MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº035/2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº035/2010"

Transcrição

1 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº035/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: CCEE AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: (Especificar Nome/Tipo, nº e data, caso existam) EMENTA (Caso exista):

2 CONTRIBUIÇÕES RECEBIDAS IMPORTANTE: Os comentários e sugestões referentes às contribuições deverão ser fundamentados e justificados, mencionando-se os artigos, parágrafos e incisos a que se referem, devendo ser acompanhados de textos alternativos e substitutivos quando envolverem sugestões de inclusão ou alteração, parcial ou total, de qualquer dispositivo. EDITAL Inclusão de texto cláusula A VENDEDORA deverá atender plenamente os requisitos técnicos estabelecidos nas REGRAS DE COMERCIALIZAÇÃO e nos PROCEDIMENTOS DE COMERCIALIZAÇÃO incluindo, mas não se limitando, o disposto sobre o sistema de coleta e medição, estando a VENDEDORA sujeita as penalidades previstas nestes documentos em caso de descumprimento. Deve-se deixar claro que o agente estará sujeito às penalidades previstas em regras inclusive as de medição 16.5 A critério da VENDEDORA, o CCEAR poderá abranger todos os empreendimentos com energia negociada do LEILÃO e que estejam sob a mesma titularidade A critério da VENDEDORA, o CCEAR poderá abranger todos os empreendimentos, de mesma fonte, com energia negociada do LEILÃO e que estejam sob a mesma titularidade. O Vendedor poderá incluir num mesmo CCEAR todas as usinas de mesma titularidade, desde que elas sejam de mesma fonte (PCH, Biomassa ou Eólica). Item está prevista mais de uma forma de garantia financeira (FIANÇA BANCÁRIA, CCG e CESSÃO DE CDB) Retirar a possibilidade de utilização de FIANÇA BANCÁRIA e CESSÃO DE CDB como formas de garantia financeira, deixando apenas o CCG. Adequar os demais itens para ficar aderente com essa alteração. Para contratos de energia nova (15 a 30 anos), somente são aceitos CCGs como forma de garantia financeira. 2

3 CCEAR POR QUANTIDADE CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR, QUE ENTRE SI FAZEM A E A. CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR, NA MODALIDADE QUANTIDADE DE ENERGIA ELÉTRICA, QUE ENTRE SI FAZEM A E A. Padronizar os títulos dos contratos O atraso, desde que verificado pela ANEEL, da entrada em operação comercial das instalações de uso do âmbito de distribuição ou de transmissão da Rede Básica, necessárias para o escoamento da ENERGIA produzida pela(s) USINA(S), não exime o COMPRADOR das obrigações previstas na Cláusula 8ª, desde que a(s) USINA(S) estejam em condições de entrar em operação comercial, a ser necessariamente verificado pela ANEEL, exceto no caso de alteração, solicitada e/ou causada pelo VENDEDOR, das informações de aceso aos sistemas de distribuição ou transmissão vigentes quando da realização do LEILÃO, isentando o VENDEDOR da recomposição de lastro prevista na subcláusula 5.5(ii) O atraso, desde que verificado pela ANEEL, da entrada em operação comercial das instalações de uso do âmbito de distribuição ou de transmissão da Rede Básica, necessárias para o escoamento da ENERGIA produzida pela(s) USINA(S), não exime o COMPRADOR das obrigações previstas na Cláusula 8ª, desde que a(s) USINA(S) estejam em condições de entrar em operação comercial, a ser necessariamente verificado pela ANEEL. Não será aplicado o disposto na Resolução nº 165/2005 no que tange ao preço caso seja constatado pela ANEEL que o atraso na entrada em operação comercial da USINA é devido a problemas provocados pelas empresas responsáveis pelos sistemas de distribuição ou de transmissão da Rede Básica Reescrever a cláusula 5.10 deixando claro que o VENDEDOR só terá direito a receber os valores relativos ao CCEAR se for constatado que o motivo que impossibilitou o empreendimento a entrar em operação comercial diz respeito a problemas no sistema de transmissão ou distribuição que não podem ser atribuídos ao VENDEDOR. 3

4 CCEAR POR QUANTIDADE 8.1. (...) Os pagamentos mencionados nesta Cláusula deverão ser efetuados conforme previsto no ANEXO III Os pagamentos mencionados nesta Cláusula deverão ser efetuados conforme os seguintes vencimentos: (i) Primeiro vencimento: No dia 15 do mês seguinte ao mês do suprimento considerado; (ii) Segundo vencimento: No dia 25 do mês seguinte ao mês do suprimento considerado; e (iii) Terceiro vencimento: No dia 5 do segundo mês seguinte ao mês do suprimento considerado. Deixar explicito os vencimentos na cláusula 8.1. O contrato remete ao ANEXO III, no qual não há os vencimentos destacados. Sugerese manter os vencimentos anteriores: O DOCUMENTO DE COBRANÇA será emitido em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR, com sede(s) na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. (Somente no caso de emissão por filial(is) do VENDEDOR.) O DOCUMENTO DE COBRANÇA será emitido em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR, com sede(s) na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. (Somente no caso de emissão por ou para filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR.) Prever a emissão de DOCUMENTO DE COBRANÇA para a filial do COMPRADOR, conforme Despacho ANEEL nº 1669/10 4

5 CCEAR POR QUANTIDADE CLÁUSULA 10 DAS GARANTIAS FINANCEIRAS - está prevista mais de uma forma de garantia financeira (FIANÇA BANCÁRIA, CCG e CESSÃO DE CDB) Retirar a possibilidade de utilização de FIANÇA BANCÁRIA e CESSÃO DE CDB como formas de garantia financeira, deixando apenas o CCG. Adequar as demais cláusulas para ficar aderente com essa alteração. Para contratos de energia nova (15 a 30 anos), somente são aceitos CCGs como forma de garantia financeira. 5

