O Valor da Informação no Turismo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Valor da Informação no Turismo"

Transcrição

1 Vê Portugal 3.º Fórum Turismo Interno O Valor da Informação no Turismo João Cadete de Matos Diretor Departamento de Estatística 30 de maio de 2016

2 1 O valor da informação 2 Caraterização das empresas dosetor do turismo em Portugal 3 A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa 2 Maio de 2016

3 O Valor da Informação O Valor da Informação A informação em geral e a informação estatística em particular: É crucial para conhecer a realidade É essencial para a tomada de decisões É necessária para se comunicar e explicar as decisões tomadas É indispensável para avaliar os resultados 3 Maio de 2016

4 O Valor da Informação O Valor da Informação É por essa razão que as Estatísticas são essenciais ao desenvolvimento económico e social e devem ser tratadas como um Bem Público Deve, por isso, o seu acesso ser gratuito e universal 4 Maio de 2016

5 5 Maio de 2016 O Valor da Informação Estatísticas do Banco de Portugal

6 Estudos da Central de Balanços O Valor da Informação Estudos da Central de Balanços Estudo 17 6 Maio de 2016

7 O Valor da Informação Estudos da Central de Balanços N.º 7 Maio de 2016 Título do estudo N.º de empresas Peso no total das empresas N.º de pessoas serviço Vol. de negócios 4 Análise setorial das indústrias alimentares, novembro ,5 % 3,2 % 3,8 % 5 Análise setorial do alojamento, restauração e similares, novembro ,4 % 7,9 % 2,5 % 9 Análise setorial da indústria dos têxteis e vestuário, novembro ,7 % 4,8 % 2,1 % 10 Análise setorial da indústria do calçado, novembro ,5 % 1,8 % 0,8 % 11 Análise do setor agrícola, dezembro ,4 % 9,3 % 14,0 % 14 Análise do setor automóvel, dezembro ,7 % 3,9 % 6,5 % 15 Análise do setor da construção, janeiro ,2 % 9,4 % 5,7 % 16 Análise do setor das atividades de informação e comunicação, abril ,6 % 3,1 % 3,7 % 17 Análise do setor do turismo, outubro ,0 % 9,8 % 5,6 % 20 Análise setorial da indústria metalomecânica, março ,4 % 6,0 % 6,6 % 21 Análise das empresas do setor do mar, maio ,7 % 0,9 % 1,1 % 22 Análise das empresas do setor exportador em Portugal, junho ,6 % 24,5 % 36,7 % 24 Análise das empresas dos setores da madeira, da cortiça e do papel, janeiro ,8 % 2,6 % 2,7 % Estudos da CB (setoriais) já publicados cobriram 47,4 % das empresas, 61,7% do volume de negócios e 56,9% do número de pessoas ao serviço

8 1 O valor da informação 2 Caraterização das empresas dosetor do turismo em Portugal 3 A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa 8 Maio de 2016

9 Bases de dados Central de Balanços (CB) do Banco de Portugal desde 1983 Informação Empresarial Simplificada desde 2007 informação de base contabilística anual e trimestral das empresas não financeiras permite caracterizar a situação económica e financeira das empresas não financeiras em Portugal Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) do Banco de Portugal desde 1978 créditos concedidos por instituições de crédito (IC) residentes em Portugal 9 Maio de 2016

10 Definição do setor Universo de análise Setor do Turismo Segmentos de atividade económica com base na CAE Rev.3 Transportes e logística atividades associadas a viagens e estadas por um período consecutivo de tempo inferior a 12 meses, com fins de lazer, negócios ou outros motivos não relacionados com o exercício de uma atividade remunerada no local visitado (Organização Mundial do Turismo) i.e., transporte ocasional de passageiros, transporte aéreo de passageiros e aluguer de veículos automóveis ligeiros Alojamento e restauração i.e., alojamento, restauração e similares, fornecimento de refeições para eventos, bares, pastelarias e cafés Atividades recreativas e culturais i.e., agências de viagem, operadores turísticos, museus e monumentos históricos, marinas e animação turística 10 Maio de 2016

11 Peso no total das empresas Número de empresas Volume de negócios Número de pessoas ao serviço Total das empresas Total das empresas Total das empresas 13,0 % 12,4 % 5,6 % 5,1 % 9,8 % 9,2 % 51 mil empresas 17,2 mil M de volume de negócios 246,3 mil pessoas ao serviço Maio de 2016

12 Estrutura Segmentos de atividade económica (2014) Número de empresas Volume de negócios Número de pessoas ao serviço 11 % 17 % 16 % 8 % 17 % 43 % 72 % 41 % 75 % Transportes e Logística Alojamento e Restauração Atividades Recreativas e Culturais 12 Maio de 2016

13 Estrutura Classes de dimensão das empresas (2014) Número de empresas Volume de negócios Número de pessoas ao serviço 8 % 0,1 % 21 % 17 % 40 % 40 % Setor do Turismo Total das empresas 92 % 39 % 43 % 10 % 0,3 % 15 % 43 % 27 % 28 % 89 % 42 % 45 % Microempresas Pequenas e médias empresas Grandes empresas 13 Maio de 2016

14 Estrutura Localização das sedes (2014) Número de empresas Volume de negócios Número de pessoas ao serviço [0% ; 2,5%] ]2,5% ; 5%] ]5% ; 10%] ]10%; 25%] > 25% O distrito de Lisboa agregava 59 % do volume de negócios, 42 % do número de pessoas ao serviço e 33% do número de empresas do setor 14 Maio de 2016

15 Peso no total das empresas Localização das sedes (2014) Número de empresas Volume de negócios Número de pessoas ao serviço 23 % 17 % 26 % 17 % 10 % 15 % 15 % 8 % 12 % 24 % 9 % 27 % 23 % 26 % 33 % O setor apresenta um maior peso no Funchal, Faro, Horta, Ponta Delgada e Lisboa no que concerne ao número de empresas, volume de negócios e número de pessoas ao serviço no total das empresas 15 Maio de 2016

