Comportamento empreendedor dos alunos em uma Instituição de Ensino Superior. Cristiane Bertolino

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comportamento empreendedor dos alunos em uma Instituição de Ensino Superior. Cristiane Bertolino"

Transcrição

1 Comportamento empreendedor dos alunos em uma Instituição de Ensino Superior Cristiane Bertolino

2 Problema de pesquisa A partir da década de 1990 Visão renovada da empreendedorismo Promover o desenvolvimento econômico através das inovações, geração de novos negócios, aumento do número de empregos. Empreendedorismo como tema de formação Opção de carreira, valorizada na sociedade Os alunos das IES apresentam comportamentos empreendedores? Em que níveis?

3 Objetivo Analisar os comportamentos empreendedores dos alunos de uma IES. Objetivos específicos Identificar os comportamentos por curso, idade e sexo; Analisá-los em três conjuntos: realização, planejamento e poder; Identificar ações que poderão contribuir para o desenvolvimento de comportamentos

4 Referencial Teórico Emprendedorismo Desenvolvimento econômico Inovação motor do capitalismo Agente - empreendedor

5 A história da ciência é uma grande confirmação do fato de que consideramos excessivamente difícil adotar um ponto de vista científico ou um método novos. O pensamento volta repetidamente à trilha habitual... É portanto necessário uma força de vontade nova e de outra espécie para arrancar, dentre o trabalho e a lida com as ocupações diárias, oportunidade e tempo para conceber e elaborar a combinação nova e resolver olhála como uma possibilidade real... Essa liberdade mental pressupõe um grande excedente de força sobre a demanda cotidiana e é algo peculiar e raro por natureza. (SCHUMPETER, 1997, p )

6 Comportamentalista - A motivação pela realização é a mais evidente entre os empreendedores - Comportamentos recorrentes entre empreendedores

7 As pessoas com necessidade de realização elevada,... começam a fazer as coisas melhor.. O que antes tinha que ser feito por um desejo de agradar... Se converte em uma atividade em que são definidos e perseguidos, por si mesmos, alguns padrões de excelência. (McClelland, 1972, p.72) Não seria de modo algum surpreendente imaginar que um incremento na necessidade de realização promovesse o crescimento econômico ou cultural. (McClelland, 1972, p. 72)

8 Comportamentos empreendedores Conjunto Realização Planejamento Poder Comportamento Busca de Oportunidades e Iniciativa Correr Riscos Calculados Exigência de Qualidade e Eficiência Persistência Comprometimento Estabelecimento de Metas Busca de Informações Planejamento e Monitoramento Sistemáticos Persuasão e Redes de Contato Independência e Autoconfiança Fonte: Cooley, 1991

9 Empreendedor - Articulador de rede Agente com capacidade de unir e conectar diferentes atores e recursos dispersos no mercado e na sociedade, agregando valor à atividade produtiva (VALE, 2005).

10 Parceria estratégica Unir-se a outras pessoas ou instituições com objetivos comuns ou complementares a fim de obter mais recursos. Articula redes (familiares, amigos e profissionais) e amplia os recursos disponíveis para a ação empreendedora.

11 [...] não operam em um vácuo social. Eles precisam convencer investidores, obter matéria prima, construir uma organização e motivar funcionários. Eles também precisam descobrir maneiras de estabilizar as relações com os concorrentes e se ajustar às regras e leis determinadas pelo governo (MARTINELLI, 2009, p. 215).

12 Metodologia Estudo de caso Documentos Observação direta Aplicação de um questionário

13 Questionário Comportamentais empreendedoras, agrupadas nos conjuntos Realização, Planejamento e Poder; 55 afirmações resposta em escala de 5 pontos; Variáveis demográficas - idade e sexo Duas questões abertas

14 Questionário - amostra Curso Amostra da pesquisa 1º ano 4º ano Total Administração de Empresas Comunicação visual/design gráfico Design de Moda Hotelaria Publicidade e Propaganda Sistemas da Informação Total Universo alunos: 676 Pesquisados: %

15 Questionário 023% 022% 017% 013% 013% 012% Design Gráfico Adm. de Empresas Sistemas da Informação Design de Moda Publicidade e Propaganda Hotelaria

16 Principais resultados Conjunto Comportamento Estudo 2004* Estudo 2008* Pesquisas Estudo 2012* Estudo atual Busca de Oportunidades e Iniciativa 18,3 18,6 18,2 17,5 Correr Riscos Calculados 17,0 16,8 15,8 15,6 Realização Exigência de Qualidade e Eficiência 18,0 17,7 17,1 18,1 Persistência 17,0 17,8 17,3 16,6 Comprometimento 18,8 19,5 18,6 18,2 Estabelecimento de Metas 18,3 20,9 19,7 18,2 Planejamento Poder Busca de Informações 19,3 19,3 18,6 18,8 Planejamento e Monitoramento Sistemáticos 17,3 17,8 17,1 16,8 Persuasão e Redes de Contato 17,3 17,3 16,9 16,1 Independência e Autoconfiança 19,8 18,3 17,2 17,7 Fonte: 1. Batista, 2004; 2. Carneiro, 2008; 3. Dias; Martens; Boas, 2012