6 CCEAR POR DISPONIBILIDADE (BIOMASSA) Título do contrato: CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR POR DISPONIBILIDADE Cláusula Os pagamentos mencionados nesta cláusula deverão ser efetuados conforme previsto no ANEXO III. CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR POR DISPONIBILIDADE Produto Biomassa SUPRIMIR 8.3. Os pagamentos mencionados nesta cláusula deverão ser efetuados da seguinte forma: i. Primeiro vencimento: No dia 20 do mês seguinte ao mês do suprimento considerado; ii. Segundo vencimento: No dia 30 do mês iii. seguinte ao mês do suprimento considerado; e Terceiro vencimento: No dia 10 do segundo mês seguinte ao mês do suprimento considerado Reescrever o título do contrato deixando claro que diz respeito ao Produto Biomassa Entende-se que não deve ser aplicada a Resolução nº 165/2010 para os empreendimentos a biomassa, guardando relação com a Regra de Comercialização em vigor. Assim, deve ser suprimida a cláusula 5.6. Deixar explicito os vencimentos na cláusula 8.3. O contrato remete ao ANEXO III, no qual não há os vencimentos destacados. Sugerese manter os vencimentos anteriores 6

7 CCEAR POR DISPONIBILIDADE (BIOMASSA) O(s) DOCUMENTO(S) DE COBRANÇA será(ão) emitido(s) em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR, com sede(s): na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. (Somente no caso de emissão por filial(is) do VENDEDOR.) O(s) DOCUMENTO(S) DE COBRANÇA será(ão) emitido(s) em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR, com sede(s): na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. (Somente no caso de emissão por ou para filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR.) Prever a emissão de DOCUMENTO DE COBRANÇA para a filial do COMPRADOR, conforme Despacho ANEEL nº 1669/10 CLÁUSULA 10 DAS GARANTIAS FINANCEIRAS - está prevista mais de uma forma de garantia financeira (FIANÇA BANCÁRIA, CCG e CESSÃO DE CDB) Retirar a possibilidade de utilização de FIANÇA BANCÁRIA e CESSÃO DE CDB como formas de garantia financeira, deixando apenas o CCG. Adequar as demais claúsulas para ficar aderente com essa alteração. Para contratos de energia nova (15 a 30 anos), somente são aceitos CCGs como forma de garantia financeira. 7

8 CCEAR POR DISPONIBILIDADE (EÓLICA) Título do contrato: CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR POR DISPONIBILIDADE (...) (i) energia gerada anual inferior a 90 % da ENERGIA CONTRATADA constante das Tabelas da Subcláusula 6.1, sendo o valor da parcela da RECEITA FIXA a ser ressarcido pelo VENDEDOR de acordo com a fórmula a seguir: RFaress = 0,9 x RFa x [(EC-EGa) /EC] 6.8 (...) (ii). geração média nos quadriênios da Tabela a seguir, em qualquer montante, aos valores de referência utilizados no cálculo da GARANTIA FÍSICA do empreendimento, sendo o valor da parcela da RECEITA FIXA a ser ressarcido pelo VENDEDOR de acordo com a fórmula a seguir: (...) CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR POR DISPONIBILIDADE Produto Eólica (i) energia gerada anual inferior a 90 % da ENERGIA CONTRATADA constante das Tabelas da Subcláusula 6.1, sendo o valor da parcela da RECEITA FIXA a ser ressarcido pelo VENDEDOR de acordo com a fórmula a seguir: RFaress = Máximo {0; RFa x{[(ec*0,9)-ega] /EC}} 6.8 (...) (ii). geração média nos quadriênios da Tabela a seguir, em qualquer montante, sendo o valor da parcela da RECEITA FIXA a ser ressarcido pelo VENDEDOR de acordo com a fórmula a seguir: (...) Reescrever o título do contrato deixando claro que diz respeito ao Produto Biomassa Renumerar os itens Considerando que, pois o CCEAR apresenta erro material Renumerar os itens da Cláusula 1, os quais apresentam erro material A equação não está em consonância com o disposto na Portaria MME nº 565/2010 Retirar no inciso (ii) da cláusula 6.8. a menção aos valores de referência utilizados no cálculo da GARANTIA FÍSICA do empreendimento, pois a Portaria MME nº 565/2010 menciona sempre montantes contratados, ou seja, deverá ser reescrita mencionando os montantes contratados. 8

9 CCEAR POR DISPONIBILIDADE (EÓLICA) 6.8 (...) (ii) (...) RFq: é a RECEITA FIXA atualizada nos termos da Cláusula 7ª, ao término do quadriênio ; O(s) DOCUMENTO(S) DE COBRANÇA será(ão) emitido(s) em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR, com sede(s): na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. (Somente no caso de emissão por filial(is) do VENDEDOR.) RFq: é a somatória da RECEITA FIXA atualizada nos termos da Cláusula 7ª, dos quatro anos do quadriênio O(s) DOCUMENTO(S) DE COBRANÇA será(ão) emitido(s) em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR, com sede(s): na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. (Somente no caso de emissão por ou para filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR.) Deixar claro que RFq refere-se à receita Fixa total do quadriênio Prever a emissão de DOCUMENTO DE COBRANÇA para a filial do COMPRADOR, conforme Despacho ANEEL nº 1669/10 CLÁUSULA 10 DAS GARANTIAS FINANCEIRAS - está prevista mais de uma forma de garantia financeira (FIANÇA BANCÁRIA, CCG e CESSÃO DE CDB) Retirar a possibilidade de utilização de FIANÇA BANCÁRIA e CESSÃO DE CDB como formas de garantia financeira, deixando apenas o CCG. Adequar as demais claúsulas para ficar aderente com essa alteração. Para contratos de energia nova (15 a 30 anos), somente são aceitos CCGs como forma de garantia financeira. 9

