Consulta de Notas Acadêmicas Utilizando a Tecnologia WAP e Envio de Mensagens SMS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Consulta de Notas Acadêmicas Utilizando a Tecnologia WAP e Envio de Mensagens SMS"

Transcrição

1 Consulta de Notas Acadêmicas Utilizando a Tecnologia WAP e Envio de Mensagens SMS Régis Vicari 1, Tatiana Annoni Pazeto 1 1 Centro Tecnológico - Universidade Comunitária Regional de Chapecó UNOCHAPECÓ Caixa Postal Chapecó SC Brasil Abstract. This article has the objective to present some topics related to the Wireless Application Protocol (WAP) technology. So, its theoretical and practical aspects will be approached, with the purpose of developing a prototype of consultation of academic s marks, using Wireless Markup Language (WML) and Hypertext Preprocessor (PHP). This prototype will allow the academics to consult their marks through a mobile device, as a cellular. Besides this, a site developed in HTML, that uses PHP to make the access routines to the database is presented, making possible, the inclusion of academic s marks through Internet. Information about the prototype to send messages Short Message Service (SMS) also are presented in this article. Resumo. Este artigo tem por objetivo apresentar alguns tópicos relacionados à tecnologia Wireless Application Protocol (WAP). Sendo assim, serão abordados seus aspectos teóricos e práticos, com a finalidade de desenvolver um protótipo, utilizando-se as linguagens Wireless Markup Language (WML) e Hypertext Preprocessor (PHP). Este protótipo permitirá que os acadêmicos consultem suas notas através de um dispositivo móvel, como um celular. Além disso, é apresentado um site desenvolvido em HTML, que utiliza PHP para efetuar as rotinas de acesso ao banco de dados, possibilitando a inclusão das notas acadêmicas através da Internet. Informações sobre um protótipo para envio de mensagens Short Message Service (SMS) também são apresentadas neste artigo. 1. Introdução A Internet vem se tornando cada vez mais popular. Assim, novas características, como a mobilidade, devem ser adicionadas a ela para facilitar a vida dos usuários. Essa facilidade se dá através do uso da tecnologia Wireless Application Protocol (WAP), que proporciona acesso a serviços e informações da web, independente do local onde esteja, através de um dispositivo móvel compatível, como um telefone celular. Conforme [DEM 00], o grande mercado para WAP não está no conteúdo, devido às limitações e restrições de uso que existem, mas sim em serviços de conveniência. Este artigo apresenta a tecnologia WAP e a linguagem Wireless Markup Language (WML), aplicados em um protótipo para consulta de notas acadêmicas através de um dispositivo sem fio. Também demonstra um site, utilizando-se Hyper

2 Text Markup Language (HTML) e Hypertext Preprocessor (PHP), para a inclusão de notas, além de um protótipo de envio de mensagens Short Message Service (SMS). 2. Wireless Application Protocol e Wireless Markup Language Devido ao seu forte impacto, a Internet é um dos assuntos mais comentados atualmente, em função do número de aplicações que podem ser desenvolvidas [OLI 00]. Porém, não foi projetada para ser usada em situações inerentes ao local e tendo diversos usuários conectados movimentando-se sem a utilização de fios, possuindo, além disso, baixa largura de banda para o tráfego dos dados. Os protocolos usados na World Wide Web (WWW), como o Transmission Control Protocol / Internet Protocol (TCP/IP), são muito complexos não sendo indicados para comunicação wireless. Isso levou ao aparecimento de protocolos mais simples, entre eles o WAP [HEN 01]. Segundo [OLI 00], o protocolo WAP trata de especificações para desenvolver aplicações web para ambiente de rede móvel. Este é análogo a outros já existentes na Internet. Contudo, é otimizado para desafios elevados no uso de pequenos dispositivos, como celulares. Suas características são apresentadas na Tabela 1. Tabela 1: Principais características da tecnologia WAP[SIL 00] [OLI 00] [DIA 00]. Características a favor a) mobilidade dos usuários; b) não se limita em páginas estáticas; c) baseia-se nos padrões já existentes da Internet; d) utiliza estrutura cliente/servidor; e) faz uso da tecnologia de proxy para efetuar a conexão; f) atua com diversos tipos de redes sem fio; g) independência de sistema operacional; h) faz uso da transmissão binária para maior compressão dos dados; Características contra a) janela de dimensões e resoluções reduzidas; b) pouca largura de banda da rede; c) capacidade de processamento e memória reduzida; d) capacidade limitada dos dispositivos de entrada; e) número mínimo de cores (preto e branco); f) alta latência; g) conexão com pouca estabilidade; h) necessita browser próprio para visualização das informações. A arquitetura WAP está dividida em cinco camadas e é baseada no modelo Open System Interconnection (OSI). Esta pilha de protocolos é apresentada na Tabela 2. Tabela 2: Pilha de protocolos do WAP [OLI 00] [SIL 00] Wireless Application Environment (WAE) Wireless Session Protocol (WSP) Wireless Transaction Protocol (WTP) Wireless Transport Layer Security (WTLS) Wireless Datagram Protocol (WDP) Transportadores Outros Serviços e Aplicações Compreende tudo que está relacionado à apresentação de conteúdo, incluindo os modos de interação com o usuário. Responsável por estabelecer os métodos que serão utilizados para a troca de dados entre cliente e servidor. Estabelece o método para as requisições que trafegam na rede (confiáveis ou não). O principal objetivo é o transporte seguro entre o gateway WAP e o dispositivo WAP. Provê uma interface consistente com as camadas superiores, especificando como os dados serão codificados e transportados. Os protocolos WAP operam sobre uma variedade de transportadores de serviços, que disponibilizam níveis diferentes de qualidade no que diz respeito a rendimento, taxa de erro e atraso, que devem ser compensados ou tolerados pelo WAP. Como o WAP possui uma arquitetura baseada em camadas, isso possibilita outros serviços e aplicações utilizarem as capacidades da pilha de protocolos WAP através de um conjunto de interfaces bem definidas. Para o desenvolvimento de aplicações WAP, utiliza-se o Wireless Markup Language (WML) que é uma linguagem de programação baseada no Extensible Markup Language (XML). Com ela é possível implementar funções que operem em faixa estreita em aparelhos com certas restrições, como display reduzido, entrada de dados através de teclado limitado e baixa largura de banda [OLI 00] [DIA 00]. Essas aplicações WML são chamadas de decks, que podem possuir vários cards. Um deck pode ser comparado com uma página convencional da Internet, no sentido de que também utiliza uma URL para ser identificado. Um card pode conter hyperlinks, lista de opções, uma tela de texto ou um campo de entrada de dados. Cada card está relacionado a uma exibição separada no dispositivo móvel [OLI 00].