17 Principais resultados Comportamento Até 20 anos 21 a 25 anos 26 anos ou mais Busca de Oportunidades e Iniciativa 17,7 17,3 18,3 Correr Riscos Calculados 15,8 15,5 16,0 Realização Persistência 16,9 16,3 16,8 Exigência de Qualidade e Eficiência 18,1 18,2 18,0 Comprometimento 18,2 18,2 18,6 Busca de Informações 18,3 18,1 18,7 Planejamento Poder Estabelecimento de Metas 19,1 18,7 18,8 Planejamento e Monitoramento Sistemáticos 16,6 17,0 17,3 Persuasão e Redes de Contato 16,3 15,8 16,3 Independência e Autoconfiança 18,0 17,4 17,7

18 Principais resultados Comportamentos empreendedores Busca de Oportunidades e Iniciativa Feminino Masculino Total 17,6 17,6 17,6 Correr Riscos Calculados 15,4 16,0 15,7 Realização Persistência 16,7 16,5 16,6 Exigência de Qualidade e Eficiência 18,2 18,0 18,1 Comprometimento 18,4 18,1 18,3 Busca de Informações 18,2 18,3 18,2 Planejamento Poder Estabelecimento de Metas 18,7 19,2 18,9 Planejamento e Monitoramento Sistemáticos 16,5 17,3 16,8 Persuasão e Redes de Contato 15,8 16,5 16,1 Independência e Autoconfiança 17,4 18,1 17,7

19 Principais resultados Curso 1º ano 4º ano Realização Administração de empresas 17,6 17,2 Sistemas da Informação 16,9 17,6 Comunicação visual/ design gráfico 17,1 16,7 Design de moda 17,1 16,8 Hotelaria 17,6 17,5 Publicidade e Propaganda 17,6 16,9 Planejamento Administração de empresas 18,3 18,2 Sistemas da Informação 18,1 19,1 Comunicação visual/ design gráfico 17,2 17,2 Design de moda 17,5 18,2 Hotelaria 18,6 17,8 Publicidade e Propaganda 18,4 17,2 Poder Administração de empresas 17,7 16,5 Sistemas da Informação 17,4 17,4 Comunicação visual/ design gráfico 16,1 15,5 Design de moda 16,8 17,2 Hotelaria 16,9 16,7 Publicidade e Propaganda 18,2 16,4

20 Principais resultados

21 Principais resultados questões qualitativas Grau de importância % Redes de relacionamento Total Importante e muito importante 75,5% Nenhum relacionamento 48 Baixa 10,2% Professores 41 Média 10,2% Relacionamentos no trabalho 38 Sem opinião 4,1% Família 27 Não responderam 39,1% Amigos 26 Amigos da faculdade 19 Faculdade 17 Profissionais da área 14

22 Considerações Finais O conjunto planejamento obteve a maior pontuação, independente do curso pesquisado. O conjunto realização, considerado por McClelland (1972) como de suma importância para o empreendedorismo, obteve pontuação intermediária O conjunto poder foi o de menor pontuação.

23 Considerações Finais A evolução do comportamento persuasão e redes de contato poderá contribuir para a evolução do comportamento correr riscos calculados, pois o aluno hábil na articulação de redes compartilha recursos, o que favorecerá a assunção de riscos.

24 Considerações Finais Redes de contato - limitam-se aos relacionamentos do contexto familiar, do trabalho e amigos que é natural na fase inicial do empreendimento, mas, as IES precisam conscientizar os alunos da necessidade de ampliar essa rede. Elevada atribuição de importância ao estudo sobre empreendedorismo pelos alunos, mas não demonstram compreender as contribuições que o curso pode oferecer. Pequena parcela de alunos atribuiu pouca importância ao ensino do empreendedorismo - Não associam o empreendedorismo com a carreira almejada

25 Considerações Finais Os resultados apontam que o aluno atuam no sentido individual e isso não favorece o empreendedorismo. É preciso desenvolver metodologias e ambiente cultural acadêmico que estimulem a parceria, a colaboração, a articulação em redes. As competições por planos de negócios - realizadas em grupos, mas, embora haja interação entre os membros do grupo, não há colaboração entre eles.

