Relação Doença Cárie-Açúcar: Prevalência em Crianças*

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relação Doença Cárie-Açúcar: Prevalência em Crianças*"

Transcrição

1 Artigo Original Relação Doença Cárie-Açúcar: Prevalência em Crianças* THE RELATIONSHIP BETWEEN DENTAL CARIES AND SWEETNESS PREFERENCE: PREVALENCE IN CHILDREN Sônia Maria Alves NOVAIS** Raquel Porto BATALHA*** Sara GRINFELD**** Tânia Maria FORTES***** Maria Auxiliadora Silva PEREIRA****** RESUMO A cárie dentária é uma doença multifatorial, infecciosa, transmissível e sacarose dependente. Necessita da interação entre microorganismos patogênicos e dieta cariogênica, num hospedeiro que ofereça um ambiente adequado, durante certo período de tempo. Está intimamente ligada à introdução dos carboidratos refinados na dieta da população, principalmente a sacarose, que é considerada o dissacarídeo mais cariogênico, sendo este o mais presente na dieta familiar em quase todo o mundo. Esta pesquisa foi realizada com o objetivo de avaliar o consumo de açúcar em crianças na faixa etária de 7 a 10 anos, bem como o índice de cárie e relacioná-los entre si. Para tanto, através de um indicador previamente desenvolvido e testado em populações adultas e infantis, o Sweet Preference Inventory, avaliou-se a preferência por açúcar entre soluções de suco de uva adoçadas com sacarose em cinco concentrações diferentes: 0 M (sem açúcar); 0.15 M; 0.29 M; 0.44 M e 0.59 M. Para a verificação da condição dentária em relação à doença cárie, foram utilizados os índices CPO-D e ceo-d. De uma população de 228 crianças, 51 participaram da amostra, tendo sido encontrado como valor médio do CPO-D 1.94 e do ceo-d A maioria das crianças (45%) teve preferência pelo suco de uva com maior concentração de açúcar, demonstrando seu elevado consumo. A análise estatística dos resultados obtidos confirmou que a preferência por alimentos doces está relacionada ao maior número de lesões cariosas. ABSTRACT Dental caries is a multifactorial, infectious, transmissible and saccharose dependent disease. It's necessary the interaction between pathogenic microorganism and cariogenic diet in a host which present an adequate environment during certain period of time. It is intimately involved with the introduction of refined carbohydrates into the population diet, mainly the saccharose that is considered the most cariogenic disaccharide, being the most common sugar in the familiar diet in almost all the world. This research has been done which the aim of evaluate the sugar consumption in the children that are 7 to 10 years of age as much as evaluate the caries index and connect them. For that, using an indicator previously developed and tested in grown-up and childlike populations, the Sweet Preference Inventory, it was evaluated the preference for sugar among grape juice solutions sweetishes with saccharose in five differents concentrations: 0M (without sugar); 0.15M; 0.29M; 0.44M and 0.59M. In order to verify the dental condition regarding to carie disease it was used the DMFT and dmft index. Inside a group of 228 children, 51 participated of the sample and it had been found as average value of DMFT 1.94 and of dmft The greater number of children (45%) had been preferred the grape juice with the elevated concentration of sugar, proving his high consumption. The statistics analyses of the obtained results confirmed that the preference of sweet food is connected to the major number of carious lesions. DESCRITORES Epidemiologia; Cárie dentária; Criança; Açúcar. DESCRIPTORS Epidemiology; Dental caries; Child; Sugar. * Trabalho desenvolvido no Departamento de Odontologia da Universidade Federal de Sergipe. ** Doutora em Odontopediatria pela Universidade de Pernambuco. Professora Adjunta das Disciplinas Odontopediatria I e II da Universidade Federal de Sergipe. Coordenadora do Curso de Graduação de Odontologia da Universidade Tiradentes *** Acadêmica do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Sergipe. **** Doutora em Odontopediatria pela Universidade Federal de Pernambuco. Coordenadora do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Pernambuco. ***** Mestre em Patologia Oral pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora das Disciplinas Periodontia I e II da Universidade Federal de Sergipe e da Universidade Tiradentes. ****** Especialista em Odontopediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora da Disciplina Clínica Integrada I da Universidade Tiradentes. 199

2 INTRODUÇÃO O aparecimento de lesões de cárie em comunidades de vida considerada primitiva onde a dieta presente é composta de alimentos localmente produzidos e com pouco açúcar, apresenta-se em baixos índices. Porém, com a modernização ocorrente no mundo, ao se elevar o padrão de vida ocorre uma mudança também nos padrões alimentares, sendo evidenciado grande aumento no índice de lesões cariosas ao ser adotada uma dieta com alto consumo de produtos vendidos em lanchonetes e com grande conteúdo de açúcares (THYLSTRUP; FEJERSKOV, 2001). Sabendo-se que os hábitos presentes na dieta infantil constituem um fator importante na etiologia e progressão da doença cárie e, que, a discriminação quanto à preferência por sabores ocorre com o desenvolvimento da criança e é afetada por inúmeros fatores, é fundamental a orientação não só quanto aos hábitos de higiene bucal, como também em relação ao consumo racional de açúcar, visando a promoção de saúde bucal. Assim, em virtude da alta prevalência de cárie dentária e do alto consumo de açúcar no nosso país, e o conceito de que os hábitos alimentares adquiridos na infância formam a base para o futuro padrão alimentar, o presente estudo teve como objetivo avaliar a preferência por açúcar e sua associação com a doença cárie em crianças na faixa etária de 7 a 10 anos. REVISÃO DE LITERATURA De acordo com Bezerra e Toledo (1999), a cárie dentária decorre da dinâmica entre biofilme dental, carboidratos e saliva, determinando o seu conceito como doença infecciosa bacteriana, modificada por uma dieta rica em carboidratos, induzindo a formação de biofilme com microorganismos cariogênicos, como os Streptococcus mutans, com a formação de ácidos orgânicos que reduzem drasticamente o ph do meio bucal, promovendo a subsaturação de cálcio e fósforo e, conseqüentemente, a desmineralização das estruturas dentárias pela perda de íons de hidroxiapatita. Apesar da necessidade da participação de carboidratos fermentáveis para o surgimento de lesões cariosas, o fator dieta deve ser analisado a partir do conceito de multicausalidade das doenças, pois não existe nenhum alimento capaz de causar cárie sem a interação de outras variantes biológicas e não biológicas neste processo (WALTER; FERELLE; ISSAO, 1997). Os alimentos possuem influências nutricionais e dietéticas sobre o organismo humano. Os efeitos nutricionais são mediados sistemicamente e resultam da absorção e circulação dos nutrientes nos tecidos, relacionando-se com o equilíbrio energético do organismo, podendo influenciar os dentes durante o período formativo (odontogênese), bem como a quantidade e qualidade do fluxo salivar, aumentando ou diminuindo a resistência do hospedeiro. É também importante a maneira como os diversos alimentos afetam a percepção dos sabores, as preferências dietéticas e os padrões alimentares. Já os fatores dietéticos exercem influência local ou direta sobre os dentes reagindo com a superfície do esmalte e atuando como substrato para os microorganismos cariogênicos da microbiota oral. Devido a este fato, uma dieta de baixo teor cariogênico deve ser orientada (CAMPOS; ZUANON; CAMPOS, 2003). Para Matson e Belan (2002), a dissolução da estrutura dentária não é garantida pelo consumo de altas quantidades de açúcar, apesar desse fato disponibilizar populações bacterianas mais patogênicas; a maior freqüência de ingestão de sacarose é que promove sucessivos ataques dos ácidos orgânicos provenientes do metabolismo bacteriano à estrutura dentária, não permitindo sua remineralização. Diversos estudos demonstraram a associação direta entre quantidade, freqüência e forma de disponibilização de carboidratos na dieta. Segundo Navarro e Côrtes (1995) e Stelluto Jr. (1995) o papel preventivo da mãe com relação ao aparecimento de lesões cariosas nos seus filhos é de grande importância. O responsável em cuidar da criança de tenra idade deve procurar manter um padrão elevado de saúde bucal, além de evitar a contaminação da criança. O aconselhamento dietético é fundamental para qualquer programa de prevenção e manutenção de saúde bucal, visto que os hábitos dietéticos adquiridos na infância formam a base para o futuro padrão alimentar. Nele deve-se levar em conta, porém, a realidade em que a criança vive, tendo como objetivo central a utilização racional de açúcar (WALTER; FERELLE; ISSAO, 1997; TASHIMA et al., 2000; CAMPOS; ZUANON; CAMPOS, 2003; CHAVES; ROSENBLATT; COLARES, 2003). METODOLOGIA Este estudo foi realizado através de uma pesquisa de campo de caráter transversal e quantitativo, com aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe. De um universo de 228 crianças, na faixa etária de 0 a 12 anos, que 200

