CARTA CIRCULAR N.º 254. Ref. Trata da abertura de conta individualizada para investidor estrangeiro.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARTA CIRCULAR N.º 254. Ref. Trata da abertura de conta individualizada para investidor estrangeiro."

Transcrição

1 CARTA CIRCULAR N.º 254 Aos Participantes de Todos os Sistemas Ref. Trata da abertura de conta individualizada para investidor estrangeiro. A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos CETIP, tendo em vista o disposto na Resolução N , do Banco Central do Brasil BACEN, e na Instrução CVM N. 325, da Comissão de Valores Mobiliários -CVM, de 26/01/2000 e 27/01/2000 respectivamente, comunica que, a partir de 22/3/2000, estará acatando a solicitação de abertura de contas individualizadas para investidores estrangeiros, observados os seguintes procedimentos: a) o representante do investidor estrangeiro no Brasil ou instituição autorizada a funcionar pelo Bacen quando o referido representante for pessoa física ou jurídica não financeira, deverá ser titular de conta individualizada nesta Central, sendo deste a responsabilidade pela remessa da documentação de credenciamento de tais investidores, conforme itens f e g ; b) para o investidor estrangeiro que optar por manter sua posição de ativos em mais de uma instituição custodiante, deverão ser observados nas solicitações de credenciamento destes, os mesmos procedimentos descritos na alínea anterior. Neste caso o investidor receberá um código de conta diferenciado a ser vinculado a cada instituição custodiante; c) os relatórios expedidos pela CETIP serão individualizados por código de conta de cada investidor estrangeiro e encaminhados/disponibilizados para seu representante; d) o representante do investidor estrangeiro efetuará os lançamentos de operações, terá acesso às telas de consultas e, quando atuar cumulativamente como banco liquidante, deverá também liquidar suas posições financeiras;

2 Carta Circular N.º 254 fls.02 e) o representante do investidor estrangeiro poderá, a seu critério, solicitar a abertura de uma conta especial em seu nome, para segregar os procedimentos operacionais de seus clientes investidores estrangeiros de suas demais posições. Esta conta receberá a denominação NOME DO PARTICIPANTE - ADMINISTRADOR DE INVESTIDOR ESTRANGEIRO. O custo para abertura deste tipo de conta será de R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) e o custo mensal conforme tabela de custos por utilização, contida nas Cartas Circulares N.º 212 e N.º 236, de 26/3/1999 e 12/11/1999, respectivamente; f) o representante de vários investidores estrangeiros com o mesmo banco liquidante, poderá simplificar os procedimentos para solicitação de abertura de contas, mesmo que não tenha aderido à opção de que trata a alínea e. Nesse caso, seus procedimentos estarão limitados à remessa de apenas uma solicitação de abertura de conta, de apenas uma solicitação de credenciamento em cada sistema desejado, de apenas uma ficha cadastral com seus próprios dados e de 3 (três) vias do cartão de autógrafos (cor verde) sob a sua razão social acrescida da identificação ADMINISTRADOR DE INVESTIDOR ESTRANGEIRO. Ressaltamos, entretanto, que face as características diferenciadas dos dados individuais de cada investidor estrangeiro, torna-se necessário o preenchimento/remessa de uma ficha de dados para cada um, bem como, de relação contendo a razão social/nome de todos os investidores estrangeiros credenciados; g) dentro do disposto na alínea precedente, bastará ao representante, para a posterior abertura de conta em nome de outro ou de outros investidores estrangeiros, a remessa da ficha de dados para cada investidor e correspondência encaminhando relação atualizada contendo os nomes dos novos investidores, bem como, os dos já existentes; h) Custos: Abertura de conta: R$ 550,00 (quinhentos e cinqüenta reais), pagos para cada conta aberta em nome do investidor. Mensal: Conforme tabela de custos por utilização, contida nas Cartas Circulares N.º 212 e N.º 236, de 26/3/1999 e 12/11/1999, respectivamente. Salientamos, entretanto, que os custos CETIP, com aprovação do seu Conselho de Administração, são atualizados anualmente com base na variação de Índice de Preços, no mês de abril.

3 Carta Circular N.º 254 fls É de responsabilidade do representante do investidor estrangeiro tomar todas as providências necessárias ao cadastramento destes junto aos Órgãos Competentes, bem como pelas informações prestadas quando de sua habilitação nos Sistemas. 3. Em anexo, cópias da Ficha de Dados do Investidor Estrangeiro e de minuta da relação referida nas alíneas f e g. Rio de Janeiro, 16 de março de 2000 Paulo Roberto Mendonça Superintendente Geral Anexos: 2/3

4 Em papel timbrado da instituição administradora de investidor estrangeiro Anexo da Carta Circular N.º 254, de fls.01 MINUTA À Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos CETIP Sr. Superintendente, Em complemento à nossa correspondência de / /, vimos, pela presente, solicitar suas providências no sentido de que seja efetuada abertura de conta e credenciamento nos Sistemas... em nome do(s) investidores estrangeiro(s) abaixo relacionado(s): - - Encaminhamos, em anexo, relação atualizada dos investidores estrangeiros por nós administrados. Finalmente, informamos que as pessoas autorizadas a movimentar essas contas e a adotar outros procedimentos de natureza administrativa de nosso interesse junto aos sistemas, são as mesmas constantes nos cartões de autógrafos do administrador de investidor estrangeiro. Atenciosamente, Participante Administrador de Investidor Estrangeiro De acordo : do banco liquidante Anexo da Carta Circular N.º 254, de fls.02