26 Considerações Finais Limitações da pesquisa: A Cultura variável que não foi contemplada Acompanhamento alunos do 1º até o 4º ano letivo avaliar os comportamentos em 2 momentos distintos Acompanhamento do aluno após formados (relacionamento com os egressos)

27 Muito obrigada!

Inovação. Data: 12/04/2012. Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry

Inovação. Data: 12/04/2012. Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry Cursos: Administração / Ciências Contábeis Disciplina: Inovação Tecnológica Data: 12/04/2012 Inovação Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry

Leia mais

TÍTULO: EMPREENDEDORISMO: ANÁLISE DO COMPORTAMENTO EMPREENDEDOR DOS ALUNOS DE PRIMEIRO ANO DA FACULDADE

TÍTULO: EMPREENDEDORISMO: ANÁLISE DO COMPORTAMENTO EMPREENDEDOR DOS ALUNOS DE PRIMEIRO ANO DA FACULDADE Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EMPREENDEDORISMO: ANÁLISE DO COMPORTAMENTO EMPREENDEDOR DOS ALUNOS DE PRIMEIRO ANO DA FACULDADE

Leia mais

INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS

INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS 1 JORNADA ESTUDOS DE CASOS DA PEQUENA EMPRESA Concurso cuja proposta é firmar parcerias com instituições de ensino superior e estimular os alunos de

Leia mais

Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação. Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015

Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação. Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015 Política de Comunicação do IFRS: conceito, metodologia e participação Wilson da Costa Bueno Bento Gonçalves/RS 05/03/2015 Conceito Política de Comunicação é o conjunto sistematizado de princípios, valores,

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

Informatização de inscrições em treinamentos via Portal SAP

Informatização de inscrições em treinamentos via Portal SAP 1 2 Informatização de inscrições em treinamentos via Portal SAP Autores: Fabiano Zaché Nayara Teixeira Unidade: R-DDP Chefia: Renata Faco Oportunidade Percebida O desenvolvimento de uma ferramenta informatizada

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

Capital Humano. Programa de Desenvolvimento em. Um novo Mercer College para você!

Capital Humano. Programa de Desenvolvimento em. Um novo Mercer College para você! Programa de Desenvolvimento em Capital Humano Um novo College para você! O College mudou para se adequar à sua necessidade e de sua empresa. Muito mais completo e flexível, nosso programa apresenta os

Leia mais

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria ELBI ELÉTRICA LTDA Betim/MG Proposta_ELBI-Betim-7_2015_((Criatividade))_rev.B Este relatório contem um resumo das atividades desenvolvidas na ELBI Betim/MG desde o início das atividades de consultoria

Leia mais

PROJETO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA. Por Débora Horn Assessoria de Comunicação da Anprotec

PROJETO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA. Por Débora Horn Assessoria de Comunicação da Anprotec PROJETO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA Por Débora Horn Assessoria de Comunicação da Anprotec A RELATA A Relata Editorial tem por objetivo apoiar empresas e entidades na gestão do processo de comunicação com

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO É um plano administrativo que cobre todas as operações da empresa, para um período de

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários. Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012

CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários. Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012 CONSIDERAÇÕES SOBRE PCCSs - Planos de Cargos Salários Escritório Regional do DIEESE em Goiás Goiânia 23 de novembro de 2012 1 PCSS Principais Conceitos 2 Planos de Carreira estão no centro dos debates

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada de Consultoria para Planejamento da Estrutura Funcional e Organizacional

Leia mais

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Pais/Encarregados de Educação CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia Agrupamento de Escolas de Arganil 2º/3º CEB e Secundário

Leia mais

Panorama da Inovação no Brasil. Hugo Ferreira Braga Tadeu 2014

Panorama da Inovação no Brasil. Hugo Ferreira Braga Tadeu 2014 Panorama da Inovação no Brasil Hugo Ferreira Braga Tadeu 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O presente relatório é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas de gestão

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

Gestão 2009/ ª CNCTI Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação

Gestão 2009/ ª CNCTI Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Gestão 2009/2011 4ª CNCTI Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Brasília 28 de maio de 2010 Histórico A formação do Fórum (Vitória 2001) a necessidade de maior articulação para estreitar

Leia mais

Relações Governamentais no Brasil Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Relações Governamentais no Brasil Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas: Fator de sucesso em negócios voltados para TI

Desenvolvimento de Pessoas: Fator de sucesso em negócios voltados para TI I INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Pós-Graduação Aperfeiçoamento Gestão e Tecnologia da Informação Turma 13 19 de março 2014 Desenvolvimento de Pessoas: Fator de sucesso em negócios voltados para TI Brisa

Leia mais

Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar no Ensino de Conceitos Químicos

Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar no Ensino de Conceitos Químicos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PIBID-PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA BOLSISTA: LIANE ALVES DA SILVA Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar

Leia mais

RECURSOS HUMANOS POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

RECURSOS HUMANOS POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Jan.205. OBJETIVO Este documento tem como objetivo definir conceitos, critérios e responsabilidades para os seguintes Programas de Desenvolvimento da Ipsos: Treinamentos Técnicos, Treinamentos Comportamentais,

