ESTIMAÇÃO VISUAL DE DISTÂNCIAS NA NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS. Luiz Chaimowicz e Mário Fernando Montenegro Campos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTIMAÇÃO VISUAL DE DISTÂNCIAS NA NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS. Luiz Chaimowicz e Mário Fernando Montenegro Campos"

Transcrição

1 4o. SBAI- Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente, São Paulo, SP, de Setembro de 1999 ESTIMAÇÃO VISUAL DE DISTÂNCIAS NA NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS Luiz Chaimowicz e Mário Fernando Montenegro Campos Laborat ório de Robótica Visão e Percepção Ativa Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos 6627, Pampulha, , Belo Horizonte, MG {chaimo, Resumo: Este artigo apresenta um método para a estimação visual de distâncias para robôs móveis. Ele utiliza o tamanho de um landmark artificial em imagens capturadas por uma câmera sem calibração e o movimento do robô para estimar a distância Que o separa do landmark. Uma das principais vantagens -desse método é a sua velocidade,.tornando-o adequado para aplicações de navegação em tempo real. Experimentos foram realizados utilizando esse método para controlar a aproximaç ão de um robô (Nomad 200) com relação a um landmark e os resultados mostraram que ele funciona bem em diversos casos. Esse artigo também apresenta uma idéia para a utilização desse método como parte de um algoritmo de navegação mais completo. Palavras Chave: Estimação visual de distâncias, landmarks, navegação de robôs móveis. Abstract: This papel' presents a method for visual distance estimation for mobile robots. It uses the size of an artificial landmark in a sequence of frames captured by an uncalibrated camera and the robot movement to estimate the distance between them. One of lhe key advantages of this method is that it is fast, making it suitable for real time navigation. Experiments were performed using this methodology to control the approximation of a Nomad 200 mobile robot to a landmark and the obtained resu1ts have shown that it works fine in many situations. This paper also presents an idea for the utilization of this method as part of a more complete navigational algorithm. Keywords: Visual distance estimation, landmarks, mobile robot navigation. 1 INTRODUÇÃO A navegação autônoma de um robô móvel envolve a sua movimentação de um determinado ponto a outro em seu espaço de trabalho sem a intervenção de um operador externo. Para que isso seja possível é necessário que o robô seja capaz de desviar de obstáculos e identificar a sua posição absoluta ou relativa dentro do ambiente. A complexidade da navegação irá depender de uma série de fatores [7]: o tamanho do robô, sua cinemática, o seu poder de computação e os tipos de sensores envolvidos. O ambiente pode ser conhecido ou desconhecido, estático ou dinâmico, com terreno plano ou acidentado, interno ou externo. Além disso, a navegação em si pode possuir algumas restrições tais corno a escolha do menor caminho, ou a execução em um tempo limitado. Devido a essa grande variedade de parâmetros e situações, diversas abordagens para o problema da navegação autônoma podem ser encontradas. Uma questão importante é se a navegação pode ser baseada somente em um planejamento global. O planejamento global pode ser.entendido como a determinação de como agir para satisfazer os objetivos, baseando-se em previsões dos possíveis estados futuros [9]. O problema dessa abordagem é que é difícil determinar com exatidão quais serão os estados futuros. Mesmo em um ambiente completamente conhecido e estático, os movimentos executados pelo robô não são perfeitos, devido a deslizamentos das rodas, imperfeições no terreno, etc. O acúmulo desses pequenos erros traz incerteza ao processo, o que pode impedir o robô de cumprir o seu objetivo. A solução para isso é a utilização de sensores, de forma que o robô possa identificar a sua posição e detectar a presença de obstáculos permitindo o planejamento e controle mais efetivo de suas ações. A navegação autônoma pode ser considerada. instância do paradigma geral da robótica: "perceber - decidir - agir" [7]. É sabido que a percepção visual tem um papel fundamental na vida de humanos, animais e insetos [3]. Esse tipo de percepção permite que o ser humano identifique objetos, se localize, navegue, estime distâncias e realize diversasatividades que não seriam possíveis somente com a utilização de outros sensores. Portanto, apesar da complexidade que envolve o processo de visão, o uso de sensores visuais para o controle de robôs móveis tem sido bastante estudado. Uma forma de se utilizar os sensores visuais é construir uma representação tridimensional do ambiente a partir de urna de imagens obtidas de diferentes posições por urna ou mais câmeras [17]. Essa representação permite a determinação da posição relativa do robô e a definição de uma trajetória a ser seguida. O problema principal dessa abordagem que a construção do modelo tridimensional não é simples pois requer a captura e o processamento matemático intenso de uma grande quantidade de imagens. Normalmente isso requer um grande esforço computacional, o que impede a sua utilização para 482

2 40. SBAI -Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente, São Paulo, SP, de Setembro de 1999 navegação em tempo real. Além disso, o problema de reconstrução tridimensional em si é intrinsecamente complexo [12], o que dificulta muito essa tarefa. Uma abordagem mais eficiente é tentar extrair das imagens somente as informações que são necessárias para a execução de uma determinada tarefa. Esse tipo de abordagem costuma ser mais simples e direta permitindo que as informações obtidas sejam utilizadas diretamente nas rotinas de controle do robô [13]. Um tipo de informação que pode ser obtida a partir de uma seqüência de imagens é o fluxo óptico, a velocidade aparente dos objetos em movimento na imagem. O seu estudo é muito importante pois a partir dele podem ser extraídas diversas informações tais como a direção do movimento, o foco de expansão (FOE) e o tempo para colisão. O fluxo óptico pode ser definido como o movimento aparente dos padrões de intensidade dos pixels observado quando a câmera está se movimentando em relação aos objetos na cena [12]. Ele é uma aproximação do "motion field'' que é o vetor de velocidade (magnitude e direção) de cada pixel da imagem. O fluxo óptico nem sempre é igual ao "motion field", Se a iluminação da cena for alterada mas os objetos não se moverem, o fluxo óptico irá ' indicar a mudança pois a intensidade dos pixels se altera, mas o "motion field" será zero pois na realidade não há movimento. A situação inversa também pode acontecer: o fluxo óptico ser zero mas o "motion field" indicar algum movimento na cena. Existem dois tipos de técnicas principais para o cálculo do fluxo óptico [11]: as técnicas diferenciais e as técnicas de correspondência. As primeiras são baseadas nas.derivadas de espaço e tempo da função de intensidade da imagem e são adequadas para movimentos pequenos na imagem. Quando o movimento é maior, as técnicas de correspondência são mais adequadas, pois elas calculam o fluxo óptico fazendo a correspondência de pontos, bordas, etc., que se movem na seqüência de imagens. O trabalho de Barron et ai. [1] faz um estudo comparativo de várias técnicas de cálculo do fluxo óptico. Ele descreve e implementa nove técnicas e as executa com várias seqüências de imagens, mostrando resultados interessantes. O cálculo do fluxo óptico é uma operação complexa dependendo do tamanho da imagem e outras características. Uma informação mais simples que pode ser obtida a partir de sensores visuais é a presença de algum landmark na imagem. Landmarks são objetos ou padrões que podem ser reconhecidos no campo visual da câmera e servem de referência ao robô, permitindo que ele identifique a sua posição, detecte obstáculos e navegue em uma determinada trajetória. Existem dois tipos de landmarks: os artificiais, que são colocados no ambiente especificamente com esse objetivo, e os naturais, que já fazem parte do ambiente como por exemplo cadeiras, mesas (em ambientes internos) e árvores, acidentes geográficos (em ambientes externos). A detecção e extração de informações de landmarks artificiais é mais simples, uma vez que eles podem ser elaborados e posicionados de forma a facilitar essas tarefas. Em compensação, é necessário um esforço maior para se construir o ambiente de navegação, e os robôs ficam restritos a esse ambiente. Um exemplo pode ser encontrado em Becker et al. [2]. Esse trabalho mostra a utilização de landmarks artificias para reduzir a incerteza da navegação com um baixo custo de engenharia do ambiente. Outro exemplo é o trabalho de Taylor e Kriegman [16], onde landmarks em forma de códigos de barra são colocados em diversos pontos desconhecidos do ambiente de forma que o robô possa fazer uma exploração autônoma do ambiente, indo de um 'landmark visível para outro. Outra abordagem interessante é o trabalho 483 de Huttenlocher et al. [14]. Eles utilizam landmarks naturais (cadeiras, mesas, sofás) e navegam o robô estimando a sua posição e orientação através ' de mudanças no tamanho e posição dos landmarks. Essas mudanças são calculadas detectando-se as bordas dos landmarks naturais na imagem e fazendo a correspondência dessas bordas. Além da aplicação em robótica móvel terrestre, métodos visuais e landmarks também podem ser utilizados na navegação e estimação de posição de veículos aéreos, tais como dirigíveis autônomos [5], [8]. - o presente trabalho apresenta um método para estimar a distância de um robô móvel para um landmark artificial utilizando uma câmera sem calibração. O método utilizá uma abordagem similar a utilizada em [14], mas de uma maneira mais simples. Ao invés de fazer a correspondência de bordas dos landmarks naturais para medir a variação do tamanho, esse método faz a segmentação de um landmark artificial e calcula o seu tamanho contando os pixels diretamente na imagem. Utilizando-se a variação do tamanho do landmark e a distância percorrida pelo robô entre duas imagens é possível estimar a distância que separa o robô do landmark. Esse método pode ser usado para controlar o robô em pequenas tarefas ou como parte de um sistema mais elaborado de navegação em tempo real. Resultados preliminares da utilização dessa metodologia podem ser encontrados em [4]. O restante deste artigo está organizado da seguinte forma: a próxima seção explica com mais detalhes o método de estimação de distâncias e o algoritmo utilizado para testá-lo. A seção 3 apresenta a plataforma utilizada na realização dos experimentos. Na seção 4 são discutidos os resultados obtidos na execução de alguns experimentos e na seção 5 é apresentada a idéia inicial de um algoritmo de navegação que pode utilizar em parte o método de estimação visual discutido. Por fim, a seção 6 apresenta a conclusão e possibilidades de trabalhos futuros. 2 ESTIMAÇÃO DA DISTÂNCIA Quando um robô equipado com uma câmera se aproxima de algum objeto, o tamanho desse objeto na 'imagem aumenta de forma inversamente proporcional à distância que os separa e diretamente proporcional à distância percorrida entre as capturas das duas imagens. Essa é a idéia central desse método: utilizar a variação do tamanho de um landmark em duas ' imagens consecutivas e distância percorrida entre as duas capturas para estimar a. distância que separa o robô do landmark. A Figura I mostra esse fato de maneira esquemática: W é a largura do landmark, e w e w' as suas projeções em duas imagens consecutivas quando o robô percorre uma distância m. A distância focal da câmera é dada porf, e d éadistância que se deseja estimar. w d f )( ) m Figura 1: geometria aplicada pelo método f w

