Receita Líquida da EVEN aumentou 88,6% no 1T07 em relação ao mesmo período do ano anterior.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Receita Líquida da EVEN aumentou 88,6% no 1T07 em relação ao mesmo período do ano anterior."

Transcrição

1 Receita Líquida da EVEN aumentou 88,6% no 1T07 em relação ao mesmo período do ano anterior. Margem Bruta atinge 37,9%, crescendo 9,9 p.p. em relação ao 1T06. São Paulo, 14 de maio de 2007 A Even Construtora e Incorporadora S.A. EVEN (Bovespa: EVEN3), uma das maiores incorporadoras e construtoras do Brasil, com foco nos empreendimentos comerciais e residenciais para os públicos de classes média e média-alta, anuncia seus resultados do primeiro trimestre de 2007 (1T07). As informações financeiras e operacionais a seguir, exceto onde indicado o contrário, são apresentadas em Reais (R$) e de acordo com as práticas contábeis brasileiras. Contato RI Eduardo Cytrynowicz Diretor Adjunto de RI Tel.:+55 (11) Fax:+ 55 (11) Teleconferência 1T07 Data: 15 de maio de Português 10h00 (Horário de Brasília) 9h00 (Horário de Nova Iorque) Tel.: + 55 (11) Replay: +55 (11) Código: EVEN Inglês 12h00 (Horário de Brasília) 11h00 (Horário de Nova Iorque) Tel.: + 1 (973) Replay: + 1 (973) Código: Webcast Portugês: Webcast Inglês: AGENDA 2007 Cotação Fechamento em 11/maio/2007 Quantidade de Ações R$ 15,45 por Ação Valor de Mercado: R$2,17 bilhões Destaques do Período A Even concluiu o processo de abertura do seu capital, emitindo, até maio de 2007, de ações ordinárias e convertendo as debêntures em de ações, com capitalização de R$507,6 milhões ao caixa. A Receita Líquida da Companhia foi de R$ 69,5 milhões: 88,6% superior ao mesmo período de A Margem Bruta cresceu 9,9 p.p. em relação ao 1T06, atingindo 37,9%. As vendas contratadas totais atingiram o montante de R$ 212,4 milhões (crescimento de 58% sobre 1T06). O Land Bank da Companhia atingiu um volume potencial de R$ 3.276,9 milhões de lançamentos. A Even manteve sua estratégia de expansão geográfica, através das seguintes ações: Parceria para atuação na região Nordeste, com a empresa Capuche Natal, RN. Desenvolvimento de negócios na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em conjunto com a empresa Brisa. Aquisição de terreno em São José dos Campos, SP, para incorporação própria. Aumento das despesas comerciais como percentual da Receita Líquida para 13,1% no 1T07, resultado da apropriação das despesas com lançamentos anteriormente à suas receitas. Aumento das despesas gerais e administrativas para R$ 7,6 milhões no 1T07, antecipando a estrutura necessária da Companhia para o crescimento esperado. Despesas tributárias não recorrentes impactaram o resultado em R$ 3,1 milhões no 1T07.

2 Capitalização No dia 10 de maio concluímos o processo de capitalização da oferta pública de ações com a homologação do aumento de capital do lote suplementar. Na mesma data, foram convertidas as debêntures da 1ª emissão em ações ordinárias. Ambas as transações contribuíram ações ordinárias a nossa base acionária. Com o ingresso dos recursos e a capitalização das debêntures, o endividamento total da empresa, de R$ 134,4 milhões em 31 de março de 2007, foi reduzido para R$ 16.2 milhões. Os ingressos líquidos de comissões e impostos da oferta pública, somados ao aumento de capital referente à conversão das debêntures atingiram R$ 489,6 milhões. Comentário Administrativo No primeiro trimestre de 2007 importantes mudanças aconteceram em nossa Companhia, principalmente decorrentes da Oferta Pública de Ações e da 1ª emissão de Debêntures Conversíveis. Essas ofertas adicionaram ao caixa R$ 447,6 milhões conjuntamente. Em 2 de abril a Companhia passou a ter suas ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA) Novo Mercado sob a sigla EVEN3. Adicionalmente, a EVEN captou aproximadamente R$ 60,0 milhões com o exercício da opção do lote suplementar, ocorrida em maio, totalizando R$ 507,6 milhões de recursos. Operacionalmente, o período foi marcado pela expansão e consolidação de nossa posição nos mercados em que atuamos e pela manutenção da alta velocidade de vendas de nossos produtos. Comercializamos aproximadamente R$ 212,4 milhões em produtos imobiliários, sendo R$ 155,9 milhões a parcela da Even. Dos empreendimentos lançados no último trimestre do ano de 2006, chegamos a 31 de março de 2007 com um índice de comercialização de 53,0%, reforçando nossa alta velocidade de vendas. Realizamos no 1T07 um total de 5 lançamentos, o que representou um volume de R$ 145,6 milhões, sendo R$ 113,3 milhões apenas a parcela Even. Dessa forma o volume de comercialização garantiu uma redução do estoque de unidades disponíveis, reforçando a estratégia de alto giro da Companhia. Também mantivemos nossa estratégia de diversificação, com lançamentos na cidade de Goiânia e aquisições de terrenos no Rio de Janeiro e em São José dos Campos. Página 2 de 14