3 compareceram ao ambulatório das disciplinas Odontopediatria I e II, no Hospital Universitário do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Sergipe, à procura de atendimento odontológico, no período de fevereiro a março de 2004, foram selecionadas 51 crianças, que aceitaram participar da pesquisa (termo de consentimento livre e esclarecido assinado pelo responsável), que estavam na faixa etária de 7 a 10 anos e não usavam aparelho ortodôntico. Cada criança respondeu a um questionário, juntamente com o responsável, com perguntas abertas e fechadas, contendo informações sobre a saúde bucal, hábitos alimentares, conhecimentos sobre a relação do consumo do açúcar e etiologia da cárie e, ainda, seus aspectos socioeconômicos. Com relação à alimentação, foi questionada a freqüência do uso de refrigerantes, doces e utilização de açúcar em sucos e café, como indicador da quantidade de açúcar na dieta. Em seguida, cada criança foi submetida ao exame odontológico, avaliando-se o índice de higiene bucal e o índice de cárie, sendo a criança submetida a fisioterapia oral supervisionada. Os índices foram avaliados sempre pelo mesmo examinador e todas as normas de biossegurança foram devidamente respeitadas. Esse exame foi realizado antes do teste de preferência por açúcar, para evitar tendenciosidade do examinador. Os dados foram registrados numa ficha odontológica modificada para a pesquisa, onde foi preenchido o CPO-D, ceo-d e IHO-S. A preferência por açúcar foi verificada através de um indicador previamente desenvolvido e testado em populações adultas e infantis por Jamel et al. (1996), Tomita et al. (1999), Tomita et al. (2000) e Maciel et al. (2001), o Sweet Preference Inventory modificado, avaliando a preferência entre soluções de suco de uva adoçadas com sacarose em cinco concentrações diferentes: 0 M (sem açúcar); 0.15 M; 0.29 M; 0.44 M e 0.59 M (Tabela 1). Os sucos foram preparados e adoçados sempre com produtos da mesma marca comercial, respeitando a proporção determinada pelo fabricante (1 porção do suco concentrado para 2 porções de água). Tabela 1 - Distribuição das Soluções de Suco de Uva e Respectivas Concentrações de Açúcar Tipo Cristal. Solução Concentração de açúcar (Molar = g/litro) A 0M B 0.15M = 10g/litro C 0.29M = 20g/litro D 0.44M = 30g/litro E 0.59M = 40g/litro FONTE: Pesquisa de campo realizada no ambulatório das disciplinas Odontopediatria I e II do Curso de Odontologia da UFS, Aracaju - SE, no período de 02 a 04/2004. As diferentes concentrações de suco, à temperatura ambiente, foram colocados em cinco jarras identificadas por letras. Durante a realização do teste, cada criança experimentava o conteúdo de 10 ml de suco em copos plásticos descartáveis de 50 ml, codificados por uma letra em sua parte inferior, em seqüência crescente de concentração de açúcar (A, B, C, D e E). Entre cada degustação foi realizado um bochecho com água e um intervalo de cinco minutos para que não houvesse interferência no paladar. Nesses intervalos era questionada a solução de preferência pela criança e ao final do teste ela indicava a mais saborosa de acordo com a sua escolha. Finalizados os testes, a criança era então encaminhada para as disciplinas segundo sua necessidade de tratamento, para que fosse realizado o atendimento odontológico propriamente dito. Os resultados foram avaliados por testes bivariados de associação (teste do Qui-quadrado), sendo o nível de significância estatística de 5% (p< 0,05). RESULTADOS A amostra foi constituída de 21 crianças do gênero masculino (41,2%) e 30 do gênero feminino (58,8%). Observou-se uma boa orientação quanto à higiene oral ao analisar os dados obtidos pela aplicação do questionário, sendo constatado que 24 crianças (47,1%) realizavam fisioterapia bucal três vezes ao dia e 18 crianças (35,3%), duas vezes ao dia. A análise dos valores do Índice de Higiene Oral Simplificado (IHO-S) confirmou esse dado, verificando-se que a maioria das crianças (58,8%) apresentou higiene bucal regular. O valor médio encontrado para o índice ceo-d foi 3.02, e para o índice CPO-D foi Foi verificada através do questionário, a freqüência do consumo de alimentos que contivessem açúcar, tanto em sua composição, como por adição. Ao analisar a amostra separadamente por gênero observou-se a elevada freqüência de uso de açúcar, com 42,9% do total de meninos consumindo quatro ou mais vezes por dia. Quanto ao gênero feminino, houve uma distribuição mais equilibrada entre as crianças, com predominância também no consumo de açúcar quatro ou mais vezes ao dia, totalizando 33,3%. Considerandose os gêneros masculino e feminino, nenhuma das crianças consumia açúcar apenas semanalmente e somente 4 ingeriam açúcar apenas uma vez ao dia, sendo um menino e três meninas. Em seguida, foi avaliada a escolha das crianças com relação aos sucos de uva, de acordo com cada 201

