POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE"

Transcrição

1 POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE Titulo da Comunicação, Título da Comunicação Nome do Orador Empresa/Instituição

2 Rede de Estradas Classificadas (DM. 03/2005) Classe Não Revestida Revestida Total (Km) Primária 935 5,064 5,999 Secundária 3,686,254 4,940 Terciária,739,08 2,757 Vicinal 6, ,647 Total 22,943 7,403 30, , ,5 6303, Revestidas Não Revestidas Total Nacionais Regionais Total

3 2. CARACTERIZAÇÃO DA REDE De natureza funcional Classificação com base nas ligações que estabelecem, nomeadamente: 2. Estradas Nacionais: Primárias: Ligando capitais provinciais, cidades, portos e postos fronteiriços Secundárias: complementam a malha principal, estabelecendo ligação entre estradas primárias, portos marítimos e fluviais.

4 2. CARACTERIZAÇÃO DA REDE 2.2 Estradas Regionais: Terciárias : estabelecem ligação entre a malha estradas nacionais, Sedes de Distritos, Postos Administrativos e empreendimentos económicos. Vicinais : estabelecem ligações entre estradas terciárias, Postos Administrativos e centros populacionais.

5 3. O SECTOR DE ESTRADAS MOPHRH FU N DO DE EST RADAS Administração Nacional de Estradas Entidade gestora e agência de execução das políticas do Governo para a conservação e desenvolvimento da rede rodoviária nacional Fundo de Estradas Entidade de implementação e financiamento do programa de conservação e desenvolvimento da rede rodoviária nacional

6 Visão : Desenvolver infra-estruturas rodoviárias com boa qualidade e seguras Missão: Garantir ligações rodoviárias de forma económica e sustentável e a circulação segura de pessoas e bens em resposta aos desafios de desenvolvimento do país

7 3. REFORMAS NO SECTOR DE ESTRADAS 994 Direcção Nacional de Estradas e Pontes Implementação do Programa Nacional para a reparação das estradas danificadas durante a guerra civil e apoiar o crescimento económico nacional; 999 Estabelecimento do Sistema de Administração de Estradas (SAE) Regulador institucional e financeiro de administração da rede rodoviária nacional; 999 Criação da Administração Nacional de Estradas (ANE) Responsável pela implementação das políticas do Governo de conservação e desenvolvimento da rede rodoviária nacional que incluiu na sua estrutura a Direcção do Fundo de Estradas para a gestão dos recursos financeiros para a rede de estradas;

8 3. REFORMAS NO SECTOR DE ESTRADAS 2003 Separação de funções: Fundo de Estradas (FE): Como entidade de implementação e financiamento do programa de conservação e desenvolvimento da rede rodoviária nacional da; Administração Nacional de Estradas (ANE): Responsável pela execução das políticas do Governo de conservação e desenvolvimento da rede rodoviária nacional

9 4. DESENVOLVIMENTO DE PLANOS RODOVIÁRIOS NO QUADRO DA OPTIMIZAÇÃO DO SERVIÇO DAS REDES DE TRANSPORTE 4. Programa de Estradas e Portos de Cabotagem I ROCS I : 992/94 Programa de reconstrução pós conflito armado, com apoio financeiro de Parceiros Internacionais de Desenvolvimento, liderado pelo Banco Mundial. USD 80 milhões gastos: 2,040 km, Elaboração de projectos de engenharia,603 km, Reabilitados 280 km, Reabertos.

10 4.2 Programa de Estradas e Portos de Cabotagem II ROCS II : 992/ Implementação dos projectos de engenharia elaborados da Fase, com apoio financeiro dos Parceiros Internacionais de Desenvolvimento. USD 85 milhões gastos na:,700 km/ano manutenção de estradas 3,450 km Reabilitação da rede primária e secundária 3,250 km Reabilitação da rede terciária e vicinal

11 Sobre o Programa: 9 Instituções e Países estiveram envolvidos,009 Milhões de USD foram planificados 85 Milhões de USD foram desembolsados 473 Milhões de USD foram gastos,084 Contratos que permitiram: Reduzir a % de estradas em más condições de 8% para 46% Aumentar a % de estradas em condições boas/rezoáveis de 9% para 54%.

12 4.3 Programa de Estradas III: 200/0 200:Preparado o Programa de Gestão e Manutenção de Estradas e Pontes, para melhorar a cobertura e condições da rede rodoviária e da segurança rodoviária; 2003: Ocorre mais um ciclo de reformas no Sector de Estradas, com a separação do Fundo de Estradas da Administração Nacional de Estradas; 2005: Declaração de Paris, que revia a forma de actuação dos Parceiros de Desenvolvimento Internacionais;

13 4.3 Programa de Estradas III: 200/0 2006: Programa Integrado de Estradas PRISE Preservação do património viário - Manutenção Accessibilidade Transitabilidade Padrões de dimensionamento Materiais e soluções alternativas Dos USD,00 milhões previstos, foram mobilizados USD 4,000 milhões, cuja utilização se irá estender até 207

14 Chimoio Espungabera: (

15 Circular de Maputo

16 Ponte de Kassuende Tete ( )

17

18 5. Onde Estamos Apesar deste esforço: a) A densidade de rede viária é de 3,8 km/00 km², muito baixo b) 4/26 milhões da população vive a mais de 2km da rede de estradas c) 68% da população Moçambicana vive no meio rural Tendo em conta que constituem prioridades do Governo o: Aumento da produtividade, Aumento da competitividade Desenvolvimento equilibrado e inclusivo ESE 3