5 NOME CENTRAL DE CUSTÓDIA E DE LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA DE TÍTULOS - CETIP DADOS DO INVESTIDOR ESTRANGEIRO - 1 LOGRADOURO / N.º / COMPLEMENTO BAIRRO: CIDADE: ESTADO: PAÌS: CEP: FAX: CÓDIGO CVM QUALIFICAÇÃO CONDIÇÃO COD. CETIP DO REPRESENTANTE NA CVM OU CO-RESPONSÁVEL NOME DO REPRESENTANTE NA CVM DADOS DO INVESTIDOR ESTRANGEIRO - 2 NOME LOGRADOURO / Nº / COMPLEMENTO BAIRRO: CIDADE: ESTADO: PAÌS: CEP: FAX: CÓDIGO CVM QUALIFICAÇÃO CONDIÇÃO COD. CETIP DO REPRESENTANTE NA CVM OU CO-RESPONSÁVEL NOME DO REPRESENTANTE NA CVM DATA / ASSINATURA / CARIMBO Anexo da Carta Circular N.º 254, de fls.03 COMO PREENCHER ESTE FORMULÁRIO:

6 CADASTRAMENTO DE INVESTIDOR ESTRANGEIRO NOME Nome / Razão social do investidor estrangeiro a ser cadastrado LOGRADOURO / Nº / COMPLEMENTO Informar a localização do investidor estrangeiro (rua, avenida, praça, etc) e respectivos complementos, como número, andar, sala, bairro, cidade, estado (região ou província), país e meios de comunicação. CÓDIGO CVM Código de registro do investidor estrangeiro junto a CVM. QUALIFICAÇÃO Qualificação do investidor estrangeiro nos termos do formulário anexo à Resolução nº 2.689, de 26/01/2000. CONDIÇÃO Condição do investidor estrangeiro nos termos do formulário anexo à Resolução nº 2.689, de 26/01/2000. COD CETIP DO REPRESENTANTE OU CO-REPONSÁVEL Informar o Código CETIP do Representante na CVM do investidor estrangeiro no Brasil ou seu co-responsável, quando o referido representante for pessoa física ou jurídica não financeira NOME DO REPRESENTANTE NA CVM Informar o nome do Representante do investidor estrangeiro no Brasil quando o referido representante for pessoa física ou jurídica não financeira

Versão: 07/12/2010 Atualizado em: 15/02/2012

Versão: 07/12/2010 Atualizado em: 15/02/2012 Versão: 07/12/2010 Atualizado em: 15/02/2012 Conteúdo Introdução ao Cadastro de Participantes... 1 Conhecendo o Serviço... 2 Acesso ao Cadastro... 3 Ações dos Botões das Telas... 4 Cadastros... 5 Cadastro

Leia mais

CARTA CIRCULAR N.º 170

CARTA CIRCULAR N.º 170 CARTA CIRCULAR N.º 170 Aos Participantes dos Sistema Nacional de Debêntures SND, Sistema de Letras Hipotecárias SLH e Sistema de Notas Promissórias Nota. A Central de Custódia e de Liquidação Financeira

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE VERSÃO: 01/7/2008 2/10 MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO

Leia mais

MODELOS DE CARTAS DO CADOC

MODELOS DE CARTAS DO CADOC MODELOS DE CARTAS DO CADOC N CADOC 30001-0 Abertura de Conta Padrão Cartão de Autógrafos 30002-9 Abertura de Conta Padrão Participante Liquidante 30003-8 Abertura de Conta Padrão Participante Não-Liquidante

Leia mais

Comunicado Cetip n 044/ de abril de 2014

Comunicado Cetip n 044/ de abril de 2014 Comunicado Cetip n 044/2014 29 de abril de 2014 Assunto: Divulgação do Ofício Circular CVM/SMI/Nº 002/2014, referente à Instrução CVM Nº 542/2013 Art. 21, 1º O Diretor-Presidente da CETIP S.A. MERCADOS

Leia mais

Uma Corretora que tenha firmado um Contrato de Agente Autorizado com a Administradora.

Uma Corretora que tenha firmado um Contrato de Agente Autorizado com a Administradora. GLOSSÁRIO Administradora Citibank Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Agente Autorizado Uma Corretora que tenha firmado um Contrato de Agente Autorizado com a Administradora. Ativos do

Leia mais

COMUNICADO SIM N.º 021/02

COMUNICADO SIM N.º 021/02 COMUNICADO SIM N.º 021/02 Aos Participantes do Sistema Integrado de Mercados SIM Ref.: Trata da realização de Oferta de compra de Créditos Securitizados, Certificados Financeiros do Tesouro - Séries A,

Leia mais

NORMA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO NA GESTÃO DE RECURSOS DE TERCEIROS

NORMA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO NA GESTÃO DE RECURSOS DE TERCEIROS NORMA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO NA GESTÃO DE RECURSOS DE TERCEIROS Versão: setembro/2016 1. OBJETIVO Em conformidade com as diretrizes de Prevenção à Lavagem

Leia mais

CPFL Energias Renováveis S.A. Companhia Aberta CNPJ sob o nº / e NIRE FATO RELEVANTE

CPFL Energias Renováveis S.A. Companhia Aberta CNPJ sob o nº / e NIRE FATO RELEVANTE CPFL Energias Renováveis S.A. Companhia Aberta CNPJ sob o nº 08.439.659/0001-50 e NIRE 35.300.335.813 FATO RELEVANTE A CPFL Energias Renováveis S.A. (CPRE3) ( CPFL Renováveis ou Companhia ), uma companhia

Leia mais

CARTA CIRCULAR Nº 472. Ref.: Trata da inclusão de código ISIN nos ativos registrados na CETIP.

