AS FADAS, DE CHARLES PERRAULT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS FADAS, DE CHARLES PERRAULT"

Transcrição

1 1 AS FADAS, DE CHARLES PERRAULT Kate Constantino Pinheiro de Andrade (FSLF) Rosana Batista Pereira (Pio X) CHARLES PERRAULT (Paris, 12 de janeiro de Paris, 16 de maio de 1703) Charles Perrault foi um escritor e poeta francês do século XVII que estabeleceu as bases para um novo gênero literário, o conto de fadas, além de ter sido o primeiro a dar importância acadêmica a esse tipo de literatura, feito que lhe conferiu o título de Pai da Literatura Infantil. Suas histórias mais conhecidas são Le Petit Chaperon rouge (Chapeuzinho Vermelho), La Belle au bois dormant (A Bela Adormecida), Le Maître chat ou le Chat botté (O Gato de Botas), Cendrillon ou la petite pantoufle de verre (Cinderella), La Barbe bleue (Barba Azul) e Le Petit Poucet (O Pequeno Polegar) publicadas em 1697 sob o título Histórias ou contos do tempo passado com moralidades, embora tenha ficado conhecido por seu subtítulo: Contos da mamãe gansa. A maioria de suas histórias ainda hoje são editadas, traduzidas e distribuídas em divervsos meios de comunicação, e adaptadas para várias formas de expressões, como o teatro, o cinema e a televisão, tanto em formato de animação como de ação viva. Além dos contos citados, muitos outros fazem parte desta obra como o conto Les Fées (As Fadas) sobre o qual faremos algumas observações. Este trabalho tem por objetivo demonstrar como os Contos de Fadas podem influenciar positivamente a iniciação no mundo da leitura nas crianças e que esta influencia pode e é direcionada pela mensagem passada a cada nova história que se descobre nas linhas mágicas dos contos.

2 2 Contos são histórias curtas.os contos de Fadas são uma variação dos contos populares( Fábulas). A palavra Fada vem do latim FATUM e significa Destino, Fatalidade, Fado. No Brasil, surgiu no final do sec.xix nomeados como Contos da Carochinha. As fadas são originárias do Folclore europeu ocidental. Elas podem ser mulheres belas, dotadas de poderes mágicos (como a Fada madrinha de Cinderela) ou igualmente belas, porém, diabólicas (como as bruxas). Os contos de Fadas nem sempre evidenciam a presença de uma fada (como em Chapeuzinho vermelho) mas vêem-se elementos sobrenaturais que mudam o rumo dos acontecimentos. Há perigos ou obstáculos a vencer (no final da história). As temáticas giram em torno da vaidade, gula, inveja, hipocrisia ou avareza. Em suas origens, os contos de Fadas não visavam às crianças nem objetivavam transmitir ensinamentos morais. A partir de Perrault esse quadro começa a mudar e se consolida com os contos dos irmãos Grimm (sec.xix, Alemanha). Os contos de Fadas são histórias que foram repetidas ao longo do tempo e através de civilizações, são de autoria coletiva e passados de geração em geração, naturalmente, foram sofrendo alterações em sua estrutura original. Barba Azul, por exemplo, é um conto do sec.xvii que, em sua versão escrita, sofreu modificações devido à idéia de cristianização de seu público. Em Cinderela, na versão de Charles Perrault, existe um modelo de protagonista feminina( passiva), que não existia na oralidade. O Final Feliz que conhecemos de Chapeuzinho Vermelho (A aparição providencial do Herói lenhador) não existia na versão original, contada por Perrault e outros contistas. Quanto mais os Contos de Fadas passaram a ser destinados à infância, mais moralizadores se apresentavam. O que se vê, de forma geral, é o enaltecimento de valores cavalheirescos e camponeses, além de uma disseminação da moral