3 Destaques Financeiros e Operacionais Dados Financeiros 1T07 1T06 Var. (%) 4T06 Var. (%) Receita Líquida de Vendas e Serviços ,6% ,4% Lucro Bruto ,3% ,6% Margem Bruta 37,9% 28,0% 9,9 p.p. 36,5% 1,4 p.p. EBITDA ,2% ,6% Margem EBITDA 14,0% 13,3% 0,7 p.p. 11,4% 2,6 p.p. Lucro Líquido ,0% ,5% Margem Líq. Antes da Part. de Minoritários 2,2% 15,4% -13,2 p.p. 5,2% -3,0 p.p. Receitas a Apropriar (após PIS-COFINS) (1) ,7% ,6% Resultado a Apropriar (após PIS-COFINS) (1) ,6% ,3% Margem dos Resultados a Apropriar (1) 38,0% 30,0% 8,0 p.p. 33,9% 4,1 p.p. Capital de Giro ,8% ,6% Dívida Líquida ,5% ,6% Patrimônio Líquido ,3% ,2% Ativos Totais ,9% ,7% Lançamentos 1T07 1T06 Var. (%) 4T06 Var. (%) Empreendimentos Lançados 5 - n/a 7-28,6% VGV Potencial dos Lançamentos (100%) n/a ,0% VGV Potencial dos Lançamentos (% Even) n/a ,0% Participação Even nos Lançamentos 77,8% n/a n/a 70,9% 9,8% Número de Unidades Lançadas n/a ,8% Área Útil das Unidades Lançadas (m²) n/a ,1% Preço Médio de Lançamento (R$/m²) n/a n/a ,5% Vendas 1T07 1T06 Var. (%) 4T06 Var. (%) Vendas Contratadas (100%) ,0% ,7% Vendas Contratadas (% Even) ,4% ,9% Participação Even nas Vendas Contratadas 73,4% 68,9% 4,5 p.p. 58,9% 14,5 p.p. Número de Unidades Vendidas ,6% ,6% Área Útil das Unidades Vendidas (m²) ,7% ,4% Preço Médio de Venda (R$/m²) ,9% ,7% (1) Considera impacto da alíquota consolidada de PIS e COFINS de 3,65% Página 3 de 14

4 Desempenho Setorial No primeiro trimestre de 2007 o mercado imobiliário manteve a tendência de crescimento observada ao longo de Segundo a EMBRAESP, foram lançados na região metropolitana de São Paulo um total de 69 novos empreendimentos, que agregaram novas unidades ao estoque em comercialização, ou R$ 1.850,9 milhões em valor geral de vendas. Comparados aos 53 empreendimentos lançados no primeiro trimestre de 2006, os lançamentos dos primeiros três meses de 2007 representaram um aumento de unidades lançadas (66,6%), ou de R$ 990,6 milhões (86,9%) em valor geral de vendas. Também na comercialização o setor registrou forte crescimento. Segundo o SECOVI-SP, o ano de 2007 teve o melhor resultado de comercialização de imóveis residenciais novos em fevereiro desde 1995, registrando 9,1% de Vendas Sobre a Oferta (VSO), contra 8,3% em fevereiro de Apesar desta melhora, a quantidade de imóveis negociados em fevereiro de 2007 (1.565 unidades) em relação a fevereiro de 2006 (1.782 unidades) denota queda da ordem de 12,2%, enquanto a oferta inicial de unidades, em fevereiro de 2006, caiu para unidades, queda superior a 20%. Nos últimos dois anos, o setor de construção habitacional experimentou avanços significativos nos principais fundamentos que o norteiam. A implementação de melhorias regulatórias, econômicas, fiscais e de crédito tem favorecido as perspectivas do setor e do crédito habitacional, com fortalecimento da qualidade de crédito de emissores e emissões deste setor. O setor vem sentindo melhoras por conta da expansão das vendas, da tendência do declínio das taxas de juros domésticas, de um crescimento dentro de um ambiente macroeconômico estável e de instrumentos que trazem maior segurança jurídica nos contratos imobiliários. Esses fatores podem favorecer a alocação de maior volume de crédito habitacional, mais especialmente àqueles voltados para os segmentos de renda média e média-baixa, atenuando o déficit habitacional observado nesta faixa. Adicionalmente a esses fatores, observa-se uma maior propensão dos bancos privados em conceder créditos imobiliários a esses clientes, com alongamento de prazo e redução de taxas de juros. Esses recursos somam-se aos tradicionalmente disponíveis pela Caixa Econômica Federal (CEF). Desempenho Operacional Lançamentos Nestes últimos três meses mantivemos nossa previsão inicial de lançamentos, com a comercialização de 5 novos empreendimentos nas cidades de São Paulo e de Goiânia, atingindo R$ 145,6 milhões em VGV total lançado (R$ 113,3 milhões se considerada apenas a parcela da Companhia). Do total da parcela da Even, 22,1% do VGV foram destinados ao segmento emergente e os demais lançamentos corresponderam a empreendimentos de médio, médio-alto e alto padrão. Esta proporção está alinhada à expectativa de aumento da representatividade dos segmentos emergente e de média renda. O primeiro trimestre é, tradicionalmente, o trimestre de menor volume de lançamentos do ano. Somado ao fato de termos efetuado grande volume de lançamentos no 4T06 (R$ 485,0 milhões), concentrados principalmente no mês de dezembro, havíamos programado um menor volume de lançamentos para o período. Ainda assim, logramos êxito em lançar os empreendimentos programados inicialmente. Comercialização O total de vendas contratadas no 1T07 somou R$ 212,4 milhões (sendo R$ 155,9 milhões a parcela da Companhia). Este resultado representou um aumento de 58,0% em relação ao Página 4 de 14