16 Peso no total das empresas Localização das sedes (Z. Centro 2014) Número de empresas Volume de negócios Número de pessoas ao serviço 9 % 11 % 13 % 2 % 3 % 3 % 5 % 8 % 8 % 9 % 13 % 11 % 3 % 3 % 3 % 6 % 8 % 8 % 11 % 2 % 6 % Ao nível da zona centro do país, o setor apresentava maior peso nos distritos de Coimbra e da Guarda, em número de empresas, a que se juntavam os distritos de Viseu e Castelo Branco, quando considerado o número de pessoas ao serviço Peso reduzido do setor para o volume de negócios gerado por empresas com sede nestes distritos 16 Maio de 2016

17 Estrutura Classes de maturidade (2014, volume de negócios) 100 % 80 % 60 % 54 % 52 % 63 % 42 % 45 % 40 % 20 % 0 % 25 % 24 % 13 % 13 % 8 % 11 % 26 % 29 % 21 % 15 % 13 % 12 % 4 % 17 % 13 % Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Total das empresas Setor do Turismo Por segmentos de atividade económica Até 5 anos De 5 a 10 anos De 10 a 20 anos Mais de 20 anos Estrutura similar à do total das empresas, mas com maior relevância das empresas há mais anos em atividade nos transportes e logística 17 Maio de 2016

18 Dinâmica Demografia 9 % 8 % 7 % 6 % 5 % 4 % 3 % 2 % 1 % 0 % -1 % Taxa de natalidade - Setor do Turismo Taxa de mortalidade - Setor do Turismo Tx. Variação do número de empresas - Setor do Turismo Tx. variação do número de empresas - Total das empresas O aumento do número de empresas em atividade no setor foi superior ao verificado para o total das empresas 18 Maio de 2016

19 Dinâmica Empresas de elevado crescimento (EEC) 100 % 80 % 60 % 8 % 8 % 5 % 5 % 8 % 4 % 28 % 26 % 37 % 35 % 40 % 44 % 13 % 34 % 40 % 20 % 55 % 57 % 55 % 67 % 48 % 70 % 53 % 0 % Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Total das empresas Setor do Turismo 2014 TMCA < 0 % 0 % TMCA 20 % TMCA > 20 % EEC: Taxa média de crescimento anual (TMCA) em três anos consecutivos superior a 20% 19 Maio de 2016

20 Volume de negócios Contributos (em p.p.) para a taxa de cresc. anual (em %) ,5 % 2,3 % Transportes e Logística Alojamento e Restauração Atividades Recreativas e Culturais Total das empresas (taxa de cresc.) Setor do Turismo (taxa de cresc.) O volume de negócios do setor do turismo cresceu mais que o do total das empresas em 2014 (5,5 % face a 2,3 %) 20 Maio de 2016

21 Volume de negócios Contributos (em p.p.) para a taxa de cresc. anual (em %) ,5 % 1,2 4, Mercado interno Mercado externo Taxa de cresc. do vol. neg. (Setor do Turismo) Tanto o mercado interno como o mercado externo contribuíram para o aumento do volume de negócios em Maio de 2016

22 EBITDA Proporção de empresas com crescimento do EBITDA Proporção de empresas EBITDA negativo 80 % 80 % 60 % 60 % 40 % 40 % 20 % 20 % 0 % Micro PME Grandes Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. 0 % Micro PME Grandes Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Total das emp. Setor do Turismo Por classes de dimensão Por segmentos de atividade económica Total das emp. Setor do Turismo Por classes de dimensão Por segmentos de atividade económica O EBITDA do setor do Turismo cresceu 23 % face a No entanto, apesar da maior proporção de empresas com crescimento do EBITDA, a proporção de empresas com EBITDA negativo continuou a ser superior no setor EBITDA: Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization 22 Maio de 2016

23 Rendibilidade dos capitais próprios 15 % 5 % 6,1 % 7,2 % 2,8 % -5 % -2,7 % -2,8 % -2,1 % -11,3 % -15 % -18,6 % -25 % Transportes e Logística Alojamento e Restauração Atividades Recreativas e Culturais Setor do Turismo Total das empresas O setor apresentou em todo o período rendibilidades inferiores à do total das empresas, em virtude dos contributos negativos das atividades recreativas e culturais e, em particular, do alojamento e restauração 23 Maio de 2016

24 Margem operacional e margem líquida 15 % 10 % 10,7 % 8,3 % 5 % 0 % 1,2 % -1,0 % -5 % -10 % O aumento da margem operacional do Setor do Turismo compara positivamente com a evolução do indicador no total das empresas. De notar, também, que a diferença entre as margens operacional e líquida é bastante superior no Setor do Turismo 24 Maio de EBITDA/Rendimentos - Total das empresas RLP/Rendimentos - Total das empresas EBITDA/Rendimentos - Setor do Turismo RLP/Rendimentos - Setor do Turismo EBITDA: Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization; RLP: Resultado Líquido do Período

25 Margem operacional e margem líquida (2014) 20 % 18 % 15 % 10 % 8 % 11 % 5 % 1 % 4 % 6 % 4 % 0 % -5 % -1 % -1 % -10 % -6 % Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Total das empresas Setor do Turismo Por segmentos de atividade económica EBITDA/Rendimentos RLP/Rendimentos A rendibilidade líquida do setor apresentou-se negativa, influenciada pelo comportamento do alojamento e restauração, mas também das atividades recreativas e culturais 25 Maio de 2016 EBITDA: Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization; RLP: Resultado Líquido do Período

26 Autonomia financeira 70 % 60 % 50 % 59,9 % 40 % 30 % 20 % 10 % 0 % -10 % 30,5 % 29,7 % 28,7 % 24,2 % 25,0 % 22,0 % 25,5 % 8,1 % 6,6 % 3,6 % 35,3 % 24,5 % 25,0 % 27,9 % 30,1 % Micro PME Grandes Transp. e Log. 22,1 % -7,1 % Aloj. e Rest. 26,1 % 17,9 % Rec. e Cult. Total das empresas Setor do Turismo Por classes de dim. (2014) Por seg. de ativ. econ. (2014) Mediana Média ponderada Apesar da variação marginal da autonomia financeira, a generalidade das empresas aumentou a dependência de capitais alheios entre 2010 e Maio de 2016