Leia mais

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação São Paulo, 01 de setembro

Leia mais

Inteligência Competitiva Orientada para Resultados MANUAL DO CURSO

Inteligência Competitiva Orientada para Resultados MANUAL DO CURSO Inteligência Competitiva Orientada para Resultados MANUAL DO CURSO ESPM Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP Informações Central de Relacionamento: (11) 5081-8200 (opção 1) Segunda a sexta

Leia mais

Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância

Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância Seminário de Educação a Distância na Administração Pública: Cursos Mistos e Redes Virtuais Formando profissionais de saúde com as novas tecnologias: a experiência da ENSP/Fiocruz na educação à distância

Leia mais

Atualização Contextualizada do Plano Diretor da UFRJ. PR6 - Infraestrutura

Atualização Contextualizada do Plano Diretor da UFRJ. PR6 - Infraestrutura Atualização Contextualizada do Plano Diretor da UFRJ Plano Diretor Bases Campus da praia Vermelha Campus Macaé Campus Duque de Caxias Unidades Isoladas Vinculação aos Recursos Orçamentários Plano Diretor

Leia mais

O Comportamento Empreendedor dos Contabilistas: um estudo exploratório

O Comportamento Empreendedor dos Contabilistas: um estudo exploratório O Comportamento Empreendedor dos Contabilistas: um estudo exploratório Maíra Mara de Souza maira_mara_souza@hotmail.com UFSJ Aline Freire de Oliveira Moraes moraes.alinef@yahoo.com.br CESUC João Paulo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÂO DE BOLSISTA Nº13/2016 BOLSA DE DESENVOLVIMENTO PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Área de Concentração

TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÂO DE BOLSISTA Nº13/2016 BOLSA DE DESENVOLVIMENTO PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Área de Concentração TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÂO DE BOLSISTA Nº13/2016 BOLSA DE DESENVOLVIMENTO PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Área de Concentração Desenvolvimento Estrutural de CTI Linha de Desenvolvimento de CTI Estruturação

Leia mais

UM CASO DE UTILIZAÇÃO DA ABORDAGEM PROSPECTIVA VOLTADA PARA INSTITUIÇÕES DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO

UM CASO DE UTILIZAÇÃO DA ABORDAGEM PROSPECTIVA VOLTADA PARA INSTITUIÇÕES DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO UM CASO DE UTILIZAÇÃO DA ABORDAGEM PROSPECTIVA VOLTADA PARA INSTITUIÇÕES DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO ROTEIRO Atitude estratégica e Cenários. Síntese da abordagem metodológica utilizada. Projeto para a

Leia mais

O Estágio Curricular Supervisionado é realizado de acordo com o que determina a Resolução CNE/CES 10/2004, de 16 de Dezembro de 2004, que institui as

O Estágio Curricular Supervisionado é realizado de acordo com o que determina a Resolução CNE/CES 10/2004, de 16 de Dezembro de 2004, que institui as O Estágio Curricular Supervisionado é realizado de acordo com o que determina a Resolução CNE/CES 10/2004, de 16 de Dezembro de 2004, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação

Leia mais

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA Gisele Cristina Tertuliano RESUMO Este artigo é um relato de experiência sobre o processo de aprendizagem de aprendizagem para

Leia mais

EDITAL 030/2012. IBES, e a Coordenação do Curso de Publicidade & Propaganda, no uso de suas

EDITAL 030/2012. IBES, e a Coordenação do Curso de Publicidade & Propaganda, no uso de suas EDITAL 030/2012 ASSUNTO: EDITAL DE APROVAÇÃO DOS PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA DO INSTITUTO BLUMENAUENSE DE ENSINO SUPERIOR - IBES A Gerência de Ensino

Leia mais

O estudo sobre os Princípios de Marketing tem como objetivos:

O estudo sobre os Princípios de Marketing tem como objetivos: O estudo sobre os Princípios de Marketing tem como objetivos: Definir os conceitos básicos nas áreas de conhecimento ligadas à Gestão de Negócios; Compreender e efetuar as Análises Econômica, Financeira

Leia mais

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Seminário Motivações para o Início e o Fim do Consumo de Drogas: uma análise das comunidades virtuais relacionadas ao tema SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Arthur Guerra de Andrade Coordenação da Área

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

Docentes da Rede Estadual do Paraná I - Perfil do profissional em sala de aula

Docentes da Rede Estadual do Paraná I - Perfil do profissional em sala de aula Docentes da Rede Estadual do Paraná I - Perfil do profissional em sala de aula Com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2013, este informativo apresenta um perfil dos 50.798 profissionais

Leia mais

PROGRAMA. Curso: Administração 2012/1 Disciplina: Psicologia Aplicada a Administração. Carga Horária: 60 horas

PROGRAMA. Curso: Administração 2012/1 Disciplina: Psicologia Aplicada a Administração. Carga Horária: 60 horas UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Departamento de Administração Av. Fernando Ferrari, 514 - Campus Universitário - Goiabeiras CEP. 29075.910 -ES Brasil- Tel.