19 FUN DO DE ESTRADAS Pilares da Terceira Estrategia do Sector Estradas: ESE-3 Preservação do Património através de Manutenção Apropriada Conectividade Interurbana através de uma Rede Principal Nacional Robusta Mobilidade Rural através da Garantia da Transitabilidade das Estradas Rurais

20 Plano Director de Estradas Corredores Nº. E Descrição Ligação da Maior Parte das Cidades ao Longo da Costa Norte - Sul E5 E25 Ligação Moçambique e Africa do Sul através de uma menor extensão da estrada Ligação dos principais polos de produção agrícola (Província de Sofala e Manica) Este - Oeste E35 E0 E20 E30 E40 E50 E60 Ligação da Região Norte com o Porto de Macuse / Quelimane Ligação da Africa do Sul e a Cidade de Maputo Estabelecimento de uma estrada de ligação interna para trafego pesado na Província de Maputo Ligação Maputo - Zimbabwe Estabelecimento da estrada de ligação interna na Província de Inhambane Ligação Moçambique Zimbabwe, através de uma estrada de alto velocidade de fluxo no corredor da Beira Estrada de fluxo rápido no transporte de recursos naturais de Tete ao Portos E70 Ligação Moçambique Malawi Zimbabwe, associado ao corredor de Nacala E80 Via Expressa atravessando toda região norte, promovendo o desenvolvimento regional

21 Princípios de Alocação de Recursos e Priorização Necessidades Preservação Patrimonio 40% Mobilidade Rural 30% Disponibilidade Conectividade Interurbana 30%

22 6. Desafios 6. Crescente demanda de mobilidade de pessoas e bens vai exigir maior e melhor rede 6.2 A vulnerabilidade aos fenómenos atmosféricos a) Em curso um estudo para a revisão dos padrões de dimensionamento, para tornar as infra-estruturas mais resilientes e responder as exigências do País; b) Avaliar a vulnerabilidade das infra-estruturas, em todos os projectos de investimentos; c) Mapeamentos das áreas de risco potencial

23

24 6. Desafios 6.2 Crescente demanda de mobilidade de pessoas e bens vai exigir maior e melhor rede: a) Assegurar ligações robustas e seguras aos pólos de desenvolvimento económico b) Desenvolvimento de alternativa a estrada Norte-Sul c) Integração regional desenvolvimento de corredores 6.3 Investigação e pesquisa de soluções alternativas, com materiais localmente disponíveis, 6.4 Envolver o sector privado na gestão e financiamento da rede de estradas

25 Plano Director de Estradas Corredores Nº. E Descrição Ligação da Maior Parte das Cidades ao Longo da Costa Norte - Sul E5 E25 Ligação Moçambique e Africa do Sul através de uma menor extensão da estrada Ligação dos principais polos de produção agrícola (Província de Sofala e Manica) Este - Oeste E35 E0 E20 E30 E40 E50 E60 Ligação da Região Norte com o Porto de Macuse / Quelimane Ligação da Africa do Sul e a Cidade de Maputo Estabelecimento de uma estrada de ligação interna para trafego pesado na Província de Maputo Ligação Maputo - Zimbabwe Estabelecimento da estrada de ligação interna na Província de Inhambane Ligação Moçambique Zimbabwe, através de uma estrada de alto velocidade de fluxo no corredor da Beira Estrada de fluxo rápido no transporte de recursos naturais de Tete ao Portos E70 Ligação Moçambique Malawi Zimbabwe, associado ao corredor de Nacala E80 Via Expressa atravessando toda região norte, promovendo o desenvolvimento regional

26 A messe é grande e os operários são poucos

Moçambique Negócios e Internacionalização

Moçambique Negócios e Internacionalização Moçambique Negócios e Internacionalização Lisboa, 1 de Abril 2011 PONTO DE PARTIDA: Além da área ferroviária, Portugal e Moçambique podem cooperar na área do transporte marítimo, dos estaleiros navais,

Leia mais

Jornadas Técnicas Africa Subsahariana Água e Saneamento. Madrid 4-8 de Maio de 2009

Jornadas Técnicas Africa Subsahariana Água e Saneamento. Madrid 4-8 de Maio de 2009 Jornadas Técnicas Africa Subsahariana Água e Saneamento Madrid 4-8 de Maio de 2009 O Governo de Moçambique aprovou a Politica Nacional de Águas em 1995. Em 1998 o FIPAG foi criado para representar o Governo

Leia mais

O PACTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO DE MOÇAMBIQUE PEDSA. Impacto esperado com a implementação do PEDSA através do CAADP

O PACTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO DE MOÇAMBIQUE PEDSA. Impacto esperado com a implementação do PEDSA através do CAADP O PACTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO DE MOÇAMBIQUE A SER IMPLEMENTADO ATRAVÉS DO PEDSA O PACTO A SER IMPLEMENTADO PELO PEDSA: PRIORIDADES Impacto esperado com a implementação do PEDSA através

Leia mais

Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição. Junho de Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique

Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição. Junho de Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição Junho de 2013 Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique 1 Breve Historial Mais de 70%vivem da agricultura Pequenos

Leia mais

DESAFIOS E O IMPACTO DAS GRANDES OBRAS PÚBLICAS NA GOVERNAÇÃO

DESAFIOS E O IMPACTO DAS GRANDES OBRAS PÚBLICAS NA GOVERNAÇÃO DESAFIOS E O IMPACTO DAS GRANDES OBRAS PÚBLICAS NA GOVERNAÇÃO INDICE 1. Introdução 2. Planificação 3. Projecto 4. Licitação 5. Execução Papel da fiscalização 6. Operação e manutenção 7. Problemas relacionados