27 Empresas com capitais próprios negativos 60 % 50 % 45 % 46 % 46 % 48 % 52 % 53 % 40 % 38 % 38 % 30 % 20 % 29 % 29 % 26 % 26 % 21 % 21 % 10 % 8 % 9 % 0 % Micro PME Grandes Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Total das emp. Setor do Turismo Por classes de dimensão Por segmentos de atividade económica Maior proporção de empresas com capitais próprios negativos, em virtude dos contributos do alojamento e restauração e atividades recreativas e culturais 27 Maio de 2016

28 Estrutura do passivo (2014) 100 % 80 % 60 % 40 % 20 % 0 % 27 % 30 % 16 % 7 % 6 % 21 % 18 % 26 % 34 % 7 % 5 % 29 % 24 % 25 % 36 % 32 % 36 % 7 % 7 % 8 % 6 % 7 % 6 % 21 % 22 % 10 % 14 % 12 % 11 % 17 % 12 % 25 % 33 % 34 % 46 % 34 % 36 % 20 % 15 % 12 % Micro PME Grandes Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Total das empresas Setor do Turismo Por classes de dimensão Por segmentos de atividade económica Títulos de dívida Financiamentos de empresas do grupo Créditos comerciais Empréstimos bancários Outros financiamentos obtidos Outros passivos A dívida financeira representava 63 % do total do capital alheio do setor (57 % no total das empresas) 28 Maio de 2016

29 Financiamento líquido por dívida comercial em % do volume de negócios 10 % 8 % 6 % 4 % 2 % 0 % -2 % -4 % -6 % 7,2 % 2,3 % -0,2 % -3,4 % -3,8 % Total das empresas Setor do Turismo Transportes e Logística Alojamento e Restauração Atividades Recreativas e Culturais O setor conseguiu obter financiamento líquido por dívida comercial, devido ao posicionamento do alojamento e restauração 29 Maio de 2016

30 Micro PME Grandes Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Caraterização das empresas do setor do turismo em Portugal Pressão financeira e juros suportados Taxa de variação dos juros suportados Pressão financeira 20 % 180 % 10 % 150 % 0 % -10 % -20 % 120 % 90 % -30 % 60 % -40 % 30 % 0 % Micro PME Grandes Transp. e Log. Aloj. e Rest. Rec. e Cult. Total das empresas Setor do Turismo Mediana Por classes de dim. (2014) Média ponderada Por seg. de ativ. econ. (2014) Total das emp. Setor do Turismo Por classes de dim Por seg. de ativ. econ. O valor médio da taxa de variação dos juros nas grandes empresas e nos transportes e logística foi negativamente influenciado por um reduzido número de empresas A pressão financeira do setor verificou uma redução de 7 p.p. face a 2013, destacando-se os elevados valores observados para o alojamento e restauração 30 Maio de 2016 * Indicador não calculado dado que o EBITDA é negativo

31 Crédito obtido junto de instituições de crédito residentes Stock de crédito obtido junto de instituições de crédito residentes (Milhões de euros) Total das empresas Setor do Turismo (escala da direita) Diminuição menos acentuada do stock de crédito concedido ao Setor do Turismo, face ao registado para o total das empresas 31 Maio de 2016

32 Crédito obtido junto de instituições de crédito residentes Rácio de crédito vencido Empresas com crédito vencido 35 % 30 % 25 % 20 % 35 % 30 % 25 % 20 % 29,4 % 29,2 % 15 % 16,2 % 15 % 10 % 9,6 % 10 % 5 % 5 % 0 % % Total das empresas Setor do Turismo Total das empresas Setor do Turismo Transportes e Logística Alojamento e Restauração Transportes e Logística Alojamento e Restauração Atividades Recreativas e Culturais Atividades Recreativas e Culturais Menores rácios de crédito vencido no setor mas com similar dispersão das situações de crédito vencido (29 % das empresas com pelo menos uma situação de crédito vencido no final de 2015, com destaque para o alojamento e restauração) 32 Maio de 2016

33 Conclusões Setor com maior peso no Funchal, Faro, Horta, Ponta Delgada e Lisboa Aumento do número de empresas em atividade Variação positiva do volume de negócios Evolução favorável do mercado interno e do mercado externo Crescimento do EBITDA, com a evolução conjugada dos rendimentos e dos gastos operacionais Aumento da autonomia financeira, apesar da situação mais negativa para a generalidade das empresas Elevada dependência de empréstimos bancários em contrapartida de créditos comerciais Pressão financeira elevada, apesar da tendência de redução Rácio de crédito vencido compara positivamente com o total das empresas Elevado peso das empresas com crédito vencido 33 Maio de 2016

34 1 O valor da informação 2 Caraterização das empresas dosetor do turismo em Portugal 3 A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa 34 Maio de 2016

35 Em % do PIB A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa Principais rubricas da Balança Corrente e de Capital (em % do PIB) 15% 10% Excedente Turismo cobre 23% défice Bens Excedente Turismo cobre 85% défice Bens 5% 0% -5% -10% -15% -20% -2,5% 1,7% Bens - saldo Transportes - saldo Rendimento Primário - saldo Balança de Capital - saldo Turismo - saldo Restantes serviços- saldo Rendimento Secundário - saldo Balança corrente e de capital - saldo 35 Maio de 2016 e INE

36 Milhões de euros A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa Turismo Exportações e importações Exportações de serviços = 3 X importações de serviços Receitas de Turismo Exportações de Turismo Despesas Importações em de Turismo 36 Maio de 2016

37 A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa Exportações de Turismo ,3% 7,0% ,0% ,9% Tvh + 6.7% 5,0% 4,0% 3,0% 2,0% 1,0% 0 0,0% Milhões de euros Em % do PIB 37 Maio de 2016

38 A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa Peso das exportações de turismo na exportação de serviços e na exportação de bens 70% 60% 55% 50% 45% 40% 30% 20% 20% 23% 10% 0% % Receitas Exportação de de Serviços % Exportação de Bens 38 Maio de 2016 e INE

39 A rubrica de Viagens e Turismo na Balança de Pagamentos Portuguesa Exportações de turismo por País e Restantes países 31% Alemanha 17% Restantes países 36% Reino Unido 18% Reino Unido 17% França 17% Bélgica e Luxemburgo 6% Espanha 13% França 16% Angola 5% Alemanha 11% Espanha 13% 39 Maio de 2016

40 Obrigado pela vossa atenção João Cadete de Matos 40 Maio de 2016

Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal

Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor Departamento de Estatística junho de 2016 I. Estrutura e dinâmica II.