CARTA CIRCULAR Nº 472. Ref.: Trata da inclusão de código ISIN nos ativos registrados na CETIP. CARTA CIRCULAR Nº 472 Aos Participantes dos Sistema de Cotas de Fundo SCF Sistema de Moedas de Privatização Securitizar MOP Sistema de Notas Promissórias NOTA Sistema de Registro e de Liquidação Financeira

Leia mais

2. A partir desta data, estará disponível o acesso às telas SEL 21 e 22, que conterão as características e condições gerais do referido leilão.

2. A partir desta data, estará disponível o acesso às telas SEL 21 e 22, que conterão as características e condições gerais do referido leilão. COMUNICADO SEL N.º 016 Aos Participantes do Sistema Eletrônico de Leilão SEL A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos - CETIP - comunica que, no dia 18/11/1998 estará realizando, através

Leia mais

Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir:

Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir: São Paulo, de de 20. Ref.: Solicitação de Documentos Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir: Aviso de Sinistro: envio de 1 (uma) via do formulário devidamente preenchido

Leia mais

DICAS PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO AO MRP

DICAS PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO AO MRP CABEÇALHO: Indicar a cidade e a data de assinatura do formulário. RECLAMANTE: Nome ou Razão Social do investidor RECLAMADA: Razão Social do Participante da BM&FBOVESPA que deu origem ao suposto prejuízo

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DO INVESTIDOR - PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO *Se necessário, os detalhes de cada classificação podem ser obtidos nos Anexos I e II

CLASSIFICAÇÃO DO INVESTIDOR - PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO *Se necessário, os detalhes de cada classificação podem ser obtidos nos Anexos I e II FICHA CADASTRAL DE INVESTIDOR INFORMAÇÕES GERAIS TITULAR Nome do Investidor C CN Nome do Cônjuge C INFORMAÇÕES GERAIS COTITULAR (SE APLICÁVEL) Nome do Investidor C Nome do Cônjuge C CLASSIFICAÇÃO DO INVESTIDOR

Leia mais

Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Imóvel

Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Imóvel Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Imóvel Nesse documento você encontra todas as orientações para efetuar a transferência de titularidade de sua cota de maneira ágil e fácil.

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR MINISTÉRIO DA SAÚDE 1 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO-RDC Nº 5, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2000 (*) Aprova normas sobre os procedimentos administrativos para requerimento e concessão de registro

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS. (Atualizado em Junho/2016)

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS. (Atualizado em Junho/2016) POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (Atualizado em Junho/2016) CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Leia mais

Manual de Normas Letra Financeira

Manual de Normas Letra Financeira Versão: 27/07/2015 Documento Público 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LETRA FINANCEIRA SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 4 Seção I Do Registrador de 4 Seção II Das atribuições do Emissor

Leia mais

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento Versão: 27/07/2015 Documento Público 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DA CONTRATAÇÃO DE ADMINISTRADOR DE CUSTÓDIA E DE DIGITADOR POR ADMINISTRADOR

Leia mais

Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir:

Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir: São Paulo, de de 20. Ref.: Solicitação de Documentos Para análise do processo, favor proceder conforme as instruções a seguir: Aviso de Sinistro: envio de 1 (uma) via do formulário devidamente preenchido

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DIREITO CREDITÓRIO DE EXPORTAÇÃO

MANUAL DE NORMAS DIREITO CREDITÓRIO DE EXPORTAÇÃO MANUAL DE NORMAS DIREITO CREDITÓRIO DE EXPORTAÇÃO VERSÃO: 01/7/2008 2 / 6 MANUAL DE NORMAS DIREITO CREDITÓRIO DE EXPORTAÇÃO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

Ref.: Consulta Formal aos Cotistas do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO BR HOTÉIS - FII CNPJ nº /

Ref.: Consulta Formal aos Cotistas do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO BR HOTÉIS - FII CNPJ nº / Rio de Janeiro, 25 de setembro de 2015. Ref.: Consulta Formal aos Cotistas do FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO BR HOTÉIS - FII CNPJ nº 15.461.076/0001-91. Prezados Senhores, O BNY Mellon Serviços Financeiros

Leia mais

COMUNICADO SPR N.º 007/94

COMUNICADO SPR N.º 007/94 COMUNICADO SPR N.º 007/94 Aos Participantes do Sistema de Proteção Contra Riscos Financeiros SPR A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos CETIP, comunica que, a partir do dia 22.09.94,

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015

CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015 CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015 Regulamenta a Resolução nº 4.373, de 29 de setembro de 2014, com o objetivo de uniformizar, simplificar procedimentos e conferir maior clareza às disposições sobre

Leia mais

Com o intuito de orientar e facilitar a adesão do BHBUS, seguem abaixo Instruções de Preenchimento da Documentação Obrigatória:

