estado de Santa Catarina, com base no artigo 39, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Estadual de 1989, e, na Lei nº , de 01 de Outubro de 1990, inscrita no CNPJ sob o nº / , com sede e foro na cidade de Florianópolis, e jurisdição em todo o território catarinense, situada à Avenida Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi, neste ato representada pelo Diretor Geral do Centro de Ciências Tecnológicas, Professor Dieter Neermann, RG nº , CPF / , doravante denominada UDESC. CONCEDENTE: Concedente: P&P Informática LTDA Endereço: Rua Henrique Meyer, 68 Cidade: Joinville CNPJ/CPF: / Representada por: Mauricio Pensky Cargo:Gerente de Desenvolvimento Local de Estágio: Rua Henrique Meyer, 68 Supervisor/Responsável: Mauricio Pensky Cargo: Gerente de Desenvolvimento Cláusula 1ª DO OBJETO DO TERMO DE COMPROMISSO Este termo de compromisso tem por objetivo estabelecer e regulamentar a admissão de alunos da UDESC, através da concessão de estágios curriculares obrigatórios, (remunerados ou não), nos termos da Lei nº Cláusula 2ª DA VIGÊNCIA

9 ix O vínculo de estágio, objeto do presente Termo de Compromisso de Estágio, terá início da data de sua assinatura, até 13/10/2009, e desde que mantido o vínculo do estagiário com a Instituição de Ensino, nos termos do artigo 11, da Lei nº /2008. Cláusula 3ª DA DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A SEREM EXECUTADAS PELO ESTAGIÁRIO As atividades a serem exercidas pelo estagiário compreendem as tarefas oriundas do plano de estágio e elaborado em consonância com o projeto pedagógico do curso. Parágrafo único A carga horária total do estágio curricular obrigatório é estabelecida no projeto pedagógico de cada curso, observada a cláusula quarta. Cláusula 4ª DO HORÁRIO DE JORNADA A jornada do estagiário será de até 6 (seis) horas diárias e 30 (trinta) horas semanais, garantida a compatibilidade com as atividades escolares. Parágrafo 1º - O estágio relativo a cursos que alternam teoria e prática, nos períodos em que não estão programadas aulas presenciais, poderá ter jornada de até 40 (quarenta) horas semanais, desde que isso esteja previsto no projeto pedagógico do curso e da instituição de ensino. Parágrafo 2º - Se a instituição de ensino adotar verificações de aprendizagem periódicas ou finais, nos períodos de avaliação, o estagiário terá direito a reduzir pelo menos à metade sua carga horária, para garantir o bom desempenho do estudante. Cláusula 5ª - DO DIREITO AO RECESSO É assegurado ao estagiário, sempre que o estágio tenha duração igual ou superior a 1 (um) ano, período de recesso remunerado, quando for o caso, de 30 (trinta) dias, a ser gozado preferencialmente durante suas férias escolares, de acordo com o disposto na Lei nº /2008, artigo 13. Parágrafo 1º Os dias de recesso previstos neste artigo serão concedidos de maneira proporcional, nos casos de o estágio ter duração inferior a 1 (um) ano; Parágrafo 2º Não há direito ao adicional de 1/3 previsto na Constituição Federal, salvo disposição legislativa em contrário; Parágrafo 3º Compete a entidade concedente estipular o dia de concessão do recesso, que será preferencialmente durante as férias escolares. Cláusula 6ª DOS DEVERES DAS PARTES Além de outros previstos neste termo e no plano de atividades do estagiário, são os seguintes os deveres das partes: Parágrafo 1º- Da Instituição de Ensino: I - avaliar as instalações da parte concedente do estágio e sua adequação à formação cultural e profissional do acadêmico; II - indicar professor orientador, da área a ser desenvolvida no estágio, como responsável pelo acompanhamento e avaliação das atividades do estagiário;