3 40. SBAI- Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente, São Paulo, SP, de Setembro de 1999 Utilizando a semelhança de triângulos, tem-se duas equações que representam as projeções: f w f = w' (1), (2) m +d W d W Agrupando-se as equações (1) e (2) e isolando o valor de d, obtém-se a equação desejada: w' --1 w Ou seja, a distância é diretamente proporcional ao movimento do robô e i.nversamente proporcional a razão das larguras do landmark. E importante notar que a distância focal da câmera (f) não faz parte da equação (3), indicando que a câmera não precisa ser calibrada para a estimação da distância. Uma restrição existente nesse método é que o landmark deve estar aproximadamente centralizado" na câmera e o movimento do robô deve ser feito de forma perpendicular ao plano landmark. Quando o movimento não é feito dessa forma, novos termos devem ser acrescentados às equações apresentadas. A estimação visual de distâncias foi utilizada em um algoritmo para controlar a aproximação do robô na direção do landma rk. Inicialmente, o robô captura uma imagem, move 5 polegadas para frente e captura uma nova imagem. A distância é calculada eesse processo se repete até que o robô pare quando a distância for menor que 10 polegadas. Se por algum motivo o landmark não for identificado na imagem, o robô também pára o seu movimento. Isso pode acontecer, por exemplo, se o landmark sair do campo de visão da câmera devido à presença de algum obstáculo. O processamento de imagens realizado pelo método é basicamente o seguinte: o algoritmo captura uma imagem colorida, transforma-a em tons de cinza, aplica uma operação de limiar e faz a segmentação do landmark. A operação de limiar utiliza um valor fixo, uma vez que existe um grande contraste entre o landmark e o fundo da imagem. A segmentação é utilizada para isolar o landmark, permitindo o cálculo de sua largura em pixels. Essa largura é utilizada no método de estimação de distâncias discutido acima. Mais detalhes sobre cada uma destas operações podem ser encontrados em [6]. 3 PLATAFORMA DE TESTES O robô móvel utilizado nos testes foi um Nomad 200 (Figura 2), fabricado pela Nomadic Technologies. O Nomad 200 é guiado por um mecanismo syncrho-drive, e utiliza um motor para direcionar suas 3 rodas e outro motor para executar a translação. A torre pode girar independentemente da base, o que pode ser importante na realização de certas tarefas. O robô é equipado com diversos tipos de sensores tais como um sistema visual colorido, 16 sensores de ultrasom, 16 sensores infravermelhos, uma bússola, sensores de contato (bumpers) e encoders de posição. Ele possui um processador pentium-pro 200 MHz, com 64 Mb de memória RAM, onde todo o processamento de imagens é realizado. (3) Figura 2: robô Nomad 200 O landma rk utilizado foi um quadrado preto, com dois tamanhos fixos: 5x5 e lox10 polegadas. A Figura 3 mostra a montagem do experimento com o robô se movendo na direção do landmark. A Figura 4 mostra duas imagens (320x240 pixels) após a aplicação do limiar. Elas mostram o landmark capturado a partir de 85 e 15 polegadas com larguras iguais a 17 e 90 pixels respectivamente. Figura 3: robô movendo-se na direção do landmark Figura 4: imagens do landmark após a aplicação da operação de limiar. Os resultados dos experimentos são mostrados na próxima seção. Cada execução foi repetida diversas vezes e os resultados foram comparados com leituras do sonar para verificar o correto funcionamento do método visual de estimação de distâncias. 4 RESULTADOS EXPERIMENTAIS O primeiro experimento foi realizado utilizando-se o Landmark de tamanho 5x5 polegadas. O gráfico da Figura 5 mostra os resultados obtidos. O eixo x do gráfico contém a distância medida pelo sonar e o eixo y a diferença entre essa distância e a distância estimada pelo método visual.. 484