3 A linguagem WML é semelhante a HTML, porém mais reduzida. Esta semelhança se dá principalmente pela utilização de tags [DEM 00] [OLI 00] [DIA 00]. 3. Estudo de Caso: construção do site dinâmico e desenvolvimento dos protótipos de consulta de notas acadêmicas e de envio de mensagens SMS Neste item apresenta-se as ferramentas (Tabela 3) utilizadas para a realização do estudo de caso, bem como as etapas de desenvolvimento do site e dos protótipos. Tabela 3: Plataforma de desenvolvimento utilizada Windows NT 4.0 Personal Web Server (PWS) Hypertext Preprocessor (PHP) MySQL MAX s HTML Beauty++ ME EasyPad Waptor Deck-it Emulator e Openwave SDK 6.1 Sistema Operacional Servidor web Linguagem utilizada para efetuar acesso ao banco de dados Gerenciador de banco de dados Editor HTML Editor WML Simuladores utilizados para testar programas em WML Devido à simplicidade, somente a modelagem conceitual foi realizada, sendo o Diagrama Entidade-Relacionamento (DER) apresentado na Figura Site HTML dinâmico Figura 1: DER A entrada dos dados é feita através de formulários HTML, juntamente com programas PHP, tornando assim, uma página dinâmica. A função das páginas HTML é apresentar as opções e informações aos usuários e permitir a visualização dos formulários. Os programas PHP têm a função de receber as informações, realizar a conexão, inserção, consulta, exclusão e atualização no banco de dados, além de construir páginas HTML dinâmicas e devolver como resposta para tais atividades [FAV 01]. As funções do site são: cadastramento da senha dos usuários e incluir as notas dos acadêmicos através da Internet. Após o professor se cadastrar, poderá efetuar inclusão/alteração das notas dos acadêmicos matriculados na disciplina, ano/semestre e turma. Isso impossibilita que um professor acesse dados referentes a outros professores. A tag <form> possui alguns atributos, tais como action e method. O action determina para qual script serão enviados os dados para que sejam processados. O method indica qual o método que será usado para a comunicação entre o script e o servidor, podendo ser get ou post. A diferença entre eles é apresentada na Tabela 4. Get Neste método os dados são mandados na URL associados à consulta enviada para o servidor. Esta cadeia de caracteres é armazenada em uma variável de ambiente, chamada de QUERY_STRING e suporta até 128 caracteres. Dados que necessitam de um certo grau de segurança não poderão ser enviados utilizando-se o método get, uma vez que a informação é enviada junto à URL Tabela 4: Diferença entre get e post Post Neste método, os dados contidos no formulário fazem parte da mensagem que é enviada até o servidor. Uma vantagem é que se pode enviar uma grande quantidade de dados ao servidor. Essa transferência de dados para o programa CGI é feita através do standard input (entrada padrão), como sendo uma string de comprimento definido na variável de ambiente chamada CONTENT_LENGTH. Este é o método mais indicado para enviar dados [NIL 98].

