Boletim Informativo nº 05/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Boletim Informativo nº 05/2015"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) Boletim Informativo nº 05/2015

2 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 2 ÍNDICE 1ª PARTE CONFORMIDADE CONTÁBIL Registro da Conformidade Contábil Maio/ ª PARTE INFORMAÇÕES SOBRE APROVAÇÃO DE TOMADA DE CONTAS Prestação de Contas Anual Tomada de Contas Especial ª PARTE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS Modificações de Rotinas de Trabalho... 4 a. Execução Orçamentária ) Msg SIAFI n 2015/ D Cont, de 11 MAIO ) Msg SIAFI n 2105/ SEF, de 11 MAIO b. Execução Financeira... 5 c. Execução Contábil ) Contas Contábeis ) Patrimônio a) Msg SIAFI n 2015/ , n 2015/ C Cont, de 6 MAIO b) Msg SIAFI n 2015/ D Cont, de 26 MAIO c) Msg SIAFI nº 2015/ D Cont, de 1º JUN ) Custos a) Msg SIAFI n 2015/ D Cont, de 12 MAIO d. Execução de Licitações e Contratos e. Pessoal f. Controle Interno Recomendações sobre Prazos Soluções de Consultas Atualização da Legislação, das Normas, dos Sistemas Corporativos e das Orientações para as UG a. Legislações e Atos Normativos b. Orientações c. Estágios e instruções realizadas ª PARTE ASSUNTOS GERAIS Você Sabia? Acórdãos do TCU Aniversário de UG

3 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 3 ANEXOS Anexo A - Comunicações dos órgãos de controle internos Anexo B - Requisições de pagamento complementar de militar da ativa (RPCMA) Anexo C - Remessa do processo de ajuste de contas de militar inativo e pensionista militar. 18 Anexo D - Adicional de habilitação Retificação Anexo E - Segurança das informações de material existentes nos bancos de dados locais de responsabilidade das OM SISCOFIS... 21

4 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 4 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg/2ª RM/1934) 1ª PARTE CONFORMIDADE CONTÁBIL 1. Registro da Conformidade Contábil MAIO/2015 Em cumprimento às disposições da Coordenação-Geral de Contabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional (CCONT/STN), que regulam os prazos, os procedimentos, as atribuições e as responsabilidades para a realização da conformidade contábil das Unidades Gestoras (UG) vinculadas, esta Inspetoria registrou, no SIAFI, a conformidade contábil para certificar os registros contábeis efetuados em função da entrada de dados no Sistema, no mês de Maio de 2015, de todas as UG, COM OCORRÊNCIAS: Qtde UG Código de Restrição Descrição FALTA/RESTRICAO CONFORM. REGISTROS DE GESTAO FALTA/ATRASO CUMPRIMENTO DE DILIGENCIA FALTA/EVOLUCAO INCOMPATIVEL DEP.AT.IMOBILIZ SALDOS ALONG/INDEVIDOS- DEMONST.DISPONIBILID. 2ª PARTE INFORMAÇÕES SOBRE APROVAÇÃO DE TOMADA DE CONTAS 1. Prestação de Contas Anual Nada a considerar. 2. Tomada de Contas Especial Nada a considerar. 3ª PARTE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS 1. Modificações de Rotinas de Trabalho a. Execução Orçamentária 1) Msg n 2015/ D Cont, de 11 MAIO 15 ASSUNTO: MSG NR 023-S/3- CONCESSÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS DO: SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE AO: SR CHEFE DE ICFEX RFR: PORTARIA NORMATIVA Nº 997-MD, DE 30 ABR 15.

5 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 5 1.MENSAGEM VERSANDO SOBRE NOVA SISTEMáTICA PARA CONCESSÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS EM CARÁTER EXCEPCIONAL. 2.EM RAZãO DO PRECONIZADO NO DOCUMENTO DA REFERêNCIA, INFORMO-VOS QUE, DORAVANTE, AS SOLICITAÇÕES DE SUPRIMENTO DE FUNDOS EM CARATER EXCEPCIONAL DEVERÃO SER ENCAMINHADAS DIRETAMENTE PARA ESTA DIRETORIA. BRASÍLIA-DF, 11 DE MAIO DE 2015 GILSON DE MOURA FREITAS CEL SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE 2) Msg n 2105/ SEF, de 11 MAIO 15 ASSUNTO: SUPRIMENTO DE FUNDOS DO SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS AOS SENHORES CHEFES DE ICFEX 1. INFORMO AOS SENHORES CHEFES DE ICFEX QUE FOI PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO Nº82,DE 04 MAIO 2015,A PORTARIA NORMATIVA Nº 997/MD, DE 30 DE ABRIL DE A SUPRACIDADA PORTARIA ALTEROU O ANEXO DA PORTARIA NORMATIVA Nº 2.039/MD, DE 14 DE AGOSTO DE 2014, ESPECIALMENTE NO QUE TANGE O ART.7º 4º "PODERÃO SER ABERTAS AS CONTAS BANCÁRIAS DESTINADAS À MOVIMENTAÇÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS PARA ATENDER ÀS PECULIARIDADES DOS COMANDOS DA MARINHA, DO EXÉRCITO E DA AERONÁUTICA, NOS TERMOS DO 2º DO ART.3º DO DECRETO Nº 6.370, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2008." 3. ISSO POSTO, A PARTIR DESTA DATA, FICA REVOGADO O DIEX Nº 134- ASSE2/SSEF/SEF-CIRCULAR DE 03 OUT BRASÍLIA-DF, 11 DE MAIO DE 2015 GEN DIV PAULO CESAR SOUZA DE MIRANDA SUBSECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS b. Execução Financeira Nada a considerar. c. Execução Contábil Nada a considerar. 1) Contas Contábeis Nada a considerar. 2) Patrimônio