Leia mais

Cooperação sobre capacidade productiva. Macau, Maio de 2017

Cooperação sobre capacidade productiva. Macau, Maio de 2017 Cooperação sobre capacidade productiva Macau, Maio de 2017 Estrutura da Apresentação 1. Contextualização 2. Transferência de capacidade productiva da China - Moçambique 2.1. Acordo Quadro para o Desenvolvimento

Leia mais

Balanço dos 10 anos de delimitação de terras comunitárias

Balanço dos 10 anos de delimitação de terras comunitárias GOVERNO DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Direcção Nacional de Terras e Florestas Balanço dos 10 anos de delimitação de terras comunitárias 2008 Nampula, 9-11 de Março de 2010 Estrutura da apresentação

Leia mais

FUNAB FUNDO NACIONAL DO AMBIENTE DE MOÇAMBIQUE FONTES INTERNAS DE FINANCIAMENTO. Lisboa, 20 de Junho de 2009

FUNAB FUNDO NACIONAL DO AMBIENTE DE MOÇAMBIQUE FONTES INTERNAS DE FINANCIAMENTO. Lisboa, 20 de Junho de 2009 FUNAB FUNDO NACIONAL DO AMBIENTE DE MOÇAMBIQUE FONTES INTERNAS DE FINANCIAMENTO Lisboa, 20 de Junho de 2009 INTRODUÇÃO O FUNAB é uma pessoa colectiva, de direito público, com personalidade jurídica e dotado

Leia mais

Oportunidades de Investimento nos principais setores em Moçambique Rui Andrade Maputo, 8/12/12

Oportunidades de Investimento nos principais setores em Moçambique Rui Andrade Maputo, 8/12/12 Seminário Oportunidades de Investimento nos principais setores em Moçambique Rui Andrade Maputo, 8/12/12 Oportunidades de Investimento Crescimento Sustentado Ciclo até 2011 Potencial de Crescimento Novo

Leia mais

Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA

Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA C A B O N I A S S A D E L G A D O ZÂMBIA Lichinga Pemba T E T E MALAWI N A M P

Leia mais

Progresso PARP Perspectivas

Progresso PARP Perspectivas REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DIRECÇÃO NACIONAL DE ESTUDOS E ANÁLISE DE POLÍTICAS Progresso PARP 2011-2014 Perspectivas 2013-2017 Apresentação ao Seminário Conjunto:

Leia mais

FORUM RNP 2016 Ciência, Tecnologia e Inovação em Rede

FORUM RNP 2016 Ciência, Tecnologia e Inovação em Rede FORUM RNP 2016 Ciência, Tecnologia e Inovação em Rede República de Moçambique Rede de Instituições de Ensino Superior e de Investigação de Moçambique (MoRENet): Desafios e Perspectivas para a sua Sustentabilidade

Leia mais

Apresentação por António Saíde Director Nacional de Energias Novas e Renováveis

Apresentação por António Saíde Director Nacional de Energias Novas e Renováveis MINISTÉRIO DA ENERGIA Estratégia de Desenvolvimento de Energias Novas e Renováveis veis e o seu impacto na electrificação rural em Moçambique Apresentação por António Saíde Director Nacional de Energias

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 FORUM REGIONAL ALENTEJO 2020 DESAFIOS E OPORTUNIDADES PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ALENTEJO Joaquim Fialho joaquim.fialho@ccdr-a.gov.pt Vendas

Leia mais

Programa de Doutoramento em Gestão, Liderança e Políticas no Sector Agroalimentar

Programa de Doutoramento em Gestão, Liderança e Políticas no Sector Agroalimentar Programa de Doutoramento em Gestão, Liderança e Políticas no Sector Agroalimentar Workshop Colaboração entre Moçambique e Portugal nos Sectores Agrícola, Alimentar e Florestal, Maputo, 2 de Junho 2015

Leia mais

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS MAPUTO, 11 DE MARÇO DE 2013 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP )

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP ) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CONFERENCIA DE INVESTIDORES DO CORREDOR DE NACALA Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em

Leia mais

PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS

PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS Direcção Nacional de Águas (DNA), Maputo, 31 de Maio de 2013 1 CONTEÚDO 1. ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL 2. FONTES E MECANISMO DE FINANCIAMENTO DE PROJECTOS 3. PROCESSO

Leia mais

Informe 3 Novembro de 2008

Informe 3 Novembro de 2008 Parceria para os Direitos da Criança em Moçambique Informe 3 Novembro de 2008 O QUE DIZ A PROPOSTA DE ORÇAMENTO DO ESTADO 2009 SOBRE A PREVISÃO DE RECURSOS NO SECTOR DE SAÚDE? Mensagens Chave Aumento significativo

Leia mais

O Impacto da Política Agrária em Moçambique

O Impacto da Política Agrária em Moçambique O Impacto da Política Agrária em Moçambique Dezembro de 2010 ORAM e ROSA Pesquisa realizada: Centro de Estudos Moçambicanos e Internacionais CEMO António Álvaro Francisco Hortêncio Sunde Manuel Lopes e

Leia mais

A GESTÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA EM ÁREAS PERI-URBANAS GRANDES CIDADES DE MOÇAMBIQUE

A GESTÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA EM ÁREAS PERI-URBANAS GRANDES CIDADES DE MOÇAMBIQUE A GESTÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA EM ÁREAS PERI-URBANAS GRANDES CIDADES DE MOÇAMBIQUE Marseilles, Março de 2012 Orador: Pedro Paulino Contexto Peri-urbano Água urbana em Moçambique População: Total: 23,700,715

Leia mais

Omar Mithá. Desenvolvimento da Indústria de Hidrocarbonetos em Moçambique: Perspectivas de impacto. Maputo, 28 de Outubro de 2015