5 mesmo período de 2006, que totalizava R$134,8 milhões. Encerramos o 1T07 com um índice médio de comercialização de 59,2% das unidades no período de 6 meses do lançamento, refletindo nossa estratégia comercial de giro rápido. A manutenção da abordagem diferenciada de marketing da empresa dá continuidade à estratégia aplicada nos lançamentos efetuados no final do ano de As tabelas abaixo fornecem a abertura da comercialização do trimestre, por segmento de produto e ano de lançamento: Segmento VGV Total VGV Even Área Útil Unidades (R$ milhares) (R$ milhares) (m²) Emergente Médio Médio-Alto Alto Alto Luxo Total Ano de Lançamento VGV Total VGV Even Área Útil Unidades (R$ milhares) (R$ milhares) (m²) Total Em 31 de março de 2007, possuíamos total de R$ 372,8 milhões em valor potencial de vendas, de acordo com as tabelas de vendas vigentes na data, considerando-se a modalidade de comercialização por meio de financiamento bancário. A tabela abaixo apresenta a abertura do valor potencial de vendas do estoque, por ano de lançamento: Valor Potencial de Vendas R$ milhares Unidades Até Total As unidades a comercializar indicam uma margem bruta potencial de 37,0%, assumindo: (i) custos totais das unidades em estoque, (ii) impacto de uma taxa média de comercialização paga à empresa imobiliária de 3,2% e (iii) incidência do PIS e COFINS, com alíquota consolidada de 3,65% sobre a receita bruta. Terrenos (Land Bank) A comercialização de terrenos na região metropolitana de São Paulo vem se dando com uma parcela maior de pagamento em dinheiro e menor em permuta. Com isto, o custo financeiro de carregamento do land bank é impactado consideravelmente. Adotamos uma estratégia de manter em estoque terrenos com alto giro, caracterizados por alta velocidade de lançamento e de comercialização. Buscamos com isso minimizar o custo de carregamento, sem comprometer Página 5 de 14

6 o nosso cronograma de lançamentos, adquirindo terrenos que se encaixem na previsão de lançamentos de até 30 meses. Encerramos o 1T07 com um estoque de terrenos de m², que permite à Companhia lançar aproximadamente R$ 3.276,9 milhões em produtos imobiliários, ou R$ 2.446,9 milhões apenas da parcela estimada da Even. Mantemos em nosso estoque terrenos com potencial de 40 lançamentos dentro dos próximos 19 meses. A tabela abaixo demonstra o land bank da Companhia, por segmento, em 31 de março de 2007: Áreas (m 2 ) VGV Esperado (R$ mil) Segmento Nº de Lanç. Terreno Útil Unidades Total Even Emergente Médio Médio-Alto Alto Alto-Luxo Comercial Total Emergente Médio Médio-Alto Alto Alto-Luxo Comercial Total Emergente Médio Médio-Alto Alto Alto-Luxo Comercial Total Geral Página 6 de 14