4 40 30 &.10 -;;; O 0- S-lO C SBAI - Simpósio Brasileiro de Automação inteligente, São Paulo, SP. 08-í Ode Setembro de 1999 Distância medida pelo sons. ( pai. ) Figura 5: diferença entre as medidas do sonar e do método visual à medida que o robô se aproxima do landmark de tamanho 5x5 polegadas Pelo gráfico, pode-se observar que o método de estimação visual funciona bem quando o robô está relativamente perto do landmark (menos de 40 polegadas para esse tamanho de landmark). Para distâncias maiores, o método não é muito preciso, e as diferenças entre a leitura do sonar eadistância estimada pelo método visual tornam-se maiores. Isso acontece porque, quando a câmera está longe do landmark, as computadas em duas imagens consecutivas são muito próximas. Quando a câmera está distante, uma diferença de 5 polegadas na distância causa uma variação de apenas um ou dois pixels na largura. Como a medida em pixels é sempre um valor discreto, o método torna-se impreciso quando a variação da largura é pequena. Por exemplo, se a largura aumentar aproximadamente 1,5 pixels, esse valor será discretizado para I ou 2, o que gera estas imprecisões. Esse fato pode ser melhor observado através do gráfico da Figura 6. Este gráfico mostra a largura do landmark (em pixels) computada pelo método visual à medida que o robô se aproxima dele. A derivada dessa curva é próxima de zero quando o robô está distante, aumentando a medida que o robô se aproxima. A derivada representa exatamente a variação da largura e valores pequenos para essa variação levam às imprecisões encontradas. Em alguns experimentos, quando a distância foi maior que 100 polegadas, não houve diferença na largura calculada em duas imagens consecutivas, causando uma divisão por zero na equação (3). 250 Ui' ã;! 200.>: 150 " <:.!! 100.g l'! " 50 E!' :l O DistAncia medida pelo sonar ( pol. ) Figura 6: largura do landmark medida quando o robô se aproxima-dele, Esse tipo de erro pode ser em parte evitado utilizando-se um landmark de tamanho 'maior. Quando o tamanho aumenta, a diferença entre as larguras em duas imagens consecutivas também aumenta, e o método torna-se mais preciso para distâncias maiores. O gráfico da Figura 7 mostra esse fato. Os experimentos fóram realizados com o método de estimação visual utilizando-se o landmark de tamanho lox10 polegadas, e os resultados foram comparados com as medidas do sonar. O gráfico mostra que o método passa a funcionar bem para uma 485 distância maior, igual a 60 polegadas. Apesar de melhorar a precisão do método, o uso de landmarks maiores tem alguns inconvenientes: quando a distância se torna muito pequena, o landnzark encosta nas bordas da imagem, impedindo a execução do método e fazendo com que o robô pare o seu movimento. Na gráfico da Figura 7 isso ocorre quando a distância é igual a 15 polegadas ::;- 20! 10 fl, O! Distância medida pelo sonar ( pol. ) Figura 7: diferença entre as medidas do sonar e do método visual à medida que o robô se aproxima do landmark de tamanho lodo polegadas Como foi dito anteriormente, uma das principais vantagens desse método é a sua simplicidade e rapidez. As operações de segmentação da imagem e cálculo da distância são relativamente simples, e podem ser executadas com um custo computacional baixo. Para verificar esse fato, os tempos de execução de cada uma das fases do processamento foram medidos. O tempo médio para o processamento de uma imagem e o cálculo da distância variou de lia 17 milisegundos, proporcionalmente à largura do landmark na imagem. A maior parte desse tempo foi gasta no algoritmo de segmentação. A captura da imagem foi um pouco mais demorada, variando entre 50 e 60 milisegundos. O tempo total (captura + processamento) ficou em torno de 70 milisegundos, o que dá uma taxa de aproximadamente 15 quadros processados por segundo. Essa taxa ainda pode ser melhorada pois a captura da imagem, que é a fase mais demorada, está sendo feita em cores e apenas uma das três bandas RGB da imagem está sendo utilizada. Portanto, a utilização de imagens em tons de cinza e algumas alterações no algoritmo de segmentação podem trazer melhorias de desempenho. 5 ALGORITMO DE NAVEGAÇÃO O prédio do Instituto de Ciências Exatas \ICEx) da. UFMG é composto de diversos corredores onde se SItuam várias salas e laboratórios. Cada sala possui ao lado da porta duas placas que identificam seu nome e número, além de um pequeno quadronegro para eventuais mensagens, como pode ser.visto na Figura 8. Um algoritmo que permitisse um robô navegar de. autônoma pelos corredores do prédio seria de grande utilidade e interesse. A idéia básica é permitir que o robô navegue pelos corredores do ICEx identificando a sua posição de acordo com as placas de cada sala. Através desse e -de posse de um conhecimento prévio das posições-relativas de cada sala (por exemplo, a sala 3020 está a direita da 3021), o robô seria capaz de executar tarefas específicas como ir de uma sala a outra, entregar correspondências, guiar visitantes, etc.

5 40. SBAI - Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente, São Pauto, SP, de Setembro de 1999 visual para determinar a sua posiç ão, a partir das placas de identificação das salas. O que se pretende agora é analisar a viabilidade de utilização das metodologias propostas para esse algoritmo e tentar implementá-ias na navegação autônoma do robô Nomad 200. Figura 8: identificação de uma das salas do prédio do Instituto de Ciências Exatas (ICEx) da UFMG Esse algoritmo para a navegação autônoma deve ser composto por dois módulos básicos: um responsável pela movimentação e desvio de obstáculos e outro responsável pela identificação da posição do robô. A idéia é que o primeiro módulo seja implementado através de sonar. Isso pode ser feito tanto utilizando-se métodos mais simples como Wall Following [15] quanto através de métodos mais complexos como por exemplo Occupancy Grids [10]. Um algoritmo inicial baseado em wallfollowing já foi desenvolvido e testado em um simulador, apresentando bons resultados. o módulo para a determinação da posição do robô, vai se basear nas placas de identificação existentes. A medida que o robô for navegando pelos corredores, a câmera irá capturar imagens que serão analisadas para determinar a presença de uma placa de identificação e o seu número, de forma que o robô possa determinar a sua posição. O algoritmo de estimação de distâncias poderá ser utilizado para fazer a aproximação do robô com relação as placas, utilizando como landmark o quadro-negro situado abaixo delas -(Figura 8). Isso pode ser necessário para realizar uma captura mais precisa da imagem da placa de identificação contendo o número da sala. A descrição apresentada acima é apenas um esboço da idéia a ser utilizada pelo algoritmo de navegação. Um -estudo mais profundo deve ser realizado para verificar se as soluções propostas são viáveis, qual a complexidade da integração dos diversos sensores para o controle do robô, etc. 6 CONCLUSÃO Esse trabalho apresentou um método simples para a estimação da distância de um robô móvel para um landmark artificial. Ele usa' a variação do tamanho do landmark em imagens capturadas por uma câmera sem calibração e a distância percorrida pelo robô para estimar a distância que o separa do landmark. Experimentos realizados utilizando-se um robô Nomad 200, mostraram que o método funciona bem quando o. robô está relativamente perto do landmark. Uma das principais vantagens deste método é que ele bem rápido, gastando aproximadamente 70 milisegundos em média para capturar e processar uma imagem. Isso fornece uma taxa de 15 quadros por segundo, o que é suficiente para. controlar um robô em tempo real. Além disso, foi apresentado o esboço de um algoritmo para controlar navegação de um robô móvel pelos corredores do Instituto de Ciências Exatas da UFMG. O algoritmo usaria sensores de ultrasom para o desvio de obstáculos e um método 7 REFERÊNCIAS [1] Barron, J. L., Fleet, D. J. and Beauchemin, S. S., "Performance of Optical Flow Techniques", International Journal ofcomputer Vision 12:1, pp ,1994. [2] Becker, c., Salas, J., Tokusei, K. and Latombe, J-c., "Rel íable Navigation Using Landrnarks", in Proceedings of the IEEE Intemational Conference on Robotics and Automation, 1995, pp [3] Bruce, V., Green, P. R., Geogeson, M. A., Visual Perception - Physiology, Psychology and Ecology, Psychology Press, East Sussex, UK, [4] Campos, M. F. M. and Chaimowicz, L., "Visual Measurement Estimation for Autonomous Vehicle Navigation", in Proceedings of SPIE's is' Annual lnternational Symposium OIl Aerospace / Defense Sensing Simulation and Controls, 1999, Orlando, Florida, USA. [5] Campos, M. F. M. and Coelho, L. S., "Autonomous Dirigible Navigation Using Visual Tracking and Pose Estimation", in Proceedings of the IEEE Intemational Conference on Robotics and Automation, 1999, Detroit, Michigan, USA. [6] Castleman, K. R., Digital Image Processing; Prentice Hall, Englewwod Cliffs, New Jersey, [7] Chatila, R., "Mobile Robot Navigation Algorithms", in Algorithmic Foundations of Robotics, A. K. Peters, Wellesley, Massachusetts, [8] Coelho, L. S., Campos, M. F. M. and Kumar, V., "Computer Vision-Based Navigation for Autonomous Blimps", in Proceedings ofsibgrapi'98 - lnternational Symposium on Computer Graphics and Image Processing; Rio de Janeiro, Brazil, [9] Dean, T. L. and Wellman, M. P., Planning and Control, Morgan Kaufmann Publishers, San Mateo California, [10] Elfes, A., "Using Occupancy Grids for Mobile Robot Perception and Navigation", IEEE Computer Magazine, Special Issue on Autonomous and Intelligent Machines, June Invited Paper. [11] Fermüller, C. and Aloimonos Y., "Tracking Facilitates 3- D motion Estimation", Biological Cybernetics, n. 67, pp , [12] Horn, B. K. P., Robot Vision, MIT Press, Cambridge, [13] Hutchinson, S., Hager, G. D. and Cork, P. 1., "A Tutorial on Visual Servo Control", IEEE Transactions on Robotics and Automation, Vol. 12, N. 5, pp , October, [14] Huttenlocher, D. P., Leventon, M. E. and Rucklidge, William J., "Visually-Guided Navigation by Comparing Edge Images", in AIgorithmic Foundations of Robotics, A. K. Peters, Wellesley, Massachusetts,

6 40. SBAI - Simpós io Brasileiro de Auiomação Inteligente, São Paulo, SP, de Setembro de 1999 [15] Latombe, J. C, Robot Motion Planning; Kluwer Academic Publishers, NorwelI MA., [16] Taylor, C. J. and Kriegman, D. J., "Vision-Based Motion Planning and Exploration Algorithms for Mobile Robots", IEEE Transactions on Robotics and Automation, VoI. 14, N. 3, pp , June, [17] Zhang, Z. and Faugeras, O. D., "Building a 3D World Model with a Mobile Robot", in Proceedings of the 10th International Conference on Pattern Recognition,

Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento

Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento Desenvolvimento de um Sistema Híbrido para Rastreamento de Objetos aplicado ao Futebol de Robôs Eduardo W. Basso 1, Diego M. Pereira 2, Paulo Schreiner 2 1 Laboratório de Robótica Inteligente Instituto

Leia mais

INTRODUÇÃO À ROBÓTICA MÓVEL

INTRODUÇÃO À ROBÓTICA MÓVEL INTRODUÇÃO À ROBÓTICA MÓVEL Aula 15 Edson Prestes Departamento de Informática Teórica http://www.inf.ufrgs.br/~prestes prestes@inf.ufrgs.br REPRESENTAÇÃO DO AMBIENTE Decomposição Aproximada - Occupancy

Leia mais

Projeto: Estudo da arquitetura de navegação autônoma para robôs móveis SFX. Orientando: Julian Alberto Piovesan Ruiz Diaz Orientador: Adriana Postal

Projeto: Estudo da arquitetura de navegação autônoma para robôs móveis SFX. Orientando: Julian Alberto Piovesan Ruiz Diaz Orientador: Adriana Postal Projeto: Estudo da arquitetura de navegação autônoma para robôs móveis SFX. Orientando: Julian Alberto Piovesan Ruiz Diaz Orientador: Adriana Postal RELATO SOBRE O PROJETO: Este projeto tem como objetivo

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. Herondino

Processamento de Imagem. Prof. Herondino Processamento de Imagem Prof. Herondino Sensoriamento Remoto Para o Canada Centre for Remote Sensing - CCRS (2010), o sensoriamento remoto é a ciência (e em certa medida, a arte) de aquisição de informações

Leia mais

Visão Computacional e Realidade Aumentada. Trabalho 3 Reconstrução 3D. Pedro Sampaio Vieira. Prof. Marcelo Gattass

Visão Computacional e Realidade Aumentada. Trabalho 3 Reconstrução 3D. Pedro Sampaio Vieira. Prof. Marcelo Gattass Visão Computacional e Realidade Aumentada Trabalho 3 Reconstrução 3D Pedro Sampaio Vieira Prof. Marcelo Gattass 1 Introdução Reconstrução tridimensional é um assunto muito estudado na área de visão computacional.

Leia mais

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE F EDERAL DE P ERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2010.2 ANÁLISE DE UM MÉTODO PARA DETECÇÃO DE PEDESTRES EM IMAGENS PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno!

Leia mais

Sistema de Navegação Autônoma de Robôs Móveis em Ambiente com Obstáculos em Movimento. Resumo

Sistema de Navegação Autônoma de Robôs Móveis em Ambiente com Obstáculos em Movimento. Resumo TECNOLOGIA Sistema de Navegação Autônoma de Robôs Móveis em Ambiente com Obstáculos em Movimento Resumo Felipe A. Pinagé 1, Hayanna S. Pinheiro 2, José P. Queiroz-Neto 3 O presente artigo consiste em uma

Leia mais

Rastreamento de Múltiplos. Objetos em Tempo Real

Rastreamento de Múltiplos. Objetos em Tempo Real Rastreamento de Múltiplos Objetos em Tempo Real THIAGO DA ROSA DE BUSTAMANTE 1 UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos, 667 Pampulha - Belo Horizonte, MG, Brasil trb@dcc.ufmg.br

Leia mais

de Bordas em Imagens Digitais

de Bordas em Imagens Digitais Anais do CNMAC v.2 ISSN 1984-820X Avaliação Quantitativa de um Método Automático de Extração de Bordas em Imagens Digitais Inês A. Gasparotto Boaventura Departamento de Ciências de Computação e Estatística,

Leia mais

Exploração de Ambientes Não- Estruturados com Terreno Acidentado por Robôs Móveis

Exploração de Ambientes Não- Estruturados com Terreno Acidentado por Robôs Móveis Exploração de Ambientes Não- Estruturados com Terreno Acidentado por Robôs Móveis Pedro Eduardo Gonzales Panta PUC-Rio pedro.gonzales@gmail.com Resumo: A exploração de ambientes não estruturados, como

Leia mais

RELATIVA ENTRE AS CÂMERAS

RELATIVA ENTRE AS CÂMERAS SISTEMA DE VISÃO ESTÉREO HÍBRIDO COM RECUPERAÇÃO DA POSIÇÃO RELATIVA ENTRE AS CÂMERAS Igor Magri Vale, Julio Storch Dalfior, Raquel Frizera Vassallo Dpto. de Engenharia Elétrica, Universidade Federal do

Leia mais

ROBÓTICA INTELIGENTE: USO DE VISÃO COMPUTACIONAL VOLTADA PARA O CONTROLE E NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS AUTÔNOMOS

ROBÓTICA INTELIGENTE: USO DE VISÃO COMPUTACIONAL VOLTADA PARA O CONTROLE E NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS AUTÔNOMOS ROBÓTICA INTELIGENTE: USO DE VISÃO COMPUTACIONAL VOLTADA PARA O CONTROLE E NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS AUTÔNOMOS Matheus Doretto Compri, Fernando Osório, Denis Wolf Instituto de Ciências Matemáticas e de

Leia mais

5 Sistema Experimental

5 Sistema Experimental 5 Sistema Experimental Este capitulo apresenta o sistema experimental utilizado e é composto das seguintes seções: - 5.1 Robô ER1: Descreve o robô utilizado. É dividida nas seguintes subseções: - 5.1.1

Leia mais

Navegação autônoma de robôs baseada em técnicas de mapeamento e aprendizagem de máquina

Navegação autônoma de robôs baseada em técnicas de mapeamento e aprendizagem de máquina Navegação autônoma de robôs baseada em técnicas de mapeamento e aprizagem de máquina Alcides Xavier Benicasa 1 Resumo: Este artigo tem como objetivo principal apresentar um método de navegação autônoma

Leia mais

Um Sistema de Visão Computacional Baseado em Cores Aplicado ao Controle de um Robô Móvel

Um Sistema de Visão Computacional Baseado em Cores Aplicado ao Controle de um Robô Móvel 1 Um Sistema de Visão Computacional Baseado em Cores Aplicado ao Controle de um Robô Móvel M. G. Quiles, Mestrando, ICMC-USP, e R. A. F. Romero, Professora Associada, ICMC-USP Abstract Many works in last

Leia mais

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Access Control System Based on Face Recognition Tiago A. Neves, Welton S. De Oliveira e Jean-Jacques De Groote Faculdades COC de Ribeirão

Leia mais

Medição de Velocidade Angular Usando Pll: Medidas de Alta Resolução Usando Enconders de Baixa Resolução

Medição de Velocidade Angular Usando Pll: Medidas de Alta Resolução Usando Enconders de Baixa Resolução Medição de Velocidade Angular Usando Pll: Medidas de Alta Resolução Usando Enconders de Baixa Resolução José G. N. de Carvalho Filho 1, Elyson A. N. Carvalho 1,2, Lucas Molina 1,3, Eduardo O. Freire 1

Leia mais

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

Um Método Projetivo para Cálculo de Dimensões de Caixas em Tempo Real

Um Método Projetivo para Cálculo de Dimensões de Caixas em Tempo Real Um Método Projetivo para Cálculo de Dimensões de Caixas em Tempo Real Leandro A. F. Fernandes 1, Manuel M. Oliveira (Orientador) 1 1 Instituto de Informática Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Leia mais

PLANEJAMENTO DE TRAJETÓRIAS PARA ROBÔS MÓVEIS EM AMBIENTES DESCONHECIDOS

PLANEJAMENTO DE TRAJETÓRIAS PARA ROBÔS MÓVEIS EM AMBIENTES DESCONHECIDOS PLANEJAMENTO DE TRAJETÓRIAS PARA ROBÔS MÓVEIS EM AMBIENTES DESCONHECIDOS GUILHERME DE LIMA OTTONI Engenharia de Computação, Fundação Universidade Federal do Rio Grande Av. Itália, Km 8, 96201-900 Rio Grande,

Leia mais

ANÁLISE DE OBSTÁCULOS. Rosa, Isac M., Prado, A. A. e Amorim A. E. A. FATEC-JAHU/ CEETEPS Email: amorim.fatec@hotmail.com