10 x III - exigir do acadêmico a apresentação periódica, em prazo não superior a 6 (seis) meses, de relatório das atividades; IV - zelar pelo cumprimento do termo de compromisso, reorientando o estagiário para outro local em caso de descumprimento de suas normas; V - elaborar normas complementares e instrumentos de avaliação dos estágios e de seus acadêmicos; VI - comunicar à parte concedente do estágio, no início do período letivo, as datas de realização das avaliações; Parágrafo 2º - Da Entidade Concedente I ofertar instalações que tenham condições de proporcionar ao acadêmico atividades de aprendizagem relacionadas ao seu curso de formação; II indicar funcionário de seu quadro de pessoal, com formação ou experiência profissional na área de conhecimento desenvolvida no curso do estagiário, para orientar e supervisionar, sendo este supervisor responsável por no máximo 10 (dez) estagiários simultaneamente; III por ocasião do desligamento do estagiário, entregar termo de realização do estágio com indicação resumida das atividades desenvolvidas, dos períodos e da avaliação de desempenho; IV manter à disposição da fiscalização documentos que comprovem a relação de estágio; V enviar à instituição de ensino, com periodicidade mínima de 6 (seis) meses, relatório de atividades, com vista obrigatória ao estagiário; VI zelar pela aprendizagem do estagiário, em conformidade com o currículo de seu curso de formação; VII - pagar pontualmente a bolsa auxílio e benefícios diretamente ao estagiário ou realizar pontualmente o repasse, quando assim acordado; VIII - fornecer à instituição de ensino todas as informações necessárias à avaliação e acompanhamento do estágio quando solicitada. IX - sinalizar à Instituição os casos de descumprimento ao estabelecido neste termo. Parágrafo 3º - Do estagiário I cumprir com zelo e responsabilidade as tarefas que lhe forem submetidas; II cumprir integralmente as horas previstas para o seu estágio, conforme especificado em cláusula própria; III manter regularmente preenchido o relatório de atividades exercidas, a ser devidamente conferido pelo supervisor indicado pela entidade concedente, e, após visto de ambos, em período não superior à seis meses, providenciar a entrega do relatório ao professor orientador indicado pela instituição de ensino; IV no mesmo prazo descrito no item anterior, ou seja, seis meses, deverá o estagiário trazer declaração atualizada da instituição de ensino atestando a sua matrícula e regular freqüência; V acatar as normas internas da Concedente, bem como orientações e recomendações efetuadas por seu supervisor. VI - responder, durante a execução do estágio, por quaisquer faltas ou danos ocasionados, dolosa ou culposamente, ao patrimônio da Concedente e seus clientes e manter sigilo em relação a informações e dados aos quais tiver acesso em razão da realização do estágio. VII - assinar, ao término do estágio, o Termo de Desligamento do Estágio, a ser fornecido pela Concedente.

11 xi Cláusula 7ª - DO PAGAMENTO DO SEGURO CONTRA ACIDENTES PESSOAIS Nos estágios curriculares obrigatórios não remunerados dos cursos de graduação da UDESC, a responsabilidade pelo pagamento do seguro contra acidentes pessoais em favor do estudante de estágio poderá ficar a cargo tanto da UDESC quanto da entidade concedente da oportunidade do estágio, de acordo com a Resolução nº 200/2006 CONSUNI. Cláusula 8ª DA BOLSA AUXÍLIO No caso do estagiário receber da Concedente bolsa, o seu valor será de R$..500,00.. mensal e 10 Vale Transporte semanais. Cláusula 8ª DA RESCISÃO Este estágio poderá ser rescindido nos seguintes casos: a) Não cumprimento dos termos de compromisso. b) Conclusão, trancamento, desligamento e abandono do curso. c) Pedido de qualquer uma das partes, a qualquer tempo. d) Automaticamente, ao término do estágio. e) Após decorrida a terça parte do tempo previsto para a duração do estágio, se comprovada a insuficiência na avaliação de desempenho na concedente ou na instituição de ensino. f) Pelo não comparecimento, sem motivo justificado, por mais de cinco dias, consecutivos ou não, no período de um mês, ou por trinta dias durante o período de estágio. E por estarem de inteiro acordo com a forma deste instrumento, as partes assinam o presente termo de compromisso em 03 vias de igual teor e forma. Joinville(SC), de de Diretor Geral do Centro Concedente Testemunhas; Estagiário

12 xii SUMÁRIO RESUMO... xvi 1. INTRODUÇAO ESTÁGIO CURRICULAR I OBJETIVOS Geral Específicos ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO APRESENTAÇÃO DA CONCEDENTE HISTÓRICO PRODUTO ERP E-commerce RELAÇÃO COM OS CLIENTES FUNCIONÁRIOS FERRAMENTAS E TECNOLOGIAS ASP JAVASCRIPT VISUAL BASIC AJAX MICROSOFT VISUAL BASIC MICROSOFT SQL SERVER FTP CONTROLE DE VERSÃO TRABALHOS DESENVOLVIDOS GERENCIAMENTO DAS INFORMAÇÕES EXEMPLOS DE OS S OS

13 xiii OS OS OS OS PRIMEIRA MENSAGEM DE ERRO SEGUNDA MENSAGEM DE ERRO CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 27

14 xiv LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 Sistema ERP Convencional... 5 FIGURA 2 Sistema ERP PPInfo... 5 FIGURA 3 Modelo Ajax. Adaptado de [GONZALEZ, 2009] FIGURA 4 Tela Inicial FIGURA 5 Tela de Informações Gerais do ERP FIGURA 6 Consulta das OS FIGURA 7 OS FIGURA 8 OS FIGURA 9 Tela Alterada OS FIGURA 10 OS FIGURA 11 Tela Alterada OS FIGURA 12 OS FIGURA 13 Tela Alterada OS FIGURA 14 OS FIGURA 15 Tela Alterada OS FIGURA 16 Primeira Mensagem de Erro FIGURA 17 Segunda Mensagem de Erro LISTA DE TABELAS TABELA 1 Funcionários da PPInfo... 7