Com o intuito de orientar e facilitar a adesão do BHBUS, seguem abaixo Instruções de Preenchimento da Documentação Obrigatória: Prezado cliente, Com o intuito de orientar e facilitar a adesão do BHBUS, seguem abaixo Instruções de Preenchimento da Documentação Obrigatória: CONTRATO DE CESSÃO - Deverão ser enviadas duas vias originais

Leia mais

Bairro* Cidade* UF País. Telefone (DDD)* É uma instituição financeira participante? Caso afirmativo, informaro nº do GIN:

Bairro* Cidade* UF País. Telefone (DDD)* É uma instituição financeira participante? Caso afirmativo, informaro nº do GIN: Dados Cadastro 1º Cadastro Renovação Dados Cadastrais Razão Social* (sem abreviações) CNPJ* Nome fantasia Data da constituição Telefone residencial (DDD)* Fax (DDD)* Pessoa de contato Cargo Telefone (DDD)*

Leia mais

Qualificação de Custodiantes de Ativos Cartulares, Contrato Mercantil e Instrumento de Emissão de CCI Escritural

Qualificação de Custodiantes de Ativos Cartulares, Contrato Mercantil e Instrumento de Emissão de CCI Escritural Documentação Qualificação de Custodiantes de Ativos Cartulares, Contrato Mercantil e Instrumento de Emissão de CCI Escritural B3 S.A Brasil Bolsa Balcão Superintendência de Depositária Diretoria de Operações

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R

O F Í C I O C I R C U L A R 01 de novembro de 2005 135/2005-DG O F Í C I O C I R C U L A R Sociedades Corretoras de Câmbio e de Títulos e Valores Mobiliários, Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários e Demais Associados Ref.:

Leia mais

Prezado cliente, CONTRATO DE CESSÃO

Prezado cliente, CONTRATO DE CESSÃO Prezado cliente, Com o intuito de orientar e facilitar a adesão do CARTÃO ÓTIMO seguem abaixo as instruções de preenchimento da documentação obrigatória exigida pela operadora: CONTRATO DE CESSÃO - Deverão

Leia mais

5.4.1 A atividade de escrituração das Cotas será realizada pelo Escriturador. [...]

5.4.1 A atividade de escrituração das Cotas será realizada pelo Escriturador. [...] PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE COTISTAS DO VRE HOTÉIS - FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII HÍBRIDO GESTÃO ATIVA - HOTEL ( Fundo ) CNPJ/MF sob o nº 18.308.516/0001-63

Leia mais

ARAMUS GESTORA DE ATIVOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS

ARAMUS GESTORA DE ATIVOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS ARAMUS GESTORA DE ATIVOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS JANEIRO /2013 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS ARAMUS GESTORA DE ATIVOS LTDA.

Leia mais

PROCEDIMENTO CADASTRAL

PROCEDIMENTO CADASTRAL PROCEDIMENTO CADASTRAL SERVIÇOS DE LIMPEZA CONTROLE DE PRAGAS COLETA, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE RESÍDUOS COLETA, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE PILHAS E BATERIAS COLETA, TRANSPORTE DESCONTAMINAÇÃO E DESTINAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC MMG-SELIC

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC MMG-SELIC MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC VERSÃO: 06/09/2011 2 / 13 MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS TÍTULOS REGISTRADOS NO SELIC ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DISTRIBUIÇÃO

MANUAL DE NORMAS DISTRIBUIÇÃO MANUAL DE NORMAS DISTRIBUIÇÃO VERSÃO: 28/02/2011 2/7 MANUAL DE NORMAS DE DISTRIBUIÇÃO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DOS PARTICIPANTES 5 CAPÍTULO

Leia mais

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima Rua Visconde de Inhaúma, 134 Gr 1005 CEP 20094-900 - Centro - Rio de Janeiro RJ Brasil Tel.: (55 21) 3232-5600 Fax.: (55 21) 3232-5619 E-mail: syndarma@syndarma.org.br

Leia mais

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP MMG-CETIP

MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP MMG-CETIP MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS - ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP VERSÃO: 06/09/2011 MANUAL DE NORMAS MÓDULO DE MANUTENÇÃO DE GARANTIAS ATIVOS REGISTRADOS NA CETIP MMG - CETIP ÍNDICE 06/09/2011

Leia mais

Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Móvel

Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Móvel Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Móvel Nesse documento você encontra todas as orientações para efetuar a transferência de sua cota de maneira ágil e fácil. Esse processo passa

Leia mais

Comunicado CETIP n 016/09 03 de março de 2009

Comunicado CETIP n 016/09 03 de março de 2009 Comunicado CETIP n 016/09 03 de março de 2009 Assunto: 2ª Etapa de Oferta Pública de NTN-B Leilão(ões) de Oferta de compra de títulos pela STN Secretaria do Tesouro Nacional Módulo Leilão STN Plataforma

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS 1. OBJETIVOS Estabelecer os critérios básicos para gestão e administração de Clubes de Investimento, abordando os seguintes tópicos: - Atuação; - Regulamento e Prospecto; - Ficha Cadastral e Habilitação

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA VERSÃO: 16/03/2012 2/10 MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. Estabelece procedimentos para obtenção de autorização prévia para instalação de escritório de representação, cadastramento,

Leia mais

Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL. Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006

Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL. Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006 Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006 DOU de 20.3.2006 Aprova o Programa Gerador de Documentos do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica -

Leia mais

CAPÍTULO I - DAS RESPONSABILIDADES NA LIQUIDAÇÃO

CAPÍTULO I - DAS RESPONSABILIDADES NA LIQUIDAÇÃO TÍTULO VI - DA CADEIA DE RESPONSABILIDADES CAPÍTULO I - DAS RESPONSABILIDADES NA LIQUIDAÇÃO 129. A responsabilidade da CBLC, na qualidade de Contraparte Central garantidora, limita-se à obrigação da entrega,

Leia mais

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157 Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157 1- Denominação do Fundo: O Bradesco Fundo de Investimento em Quotas de Fundo de Investimento em Ações 157,

Leia mais

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e

d) observar o Regulamento do Emissor de BDR Nível I Não Patrocinado; e Anexo I ao Oficio Circular 016/2010-DP O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA S.A Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 30, alíneas a, b e c do Estatuto

Leia mais

DEPOSITÁRIA QUALIFICAÇÃO DE CUSTODIANTES DE ATIVOS CARTULARES E/OU CCI ESCRITURAL

DEPOSITÁRIA QUALIFICAÇÃO DE CUSTODIANTES DE ATIVOS CARTULARES E/OU CCI ESCRITURAL DEPOSITÁRIA QUALIFICAÇÃO DE CUSTODIANTES DE ATIVOS CARTULARES E/OU CCI ESCRITURAL COM O OBJETIVO DE TRAZER MAIOR SEGURANÇA AO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO, A CETIP ATENDENDO UMA SOLICITAÇÃO DA CVM COMISSÃO

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE APLICAÇÃO E TERMO DE ADESÃO AO ITAÚ PERSONNALITE PETROBRAS FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS CNPJ/MF N.º

SOLICITAÇÃO DE APLICAÇÃO E TERMO DE ADESÃO AO ITAÚ PERSONNALITE PETROBRAS FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS CNPJ/MF N.º SOLICITAÇÃO DE APLICAÇÃO E TERMO DE ADESÃO AO ITAÚ PERSONNALITE PETROBRAS FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS CNPJ/MF N.º 03.859.784/0001-04 INVESTIDOR 1- Nome completo 2- Documento de Identidade 3- Órgão

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER, OU DOCUMENTO EQUIVALENTE, SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

Nº dos leilões Data de Registro das Ofertas Liquidação Financeira /02/ /02/2004

Nº dos leilões Data de Registro das Ofertas Liquidação Financeira /02/ /02/2004 Comunicado CETIP n 05/04 11 de Fevereiro de 2004 Assunto: SIM Divulgação de leilão de Oferta de compra de Créditos Securitizados, Certificados Financeiros do Tesouro - Séries A e E (CFT-A e CFT-E), Letras

Leia mais

FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ Rua Germaine Burchard, 451-3º Andar - sala 31 - Fone (011) e FAX (011) SÃO PAULO - SP - CEP

FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ Rua Germaine Burchard, 451-3º Andar - sala 31 - Fone (011) e FAX (011) SÃO PAULO - SP - CEP FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ Rua Germaine Burchard, 451-3º Andar - sala 31 - Fone (011) 3862-0749 e FAX (011) 3673-0497 SÃO PAULO - SP - CEP 05002-062 Ilustríssimos Senhores Delegados Regionais, Árbitros

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS, SOLAR FOTOVOLTAICAS E TERMELÉTRICAS A BIOMASSA.

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS, SOLAR FOTOVOLTAICAS E TERMELÉTRICAS A BIOMASSA. INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE DE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AO LEILÃO DE ENERGIA DE RESERVA

Leia mais

A necessidade de normatizar a emissão da NFS-e para os estacionamentos de veículos; DETERMINA:

A necessidade de normatizar a emissão da NFS-e para os estacionamentos de veículos; DETERMINA: Instrução de Serviço GETM nº 002, de 17 de agosto de 2012. Estabelece regime especial para a emissão de Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) destinada a acobertar os serviços prestados por estacionamentos

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO CAIXA TRX LOGISTICA RENDA CNPJ Nº /

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO CAIXA TRX LOGISTICA RENDA CNPJ Nº / FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO CAIXA TRX LOGISTICA RENDA CNPJ Nº 12.887.506/0001-43 I Data, hora e local No dia 19 de outubro de 2016, às 9h, em primeira convocação e, em segunda convocação, às 9h30

Leia mais

Bairro* Cidade* UF País. Telefone (DDD)* É uma instituição financeira participante? Caso afirmativo, informaro nº do GIN:

Bairro* Cidade* UF País. Telefone (DDD)* É uma instituição financeira participante? Caso afirmativo, informaro nº do GIN: Dados Cadastro Domicílio Código Cliente (Uso Interno) 1º Cadastro Renovação Brasil Exterior Dados Cadastrais Razão Social* (sem abreviações) * fantasia Data da constituição Telefone residencial (DDD)*

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA CONAB

MANUAL DE NORMAS CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA CONAB MANUAL DE NORMAS CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA CONAB VERSÃO: 01/7/2008 2 / 7 MANUAL DE NORMAS CONTRATO DE OPÇÃO DE VENDA CONAB ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

FICHA CADASTRAL DE POSTO REVENDEDOR

FICHA CADASTRAL DE POSTO REVENDEDOR RESOLUÇÃO ANP Nº41, DE 06/11/2013 Exclusiva para pedido de autorização 1/2 01 TIPO DE VAREJISTA 02 INSCRIÇÃO CNPJ COMBUSTÍVEL LÍQUIDO GNV AMBOS / - 04 IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA NOME ( firma, razão social