Leia mais

Caraterização da indústria das bebidas em Portugal. Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 27 janeiro 2017 Vila Real

Caraterização da indústria das bebidas em Portugal. Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 27 janeiro 2017 Vila Real Caraterização da indústria bebi em Portugal Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 27 janeiro 2017 Vila Real I. Estrutura e dinâmica II. Indicadores económico-financeiros III. O caso do Vinho do Porto

Leia mais

Caraterização do setor do vinho em Portugal. Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 29 março 2017 Évora

Caraterização do setor do vinho em Portugal. Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 29 março 2017 Évora Caraterização do setor do vinho em Portugal Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 29 março 2017 Évora I. Estrutura e dinâmica II. Indicadores económico-financeiros III. O caso do enoturismo 2 29 março

Leia mais

Análise das empresas da indústria das bebidas. Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 24 de fevereiro de 2017

Análise das empresas da indústria das bebidas. Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 24 de fevereiro de 2017 Análise da indústria bebi Mário Lourenço Núcleo de Análise Setorial 24 de fevereiro de 2017 I. Estrutura e dinâmica II. Atividade e rendibilidade III. Situação financeira 2 24 fevereiro 2017 Estrutura

Leia mais

Caraterização das empresas portuguesas do setor exportador

Caraterização das empresas portuguesas do setor exportador Caraterização das empresas portuguesas do setor exportador Departamento de Estatística Área da Central de Balanços Paula Menezes 24 novembro 2015 Lisboa I. Estrutura e dinâmica do setor II. Indicadores

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO SETOR - Restauração e Hotelaria -

CARACTERIZAÇÃO DO SETOR - Restauração e Hotelaria - CARACTERIZAÇÃO DO SETOR - Restauração e Hotelaria - julho.2015 DESTAQUES 1. Desde o 3º trimestre de 2014 até ao 1º trimestre de 2015, a Restauração e a Hotelaria perderam 52.900 postos de trabalho (Fonte:

Leia mais

Análise das empresas da indústria das bebidas. Estudos da Central de Balanços Janeiro l 2017

Análise das empresas da indústria das bebidas. Estudos da Central de Balanços Janeiro l 2017 Análise das empresas da indústria das bebidas Estudos da Central de Balanços Janeiro l 2017 27 Análise das empresas da indústria das bebidas Estudos da Central de Balanços Janeiro 2017 Lisboa, 2017 www.bportugal.pt

Leia mais

Análise das empresas do setor dos transportes

Análise das empresas do setor dos transportes 28 Análise das do setor dos transportes Estudos da Central de Balanços Julho 2017 Lisboa, 2017 www.bportugal.pt Análise das do setor dos transportes Estudos da Central de Balanços 28 2017 Banco de Portugal

Leia mais

A atividade económica da Madeira nas estatísticas do Banco de Portugal

A atividade económica da Madeira nas estatísticas do Banco de Portugal Ana Margarida de Almeida Diretora-Adjunta Departamento de Estatística 22 outubro 2014 Funchal Agenda 1. Introdução 2. Estatísticas Monetárias e Financeiras 3. Estatísticas da Balança de Pagamentos e da

Leia mais

Análise das empresas dos setores da madeira, da cortiça e do papel

Análise das empresas dos setores da madeira, da cortiça e do papel 24 Análise das empresas dos setores da madeira, da cortiça e do papel Estudos da Central de Balanços Janeiro 2016 Lisboa, 2016 www.bportugal.pt ANÁLISE DAS EMPRESAS DOS SETORES DA MADEIRA, DA CORTIÇA E

Leia mais

Caracterização das empresas do setor do turismo em Portugal. Paula Menezes Coordenadora da área da Central de Balanços 22 outubro 2014 Funchal

Caracterização das empresas do setor do turismo em Portugal. Paula Menezes Coordenadora da área da Central de Balanços 22 outubro 2014 Funchal Caracterização das empresas do setor do turismo em Portugal Paula Menezes Coordenadora da área da Central de Balanços 22 outubro 2014 Funchal Setor do Turismo I. Estrutura e dinâmica do setor II. III.

Leia mais

O contexto macroeconómico e a economia do mar

O contexto macroeconómico e a economia do mar O contexto macroeconómico e a economia do mar João Cadete de Matos Diretor Departamento de Estatística 3 abril 2014 MAREECOFIN PwC Economia e Finanças do Mar Reunião de Primavera Iniciativas de difusão

Leia mais

A Central de Balanços em Portugal. Paula Casimiro Coordenadora de Área 27 janeiro 2017 Vila Real

A Central de Balanços em Portugal. Paula Casimiro Coordenadora de Área 27 janeiro 2017 Vila Real A Central de Balanços em Portugal Paula Casimiro Coordenadora de Área 27 janeiro 2017 Vila Real A Central de Balanços do Banco de Portugal Produtos e serviços Quadros do Setor e Quadros da Empresa e do

Leia mais

APARTAMENTOS TURISTICOS DE AMORIM & SANTOS LDA

APARTAMENTOS TURISTICOS DE AMORIM & SANTOS LDA CARATERIZAÇÃO DA EMPRESA Nome: Setor de Atividade Económica (CAE Rev.3): Classe de Dimensão: Localização da Sede (Distrito): Natureza Jurídica: Maturidade: 55118 - Apartamentos turísticos com restaurante

Leia mais

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014

VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em 2014 Empresas em Portugal 2010-28 de setembro de 2015 VAB das empresas não financeiras aumenta 3,7%, em termos nominais, em Os dados preliminares de das estatísticas das empresas reforçam os sinais positivos

Leia mais

Estatísticas do Banco de Portugal. João Cadete de Matos Diretor 28 novembro 2016

Estatísticas do Banco de Portugal. João Cadete de Matos Diretor 28 novembro 2016 Estatísticas do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor 28 novembro 2016 Conferência na Universidade da Madeira Missão do Banco de Portugal Política monetária Gestão de ativos e reservas Supervisão

Leia mais

Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em 2016

Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em 2016 Empresas em Portugal 28-28 de setembro de 217 Melhoria nos principais indicadores das empresas não financeiras em Em, assistiu-se à melhoria generalizada dos principais indicadores das empresas não financeiras.