4 Segundo [FAV 01], para submeter um formulário HTML a um programa PHP, algumas variáveis são criadas dentro do programa. Quando se utiliza o método post para envio dos dados, pode-se referenciar esses elementos de dois modos: armazenando todos os campos pelo PHP em um array associativo, ocorrendo na mesma seqüência em que se encontram no formulário; criando-se uma variável, para cada campo do formulário, com o nome do elemento seguido do símbolo $. Esta foi à maneira escolhida, por deixar o código mais limpo e ser fácil e rápida para referenciar os valores. Com relação à segurança, foi utilizado o controle de acesso através de senhas. Estas estão codificadas na base, através da função password() do MySQL, que codifica a informação numa seqüência de 20 caracteres. Quanto à consistência dos dados foi feito um controle através dos programas PHP, juntamente com as funções dessa linguagem, como empty(), que verifica se a variável possui ou não um valor. A Tabela 5 apresenta as opções para os diferentes tipos de usuários. Tabela 5: Opções disponíveis para os alunos e para os professores Alunos Professor es inclusão de acadêmico/senha: chama a página incsenha.html, a qual permite a inclusão do acadêmico no banco de dados; inclusão de disciplinas: permite informar as disciplinas nas quais o acadêmico está matriculado. Esta tarefa é executada pelo próprio aluno. inclusão de professores/senha: permite cadastrar a senha que será usada para executar qualquer função na área dos professores; relatório dos códigos de disciplinas: visualização dos códigos das disciplinas contidas no banco de dados, necessários para inserir/atualizar as notas; relatório de acadêmicos por disciplina: visualização dos alunos que estão matriculados em determinada disciplina. No momento da inserção/alteração das notas, o professor deve informar a matrícula do aluno; inclusão/alteração de notas acadêmicas: permite incluir as notas dos acadêmicos; consulta de notas acadêmicas: possibilita conferir se tudo ocorreu corretamente; exclusão de acadêmicos: permite excluir um aluno que esteja cadastrado, mas não faz parte da turma. 3.2 Protótipo de consulta de notas acadêmicas utilizando tecnologia WAP Após a instalação dos softwares necessários, inicia-se o desenvolvimento do protótipo. A primeira tela refere-se à entrada dos dados para autenticação do usuário. Nesta tela é requisitada a matrícula e a senha do acadêmico, como pode ser observado na Figura 2. Figura 2: Tela de autenticação do usuário A Figura 2 foi gerada por um programa WML, cujo código está no Quadro 1. <?xml version="1.0"?> <!DOCTYPE wml PUBLIC "-//WAPFORUM//DTD WML 1.1//EN" "http://www.wapforum.org/dtd/wml_1.1.xml"> <wml> <! INICIO DO PRIEMIRO CARD --> <card id="primeirocard" title="unochapeco"> <img src="unochapeco.wbmp" alt="unochapeco" /><br/> <b>unochapeco</b> <br/> Notas Academicas<br/><br/> </p> <p align="left"> Matricula: <input size="10" type="text" name="matricula"/> <br/> Senha: <input size="10" type="password" name="senha" value="" /> <br/> </p> <do type="accept" label="enviar"> <go href="validacao.php3" method="post"> <postfield name="matricula" value="$matricula"/> Quadro 1: Código fonte do programa WML <postfield name="senha" value="$senha"/> </go> </do> <do type="accept" label="cancelar"> <go href="#final"/> </do> </card> <!-- INICIO DO CARD FINAL --> <card id="final" title="unochapeco"> <b>unochapeco</b> <br/> Notas Academicas<br/><br/> </p> Obrigado pela visita. </p> </card> </wml> As duas primeiras linhas do código definem o prólogo do documento e são obrigatórias. A primeira linha identifica o documento XML. Não pode haver nenhuma

5 linha ou espaço em branco antes da definição <?xml...?>, pois poderá ocorrer erro. A segunda linha é responsável pela definição do tipo do documento como sendo a versão 1.1 do protocolo WAP [SIL 00]. No Quadro 1, verifica-se a existência de dois cards. Em um card podem estar contidas informações, menus ou tags de entrada de dados. A tag <card> possui alguns atributos. Neste programa foram empregados os atributos id e title. O id identifica o card e por este motivo deve ser único. No Quadro 1 é declarado como PrimeiroCard. O atributo title é o título usado para exibir o card, definido como UNOCHAPECÓ. A utilização de figuras em WML é permitida, porém limitada. Esta deve ser do formato WBMP, monocromática e ter um tamanho em pixels reduzido. O card cujo id é PrimeiroCard (Quadro 1) contém uma figura que atende a estas restrições. Para inserir uma figura em um card é necessária a utilização da tag <img>. Alguns atributos são obrigatórios, como o scr, que especifica o nome do arquivo que contém a imagem, o alt, que estabelece um texto alternativo à imagem caso o browser não consiga exibi-la. O elemento <do> é utilizado para acessar um endereço contido no mesmo deck ou externo ao card. No Quadro 1, este elemento está declarado com os atributos type e label. O type é obrigatório e define a tecla que acionará a tarefa especificada, sendo estes accept e o options. O accept indica a tecla de função da esquerda e o options, a tecla da direita. O label é o texto que especifica a ação que está associada à tecla de função. Se o label não for definido, será usado um texto default, para a tecla esquerda (accept). No Quadro 1, o type foi definido como accept e o label como Enviar [SIL 00]. O elemento <go> é responsável pelo envio das informações para um programa PHP no servidor, através do método get ou post. Este deve estar definido dentro de um <anchor> ou <do> e possui alguns atributos, como href e method. Também é necessária a utilização do elemento <postfield> em conjunto com o elemento <go>, com o objetivo de estabelecer as variáveis que serão enviadas para o servidor. A tag <postfield> possui alguns atributos, como name e value. O atributo name define a variável que armazenará os dados informados. Value especifica o conteúdo desta variável. No Quadro 1, nota-se que são enviadas duas variáveis para o servidor, matrícula e senha, acionando accept. Após o preenchimento do formulário, este é enviado a um programa PHP, usandose o método post. Parte do código deste programa pode ser visualizado no Quadro 2. Quadro 2: Parte do código fonte do programa PHP ( ) if(empty($matricula)){ echo ("Informe matricula...");} (...) // Seleciona dados da tabela alunos $sql = "select * from alunos where matricula=$matricula and senha=password($senha)"; $res2 = mysql_db_query("test","$sql",$res1); $valor = mysql_fetch_array($res2); if($valor[matricula]==$matricula){?> <card id="confirmar" title="login"> <?echo($valor["matricula"] );?> <BR> <?echo($valor["nomealuno"] );?> <BR><BR> <?$matricula1=$valor ["matricula"];?> <a href="#selperiodo">ok</a> <BR> <a href="#final">sair</a> </p> (...) Inicialmente são feitos testes para verificar se as variáveis $matricula e $senha possuem conteúdo ou estão vazias. Possuindo conteúdo, faz-se a validação das informações. Se diferentes, será exibida uma tela, pedindo para cadastrar a senha. Se os dados estiverem iguais, será chamado o card Confirmar, onde o usuário irá verificar sua matrícula e seu nome. Se estiverem corretos, deverá selecionar OK,