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS I. OBJETO A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais ( Política de Voto ), elaborada em conformidade com o

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS O Conselho Deliberativo do Instituto de Previdência do Município de Jundiaí/SP (IPREJUN), no uso de suas atribuições estabelecidas na Lei nº 5.894/02

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. Versão: Junho/2016 CAPÍTULO I Definição e Finalidade 1.1 A presente Política

Leia mais

Renda Variável e Renda Fixa. Depósito Exclusivo

Renda Variável e Renda Fixa. Depósito Exclusivo Dezembro 2015 O serviço refere-se ao processo de depósito de valores mobiliários (ativos) na Central Depositária da BM&FBOVESPA, sem que estejam admitidos à negociação em sua plataforma eletrônica. O oferece

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

Ficha Cadastral de Cliente Pessoa Física

Ficha Cadastral de Cliente Pessoa Física Obs.: Os campos sombreados são de uso exclusivo da corretora. Código do Cliente Assessor Ficha Cadastral Santander Ficha Cadastral de Cliente Pessoa Física Santander Código da Bolsa BM&FBovespa Brasil

Leia mais

Tutorial de Preenchimento Proposta de Solicitação de Cartões de Crédito Corporativo (Visa e Master)

Tutorial de Preenchimento Proposta de Solicitação de Cartões de Crédito Corporativo (Visa e Master) Tutorial de Preenchimento Proposta de Solicitação de Cartões de Crédito Corporativo (Visa e Master) JUNHO 2017 Índice 1 2 Passo a passo Perguntas Frequentes 1 - Passo a Passo Visão Geral Atenção: Todos

Leia mais

GUARUPART PARTICIPAÇÕES LTDA. 1ª Emissão de Notas Promissórias. Série Única

GUARUPART PARTICIPAÇÕES LTDA. 1ª Emissão de Notas Promissórias. Série Única GUARUPART PARTICIPAÇÕES LTDA. 1ª Emissão de Notas Promissórias Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE PROVENTOS DA AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. EXERCÍCIOS SOCIAIS 2014 e 2015

POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE PROVENTOS DA AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. EXERCÍCIOS SOCIAIS 2014 e 2015 POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE PROVENTOS DA AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. EXERCÍCIOS SOCIAIS 2014 e 2015 Conforme deliberações do Conselho de Administração em 17 de março de 2014, a Arezzo Indústria e

Leia mais

DEPOSITÁRIA QUALIFICAÇÃO DE CUSTODIANTES DE ATIVOS CARTULARES E/OU CONTRATO MERCANTIL E/OU CCI ESCRITURAL

DEPOSITÁRIA QUALIFICAÇÃO DE CUSTODIANTES DE ATIVOS CARTULARES E/OU CONTRATO MERCANTIL E/OU CCI ESCRITURAL DEPOSITÁRIA QUALIFICAÇÃO DE CUSTODIANTES DE ATIVOS CARTULARES E/OU CONTRATO MERCANTIL E/OU CCI ESCRITURAL COM O OBJETIVO DE TRAZER MAIOR SEGURANÇA AO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO, A CETIP ATENDENDO UMA

Leia mais

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO I Definição 1.1 A presente Política, adotada em conformidade com o Código de Auto-Regulação da ANBID para os Fundos de Investimento,

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

POLÍTICA DE VOTO CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS POLÍTICA DE VOTO CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A CA INDOSUEZ WEALTH (BRAZIL) S.A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS ( Gestora ), gestora de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA MANUAL DE INSTRUÇÕES DE SERVIÇOS DE ODONTOLOGIA 1 NORMAS GERAIS DE ATENDIMENTO OBJETIVO Orientar os recursos credenciados no atendimento prestado aos usuários da Mogidonto e seus dependentes. 1. Cartão

Leia mais

TÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES

TÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES TÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES 3. Os termos utilizados no presente Regulamento, em sua forma plural ou singular e observado o disposto nos títulos que lhes são próprios, têm a seguinte definição: 3.1 Aceitação

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS G5 ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS G5 ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS G5 ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias

Leia mais

RODOVIA DAS CATARATAS S.A. - ECOCATARATAS 1ª Emissão de Notas Promissórias. Série Única

RODOVIA DAS CATARATAS S.A. - ECOCATARATAS 1ª Emissão de Notas Promissórias. Série Única RODOVIA DAS CATARATAS S.A. - ECOCATARATAS 1ª Emissão de Notas Promissórias Série Única Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES)

Leia mais

Instruções de Preenchimento Ficha Cadastral

Instruções de Preenchimento Ficha Cadastral Instruções de Preenchimento Ficha Cadastral Ficha de Cadastro A ficha de cadastro tem a finalidade de obter dados necessários para aberturas de contas individualizadas em nome de novos usuários dos serviços

Leia mais

Edital de Empresa Júnior 2014 da UERJ. Edital de Convocação para Projeto Acadêmico de Empresa Júnior da UERJ

Edital de Empresa Júnior 2014 da UERJ. Edital de Convocação para Projeto Acadêmico de Empresa Júnior da UERJ A Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ torna público o presente Edital, com normas, rotinas e procedimentos relativos ao Exame de Qualificação de Apoio ao Projeto Acadêmico de Empresa Junior.