Leia mais

Caritas DIOCESANA DE. E o seu Impacto Social

Caritas DIOCESANA DE. E o seu Impacto Social E o seu Impacto Social O Projeto Amigo é uma iniciativa que pretende apoiar e promover projetos de apoio e caridade através da recolha, reciclagem e redistribuição de roupas usadas para posterior reutilização.

Leia mais

CURSO NEGOCIAÇÃO E COMUNICAÇÃO COM CLIENTES DIFÍCEIS

CURSO NEGOCIAÇÃO E COMUNICAÇÃO COM CLIENTES DIFÍCEIS CURSO NEGOCIAÇÃO E COMUNICAÇÃO COM CLIENTES DIFÍCEIS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05

Leia mais

Atendimento ao Cidadão, Processos e Pessoas Bruno Carvalho Palvarini Brasília, 1o de março de 2011

Atendimento ao Cidadão, Processos e Pessoas Bruno Carvalho Palvarini Brasília, 1o de março de 2011 Atendimento ao Cidadão, Processos e Pessoas Bruno Carvalho Palvarini Brasília, 1o de março de 2011 Visão geral SECRETÁRIO Gabinete - Carreira de EPPGG - Gestão interna - Apoio Administrativo - Núcleo de

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

TGM Tecnologia de Gestão Martins

TGM Tecnologia de Gestão Martins 1 O Que é TGM Tecnologia Gestão Martins? 2 Rentabilidade - 3 Central de Atendimento TGM O que é TGM? Tecnologia de Gestão Martins. É uma área da UMV Universidade Martins do Varejo, através do uso de tecnologia,

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE TUTORES Modalidade On-line EDITAL DE SELEÇÃO

CURSO DE FORMAÇÃO DE TUTORES Modalidade On-line EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE FORMAÇÃO DE TUTORES Modalidade On-line EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE EXTENSÃO ONLINE NOME DO CURSO FORMAÇÃO DE TUTORES COORDENAÇÃO Professor Mestre Ivan Carlos Alcântara de Oliveira ÁREA DO CONHECIMENTO

Leia mais

O remédio certo na dose certa!

O remédio certo na dose certa! O remédio certo na dose certa! Programa DC-DinsmoreCompass de Avaliação e Desenvolvimento de Competências em Gestão de Projetos A DC-DinsmoreCompass, com base em padrões de referência publicados pelo PMI

Leia mais

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Além de integrar a missão e visão da FACISC, o Desenvolvimento Sustentável passa agora a ser uma de nossas Diretrizes de atuação. Desta forma, propondo a ampliação

Leia mais

Negociação Estratégica e Gestão de Conflitos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Negociação Estratégica e Gestão de Conflitos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Moreira, Alessandro Messias. M835e Empreendedorismo: característica empreendedora / Alessandro Messias Moreira. Varginha, 2015. 36 slides; il.

Moreira, Alessandro Messias. M835e Empreendedorismo: característica empreendedora / Alessandro Messias Moreira. Varginha, 2015. 36 slides; il. Moreira, Alessandro Messias. M835e Empreendedorismo: característica empreendedora / Alessandro Messias Moreira. Varginha, 2015. 36 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World

Leia mais

Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais. Os caminhos...

Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais. Os caminhos... Orçamento participativo: engajamento da força de trabalho e resultados organizacionais Os caminhos... O que é um orçamento? Orçamento é um plano que detalha as receitas e despesas de uma administração

Leia mais

Mini-curso. Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula

Mini-curso. Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula Mini-curso Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula Professor responsável Prof. Dr. Daniel Abud Seabra Matos (UFOP) Mariana 2014 2 Prezados/as professores/as,

Leia mais

Taller sobre remesas, educación financiera y microemprendimiento en Goíanía, Brasil, 26 y 27 de Noviembre 2014.

Taller sobre remesas, educación financiera y microemprendimiento en Goíanía, Brasil, 26 y 27 de Noviembre 2014. Fortalecimiento del diálogo y de la cooperación entre la Unión Europea (UE) y América Latina y el Caribe (ALC) para el establecimiento de modelos de gestión sobre migración y políticas de desarrollo www.migracion-ue-alc.eu

Leia mais

Fundamentos Estratégicos

Fundamentos Estratégicos 1 Fundamentos Estratégicos MISSÃO Fornecer soluções e serviços em sistemas de suspensões, eixos e componentes para veículos comerciais com inovação, qualidade, segurança e sustentabilidade. VISÃO Ser reconhecida,

Leia mais

Agosto 2012. Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados

Agosto 2012. Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados Agosto 2012 Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados Objetivo Compartilhar com o grupo uma postura de planejamento positiva para que a regionais da FEMAMA consigam atingir o seu objetivo, e desta