10 CCEAR POR DISPONIBILIDADE (EÓLICA) 8.3. Os pagamentos mencionados nesta cláusula deverão ser efetuados conforme previsto no ANEXO III Os pagamentos mencionados nesta cláusula deverão ser efetuados da seguinte forma: i. Primeiro vencimento: No dia 20 do mês seguinte ao mês do suprimento considerado; ii. Segundo vencimento: No dia 30 do mês iii. seguinte ao mês do suprimento considerado; e Terceiro vencimento: No dia 10 do segundo mês seguinte ao mês do suprimento considerado Deixar explicito os vencimentos na cláusula 8.3. O contrato remete ao ANEXO III, no qual não há os vencimentos destacados. Sugerese manter os vencimentos anteriores 10

11 CCG (f) o(s) DOCUMENTO(S) DE COBRANÇA será(ão) emitido(s) em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR, com sede(s): na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº (Somente no caso de emissão por filial(is) do VENDEDOR.) (f) o(s) DOCUMENTO(S) DE COBRANÇA será(ão) emitido(s) em nome da(s) filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR, com sede(s): na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº, e na Rua, Município de, Estado de, inscrita no CNPJ/MF sob o nº (Somente no caso de emissão por ou para filial(is) do VENDEDOR ou COMPRADOR.); Prever a emissão de DOCUMENTO DE COBRANÇA para a filial do COMPRADOR, conforme Despacho ANEEL nº 1669/10 11

12 CONTRATO DE CESSÃO DE DIREITOS CREDITÓRIOS DE CDB CLÁUSULA PRIMEIRA, SEGUNDA, TERCEIRA e QUARTA (...) ( CCEAR ), celebrado em [...], entre [...] (Comprador) e (Vendedor), e do qual o presente instrumento fica fazendo parte integrante. CLÁUSULA PRIMEIRA, SEGUNDA, TERCEIRA e QUARTA (...) decorrentes do Contrato de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado ( CCEAR ), celebrado entre COMPRADOR e VENDEDOR, e do qual o presente instrumento fica fazendo parte integrante. Padronizar com os termos utilizados no CCEAR CLÁUSULA NONA - O presente instrumento é celebrado em caráter irrevogável e irretratável, prevalecendo entre as partes e seus sucessores, ficando eleito o foro da Cidade de..., para dirimir as questões que porventura surgirem em decorrência deste Contrato. CLÁUSULA NONA - O presente instrumento é celebrado em caráter irrevogável e irretratável, prevalecendo entre as partes e seus sucessores, ficando eleito o foro da Cidade do VENDEDOR, para dirimir as questões que porventura surgirem em decorrência deste Contrato. Padronizar com o FORO constante no CCEAR e CCG 12

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE).

TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). TERMO DE CESSÃO AO CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO Nº / - Produto / POR (QUANTIDADE ou DISPONIBILIDADE). Pelo presente instrumento contratual e na melhor forma de direito,

Leia mais

PORTARIA Nº564, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014

PORTARIA Nº564, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 PORTARIA Nº564, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos II e IV, da Constituição, tendo em vista o disposto

Leia mais

Panorama dos leilões do 2º semestre de 2013

Panorama dos leilões do 2º semestre de 2013 Panorama dos leilões do 2º semestre de 2013 Datas, aspectos gerais e sistemáticas 03/06/2013 Gerência de Leilões e Mercado Regulado Agenda Data dos leilões no 2º semestre de 2013 11º Leilão de Energia

Leia mais

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.5 Receita de Venda de CCEAR Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 Submódulo 3.5 Receita de venda de CCEAR ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Módulo 7 Energia de Reserva. Submódulo 7.1 Apurações da energia de reserva

Módulo 7 Energia de Reserva. Submódulo 7.1 Apurações da energia de reserva Módulo 7 Energia de Reserva Submódulo 7.1 Apurações da energia ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE ATIVIDADES 6. DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES 7. ANEXOS Revisão Motivo

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 293, DE 4 DE AGOSTO DE 2017. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 125, DE 14 DE JUNHO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro

Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro PORTARIA N o 172, DE 10 DE MAIO DE 2016 O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos

Leia mais

XX Simpósio Jurídico da ABCE. Os 10 anos da Lei /2004, reflexões e perspectivas.

XX Simpósio Jurídico da ABCE. Os 10 anos da Lei /2004, reflexões e perspectivas. XX Simpósio Jurídico da ABCE Os 10 anos da Lei 10.848/2004, reflexões e perspectivas. São Paulo Outubro de 2014 Ricardo Brandão Procurador-Geral da ANEEL Marcos normativos antecedentes à Lei 10.848/2004

Leia mais

Visão Geral do Modelo de Comercialização de Energia no Brasil ABINEE TEC 2007

Visão Geral do Modelo de Comercialização de Energia no Brasil ABINEE TEC 2007 Visão Geral do Modelo de Comercialização de Energia no Brasil ABINEE TEC 2007 Luiz Henrique Alves Pazzini Gerência de Acompanhamento de Mercado - GAM 25 de abril de 2007 Agenda Comercialização de Energia

Leia mais

VOTO. INTERESSADO: Ministério de Minas e Energia e Agentes do Setor Elétrico.

VOTO. INTERESSADO: Ministério de Minas e Energia e Agentes do Setor Elétrico. VOTO PROCESSO: 48500.002827/2013-76. INTERESSADO: Ministério de Minas e Energia e Agentes do Setor Elétrico. RELATOR: Diretor Romeu Donizete Rufino. RESPONSÁVEL: Comissão Especial de Licitação - CEL e

Leia mais

VENDA DE EXCEDENTES COMISSÃO METROFERROVIÁRIA - GRUPO DE TRABALHO DE ENERGIA. Marcia Baptista da Silva. São Paulo, 14 de setembro de 2010

VENDA DE EXCEDENTES COMISSÃO METROFERROVIÁRIA - GRUPO DE TRABALHO DE ENERGIA. Marcia Baptista da Silva. São Paulo, 14 de setembro de 2010 VENDA DE EXCEDENTES DE ENERGIA ELÉTRICA COMISSÃO METROFERROVIÁRIA - GRUPO DE TRABALHO DE ENERGIA Marcia Baptista da Silva São Paulo, 14 de setembro de 2010 COMISSÃO METROFERROVIÁRIA GRUPO DE TRABALHO DE