3 3 condicionante de comportamentos que são esperados pelo contexto espaço-temporal da história. Os contos orais de tradição popular (fonte dos contos de Fadas) perpassam um discurso literário cujo objetivo (A moral da história) era manter certos costumes, práticas e valores da época e, dessa forma, as crianças adaptam-se ao modelo de comunidade no qual estão inseridas. Na época de Perrault, por exemplo, a sociedade exigia da mulher uma atitude diferente da que temos no sec. XXI. Daí a adaptação de vários contos de fadas e a criação de novos paradigmas (como Sherek, Deu a louca na Chapeuzinho, etc). Para as meninas, a futura jovem mulher deveria demonstrar modéstia, humildade, perspicácia e virgindade, pois dessa forma provaria seu valor. Já os meninos tinham como arquétipo de homem a figura do jovem mais ativo (que a Demoiselle), forte, corajoso, sagaz, leal e que, no final, salva a mocinha indefesa. A perspectiva da narrativa dos contos de fadas, em suas origens, mescla a concepção de mundo paysan com o humanismo da burguesia ascendente. Os contos de fadas são importantes, pois demonstram (em suas diferenciadas versões) como os valores sociais são influenciados pela literatura (e vice -versa) e, consequentemente, constituem fator crucial na educação de uma criança. Muitas delas, quando lêem ou escutam um conto de fadas enxergam-se nos modelos propostos, desejam um final semelhante ao narrativa ou simplesmente encantam-se com a magia do mundo da leitura e passam a se tornarem, elas mesmas, leitores assíduos com um mundo infinito a descobrir. Os contos de fadas, na Literatura infantil, podem ser decisivos para a formação da criança, de suas concepções do mundo que a cerca. O dualismo que separa as personagens em boas/más, belas/feias, fortes/fracas facilita para a criança a compreensão de valores que a sociedade admite e espera delas. A criança acaba se identificando, consequentemente, com o herói/heroína que é bom/boa, bonito(a) e justo(a).

4 4 A linguagem fácil e metafórica desse tipo de narrativa é compatível com a estrutura do pensamento dessa faixa etária. Outro benefício dos contos de fadas é a apropriação da linguagem escrita pelas crianças, o que, futuramente, permitirá melhores condições de aceitação social e autonomia (nas sociedades letradas deste século). É exatamente a mensagem que os contos de fadas transmitem à criança de forma múltipla: que uma luta contra dificuldades graves na vida é inevitável,é parte intrínseca da existência humana-mas que se a pessoa não se intimida mas se defronta de modo firme com as opressões inesperadas e muitas vezes injustas, ela dominará todos os obstáculos, e ao fim emergirá vitoriosa. (BETTELHEIM, 1991). Segunda ainda este autor, os contos de fadas baseiam-se em situações de estabilidade+problema+solução=estabilidade, que é justamente o esquema piagetiano da mente humana e, especificamente, da criança. Os contos, portanto, trabalhariam o psíquico infantil, resultando em equilíbrio e apresentando uma explicação do mundo que permitiria lidar com esses problemas (cuja solução já é prevista em um dado momento: O Felizes para Sempre ). AS FADAS CARACTERÍSTICAS Por se tratar de um conto de fadas, o seu núcleo é problemático em virtude de sua configuração existencial. Por conta disso, esse conto pode também ser estruturado como "uma jornada em quatro etapas, sendo cada etapa da jornada uma estação no caminho da autodescoberta" (Cashdan, 2000, p. 48). A primeira etapa pode ser definida como a TRAVESSIA na qual "leva o herói ou heroína a uma terra diferente, marcada por acontecimentos mágicos e criaturas

5 5 estranhas". No conto As fadas a travessia pode ser observada na passagem em que a heroina vai à fonte buscar água e lá encontra uma fada que lhe concede um dom: Entre outras coisas, a pobre criança precisava ir duas vezes por dia buscar água a uma boa meia-légua de casa, e trazer de lá uma bilha grande bem cheia. Certo dia, quando estava na fonte, chegou-se a ela uma pobre mulher rogando que lhe desse de beber. É claro, minha senhora, disse a linda moça; e, enxaguando imediatamente a bilha, apanhou água no melhor lugar da fonte e lhe ofereceu, sempre segurando a bilha para que bebesse mais facilmente. Depois de beber, a boa mulher lhe disse: Você é tão linda, tão boa e tão gentil que não posso deixar de lhe fazer um dom (pois era uma fada que tinha tomado a forma de uma pobre mulher de aldeia, para ver até onde iria a gentileza da jovem). Concedo-lhe o dom, prosseguiu a fada, de lhe sair da boca uma flor ou uma pedra preciosa a cada palavra que você disser. A segunda etapa é definida pelo ENCONTRO que é marcado "com uma presença diabólica uma madrasta malévola, um ogro assassino, um mago ameaçador ou outra figura com características de feiticeiro". Neste trecho, a presença diabólica pode ser representada tanto pela irmã da bela heroína como pela sua mãe que, além de maltratarem a bela moça, possuem uma má índole, observe: Quando a linda moça chegou em casa, sua mãe ralhou com ela por voltar tão tarde da fonte. Ai, Senhor, é que minha mãe me expulsou de casa. (Falando a fada à irmã da heroína): Você não é nada gentil, retrucou a fada (...). A terceira parte é a da CONQUISTA, no qual "o herói ou heroína mergulha numa luta de vida ou morte com a bruxa, que leva inevitavelmente à morte desta última". Neste conto não há uma luta explícita entre o bem (representado pela heroína) e o mal (representado pela mãe da heroína sua irmã). Há apenas o ataque do mal contra o bem, este se defende apenas fugindo das agressões: (Sobre a maldição concedida à irmã da heroína): Oh! Céus! Exclamou a mãe, que é isto? A culpa é da irmã,