6 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 6 a) Msg SIAFI n 2015/ , n 2015/ C Cont, de 6 MAIO 15 ASSUNTO: SITUAÇÕES CRIADAS RECENTEMENTE NO SISTEMA SIAFI-WEB PREZADO USUÁRIO, RELACIONAMOS ABAIXO AS RECENTES SITUAÇÕES CRIADAS NO SISTEMA SIAFI- WEB(CPR): LPA333 - BAIXA DE DOAÇÕES E SUBVENÇÕES CONDICIONAIS LPA334 - BAIXA DE ADIANTAMENTOS RECEBIDOS ENC031 - ENCARGO PATRONAIS SOBRE SERVIÇOS DE TERCEIROS COM APROPRIAÇÃO DE BENS MÓVEIS IMB069 - APROPRIAÇÃO DAS REQUISICOES DE BENS E MATERIAIS DO ALMOXARIFADO DE OBRAS C/C008 DIF090 - APROPRIAÇÃO DA AMORTIZAÇÃO DO ATIVO DIFERIDO DO EXERCÍCIO DIF091 - APROPRIAÇÃO DA AMORTIZAÇÃO DO ATIVO DIFERIDO EXERCÍCIO ANTERIOR DIF092 - APURAÇÃO DO VALOR CONTÁBIL LÍQUIDO DO ATIVO DIFERIDO PELA BAIXA DA AMORTIZAÇÃO DIF093 - APURAÇÃO DO VALOR CONTÁBIL LÍQUIDO DO ATIVO DIFERIDO P/ BAIXA DA AMORTIZAÇÃO C02 INT010 - APURAÇÃO DO VLR. CONT. LÍQUIDO DO BEM PELA BAIXA DA AMORTIZAÇÃO - SOFTWARES C002 INT011 - APURAÇÃO DO VLR. CONT. LÍQUIDO BENS PELA BAIXA DA AMORTIZAÇÃO - MARCAS C/C 002 DIF093 - APURAÇÃO DO VALOR CONTÁBIL LÍQUIDO DO ATIVO DIFERIDO P/ BAIXA DA AMORTIZAÇÃO C02 INT010 - APURAÇÃO DO VLR. CONT. LÍQUIDO DO BEM PELA BAIXA DA AMORTIZAÇÃO - SOFTWARES C002 INT011 - APURAÇÃO DO VLR. CONT. LÍQUIDO BENS PELA BAIXA DA AMORTIZAÇÃO - MARCAS C/C 002 INT012 - APURAÇÃO VLR. CONT. LÍQUIDO DE BENS PELA BAIXA DA AMORTIZAÇÃO - MARCAS C/C 008 INT013 - APURAÇÃO VLR. CONT. LÍQUIDO DE BENS PELA BX. AMORTIZAÇÃO - DIR. USO IMÓVEIS C02 ENC029 - ENCARGOS PATRONAIS SOBRE SERVIÇOS DE TERCEIROS COM APROPRIAÇÃO DE ESTOQUE IMB100 - APURAÇÃO DO VALOR CONTÁBIL LÍQUIDO DE BENFEITORIAS EM PROPRIEDADES DE TERCEIROS LPA335 - APROPRIAÇÃO PASSIVOS NÃO CIRCULANTES DE EXERCÍCIOS ANTERIORES (ISF P) - C/C 000 LPA336 - TRANSFERENCIA DO LONGO P/ O CURTO PRAZO DE PASSIVOS NÃO CIRCULANTES - C/C 000 IMB101 - REAVALIAÇÃO DE BENS MOVEIS A MENOR - CONTA CORRENTE 000 IMB102 - REAVALIAÇÃO DE BENS MOVEIS A MENOR - CONTA CORRENTE 002 IMB103 - REAVALIAÇÃO DE BENS MOVEIS A MENOR C/C DO EXERCÍCIO IMB104 - REAVALIAÇÃO DE BENS IMOVEIS A MENOR - CONTA CORRENTE 000 IMB105 - REAVALIAÇÃO DE BENS IMOVEIS A MENOR - CONTA CORRENTE 002 IMB106 - REAVALIAÇÃO DE BENS IMOVEIS A MENOR - CONTA CORRENTE 008 IMB107 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS MOVEIS CONTA CORRENTE 000 IMB108 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS MOVEIS CONTA CORRENTE 002 IMB109 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS MOVEIS CONTA CORRENTE 008

7 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 7 IMB110 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS IMOVEIS CONTA CORRENTE 000 IMB111 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS IMOVEIS CONTA CORRENTE 002 IMB112 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS IMÓVEIS CONTA CORRENTE 008 IMB093 - APROPRIAÇÃO DA DEPRECIAÇÃO TRANSFERIDA ENTRE UG PELA RECEBEDORA DO BEM IMB110 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS IMOVEIS - CONTA CORRENTE 000 IMB111 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS IMOVEIS CONTA CORRENTE 002 IMB112 - BAIXA DA RESERVA DE REAVALIAÇÃO DE BENS IMÓVEIS - CONTA CORRENTE 008 IMB093 - APROPRIAÇÃO DA DEPRECIAÇÃO TRANSFERIDA ENTRE UG PELA RECEBEDORA DO BEM DVL502 - DEVOLUÇÃO DE DESPESAS COM ENCARGOS PATRONAIS FGTS DSP980 - DESPESAS PREMIAÇÕES E ORDENS HONORÍFICAS - UG EXTERIOR - BANCOS LOCAIS EXTERIOR DSP981 - DESPESAS PREMIAÇÕES E ORDENS HONORÍFICAS-UG EXTERIOR - BANCOS OFICIAIS EXTERIOR ENE024 - ESTORNO - ENCARGO PATRONAIS SOBRE SERVIÇOS DE TERCEIROS INSS ENN024 - NORMAL - ENCARGO PATRONAIS SOBRE SERVIÇOS DE TERCEIROS -INSS DSE925 - ESTORNO - DESPESAS COM DEPÓSITOS PARA RECURSOS DSN925 - NORMAL - DESPESAS COM DEPÓSITOS PARA RECURSOS IMB096 - CONFIRMA O RECEBIMENTO DE IMPORTAÇÕES EM ANDAMENTO DO ATIVO IMOBILIZADO C/C007 DSE917 - ESTORNO - CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS (INSCRIÇÃO PI + BANCO) DSN917 - NORMAL - CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS (INSCRIÇÃO PI + BANCO) ENE015 - ESTORNO - ENCARGOS PATRONAIS COM PREV. COMPLEMENTAR DE REGIME PRÓPRIO - FUNPRESP ENN015 - NORMAL - ENCARGOS PATRONAIS COM PREV. COMPLEMENTAR DE REGIME PRÓPRIO - FUNPRESP DVL005 - DEVOLUÇÃO DE DESPESAS TRIBUTÁRIAS COM A UNIÃO, ESTADOS OU MUNICÍPIOS - OB/GRU DVL455 - DEVOLUÇÃO DE TRANSFERENCIA A ORGANISMOS INTERNACIONAIS - ANUIDADES - BCO OFICIAL DVL948 - DEVOLUÇÃO DE INDENIZAÇÕES RESTITUIÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA - BANCOS OFICIAIS DVL063 - DEVOLUÇÃO DE SERVIÇOS PESSOAS FÍSICAS - UG EXTERIOR- BANCOS OFICIAIS EXTERIOR DVL013 - DEVOLUÇÃO DE SERVIÇOS PESSOAS JURÍDICAS - UG EXTERIOR - BANCOS OFICIAIS DVL116 - DEVOL. DE MATERIAL CONSUMO IMEDIATO - UG EXTERIOR CONTA BANCÁRIA = DOMIC BANC DVL204 - DEVOLUÇÃO DE BENS MÓVEIS - UG DO EXTERIOR - CONTA BANCÁRIA BANCOS OFICIAIS DVL456 - DEVOLUÇÃO DE TRANSFERENCIA A ORGANISMOS INTERNACIONAIS - ANUIDADES - BANCO LOCAL DVL959 - DEVOLUÇÃO DE INDENIZAÇÕES RESTITUIÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA - BANCOS LOCAIS DVL054 - DEVOLUÇÃO DE SERVIÇOS PESSOAS FÍSICAS - UG EXTERIOR - CONTA BANCOS LOCAIS DVL004 - DEVOLUÇÃO DE SERVIÇOS PESSOAS JURÍDICAS - UG EXTERIOR - BANCOS LOCAIS