15 xv LISTA DE ABREVIATURAS ADO AJAX ASP DAO DTS ERP EST FAQ FTP HTML IIS LINQ MSDTC ODBC PWS RDBMS RDO SQL VB WPF XML ActiveX Data Objects Asynchronous JavaScript and XML Active Server Pages Data Aces Objecte Data Transformation Services Enterprise Resource Planning Estágio Curricular Frequent Asked Questions File Transfer Protocol HyperText Markup Language Internet Information Server Language Integrated Query Microsoft Distributed Transaction Coordinator Open Data Base Connectivity Personal Web Server Relational Database Management System Remote Data Object Structured Query Language Visual Basic Windows Presentation Foundation Extensible Markup Language

16 xvi RESUMO Neste trabalho é apresentado o estágio realizado na empresa concedente P&P Informática LTDA. O estágio consistiu em treinamento, manutenções e desenvolvimento das rotinas do ERP (Enterprise Resource Planning) da empresa. O treinamento foi realizado para que o estagiário pudesse aprender as regras de convivência dentro da empresa, boas práticas de programação e as tecnologias utilizadas na empresa. As manutenções e desenvolvimentos foram sendo apresentadas ao estagiário com grau de dificuldade crescente, ou seja, na medida em que o tempo e a experiência do estagiário cresciam no sistema dentro da empresa, as tarefas ficavam cada vez mais complexas. No decorrer do estágio, foram realizadas 107 ordens de serviços dos quais são descritos 7 exemplos ao final do trabalho.

17 1 1. INTRODUÇAO Este trabalho tem como finalidade, relatar as atividades realizadas durante o estágio na concedente P&P Informática LTDA. Os temas propostos pela concedente para estudo e desenvolvimento foram ASP (Active Server Pages), JavaScrip e SQL (Structured Query Language). Para o desenvolvimento das atividades foram estudadas as ferramentas Microsoft Visual Web Developer e Microsoft SQL Server. Porém antes de relatar os objetivos gerais e específicos, é apresentado resumidamente, o trabalho realizado pelo acadêmico no estágio curricular I, realizado na empresa Effect Publicidade LTDA. 1.1 ESTÁGIO CURRICULAR I Possuía como objetivo geral o desenvolvimento e manutenção de sistemas baseados na plataforma.net. Com duração de 300 horas e turnos de 4 horas diários, os objetivos específicos propostos e alcançados no ETG I (Estágio Curricular I) foram: Treinamento na ferramenta LINQ (Language Integrated Query): Um conjunto de recursos introduzidos no.net Framework 3.5 que permitem a realização de consultas diretamente em base de dados, documentos XML (Extensible Markup Language), estrutura de dados, coleção de objetos, e outros. Utiliza uma sintaxe parecida com a linguagem SQL Estudo de WebServices: Ferramenta utilizada para realizar a integração entre sistemas e aplicações utilizadas na web. Utiliza para alcançar este objetivo o XML que pode ser usado em qualquer linguagem. Treinamento em Ajax (Asynchronous JavaScript and XML): Utilizado para poder efetuar a troca de informação entre cliente servidor sem precisar recarregar a página inteira, somente o que for necessário. Estudar MemberShip.NET: O MemberShip tem como principal função fornecer uma validação e gerenciamento de contas de usuário, sem a necessidade de desenvolver uma autenticação própria do site Web.

18 2 Estudar WPF (Windows Presentation Foundation): Com esta ferramenta consegue-se uma maior flexibilidade da interface, e a aplicação desktop pode ser dividida em dois arquivos, deixando a interface com o designer e as funcionalidades com o programador. Outra importante utilidade é que os controles podem ser personalizados a qualquer nível que se queira, por exemplo, podemos criar um botão não retangular que contenha uma animação 3D, sem a necessidade de escrever código para isso. Estudar Reflection: Reflection fornece a possibilidade de se obter métodos ou atributos de uma determinada dll em tempo de execução tornando assim o programa mais dinâmico. O principal obstáculo encontrado no decorrer do estágio I foi a dificuldade de encontrar material de fácil entendimento na internet, porém a concedente sempre esteve presente para ajudar nas questões em que a dúvida não fosse sanada rapidamente. Tendo completado o estágio I, dá-se continuação com o estágio II em outra empresa. 1.2 OBJETIVOS Geral O objetivo proposto pela concedente ao estagiário é o desenvolvimento e manutenção do sistema ERP da empresa, para isso, faz-se necessária a realização dos objetivos específicos citados abaixo Específicos Compreender as regras de convivência entre: funcionários-empresa, empresacliente; Conhecimento da relação entre funcionários e bens da empresa; Boas práticas de programação; Estudo de ASP, JavaScript, SQL e Visual Basic; Estudo das ferramentas: Microsoft Visual Web Developer e Microsoft SQL Server; Desenvolver novas rotinas ou telas, atendendo as necessidades dos clientes da concedente; Prestar manutenção as rotinas ou telas já existentes no sistema; Realizar a substituição das rotinas ou telas a medida que forem sendo atualizadas.