6 levando-o para o card Selperiodo, permitindo a escolha de um período. Parte deste código está no Quadro 3. Caso os dados não sejam os seus, selecionar Sair. Quadro 3: Continuação do programa PHP <card id="selperiodo" title="periodos"> Selecione o periodo.<br> <a href="#1periodo">1.periodo</a><br> (...) <a href="#9periodo">9.periodo</a><br> </p> </card> (...) <card id="8periodo" title="notaswap"> Disciplinas:<BR> <a href="#tcc1">tcc I</a><BR> <a href="#sig">sist. Inf. Gerenciais</a><BR> (...) </p></card> <card id="tcc1" title="notaswap"> <p align="left"> <? $sqlnota = "select * from alunodisciplina where matricula=$matricula1 and coddisciplina=150344"; $resnota = mysql_db_query("test","$sqlnota",$res1); $nota = mysql_fetch_array($resnota);?> G1: <?echo $nota["g1"];?><br> G2: <?echo $nota["g2"];?><br> G3: <?echo $nota["g3"];?><br> Nota Final: <?echo $nota["notafinal"];?><br> </p> <P align="center"> <a href="#8periodo">ok</a><br> <a href="#selperiodo">periodos</a><br> <a href="#final">sair</a> </P> </card> Quando o usuário chega à tela de seleção de períodos, ele pode escolher o período que contém a disciplina a qual deseja verificar as notas. O código deste card (Quadro 3) é composto basicamente por links que levam a cards referentes ao período selecionado. Como exemplo será explicado o card chamado 8periodo. Supondo que o usuário deseja verificar suas notas da disciplina de TCC I, o programa irá direcionar-se para o card tcc1. Neste há código PHP para efetuar as consultas no banco de dados. Como a conexão com a base de dados já está estabelecida, cria-se uma variável, chamada de $sqlnota, que armazena um comando select. Este comando selecionará todos os dados cuja matrícula e o código da disciplina sejam iguais aos informados anteriormente. A variável $nota armazena, em um array, todas as respostas encontradas, exibindo-as utilizando-se o comando echo. Em seguida são exibidos três links. O primeiro para o card 8periodo. O segundo link seleciona outros períodos e o último aponta para o card chamado Final. 3.3 Protótipo de envio de mensagens Short Message Service (SMS) O sistema Rede de Transporte de Mensagens (RTM) é um serviço de envio e recebimento de mensagens, entre uma empresa e os celulares de seus clientes cadastrados [MAK 02]. O gerenciamento do processo é feito por este serviço que a TIM oferece. Algumas operações do serviço são: envio e recebimento de mensagens; notificação de entrega de mensagens enviadas; agendamento para envio de mensagens [MAK 02]. Para utilizar a RTM, deve ser feito um contrato entre a prestadora de serviços (TIM), e a empresa cliente (UNOCHAPECÓ). Esta última deve fornecer um endereço IP para enviar e receber mensagens SMS. Este serviço é disponibilizado pela Internet através de Virtual Private Network (VPN) ou de um link dedicado, sendo este último utilizado no protótipo. Para o envio e recebimento das mensagens são utilizados documentos XML, e o protocolo http para o transporte dos dados [MAK 02]. Desta forma, o envio é feito por uma requisição http para o web site /WebService/SmBusiness.dll?SendMessage?Message=DOCUMENTO_XML, onde DOCUMENTO_XML é o conteúdo que será enviado para a TIM (Quadro 4). Quadro 4: Documento XML enviado para a TIM [MAK 02]

7 <?xml version="1.0"?> <ShortMessage xmlns="x-schema:http:// tm01.timsul.com.br/webservice/schema.xml " MessageID="29" CountMessages="6" SenderID="1100" SenderPassword="flwerodfnm" NotificationRequested="1" LifeTimeToSend="" DateStartToSend=" T16:50:00" DateLimitToSend=" T16:55:00"> <TextMessage>Teste de envio de SMS n27</textmessage> <DM> </DM> <DM> </DM> <DM> </DM> <DM> </DM> <DM> </DM> <DM> </DM> </ShortMessage> Conforme o Quadro 4, pode-se verificar que alguns parâmetros devem ser informados, tais como os apresentados na Tabela 6. Tabela 6: Parâmetros para o transporte de mensagem na RTM [MAK 02] ShortMessage especifica uma mensagem e deve ser único dentro do documento MessageID a empresa o utiliza para identificar a mensagem CountMessage quantidade de mensagens destino que serão enviadas. Deve ser igual à quantia de elementos DM do documento SenderID trata-se de um identificador da empresa cliente junto à TIM SenderPassword senha que é gerada uma única vez e fornecida à empresa NotificationRequested refere-se à notificação de entrega. Se o valor for igual a 1 (um) é solicitada a notificação. Se for 0 (zero), não existe notificação LifeTimeToSend refere-se ao tempo, em minutos, de vida da mensagem na RTM. O tempo médio é de 5 (cinco) e não pode ser inferior a 1 (um) minuto DateStartToSend corresponde à data de envio da mensagem DateLimitToSend corresponde à data limite do envio da mensagem TextMessage refere-se ao texto da mensagem que será enviada. Este texto deve ter no máximo 160 caracteres e não deve possuir acentuação DM refere-se à lista dos celulares que irão receber a mensagem. Deve haver uma entrada para cada celular destino Não é necessário informar todos estes parâmetros, pois alguns são fornecidos pela TIM, como o SenderID e o SenderPassword, além de outros poderem ser fixos. Essa mensagem é validada pelo IP de origem e o seu retorno é um documento XML, contendo todas as respostas (notificações e mensagens de celulares) armazenadas. Para o desenvolvimento do protótipo, foram utilizados dois programas PHP para remeter o documento XML até à TIM. Esta, por sua vez, encarrega-se de entregar a mensagem no celular de destino. O primeiro programa consiste num formulário HTML, onde o usuário deverá informar o número do celular de destino e o texto mensagem, que serão armazenados nas variáveis fone e msg, respectivamente. Depois de preenchido, o mesmo é enviado a outro programa PHP, que já possui o documento XML pré-definido em um outro formulário, bastando apenas que os campos referentes ao texto da mensagem e o número do celular de destino sejam informados (Quadro 5). Quadro 5: Parte do programa PHP responsável por enviar a mensagem SMS (...) <form name="sms_form" method="post" action="http://rtm01.timsul.com.br/webservice/smbusiness.dll?sendmessage"> (...) LifeTimeToSend="10" DateStartToSend="" DateLimitToSend=""> <TextMessage>'.$msg.'</TextMessage> <DM>'.$fone.'</DM> </ShortMessage>'; (...) No Quadro 5, há um formulário HTML cujo atributo action contém a URL para a qual deve-se enviar o documento XML. Também observa-se o local onde as variáveis informadas no formulário anterior ($msg e $fone) estão declaradas. Após estas variáveis concatenadas ao documento XML, este é enviado até a TIM, através do método post. 4. Conclusão A quantidade de pessoas que tem acesso à Internet atualmente é bem elevada. Isto aliado à telefonia celular, faz com que o acesso à Internet, utilizando-se dispositivos móveis baseados em WAP, seja fundamental e extremamente útil. Sendo assim, o