8 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 8 DVL134 - DEVOLUÇÃO DE MATERIAL CONSUMO IMEDIATO - UG EXTERIOR - CONTA BANCOS LOCAIS DVL203 EVOLUÇÃO DE BENS MÓVEIS - UG DO EXTERIOR - CONTA BANCOS LOCAIS IMB113 - BAIXA DE BENS IMÓVEIS PARA POSTERIOR INCORPORAÇÃO NO SPIUNET - C/C 008 DVL341 - DEVOLUÇÃO DE OUTRAS DESPESAS COM PESSOAL PENSIONISTA DVL345 - DEVOLUÇÃO DE DESPESA COM OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA FÍSICA DVL530 - DEVOLUÇÃO DE DESPESAS COM ENCARGOS PATRONAIS DE PSSS S/ VENC. DE PESSOAL CEDIDO ANE030 - ANULAÇÃO DE ENCARGOS PATRONAIS DE PSSS S/ VENC. DE PESSOAL CEDIDO A OUTRO ÓRGÃO DVL906 - DEVOLUÇÃO DE CONCESSÃO DE EMPRESTIMOS/FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO CRD162 - APROPRIAÇÃO DE DEPOSITO EM GARANTIA CAUÇÕES - CURTO PRAZO DEC /79 CRD163 - APROPRIAÇÃO DE DEPÓSITOS EM GARANTIA CAUÇÕES - LONGO PRAZO DEC /79 CRD164 - BAIXA DE DEPÓSITOS EM GARANTIA CAUÇÕES - CURTO PRAZO DEC /79 CRD165 - BAIXA DE DEPOSITO EM GARANTIA CAUÇÕES - LONGO PRAZO DEC /79 DSE954 - ESTORNO - PAGAMENTO E BAIXA DE PRECATORIOS DE PESSOAL DSN954 - NORMAL - PAGAMENTO E BAIXA DE PRECATORIOS DE PESSOAL LPA945 - APROPRIAÇÃO DE DESPESAS DE JUROS E CORREÇÃO DE PLANO DE PREVIDÊNCIA INT014 - REAVALIAÇÃO DE BENS INTANGÍVEIS A MENOR - DO EXERCÍCIO IMB115 - DEVOL.BENS MOV. MEDIANTE CESSÃO, COMODATO E PERMISSÃO DE USO - FAVORECIDO NÃO UG PRV015 - BAIXA DE PROVISÕES C/C AJUSTE DE EXERCÍCIOS ANTERIORES DSE902 - ESTORNO - DESPESAS CORRENTES PARA AUXÍLIO A PESQUISADORES DSN902 - NORMAL - DESPESAS CORRENTES PARA AUXÍLIO A PESQUISADORES DSE903 - ESTORNO - DESPESAS DE CAPITAL PARA AUXÍLIO A PESQUISADORES DSN903 NORMAL - DESPESAS DE CAPITAL PARA AUXÍLIO A PESQUISADORES IMB116 AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DO IMOBILIZADO A MENOR - C/C 000; IMB117 - AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DO IMOBILIZADO A MENOR - C/C 002; IMB118 - AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DO IMOBILIZADO A MENOR - C/C 008; IMB119 - AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DO IMOBILIZADO A MAIOR - C/C 002; IMB120 - AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DO IMOBILIZADO A MAIOR - C/C 000 IMB121 - AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DO IMOBILIZADO A MAIOR - C/C 008 IMB122 - BAIXA DE DEPRECIAÇÃO DO IMOBILIZADO - AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL IMB123 - REGISTRO DE TRIBUTO DIFERIDO - AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DSE906 - ESTORNO - CONCESSÃO DE EMPRESTIMOS/FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO DSN906 - NORMAL - CONCESSÃO DE EMPRESTIMOS/FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO ADS205 - DESPESA A ANULAR COM AQUISIÇÃO DE IMÓVEIS, OBRAS E INSTALAÇÕES CRD174 - BX DE EMPRÉSTIMOS/FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS - AJUSTES DE EXERCICIOS ANTERIORES ATT. CCONT/STN

9 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 9 b) Msg SIAFI n 2015/ D Cont, de 26 MAIO 15 ASSUNTO: MATERIAIS DE CONSUMO DO: SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE AO: SRS CHEFES DAS ICFEX 1. VERSA A PRESENTE MENSAGEM SOBRE EXISTÊNCIA DE SALDO EM CONTAS ESPECÍFICAS DE MATERIAIS DE CONSUMO. 2. APÓS CONSULTA NO TESOURO GERENCIAL, ESTA DIRETORIA VERIFICOU A EXISTÊNCIA DE SALDO NAS SEGUINTES CONTAS CONTÁBEIS DE DIVERSAS UG: , , , , , E PELO EXPOSTO, AS ICFEX DEVERÃO ORIENTAR AS SUAS UG VINCULADAS PARA NÃO UTILIZAREM MAIS AS CONTAS CITADAS, DEVENDO TRANSFERIR OS SALDOS PORVENTURA EXISTENTES PARA A CONTA ( MATERIAIS DE CONSUMO), UTILIZANDO O SUBITEM CORRESPONDENTE, DE ACORDO COM O TIPO DE MATERIAL, ATÉ O DIA 05 JUN CASO ALGUMA UG PRECISE CONTINUAR UTILIZANDO ALGUMA DAS CONTAS CITADAS NO ITEM 2, A MESMA DEVERÁ SOLICITAR À ICFEX AUTORIZAÇÃO PARA O USO, INFORMANDO OS MOTIVOS E AS JUSTIFICATIVAS PARA QUE ESSA SETORIAL CONTÁBIL ANALISE O CASO, ENCAMINHANDO O PARECER PARA A D CONT, PARA FINS DE APROVAÇÃO. 5. DE FORMA SEMELHANTE, A ICFEX, NA REALIZAÇÃO DOS SEUS TRABALHOS DE CONTROLE E ANÁLISE CONTÁBIL QUE VERIFICAR A NECESSIDADE DE PERMANÊNCIA DE UTILIZAÇÃO DE ALGUMA DESSAS CONTAS POR PARTE DE SUAS UG VINCULADAS, TAMBÉM DEVERÁ ENCAMINHAR O PLEITO À D CONT, COM AS DEVIDAS JUSTIFICATIVAS, PARA QUE O CASO SEJA ANALISADO. 6. POR FIM, DÚVIDAS SOBRE O ASSUNTO PODERÃO SER SANADAS COM O CAP VAGNER OU CAP HELTON ATRAVÉS DOS TELEFONES / RITEX: (61) OU 3222 / OU BRASÍLIA-DF, 26 DE MAIO DE GILSON DE MOURA FREITAS CEL SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE c) Msg SIAFI nº 2015/ D Cont, de 1º JUN 15 ASSUNTO: CRIAÇÃO DA SITUAÇÃO ETQ063 MOVIMENTAÇÃO DE ESTOQUES MAT CONSU DO SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE AOS SRS CHEFES DE ICFEX REF: MSG SIAFI 2015/ , DE 21 MAI 15, DA CCONT / STN 1. VERSA A PRESENTE MENSAGEM SOBRE CRIAÇÃO DA "SITUAÇÃO" ETQ063 (MOVIMENTAÇÃO DE ESTOQUES DE MATERIAIS DE CONSUMO) DO SIAFI PELA CCONT/STN.