Omar Mithá. Desenvolvimento da Indústria de Hidrocarbonetos em Moçambique: Perspectivas de impacto. Maputo, 28 de Outubro de 2015 Desenvolvimento da Indústria de Hidrocarbonetos em Moçambique: Perspectivas de impacto Conferência sobre os ganhos do Estado na Exploração de Hidrocarbonetos Maputo, 28 de Outubro de 2015 Omar Mithá GOVERNANÇA

Leia mais

Agência Japonesa de Cooperação Internacional

Agência Japonesa de Cooperação Internacional Agência Japonesa de Cooperação Internacional Factos e Figuras Sobre a JICA 1. O que é JICA Desde a sua adesão ao Plano de Colombo em 1954, o Japão tem vindo a providenciar assistência técnica e financeira

Leia mais

Plano Diretor de Estatísticas do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos (Moçambique )

Plano Diretor de Estatísticas do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos (Moçambique ) Plano Diretor de Estatísticas do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos (Moçambique ) ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. O MOPHRH 2. PLANO DIRECTOR DE ESTATÍSTICA (PDE) - Equipa - Definição,

Leia mais

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 25 de Abril de 2013 Constituição

Leia mais

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos Discurso de Abertura de Sua Excelência o

Leia mais

Desenvolver a energia de Moçambique.

Desenvolver a energia de Moçambique. Desenvolver a energia de Moçambique. O engenho para renovar um país inteiro. siemens.co.mz AF_FolhetoFACIM 210x148mm.indd 1 10/08/16 10:14 A história da energia em Moçambique ainda está a ser contada.

Leia mais

Preparado por: Meneses ROBERTO Cell: Dulce Mavone Novela Cell:

Preparado por: Meneses ROBERTO Cell: Dulce Mavone Novela Cell: WORKSHOP TECNICO SOBRE OS PRINCIPIOS ORIENTADORES DOS NOVOS INVESTIMENTOS NA AGRICULTURA Maputo, 23-24/04/2015 Preparado por: Meneses ROBERTO chiteleka57@yahoo.com Cell: 824021466 Dulce Mavone Novela Cell:

Leia mais

Dinâmicas de Investimento Privado em Moçambique: tendências e questões preliminaries para análise

Dinâmicas de Investimento Privado em Moçambique: tendências e questões preliminaries para análise Dinâmicas de Investimento Privado em Moçambique: tendências e questões preliminaries para análise Carlos Muianga, Helena Pérez-Nino, Sara Stevano, Michael Sambo Conference Paper nº 41 III CONFERÊNCIA INTERNACIONAL

Leia mais

GESTÃO DA MANUTENÇÃO DE ESTRADAS REVESTIDAS EM MOÇAMBIQUE

GESTÃO DA MANUTENÇÃO DE ESTRADAS REVESTIDAS EM MOÇAMBIQUE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DE ESTRADAS REVESTIDAS EM MOÇAMBIQUE Autora: Irene Celeste André Langa Simões, Engª Civil, Administração Nacional de Estradas, Direcção de Projectos, Repartição de Gestão de Concessões,

Leia mais

INTEGRATED INVESTMENT PROGRAM (PII)

INTEGRATED INVESTMENT PROGRAM (PII) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS INTEGRATED INVESTMENT PROGRAM (PII) Nature and Evolution Paraguay, Abril de 2017 I. INTRODUÇÃO Objectivos do PII: Identificar as propostas de investimentos

Leia mais

Mercados de Sistemas de Energias Renováveis. O Papel do Sistemas Solares Isolados e as Mini-Redes Solares: O caso de Moçambique

Mercados de Sistemas de Energias Renováveis. O Papel do Sistemas Solares Isolados e as Mini-Redes Solares: O caso de Moçambique Energia Para Mercados de Sistemas de Energias Renováveis O Papel do Sistemas Solares Isolados e as Mini-Redes Solares: O caso de Por: António Saíde, PCA do FUNAE Maputo, Novembro de 2016 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

INDICADORES DE REFERÊNCIA NA ÁREA DO TURISMO 1. Chegadas Internacionais o número de viajantes que entraram no país durante um determinado período.

INDICADORES DE REFERÊNCIA NA ÁREA DO TURISMO 1. Chegadas Internacionais o número de viajantes que entraram no país durante um determinado período. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ------------------ INDICADORES DE REFERÊNCIA NA ÁREA DO TURISMO 1. Chegadas Internacionais o número de viajantes que entraram no país durante um determinado período. Por motivo

Leia mais

Politica da Qualidade, Contexto actual e Estratégia de Implementação

Politica da Qualidade, Contexto actual e Estratégia de Implementação Politica da Qualidade, Contexto actual e Estratégia de Implementação Apresentado por: Alfredo Sitoe Objectivo Geral da Politica da qualidade Contribuir para a melhoria contínua da qualidade de vida da

Leia mais

PACTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO NO CONTEXTO DO CAADP

PACTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO NO CONTEXTO DO CAADP República de Moçambique Ministério da Agricultura PACTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SECTOR AGRÁRIO NO CONTEXTO DO CAADP O PACTO DO CAADP Apresentação aos Parceiros 01 de Dezembro de 2011 1 CONTEÚDO DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO NA UE 1. INTRODUÇÃO 2. SITUAÇÃO ACTUAL 3. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 4. TRANSPORTES ENERGIA E AMBIENTE 5. INFRAESTRUTURAS 6. CONCLUSÕES