7 Em continuidade a nossa estratégia de diversificação geográfica, adquirimos terrenos em outras regiões do Brasil sem, contudo, perder o foco na região metropolitana de São Paulo, o que pode ser visto na tabela abaixo: Áreas (m 2 ) VGV Esperado (R$ mil) Localização Nº de Lanç. Terreno Útil Unidades Even Total Grande SP Interior de SP RJ GO RN Total Grande SP Interior de SP RJ GO RN Total Grande SP Interior de SP RJ GO RN Total Geral Somados aos empreendimentos já lançados no 1T07, nosso landbank indica um volume provável de lançamentos totais de R$ 1.708,6 milhões (R$ 1.295,2 milhões a parcela da Even) no ano de Página 7 de 14

8 Comentários sobre o Desempenho Desempenho Econômico-Financeiro Receita de Vendas e Serviços No trimestre encerrado em 31 de março de 2007 obtivemos uma receita bruta de vendas e serviços de R$ 73,2 milhões, representando um aumento de R$ 35,1 milhões (92,2%) em relação à receita bruta do mesmo período do ano anterior. Este aumento é proveniente do crescimento da receita de incorporação, que atingiu R$ 69,9 milhões no trimestre findo em 31 de março de 2007, um aumento de R$ 33,8 milhões (93,7%) em relação ao primeiro trimestre do exercício anterior. As novas vendas realizadas no trimestre contribuíram com R$ 46,4 milhões (66,4%) da receita de incorporação do período. O resultado também foi impactado pelo reconhecimento de receita de unidades comercializadas em períodos anteriores em decorrência do andamento do custo orçado no trimestre, o que contribuiu com R$ 23,5 milhões (33,6%) da receita de incorporação do período. O quadro abaixo demonstra a evolução da comercialização e do custo incorrido de nossos empreendimentos e receitas contabilizadas no período, agrupados por ano de lançamento: Lançamento Evolução Financeira Percentual Vendido Receita Reconhecida acumulada 1T07 acumulado 1T07 (R$ milhares) % ,0% 0,0% 85,0% 2,1% ,8% ,4% 8,2% 78,0% 3,0% ,2% ,5% 8,4% 83,4% 5,2% ,8% ,4% 3,0% 59,9% 16,7% ,1% ,7% 13,7% 46,3% 46,3% ,1% A receita bruta também foi positivamente impactada pela receita de construção e prestação de serviços, que atingiu R$ 3,3 milhões no primeiro trimestre de 2007, um aumento de R$ 1,3 milhão (65,9%) em comparação com igual trimestre de Este incremento é reflexo do aumento no número de canteiros de obra entre os dois períodos, que passaram de 9 no1t06 para 10 no 1T07. Deduções da Receita Bruta A receita bruta foi impactada por impostos sobre serviços e receitas que atingiram R$ 3,7 milhões no primeiro trimestre de 2007, um aumento de R$ 2,5 milhões (201,1%) em comparação a igual período de Tais impostos (PIS, COFINS e ISS) representaram uma carga média de 5,0% sobre a receita bruta, superior aos 3,2% reconhecidos no primeiro trimestre de Este incremento ocorreu pela mudança do cálculo do PIS e COFINS de lucro presumido para lucro real nas SPEs City Projects e Evisa, elevando a alíquota de 3,65% para 9,25%. Após a incidência de tais impostos, a receita operacional líquida atingiu R$ 69,5 milhões no trimestre encerrado em 31 de março de 2007, aumentando R$ 32,6 milhões (88,6%) em comparação com a receita operacional líquida do mesmo período de Lucro Bruto A Margem Bruta da empresa no primeiro trimestre de 2007 atingiu 37,9%, representando uma significativa melhora de 9,9p.p. em relação à margem bruta de 28,0% do primeiro trimestre Página 8 de 14