Leia mais

FUNDAÇÃO PROJETO PESCAR

FUNDAÇÃO PROJETO PESCAR FUNDAÇÃO PROJETO PESCAR Av. Sertório, 1988 Portão 8 91020-000 - Porto Alegre - RS Fone/Fax: (51) 3337-7400 E-mail: pescar@via-rs.net Site: www.projetopescar.org.br Missão Missão Promover oportunidade para

Leia mais

COMUNICAÇÃO QUE GERA RESULTADO

COMUNICAÇÃO QUE GERA RESULTADO COMUNICAÇÃO QUE GERA RESULTADO Minha missão é preparar, motivar e inspirar as pessoas para que elas conquistem seus objetivos. Romero Machado PALESTRAS PALESTRA OS SEGREDOS DAS APRESENTAÇÕES E PALESTRAS

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º As Atividades Complementares são exigidas para integralização da do

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina DELIBERAÇÃO Câmara de Pós-Graduação Nº 033/2010 Reestrutura o Curso de Pós-Graduação Lato sensu em Economia Empresarial. CONSIDERANDO a solicitação da Coordenação do Curso, conforme processo nº 17069/2010;

Leia mais

A Interação entre a Educação Básica e a

A Interação entre a Educação Básica e a A Interação entre a Educação Básica e a Educação Superior: a visão do FOPROP (Fórum dos Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação das Universidades Brasileiras) Jorge Audy Presidente FOPROP Nacional audy@pucrs.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE REGISTROS ACADÊMICOS PLANO DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE REGISTROS ACADÊMICOS PLANO DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE REGISTROS ACADÊMICOS PLANO DE ENSINO Dados de Identificação Componente Curricular: DP0377-EMPREENDEDORISMO

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO DOS NEGÓCIOS 1º SEMESTRE DE 2014

DIREITO ADMINISTRATIVO DOS NEGÓCIOS 1º SEMESTRE DE 2014 DIREITO ADMINISTRATIVO DOS NEGÓCIOS 1º SEMESTRE DE 2014 Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da DIREITO GV (GVlaw) FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em

Leia mais

Painel: Como as escolas e as universidades podem atender as expectativas dos jovens e a nova demanda do mercado com relação ao empreendedorismo?

Painel: Como as escolas e as universidades podem atender as expectativas dos jovens e a nova demanda do mercado com relação ao empreendedorismo? Painel: Como as escolas e as universidades podem atender as expectativas dos jovens e a nova demanda do mercado com relação ao empreendedorismo? Gustavo Marujo EMPREENDEDORISMO NAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS

Leia mais

O que são custos de transformação?

O que são custos de transformação? O que são custos de transformação? A forma encontrada pelo método UEP para analisar os custos da empresa é através da simplificação do modelo de cálculo da produção do período determinando uma unidade

Leia mais

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72. Política de Responsabilidade Social

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72. Política de Responsabilidade Social Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Piracaia PIRAPREV CNPJ: 10.543.660/0001-72 Política de Responsabilidade Social Dezembro de 2011 1 PREÂMBULO O IPSPMP-PIRAPREV, sendo uma

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO Visando subsidiar a proposição de propostas a CHAMADA INTERNA DA PROPI/IFTM EDITAL MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 02/2014, apresentamos a seguir os critérios a serem considerados quando da avaliação das mesmas:

Leia mais

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências Gestão de Pessoas e Avaliação por competências quer a empresa que não existe! Funcionário quer o profissional que não existe! Empresa A visão evolutiva da área de Gestão de Pessoas... 1930 Surgem departamentos

Leia mais

Expert Apps for Good. As 11 áreas de conhecimento.

Expert Apps for Good. As 11 áreas de conhecimento. Expert Apps for Good As 11 áreas de conhecimento. 1. Idea Generation Criação de Ideias É nesta fase que os alunos começam a apresentar as suas primeiras ideias para a app que vão criar e onde explicam

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

EDITAL CONVOCAÇÃO DE CANDIDATOS PROCESSO SELETIVO FRUTAL CONSULTORIA JÚNIOR

EDITAL CONVOCAÇÃO DE CANDIDATOS PROCESSO SELETIVO FRUTAL CONSULTORIA JÚNIOR EDITAL CONVOCAÇÃO DE CANDIDATOS PROCESSO SELETIVO FRUTAL CONSULTORIA JÚNIOR 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS A Empresa Júnior da Universidade Estadual de Minas Gerais torna público o processo seletivo destinado

Leia mais

EMPREENDEDORISMO CONCEITOS... 21/03/2014 EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? IMPORTANTE!!!!!

