Bancos de Dados Distribuídos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bancos de Dados Distribuídos"

Transcrição

1 Bancos de Dados Distribuídos Visão geral de BDD Fernanda Baião Departamento de Informática Aplicada UNIRIO Bibliografia Utilizada Conteúdo Özsu, M.T. Valduriez, P. "Principles of Distributed Database Systems", 2 a edição, Prentice Hall, 1999 (versão em português lançada em 2001) Abiteboul, A., Buneman, P., and Suciu, D., Data on the Web, Morgan-Kaufman, 1999 Elmasri, R. Navathe, S. "Fundamentals of Database Systems", 2 a edição, Benjamin/Cummings, 1994 Ceri, S. Pelagatti, G. "Distributed Database Systems - Principles and Systems, McGraw Hill, 1984 Kossmann, D., The State of the Art in Distributed Query Processing, ACM Computing Surveys 32(4), pp , Introdução 2- Caracterização de SBDD 3- Vantagens de SBDD 4- Principais Desafios dos SGBDD 5- As Novas Tecnologias e os SBDDs 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 4 Histórico dos Sistemas de Bancos de Dados Introdução Antes: Processamento de arquivos tradicional Programa 1 Descrição de dados Programa 2 Descrição de dados Programa 3 Descrição de dados Arquivo 1 Arquivo 2 Arquivo 3 Dados Redundantes 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 6 1

2 Histórico dos Sistemas de Bancos de Dados Processamento de Banco de Dados independência de dados Programa 1 Programa 2 Programa 3 Descrição de dados Manipulação de dados... Banco de Dados MotivaçãoparaosSistemasde Bancos de Dados Distribuídos Importância da tecnologia de Bancos de Dados Distribuídos Produtos no mercado Vantagens sobre os centralizados Previsões de substituição completa dos SGBDs centralizados Questões em aberto 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 8 Surgimento dos Sistemas de Bancos de Dados Distribuídos Centralização Tecnologia de BD Integração Integração Redes de Computadores Sistemas de Bancos de Dados Distribuídos Centralização Distribuição Processamento Distribuído Conceito em busca de uma definição consensual, amplamente utilizado Computação distribuída Um grupo de elementos de processamento autônomos não necessariamente homogêneos interconectados por uma rede de computadores cooperam na realização de tarefas 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 10 O que está sendo distribuído... Lógica de processamento Funções Dados Caracterização de SBDD Controle Em um SBDD, todos são necessários e importantes M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 11 2

3 O que É um Sistema de Banco de Dados Distribuído Base de Dados Distribuída (BDD) É uma coleção de diversas bases de dados, interligadas logicamente através de uma rede de computadores Sistema de Gerência de Bases de dados Distribuídas (SGBDD) É o sistema de software que possibilita a gerência da BDD e lida com aspectos de transparência para o usuário Sistema de Banco de Dados Distribuído (SBDD) SBDD = BDD + SGBDD O que NÃO É um Sistema de Banco de Dados Distribuído... Sistemas de Tempo Compartilhado (Timesharing) Sistemas de Multiprocessamento Memória Compartilhada (shared-memory, shared everything) Disco Compartilhado (shared-disk) Nada Compartilhado (shared-nothing, message-passing) Memória Compartilhada Distribuída (distributed sharedmemory) Sistema de Banco de Dados que reside em 1 nó da rede = Sistema de Banco de Dados centralizado 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 14 SGBD centralizado em uma rede Um Ambiente de SGBDD Nó 1 Nó 1 Nó 5 Rede de Comunicação Nó 2 Nó 5 Rede de Comunicação Nó 2 Nó 4 Nó 3 Nó 4 Nó M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 16 Principais Características de um SBDD Dados armazenados em diversos locais (ou nós) cada nó é logicamente um processador distância geográfica Processadores interconectados através de rede A base de dados distribuída não é uma coleção de arquivos O SGBDD possui toda a funcionalidade de um SGBD Tecnologia atual multiprocessadores memória compartilhada (shared-memory ou shared-everything) disco compartilhado (shared-disk) nada compartilhado ou memória distribuída (shared-nothing) cliente-servidor clusters, GRIDs 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 17 Arquiteturas de Multiprocessadores Memória Compartilhada 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 18 3

4 Arquiteturas de Multiprocessadores Arquiteturas de Multiprocessadores Disco Compartilhado Memória Distribuída 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 20 Aplicações de SBDD Arquiteturas de SGBDD Intuitivas Companhias aéreas Redes de lojas Cadeias de hotéis Controle militar Sistemas de informações gerenciais corporativas Qualquer organização que possua uma estrutura descentralizada Nem tão intuitivas assim... Sistemas com grande volume de dados, mesmo que em organizações centralizadas, que demandam por aumento de desempenho 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 22 Arquiteturas de SGBDD Distribuição distribuição física dos componentes do sistema Heterogeneidade vários níveis: hardware, comunicação, sistema operacional para o SGBD: modelo de dados, linguagem de consulta, algoritmos de gerência de transações Autonomia Grau de autonomia com que cada SGBD individual trabalha existência de troca de informações entre os componentes Vários conceitos... de projeto: SGBD componente decide aspectos relacionados ao seu próprio projeto de comunicação: SGBD componente decide se comunica ou não (e como se comunica) com outros SGBD de execução: SGBD componente executa operações locais da forma que deseja Vantagens de SBDD 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 23 4