9 de Esta melhora é conseqüência, principalmente, das vendas nos segmentos de médioalto e alto padrões, representados pelos empreendimentos Wingfield, Campo Belíssimo, Particolare e Plaza Mayor. Com isso, o lucro bruto atingiu R$ 26,4 milhões no 1T07, aumentando R$ 16,0 milhões (155,3%) na comparação com 1T06. Resultados Operacionais Devido ao crescimento no volume de lançamentos realizados, principalmente a partir do segundo semestre de 2006, houve um aumento nos gastos comerciais correspondentes. Despesas Comerciais As despesas comerciais, orçadas em torno de 5% do VGV lançado, atingiram 13,1% da Receita Líquida do 1T07. Tal diferença decorre do fato de que as despesas comerciais iniciais são contabilizadas mais rapidamente do que o reconhecimento das receitas. Desta forma, as despesas comerciais como percentual do faturamento líquido são maiores nas fases iniciais dos empreendimentos do que a média orçada. Assim, neste primeiro trimestre de 2007 as despesas comerciais atingiram R$ 9,1 milhões, um aumento de R$ 6,6 milhões (263,4%) em relação a igual período do ano anterior. Despesas Gerais e Administrativas As despesas gerais e administrativas atingiram R$ 7,6 milhões no primeiro trimestre de 2007, contra R$ 3,1 milhões no 1T06. Esse aumento explica-se pelo maior tamanho da operação da empresa, que buscou preparar sua estrutura de apoio para o forte crescimento projetado para 2007 e para os anos seguintes. Tomando-se por base as despesas gerais e administrativas como percentual do VGV lançado, no período de 12 meses encerrado em 31 de março de 2007, mantivemos o mesmo índice observado no ano encerrado de 2006 de 3,0%. Resultado Financeiro As despesas financeiras líquidas atingiram R$ 2,6 milhões no 1T07, uma variação de R$ 2,1 milhões (410,8%) em comparação ao resultado do 1T06. Essa variação reflete o aumento do endividamento da Companhia pelas operações de capital de giro contratado no final do ano de 2006, bem como os custos de estruturação da operação de debêntures conversíveis lançadas no primeiro trimestre. O capital de giro foi amortizado com o ingresso dos recursos da oferta pública de ações, em abril de 2007, e as debêntures foram convertidas em capital em 10 de maio de Os valores acima, acrescidos de outras despesas operacionais de R$ 0,4 milhões, montam o resultado operacional deste trimestre de R$ 6,6 milhões, R$ 2,2 milhões (52,1%) superior ao resultado operacional do primeiro trimestre de IRPJ e CSLL O valor total de IRPJ e CSLL atingiu R$ 3,9 milhões em 2007, uma variação de R$ 7,5 milhões (209,8%) em comparação com o saldo positivo do primeiro trimestre de Esta variação reflete o impacto no imposto diferido pela mudança na metodologia de tributação, a partir de 2007, das controladas City Projects e Evisa, que utilizaram o lucro real em vez do lucro presumido. Página 9 de 14

10 Lucro Líquido O Lucro Líquido do 1T07 foi de R$ 1,5 milhões, uma redução de R$ 4,1 milhões (73,0%) em relação ao resultado do 1T06. Esta variação foi conseqüência, principalmente, do impacto do imposto diferido do período, em comparação ao 1T06. EBITDA O lucro antes dos impostos, juros, depreciações e amortizações do primeiro trimestre de 2007 foi de R$ 9,7 milhões, um incremento de R$ 4,8 milhões (98,2%) ao apurado no primeiro trimestre de A margem EBITDA, calculada sobre a Receita Líquida, obteve um pequeno aumento de 13,3% no 1T06 para 14,0% no 1T07. A melhora na margem EBITDA deve-se ao acréscimo da margem bruta, que, contudo, foi parcialmente compensada pelo aumento das despesas comerciais, gerais e administrativas como percentual da Receita Líquida. Segue, abaixo, o cálculo de nosso EBITDA para os exercícios sociais encerrados em 2006 e 2005: 1T07 1T06 Var. (%) 4T06 Var. (%) Lucro Antes do IRPJ e CSLL ,4% ,7% (+)Despesas Financeiras Líquidas ,8% ,6% (+) Depreciação e Amortização ,5% ,2% EBITDA ,2% ,6% Margem Ebitda 14,0% 13,3% 0,7 p.p. 11,4% 2,6 p.p. Página 10 de 14

11 Demonstração de Resultado 1T07 1T06 Var. (%) Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços ,2% Incorporação e revenda de imóveis ,7% Prestação de serviços e outras ,9% Deduções da Receita Bruta (3.694) (1.227) 201,1% Receita Líquida de Vendas e/ou Serviços ,6% Custo de Bens e/ou Serviços Vendidos (43.128) (26.523) 62,6% Resultado Bruto ,3% Despesas com Vendas, Gerais e Adm. (16.770) (5.588) 200,1% Com Vendas (9.129) (2.512) 263,4% Gerais e Administrativas (7.641) (3.076) 148,4% Despesas Financeiras Líquidas (2.605) (510) 410,8% Receitas Financeiras ,9% Despesas Financeiras (4.485) (2.773) 61,7% Outras Operacionais (424) 89 n.m. Resultado Operacional ,1% Resultado Não Operacional - 47 n.m. Resultado Antes Tributação/Participações ,4% Provisão para IR e Contribuição Social (689) (299) 130,4% IR Diferido (3.255) n.m. Part. de Acionistas Não Controladores (1.101) (2.300) -52,1% Lucro/Prejuízo do Período ,0% Página 11 de 14