EMPREENDEDORISMO CONCEITOS... 21/03/2014 EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? IMPORTANTE!!!!! EMPREENDEDORISMO CONCEITOS... Profa. MsC. Célia Regina Beiro da Silveira celiabeiro@expresso.com.br EMPREENDEDOR? EMPREENDEDOR? É aquele que destrói a ordem econômica existente pela introdução de novos

Leia mais

Importância das Marcas

Importância das Marcas Importância das Marcas Dihego Pansini de Souza A marca de uma empresa se coloca como um bem intangível, mas, sem dúvida alguma, é um importante diferencial. Na dinâmica atual do mercado já não é mais possível

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Campus: Governador Valadares MG PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Campus: Governador Valadares MG PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Campus: Governador Valadares MG PLANO DE ENSINO Curso/Período: Ciências Contábeis / 6º Período Disciplina: FIN006GV - Auditoria Professor(a): Marcelo Lopes Bello Coelho

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento - T&D. Capacitação e formação dos colaboradores do HSC

Treinamento e Desenvolvimento - T&D. Capacitação e formação dos colaboradores do HSC Treinamento e Desenvolvimento - T&D Capacitação e formação dos colaboradores do HSC Políticas de RH As práticas de Recursos Humanos do Hospital Santa Catarina estão de acordo com as diretrizes apresentadas

Leia mais

Unidade I. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade I. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade I Marketing Profª. Daniela Menezes O que é Marketing? Marketing é:...um processo social por meio do qual pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo que necessitam e o que desejam com a criação, oferta

Leia mais

Museu da Chapelaria São João da Madeira. 20 a 23 de setembro. Organização:

Museu da Chapelaria São João da Madeira. 20 a 23 de setembro. Organização: Museu da Chapelaria São João da Madeira 20 a 23 de setembro Organização: Coordenadoras formadoras: Ana Rita Canavarro e Sara Barriga Formadoras: Sara Franqueira, Susana Gomes da Silva Objetivos: Relacionar

Leia mais

Disciplina de Impactos Ambientais Professor Msc. Leonardo Pivôtto Nicodemo. O ordenamento do processo de AIA

Disciplina de Impactos Ambientais Professor Msc. Leonardo Pivôtto Nicodemo. O ordenamento do processo de AIA Disciplina de Impactos Ambientais Professor Msc. Leonardo Pivôtto Nicodemo FOGLIATTI, Maria Cristina. Avaliação de impactos ambientais. Rio de Janeiro: Editora Interciência Ltda, 2004. SANCHEZ, Luis Henrique.

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DOCENTE INSTITUCIONAL

ANÁLISE DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DOCENTE INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ELETRÔNICA 2015 NOTA EXPLICATIVA: I A metodologia de análise dos dados relativos à Avaliação Institucional Eletrônica /2015 considerou: a) os dados gerais da instituição, visando

Leia mais

AGENDA MARÇO E ABRIL 2016 ESCRITÓRIO REGIONAL DE PIRACICABA

AGENDA MARÇO E ABRIL 2016 ESCRITÓRIO REGIONAL DE PIRACICABA 1 AGENDA MARÇO E ABRIL 2016 ESCRITÓRIO REGIONAL DE PIRACICABA PLANEJAMENTO PLANEJAMENTO: O PRIMEIRO PASSO PARA COMEÇAR O SEU NEGÓCIO PALESTRA QUE VISA SENSIBILIZAR OS PARTICIPANTES A IDENTIFICAR AS OPORTUNIDADES

Leia mais

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA FACULDADE DE ARACRUZ

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA FACULDADE DE ARACRUZ FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA FACULDADE DE ARACRUZ ARACRUZ 2010 INTRODUÇÃO A Iniciação Científica, segundo o Conselho Nacional

Leia mais

EDITAL 1 a OLIMPÍADA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE APPS: Ações para o Desenvolvimento Sustentável 1 a ONDA

EDITAL 1 a OLIMPÍADA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE APPS: Ações para o Desenvolvimento Sustentável 1 a ONDA EDITAL 1 a OLIMPÍADA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE APPS: Ações para o Desenvolvimento Sustentável 1 a ONDA Informações gerais: A Olimpíada Nacional de Apps irá ocorrer em todo o país e envolverá a participação

Leia mais

O USO DE CARTÃO DE CRÉDITO NAS EMPRESAS DA AVENIDA 14 DE MAIO, NO MUNICÍPIO DE LÁBREA/AM

O USO DE CARTÃO DE CRÉDITO NAS EMPRESAS DA AVENIDA 14 DE MAIO, NO MUNICÍPIO DE LÁBREA/AM O USO DE CARTÃO DE CRÉDITO NAS EMPRESAS DA AVENIDA 14 DE MAIO, NO MUNICÍPIO DE LÁBREA/AM INTRODUÇÃO Elís Dávine Galvão de Souza 1 e Rodrigo Ferreira de Lima 1 As operações de compras e vendas ocorrem paulatinamente