19 3 1.3 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO O presente trabalho está dividido em cinco partes. A primeira parte trata de resumir o estágio curricular I do acadêmico, seguido da descrição dos objetivos propostos, como objetivo geral e os objetivos específicos propostos pela concedente. Na segunda parte será apresentada a Concedente, onde será descrito com mais detalhes sobre a empresa que está oferecendo o estágio com um breve histórico, produtos, relacionamento com os clientes e funcionários. No terceiro capítulo são descritas as ferramentas e as tecnologias estudadas pelo acadêmico. No quarto capítulo serão apresentados os trabalhos desenvolvidos, representando o que aconteceu durante o estágio. E finalmente, o último capítulo contém as considerações finais onde o estagiário apresentará uma conclusão do estágio na concedente P&P informática

20 4 2. APRESENTAÇÃO DA CONCEDENTE Neste capítulo será apresentada a concedente, no qual será descrito o ERP da empresa, que caracteriza o produto da empresa PPInfo, o relacionamento que a empresa possui com os clientes assim como as diversas áreas que atende. Também será descrito a relação da empresa com seus funcionários, assim como uma tabela demonstrando o quadro de funcionários atuais da empresa. Para começar é apresentado um breve histórico sobre a concedente. 2.1 HISTÓRICO A concedente foi fundada em 1997 com a missão de "atender ao cliente com rapidez e qualidade suprindo todas as suas necessidades". Para isso conta com uma equipe de profissionais qualificados que desenvolvem soluções de qualidade, de acordo com os padrões internacionais de desenvolvimento e qualidade em softwares (PPINFO, 2008). 2.2 PRODUTO A PPInfo é especializada no desenvolvimento de ERP e sites de e-commerce ERP ERP, são sistemas que possibilitam a integração entre os diversos departamentos existentes na empresa, trabalhando com a informação de forma racional e prática. Por exemplo, a integração funcional tem por objetivo integrar os sistemas de vendas, marketing, estoque, e outros, ajudando assim, na tomada de decisões na empresa. O Sistema PPInfo ERP é um Sistema Integrado de Gestão com funcionamento via Web (ASP), portanto não é necessário instalar softwares nas estações de trabalho da empresa, e não é necessário ter um servidor na empresa, já que o sistema fica instalado num datacenter. Esta tecnologia permite uma drástica e comprovada redução das despesas de infra-estrutura, manutenção de servidores e máquinas na empresa. As estações de trabalho podem ter uma configuração bem limitada, e ainda assim estarão aptas para utilização deste sistema (PPINFO, 2008). A figura 1 ilustra a arquitetura de sistemas ERP convencionais, enquanto a figura 2 ilustra o sistema ERP da PPInfo. Como se pode observar na figura 1, o ERP convencional possui o banco de dados para armazenamento de informações mantido na empresa matriz, e as filiais fazem o acesso as informações através de uma rede privada.

21 5 FIGURA 1 Sistema ERP Convencional Enquanto na figura 2, o ERP da PPinfo mantém o banco de dados alojado em um DataCenter, e a empresa matriz e suas filiais fazem o acesso através da internet, com isso, é possível que a empresa acesse a informação de qualquer lugar que possua acesso a internet. FIGURA 2 Sistema ERP PPInfo

22 E-commerce E-commerce ou comércio eletrônico é utilizado para permitir que os clientes possam realizar as compras pela internet, a fim de permitir que o cliente não precise sair de casa para realizar a compra, no qual uma das principais diferenças é o menor preço do produto em comparação com uma loja normal. A PPInfo oferece aos seus clientes a construção de sites de comércio eletrônico, procurando reutilizar os produtos que já estão cadastrado no sistema ERP da empresa, evitando assim o retrabalho de cadastramento de produtos por parte do cliente. Estes produtos são apresentados normalmente na lateral esquerda da página e são separados por categorias, ou por categorias e subcategorias. Oferece opções como carrinho de compra, diversas formas de pagamento, controle de andamento do pedido pelo cliente, e a utilização de uma vitrine para apresentação de alguns produtos selecionados já na abertura do site, como promoções, produtos de maior interesse em venda, entre outros (PPINFO, 2008). 2.3 RELAÇÃO COM OS CLIENTES A empresa fornece aos clientes diversas formar para poder entrar em contato ou sanar eventuais dúvidas sobre o sistema, desde ao mais simples conhecido como FAQ (Frequent Asked Questions), até meios como chat s ou visitas pessoais. Ao contratar a PPInfo, o cliente ganha um treinamento no sistema de 120 horas, caso necessite de mais pode pagar por hora, a consultoria da empresa busca estar sempre em contato com cliente por telefone ou visitas a empresa, a fim de poder conhecer melhor o que o cliente necessita e estar passando as informações para o setor de desenvolvimento. Neste tempo de existência a concedente já conseguiu muitos clientes em diversos ramos, como informática, ótico, vestuário/têxtil, autopeças, automação industrial e eletrônica, celulares, metal-mecânico, químico, materiais de construção e imóveis, plásticos e borrachas, material esportivos, molduras, variedades, embalagens, produtos odontológicos, alimentos, shoppings, livrarias, prestação de serviços, comércio de sal para alimentos e indústrias, purificadores de água, reciclados e serigrafia (PPINFO, 2008). Abaixo é mostrado um depoimento feito pela Prinz Dental, cliente da PPInfo. "O Sistema PPInfo ERP proporcionou a nossa empresa mais agilidade nas informações e eficiência nos controles, uma vez que as áreas interagem, isto é, compras, vendas, faturamento, financeiro, banco, etc. A possibilidade de enviar orçamentos para clientes e pedidos para fornecedores com um simples clique, além da redução de custos, gerou economia de tempo, isso