6 6 ela vai me pagar; e em seguida correu para bater nela. A menina fugiu e foi se abrigar na floresta mais próxima. E a quarta e última parte é definida pela CELEBRAÇÃO na qual há geralmente "um casamento de gala ou uma reunião de família, em que a vitória sobre a bruxa é enaltecida e todos vivem felizes para sempre" como atesta o seguinte fragmento: O filho do rei, vendo sair de sua boca cinco ou seis pérolas, e outros tantos diamantes, pediu-lhe que dissesse de onde vinha aquilo. Ela lhe contou toda a sua aventura. O filho do rei apaixonou-se por ela, e considerando que um dom como aquele valia mais que tudo o que pudesse dar a outro casamento, levou-a para o palácio do rei, seu pai, onde a desposou. Quanto à sua irmã, se tornou tão odiosa que sua própria mãe a expulsou de casa; e a infeliz, depois de andar muito sem encontrar ninguém que a quisesse acolher, acabou morrendo só e desamparada. REFERÊNCIAS CASHDAN, Sheldon. Os 7 pecados capitais nos contos de fadas: como os contos de fadas influenciam nossas vidas. Rio de Janeiro:Campus, PERRAULT, Charles. Histoires ou contes du temps passés. La Bibliothèque Gallimard, France, Dictionnaire Encyclopédique Larousse BETTELHEIM, Bruno Psicanálise dos Contos de Fadas, Lisboa, Bertrand Editora, 1991.

OFICINA: O uso dos contos de fadas na aprendizagem. Luciana Bem Psicopedagoga e Arte-terapeuta lucianabem@gmail.com

OFICINA: O uso dos contos de fadas na aprendizagem. Luciana Bem Psicopedagoga e Arte-terapeuta lucianabem@gmail.com OFICINA: O uso dos contos de fadas na aprendizagem Luciana Bem Psicopedagoga e Arte-terapeuta lucianabem@gmail.com Literatura Infantil A literatura infantil contribui para o crescimento emocional,cognitivo

Leia mais

A influência do contexto social na obra Chapeuzinho Vermelho

A influência do contexto social na obra Chapeuzinho Vermelho A influência do contexto social na obra Chapeuzinho Vermelho Guilherme Argenta Souza Ceres Helena Ziegler Bevilaqua UFSM A obra Chapeuzinho Vermelho é um clássico da literatura universal, apreciada por

Leia mais

Circuito de Oficinas: Mediação de Leitura em Bibliotecas Públicas

Circuito de Oficinas: Mediação de Leitura em Bibliotecas Públicas Circuito de Oficinas: Mediação de Leitura em Bibliotecas Públicas outubro/novembro de 2012 Literatura na escola: os contos maravilhosos, contos populares e contos de fadas. Professora Marta Maria Pinto

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS CONTOS INFANTIS PARA EDUCAÇÃO

IMPORTÂNCIA DOS CONTOS INFANTIS PARA EDUCAÇÃO IMPORTÂNCIA DOS CONTOS INFANTIS PARA EDUCAÇÃO Magna Flora de Melo Almeida Ouriques 1 Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) mellomagna@gmail.com Co-Autor Renan de Oliveira Silva 2 rennanoliveira8@gmail.com

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: Responda a este teste e descubra se você conhece os personagens dos contos de fadas.

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: Responda a este teste e descubra se você conhece os personagens dos contos de fadas. 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: Responda a este teste e descubra se você conhece os personagens dos contos de fadas. 1) Do que são feitas as casas dos três porquinhos? a) Plástico, cimento e

Leia mais

ANÁLISE DO CONTO DE FADAS ENCANTADA

ANÁLISE DO CONTO DE FADAS ENCANTADA ANÁLISE DO CONTO DE FADAS ENCANTADA Andréa Nunes Ribeiro Marília Felix de Oliveira Lopes RESUMO: Este trabalho científico tem como objetivo analisar os contos de fadas e a conversão do in Magic para o

Leia mais

Fábula. Obs: A estrutura das fábulas segue a mesma explicada no gênero anterior Conto. Afinal fazem parte do mesmo tipo textual: Narrativa.

Fábula. Obs: A estrutura das fábulas segue a mesma explicada no gênero anterior Conto. Afinal fazem parte do mesmo tipo textual: Narrativa. 10 Fábula O que é: Trata-se de um gênero narrativo ficcional bastante popular. É uma história curta, vivida por animais e que termina com uma conclusão ético- moral. As fábulas eram narrativas orais, e

Leia mais

PORTUGUÊS IRIA 5ª E.F.