12 Balanço Patrimonial 31/3/ /12/2006 Disponibilidades Créditos Estoques C/C com Parceiros nos Empreendimentos Impostos e Contribuições a Compensar Partes Relacionadas Despesas com Vendas a Apropriar Despesas Antecipadas Demais Contas a Receber Ativo Circulante Contas a Receber Estoque de terrenos Créditos com Pessoas Ligadas IRPJ e CSLL Diferidos Demais Contas a Receber Ativo Realizável a Longo Prazo Investimentos Imobilizado Ativo Permanente Ativo Total Empréstimos e Financiamentos Fornecedores Impostos, Taxas e Contribuições Dividendos a Pagar Dívidas com Pessoas Ligadas Contas a Pagar por Aquisição de Imóveis C/C com Parceiros nos Empreendimentos Adiantamentos de Clientes Demais Contas a Pagar Passivo Circulante Empréstimos e Financiamentos Debêntures Adiantamento para Futuro Aumento Capital Contas a Pagar por Aquisição de Imóveis Tributos a Pagar IRPJ e CSLL Diferidos Demais Contas a Pagar Passivo Exigível a Longo Prazo Part. de Acionistas Não Controladores Capital Social Realizado Reservas de Lucro Legal Retenção de Lucros Lucros/Prejuízos Acumulados Patrimônio Líquido Passivo Total Página 12 de 14

13 Glossário ADEMI: Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário. ANBID: Associação Nacional dos Bancos de Investimento - ANBID. Banco Central ou BACEN: Banco Central do Brasil. Bovespa: Bolsa de Valores de São Paulo. CAGR: Taxa composta de crescimento anual. CDI: Certificado de Depósito Interbancário. CFC: Conselho Federal de Contabilidade. Companhia ou Even: Refere-se a Even Construtora e Incorporadora S.A. COPOM: Comitê de Política Monetária. CPMF: Contribuição Provisória sobre a Movimentação ou Transmissão de Valores ou de Créditos e Direitos de Natureza Financeira - CPMF. CRI: Certificado de Recebíveis Imobiliários, título de crédito nominativo, de livre negociação, lastreado em créditos imobiliários e que constitui promessa de pagamento em dinheiro. CSLL: Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. CVM: Comissão de Valores Mobiliários. EBITDA: EBITDA reflete o Lucro Líquido antes das receitas e despesas financeiras líquidas, do imposto de renda e da contribuição social, das depreciações e amortizações. EMBRAESP: Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio. ERP: Enterprise Resource Planning, sistema integrado de informações transacionais. Fator Multiplicador: Fator criado pela Resolução de 28 de janeiro de 2005, posteriormente alterada pela Resolução de 08 de fevereiro de 2006 do Conselho Monetário Nacional, pelo qual o valor dos recursos da poupança efetivamente utilizados por determinada instituição financeira para o financiamento imobiliário deve ser multiplicado com o propósito de se calcular o valor a ser considerado por tal instituição financeira como tendo sido destinado ao financiamento imobiliário. FGTS: Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. FGV: Fundação Getúlio Vargas. IBGC: Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBRACON: Instituto dos Auditores Independentes do Brasil. ICMS: Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Municipal e de Comunicação. IGP-M: Índice Geral de Preços ao Mercado, índice de inflação calculado e divulgado pela FGV. INCC: Índice Nacional de Custo da Construção, índice nacional de custos da construção habitacional, calculado e divulgado pela FGV. IPCA: Índice de Preços ao Consumidor Amplo, índice de inflação calculado e divulgado pelo IBGE. IFRS: International Financial Reporting Standards. IRPJ: Imposto de Renda Pessoa Jurídica. PIB: Produto Interno Bruto do Brasil. PIS: Programa de Integração Social. Público de Alta Renda: Famílias com renda média entre R$15.000,00 a R$50.000,00 mensais, com interesse em adquirir imóvel ao preço de venda entre R$ ,00 e R$ Público de Média Renda: Famílias com renda média entre R$4.400,00 a R$8.000,00 mensais, com interesse em adquirir imóvel ao preço de venda entre R$ ,00 e R$ ,00. Público de Média-Alta Renda: Famílias com renda média entre R$7.500,00 a R$20.000,00 mensais, com interesse em adquirir imóvel ao preço de venda entre R$ ,00 e R$ ,00. Página 13 de 14