23 7 só para citar um exemplo. As consultas que podem ser feitas a qualquer tempo e de qualquer lugar, facilitam, e muito, o gerenciamento da empresa."(ppinfo, 2008). 2.4 FUNCIONÁRIOS A concedente procura manter o ambiente de trabalho o mais agradável possível, realizando encontros confraternizantes as sextas quando algum funcionário está de aniversário, recebe promoção ou ocorra algum evento importante para a empresa. A empresa fornece aos funcionários uma cozinha equipada com os utensílios necessários para a realização do almoço no local, por parte dos funcionários. É possível conversar sobre qualquer assunto, mantendo o ambiente mais descontraído, porém se a conversa fugir do controle o supervisor manda um aviso, proibindo a comunicação por um determinado tempo, exceto para conversas necessárias. Para manter a organização interna, a empresa emprega a regra dos 5 S : Seiri (senso de utilização): separar as coisas necessárias das desnecessárias; Seiton (senso de organização): ordenar e identificar as coisas, facilitando encontrá-las quando desejado; Seisou (senso de zelo): criar e manter um ambiente físico agradável; Seiketsu (senso de higiene): cuidar da saúde física, mental e emocional de forma preventiva; Shitsuke (senso de disciplina): manter os resultados obtidos através da repetição e da prática. Desenvolvimento Consultoria TOTAL EFETIVOS ESTAGIÁRIOS TOTAL TABELA 1 Funcionários da PPInfo Como se pode observar na tabela 1, a empresa possui doze funcionários. O setor de desenvolvimento conta com sete efetivos, incluindo e gerente de desenvolvimento, mais um estagiário. E o setor de consultoria conta com quatro pessoas efetivas, totalizando os doze funcionários.

24 8 3. FERRAMENTAS E TECNOLOGIAS Neste capítulo serão apresentadas as tecnologias utilizadas na concedente para a realização do trabalho, como o ASP e o Javascript, e as ferramentas que são utilizadas para o desenvolvimento. 3.1 ASP Active Server Pages é uma tecnologia desenvolvida pela Microsoft que auxilia o programador na geração de páginas HTML (HyperText Markup Language) dinâmicas. Para a sua utilização, é necessário ter o IIS3/4/5 (Internet Information Server) ou PWS (Personal Web Server) instalado corretamente, é possível rodar códigos ASP que geram páginas HTML dinamicamente, e então mandá-las para o Browser. Assim sendo, sempre que uma página ASP é requisitada pelo Browser, esta página será executada pelo servidor, e a partir daí serão gerados códigos HTML com o resultado dos processos, a qual será enviada para o Browser do cliente que a requisitou. Por exemplo, é possível gerar a partir de uma única rotina, páginas HTML contendo os registros de um banco de dados. Detalhando um pouco mais o exemplo acima, um usuário qualquer entra na página principal da agenda virtual da sua empresa. Nesta página existem links para todas as letras do alfabeto, e para todas as cidades listadas na agenda. Esse usuário clica no link na letra A (poderia ser qualquer outra letra), e então uma página ASP (uma rotina ASP) é acionada no servidor. O servidor por sua vez, vai ler e processar esta página, o que significa que, em primeiro lugar, o servidor abrirá o banco de dados, ai então fará uma consulta a este banco de dados, requisitando todos os registros cujos nomes comecem com a letra A. Aí então o servidor cria uma página HTML contendo todos esses registros numa tabela. A linguagem ASP não serve apenas para consultas a banco de dados. Serve também para envio e recebimento de correio eletrônico, via páginas HTML, para criação de rotinas de propaganda rotativa, para leitura de arquivos texto, para criar pastas e arquivos e uma infinidade de outras aplicações. Por fim, uma página ASP gera arquivo texto que por sua vez é interpretada pelo Browser (ASPBRASIL, 2009). 3.2 JAVASCRIPT O JavaScript Foi criado pela Netscape em 1995, e permite a quem desenvolve conteúdos Web adicionar características que aumentam a capacidade de interação, características de processamento de informação, e controlo sobre os conteúdos de base Web. Utilizado para a realização de eventos que o HTML não consegue realizar sozinho, são aos manipuladores de eventos como onclick, onfocus, onchange, entre outros.