Leia mais

Avaliação Econômica do Projeto de Microcrédito para a população da Zona Norte de Natal/RN

Avaliação Econômica do Projeto de Microcrédito para a população da Zona Norte de Natal/RN FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL CENTRO DE APOIO AOS MICROEMPREENDEDORES Avaliação Econômica do Projeto de Microcrédito para a população da Zona Norte de Natal/RN Equipe: Iraê Cardoso, Isabela Almeida, Lilian Prado,

Leia mais

A importância dos Indicadores de Atividade dentro da Empresa

A importância dos Indicadores de Atividade dentro da Empresa A importância dos Indicadores de Atividade dentro da Empresa Vanessa da Silva Sidônio vanessa_sidonio@hotmail.com Heber Lavor Moreira Professor Trabalho da Disciplina Análise dos Demonstrativos Contábeis

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE Seminário Os NITs e a efetividade do Programa RENORBIO Uma proposta para os NITs do NE Teresa Lenice Mota (UECE) Colaboração: André Luiz Araújo (CEFET-CE) Aritomar Barros (UFC) BNB, 10 de abril de 2007

Leia mais

Gestão da Qualidade. Aula 5. Prof. Pablo

Gestão da Qualidade. Aula 5. Prof. Pablo Gestão da Qualidade Aula 5 Prof. Pablo Proposito da Aula 1. Gestão da Qualidade Total; 2. Planejamento; Gestão da Qualidade Total Gestão da Qualidade Total Como vimos na última aula a Gestão da Qualidade

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA. 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA. 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PRÊMIO GESTÃO AMBIENTAL NO BIOMA AMAZÔNIA 1 a Edição 2015/2016 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Realização Apoio Forneça as informações a seguir para participar da 1ª edição 2015/2016 do Prêmio Gestão Ambiental

Leia mais

Natália de Oliveira Fontoura. Diretoria de Estudos e Políticas Sociais Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília, março de 2014

Natália de Oliveira Fontoura. Diretoria de Estudos e Políticas Sociais Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Brasília, março de 2014 Natália de Oliveira Fontoura Diretoria de Estudos e Políticas Sociais Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Brasília, março de 2014 Apesar das conquistas das mulheres, são ainda observadas muitas desigualdades

Leia mais

Liderança e Gestão da Organização

Liderança e Gestão da Organização 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

HÁ MUITAS FORMAS DE MUDAR AS CIDADES: A JUVENTUDE FAZ SUA PARTE!

HÁ MUITAS FORMAS DE MUDAR AS CIDADES: A JUVENTUDE FAZ SUA PARTE! HÁ MUITAS FORMAS DE MUDAR AS CIDADES: A JUVENTUDE FAZ SUA PARTE! 1. APRESENTAÇÃO O Fundo da FASE para Juventudes, lançado pela organização em julho de 2016, visa apoiar financeiramente projetos de caráter

Leia mais

Administração de Cargos e Salários

Administração de Cargos e Salários Administração de Cargos e Salários Professor : Glauco Zambonini Bibliografia base: Pontes, Benito Rodrigues Administração de cargos e salários / Benito Rodrigues Pontes. 12 ed. São Paulo : LTr, 2007 ISBN

Leia mais

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES 2009-2014 FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS MINHA CASA, MINHA VIDA - ENTIDADES PMCMV ENTIDADES/ FDS Produção e aquisição de unidades habitacionais

Leia mais

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE FORUM DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE Recife,

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS NO VAREJO DIRETRIZES PARA ADEQUAÇÃO DE PERFIL DO INVESTIDOR (API)

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS NO VAREJO DIRETRIZES PARA ADEQUAÇÃO DE PERFIL DO INVESTIDOR (API) CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS NO VAREJO DIRETRIZES PARA ADEQUAÇÃO DE PERFIL DO INVESTIDOR (API) CAPÍTULO I OBJETIVO Art. 1º Estas Diretrizes tem por

Leia mais

8/25/2015. Processo de Planejamento Financeiro Os 6 Passos

8/25/2015. Processo de Planejamento Financeiro Os 6 Passos Processo de Planejamento Financeiro Os 6 Passos 1 Planejamento Financeiro Transforma a Vida das Pessoas Processo de Planejamento 2 Definir o relacionamento entre cliente e planejador Obter informações,

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Mintzberg Define planejamento estratégico como sendo processo gerencial que possibilita ao executivo estabelecer o rumo a ser seguido pela empresa, com vistas a obter um nível

Leia mais

A Dimensão Social e o Conceito de Desenvolvimento Sustentável

A Dimensão Social e o Conceito de Desenvolvimento Sustentável V Mesa-Redonda da Sociedade Civil Brasil EU A Dimensão Social e o Conceito de Desenvolvimento Sustentável Apresentação da Conselheira Lúcia Stumpf Porto, Portugal 7 a 9 de novembro de 2011 1 Contextualização

Leia mais