ANÁLISE DE OBSTÁCULOS. Rosa, Isac M., Prado, A. A. e Amorim A. E. A. FATEC-JAHU/ CEETEPS Email: amorim.fatec@hotmail.com ANÁLISE DE OBSTÁCULOS Rosa, Isac M., Prado, A. A. e Amorim A. E. A. FATEC-JAHU/ CEETEPS Email: amorim.fatec@hotmail.com RESUMO Este trabalho apresenta uma proposta de um programa para identificar obstáculos

Leia mais

Algoritmos de Subtração Básica de Fundo

Algoritmos de Subtração Básica de Fundo Algoritmos de Subtração Básica de Fundo Leonardo Ronald Perin Rauta leonardorauta@univali.br UNIVALI Anita Maria da Rocha Fernandes anita.fernandes@univali.br UNIVALI Resumo:Algoritmos de subtração de

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE MARCADORES DE PAVIMENTAÇÃO NA ORIENTAÇÃO DE CEGOS

IDENTIFICAÇÃO DE MARCADORES DE PAVIMENTAÇÃO NA ORIENTAÇÃO DE CEGOS IDENTIFICAÇÃO DE MARCADORES DE PAVIMENTAÇÃO NA ORIENTAÇÃO DE CEGOS André Zuconelli¹, Manassés Ribeiro² Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Videira Rodovia SC, Km 5

Leia mais

Uma Arquitetura Distribuída de Hardware e Software para Controle de um Robô Móvel Autônomo

Uma Arquitetura Distribuída de Hardware e Software para Controle de um Robô Móvel Autônomo Uma Arquitetura Distribuída de Hardware e Software para Controle de um Robô Móvel Autônomo rbritto@dca.ufrn.br Orientador: Adelardo A. D. Medeiros adelardo@dca.ufrn.br - Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes

Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes Controle Inteligente de Robôs Móveis Autônomos utilizando Sistemas Inteligentes Aluno: Gabriel Lins Tenório Orientadoras: Roxana Jiménez e Marley Rebuzzi Vellasco Introdução A aplicação de robôs móveis

Leia mais

ESTIMAÇÃO DE POSIÇÃO E ORIENTAÇÃO PARA ROBÔS MÓVEIS. Brasil

ESTIMAÇÃO DE POSIÇÃO E ORIENTAÇÃO PARA ROBÔS MÓVEIS. Brasil ESTIMAÇÃO DE POSIÇÃO E ORIENTAÇÃO PARA ROBÔS MÓVEIS JOSÉ G. N. DE CARVALHO FILHO 1, LUCAS MOLINA 1, 3, KAMEL BENSEBAA 2, ELYSON A. N. CARVALHO 1,4 E EDUARDO O. FREIRE 1 1 Departamento de Engenharia Elétrica,

Leia mais

Sistema de controle para o futebol de robôs Relatório Final

Sistema de controle para o futebol de robôs Relatório Final Projeto de Iniciação Científica Sistema de controle para o futebol de robôs Relatório Final Bolsista: Ronaldo Kazuyoshi Satomi e-mail: rksatomi@yahoo.com.br Orientador: Prof. Flávio Tonidandel Departamento:

Leia mais

Verificação de Impressões Digitais usando Algoritmos Genéticos

Verificação de Impressões Digitais usando Algoritmos Genéticos 1. Introdução Verificação de Impressões Digitais usando Algoritmos Genéticos Matheus Giovanni Pires, Fernando Vieira Duarte, Adilson Gonzaga Escola de Engenharia de São Carlos Universidade de São Paulo

Leia mais

Integração avançada entre sistemas de movimento e visão

Integração avançada entre sistemas de movimento e visão Integração avançada entre sistemas de movimento e visão Marcelo Costa Engenheiro de Vendas Telles Soares Engenheiro de Campo Agenda Benefícios da integração Tipos de integração e exemplos MOVIMENTO VISÃO

Leia mais

UTILIZANDO VISÃO COMPUTACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO PROBABILÍSTICA 3D E RASTREAMENTO DE MOVIMENTO

UTILIZANDO VISÃO COMPUTACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO PROBABILÍSTICA 3D E RASTREAMENTO DE MOVIMENTO UTILIZANDO VISÃO COMPUTACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO PROBABILÍSTICA 3D E RASTREAMENTO DE MOVIMENTO GISELE M. SIMAS 1, GUILHERME P. FICKEL 2, LUCAS NOVELO 3, RODRIGO A. DE BEM 4, SILVIA S. C. BOTELHO 5 Universidade

Leia mais

Navegação Visual de Robôs Móveis Autônomos Baseada em Métodos de Correlação de Imagens

Navegação Visual de Robôs Móveis Autônomos Baseada em Métodos de Correlação de Imagens Navegação Visual de Robôs Móveis Autônomos Baseada em Métodos de Correlação de Imagens Leandro Facchinetti Inst. de Ciências Matemáticas e de Computação - ICMC Universidade de São Paulo - USP São Carlos,

Leia mais

Método de Avaliação de Detector de Bordas em Imagens Digitais

Método de Avaliação de Detector de Bordas em Imagens Digitais Método de Avaliação de Detector de Bordas em Imagens Digitais Inês A. G. Boaventura DCCE, IBILCE, UNESP Rua Cristovão Colombo, 2265 15054-000, São José do Rio Preto, SP, Brasil ines@ibilce.unesp.br Adilson

Leia mais

Computação Embarcada Projeto e Implementação de Veículos Autônomos Inteligentes

Computação Embarcada Projeto e Implementação de Veículos Autônomos Inteligentes XXV CONGRESSO DA SBC JAI 2005 Computação Embarcada Projeto e Implementação de Veículos Autônomos Inteligentes - GPVA Dr. Christian R. Kelber Dr. Cláudio R. Jung MSc. Farlei Heinen http://www.eletrica eletrica.unisinos..unisinos.br/~autonom

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS André Zuconelli 1 ; Manassés Ribeiro 2 1. Aluno do Curso Técnico em Informática, turma 2010, Instituto Federal Catarinense, Câmpus Videira, andre_zuconelli@hotmail.com

Leia mais

Sistema de Rastreamento de Objetos Através de Múltiplas Câmeras

Sistema de Rastreamento de Objetos Através de Múltiplas Câmeras Sistema de Rastreamento de Objetos Através de Múltiplas Câmeras André Luís Beling da Rosa 1, Dalton Solano dos Reis 1, Paulo César Rodacki Gomes 1,3, Mauricio Edgar Stivanello 2 1 Departamento de Sistemas

Leia mais

Dispositivo eletrônico de baixo custo para georreferenciamento automático de imagens digitais obtidas em tempo real

Dispositivo eletrônico de baixo custo para georreferenciamento automático de imagens digitais obtidas em tempo real Dispositivo eletrônico de baio custo para georreferenciamento automático de imagens digitais obtidas em tempo real Daniel Mário Adamis 1 Felipe Leonardo Lobo Medeiros 1 1 Instituto de Estudos Avançados

Leia mais

Localização de placas em imagens de veículos. Resumo

Localização de placas em imagens de veículos. Resumo Localização de placas em imagens de veículos Geovane Hilário Linzmeyer Curso de Inteligência Computacional Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, dezembro de 2005 Resumo Um dos maiores problemas

Leia mais

INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL?

INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL? INTRODUÇÃO O QUE É VISÃO COMPUTACIONAL? Sinônimo Visão Computacional =========== Visão de Máquinas Análise de Imagens, Análise de Cenas Image Understanding Oposto Visão Computacional =========== Computação

Leia mais

ESTIMAÇÃO DE POSIÇÃO E VELOCIDADE DE ROBÔS MÓVEIS COM RESTRIÇÕES HOLONÔMICAS UTILIZANDO SENSORES DE FLUXO ÓPTICO E FILTRO ALFA-BETA.

ESTIMAÇÃO DE POSIÇÃO E VELOCIDADE DE ROBÔS MÓVEIS COM RESTRIÇÕES HOLONÔMICAS UTILIZANDO SENSORES DE FLUXO ÓPTICO E FILTRO ALFA-BETA. ESTIMAÇÃO DE POSIÇÃO E VELOCIDADE DE ROBÔS MÓVEIS COM RESTRIÇÕES HOLONÔMICAS UTILIZANDO SENSORES DE FLUXO ÓPTICO E FILTRO ALFA-BETA. LUCAS MOLINA 1,2, MATHEUS A. MOURA 1, ELYSON A. N. CARVALHO 1,3, EDUARDO

Leia mais

Captura e Alinhamento de Imagens: Um Banco de Faces Brasileiro

Captura e Alinhamento de Imagens: Um Banco de Faces Brasileiro Centro Universitário da FEI Projeto de Pesquisa Relatório Final Captura e Alinhamento de Imagens: Um Banco de Faces Brasileiro Aluno: Leo Leonel de Oliveira Junior Departamento: Engenharia Elétrica Orientador:

Leia mais

VISÃO COMPUTACIONAL COM A OPENCV MATERIAL APOSTILADO E VEÍCULO SEGUIDOR AUTÔNOMO. Professora da Escola de Engenharia Mauá (EEM/CEUN-IMT).