14 Público Emergente: Famílias com renda média entre R$3.000,00 a R$5.000,00 mensais, com interesse em adquirir imóvel ao preço de venda entre R$ ,00 e R$ ,00. R/3 da SAP: Programa de computador ERP desenvolvido pela SAP AG. Regulation S: Regulation S do Securities Act. Rule 144A: Rule 144A do Securities Act. SAP: SAP AG. SBPE: Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo. SECOVI-SP: Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo. SEC: Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos. Securities Act: Securities Act de 1933 dos Estados Unidos, conforme alterado. SERASA: Serasa S.A., empresa que realiza análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios. SFH: Sistema Financeiro Habitacional, sistema do Governo Federal para financiamento da casa própria. SFI: Sistema Financeiro Imobiliário, sistema do Governo Federal para financiamento imobiliário em geral. Sinduscon-SP: Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo. SINTRACON: Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo. SPE: Sociedade de Propósito Específico. Spinnaker Asset Management: Spinnaker Asset Management SAM Limited, por si e/ou por uma sociedade que seja sua controlada, coligada, ou esteja sob seu controle comum. Spinnaker Capital: Spinnaker Capital Group. TR e TRD: Taxa Referencial e Taxa Referencial Diária, respectivamente. US GAAP: Práticas contábeis geralmente aceitas nos Estados Unidos. Vendas Contratadas: Valor dos contratos firmados com os clientes, referentes às vendas de unidades prontas ou para entrega futura de determinado empreendimento. VGV: Valor geral de vendas, ou seja, o valor obtido ou a ser potencialmente obtido pela venda de todas as unidades de um determinado empreendimento imobiliário, a um certo preço predeterminado no lançamento. Sobre a Empresa A Even Construtora e Incorporadora S.A. EVEN (Bovespa: EVEN3), uma das maiores incorporadoras do Brasil, com foco nos empreendimentos comerciais e residenciais para os públicos de classes média e média-alta, é resultante da combinação das atividades de Companhias com mais de 25 anos de experiência no setor. Em 2006, a Even iniciou sua expansão geográfica para o Rio de Janeiro e Goiânia, em parceria com empresas locais. Avisos Legais As declarações contidas neste Release referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento que afetam as atividades da EVEN, bem como quaisquer outras declarações relativas ao futuro dos negócios da Companhia, constituem estimativas e declarações futuras que envolvem riscos e incertezas e, portanto, não são garantias de resultados futuros. Tais considerações dependem, substancialmente, de mudanças nas condições de mercado, regras governamentais, pressões da concorrência, do desempenho do setor e da economia brasileira, entre outros fatores e estão, portanto, sujeitas a mudança sem aviso prévio. Página 14 de 14

Lucro Líquido Ajustado da EVEN atinge R$52,9 MM no ano de 2007.

Lucro Líquido Ajustado da EVEN atinge R$52,9 MM no ano de 2007. Lucro Líquido Ajustado da EVEN atinge R$52,9 MM no ano de 2007. Margem Bruta atinge 38,8%, crescendo 2,5 p.p. em relação a 2006. São Paulo, 10 de março de 2008 A Even Construtora e Incorporadora S.A. EVEN

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Direcional Engenharia S.A.

Direcional Engenharia S.A. 1 Direcional Engenharia S.A. Relatório da Administração Exercício encerrado em 31 / 12 / 2007 Para a Direcional Engenharia S.A., o ano de 2007 foi marcado por recordes e fortes mudanças: registramos marcas

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 Contate RI: Adolpho Lindenberg Filho Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3041-2700 ri@lindenberg.com.br www.grupoldi.com.br/relacao DIVULGAÇÃO

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

Resultados 2T13 e 1S13

Resultados 2T13 e 1S13 Resultados 2T13 e 1S13 Relações com Investidores RSID3: R$ 2,87 por ação OTC: RSRZY Total de ações: 428.473.420 Valor de mercado: R$ 1,3 bilhão Teleconferência 15 de Agosto de 2013 Em Português com Tradução

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ATINGE R$128,9 MILHÕES NO 4T07 E R$384,1 MILHÕES NO ANO, UM CRESCIMENTO DE 173,8 % SOBRE O ANO ANTERIOR MARGEM BRUTA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010 Discussão dos Resultados 1T10 07 de Maio de 2010 0 Aviso Esta apresentação poderá conter certas projeções e tendências que não são resultados financeiros realizados, nem informação histórica. Estas projeções

Leia mais

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados e 2012 28 de fevereiro de 2013 Aviso Legal Algumas das informações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Divulgação de Resultados de 2007

Divulgação de Resultados de 2007 Divulgação de Resultados de 2007 Lançamentos totais de R$ 773,5 milhões em 2007 Rio de Janeiro, 12 de março de 2008 A CR2 Empreendimentos Imobiliários S.A. (Bovespa: CRDE3), anuncia os resultados do quarto

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

Apresentação dos resultados do 4T09 & 2009. Março/2010

Apresentação dos resultados do 4T09 & 2009. Março/2010 Apresentação dos resultados do & Março/2010 Destaques & DESTAQUES OPERACIONAIS DO E VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS ATINGIRAM R$753 MILHÕES NO E R$2,67 BILHÕES EM, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE 47% EM RELAÇÃO

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões

Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões 2T07 Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões Rio de Janeiro, de 2007 A Estácio Participações (BOVESPA: ESTC11), maior organização