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB i FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB EMPRESA: P&P INFORMÁTICA LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: MAURÍCIO PENSKY ORIENTADOR: FABIANO BALDO CURSO: BACHARELADO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2013 - CONCEAVI

RESOLUÇÃO Nº 001/2013 - CONCEAVI 1 RESOLUÇÃO Nº 001/2013 - CONCEAVI Dispõe sobre o Regulamento Geral do Estágio Curricular Obrigatório e Não Obrigatório do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí - CEAVI da Universidade do

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2011 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 002/2013 CONCEAVI REVOGADA PELA RESOLUÇÃO 001/2015 - CONCEAVI

RESOLUÇÃO Nº 002/2013 CONCEAVI REVOGADA PELA RESOLUÇÃO 001/2015 - CONCEAVI 1 RESOLUÇÃO Nº 002/2013 CONCEAVI REVOGADA PELA RESOLUÇÃO 001/2015 - CONCEAVI Dispõe sobre o Regulamento Geral do Estágio Curricular Obrigatório e Não Obrigatório do Centro de Educação Superior do Alto

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual, DECRETO N.º 2299 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Regulamenta o estágio estudantil no âmbito do Poder Executivo Estadual e dá outras providências.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE QUÍMICA DA Efoa/Ceufe Resolução Nº 007/2005 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) O presente regulamento foi elaborado tendo

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base Introdução a Informática - 1º semestre AULA 14 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar tabelas; Criar e explorar

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA)

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) 1 REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) Resolução nº 015/2005 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) Capítulo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO REGULAMENTO PROVISÓRIO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO Fazel Mobini Kesheh ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO EMPRESA: MACEDON SOLUÇÕES EM INFORMAÇÃO LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: EDÉSIO ORBEN ORIENTADOR: WESLEY DOS REIS BEZERRA CURSO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO TERMO DE COMPROMISSO Termo de Compromisso que entre si celebram e o(a) (Pessoa Jurídica)... e o(a) estudante... com a interveniência da Universidade

Leia mais

As partes acima qualificadas celebram entre si o presente convênio de estágio para estudantes, mediante as seguintes condições:

As partes acima qualificadas celebram entre si o presente convênio de estágio para estudantes, mediante as seguintes condições: CONVÊNIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO PROFISSIONAL, DE ACORDO COM A LEI Nº 11.788 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008, COM A LEI Nº 9.394 DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996 LEI DE DIRETRIZES

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e;

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e; RESOLUÇÃO CSA 02/2009 REFERENDA A PORTARIA DG 02/2008 QUE APROVOU A INSERÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NÃO OBRIGATÓRIOS NOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS OFERTADOS PELAS FACULDADES INTEGRADAS SÉVIGNÉ.

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO. Matrícula n o : xxx. CPF nº: RG nº: Nascimento: / /

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO. Matrícula n o : xxx. CPF nº: RG nº: Nascimento: / / 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO.

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Comissão do Jovem Advogado

Comissão do Jovem Advogado REGULAMENTO DO PROGRAMA MEU PRIMEIRO ESTÁGIO Estabelece normas para acompanhamento das atividades do programa meu primeiro estágio, da Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Acre OAB/AC.

Leia mais

Manual de Estágio Não Obrigatório

Manual de Estágio Não Obrigatório Manual de Estágio Não Obrigatório Faculdade Antonio Meneghetti Recanto Maestro, 2010 1 Introdução A lei nº 11.788/2008 define estágio como o ato educativo escolar, supervisionado, desenvolvido no ambiente

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

Pagamento - Fornecedor

Pagamento - Fornecedor Pagamento - Fornecedor MT-212-00137 - 1 Última Atualização 30/08/2014 I. Objetivos Após este módulo de capacitação você será capaz de: Carregar Documentos Fiscais Verificar o status de envio dos documentos

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

Manual do Módulo de PC Online

Manual do Módulo de PC Online do Módulo de PC Online Agilis Conteúdo Introdução... 4 Acesso à Funcionalidade... 5 1. Internet Explorer 6.x... 7 2. Internet Explorer 7.x... 9 3. Netscape Navigator 7.x... 10 4. Netscape Navigator 7.2x...