VISÃO COMPUTACIONAL COM A OPENCV MATERIAL APOSTILADO E VEÍCULO SEGUIDOR AUTÔNOMO. Professora da Escola de Engenharia Mauá (EEM/CEUN-IMT). VISÃO COMPUTACIONAL COM A OPENCV MATERIAL APOSTILADO E VEÍCULO SEGUIDOR AUTÔNOMO Riccardo Luigi Delai 1 ; Alessandra Dutra Coelho 2 1 Aluno de Iniciação Científica da Escola de Engenharia Mauá (EEM/CEUN-IMT);

Leia mais

PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ DE SERVIÇO INCORPORANDO AS VANTAGENS DE PROTOTIPAÇÃO RÁPIDA.

PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ DE SERVIÇO INCORPORANDO AS VANTAGENS DE PROTOTIPAÇÃO RÁPIDA. PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ DE SERVIÇO INCORPORANDO AS VANTAGENS DE PROTOTIPAÇÃO RÁPIDA. André Gustavo S. Conceição 1, Luciano F. Chaves 2, Luís Fernando A. Pereira 3 Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Segmentação de imagens de profundidade por limiarização com morfologia matemática. Jorge Antonio Silva Centeno 1 Regina Tiemy Kishi 2

Segmentação de imagens de profundidade por limiarização com morfologia matemática. Jorge Antonio Silva Centeno 1 Regina Tiemy Kishi 2 Segmentação de imagens de profundidade por limiarização com morfologia matemática Jorge Antonio Silva Centeno 1 Regina Tiemy Kishi 2 Universidade Federal do Paraná - UFPR 1 Departamento de Geomática 2

Leia mais

Filtro de Imagem Baseado em Matriz RGB de Cores- Padrão para Futebol de Robôs

Filtro de Imagem Baseado em Matriz RGB de Cores- Padrão para Futebol de Robôs Filtro de Imagem Baseado em Matriz RGB de Cores- Padrão para Futebol de Robôs Eder A. Penharbel, Ricardo C. Destro, Flavio Tonidandel, Reinaldo A.C. Bianchi Centro Universitário da FEI UniFEI Av. Humberto

Leia mais

A New Indoor Position Estimation Method of RFID Tags for Continuous Moving Navigation Systems

A New Indoor Position Estimation Method of RFID Tags for Continuous Moving Navigation Systems Junho 2013 Bruno Macena (bmdm) Felipe Duarte (fds) Guilherme Cavalcanti (gjcc) Igor Gomes (ilrg) Jorge Vinícius(jvdl) AGENDA Contexto S-CRR (Swift Communication Range Recognition) Descrição Procedimento

Leia mais

Stereo-Based Detection and Localization of Obstacles in Indoor Environments

Stereo-Based Detection and Localization of Obstacles in Indoor Environments José A. de França Universidade Estadual de Londrina Departamento de Engenharia Elétrica Caixa Postal 6025 86051-990, Londrina - PR, Brazil http://research.eeol.org/ Email: josealexandre@eeol.org Maria

Leia mais

INICIAÇÃO Revista Eletrônica de Iniciação Científica, Tecnológica e Artística

INICIAÇÃO Revista Eletrônica de Iniciação Científica, Tecnológica e Artística Avaliação de softwares de rastreamento de cabeça Alunos: Filipe Kunioshi 1 Francisco Carvalho Nin Ferreira 2 Orientador: Fábio R. de Miranda 3 Laboratório de Pesquisa em Ambientes Interativos Centro Universitário

Leia mais

5º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS

5º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS 5º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM POSICIONAMENTO DE UM VEÍCULO AÉREO AUTÔNOMO PARA DETECÇÃO DE CORROSÕES EM DUTOS Tania Luna Laura, Pablo Javier Alsina, Adelardo Dantas de Medeiros

Leia mais

Um Método Simples e Eficiente para Detecção de Atividade de Voz Usando a Transformada Wavelet

Um Método Simples e Eficiente para Detecção de Atividade de Voz Usando a Transformada Wavelet Anais do CNMAC v.2 ISSN 984-82X Um Método Simples e Eficiente para de Atividade de Voz Usando a Transformada Wavelet Marco A. Q. Duarte Curso de Matemática, UUC, UEMS 7954-, Cassilândia, MS E-mail: marco@uems.br

Leia mais

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Paula Rayane Mota Costa Pereira*, Josemar Rodrigues de Souza**, Resumo * Bolsista de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC,

Leia mais

Sistema de Contagem, Identificação e Monitoramento Automático de Rotas de Veículos baseado em Visão Computacional

Sistema de Contagem, Identificação e Monitoramento Automático de Rotas de Veículos baseado em Visão Computacional Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Controle e Automação Sistema de Contagem, Identificação e Monitoramento Automático de Rotas de Veículos baseado

Leia mais

Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual

Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual Avaliação de técnicas de seleção de quadros-chave na recuperação de informação por conteúdo visual Shênia Salvador de Pinho, Kleber J. F. Souza Instituto de Ciências Exatas e Informática PUC Minas Guanhães,

Leia mais

3DODYUDVFKDYH Visão Computacional, Inteligência Artificial, Redes Neurais Artificiais.

3DODYUDVFKDYH Visão Computacional, Inteligência Artificial, Redes Neurais Artificiais. 80,7(0$'(9, 23$5$5(&21+(&,0(172'(3(d$(080 7$%8/(,52'(;$'5(= Sérgio Faustino Ribeiro Juracy Emanuel M. da França Marcelo Alves de Barros José Homero Feitosa Cavalcanti Universidade Federal da Paraíba CCT/COPIN/NEUROLAB-CT/DTM

Leia mais

Identificação de Padrões em Imagens de Sistemas de Segurança Utilizando Wavelets

Identificação de Padrões em Imagens de Sistemas de Segurança Utilizando Wavelets Identificação de Padrões em Imagens de Sistemas de Segurança Utilizando Wavelets. Introdução O propósito deste trabalho é avaliar as técnicas de visão computacional e mostrar que é possível identificar

Leia mais

RECONHECIMENTO DE PLACAS DE AUTOMÓVEIS ATRAVÉS DE CÂMERAS IP

RECONHECIMENTO DE PLACAS DE AUTOMÓVEIS ATRAVÉS DE CÂMERAS IP RECONHECIMENTO DE PLACAS DE AUTOMÓVEIS ATRAVÉS DE CÂMERAS IP Caio Augusto de Queiroz Souza caioaugusto@msn.com Éric Fleming Bonilha eric@digifort.com.br Gilson Torres Dias gilson@maempec.com.br Luciano

Leia mais

Rastreamento Dinâmico de Objetos: Um Experimento Didático Integrando Conceitos de Hardware e Software

Rastreamento Dinâmico de Objetos: Um Experimento Didático Integrando Conceitos de Hardware e Software Rastreamento Dinâmico de Objetos: Um Experimento Didático Integrando Conceitos de Hardware e Software Emerson G. Moretto 2, Markus Reichel 2, Hemerson Pistori 1 1 Grupo de Pesquisa em Engenharia e Computação

Leia mais

INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM ROBÔS LEGO

INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM ROBÔS LEGO RAYNER DE MELO PIRES ANA PAULA SUZUKI ANDRÉ REIS DE GEUS GABRIELA QUIRINO PEREIRA SALVIANO LUDGÉRIO FELIPE GOMES INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM ROBÔS LEGO JULHO DE 2010 SUMÁRIO 1 O que é o NXT?...4 2 Explicando

Leia mais

REDES NEURAIS PARA IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES NA DETECÇÃO DE QUEIMADAS NA FLORESTA AMAZÔNICA

REDES NEURAIS PARA IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES NA DETECÇÃO DE QUEIMADAS NA FLORESTA AMAZÔNICA REDES NEURAIS PARA IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES NA DETECÇÃO DE QUEIMADAS NA FLORESTA AMAZÔNICA Luiz Pinheiro Duarte Neto 1, Lauro Yasumasa Nakayama 2, Juliano João Bazzo 3 1 Instituto Nacional de Pesquisas

