S E ÇÃ O B D IS P OS IÇÕES E S PE C Í FICAS TE R M O DE R E FER Ê NCI A DA LICI T A Ç ÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "S E ÇÃ O B D IS P OS IÇÕES E S PE C Í FICAS TE R M O DE R E FER Ê NCI A DA LICI T A Ç ÃO"

Transcrição

1 S E ÇÃ O B D IS P OS IÇÕES E S PE C Í FICAS TE R M O DE R E FER Ê NCI A DA LICI T A Ç ÃO 1. OBJETO DA LICITAÇÃO: 1.1 Descritivo: A presente licitação tem por objeto a contratação dos serviços descritos abaixo, conforme especificações, quantitativos e condições previstos nesta Seção. Aquisição de uma solução integrada de hardware e software para monitoramento e leitura de placas veiculares através do Reconhecimento Óptico de Caracteres - OCR em vias públicas de Salvador e RMS, com fornecimento de produtos, prestação de serviços técnicos de instalação, implantação, manutenção e treinamento na solução acima, em conformidade com as especificações contidas no Anexo I deste Edital. 1.2 Especificações, características, quantitativos, e local (endereço) da prestação dos serviços. ITEM 01 Prazo: 90 dias INSTALACAO E CONFIGURACAO da solução de Reconhecimento Óptico de Caracteres Veicular - VOCR ITEM 02 Prazo: 24 meses Código simpas: MANUTENCAO PREVENTIVA E CORRETIVA DA SOLUCAO de Reconhecimento Óptico de Caracteres - OCR, com fornecimento de materiais e equipamentos. 1.3 Especificações, características, quantitativos, e local (endereço) da instalação dos pontos da solução de OCR. ITEM 01 Quantidade: 20 unidades Entrega: Conforme especificado no termo de referência. Código simpas: KIT, para montagem de sistema de Reconhecimento Otico de Caracteres (OCR), para leitura e interpretacao de placas veiculares, composto de: -cameras fixas, a serem instaladas em ambientes externos, em pontos estrategicamente definidos; - recurso de armazenamento de dados de todos os veiculos que trafeguarem pelas vias, pelo periodo minimo de 30 (trinta) dias; Capacidade de pós processamento em caso de queda do link de dados. - Infraestrutura completa de instalacao, acondicionamento dos equipamentos e telecomunicacoes; - Infraestrutura completa para consulta, armazenamento e envio de dados (fotos, textos, etc.), em tempo real, para a sede de monitoramento e gerencia das informacoes; - A solucao devera possuir cameras de alta resolucao, postes com altura minima de 05 (cinco) metros para sustentacao dos equipamentos, lacos indutivos ou virtuais, caixa de protecao e acondicionamento para os equipamentos, - A solucao devera possuir garantia, manutencoes preventivas e corretivas pelo periodo de 24 meses.

2 ITEM 02 Quantidade: 02 unidades Entrega: Conforme especificado no termo de referência. Código simpas: KIT, para montagem de sistema de Reconhecimento Otico de Caracteres (OCR), para leitura e interpretacao de placas veiculares, composto de cameras moveis a serem instaladas/utilizadas em viaturas policiais com capacidade de armazenamento de dados de todos os veiculos que trafeguem pelas vias, pelo periodo minimo de 30 (trinta) dias; - Infraestrutura completa de instalacao, acondicionamento dos equipamentos e telecomunicacoes; - Infraestrutura completa para consulta, armazenamento e envio de dados (fotos, textos, etc.), em tempo real, para a sede de monitoramento e gerencia das informacoes; A solucao devera possuir cameras de alta resolucao, monitor de no minimo 7(sete) polegadas, caixa de protecao e acondicionamento dos equipamentos, equipamentos para captura e transmissao das imagens - A solucao devera possuir garantia, manutencoes preventivas e corretivas pelo periodo de 24 meses. 1.4 Local da prestação do serviço de instalação e manutenção: A prestação dos serviços será feita no Município de SALVADOR e RMS, no Estado da Bahia, em unidades da SSP-BA e vias públicas, conforme endereços relacionados neste Termo de Referência. 1.5 Local de validação dos equipamentos: Município de SALVADOR, Estado da Bahia, no seguinte endereço: Coordenação de Logística CLOG/SGTO, situada no DEPARTAMENTO DE APOIO LOGISTICO DAL, AV. 5, CAB. CEP.: JUSTIFICATIVA A Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia vem trabalhando em busca da melhoria dos níveis de segurança efetiva, principalmente através da utilização de ferramentas que multipliquem a eficiência no atendimento às necessidades relacionadas aos serviços de segurança pública, trazendo, portanto, às forças sociais e econômicas um ambiente que permita melhorar o nível de vida e satisfação dos integrantes da sociedade. Nesse diapasão, a SSP/BA visa à contratação de um Sistema de Reconhecimento Ótico de Caracteres de Placas Veiculares - VOCR (Optical Character Recognition) que se caracteriza por ser uma tecnologia capaz realizar a identificação de veículos que trafeguem em vias públicas, com a capacidade de comparar os dados obtidos no processo de identificação com dados de restrições e com a possibilidade da emissão de alarmes. A contratação, portanto, tem como finalidade inibir atividades criminosas de furtos e roubos de veículos, auxiliar na elucidação de ações criminosas, além de fornecer às forças policiais mais uma ferramenta tecnológica para o combate às referidas atividades. O sistema supramencionado deve ser composto por: - 22 (vinte e dois) kits de Reconhecimento Ótico de Caracteres de placas veiculares VOCR, sendo 20 (vinte) pontos fixos e 02 (dois) pontos móveis, a serem instaladas em ambientes externos, em pontos estratégicos previamente definidos; - Sistema capaz de armazenamento dos dados dos veículos que trafeguem nas vias estabelecidas pelo período mínimo de 30 (trinta) dias. Nesta contratação deverá ser prevista infraestrutura completa para consulta, armazenamento e envio de dados em tempo real, além de garantia, manutenções preventivas e corretivas pelo período mínimo de 12 (doze) meses em toda solução que compõe equipamentos e software.

3 3. ESCOPO 3.1 A empresa contratada deverá fornecer todos os componentes, como sistemas, equipamentos e acessórios para a implantação da sua Solução. Compreende-se que a solução é composta, no mínimo, pelos seguintes componentes: posteamento, caixa hermética, câmera digital, nobreak, switch e rádio (apenas o rádio será disponibilizado pela CONTRATANTE). Os acessórios são compreendidos por, no mínimo, protetor solar para câmera, suportes, adaptadores, e quaisquer materiais necessários para fixação dos equipamentos. O software a ser fornecido deverá atender aos requisitos mínimos exigidos no item Serviços a serem executados pela CONTRATADA: Fornecimento, instalação, configuração e manutenção (quando aplicável e/ou solicitado pela SSP-BA) dos equipamentos e softwares que atendam a solução de Reconhecimento Óptico de Caracteres de placa Veicular - VOCR conforme TABELAS de pontos de interesses deste Termo de Referência, os quais são responsáveis pela captura, transmissão, processamento e o tratamento das imagens e dados gerados pela solução supracitada; Fornecimento, instalação e configuração de software de consulta, gerenciamento e extração de relatórios para a solução de Reconhecimento Óptico de Caracteres de placa veicular- VOCR, de acordo com os níveis e exigências estabelecidas pela SSP-BA; Fornecimento e instalação da infraestrutura elétrica e lógica para interligar e hospedar a solução nos locais designados neste Termo de Referência; Instalação e Manutenção de toda a infraestrutura necessária para a fixação das câmeras, podendo ser composta por: caixa hermética, suportes, redes elétricas e lógicas, além dos demais componentes de instalação para assegurar o perfeito funcionamento da solução; Instalação, configuração e manutenção (quando solicitado pela SSP-BA) de equipamentos da solução de Reconhecimento Óptico de Caracteres de placa Veicular - VOCR em vias públicas, permitindo a transmissão das imagens e dados para os locais de interesse da SSP-BA, com configurações a serem definidas em conjunto com a SSP-BA; Instalação, configuração e manutenção de equipamentos fixados em posteamento exclusivo a serem fornecidos pela CONTRATADA a SSP-BA; Suporte técnico e manutenção em toda a solução, tais como câmeras e infraestrutura tecnológica (implementação de infraestrutura elétrica e lógica) dos pontos da solução VOCR (locais de instalação da solução), de acordo com os níveis de serviços (SLAs) estabelecidos pela SSP-BA; Configuração lógica de rede, endereçamento IP, criação de Vlans (Virtual Local Networks), QoS (Quality of Service), SNMP (Simple Network Management Protocol), STP (Spanning Tree), entre outros protocolos que a CONTRATADA julgue necessário para o pleno funcionamento da solução; Durante o período de prestação de serviços da CONTRATADA, a SSP-BA poderá optar por remanejar um conjunto de até 50% do total dos pontos de OCR incluindo seus equipamentos outdoor (caixa hermética, switch, conversor, etc.) e para os equipamentos indoor no máximo 01(uma) vez durante a vigência do contrato, visando atender ao posicionamento estratégico do monitoramento; Instalação e configuração de radioenlaces, últimas milhas de fibra e/ou configuração de links MPLS para possibilitar a transmissão das imagens e dados para as unidades de interesse da SSP-BA; Instalação, configuração e manutenção de rede de comunicação para interligação da solução com a rede de backbones ópticos e de rádio já pertencente à SSP-BA; Prestação de suporte técnico em todos os equipamentos e materiais da solução VOCR; A CONTRATADA, quando necessário, deverá substituir ou reparar trechos de cabos de fibra óptica, metálicos ou realinhamento de rádios, devido ao desgaste/degradação provocado por diversos motivos, tais como: avaria por obra, dano por furto ou tentativa de furto, ataque de roedores, entre outros fatores que possam ocasionar o aumento do número de falhas de comunicação por perda de sinal, etc.; A CONTRATADA terá como atribuição: ligar, regular, ajustar, retirar, recuperar, certificar, manter e/ou substituir qualquer componente / equipamento da solução de OCR, em pontos instalados na Cidade de Salvador e RMS, nos endereços descritos neste Termo de Referência, de forma a eliminar problemas diagnosticados e manter o sistema em perfeito estado de funcionamento;