10 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página A REFERIDA "SITUAÇÃO" VISA CONTABILIZAR A MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSUMO NAS ROTINAS DE ADIANTAMENTO, NAS QUAIS O MATERIAL É ADQUIRIDO E CONSUMIDO SEM TRANSITAR PELO ESTOQUE. 3. VISANDO A UM MELHOR CONTROLE PATRIMONIAL E DE CUSTOS, AS ICFEX DEVERÃO ORIENTAR AS SUAS UG VINCULADAS PARA NÃO UTILIZAREM A REFERIDA "SITUAÇÃO". 4. POR FIM, ESTA DIRETORIA ENCONTRA-SE À DISPOSIÇÃO PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS SOBRE O ASSUNTO NOS TELEFONES / RITEX: (61) OU 3222 / OU 3222, FALAR COM O CAP VAGNER OU CAP HELTON. 3) Custos BRASÍLIA, 29 DE MAIO DE GILSON DE MOURA FREITAS - CEL SUBDIRETOR DE CONTABILIDADE a) Msg SIAFI nº 2015/ D Cont, de 12 MAIO 15 ASSUNTO: REATIVAÇÃO DO SISCUSTOS DO DIRETOR DE CONTABILIDADE AO SR ORDENADOR DE DESPESAS 1. TRATA O PRESENTE EXPEDIENTE SOBRE A REATIVAÇÃO DO SISTEMA GERENCIAL DE CUSTOS (SISCUSTOS). 2. A DIRETORIA DE CONTABILIDADE (D CONT), APÓS GRANDE ESFORÇO PARA ATUALIZAÇÃO DO NOVO PLANO DE CONTAS E CORREÇÃO DE ALGUNS PROBLEMAS OCORRIDOS NA MIGRAÇÃO ANUAL DO SISCUSTOS, INFORMA A TODOS OS AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO ENVOLVIDOS COM O PROCESSO DE GESTÃO DE CUSTOS QUE O SISTEMA ESTÁ LIBERADO PARA QUE SEJAM REALIZADAS AS ATUALIZAÇÕES NECESSáRIAS (CADASTRO DE PESSOAL, TELEFONE, POTÊNCIA ELÉTRICA). 3. PARA QUE AS INFORMAÇÕES DO ANO VIGENTE, ATÉ O MÊS DE ABRIL/2015, SEJAM PROCESSADAS PELO SISCUSTOS, SERÁ NECESSÁRIO QUE CADA OM FAÇA ESSAS ATUALIZAÇÕES ATÉ O DIA 21 MAIO 15. NO DIA SEGUINTE (22 MAIO 15), O SISTEMA SERÁ BLOQUEADO PARA INÍCIO DO PROCESSO DE RATEIO. 4. ESTA DIRETORIA ORIENTA QUE AS UNIDADES CONTINUEM REALIZANDO CORRETAMENTE AS LIQUIDAÇÕES DOS SERVIÇOS NO SIAFI, UTILIZANDO DEVIDAMENTE OS CÓDIGOS DE RATEIO DE INSUMOS E OS CÓDIGOS DOS CENTROS DE CUSTOS (CC) CONFORME SELEÇÃO DO GERENTE DE CUSTOS. DEVEM TAMBÉM CONTINUAR A MOVIMENTAÇÃO POR CC DE TODO MATERIAL PELO SISCOFIS, INCLUSIVE O MATERIAL DE USO IMEDIATO, NÃO ESQUECENDO DA OBRIGATORIEDADE DE REMESSA DOS ESTOQUES DO "TIPO SOMENTE CONTÁBIL" ENTRE OS DIAS 06 E 09 DE CADA MÊS, CONFORME ORIENTADO PELO DIEX NR 348-GPG5.1/GPG5/GPG-CIRCULAR, DE 5 NOV A D CONT ORIENTA AINDA QUE, CASO SEJA CONSTATADA ALGUMA DIVERGêNCIA NO SISCUSTOS E A OM NÃO CONSIGA RESOLVER, DEVERÁ A MESMA ENTRAR EM CONTATO COM A SEÇÃO DE CUSTOS DESTA DIRETORIA PELO ENDEREÇO ELETRÔNICO OU PELOS TELEFONES (61) / (RITEX RAMAL).

11 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 11 d. Execução de Licitações e Contratos Nada a considerar. e. Pessoal Nada a considerar. f. Controle Interno Nada a considerar. 2. Recomendações sobre Prazos Nada a considerar. 3. Soluções de Consultas Nada a Considerar. BRASÍLIA, 12 DE MAIO DE GEN DIV EXPEDITO ALVES DE LIMA DIRETOR DE CONTABILIDADE 4. Atualização da Legislação, das Normas, dos Sistemas Corporativos e das Orientações para as UG a. Legislações e Atos Normativos Nada a Considerar. b. Orientações Nada a Considerar. c. Estágios e Instruções realizadas Nada a Considerar. 4ª PARTE ASSUNTOS GERAIS 1. Você Sabia? - Que conforme o 1º do art. 85 do Decreto nº , de 12 JAN 1990 (RAE), os motivos gerais para a descarga de material são: inservibilidade para o fim a que se destina (não sendo susceptível de reparação ou recuperação), perda ou extravio, furto ou roubo e outros motivos (transferências, recolhimentos,...)?