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados Resultados do 2T09 Teleconferência de Resultados Destaques do 2T09 2 Destaques do 2T09 em linha com a estratégia geral da Companhia Nossas conquistas do 2T09 são refletidas nos resultados da Companhia

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPREEND E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPREEND E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Referente à elaboração e divulgação de informações pelas instituições administradoras dos Fundos de Investimento Imobiliário, para o mercado de valores mobiliários e encaminhamento à Comissão

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007 Apresentação dos Resultados de 2T07 15 de agosto de 2007 1 Equipe da Cyrela Brazil Realty Diretor Presidente Elie Horn Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Luis Largman Diretor de Controle

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009 Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09 Agosto/2009 Destaques 2T09 & 1S09 DESTAQUES OPERACIONAIS 2T09 VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS PRO RATA PDG REALTY DE R$710 MILHÕES, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Release de Resultados 4T06

Release de Resultados 4T06 Release de Resultados 4T06 Em 2006, Lançamentos aumentaram 118% e Vendas Contratadas subiram 69% O EBITDA Ajustado subiu 66% e o Lucro Líquido Ajustado aumentou 35% em 2006 Rio de Janeiro, 14 de Março

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005. Praça Capital - Campinas

Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005. Praça Capital - Campinas Rossi Residencial S/A Reunião Apimec SP 23 de novembro de 2005 Praça Capital - Campinas 1 Setor imobiliário Oportunidade de investimento Fator de Risco Crédito Renda Tendência Crescimento da oferta Crescimento

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Estrutura da Demonstração do Valor Adicionado 2.1 - Grupo de Receita Bruta - Outras Receitas 2.2 - Grupo de Insumos Adquiridos

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

Entidades de Incorporação Imobiliária. ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias.

Entidades de Incorporação Imobiliária. ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias. Entidades de Incorporação Imobiliária ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias Agenda Atividades de compra e venda, loteamento, incorporação e construção de imóveis 1.Formação

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009 1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados 14 de Maio de 2009 Aviso Legal Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração

Leia mais

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011 Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011 Agosto, 2011 2 Destaques Operacionais DESTAQUES OPERACIONAIS DO 2T11 & 1S11 2T11 LANÇAMENTOS PRO RATA PDG ALCANÇARAM R$2,05 BILHÕES NO 2T11, REPRESENTANDO

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Resultados 2T10. Villa Flora Segmento Econômico

Resultados 2T10. Villa Flora Segmento Econômico Resultados 2T10 Villa Flora Segmento Econômico 1 Resultados 2T10 Aviso Importante Nós fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações financeiras do exercício

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 30/09/2009 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado RESULTADOS DO 1T11 CAPTAÇÃO RECORDE com mais de 73 mil novos alunos (24% acima do 1T10) Aumento de 21% no EBITDA, que totalizou R$48 milhões, e ganho de 1,9 p.p. na Margem, que atingiu 17,4% no 1T11 Rio

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES. Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES. Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL Auditores Independentes S/S PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Sócios, Conselheiros e Diretores da INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO BLUMENAU-SOLIDARIEDADE ICC BLUSOL 1. Examinamos os balanços patrimoniais

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

BRASIL BROKERS. Reunião Anual com Investidores APIMEC-Rio 2009

BRASIL BROKERS. Reunião Anual com Investidores APIMEC-Rio 2009 BRASIL BROKERS Reunião Anual com Investidores APIMEC-Rio 2009 2009 Brasil 2009 Brokers Brasil Todos Brokers os Direitos Todos os Reservados Direitos Reservados Esta apresentação não constitui uma oferta,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1 Exercícios de Fixação (Questões de concurso) 1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1.1.1 Concurso para AFRF 2000 prova de contabilidade avançada - Questão 15 ENUNCIADO 15- Aplicações em Investimentos

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A. LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

CONSELHO REGIONAL CONTABILIDADE RIO GRANDE DO SUL PALESTRA

CONSELHO REGIONAL CONTABILIDADE RIO GRANDE DO SUL PALESTRA CONSELHO REGIONAL CONTABILIDADE RIO GRANDE DO SUL PALESTRA ATIVIDADE IMOBILIÁRIA Compra e Venda, Incorporação, Loteamento e Construção para Venda de Imóveis Aspectos Contábeis e Tributários Sergio Renato

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais

Release de Resultados - 4T11 2011

Release de Resultados - 4T11 2011 Release de Resultados - 4T11 2011 Cyrela gera caixa operacional de R$ 130 milhões (1) no 4T11 São Paulo, 26 de março de 2012 - A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( CBR ou Companhia

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 São Paulo, 07 de Novembro de 2005 - O Submarino S.A. (Bovespa: SUBA3), empresa líder dentre aquelas que operam exclusivamente no varejo eletrônico

Leia mais