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar:

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar: SOLICITAÇÃO DE FOMENTO on-line MANUAL DO USUÁRIO 1 CONTATOS... 2 2 ANTES DE COMEÇAR... 2 3 ENTRAR NO SISTEMA INFAPERJ... 3 3.1 ACESSO AO SISTEMA...3 3.2 LOGIN...4 4 APRESENTAÇÃO GERAL DA INTERFACE... 5

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio Curricular do Curso de Comunicação Social/Publicidade e Propaganda da UNICENTRO e dá outras providências. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR MANUAL E DICAS DO ASSISTENTE VIRTUAL (AV) POR ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 ÍNDICE Introdução...3 Requisitos e Restrições do Assistente...3 Diferenças da Versão

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

O ESTÁGIO CURRICULAR: ESPECIFICIDADES E FUNDAMENTOS LEGAIS

O ESTÁGIO CURRICULAR: ESPECIFICIDADES E FUNDAMENTOS LEGAIS O ESTÁGIO CURRICULAR: ESPECIFICIDADES E FUNDAMENTOS LEGAIS O QUE É O ESTÁGIO? Estágio é um ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0 Índice I ENVIO DE BOLETOS POR E-MAIL... 2 APRESENTAÇÃO... 2 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO... 4 ALTERAÇÕES NO SIGADM IMÓVEIS... 6 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONCILIAÇÃO BANCÁRIA... 8 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO

Leia mais

ESTAGIÁRIOS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

ESTAGIÁRIOS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL ESTAGIÁRIOS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DEFINIÇÃO O estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS TÍTULO I CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Seção I Da Natureza Art. 1º. Estágio é atividade educativa escolar supervisionada, desenvolvida

Leia mais

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB CNS LEARNING MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB Versão Online 13 Índice ÍNDICE... 1 VISÃO GERAL... 2 CONCEITO E APRESENTAÇÃO VISUAL... 2 PRINCIPAIS MÓDULOS... 3 ESTRUTURAÇÃO... 3 CURSOS... 4 TURMAS... 4

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA Sistema Nota Fiscal Eletrônica Sil Tecnologia LTDA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 4 1. CONHECENDO OS COMANDOS DO SISTEMA 5 1.1 Tela Inicial do Sistema 5 1.2 Navegador de registros 6 1.3 Filtro de Registros 6 2. TELA

Leia mais

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA.

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. SISTEMA AUTOMÁTICO DE BILHETAGEM ELETRÔNICA MANUAL DO VTWEB CLIENT CADASTROS /PEDIDOS E PROCEDIMENTOS Resumo Esse manual tem como o seu objetivo principal a orientação de uso do

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

PROTOCOLO DE ENTREGA DO RELATÓRIO FINAL

PROTOCOLO DE ENTREGA DO RELATÓRIO FINAL DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO (informar I ou II) SEMESTRE LETIVO: (informar 1º ou 2º semestre de 20 ) PROTOCOLO DE ENTREGA DO RELATÓRIO FINAL DADOS GERAIS ALUNO: RA: COORDENADOR DE ESTÁGIO: Prof.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS, BACHARELADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

Cadastro e Comercialização de Vale-Transporte Guia de Utilização

Cadastro e Comercialização de Vale-Transporte Guia de Utilização 1º PASSO: ACESSO À PAGINA PARA EMPREGADORES NÃO CADASTRADOS Acesse o site www.tripoa.com.br e selecione a opção Vale-transporte, ou então acesse www.trensurb.gov.br. Neste espaço você será informado sobre

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

GUIA PRA TICO DO ALUNO

GUIA PRA TICO DO ALUNO GUIA PRA TICO DO ALUNO Sistema de Avaliação, Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA e Portal ÚNICO Guia prático e de conhecimento do Sistema de Avaliação, utilização das ferramentas tecnológicas Ambiente

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2. 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2. 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2 3.2 Como Fazer o Estágio Supervisionado Curricular 3 3.3 A empresa e o supervisor

Leia mais

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial...

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial... 1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3 1.1. Conhecendo a Plataforma... 4 1.2. Seleção da Empresa de Trabalho... 4 1.3. Sair do Sistema... 5 1.4. Retornar a tela principal... 5 3. Configurações...

Leia mais

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Sumário Primeiro Acesso... 3 Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4 Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Acesso ao Ambiente Acadêmico Blackboard... 8 1 - Ferramentas... 9 1.1 - Calendário... 11 1.2

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR Art. 1º O presente Regimento trata do Estágio Curricular dos cursos de graduação da Faculdade

Leia mais

Sumário. Guia do Aluno

Sumário. Guia do Aluno Sumário Guia do Aluno 1. Roteiro de estudo...3 2. Acessando seu ambiente acadêmico...5 3. Ferramentas...6 3.1 Avisos...6 3.2 Calendário...7 3.3 Tarefas...8 3.4 Informações pessoais...9 3.5 Minhas notas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 20, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 20, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 20, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sobre a realização dos Estágios destinados a estudantes regularmente matriculados na Universidade Federal do Pampa e sobre os Estágios realizados no âmbito

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

MANUAL DO ALUNO PARA NAVEGAR NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - AVA

MANUAL DO ALUNO PARA NAVEGAR NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - AVA MANUAL DO ALUNO PARA NAVEGAR NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - AVA MANUAL DO ALUNO PARA ACESSO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Conteúdo Tela de acesso... 4 Dados de Cadastro... 5 Dados cadastrais...

