Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior"

Transcrição

1 Página 1 de 5 CIRCULANTE , ,00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA , ,87 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL , ,87 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA ESTRANGEIRA 0,00 0,00 CRÉDITOS A CURTO PRAZO , ,98 CLIENTES 0,00 0,00 CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS A RECEBER (38.993,50) ,15 DÍVIDA ATIVA TRIBUTÁRIA , ,83 DÍVIDA ATIVA NÃO TRIBUTÁRIA - CLIENTES 0,00 0,00 CRÉDITOS DE TRANSFERÊNCIAS A RECEBER 0,00 0,00 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS 0,00 0,00 (-) AJUSTE DE PERDAS DE CRÉDITOS A CURTO DEMAIS CRÉDITOS E VALORES A CURTO PRAZO , ,65 ADIANTAMENTOS CONCEDIDOS A PESSOAL E A TERCEIROS 0,00 0,00 TRIBUTOS A RECUPERAR / COMPENSAR , ,16 CRÉDITOS A RECEBER POR DESCENTRALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS 0,00 0,00 CRÉDITOS POR DANOS AO PATRIMÔNIO 0,00 0,00 DEPÓSITOS RESTITUÍVEIS E VALORES VINCULADOS , ,46 DÍVIDA ATIVA NÃO TRIBUTÁRIA - DEMAIS CRÉDITOS 4.683, ,29 OUTROS CRÉDITOS A RECEBER E VALORES A CURTO PRAZO , ,74 (-) AJUSTE DE PERDAS DE DEMAIS CRÉDITOS E VALORES A CURTO INVESTIMENTOS E APLICAÇÕES TEMPORÁRIAS A CURTO TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 0,00 0,00 APLICAÇÃO TEMPORÁRIA EM METAIS PRECIOSOS 0,00 0,00 (-) AJUSTE DE PERDAS DE INVESTIMENTOS E APLICAÇÕES TEMPORÁRIAS 0,00 0,00 ESTOQUES , ,50 MERCADORIAS PARA REVENDA 0,00 0,00 PRODUTOS E SERVIÇOS ACABADOS 0,00 0,00 PRODUTOS E SERVIÇOS EM ELABORAÇÃO 0,00 0,00 MATÉRIAS-PRIMAS 0,00 0,00 MATERIAIS EM TRÂNSITO 0,00 0,00 ALMOXARIFADO , ,50 ADIANTAMENTOS A FORNECEDORES 0,00 0,00 OUTROS ESTOQUES 0,00 0,00 (-) AJUSTE PARA PERDAS DE ESTOQUES 0,00 0,00 VARIAÇÕES PATRIMONIAIS DIMINUTIVAS PAGAS ANTECIPADAMENTE 0,00 0,00 PRÊMIOS DE SEGUROS A APROPRIAR 0,00 0,00 VPD FINANCEIRAS A APROPRIAR 0,00 0,00 ASSINATURAS E ANUIDADES A APROPRIAR 0,00 0,00 ALUGUEIS PAGOS A APROPRIAR 0,00 0,00 TRIBUTOS PAGOS A APROPRIAR 0,00 0,00 CIRCULANTE ,19 0,00 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS, PREVIDENCIÁRIAS E ASSISTENCIAIS A PAGAR A CURTO PRAZO ,56 0,00 PESSOAL A PAGAR 5.532,06 0,00 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS A PAGAR 0,00 0,00 BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS A PAGAR 0,00 0,00 ENCARGOS SOCIAIS A PAGAR 9.221,50 0,00 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS A CURTO EMPRÉSTIMOS A CURTO PRAZO - INTERNO 0,00 0,00 EMPRÉSTIMOS A CURTO PRAZO - FINANCIAMENTOS A CURTO PRAZO - INTERNO 0,00 0,00 FINANCIAMENTOS A CURTO PRAZO - EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS A CURTO PRAZO - INTERNO 0,00 0,00 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS A CURTO - INTERNO 0,00 0,00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR A CURTO PRAZO ,76 0,00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PRAZO ,76 0,00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR ESTRANGEIROS A CURTO OBRIGAÇÕES FISCAIS A CURTO OBRIGAÇÕES FISCAIS A CURTO PRAZO COM A UNIÃO 0,00 0,00 OBRIGAÇÕES FISCAIS A CURTO PRAZO COM OS ESTADOS 0,00 0,00 OBRIGAÇÕES FISCAIS A CURTO PRAZO COM OS MUNICÍPIOS 0,00 0,00 OBRIGAÇÕES DE REPARTIÇÃO A OUTROS ENTES ,62 0,00 PROVISÕES A CURTO PROVISÃO PARA RISCOS TRABALHISTAS A CURTO PROVISÕES PARA RISCOS FISCAIS A CURTO PROVISÃO PARA RISCOS CÍVEIS A CURTO PROVISÃO PARA REPARTIÇÃO DE CRÉDITOS A CURTO PROVISÃO PARA RISCOS DECORRENTES DE CONTRATOS DE PPP A CURTO OUTRAS PROVISÕES A CURTO DEMAIS OBRIGAÇÕES A CURTO PRAZO 1.009,25 0,00 ADIANTAMENTOS DE CLIENTES 0,00 0,00 OBRIGAÇÕES POR DANOS A TERCEIROS 0,00 0,00 ARRENDAMENTO OPERACIONAL A PAGAR 0,00 0,00 DEBÊNTURES E OUTROS TÍTULOS DE DÍVIDA A CURTO DIVIDENDOS A PAGAR 0,00 0,00 VALORES RESTITUÍVEIS 1.009,25 0,00 OUTRAS OBRIGAÇÕES A CURTO NÃO-CIRCULANTE , ,54 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS, PREVIDÊNCIÁRIAS E ASSISTÊNCIAIS A PAGAR A LONGO PRAZO , ,28 PESSOAL A PAGAR , ,74