Leia mais

O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE

O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE O PAPEL DOS FORNECEDORES PRIVADOS DE ÁGUA EM MOÇAMBIQUE Suzana Saranga Loforte Gestora de Recursos Hídricos & Meio Ambiente Direcção Nacional de Águas Ministério das Obras Públicas e Habitação de Moçambique

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL E FUNÇÃO PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO AUTÁRQUICO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL E FUNÇÃO PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO AUTÁRQUICO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL E FUNÇÃO PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO AUTÁRQUICO TERMOS DE REFERÊNCIA SOBRE A CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PARA A ELABORAÇÃO DO ESTUDO

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A CIRCULAÇÃO INTERNA DE PRODUTOS DA PESCA

RELATÓRIO SOBRE A CIRCULAÇÃO INTERNA DE PRODUTOS DA PESCA RELATÓRIO SOBRE A CIRCULAÇÃO INTERNA DE PRODUTOS DA PESCA I. INTRODUÇÃO O controlo da circulação interna dos produtos da pesca, é preconizado pelo artigo 22 do Regulamento de Inspecção e Garantia de Qualidade

Leia mais

Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique,

Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique, Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique, 2014-15 Ministério da Economia e Finanças Outubro 2016 Introdução O PARP 2011 2014 estabelece que A avaliação do PARP 2011 2014 [ ] será

Leia mais

ESTADO DAS ESTRADAS NACIONAIS DE CABO VERDE

ESTADO DAS ESTRADAS NACIONAIS DE CABO VERDE ESTADO DAS ESTRADAS NACIONAIS DE CABO VERDE 1. ENQUADRAMENTO O património rodoviário de Cabo Verde é composto por Estradas Nacionais e Municipais, representando uma extensão total de 1.713 km. As Estradas

Leia mais

Políticas Pública de Redução da Pobreza

Políticas Pública de Redução da Pobreza Políticas Pública de Redução da Pobreza Ministério da Planificação e Desenvolvimento Direcção Nacional de Planificação Por: Cristina Matusse (Técnica de Planificação) Maputo, 16 de Abril de 2009 Estrutura

Leia mais

Projecto de Testagem de Modelos de Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal (TREDD)

Projecto de Testagem de Modelos de Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal (TREDD) Projecto de Testagem de Modelos de Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal (TREDD) no Corredor da Beira, Incluindo a Província da Zambézia O que é o TREDD? O TREDD é uma iniciativa denominada

Leia mais

Moza Banco. Parceiro Privilegiado das PME. Conferência: Vínculos de Negócios e Desenvolvimento de Fornecedores

Moza Banco. Parceiro Privilegiado das PME. Conferência: Vínculos de Negócios e Desenvolvimento de Fornecedores Parceiro Privilegiado das PME APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL MZ Maputo, 17 Abril 2014 Conferência: Vínculos de Negócios e Desenvolvimento de Fornecedores Tarcísio Mahanhe (Tarcisio.mahanhe@mozabanco.co.mz)

Leia mais

Ponto de Situação Sobre os Recursos Genéticos Animais em Moçambique

Ponto de Situação Sobre os Recursos Genéticos Animais em Moçambique Ilidio Hele REPUBLICA DE MOCAMBIQUE MINISTERIO DA AGRICULTURA DIRECCAO NACIONAL DE SERVICOS DE VETERINARIA Ponto de Situação Sobre os Recursos Genéticos Animais em Moçambique Inception workshop of the

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA SAÚDE 40 ANOS DO SERVIÇO NACIONAL DE SAUDE

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA SAÚDE 40 ANOS DO SERVIÇO NACIONAL DE SAUDE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA SAÚDE 40 ANOS DO SERVIÇO NACIONAL DE SAUDE Luanda, 06 Outubro de 2015 PLANO DE APRESENTAÇÃO Caracterização geográfica, demográfica e administrativa de Angola Evolução

Leia mais

Competitividade das Culturas de Rendimento em Moçambique: O caso da Castanha de Caju

Competitividade das Culturas de Rendimento em Moçambique: O caso da Castanha de Caju Competitividade das Culturas de Rendimento em Moçambique: O caso da Castanha de Caju Monitoria e Análise de Políticas Agroalimentares (MAFAP) RESULTADOS PRELIMINARES Helder Zavale (CEPPAG-UEM) Luis Monroy

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento do Sector de Abastecimento de Água em Angola. 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa LUCRÉCIO COSTA

Estratégia de Desenvolvimento do Sector de Abastecimento de Água em Angola. 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa LUCRÉCIO COSTA 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa A Engenharia como fator decisivo no processo de desenvolvimento" Estratégia de Desenvolvimento do Sector de Abastecimento de Água em Angola LUCRÉCIO COSTA

Leia mais

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 1 1 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

Leia mais

INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE

INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE (2013-2014) 1 Maputo, October, 2014 CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA

Leia mais

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas e desafios nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Projetos e Programas de Investimentos para o Setor de Infraestrutura no Brasil

Leia mais

TRIBUNAL ADMINISTRATIVO

TRIBUNAL ADMINISTRATIVO REPUBLICA DE MOÇAMBIQUE Public Disclosure Authorized TRIBUNAL ADMINISTRATIVO CONTADORIA DE CONTAS E AUDITORIAS Public Disclosure Authorized RELATÓRIO DE AUDITORIA FINANCEIRA Realizada ao Projecto Agricultural

Leia mais

Urbanismo,Transportes

Urbanismo,Transportes Urbanismo,s Vias de Comunicação Area de Especialização DEC-FCTUC ÁREAS TEMÁTICAS Ordenamento do Território Urbanismo Vias de Comunicação Tráfego e s Sistemas de Gestão de Cidades e Infraestruturas 2 1