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de fevereiro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de fevereiro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, de fevereiro de 3 Banco de Portugal divulga estatísticas da balança de pagamentos e da posição de investimento internacional referentes a O Banco de Portugal publica

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de Fevereiro de 2011

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de Fevereiro de 2011 Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de Fevereiro de 2011 Banco de Portugal divulga as Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento Internacional referentes a 2010 O Banco de

Leia mais

Análise setorial das sociedades não financeiras em Portugal

Análise setorial das sociedades não financeiras em Portugal 26 Análise setorial das sociedades não financeiras em Portugal 2011-2016 Estudos da Central de Balanços Novembro 2016 Lisboa, 2016 www.bportugal.pt Análise setorial das sociedades não financeiras em Portugal

Leia mais

3 a sessão NORTE & ECONOMIA. 30 novembro Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões Matosinhos.

3 a sessão NORTE & ECONOMIA. 30 novembro Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões Matosinhos. 3 a sessão NORTE & ECONOMIA 30 novembro Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões Matosinhos www.ccdr-n.pt/norte-economia 1. A resiliência das empresas da Região do Norte no contexto nacional NUTS II 2.

Leia mais

Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6%

Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6% 08 de Agosto de 2008 Estatísticas do Comércio Extracomunitário Junho de 2008 Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6% No segundo trimestre de 2008, as exportações registaram

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, 1 de outubro de 13 Novas estatísticas das não financeiras da Central de Balanços O Banco de Portugal passa a divulgar no Boletim Estatístico (secção A.19 e Capítulo

Leia mais

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011 Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 3 março 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

O potencial analítico da balança de pagamentos para a compreensão da economia portuguesa

O potencial analítico da balança de pagamentos para a compreensão da economia portuguesa O potencial analítico da balança de pagamentos para a compreensão da economia portuguesa ISEG - LISBON SCHOOL OF ECONOMICS & MANAGEMENT 16 maio 2017 1 Enquadramento metodológico 2 Indicadores de vulnerabilidades

Leia mais

Estatísticas sobre o endividamento das famílias

Estatísticas sobre o endividamento das famílias Estatísticas sobre o endividamento das famílias Filipa Lima 26 de março de 2015 Conselho Superior de Estatística Reunião Conjunta SPES e SPEE Estatísticas sobre o endividamento das famílias ESQUEMA DA

Leia mais

Estatísticas do Banco de Portugal

Estatísticas do Banco de Portugal abril 2017 ISEG - LISBON SCHOOL OF ECONOMICS & MANAGEMENT Seminário da Licenciatura em Economia Missão do Banco de Portugal Política monetária Gestão de ativos e reservas Supervisão prudencial Resolução

Leia mais

Estatísticas das empresas Resultados finais para 2013: Mais empresas, menos negócios e menos emprego

Estatísticas das empresas Resultados finais para 2013: Mais empresas, menos negócios e menos emprego Empresas em Portugal 2013 28 de maio de 2015 Estatísticas das empresas Resultados finais para 2013: Mais empresas, menos negócios e menos emprego Existiam, em 2013, 1 119 447 empresas em Portugal, mais

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução Actualizado em Dezembro de Unid. Fonte Notas 2010 Evolução 2004-2010 Actualizado em Dezembro de 2010 Unid. Fonte 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Notas 2010 População a Milhares Hab. INE 10.509 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.638 3º Trimestre

Leia mais

Poupança e Investimento

Poupança e Investimento Poupança e Investimento Fernando Alexandre Ordem dos Economistas, Lisboa 19 de abril 2017 Poupança e Financiamento da Economia Portuguesa 1. A importância da poupança 2. Desequilíbrios e estagnação: uma

Leia mais

ANIMAÇÃO TURÍSTICA. Desafios num mercado competitivo

ANIMAÇÃO TURÍSTICA. Desafios num mercado competitivo ANIMAÇÃO TURÍSTICA Desafios num mercado competitivo João Cotrim de Figueiredo 29 janeiro 2016 Mais um ano de resultados históricos Resultados de novembro 2015 superam ano de 2014 CAGR 6,9% CAGR 4,7% Receitas

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens - eiro a embro (resultados preliminares) Informação Portugal, 7 de eiro de 2011 Comércio Internacional Português em 2010 (eiro a embro)

Leia mais

Poupança e financiamento da economia portuguesa

Poupança e financiamento da economia portuguesa Poupança e financiamento da economia portuguesa Fernando Alexandre (U Minho), Luís Aguiar-Conraria (U Minho), Miguel Portela (U Minho) e Pedro Bação (U Coimbra) Associação Portuguesa de Seguradores 21

Leia mais

Sistema Bancário Português Desenvolvimentos Recentes 3.º trimestre de 2016

Sistema Bancário Português Desenvolvimentos Recentes 3.º trimestre de 2016 Sistema Bancário Português Desenvolvimentos Recentes 3.º trimestre de 16 Redigido com informação disponível até 3 de dezembro de 16 Índice Sistema bancário português Avaliação global Indicadores macroeconómicos

Leia mais

Crescimento Económico e Financiamento da Economia Portuguesa

Crescimento Económico e Financiamento da Economia Portuguesa Crescimento Económico e Financiamento da Economia Portuguesa João Leão 1, Ana Martins 2 e João Gonçalves 3 1 ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa. 2 Gabinete de Estratégia e Estudos (GEE), Ministério