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 007/2012

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 007/2012 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 007/2012 NOME DA INSTITUIÇÃO: COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIB. DE ENERGIA ELÉTRICA - CEEE-D AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO

Leia mais

VI Conferência de PCHs Mercado & Meio-Ambiente Comercialização de Energia Elétrica Proveniente de PCHs no Brasil

VI Conferência de PCHs Mercado & Meio-Ambiente Comercialização de Energia Elétrica Proveniente de PCHs no Brasil VI Conferência de PCHs Mercado & Meio-Ambiente Comercialização de Energia Elétrica Proveniente de PCHs no Brasil Antônio Carlos Fraga Machado Presidente do Conselho de Administração Câmara de Comercialização

Leia mais

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A, agente gerador de energia elétrica, inscrita no CNPJ/MF sob o n 23.274.194/0001-19, com sede na Rua Real Grandeza 219, Botafogo, Rio de

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA DEC/DECM. Metodologia de cálculo de faturas dos empreendimentos do PROINFA. Janeiro / 2007 DEC/DECM

INFORMAÇÃO TÉCNICA DEC/DECM. Metodologia de cálculo de faturas dos empreendimentos do PROINFA. Janeiro / 2007 DEC/DECM INFORMAÇÃO TÉCNICA Metodologia de cálculo de faturas dos empreendimentos do PROINFA Janeiro / 2007 1 Índice Índice...2 1. OBJETIVO...3 2. INTRODUÇÃO...3 3. METODOLOGIA...3 3.1. REAJUSTE E REVISÃO DOS PREÇOS

Leia mais

NORTE BRASIL TRANSMISSORA DE ENERGIA S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

NORTE BRASIL TRANSMISSORA DE ENERGIA S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 NORTE BRASIL TRANSMISSORA DE ENERGIA S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

A Inserção da Energia Eólica no Brasil Mesa Redonda: Energia Eólica

A Inserção da Energia Eólica no Brasil Mesa Redonda: Energia Eólica A Inserção da Energia Eólica no Brasil Mesa Redonda: Energia Eólica Élbia Melo 10/02/2010 Agenda Visão Geral da CCEE e do Mercado de Energia Comercialização de Energia de Eólica PROINFA ACL ACR Energia

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO COMPRA DE ENERGIA CONVENCIONAL. Processo: LP+2014

EDITAL DE LEILÃO COMPRA DE ENERGIA CONVENCIONAL. Processo: LP+2014 EDITAL DE LEILÃO COMPRA DE ENERGIA CONVENCIONAL Processo: LP+2014 O BTG PACTUAL EMPRESA OPERADORA DO MERCADO ENERGÉTICO LTDA.- Coomex, doravante denominado Energia, em conformidade com a regulamentação

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA CARGILL Nº 001/2009 CARGILL AGRÍCOLA S.A

EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA CARGILL Nº 001/2009 CARGILL AGRÍCOLA S.A EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA CARGILL Nº 001/2009 CARGILL AGRÍCOLA S.A A Cargill Agrícola S.A., inscrita no CNPJ sob o número 60.498.706/0001-57, com sede na Av. Morumbi, 8234 Brooklin

Leia mais

Balanço Energético. Versão 1.0

Balanço Energético. Versão 1.0 ÍNDICE BALANÇO ENERGÉTICO 4 1. Introdução 4 1.1. Lista de Termos 6 1.2. Conceitos Básicos 7 2. Detalhamento do Cálculo do 10 2.1. Cálculo do 10 2 Controle de Alterações Revisão Motivo da Revisão Instrumento

Leia mais

Renewable Energy Projects

Renewable Energy Projects Grid Connectivity for Renewable Energy Projects 2nd REFF Latin America 2009 28 de abril de 2009 Roberto Gomes Diretor ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico Sumário Estrutura do Setor Elétrico Brasileiro

Leia mais

Repactuação do Risco Hidrológico MP nº 688/2015

Repactuação do Risco Hidrológico MP nº 688/2015 Repactuação do Risco Hidrológico MP nº 688/2015 Lei nº 10.848/2004 (Redação Original) Art. 2 o... 1 o Na contratação regulada, os riscos hidrológicos serão assumidos conforme as seguintes modalidades contratuais:

Leia mais

ENERGIA DOS VENTOS IV S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

ENERGIA DOS VENTOS IV S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 ENERGIA DOS VENTOS IV S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente Fiduciário

Leia mais

2 Novo Modelo do Setor Elétrico Brasileiro

2 Novo Modelo do Setor Elétrico Brasileiro 2 Novo Modelo do Setor Elétrico Brasileiro Segundo a lei federal no. 10.848, esse novo modelo tem três objetivos principais: garantir a segurança no suprimento da energia elétrica, atingir a modicidade

Leia mais

Contrato de Compra e Venda

Contrato de Compra e Venda Contrato de Compra e Venda A compra de qualquer produto na loja virtual www.dafiti.com.br, de propriedade da GFG Comércio Digital Ltda., inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 11.200.418/0001-69, com sede na Avenida

Leia mais

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A, agente gerador de energia elétrica, inscrita no CNPJ/MF sob o n 23.274.194/0001-19, com sede na Rua Real Grandeza 219, Botafogo, Rio de

Leia mais

EMPRESA DE ENERGIA SÃO MANOEL S.A. 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

EMPRESA DE ENERGIA SÃO MANOEL S.A. 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 EMPRESA DE ENERGIA SÃO MANOEL S.A. 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de

Leia mais

ÍNDICE 1 OPERACIONAL CCEE Calendário Pagamentos Importância de Pagar em Dia Registro/Validação...