4 Quando necessário, a CONTRATADA deverá configurar equipamentos e ativos de rede (Swiches Concentradores Centrais, interfaces, etc.) de modo a garantir o perfeito funcionamento da solução de OCR; Quando necessário, fornecer, implantar e configurar solução de infraestrutura de TI (servidores, dispositivos de armazenamento de dados, estações de trabalho, etc.); Fornecer serviço de assistência técnica, manutenção preventiva e corretiva de toda a solução, pelo prazo de 24 (vinte e quatro) meses; A CONTRATADA deverá realizar levantamento e as-built de toda a solução de VOCR e rede de comunicação, realizando, por meio de relatório, mapas e plantas baixas, todos os equipamentos, materiais e insumos que compõem a solução, detalhando: marca, modelo, tipo e coordenadas (quando aplicável); A CONTRATADA deverá fornecer, instalar, configurar e certificar a solução de VOCR, obedecendo às seguintes etapas: Site Survey: realização de avaliação das instalações físicas dos equipamentos e da rede Projeto Executivo: elaboração de Projeto Executivo para a execução dos serviços contratados, em consonância com os Manuais Técnicos aplicáveis, contendo cronogramas e demais detalhes técnicos das instalações Testes: realização dos testes de conformidade para aceitação da solução de OCR Entrega do as-built : elaboração de documentação as-built (como construído), em arquivo CAD, de toda a infraestrutura da solução de VOCR incluindo todos os equipamentos da solução Entrega de documentação técnica incluindo Atas de reuniões, cronogramas, topologias, diagramas, atualizações dos projetos básicos e executivos, etc Antes da instalação e durante o site survey, a SSP poderá efetuar mudanças na localização dos pontos de OCR, desde que seja viável tecnicamente e não acrescente novos equipamentos ou altere as suas especificações A Secretaria da Segurança Pública fornecerá os seguintes itens para complementar a solução de identificação de veículos através da leitura de placas por OCR: Auxiliar na viabilização das autorizações para utilização de rede elétrica junto a Coelba ou PMS, para os equipamentos nos postes exclusivos da SSP-BA; Auxiliar na obtenção das autorizações necessárias junto aos órgãos competentes, para instalação de equipamentos de posteamento em vias públicas; Disponibilizar salas com espaço físico e refrigeração adequada para acomodação dos equipamentos indoor necessários a implementação da solução; Disponibilizará, quando houver necessidade, informações técnicas (vlans, endereços IPs, etc.) para viabilizar a interligação dos pontos de OCR com os backbones ópticos e de FR da SSP-BA, de modo que os pontos de OCR possam se comunicar em tempo real com a Central de Monitoramento da Solução. 4. DESCRIÇÃO GERAL DO FUNCIONAMENTO DOS EQUIPAMENTOS 4.1 O sistema de monitoramento e leitura de placas veiculares por imagem, através de câmeras de alta resolução, consiste em capturar imagens das placas dos veículos nas principais vias públicas, convertendo os caracteres que compõe a imagem da placa em texto, consultando bancos de dados da SSP-BA e demais órgãos de interesse para verificação de restrições (roubo, furto, clonagem, multa, etc.) e enviar alarmes em tempo real, para centrais de monitoramento e operação, facilitando sobremaneira as ações das Policias Civil e Militar na repressão de delitos e recuperação de veículos; 4.2 Os 20 KITs a serem instaladas em ambientes externos, em pontos estratégicos definidos na TABELA I, deverão permitir o monitoramento do fluxo e leitura das placas veiculares das vias em questão; 4.3 Os equipamentos deverão ser instalados, configurados e receberão as devidas manutenções, nas vias públicas ou unidades da SSP-BA, a fim de garantir o monitoramento dos locais presentes na TABELA I; 4.4 Os equipamentos de captura e tratamento de imagens deverão estar dispostos de forma a cobrir todas as faixas/vias para as quais forem designados, além de serem interligados à solução de OCR; 4.5 O projeto contempla a manutenção e configuração de todos os equipamentos (e seus ativos) relacionados nas TABELAS deste Termo de Referência permitindo que os locais de monitoramento da SSP-BA possam realizar o monitoramento e/ou visualização dos dados e das imagens geradas, de acordo com os SLA a serem estabelecidos pela SSP-BA;

5 4.6 Com o objetivo de evitar que as variações das condições ambientais (nebulosidade, temperatura, chuvas, posição do sol, nível de iluminação, etc.) provoquem alterações e / ou interferências significativas na qualidade das imagens capturadas, as câmeras deverão ser dotadas de circuitos e recursos capazes de minimizar essas variações e efetuar automaticamente as correções e equalizações necessárias para recompor a qualidade da imagem; 4.7 As câmeras instaladas nas áreas externas em ambientes com iluminação deficiente deverão ser dotadas de recurso noite/dia (day/night); 4.8 Os equipamentos existentes nos pontos de captura deverão contar com capacidade de armazenar os dados de todos os veículos que trafeguem pelas vias pelo período mínimo de 30 (trinta) dias; 4.9 As operações de arquivamento e recuperação dos arquivos de vídeo deverão ser totalmente automatizadas, de forma a assegurar elevada disponibilidade e confiabilidade ao sistema; 4.10 Os arquivos de imagens deverão ser comprimidos por técnicas avançadas de compressão de dados, sem perda das informações, de forma a se obter o melhor resultado entre a qualidade da imagem, a taxa de utilização da rede de transmissão de dados e o volume necessário de armazenamento das informações; 4.11 O sistema deverá oferecer a capacidade de reconhecimento mínima de 90% do fluxo dos veículos trafegados (dia e noite); 4.12 O sistema deverá oferecer a capacidade de identificar o mesmo veículo várias vezes para aumentar o índice de precisão da leitura; 4.13 O tempo de processamento da imagem deve ser inferior a 01(um) segundo; 4.14 O tempo total de alerta deve ser inferior a 05(cinco) segundos; 4.15 O sistema deverá permitir a captação de uma mesma placa após a leitura de outras 05 (cinco) novas placas; 4.16 O sistema deverá oferecer a capacidade de registrar o melhor resultado de imagem para cada veículo; 4.17 O sistema deverá oferecer a capacidade de realizar a leitura de placas dos veículos com velocidade superior a 150km/h; 4.18 A leitura deverá ser feita em qualquer sentido de tráfego (aproximação/afastamento); 4.19 O sistema deverá oferecer a capacidade de aderir às condições de luminosidade do local, permitindo a identificação dos veículos mesmo em dias chuvosos, nublados, à noite, etc.; 4.20 O sistema deverá ser capaz de realizar leitura de placas de automóveis, ônibus, caminhões e motocicletas; 4.21 O sistema deverá permitir a capacidade de operar durante a noite com imagem monocromática ou policromática; 4.22 O sistema deverá permitir a parametrização dos locais de alarme, possibilitando escolher que alarmes soarão em cada estação de operação da ferramenta (fixa ou móvel); 4.23 O sistema deverá possuir interface totalmente em português; 4.24 Os equipamentos deverão ser devidamente instalados e configurados para suportar operação/monitoramento em escala 24x7; 4.25 Em cada ponto de monitoramento da solução de OCR, deverão constar, no mínimo, equipamentos de proteção, acondicionamento e conectividade para rede de transporte da SSP. 5 DO SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DA SOLUÇÃO: 5.1 Registrar em banco de dados, automaticamente, a data, o horário, logradouro, equipamento, coordenadas de georreferenciamento, placa do veículo e dados de identificação do mesmo, bem como outros dados sobre o veículo, em tempo real de passagem dos veículos, tanto para os equipamentos fixos quanto para os móveis; 5.2 Integração de todos os pontos de instalação da solução, de forma a possibilitar a identificação dos pontos de passagens dos veículos; 5.3 Todas as informações de interesse da SSP-BA devem ser enviadas e armazenadas nos Bancos de Dados interligados através de rede de comunicação TCP/IP, utilizando de todos os protocolos necessários para garantir a perfeita funcionalidade e segurança do sistema; 5.4 Geração de relatórios personalizados (conforme necessidade da CONTRATANTE) sobre os veículos que trafegaram pelas vias e/ou veículos com situação irregular; 5.5 Geração de relatórios personalizados (conforme necessidade da CONTRATANTE) sobre o fluxo de veículos em cada ponto monitorado; 5.6 Geração de estatísticas de passagens e alarmes por ponto e por período, permitindo a identificação de altos índices de repetição de ocorrências em determinados pontos; 5.7 Geração de relatórios de placas que apresentem dificuldades ou erros de leitura; 5.8 Geração de relatórios customizados, por demanda da CONTRATANTE; 5.9 A aplicação deverá permitir consultas aos bancos de dados corporativos da SSP-BA e demais órgãos de interesse das esferas Municipais, Estaduais e Federais, nas verificações das placas identificadas;

6 5.10 A aplicação deverá permitir a sincronização dos alertas emitidos com outros sistemas existentes na SSP-BA; 5.11 A aplicação deverá permitir a definição de categorias de alarmes, direcionados a grupos de usuários específicos; 5.12 Deve permitir definir políticas de acesso; 5.13 A aplicação deverá proporcionar um índice de acerto de no mínimo 90%, independente das condições climáticas, iluminação ou se é dia ou noite; 5.14 Armazenar no banco de dados a melhor imagem registrada; 5.15 Adaptação automática às condições climáticas; 5.16 A aplicação deverá operar automaticamente em todos os dias da semana em todas as horas; 5.17 A aplicação deverá efetuar a leitura de placas de ônibus, automóveis, caminhões, motocicletas, reboques e outros veículos que utilizem placa de identificação padronizada; 5.18 A aplicação deverá ter o idioma da interface do software e os respectivos manuais em língua portuguesa para o fácil entendimento dos comandos e funcionalidades do aplicativo; 5.19 A aplicação deverá permitir a gravação de informações relevantes nos arquivos das imagens, ou seja, o arquivo de evento, comprimido ou não, deve possuir em seu conteúdo todas as informações referentes ao evento, tais como: data do evento, tamanho do arquivo e identificação da câmera e do equipamento, dentre outras informações imprescindíveis à análise de fatos ocorridos; 5.20 A aplicação deverá permitir que todos os comandos de configuração dos equipamentos de captura e transmissão sejam realizados sem a necessidade de acesso físico aos equipamentos a fim de impedir o acesso local não autorizado; 5.21 A aplicação deverá permitir a visualização de imagens e dados por períodos (placa policial, endereço, hora, data, etc.) selecionados pelo usuário; 5.22 A solução deverá fornecer conexão segura entre a sua Central de Gerenciamento e cada um dos seus equipamentos de coleta, distribuição e conexão; 5.23 O sistema da Central de Gerenciamento da Solução deverá mostrar informações de todos os pontos onde existe a solução instalada, informando se estão ligados em tempo real e mostrando um aviso de todos os equipamentos e pontos de VOCR que estiverem fora de operação ou desligados no momento, apresentando imagens capturadas durante as passagens dos veículos; 5.24 O hardware não deve perder sua configuração caso ocorra uma falta de energia elétrica nos pontos de instalação dos sistemas e deverá retornar à atividade assim que a pane for sanada ou a energia restabelecida, não sendo necessária para isso intervenção humana; 5.25 Todos os equipamentos e softwares da solução de OCR deverão ser fornecidos, gerenciados e manutenidos pela empresa CONTRATADA; 5.26 O software de gerenciamento da solução deverá permitir que todas as imagens e dados transmitidos e/ou armazenados possam ser gerenciados, para que os arquivos possam ser acessados, salvos e extraídos para mídias externas (mídias de CD, DVD, fitas de backup, etc.), a partir do computador do operador ou do servidor de gerenciamento da solução; 5.27 Permitir enviar Short Message Service - SMS para celulares ou s cadastrados com informações de alarmes de passagem de veículos com restrições; 5.28 O Sistema deverá funcionar através de hierarquia, possibilitando a criação de permissões por usuários; 5.29 O Sistema deverá permitir atualizações sempre que existir; 5.30 O software de gerenciamento do OCR móvel (a ser instalado em viaturas) deverá permitir aplicativos de monitoramento portátil para instalação em aparelhos com conexão 3G/GPRS/EDGE, de modo a permitir a visualização em tempo real, simultaneamente à Central de Monitoramento e deverá permitir e aceitar comandos e controle remoto dos equipamentos. 6. SERVIÇOS GERAIS DE MANUTENÇÃO, CONFIGURAÇÃO E ATIVAÇÃO 6.1 O serviço de ativação inclui a execução de todas as interligações necessárias, relacionadas à transmissão de imagens e dados, incluindo alimentação elétrica e lógica (cabeamento metálico, óptico e radioenlaces) entre os equipamentos que compõem a solução; 6.2 Finalizados quaisquer serviços de ativação, configuração ou manutenção, tem-se que executar os testes operacionais e de sistema dos equipamentos, na presença de prepostos da SSP-BA; 6.3 Execução de malha de aterramento de todos os equipamentos; 6.4 Quando houver necessidade de mudanças na infraestrutura da solução, todo o detalhamento deverá constar na documentação a ser elaborada pela CONTRATADA, submetido à SSP para aprovação e liberação dos serviços; 6.5 Todo o material, equipamentos e insumos que não forem utilizados deverão ser entregues na Superintendência de Gestão Tecnológica e Organizacional da SSP-BA;