8 desenvolvimento de serviços de conveniência que utilizem WAP tem um mercado em potencial. Neste aspecto é que os protótipos foram desenvolvidos. Pode-se observar que ao desenvolver aplicações WAP, é necessário conhecimento desta tecnologia, bem como das tecnologias já estabelecidas no mercado, pois somente a forma de apresentação dos dados é diferente. Todavia, deve-se levar em consideração algumas restrições, superáveis, relacionadas à Internet convencional, como por exemplo: as redes sem fio possuem largura de banda reduzida, os dispositivos fazem uso de pouca memória, o poder de processamento dos dados é baixo, a tela é de tamanho reduzido, além dos recursos de entrada de dados serem limitados. Com relação às ferramentas utilizadas pode-se dizer que o EasyPad Waptor mostrou-se um bom editor de WML, facilitando a edição dos códigos dos programas WML, pois possui uma série de tags previamente definidas. Da mesma forma, o MAX s HTML Beauty++ ME tornou o desenvolvimento das páginas HTML mais rápido. O Openwave SDK 1.6 é um simulador eficiente, auxiliando na realização dos testes das páginas WML, podendo-se visualizar as mesmas tanto online, quanto offline. Já a utilização do simulador Deck-it não foi bem sucedida, uma vez que o mesmo não fazia a separação dos cards contidos em um deck. O servidor Personal Web Server (PWS) mostrou-se bastante rápido na execução de programas PHP. A linguagem PHP foi extremamente eficiente e eficaz para o desenvolvimento das páginas dinâmicas acessando o banco de dados, tanto com HTML quanto com WML. Devido a semelhança com HTML, a linguagem WML foi de fácil entendimento e compreensão, apresentando-se bastante funcional. O MySQL apresentou-se muito seguro e robusto. As dificuldades encontradas foram em relação à utilização das linguagens PHP e WML, uma vez que não se possuía um conhecimento prévio. Referências Demétrio, Rinaldo. A Tecnologia WAP Aprenda a Criar Sites para Celulares com a Linguagem WML. São Paulo: Érica, Dias, Adilson de Souza. WAP Wireless Application Protocol: A Internet sem fios. Rio de Janeiro: Ciência Moderna Ltda., Fávero, Romanine. Integração de banco de dados e Web Um projeto para definição de orçamentos. Monografia do curso de Ciência da Computação. Chapecó, Henkel, César Augusto. WAP - Wireless Application Protocol. Monografia Universidade do Vale do Rio dos Sinos Unisinos, São Leopoldo/RS. Disponível em (23/01/2002). Maksymowicz, Jeyson Ricardo. Rede de Transporte de Mensagens. Tele Celular Sul Participações S/A, Niles, Robert; DWIGHT, Jeffry. CGI em Exemplos A maneira fácil de aprender a programar scripts em CGI! São Paulo: Mackron Books, Oliveira, W. WAP Tecnologia e Segurança. Florianópolis: Visual Books, Silveira, Marcelo. WAP Guia de Consulta Rápida. São Paulo: Novatec, 2000.

PLATAFORMA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES USANDO WAP

PLATAFORMA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES USANDO WAP UNICENP - Centro Universitário Positivo Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia da Computação PLATAFORMA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES USANDO WAP Aluno: Fabiano Correa Mercer

Leia mais

Integração de uma aplicação WAP com o PHP

Integração de uma aplicação WAP com o PHP Integração de uma aplicação WAP com o PHP Jacques Schreiber 1, Janice Inês Deters 2 1 Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) - Departamento de Informática CEP: 96815-900 Santa Cruz do Sul RS- Brazil

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

DIRETRIZES DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS A PARTIR DE PORTAIS UNIVERSITÁRIOS

DIRETRIZES DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS A PARTIR DE PORTAIS UNIVERSITÁRIOS DIRETRIZES DE DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS A PARTIR DE PORTAIS UNIVERSITÁRIOS Trabalho de Conclusão de Curso Engenharia da Computação Carlos Adriano de Figueredo Lima Orientador:

Leia mais

Manual do navegador WAP da Palm

Manual do navegador WAP da Palm Manual do navegador WAP da Palm Copyright Copyright 2002 Palm, Inc. Todos os direitos reservados. Graffiti e Palm OS são marcas registradas da Palm, Inc. Palm e o logotipo da Palm são marcas comerciais