2 Página 2 de 5 CONTRIBUIÇÕES CONFEDERATIVAS A APROPRIAR 0,00 0,00 BENEFÍCIOS A PESSOAL A APROPRIAR 0,00 0,00 DEMAIS VPD A APROPRIAR 0,00 0,00 NÃO-CIRCULANTE , ,17 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO , ,06 CRÉDITOS A LONGO PRAZO , ,57 DEMAIS CRÉDITOS E VALORES A LONGO PRAZO 769,49 769,49 INVESTIMENTOS E APLICAÇÕES TEMPORÁRIAS A LONGO ESTOQUES 0,00 0,00 VARIAÇÕES PATRIMONIAIS DIMINUTIVAS PAGAS ANTECIPADAMENTE 0,00 0,00 INVESTIMENTOS , ,23 PARTICIPAÇÕES PERMANENTES 9.600,00 0,00 PROPRIEDADES PARA INVESTIMENTO 0,00 0,00 INVESTIMENTOS DO RPPS DE LONGO DEMAIS INVESTIMENTOS PERMANENTES 2.772, ,23 (-)DEPRECIAÇÃO ACUMULADA DE INVESTIMENTOS 0,00 0,00 INVESTIMENTOS 0,00 0,00 IMOBILIZADO , ,88 BENS MÓVEIS , ,98 BENS IMÓVEIS , ,90 (-) DEPRECIAÇÃO, EXAUSTÃO E AMORTIZAÇÃO ACUMULADAS 0,00 0,00 IMOBILIZADO 0,00 0,00 INTANGÍVEL 0,00 0,00 SOFTWARES 0,00 0,00 MARCAS, DIREITOS E PATENTES INDUSTRIAIS 0,00 0,00 DIREITO DE USO DE IMÓVEIS 0,00 0,00 (-) AMORTIZAÇÃO ACUMULADA 0,00 0,00 INTANGÍVEL 0,00 0,00 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS A PAGAR 0,00 0,00 BENEFÍCIOS ASSISTÊNCIAIS A PAGAR 0,00 0,00 ENCARGOS SOCIAIS A PAGAR , ,54 PRAZO , ,07 EMPRÉSTIMOS A LONGO PRAZO - INTERNO , ,07 EMPRÉSTIMOS A LONGO PRAZO - FINANCIAMENTO A LONGO PRAZO - INTERNO 0,00 0,00 FINANCIAMENTO A LONGO PRAZO - PRAZO - INTERNO 0,00 0,00 PRAZO - INTERNO 0,00 0,00 (-)ENCARGOS FINANCEIROS A APROPRIAR - FORNECEDORES A LONGO FORNECEDORES NACIONAIS A LONGO FORNECEDORES ESTRANGEIROS A LONGO OBRIGAÇÕES FISCAIS A LONGO PRAZO , ,19 OBRIGAÇÕES FISCAIS A LONGO PRAZO COM A UNIÃO , ,19 OBRIGAÇÕES FISCAIS A LONGO PRAZO COM OS ESTADOS 0,00 0,00 OBRIGAÇÕES FISCAIS A LONGO PRAZO COM OS MUNICÍPIOS 0,00 0,00 PROVISÕES A LONGO PROVISÃO PARA RISCOS TRABALHISTAS A LONGO PROVISÕES MATEMÁTICAS PREVIDENCIÁRIAS A LONGO PROVISÃO PARA RISCOS FISCAIS A LONGO PROVISÃO PARA RISCOS CIVEIS A LONGO PROVISÃO PARA REPARTICAO DE CRÉDITOS A LONGO PROVISÃO PARA RISCOS DECORRENTES DE CONTRATOS DE PPP A LONGO OUTRAS PROVISÕES A LONGO DEMAIS OBRIGAÇÕES A LONGO ADIANTAMENTOS DE CLIENTES A LONGO OBRIGAÇÕES POR DANOS A TERCEIROS A LONGO DEBÊNTURES E OUTROS TÍTULOS DE DÍVIDA A LONGO ADIANTAMENTO PARA FUTURO AUMENTO DE CAPITAL 0,00 0,00 OUTRAS OBRIGAÇÕES A LONGO RESULTADO DIFERIDO 0,00 0,00 VARIAÇÃO PATRIMONIAL AUMENTATIVA (VPA) DIFERIDA 0,00 0,00 (-) CUSTO DIFERIDO 0,00 0,00 TOTAL DO , ,54 PATRIMÔNIO SOCIAL E CAPITAL SOCIAL 0,00 0,00 PATRIMÔNIO SOCIAL 0,00 0,00