7 6.6 Os equipamentos deverão receber as devidas manutenções, instalados e configurados levando-se em conta qualquer possibilidade de: vandalismo, desgastes, vibrações, variações de temperatura, umidade, choques elétricos e demais variáveis que comprometam o perfeito funcionamento da solução e ponha em risco os transeuntes e veículos que trafegam próximo aos equipamentos; 6.7 Os danos causados às redes das Concessionárias Públicas, aos bens públicos ou de terceiros, acidentes pessoais com funcionários ou com envolvimento de terceiros, correrão sob a responsabilidade exclusiva da CONTRATADA. A esta também caberá os eventuais ressarcimentos financeiros às vítimas dos danos. 7 MANUTENÇÃO PREVENTIVA 7.1 Entende-se por manutenção preventiva a série de procedimentos destinados a prevenir a ocorrência de quebras e defeitos dos equipamentos, materiais, peças e componentes, conservando-os em perfeito estado de uso, de acordo com os manuais e normas técnicas específicas. 7.2 A manutenção preventiva será realizada pela CONTRATADA, de acordo com os procedimentos e periodicidade inerente para cada equipamento, peça e componente, a partir da data de assinatura do Contrato. 7.3 Estão previstos nos custos de Manutenção Preventiva a prestação da assistência técnica incluindo o fornecimento de peças e componentes, mantendo disponível o pessoal especializado e infraestrutura de veículos leves, caminhões, comunicação, instrumental e laboratório. 7.4 As manutenções preventivas deverão ser efetuadas de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, exceto nos feriados, pontos facultativos e finais de semana. 7.5 A manutenção preventiva da solução deverá ser realizada de forma periódica, com a realização de no mínimo 01 (uma) vistoria mensal, em quantidade de horas suficientes para cumprir o escopo básico de manutenção. 7.6 A CONTRATADA deverá apresentar um cronograma de Manutenção Preventiva, para análise e aprovação da SSP-BA, no prazo de 10 (dez) dias após a assinatura do contrato, envolvendo a infraestrutura de conectividades dos pontos de OCR, transmissão de dados e demais equipamentos/serviços inerentes à solução. 7.7 A primeira manutenção deverá ocorrer antes de completados os primeiros 30 (trinta) dias após assinatura do contrato. 7.8 A manutenção preventiva deverá ser realizada nas datas previstas pelo cronograma apresentado pela CONTRATADA, sendo admitido, em cada evento, um único adiamento, por período não superior a 02 (dois) dias úteis. 7.9 No relatório de visita, a CONTRATADA deverá indicar o número da Ordem de Serviço correspondente a cada intervenção programada para cada equipamento A CONTRATADA deverá realizar os serviços específicos de Manutenção Preventiva para cada tipo de equipamento, conforme descrito a seguir e de acordo com as recomendações do fabricante A CONTRATADA deverá realizar rotinas de manutenção preventiva, visando minimizar as possíveis falhas da solução. A manutenção preventiva deverá compreender, entre outros: a) Equipamentos internos: Limpeza externa e interna (quando necessário) nos equipamentos fornecidos pela contratada ou que pertencentes ao escopo da solução; Verificação de cabos e de conexões, elétrica e de dados, com a substituição dos mesmos quando apresentarem desgastes, folgas, mau contato, etc.; Verificação, ajuste, sintonia e regulagem dos parâmetros elétricos, eletrônicos e mecânicos dos equipamentos, quando houver; Verificação dos pontos de alimentação, com substituição de componentes que comprometam a segurança dos equipamentos e prejudiquem a operação; Verificação e substituição das peças que já apresentem desgaste ou estejam próximo do final da vida útil, tais como ventoinhas e ventiladores para exaustão dos equipamentos e dos racks/caixas herméticas. Quando houver, substituição de acrílico de portas de racks por telas compatíveis com as portas, que permitam a ventilação frontal dos equipamentos nele instalados; b) Equipamentos de Campo: Limpeza geral, principalmente nos visores/lentes das câmeras, de acordo com o cronograma previamente apresentado e aprovado;

8 Limpeza nas caixas herméticas de proteção e acondicionamento dos equipamentos de vigilâncias, comunicação e outros; Verificação, ajuste e reparos dos módulos de recepção de comandos, com substituição dos elementos e peças desgastadas, ou próximas do final da vida útil, bem como a substituição de baterias e cabeamentos e/ou fiações ressecados pelo calor; Verificação, ajuste e reparos dos acessórios, com substituição/reposição das eventuais peças sobressalentes com defeito ou desgastadas; Lubrificação das partes móveis, quando houver; Verificação das caixas de proteção, com a substituição das borrachas de vedação desgastadas ou rompidas, com a substituição de eventuais defeitos, bem como a troca de fechaduras e dobradiças; Substituição de caixas das câmeras; Pintura e aplicação de produtos antiferrugem em caixas herméticas e demais componentes da solução que necessitem de tais cuidados; Verificação das conexões ópticas e elétricas, com substituição das terminações/conexões que já apresentem possibilidade de falha MANUTENÇÃO CORRETIVA Entende-se por manutenção corretiva a série de procedimentos destinados a recolocar os equipamentos, materiais, peças e componentes em seu perfeito estado de uso, compreendendo os ajustes e reparos necessários e inclusive substituições dos mesmos, de acordo com os manuais e normas técnicas específicas No custo de Manutenção Corretiva estão previstas: a prestação de assistência técnica, incluindo o fornecimento de peças e componentes, a disponibilidade de pessoal especializado, infraestrutura de veículos leves e caminhões, comunicação, instrumental e de laboratório, além dos serviços de emendas ópticas e caixas de emendas (quando houver) A manutenção corretiva da solução deverá ser realizada sob demanda da SSP-BA, em regime de atendimento 24x7, 24 horas por dia A empresa deverá realizar rotinas de manutenção corretiva, visando normalizar o funcionamento da solução. A manutenção corretiva deverá compreender, entre outros: a) Equipamentos internos (quando houver): Reparo/substituição de monitores, teclados, mouses, joystick, matrizes de vídeo, encoders, decoders, servidores e exaustores de rack/caixas herméticas, portas do rack/caixa hermética, conectores e conexões no rack/caixa hermética, que apresentem falhas na operação ou funcionamento inadequado; Limpeza nos filtros e/ou ventoinhas; Reparo, configuração/reconfiguração dos equipamentos que compõem a solução de OCR; Substituição das conexões e terminações, cabos elétricos e de dados que apresentem defeitos ou quando por solicitação da CONTRATANTE; Substituição das chaves, teclas e interruptores, bandeja de exaustores dos racks/caixas herméticas, proteção das portas dos racks/caixas herméticas; Troca dos fusíveis, fios e cabos, e demais peças sobressalentes com defeito. b) Equipamentos de Campo: Reparo de componentes internos das câmeras, tais como mecânicos, elétricos, eletrônicos, e placas de circuito e demais componentes e partes; Substituição dos visores transparentes das câmeras, quando estas apresentarem características que atrapalham na visualização das imagens das câmeras ou por solicitação da CONTRATANTE; Reparos dos módulos de recepção de comandos, com substituição dos elementos e peças com defeito ou desgastadas; Verificação, ajuste e reparos dos acessórios, com reposição das peças sobressalentes com defeito ou desgastadas; Substituição das conexões ópticas e elétricas; Reparo e/ou substituição dos transceptores, conversores de protocolo, etc.; Reparo e/ou substituição das proteções elétricas dos canais de comunicação.

9 A CONTRATADA deverá realizar a supervisão dos links de comunicação, de forma a identificar possíveis elementos que possam causar danos à rede, tais como, obras e eventos festivos (fixação de placas com estacas, barracas, quiosques, etc.); A CONTRATADA deverá realizar a revisão, reparo e testes de todos os elementos envolvidos na rede de comunicação da solução, composta por rádios transceptores e seus elementos, realizando: análise das ERBs, caixas de proteção (abrigos), reparo de enlaces, verificação de ruídos / interferências, substituição de cabos, conectores, problemas de vedação, monitoramento da perda de sinal da rede, testes de transmissão e recepção; Quando necessário, a CONTRATADA deverá realizar a adequação dos níveis de comunicação com a retirada de atenuações das emendas. 8. SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO, CONFIGURAÇÃO E INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO POR RADIOENLACES. 8.1 Desde que haja necessidade e viabilidade técnica, a CONTRATADA poderá utilizar a rede de transporte composta por radioenlaces pertencentes a SSP-BA para interligar os pontos de monitoramento OCR com a Central de Monitoramento da Solução ou com as demais unidades, de acordo com a liberação e configurações a serem passadas pela SSP-BA. Para tal, a empresa deverá fornecer todos os materiais e insumos necessários para a interligação dos equipamentos, de acordo com os padrões utilizados pela CONTRATANTE. Isto posto, a empresa CONTRATA deverá seguir, no mínimo, as recomendações que seguem nos itens subsequentes; 8.2 Todos os equipamentos de radioenlace para últimas milhas são na faixa de 4.9 GHz, interligados através de um rádio cliente nas ERB - Estações Rádio Base da SSP-BA, que estão posicionados em Salvador e RMS; 8.3 O equipamento supracitado possui as seguintes características básicas: RADIO, digital, para criação de rádio enlace ponto multiponto, com tecnologia OFDM (Orthogonal Frequency-Division Multiplexing) e throughput mínimo de transmissão de 08 Mbps; Opera na faixa de freqüência de 4,9 GHz; Transmissão de dados com, no mínimo, 15 Km com visada total e 10 Km com visada parcial; Resolucao de canal de 10 MHz (minimo de 5 MHz e máximo de 20 MHz); Método de acesso TDD (Time Division Duplex) ou HD-FDD (Half Duplex Frequency Division Duplex); Alimentado via PoE (Power over Ethernet) com conexão para cabo padrão cat5e; Dispositivo contra descargas elétricas (supressor de transientes); Antenas integradas com ganho mínimo de 15dBi; Potencia de transmissão máxima de 33dBm; Recursos externos ou internos de alinhamento entre unidades através de indicacao luminosa ou sonora; Modulacao QPSK, 16QAM, 64QAM, ou superiores; suporte a VLAN; criptografia AES com chave minima de 128 bits na interface wireless sem impacto no desempenho do sistema; Atende aos padroes IEEE e IEEE 802.1p; Permite a gerencia remota do equipamento; Interface de conexao Ethernet 10/100BaseT; O equipamento tem caracteristicas outdoor de fabrica, com temperatura de operacao entre -40 C e +55 C; O equipamento é homologado pela ANATEL. 8.4 Em caso de utilização da rede de radioenlaces da SSP-BA, a CONTRATADA deverá instalar os equipamentos fornecidos pela CONTRATANTE, os quais serão da mesma marca e modelo utilizados pela SSP-BA, de modo que haja total integração com a rede de dados e evite interferências na rede existente. Ademais, a empresa deverá realizar a instalação, configuração e manutenção do referido equipamento, realizando todos os procedimentos de Site Survey, alinhamento de antenas (elevação e azimute) e demais requisitos necessário para a perfeita comunicação do equipamento, conforme normas padrões e vigentes dos órgãos competentes; 8.5 Segue abaixo a topologia básica para interligação com as Estações Repetidoras da SSP-BA:

10 9. SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO, CONFIGURAÇÃO E ATIVAÇÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO POR FIBRA ÓPTICA 9.1 Desde que haja necessidade e viabilidade técnica, a CONTRATADA poderá utilizar os backbones ópticos pertencentes a SSP-BA para interligar os pontos de monitoramento OCR com a Central de Monitoramento da Solução ou com as demais unidades, de acordo com a liberação e configurações a serem passadas pela SSP-BA. Para tal, a empresa deverá fornecer todos os materiais e insumos necessários para a interligação dos equipamentos, de acordo com os padrões utilizados pela CONTRATANTE. Isto posto, a empresa CONTRATADA deverá seguir, no mínimo, as recomendações que seguem nos itens subsequentes; 9.2 A CONTRATADA deverá utilizar a infraestrutura de postes e dutos já existentes, não sendo admitida a instalação de postes entre estruturas adjacentes, portando os cabos indicados deverão suportar os lances da rede existente; 9.3 Quando as distâncias entre os ativos da rede (switch, câmera, etc.) superarem a marca de 90 metros, a CONTRATADA deverá utilizar fibra óptica (e seus componentes) para realizar a conexão entre os equipamentos. Quando esta distância percorrida for inferior à marca de 90 metros, a CONTRATADA poderá utilizar cabo F/UTP categoria 6A blindado cor padrão preta (e seus componentes) para realizar a conexão entre os equipamentos; 9.4 Devem ser executados os serviços de acabamento na chegada e saída do cabo óptico dentro das unidades da SSP-BA em que estão instalados os switches concentradores, atendendo ao bastidor, rack 19, e outros. Nestes locais, a CONTRATADA deverá executar infraestrutura de entrada de serviços com instalação dos devidos eletrodutos, incluindo o trajeto interno dos prédios concentradores, por onde o cabo óptico passará, até a chegada ao Rack (DIO); 9.5 Os cabos ópticos deverão ser instalados, preferencialmente, no mesmo lado da rede secundária de energia (existente ou prevista), observando o ponto de fixação a ser demarcado pela COELBA. Os cabos também devem ser identificados em todos os postes por onde passarem, segundo os padrões estabelecidos; 9.6 A instalação/manutenção de qualquer equipamento nos postes deverá ser notificada à SSP-BA, com fornecimento de documentação constando o número do poste e endereço completo do mesmo, com referência. Além disso, a CONTRATADA deverá informar nesta documentação o consumo dos equipamentos e a origem das derivações. 9.7 Para garantir qualidade nos serviços executados, a CONTRATADA deve executar os seguintes testes e medições nas fibras ópticas e cabos metálicos: Teste de pré-lançamento das fibras ópticas para verificação da continuidade e possíveis avarias causadas na manipulação do cabo óptico; Teste de pós-lançamento para averiguação da integridade das fibras ópticas, após o lançamento, garantindo que as mesmas não sofreram nenhuma avaria durante o processo de lançamento e fixação; Todos os componentes do cabeamento, após sua instalação serão testados e certificados com o uso de equipamentos do tipo CABLE SCANNER (rede metálica), POWER METER e/ou OTDR (rede óptica). Serão fornecidos, como resultado destas certificações, relatórios contendo os laudos de aferição de cada segmento instalado para utilização no futuro, em procedimentos regulares de medição A CONTRATADA será responsável direta pela manutenção, configuração e instalação das últimas milhas que ligam o backbone principal da SSP-BA com os pontos de OCR.

11 10. SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO, CONFIGURAÇÃO E ATIVAÇÃO DOS PONTOS DE OCR Sempre que solicitado, de acordo com as margens estipuladas neste Termo de Referência, a CONTRATADA deverá realizar os seguintes ajustes: 10.1 Os equipamentos deverão ser fixados em postes de uso exclusivo da SSP-BA, sempre utilizando suportes apropriados, sendo acondicionadas em caixas de proteção específicas para esta função, levando em conta qualquer possibilidade de vandalismo contra o equipamento; 10.2 Nos postes onde serão instalados os equipamentos, devem ser instalados quadros de comando (caixas herméticas) com switch, disjuntor, supressor de surto de tensão, no-break e outros, com o objetivo de interligar, alimentar e proteger os equipamentos e demais componentes da solução; 10.3 Os critérios de posicionamento e ajuste dos equipamentos obedecerão prioritariamente dos critérios adotados pela SSP-BA; 10.4 A infraestrutura dos pontos de OCR deverá garantir o fácil reposicionamento e ajustes dos mesmos. Eles deverão ser instalados em posições que garantam o mínimo de áreas de sombra que impeçam a visualização dos veículos que trafegam pelas ruas e avenidas a serem monitoradas; 10.5 A empresa CONTRATADA deverá providenciar e adequar todos os dados, diagramas e projetos executivos para serem apreciados pelos órgãos de interesse das esferas Municipais, Estaduais e Federais, como por exemplo: Transalvador, DNIT, ANTT, Concessionárias de Rodovias, etc.; 10.6 Todos os pontos de OCR deverão ser adequados fisicamente, de acordo com as normas técnicas e recomendações dos órgãos das esferas Municipais, Estaduais e Federais. Isso inclui todo o projeto de sinalização, instalação de guard rail, adequação de altura mínima e/ou máxima permitida, placas de alertas, dentre outros. 11. TESTES OPERACIONAIS DO SISTEMA E DAS CÂMERAS 11.1 Verificação da nitidez das imagens; 11.2 Verificação se o posicionamento das câmeras atende à cobertura nas áreas de interesse; 11.3 Verificação da funcionalidade da programação do Sistema; 11.4 Verificação da resolução e qualidade das imagens digitais para as redes LAN e WAN; 11.5 Ajuste de cor, brilho, contraste e foco, para que seja visualizada uma imagem nítida; 11.6 Qualidade de imagem visualizada nos monitores (interferência e estabilidade); 12. SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS REDES ELÉTRICA E LÓGICA DOS EQUIPAMENTOS 12.1 A instalação dos circuitos de alimentação elétrica 127/220 Volts (Fase, Neutro e Terra) em vias públicas será de inteira responsabilidade da empresa CONTRATADA; 12.2 A empresa CONTRATADA deverá coletar todos os dados necessários para a realização de projeto executivo que deverá ser entregue e apreciado pela COELBA e Prefeitura Municipal de Salvador - PMS; 12.3 Para passagem de cabeamento elétrico e lógico, bem como instalação de laços indutivos (quando houver necessidade), a CONTRATADA deverá realizar toda a infraestrutura por métodos não destrutivos, evitando qualquer dano em calçadas, ruas e avenidas a serem monitoradas; 12.4 A CONTRATADA deve fornecer toda a infraestrutura para interligação elétrica com o ponto de fornecimento mais próximo do local de instalação, incluindo caixas de passagem, quadros elétricos, aterramento, cabos elétricos e outros materiais necessários. Os pontos de fornecimento (postes de transmissão ou iluminação da concessionária de energia elétrica) serão indicados pelos órgãos competentes, mediante análise de dados e projetos a serem entregues pela CONTRATADA; 12.5 Para ligação dos equipamentos, deverão ser dimensionados, em conformidade com as normas vigentes da ABNT, os disjuntores, seção transversal e tipo de condutores, aterramento, entre outros; 12.6 Quando necessário, a rede elétrica para alimentar os pontos de OCR deverá ser canalizada por eletrodutos até os locais exatos da instalação dos equipamentos, terminando em quadros elétricos e/ou tomadas (2P+T) para uso externo (outdoor); 12.7 Deverá ser instalado um quadro de comando para cada câmera com no-break inteligente tipo UPS com entrada e saída de 127 a 220 Vca que garanta aos equipamentos e seus componentes um funcionamento sem alimentação de tensão da rede elétrica comercial;

12 12.8 Deverão ser realizados testes de descarga em todos os tipos de no-breaks utilizados na solução de OCR, a fim de tomar conhecimento da autonomia efetiva do sistema após sua instalação; 12.9 Quando for utilizada, a instalação dos eletrodutos obedecerá às dimensões mínimas estabelecidas na tabela de ocupação da Norma ABNT, observando sempre o alinhamento e o nivelamento requeridos; Para instalações internas, é terminantemente proibida à instalação de eletrodutos nos pisos, em que os mesmos possam representar obstáculos para a passagem, ou risco de acidentes; Para a perfeita instalação de eletrodutos rígidos e flexíveis, deverão ser utilizados acessórios padronizados, como: curvas, buchas, arruelas, reduções, terminações, conectores, caixas de passagem, derivações, e outros; Os materiais como eletrodutos, conduletes, rodapés e demais acessórios são partes integrantes dos pontos ou links; O projeto considera as condições gerais dos prédios da SSP-BA, não entrando em detalhes de tubulações existentes e outras interferências a serem ultrapassadas, das quais os dutos deverão desviar horizontal ou verticalmente. Estes detalhes deverão ser considerados pelos proponentes, sempre utilizando os acessórios adequados; Fica sob responsabilidade da empresa executora do projeto efetuar todo o serviço de manutenção fornecendo os materiais e mão de obra necessária para a realização total do mesmo; Os serviços de instalação de infraestrutura constituem basicamente das seguintes atividades: Retirar as placas de forro, quando necessário; Realizar furos em paredes de alvenaria, com ferramentas adequadas às atividades; Instalar eletrodutos rígidos, flexíveis e acessórios; Instalar canaletas seguindo o padrão existente e os acessórios necessários; Recompor as partes danificadas e recolocar o forro retirado; Efetuar a pintura das partes afetadas; Retirar o entulho proveniente do serviço realizado; Efetuar limpeza dos locais afetados pelos serviços; Fornecer As-built Além de seguir as normas da ABNT, a ISO_IEC11801 e das concessionárias locais, as instalações elétricas e de telecomunicações devem atender ao contido neste documento; Todas as instalações elétricas e de telecomunicações deverão ser executadas com esmero e bom acabamento, com todos os condutores, condutos e equipamentos cuidadosamente arrumados em posição e firmemente ligados às estruturas de suporte e aos respectivos pertences, formando um conjunto mecânica e eletricamente satisfatório e de boa aparência; As partes vivas expostas dos circuitos e do equipamento elétrico deverão ser protegidas contra contatos acidentais. As partes dos equipamentos elétricos que, em operação normal, possam produzir centelhas deverão possuir separação incombustível protetora ou efetivamente separadas de todo material facilmente combustível; Em lugares úmidos ou sujeitos às intempéries deverão ser usados métodos de instalação adequados e materiais destinados especialmente a essa finalidade, com vedação através de gaxetas ou similares para evitar a entrada de água, insetos e roedores; Todas as extremidades dos tubos das instalações subterrâneas (quando for utilizada pela CONTRATADA) deverão ser convenientemente obturadas, a fim de evitar a penetração de detritos e umidade; A taxa máxima de ocupação para as calhas não deverá ultrapassar a 60% de sua área útil; Os cabos instalados em eletrocalhas deverão formar camadas, ficando os fios presos à estrutura, sem que os mesmos modifiquem suas características técnicas; Os condutos deverão ser limpos e secos internamente, antes da passagem dos condutores elétricos ou lógicos; As instalações embutidas em lajes, paredes e pisos deverão ser exclusivamente em eletrodutos rígidos, emendados por luvas ou outro processo que atenda a perfeita continuidade elétrica ou a resistência mecânica e vedação equivalente à da luva; Deverão ser empregadas caixas em todos os pontos de entrada e saída dos condutores na canalização; Todos os equipamentos instalados nas ruas devem contar com infraestrutura elétrica de alimentação ininterrupta (no-break) com captação de energia da rede elétrica diretamente da rede de baixa tensão da concessionária de energia elétrica COELBA ou da Prefeitura Municipal de Salvador PMS; A distância entre caixas ou conduletes deverá ser determinada de modo a permitir em qualquer tempo, fácil enfiação e desenfiação dos condutores. Nos trechos retilíneos o espaçamento deverá ter, no máximo, o comprimento de 15,0m e nos trechos dotados de curvas este espaçamento deverá ser reduzido para 3,0m entre curvas de 90 ;