12 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 12 - Que os artigos de alto custo, os altamente técnicos, os que apresentam periculosidade no manuseio, os escassos no mercado interno ou externo (material crítico) e os que exigem medidas especiais para sua obtenção, produção, industrialização e comércio (material estratégico), terão sua distribuição controlada pelo Órgão Gestor responsável pelo suprimento? - Que a descarga dos artigos classificados como controlados ficará sujeita à autorização dos escalões superiores, segundo normas baixadas pelos Órgãos Gestores respectivos, devendo a homologação dessa descarga ser procedida pela RM de vinculação, de acordo com as instruções dos Órgãos Gestores a que estiver vinculado o material? - De posse da solicitação de descarga, feita pelo detentor direto da carga, o Agente Diretor determinará as seguintes providências nos seguintes casos: a. inservibilidade: 1) descarga (o material deverá preencher as três condições simultaneamente): - for de tempo de duração indeterminado ou tiver atingido o tempo mínimo de duração previsto; - for de valor atual inferior a 5 (cinco) MVR (Maior Valor de Referência), ou outro índice que venha a substituí-lo (atualmente R$ 200,00); e - não for controlado. 2) nomeação de Comissão de Exame e Averiguação (quando ocorrer qualquer uma das condições abaixo): - não tiver atingido o tempo mínimo de duração; - for de valor atual superior a 5 (cinco) MVR, ou outro índice que venha a substituílo (atualmente R$ 200,00); ou - for controlado. 3) abertura de sindicância, sempre que houver indício de incúria ou imprevidência; 4) instauração de Inquérito Policial Militar (IPM), sempre que houver indício de crime. b. perda ou extravio: 1) descarga (quando se tratar de material que preencha as três condições abaixo, simultaneamente) e tenha sido indicado, em parte circunstanciada do detentor direto, o responsável pelo ressarcimento do prejuízo ou a existência de causa que justifique sua imputação a União: - for de tempo de duração indeterminado ou tiver atingido o tempo mínimo de duração previsto; - for de valor atual inferior a 5 (cinco) MVR (Maior Valor de Referência), ou outro índice que venha a substituí-lo (atualmente R$ 200,00); e - não for controlado. 2) abertura de sindicância, quando não estiver caracterizada a responsabilidade pelo ressarcimento do prejuízo. c. furto ou roubo:

13 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 13 1) instauração de IPM. d. outros motivos (material excedente, obsoleto, etc.): 1) descarga do material, após autorização ou determinação do escalão para: - recolhimento ao Órgão Provedor; - transferência para nivelamento de estoque; - alienação, na forma das instruções vigentes. - Que nos casos em que, de acordo com as normas dos respectivos Órgãos Provedores, for instaurado Inquérito Técnico, fica dispensada a abertura de sindicância? 2. Acórdãos do TCU - Assunto: PREGÃO ELETRÔNICO. DOU de , S. 1, p. 55. Ementa: o TCU deu ciência à Coordenação Regional do Amapá e Norte do Pará da FUNAI de que a recusa de intenção de recurso, após análise liminar de mérito, contraria o art. 26, caput, do Decreto nº 5.450/2005 e o Acórdão nº 339/2010-P, segundo os quais cabe ao pregoeiro, nessa fase, proceder apenas ao juízo de admissibilidade da intenção de recurso manifestada pelo licitante, buscando verificar, tão somente, a presença dos pressupostos recursais, ou seja, sucumbência, tempestividade, legitimidade, interesse e motivação (item 1.7, TC /2015-0, Acórdão nº 274/2015-Plenário). - Assunto: MICROEMPRESA. DOU de , S. 1, p Ementa: recomendação à Coordenação-Geral de Recursos Logísticos do Ministério das Cidades para que, havendo dúvidas sobre o enquadramento de licitante na condição de microempresa ou de empresa de pequeno porte, segundo os parâmetros estabelecidos no art. 3º da Lei Complementar nº 123/2006, além de realizar as pesquisas pertinentes nos sistemas de pagamento da administração pública federal, solicite da licitante a apresentação dos documentos contábeis aptos a demonstrar a correção e veracidade de sua declaração de qualificar-se como microempresa ou empresa de pequeno porte, para fins de usufruir dos benefícios da referida lei complementar (item 9.3, TC /2014-7, Acórdão nº 504/2015-Plenário). 3. Aniversário de UG Esta Chefia e demais integrantes da 2ª ICFEx cumprimentam e formulam votos de felicidades aos integrantes da UG relacionada, cujo aniversário transcorrerá no mês de Junho de 2015: UNIDADE GESTORA DATA Cmdo 12ª Bda Inf L 18 de junho 5ª CSM 21 de junho MARCO AURÉLIO LANZETTI AYRES JUNIOR TC

14 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 14 Anexo A

15 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 15

16 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 16 Anexo B

17 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 17

18 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 18 Anexo C

19 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 19 Anexo D

20 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 20

21 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 21 Anexo E

22 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 22

23 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 23

24 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 24

25 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 25

26 2ª ICFEx Continuação do Boletim Informativo nº 05/2015 Página 26

BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 09 (SETEMBRO/ 2014) FALE

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013)

BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ 2013) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 12 (DEZEMBRO/ ) FALE COM

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 11 NOVEMBRO / 2012 FALE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) Página Internet: http://11icfex.eb.mil.br/ Página Intranet:

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS BOLETIM INFORMATIVO N 02 (Fevereiro 2013) FALE COM A ina Internet: www.5icfex.eb.mil.br Telefones: Fixo Fax 0 xx 41 3323 23 56

Leia mais

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO PORTARIA Nº 2, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013 O AUDITOR-CHEFE DA AUDITORIA INTERNA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO, no uso de suas atribuições, e tendo em vista a competência que lhe foi atribuída pelo inciso

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012. (21) 2519 5766 / 2519 5053 RITEx 810 5766 / 810 5053. FALE COM A 1ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUTUBRO / 2012 FALE

Leia mais

Cartilha para a Contabilização de Danos ao Erário

Cartilha para a Contabilização de Danos ao Erário MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 5ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (5ª ICFEx / 1982) Cartilha para a Contabilização de Danos ao Erário Separata

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) FALE COM A 2ª ICFEx MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg 2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 03 (MARÇO/ 2013) Correio

Leia mais

LANÇAMENTOS PATRIMONIAIS (PA) NOVO SIAFI

LANÇAMENTOS PATRIMONIAIS (PA) NOVO SIAFI LANÇAMENTOS PATRIMONIAIS (PA) NOVO SIAFI V3 MAIO 2015 Table of contents Controle de Versões... 4 Unidades Gestoras vinculadas à 2ª ICFEx... 6 Introdução... 7 Acessando o Sistema... 8 Material de Consumo...

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO

CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO CADERNO DE QUESTÕES DO FISCAL ADMINISTRATIVO QUESTÕES PARA O FISCAL ADMINISTRATIVO 1. O Sr está planejando realizar a manutenção preventiva das viaturas administrativas de sua OM. Para qual órgão deverá

Leia mais

CONTROLE PATRIMONIAL

CONTROLE PATRIMONIAL CONTROLE PATRIMONIAL SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE A CONTABILIZAÇÃO PATRIMONIAL... 4 2. BENS PERMANENTES... 5 2.1. Inclusão no patrimônio... 5 2.1.1. Inclusão em carga de material...

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (11ª ICFEx/1982) BOLETIM INFORMATIVO Nº 05 (MAIO / 2014) FALE COM A 11ª

Leia mais

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais,

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012 Dispõe sobre procedimentos e prazos relativos ao encerramento do exercício de 2012 e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições

Leia mais

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos

Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO - DECEx ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ADMINISTRATIVO - APA Processos de Despesas de Exercícios Anteriores Prazo de arquivamento e destruição de documentos 1)

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005

BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT / 2005 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) 1ª ICFEx / 20 BOLETIM INFORMATIVO Nº 10 OUT

Leia mais

Adamantina, 16 de novembro de 2011. Prezado cliente:

Adamantina, 16 de novembro de 2011. Prezado cliente: Adamantina, 16 de novembro de 2011. Prezado cliente: Assunto: Procedimentos contábeis, administrativos e patrimoniais para o fechamento das contas do exercício de 2011 e abertura das contas de 2012. Dentro

Leia mais

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011

COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 COLETÂNEA DE MSG SIAFI/ SIASG CITADAS NO B INFO Nº 02/2011 Mensagem: 2011/0478560 Emissora 160509 SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANCAS-GESTOR de 09/03/11 as 08:41 por WILLIAMS CARVALHO PESSOA Pag. 01/02 Assunto:

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx

BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009. FALE COM A 1ª ICFEx IC MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg / 1ª RM 1934) BOLETIM INFORMATIVO Nº 07 JULHO / 2009 FALE

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC.