Leia mais

Nome Simplificado do Participante que 4. gerou o arquivo 5 Data 9(08) Data da operação. Formato: AAAAMMDD.

Nome Simplificado do Participante que 4. gerou o arquivo 5 Data 9(08) Data da operação. Formato: AAAAMMDD. Conteúdo 1 Enviar Arquivos... 3 1.1 Cadastro de Cliente... 3 1.2 Confirmação de Dados do comitente... 8 2 Receber Arquivos... 9 2.1 DCADCOMITENTE... 9 2.2 DPOSCUSTCONSOLIDADO... 14 2.3 DMOVCUSTODIA...

Leia mais

AES ELPA S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF N.º / NIRE

AES ELPA S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF N.º / NIRE AES ELPA S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF N.º 01.917.705/0001-30 NIRE 35.300.191.749 COMUNICADO AO MERCADO ALIENAÇÃO E AQUISIÇÃO DE PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA AES ELPA S.A., companhia aberta, com sede na Cidade

Leia mais

COMUNICADO AO MERCADO

COMUNICADO AO MERCADO COMUNICADO AO MERCADO MÉRITO DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO I FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO CNPJ/MF nº 16.915.968/0001-88 Código ISIN para as Cotas: BRMFIICTF008 Código de Negociação na BM&FBOVESPA:

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre escritório de representação, no País, de ressegurador admitido, e dá outras providências. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no

Leia mais

Atualizações da Versão... 3

Atualizações da Versão... 3 Versão: 15/12/2014 Atualizado em: 15/12/2014 Conteúdo Atualizações da Versão... 3 Introdução ao Leilão... 4 Conhecendo o Produto... 5 Realização de Leilão no CetipNet... 6 Estados de um Leilão... 7 Modalidades

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS MOGNO CAPITAL INVESTIMENTOS LTDA. Política de Exercício do Direito de Voto em Assembleias gerais relativas a ativos detidos pelos fundos de

Leia mais

* C) Para solicitar: no item 2 (Dados Cadastrais do Titular), independente de estarem assinaladas com *. - No item 3. Importante: Importante: *

* C) Para solicitar: no item 2 (Dados Cadastrais do Titular), independente de estarem assinaladas com *. - No item 3. Importante: Importante: * I * C) Para solicitar: no item 2 (Dados Cadastrais do Titular), independente de estarem assinaladas com *. No item 3 Importante: Importante: * Importante: CANCELAMENTO DO PLANO (titular e dependentes)

Leia mais

Prefeitura do Município de Piracicaba Secretaria Municipal de Administração Departamento de Material e Patrimônio Divisão de Compras

Prefeitura do Município de Piracicaba Secretaria Municipal de Administração Departamento de Material e Patrimônio Divisão de Compras O, por intermédio da, comunica que, de acordo com o que dispõe a Lei Federal nº 8.666/93 e suas alterações, os Srs. Fornecedores da Prefeitura do Município de Piracicaba que desejarem se inscrever no CERTIFICADO

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS

AVISO AOS ACIONISTAS COMPANHIA VALE DO RIO DOCE COMPANHIA ABERTA CNPJ 33.592.510/0001-54 CAEMI MINERAÇÃO E METALURGIA S.A COMPANHIA ABERTA CNPJ 31.865.728/0001-00 AVISO AOS ACIONISTAS As administrações da COMPANHIA VALE DO

Leia mais

Comunicado CETIP n 41/05 26 de Abril de Assunto:Leilão de Oferta de compra de títulos pela STN Secretaria do Tesouro Nacional SIM.

Comunicado CETIP n 41/05 26 de Abril de Assunto:Leilão de Oferta de compra de títulos pela STN Secretaria do Tesouro Nacional SIM. Comunicado CETIP n 41/05 26 de Abril de 2005 Assunto:Leilão de Oferta de compra de títulos pela STN Secretaria do Tesouro Nacional SIM. A CETIP Câmara de Custódia e Liquidação, tendo em vista o contido

Leia mais

COMPLEMENTO AGENDA DE OBRIGAÇÕES 2010

COMPLEMENTO AGENDA DE OBRIGAÇÕES 2010 Circular 027/2010 São Paulo, 15 de janeiro de 2010. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) COMPLEMENTO AGENDA DE OBRIGAÇÕES 2010 Prezados Senhores, Devido à extensão da Instrução Normativa Nº 971, objeto de nossa

Leia mais

Manual de Normas Módulo de Distribuição de Ativos - MDA

Manual de Normas Módulo de Distribuição de Ativos - MDA Manual de Normas Versão: 06/10/2015 Documento Público MANUAL DE NORMAS DE MÓDULO DE DE DISTRIBUIÇÃO DE ATIVOS - MDA SUMÁRIO 06/10/2015 CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 3 CAPÍTULO

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE)

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 11/08/2014 Atualizado em: 11/08/2014 APRESENTAÇÃO 1. Este Documento é disponibilizado pela Cetip S.A

Leia mais

Novo RDE-IED. Orientações para homologação do sistema

Novo RDE-IED. Orientações para homologação do sistema Novo RDE-IED Orientações para homologação do sistema I - Principais mudanças de regras 1. A responsabilidade pelo registro volta a ser exclusivamente da receptora. 2. A identificação da receptora passa

Leia mais

Comunicado CETIP n 11/04 25 de fevereiro de 2004

Comunicado CETIP n 11/04 25 de fevereiro de 2004 Comunicado CETIP n 11/04 25 de fevereiro de 2004 Assunto: Leilão de Oferta de compra de títulos pela Secretaria do Tesouro Nacional - SIM Sistema Integrado de Mercados. A CETIP Central de Custódia e de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA PROCESSO ELEITORAL CEIVAP QUADRIÊNIO 2017/2021 ESTADO DE MINAS GERAIS

PROCEDIMENTOS PARA PROCESSO ELEITORAL CEIVAP QUADRIÊNIO 2017/2021 ESTADO DE MINAS GERAIS PROCEDIMENTOS PARA PROCESSO ELEITORAL CEIVAP QUADRIÊNIO 2017/2021 ESTADO DE MINAS GERAIS 1. Abrangência Estas normas orientam a realização do Fórum Estadual de Minas Gerais, encontro que definirá os representantes

Leia mais

1.2 Os processos e os procedimentos adotados para aplicação das diretrizes contidas nesta política estão regulamentados em normativo específico.

1.2 Os processos e os procedimentos adotados para aplicação das diretrizes contidas nesta política estão regulamentados em normativo específico. 1. Apresentação Política de Gestão de Dados de Emitentes de Cheques Sem Fundos 1.1 Esta política contém as diretrizes definidas para propiciar a adequada administração de dados e de informações de devoluções

Leia mais

DADOS CADASTRAIS DE TERCEIROS 2

DADOS CADASTRAIS DE TERCEIROS 2 DADOS CADASTRAIS DE TERCEIROS 2 Definição 2 Funções 2 Comunicação Integrada 2 Menu do Sistema para Solicitantes 3 Acompanhamento de Solicitações pendentes 4 Solicitação Inicial de Dados Cadastrais de Terceiros

Leia mais

Ref.: Liquidação antecipada do saldo devedor de contrato de financiamento imobiliário.

Ref.: Liquidação antecipada do saldo devedor de contrato de financiamento imobiliário. , de de. Ao Banco Santander (Brasil) S.A. Crédito Imobiliário Ref.: Liquidação antecipada do saldo devedor de contrato de financiamento imobiliário. Solicito a Liquidação Antecipada do Saldo Devedor do

Leia mais

Normas Sistema Gestão da Informação

Normas Sistema Gestão da Informação Normas Sistema Gestão da Informação Visão Anotada INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1571, DE 02 DE JULHO DE 2015 (Publicado(a) no DOU de 03/07/2015, seção 1, pág. 32) Dispõe sobre a obrigatoriedade de prestação

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AOS PROCESSOS LICENCIAMENTO AMBIENTAL JUNTO A AMMA EUSÉBIO EMPRESAS JÁ INSTALADAS ANÁLISE DOCUMENTAL

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AOS PROCESSOS LICENCIAMENTO AMBIENTAL JUNTO A AMMA EUSÉBIO EMPRESAS JÁ INSTALADAS ANÁLISE DOCUMENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AOS PROCESSOS LICENCIAMENTO AMBIENTAL JUNTO A AMMA EUSÉBIO EMPRESAS JÁ INSTALADAS FOI APRESEN TADO (A)? Nº ÍTEM 1 ANÁLISE DOCUMENTAL Preencher o Requerimento (formulário de solicitação),

Leia mais

CIRCULAR SUSEP Nº 373/2008 Ter, 24 de Março de :01 - Última atualização Ter, 24 de Março de :05

CIRCULAR SUSEP Nº 373/2008 Ter, 24 de Março de :01 - Última atualização Ter, 24 de Março de :05 CIRCULAR SUSEP Nº 373, de 27 de agosto de 2008. Altera e consolida as instruções complementares para a operação do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre,

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO MARÇO 2017

POLÍTICA DE VOTO MARÇO 2017 POLÍTICA DE VOTO MARÇO 2017 Esta Política é propriedade da Canvas Capital S.A. e não está autorizada a cópia, uso ou distribuição deste documento e seu conteúdo, sob nenhuma hipótese. Rua Professor Atílio

Leia mais

HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES. Servir como base de orientação aos Órgãos Setoriais de Recursos Humanos da Administração Direta.

HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES. Servir como base de orientação aos Órgãos Setoriais de Recursos Humanos da Administração Direta. 1 Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Administração MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Nome da Unidade: A/CSRH/CAD Nome do Processo: Revisão de PASEP Número Data Descrição 01 08/5/2007

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Legal Brasil e Uruguai

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Legal Brasil e Uruguai Nível 3 Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Gerais Brasil e Uruguai 23/08/2016 1 ÍNDICE 1. Definição e Finalidade... 3 2. Princípios Gerais... 3 3. Matérias Relevantes Obrigatórias...

Leia mais

EDITAL DE CARTA CONVITE Nº 013/2016 Tipo de julgamento: menor preço por item Processo Administrativo nº

EDITAL DE CARTA CONVITE Nº 013/2016 Tipo de julgamento: menor preço por item Processo Administrativo nº EDITAL DE CARTA CONVITE Nº 013/2016 Tipo de julgamento: menor preço por item Processo Administrativo nº045.2016 CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE PSICOLOGO(A) PARA ATUAR JUNTO AO PROGRAMA NAAB- Nucleo De Apoio

Leia mais