4 concentração, observando-se que a maioria (45%) preferiu o suco E, o qual continha maior adição de açúcar que os demais sucos. O suco D também foi bastante escolhido, sendo que o somatório dos sucos D e E, representando os mais açucarados, eqüivale a 69%, demonstrando uma preferência muito alta por alimentos doces, sendo predominante em relação aos demais sucos. Quanto ao gênero, apesar da menor proporção de meninos, houve maior escolha pelo suco mais doce (52%), em comparação com a mesma escolha das meninas (40%). Nenhum dos meninos preferiu o suco A, enquanto duas meninas (7%), fizeram esta escolha (Tabela 2). Tabela 2 - Distribuição dos sucos escolhidos pelas crianças segundo o gênero. Sucos Gênero Total Masc. % Fem. % N % A B C D E Total FONTE: Pesquisa de campo realizada no ambulatório das disciplinas Odontopediatria I e II do Curso de Odontologia da UFS, Aracaju - SE, no período de 02 a 04/2004. Analisando-se a amostra, constatou-se que apenas 8 crianças (16%) não apresentavam lesões de cárie, sendo 3 meninos e 5 meninas. Ao relacionar a doença cárie e a preferência por açúcar, verificou-se que 50% destas crianças escolheram o suco E, seguido dos 25% do suco B e 12,5% dos sucos A e C. Foi encontrada uma correlação positiva entre a escolha do suco mais doce (suco E) e os maiores valores encontrados do CPO-D e ceo-d, ou seja, com o maior número de dentes cariados, sendo estatisticamente comprovado pelo teste do Qui-quadrado. DISCUSSÃO A maneira como os alimentos afetam a percepção dos sabores, as preferências dietéticas e os padrões alimentares já foram descritas anteriormente por diversos autores, exercendo influências gerais e locais sobre os tecidos dentários (BEZERRA; TOLEDO, 1999; TOMITA et al., 1999; CAMPOS; ZUANON; CAMPOS, 2003). Estudos têm demonstrado um elevado consumo de açúcar (NACAO; CHUAN; RODRIGUES, 1996; ROCHA et al., 1998; ROSENBLATT, 1994) que aumenta com o decorrer da idade, de acordo com Jamel et al. (1996) e Mazengo, Tenovuo e Hausen (1996). Nesta pesquisa, foi observado o consumo de açúcar superior a 4 vezes ao dia em 42,9% dos meninos e 33,3% nas meninas. Portanto, deve ser recomendada a redução do consumo de açúcares extrínsecos, principalmente a sacarose (FREIRE; CANNON, SHEIHAM, 1994). Demonstrou-se uma correlação positiva entre a freqüência de ingestão de sacarose e o índice de cárie dental, estando de acordo com Holbrook (1993), Mazengo, Tenovuo e Hausen (1996), Rocha et al. (1998) e Leite et al. (1999). Referindo-se à ingestão de lanches, foi observado um elevado consumo, sendo na sua maioria compostos por produtos que continham açúcar, concordando com os relatos de Stecksén-Blicks e Holm (1995), Mazengo, Tenovuo e Hausen (1996), Nacao, Chuan e Rodrigues (1996), demonstrando também uma correlação positiva entre a mesma e o índice de cárie dental. A prevalência de cárie dentária encontrada foi relativamente alta, sendo encontrados os valores médios dos índices ceo-d 3.02 e do CPO-D 1.94, em concordância com os estudos de Holbrook (1993), Leite et al. (1999) e Saito, Deccico e Santos (1999) que encontraram valores semelhantes para o ceo. Nesta pesquisa não foram observadas diferenças estatisticamente significativas quanto ao índice de cárie em relação ao gênero da criança, em concordância com os achados de Saito, Deccico e Santos (1999) e Tomita et al. (1999), como também não foi encontrada diferença estatisticamente significante entre o aparecimento de lesões cariosas em relação à idade, diferentemente de Tomita et al. (1999), que observaram tendência crescente com a idade. A preferência por açúcar não foi relacionada à idade e ao gênero, estando em concordância com Jamel et al. (1996). Acrescenta-se que, entre as crianças livres de cárie, a preferência por açúcar (escolha entre as soluções) foi equivalente, não ocorrendo diferença estatisticamente significante, fato este encontrado por Tomita et al. (1999). A relação entre a escolha do suco mais doce (suco E) e os maiores valores encontrados do CPO-D e ceo-d, ou seja, com o maior número de dentes cariados, demonstrou uma correlação positiva, ressaltando a interação da dieta com a saúde oral, em concordância com Tomita et al. (1999). No entanto, Maciel et al. (2001) 202

5 não encontraram associação significante entre preferência por alimentos doces e cárie dentária. CONCLUSÕES Os resultados demonstraram que: 1) A maioria das crianças avaliadas tiveram preferência por alimentos mais doces; 2) Houve correlação positiva estatisticamente significante entre a preferência por açúcar e o desenvolvimento de lesões de cárie; 3) Não houve relação entre a escolha do suco mais doce (suco E) com a idade e o gênero na faixa etária avaliada. REFERÊNCIAS BEZERRA, A. C. B.; TOLEDO, O. A. Nutrição, dieta e cárie. In: KRIGER, L. Promoção de Saúde Bucal - ABOPREV. 2. ed. São Paulo: Artes Médicas, 1999, p CAMPOS, J. A. D. B.; ZUANON, A. C. C.; CAMPOS, A. G. Influência da alimentação e da nutrição na odontogênese e desenvolvimento de lesões de cárie dental. J Bras Odontopediatr Odontol Bebê, Curitiba, v. 6, n. 31, p , maio/jun CHAVES, A. M. B.; ROSENBLATT, A.; COLARES, V. A importância da dieta do desmame na saúde oral. J Bras Odontopediatr Odontol Bebê, Curitiba, v. 6, n. 30, p , mar./abr FREIRE, M. C. M.; CANNON, G.; SHEIHAM, A. Análise das recomendações internacionais sobre o consumo de açúcares publicadas entre 1961 e Rev Saúde Pública, São Paulo, v. 28, n. 3, p , mar HOLBROOK, W. P. Dental caries and cariogenic factors in preschool urban Icelandic children. Caries Res, Basel, v. 27, n. 5, p , JAMEL, H. A. et al. Taste preference for sweetness in urban and rural populations in Iraq. J Dent Res, Washington, v. 75, n.11, p , Nov LEITE, T. A. et al. Cárie dental e consumo de açúcar em crianças assistidas por creche pública. Rev Odontol Univ São Paulo, São Paulo, v. 13, n. 1, p , jan./mar MACIEL, S. M. et al. The relationship between sweetness preference and dental caries in mother/chid pairs from Maringá- PR, Brazil. Int Dent J, London, v. 51, n. 2, p , Apr diários alimentares. Rev Odontol Univ São Paulo, São Paulo, v. 10, n. 4, p , out./dez NAVARRO, M. F. L.; CôRTES, D. F. Avaliação e tratamento do paciente com relação ao risco de cárie. Maxi-Odonto Dentística, Bauru, v. 1, n. 4, p. 18,23, jul./ago ROCHA, C. M. et al. Relação dieta/cárie na odontopediatria: uma análise do consumo de sacarose. Arquivos em Odontologia, Belo Horizonte, v. 34, n. 1, p , jan./jun ROSENBLATT, A. Açúcar: o tóxico adoçante. ROBRAC, Goiânia, v. 4, n. 10, p , jan SAITO, S. K.; DECCICO, H. M. U.; SANTOS, M. N. Efeito da prática de alimentação infantil e de fatores associados sobre a ocorrência da cárie dental em pré-escolares de 18 a 48 meses. Rev Odontol Univ São Paulo, São Paulo, v. 13, n. 1, p , jan./mar STECKSÉN-BLICKS, C.; HOLM, A. K. Between-meal eating, toothbrushing frequency and dental caries in 4-year-old children in the north of Sweden. Int J Paediatr Dent, Oxford, v. 5, n. 2, p , June, STELLUTO JR., A. O primeiro vício. Rev ABO Nac, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 6-8, fev./mar TASHIMA, A. Y. et al. Correlação entre o aconselhamento dietético-nutricional e a promoção de saúde na clínica de odontopediatria. J Bras Odontopediatr Odontol Bebê, Curitiba, v. 3, n. 16, p , nov./dez THYLSTRUP, A.; FEJERSKOV, O. Cariologia clínica. 3. ed. São Paulo: Santos, p. TOMITA, N. E. et al. Preferências por alimentos doces e cárie dentária em pré-escolares. Rev Saúde Pública, São Paulo, v. 33, n. 6, p , dez TOMITA, N. E. et al. Preferências por açúcar e prevalência de cárie dentária em populações desfaveladas de Bauru-SP- Brasil. Rev Fac Odontol, Bauru, v. 8, n. 3/4, p , jul./dez WALTER, L. R. F.; FERELLE, A.; ISSAO, M. Dieta e cárie na primeira infância. Odontologia para o bebê. São Paulo: Artes Médicas, p , Recebido para publicação: 08/10/2004 Aceito para publicação: 29/10/2004 MATSON, M. R.; BELAN, L. Cáries incipientes, como controlar uma abordagem atual. In: CARDOSO, R. J. A.; GONÇALVES, E. A. N. Dentística/Laser. São Paulo: Artes Médicas, p MAZENGO, M. C.; TENOVUO, J.; HAUSEN, H. Dental caries in relation to diet, salliva and cariogenic microorganisms in Tanzanians of selected age groups. Community Dent Oral Epidemiol, Copenhagen, v. 24, n. 3, p , June, NACAO, M.; CHUAN, L. P.; RODRIGUES, C. R. M. D. Análise dos hábitos de dieta em crianças por meio da utilização de Correspondência: Sônia Maria Alves Novais Rua Riachuelo, 844/403 - Bairro São José Aracaju-SE Brasil CEP:

CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS

CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS SANTOS, Aniúsca V¹; MANGGINI, Bruna K¹; MACIESKI, Franciele¹; SOARES, Jéssica Cavalheiro 1 ; TAMANHO, Jiana¹;

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Cariologia I Código: 3428 Carga Horária: 68 horas Ano Letivo: 2007 Curso: Odontologia

Leia mais

PREVALÊNCIA DE CÁRIE PRECOCE DA INFÂNCIA EM CRIANÇAS ATENDIDAS EM UM PROGRAMA DE ATENÇÃO MATERNO-INFANTIL

PREVALÊNCIA DE CÁRIE PRECOCE DA INFÂNCIA EM CRIANÇAS ATENDIDAS EM UM PROGRAMA DE ATENÇÃO MATERNO-INFANTIL PREVALÊNCIA DE CÁRIE PRECOCE DA INFÂNCIA EM CRIANÇAS ATENDIDAS EM UM PROGRAMA DE ATENÇÃO MATERNO-INFANTIL Zacarias Soares de Brito Neto (Bolsista do PIBIC/UFPI ICV); Lúcia de Fátima Almeida de Deus Moura

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

Etiologia. cárie dentária

Etiologia. cárie dentária Etiologia da cárie dentária Cárie Latim destruição, coisa podre A cárie dental é reconhecida como uma doença, resultante de uma perda mineral localizada, cuja causa são os ácidos orgânicos provenientes

Leia mais

PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA NOS ALUNOS DA ESCOLA MUNICIPAL ADELMO SIMAS GENRO, SANTA MARIA, RS: UMA ANÁLISE DESCRITIVA PARCIAL 1

PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA NOS ALUNOS DA ESCOLA MUNICIPAL ADELMO SIMAS GENRO, SANTA MARIA, RS: UMA ANÁLISE DESCRITIVA PARCIAL 1 Disc. Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 121-125, 2006. 121 ISSN 1982-2111 PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA NOS ALUNOS DA ESCOLA MUNICIPAL ADELMO SIMAS GENRO, SANTA MARIA, RS:

Leia mais

Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber

Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber Perda localizada dos tecidos calcificados dos dentes, decorrentes da fermentação de carboidratos da dieta por microrganismos do biofilme Princípios

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Promoção de saúde, paciente infantil, extensão

PALAVRAS CHAVE: Promoção de saúde, paciente infantil, extensão TÍTULO:PROGRAMA DE ATENÇÃO ODONTOLÓGICA À CRIANÇA NA PRIMEIRA INFÂNCIA AUTORES: Mesquita, M. F, Menezes, V. A*., Maciel, A. E.**, Barros, E.S INSTITUIÇÃO:Faculdade de Odontologia de Pernambuco. FOP/UPE

Leia mais

Avaliação da efetividade de higiene bucal em pacientes motivados EVALUATION OF THE OF ORAL HYGIENE EFFECTIVENESS IN MOTIVATED PATIENTS

Avaliação da efetividade de higiene bucal em pacientes motivados EVALUATION OF THE OF ORAL HYGIENE EFFECTIVENESS IN MOTIVATED PATIENTS Avaliação da efetividade de higiene bucal em pacientes motivados EVALUATION OF THE OF ORAL HYGIENE EFFECTIVENESS IN MOTIVATED PATIENTS Adriene Mara Souza Lopes e Silva Ana Helena Antunes Fernandes Loriggio

Leia mais

ALIMENTOS X CÁRIE: A INGESTÃO DO AÇÚCAR EM EXCESSO COMO FATOR ESTIMULANTE DO DESENVOLVIMENTO DA DOENÇA

ALIMENTOS X CÁRIE: A INGESTÃO DO AÇÚCAR EM EXCESSO COMO FATOR ESTIMULANTE DO DESENVOLVIMENTO DA DOENÇA ALIMENTOS X CÁRIE: A INGESTÃO DO AÇÚCAR EM EXCESSO COMO FATOR ESTIMULANTE DO DESENVOLVIMENTO DA DOENÇA José Lafayette de Andrade Lima Junior 1 Letícia de Vasconcelos Gonçalves 2 Alicely Araújo Correia

Leia mais

12. ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AO BEBÊ - ENFOQUE DOENÇA CÁRIE DENTÁRIA

12. ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AO BEBÊ - ENFOQUE DOENÇA CÁRIE DENTÁRIA 12. ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AO BEBÊ - ENFOQUE DOENÇA CÁRIE DENTÁRIA Elaborado por: Fabian Calixto Fraiz (coordenador) Ana Cristina Barreto Bezerra Luiz Reinaldo de Figueiredo Walter Objetivo A Associação

Leia mais

ANAIS DA 11ª JORNADA ACADÊMICA DE ODONTOLOGIA UFPI ISSN 2318-616X

ANAIS DA 11ª JORNADA ACADÊMICA DE ODONTOLOGIA UFPI ISSN 2318-616X FÓRUM CIENTÍFICO ODONTOPEDIATRIA Acadêmico Projeto de Pesquisa 18 HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS RELACIONADO AO NÍVEL SOCIOECONÔMICO Josué Junior Araujo Pierote*; Helleny Alves de Santana Neta; Pablo

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRAS ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL NOS TRABALHADORES DE PADARIAS E CONFEITARIAS.

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRAS ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL NOS TRABALHADORES DE PADARIAS E CONFEITARIAS. INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRAS ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL NOS TRABALHADORES DE PADARIAS E CONFEITARIAS. Manaus, 2009 ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL

Leia mais

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Residência Pediátrica 2012;2(2):12-9. RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Use of fluoride toothpaste by preschoolers: what pediatricians should know? ; Ana Paula Pires dos Santos pré-escolar. Resumo Resultados e conclusões:

Leia mais

SAÚDE BUCAL. Você sabe quantos dentes de leite você tem?

SAÚDE BUCAL. Você sabe quantos dentes de leite você tem? SAÚDE BUCAL Você sabe quantos dentes de leite você tem? Vinte e quatro dentes de leite, que a partir dos 6 até os 12 anos, caem e são substituídos por outros permanentes. Mas não é porque vão cair que

Leia mais

Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA

Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA Autores: Ana Cláudia Morandini Sanchez, CD Serviço de saúde: Unidade de Saúde da Família VILA ANA Palavras-chaves: cárie dentária,

Leia mais

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA DEMANDA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO NO MUNICÍPIO DE EMBU DAS ARTES

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA DEMANDA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO NO MUNICÍPIO DE EMBU DAS ARTES ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA DEMANDA DE TRATAMENTO ODONTOLÓGICO NO MUNICÍPIO DE EMBU DAS ARTES Ligia de Jesus Martins de Oliveira 1 ; Luis Carlos Pires Baptista 2 Estudante do Curso de Odontologia; lih.odonto@gmail.com

Leia mais

... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental?

... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental? ... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental?... que os alimentos duros ajudam a limpar os dentes? Eles estimulam o fluxo salivar dificultando a queda de

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA PROGRAMA PARA A PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA E DA DOENÇA PERIODONTAL Serviço de Odontologia

Leia mais

CONDIÇÃO DENTÁRIA E HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS COM IDADE ESCOLAR

CONDIÇÃO DENTÁRIA E HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS COM IDADE ESCOLAR CONDIÇÃO DENTÁRIA E HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS COM IDADE ESCOLAR DENTAL CONDITION AND ORAL HYGIENE HABITS IN SCHOOL CHILDREN Juliana Sene Prado Davi Romeiro Aquino José Roberto Cortelli Sheila

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE NÍVEL DE ESCOLARIDADE DE MÃES E PERCEPÇÃO SOBRE SAÚDE BUCAL DE BEBÊS

RELAÇÃO ENTRE NÍVEL DE ESCOLARIDADE DE MÃES E PERCEPÇÃO SOBRE SAÚDE BUCAL DE BEBÊS RELAÇÃO ENTRE NÍVEL DE ESCOLARIDADE DE MÃES E PERCEPÇÃO SOBRE SAÚDE BUCAL DE BEBÊS Mariana Pracucio Gigliotti 1 Danieli Theodoro 1 Thais Marchini de Oliveira 2 Salete de Moura Bonifácio Silva 3 Maria Aparecida

Leia mais

Palavras-chave: Antibióticos, Cárie dentária, Saúde Bucal, Educação em Saúde.