Leia mais

Autor: Claudia Patricia Ochoa Díaz

Autor: Claudia Patricia Ochoa Díaz Proposta de Trabalho de Dissertação Técnicas Probabilísticas de Localização e Mapamento aplicadas à Robótica Móvel Autor: Claudia Patricia Ochoa Díaz Orientador: Alberto José Álvares, Dr. Eng. UNIVERSIDADE

Leia mais

Ariadnes: um sistema de mapeamento e navegação autônoma em ambientes virtuais

Ariadnes: um sistema de mapeamento e navegação autônoma em ambientes virtuais Ariadnes: um sistema de mapeamento e navegação autônoma em ambientes virtuais Thiago R. Nunes, Chrystiano S. Araújo, Leandro M. Cruz, Italo O. Matias Universidade Candido Mendes Campos dos Goytacazes -

Leia mais

Comparação entre a Máscara de Nitidez Cúbica e o Laplaciano para Realce de Imagens Digitais

Comparação entre a Máscara de Nitidez Cúbica e o Laplaciano para Realce de Imagens Digitais Comparação entre a Máscara de Nitidez Cúbica e o Laplaciano para Realce de Imagens Digitais Wesley B. Dourado, Renata N. Imada, Programa de Pós-Graduação em Matemática Aplicada e Computacional, FCT, UNESP,

Leia mais

Auto-Calibração de Câmeras em Visão Estéreo

Auto-Calibração de Câmeras em Visão Estéreo Auto-Calibração de Câmeras em Visão Estéreo Israel de Morais Madalena, David Menotti PPGCC - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação UFOP - Universidade Federal de Ouro Preto Ouro Preto, Minas

Leia mais

Implementação de Algoritmo em PHP para Detecção de Faces em Imagens Estáticas

Implementação de Algoritmo em PHP para Detecção de Faces em Imagens Estáticas Implementação de Algoritmo em PHP para Detecção de Faces em Imagens Estáticas Helmiton Filho, Mikaelle Oliveira, Carlos Danilo Miranda Regis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Leia mais

NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS AUTÔNOMOS E DETECÇÃO DE HUMANOS BASEADA EM SENSOR LASER E CÂMERA TÉRMICA

NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS AUTÔNOMOS E DETECÇÃO DE HUMANOS BASEADA EM SENSOR LASER E CÂMERA TÉRMICA NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS AUTÔNOMOS E DETECÇÃO DE HUMANOS BASEADA EM SENSOR LASER E CÂMERA TÉRMICA Matheus Chung Nin, Fernando Osório Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), USP/São Carlos

Leia mais

Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano

Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano Telmo Cunha (1,2), Phillip Tomé (1), Sérgio Cunha (2), Jaime Cardoso (2) e Luisa Bastos (1) (1) Observatório Astronómico da Universidade

Leia mais

Uma Metodologia de Identificação de Imagens de Impressões Digitais pelo Filtro de Gabor

Uma Metodologia de Identificação de Imagens de Impressões Digitais pelo Filtro de Gabor IEEE LATIN AMERICA TRANSACTIONS, VOL. 4, NO. 1, MARCH 2006 1 Uma Metodologia de Identificação de Imagens de Impressões Digitais pelo Filtro de Gabor Sanderson L. Gonzaga de Oliveira e Joaquim Teixeira

Leia mais

{abrandao, mario.sarcinelli, tfbastos}@ele.ufes.br

{abrandao, mario.sarcinelli, tfbastos}@ele.ufes.br NAVEGAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS COM DESVIO DE OBSTÁCULOS: IMPLEMENTAÇÃO DE DESVIO TANGENCIAL MODIFICADO Alexandre S. Brandão, Mario Sarcineli Filho, Teodiano F. Bastos Filho UFES - Universidade Federal do Espírito

Leia mais

Visão e inteligência computacionais aplicadas a navegação autônoma de robôs

Visão e inteligência computacionais aplicadas a navegação autônoma de robôs Artigos Visão e inteligência computacionais aplicadas a navegação autônoma de robôs Sidnei Alves de Araújo 1, 3, André Felipe Henriques Librantz 2, 3 1 EP-USP/ 2 Ipen-USP/ 3 Uninove saraujo@uninove.br

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs

Leia mais

SISTEMA DE APONTAMENTO

SISTEMA DE APONTAMENTO Introdução SISTEMA DE APONTAMENTO Alunos: Lucas Castro Faria Carolina do Amaral Galhardo Orientador: Hans Ingo Weber Foi feito um estudo para aquisição de dados através da placa NI USB-6229, usando o programa

Leia mais

EXPERIÊNCIAS EM FOTOGRAMETRIA COM VANT Terça-feira, 1 de Abril de 2014 08:48

EXPERIÊNCIAS EM FOTOGRAMETRIA COM VANT Terça-feira, 1 de Abril de 2014 08:48 EXPERIÊNCIAS EM FOTOGRAMETRIA COM VANT Terça-feira, 1 de Abril de 2014 08:48 1 comentário Eng. Manoel Silva Neto Departamento de Fotogrametria Mapeamento com VANT é amplamente aceito como um novo método

Leia mais

Uso do ambiente SIMULA para Simulação do Domínio de Resgate RoboCup

Uso do ambiente SIMULA para Simulação do Domínio de Resgate RoboCup Uso do ambiente SIMULA para Simulação do Domínio de Resgate RoboCup Reinaldo Bianchi e Anna Helena Reali-Costa Laboratório de Técnicas Inteligentes Departamento de Engenharia da Computação Universidade

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE AUTOMAÇÃO DA MEDIÇÃO NO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA Gilva Altair Rossi gilva@demec.ufmg.br José Maria Galvez jmgalvez@ufmg.br Universidade

Leia mais

Medição da Altura das Cunhas de Fricção dos Vagões Utilizando Processamento Digital de Imagem

Medição da Altura das Cunhas de Fricção dos Vagões Utilizando Processamento Digital de Imagem ARTIGO Medição da Altura das Cunhas de Fricção dos Vagões Utilizando Processamento Digital de Imagem Leonardo Borges de Castro 1 *, Dr. João Marques Salomão 2 e Me. Douglas Almonfrey 2 1 VALE - Engenharia

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Projeto: Formas Diferenciais Aplicadas a Problemas Eletrostáticos e Magnetostáticos

Projeto: Formas Diferenciais Aplicadas a Problemas Eletrostáticos e Magnetostáticos Área: ENGENHARIAS E CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Projeto: Formas Diferenciais Aplicadas a Problemas Eletrostáticos e Magnetostáticos Autores: NOME DO BOLSISTA: CAIO SALAZAR ALMEIDA NAZARETH - BIC/UFJF NOME DO

Leia mais

Detecção de mudanças em imagens oriundas de sensoriamento remoto, usando conjuntos fuzzy.

Detecção de mudanças em imagens oriundas de sensoriamento remoto, usando conjuntos fuzzy. Detecção de mudanças em imagens oriundas de sensoriamento remoto, usando conjuntos fuzzy. Marcelo Musci Baseado no artigo: Change detection assessment using fuzzy sets and remotely sensed data: an application

Leia mais

Revista Hispeci & Lema On Line ano III n.3 nov. 2012 ISSN 1980-2536 unifafibe.com.br/hispecielemaonline Centro Universitário UNIFAFIBE Bebedouro-SP

Revista Hispeci & Lema On Line ano III n.3 nov. 2012 ISSN 1980-2536 unifafibe.com.br/hispecielemaonline Centro Universitário UNIFAFIBE Bebedouro-SP Reconhecimento de face utilizando banco de imagens monocromáticas e coloridas através dos métodos da análise do componente principal (PCA) e da Rede Neural Artificial (RNA) [Recognition to face using the

Leia mais

Juiz Virtual Um Sistema para Análise de Lances de Futebol

Juiz Virtual Um Sistema para Análise de Lances de Futebol Juiz Virtual Um Sistema para Análise de Lances de Futebol Flávio Szenberg 1, Paulo Cezar Pinto Carvalho 2, Marcelo Gattass 1 1 TeCGraf Departamento de Informática, PUC-Rio Rua Marquês de São Vicente, 255,

Leia mais

SISTEMA DE VISÃO ESTÉREO EM TEMPO REAL. Juliano Tusi Amaral Laganá Pinto¹; Vanderlei Cunha Parro²

SISTEMA DE VISÃO ESTÉREO EM TEMPO REAL. Juliano Tusi Amaral Laganá Pinto¹; Vanderlei Cunha Parro² SISTEMA DE VISÃO ESTÉREO EM TEMPO REAL Juliano Tusi Amaral Laganá Pinto¹; Vanderlei Cunha Parro² ¹ Aluno de Iniciação Científica da Escola de Engenharia Mauá (EEM/CEUN-IMT); ² Professor da Escola de Engenharia

Leia mais

2.1.2 Definição Matemática de Imagem

2.1.2 Definição Matemática de Imagem Capítulo 2 Fundamentação Teórica Este capítulo descreve os fundamentos e as etapas do processamento digital de imagens. 2.1 Fundamentos para Processamento Digital de Imagens Esta seção apresenta as propriedades

Leia mais

Chow&Kaneko buscam as modas da imagem para separar os objetos. Admite que os tons na vizinhança de cada moda são do mesmo objeto.

Chow&Kaneko buscam as modas da imagem para separar os objetos. Admite que os tons na vizinhança de cada moda são do mesmo objeto. Respostas Estudo Dirigido do Capítulo 12 Image Segmentation" 1 Com suas palavras explique quais os problemas que podem ocorrer em uma segmentação global baseada em níveis de cinza da imagem. Que técnicas

Leia mais

UM SISTEMA DE NAVEGAÇÃO PARA O ROBÔ MÓVEL X80

UM SISTEMA DE NAVEGAÇÃO PARA O ROBÔ MÓVEL X80 UM SISTEMA DE NAVEGAÇÃO PARA O ROBÔ MÓVEL X80 JOSÉ RENATO A. SOUTO, ROSIERY MAIA, ANDERSON A. SOUZA, BRUNO SANTANA Departamento de Computação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) Natal,

Leia mais

Sensores e Atuadores (1)

Sensores e Atuadores (1) (1) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Introdução Sensores Fornecem parâmetros sobre o comportamento do manipulador, geralmente em termos de posição e velocidade

Leia mais

RECONHECIMENTO AUTOMÁTICO DE OBJETOS BASEADO EM COR E FORMA PARA APLICAÇÕES EM ROBÓTICA

RECONHECIMENTO AUTOMÁTICO DE OBJETOS BASEADO EM COR E FORMA PARA APLICAÇÕES EM ROBÓTICA RECONHECIMENTO AUTOMÁTICO DE OBJETOS BASEADO EM COR E FORMA PARA APLICAÇÕES EM ROBÓTICA GABRIEL M. ARAUJO 1, MERYELLE M. MENDONÇA 2, EDUARDO O. FREIRE 2 1 COPPE Universidade Federal do Rio de Janeiro Cidade

Leia mais

UM PROTOCOLO CONFIÁVEL E FLEXÍVEL DE COMUNICAÇÃO PARA FUTEBOL DE ROBÔS

UM PROTOCOLO CONFIÁVEL E FLEXÍVEL DE COMUNICAÇÃO PARA FUTEBOL DE ROBÔS UM PROTOCOLO CONFIÁVEL E FLEXÍVEL DE COMUNICAÇÃO PARA FUTEBOL DE ROBÔS Murilo Fernandes Martins murilo_fm@yahoo.com.br Reinaldo A. C. Bianchi rbianchi@fei.edu.br Flavio Tonidandel flaviot@fei.edu.br Centro

Leia mais

Neste trabalho apresenta-se o projeto e detalhes de um protótipo de um sistema robótico utilizado

Neste trabalho apresenta-se o projeto e detalhes de um protótipo de um sistema robótico utilizado %,%/,27(&$'(&' José Homero Feitosa. Cavalcanti Marcelo Cavalcanti Rodrigues Everaldo Fernandes Monteiro Universidade Federal da Paraíba - CCT/DSC/COPIN/NEUROLAB CT/DTM Rua Aprígio Veloso, 882 - Campus

Leia mais

VISÃO COMPUTACIONAL APLICADA PARA O APOIO À CALIBRAÇÃO DE TERMOHIGRÔMETROS

VISÃO COMPUTACIONAL APLICADA PARA O APOIO À CALIBRAÇÃO DE TERMOHIGRÔMETROS VISÃO COMPUTACIONAL APLICADA PARA O APOIO À CALIBRAÇÃO DE TERMOHIGRÔMETROS Vladimir Geraseev Junior Universidade de Taubaté - UNITAU vgeraseev@gmail.com RESUMO Este trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 ANÁLISE DE TÉCNICAS PARA DETECÇÃO DE MUDANÇA UTILIZANDO IMAGENS DO SENSORIAMENTO REMOTO DESLIZAMENTOS EM NOVA FRIBURGO/RJ EM 2011 Trabalho

Leia mais

Sistema de Reconhecimento de Impressões Digitais. Resumo

Sistema de Reconhecimento de Impressões Digitais. Resumo Sistema de Reconhecimento de Impressões Digitais Álvaro N. Prestes Relatório Técnico, Introdução ao Processamento de Imagens Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - PESC/COPPE Universidade Federal

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco

Universidade Federal de Pernambuco Universidade Federal de Pernambuco Graduação em Engenharia da Computação Centro de Informática 2D Feature Distance Estimation for Indoor Environments using 2D laser range data Proposta de Trabalho de Graduação

Leia mais

Fotografia aérea e foto-interpretação

Fotografia aérea e foto-interpretação Fotografia aérea e foto-interpretação Fotografias aéreas e foto-interpretação são elementos e técnicas de trabalho fundamentais para um conhecimento aprofundado do território e para a elaboração ou actualização

Leia mais

Medidas elétricas I O Amperímetro

Medidas elétricas I O Amperímetro Medidas elétricas I O Amperímetro Na disciplina Laboratório de Ciências vocês conheceram quatro fenômenos provocados pela passagem de corrente elétrica num condutor: a) transferência de energia térmica,

Leia mais

Processamento de Sinais Áudio-Visuais

Processamento de Sinais Áudio-Visuais Processamento de Sinais Áudio-Visuais Parte III Imagem e Video Prof. Celso Kurashima Introdução à Engenharia da Informação Fevereiro/2011 1 A Picture is worth a thousand words Uma imagem vale mil palavras

Leia mais

Um sistema de visão computacional para detecção automática de caracteres em uma linha de montagem automotiva

Um sistema de visão computacional para detecção automática de caracteres em uma linha de montagem automotiva 225 Um sistema de visão computacional para detecção automática de caracteres em uma linha de montagem automotiva Marcus V. C. Guelpeli1, Bruno S. P. de Oliveira2, Wellington C. A. Landim2 1 Curso de Sistema

Leia mais

UM MINI ROBÔ MÓVEL SEGUIDOR DE PISTAS GUIADO POR VISÃO LOCAL

UM MINI ROBÔ MÓVEL SEGUIDOR DE PISTAS GUIADO POR VISÃO LOCAL UM MINI ROBÔ MÓVEL SEGUIDOR DE PISTAS GUIADO POR VISÃO LOCAL Eduardo R. Costa, Marcel L. Gomes e Reinaldo A. C. Bianchi Centro Universitário da FEI Departamento de Engenharia Elétrica Av. Humberto de A.

Leia mais

LUDEbot: Uma plataforma com servomotores e sensoriamento utilizando a placa Arduino e controle externo

LUDEbot: Uma plataforma com servomotores e sensoriamento utilizando a placa Arduino e controle externo LUDEbot: Uma plataforma com servomotores e sensoriamento utilizando a placa Arduino e controle externo Luiza B. Pin 1, Débora F. de Oliveira 1, Eduardo M. A. Amaral 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Nota Técnica

CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Nota Técnica CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Nota Técnica Aplicação de Física Médica em imagens de Tomografia de Crânio e Tórax Autores: Dário Oliveira - dario@cbpf.br Marcelo Albuquerque - marcelo@cbpf.br

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Belo Horizonte, MG, Brasil. gpereira@cpdee.ufmg.br, fbtorres@dcc.ufmg.br, mario@dcc.ufmg.br

Universidade Federal de Minas Gerais Belo Horizonte, MG, Brasil. gpereira@cpdee.ufmg.br, fbtorres@dcc.ufmg.br, mario@dcc.ufmg.br DESENVOLVIMENTO DE ROBÔS HOLONÔMICOS DE BAIXO CUSTO PARA O ESTUDO DE ROBÓTICA MÓVEL Guilherme A. S. Pereira, Fernanda B. Torres, Mario F. M. Campos Departamento de Engenharia Elétrica VERLab Laboratório

Leia mais