5 Vantagens de SBDDs 1. Transparência na Gerência dos Dados Distribuídos 2. Confiabilidade 3. Potencial Aumento de Desempenho 4. Expansão mais fácil e econômica 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) Transparência na Gerência dos Dados Distribuídos Transparência é a separação entre a semântica de alto nível de um sistema e seus detalhes de implementação A questão fundamental é prover Independência de dados no ambiente distribuído. Desta forma, os usuários do banco de dados enxergariam uma única imagem da base de dados logicamente integrada, embora ela estivesse fisicamente distribuída M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 26 Níveis de Transparência Transparência - Exemplo Transparência da rede Transparência da replicação Transparência da fragmentação diversas técnicas: horizontal (seleções) vertical (projeções) combinações 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 27 Qual a remuneração de cada empregado, em função das responsabilidades atribuídas a ele por mais de 1 ano em algum projeto? 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 28 Acesso transparente Base de dados Distribuída Visão do Usuário 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 30 5

6 SGBD Distribuído - Realidade 2. Confiabilidade Componentes replicados Eliminação de pontos únicos de falha Provêem maior disponibilidade e confiabilidade 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 32 Confiabilidade Requer suporte para transações distribuídas protocolos distribuídos de controle de concorrência e gerência de deadlocks de confiabilidade de controle de réplicas Confiabilidade - Exemplo begin_transaction ATUALIZAR_SALARIO begin EXEQ SQL UPDATE PAY SET SAL = SAL*1.1 end. SELECT AVG(SAL) FROM EMP, PAY WHERE EMP.TITLE = PAY.TITLE Os aplicativos dos usuários não precisariam se preocupar com com a coordenação de seus acessos a bancos de dados locais individuais, nem teriam que se preocupar coma possibilidade de falhas em nós ou links de comunicação durante a transação 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) Potencial aumento de desempenho Localização dos Dados Compartilhamento de recursos não é tão crítico Reduz o tempo de acesso remoto aos dados Requer suporte para fragmentação e replicação Paralelismo no Processamento de Consultas Paralelismo entre consultas (Inter-query) Paralelismo dentro da consulta (Intra-query) Paralelismo dentro de operações Paralelismo no Processamento de Consultas Paralelismo entre consultas (Inter-query) Execução de diversas consultas em paralelo Paralelismo dentro da consulta (Intra-query) Execução de operações de uma mesma consulta em paralelo Paralelismo dentro de operações Execução da mesma operação para fragmentos distintos da relação em paralelo 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 36 6

7 Para tirar proveito do paralelismo Ter os dados distribuídos pelos processadores envolvidos no processamento paralelo Replicação total? E quanto às atualizações? maior número de réplicas implica em maior tempo de processamento de uma atualização controle de concorrência distribuído protocolos de finalização (commit) 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 37 Considerações sobre o aumento de desempenho em SBDD com paralelismo Ganhos comprovados experimentalmente Métricas aceleração linear, crescimento linear Balanceamento de carga distribuição estática x dinâmica Acelaração (Speed-up) chega a ser maior que o linear, em alguns casos conferências DEXA, VECPAR, M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) Expansão Mais Fácil e Econômica Crescimento da base de dados é um problema atual de muitas aplicações Evolução da tecnologia microprocessadores, workstations, clusters, GRIDs,... modelo de computação cliente-servidor, múltiplas camadas, desenvolvimento baseado em componentes,... Principais Desafios dos SGBDDs 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 39 Principais Desafios dos SGBDDs Principais Desafios dos SGBDDs Projeto de Distribuição de Bases de Dados Processamento Distribuído de Consultas Controle de Concorrência Distribuído Confiabilidade Projeto de Distribuição de Bases de Dados Particionamento dos dados Fragmentação Horizontal, Vertical ou combinações válidas Informações não replicadas Controle de concorrência simplificado > desempenho de operações de atualização Replicação Total ou parcial Fragmentos replicados em nós + disponibilidade > desempenho de operações de leitura 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 42 7

8 Exemplo de Fragmentação Base de Dados Centralizada Passageiros Reservas Nome Telefone Nome Vôo Jose Campos Maria Silva Gabriel Silva Cláudio Silva Varig 224 Vôos Varig 224 Vôo Tarifa Ass Cia 1000, Air France Air France , Air France Varig , Varig Cia_Aéreas Nome Faturam. Presid. Sede Varig 20000K Pampa Porto Alegre Air France 10000K Etoile Paris Passageiro José Campos Maria Silva Gabriel Silva Gabriel Silva Cláudio Silva Exemplo de Fragmentação Fragmentação Horizontal - base AF Passageiros Nome Jose Campos Maria Silva Gabriel Silva Cláudio Silva Vôos Vôo Air France 455 Cia_Aéreas Nome Air France Telefone Tarifa 1000,00 750, K Ass Faturam. Cia Air France Air France Presid. Etoile Paris Reservas Nome Vôo Sede Passageiro José Campos Maria Silva Gabriel Silva 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 47 Exemplo de Fragmentação Fragmentação Horizontal - base RG Passageiros Nome Jose Campos Maria Silva Gabriel Silva Cláudio Silva Vôos Vôo Varig 224 Cia_Aéreas Varig Nome Telefone Tarifa 500,00 Ass 150 Faturam K Cia Varig Presid. Pampa Reservas Nome Vôo Varig 224 Varig 224 Sede Porto Alegre Passageiro Gabriel Silva Cláudio Silva 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 48 Exemplo de Fragmentação Fragmentação Vertical base Voo-1 Passageiros Reservas Nome Telefone Nome Vôo Passageiro Jose Campos José Campos Maria Silva Maria Silva Gabriel Silva Gabriel Silva Cláudio Silva Vôos Varig 224 Gabriel Silva Vôo Tarifa Varig 224 Cláudio Silva 1000,00 Air France ,00 Varig ,00 Cia_Aéreas Nome Faturam. Varig 20000K Air France 10000K 2006 M. Tamer Özsu Patrick Valduriez (tradução Mattoso e Fernanda e livre e adaptações Marta Baião) 49 Exemplo de Fragmentação Fragmentação Vertical base Voo-2 Reservas Passageiros Nome Vôo Passageiro Nome Telefone José Campos Jose Campos Maria Silva Maria Silva Gabriel Silva Gabriel Silva Varig 224 Gabriel Silva Cláudio Silva Vôos Varig 224 Cláudio Silva Vôo Ass Cia 250 Air France Air France Air France Varig Varig Cia_Aéreas Nome Presid. Sede Varig Pampa Porto Alegre Air France Etoile Paris adaptações Marta Mattoso Baião) 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e e Fernanda 50 Exemplo de Fragmentação Fragmentação Horizontal Derivada Cia Aérea - FH Primária Nome Air France Faturam K Vôos - FH Derivada Vôo Air France 455 Tarifa 1000,00 750,00 Presid. Etoile Sede Paris Air France 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 51 Ass Cia Air France 8