ÍNDICE 1 OPERACIONAL CCEE Calendário Pagamentos Importância de Pagar em Dia Registro/Validação... ÍNDICE 1 OPERACIONAL CCEE... 2 1.1 Calendário... 2 1.2 Pagamentos... 3 1.2.1 Importância de Pagar em Dia... 4 1.3 Registro/Validação... 4 2 OPERACIONAL EDP... 5 2.1 Faturamento... 5 2.1.1 Energia... 5

Leia mais

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. O Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) encerrou janeiro/2015 com um fator de ajuste de 80,6%.

1. SUMÁRIO EXECUTIVO. O Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) encerrou janeiro/2015 com um fator de ajuste de 80,6%. O InfoMercado mensal apresenta os dados da prévia de medição de fevereiro/15 e os principais resultados da contabilização das operações do mercado de energia elétrica em janeiro/15. Este boletim traz um

Leia mais

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A, agente gerador de energia elétrica, inscrita no CNPJ/MF sob o n 23.274.194/0001-19, com sede na Rua Real Grandeza 219, Botafogo, Rio de

Leia mais

ENTRE INBRANDS S.A. OLIVEIRA TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. DATADO DE 09 DE AGOSTO DE 2016 COMO EMISSORA,

ENTRE INBRANDS S.A. OLIVEIRA TRUST DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. DATADO DE 09 DE AGOSTO DE 2016 COMO EMISSORA, PRIMEIRO ADITAMENTO AO INSTRUMENTO PARTICULAR DE ESCRITURA DA 4ª (QUARTA) EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA ESPÉCIE COM GARANTIA REAL, EM DUAS SÉRIES, PARA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA

Leia mais

I. como emissora das debêntures objeto da Escritura de Emissão (conforme definida abaixo) ("Debêntures"):

I. como emissora das debêntures objeto da Escritura de Emissão (conforme definida abaixo) (Debêntures): SEGUNDO ADITAMENTO À ESCRITURA PARTICULAR DE EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA, EM DUAS SÉRIES, SENDO A PRIMEIRA SÉRIE SEM GARANTIA E A SEGUNDA

Leia mais

III Seminário Internacional Desafios da Regulação no Setor Elétrico

III Seminário Internacional Desafios da Regulação no Setor Elétrico III Seminário Internacional Desafios da Regulação no Setor Elétrico Regulação da Distribuição em Portugal e no Brasil Principais Riscos Regulatórios João Aguiar Presidente Compra de energia para venda

Leia mais

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica TRIBUTAÇÃO SOBRE ENERGIA ELÉTRICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica 1 Modelo atual do setor elétrico brasileiro a partir de 2004 2 Marcos Regulatórios do Novo

Leia mais

PARCERIA SEGURA E COM EXPERIÊNCIA

PARCERIA SEGURA E COM EXPERIÊNCIA PARCERIA SEGURA E COM EXPERIÊNCIA O GRUPO CPFL ENERGIA Grupo com mais de 100 anos de história Maior grupo privado do setor elétrico nacional Mais de 30 anos de relacionamento com o setor sucroenergético

Leia mais

ECTE - EMPRESA CATARINENSE DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA S.A. 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

ECTE - EMPRESA CATARINENSE DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA S.A. 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 ECTE - EMPRESA CATARINENSE DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA S.A. 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

CENTRAL EÓLICA CAITITU S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

CENTRAL EÓLICA CAITITU S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 CENTRAL EÓLICA CAITITU S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente

Leia mais

MODELO CONTRATO DE USO FLEXÍVEL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST F Modelo 24jul2017.docx

MODELO CONTRATO DE USO FLEXÍVEL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST F Modelo 24jul2017.docx MODELO CONTRATO DE USO FLEXÍVEL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO Arquivo: CUST F Modelo 24jul2017.docx Motivos: Atualização e padronização Modelo aplicado a: Consumidores Livres Autoprodutores e Produtores Independentes

Leia mais

8 de agosto de Ricardo Lima Conselheiro de Administração - CCEE. Estrutura tarifária "ponta/fora da ponta Perspectiva dos atores

8 de agosto de Ricardo Lima Conselheiro de Administração - CCEE. Estrutura tarifária ponta/fora da ponta Perspectiva dos atores Estrutura tarifária "ponta/fora da ponta Perspectiva dos atores Seminário Autoprodução de Energia Elétrica na Ponta Impactos e Perspectivas 8 de agosto de 2012 Ricardo Lima Conselheiro de Administração

Leia mais

ER - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE

ER - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE - TRATAMENTO DA ENERGIA DE RESERVA NA CCEE www.ccee.org.br Nº 27 Fevereiro/2012 0800 10 00 08 O objetivo desse relatório é apresentar os valores associados ao encargo, fundo de garantia e saldo da CONER

Leia mais

Ferramentas de Suporte

Ferramentas de Suporte Este docum ento apresenta as contribuições da CCEE para o Procedim ento de Com ercialização PdC AC.02 Mecanism o de Com pensação de Sobras de Déficits (MCSD), Cessão e Redução para os CCEARS do Produto

Leia mais

Nota Técnica n o 136/2013-SEM/ANEEL. Em 4 de outubro de 2013.

Nota Técnica n o 136/2013-SEM/ANEEL. Em 4 de outubro de 2013. Nota Técnica n o 136/2013-SEM/ANEEL Em 4 de outubro de 2013. Processo: 48500.004241/2013-46 Assunto: Instauração de Audiência Pública para colher subsídios para aprovação das minutas dos Contratos de Comercialização

Leia mais

ATRIUM EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

ATRIUM EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 ATRIUM EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

Submódulo Apuração mensal de encargos setoriais

Submódulo Apuração mensal de encargos setoriais Submódulo 15.10 Rev. Nº. 0.0 0.1 1.0 Apuração mensal de encargos setoriais Motivo da revisão Este documento foi motivado pela publicação das Resoluções ANEEL nº 074, de 15/07/04 e nº 127, de 06/12/04 e