Leia mais

DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL DIRECÇÃO NACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Apresentado por: Julia Ussy Félix Maputo, Fevereiro de 2014 SEQUÊNCIA

Leia mais

Importância do CAADP para Moçambique

Importância do CAADP para Moçambique Breve Reflexão Apresentada na Revisão Técnica Anual do MINAG/ PROAGRI de 2010 Importância do CAADP para Moçambique Hélder Gêmo (Maputo, 14.04.2010) Agricultura é importante, em especial nos 7 países de

Leia mais

Apresentação ao. Moçambique Província de Tete. Concessão Nova Ponte de Tete e Estradas 7º CONGRESSO RODOVIÁRIO PORTUGUÊS

Apresentação ao. Moçambique Província de Tete. Concessão Nova Ponte de Tete e Estradas 7º CONGRESSO RODOVIÁRIO PORTUGUÊS Moçambique Província de Tete Concessão Nova Ponte de Tete e Estradas 1 Indice I. Ascendi Group II. Contexto Moçambicano III. O Projecto IV. O Financiamento V. Os Riscos VI. Caracteristicas Notáveis 2 I

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Gestão e Qualidade (GGQ)

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Gestão e Qualidade (GGQ) Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Gestão e Qualidade (GGQ) 1 Índice I Disposições Legais...3 Artigo 1º - Objecto e âmbito de aplicação... 3 II Modelo Organizacional... 3 Artigo 2º - Definição

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA TERRA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO NACIONAL DO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA TERRA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO NACIONAL DO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ------ MINISTÉRIO DA TERRA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO NACIONAL DO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A REALIZAÇÃO DO INVENTÁRIO

Leia mais

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE WORKSHOP CONSULTA PÚBLICA SOBRE EIA DO PROJECTO SUMBE SUMBE, 22 DE MARÇO DE 2013 P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA 1 1. OBJECTIVOS DO

Leia mais

Apresentado por: Tiago Mendonça

Apresentado por: Tiago Mendonça Apresentado por: Tiago Mendonça Lisboa, 19 de Novembro 2014 KaTembe Melhor Projecto Transversal de África Mapa Ferroviário de Moçambique Moçambique Mapa Ferroviário Moçambique Rede Ferroviária de Moçambique

Leia mais

Informe 6 Novembro de 2008

Informe 6 Novembro de 2008 Parceria para os Direitos da Criança em Moçambique Informe 6 Novembro de 28 O QUE DIZ A PROPOSTA DE ORÇAMENTO DO ESTADO 29 SOBRE A PREVISÃO DE RECURSOS NO SECTOR DE ACÇÃO SOCIAL? Mensagens Chave A Proposta

Leia mais

Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais

Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais Seminário Exportar, exportar, exportar A Experiência dos Principais Clusters Regionais Paulo Lobo Viana do Castelo - 11 de fevereiro 1 Segmentos de Atividade da Construção e Imobiliário VAB Volume de Negócios

Leia mais

O Mar no próximo QFP

O Mar no próximo QFP O Mar no próximo QFP 2014-2020 Fórum do Mar José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspectivas financeiras Estratégia Europa 2020 2020 Crescimento

Leia mais

Instituto Nacional de Irrigação. A Perspectiva das Instituições Contratantes 31 de Maio de 2013

Instituto Nacional de Irrigação. A Perspectiva das Instituições Contratantes 31 de Maio de 2013 Instituto Nacional de Irrigação 31 de Maio de 2013 Estrutura da apresentação I. Reforma do subsector de irrigação em Moçambique II. O INIR - Instituto Nacional de Irrigação 1. Objectivos 2. Organização

Leia mais

Resultados das Investigações do SIMA-Dest e Departamento de Análise de Políticas MADER-Direcção de Economia

Resultados das Investigações do SIMA-Dest e Departamento de Análise de Políticas MADER-Direcção de Economia 30 de Agosto de 2003 )ODVK N 36P Resultados das Investigações do SIMA-Dest e Departamento de Análise de Políticas MADER-Direcção de Economia Produção e Comercialização de Culturas Alimentares: Que Expectativas

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Rio Metropolitano Jorge Arraes 09 de julho 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ)

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) 1 Índice I Disposições Legais... 3 Artigo 1º - Objecto e âmbito de aplicação... 3 II Modelo Organizacional... 3 Artigo 2º - Definição

Leia mais

A aplicação da lei de violência doméstica em Moçambique: constrangimentos institucionais e culturais

A aplicação da lei de violência doméstica em Moçambique: constrangimentos institucionais e culturais A aplicação da lei de violência doméstica em Moçambique: constrangimentos institucionais e culturais (Síntese a partir dos slides) Por Joaquim Nhampoca (Departamento da Mulher e da Criança, Ministério

Leia mais

Resultados da Pesquisa sobre Políticas de CTI e Instrumentos de Política (GO-SPIN)

Resultados da Pesquisa sobre Políticas de CTI e Instrumentos de Política (GO-SPIN) Resultados da Pesquisa sobre Políticas de CTI e Instrumentos de Política (GO-SPIN) República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional Maputo, 19 de Novembro

Leia mais

Desenvolvimento & Infraestrutura Impactos na Economia e Sociedade. Martin Raiser Diretor Banco Mundial, Brasil

Desenvolvimento & Infraestrutura Impactos na Economia e Sociedade. Martin Raiser Diretor Banco Mundial, Brasil Desenvolvimento & Infraestrutura Impactos na Economia e Sociedade Martin Raiser Diretor Banco Mundial, Brasil Infraestrutura ajuda no crescimento e empregos Crescimento per capita como resultado de diferentes

Leia mais

Secretaria do Desenvolvimento Urbano. Ações SEDU/PARANACIDADE Mobilidade Urbana no Estado do Paraná