3 Página 3 de 5 CAPITAL SOCIAL REALIZADO 0,00 0,00 ADIANTAMENTO PARA FUTURO AUMENTO DE CAPITAL 0,00 0,00 RESERVAS DE CAPITAL 0,00 0,00 ÁGIO NA EMISSÃO DE AÇÕES 0,00 0,00 ALIENAÇÃO DE PARTES BENEFICIÁRIAS 0,00 0,00 ALIENAÇÃO DE BÔNUS DE SUBSCRIÇÃO 0,00 0,00 CORREÇÃO MONETÁRIA DO CAPITAL REALIZADO 0,00 0,00 OUTRAS RESERVAS DE CAPITAL 0,00 0,00 AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL 0,00 0,00 AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DE S 0,00 0,00 AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL DE S 0,00 0,00 RESERVAS DE LUCROS 0,00 0,00 RESERVA LEGAL 0,00 0,00 RESERVAS ESTATUTÁRIAS 0,00 0,00 RESERVA PARA CONTINGÊNCIAS 0,00 0,00 RESERVA DE INCENTIVOS FISCAIS 0,00 0,00 RESERVAS DE LUCROS PARA EXPANSÃO 0,00 0,00 RESERVA DE LUCROS A REALIZAR 0,00 0,00 RESERVA DE RETENÇÃO DE PRÊMIO NA EMISSÃO DE DEBÊNTURES 0,00 0,00 OUTRAS RESERVAS DE LUCRO 0,00 0,00 DEMAIS RESERVAS 0,00 0,00 RESERVA DE REAVALIAÇÃO 0,00 0,00 OUTRAS RESERVAS 0,00 0,00 (-) AÇÕES / COTAS EM TESOURARIA 0,00 0,00 (-) AÇÕES EM TESOURARIA 0,00 0,00 (-) COTAS EM TESOURARIA 0,00 0,00 RESULTADOS ACUMULADOS , ,63 SUPERÁVITS OU DÉFICITS ACUMULADOS , ,63 CONSOLIDAÇÃO , ,23 SUPERÁVITS OU DÉFICITS DO EXERCÍCIO ( ,30) ( ,30) ANTERIORES , ,33 AJUSTES DE EXERCÍCIOS ANTERIORES , ,20 EXTINÇÃO, INTRA OFSS ( ,64) ( ,64) SUPERÁVITS OU DÉFICITS DO EXERCÍCIO ( ,64) ( ,64) AJUSTES DE EXERCÍCIOS EXTINÇÃO, INTER OFSS - UNIÃO , ,99 SUPERÁVITS OU DÉFICITS DO EXERCÍCIO , ,99

4 Página 4 de 5 AJUSTES DE EXERCÍCIOS EXTINÇÃO, INTER OFSS - ESTADO , ,05 SUPERÁVITS OU DÉFICITS DO EXERCÍCIO , ,05 AJUSTES DE EXERCÍCIOS EXTINÇÃO, INTER OFSS - MUNICÍPIO 0,00 0,00 SUPERÁVITS OU DÉFICITS DO EXERCÍCIO 0,00 0,00 AJUSTES DE EXERCÍCIOS EXTINÇÃO, LUCROS E PREJUÍZOS ACUMULADOS 0,00 0,00 LUCROS E PREJUÍZOS ACUMULADOS - CONSOLIDAÇÃO 0,00 0,00 EXERCÍCIOS AJUSTES DE EXERCÍCIOS LUCROS E PREJUÍZOS ACUMULADOS - INTRA OFSS 0,00 0,00 EXERCÍCIOS AJUSTES DE EXERCÍCIOS OFSS - UNIÃO 0,00 0,00 EXERCÍCIOS AJUSTES DE EXERCÍCIOS OFSS - ESTADO 0,00 0,00 EXERCÍCIOS AJUSTES DE EXERCÍCIOS