13 12.28 Os eletrodutos e eletrocalhas deverão ser fixados de modo a apresentarem boa aparência e firmeza suficiente para suporte do peso dos condutores e os esforços quando da enfiação; As saídas dos condutores e dos cabos deverão ser alojadas em caixas acessíveis e dispensadas quando os cabos terminarem na caixa de chaves ou disjuntores, no interior do conjunto de manobra; Os condutores deverão ser instalados de forma a evitar esforços mecânicos incompatíveis com a sua resistência, isolamento ou revestimento. Nas deflexões os condutores serão curvados segundo raios iguais ou maiores do que os mínimos admitidos para seu tipo pelo fabricante; O isolamento das emendas e derivações deverá ter características, no mínimo, equivalentes às dos condutores usados; Os fios de seção igual ou menor que 6,0mm² deverão ser ligados por terminais tipo agulha ou anel préisolados; os de seção maior serão ligados por terminais de compressão adequados; A infraestrutura vertical para passagem dos cabos de rede lógica e elétrica, deverá ser executada através de eletrodutos de PVC e/ou galvanizados. As lajes dos pavimentos deverão receber furos em cada prumada vertical para passagem dos eletrodutos. Nos locais em que existe a possibilidade de passagem de tubulação ou a existência de colunas ou vigas estruturais, deverá ser utilizado o processo manual para certificar-se de não promover danos; em hipótese nenhuma a estrutura do prédio/edificação poderá ser danificada. 13. ACESSÓRIOS, EQUIPAMENTOS E MATERIAIS DE INSTALAÇÃO 13.1 Deverão ser fornecidos acessórios e materiais de instalação suficientes para realizar a implementação da solução com todas as funcionalidades ativas nos locais de instalação dos equipamentos. Os materiais incluem eletrodutos, adaptadores, cabos, fios, terminais, parafusos, braçadeiras, cintas metálicas, materiais de aterramento, guard rail, entre outros materiais e acessórios Deverão ser fornecidos, pela CONTRATADA, caixas para acomodação de tomadas e cabos elétricos e de rede devem estar inclusos, inclusive adaptadores especiais; 13.3 As equipes de Manutenção, da CONTRATADA, deverão ter todas as ferramentas e materiais de segurança obrigatórios para a execução dos serviços Todas as equipes deverão possuir equipamento de proteção individual (EPI), para cada componente da equipe, e equipamento de proteção coletiva (EPC), bem como cones de sinalização viária e fitas de sinalização, etc., conforme legislação em vigor. Qualquer acidente que venha a ocorrer com as equipes envolvidas na instalação dos equipamentos da solução de OCR será de responsabilidade do executante do serviço; 13.5 A CONTRATADA deverá dispor de um laboratório no município de Salvador ou RMS, devidamente aparelhado com todos os equipamentos e ferramentas necessárias para efetuar os possíveis testes e reparos de todos os equipamentos que compõem a solução de OCR. 14. LOCAL DE REALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS 14.1 Os pontos da Solução de OCR atualmente existentes encontram-se instalados nas seguintes localidades: SALVADOR E RMS TABELA I LOCAL DE INSTALAÇÃO DOS PONTOS DE OCR LOCAIS SENTIDO DA VIA Nº DE CÂMERAS LAT LONG STATUS ATUAL 01 BONOCÔ ANTES ACESSO NORTE A DEFINIR -38, , INSTALADO 02 PARALELA ANTES ENTRADA DO IMBUÍ A DEFINIR -38, , INSTALADO 03 PARALELA PARQUE DE EXPOSIÇÕES A DEFINIR -38, , INSTALADO 04 LAURO DE FREITAS CLINICA COF/MAC DONADS A DEFINIR -38, , INSTALADO 05 LAURO DE FREITAS RIO JOANES A DEFINIR -38, , INSTALADO 06 JARDIM DOS NAMORADOS JARDIM DOS NAMORADOS A DEFINIR -38, , INSTALADO

14 07 ITAPUÃ SEREIA DE ITAPUÃ A DEFINIR -38, , INSTALADO 08 ESTRADA DO DERBA ESTRADA DO DERBA A DEFINIR -38, , INSTALADO 09 SUBURBANA SUBIDA DE PIRAJÁ A DEFINIR -38, , INSTALADO 10 SUBURBANA RÓTULA DE PARIPE A DEFINIR -38, , INSTALADO 11 FERRY BOAT SÃO JOAQUIM A DEFINIR -38, , INSTALADO 12 A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR A DEFINIR A DEFINIR - A DEFINIR - - NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO NÃO INSTALADO Obs: Na aba STATUS ATUAL, os equipamentos antigos encontram-se no local que precisam ser retirados e devolvidos a SSPBA. 15 Os locais para interligação com a rede de radioenlaces, backbones ópticos e demais equipamentos outdoor, bem como a relação dos equipamentos, topologia de interligação e configuração dos equipamentos para cada local listado, serão oportunamente informados pela SSP-BA à CONTRATADA, de modo que as informações sejam preservadas e mantidas em total sigilo. 16. SUPORTE TÉCNICO 16.1 O suporte técnico, excetuando os atendimentos em garantia, deverá ser fornecido para todo o sistema dentro do nível de serviço estipulado por um período de 24 (vinte e quatro) meses, em regime 24x7; 16.2 Para o processo de suporte e manutenção dos serviços durante o período de 24 meses é necessário que a CONTRATADA adote o modelo ITIL V3, pelo menos, para os processos Gerenciamento de Incidentes, Gerenciamento de Problemas e Gerenciamento de Mudanças; 16.3 São dois tipos de atendimento de suporte técnico: TIPO DO SUPORTE Suporte em campo Suporte interno DESCRIÇÃO Suporte realizado nas instalações externas da solução de OCR: postes, caixas herméticas e demais equipamentos e serviços que componham a solução. Suporte realizado nos Data Centers da SSP-BA e demais locais de acondicionamento dos equipamentos, prestando suporte em todos os equipamentos e serviços que componham a solução O suporte prestado pela CONTRATADA deverá compreender o fornecimento de suporte técnico para a correção e prevenção de problemas de configuração, funcionalidade ou compatibilidade dos componentes da solução de OCR; 16.5 Interação com a equipe técnica da SSP-BA, fornecendo apoio na resolução de incidentes que estejam envolvendo os componentes da solução, incluindo: Reconfiguração dos produtos e softwares;

15 Apoio técnico para configuração dos equipamentos e softwares; Retirada e instalação de equipamentos; Substituição de equipamentos em garantia; Instalação de patches corretivos; Esclarecimentos de dúvidas de operação; Ajustes no sistema de telecomunicação; Limpeza das lentes das câmeras; Limpeza de todos os equipamentos da solução; Troca de baterias dos no-breaks; Mudança de configuração; Diagnóstico técnico; Avaliação da qualidade das imagens; Avaliação do throughput da rede; Restabelecimento da qualidade de imagem; Restabelecimento da largura de banda da rede O suporte técnico deverá ser acionado por telefone e através de uma aplicação WEB disponibilizada pela CONTRATADA, para que a SSP-BA possa registrar e acompanhar os chamados de manutenção preventiva e corretiva e gerar relatórios gerenciais. Para cada chamado aberto deverá ser registrado um número de chamado, e a empresa CONTRATADA deverá atender dentro do nível de serviço acordado (SLA) neste termo de referência. O sistema deverá gerar relatórios de indisponibilidade de todos os equipamentos envolvidos na solução. O controle de acesso à aplicação de abertura e acompanhamento de chamados será definido pela CONTRATANTE; 16.7 A CONTRATADA deverá proceder à substituição e configuração de equipamentos vandalizados ou afetados por danos não cobertos pela garantia, conforme especificações deste Termo de Referência; 16.8 A CONTRATADA deverá apresentar previamente plano de manutenção preventiva e relatório detalhado categorizado por ponto da solução, com informações sobre as condições de cada equipamento, das intervenções realizadas e outras observações cabíveis; 17. ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO (SLA) PARA SUPORTE TÉCNICO 17.1 O suporte técnico deverá ser prestado pela CONTRATADA em todos os equipamentos presentes nos locais listados na TABELA deste Termo de Referência, e de toda a solução de OCR (escopo deste termo de referência), através de chamado técnico aberto pela SSP-BA, nos seguintes prazos de atendimento: Prazo de início do atendimento a contar do instante do registro do chamado técnico feito pela SSP- BA à CONTRATADA não superior a 02 (duas) horas; Prazo de conclusão do atendimento, para a solução do problema que motivou o chamado técnico, a contar do instante do registro do chamado técnico feito pela SSP-BA à CONTRATADA, por telefone ou sistema, não superior a 24 (vinte e quatro) horas corridas. 18. DAS ORDENS DE SERVIÇO E RELATÓRIOS 18.1 A cada atendimento em garantia ou de suporte técnico, a CONTRATADA deverá apresentar à SSP-BA uma ordem de serviço; 18.2 Após encerrar os serviços relativos ao atendimento dos equipamentos, o técnico da CONTRATADA deverá solicitar que o funcionário responsável da SSP-BA preencha os campos da pesquisa de satisfação, que integram o formulário da Ordem de Serviço; 18.3 A CONTRATADA deverá manter um banco de dados contendo todas as informações das ordens de serviço; 18.4 A CONTRATADA deverá apresentar mensalmente a SSP-BA, até o 3º dia útil de cada mês, Relatório de Desempenho da Manutenção no Período, contendo: Números das ordens de serviço; Total de chamados corretivos e preventivos; Protocolos de atendimento; Descrição do serviço; Tipo do serviço;

16 Data do atendimento; Data de conclusão do serviço; Preposto(s) da CONTRATADA que realizou (aram) os serviços; Preposto(s) da SSP-BA que validou a realização do serviço Fotografias dos equipamentos avariados, em casos de danos, vandalismos, problemas físicos, entre outros O relatório mencionado deverá ser entregue em planilha eletrônica, em mídia gravada com o arquivo digital ou via correio eletrônico, com endereço a ser fornecido pela SSP-BA; 18.6 Toda documentação entregue a SSP-BA deverá identificar claramente o responsável técnico pelo seu conteúdo, contendo a assinatura e sua habilitação legal para tal; 18.7 A CONTRATADA deverá disponibilizar, sempre que solicitado pela SSP-BA, relatórios gerenciais e técnicos sobre a prestação dos serviços; 18.8 A CONTRATADA deverá disponibilizar um software de monitoramento da solução, com acesso através da intranet da SSP-BA, contendo todos os pontos, com informações do status de funcionamento e com visualização, em tempo real, das imagens das passagens dos veículos e com a identificação das respectivas placas. Este software deverá ser capaz de emitir alertas em forma de pop-ups, s, sons e sms em casos de falhas, com a possibilidade de selecionar um ou mais s que serão designados pela equipe técnica da SSP-BA. Além disso, deverá ter a opção de criar visões personalizadas (dashboards) do status dos equipamentos que compõe a solução. A SSP-BA poderá liberar o acesso para a CONTRATADA de determinada visão do sistema, através de VPN. 19. CAPACITAÇÃO 19.1 Capacitação em toda a solução instalada, para uma equipe a ser designada pela SSP-BA; 19.2 A SSP-BA designará a seu critério o local da capacitação, que será realizado na suas dependências; 19.3 A CONTRATADA deverá ofertar material didático como flip-chart, projetor multimídia, papel e canetas; 19.4 A CONTRATADA deverá fornecer apostilas e outros insumos necessários à capacitação; 19.5 A CONTRATADA deverá disponibilizar um técnico especializado para o acompanhamento da operação pelos capacitados, pelo prazo mínimo de 15 (quinze) dias úteis após a conclusão da capacitação; 19.6 A CONTRATADA deverá apresentar o plano de capacitação contendo o conteúdo programático, o qual deverá ser aprovado pela SSP-BA; 19.7 A cada atualização de versão de software, a CONTRATADA deverá fornecer manual em português e capacitação para sua utilização, tanto na operação quanto em seu gerenciamento; 19.8 Após a realização da primeira capacitação, durante a vigência do contrato, deverá ser fornecido treinamento de reciclagem, com espaçamentos máximos de 06 (seis) meses; 19.9 A capacitação da solução de OCR será ministrada para dois grupos, a saber: Capacitação dos Operadores Operadores - equipe técnica formada por no mínimo 10 (dez) servidores da SSP-BA, que irão operar o sistema e administrar as operações técnicas de rotina Carga horária mínima: 08 horas Na sala de capacitação da SSP-BA deverá ser realizada uma apresentação técnica e conceitual da solução, descrevendo como os conhecimentos da solução proposta serão transferidos para a equipe da SSP-BA, e como os operadores devem estar preparados para suportar a nova rotina operacional e gerencial O fornecedor deverá capacitar a equipe técnica da SSP-BA na utilização dos softwares e na operacionalização da solução instalada Capacitação prática na localidade, que contenha como principal objetivo desmistificar o uso das ferramentas e preparar os operadores para suportar a nova rotina de trabalho Capacitação dos Administradores Administradores equipe técnica formada por no mínimo 10 (dez) servidores com conhecimento em Tecnologia da informação e Telecomunicações - TIC que irão administrar a solução nos aspectos dos sistemas básicos Carga horária mínima: 08 horas Para os administradores, deverá ser fornecida uma capacitação com o seguinte conteúdo: Arquitetura e plataforma tecnológica da solução de telecomunicações; Arquitetura e plataforma tecnológica da solução de tecnologia da informação;