Leia mais

23º Leilão de Energia Nova

23º Leilão de Energia Nova 1 23º Leilão de Energia Nova Realização: 29/04/2016 Categoria: A-5 Análise Pré-leilão Análise Pós-leilão O documento em PDF encontra-se em anexo (Esta análise foi distribuída às 19:30 do dia 28/04/2016)

Leia mais

21º Leilão de Energia Nova

21º Leilão de Energia Nova 1 21º Leilão de Energia Nova Realização: 30/04/2015 Categoria: A-5 Análise Pré-leilão Análise Pós-leilão O documento em PDF encontra-se em anexo (Esta análise foi distribuída às 17:30 do dia 29/04/2015)

Leia mais

Anexo III Contrato de Compra e Venda de Energia Elétrica A. Venda Convencional

Anexo III Contrato de Compra e Venda de Energia Elétrica A. Venda Convencional Anexo III Contrato de Compra e Venda de Energia Elétrica A. Venda Convencional VENDEDORA BANCO BTG PACTUAL S.A., agente de comercialização de energia elétrica, autorizada pela Resolução Autorizativa ANEEL

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS, SOLAR FOTOVOLTAICAS E TERMELÉTRICAS A BIOMASSA.

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS, SOLAR FOTOVOLTAICAS E TERMELÉTRICAS A BIOMASSA. INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE DE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AO LEILÃO DE ENERGIA DE RESERVA

Leia mais

TERMELÉTRICA PERNAMBUCO III S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

TERMELÉTRICA PERNAMBUCO III S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 TERMELÉTRICA PERNAMBUCO III S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente

Leia mais

XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil. A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro. 15 de agosto de 2012

XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil. A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro. 15 de agosto de 2012 XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro 15 de agosto de 2012 Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Aspectos jurídicos da contratação no âmbito da CCEE

IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Aspectos jurídicos da contratação no âmbito da CCEE IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Aspectos jurídicos da contratação no âmbito da CCEE Solange David Gerente Jurídica, março de 2012 I - Introdução: Principais discussões legais existentes

Leia mais

Ministério de Minas e Energia. Gabinete do Ministro

Ministério de Minas e Energia. Gabinete do Ministro Ministério de Minas e Energia Gabinete do Ministro PORTARIA N o 197, DE 1 o DE ABRIL DE 2011. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE MONTES CLAROS S.A. 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE MONTES CLAROS S.A. 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 LINHAS DE TRANSMISSÃO DE MONTES CLAROS S.A. 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 Rio de Janeiro, 29 de Abril de 2016. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

Boletim das Usinas Eólicas

Boletim das Usinas Eólicas www.ccee.org.br Nº 2 Março/2 O Boletim das Usinas Eólicas é uma publicação mensal que apresenta os resultados consolidados de geração, garantia física e capacidade instalada das usinas eólicas cadastradas

Leia mais

ELETROPAULO METROPOLITANA ELETRICIDADE DE SÃO PAULO S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / NIRE nº

ELETROPAULO METROPOLITANA ELETRICIDADE DE SÃO PAULO S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / NIRE nº ELETROPAULO METROPOLITANA ELETRICIDADE DE SÃO PAULO S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº. 61.695.227/0001-93 NIRE nº. 35.300.050.274 FATO RELEVANTE A administração da ELETROPAULO METROPOLITANA ELETRICIDADE

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA, QUE ENTRE SI CELEBRAM XXXXXXXXXXXXXX E XXXXXXXXXX. De um lado, XXXXXXXXXXXXXX., XXXXXXXXXXXXX, autorizado pela Resolução ANEEL n.º XXX, de XXXX de XXXX,

Leia mais

CURRICULARES. CONTRATANTE ( ALUNO)(A): Nacionalidade: Fone: Celular: Carteira de Identidade: Endereço Residencial: Nº.

CURRICULARES. CONTRATANTE ( ALUNO)(A): Nacionalidade: Fone: Celular: Carteira de Identidade:   Endereço Residencial: Nº. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS OFICINAS EDUCACIONAIS EXTRA CURRICULARES CONTRATANTE ( ALUNO)(A): Nacionalidade: Fone: Celular: Carteira de Identidade: E-mail: Endereço Residencial: Nº Complemento: Bairro:

Leia mais

Caderno Algébrico. Cálculo do Desconto. à TUSD/TUST. Versão 1.0.1

Caderno Algébrico. Cálculo do Desconto. à TUSD/TUST. Versão 1.0.1 Caderno Algébrico Cálculo do Desconto Cálculo Aplicado do Desconto à TUSD/TUST Aplicado à TUSD/TUST Versão 1.0.1 ÍNDICE CÁLCULO DO DESCONTO APLICADO À TUSD/TUST 3 1. O Esquema Geral 3 2. Etapas de Cálculo

Leia mais

3.1. Para execução dos SERVIÇOS objeto do presente CONTRATO, o CLIENTE deverá pagar à LIGHT o montante de R$ [XXXX] (xxxx por extenso xxxx).

3.1. Para execução dos SERVIÇOS objeto do presente CONTRATO, o CLIENTE deverá pagar à LIGHT o montante de R$ [XXXX] (xxxx por extenso xxxx). CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS QUE ENTRE SI CELEBRAM, LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A, DE UM LADO, E XXXXXXXXXXX, DE OUTRO LADO. LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A, com sede na Av. Marechal Floriano

Leia mais

Nº 54 Fevereiro/

Nº 54 Fevereiro/ www.ccee.org.br Nº 54 Fevereiro/212 8 1 8 O Info Mercado é uma publicação mensal que traz os principais resultados das operações contabilizadas no âmbito da CCEE. Esta edição refere-se aos dados da contabilização

Leia mais

Boletim das Usinas Eólicas

Boletim das Usinas Eólicas www.ccee.org.br Nº Abril/ O Boletim das Usinas Eólicas é uma publicação mensal que apresenta os resultados consolidados de geração, garantia física e capacidade instalada das usinas eólicas cadastradas

Leia mais

Manual de Normas de CIA de Distribuição Pública

Manual de Normas de CIA de Distribuição Pública de Versão: 05/05/2016 Documento Público 2 / 7 MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE INVESTIMENTO AUDIOVISUAL DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DO OBJETIVO Artigo 1 O presente é instituído pela Cetip S.A. Mercados

Leia mais

Composição da Mesa: Presidente: Giovanna Zoppi Scallet; e Fernando Nunes Luis Secretário.