PORTUGUÊS IRIA 5ª E.F. PORTUGUÊS IRIA 5ª E.F. 1º (1,5) 01. Rasura, borrões, corretivos, serão considerados ERROS; 02. Respostas claras e com letra legível; 03. Respostas somente com caneta, PRETA ou AZUL. 04. Esta prova contém

Leia mais

CONTO LITERÁRIO: UM INCENTIVO À LEITURA RESUMO

CONTO LITERÁRIO: UM INCENTIVO À LEITURA RESUMO CONTO LITERÁRIO: UM INCENTIVO À LEITURA * Lúcia Helena dos Santos Mattos * Mônica Rejiane Bierhals * Renata Faria Amaro da Silva ** Adriana Lemes RESUMO Como estimular a leitura através do conto literário?

Leia mais

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

Contos de ensinamento da tradição oral

Contos de ensinamento da tradição oral Contos de ensinamento da tradição oral Os chamados contos de ensinamento, fazem parte da grande herança cultural formada pelos contos transmitidos oralmente, de geração para geração, ao longo de milênios.

Leia mais

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL.

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. Como sabemos o crescimento espiritual não acontece automaticamente, depende das escolhas certas e na cooperação com Deus no desenvolvimento

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Luís Norberto Pascoal

Luís Norberto Pascoal Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN 978-85-7694-131-6 9 788576 941316 Era uma vez um pássaro que

Leia mais

Conteúdos: Leitura e interpretação de texto Produção de texto.

Conteúdos: Leitura e interpretação de texto Produção de texto. Conteúdos: Leitura e interpretação de texto Produção de texto. Habilidades: Ler as entrelinhas, deduzir, criar e relacionar informações; Partilhar sentimentos e experiências através das produções textuais.

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

Toca a trocar as histórias de encantar

Toca a trocar as histórias de encantar Toca a trocar as histórias de encantar Autora: Teresa Adão Ilustrações: Manuela Câmara GUIÃO de LEITURA ORIENTADA Nome Ano Turma Antes de ler: Nome da obra Autor(a) Ilustração Editora Assim começa a história

Leia mais

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Bíblia para crianças apresenta AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Literatura e cinema: algumas reflexões sobre a produção voltada para o público infantil

Literatura e cinema: algumas reflexões sobre a produção voltada para o público infantil Literatura e cinema: algumas reflexões sobre a produção voltada para o público infantil Fábio Augusto Steyer Universidade Estadual de Ponta Grossa PR A atual produção cinematográfica voltada para o público

Leia mais

BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS. Onde tem bruxa tem fada

BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS. Onde tem bruxa tem fada Leitor iniciante Leitor em processo Leitor fluente BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS Onde tem bruxa tem fada ILUSTRAÇÕES: SUPPA PROJETO DE LEITURA Maria José Nóbrega Rosane Pamplona Onde tem bruxa tem fada BARTOLOMEU

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Bíblia para crianças apresenta O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: E. Frischbutter; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido

Leia mais

Projetos. Outubro 2012

Projetos. Outubro 2012 Projetos Outubro 2012 Assunto de gente grande para gente pequena. No mês de outubro os brasileiros foram às urnas para eleger prefeitos e vereadores e a Turma da Lagoa não poderia ficar fora deste grande

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Fernanda Maria Sousa Martins; Valdiêgo José Monteiro Tavares; Larissa Mabrine Dias da Silva; Professor

Leia mais

Avaliação Parcial de Rendimento em Leitura - 03

Avaliação Parcial de Rendimento em Leitura - 03 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO - SIAQUE ESCOLA: PROFESSOR: ALUNO: DATA / / PORTUGUÊS - 4ª SÉRIE / 5º ANO TURMA: TURNO: DATA: / / - Instruções gerais: - Este instrumento de verificação

Leia mais

Os Gêneros da Literatura Infantil

Os Gêneros da Literatura Infantil PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA Os Gêneros da Literatura Infantil Maria Zélia Versiani Machado Se, por não sei que excesso de socialismo ou de barbárie, todas as nossas disciplinas devessem

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI Bíblia para crianças apresenta O SÁBIO REI SALOMÃO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo:

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo: Honestidade Honestidade Esta é a qualidade de honesto. Ser digno de confiança, justo, decente, consciencioso, sério. Ser honesto significa ser honrado, ter um comportamento moralmente irrepreensível. Quando

Leia mais

HINÁRIO NOVA DIMENSÃO

HINÁRIO NOVA DIMENSÃO HINÁRIO NOVA DIMENSÃO Tema 2012: Flora Brasileira Rabo de Galo (Worsleya rayneri) Padrinho Alfredo Alfredo Gregório de Melo 1 www.hinarios.org 2 01 BRILHANTES PEDRAS FINAS Marcha - Valsa Ao pai eterno