Palavras-chave: Antibióticos, Cárie dentária, Saúde Bucal, Educação em Saúde. A RELAÇÃO ENTRE CÁRIE E USO DE ANTIBIÓTICOS EM BEBÊS E CRIANÇAS UMA ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL NO PET- SAÚDE ZACHIA The relationship between use of antibiotics and decay in infants and children - A multiprofessional

Leia mais

http://www.itpac.br/revista

http://www.itpac.br/revista _ PREVALÊNCIA DE CÁRIE PELO ÍNDICE CPO-D EM ALUNOS DA APAE DE ARAGUAÍNA-TOCANTINS Ayla Caroline Eduardo Canedo de Aguiar (Graduada em Odontologia pela FAHESA/ITPAC) E-mail: nininha_nz@hotmail.com, Tauanny

Leia mais

Estudo dos Factores de Risco em Saúde Oral em Crianças Escolarizadas

Estudo dos Factores de Risco em Saúde Oral em Crianças Escolarizadas Mónica Sofia Araújo Dias Estudo dos Factores de Risco em Saúde Oral em Crianças Escolarizadas Universidade Fernando Pessoa Faculdade das Ciências da Saúde Porto 2009 Mónica Sofia Araújo Dias Estudo dos

Leia mais

A cárie dentária, uma doença infecciosa

A cárie dentária, uma doença infecciosa A cárie dentária, uma doença infecciosa JOÃO REIS PAULO MELO O presente estudo descreve os índices de saúde oral ceo soma dos dentes temporários cariados (c), extraídos ou com extracção indicada (e) e

Leia mais

Resumo de Aula. Fatores que interferem na etiologia da cárie dental: Bactérias Adesão bacteriana Especificidade Bacteriana Dieta

Resumo de Aula. Fatores que interferem na etiologia da cárie dental: Bactérias Adesão bacteriana Especificidade Bacteriana Dieta Estudo da Doença Cárie Dentária I Urubatan Medeiros Doutor (USP) Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária UERJ/UFRJ Coordenador da Disciplina de Odontologia Preventiva

Leia mais

PROJETO VIGILANTES DO SORRISO

PROJETO VIGILANTES DO SORRISO PROJETO VIGILANTES DO SORRISO Juliana Santos Oliveira NOVAFAPI Cosme José Albergaria da Silva Filho NOVAFAPI Marissol Antunes Fernandes NOVAFAPI Adriana Oquendo Machado NOVAFAPI INTRODUÇÃO O PETI (Programa

Leia mais

ERUPÇÃO DE MOLARES DECÍDUOS E PERMANENTES. RELAÇÃO COM A IDADE DE APLICAÇÃO DE SELANTE OCLUSAL

ERUPÇÃO DE MOLARES DECÍDUOS E PERMANENTES. RELAÇÃO COM A IDADE DE APLICAÇÃO DE SELANTE OCLUSAL ERUPÇÃO DE MOLARES DECÍDUOS E PERMANENTES. RELAÇÃO COM A IDADE DE APLICAÇÃO DE SELANTE OCLUSAL Joseleine CARVALHO* Valdemar VERTUAN** RESUMO: Foram examinadas 609 crianças de 3 a 6 anos para se verificarem

Leia mais

ESTUDO DA HIGIENIZAÇÃO BUCAL E DOS HÁBITOS ALIMENTARES EM BEBÊS INCIDÊNCIA DA CÁRIE DE PRECOCE

ESTUDO DA HIGIENIZAÇÃO BUCAL E DOS HÁBITOS ALIMENTARES EM BEBÊS INCIDÊNCIA DA CÁRIE DE PRECOCE ESTUDO DA HIGIENIZAÇÃO BUCAL E DOS HÁBITOS ALIMENTARES EM BEBÊS INCIDÊNCIA DA CÁRIE DE PRECOCE ANDRÉIA KNOB CAMILA SENTINELO BOAMORTE LIGIA MARINA CONRADO MAIBUK * MARCO ANTÔNIO BATISTA CARVALHO * Acadêmica

Leia mais

PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DE 12 ANOS DE IDADE EM 2002 E 2007 EM LAJEADO, RS

PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DE 12 ANOS DE IDADE EM 2002 E 2007 EM LAJEADO, RS OS IMPACTOS DAS MUDANÇAS NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NOME SOBRE DO A SAÚDE... ARTIGO 25 PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DE 12 ANOS DE IDADE EM 2002 E 2007 EM LAJEADO, RS PREVALENCE OF DENTAL

Leia mais

MEDIDAS DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DE CÁRIE EM ESCOLARES ADOLESCENTES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DE CÁRIE EM ESCOLARES ADOLESCENTES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DE CÁRIE EM ESCOLARES ADOLESCENTES DO CASTELO BRANCO DIAS, Larissa Nadine Silva 1 FARIAS, Luciana Lombardi Pedrosa de 2 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 3 RESUMO A adolescência

Leia mais

CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS

CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS Prof. Dr. Cláudio Galuppo Diniz Cárie => decomposição lenta do dente resultante da perda de cristais de hidroxiapatita. Essa dissolução da matriz mineralizada reduz

Leia mais

ENAM - 2010. Encontro Nacional de Aleitamento Materno. I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável (ENACS) SANTOS, SP

ENAM - 2010. Encontro Nacional de Aleitamento Materno. I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável (ENACS) SANTOS, SP ENAM - 2010 Encontro Nacional de Aleitamento Materno I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável (ENACS) SANTOS, SP Ministério da Saúde Família Canguru gdc "O osso não controla nem realiza

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ODONTOLÓLICO ESCOLAR, EM CRIANÇAS DE 4 A 5 ANOS DE IDADE

AVALIAÇÃO DE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ODONTOLÓLICO ESCOLAR, EM CRIANÇAS DE 4 A 5 ANOS DE IDADE AVALIAÇÃO DE PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ODONTOLÓLICO ESCOLAR, EM CRIANÇAS DE 4 A 5 ANOS DE IDADE EVALUATION OF AMOUTH HEALTH CARE SCHOOL PROGRAM WITH 4 TO 5 YEAR-OLD CHILDREN Veruska Fabrine Dias Gitirana Gerson

Leia mais

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Curso Técnico em Saúde Bucal Aula disponível: www.portaldoaluno.bdodonto.com.br Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Prof: Bruno Aleixo Venturi 1 O que é a doença cárie? 2 CÁRIE DENTAL Do#La&m# Carious

Leia mais

A DIETA ESCOLAR E A PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA NAS ESCOLAS PÚBLICAS

A DIETA ESCOLAR E A PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA NAS ESCOLAS PÚBLICAS A DIETA ESCOLAR E A PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA NAS ESCOLAS PÚBLICAS THE SCHOOL DIETARY AND DENTAL CARIE S PREVENTION IN THE PUBLIC SCHOOLS Nemre Adas SALIBA 1 Suzely Adas Saliba MOIMAZ 2 Ana Paula Rocha

Leia mais

Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC)

Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC) ISSN 1806-7727 Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC) Evaluated the prevalence of dental caries

Leia mais

Escola: um espaço importante de informação em saúde bucal para a população infantil

Escola: um espaço importante de informação em saúde bucal para a população infantil Escola: um espaço importante de informação em saúde bucal para a população infantil RAQUEL VASCONCELOS*, MARIA LUIZA DA MATTA*, ISABELA ALMEIDA PORDEUS**, SAUL MARTINS DE PAIVA*** RESUMO A escola tem sido

Leia mais

VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA

VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA E AJUDE A PREVENÍ-LA Sua dieta e seus hábitos de saúde bucal podem fazer uma grande diferença A RELAÇÃO ENTRE OS DENTES, BACTÉRIAS E OS ÁCIDOS DO AÇÚCAR Esses fatores desencadeiam

Leia mais

PROMOÇÂO DE SAÙDE BUCAL EM CRIANÇAS CARENTES DE CURITIBA

PROMOÇÂO DE SAÙDE BUCAL EM CRIANÇAS CARENTES DE CURITIBA PROMOÇÂO DE SAÙDE BUCAL EM CRIANÇAS CARENTES DE CURITIBA Área temática: Saúde Coordenador: Elaine Machado Benelli Equipe executora: Mayra Xavier e Silva *, Luciana Schneider e Elaine Machado Benelli ***

Leia mais

Título do Trabalho: Clínica Integrada: é possível promover saúde bucal numa clínica de ensino odontológico?