Leia mais

INTRODUÇÃO A REDES SEM FIO

INTRODUÇÃO A REDES SEM FIO INTRODUÇÃO A REDES SEM FIO Alternativas aos tradicionais meios para transmissão de dados Maior flexibilidade de recursos Mobilidade dos computadores na empresa Saída para os problemas de comunicação ocasionados

Leia mais

Conteúdo Dinâmico. Introdução. Interação Browser x Servidor Web. Interação Browser x Servidor Web

Conteúdo Dinâmico. Introdução. Interação Browser x Servidor Web. Interação Browser x Servidor Web Introdução Formulários rios & Conteúdo Dinâmico Mário Antonio Meireles Teixeira Dept o. de Informática - UFMA A Web surgiu inicialmente como uma nova forma de comunicação de informações, fazendo uso de

Leia mais

Desenvolvimento Web XHTML Formulários. Prof. Bruno E. G. Gomes

Desenvolvimento Web XHTML Formulários. Prof. Bruno E. G. Gomes Desenvolvimento Web XHTML Formulários Prof. Bruno E. G. Gomes 2014 Introdução Um recurso bastante utilizado no desenvolvimento Web é o envio de dados de uma página para o servidor quando fornecemos informações,

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Web

Desenvolvimento de Aplicações Web Desenvolvimento de Aplicações Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Método de Avaliação Serão realizadas duas provas teóricas e dois trabalhos práticos. MF = 0,1*E + 0,2*P 1 + 0,2*T 1 + 0,2*P

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Formulários Os formulários em HTML são usados para selecionar diferentes tipos de entradas do usuário. Um formulário é uma área que

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Conteúdo Arquitetura de Aplicações Distribuídas na Web Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.2/tcc-00.226

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem de Script e PHP @wre2008 1 Sumário Introdução; PHP: Introdução. Enviando dados para o servidor HTTP; PHP: Instalação; Formato básico de um programa PHP; Manipulação

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli Objetivo; Roteiro da Apresentação Visão Geral sobre Internet,

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 Controle de Revisões Micropagamento F2b Web Services/Web 18/04/2006 Revisão Data Descrição 00 17/04/2006 Emissão inicial. www.f2b.com.br

Leia mais

Programação para a Web - I. José Humberto da Silva Soares

Programação para a Web - I. José Humberto da Silva Soares Programação para a Web - I José Humberto da Silva Soares Fundamentos de Internet Rede Mundial de Computadores; Fornece serviços, arquivos e informações; Os computadores que têm os recursos são chamados

Leia mais

Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Docente André Luiz Silva de Moraes

Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Docente André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Introdução a Linguagem HTML Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Neste roteiro é explorada a linguagem HTML. A linguagem HTML (Hypertext Markup Language) é amplamente utilizada na construção

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 Iniciando o TR4... 8 2.1 Como efetuar o login... 8

Sumário. Capítulo 2 Iniciando o TR4... 8 2.1 Como efetuar o login... 8 1 Sumário Capítulo 1 Introdução ao TR4... 4 1.1 Requisitos Mínimos... 4 1.2 Layout do Sistema... 5 1.3 Legenda... 5 1.4 Visão geral das funcionalidades... 6 1.4.1 O Menu Administração... 6 1.4.2 O Menu

Leia mais

Introdução. HyperText Markup Language HTML. Formulário. Fluxo do Formulário. Fluxo do Formulário. Fluxo do Formulário. Fluxo do Formulário

Introdução. HyperText Markup Language HTML. Formulário. Fluxo do Formulário. Fluxo do Formulário. Fluxo do Formulário. Fluxo do Formulário Introdução HyperText Markup Language HTML Formulário Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br http://professor.ifsertao-pe.edu.br/nicolas.trigo/ O usuário interage com os serviços

Leia mais

Bool setcookie (string nome [, string valor [, int validade [, string caminho [, string dominio [, int seguro]]]]] )

Bool setcookie (string nome [, string valor [, int validade [, string caminho [, string dominio [, int seguro]]]]] ) Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 1 CDI - Curso de Webdesign - Prof. Paulo Trentin Objetivos para esta aula Debater sobre

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

Tecnologias da Internet (T) Avaliação de Frequência (v1) 60 minutos * 09.05.2012

Tecnologias da Internet (T) Avaliação de Frequência (v1) 60 minutos * 09.05.2012 1 Este é o seu teste de avaliação de frequência. Leia as perguntas com atenção antes de responder e tenha atenção que algumas perguntas podem ter alíneas de resposta em páginas diferentes. Escreva as suas

Leia mais

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia do usuário Publicado: 09/01/2014 SWD-20140109134951622 Conteúdo 1 Primeiros passos... 7 Sobre os planos de serviço de mensagens oferecidos para o BlackBerry

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

Os componentes de um formulário são: Form, Input, Select e AreaText

Os componentes de um formulário são: Form, Input, Select e AreaText HTML Formulário O elemento FORM, da HTML, é o responsável por prover documentos interativos no ambiente WWW de forma que uma pagina web exibida a um usuário possa submeter um conjunto de dados, informados

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Internet e Programação Web

Internet e Programação Web COLÉGIO ESTADUAL PEDRO MACEDO Ensino Profissionalizante Internet e Programação Web 3 Técnico Prof. Cesar 2014 1. PHP e MySQL O MySQL é o gerenciador de banco de dados mais usado com o PHP. Existem muitas

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

Manual Integra S_Line

Manual Integra S_Line 1 Introdução O é uma ferramenta que permite a transmissão Eletrônica de Resultado de Exames, possibilitando aos Prestadores de Serviços (Rede Credenciada), integrarem seus sistemas com os das Operadoras

Leia mais

Linguagem de. Aula 06. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagem de. Aula 06. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagem de Programação IV -PHP Aula 06 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Criação de Formulários o Um formulário consiste em uma série de campos que são preenchidos pelo usuário

Leia mais

COMO FUNCIONA UM FORMULÁRIO

COMO FUNCIONA UM FORMULÁRIO FORMULÁRIOS Constitui-se numa das formas de a máquina cliente enviar informações para que um programa no servidor receba estes dados, processe-os e devolva uma resposta ao usuário, por meio do navegador,

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

INFORMAÇÕES RELEVANTES...