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização:

Apoio: Patrocínio: Realização: 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 CINDERELA 3 CINDERELA Cinderela era uma moça muito bonita, boa, inteligente e triste. Os pais tinham morrido e ela morava num castelo. A dona do castelo era uma mulher

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

APRENDENDO PORTUGUÊS COM AS MÍDIAS. Competência Leitora na 5ª série

APRENDENDO PORTUGUÊS COM AS MÍDIAS. Competência Leitora na 5ª série APRENDENDO PORTUGUÊS COM AS MÍDIAS Competência Leitora na 5ª série O QUE É AVALIAÇÃO EM PROCESSO? Ação fundamentada no Currículo Oficial da SEE, que propõe acompanhamento coletivo e individualizado dos

Leia mais

Condições didáticas geradas para o desenvolvimento do Projeto

Condições didáticas geradas para o desenvolvimento do Projeto Condições didáticas geradas para o desenvolvimento do Projeto Propor a reflexão sobre o literário a partir de situações de leitura e essencialmente de escrita. Propor situações didáticas que favoreçam

Leia mais

ERA UMA VEZ: A INFLUÊNCIA DOS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA

ERA UMA VEZ: A INFLUÊNCIA DOS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA ERA UMA VEZ: A INFLUÊNCIA DOS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA Prof. Luana Leão Cury, Prof. Tiago Aquino da Costa e Silva, Prof. Kaoê Giro Ferraz Gonçalves FMU Faculdades Metropolitanas Unidas/SP Prof. Alipio

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

DURAÇÃO APROXIMADAMENTE 15 MESES

DURAÇÃO APROXIMADAMENTE 15 MESES GRUPO SANTA RITA INSCRIÇÕES ABERTAS! PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU CONTAÇÃO DE MENSALIDADE R e R$ MEC CURSOS AUTORIZADOS s o lu ç ã o C N E /C n ES 1, º. 7 129, /2 6 / 8 HISTÓRIAS música, dança,

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER

O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER ALVES, Ivanir da Costa¹ Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Iporá ¹acwania@gmail.com RESUMO A leitura é compreendida como uma ação que deve se

Leia mais

Projeto Conto de Fadas

Projeto Conto de Fadas Projeto Conto de Fadas 1. Título: Tudo ao contrário 2. Dados de identificação: Nome da Escola: Escola Municipal Santo Antônio Diretora: Ceriana Dall Mollin Tesch Coordenadora do Projeto: Mônica Sirtoli

Leia mais

As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional

As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional 1 Nasci no dia 4 de Novembro de 1967, na freguesia de Vila Boa do Bispo, Concelho de Marco de Canaveses,

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR Bíblia para crianças apresenta JACÓ O ENGANADOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: M Kerr; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido por: Bible for Children

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

Recomendação Inicial

Recomendação Inicial Recomendação Inicial Este estudo tem a ver com a primeira família da Terra, e que lições nós podemos tirar disto. Todos nós temos uma relação familiar, e todos pertencemos a uma família. E isto é o ponto

Leia mais

Tema: Quatro Pecados Contaminantes

Tema: Quatro Pecados Contaminantes Tema: Quatro Pecados Contaminantes Data: 01.11.14 Culto: Sábado Pr. Leandro Hoje o mundo está à mercê do vírus ebola que é um vírus extremamente contaminante, porém há algo mais contaminante que este vírus

Leia mais

Amar Dói. Livro De Poesia

Amar Dói. Livro De Poesia Amar Dói Livro De Poesia 1 Dedicatória Para a minha ex-professora de português, Lúcia. 2 Uma Carta Para Lúcia Querida professora, o tempo passou, mas meus sonhos não morreram. Você foi uma pessoa muito

Leia mais

PROJETO ERA UMA VEZ...

PROJETO ERA UMA VEZ... PROJETO ERA UMA VEZ... TEMA: Contos de Fada PÚBLICO ALVO: Alunos da Educação Infantil (Creche I à Pré II) JUSTIFICATIVA O subprojeto Letramento e Educação Infantil, implantado na EMEI Sementinha, trabalha

Leia mais

PROF. MARCO ANTONIO MENDONÇA

PROF. MARCO ANTONIO MENDONÇA PROF. MARCO ANTONIO MENDONÇA ATENÇÃO! ESCOLHA UMA DAS PROPOSTAS DE REDAÇÃO ABAIXO. APÓS PRODUZIR SEU T EXTO, VOCÊ IRÁ ENTREGAR UMA VERSÃO QUE SERÁ ENCAMINHADA À BANCA CORRETORA D O ALFA. Esta versão deve