Secretaria do Desenvolvimento Urbano. Ações SEDU/PARANACIDADE Mobilidade Urbana no Estado do Paraná Ações SEDU/PARANACIDADE Mobilidade Urbana no Estado do Paraná 19/05/2017 Ações Paranacidade Missão do PARANACIDADE prestar assistência institucional e técnica aos municípios, desenvolver atividades dirigidas

Leia mais

DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico

DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico DTEA - Transportes, Energia e Ambiente Grupo de Investigação em Energia e Desenvolvimento Sustentável Instituto Superior Técnico Projecto Mobilidade Sustentável Tiago Farias 20 de Junho de 2007 DTEA Transportes,

Leia mais

Estratégias para Desenvolver o Sector Agrário rio em Moçambique. Introdução

Estratégias para Desenvolver o Sector Agrário rio em Moçambique. Introdução Estratégias para Desenvolver o Sector Agrário rio em Moçambique Componente de Pesquisa: Comercialização Agrícola Por Danilo Carimo Abdula (MINAG-DE DE-DAP/MSU) DAP/MSU) Julho,, 2007 Introdução Objectivo

Leia mais

O NOSSO PORTO. O NOSSO FUTURO.

O NOSSO PORTO. O NOSSO FUTURO. www.portodecaio.ao O NOSSO PORTO. O NOSSO FUTURO. INTRODUÇÃO Bem-vindo ao projecto Porto de Caio, a porta de entrada para o comércio na África. A instalação portuária de classe mundial, parte integral

Leia mais

Galicia Norte Portugal

Galicia Norte Portugal Juan Lirón Lago, Director GNP-AECT Secretario GNP-AECT CONFERÊNCIA O POTENCIAL TURÍSTICO DA ÁGUA A água e os produtos turísticos Estudos de caso Viana do Castelo 30 de Outubro de 2013 GNP-AECT GNP-AECT

Leia mais

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO

AS VIAS DE COMUNICAÇÃO 1ENGENHARIA O PROJECTO (I) O Projecto corresponde à preparação da realização depois de decidido o que é que se quer fazer (planeamento); especifica-se como é que se vai fazer (resolvendo problemas que

Leia mais

A resposta do produtor Moçambicano ao ambiente de preços altos

A resposta do produtor Moçambicano ao ambiente de preços altos A resposta do produtor Moçambicano ao ambiente de preços altos Benedito Cunguara, David Mather, David Tschirley Presentation at MSU/IFPRI conference on Agricultural Public Investments, Policies, and Markets

Leia mais

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio República de Moçambique Objectivos de Desenvolvimento do Milénio Ponto de Situação, Progressos e Metas Conferência Cumprir Bissau Desafios e Contribuições da CPLP para o cumprimento dos ODMS 5 de Junho

Leia mais

Breve Revisão do Mercado de Sementes em Moçambique

Breve Revisão do Mercado de Sementes em Moçambique Breve Revisão do Mercado de Sementes em Moçambique Higino de Marrule 07 de Maio de 2015 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Introdução Metodologia Produção de semente do melhorador e semente básica Tamanho do mercado

Leia mais

1.Introdução. 1.1 Metodologia

1.Introdução. 1.1 Metodologia O texto fala da rede de transporte em Mocambique, abordando aspectos desta tematica, que e bastante complexa... navega-se desde o tracado das vias terrestres (o historial, os factores historicos que influenciaram)

Leia mais

Outline. I. Introdução. II. Importância do algodão na economia. III. A Cadeia de valor do algodão. VI. Análise SWOT. V. Factores de competitividade

Outline. I. Introdução. II. Importância do algodão na economia. III. A Cadeia de valor do algodão. VI. Análise SWOT. V. Factores de competitividade Outline I. Introdução II. Importância do algodão na economia III. A Cadeia de valor do algodão VI. Análise SWOT V. Factores de competitividade VI. Conclusões I. Introdução A cultura do algodão constitui

Leia mais

António Jorge Monteiro Professor Associado do IST

António Jorge Monteiro Professor Associado do IST A SUSTENTABILIDADE DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO EM PAÍSES EM VIAS DE DESENVOLVIMENTO António Jorge Monteiro Professor Associado do IST antonio.jorge.monteiro@tecnico.ulisboa.pt Estrutura da Apresentação

Leia mais

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro 13/05/2015 VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro Divisão de Competitividade Industrial e Investimentos Gerência de Competitividade Industrial e Investimentos Diretoria

Leia mais

Plano de Acção da Estratégia para a Fiscalização Participativa de Florestas e Fauna Bravia em Moçambique. Primeiro Draft

Plano de Acção da Estratégia para a Fiscalização Participativa de Florestas e Fauna Bravia em Moçambique. Primeiro Draft Plano de Acção da Estratégia para a Fiscalização Participativa de Florestas e Fauna Bravia em Moçambique Primeiro Draft Meta estratégica Lograr no prazo de cinco anos (2006-2010) que todas a províncias

Leia mais

Municipalizaçã o e integração ao Sistema Nacional de Trânsito

Municipalizaçã o e integração ao Sistema Nacional de Trânsito Municipalizaçã o e integração ao Sistema Nacional de Trânsito Foto: Reprodução/EPTV Luiz Otávio Maciel Miranda Global Forum for Road Traffic Safety (WP.1/UNECE/ONU) Conselheiro representante do Ministério

Leia mais

SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP

SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP Junho/2016 Área de Influência Características Gerais Capacidade Rodoviária Operações Principais Investimentos Realizados Outros Investimentos Investimentos