INFORMAÇÕES RELEVANTES... SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1. INFORMAÇÕES RELEVANTES... 3 2. VISÃO GERAL DO SISTEMA... 4 2.1. AUTENTICAÇÃO NO SISTEMA... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3. INSTALANDO O MÓDULO RAAS-AD DESKTOP... 6 4.

Leia mais

UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO. Série Ponto

UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO. Série Ponto UM NOVO CONCEITO EM AUTOMAÇÃO Série Ponto POR QUE NOVO CONCEITO? O que é um WEBPLC? Um CP na WEB Por que usar INTERNET? Controle do processo de qualquer lugar WEBGATE = conexão INTERNET/ALNETII WEBPLC

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

Desenvolvedor Web Docente André Luiz Silva de Moraes

Desenvolvedor Web Docente André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Introdução a Linguagem HTML Neste roteiro é explorada a linguagem HTML. A linguagem HTML (Hypertext Markup Language) é amplamente utilizada na construção de páginas de internet e é responsável

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Formulários e Aula 3 Relembrando HTML 5 Tag Form o Utilizada para marcar a região do formulário. o Os atributos mais importantes são o method e o action.

Leia mais

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais.

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais. Edital MCT/FINEP/MC/FUNTTEL Plataformas para Conteúdos Digitais 01/2007 Projeto OBAA Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais

Leia mais

Programação para Internet I

Programação para Internet I Programação para Internet I Aulas 09 e 10 Fernando F. Costa nando@fimes.edu.br Formulários O formulário representa o modo mais importante de interatividade que a linguagem HTML oferece. Um formulário pode

Leia mais

O código acima descreve o formulário com uma caixa de texto e dois botões

O código acima descreve o formulário com uma caixa de texto e dois botões Formulários Formulários permitem que os usuários interajam com um servidor Web passando informações. Assim, através da Web, se pode ler e gravar informações em Banco de Dados, gerando enormes possibilidades

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Criando uma Calculadora Primeiramente deve se criar uma estrutura para armazenar os arquivos necessários para o funcionamento da calculadora.

Leia mais

I N T R O D U Ç Ã O W A P desbloqueio,

I N T R O D U Ç Ã O W A P desbloqueio, INTRODUÇÃO Para que o Guia Médico de seu Plano de Saúde esteja disponível em seu celular, antes de mais nada, sua OPERADORA DE SAÚDE terá de aderir ao projeto. Após a adesão, você será autorizado a instalar

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 1 Este é o seu teste de avaliação de frequência. Leia as perguntas com atenção antes de responder. Escreva as suas respostas nesta folha de teste, marcando um círculo em volta da opção ou opções que considere

Leia mais

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas.

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas. Publicação web Pré requisitos: Lista de questões Formulário multimídia Este tutorial tem como objetivo, demonstrar de maneira ilustrativa, todos os passos e opções que devem ser seguidos para publicar

Leia mais

ECD1200 Equipamento de Consulta de Dados KIT DE DESENVOLVIMENTO

ECD1200 Equipamento de Consulta de Dados KIT DE DESENVOLVIMENTO Equipamento de Consulta de Dados KIT DE DESENVOLVIMENTO Versão do documento: 1.1 1. Introdução...3 2. Documentação...3 2.1. DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA... 3 2.2. DESCRIÇÃO FUNCIONAL... 4 2.2.1. INTERFACE...

Leia mais

Guia de Consulta Rápida HTTP. Décio Jr. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

Guia de Consulta Rápida HTTP. Décio Jr. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida HTTP Décio Jr. Novatec Editora www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida HTTP de Décio Jr. Copyright 2001 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados. É proibida

Leia mais

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0 Índice I ENVIO DE BOLETOS POR E-MAIL... 2 APRESENTAÇÃO... 2 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO... 4 ALTERAÇÕES NO SIGADM IMÓVEIS... 6 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONCILIAÇÃO BANCÁRIA... 8 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO

Leia mais

Tutorial WML Páginas para Celular CursoMaster

Tutorial WML Páginas para Celular CursoMaster Tutorial WML Páginas para Celular CursoMaster Introdução WML é uma linguagem de programação baseada no XML (extensible Markup Language). A especificação oficial do WML foi desenvolvida e é mantida pelo

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir HTML - Formulários @wre2008 1 Sumário Formulários HTML @wre2008 2 Formulários: Muitos elementos de um formulário html são definidos pela tag . Cada tipo de elemento

Leia mais

11 - Q34826 ( FCC - 2010 - DPE - SP - Oficial de Defensoria Pública / Noções de Informática / Internet e intranet; )

11 - Q34826 ( FCC - 2010 - DPE - SP - Oficial de Defensoria Pública / Noções de Informática / Internet e intranet; ) 11 - Q34826 ( FCC - 2010 - DPE - SP - Oficial de Defensoria Pública / Noções de Informática / Internet e intranet; ) Algumas Regras Gerais de Uso do Computador I. Sempre feche todas as aplicações abertas

Leia mais

Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose)

Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose) Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose) 1. Qual a diferença entre um Programa de computador e um Processo dentro do computador? R. Processo é um programa que está sendo executado em uma máquina/host,

Leia mais

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Página com busca padrão 1 Página com o resultado da busca carregada no local da anterior (o formulário está vazio) Site com Ajax 2 Site usando Ajax para preencher