5 Página 5 de 5 OFSS - MUNICÍPIO 0,00 0,00 EXERCÍCIOS AJUSTES DE EXERCÍCIOS APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO ,23 0,00 TOTAL DO , ,63 TOTAL , ,17 TOTAL , ,17 FINANCEIRO , ,49 FINANCEIRO , ,00 PERMANENTE , ,68 PERMANENTE , ,35 SALDO PATRIMONIAL , ,82 WOLNEI ANTONIO SAVARIS ITACIR BERLANDA Prefeito Municipal Contador. CRC

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS [Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Qname siconfi-dca-anexo1abhi : BalancoPatrimonialAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoLineItems siconfi-cor :

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL Página 1 de 3 CIRCULANTE 17.957.906,23 13.781.064,25 CIRCULANTE 2.918.670,71 3.459.718,41 Caixa e Equivalentes de Caixa 11.326.508,18 CRÉDITOS A CURTO PRAZO Clientes Crédito Tributário a Receber Dívida

Leia mais

Documento gerado em 27/04/2015 15:46:27 Página 1 de 42

Documento gerado em 27/04/2015 15:46:27 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 90.603.291,75 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 39.564.561,26 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104.

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104. ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Caixa e Equivalentes de Caixa - Bancos Conta Movimento - Demais Contas Rede Bancária - Arrecadação Aplicações Financeiras de Liquidez Imediata - Intra OFSS Recursos Liberados

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA IESP INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DA PARAÍBA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA DISCIPLINA: CONTABILIDADE E CONTROLADORIA

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

Índice do diário. GABINETE DA PREFEITA MUNICIPAL DE RIBEIRA DO AMPARO, em 16 de abril de 2014. TETIANA DE PAULA FONTES CEDRO BRITTO.

Índice do diário. GABINETE DA PREFEITA MUNICIPAL DE RIBEIRA DO AMPARO, em 16 de abril de 2014. TETIANA DE PAULA FONTES CEDRO BRITTO. Diário Oficial Ano: 2 Edição: 231 Páginas: 40 Atos Oficiais Decreto - Nº 0532/2014 Portaria - Nº 0054/2014 Contas Públicas Balanço Orçamentário - BALANÇO Índice do diário Atos Oficiais Decreto Nº 0532/2014

Leia mais

37.899.634,30 PASSIVO CIRCULANTE CRÉDITOS DE TRANSFERÊNCIAS A RECEBER EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTO CONCEDIDOS

37.899.634,30 PASSIVO CIRCULANTE CRÉDITOS DE TRANSFERÊNCIAS A RECEBER EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTO CONCEDIDOS MUNICÍPIO DE CALDAS NOVAS ESTADO DE GOIAS Balanço Financeiro Anexo 1 (Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público MCASP)Portaria STN nº 37/2012 5a edição BALANÇO GERAL DO EXERCICIO DE 201 PERÍODO(MÊS)

Leia mais

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO LIVRAMENTO SECRETARIA DA FAZENDA BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 Receita Despesa ORÇAMENTÁRIA (1) ORÇAMENTÁRIA (5) Receitas Orçamentárias Despesas

Leia mais

TCE-TCE Auditoria Governamental

TCE-TCE Auditoria Governamental TCE-TCE Auditoria Governamental Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Considere as informações extraídas do Balanço Orçamentário, referentes ao exercício financeiro de 2014, de uma entidade pública:

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - DEPARTAMENTO NACIONAL BALANÇO PATRIMONIAL ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 ESPECIFICAÇÃO 2014 2013

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - DEPARTAMENTO NACIONAL BALANÇO PATRIMONIAL ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Ativo Circulante 1.149.479.180,77 989.839.743,43 Passivo Circulante 317.274.300,38 283.051.918,44 Caixa e Equiv. Caixa Moeda Nacional 800.954.874,69 676.326.925,34 Obrig.