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DOS TRANSPORTES. Infraestruturas Rodoviárias ANÁLISE FACE AOS OBJETIVOS DO AJUSTAMENTO ECONÓMICO E FINANCEIRO E DO CRESCIMENTO

PLANO ESTRATÉGICO DOS TRANSPORTES. Infraestruturas Rodoviárias ANÁLISE FACE AOS OBJETIVOS DO AJUSTAMENTO ECONÓMICO E FINANCEIRO E DO CRESCIMENTO Jorge Zúniga Santo, Engenheiro Civil Ordem dos Engenheiros O PET é um instrumento das Grandes Opções do Plano para 2012-2015 1. ENQUADRAMENTO Endividamento elevadíssimo da Estradas de Portugal, SA para

Leia mais

PRODUÇÃO E USO DO CARVÃO VEGETAL EM MOÇAMBIQUE, MALAWI, TANZÂNIA E, ZÂMBIA: DADOS HISTÓRICOS, SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS. Mário Paulo Falcão

PRODUÇÃO E USO DO CARVÃO VEGETAL EM MOÇAMBIQUE, MALAWI, TANZÂNIA E, ZÂMBIA: DADOS HISTÓRICOS, SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS. Mário Paulo Falcão PRODUÇÃO E USO DO CARVÃO VEGETAL EM MOÇAMBIQUE, MALAWI, TANZÂNIA E, ZÂMBIA: DADOS HISTÓRICOS, SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS. Mário Paulo Falcão 1 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. Introdução Objectivos Área

Leia mais

Total geral de vagas 33

Total geral de vagas 33 ANÚNCIO DE VAGA No âmbito do Projecto Respondendo a Epidemia do HIV através da Governação efectiva com Parceiros da Sociedade Civil, financiado pelo Fundo, a FDC uma das organizações recipiente principal

Leia mais

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo 1. Casos de Estudo 2. Metodologia 3. Principais resultados: boas práticas e práticas a explorar 1. Casos de

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA CULTURA E TURISMO INSTITUTO NACIONAL DO TURISMO TERMOS DE REFERÊNCIA Título da Posição: TECNICO DE PROMOÇÃO TURÍSTICA Duração: Local: Instituição: RENOVAÇÃO DEPENDENDO

Leia mais

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020 OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020 Sessão de apresentação/divulgação Barreiro Vítor Escária 28.01.2015 1. Enquadramento 2. Condições de Elegibilidade e Apoios Máximos 3. Apoio

Leia mais

1 Conferência de Investidores da Província de Nampula

1 Conferência de Investidores da Província de Nampula REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE GOVERNO DA PROVINCIA DE NAMPULA 1 Conferência de Investidores da Província de Nampula DESAFIOS NO SECTOR DE AGUA E PRESPECTIVAS PARA NAMPULA 18 de Setembro de 2015 O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO

PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO Abril de 2013 IP 3 - Mortágua (EN 228) / Raiva (IC 6). Resumo do Plano de Acção ÍNDICE DE TEXTO Pág. 1 - CONSIDERAÇÕES GERAIS...

Leia mais

Prognostico da Estação Chuvosa e sua Interpretação para Agricultura

Prognostico da Estação Chuvosa e sua Interpretação para Agricultura Prognostico da Estação Chuvosa 2016-2017 e sua Interpretação para Agricultura Setembro de 2016 PROGNÓSTICO SOBRE A ESTAÇÃO CHUVOSA 2016/2017 E INTERPRETAÇÃO PARA AGRICULTURA 1. INTRODUÇÃO A Oscilação Sul

Leia mais

Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. Guilherme Mercês

Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. Guilherme Mercês Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro Guilherme Mercês 27 de Setembro de 2016 Contas Públicas Variáveis estruturais estão na base da crise fiscal do estado do Rio de Janeiro e do Brasil.

Leia mais

INICIATIVA DO GOVERNO DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MOBILIZAÇÃO DE FINANCIAMENTO P F Zucula TETE, 8 DE JUNHO DE 2017

INICIATIVA DO GOVERNO DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MOBILIZAÇÃO DE FINANCIAMENTO P F Zucula TETE, 8 DE JUNHO DE 2017 INICIATIVA DO GOVERNO DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MOBILIZAÇÃO DE FINANCIAMENTO P F Zucula TETE, 8 DE JUNHO DE 2017 Estrutura da Apresentação 1 QUANTO PRECISAMOS E PARA QUÊ? 2 DESAFIOS DE MOBILIZAÇĀO FINANCEIRA

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Criamos a Excelência

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Criamos a Excelência APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Criamos a Excelência A EMPRESA A EMPRESA APRESENTAÇÃO A GAVIPAR nasce em 2005, desenvolvendo a sua atividade no ramo imobiliário. Em 2016, a GAVIPAR inicia a diversificação das

Leia mais

Mozambique : business opportunities highlight

Mozambique : business opportunities highlight OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO E DE INVESTIMENTO EM MOÇAMBIQUE Bem vindo(a) à décima edição da Business Opportunities Highlight - newsletter que tem como objectivo apresentar oportunidades de negócio e investimento

Leia mais

SEMANA DO BRASIL EM MOÇAMBIQUE. Missão Empresarial De 26 de novembro a 06 de dezembro

SEMANA DO BRASIL EM MOÇAMBIQUE. Missão Empresarial De 26 de novembro a 06 de dezembro SEMANA DO BRASIL EM MOÇAMBIQUE Missão Empresarial De 26 de novembro a 06 de dezembro ENTIDADES APOIADORAS Apresentar as oportunidades de negócios que Moçambique oferece. OBJETIVOS Auxiliar a entrada de

Leia mais