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC. 1 ANEXO III - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 MODELOS E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS SÃO AS EXTRAÍDAS DOS LIVROS, REGISTROS E

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS BOLETIM INFORMATIVO N 1 (Janeiro 2015) FALE COM A Página na Internet: www.5icfex.eb.mil.br Telefones: S/1 SATT -0xx 41-3304 6336

Leia mais

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (8ª ICFEx / 1992) BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 (FEV / 2008) FALE COM A 8ª

Leia mais

SEÇÃO DE CONTABILIDADE S/3 PATRIMÔNIO - ORIENTAÇÕES

SEÇÃO DE CONTABILIDADE S/3 PATRIMÔNIO - ORIENTAÇÕES MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DO EXÉRCITO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 1ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO SEÇÃO DE CONTABILIDADE S/3 PATRIMÔNIO - ORIENTAÇÕES Considerando a relevância

Leia mais

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS [Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Qname siconfi-dca-anexo1abhi : BalancoPatrimonialAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoLineItems siconfi-cor :

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS PORTARIA Nº 36-SEF, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014. EB: 64689.017297/2014-47 Aprova o Calendário para o Encerramento do Exercício Financeiro

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 4 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE A CONTABILIZAÇÃO PATRIMONIAL... 4 2. MATERIAL PERMANENTE...

APRESENTAÇÃO... 4 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE A CONTABILIZAÇÃO PATRIMONIAL... 4 2. MATERIAL PERMANENTE... SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE A CONTABILIZAÇÃO PATRIMONIAL... 4 2. MATERIAL PERMANENTE... 5 2.1. Inclusão no patrimônio... 5 2.1.1. Inclusão em carga de bem móvel (IMB060)...

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104.

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104. ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Caixa e Equivalentes de Caixa - Bancos Conta Movimento - Demais Contas Rede Bancária - Arrecadação Aplicações Financeiras de Liquidez Imediata - Intra OFSS Recursos Liberados

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação. I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05

SUMÁRIO. Apresentação. I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05 SUMÁRIO Apresentação I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05 SEPARATA DO BOLETIM DE SERVIÇO Nº 17 ANO XXIV Setembro - 2011 APRESENTAÇÃO Esta Separata do Boletim de Serviço destina-se

Leia mais

SEÇÃO DE CUSTOS APRESENTAR AS PECULIARIDADES DO SISTEMA GERENCIAL DE CUSTOS DO EXÉRCITO BRASILEIRO (SISCUSTOS).

SEÇÃO DE CUSTOS APRESENTAR AS PECULIARIDADES DO SISTEMA GERENCIAL DE CUSTOS DO EXÉRCITO BRASILEIRO (SISCUSTOS). CEBW BRASÍLIA SEÇÃO DE CUSTOS APRESENTAR AS PECULIARIDADES DO SISTEMA GERENCIAL DE CUSTOS DO EXÉRCITO BRASILEIRO (SISCUSTOS). DIRETORIA DE CONTABILIDADE SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. ESTRUTURA DO EXÉRCITO BRASILEIRO

Leia mais

PCASP UNIÃO LANÇAMENTOS CONTÁBEIS

PCASP UNIÃO LANÇAMENTOS CONTÁBEIS PCASP UNIÃO LANÇAMENTOS CONTÁBEIS Data de Emissão: 28 de agosto de 2012 Coordenador Geral de Contabilidade e Custos da União Francisco Wayne Moreira Coordenadora de Contabilidade da União Bárbara Verônica

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre os prazos e procedimentos para apresentação do processo de Contas Anual das Superintendências Regionais e suas unidades jurisdicionadas.

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO

MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO 2011 MANUAL DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS E ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO 06 - MÓDULO DANOS AO ERÁRIO Secretaria de Economia e Finanças Diretoria de Gestão Orçamentária MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 (1ª FASE)

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL/2012 (1ª FASE) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 8ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO 8ª ICFEX (1982) ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO E A ORGANIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO N.º 02

BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO (Sv Fundos Reg/2ª RM/1934) BOLETIM INFORMATIVO N.º 02 (MAR / 2006) FALE

Leia mais

Anexo A MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS Nº 999/20XX

Anexo A MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS Nº 999/20XX Anexo A MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO RELATÓRIO DO TOMADOR DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DFA COLÉGIO MILITAR DE SANTA MARIA TOMADA DE CONTAS ANUAL DE 2005 RELATÓRIO DE GESTÃO 2005

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DFA COLÉGIO MILITAR DE SANTA MARIA TOMADA DE CONTAS ANUAL DE 2005 RELATÓRIO DE GESTÃO 2005 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEP DFA COLÉGIO MILITAR DE SANTA MARIA TOMADA DE CONTAS ANUAL DE 2005 1. APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DE GESTÃO 2005 1.1 Sigla: CMSM 1.2 Unidade Gestora:

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa 17

Leia mais

Manual de Orientações ao Portador

Manual de Orientações ao Portador Cartão de Pagamento do Governo Federal CPFG Manual de Orientações ao Portador PARA USO INTERNO Revisado pela equipe da Divisão de Contabilidade e Finanças/DCF Mossoró-RN, Fevereiro de 2010. CARTÃO DE PAGAMENTOS

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001 de 03 de julho de 2012. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO Regulamenta os procedimentos para movimentação física dos bens patrimoniais,

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 58.764.189,56 169.901.510,67 169.746.419,72 58.919.280,51 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 469.845,67 62.841.447,38 62.796.662,79 514.630,26 1.1.1.00.00-9

Leia mais

DECRETO EXECUTIVO N 022/13, de 24 de maio de 2013.