Composição da Mesa: Presidente: Giovanna Zoppi Scallet; e Fernando Nunes Luis Secretário. ATA DA SEGUNDA ASSEMBLEIA GERAL DE TITULARES DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DAS 286ª, 287ª E 288ª SÉRIES DA 1ª EMISSÃO DA BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO ( CRI ), REALIZADA

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO HOMOLOGATÓRIA Nº 734, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2008.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO HOMOLOGATÓRIA Nº 734, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2008. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO HOMOLOGATÓRIA Nº 734, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2008. Nota Técnica Relatório Voto Homologa o resultado provisório da segunda revisão tarifária periódica

Leia mais

Evolução dos Contratos de Energia nas últimas décadas e os Recursos Naturais

Evolução dos Contratos de Energia nas últimas décadas e os Recursos Naturais Evolução dos Contratos de Energia nas últimas décadas e os Recursos Naturais 6º Painel - Direito da Concorrência e a Regulação Setorial harmonização e discordâncias Visão da Comercialização de Energia

Leia mais

18º Leilão de Energia Nova

18º Leilão de Energia Nova 1 18º Leilão de Energia Nova Realização: 13/12/2013 Categoria: A-5 Análise Pré-leilão Análise Pós-leilão O documento em PDF encontra-se em anexo (Esta análise foi distribuída às 17:30 do dia 12/12/2013)

Leia mais

3. O Setor Elétrico Brasileiro (SEB)

3. O Setor Elétrico Brasileiro (SEB) 3. O Setor Elétrico Brasileiro (SEB) Até 1995, o Setor Elétrico Brasileiro era formado por empresas verticalizadas, predominantemente estatais, detentoras das atividades de geração, transmissão e distribuição

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA Pelo presente instrumento, as partes, que são de um lado: xxxxx, xxx, xxxxxxxxxxxxxxxxxxx, com sede na xxx, xxx, xx, inscrita no CNPJ/MF sob o nº xx, neste

Leia mais

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento Versão: 27/07/2015 Documento Público 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DA CONTRATAÇÃO DE ADMINISTRADOR DE CUSTÓDIA E DE DIGITADOR POR ADMINISTRADOR

Leia mais

Submódulo Confirmação da capacidade de geração de unidades geradoras

Submódulo Confirmação da capacidade de geração de unidades geradoras Submódulo 10.13 Confirmação da capacidade de geração de unidades geradoras Rev. Nº. Motivo da revisão Data de aprovação pelo ONS Data e instrumento de aprovação pela ANEEL 0.1 0.2 0.3 Atendimento à Resolução

Leia mais

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo3.1 Contratos do ambiente livre Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.1 Contratos do Ambiente Livre Revisão 1.0 Vigência 12/11/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS

Leia mais

Versão de Assinatura PRIMEIRO ADITAMENTO AO INSTRUMENTO PARTICULAR DE ESCRITURA DE EMISSÃO PRIVADA

Versão de Assinatura PRIMEIRO ADITAMENTO AO INSTRUMENTO PARTICULAR DE ESCRITURA DE EMISSÃO PRIVADA Versão de Assinatura PRIMEIRO ADITAMENTO AO INSTRUMENTO PARTICULAR DE ESCRITURA DE EMISSÃO PRIVADA DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA QUARTA EMISSÃO DE MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS

Leia mais

POSSIBILIDADES DE REDUÇÃO DO CUSTO DE ENERGIA: MICRO/MINIGERAÇÃO E MERCADO LIVRE DANIEL HOSSNI RIBEIRO DO VALLE SÃO PAULO, 30 DE JUNHO DE 2016

POSSIBILIDADES DE REDUÇÃO DO CUSTO DE ENERGIA: MICRO/MINIGERAÇÃO E MERCADO LIVRE DANIEL HOSSNI RIBEIRO DO VALLE SÃO PAULO, 30 DE JUNHO DE 2016 POSSIBILIDADES DE REDUÇÃO DO CUSTO DE ENERGIA: MICRO/MINIGERAÇÃO E MERCADO LIVRE DANIEL HOSSNI RIBEIRO DO VALLE SÃO PAULO, 30 DE JUNHO DE 2016 SUMÁRIO I. A Comercialização de Energia Elétrica - Relações

Leia mais

MANUAL DE NORMAS SWAP DE CRÉDITO

MANUAL DE NORMAS SWAP DE CRÉDITO MANUAL DE NORMAS SWAP DE CRÉDITO VERSÃO: 01/7/2008 2/8 MANUAL DE NORMAS SWAP DE CRÉDITO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DOS PARTICIPANTES 5 CAPÍTULO

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 391, DE 13 DE OUTUBRO DE 2009. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO

MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO MINUTA DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº. /2015 CAPEAMENTO ASFÁLTICO Pelo presente instrumento particular de prestação de serviços, o MUNICÍPIO DE IBIRAPUITÃ, pessoa jurídica de direito público interno,

Leia mais

MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1

MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1 MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA 1 2 MERCADO LIVRE DE ENERGIA ELÉTRICA SUMÁRIO 1. Organização 2. Como está estruturado o mercado de energia elétrica? 3. Quais são as

Leia mais

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial ANEXO VIII Minuta de Contrato CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM A FIPAI FUNDAÇÃO PARA O INCREMENTO DA PESQUISA E DO APERFEIÇOAMENTO INDUSTRIAL E A EMPRESA... A FUNDAÇÃO PARA O INCREMENTO DA PESQUISA E DO