Leia mais

10.936.971,00 3.2.4.3.1.00.00 - Benefícios Eventuais por Situações de Vulnerabilidade Temporária - Consolidação

10.936.971,00 3.2.4.3.1.00.00 - Benefícios Eventuais por Situações de Vulnerabilidade Temporária - Consolidação PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE FINANÇAS GERÊNCIA GERAL DA CONTABILIDADE DO MUNICÍPIO DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS - CONSOLIDADO - 2013 Demonstrativo das Variações Patrimoniais e Resultado

Leia mais

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 Balanço Financeiro Período: 01/01/2012 a 31/12/2012 INGRESSOS DISPÊNDIOS ESPECIFICAÇÃO Exercício Anterior

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina Estrutura e Análise das Demonstrações Contábeis PROFESSOR : Salomão Dantas Soares TURMA 6º CCN AULA 02 Turno/Horário Noturno Apostila

Leia mais

Análise de Balanços. Flávia Moura

Análise de Balanços. Flávia Moura Análise de Balanços Flávia Moura 1 Tópicos para Reflexão O que é análise de balanços? A análise de balanços consiste em proceder a investigações dos fatos com base nos dados Para que serve a análise de

Leia mais

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328 Conta Descrição (em R$ mil) /0/0 //00 Ativo Total.6.77..98.0 Ativo Circulante.0.5.80.8.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 69.7 8.657.0.0.0 Bens Numerários.0 05.0.0.0 Depósitos Bancários.07.57.0.0.0 Aplicações

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

CÓDIGO DA CONTA CONTÁBIL NO PLANO ATUAL

CÓDIGO DA CONTA CONTÁBIL NO PLANO ATUAL Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - Administração Pública do Estado do Pará (Versão 1.2, 16/08/13) NOTA: Plano de Contas baseado no 'Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - Modelo IPC 00 (Março

Leia mais

10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo

10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo 10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo Plano de Contas Aplicado ao Setor Público CH: 1:20 h Conteúdo: 1. Aspectos gerais do Plano

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP Novas Demonstrações Contábeis do Setor Público DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SETOR PÚBLICO Englobam todos os fatos contábeis e atos que interessam

Leia mais

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC.

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC. 1 ANEXO III - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 MODELOS E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS SÃO AS EXTRAÍDAS DOS LIVROS, REGISTROS E

Leia mais

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA ANEXO II VARIAÇÕES PATRIMONIAIS AUMENTATIVAS QDCC_Sistn A planilha abaixo ilustra a aplicação da metodologia simplificada descrita no item 10 da Nota Técnica nº 4/2015/CCONF/SUCON/STN/MFDF ao Plano de

Leia mais

Análise Contábil do Relatório de

Análise Contábil do Relatório de Análise Contábil do Relatório de Controle Interno Gerência de Contabilidade Centralizada Diretoria de Contabilidade Geral Flávio van GEORGE Rocha Sir. Flávio van GEORGE Rocha Composição do Relatório: 1.

Leia mais

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ PÁGINA: 1 BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO - 2005 ANEXO 14 ATIVO ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL 450.323.096,72 CAIXA 47.294,31 BANCOS CONTA MOVIMENTO 210.194.091,20

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA s s 100000000000 ATIVO 939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 110000000000 ATIVO CIRCULANTE 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000000 CAIXA

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord TipoConta SuperiorGrau Nat 1 ATIVO 1 S 1 1 1.01 ATIVO

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO R$ CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 Disponibilidades 1.222.288,96 946.849,34 Mensalidades a receber 4.704.565,74 4.433.742,86 Endosso para terceiros 1.094.384,84

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Balanço Patrimonial. Art. 105. O Balanço Patrimonial demonstrará: I o Ativo Financeiro

Balanço Patrimonial. Art. 105. O Balanço Patrimonial demonstrará: I o Ativo Financeiro Segundo o MCASP, o é a demonstração contábil que evidencia, qualitativa e quantitativamente, a situação patrimonial da entidade pública, por meio de contas representativas do patrimônio público, além das

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Resumo de Contabilidade Geral

Resumo de Contabilidade Geral Ricardo J. Ferreira Resumo de Contabilidade Geral 4ª edição Conforme a Lei das S/A, normas internacionais e CPC Rio de Janeiro 2010 Copyright Editora Ferreira Ltda., 2008-2009 1. ed. 2008; 2. ed. 2008;

Leia mais

perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público

perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público QUEM ATUALIZOU AS DEMONSTRAÇÕES?