Leia mais

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Índice ANTES DE VOCÊ COMEÇAR... 4 PRÉ-REQUISITOS... 4 SCREEN SHOTS... 4 A QUEM SE DESTINA ESTE MANUAL... 4 COMO UTILIZAR ESTE MANUAL... 4 Introdução... 5 INSTALANDO

Leia mais

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência Produto IV: ATU SAAP Manual de Referência Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988 Brasília, 30 de outubro de 2008 1 Sistema de Apoio à Ativideade Parlamentar SAAP

Leia mais

Sistemas para internet e software livre

Sistemas para internet e software livre Sistemas para internet e software livre Metodologia de modelagem de aplicações WEB Image: FreeDigitalPhotos.net Domínio: Elementos de aplicação WEB Páginas Web Scripts Formulários Applets e ActiveX Motivação

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1 9 OBJETIVOS OBJETIVOS A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO O que é a nova infra-estrutura de tecnologia de informação

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XTML extensible HyperText Markup Language Elementos da Seção do Corpo Tabelas Formulários Professor Alan Cleber Borim www.alanborim.com.br Índice.

Leia mais

Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Primeiro Técnico. Prof. Cesar

Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Primeiro Técnico. Prof. Cesar Primeiro Técnico Protocolos de Internet (família TCP/IP e WWW) Prof. Cesar 1 TCP - Transmission Control Protocol Esse protocolo tem como principal objetivo realizar a comunicação entre aplicações de dois

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

Documento de Análise e Projeto VideoSystem

Documento de Análise e Projeto VideoSystem Documento de Análise e Projeto VideoSystem Versão Data Versão Descrição Autor 20/10/2009 1.0 21/10/2009 1.0 05/11/2009 1.1 Definição inicial do documento de análise e projeto Revisão do documento

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO 1 Guia Rápido de Uso Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO 1 Acesso ao sistema...3 2 Entenda o Menu...4 3 Como enviar torpedos...6 3.1 Envio

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Mini-curso de PHP. Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva

Mini-curso de PHP. Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva Mini-curso de PHP Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva Aula 1 Breve introdução de HTML, Conceitos básicos de PHP, Sintaxe, Separador de instruções e Comentários (Cap 1

Leia mais

13 Conectando PHP com MySQL 13.1 Introdução

13 Conectando PHP com MySQL 13.1 Introdução 13 Conectando PHP com MySQL 13.1 Introdução Agora que você já tem uma idéia básica de comandos MySQL, poderemos ver como a linguagem PHP pode interagir com este banco de dados através de inúmeras funções.

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte O TCP/IP, na verdade, é formado por um grande conjunto de diferentes protocolos e serviços de rede. O nome TCP/IP deriva dos dois protocolos mais

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web;

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; CONCEITOS INICIAIS Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; O que é necessário para se criar páginas para a Web; Navegadores; O que é site, Host, Provedor e Servidor Web; Protocolos.

Leia mais

SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO DE FACILIDADES PARA REDES DE TELECOMUNICAÇÕES, BASEADO NA TECNOLOGIA WAP

SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO DE FACILIDADES PARA REDES DE TELECOMUNICAÇÕES, BASEADO NA TECNOLOGIA WAP 1 RONEY GIORDANO PATRÍCIO DA SILVA SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO DE FACILIDADES PARA REDES DE TELECOMUNICAÇÕES, BASEADO NA TECNOLOGIA WAP Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Curso de Ciência da Computação.

Leia mais

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A 2 Digifort Mobile - Versão 1.0 Índice Parte I Bem vindo ao Manual do Digifort Mobile 1.0 5 1 Screen... Shots 5 2 A quem... se destina este manual 5 3 Como utilizar...

Leia mais

Sistemas Distribuídos Capítulos 3 e 4 - Aula 4

Sistemas Distribuídos Capítulos 3 e 4 - Aula 4 Sistemas Distribuídos Capítulos 3 e 4 - Aula 4 Aula passada Threads Threads em SDs Processos Clientes Processos Servidores Aula de hoje Clusters de Servidores Migração de Código Comunicação (Cap. 4) Fundamentos

Leia mais

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit Presskit Guia Rápido Release 2.0 Presskit 06/07/2009 Sumário 1 Login 2 Login e Senha...................................... 2 Esqueci minha senha.................................. 2 Fale Com o Suporte...................................

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO Capítulo 9 A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 9.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS O que é a nova infra-estrutura de tecnologia de informação (IT) para empresas? Por que a conectividade

Leia mais

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST E-DOC Peticionamento APRESENTAÇÃO O sistema E-DOC substituirá o atual sistema existente. Este sistema permitirá o controle de petições que utiliza certificado digital para autenticação de carga de documentos.

Leia mais

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec Guia de Consulta Rápida PHP com XML Juliano Niederauer Terceira Edição Novatec Copyright 2002 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014.

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores : Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Professor: Marissol Martins Alunos: Edy Laus,

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Cenários do CEL. Acessar ao sistema

Cenários do CEL. Acessar ao sistema Cenários do CEL Acessar ao sistema Permitir que o usuário acesse ao Sistema de Léxicos e Cenários nas seguintes condições: logando-se, quando já estiver cadastrado; ou incluindo usuário independente, quando

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados

Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados Tópicos de Ambiente Web Conceitos Fundamentais Redes de Dados Professora: Sheila Cáceres Computador Dispositivo eletrônico usado para processar guardar e tornar acessível informação. Tópicos de Ambiente

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

PHP. Hypertext Pre-Processor

PHP. Hypertext Pre-Processor PHP Hypertext Pre-Processor O que é o PHP? Uma linguagem de scripting é uma linguagem cujo código não tem de ser compilado para ser executado! O código escrito é interpretado em tempo de execução para

Leia mais