17 Configuração dos equipamentos e ativos da rede; Configuração da topologia de rede, protocolos de redundância, configuração de vlans, subredes, QoS, etc.; Funcionalidades, inclusão e alteração de usuários, definição de acesso e permissões da solução; Operação e configuração dos servidores e estações de monitoramento para as funcionalidades relativas ao projeto; Descrição da configuração de armazenamento dos dados e processo de backup restore; Demais informações e configurações pertinentes a todos os equipamentos da solução. 20. NORMAS TÉCNICAS 20.1 Exceto quando especificado de outra forma, o projeto de fabricação, instalação e testes de todos os equipamentos, materiais e acessórios, bem como suas características técnicas, além dos serviços, deverão estar em completo acordo com as mais recentes revisões das Normas e Recomendações mencionadas a seguir: ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas; ANATEL Agência Nacional de Telecomunicações; ANSI American National Standard Institute; CREA Conselho Regional de Engenharia e Agronomia; IEC Internacional Eletrotechnical Commision; IEEE Institute of Electrical and Electronic Engineers; INMETRO Instituto Nacional de Metrologia Todos os materiais utilizados e todos os procedimentos adotados deverão obedecer rigorosamente às normas internacionais específicas, de forma a garantir a qualidade e a padronização das instalações As principais normas a serem observadas para este pleito são: ABNT NBR 5410:2004 Instalações elétricas de baixa tensão; ABNT NBR 14565: Cabeamento estruturado para edifícios comerciais e data centers; NR-06 Equipamentos de Proteção Individual; NR-10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; NR-35 Trabalho em Altura; Normas aplicáveis da Concessionária de Energia Local (COELBA); Prática Telebrás Instalação de cabos ópticos aéreos autossustentados; Prática Telebrás Procedimento para lançamento de cabos ópticos subterrâneos em dutos e subdutos; Prática Telebrás Procedimentos de confecção de emendas em cabos ópticos; Resolução N 494, de 24 de março de 2008, da ANATEL, que aprova o regulamento sobre canalização e condições de uso de radiofrequências na faixa de 4,9 GHz. 21. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Quando se fizer necessário, a critério da SSP-BA, a CONTRATADA deverá fornecer os seguintes documentos: 21.1 Projeto executivo para cada ponto de OCR previamente definido a ser aprovado pela SSP-BA, antes da manutenção, ativação / instalação de cada ponto; 21.2 O Projeto Executivo deverá conter plantas detalhadas produzidas em sistema CAD, que serão entregues em arquivo formato DWG ou DXF, relatórios e memoriais descritivos serão entregues em Microsoft Word ou OpenOffice Writer e Planilhas em Microsoft Excel ou OpenOffice Calc. A empresa CONTRATADA deverá entregar os projetos da seguinte maneira: (duas) cópias em meio digital (CD ou DVD); (duas) cópias em papel, devidamente encadernadas; 21.3 A documentação em português deve descrever a topologia da solução com o detalhamento técnico da interligação dos equipamentos; 21.4 A documentação técnica dos equipamentos e softwares, em português (quando for nativo em outro idioma, deverá haver a tradução para o português Brasil) e inglês (exceto para materiais ou equipamentos nacionais); incluindo manuais de configuração, instalação e operação dos equipamentos e de todos os seus componentes e acessórios de hardware e software, além de diagrama esquemático da solução oferecida, deve ser fornecida na

18 ocasião da entrega do sistema, na forma original impressa (é desejável também que seja fornecida em meio digital, quando disponível); 21.5 Documentação da instalação, configuração e dos testes realizados em campo, equipamentos, materiais e acessórios utilizados, bem como manuais de operação da solução de monitoramento; 21.6 Documentação detalhada da instalação; 21.7 Documentação da rede elétrica com dimensionamento e consumo das instalações; 21.8 Documentação da rede de telecomunicações (radioenlaces, cabos ópticos e metálicos) com os resultados dos testes de campo e comprovação da capacidade de transmissão de dados de cada rota; 21.9 Documentação de apoio gerada no desenvolvimento dos serviços: atas de reuniões, relatórios técnicos, cronogramas, entre outros; Fornecer informações relativas à configuração da rede de dados, contendo no mínimo: Topologia de rede utilizada; Documentação de Rádio Frequência com detalhamento de cada enlace; Endereços IP; Senhas e configurações personalizadas; Máscaras de Rede e Vlans; Tipos de protocolos e nível de QoS criado. 22. EQUIPE TÉCNICA 22.1 Os técnicos encarregados dos serviços de engenharia devem ser previamente relacionados, tendo livre acesso aos equipamentos, a fim de executar os serviços de manutenção, respeitadas as normas de segurança e acesso vigentes na Secretaria de Segurança Pública da Bahia BA; 22.2 A CONTRATADA deverá possuir na equipe técnica responsável pelo desenvolvimento do sistema, objeto desta licitação, no mínimo 01 (um) Engenheiro Eletricista Eletrônica (nível superior completo) ou 01(um) Engenheiro de Telecomunicações (nível superior completo), comprovadamente vinculado através de cópia da CTPS ou contrato de serviços. Este profissional, não exclusivo deste contrato, possuirá, entre outras, as seguintes atribuições: Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção; Desenvolvimento dos Projetos Funcionais e Executivos; Elaboração da Documentação / Desenho Técnico; Elaboração dos Projetos de Engenharia afins e correlatos; Estabelecimento, em conjunto com a CONTRATANTE, dos cronogramas e planos de ação / execução, bem como seu respectivo acompanhamento; Estudo, planejamento, projeto e validação da instalação e/ou manutenção; Execução de instalação, montagem e reparo; Garantir a harmonia entre os projetos contratados pela SSP-BA e outros projetos relacionados ao Urbano; Realizar a padronização, mensuração e controle de qualidade da instalação e/ou manutenção; Realizar produção técnica e especializada inerentes à solução; Responsável pela elaboração periódica de relatórios técnicos; Responsável pelo acompanhamento e/ou execução dos Chamados Técnicos expedidos pela CONTRATANTE; Responsável pelo intercâmbio e interface com as prestadoras de serviços afins e correlatos; Seguir as normas e padrões de qualidade, produtividade, preservação do meio ambiente, segurança e higiene no trabalho; Supervisão administrativa, técnica e operacional da equipe de implantação e manutenção; Supervisão técnica dos serviços de manutenção preventiva e corretiva da solução; Vistoriar, periciar, avaliar, arbitrar e emitir parecer técnico da instalação e/ou manutenção A CONTRATADA deverá contratar os serviços de no mínimo 01 (um) Engenheiro Civil (nível superior completo). Este profissional, não exclusivo deste contrato, possuirá, entre outras, as seguintes atribuições: Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção; Desenvolvimento dos Projetos Funcionais e Executivos; Elaboração da Documentação / Desenho Técnico; Elaboração dos Projetos de Engenharia afins e correlatos;

19 Estabelecimento, em conjunto com a CONTRATANTE, dos cronogramas e planos de ação / execução, bem como seu respectivo acompanhamento; Estudo, planejamento, projeto e validação da instalação e/ou manutenção; Execução de instalação, montagem e reparo; Garantir a harmonia entre os projetos contratados pela SSP-BA e outros projetos relacionados ao Videomonitoramento Urbano; Realizar a padronização, mensuração e controle de qualidade da instalação e/ou manutenção; Realizar produção técnica e especializada inerentes à solução; Responsável pela elaboração periódica de relatórios técnicos; Responsável pelo acompanhamento e/ou execução dos Chamados Técnicos expedidos pela CONTRATANTE; Responsável pelo intercâmbio e interface com as prestadoras de serviços afins e correlatos; Seguir as normas e padrões de qualidade, produtividade, preservação do meio ambiente, segurança e higiene no trabalho; Supervisão administrativa, técnica e operacional da equipe de implantação e manutenção; Supervisão técnica dos serviços de manutenção preventiva e corretiva da solução; Vistoriar, periciar, avaliar, arbitrar e emitir parecer técnico da instalação e/ou manutenção A CONTRATADA deverá possuir na equipe técnica responsável pelo desenvolvimento da solução, objeto desta licitação, no mínimo 01 (um) Analista de Infraestrutura e/ou Desenvolvimento, com nível superior completo na área de informática (Análise de Sistemas, Processamento de Dados, Informática, Sistema de Informação, Ciência da Computação, Cursos tecnólogos na área de informática ou afins), com Registro Profissional no Conselho de Classe, comprovadamente vinculado através de cópia da CTPS ou contrato de serviços. Este profissional, não exclusivo deste contrato, possuirá, entre outras, as seguintes atribuições: Administrar e controlar os sistemas e equipamentos e redes; Administrar, gerenciar e aplicar políticas de segurança na solução; Atendimento a falhas de caráter mais grave ou complexo; Elaborar e implementar projetos físicos de rede; Planejar e acompanhar a execução dos serviços de manutenção preventiva e corretiva da rede de comunicação e equipamentos que compõem a solução; Planejar e acompanhar a execução, operação, instalação e configuração de dispositivos de comunicação digital e softwares em equipamentos de rede de computadores e de telecomunicações; Interpretar, elaborar e executar projetos com diagramas esquemáticos, topologias e/ou plantas baixas com a utilização de recursos de informática ou impressos; Projetar, instalar e configurar ambiente computacional de rede; Realizar instalação, configuração e interligação de bancos de dados da SSP-BA e demais bases de interesse para o projeto; Acompanhar todos os atendimentos realizados pelos técnicos de campo e gerar relatórios de atendimento fornecendo-os para a SSP-BA; Atuar nos momentos em que os técnicos não conseguirem solucionar problemas técnicos, apoiando-os e orientando-os conforme necessário, visando sempre a disponibilidade e desempenho da solução A CONTRATADA deverá possuir na equipe técnica responsável pelo desenvolvimento da solução, objeto desta licitação, no mínimo 01 (um) Técnico de Tecnologia da Informação (Ensino Médio antigo 2º grau Técnico em Informática, Tecnologia da Informação, Eletrônica ou Telecomunicações), com Registro Profissional no Conselho de Classe, comprovadamente vinculado através de cópia da CTPS ou contrato de serviços. Este profissional, não exclusivo deste contrato, possuirá, entre outras, as seguintes atribuições: Acompanhamento da manutenção dos equipamentos indoor e outdoor; Administrar os softwares básicos e específicos da solução; Dar suporte remoto ou presencial a usuários; Elaboração dos relatórios de atendimento para cada falha; Execução da recuperação de emendas, caixas de fusões e demais conexões; Execução dos serviços de manutenção preventiva e corretiva da rede de comunicação e demais materiais e equipamentos que compõem a solução; Instalar, programar, configurar e testar dispositivos, circuitos, máquinas e equipamentos de base eletroeletrônica (microcomputadores, etc.); Monitorar e corrigir os recursos do sistema operacional, quando houver;