Leia mais

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova Conteúdo 1 Questões Propostas... 1 2 Comentários e Gabarito... 1 2.1 Questão 41 Depreciação/Amortização/Exaustão/Impairment... 1 2.2 Questão 42 fatos contábeis e regime de competência x caixa... 2 2.3

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007. Autor - Manoel Moraes Jr

DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007. Autor - Manoel Moraes Jr DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007 Autor - Manoel Moraes Jr OBJETIVOS DA DOAR Apresentar de forma ordenada e sumariada as informações relativas

Leia mais

Plano de Contas - Modelo

Plano de Contas - Modelo Plano de Contas - Modelo Ativo Passivo Contas De Compensação Passivas (CCP) Contas De Resultado Despesas Operacionais (DO) Provisão para o Imposto Sobre a Renda e Contribuição Social (PR) Participações

Leia mais

115610000000 ALMOXARIFADO - CONSOLIDAÇÃO 115810000000 OUTROS ESTOQUES - CONSOLIDAÇÃO

115610000000 ALMOXARIFADO - CONSOLIDAÇÃO 115810000000 OUTROS ESTOQUES - CONSOLIDAÇÃO 100000000000 ATIVO 329.083,39 911.970,67 872.747,07 368.306,99 110000000000 ATIVO CIRCULANTE 3.073,50 898.201,87 872.747,07 28.528,30 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000000 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

5 Análise do Balanço Patrimonial

5 Análise do Balanço Patrimonial 5 Análise do Balanço Patrimonial Essa análise tem por finalidade confrontar os dados e valores que constituem o Balanço Patrimonial correspondente ao exercício de 2002, com os do mesmo período de 2001,

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 11º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 1 Professor João Eudes Bezerra

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 04 Metodologia para Elaboração do Balanço Patrimonial

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA www.editoraferreira.com.br CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena 6.1. Balanço Patrimonial Desde o início de nosso curso, vimos tratando sobre Balanço Patrimonial apenas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014 Ficha 01 - Dados Iniciais CNPJ: Situação da Declaração: Normal

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO 200Y 200X ATIVO Contas ATIVO CIRCULANTE 12 Disponível 121 Realizável 122+123+124+125+126+127+128+129 Aplicações Financeiras 122 Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas 1221

Leia mais

ELETROBRÁS PARTICIPAÇÕES S/A - ELETROPAR BALANÇO EM 31 DE MARÇO 2009 E 2008 (Em milhares de Reais)

ELETROBRÁS PARTICIPAÇÕES S/A - ELETROPAR BALANÇO EM 31 DE MARÇO 2009 E 2008 (Em milhares de Reais) ATIVO ELETROBRÁS PARTICIPAÇÕES S/A - ELETROPAR CIRCULANTE Disponibilidades Aplicação Financeira 27.880 14.201 Caixa e Bancos 18 65 27.898 14.266 Contas a Receber Eletronet 59.145 59.145 Empresas Cedentes

Leia mais

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 EXERCÍCIOS EXTRAS 1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 S.DEVEDORES (APLICAÇÕES)............ S.CREDORES (ORIGENS)...... t o t a

Leia mais

CORE/RS Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado do Rio Grande do Sul CNPJ: 92.963.776/0001-25

CORE/RS Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado do Rio Grande do Sul CNPJ: 92.963.776/0001-25 Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado do Rio Grande do Sul CNPJ: 92.963.776/0001-25 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE Especificação CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Fonte: Apresentação da Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT do Tesouro Nacional Última Atualização: 14/09/2009 1 Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor

Leia mais

CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL)

CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA II DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO Prof. Emanoel Truta Conceito É uma demonstração contábil que visa evidenciar as variações ocorridas em todas as contas que compõem o Patrimônio

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Balancete. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06. Créditos. Conta. Página:1/24

Balancete. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06. Créditos. Conta. Página:1/24 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06 Balancete Período: 01/05/2015 a 31/05/2015 Conta Anterior Débitos Créditos 1 - ATIVO 660.339,65D 383.449,46 379.045,53 664.743,58D

Leia mais

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 129.967,90D 130.464,22D 1/8 1.1.1.1.1.01 ATIVO CIRCULANTE 54.320,75D 54.817,07D E EQUIVALENTES CAIXA MOEDA NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO 51.666,68D 497.996,11

Leia mais

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE CENÁRIO ANTERIOR Gestão Dívida Financeira Pública ORÇAMENTO PUBLICO Contabilidade Receita e Despesa Demonstrativos Contábeis:

Leia mais

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Balanço Patrimonial - Conglomerado Prudencial em 30 de Junho ATIVO 2014 CIRCULANTE 1.893.224 Disponibilidades

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 Consorcio Publico do Extremo Sul

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 Consorcio Publico do Extremo Sul Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 6.735,34 8.034,62 4.211,61 10.558,35 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE 6.735,34 8.034,62

Leia mais

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL Introdução Já sabemos que o Patrimônio é objeto da contabilidade, na qual representa o conjunto de bens, diretos e obrigações. Esta definição é muito importante estar claro

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - SP Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Julho / 2015. Pág. : 1.

CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA - SP Sistema de Contabilidade BALANCETE DE VERIFICAÇÃO - PATRIMONIAL ATIVO Julho / 2015. Pág. : 1. ATIVO Pág. : 1 1 ATIVO 6.962.923,94 955.075,63 999.851,97 6.918.147,60 D 1.1 ATIVO CIRCULANTE 2.575.224,25 286.194,78 341.306,07 2.520.112,96 D 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 998.084,67 206.815,23

Leia mais

Contabilidade Financeira

Contabilidade Financeira Contabilidade Prof. Dr. Alvaro Ricardino Módulo: Contabilidade Básica aula 04 Balanço Patrimonial: Grupo de Contas II Aula 4 Ao final desta aula você : - Conhecerá os grupos de contas do Ativo e Passivo.

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU Alterações em relação aos arquivos publicados em 10/11/2014: Item alterado/incluído Evento 1.9 Evento 2.20.8 Evento 2.72.13 Motivo Obs: Os créditos relativos à Dívida Ativa podem ser registrados somente

Leia mais

CAU - PR Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99

CAU - PR Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE Especificação CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A CURTO PRAZO Atual

Leia mais

CIRCULAR N 2009. Documento normativo revogado pela Circular 2271, de 29/01/1993, a partir de 30/06/1993. Às administradoras de consórcio

CIRCULAR N 2009. Documento normativo revogado pela Circular 2271, de 29/01/1993, a partir de 30/06/1993. Às administradoras de consórcio CIRCULAR N 2009 30/06/1993. Documento normativo revogado pela Circular 2271, de 29/01/1993, a partir de Às administradoras de consórcio Estabelece a obrigatoriedade da elaboração e remessa de demonstrações

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

1 de Verificação - 2014 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1.2.3.1.1.03.02 (40966) MÓVEIS MÁQUINAS E E UTENSÍLIOS DE ESCRITÓRIO 339.159,49D 25.

1 de Verificação - 2014 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1.2.3.1.1.03.02 (40966) MÓVEIS MÁQUINAS E E UTENSÍLIOS DE ESCRITÓRIO 339.159,49D 25. 1 de Verificação - 2014 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1.217.589,73D 1.245.340,55D Atual1/8 ATIVO CIRCULANTE 588.962,97D 151.410,23D 194.301,54 188.047,63 166.550,72 160.296,81 616.713,79D 1.1.1.1.1.50.99

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA A NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA

CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA A NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA A NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA Demonstrações Contábeis José Rafael Corrêa Quanto mais eu sei, mais eu descubro que nada eu sei Sócrates 1 Conceitos CONTABILIDADE INFORMAÇÃO Informação

Leia mais

Curso Extensivo de Contabilidade Geral

Curso Extensivo de Contabilidade Geral Curso Extensivo de Contabilidade Geral Adelino Correia 4ª Edição Enfoque claro, didático e objetivo Atualizado de acordo com a Lei 11638/07 Inúmeros exercícios de concursos anteriores com gabarito Inclui

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA BALANCETE MÊS DE JANEIRO/2015. Página 1

ESTADO DE RONDÔNIA BALANCETE MÊS DE JANEIRO/2015. Página 1 CAMARA MUNICIPAL DE Página 1 1 ATIVO 69.111,18 60.711,80 75.399,38 1.1 ATIVO CIRCULANTE 60.711,80 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 60.711,80 1.1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 60.711,80

Leia mais

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Codificação 3. Abertura de Contas Novas 4. Manual de Contas 5. Estrutura e Classificação Das Contas Patrimoniais 6. Modelo

Leia mais

ANEXO III 280.864,02 264.833,28 39.905,58 37.578,73 18.357,59 0,00 271.900,62 264.843,53 39.905,58 37.578,73 9.383,94 0,00

ANEXO III 280.864,02 264.833,28 39.905,58 37.578,73 18.357,59 0,00 271.900,62 264.843,53 39.905,58 37.578,73 9.383,94 0,00 100000000 ATIVO 110000000 ATIVO CIRCULANTE 111000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 111110000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL -

Leia mais

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF)) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA CAPÍTULO 2: PASSIVO EXIGÍVEL E RECEITAS DIFERIDAS MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

Leia mais

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 PASSIVO DESCRIÇÃO 2 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 PASSIVO DESCRIÇÃO 2 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUB 2 2 1 CIRCULANTE 2 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE 2 1 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE 2 1 1 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE

1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE PLANO DE CONTAS Associações, Sindicatos e Outras Entidades. 1.0 ATIVO 1.1. ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. Disponibilidades 1.1.1.1. Caixa 1.1.1.2. Bancos c/ Movimento 1.1.1.3. Aplicações Financeiras 1.1.2. Créditos

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público 1

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público 1 Plano de ontas Aplicado ao Setor Público 1 Legenda dos níveis de desdobramento: 1 Nível lasse 2º Nível Grupo 3º Nível Subgrupo 4º Nível Título 5º Nível Subtítulo 6º Nível Item 7º Nível - Subitem As contas

Leia mais

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero).