Leia mais

CARTA DA TERRA PARA CRIANÇAS

CARTA DA TERRA PARA CRIANÇAS 1 CARTA DA TERRA A Carta da Terra é uma declaração de princípios fundamentais para a construção de uma sociedade que seja justa, sustentável e pacífica. Ela diz o que devemos fazer para cuidar do mundo:

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

Charles Perrault (1628-1703)

Charles Perrault (1628-1703) (1628-1703) Escritor e advogado francês, como funcionário do governo Luís XIV foi responsável pela escolha dos arquitetos que projetaram Versalhes e o Louvre. Ao registrar em livro os contos de sua infância,

Leia mais

CONTOS DE FADAS EM LIBRAS. Profª Me Luciana Andrade Rodrigues UNISEB

CONTOS DE FADAS EM LIBRAS. Profª Me Luciana Andrade Rodrigues UNISEB CONTOS DE FADAS EM LIBRAS Profª Me Luciana Andrade Rodrigues UNISEB CONTEÚDO - Contos de Fadas; - Fábulas; - Vídeos de contação de histórias; - Entrevista OBJETIVOS -Apresentar aos professores como é o

Leia mais

A jornada do herói. A Jornada do Herói

A jornada do herói. A Jornada do Herói A Jornada do Herói Artigo de Albert Paul Dahoui Joseph Campbell lançou um livro chamado O herói de mil faces. A primeira publicação foi em 1949, sendo o resultado de um longo e minucioso trabalho que Campbell

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PORTUGUÊS - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== BRINCADEIRA Começou

Leia mais

Contexto Espiritual.

Contexto Espiritual. Contexto Espiritual. Senisio Antonio 2 Contexto Espiritual Contexto Espiritual. 3 Senisio Antonio Projeto Força de Ler Senisio Antonio. 37980-000 Cássia MG Responsabilidade pela revisão: Maria Aparecida

Leia mais

Profª Me. Rafaela Beleboni Professora das Faculdades COC

Profª Me. Rafaela Beleboni Professora das Faculdades COC OFICINA Os clássicos e as diversas outras naturezas de obras literárias para Educação Infantil Profª Me. Rafaela Beleboni Professora das Faculdades COC ROTEIRO DA OFICINA Clássicos na literatura; Confecção

Leia mais

A Vida de Jacó. 1- Gálatas 6:7 Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá.

A Vida de Jacó. 1- Gálatas 6:7 Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. A Vida de Jacó 1- Gálatas 6:7 Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. 2- Gênesis 25:19-26 Esta é a história de Isaac, filho de Abraão. Isaac tinha quarenta

Leia mais

FRASES RITUALÍSTICAS REFLEXÃO DE NOITE ORDEM E PLENITUDE

FRASES RITUALÍSTICAS REFLEXÃO DE NOITE ORDEM E PLENITUDE FRASES RITUALÍSTICAS REFLEXÃO DE NOITE ORDEM E PLENITUDE A ordem é a maneira Em que o diferente funciona junto. Dali que a variedade e a plenitude são próprios. Intercambia, une os dispersos. E o reúne

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA

OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA Geane Apolinário Oliveira UEPB Geane-cg@hotmail.com Introdução O presente artigo tem por objetivo enfatizar

Leia mais

I. A decadência espiritual da sociedade - O Sal Se tor vers. 1-5

I. A decadência espiritual da sociedade - O Sal Se tor vers. 1-5 ESTUDO 09-6:1-13 A MANIFESTAÇÃO DA IRA E DA GRAÇA DE DEUS : Existem aspectos no Evangelho de Cristo que são extremamente duros, e ao mesmo tempo consoladores. Quando pensamos na seriedade do pecado diante

Leia mais

O leitor também narra sua história

O leitor também narra sua história The reader also narrate his story Rosa Amanda Strausz* Resumo: Experiência pessoal a descoberta de uma linguagem literária para crianças. A teoria de recepção e a possibilidade de construção de uma narrativa

Leia mais

AUTORES E ILUSTRADORES: GIOVANNA CHICARINO ROSA JOÃO VICTOR CAPUTO E SILVA

AUTORES E ILUSTRADORES: GIOVANNA CHICARINO ROSA JOÃO VICTOR CAPUTO E SILVA AUTORES E ILUSTRADORES: GIOVANNA CHICARINO ROSA JOÃO VICTOR CAPUTO E SILVA 1ºA - 2011 APRESENTAÇÃO AO LONGO DESTE SEMESTRE AS CRIANÇAS DO 1º ANO REALIZARAM EM DUPLA UM TRABALHO DE PRODUÇÃO DE TEXTOS A

Leia mais

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216 CHAPEUZINHO VERMELHO, DE CHARLES PERRAULT: UMA LEITURA PSICANALÍTICA

VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216 CHAPEUZINHO VERMELHO, DE CHARLES PERRAULT: UMA LEITURA PSICANALÍTICA CHAPEUZINHO VERMELHO, DE CHARLES PERRAULT: UMA LEITURA PSICANALÍTICA Aline Letícia Trindade Rosa Ana Victória Antunes Tamyres Rodrigues Zanforlin (G UENP/ campus Jac.) Penha Lucilda de Souza Silvestre

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1

O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1 Glauce Souza Santos 2 O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1 Resumo Esta resenha objetiva analisar a relação local/global e a construção da identidade nacional na obra Luanda Beira Bahia do escritor

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

Narrador Era uma vez um livro de contos de fadas que vivia na biblioteca de uma escola. Chamava-se Sésamo e o e o seu maior desejo era conseguir contar todas as suas histórias até ao fim, porque já ninguém

Leia mais

«Tesouro Escondido» Já sei que estás para chegar Espero por ti na ponta do cais O teu navio vem devagar A espera é longa demais

«Tesouro Escondido» Já sei que estás para chegar Espero por ti na ponta do cais O teu navio vem devagar A espera é longa demais Letras Álbum Amanhecer João da Ilha (2011) «Tesouro Escondido» Já sei que estás para chegar Espero por ti na ponta do cais O teu navio vem devagar A espera é longa demais Já sei que és buliçoso Trazes

Leia mais

IV PARTE FILOSOFIA DA

IV PARTE FILOSOFIA DA IV PARTE FILOSOFIA DA 119 P á g i n a O que é? Como surgiu? E qual o seu objetivo? É o que veremos ao longo desta narrativa sobre a abertura do trabalho. Irmos em busca das estrelas, no espaço exterior,

Leia mais

A Busca. Capítulo 01 Uma Saga Entre Muitas Sagas. Não é interessante como nas inúmeras sagas que nos são apresentadas. encontrar uma trama em comum?

A Busca. Capítulo 01 Uma Saga Entre Muitas Sagas. Não é interessante como nas inúmeras sagas que nos são apresentadas. encontrar uma trama em comum? A Busca Capítulo 01 Uma Saga Entre Muitas Sagas Não é interessante como nas inúmeras sagas que nos são apresentadas em livros e filmes podemos encontrar uma trama em comum? Alguém, no passado, deixouse

Leia mais

Prefácio... 9. A mulher do pai... 14. A mulher do pai faz parte da família?... 17. A mulher do pai é parente?... 29. Visita ou da casa?...

Prefácio... 9. A mulher do pai... 14. A mulher do pai faz parte da família?... 17. A mulher do pai é parente?... 29. Visita ou da casa?... Sumário Prefácio... 9 A mulher do pai... 14 A mulher do pai faz parte da família?... 17 A mulher do pai é parente?... 29 Visita ou da casa?... 37 A mulher do pai é madrasta?... 43 Relação civilizada?...

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Orientações para o professor da Intervenção Pedagógica

Orientações para o professor da Intervenção Pedagógica A CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ALFABÉTICO: AS CAPACIDADES NECESSÁRIAS PARA A ALFABETIZAÇÃO. Material organizado para o trabalho com a intervenção pedagógica Orientações para o professor da Intervenção Pedagógica

Leia mais

Entre 1940 a 1960, uma coleção de romances intitulada Biblioteca

Entre 1940 a 1960, uma coleção de romances intitulada Biblioteca I M A G E M N O B R A S I L COM A PALAVRA, AS IMAGENS! representações do feminino nas capas dos romances da Biblioteca das Moças (1940-1960) Maria Teresa Santos Cunha Entre 1940 a 1960, uma coleção de

Leia mais

Teatro O Santo e a Porca ( 1957)

Teatro O Santo e a Porca ( 1957) Modernismo Teatro O Santo e a Porca ( 1957) Biografia Ariano Suassuna (1927-2014) foi um escritor brasileiro. "O Auto da Compadecida", sua obra prima, foi adaptada para a televisão e para o cinema. Sua

Leia mais

Rica. Eu quero ser... Especial ???????? Luquet. Um guia para encontrar a rota da prosperidade. Apoio: por Mara. Elas&Lucros

Rica. Eu quero ser... Especial ???????? Luquet. Um guia para encontrar a rota da prosperidade. Apoio: por Mara. Elas&Lucros ???????? Apoio: Rica Eu quero ser... Um guia para encontrar a rota da prosperidade por Mara Luquet 81 Era uma vez... Era uma vez uma princesa, dessas que passeiam pelos campos e bosques e são muito bonitas