Leia mais

Manual de Normas Letra Financeira

Manual de Normas Letra Financeira Versão: 27/07/2015 Documento Público 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LETRA FINANCEIRA SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 4 Seção I Do Registrador de 4 Seção II Das atribuições do Emissor

Leia mais

UNIDAS S.A. 7ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016

UNIDAS S.A. 7ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 UNIDAS S.A. 7ª Emissão de Debêntures 1ª e 2ª Séries Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) Unidas S.A. Banco Santander (Brasil)

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL SEGUNDO TERMO ADITIVO AO CONTRATO DE CONCESSÃO N o 97/2000 ANEEL TSN TRANSMISSORA SUDESTE NORDESTE S.A. DEZEMBRO 2002 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

Leia mais

Gestão de Risco de Mercado

Gestão de Risco de Mercado Gestão de Risco de Mercado Visão da CCEE Roberto Castro 30/03/2017 Temário I. Garantias Financeiras Limite Operacional Corte em Cadeia Cadastro Positivo II. Indicadores de Risco de Mercado Exposição Índice

Leia mais

MODELO CONTRATO DE USO FLEXÍVEL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST F Modelo 01set10 V1.docx

MODELO CONTRATO DE USO FLEXÍVEL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST F Modelo 01set10 V1.docx MODELO CONTRATO DE USO FLEXÍVEL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO Arquivo: Motivo: Atendimento à Resolução 399/10- Contratação do Uso do Sistema de Transmissão Modelo aplicado a: Consumidores Livres Autoprodutores

Leia mais

LINHAS DE TAUBATÉ TRANSMISSORA DE ENERGIA S.A. 4ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

LINHAS DE TAUBATÉ TRANSMISSORA DE ENERGIA S.A. 4ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 LINHAS DE TAUBATÉ TRANSMISSORA DE ENERGIA S.A. 4ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

RÁDIO E TELEVISÃO BANDEIRANTES S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

RÁDIO E TELEVISÃO BANDEIRANTES S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 RÁDIO E TELEVISÃO BANDEIRANTES S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de

Leia mais

CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS. Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância

CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS. Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância CONTRATO DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS E OUTRAS AVENÇAS Meios eletrônicos e/ou de comunicação à distância Por este contrato e melhor forma de direito: 1. PARTES 1.1 CREDOR: BANCO BRADESCO S.A., inscrito no

Leia mais

MODELO CONTRATO DE USO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO MODALIDADE RESERVA DE CAPACIDADE. Arquivo: CUST RC Modelo 24jul2017.docx

MODELO CONTRATO DE USO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO MODALIDADE RESERVA DE CAPACIDADE. Arquivo: CUST RC Modelo 24jul2017.docx MODELO CONTRATO DE USO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO MODALIDADE RESERVA DE CAPACIDADE Arquivo: CUST RC Modelo 24jul2017.docx Motivo: Atualização e padronização Modelo aplicado a: Autoprodutores e Produtores

Leia mais

COMPANHIA DO METRÔ DA BAHIA 3ª Emissão de Debêntures. 3ª Série. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016

COMPANHIA DO METRÔ DA BAHIA 3ª Emissão de Debêntures. 3ª Série. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 COMPANHIA DO METRÔ DA BAHIA 3ª Emissão de Debêntures 3ª Série Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2016 Data Base 31/12/2016 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

entre UNIPAR CARBOCLORO S.A., como Emissora PENTÁGONO S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

entre UNIPAR CARBOCLORO S.A., como Emissora PENTÁGONO S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS PRIMEIRO ADITAMENTO AO INSTRUMENTO PARTICULAR DE ESCRITURA DA 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, EM SÉRIE ÚNICA, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA, PARA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA, COM ESFORÇOS

Leia mais

1.3. Fazem parte do presente Edital os documentos abaixo listados, disponíveis no seguinte endereço eletrônico:

1.3. Fazem parte do presente Edital os documentos abaixo listados, disponíveis no seguinte endereço eletrônico: EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA N 001/2013 COMPANHIA DE ENERGIA ELÉTRICA DO ESTADO DO TOCANTINS CELTINS INSCRIÇÃO MUNICIPAL: 001066-9 INSCRIÇÃO ESTADUAL: 29.02.031998-6 CNPJ/MF

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER, OU DOCUMENTO EQUIVALENTE, SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

STN - SISTEMA DE TRANSMISSÃO NORDESTE S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

STN - SISTEMA DE TRANSMISSÃO NORDESTE S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 STN - SISTEMA DE TRANSMISSÃO NORDESTE S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

Maio / CCEE Papéis e Responsabilidades

Maio / CCEE Papéis e Responsabilidades Maio / 2005 CCEE Papéis e Responsabilidades Sistema Elétrico Brasileiro (Interligado) Dimensões Continentais Sofisticado Sistema de Supervisão e Controle Integrado Capacidade Instalada (dez/03) Hidráulica:

Leia mais

Antônio Carlos Fraga Machado Conselheiro de Administração - CCEE

Antônio Carlos Fraga Machado Conselheiro de Administração - CCEE Painel 3 - INTEGRAÇÃO NO MERCOSUL Seminário Internacional de Integração Elétrica da América do Sul 7 de agosto de 2012 Antônio Carlos Fraga Machado Conselheiro de Administração - CCEE Sistema Interligado

Leia mais

WOW NUTRITION INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

WOW NUTRITION INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 WOW NUTRITION INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

ODEBRECHT REALIZAÇÕES IMOBILIÁRIAS E PARTICIPAÇÕES S.A. 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016

ODEBRECHT REALIZAÇÕES IMOBILIÁRIAS E PARTICIPAÇÕES S.A. 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 ODEBRECHT REALIZAÇÕES IMOBILIÁRIAS E PARTICIPAÇÕES S.A. 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2016 Rio de Janeiro, 28 de Abril de 2017. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015.

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015. 1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015. A (DISTRIBUIDORA), nos termos da Portaria do Ministério de Minas e Energia - MME, nº 44, de 10 de março

Leia mais