Título do Trabalho: Clínica Integrada: é possível promover saúde bucal numa clínica de ensino odontológico? PESQUISA 1º COLOCADO Título do Trabalho: Clínica Integrada: é possível promover saúde bucal numa clínica de ensino odontológico? Autor (a): Drª. Rossana Vanessa Dantas de Almeida Orientador (a): Prof.

Leia mais

PERFIL DA DEMANDA AMBULATORIAL INFANTIL DA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA UFBA NOS ANOS DE 1994 E 1999

PERFIL DA DEMANDA AMBULATORIAL INFANTIL DA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA UFBA NOS ANOS DE 1994 E 1999 PERFIL DA DEMANDA AMBULATORIAL INFANTIL DA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA UFBA NOS ANOS DE 1994 E 1999 PROFILE OF CLINICAL DEMAND OF PEDIATRIC DENTISTRY - DENTISTRY SCHOOL/ FEDERAL UNIVERSITY OF BAHIA IN

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA CURSO DE ODONTOLOGIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICA ODONTOLÓGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA CURSO DE ODONTOLOGIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICA ODONTOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICA ODONTOLÓGICA AVALIAÇÃO DA POSSÍVEL RELAÇÃO ENTRE A INCIDÊNCIA DE CÁRIE DENTAL E A AMAMENTAÇÃO NATURAL

Leia mais

DENTPLAQUE Uma ferramenta lúdica e eficaz na construção da autonomia do indivíduo e no controle das doenças bucais.

DENTPLAQUE Uma ferramenta lúdica e eficaz na construção da autonomia do indivíduo e no controle das doenças bucais. DENTPLAQUE Uma ferramenta lúdica e eficaz na construção da autonomia do indivíduo e no controle das doenças bucais. INTRODUÇÃO A evolução do conhecimento científico trouxe uma mudança radical nos paradigmas

Leia mais

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista A Enfermagem e o Serviço de Nutrição e Dietética tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista 1 A enfermagem e o Serviço

Leia mais

Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada ISSN: 1519-0501 apesb@terra.com.br Universidade Federal da Paraíba Brasil

Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada ISSN: 1519-0501 apesb@terra.com.br Universidade Federal da Paraíba Brasil Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada ISSN: 1519-0501 apesb@terra.com.br Universidade Federal da Paraíba Brasil dos Santos Antunes, Leonardo; Soares Soraggi, Maria Bernadete; Azeredo

Leia mais

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ALVES,K.L.; MARIN,T. Resumo: Alimentação saudável é

Leia mais

DISCIPLINA ESTUDOS PREVENTIVOS EM CARIOLOGIA TEMA:

DISCIPLINA ESTUDOS PREVENTIVOS EM CARIOLOGIA TEMA: DISCIPLINA ESTUDOS PREVENTIVOS EM CARIOLOGIA TEMA: Métodos de prevenção da cárie dentária - estratégias coletivas, no contexto da promoção da saúde bucal Profa. Dra. Eliete Rodrigues de Almeida Profa.

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE A EFICÁCIA DA ESCOVAÇAO ORIENTADA E SUPERVISIONADA E A PROFILAXIA PROFISSIONAL NO CONTROLE DA PLACA BACTERIANA DENTÁRIA

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE A EFICÁCIA DA ESCOVAÇAO ORIENTADA E SUPERVISIONADA E A PROFILAXIA PROFISSIONAL NO CONTROLE DA PLACA BACTERIANA DENTÁRIA ESTUDO COMPARATIVO ENTRE A EFICÁCIA DA ESCOVAÇAO ORIENTADA E SUPERVISIONADA E A PROFILAXIA PROFISSIONAL NO CONTROLE DA PLACA BACTERIANA DENTÁRIA Cléa Adas SALIBA* Nemre Adas SALIBA* Ana Laura ALMEIDA**

Leia mais

Levantamento das necessidades odontológicas de pacientes que procuram o Ambulatório do Centro de Extensão Vila Fátima Porto Alegre/RS

Levantamento das necessidades odontológicas de pacientes que procuram o Ambulatório do Centro de Extensão Vila Fátima Porto Alegre/RS 915 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Levantamento das necessidades odontológicas de pacientes que procuram o Ambulatório do Centro de Extensão Vila Fátima Porto Alegre/RS Josiani Althaus Santos 1,

Leia mais

SAÚDE BUCAL EM CRIANÇAS NA IDADE ESCOLAR EM NOVA XAVANTINA-MT 1

SAÚDE BUCAL EM CRIANÇAS NA IDADE ESCOLAR EM NOVA XAVANTINA-MT 1 SAÚDE BUCAL EM CRIANÇAS NA IDADE ESCOLAR EM NOVA XAVANTINA-MT Michele Novaes Ribeiro - ninepeixoto@yahoo.com.br Maria Eloíza Pereira Leite Ramos Karine da Silva Peixoto, Resumo Este estudo teve por objetivo

Leia mais

Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais do Estado de Minas Gerais

Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais do Estado de Minas Gerais Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais do Estado de Minas Gerais Cristiane Miranda CARVALHO 1 Marina Pereira COELHO 1 Ronaldo RADICCHI 2 RESUMO Conhecer as causas odontológicas

Leia mais

ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR.

ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR. Grupo PET/Odontologia UFJF. Tutora: Prof.ª. Dr.ª Rosângela Almeida Ribeiro ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR. Aline Barcellos Ana Carla Campos Marcela Nascimento Rachel Itaborahy Introdução Brasil:

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari*

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* Resumo: Vasconcellos, Jorge** As mudanças ocorridas em nosso pais, principalmente a crescente modernização e urbanização,

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba Paraíba, Brasil

Universidade Federal da Paraíba Paraíba, Brasil Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada ISSN: 1519-0501 apesb@terra.com.br Universidade Federal da Paraíba Brasil Monteiro RAMOS, Thaysa; Alves de ALMEIDA JÚNIOR, Antonio; Monteiro RAMOS,

Leia mais

I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL

I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL ENCONTRO DA PÓS-GRADUAÇÃO NORMAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS As apresentações poderão ser realizadas na forma de PÔSTER

Leia mais

REVISÃO DE LITERATURA CÁRIE RAMPANTE, ETIOLOGIA E SOLUÇÕES DE TRATAMENTO RESUMO SUMMARY

REVISÃO DE LITERATURA CÁRIE RAMPANTE, ETIOLOGIA E SOLUÇÕES DE TRATAMENTO RESUMO SUMMARY 159 REVISÃO DE LITERATURA CÁRIE RAMPANTE, ETIOLOGIA E SOLUÇÕES DE TRATAMENTO RESUMO RUY CÉSAR CAMARGO ABDO (*) DANIELA NEGREIROS NUNES (**) VERIDIANA SALLES (***) Uma das maiores dificuldades encontradas

Leia mais

Amanda Rossi Corelhano. Avaliação da freqüência de consumo de açúcar de crianças de Araucária - PR