20 Executar, operar, instalar e configurar dispositivos de comunicação digital e softwares em equipamentos de rede de computadores e de telecomunicações; Preparar, instalar e manter cabeamento lógico da solução, utilizando ferramentas, máquinas e/ou equipamentos eletroeletrônicos; Retirar e remanejar materiais e equipamentos (rádios, câmeras, painéis, racks, interfaces ópticas, etc.); Seguir as normas e padrões de qualidade, produtividade, preservação do meio ambiente, segurança e higiene no trabalho; 22.6 A execução dos serviços especializados de instalação e configuração da solução de OCR deve ser realizada por uma equipe de profissionais certificados por entidades reconhecidas, disponíveis no quadro de funcionários da CONTRATADA Dentre todos os profissionais disponibilizados pela CONTRATADA, deve ser comprovada a qualificação técnica por meio de: Certificação ou declaração que comprove sua habilitação para instalação, configuração, customização e otimização dos equipamentos e sistema de monitoramento de câmeras (que atendam as especificações contidas neste edital). Devem ser apresentados, no mínimo, 02 (dois) profissionais certificados; Certificação emitida através de Transcript Microsoft, de no mínimo 01 (profissional) Microsoft Certified Systems Administrator (MCSA) em Microsoft Server 2003 ou superior; Certificação ou declaração emitida por fabricante, em nível Profissional ou equivalente, que comprove sua habilitação para configuração, instalação e manutenção de equipamentos de rádio, que atendam as especificações contidas neste Termo de Referência. Devem ser apresentados, no mínimo, 02 (dois) profissionais certificados; Certificação de Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade NR10, conforme legislação trabalhista brasileira. Devem ser apresentados, no mínimo, 02 (dois) profissionais certificados; Certificação para Trabalhos em Altura NR35, conforme legislação trabalhista brasileira, com carga horária mínima de 08 horas. Devem ser apresentados, no mínimo, 02 (dois) profissionais certificados. 23. DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS 23.1 A CONTRATADA deve apresentar Certidão de Registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) competente da região a que estiver vinculada; 23.2 A CONTRATADA deve apresentar no mínimo um profissional com registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) competente da região a que estiver vinculada. A comprovação da qualificação técnica exigida neste item se dará pela apresentação, na data da realização do presente certame, de: Cópia autenticada da Carteira de Trabalho (CTPS) assinada pela CONTRATADA ou do Livro de Registro de Empregados, comprovando o vínculo. Em se tratando de profissional sócio da empresa, a comprovação se fará mediante apresentação de cópia do contrato social em vigor A CONTRATADA deve apresentar atestado de capacidade técnica, fornecido por pessoa jurídica de direito público ou privado, igual ou similar, de acordo com o objeto deste presente termo de referência, ou seja, fornecimento e prestação de serviços de manutenção e instalação de solução de Reconhecimento Ótico de Caracteres em movimento Veicular - OCR, comprovado através de atestado contendo preferencialmente: Nome (razão social), CNPJ e endereço completo da Licitante; Denominação, descrição e finalidade dos serviços; Local de instalação ou de execução dos serviços; Período e prazo de realização; Volume dos serviços (quantidades, dimensões, etc.) Caso a CONTRATADA não seja o fabricante dos elementos que compõem a solução, de câmeras e de informática, e não exista rede de assistência técnica para serviços de garantia do fabricante no local dos seus fornecimentos, com as condições especificadas neste edital, a mesma deverá apresentar carta dos fabricantes, certificando que a licitante está apta a prestar tais serviços de garantia A CONTRATADA deve apresentar declaração de que possui constando em seu quadro de pessoal, os profissionais descritos no item Equipe Técnica deste termo de referência e que os mesmos possuem as qualificações que são exigidas; 23.6 A comprovação da qualificação técnica exigida no item anterior se fará pela apresentação de:

"TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS "TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS I - OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em serviços de Infraestrutura com manutenção corretiva, manutenção preventiva, instalações, desinstalações,

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 Sabará, 11 de setembro de 2014 RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 A Prefeitura Municipal de Sabará, por meio da Secretaria Municipal de Administração, resolve, por questões administrativas, retificar

Leia mais

Instalação de Serviços de Comunicação de Dados e Voz

Instalação de Serviços de Comunicação de Dados e Voz 1 Instalação de Serviços de Comunicação de Dados e Voz Prezado Usuário, A partir de agora você estará utilizando um sistema que integra Dados, Voz e Imagem em uma rede de alta confiabilidade, com equipamentos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone integra todas as conexões entre o backbone do centro administrativo e os racks departamentais,

Leia mais

Especificações Técnicas e Funcionais

Especificações Técnicas e Funcionais Introdução Especificações Técnicas e Funcionais A presente Especificação, elaborada pela São Paulo Transporte S.A. SPTrans, tem como objetivo estabelecer os requisitos técnicos, operacionais e funcionais

Leia mais

Rede Cabeada UTP. Manual do Usuário. ccntelecom.com.br

Rede Cabeada UTP. Manual do Usuário. ccntelecom.com.br Rede Cabeada UTP Manual do Usuário ccntelecom.com.br www.ccntelecom.com.br USUÁRIO, PARABÉNS PELA SUA ESCOLHA Você adquiriu um produto projetado com a qualidade e garantia CCN. A partir de agora, você

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL N. 23/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

PREGÃO PRESENCIAL N. 23/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 PREGÃO PRESENCIAL N. 23/2013 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Objeto PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET BANDA LARGA ATRAVÉS DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LINK DE INTERNET VIA REDE

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME - ARQUIVO 828 -M-AL1.doc Pagina 1 1. GENERALIDADES - Os serviços obedecerão as presentes especificações, a relação de

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Line Cords e Patch Cables.

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2015 Termo de Referência 1. DO OBJETO 1.1. Este Termo de Referência tem por objetivo a aquisição, por intermédio de licitação na modalidade de Pregão Presencial, de

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 29 de julho de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1. Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio GETS, sendo

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica

Infra-estrutura tecnológica Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação ATTI Supervisão de Infra-estrutura Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Infra-estrutura tecnológica Rede Lógica

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

Parte II: Projeto Executivo de Implantação

Parte II: Projeto Executivo de Implantação Parte II: Projeto Executivo de Implantação IMPLANTAÇÃO DE CLUSTER PARA ATENDIMENTO À REDE INTELIG COM SOLUÇÃO MOTOROLA/CANOPY REVISÃO DO DOCUMENTO: DATA DA REVISÃO RESPONSÁVEL REVISÃO 7/02/ Gleice Guimarães

Leia mais

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços ANSI EIA/TIA 569-B EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços Conforme a EIA/TIA 569A a infra-estrutura é dividida nos seguintes subsistemas: Área de Trabalho; Percursos horizontais; Sala ou armário

Leia mais

Manual do Usuário. ccntelecom.com.br

Manual do Usuário. ccntelecom.com.br Manual do Usuário ccntelecom.com.br PD-FIBER (1 Gbps, 7 Ramais/Clientes) O PD-FIBER é um equipamento constituído de uma placa que concentra alguns produtos já conceituados da CCN Telecom, de forma a reduzir

Leia mais

sorayachristiane@globo.com

sorayachristiane@globo.com sorayachristiane@globo.com 1 CABEAMENTO ESTRUTURADO INTERNACIONAIS EIA/TIA 568 B - Sistemas de Cabeamento para Edificios Comerciais. EIA/TIA 569 A - Adequações e Estruturas Internas para Cabeamento em

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO A presente licitação tem como objeto a contratação de empresa, especializada e devidamente autorizada pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações, prestadora

Leia mais

Instalação e manutenção de equipamentos Identificador Tarefa Atividades Instalar, desinstalar e configurar equipamento de telecomunicações.

Instalação e manutenção de equipamentos Identificador Tarefa Atividades Instalar, desinstalar e configurar equipamento de telecomunicações. Instalação e manutenção de equipamentos IMEQ010 Instalar, desinstalar e configurar equipamento de telecomunicações. Instalar e desinstalar fisicamente equipamento de telecomunicações; Realizar a configuração

Leia mais

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES O sistema digital de radiocomunicação será constituído pelo Sítio Central, Centro de Despacho (COPOM) e Sítios de Repetição interligados

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: Aquisição de Material de e Permanente (Equipamentos e Suprimentos de Informática), para 001 081266-9 CABO UTP CAT5E FLEXíVEL, CAIXA COM 300MT Lote 1- Destino: Uinfor CX 30 002 113294-5

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 54/2008 ESCLARECIMENTO 1

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 54/2008 ESCLARECIMENTO 1 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 1 Referência: Pregão Eletrônico n. 54/2008 Data: 08/09/2008 Objeto: Contratação de empresa para fornecimento e instalação do Circuito Fechado de Televisão CFTV digital,

Leia mais

Noções de Cabeamento Estruturado Metálico

Noções de Cabeamento Estruturado Metálico Noções de Cabeamento Estruturado Metálico Roteiro Parâmetros elétricos Cuidados com cabos metálicos Normas 568 / 606 Elementos do cabeamento estruturado Cabeamento Embora pareça uma questão simples, um

Leia mais

SpinCom Telecom & Informática

SpinCom Telecom & Informática Rastreador GPS/GSM modelo Com as fortes demandas por segurança e gestão de frota, a SpinCom, acaba de lançar o rastreador GPS/GSM modelo. O rastreador é indicado para aplicações de rastreamento de automóveis,

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS 1 OBJETIVO Revisão 00 fev/2014 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CIRCUITO INTERNO DE TV, TELEVISÃO E SONORIZAÇÃO. COREN CONSELHO REGIONAL

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES NTD-22 CONTROLE DE VERSÕES NTD 22- REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES Nº.: DATA VERSÃO 01 04/2010 Original INDICE

Leia mais

WirelessHART Manager

WirelessHART Manager Descrição do Produto O uso de tecnologias de comunicação de dados sem fio em sistemas de automação industrial é uma tendência em crescente expansão. As vantagens do uso de tecnologia sem fio são inúmeras

Leia mais

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO ÍNDICE 1 Informativos gerais 2 Especificações e Tabelas

Leia mais

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00. COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS Especificações Técnicas Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.058 Cod.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA NÚMERO 002/2012/3300/3000 SERVIÇOS DE SURVEY E PROJETOS DE REDES DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA PARA OS ESTADOS DA REGIÃO NORTE.

TERMO DE REFERÊNCIA NÚMERO 002/2012/3300/3000 SERVIÇOS DE SURVEY E PROJETOS DE REDES DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA PARA OS ESTADOS DA REGIÃO NORTE. TERMO DE REFERÊNCIA NÚMERO 002/2012/3300/3000 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE SURVEY E PROJETOS DE REDES DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA PARA OS ESTADOS DA REGIÃO NORTE. 1. OBJETIVO: 1.1.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE COMPOSIÇÃO DA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25 A estação repetidora digital P25 será composta pelos seguintes equipamentos:

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

REDE DE FIBRA ÓPTICA

REDE DE FIBRA ÓPTICA REDE DE FIBRA ÓPTICA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Sumário 1. Cabos de fibras ópticas... 2 2. Emendas ópticas... 3 3. Interfaces ópticas... 4 4. Distribuidor geral óptico... 5 5. Cordões Ópticos... 5 6. Práticas

Leia mais

Apresentação. Quem Somos

Apresentação. Quem Somos Apresentação Quem Somos A F3 Soluções é uma organização de origem brasileira, de negócios diversificados, com atuação e padrão de qualidade globais e certificações de reconhecimento nas áreas especificas

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Instalação de Novos Pontos de IP e Complementação da Eficientização do Sistema de Iluminação Pública de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO Dezembro de 2011 ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 100406082 Revisão 0.0 Índice ÍNDICE... I INTRODUÇÃO 1... 1 CONTEÚDO DESTE MANUAL... 1 ONDE

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO CENTRAIS DE ALARMES O presente memorial tem por objetivo descrever as instalações do sistema de proteção

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS BÁSICOS FL. 01/12

PLANILHA DE SERVIÇOS BÁSICOS FL. 01/12 FL. 01/12 REGIÃO I estimados R$ Sub Total BDI 1 2 Execução de infra-estrutura para a instalação de ponto elétrico duplo (rede comum ou estabilizada), até 1.500 W. partindo do quadro elétrico até qualquer

Leia mais

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) JUNHO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

Aula 5 Infraestrutura Elétrica

Aula 5 Infraestrutura Elétrica Aula 5 Infraestrutura Elétrica Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Ruído Elétrico Os problemas de energia elétrica são as maiores causas de defeitos no hardware das redes de computadores e conseqüente

Leia mais

Guia de instalação. PTP 5-23 MiMi Pro

Guia de instalação. PTP 5-23 MiMi Pro Guia de instalação PTP 5-23 MiMi Pro PTP 5-23 MiMo Pro ProBackhaul PTP 5 GHz de 23 dbi MiMo 2x2 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O PTP 5-23 MiMo Pro com

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115. Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras.

Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115. Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. MANUAL DO USUÁRIO Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Os conversores de mídia KGM 1105 e KGS 1115

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

Guia do usuário. PoE 200 G

Guia do usuário. PoE 200 G Guia do usuário PoE 200 G Injetor PoE 200 G Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O injetor PoE 200 G é compatível com o padrão IEEE 802.3af. Ele oferece até

Leia mais

Avenida Generalíssimo Deodoro, nº 367 Umarizal- CEP: 66.055-240 - Belém - PA (91)3221-4100/4102- e-mail: cphgabinete@cph.pa.gov.br

Avenida Generalíssimo Deodoro, nº 367 Umarizal- CEP: 66.055-240 - Belém - PA (91)3221-4100/4102- e-mail: cphgabinete@cph.pa.gov.br ANEXO II PLANO DE MANUTENÇÃO 1- OBJETO 1.1 Contratação de empresa especializada para prestação de serviços contínuos de operação, manutenção preventiva e corretiva, com fornecimento de peças, materiais

Leia mais

redes, infraestrutura e telecom

redes, infraestrutura e telecom redes, infraestrutura e telecom Integração de soluções, projetos, implementação e manutenção de redes, infraestrutura de TI e telecom para empresas de grande e médio portes. SERVIÇOS redes, infraestrutura

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

XXSNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XXSNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XXSNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA

Leia mais

VÍDEO PORTEIRO COLORIDO VIP COLOR 4

VÍDEO PORTEIRO COLORIDO VIP COLOR 4 CERTIFICADO DE GARANTIA Este produto é garantido pela Amelco S.A. Indústria Eletrônica dentro das seguintes condições: 1- Fica garantida, por um período de 1 (hum) ano a contar da data de emissão da nota

Leia mais

ESCLARECIMENTO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 023/2015-EMAP. O edital especifica em seu item 11.1.13.3, transcrito abaixo:

ESCLARECIMENTO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 023/2015-EMAP. O edital especifica em seu item 11.1.13.3, transcrito abaixo: ESCLARECIMENTO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 023/2015-EMAP O Pregoeiro da Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP, em razão de solicitação da empresa TELEMAR NORTE LESTE S.A, torna público aos interessados,

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

1- Informações importantes. 2- Funcionamento básico. 3- Suporte

1- Informações importantes. 2- Funcionamento básico. 3- Suporte TeleCarWay Sumário 1- Informações importantes 2 2- Funcionamento básico 2 3- Suporte 2 4- Utilização do veículo 3 5- Garantia 3 6- Características Técnicas 4 7- Desenho do esquema elétrico 4 8- Check-List

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Assessoria Especial para Modernização da Gestão Central de Compras e Contratações NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 4/2015 PROCESSO Nº 04300.003546/2014-01

Leia mais

Adequação do Sistema de Medição em Consumidores Livres e Especiais. Celso Yamada - Gerência de Engenharia de Medição

Adequação do Sistema de Medição em Consumidores Livres e Especiais. Celso Yamada - Gerência de Engenharia de Medição ID-6.016 Adequação do Sistema de Medição em Consumidores Livres e Especiais Instrução Técnica Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia de Medição Elaborado por: Colaboradores: Verificado

Leia mais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Subtransmissão / Departamento de Automação e Telecomunicação Especificação Técnica ETD 00.042 Rádio Comunicação Móvel VHF Dados e Voz Versão:

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA

KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA 1 Parabéns, você acaba de adquirir o equipamento mais avançado e de melhor relação custo/ benefício do mercado para compartilhamento de Internet via

Leia mais

CONTROLADORA NETCONTROL V3.7

CONTROLADORA NETCONTROL V3.7 CONTROLADORA NETCONTROL V3.7 VERSÃO 1.0 de 25/04/2013 7136 2 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Itens que Acompanham... 5 3. Especificações Técnicas... 5 4. Características Gerais... 6 5. Visão Geral do Equipamento...

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA DA NECESSIDADE DA CONTRATAÇÃO Para atender a solicitação expressa ao processo digital 30719/2012, AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE DE DADOS WIRELESS, COM INSTALAÇÃO,

Leia mais

2.5. Placas eletrônicas da central

2.5. Placas eletrônicas da central 2.5. Placas eletrônicas da central Placa eletrônica de laço Piezo Placa de laço Na placa eletrônica de laço podem ser ligados quatro laços de detecção, compostos por detectores de fumaça, detectores termovelocimétricos

Leia mais

ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014. Termo de Referencia

ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014. Termo de Referencia ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014 Termo de Referencia 1. OBJETO Aquisição de equipamentos de sistema de segurança (circuito fechado DVR), sendo DVR, Câmeras e Fontes 2. Descrição Quantidade Equipamento

Leia mais

Manual do Usuário. Reforçador de Sinal Celular. Modelo AT 800ID-20Ci /AT800ID-23Bi

Manual do Usuário. Reforçador de Sinal Celular. Modelo AT 800ID-20Ci /AT800ID-23Bi Manual do Usuário Reforçador de Sinal Celular Modelo AT 800ID-20Ci /AT800ID-23Bi Índice 1. DESCRIÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO PRODUTO... 1 3. COMPOSIÇÃO DO SISTEMA... 2 4. INSTALAÇÃO... 3 5. VERIFICAÇÃO E

Leia mais

Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT

Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT 1. Pré Requisitos Com base no que foi proposta, a rede wireless do Bloco K da Colina deve atender aos seguintes requisitos: Padrão IEEE

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais

PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados

PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados AVL s (Automatic Vehicle Location), nos veículos das empresas que realizam

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO E DE TELEFONIA DA SALA TÉCNICA (D) E NOVA SALA DO CENTRO DE OPERAÇÕES DE EMERGÊNCIA

Leia mais

Infraestrutura de Redes

Infraestrutura de Redes Infraestrutura de Redes Apresentação 01: Conceitos de Cabeamento Estruturado Prof. João Paulo Just - http://just.pro.br 1 Conceitos de Cabeamento Porque? Anteriormente: serviços como sistemas de alarmes,

Leia mais

Co TRIBUNAL DE CONTAS

Co TRIBUNAL DE CONTAS 411 Co TRIBUNAL DE CONTAS PREGÃO ELETRÔNICO N 18/2014 PROCESSO N 1251712014-0 Esclarecimento n 1 Em atenção a pedido de esclarecimentos formulado por empresa interessada em participar da licitação em epígrafe,

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP O Pregoeiro da Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP, designado pela Portaria nº 149/2013-PRE, de 29 de agosto de 2013, em razão de solicitação da empresa

Leia mais

Memorial Descritivo e Especificação Técnica dos Materiais

Memorial Descritivo e Especificação Técnica dos Materiais FL.: 1/16 REV.: 00 SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA INSTALAÇÃO ELÉTRICA DO AR CONDICIONADO CENTRO DE CULTURA, MEMÓRIA E ESTUDOS DA DIVERSIDADE SEXUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. LOJAS 515 e 518 - METRÔ REPÚBLICA

Leia mais

Guia de instalação WOG 212

Guia de instalação WOG 212 Guia de instalação WOG 212 WOG 212 Outdoor Station 2-12 dbi Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O outdoor station 2 WOG 212 fornece uma solução completa para

Leia mais

QUEM SOMOS MISSÃO VISÃO

QUEM SOMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS A TOP BAHIA ASSESSORIA MUNICIPAL é uma empresa baiana que atua no mercado com profissionais capacitados, prestando um serviço de excelência, fornecendo aos nossos clientes soluções completas

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CHAVE ESTÁTICA MONOFÁSICA 2 A 6 KVA

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CHAVE ESTÁTICA MONOFÁSICA 2 A 6 KVA MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CHAVE ESTÁTICA MONOFÁSICA 2 A 6 KVA ÍNDICE Introdução 01 Principais aplicações 01 Características técnicas 02 Descrição de funcionamento 03 Instalação 04 Armazenamento 05 Assistência

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

2.1.1 LEDs... 2 2.1.2 Painel traseiro... 2

2.1.1 LEDs... 2 2.1.2 Painel traseiro... 2 INTRODUÇÃO... 1 1.1 CONTEÚDO DA EMBALAGEM... 1 1.2 RECURSOS... 1 INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO... 2 2.1 LIGANDO O SWITCH... 2 2.1.1 LEDs... 2 2.1.2 Painel traseiro... 2 2.3 REQUISITOS DO AMBIENTE DE INSTALAÇÃO...

Leia mais

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET. Plano para revitalização da Rede de Transmissão de Dados e Imagens RTDI do sistema de CFTV Versão 2.

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET. Plano para revitalização da Rede de Transmissão de Dados e Imagens RTDI do sistema de CFTV Versão 2. COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET Plano para revitalização da Rede de Transmissão de Dados e Imagens RTDI do sistema de CFTV Versão 2.0 10/09/2015 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 4 2. LEVANTAMENTO TÉCNICO...

Leia mais

Aula 4b Elementos da Infraestrutura

Aula 4b Elementos da Infraestrutura Aula 4b Elementos da Infraestrutura Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Elementos de Infra-estrutura São utilizados em projetos de sistemas de cabeamento para estabelecer o tráfego de voz, dados e imagens,

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO

MANUAL DO PROPRIETÁRIO MANUAL DO PROPRIETÁRIO GUIA RÁPIDO BV: Bloquear Veículo DV: Desbloquear Veículo AR: Ativar Rastreador DR: Desativar Rastreador AC: Ativar Cerca eletrônica DC: Desativar Cerca Eletrônica BL: Bloquear e

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV 1. Nova configuração de transmissão via Satélite A Câmara dos Deputados irá adotar uma nova configuração de

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA DO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS 1 INDICE 1 OBJETIVO 2 NORMAS APLICÁVEIS 3 GENERALIDADES 4 METODOLOGIA 5 MEDIÇÕES DE GRANDEZAS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO 1 OBJETIVO... 2 2 REMOTA... 2 2.1 DESCRIÇÃO GERAL... 2 2.2 ALIMENTAÇÃO... 2 2.3 RELÓGIO INTERNO... 2 2.4 ENTRADA DE PULSOS... 2 2.5 ENTRADA DIGITAL AUXILIAR... 2 2.6 REGISTRO DA CONTAGEM DE PULSOS (LOG)

Leia mais

Manual do usuário KFSD 1120 A KFSD 1120 B

Manual do usuário KFSD 1120 A KFSD 1120 B Manual do usuário KFSD 1120 A KFSD 1120 B Conversores de mídia Fast Ethernet WDM Intelbras Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Os conversores de mídia Intelbras

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310 Especificação Técnica 1. A Solução de Fitoteca ofertada deverá ser composta por produtos de Hardware e Software obrigatoriamente em linha de produção do fabricante, não sendo aceito nenhum item fora de

Leia mais