Leia mais

Lição 1 Como Amar os Inimigos

Lição 1 Como Amar os Inimigos Lição 1 Como Amar os Inimigos A. Como seus pais resolviam as brigas entres você e seus irmãos? B. Em sua opinião qual a diferença entre amar o inimigo e ser amigo do inimigo? PROPÓSITO: Aprender como e

Leia mais

A REDAÇÃO PARA O ENEM: COMO FAZER? Professora Maureen

A REDAÇÃO PARA O ENEM: COMO FAZER? Professora Maureen A REDAÇÃO PARA O ENEM: COMO FAZER? Professora Maureen José de Sousa Saramago foi um escritor, argumentista, teatrólogo, ensaísta, jornalista, dramaturgo, contista, romancista e poeta português. Foi galardoado

Leia mais

Cartas enviadas para a ZON

Cartas enviadas para a ZON Cartas enviadas para a ZON 1ª CARTA Bruno Cardoso Pimentel Macedo Praceta da Bela Vista nº8 4720-286 Carrazedo Amares ZON TV Cabo Portugal, S.A. Edifício ZON Rua Ator António Silva, 9 Campo Grande 1600-404

Leia mais

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons.

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons. Olá, você esta acessando um dos materiais vencedores no concurso InternÉtica 2011, realizado pela SaferNet Brasil e o Instituto Childhood Brasil. Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet

Leia mais

IGUALDADE NA DIFERENÇA Projeto interdisciplinar sobre inclusão social

IGUALDADE NA DIFERENÇA Projeto interdisciplinar sobre inclusão social IGUALDADE NA DIFERENÇA Projeto interdisciplinar sobre inclusão social A diversidade através dos tempos Obra: O corcunda de Notre-Dame Autor: Victor Hugo Adaptador: Jiro Takahashi Ilustrador: Jayme Leão

Leia mais

APÊNDICE A - Músicas

APÊNDICE A - Músicas APÊNDICE A - Músicas Músicas 1 GUT GUT SEM PARAR Adaptação ao meio líquido Bebeu a água da piscina toda Fui ver quem era, era o João Ele bebia a água da piscina Ele fazia gut gut gut gut gut sem parar

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

Tyll, o mestre das artes

Tyll, o mestre das artes Nome: Ensino: F undamental 5 o ano urma: T ata: D 10/8/09 Língua Por ortuguesa Tyll, o mestre das artes Tyll era um herói malandro que viajava pela antiga Alemanha inventando golpes para ganhar dinheiro

Leia mais

LITERATURA INFANTIL: TRABALHANDO O TEXTO E A IMAGEM NA SALA DE AULA DA EDUCAÇÃO INFANTIL

LITERATURA INFANTIL: TRABALHANDO O TEXTO E A IMAGEM NA SALA DE AULA DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 LITERATURA INFANTIL: TRABALHANDO O TEXTO E A IMAGEM NA SALA DE AULA DA EDUCAÇÃO INFANTIL Rosélia Maria de Sousa SANTOS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba José Ozildo dos SANTOS

Leia mais

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia O livro Vanderney Lopes da Gama 1 Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia enfurnado em seu apartamento moderno na zona sul do Rio de Janeiro em busca de criar ou

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

1948 É forçado a novo exílio, desta vez em Paris. 1949 É expulso da França e passa a morar na Checoeslováquia. 1951 Recebe em Moscovo o Prémio

1948 É forçado a novo exílio, desta vez em Paris. 1949 É expulso da França e passa a morar na Checoeslováquia. 1951 Recebe em Moscovo o Prémio B I B L I O T E C A Vida e Obra 1902 João Amado de Faria instala-se em Ilhéus, na zona do cacau, e casa, anos mais tarde, com a baiana Eulália Leal. 1912 Em 10 de Agosto nasce Jorge Amado. 1913 O «coronel»

Leia mais

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos.

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos. Contos Místicos 1 Contos luca mac doiss Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12 Prefácio A história: esta história foi contada por um velho pescador de Mongaguá conhecido como vô Erson. A origem:

Leia mais

MARK CARVALHO. Capítulo 1

MARK CARVALHO. Capítulo 1 MARK CARVALHO Capítulo 1 Mark era um menino com altura média, pele clara, pequenos olhos verdes, cabelos com a cor de avelãs. Um dia estava em casa vendo televisão, até que ouviu: Filho, venha aqui na

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

00.035.096/0001-23 242 - - - SP

00.035.096/0001-23 242 - - - SP PAGINA 1 O CARÁTER CRISTÃO 7. O CRISTÃO DEVE TER UMA FÉ OPERANTE (Hebreus 11.1-3) Um leitor menos avisado, ao ler o texto pode chegar à conclusão de que a fé cria coisas pelas quais esperamos. A fé não

Leia mais