Amanda Rossi Corelhano. Avaliação da freqüência de consumo de açúcar de crianças de Araucária - PR Amanda Rossi Corelhano Avaliação da freqüência de consumo de açúcar de crianças de Araucária - PR Curitiba 2012 Amanda Rossi Corelhano Avaliação da freqüência de consumo de açúcar de crianças de Araucária

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES Larissa Paula da Silva de Souza 1, Sara Leal de Lima 2, Angela Andréia França Gravena 3 RESUMO:

Leia mais

OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR

OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR Pró-Reitoria de Graduação Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso II OBESIDADE INFANTIL ESCOLAR Autora: Damielle J. Costa Orientador: Prof. Dr. Ricardo Bernardo Mayolino Brasília - DF 2011 OBESIDADE

Leia mais

INDÍCE DE HIGIENE ORAL SIMPLIFICADO EM ALUNOS DE ENSINO FUNDAMENTAL AVALIADO ANTES DO BOCHECHO COM FLÚOR 1

INDÍCE DE HIGIENE ORAL SIMPLIFICADO EM ALUNOS DE ENSINO FUNDAMENTAL AVALIADO ANTES DO BOCHECHO COM FLÚOR 1 INDÍCE DE HIGIENE ORAL SIMPLIFICADO EM ALUNOS DE ENSINO FUNDAMENTAL AVALIADO ANTES DO BOCHECHO COM FLÚOR 1 Beatriz Rosana Gonçalves de Oliveira 2 Luciano Martini INTRODUÇÃO Na Odontologia, com o problema

Leia mais

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS Características socioeconômicas, demográficas, nutricionais, controle glicêmico e atividade física de adolescentes portadores de diabetes melito tipo 1 Izabela Zibetti de ALBUQUERQUE 1 ; Maria Raquel Hidalgo

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica PROVAB Isa Teixeira Gontijo Para compreender bem as medidas que devem ser adotadas na prevenção da doença cárie e da doença gengival, diagnosticadas

Leia mais

CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS BRASILEIRAS: TENDÊNCIA E POLARIZAÇÃO 1 DENTAL CARIES IN BRAZILIAN CHILDREN: TREND AND POLARIZATION

CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS BRASILEIRAS: TENDÊNCIA E POLARIZAÇÃO 1 DENTAL CARIES IN BRAZILIAN CHILDREN: TREND AND POLARIZATION Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 15, n. 1, p. 137-146, 2014. Recebido em: 03.06.2013. Aprovado em: 24.09.2013. ISSN 2179-6890 CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS BRASILEIRAS: TENDÊNCIA

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 5 Amélia. Fundamentação Teórica: Etiologia e epidemiologia da cárie dentária

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 5 Amélia. Fundamentação Teórica: Etiologia e epidemiologia da cárie dentária CASO COMPLEXO 5 Amélia : Etiologia e epidemiologia da cárie dentária Daniella Ferraz Cerqueira A cárie dentária é uma doença infecciosa que progride de forma muito lenta na maioria dos indivíduos, raramente

Leia mais

Motivação de higiene oral com escovas infantis em escolares de Curitiba

Motivação de higiene oral com escovas infantis em escolares de Curitiba ISSN 1806-7727 Motivação de higiene oral com escovas infantis em escolares de Curitiba Motivation to oral hygiene with the donation of toothbrushes to schoolars of Curitiba Flávia Cristina da Cruz SILVA*

Leia mais

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd Conselho Universitário - CONSUNI Câmara de Ensino Curso de Graduação em Odontologia da UNIPLAC Quadro de Equivalência para Fins de Aproveitamento de Estudos entre duas Estruturas Curriculares Modulares

Leia mais

Perfil Epidemiológico das Doenças Bucais no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) de Itabaiana, Sergipe, Brasil

Perfil Epidemiológico das Doenças Bucais no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) de Itabaiana, Sergipe, Brasil SCIENTIA PLENA VOL. 8, NUM. 9 2012 www.scientiaplena.org.br Perfil Epidemiológico das Doenças Bucais no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) de Itabaiana, Sergipe, Brasil Epidemiological Profile

Leia mais

ESTUDO SOBRE MOTIVAÇÁO E EM ESCOLARES DE 7 A 10 ANOS

ESTUDO SOBRE MOTIVAÇÁO E EM ESCOLARES DE 7 A 10 ANOS Rev. Odont. UNESP, São Paulo, 18:217-223,1989. ESTUDO SOBRE MOTIVAÇÁO E REFORÇO DE MOTIVAÇÃO EM )i:scovação DENTÁRIA, EM ESCOLARES DE 7 A 10 ANOS Luiz Fernando de Almeida CANDELÁRIA* Lúcia TERAMOTO** Adriene

Leia mais

Utilização do Cariograma na Clínica Odontopediátrica 1

Utilização do Cariograma na Clínica Odontopediátrica 1 CASO CLÍNICO Utilização do Cariograma na Clínica Odontopediátrica The use of Cariogram in Pediatric Dentistry Thiago Machado ARDENGHI* Célia Regina Martins Delgado RODRIGUES** Cristina Giovanetti Del Conte

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE SAÚDE BUCAL EM ADOLESCENTES DA REDE DE ENSINO PÚBLICO DE UBERLÂNDIA

DIAGNÓSTICO DE SAÚDE BUCAL EM ADOLESCENTES DA REDE DE ENSINO PÚBLICO DE UBERLÂNDIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA 4ª Semana do Servidor e 5ª Semana Acadêmica 008 UFU 0 anos DIAGNÓSTICO DE SAÚDE BUCAL EM ADOLESCENTES DA REDE DE ENSINO PÚBLICO DE UBERLÂNDIA Janaína de Castro Vieira

Leia mais

SAÚDE BUCAL EM CRIANÇAS NA IDADE ESCOLAR EM NOVA XAVANTINA-MT 1

SAÚDE BUCAL EM CRIANÇAS NA IDADE ESCOLAR EM NOVA XAVANTINA-MT 1 SAÚDE BUCAL EM CRIANÇAS NA IDADE ESCOLAR EM NOVA XAVANTINA-MT Michele Novaes Ribeiro - ninepeixoto@yahoo.com.br Maria Eloíza Pereira Leite Ramos Karine da Silva Peixoto, Resumo Este estudo teve por objetivo

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X) SAÚDE

Leia mais

PREVENÇÃO DA CÁRIE PRECOCE INFANTIL: Manual de orientação aos profissionais de saúde como ferramenta de ensino

PREVENÇÃO DA CÁRIE PRECOCE INFANTIL: Manual de orientação aos profissionais de saúde como ferramenta de ensino FUNDAÇÃO OSWALDO ARANHA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE CECÍLIA PEREIRA

Leia mais

HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: HÁ DIFERENÇA NA DISTRIBUIÇÃO ENTRE IDOSOS POR SEXO?

HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: HÁ DIFERENÇA NA DISTRIBUIÇÃO ENTRE IDOSOS POR SEXO? HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: HÁ DIFERENÇA NA DISTRIBUIÇÃO ENTRE IDOSOS POR SEXO? Enelúzia Lavynnya Corsino de Paiva China (1); Lucila Corsino de Paiva (2); Karolina de Moura Manso da Rocha (3); Francisco

Leia mais

Análise de conhecimentos e práticas de mães sobre saúde bucal

Análise de conhecimentos e práticas de mães sobre saúde bucal Análise de conhecimentos e práticas de mães sobre saúde bucal ROSIANGELA RAMALHO DE SOUZA KNUPP URUBATAN VIEIRA DE MEDEIROS PAULA BAPTISTA MACHADO DE MELLO DENNIS DE CARVALHO FERREIRA MÁRCIA MARIA PEREIRA

Leia mais

Análise da superfíce de esmalte de dentes decíduos submetidos a diferentes tempos de desmineralização INTRODUÇÃO

Análise da superfíce de esmalte de dentes decíduos submetidos a diferentes tempos de desmineralização INTRODUÇÃO Análise da superfíce de esmalte de dentes decíduos submetidos a diferentes tempos de desmineralização JOSÉ ANTONIO SAMPAIO ZUANON* ; ANGELA CRISTINA CILENSE ZUANON**; CARINA DOMANESCHI*** RESUMO É objetivo

Leia mais

Alimentação e Saúde Oral

Alimentação e Saúde Oral Alimentação e Saúde Oral A saúde oral está relacionada com a alimentação de várias formas, nomeadamente através do efeito direto dos alimentos sobre os dentes no desenvolvimento de cárie dentária e na

Leia mais

Técnicas em Higiene Dental

Técnicas em Higiene Dental Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Técnicas em Higiene Dental Professor: Bruno Aleixo Venturi Aulas práticas Lista de materiais Aulas práticas - Lista de materiais Roupa

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

JULIANA SILVEIRA MACIEL PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM DENTES PERMANENTES NA FAIXA ETÁRIA DE 6 A 12 ANOS NO MUNICÍPIO DE NIOAQUE/MS.