DECRETO EXECUTIVO N 022/13, de 24 de maio de 2013. DECRETO EXECUTIVO N 022/13, de 24 de maio de 2013. Altera o Decreto nº 016/2012, que instituiu o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO CRC-DF DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO Domingos Poubel de Castro Brasília/DF, 18 de Maio de 2012 NECESSIDADES PERMANENTES DO GESTOR INFORMAÇÕES CONTROLE Cenário Externo 0800 570 0800

Leia mais

Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003

Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003 Portaria nº 008 -SEF, de 23 de Dezembro de 2003 Aprova as Normas para a Apuração de Irregularidades Administrativas. O SECRETÁRIO DE ECONOMIA E FINANÇAS, de acordo com o que prescreve o art. 117 das Instruções

Leia mais

I - DA CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL

I - DA CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÃO NORMATIVA n o 04, de 30 de agosto de 2004. Dispõe sobre a consolidação das instruções para movimentação e aplicação dos recursos financeiros da Conta Única do Tesouro Nacional, a abertura e manutenção

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 11º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 1 Professor João Eudes Bezerra

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS DO SUL DECRETO Nº 1.700

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS DO SUL DECRETO Nº 1.700 DECRETO Nº 1.700 700/20 2012. Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64

VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64 VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64 Apresentação Este volume compõe o Balanço Geral do Estado do exercício financeiro 2010. Nele são apresentados os anexos exigidos na LEI 4.320/64. LUIZ MARCOS DE LIMA SUPERINTENDENTE

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nr 11/01

BOLETIM INFORMATIVO Nr 11/01 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO São Paulo, SP, 30 de novembro de 2001 BOLETIM INFORMATIVO Nr 11/01 1ª PARTE

Leia mais

CONTROLES DE PATRIMÔNIO, ALMOXARIFADO E TRANSPORTE

CONTROLES DE PATRIMÔNIO, ALMOXARIFADO E TRANSPORTE CONTROLES DE PATRIMÔNIO, ALMOXARIFADO E TRANSPORTE PATRIMÔNIO CONCEITO: Compreende o conjunto de bens, direitos e obrigações avaliáveis em moeda corrente, das entidades que compõem a Administração Pública.

Leia mais

CONTABILIZAR BENS MATERIAIS E PATRIMONIAIS DO TJERJ 1 OBJETIVO

CONTABILIZAR BENS MATERIAIS E PATRIMONIAIS DO TJERJ 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe da Divisão de Classificação Contábil (DICLA) Analisado por: Diretor do Departamento Contábil (DECON) Aprovado por: Diretora-Geral da Diretoria-Geral de Planejamento, Coordenação e

Leia mais

Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda Plano de Contas 1 /44. Apresentação

Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda Plano de Contas 1 /44. Apresentação Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda Plano de Contas 1 /44 Apresentação Este Plano de Contas tem o propósito de atender, de maneira uniforme e sistematizada, ao registro contábil dos atos e

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO AMAPA Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Abril / 2013. Pág. : 1.

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO AMAPA Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Abril / 2013. Pág. : 1. ATIVO Pág. : 1 1 ATIVO 1.267.635,99 199.024,16 243.515,58 1.223.144,57 D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 407.941,54 177.708,38 222.564,32 363.085,60 D 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 119.056,37 76.325,59 56.861,51

Leia mais

5 Análise do Balanço Patrimonial

5 Análise do Balanço Patrimonial 5 Análise do Balanço Patrimonial Essa análise tem por finalidade confrontar os dados e valores que constituem o Balanço Patrimonial correspondente ao exercício de 2002, com os do mesmo período de 2001,

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO LESTE 1ª REGIÃO MILITAR (4º Distrito Militar 1891) REGIÃO MARECHAL HERMES DA FONSECA

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO LESTE 1ª REGIÃO MILITAR (4º Distrito Militar 1891) REGIÃO MARECHAL HERMES DA FONSECA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO LESTE 1ª REGIÃO MILITAR (4º Distrito Militar 1891) REGIÃO MARECHAL HERMES DA FONSECA ORIENTAÇÕES PARA A INSPEÇÃO ANUAL DE FARDAMENTO DO EXÉRCITO

Leia mais

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ PÁGINA: 1 BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO - 2005 ANEXO 14 ATIVO ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL 450.323.096,72 CAIXA 47.294,31 BANCOS CONTA MOVIMENTO 210.194.091,20

Leia mais

ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público

ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público SISTEMA INTEGRADO DE CONTROLE E AUDITORIA PÚBLICA - SICAP/CONTÁBIL ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público Portaria Conjunta STN/SOF nº 02/2012 Portaria STN nº 437/2012

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO - 2014 a 2017 PLANO ANUAL DE AUDITORIA - 2015 COORDENADORIA DE AUDITORIA - CAUDI INTRODUÇÃO Submete-se à consideração a alteração do Plano de Auditoria de Longo Prazo

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.137/08 Aprova a NBC T 16.10 Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidades do Setor Público. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e

Leia mais

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior Página 1 de 5 CIRCULANTE 3.458.065,56 1.875.217,00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

TREINAMENTO NOVO SUBSISTEMA CONTAS A PAGAR E A RECEBER (CPR)

TREINAMENTO NOVO SUBSISTEMA CONTAS A PAGAR E A RECEBER (CPR) MINISTÉRIO DA DEFESA ORDEM DE INSTRUÇÃO n 006 S/1 TREINAMENTO NOVO SUBSISTEMA CONTAS A PAGAR E A RECEBER (CPR) Belém-PA, 14 dez 11 1. FINALIDADE Regular as atividades relativas ao TREINAMENTO DO NOVO SUBSISTEMA

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE IGREJINHA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE IGREJINHA DECRETO N.º 3.543, DE 28 DE MARÇO DE 2012. Institui o Execução das Atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor

Leia mais

MARCELO OLÍMPIO CARNEIRO TAVARES

MARCELO OLÍMPIO CARNEIRO TAVARES D E C L A R A Ç Ã O O Secretário da Fazenda, no uso das suas atribuições e consoante o disposto no artigo 42, 1º, incisos I e IV, da Constituição do Estado do Tocantins, DECLARA para fins de cumprimento

Leia mais

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA

ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA SISTEMA ORÇAMENTÁRIO 1 - RECEITAS 1.1 - Orçamento da Receita 1.2 - Receita Prevista 1.3 - Execução Orçamentária da Receita ROTEIRO DE AUDITORIA DE CONTABILIDADE PÚBLICA I - Verificar se os registros das

Leia mais

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA ANEXO II VARIAÇÕES PATRIMONIAIS AUMENTATIVAS QDCC_Sistn A planilha abaixo ilustra a aplicação da metodologia simplificada descrita no item 10 da Nota Técnica nº 4/2015/CCONF/SUCON/STN/MFDF ao Plano de

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP Novas Demonstrações Contábeis do Setor Público DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SETOR PÚBLICO Englobam todos os fatos contábeis e atos que interessam

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE JANGADA

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE JANGADA PORTARIA Nº. 006/2014 Dispõe sobre a nomeação de comissão especial de inventário físico, contábil e baixa do patrimônio público no âmbito da Câmara Municipal de Jangada MT. O Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL Página 1 de 3 CIRCULANTE 17.957.906,23 13.781.064,25 CIRCULANTE 2.918.670,71 3.459.718,41 Caixa e Equivalentes de Caixa 11.326.508,18 CRÉDITOS A CURTO PRAZO Clientes Crédito Tributário a Receber Dívida

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO PAULISTA SECRETARIA DE FINANÇAS

PREFEITURA MUNICIPAL DO PAULISTA SECRETARIA DE FINANÇAS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ESPECÍFICOS - PARTE III DO MCASP Registro de Procedimentos Contábeis Específicos - FUNDEB Transferências de Recursos e Despe- Contabilização do FUNDEB sas do FUNDEB contabilizados

Leia mais

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 Balanço Financeiro Período: 01/01/2012 a 31/12/2012 INGRESSOS DISPÊNDIOS ESPECIFICAÇÃO Exercício Anterior

Leia mais

Este Plano de Contas será atualizado pela Gerência de Normas da Diretoria da Contabilidade Pública Genor/Dicop.