Leia mais

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA O Manual ora apresentado visa orientar os alunos

Leia mais

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet.

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet. Olá! Você está recebendo as informações iniciais para utilizar o GEM (Software para Gestão Educacional) para gerenciar suas unidades escolares. O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar

Leia mais

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Elaborado por SIGA-EPT Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Versão Dezembro - 2009 Sumário 1 Introdução 5 1.1 Entrando no sistema e repassando as opções................... 5 1.2 Administração......................................

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS (PFRH) MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO Versão 04/02/2011 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO 2 INTRODUÇÃO 3 MODALIDADES DE

Leia mais

Pagamentos MT-212-00137-6 Última Atualização 06/01/2015

Pagamentos MT-212-00137-6 Última Atualização 06/01/2015 Pagamentos MT-212-00137-6 Última Atualização 06/01/2015 I. Objetivos Após este módulo de capacitação você será capaz de: Carregar Documentos Fiscais Verificar o status de envio dos documentos fiscais Consultar

Leia mais

MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição

MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus Campinas SP Brasil MANUAL DA PLATAFORMA

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil...

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil... Sumário INTRODUÇÃO... 3 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4 2. Ferramentas e Configurações... 5 2.1 Ver Perfil... 5 2.2 Modificar Perfil... 6 2.3 Alterar Senha... 11 2.4 Mensagens... 11 2.4.1 Mandando

Leia mais

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC 2011 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

Departamento de Estágios FACCAMP. Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio

Departamento de Estágios FACCAMP. Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio Departamento de Estágios FACCAMP Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio OBRIGAÇÕES DO ESTAGIÁRIO. Solicitar na Secretaria Geral da FACCAMP declaração de autorização para

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Manual e Normas Sistema Disciplina Online

Manual e Normas Sistema Disciplina Online Manual e Normas Sistema Disciplina Online 2011-2 1 SUMÁRIO Pág. 1. Sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.1. Acesso ao sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.2. Observações. 05 2. Sistema

Leia mais

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Sumário Visão geral Bilhetagem Eletrônica... 3 1 TDMax Web Commerce... 4 1.1 Requisitos e orientações gerais... 4 2 Acesso... 5 2.1 Como realizar um cadastro usuário

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal 29/11/2012 Índice ÍNDICE... 2 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O QUE É E-COMMERCE?... 4 3. LOJA FOCCO... 4 4. COMPRA... 13 5. E-MAILS DE CONFIRMAÇÃO... 14 6.

Leia mais

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Página1 e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é o e-nota R?... 03 2. Configurações e Requisitos...

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP

Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação ISSN - 0103-2569 MANUAL DE USO Sistema de Reserva de Salas INTRANET - ICMC-USP André Pimenta Freire Renata Pontin de M. Fortes N 0 213 RELATÓRIOS TÉCNICOS

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Assim que o usuário entrar nesta ferramenta do sistema a seguinte tela será exibida:

Assim que o usuário entrar nesta ferramenta do sistema a seguinte tela será exibida: O que é o TDMax Web Commerce? O TDMax Web Commerce é uma ferramenta complementar no sistemas de Bilhetagem Eletrônica, tem como principal objetivo proporcionar maior conforto as empresas compradoras de

Leia mais

MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.*

MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.* MINISTÉRIO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008.* Estabelece orientação sobre a aceitação de estagiários no âmbito da Administração

Leia mais

Colegiado do Curso de Graduação em Administração

Colegiado do Curso de Graduação em Administração Colegiado do Curso de Graduação em Administração Resolução nº 03/2012 de 08 de novembro de 2012 Fundamentada na LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Regulamenta os procedimentos de Estágio Supervisionado

Leia mais

ALUNO IMPORTANTE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO ESTÁGIO Leia com Atenção!

ALUNO IMPORTANTE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO ESTÁGIO Leia com Atenção! ALUNO IMPORTANTE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO ESTÁGIO Leia com Atenção! Você deverá preencher os campos dos impressos destinados ao registro de Estágio sem rasuras e com letra legível ou por intermédio

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS V PORTAL WEB Revisão: 07 Versão: 7.9.109 JM Soft Informática Março, 2015 SUMÁRIO 1 AVALIAÇÕES... 9 2 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL...

Leia mais

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte.

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. MANUAL DE SUPORTE Controle de Suporte Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. SUMÁRIO Considerações Iniciais... 3 Acesso... 4 Controle de Suporte... 5 1. Solicitação de Atendimento...

Leia mais

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 1 COMO ACESSAR O PATRONAGE... 4 2 INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO... 5 3 PRESTAÇÃO DE CONTAS... 8 3.1 Execução do projeto... 8 3.2 Autorização de recursos (remanejamento de recurso,

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 028/2015

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 028/2015 EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO Nº 028/2015 De acordo com o disposto no Regulamento de Processo Seletivo, devidamente registrado no 1º OFICIAL DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS de Marília,

Leia mais