9 Requisitos de Informação para o PDBD Info da base de Dados Relacionamentos, Cardinalidade Vôos Cia_Aérea Nome Faturam. Presid. Sede L1 Passageiros Principais Desafios dos SGBDDs Processamento Distribuído de Consultas conversão de transações do usuário em instruções de manipulação de dados Problema de otimização min{custo = transmissão dados + process. local} formulação geral do problema é NP-difícil Vôo Tarifa Ass Cia Nome Telefone Passagens Vôo L2 L3 Passageiro 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 54 Processamento Distribuído de Consultas Tradução automática das consultas em linguagem de alto nível base distribuída é vista como única pelo usuário A tradução deve ser correta. O plano gerado deve ser ótimo. O processamento trabalha em quatro fases: a decomposição da consulta a localização dos dados a otimização global a otimização local Processamento Distribuído de Consultas Localização dos Dados Transforma consulta algébrica em consulta equivalente sobre uma base fragmentada. Analisa predicado da consulta e função de fragmentação Avalia geração de fragmentos vazios A consulta pode ser reduzida 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 56 Processamento Distribuído de Consultas Fragmentação Horizontal na tabela Vôos Localização dos Dados select Vôo, tarifa from vôos where Cia = Air France Nó 5 Nó 1 Rede de Comunicação Nó 2 Voo-AF Vôo Tarifa Ass Cia 1000, Air France Air France , Air France Transformação select Vôo, tarifa from vôo-a where Cia = Air France UNION select Vôo, tarifa from vôo-v where Cia = Air France Análise do predicado da consulta e da função de fragmentação Vôo Tarifa Ass Cia Varig , Varig Avaliação da geração de fragmentos vazios Nó 4 Nó 3 Voo-RG Redução da consulta select Vôo, tarifa from vôo-a where Cia = Air France 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 58 9

10 Localização dos Dados Otimização Global select Vôo, tarifa from vôos where tarifa <= Transformação select Vôo, tarifa from vôo-a where tarifa <= UNION select Vôo, tarifa from vôo-v where tarifa <= Análise do predicado da consulta e da função de fragmentação Avaliação da geração de fragmentos vazios Redução da consulta Neste caso não há redução ão, mas pode haver paralelismo 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 59 Gera o plano de execução ótimo a partir da consulta fragmentada técnicas de otimização heurísticas e sistemáticas. cálculo do custo Custo de E/S (operações de acesso ao disco) Custo de CPU (operações de processamento) Custo de comunicação (movimentação dos dados entre os nós) 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 60 Processamento Distribuído de Consultas Fragmentação Vertical em Vôos Localização dos Dados Nó 5 Nó 4 Nó 1 Rede de Comunicação Nó 2 Nó 3 Voo-2 Vôo Ass Cia 250 Air France Air France Air France Varig Varig Vôo Tarifa 1000,00 Air France ,00 Varig ,00 Voo M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 61 select Vôo, tarifa from vôos where tarifa <= Transformação select Vôo, tarifa from vôo-1 where tarifa <= JOIN select Vôo, tarifa from vôo-2 where tarifa <= Análise do predicado da consulta e da função de fragmentação Avaliação da geração de fragmentos vazios Redução da consulta select Vôo, tarifa from vôo-1 where tarifa <= M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 62 Questões no Processamento de Consultas Distribuído Espaço de soluções pode ser muito grande Avaliação custo otimização X custo execução Intervalo entre a otimização e re-otimização Mudanças na distribuição dos dados desbalanceamento de carga distribuição dinâmica Principais Desafios dos SGBDDs Controle de Concorrência Distribuído sincronização de acessos concorrentes consistência versus concorrência Problemas Gerência de cópias múltiplas Falhas locais em nós Falha nas ligações de comunicação Finalização (commit) distribuída Bloqueio perpétuo (deadlock) distribuído Problemas muito complexos e ainda em aberto M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 64 10

11 Controle de Concorrência Distribuído Principais Desafios dos SGBDDs Alternativas de Implementação tempos separados para leitura e modificação 2 cópias da base da dados distribuída 1 para consultas, 1 para atualização atualizações periódicas na base de consultas Confiabilidade Como tornar o sistema tolerante a falhas SGBDs componentes, rede de comunicação Durabilidade e Atomicidade 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 66 Relações entre os Desafios Questões Relacionadas aos SBDD Suporte do Sistema Operacional SGBDs não são uma aplicação como outra qualquer... suporte apropriado a operações de bancos de dados Situação ainda mais crítica no caso dos SBDDs Ex: suporte a transações distribuídas com controle de concorrência e reconstrução requisitos de processamento propósito geral + SBBDs 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 68 Questões Relacionadas aos SBDD Processamento de Transações Distribuído Manter um estado consistente da base de dados com replicação protocolos sofisticados de controle de réplicas. O método mais imediato é o ROWA (read one write many), muito caro. Avaliar três tipos de replicação replicação dos dados replicação do processamento replicação da comunicação O que está disponível hoje no mercado? Trabalho: Pesquisar produtos abaixo e elaborar um relatório técnico descrevendo as funcionalidades de distribuição Oracle 10g SQL Server IBM Informix PostgreSQL M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 70 11