Este Plano de Contas será atualizado pela Gerência de Normas da Diretoria da Contabilidade Pública Genor/Dicop. Governo do Estado da Bahia Secretaria da Fazenda P l a n o d e C o n t a s 1 /3 Apresentação Este Plano de Contas tem o propósito de atender, de maneira uniforme e sistematizada, ao registro contábil dos

Leia mais

Classificação por Categoria Econômica

Classificação por Categoria Econômica Classificação por Categoria Econômica 1. Classificação A classificação por categoria econômica é importante para o conhecimento do impacto das ações de governo na conjuntura econômica do país. Ela possibilita

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO GERÊNCIA DE AUDITORIA TOMADA DE CONTAS ANUAL SIMPLIFICADA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 9/2006/GEAUD/CISET/MD TIPO DE AUDITORIA : AVALIAÇÃO DE GESTÃO EXERCÍCIO

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU Alterações em relação aos arquivos publicados em 10/11/2014: Item alterado/incluído Evento 1.9 Evento 2.20.8 Evento 2.72.13 Motivo Obs: Os créditos relativos à Dívida Ativa podem ser registrados somente

Leia mais

CARTILHA DE LANÇAMENTOS PATRIMONIAIS NO SIAFI WEB

CARTILHA DE LANÇAMENTOS PATRIMONIAIS NO SIAFI WEB CARTILHA DE LANÇAMENTOS PATRIMONIAIS NO SIAFI WEB 2015 ORIENTAR, FISCALIZAR E CONTROLAR 2015 1 Lista de Siglas SIAFI Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal 1a ICFEx 1ª Inspetoria

Leia mais

ENCERRAMENTO DE MANDATO. Heraldo da Costa Reis Professor da ENSUR/IBAM e do Departamento de Contabilidade da UFRJ.

ENCERRAMENTO DE MANDATO. Heraldo da Costa Reis Professor da ENSUR/IBAM e do Departamento de Contabilidade da UFRJ. ENCERRAMENTO DE MANDATO Professor da ENSUR/IBAM e do Departamento de Contabilidade da UFRJ. No ano em curso de 2008, dois fatos ocuparão as nossas atenções: O encerramento dos mandatos dos atuais prefeitos,

Leia mais

Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas

Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas 1 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de orientar e informar de forma direta sobre

Leia mais

TCE-TCE Auditoria Governamental

TCE-TCE Auditoria Governamental TCE-TCE Auditoria Governamental Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Considere as informações extraídas do Balanço Orçamentário, referentes ao exercício financeiro de 2014, de uma entidade pública:

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 2ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO São Paulo, SP, 30 de junho de 2.000 BOLETIM INFORMATIVO Nº 06 1ª PARTE -

Leia mais

PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS, PAGAMENTO DE PESSOAL E EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS

PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS, PAGAMENTO DE PESSOAL E EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS 11ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO PRINCIPAIS IMPROPRIEDADES ENCONTRADAS NOS PROCESSOS DE GERAÇÃO DE DIREITOS,

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS Índice Item CONTETO 1 6 ALCANCE 7 8 RECONHECIMENTO 9 10 REGISTROS CONTÁBEIS 11 22 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 23 25 CONTAS DE

Leia mais

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO LIVRAMENTO SECRETARIA DA FAZENDA BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 Receita Despesa ORÇAMENTÁRIA (1) ORÇAMENTÁRIA (5) Receitas Orçamentárias Despesas

Leia mais

Município de Carmo do Paranaíba CNPJ: 18.602.029/0001-09

Município de Carmo do Paranaíba CNPJ: 18.602.029/0001-09 DECRETO MUNICIPAL N.º 3.427, DE 27 DE JUNHO DE 2012 Define o cronograma de ações para implantação da Contabilidade Aplicada ao Setor Público no Município de Carmo do Paranaíba O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Demonstrativo das Variações Patrimoniais

Demonstrativo das Variações Patrimoniais RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 28.393.390.678,55 RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 28.527.468.836,27 RECEITAS 13.532.898.028,40 ORÇAMENTÁRIA 13.532.898.028,40 DESPESA ORÇAMENTARIA 10.266.008.652,65

Leia mais

DECRETO LEGISLATIVO Nº 002/2012

DECRETO LEGISLATIVO Nº 002/2012 DECRETO LEGISLATIVO Nº 002/ Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE ORIENTAÇÕES RECEBIDAS DO FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE,

Leia mais

Prof. Msc.: Vitor Maciel dos Santos

Prof. Msc.: Vitor Maciel dos Santos Prof. Msc.: Vitor Maciel dos Santos Orientações Estratégicas para a Contabilidade Aplicada ao Setor Público no Brasil Aspectos práticos da CASP e a importância da estruturação setorial PREMISSAS Orientações

Leia mais

ROTINAS E PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS DA UNIÃO PARTE V ESTOQUES E IMOBILIZADO

ROTINAS E PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS DA UNIÃO PARTE V ESTOQUES E IMOBILIZADO ROTINAS E PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS DA UNIÃO PARTE V ESTOQUES E IMOBILIZADO Versão: 25/08/2014 MINISTRO DE ESTADO DA FAZENDA Guido Mantega SECRETÁRIO-EXECUTIVO Paulo Rogério Caffarelli SECRETÁRIO DO TESOURO

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU Alterações em relação ao arquivos publicados em 03/06/2014: Item alterado/incluído Motivo Regras de consolidação. b.8 Numeração errada. Regras de consistência, b Exclui-se as consignações do passivo financeiro

Leia mais

Conselho Federal de Contabilidade

Conselho Federal de Contabilidade Processo CFC n.º 2015/000011 INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 10/2015 Assunto: Orientação para encerramento do Exercício de 2014, elaboração do processo de Prestação de Contas do Sistema CFC/CRCs e alteração

Leia mais

RECEITA. Despesas Correntes, sob forma: Tributária Patrimonial Industrial Recursos financeiros Outras. Tributo: Definição: Receita derivada,

RECEITA. Despesas Correntes, sob forma: Tributária Patrimonial Industrial Recursos financeiros Outras. Tributo: Definição: Receita derivada, RECEITA Definição : receita recebida de pessoa de direito público Definição: Receita recebida de pessoas de direito público ou privado, ou privado, para atender despesas classificáveis em para atender

Leia mais

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova Conteúdo 1 Questões Propostas... 1 2 Comentários e Gabarito... 1 2.1 Questão 41 Depreciação/Amortização/Exaustão/Impairment... 1 2.2 Questão 42 fatos contábeis e regime de competência x caixa... 2 2.3

Leia mais