Leia mais

BANCO DE PORTUGAL Eurosistema CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA

BANCO DE PORTUGAL Eurosistema CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA BANCO DE PORTUGAL Eurosistema ESTATÍSTICAS STICAS DA CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA, TÓPICOS 1. A do 2. Resultados da intervenção do sobre os dados individuais das empresas 3. Principais

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Evolução das Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens eiro a o de 2012 Informação Portugal, 10 de ho de 2012 Evolução das Exportações

Leia mais

Sistema de Contas Integradas das Empresas Aspetos da estrutura empresarial

Sistema de Contas Integradas das Empresas Aspetos da estrutura empresarial «Sistema de Contas Integradas das Empresas Instituto Nacional de Estatística Lisboa, 11 de Dezembro de 2014 «sofia.rodrigues@ine.pt As estatísticas oficiais sobre as empresas: 1. O Sistema de Contas Integradas

Leia mais

As Estatísticas da Central de Responsabilidades de Crédito. Homero Gonçalves Departamento de Estatística 24 junho 2016

As Estatísticas da Central de Responsabilidades de Crédito. Homero Gonçalves Departamento de Estatística 24 junho 2016 As Estatísticas da Central de Responsabilidades de Crédito Homero Gonçalves Departamento de Estatística 24 junho 2016 Fonte de informação: CRC do Banco de Portugal O principal objetivo da CRC é apoiar

Leia mais

Estatísticas da Central de Balanços. Margarida Brites

Estatísticas da Central de Balanços. Margarida Brites Estatísticas da Central de Balanços Margarida Brites Estatísticas da Central de Balanços Índice - Central de Balanços do Banco de Portugal - Fontes de informação - Produtos da Central de Balanços Novas

Leia mais

Produto Interno Bruto diminuiu 3,5% em volume

Produto Interno Bruto diminuiu 3,5% em volume 1ºT 2001 3ºT 2001 1ºT 2002 3ºT 2002 1ºT 2003 3ºT 2003 1ºT 2004 3ºT 2004 1ºT 2005 3ºT 2005 1ºT 2006 3ºT 2006 1ºT 2007 3ºT 2007 1ºT 2008 3ºT 2008 1ºT 2009 3ºT 2009 1ºT 2010 3ºT 2010 1ºT 2011 3ºT 2011 1ºT

Leia mais

Sistema Bancário Português Desenvolvimentos Recentes 2.º trimestre de 2016

Sistema Bancário Português Desenvolvimentos Recentes 2.º trimestre de 2016 Sistema Bancário Português Desenvolvimentos Recentes.º trimestre de 1 Redigido com informação disponível até 3 de setembro de 1 Índice Sistema bancário português Avaliação global Indicadores macroeconómicos

Leia mais

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07 Dez-03 Dez-04 Dez-05 Dez-06 Dez-07 Dez-08 Dez-09 Dez-10 Análise de Conjuntura Janeiro 2014 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico manteve em Dezembro, a tendência de melhoria

Leia mais

A resiliência das empresas em contexto de crise Vasco Leite

A resiliência das empresas em contexto de crise Vasco Leite A resiliência das empresas em contexto de crise Vasco Leite 3 a sessão NORTE & ECONOMIA 30 novembro Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões Matosinhos www.ccdr-n.pt/norte-economia Sumário 1. A resiliência

Leia mais

Indicadores Económicos & Financeiros

Indicadores Económicos & Financeiros Indicadores Económicos & Financeiros Banco de Cabo Verde BANCO DE CABO VERDE Indicadores Económicos & Financeiros Maio 2001 INDICADORES ECONÓMICOS E FINANCEIROS ÍNDICE Indicadores Internacionais Área do

Leia mais

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016

OBSERVATÓRIO. Exportações e Investimento Externo. Novembro 2016 OBSERVATÓRIO Exportações e Investimento Externo Novembro O presente documento constitui uma análise do desempenho recente das relações económicas de Portugal com o estrangeiro, ao nível das exportações

Leia mais

INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO

INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO INDÚSTRIA DO MOBILIÁRIO AEP / GABINETE DE ESTUDOS JANEIRO DE 2005 Indústria do Mobiliário A indústria do mobiliário (CAE 361 fabricação de mobiliário e de colchões) reunia, em 2002, 6933 empresas, responsáveis

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global.......2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas. 20 de Junho de 2016

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas. 20 de Junho de 2016 O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 20 de Junho de 2016 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora Enquadramento Evolução Recente Peso

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal outubro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Em 2015, o Algarve foi a região com maior crescimento, impulsionado pelo setor do turismo

Em 2015, o Algarve foi a região com maior crescimento, impulsionado pelo setor do turismo Contas Regionais 2014 e 2015Pe 16 de dezembro de 2016 Em 2015, o Algarve foi a região com maior crescimento, impulsionado pelo setor do turismo De acordo com os resultados preliminares de 2015, no Algarve

Leia mais

Índice de Preços Turístico

Índice de Preços Turístico Índice de Preços Turístico 2º Trimestre 2016 Próxima edição: 19 de Outubro 2016 O IPT é um índice que vem sendo implementado pelo INE de forma faseada. No primeiro trimestre de 2016 alargou-se a sua cobertura

Leia mais

Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública. Vítor Gaspar

Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública. Vítor Gaspar Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública Vítor Gaspar Lisboa, 24 de outubro 2012 Figura 1. Progressos significativos nos mercados de financiamento Taxas de juro das Obrigações do Tesouro

Leia mais

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro.