12 As Novas Tecnologias e os SBDDs As Novas Tecnologias e os SBDDs Novas aplicações Inerentemente distribuídas Requisitos cada vez maiores por mais desempenho Trabalho cooperativo, mineração de dados,... Desenvolvimento baseado em componentes Utilização combinada com recursos de paralelismo disponíveis nos produtos existentes Oracle Real Application Cluster Compaq NonStop SQL 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 72 As Novas Tecnologias e os SBDDs Gerência de dados na Web Necessidade de convergência entre 2 culturas distintas Web crescimento explosivo de dados semi/não estruturados, troca de informações (HTML, XML, WSDL) SGBDs serviços de gerência de dados tradicionais (armazenamento, consulta, modelos de dados, integridade e consistência) Sistemas XML-nativos, conversores XML-bases relacionais, linguagens de consulta a dados XML (XQuery, XPath), máquinas de busca Interoperabilidade Mudanças de tecnologia Arquiteturas multi-camadas, serviços web clusters e GRIDs 2006 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Marta Mattoso e Fernanda Baião) 73 12

Bancos de Dados Distribuídos

Bancos de Dados Distribuídos Bancos de Dados Distribuídos Fernanda Baião baiao@cos.ufrj.br Departamento de Informática Aplicada UNIRIO 2007.2 Bibliografia Utilizada Principal: Özsu, M.T. Valduriez, P. "Princípios de Sistemas de Banco

Leia mais

Introdução a Banco de Dados

Introdução a Banco de Dados Introdução a Banco de Dados O modelo relacional Marta Mattoso Sumário Introdução Motivação Serviços de um SGBD O Modelo Relacional As aplicações não convencionais O Modelo Orientado a Objetos Considerações

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Bancos de Dados Distribuídos Conceitos e Arquitetura Vantagens das Arquiteturas C/S (em relação

Leia mais

Bancos de Dados Distribuídos

Bancos de Dados Distribuídos Espeialização em Engenharia de Software Marta Mattoso Banos de Dados Distribuídos Bibliografia Utilizada Î Özsu, M.T. Valduriez, P. "Priniples of Distributed Database Systems", Prentie Hall, 1991. Elmasri,

Leia mais

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com Última atualização: 20.03.2013 Conceitos Banco de dados distribuídos pode ser entendido como uma coleção de múltiplos bds

Leia mais

Bancos de Dados Distribuídos. Filipe Gomes Pinto Guilherme Marquesini Reis Ribeiro Matheus Leônidas Silva Pedro Duarte

Bancos de Dados Distribuídos. Filipe Gomes Pinto Guilherme Marquesini Reis Ribeiro Matheus Leônidas Silva Pedro Duarte Bancos de Dados Distribuídos Filipe Gomes Pinto Guilherme Marquesini Reis Ribeiro Matheus Leônidas Silva Pedro Duarte Conceitos Sistema distribuído. Banco de dados distribuído (BDD). Coleção de multiplos

Leia mais

Banco de Dados Distribuídos

Banco de Dados Distribuídos A imagem não pode ser exibida. Talvez o computador não tenha memória suficiente para abrir a imagem ou talvez ela esteja corrompida. Reinicie o computador e abra o arquivo novamente. Se ainda assim aparecer

Leia mais

Projeto de Banco de Dados Distribuído Proj o e j to t o de d B a B nc n o o d e d Da D do d s o D i D str t ibu b í u do d s

Projeto de Banco de Dados Distribuído Proj o e j to t o de d B a B nc n o o d e d Da D do d s o D i D str t ibu b í u do d s Projeto de Alcides Pamplona alcides.pamplona@gmail.com Conteúdo Revisão de Conceitos Arquitetura Distribuída Fragmentação Horizontal Fragmentação Vertical 1 Definição de Banco de Dados Distribuído Um Banco

Leia mais

Banco de Dados Distribuídos

Banco de Dados Distribuídos Banco de Dados Distribuídos Emmanuel Filho¹, Maria Cristina C. Rodrigues¹ Nayguron Henrique de S. Barreto¹, Wilton de Serpa Monteiro¹ ¹ Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Instituto

Leia mais

1998 M. Tamer Özsu & Patrick Valduriez, com tradução livre de Marta Mattoso. Sistemas de Bancos de Dados Distribuídos. Top. Esp em Banco de Dados

1998 M. Tamer Özsu & Patrick Valduriez, com tradução livre de Marta Mattoso. Sistemas de Bancos de Dados Distribuídos. Top. Esp em Banco de Dados Top. Esp em Banco de Dados Profa. Marta Mattoso marta@cos.ufrj.br http://www.cos.ufrj.br/~marta COPPE- Sistemas / UFRJ Arquiteturas em Banco de Dados Roteiro Introdução a arquiteturas de SGBD SGBD (ANSI/SPARC)

Leia mais

Top. Esp em Banco de Dados

Top. Esp em Banco de Dados Top. Esp em Banco de Dados Profa. Marta Mattoso marta@cos.ufrj.br http://www.cos.ufrj.br/~marta COPPE- Sistemas / UFRJ Arquiteturas em Banco de Dados Roteiro Introdução a arquiteturas de SGBD SGBD (ANSI/SPARC)

Leia mais

Arquitetura de SGBD. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Arquitetura de SGBD. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Arquitetura de SGBD Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Agenda Caracterização de SGBDs SGBDs Centralizados SGBDs Cliente-Servidor SGBDs Distribuídos Homogêneos Multi-SGBDs Heterogêneos SGBDs Paralelos

Leia mais

Éverton Alves de Oliveira. Banco de Dados Distribuído no Desenvolvimento de Aplicações Comerciais

Éverton Alves de Oliveira. Banco de Dados Distribuído no Desenvolvimento de Aplicações Comerciais Éverton Alves de Oliveira Banco de Dados Distribuído no Desenvolvimento de Aplicações Comerciais Londrina 2006 Éverton Alves de Oliveira Banco de Dados Distribuído no Desenvolvimento de Aplicações Comerciais

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS. Prof. Ronaldo R. Goldschmidt

INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS. Prof. Ronaldo R. Goldschmidt INTRODUÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS Prof. Ronaldo R. Goldschmidt Hierarquia Dado - Informação - Conhecimento: Dados são fatos com significado implícito. Podem ser armazenados. Dados Processamento Informação

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Introdução BD desempenha papel crítico em todas as áreas em que computadores são utilizados: Banco: Depositar ou retirar

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Bancos de Dados Distribuídos Introdução Sistema de informação - Organização - Pessoas - Tecnologia

Leia mais

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM INTRODUÇÃO, INFRA-ESTRUTURA E MAPEAMENTO DE ESQUEMAS AGENDA Data Management System Peer Data Management System P2P Infra-estrutura Funcionamento do PDMS Mapeamento de Esquemas

Leia mais

Rogério Lopes Ferreira. Cluster MySQL: estudo de caso na Fábrica de Software do CEULP/ULBRA

Rogério Lopes Ferreira. Cluster MySQL: estudo de caso na Fábrica de Software do CEULP/ULBRA Rogério Lopes Ferreira Cluster MySQL: estudo de caso na Fábrica de Software do CEULP/ULBRA Palmas - TO 2013 Rogério Lopes Ferreira Cluster MySQL: estudo de caso na Fábrica de Software do CEULP/ULBRA Trabalho

Leia mais

INE 5336 Banco de Dados II

INE 5336 Banco de Dados II UFSC-CTC-INE Curso de Ciências da Computação INE 5336 Banco de Dados II Ronaldo S. Mello 2008/2 http://www.inf.ufsc.br/~ronaldo/ine5336 Programa da Disciplina Objetivo Conteúdo Avaliação Bibliografia Cronograma

Leia mais

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados Sistema de Bancos de Dados Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados # Definições # Motivação # Arquitetura Típica # Vantagens # Desvantagens # Evolução # Classes de Usuários 1 Nível 1 Dados

Leia mais

SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS

SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SISTEMA GERENCIADOR

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação

Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação Disciplina: INE651600 Sistemas Operacionais Professor: Antônio Augusto Fröhlich Estudo Dirigido sobre Bancos de

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Fundamentos de Banco de Dados Aula 01 Introdução aos Sistemas de Bancos de Dados Introdução aos Sistemas de BD Objetivo Apresentar

Leia mais

INE 5432 Banco de Dados II

INE 5432 Banco de Dados II UFSC-CTC-INE Curso de Ciências da Computação INE 5432 Banco de Dados II Ronaldo S. Mello 2010/1 http://www.inf.ufsc.br/~ronaldo/ine5432 Programa da Disciplina Objetivo Conteúdo Avaliação Bibliografia Cronograma

Leia mais

Gonçalo Amador Ricardo Alexandre. Bases de Dados Distribuídas

Gonçalo Amador Ricardo Alexandre. Bases de Dados Distribuídas Sistemas Distribuidos e Tolerância a Falhas Gonçalo Amador Ricardo Alexandre Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Bases de Dados Distribuídas 1 Modelos de Bases de Dados 2 Conceitos

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Softwares Aplicativos Banco de Dados

Softwares Aplicativos Banco de Dados Softwares Aplicativos Banco de Dados INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Serviços 3. Usuários 4. Evolução 5. Exemplos 03 Banco

Leia mais

INE 5616 Banco de Dados II

INE 5616 Banco de Dados II UFSC-CTC-INE Curso de Sistemas de Informação INE 5616 Banco de Dados II Ronaldo S. Mello 2011/1 http://www.inf.ufsc.br/~ronaldo/ine5616 Programa da Disciplina Objetivo Conteúdo Avaliação Bibliografia Cronograma

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Bancos de Dados Distribuídos Processamento de Transações Ambiente com SGBD Distribuído Transações

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Introdução. Definição de um Sistema Distribuído (1) Definição de um Sistema Distribuído(2) Metas de Sistemas Distribuídos (2)

Introdução. Definição de um Sistema Distribuído (1) Definição de um Sistema Distribuído(2) Metas de Sistemas Distribuídos (2) Definição de um Sistema Distribuído (1) Introdução Um sistema distribuído é: Uma coleção de computadores independentes que aparecem para o usuário como um único sistema coerente. Definição de um Sistema

Leia mais

Hoje é inegável que a sobrevivência das organizações depende de dados precisos e atualizados.

Hoje é inegável que a sobrevivência das organizações depende de dados precisos e atualizados. BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br INTRODUÇÃO Hoje é

Leia mais

TRANSAÇÃO. Reconstrução ( recovery ) BANCO DE DADOS 2. Tipos de falhas (1) Tipos de falhas (2) Princípios

TRANSAÇÃO. Reconstrução ( recovery ) BANCO DE DADOS 2. Tipos de falhas (1) Tipos de falhas (2) Princípios BANCO DE DADOS TRANSAÇÃO Reconstrução ( recovery ) Idéia básica Em algum momento no tempo, todo sistema computacional apresentará uma falha. Prof. Edson Thizon O SGBD deve incorporar mecanismos de proteção

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br

Sistemas Distribuídos. Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br Sistemas Distribuídos Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br Curso de Engenharia de Computação UCDB Agosto/2003 Tópicos Conceitos de HW em SD Multiprocessadores e Multicomputadores Conceitos de SW

Leia mais

Gerenciamento de Dados em Banco de Dados Distribuídos

Gerenciamento de Dados em Banco de Dados Distribuídos CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Gerenciamento de Dados em Banco de Dados Distribuídos Samuel Lázaro de Oliveira Cunha Uberlândia,

Leia mais

INF220 - Banco de Dados I

INF220 - Banco de Dados I Banco de Dados - Introdução Bibliografia INF220 - Banco de Dados I Prof. Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática - UFV Notas de Aula (jugurta@dpi.ufv.br) ELMASRI, R; NAVATHE, S. Fundamentals of

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados

SISTEMA DE BANCO DE DADOS. Banco e Modelagem de dados SISTEMA DE BANCO DE DADOS Banco e Modelagem de dados Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Arquiteturas de um Sistema Gerenciador... 5 3. Componentes de um Sistema... 8 4. Vantagens

Leia mais

Um Sistema de Banco de Dados Replicado Gerenciado através de Applets Distribuídas

Um Sistema de Banco de Dados Replicado Gerenciado através de Applets Distribuídas Um Sistema de Banco de Dados Replicado Gerenciado através de Applets Distribuídas André Luis Castro de Freitas 1 1 Departamento de Matemática Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Caixa Postal

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Banco de Dados Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos)

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Transações, Isolamento, Concorrência e Bloqueio Banco de Dados Distribuído Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Ilka Kawashita kawashi@gmail.com Transações Uma transação é

Leia mais

Banco de Dados. 13 - Arquiteturas para SGBDs

Banco de Dados. 13 - Arquiteturas para SGBDs Banco de Dados 13 - Arquiteturas para SGBDs 1 Tópicos Caracterização de SGBDs SGBDs Centralizados SGBDs Cliente-Servidor SGBDs Distribuídos Homogêneos Multi-SGBDs Heterogêneos SGBDs Paralelos SGBDs e a

Leia mais

Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Sistema de Arquivos. Prof. Edilberto Silva - edilms@yahoo.com. Sistemas de Informação Brasília/DF

Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Sistema de Arquivos. Prof. Edilberto Silva - edilms@yahoo.com. Sistemas de Informação Brasília/DF 2 Conceitos Básicos Material baseado nas notas de aula: Maria Luiza M. Campos IME/2005 Carlos Heuser - livro Projeto de Banco de Dados CasaNova / PUC/RJ Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com Sistemas

Leia mais

FATEC SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CURSO EM PROCESSAMENTO DE DADOS CESAR APOLO NUMATA BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS

FATEC SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CURSO EM PROCESSAMENTO DE DADOS CESAR APOLO NUMATA BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS FATEC SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CURSO EM PROCESSAMENTO DE DADOS CESAR APOLO NUMATA BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS SÃO PAULO SP 2012 CESAR APOLO NUMATA BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS Monografia

Leia mais

23/05/12. Sistemas de Banco de Dados Paralelos. Sistemas Paralelos de BD. Roteiro. Objetivo. Motivação. Principais conceitos.

23/05/12. Sistemas de Banco de Dados Paralelos. Sistemas Paralelos de BD. Roteiro. Objetivo. Motivação. Principais conceitos. Sistemas Paralelos de BD Sistemas de Banco de Dados Paralelos Aluno: Márcio Angelo B. de Lira mabl@cin.ufpe.br Prof.ª : Bernadette Farias Lóscio Ana Carolina Salgado Roteiro paralelos de banco de dados

Leia mais

Arquitetura de Banco de Dados

Arquitetura de Banco de Dados Arquitetura de Banco de Dados Daniela Barreiro Claro MAT A60 DCC/IM/UFBA Arquitetura de Banco de dados Final de 1972, ANSI/X3/SPARC estabeleceram o relatório final do STUDY GROUP Objetivos do Study Group

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais

Banco de Dados. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Profa. Flávia Cristina Bernardini

Banco de Dados. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Profa. Flávia Cristina Bernardini Banco de Dados Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados Profa. Flávia Cristina Bernardini Relembrando... Vantagens da Utilização de SGBD Redundância controlada Consistência dos dados armazenados

Leia mais

GBC043 Sistemas de Banco de Dados. Introdução. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM

GBC043 Sistemas de Banco de Dados. Introdução. Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM GBC043 Sistemas de Banco de Dados Introdução Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM Página 2 Definição BD Def. Banco de Dados é uma coleção de itens de dados

Leia mais

Transações Controle Distribuído de Concorrência Métodos de Controle de Concorrência Deadlocks

Transações Controle Distribuído de Concorrência Métodos de Controle de Concorrência Deadlocks Alcides Pamplona alcides.pamplona@gmail.com 1998 M. Tamer Özsu e Patrick Valduriez (tradução livre e adaptações Fernanda Baião) Conteúdo Transações Controle Distribuído de Concorrência Métodos de Controle

Leia mais

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Imagem: BARBIERI, Carlos. 2

Leia mais

UNIPAC - UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO E COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE CIÊNCIA COMPUTAÇÃO

UNIPAC - UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO E COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE CIÊNCIA COMPUTAÇÃO UNIPAC - UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO E COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE CIÊNCIA COMPUTAÇÃO Cynthia Pereira Silva BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS BARBACENA DEZEMBRO

Leia mais

Banco de Dados Capítulo 1: Introdução. Especialização em Informática DEINF/UFMA Cláudio Baptista

Banco de Dados Capítulo 1: Introdução. Especialização em Informática DEINF/UFMA Cláudio Baptista Banco de Dados Capítulo 1: Introdução Especialização em Informática DEINF/UFMA Cláudio Baptista O que é um Banco de Dados (BD)? É uma coleção de dados relacionados e armazenados em algum dispositivo. Propriedades

Leia mais

Arquitetura de BDs Distribuídos. Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2

Arquitetura de BDs Distribuídos. Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2 Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2 Arquitetura de BDs Distribuídos Sistemas de bds distribuídos permitem que aplicações acessem dados de bds locais ou remotos. Podem ser Homogêneos ou Heterogêneos: Homogêneos

Leia mais

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados.

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Histórico Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Sistemas Integrados: racionalização de processos, manutenção dos

Leia mais

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD)

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD) Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados Introdução Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre de 2011 Motivação

Leia mais

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Orivaldo V. Santana Jr A partir de slides elaborados por Ivan G. Costa Filho Fernando Fonseca & Robson Fidalgo 1 Sistemas de Arquivos Sistemas de arquivos Principal

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 04 SGBD Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com Conceitos Básicos DADOS: são fatos em sua forma primária. Ex: nome do funcionário,

Leia mais

pggrid: uma Implementação de Fragmentação de Dados para o PostgreSQL

pggrid: uma Implementação de Fragmentação de Dados para o PostgreSQL pggrid: uma Implementação de Fragmentação de Dados para o PostgreSQL Gustavo A. Tonini, Frank Siqueira Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis SC

Leia mais

Banco de Dados Distribuídos

Banco de Dados Distribuídos Banco de Dados Distribuídos Brasília-DF, 2011. Elaboração: Ednewton de Vasconcelos Produção: Equipe Técnica de Avaliação, Revisão Linguística e Editoração Banco de Dados Distribuídos 2 Sumário Apresentação...

Leia mais

Características Básicas de Sistemas Distribuídos

Características Básicas de Sistemas Distribuídos Motivação Crescente dependência dos usuários aos sistemas: necessidade de partilhar dados e recursos entre utilizadores; porque os recursos estão naturalmente em máquinas diferentes. Demanda computacional

Leia mais

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Fernando Castor A partir de slides elaborados por Fernando Fonseca & Robson Fidalgo 1 Sistemas de Arquivos Sistemas de arquivos Principal característica é a replicação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Eriko Carlo Maia Porto UNESA Universidade Estácio de Sá eriko_porto@uol.com.br Última revisão Julho/2003 REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO Década de 50 introdução dos

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com O que veremos hoje... Evolução Histórica Motivação Conceitos Características

Leia mais

Introdução Banco de Dados

Introdução Banco de Dados Introdução Banco de Dados Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny Por que estudar BD? Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária reserva de hotel matrícula em

Leia mais

Pollyanna Gonçalves. Seminário da disciplina Banco de Dados II

Pollyanna Gonçalves. Seminário da disciplina Banco de Dados II Pollyanna Gonçalves Seminário da disciplina Banco de Dados II Web 2.0 vem gerando grande volume de dados Conteúdo gerado por redes sociais, sensores inteligentes, tecnologias de colaboração, etc. Novas

Leia mais

APLICAÇÕES EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

APLICAÇÕES EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 6 - ALGORÍTIMOS PARALELOS MPI - Parallel Virtual Machine e PVM - Parallel Virtual Machine 1. INTRODUÇÃO Inicialmente é necessário conceber alguns conceitos para entendimento dos algoritmos paralelos:

Leia mais

Banco de Dados I. Quantidade de informação gerada em um dia. Aula 1. 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; Salários na área

Banco de Dados I. Quantidade de informação gerada em um dia. Aula 1. 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; Salários na área Banco de Dados I Aula 1 Quantidade de informação gerada em um dia E-mails Compras Bate-papo Notícias Blogs Transações bancárias Etc... 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; 100

Leia mais

Treinamento PostgreSQL Cluster de Banco de Dados - Aula 01

Treinamento PostgreSQL Cluster de Banco de Dados - Aula 01 Treinamento PostgreSQL Cluster de Banco de Dados - Aula 01 Eduardo Ferreira dos Santos SparkGroup Treinamento e Capacitação em Tecnologia eduardo.edusantos@gmail.com eduardosan.com 13 de Junho de 2013

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS. 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD BANCO DE DADOS I

CONCEITOS BÁSICOS. 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD BANCO DE DADOS I CONCEITOS BÁSICOS 1. Conceitos básicos de BD, SBD e SGBD A importância da informação para a tomada de decisões nas organizações tem impulsionado o desenvolvimento dos sistemas de processamento de informações.

Leia mais

Profs. Deja e Andrei

Profs. Deja e Andrei Disciplina Sistemas Distribuídos e de Tempo Real Profs. Deja e Andrei Sistemas Distribuídos 1 Conceitos e Projetos de Sistemas Distribuídos Objetivos: Apresentar uma visão geral de processamento distribuído,

Leia mais

Integração de Dados na Web. Ana Carolina Salgado Bernadette Lóscio

Integração de Dados na Web. Ana Carolina Salgado Bernadette Lóscio Integração de Dados na Web Ana Carolina Salgado Bernadette Lóscio Conteúdo Introdução Integração de Informações Consultando a Web Introdução Motivação Web e BD Arquitetura na Web Introdução Evolução da

Leia mais

Comparação SDs X Scs

Comparação SDs X Scs Prof. Alexandre Lima Sistemas Distribuídos Cap 9 1/7 Comparação SDs X Scs Distribuição inerente Economia Velocidade Confiabilidade Crescimento incremental Descrição Algumas aplicações envolvem máquinas

Leia mais

Sistemas de Bases de Dados

Sistemas de Bases de Dados Sistemas de Bases de Dados Carlos Viegas Damásio José Alferes e Carlos Viegas Damásio Sistemas de Bases de Dados 2014/15 Objectivos - Em Bases de Dados (2º ano) pretendia-se: Que os estudantes fossem capazes

Leia mais

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd.

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd. Apresentação Este curso tem como objetivo, oferecer uma noção geral sobre a construção de sistemas de banco de dados. Para isto, é necessário estudar modelos para a construção de projetos lógicos de bancos

Leia mais

Banco de Dados I Introdução

Banco de Dados I Introdução Banco de Dados I Introdução Prof. Moser Fagundes Curso Técnico em Informática (Modalidade Integrada) IFSul Campus Charqueadas Sumário da aula Avaliações Visão geral da disciplina Introdução Histórico Porque

Leia mais

Roteiro. BCC321 - Banco de Dados I. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. O que é um banco de dados (BD)?

Roteiro. BCC321 - Banco de Dados I. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. O que é um banco de dados (BD)? Roteiro BCC321 - Banco de Dados I Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz Conceitos Básicos Banco

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Questões Em uma rede de sobreposição (overlay), mensagens são roteadas de acordo com a topologia da sobreposição. Qual uma importante desvantagem

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Introdução Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Agenda Definição de Sistemas Distribuídos Evolução Histórica Exemplos Comparação com Sistemas Centralizados Conclusão 2 Definição

Leia mais

Bases de Dados Distribuídas

Bases de Dados Distribuídas Introdução Devido ao ambiente de grande competitividade em que as organizações de hoje têm que actuar, estas são forçadas a distribuir-se geograficamente, procurando as condições locais mais favoráveis

Leia mais

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015

BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 BANCO DE DADOS AULA 02 INTRODUÇÃO AOS BANCOS DE DADOS PROF. FELIPE TÚLIO DE CASTRO 2015 NA AULA PASSADA... 1. Apresentamos a proposta de ementa para a disciplina; 2. Discutimos quais as ferramentas computacionais

Leia mais

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 1. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc.

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 1. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. MODELAGEM DE DADOS PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS Aula 1 Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord 1 Objetivos: Apresenta a diferença entre dado e informação e a importância

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS 1. Histórico Primeiros computadores Computadores dos anos 50 e 60 Primeiros computadores com sistemas operacionais Surgimento das redes de computadores Nos anos 70 início das pesquisas

Leia mais

CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008

CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008 CONTROLE DE CONCORRÊNCIA EM BANCO DE DADOS: Estudo de Caso Microsoft SQL Server 2008 GERALDA SILVIA DE VASCONCELOS JARDIM 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo descreve a importância do mecanismo

Leia mais

Treinamento PostgreSQL - Aula 01

Treinamento PostgreSQL - Aula 01 Treinamento PostgreSQL - Aula 01 Eduardo Ferreira dos Santos SparkGroup Treinamento e Capacitação em Tecnologia eduardo.edusantos@gmail.com eduardosan.com 27 de Maio de 2013 Eduardo Ferreira dos Santos

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados

Fundamentos de Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados SISTEMAS BASEADOS NO PROCESSAMENTO DE ARQUIVOS Sistema A Funcionário Pagamento Cargo Sistema B Funcionário Projeto SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS (SGBD) Sistema

Leia mais

CARLOS JESUS DE OLIVEIRA RODRIGUES. ARMAZENAMENTO E RECUPERAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS UTILIZANDO O SGBD ORACLE9i DISTRIBUÍDO

CARLOS JESUS DE OLIVEIRA RODRIGUES. ARMAZENAMENTO E RECUPERAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS UTILIZANDO O SGBD ORACLE9i DISTRIBUÍDO FUNDAÇÃO DE ENSINO EURÍPIDES SOARES DA ROCHA Mantenedora do Centro Universitário Eurípides de Marília UNIVEM CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CARLOS JESUS DE OLIVEIRA RODRIGUES ARMAZENAMENTO E RECUPERAÇÃO

Leia mais

AULA 01-02-03 SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS

AULA 01-02-03 SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS AULA 01-02-03 SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS Curso: Sistemas de Informação (Subseqüente) Disciplina: Administração de Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.br História

Leia mais

Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados. Ceça Moraes cecafac@gmail.com

Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados. Ceça Moraes cecafac@gmail.com Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados Ceça Moraes cecafac@gmail.com Sobre a professora CeçaMoraes Doutora em Computação (UFPE) Áreas de atuação Desenvolvimento de Software e Banco de Dados Experiência

Leia mais

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos Arquiteutra de Sistemas Distribuídos Introdução Applications, services Adaptação do conjunto de slides do livro Distributed Systems, Tanembaum,

Leia mais

Bancos de Dados Paralelos. Alunos: ALLAN ROGER BELLO WILLIAN DIAS TAMAGI

Bancos de Dados Paralelos. Alunos: ALLAN ROGER BELLO WILLIAN DIAS TAMAGI Bancos de Dados Paralelos Alunos: ALLAN ROGER BELLO WILLIAN DIAS TAMAGI INTRODUÇÃO (SGBD) Sistema Gerenciador de Banco de Dados é um software que permite criar, manter e manipular bancos de dados para

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Carlos Ferraz cagf@cin.ufpe.br Tópicos da Aula Apresentação do curso Introdução Definição de sistemas distribuídos Exemplo Vantagens e desvantagens Convergência digital Desafios Visão

Leia mais

Banco de Dados. CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado. Professora Michelle Nery. Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus Pouso Alegre

Banco de Dados. CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado. Professora Michelle Nery. Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus Pouso Alegre Banco de Dados CursoTécnico em Informática Modalidade Integrado Instituto Federal do Sul de Minas, câmpus PousoAlegre Professora Michelle Nery Conteúdo Programático Introdução O que é Banco de Dados O

Leia mais

Arquitecturas de Sistemas de Base de Dados

Arquitecturas de Sistemas de Base de Dados Arquitecturas de Sistemas de Base de Dados Sistemas Centralizados Sistemas Cliente-Servidor Sistemas Paralelos Sistemas Distribuídos Sistemas Centralizados Correm sobre um único computador e não interagem

Leia mais