JULIANA SILVEIRA MACIEL PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM DENTES PERMANENTES NA FAIXA ETÁRIA DE 6 A 12 ANOS NO MUNICÍPIO DE NIOAQUE/MS. JULIANA SILVEIRA MACIEL PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM DENTES PERMANENTES NA FAIXA ETÁRIA DE 6 A 12 ANOS NO MUNICÍPIO DE NIOAQUE/MS. CAMPO GRANDE 2011 1 JULIANA SILVEIRA MACIEL PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA

Leia mais

RESUMO. DESCRITORES: Índice CPO - cárie dental - prevalência cárie SUMMARY

RESUMO. DESCRITORES: Índice CPO - cárie dental - prevalência cárie SUMMARY PREVALÊNCIA DA DOENÇA CÁRIE EM ESCOLARES DE 5 A 14 ANOS, NA CIDA- DE DE ALFENAS-MG * RESUMO 231 LUIZ ANTONIO SARTORI (**) O Presente estudo analisa a prevalência da doença cárie em escolares matriculados

Leia mais

Impacto de um programa de promoção de saúde escolar sobre a redução da prevalência da cárie em crianças pré-escolares de Piracicaba - SP

Impacto de um programa de promoção de saúde escolar sobre a redução da prevalência da cárie em crianças pré-escolares de Piracicaba - SP Impacto de um programa de promoção de saúde escolar sobre a redução da prevalência da cárie em crianças pré-escolares de Piracicaba - SP Impact of one health promotion program on dental caries prevalence

Leia mais

25. PERIODICIDADE DAS CONSULTAS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

25. PERIODICIDADE DAS CONSULTAS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA 25. PERIODICIDADE DAS CONSULTAS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA Elaborado por: Júlio Carlos Noronha (coordenador) Paulo César Barbosa Rédua Maria de Lourdes de Andrade Massara Objetivo A Associação Brasileira

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE CAPACIDADE INTELECTUAL, IDADE MENTAL E CRONOLÓGICA DE CRIANÇAS SUBMETIDAS A TRATAMENTO ODONTOLÓGICO

CORRELAÇÃO ENTRE CAPACIDADE INTELECTUAL, IDADE MENTAL E CRONOLÓGICA DE CRIANÇAS SUBMETIDAS A TRATAMENTO ODONTOLÓGICO CORRELAÇÃO ENTRE CAPACIDADE INTELECTUAL, IDADE MENTAL E CRONOLÓGICA DE CRIANÇAS SUBMETIDAS A TRATAMENTO ODONTOLÓGICO Gislaine Santos MASCARENHAS* Norma Tomie Matsumoto KUDO* Paula Massumi HAYASHI* Renata

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Faculdade de Odontologia Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Dissertação (ou Tese) Título.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Faculdade de Odontologia Programa de Pós-Graduação em Odontologia. Dissertação (ou Tese) Título. 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Faculdade de Odontologia Programa de Pós-Graduação em Odontologia Dissertação (ou Tese) Título Nome do candidato Pelotas, ano your 2 your read read Nome do candidato er

Leia mais

Hábitos de Higiene Bucal e Dieta de Adolescentes de Escolas Públicas e Privadas em Salvador, Bahia

Hábitos de Higiene Bucal e Dieta de Adolescentes de Escolas Públicas e Privadas em Salvador, Bahia PESQUISA Revista Brasileira de Ciências da Saúde Research Volume 13 Número 2 Páginas 7-14 2009 ISSN 1415-2177 Hábitos de Higiene Bucal e Dieta de Adolescentes de Escolas Públicas e Privadas em Salvador,

Leia mais

Câmpus de Araçatuba. Plano de Ensino. Docente(s) Suzely Adas Saliba Moimaz, Ronald Jefferson Martins, Renato Moreira Arcieri, Tânia Adas Saliba Rovida

Câmpus de Araçatuba. Plano de Ensino. Docente(s) Suzely Adas Saliba Moimaz, Ronald Jefferson Martins, Renato Moreira Arcieri, Tânia Adas Saliba Rovida Curso ODOI 8 - Odontologia Ênfase Identificação Disciplina SCOI9-I-T/P-A/B - Saúde Coletiva I Docente(s) Suzely Adas Saliba Moimaz, Ronald Jefferson Martins, Renato Moreira Arcieri, Tânia Adas Saliba Rovida

Leia mais

PREVENÇÃO DA CÁRIE DE MAMADEIRA

PREVENÇÃO DA CÁRIE DE MAMADEIRA (ISSN 1984-8153) PREVENÇÃO DA CÁRIE DE MAMADEIRA EARLY CHILDHOOD CARIES PREVENTION Ana Claudia G. Da Silva MOREIRA 1 Dianathan F. Ramos SZUMSKI 1 Eteonilia P. M. GOMES 1 Luciane SARAIVA 1 Renata Machado

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

FLUOROSE DENTÁRIA POR INGESTÃO DE DENTIFRÍCIO: RELATO DE CASO CLÍNICO

FLUOROSE DENTÁRIA POR INGESTÃO DE DENTIFRÍCIO: RELATO DE CASO CLÍNICO Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo 2007 maio-ago; 19(2):229-33 FLUOROSE DENTÁRIA POR INGESTÃO DE DENTIFRÍCIO: RELATO DE CASO CLÍNICO DENTAL FLUOROSIS ASSOCIATED WITH INGESTION DENTIFRICE:

Leia mais

PONTO DE VISTA DOS PAIS EM RELAÇÃO A SUA PRESENÇA DURANTE O ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO DE SEUS FILHOS

PONTO DE VISTA DOS PAIS EM RELAÇÃO A SUA PRESENÇA DURANTE O ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO DE SEUS FILHOS PONTO DE VISTA DOS PAIS EM RELAÇÃO A SUA PRESENÇA DURANTE O ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO DE SEUS FILHOS 1 Professora e pesquisadora do grupo Atenção à Saúde Individual e Coletiva, do curso de Odontologia da

Leia mais

Cuidados em saúde bucal na primeira infância: percepções e conhecimentos de pais ou responsáveis de crianças em um centro de saúde de Porto Alegre, RS

Cuidados em saúde bucal na primeira infância: percepções e conhecimentos de pais ou responsáveis de crianças em um centro de saúde de Porto Alegre, RS Artigo Original Faustino-Silva et al. Cuidados em saúde bucal na primeira infância: percepções e conhecimentos de pais ou responsáveis de crianças em um centro de saúde de Porto Alegre, RS Oral health

Leia mais

BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA

BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA Conceito: É o estudo da distribuição do estado ou eventos de saúde- doença e de seus determinantes em populações específicas, e a aplicação desse estudo para

Leia mais

Experiência de cárie entre mães e filhos: influência de fatores socioeconômicos e comportamentais

Experiência de cárie entre mães e filhos: influência de fatores socioeconômicos e comportamentais Artigo original / Review Articie Experiência de cárie entre mães e filhos: influência de fatores socioeconômicos e comportamentais Caries experience between mothers and children: influence of socioeconomics

Leia mais