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro. Mar-04 Mar-05 Mar-06 Mar-07 Mar-08 Mar-09 Mar-10 Mar-11 Mar-12 Análise de Conjuntura Abril 2014 Indicador de Sentimento Económico Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos

Leia mais

A NÁLISE DE SETOR ADVANCED

A NÁLISE DE SETOR ADVANCED A NÁLISE DE SETOR ADVANCED R ESTAURAÇÃO E CAFETARIA ENTIDADES EMPRESAS DE MAIOR DIMENSÃO SETOR SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS FILEIRAS ALIMENTAR, TURÍSTICA (LAZER, CULTURA, NEGÓCIOS) PERÍODO 2014-2015/06

Leia mais

CONTA SATÉLITE DE TURISMO DE CABO VERDE (CSTCV), 2011 a Desenvolvido no quadro da Cooperação Espanhola, com apoio técnico:

CONTA SATÉLITE DE TURISMO DE CABO VERDE (CSTCV), 2011 a Desenvolvido no quadro da Cooperação Espanhola, com apoio técnico: CONTA SATÉLITE DE TURISMO DE CABO VERDE (CSTCV), 2011 a 2014. Desenvolvido no quadro da Cooperação Espanhola, com apoio técnico: Índice Principais Conceitos Objectivos Aspectos metodológicos Principais

Leia mais

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS

A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas DADOS ESTATÍSTICOS DADOS ESTATÍSTICOS A Economia Portuguesa Dados Estatísticos Páginas I. DADOS NACIONAIS 1. POPULAÇÃO 1.1 População Residente por Sexo e Grupo Etário: Censos 1 1.2 População Residente - Estimativas 1 2.

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Intervenção de abertura do Diretor do Departamento de Estatística João Cadete de Matos na 2ª Sessão da 6ª Conferência da Central de Balanços

Intervenção de abertura do Diretor do Departamento de Estatística João Cadete de Matos na 2ª Sessão da 6ª Conferência da Central de Balanços Intervenção de abertura do Diretor do Departamento de Estatística João Cadete de Matos na 2ª Sessão da 6ª Conferência da Central de Balanços Évora, Auditório da Fundação Eugénio de Almeida, 29 de março

Leia mais

Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015

Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015 Estatísticas do Turismo 2015 28 de julho de 2016 Atividade Turística manteve resultados positivos em 2015 Segundo os dados mais recentes publicados pela Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais 30 de Dezembro de 206 3º Trimestre 206 Contacto (s): Próxima edição: 3 Março de 207 José Fernandes Joses.Fernandes@ine.gov.cv Produto Interno Bruto aumentou 4,0% em volume

Leia mais

Balança de Pagamentos 1

Balança de Pagamentos 1 NOTA INFORMATIVA SECTOR EXTERNO Balança de Pagamentos 1 As contas externas apresentam uma evolução desfavorável no 1º trimestre 217. As reservas internacionais líquidas do país registaram uma redução de

Leia mais

Necessidade de financiamento da economia diminui. Poupança das famílias aumenta.

Necessidade de financiamento da economia diminui. Poupança das famílias aumenta. 29 de junho de 2012 Contas Nacionais Trimestrais Por Sector Institucional (Base 2006) 1º Trimestre de 2012 Necessidade de financiamento da economia diminui. Poupança das famílias aumenta. No ano terminado

Leia mais

Portugal - Balança de Bens e Serviços

Portugal - Balança de Bens e Serviços Portugal - Balança de Bens e Serviços As trocas comerciais no semestre terminado em Fevereiro Neste tema analisamos a evolução da balança de bens e serviços tendo por base o acumulado das trocas comerciais

Leia mais

Turismo ANÁLISE SETORIAL

Turismo ANÁLISE SETORIAL Turismo ANÁLISE SETORIAL Novembro 2016 TURISMO O presente documento constitui um resumo analítico do desempenho recente dos setores: Alojamento; Agências de viagem, operadores turísticos, outros serviços

Leia mais

Portugal. Turismo Interno. Mercados em Números. Rodapé

Portugal. Turismo Interno. Mercados em Números. Rodapé Turismo Interno Mercados em Números 1 Rodapé Designação oficial: República Portuguesa Capital: Lisboa Localização: Sudoeste da Europa Fronteiras terrestres: Espanha (1.241 km) Fronteiras marítimas: Madeira(1076,6

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Alemanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Alemanha Janeiro de 2016 Índice 1. Evolução das trocas comerciais de bens de Portugal

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Resumo do Relatório de Política Monetária

Resumo do Relatório de Política Monetária Resumo do Relatório de Política Monetária Produto Interno Bruto real cresceu 3,9% em 2016. Previsão para 2017 aponta para o intervalo entre 3% e 4%, de acordo com o Relatório de Política Monetária do Banco

Leia mais

RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DO INVESTIMETO INTERNATIONAL DE 2012

RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DO INVESTIMETO INTERNATIONAL DE 2012 Em Percentagem (%) RELATÓRIO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS E DA POSIÇÃO DO INVESTIMETO INTERNATIONAL DE 212 I. Balança de Pagamentos 1. A Balança de Pagamentos regista as transacções económicas ocorridas, durante

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Novembro 217 ISEG Síntese de Conjuntura, novembro 217 1 SUMÁRIO Segundo a estimativa rápida do INE, o PIB português cresceu no 3º trimestre, em volume, 2,% em termos homólogos e,%

Leia mais

Observatório Negócios, Insolvências, Créditos Vencidos, Constituições maio 2016

Observatório Negócios, Insolvências, Créditos Vencidos, Constituições maio 2016 Observatório Negócios, Insolvências, Créditos Vencidos, Constituições maio 216 I. Volume de Negócios PORTUGAL Volume de Negócios variação homóloga 215/214 acumulado março (ac3)-abril (ac4) de 216 (fonte:

Leia mais

Portugal. Turismo Interno. Mercado em Números. Rodapé

Portugal. Turismo Interno. Mercado em Números. Rodapé Turismo Interno Mercado em Números 1 Rodapé Designação oficial: República Portuguesa Capital: Lisboa Localização: Sudoeste da Europa Fronteiras terrestres: Espanha (1.241 km) Fronteiras marítimas: Madeira(1076,6

Leia mais

Mercados. informação estatística. Mercado Espanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos

Mercados. informação estatística. Mercado Espanha. Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercados informação estatística Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens Análise de Exposição a Mercados Externos Mercado Espanha Dezembro de 2015 Índice 1. Evolução das trocas comerciais de bens de Portugal

Leia mais

Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil

Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil Investimento e Comércio Entre Portugal e Brasil Realizado para: Última Atualização 18/4/217 Próxima Atualização 15/5/217 1. Principais indicadores macroeconómicos entre Portugal-Brasil 216 População, Produto

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa.

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 5 Maio 2009 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor do Departamento de Estatística 24 novembro 2015 Lisboa BPstat mobile Evolução da difusão estatística

Leia mais

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS

FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS FIMAP AEP / GABINETE DE ESTUDOS MARÇO DE 2010 1. Variáveis das empresas A fabricação de máquinas para trabalhar madeira insere-se na CAE 294 Fabricação de máquinas ferramentas, que, por sua vez, está contemplada

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

TURISMO EM FOCO 2005 A 28 de Junho de 2010 perdeu 1,8 milhões de dormidas entre 2007 e Depois de, entre 2005 e 2007, ter apresentado uma tendência de crescimento nos números de dormidas e de hóspedes,

Leia mais

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2008 foi de 7,7%

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2008 foi de 7,7% Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2008 18 de Novembro de 2008 A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2008 foi de 7,7 A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2008 foi de 7,7. Este valor

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011 Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 03 março 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO

ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO Estudos da Central de Balanços Outubro 2014 17 17 ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO Estudos da Central de Balanços Outubro 2014 Lisboa, 2014 www.bportugal.pt ANÁLISE DO SETOR DO

Leia mais

Portugal : Retrato Económico e Social em gráficos

Portugal : Retrato Económico e Social em gráficos Portugal 198-1: Retrato Económico e Social em gráficos E.E.F. Mercados Financeiros Setembro 15 Perante o processo de ajustamento efectuado nos últimos quatro anos, é nosso propósito mostrar e realçar que

Leia mais

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística

movimentos aéreos movimentos marítimos dormidas hóspedes estada média taxas ocupação proveitos médios balança turística Variações entre os valores anuais de 2005 e 2006: +4,2% no movimento de passageiros desembarcados de voos internacionais clássicos; +38,6% movimento de passageiros desembarcados de voos low-cost; -0,8%

Leia mais

Análise do Seto Set r o do Alojamen Alojamen o

Análise do Seto Set r o do Alojamen Alojamen o Análise do Setor do Análise do Setor do Homero Gonçalves Enquadramento Volume de negócios do Setor do por Distrito (TOP 3) 2010 1 Lisboa 37% 2 Algarve 21% 3 Madeira 13% Análise do Setor do 2 Total 79 atividades

Leia mais

Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes

Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes Atividade Turística Fevereiro 2013 16 de Abril de 2013 Hóspedes do estrangeiro compensam redução de dormidas pelos residentes As dormidas na hotelaria atingiram 1,9 milhões, o que correspondeu a uma variação

Leia mais

Capacidade de financiamento da Economia portuguesa manteve-se em crescimento

Capacidade de financiamento da Economia portuguesa manteve-se em crescimento Contas Nacionais Trimestrais por Setor Institucional (Base 2006) 3º Trimestre de 2013 27 de dezembro de 2013 Capacidade de financiamento da Economia portuguesa manteve-se em crescimento No ano acabado

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE SETEMBRO DE 2004

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE SETEMBRO DE 2004 COMUNICADO Página 1 / 6 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE SETEMBRO DE 2004 02 de Novembro de 2004 Volume de Negócios aumentou 5,9% para 4.813 M. Cash-Flow Operacional cresceu 25,8% para 548 M. Resultados

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2017 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

CORTICEIRA AMORIM COM

CORTICEIRA AMORIM COM CORTICEIRA AMORIM COM CRESCIMENTO DE 5,2% NAS VENDAS Valor global das Vendas atinge 123,6 milhões de euros no primeiro trimestre Mozelos, Portugal, 5 de Maio de 2008 [Euronext Lisbon: COR; ISIN: PTCOR0AE0006],

Leia mais

SECTOR AGRO-ALIMENTAR

SECTOR AGRO-ALIMENTAR SECTOR AGRO-ALIMENTAR AEP / Gabinete de Estudos Março de 2007 A indústria alimentar e das bebidas ( 15 1 ) é um sector com forte expressividade na economia nacional, o que não é de estranhar dada a sua

Leia mais

Contas Nacionais Anuais: Resultados Finais Para 2014

Contas Nacionais Anuais: Resultados Finais Para 2014 Contas Nacionais Anuais (Base 2011) 2014 23 de setembro de 2016 Contas Nacionais Anuais: Resultados Finais Para 2014 Em 2014, o Produto Interno Bruto (PIB) ascendeu a cerca de 173,1 mil milhões de euros.

Leia mais

Conta Satélite do Turismo ( ) 2009) 1. em diminui. 16 de Dezembro de 2009

Conta Satélite do Turismo ( ) 2009) 1. em diminui. 16 de Dezembro de 2009 Conta Satélite do Turismo (2007-2009) 2009) 1 16 de Dezembro de 2009 A despesa turística diminui em 2009 Após um ano de crescimento acentuado, em 2007, e um ano de crescimento moderado, em 2008, estima-se

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA 7ª REUNIÃO DA SECÇÃO PERMANENTE DE ESTATÍSTICAS ECONÓMICAS

CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA 7ª REUNIÃO DA SECÇÃO PERMANENTE DE ESTATÍSTICAS ECONÓMICAS 7ª REUNIÃO DA SECÇÃO PERMANENTE DE ESTATÍSTICAS ECONÓMICAS 23 de Novembro 2011 ESTATÍSTICAS DA CENTRAL DE RESPONSABILIDADES DE CRÉDITO Paula Casimiro Coordenadora da Área de Estatísticas Monetárias e Financeiras

Leia mais

VRSA Sociedade de Gestão Urbana E. M. SA Indicadores Temáticos - Turismo

VRSA Sociedade de Gestão Urbana E. M. SA Indicadores Temáticos - Turismo VRSA Sociedade de Gestão Urbana E. M. SA Indicadores Temáticos - Turismo Área temática cod. Indicador Unidade de medida Ano Periodicidade Fonte Informação Entidade a Consultar Estatísticas previsionais

Leia mais