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero). 1. (SEFAZ-PI-2015) Uma empresa, sociedade de capital aberto, apurou lucro líquido de R$ 80.000.000,00 referente ao ano de 2013 e a seguinte distribuição foi realizada no final daquele ano: valor correspondente

Leia mais

ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral

ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral 1 ATIVO 1.01 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 DISPONIBILIDADES 1.01.01.01 CAIXA GERAL 1.01.01.01.01 Caixa Matriz 1.01.01.01.02 Caixa Filiais 1.01.01.02

Leia mais

CRESS/MA - 2ª Região Conselho Regional de Serviço Social/MA CNPJ: 06.042.030/0001-47

CRESS/MA - 2ª Região Conselho Regional de Serviço Social/MA CNPJ: 06.042.030/0001-47 Conselho Regional de Serviço Social/MA CNPJ: 06.042.030/0001-47 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A CURTO PRAZO PASSIVO CIRCULANTE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS,

Leia mais

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL Cod.Normal Cód.Reduz. Grau Tipo Natureza Descrição 1. 1 1 S A ATIVO 1.1. 2 2 S AC ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. 3 3 S AC DISPONÍVEL 1.1.1.01. 4 4 S AC BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.001-5 5 A AC Caixa 1.1.1.01.002-6

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped)

Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped) Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped) Código Descrição Analítica Patrim. Natureza 1 *** Ativo *** X Devedora 101 Ativo Circulante X Devedora 10101 Disponibilidades

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 001 O que se entende por receitas e despesas não operacionais? Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes

Leia mais

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS 1. CONCEITOS A Demonstração do Fluxo de Caixa demonstra a origem e a aplicação de todo o dinheiro que transitou pelo Caixa em um determinado período e o resultado desse fluxo (Iudícibus e Marion, 1999).

Leia mais

SALDO (f)=(a+b-c-e) DESPESAS CORRENTES 8.201,60 4.051.439,12 3.861.681,23 25.087,21 172.872,28

SALDO (f)=(a+b-c-e) DESPESAS CORRENTES 8.201,60 4.051.439,12 3.861.681,23 25.087,21 172.872,28 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ANEXO I - DEMONSTRATIVO DE EXECUÇÃO DOS RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS : 2013 Data de Emissão: 29/03/2014 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ANEXO II - DEMONSTRATIVO DE EXECUÇÃO DOS RESTOS A PAGAR

Leia mais

Balancete De Verificacao Do Sistema Patrimonial Plano PCASP-MT Atributo: Todos Março / 2016

Balancete De Verificacao Do Sistema Patrimonial Plano PCASP-MT Atributo: Todos Março / 2016 Março / 2016 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 1.1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 1.1.1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL - CONSOLIDACAO

Leia mais

Empresa Munic. de Transporte Urbano Presidente Figueiredo

Empresa Munic. de Transporte Urbano Presidente Figueiredo 03698709/000109 Exercício: 2015 BALANCETEISOLADO EMPRESA MUNICIPAL DE TRANSPORTE URBANO EMTU (UG:5) Página 1 de 5 100000000 05 ATIVO 343.632,70 139.134,52 114.972,75 367.794,47 110000000 05 ATIVO CIRCULANTE

Leia mais

ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público

ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público SISTEMA INTEGRADO DE CONTROLE E AUDITORIA PÚBLICA - SICAP/CONTÁBIL ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público Portaria Conjunta STN/SOF nº 02/2012 Portaria STN nº 437/2012

Leia mais

112110103 FATURAS/ DUPLICATAS A RECEBER Sim DB 1211104 DIVIDA ATIVA NAO TRIBUTARIA - CLIENTES Sim DB 1211105 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS

112110103 FATURAS/ DUPLICATAS A RECEBER Sim DB 1211104 DIVIDA ATIVA NAO TRIBUTARIA - CLIENTES Sim DB 1211105 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS 112110103 FATURAS/ DUPLICATAS A RECEBER Sim DB 1211104 DIVIDA ATIVA NAO TRIBUTARIA - CLIENTES Sim DB 1211105 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS NÆo DB 121110501 EMPRESTIMOS CONCEDIDOS A RECEBER Sim

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais