PREFEITURA MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA CONCURSO PÚBLICO N 01/2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFEITURA MUNICIPAL DE CACHOEIRINHA CONCURSO PÚBLICO N 01/2014"

Transcrição

1 PROGRAMAS E BIBLIOGRAFIAS NÍVEL FUNDAMENTAL AUXILIAR DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO DA ESTRATÉGIA DA SAÚDE DA FAMÍLIA 1. Biossegurança e controle de infecção; Ergonomia e técnicas de instrumentação; Competências profissionais da ACD; Promoção e Educação em Saúde Bucal; Doenças bucais: etiologia e prevenção. 1. BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Serviços odontológicos: prevenção e controle de riscos. Brasília, (Capítulos: 4, 5, 6, 7, 8, 9,12,13). Disponível em: 2. BRASIL. Ministério da Saúde. Técnico em Higiene Dental e Auxiliar de Consultório Dentário. Perfil de Competências Profissionais. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Brasília, Disponível em: 3. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção. Saúde Bucal. Cadernos de Atenção Básica nº 17. Ministério da Saúde, (Capitulo III e IV) disponível em: 4. SANTOS, W.N; COIMBRA, J.L. Auxiliar de consultório dentário. Editora: Rubio, CARGOS: ELETRICISTA 1. Eletricidade básica: grandezas elétricas e magnéticas. Sistema Internacional de Unidades. Corrente contínua e alternada. 2. Lei de Ohm. Circuitos elétricos série, paralelo e misto. Magnetismo e eletromagnetismo. Circuitos trifásicos. Potência e energia. 3. Medidas elétricas. 4. Desenho Técnico: Simbologia. Diagramas. Interpretação de projetos elétricos. 5. Máquinas elétricas: Transformadores, Motores de indução monofásicos e trifásicos. 6. Acionamentos e controles elétricos. 7. Equipamentos e materiais elétricos. 8. Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA). 9. Aterramento. 10. Instalações elétricas de baixa tensão. 11. Manutenção preventiva e preditiva de sistemas elétricos. 12. Normalização: NR-10, NBR 5419 e NBR GUSSOV, Milton. Eletricidade Básica. 2. ed. São Paulo: Makron Books, MARTIGNONI, Alfonso. Máquinas Elétricas de Corrente Alternada. 6. ed. São Paulo: Globo, CAVALIN, G. e CERVELIN, S. Instalações Elétricas Prediais. 4. ed. São Paulo: Érica, COTRIM, Ademaro A. M. B. Instalações Elétricas. 4. ed. São Paulo: Prentice Hall, CREDER, Hélio. Instalações Elétricas. 14. ed. Rio de Janeiro: LTC, VÁZQUEZ MORÁN, Angel. Manutenção Elétrica Industrial. São Paulo: Ícone, Manual de Motores Elétricos WEG. 8.Normas técnicas da ABNT: NBR5410 e NBR Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego; NR 10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. CARGOS: MOTORISTA Legislação de Trânsito: Do Sistema Nacional do Trânsito. Das Normas Gerais de Circulação e Conduta. Condução de Veículos por Motorista Profissional. Dos Equipamentos Obrigatórios. Da Sinalização de Trânsito. Dos Veículos. Do Registro de Veículos. Do Licenciamento. Da Habilitação. Das Infrações. Das Penalidades e Multas. Das Medidas Administrativas. Do

2 Processo Administrativo. Dos Crimes de Trânsito. Conceitos e Definições. Sinalização de regulamentação. Sinalização de advertência. Sinalização Horizontal. Noções de primeiros socorros no trânsito. 1. BRASIL. Lei Federal nº de e suas alterações posteriores Código de Trânsito Brasileiro. Disponível em: 2. Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito, Volume I - Sinalização Vertical de Regulamentação. Disponível em: 3. Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito, Volume II - Sinalização Vertical de Advertência. Disponível em: 4. Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito, Volume IV - Sinalização Horizontal. Disponível: 5. Cartilha de Primeiros Socorros no Trânsito. Disponível em: CARGOS: OPERÁRIO QUALIFICADO A Uso e cuidados necessários para conservação de instrumentos de pintura; Procedimentos corretos para economizar tinta e derivados; Utilização correta de produtos de aplicabilidade interna e externa; Técnicas de aplicações e correções de pinturas de paredes de alvenaria, madeira e outros; Procedimentos para definições de cores; Execução de obras de alvenaria; assentamento de tijolos, pedras ladrilhos e cerâmicas; Técnicas básicas de reformas de móveis; técnicas de envernizamento; técnicas de colocação de forro; Noções sobre medidas de madeira; Identificação de madeira e o seu uso; Orçamentos de custo de mão-de-obra e material a ser utilizado em obras; Noções de segurança e higiene do trabalho; Limpeza do local de trabalho.; Remoção de lixos e detritos. 1. Cartilha Mãos a Obra da ABCP endereço eletrônico. Disponível em: 2. Guia Weber - assentar e rejuntar revestimentos; endereço eletrônico. Disponível em: 3. Guia Weber assentar e revestir alvenarias; endereço eletrônico. Disponível em: 4. Guia Weber Impermeabilizar e tratar Umidade; endereço eletrônico. Disponível em: 5. Guia Weber - Argamassas para pisos - endereço eletrônico. Disponível em: 6. Guia Weber Revestimentos de fachadas - endereço eletrônico. Disponível em: 7. Manual de Reparo e Operação da Ferramentas Gerais ano 2002 e SESI - Manual de Segurança e Saúde no Trabalho da Construção Civil Disponível em: CARGOS: OPERÁRIO QUALIFICADO B Execução de obras de instalação elétrica; conceitos de eletricidade; Noções de materiais elétricos; Orçamentos de custo de mão-de-obra e material a ser utilizado em instalações elétricas; Técnicas básicas de reformas de móveis; técnicas de envernizamento; técnicas de colocação de forro; Noções sobre medidas de madeira; Identificação de madeira e o seu uso; Orçamentos de custo de mão-de-obra e material a ser utilizado em obras; Noções de segurança e higiene do trabalho; Limpeza do local de trabalho.; Remoção de lixos e detritos. 1. Instalações Elétricas Residenciais - Prysmian. Disponível em: 2. Regulamento de Instalações Consumidoras Baixa Tensão - RIC BT - RGE-RS 3. Manual de Reparo e Operação da Ferramentas Gerais ano 2002 e 2003.

3 4. Manual Prático do Carpinteiro e Marceneiro. Genette, Francis. Ed. HEMUS. Disponível também em: BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false 5. NR 6 - Equipamento de Proteção Individual. Disponível em: 6. NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção. Disponível em: NÍVEL MÉDIO E TÉCNICO TÉCNICO DE ATENDIMENTO FARMACÊUTICO Farmacologia dos medicamentos de uso geral 2. Dispensação ambulatorial 3. Gestão de estoque 4. Aquisição, recebimento e dispensação de medicamentos 4. Atenção Farmacêutica 5. Resoluções farmacêuticas do Conselho Federal de Farmácia 6. Nomenclatura de fármacos 7. Bula de medicamentos 8. Boas Práticas de Dispensação 9. Leis, decretos e portarias que envolvem dispensação de medicamentos BISSON, Marcelo Polacow. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. 2. ed. Barueri, SP: Manole, BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Aquisição de medicamentos para assistência farmacêutica no SUS: orientações básicas Brasília: Ministério da Saúde, p. 3. CORDEIRO, B. C.; LEITE, S. N. O farmacêutico na atenção à saúde. Itajaí: Universidade do Vale do Itajaí, p. 4. GOMES, M. J. V. M; REIS, A. M. M. Ciências Farmacêuticas. Uma abordagem em farmácia hospitalar. Editora Atheneu, KOROLKOVAS, A. Dicionário Terapêutico. Guanabara. Edição 2001/ Ed. Guanabara Koogan. 6. Resolução da Diretoria Colegiada ANVISA RDC Nº 44/09 7. Resolução do Conselho Federal de Farmácia N 328/99 8. Resolução do Conselho Federal de Farmácia Nº 481/08 TÉCNICO DE TELEFONIA DE REDE LÓGICA 1. Eletricidade básica: grandezas elétricas e magnéticas. Sistema Internacional de Unidades. Corrente contínua e alternada. Lei de Ohm. Circuitos elétricos série, paralelo e misto. Magnetismo e eletromagnetismo. Transformadores. 2. Instalações Elétricas Prediais 3. Medidas elétricas. 4. Instrumentos de Teste. 5. Aparelhos Telefônicos. 6. Redes Telefônicas. 7. Parâmetros Primários das Linhas. 8. Cabos e Fios. 9. Centrais Telefônicas. 10. Tráfego Telefônico. 11. Comunicações Ópticas 1. GUSSOV, Milton. Eletricidade Básica. 2. ed. São Paulo: Makron Books, CAVALIN, Geraldo. Instalações Elétricas Prediais. 20. ed. São Paulo: Érica, KINDERMANN, Geraldo e Jorge Mário Campagnolo. Aterramento Elétrico. Porto Alegre: Sagra-DC Luzzatto, JÚNIOR, Lima e Almir Wirth. Tudo sobre fibras óticas. Rio de Janeiro: Alta Books, DERFLER, Frank J. Tudo sobre cabeamento de redes. Rio de Janeiro: Campus, IDOETA, Ivan V. Elementos de Eletrônica Digital. São Paulo: Érica, BASTOS, Arilson. Instrumentação eletrônica analógica e digital para telecomunicações. 3. ed. Rio de Janeiro: Antenna Edições Técnicas TANENBAUM, Andrew. S. Redes de computadores. São Paulo: Pearson, NASCIMENTO, Juarez do. Telecomunicações. São Paulo: Makron Books, 2000.

4 10. ALENCAR, Marcelo Sampaio de. Telefonia Digital. São Paulo: Erika, Teoria do Tráfego Telefônico. Tabelas e gráficos. Siemens. São Paulo: E. Blucher Ltda, MARKUS, Otávio. Circuitos Elétricos - Corrente Contínua e Corrente Alternada - Teoria e Exercícios. São Paulo: Erika, TÉCNICO EM ENFERMAGEM 1.Cuidados de enfermagem com gestantes e puérperas. 2.Cuidados de enfermagem com pacientes cirúrgicos. 3.Cuidados de enfermagem ao recém nascido normal. 4.Cuidados de enfermagem em limpeza, desinfecção esterilização e de materiais. 5.Cuidados de enfermagem nas doenças infectocontagiosas. 6.Cuidados de enfermagem em controle de infecção. 7.Ética e Lei do Exercício Profissional. 8.Imunizações. 9.Técnicas e procedimentos de enfermagem: - Administração de medicamentos. - Curativos. - Sondas: entérica, gástrica e vesical, lavagem intestinal, traqueostomia, drenagem de tórax. - Oxigenioterapia. - Aspiração do trato respiratório. - Medidas de conforto e segurança. - Coleta de material para exame. 1. BRASIL. Lei N.º 7.498, de 25 de junho de Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Enfermagem. Disponível em Acesso em: 30 de Junho de BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual Técnico Pré-Natal e Puerpério - Atenção Qualificada e Humanizada; Editora MS; Brasília, Disponível em: Acesso em: 30 de Junho de BRASIL. Ministério da Saúde. Calendários Básicos de Vacinação da Criança, do Adolescente, Adulto e do Idoso. Disponível em: Acesso em: 30 de Junho de MUSSI, NM (et al).técnicas fundamentais de Enfermagem.São Paulo: Atheneu, RODRIGUES, EA & RICHTMAN, R. IRAS Infecção relacionada à Assistência à Saúde Orientações Práticas. São Paulo: Sarvier, TÉCNICO EM HIGIENE DENTAL DA ESTRATÉGIA DA SAÚDE DA FAMÍLIA Promoção de Saúde; Prevenção em saúde bucal; Biossegurança e controle de infecção; Anatomia e Fisiologia Bucal; Competências Profissionais; Educação em Saúde Bucal; Fluorterapia e vigilância na utilização de fluoretos; Sistema Único de Saúde com ênfase na Estratégia de Saúde da Família. 1. PEREIRA, A.C. Tratado de Saúde Coletiva em Odontologia. Nova Odessa: Napoleão, (Capítulo 23, 24) 2. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia de recomendações para uso de fluoretos no Brasil. Brasília, Disponível em: 3. BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Serviços odontológicos: prevenção e controle de riscos. Brasília, (Capítulos: 4,5,6,7,8,9,12,13). Disponível em: 4. THD e ACD - Técnico em Higiene Dental e Auxiliar de Consultório Odontológico - Odontologia de Qualidade. Cristiane F. Saes Lobas e Cols. Santos, 1. ed (capitulo 4) 5. BRASIL. Ministério da Saúde. Técnico em Higiene Dental e Auxiliar de Consultório Dentário. Perfil de Competências Profissionais. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Brasília, 2005.

5 6. BRASIL. Lei nº de 24 de dezembro de Regulamenta o exercício das profissões de Técnico em Saúde Bucal - TSB e de Auxiliar em Saúde Bucal - ASB. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato /2008/lei/l11889.htm 7. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção. Saúde Bucal. Cadernos de Atenção Básica nº 17. Ministério da Saúde, (Capítulos II, III, IV). Disponível em: 8. BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Atenção primária e promoção de saúde. Coleção Para entender a gestão no SUS. Volume (Capítulo 4). Disponível em: 9. FRAZAO, P., NARVAI, P.C. Lei n.º /2008: avanço ou retrocesso nas competências do técnico em saúde bucal?. Trab. educ. saúde [online]. 2011, vol.9, n.1, pp Disponível em: ATENDENTE DE EDUCAÇÃO INFANTIL 1.Leis, estatutos e declarações específicas da Educação Infantil, nacionais e internacionais. 2.Educação e ensino de crianças na educação infantil 3.Psicologia e linguagem infantil. 4.Psicologia Educacional. 5.Literatura infantil 6.Ludicidade na Educação Infantil. 7.Pedagogia na Educação Infantil. 1. BRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Política de educação infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à educação. Brasília: MEC, SEB, DECLARAÇÃO de Salamanca 4. BRASIL. Lei Federal nº 8.069/1990. Estatuto da criança e do adolescente 5. PIAGET, Jean. Seis estudos de Psicologia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, VYGOTSKY, Lev Semenovich..Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, BRASIL. Lei nº de 20 dezembro de Lei de diretrizes e bases. Brasília: MEC, MOYLES, Janet R. Só brincar? O papel do brincar na educação infantil. Trad. Maria Adriana Veronese. Porto Alegre: ARTMED, OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, WALLON, Henri. A Evolução Psicológica da Criança. São Paulo: Martins Fontes, PARÂMETROS curriculares nacionais (Educação Infantil). EDUCADOR SOCIAL 1. BRASIL. Lei Federal n 8.069/1990. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). 2. Conhecimento da PNAS - Política Nacional de Assistência Social e da Política Nacional de Juventude. 3. Lei Municipal nº 1.176/91que dispõe sobre a Política Municipal de Proteção aos Direitos da Criança e do Adolescente, o Conselho Tutelar e o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. 4. Atividades lúdicas e recreativas. 5. Noções de higiene pessoal. 6. Segurança no ambiente escolar. 7. Primeiros socorros. 1. BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Oswaldo Cruz. FIOCRUZ. Manual de Primeiros Socorros. Rio de Janeiro. Fundação Oswaldo Cruz, Disponível em: 2. Noções Básicas de Primeiros Socorros. UNICAMP/São Paulo. Disponível em: 3. BRASIL. Lei N.º 8.069, de 13 de julho de Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do adolescente Brasília, DF.

6 4. BRASIL. Política Nacional de Assistência Social PNAS/2004 e Norma Operacional Básica NOB/SUAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Brasília, Disponível em: 5. CACHOEIRINHA. Lei Municipal nº 1.176/91 de 12 de julho de Disponível em: 34&idpub= MACEDO, L. de. Ensaios Pedagógicos: Como Construir uma Escola para Todos? Artmed. 7. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Módulo 12: higiene, segurança e educação. / Ivan Dutra Faria, João Antônio Cabral Monlevade. Brasília: Universidade de Brasília, p. Disponível em 8. BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria da Educação Básica. Brinquedos e Brincadeiras de Creches: manual de orientação pedagógica. Brasília, Disponível em: TESOUREIRO 1.CONTABILIDADE PÚBLICA BRASILEIRA: Regime Contábil; Exercício Financeiro; Dotação Orçamentária; Execução e Controle do Orçamento; Controle Interno; Controle Orçamentário e Financeiro; Balanços Patrimonial, Orçamentário e Financeiro. 2.RECEITA PÚBLICA: Receita Orçamentária, Receita Extra Orçamentária, Arrecadação, Recolhimento, Receita da Dívida Ativa, Operações de Crédito por Antecipação da Receita Orçamentária, Vinculações Constitucionais da Receita Pública; 3.DESPESA PÚBLICA: Despesa Orçamentária, Despesa Extra Orçamentária, Empenho, Liquidação, Pagamento, Restos a Pagar, Despesas pelo Regime de Adiantamento; Fundos Especiais; 4.PATRIMÔNIO PÚBLICO: Substância Patrimonial, Contra Substância Patrimonial, Ativo Financeiro, Passivo Financeiro, Ativo Permanente, Passivo Permanente e Situação Líquida. 5.LEGISLAÇÃO APLICADA: Legislação do Cheque. Código Tributário Nacional. Código Tributário Municipal. 1. BRASIL. Constituição Federal de 1988 (atualizada até a data do edital) Normas relativas à Tributação, à Administração Pública e ao Processo Orçamentário. 2. BRASIL. SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL. Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público: aplicado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios (procedimentos contábeis orçamentários). 5. ed. Brasília: Secretaria do Tesouro Nacional, Coordenação Geral de Contabilidade, CASTRO, Domingos Poubel de Castro. Auditoria, Contabilidade e Controle Interno na Administração Pública. Ed. 6, São Paulo: Atlas, DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 26. ed. São Paulo: Atlas, ROSA, Maria Bernadete. Contabilidade do Setor Público. São Paulo: Atlas, CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL. Princípios de Contabilidade e Normas Brasileiras de Contabilidade. 7. SLOMSKI, Valmor. Manual de contabilidade pública: um enfoque na contabilidade municipal, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal. 3. ed. São Paulo: Atlas, SÁ, Carlos Alexandre. Fluxo de caixa: a visão da tesouraria e da controladoria. 4. ed. São Paulo: Atlas, QUINTANA, Alexandre Costa; et al. Contabilidade Pública: de acordo com as Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao setor público e a Lei de Responsabilidade Fiscal. São Paulo: Atlas, BRASIL. CODIGO TRIBUTARIO NACIONAL CACHOERINHA RS. CODIGO TRIBUTARIO MUNICIPAL BRASIL. LEI DO CHEQUE. NÍVEL SUPERIOR ANALISTA DE SISTEMAS Conceitos de arquiteturas de Computadores: arquitetura de Von Neumann, arquiteturas multiprocessadas, hierarquias de memória, limites de desempenho da CPU e memória. Sistemas Operacionais. Conceitos sobre orientação a objetos. Verificação e validação de software, codificação, estratégias e técnicas de teste de software. UML e padrões de projetos. Ciclo de vida e metodologias de desenvolvimento Gestão de tecnologia da informação (ITIL). Gerenciamento de projetos. Processos ágeis de desenvolvimento de software e Programação Extrema. Gerenciamento de requisitos (Casos de Uso e User Stories). Análise (estruturada e essencial) e projeto orientado a objetos. Banco de dados Oracle, MS-SQL e MYSQL.

7 Álgebra relacional, modelo entidade-relacionamento e modelo relacional. Projeto de banco de dados. Arquitetura de um SGBD. SQL e PLSQL. Data Warehouse, Modelagem Dimensional, Mineração de Dados e Business Intelligence. Sistema. Modelagem de banco de dados. Redes de Computadores. Cabeamento estruturado de rede. Modelo de referência OSI e TCP/IP. Ethernet. Protocolos IPv4, IPv6, ICMP, UDP e TCP. HTTP e HTTPS, DHCP, DNS e proxy. Nat estático e dinâmico. Equipamentos de rede: HUB, Bridge. Gerenciamento de switches. Vlan e protocolo 802.1Q. Segurança da Informação: conceitos, Negação de Serviço, Engenharia Social, padrões de segurança Wireless WEP, WPA e WPA-2. Criptografia, certificados digitais, assinaturas digitais. Protocolo SSL. DNS Sec. Firewall e VPN. Normas de segurança. Virtualização de servidores: conceitos, Vmware, XEN e VirtualBox. 1. BASTOS, A., CRISTALLI, R., MOREIRA, T., RIOS, E. Base de Conhecimento em Teste de Software. Editora Martins, BOOCH, GRADY; JACOBSON, IVAR; RUMBAUGH, JAMES. Uml - Guia do Usuário. Editora Campus, BROOKSHEAR, J. Clenn. Ciência da Computação: uma visão abrangente. 7. ed. São Paulo: Bookman, CHESWICK, William R. Firewalls e Segurança na Internet. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, ELMASRI, R; NAVATHE,S.B. Sistemas de Banco de Dados: Fundamentos e Aplicações. Editora Pearson Education, FOROUZAN, Behrouz A. Comunicação de Dados e Redes de Computadores.3. ed. Porto Alegre: Bookman, ITIL v3. Versão de 8 de setembro de Disponível em 7. KUROSE, Ross. Redes de Computadores e a internet: uma abordagem top-down. 6. ed. São Paulo: Pearson, LARMAN, C. Utilizando UML e padrões: uma introdução à análise e ao projeto orientado a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookamn, MARCOS, Laureano. Máquinas Virtuais e Emuladores: conceitos, técnicas e aplicações. 1. ed. São Paulo: Novatec, OLIVEIRA, Rômulo Silveira et al. Sistemas Operacionais. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, Vol SOMMERVILLE, I. Engenharia de Software. Pearson. 8. ed. São Paulo, STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 8 ed. São Paulo: Pearson, STALLINGS, William. Criptografia e Segurança de redes. 4. ed. São Paulo: Pearson, WEBER, Raul Fernando. Fundamentos de Arquitetura de Computadores. 4. ed. Porto Alegre: Bookman Vol 8. CIRURGIÃO DENTISTA - ESF Exame do Paciente: Anamnese; exame clínico; exames complementares laboratoriais (solicitação e interpretação dos resultados); radiologia intra e extrabucal (técnica e interpretação). Etiologia, Diagnóstico e Tratamento de: Cárie dentária; doença periodontal; lesões cancerizáveis e estomatológicas; câncer bucal; má oclusão dentária; infecções viróticas; bacterianas e micóticas na cavidade oral; doenças sistêmicas com repercussões na cavidade bucal; doenças da polpa e tecidos periapicais. Promoção à Saúde: Prevenção e tratamento da cárie dentária, doença periodontal, câncer bucal; e má oclusão dentária. Educação em Saúde: Fatores determinantes e condicionantes de saúde; aspectos sócio econômico-culturais em odontologia; saúde bucal e seus aspectos epidemiológicos; organização e administração de serviços odontológicos; recursos humanos em odontologia; trabalho em equipe multidisciplinar. Anestesiologia: Instrumental e técnicas, fármacos, risco de acidentes (prevenção e tratamento); anestesia local: anestésicos; vasoconstritores; indicações e contraindicações. Fármacos mais utilizados em Odontologia: Analgésicos; antibióticos; anti-inflamatórios; fluoretos (uso tópico e sistêmico). Dentística: Técnicas clássicas e atuais; materiais restauradores; tratamento invasivo e não invasivo de lesões cariosas. Cirurgia: Exodontias técnicas, acidentes, instrumental utilizado, indicações e contraindicações; ulotomias; gengivectomias; exodontia de dentes retidos e impactados. Funções administrativas: participar do planejamento, execução e avaliação de atenção odontológica coletiva. Epidemiologia: participar do planejamento, execução, avaliação e interpretação de estudos e levantamentos epidemiológicos. Difusão dos preceitos de saúde pública odontológica, através de aulas, palestras, escritos. Conhecimento e tratamento de doenças Sistêmicas com Repercussão na Cavidade Bucal. Conhecimento do sistema de referenciamento e contrarreferenciamento para atenção a saúde de maior complexidade. Biossegurança. Políticas de Saúde. 1. BARATIERI, L.N. et al. Odontologia Restauradora - Fundamentos e possibilidades. São Paulo: Santos- Quintessence, BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Disponível em: 3. BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Prevenção clínica de doenças cardiovasculares. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Caderno de Atenção básica nº 14, 56 p. Brasília: Ministério da Saúde, 2006

8 4. BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Departamento de Atenção Básica. Diabetes Mellitus. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Caderno de Atenção básica nº 16, 56 p. Brasília: Ministério da Saúde, BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Caderno de Atenção básica nº 19, 192 p. Brasília: Ministério da Saúde 6. BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Coordenação Nacional de DST e Aids. Controle de infecções e a prática odontológica em tempos de aids: manual de condutas. Brasília: Ministério da Saúde, p. 7. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Estudo de Prevalência de base populacional das infecções pelos vírus das hepatites A, B e C nas capitais do Brasil. Brasília, BRASIL. Ministério da Saúde. Guia de Vigilância Epidemiológica. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica, BRASIL. Ministério da Saúde. Recomendações para atendimento e acompanhamento de exposição ocupacional a material biológico: HIV e hepatites B e C. Brasília, BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Caderno de atenção básica: saúde bucal. Brasília, BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual de atendimento odontológico a pacientes com coagulopatias hereditárias. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada. Brasília: Editora do Ministério da Saúde p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos) 12. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Manual A B C D E das Hepatites Virais para Cirurgiões Dentistas. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, p.: il. (Série F. Comunicação e Educação em Saúde) 13. BRASIL. Presidência da República. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. Relatório brasileiro sobre drogas. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas; IME USP; organizadores Paulina do Carmo Arruda Vieira Duarte, Vladimir de Andrade Stempliuk e Lúcia Pereira Barroso. Brasília: SENAD, p. 14. CAMPOS C.C et al. Manual prático para o atendimento odontológico de pacientes com necessidades especiais BUISCHI, Y.P. et al. Promoção de saúde bucal na clínica odontológica. EAP- APCD. São Paulo: Artes Médicas, CONCEIÇÃO, E. N., Cols. Dentística: saúde e estética. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, GUEDES-PINTO, A. C.; ISSÁO, M. Manual de odontopediatria. São Paulo: Santos, 11. ed KRIGER, L. et al. Promoção de saúde bucal. ABOPREV. São Paulo: Artes Médicas, NEWBRUN, Ernest. Cariologia. São Paulo: Santos, PEREIRA, Antônio Carlos et al. Odontologia em saúde coletiva - planejando ações e promovendo saúde. Porto Alegre: Artmed, p. 20. PINTO, V. G. Saúde bucal coletiva. 5. ed. São Paulo: Santos, PURICELLI, E. Técnica anestésica, exodontia e cirurgia dentoalveolar. Série ABENO - Odontologia Essencial - Parte clínica , Editora Artes Medicas. 22. STARFIELD, Bárbara. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO Brasil, Ministério da Saúde, p. 23. THYLSTRUP, A; FEJERSKOV, O. Cariologia clínica. 3. ed. São Paulo: Santos, p. 24. WANNMACHER, Lenita, FERREIRA, Maria Beatriz. Farmacologia clínica para dentistas. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, BRUNETTI, MC, et al. Periodontia médica: uma abordagem integrada. São Paulo: SENAC, SONIS, S. T.; FAZIO, R. C.; FANG, L. Princípios e prática de medicina oral. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p ESPECÍFICOS ENFERMEIRO PLANTONISTA 1.Administração em Enfermagem. 2.Atenção domiciliar. 3.Cuidados de enfermagem com gestantes e puérperas. 4.Cuidados de enfermagem ao recém nascido normal. 5.Cuidados de enfermagem em limpeza, desinfecção esterilização e de materiais. 6.Cuidados de enfermagem nas doenças infectocontagiosas. 7.Cuidados de enfermagem em controle de infecção. 8.Ética e Lei do Exercício Profissional. 9.Imunizações 10.Técnicas e procedimentos de enfermagem:

9 - Administração de medicamentos - Curativos - Sondas: entérica, gástrica e vesical, lavagem intestinal, traqueostomia, drenagem de tórax - Oxigenioterapia - Aspiração do trato respiratório - Medidas de conforto e segurança - Coleta de material para exame 1. BRASIL. Lei N.º 7.498, de 25 de junho de Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Enfermagem. Disponível em : Acesso em: 30 de Junho de BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual Técnico Pré-Natal e Puerpério - Atenção Qualificada e Humanizada. Editora MS; Brasília, Disponível em: Acesso em: 30 de Junho de BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Domiciliar - DAB. Volume 1, Disponível em: Acesso em: 30 de Junho de BRASIL. Ministério da Saúde. Calendários Básicos de Vacinação da Criança, do Adolescente, Adulto e do Idoso. Disponível em: Acesso em 30 de Junho de KURCGANT, P. Gerenciamento em Enfermagem: teoria e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, MUSSI, NM (et al).técnicas fundamentais de Enfermagem. São Paulo: Atheneu, RODRIGUES, EA & RICHTMAN, R. IRAS Infecção relacionada à Assistência à Saúde Orientações Práticas. São Paulo: Sarvier, ENGENHEIRO CIVIL Topografia. Estatística. Projetos de obras civis. Arquitetônicos. Estruturais (concreto aço e madeira). Fundações. Instalações elétricas e hidro-sanitárias. Prevenção contra incêndio. Programação de obras. Orçamento e composição de custos unitários, parciais e totais: levantamento de quantidades. Planejamento e cronograma físico-financeiro: PERT-CPM. Acompanhamento de obras. Construção. Alvenaria. Estruturas e concreto. Aço e madeira. Coberturas e impermeabilização. Esquadrias. Pisos e revestimentos. Pinturas, instalações (água, esgoto, eletricidade e telefonia). Fiscalização. Acompanhamento da aplicação de recursos (medições). Controle de materiais. Controle de execução de obras e serviços. Noções de hidráulica, de hidrologia e solos. Pavimentação urbana. Esgotamento sanitário. Resíduos sólidos. Vistoria e elaboração de pareceres. Programação, controle e fiscalização de obras. Orçamento e composição de custos, levantamento de quantitativos, planejamento e controle físico financeiro. Licitação e contratos, conforme a Lei n e atualizações. Planejamento urbano: sustentabilidade urbana. Princípios de planejamento e de orçamento público. 1. BORGES, Alberto de Campos. Topografia: aplicada à Engenharia Civil. São Paulo: Editora Blücher, BOTELHO, Manuel Henrique Campos. Concreto Armado: eu te amo. São Paulo: Editora Blücher, BOTELHO, Manuel Henrique Campos. Instalações Hidráulicas Prediais; usando tubos de PVC e PPR. São Paulo: Editora Blücher, BRASIL. Lei de Licitações nº e Lei Nº 4.320/ CAPUTO, Homero Pinto. Mecânica dos Solos e suas aplicações fundamentos. volume ed. Rio de Janeiro, LTC, CREDER, Hélio. Instalações elétricas prediais. 15. ed. Rio de Janeiro: LTC, CREDER, Hélio. Instalações Hidráulicas e Sanitárias. 6 ed. Rio de Janeiro: LTC, GRIBBIN, J. Introdução à Hidráulica, hidrologia e gestão de águas pluviais. São Paulo: Cengage Learning, LIMMER, C. V. Planejamento, Orçamentação e Controle de Projetos e Obras. Rio de Janeiro: LTC, MONTGOMERY, D. C., RUNGER, G. C., HUBELE, N. F. Estatística Aplicada à Engenharia. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, PFEIL, Walter. Estruturas de Madeira: dimensionamento segundo a norma brasileira NBR 7190/97 e critérios de normas norte-americanas NDS e europeia EUROCODE. 5 /6 ed. Rio de Janeiro, LTC, SALVADORI, Mario. Por que os Edifícios ficam de pé: a força da arquitetura. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, PFEIL, Walter. Estruturas de Aço; dimensionamento prático. Rio de Janeiro: LTC, R: BORGES, Alberto de Campos. Exercícios de Topografia. São Paulo: Editora Blücher, SEITO, A. I. A Segurança contra incêndio no Brasil. São Paulo: Projeto Editora, THOMAZ, Ércio. Tecnologia, Gerenciamento e Qualidade na Construção. 1. ed. São Paulo: Pini, YAZIGI, W. A técnica de edificar. 8. ed. São Paulo: Pini, 2007.

10 18. CACHOEIRINHA. LEI MUNICIPAL N. 1177/91. Código de Edificações do Município de Cachoeirinha. 19. CACHOEIRINHA. LEI COMPLEMENTAR N. 11, DE 18 DE DEZEMBRO DE Plano Diretor do Desenvolvimento Urbano do Município de Cachoeirinha. 20. Lei Nº / 2001 Estatuto da Cidade regulamenta os Artigos 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. NBR 5626 Instalação predial de água fria. Rio de Janeiro: ABNT, NBR 6118 Projeto de estruturas de concreto - Procedimento. Rio de Janeiro: ABNT, NBR Sistemas prediais de esgoto sanitário - projeto e execução. Rio de Janeiro: ABNT, NBR Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, NBR 9077 Proteção Contra Incêndio, Saídas de Emergência em Edifícios. 25. NBR Avaliação de custos unitários de construção para incorporação imobiliária e outras disposições para condomínios edifícios Procedimento. Versão corrigida 2. Rio de Janeiro: ABNT, NBR Tanques sépticos unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos projeto, construção e operação. Rio de Janeiro: ABNT, NBR Proteção Contra Incêndio, Símbolos Gráficos para Projeto. 28. NBR 17240: Sistemas de detecção e alarme de incêndio Projeto, instalação, comissionamento e manutenção de sistemas de detecção e alarme de incêndio Requisitos. ENGENHEIRO DE TRÁFEGO Engenharia de Tráfego: Variáveis Fundamentais do Tráfego (Volume, Velocidade, Densidade, Capacidade). Planejamento de Transporte Urbano: Modelo 4 Etapas, Coleta de Dados, Matriz Origem-Destino. Pesquisa de Tráfego: Execução, Tabulação, Interpretação. Polos Geradores de Tráfego (PGTs). Mobilidade Urbana: Ciclovias e Calçadas. Transporte Público Urbano: Transporte Coletivo, Metrô, Sistemas BRT. Sinalização Viária Urbana: Sinalização Vertical, Horizontal, Defensas e Canalização. Sinalização Semafórica: Diagrama Espaço-Tempo, Fases e Ciclo Semafórico. Segurança Viária. Projeto Geométrico. Topografia. Pavimentação de Vias Públicas: Pavimentos Rígidos e Flexíveis. Análise técnica de projetos, materiais, serviços e obras civis. Elaboração de relatórios técnicos, acompanhamento e planejamento de implantação de projetos. Noções básicas de controle de qualidade de materiais, produtos e serviços. Legislação do uso do solo: Plano Diretor de Transporte e da Mobilidade Urbana. Legislação de Trânsito: Código de Trânsito Brasileiro, Lei n 9.503, de 23/09/97 e atualizado com a Lei n 9.602, de 21/01/98; Resolução n 160 de 22/04/04 do Contran. Segurança do Trabalho: Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs). Conhecimentos de Informática (planilhas eletrônicas, editores de texto e CAD). Legislação Municipal. Ética Profissional. 1. ABCP (1998) Dimensionamento dos pavimentos rodoviários de concreto. 10. ed Associação Brasileira de Cimento Portland. São Paulo, SP BALBO, J. T. (2007) Pavimentação Asfáltica - Materiais, Projeto e Restauração. São Paulo: Oficina de Textos, 558 p. 3. BRASIL (1997) CTB - CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO, Lei n 9.503/97 - Editora Escala, BRUTON, M. J. (1979) Introdução ao Planejamento de Transportes. Rio de Janeiro: Interciência. 206p. 5. DENATRAN (2000) Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito. Ministério da Justiça, Departamento Nacional de Trânsito, Brasília, DF. 6. DENATRAN (2001) Manual de procedimentos para o tratamento de polos geradores de tráfego. Ministério da Justiça, Departamento Nacional de Trânsito, Brasília, DF. 7. FERRAZ, A. C. P.; BEZERRA, B. S.; JÚNIOR, A. A. R. (2008) Segurança no Trânsito. São Paulo: Editora Papel. 280p. 8. HCM (2011) Highway Capacity Manual. Washington, D.C 9. HSM (2012) Highway Safety Manual. AASHTO. 10. ITDP (2008) Manual de BRT Bus Rapid Transit: Guia de Planejamento. Ministério das Cidades, Brasília, DF. 11. LEE, S. H. (2008) Introdução ao Projeto Geométrico de Rodovias. Florianópolis: Editora da UFSC, 434 p. 12. LEITE, J. G. M. (1980) Engenharia de Tráfego: Métodos de Pesquisa, Características de Tráfego, interseções e Sinais Luminosos. São Paulo: CET/SP. 13. SEMOB (2007) PlanMob Construindo a Cidade Sustentável: Caderno de Referência para Elaboração de Plano de Mobilidade Urbana. Secretaria Nacional de Transporte e Mobilidade Urbana, Ministério das Cidades, Brasília, DF. 1. Anatomofisiologia da linguagem. FONOAUDIÓLOGO

11 2. Neuroanatomofisiologia da audição e/ou do sistema vestibulococlear. 3. Avaliação e tratamento fonoaudiológico dos distúrbios vocais. 4. Avaliação das alterações auditivas em adultos e crianças. 5. Seleção e adaptação de próteses auditivas. 6. Avaliação e intervenção fonoaudiológica nas alterações de linguagem. 7. Alterações das funções estomatognáticas: avaliação e terapia miofuncional. 8. Distúrbios de sucção, deglutição e mastigação em recém-nascidos, lactentes e crianças. 9. Avaliação clínica, exames complementares e intervenção fonoaudiológica nas disfagias neurogênicas e mecânicas. 10. Trabalho em saúde pública. 1. BEHLAU, Mara. Voz - O livro do especialista. Rio de Janeiro: Revinter, V.I e V.II 2. BEVILACQUA, M.C.; MORET, A.L.M. Deficiência auditiva: conversando com familiares e profissionais de saúde. São Paulo: Pulso Editorial, BEVILACQUA, M.C (org). Tratado de Audiologia. São Paulo: Santos, FERNANDES, Mendes e NAVAS (org). Tratado de Fonoaudiologia. 2. ed. São Paulo: Roca, MANUAL DE PRÁTICAS DA ATENÇÃO BÁSICA. SAÚDE AMPLIADA E COMPARTILHADA. Campos GWS, Guerrero AVP, organizadores. [on line] %5D.pdf 6. MOLINI-AVEJONAS, Daniela Regina; MENDES, Vera Lúcia Ferreira and AMATO, Cibelle Albuquerque de la Higuera. Fonoaudiologia e Núcleos de Apoio à Saúde da Família: conceitos e referências. Rev. soc. bras. fonoaudiol. [online]. 2010, vol.15, n.3, pp ISSN NOVAES, Hillegonda Maria Dutilh e ELIAS, Flávia Tavares Silva. Uso da avaliação de tecnologias em saúde em processos de análise para incorporação de tecnologias no Sistema Único de Saúde no Ministério da Saúde. Cad. Saúde Pública [online]. 2013, vol.29, suppl.1, pp. s7-s16. ISSN X. MÉDICO CARDIOLOGISTA 1- Epidemiologia e prevenção das doenças Cardiovasculares (CV); 2- Fisiologia CV; 3- Semiologia CV; 4- Farmacologia CV; 5- Métodos diagnósticos não-invasivos em Cardiologia; 6- Hipertensão Arterial Sistêmica; 7- Aterosclerose e Dislipidemias; 8- Doença Coronariana Aguda e Crônica; 9- Arritmias cardíacas; 10- Valvopatias; 11- Doenças da aorta; 12- Insuficiência Cardíaca e Miocardiopatias; 13- Emergências Cardiovasculares; 14- Doenças sistêmicas e o coração; 15- Cardiopatias Congênitas; 16- Indicação de procedimentos cirúrgicos ou percutâneos em cardiologia. Ética profissional. Código de Ética Médica; Deontologia. Procedimentos básicos dos julgamentos disciplinares dos Conselhos Regionais; resoluções do Conselho Federal de Medicina, Crimes contra a saúde pública Artigos 267 a 285 do Código Penal Brasileiro. Constituição Federal Do Brasil de Organização dos serviços de saúde no Brasil: Sistema Único de Saúde - Princípios e diretrizes, controle social; Indicadores de saúde; Sistema de notificação e de vigilância epidemiológica e sanitária; Endemias/epidemias: Situação atual, medidas de controle e tratamento; Planejamento e programação local de saúde, Distritos Sanitários e enfoque estratégico. Estratégia de avaliação em saúde: conceitos, tipos, instrumentos e técnicas; Conceitos e critérios de qualidade da atenção à saúde: acessibilidade, humanização do cuidado, satisfação do usuário e do trabalhador, equidade. Promoção da saúde: conceitos e estratégias; Principais problemas de saúde da população e recursos existentes para o enfrentamento dos problemas.

12 1. BRAUNWALD'S HEART DISEASE: A Textbook of cardiovascular medicine. Nona edição. Ed. Elsevier/Saunders, Philadelphia, THE ESC TEXTBOOK OF CARDIOVASCULAR MEDICINE. John Camm and col. Ed. Oxford / CARDIOLOGIA LIVRO TEXTO DA SBC Ed. Manole / TRATADO DE CARDIOLOGIA DA SOCESP. Serrano Jr; Timermann; Stefanini e cols. Segunda edição. Ed. Manole/ CRAWFORD MH. Current Cardiologia. 3. ed. Editora Revinter, GOTTSCHALL, Carlos A.M. Função cardíaca: da normalidade à insuficiência. São Paulo: Fundação Byk, BRASIL. Lei nº de 19 de setembro de Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. 8. BRASIL. Ministério da Saúde. Humaniza SUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS..Brasília: Editora do Ministério da Saúde, BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência. Brasília: Ministério da Saúde, BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. 7. ed. Brasília : Ministério da Saúde, BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema de Planejamento do SUS (Planeja SUS): uma construção coletiva trajetória e orientações de operacionalização / Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, TEIXEIRA, Carmen Fontes (organizadora). Planejamento em saúde: conceitos, métodos e experiências. Salvador: EDUFBA/2010. Disponível em 15. BRASIL. Código Penal Brasileiro. Artigos 267 a McWHINNEY, I. R.; FREEMAN, T. Manual de Medicina de Família e Comunidade. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, STARFIELD, Bárbara. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde, ROUQUAYROL, M. Z. ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia & Saúde. Guanabara Koogam. 6. ed. 19. MEDRONHO, R.A. Epidemiologia. 2. ed. 20. CAMPOS, G. W. et al. Avaliação de política nacional de promoção da saúde Ciência & Saúde Coletiva. 9(3): , 2004 MÉDICO CLÍNICO GERAL PA E MÉDICO CLÍNICO GERAL UBS 1. Testes de investigação, exames diagnósticos, seleção e interpretação de exames laboratoriais, exames diagnósticos no diagnóstico diferencial, exames diagnósticos e tomada de decisão clínica, desempenho dos exames diagnósticos, eletrocardiografia básica, classificação de doenças, critérios de gravidade, diagnóstico diferencial, indicações terapêuticas clínicas e cirúrgicas de enfermidades. Bioestatística e epidemiologia clinica.

13 2. Manifestação e apresentação de doenças: Anamnese e exame físico, Receituários, Dor; Febre, Hipertermia e hipotermia, Rash cutâneo, Síncope, Confusão mental, Distúrbios da visão, Choque, Tosse, Constipação, Prurido, Edema, Distúrbio hidroeletrolítico, Distúrbio nutricional, Dispneia, Reação e intoxicação medicamentosa e outros agentes, Efeitos colaterais de medicação, Sopro cardíaco. 3. Doenças infecciosas: Exames diagnósticos, Imunização e vacinas, Fatores de risco, Sepse, Endocardite, Diarreia aguda e crônica, Osteomielite, Infecção de pele e partes moles, Síndrome da Imunodeficiência adquirida, Paciente imunocomprometidos e transplantados, Controle de infecção hospitalar, Doença por bactérias gram-positivas e gramnegativas, Amebíase, Bacteremia, Conjuntivite, Cólera, Difteria, Febre reumática, Influenza, Leishmaniose, Lepra, Malária, Raiva, Rubéola, Sarampo, Salmonelose, Tétano, Toxoplasmose. Dengue. 4. Sistema cardiovascular: Principais testes diagnósticos, Insuficiência cardíaca, Insuficiência vascular periférica, Doença cardíaca congênita, Febre reumática, Arritmias cardíacas, Doença das válvulas cardíacas congênitas e adquirida, Cor pulmonale, Miocardiopatia, miocardites e pericardites, Trauma cardíaco, Infarto agudo do miocárdio, Angina estável e instável, Hipertensão arterial sistêmica, Trombose venosa profunda, Oclusão arterial aguda e crônica, Doenças da Aorta, Dor torácica, Hipertensão pulmonar. 5. Sistema respiratório: Provas de função pulmonar, Asma brônquica, Pneumonias, Bronquiectasias. Doença broncopulmonar obstrutiva crônica. Doenças da pleura, mediastino e tórax, Infecção de vias aéreas respiratórias. Neoplasia pulmão, pleura, mediastino e caixa torácica. Transplante de pulmão. Derrame pleural e empiema. Abscesso pulmonar, Silicose. Infiltrado pulmonar. Tuberculose. Embolia pulmonar. Atelectasia. Hemorragias das vias respiratórias. Insuficiência respiratória. Pneumoconioses. Pneumotórax. 6. Doenças do rim e trato urogenital: Insuficiência renal aguda e crônica, Glomerulonefrite, Pielonefrite, Obstrução do trato urinário, Urolitíase, Transplante renal, Tumores renais, Infecções do trato urinário em homens e mulheres, Incontinência urinária. Hiperplasia de próstata. Prostatite. Neoplasia de próstata. 7. Sistema digestivo: Endoscopia digestiva alta e baixa, Parasitose intestinal, Disfagia, Hemorragia digestiva alta e baixa, Doenças do esôfago, estômago e duodeno, Distúrbio de absorção, Síndrome do cólon irritável, Doença de Crohn, Diverticulose, Abdômen agudo, Apendicite aguda, Sub-oclusão intestinal, Hepatite viral aguda e crônica, Hepatite medicamentosa e autoimune, Cirrose hepática, Pancreatite aguda e crônica, Colelitíase, colecistite e coledocolitíase, Colangite, Icterícia, Transplante hepático, Neoplasia do trato digestivo, Hemorróidas, fissura e abscesso anal. 8. Sistema endocrinológico e do metabolismo: Distúrbio do crescimento, Doença da tireóide e para tireóide, Neoplasias de tireoide, Doença da adrenal, Diabete mellitus e insípido, Gota, Doenças dos ossos e metabolismo, Uremia, Hiperlipidemia, Deficiência de vitaminas, Síndrome de Cushing, Nutrição. 9. Sistema neurológico e locomotor: Cefaleia e enxaqueca, Epilepsia e convulsão, Doença cerebrovascular, Demência e doença de Alzheimer, Distúrbio extrapiramidal e Parkinson, Neoplasia do sistema nervoso central, Compressão medular, Meningite aguda e crônica, Abscesso cerebral, Acidente vascular cerebral isquêmico e hemorrágico, Esclerose sistêmica, Miastenia Gravis, Neuralgia do trigêmio, Paralisia facial periférica, Doença de Parkinson, Artrite reumatóide, Afecções do sistema nervoso central, Dependência de drogas, Vertigem e tontura. 10. Doenças Hematológicas e Oncológicas: anemias, transfusões de hemocomponentes, distúrbios de coagulação, policitemias, leucemias agudas e crônicas, síndromes paraneoplásicas, emergências oncológicas. 11. Problemas de saúde mental: psicofármacos, transtornos de ansiedade, depressão, transtorno do humor bipolar, psicoses, drogadição, tabagismo e dependência de álcool. 12. Emergências clínicas: abordagem do paciente grave. Sinais e sintomas em emergência. Abordagens de síndromes em emergência. Emergências cardiopulmonares; venosas; relacionadas com a SIDA; infecciosas e neurológicas; relacionadas ao trato gastrintestinal; onco-hematológicas; endócrinas; metabólicas e sistêmicas; emergências psiquiátricas. 13. Política Nacional de Atenção Básica. Diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). 14. Sistemas de Informação em Saúde. 15. Sistema Único de Saúde: princípios, diretrizes, organização e gestão da saúde; atribuições e competências no SUS em nível nacional, estadual, municipal; recursos e gestão financeira. 1. Portaria nº 399/GM de 22 de Fevereiro de Divulga o pacto pela saúde Disponível em: 2. BRASIL, Ministério da Saúde. Gabinete Ministerial. Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Disponível em 3. OLIVEIRA, Reynaldo Gomes de; PEDROSO, Enio Roberto Pietra. Clínica Medica. Blackbook. 4. GOLIN, Valdir; SPROVIERI, Sandra Regina Schwarzwälder. Condutas em Urgências e Emergências para o Clínico. São Paulo: Atheneu. 5. DUNCAN, Bruce B. et al. Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção Primária Baseada em Evidências. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, GUSSO, Gustavo; LOPES José Mauro Ceratti. Tratado de Medicina de Família e Comunidade: princípios, formação e prática

14 7. LONGO, Dan L.et al. Medicina Interna de Harrison..Tradução: Ademar Valadares Fonseca et al. 18. ed.. Porto Alegre: AMGH,2013. Volumes 1 e GOLDMAN, Lee; AUSIELLO, Dennis. Cecil. Tratado de Medicina Interna. 23. ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 9. KAPLAN, H. I.; SADOCK, B. Compêndio de psiquiatria. 9.ed. Porto Alegre: Artes Médicas, Lei nº de 19 de setembro de 1990 e suas alterações posteriores. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. MÉDICO DO TRABALHO 1. Processo saúde-doença e trabalho. 2. Trabalho e Saúde Mental. 3. Toxicologia Ocupacional e Intoxicações; Monitoramento biológico da exposição química ocupacional. 4. Vigilância em ambientes de trabalho. 5. Câncer Ocupacional e Doenças Relacionadas ao Trabalho: epidemiologia, diagnóstico, tratamento, prognóstico, prevenção e medidas de controle. 6.Exposição ocupacional a material biológico e agentes perfuro-cortantes. 7. Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho; Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional; Insalubridade e Periculosidade. 8. Ergonomia. 9. Legislação Previdenciária; Plano de Benefícios da Previdência Social e Regulamento da Previdência Social; Perfil Profissiográfico Previdenciário; aposentadoria especial e classificação dos agentes nocivos; Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário. 10. Organização da Atenção a Saúde do Trabalhador no Sistema Único de Saúde. 11. Ética Médica; Código de Ética Médica; Deontologia. 12.Epidemiologia e Planejamento em Saúde. Políticas de Saúde no Brasil. Avaliação em Saúde. Vigilância Epidemiológica. Desenhos de Pesquisa Epidemiológica. Medida da Saúde Coletiva. Doenças emergentes e reemergentes. Epidemiologia, história natural e prevenção de doenças. Rastreamento; Testes diagnósticos. 13. Gestão de Serviços de Medicina do Trabalho. Classificação Internacional de Funcionalidade. Pessoas com Deficiência e inclusão social. 14. Atenção Primária à Saúde no Brasil; Condições de saúde da população brasileira; Sistema de Saúde no Brasil; Organização de Serviços de Atenção Primária à Saúde. 15. Promoção da Saúde do Adulto e Prevenção de Doenças Crônicas. 16. Situações de emergência; acidentes por animais peçonhentos; ressuscitação cardiopulmonar; Envenenamentos agudos. 17. Organização dos serviços de saúde no Brasil: Sistema Único de Saúde - Princípios e diretrizes, controle social. Indicadores de saúde; Sistema de notificação e de vigilância epidemiológica e sanitária; Planejamento e programação local de saúde; Estratégias de avaliação em saúde; Conceitos e critérios de qualidade da atenção à saúde: acessibilidade, humanização do cuidado, satisfação do usuário e do trabalhador, equidade. Promoção da saúde: conceitos e estratégias; Principais problemas de saúde da população. 1. MENDES, R. Patologia do Trabalho. Volumes I e II. 3. ed. São Paulo: Editora Atheneu, BRASIL. Ministério da Saúde do Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho. Manual de procedimentos para os serviços de saúde Segurança e Medicina do Trabalho. Manuais de Legislação. Atlas, 73. ed

15 4. MARTINS, Sérgio Pinto Martins. Legislação Previdenciária. 19. ed. São Paulo: Atlas, BRASIL. Lei nº de 24 de julho de 1991 e suas alterações posteriores. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. 6. BRASIL. Decreto n de 06 de maio de 1999 e suas alterações posteriores. Aprova o Regulamento da Previdência Social e dá outras providências. 7. Resolução CFM 1931/2009. Código de Ética Médica. Publicada no Diário Oficial da União de 24 de setembro de 2009, Seção I, p BRASIL. Lei nº de 19 de setembro de Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. 9. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Legislação em Saúde: Caderno de Legislação em Saúde do Trabalhador. 2. ed. Revista e ampliada. Brasília, DF, Ministério da Saúde, DUNCAN, B.B.; SCHMIDT, M.I. GIUGLIANI, E.M.J.; Duncan, M. S.; Giugliani, C. Medicina Ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, ROUQUAYROL, M. Z.;GURGEL, M.Organizadores. Epidemiologia & Saúde. 7. ed. Rio de Janeiro: Medbook, MÉDICO ESF 20H, 30H E 40H Avaliação, abordagem, acolhimento e assistência da família. Reconhecimento e abordagem às crises familiares, evolutivas e não evolutivas, às disfunções familiares no âmbito da Medicina de Família e Comunidade. Promoção da Saúde. Diagnóstico e tratamento das afecções mais prevalentes em Atenção Primária em Saúde: idoso, criança e adolescente, adulto, mulher. Transtornos adaptativos da infância, adolescência, do adulto e da velhice. Assistência à gestação normal, ao parto e ao puerpério. Atendimento à gestação de alto-risco e encaminhamento. Neonatologia e puericultura. Afecções mais freqüentes na infância, na adolescência, na idade adulta e na velhice. Reconhecimento, primeiros cuidados e encaminhamento em urgência e emergência. Exames complementares na clínica diária. Atendimento ambulatorial e encaminhamento em Psiquiatria. Diagnóstico das patologias cirúrgicas mais freqüentes e encaminhamento. Orientação e cuidados pré e pós-operatórios das intervenções cirúrgicas mais simples. Técnicas e cuidados relativos às cirurgias ambulatoriais mais simples. Técnicas de dinâmica de grupo. Promoção de ações de educação em saúde e ações em parceria com a comunidade. Identificação dos problemas de saúde da comunidade, particularizando grupos mais vulneráveis. Gerenciamento de serviços de saúde. Montagem e operação de sistemas de informação na Atenção Primária à Saúde. Organização de arquivo médico. Montagem, orientação e avaliação de sistema de referência e contra-referência. Atuação intersetorial nos vários níveis de atenção à saúde. Estudos de prevalência e incidência de morbi-mortalidade e de indicadores de saúde na população sob sua responsabilidade. Estudos de demanda e de aspectos específicos da unidade. Programa de Imunização. Treinamento de pessoal e educação continuada para a equipe de saúde. Urgências e emergências. 1. BRASIL.Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica após o número 16. Disponível em 2. DUNCAN, B.B.; SCHMIDT, M.I.; GIUGLIANI, E.M.J. Medicina ambulatorial: condutas clínicas em atenção primária à 3. GOLDMANN, Lee e AUSIELLO, Dennis. Cecil. Medicina. Rio de Janeiro: Elsevier, GUSSO, G; LOPES, J.M.C.; Tratado de medicina de Família e Comunidade. Porto Alegre: Artmed, 2012.

16 5. STEWART, Moira; WESTON, W. Wayne; MCWHINNEY, Ian R.; MCWILLIAM, Carol L.et al. Medicina Centrada na Pessoa Transformando o método clínico. Porto Alegre: Artmed, MÉDICO GASTRO PEDIATRA 1 Abdômen agudo 2 Aleitamento materno 3 Alergia alimentar 4 Alimentação no primeiro ano de vida 5 Ascite 6 Atresia das vias biliares 7 Cirroses 8 Cisto de colédoco 9 Colangite esclerosante 10 Colelitíase 11 Colestase neonatal 12 Colestases familiares 13 Constipação intestinal 14 Deficiência de alfa-1-antitripsina 15 Diarréia aguda, persistente e crônica 16 Distúrbios da Motilidade do trato gastrointestinal e da deglutição 17 Distúrbios funcionais 18 Doença celíaca 19 Doença de Hirschsprung e neuro displasia intestinal 20 Doença de Wilson 21 Doença Inflamatória Intestinal 22 Doença péptica 23 Doenças metabólicas relacionadas ao trato digestório 24 Dor abdominal recorrente 25 Enteropatia perdedora de proteínas 26 Esteato hepatite 27 Fibrose cística 28 Fórmulas infantis para a criança normal e com afecções do Aparelho Digestivo 29 Doenças eosinofílicas do Aparelho Digestivo 30 Hemorragias digestivas 31 Hepatite autoimune e outras doenças autoimunes do sistema hepatobiliar 32 Hepatite fulminante 33 Hepatites virais 34 Hipertensão porta 35 Intestino irritável 36 Intolerância aos monossacarídeos e dissacarídeos 37 Má-absorção 38 Más-formações do trato digestivo 39 Neoplasias do trato digestivo e seus anexos

17 40 Pancreatites agudas e crônicas 41 Parasitoses intestinais 42 Pseudo-obstrução intestinal 43 Refluxo gastroesofágico 44 Síndrome do Intestino curto 45 Suporte nutricional em doenças do trato digestivo e nas hepatopatias 46 Transplante hepático e intestinal 47 Urgências do aparelho digestivo e seus anexos 48 Interpretação e execução de procedimentos em Gastroenterologia e Hepatologia pediátricas (phmetria, biópsia intestinal, Testes de H2 expirado, teste expiratório para H. pylori, biópsia hepática, endoscopia alta, colonoscopia, métodos de imagem (radiologia com e sem contraste, Tomografia e Ressonância magnética) e exames de sangue, urina, fezes e de outros fluidos corporais). 49 Interpretação histológica das biópsias de esôfago, estômago, intestino e fígado 1. BARBIERI D, KOTZE LMS, Rodrigues M, ROMALDINI CC. Atualização em doenças diarreicas da criança e do adolescente. São Paulo: Editora Atheneu, p. 2. CARVALHO E, SILVA LR, FERREIRA CT. Gastroenterologia e Nutrição em Pediatria. São Paulo-Barueri: Manole, p. 3. TOMMASO AMA de, PORTA G, editores. Manual de hepatologia pediátrica. São Paulo: Atheneu, HESSEL G, Ribeiro. GASTROENTEROLOGIA E HEPATOLOGIA PEDIATRICA. SERIE PEDIATRIA/UNICAMP. São Paulo: Sarvier, p. 5. LOPEZ FA, Campos Jr D. Tratado de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria. 2 ed. São Paulo- Barueri: Manole volumes 2982 p. 6. MORAIS MB. Gastroenterologia e Hepatologia em Pediatria. Série Atualizações Pediátricas da SPSP. 2ed. São Paulo, Editora Atheneu, PORTA G, KODA YKL. Coleção Pediatria do Instituto da Criança HC-FMUSP - Gastroenterologia e Hepatologia. Barueri, São Paulo- Barueri: Manole, p. 8. SDEPANIAN VL. Gastroenterologia Pediátrica Manual de Condutas. São Paulo- Barueri: Manole, p. 9. SILVA LR, FERREIRA CT; CARVALHO E. Hepatologia em Pediatria. São Paulo- Baureri: Manole, p. 10. WALKER WA, DURIE PR, HAMILTON JR, WALKER Smith JA, WATKINS JB.B.C. Decker. Pediatric gastrointestinal disease; pathophysiology, diagnosis, management. 4th ed. 2v. (CD-ROM included) Jornal de Pediatria e Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition publicados a partir de MÉDICO GINECOLOGISTA OBSTETRA UBS GINECOLOGIA: Consulta ginecológica. Exames complementares em ginecologia. Pré e pós-operatório em cirurgia ginecológica. Ginecologia infantopuberal. Vacinação da mulher. Vulvovaginites. Doenças sexualmente transmissíveis. Doença inflamatória pélvica. Síndrome pré-menstrual. Planejamento familiar. Sangramento uterino anormal. Amenorréias. Hiperandrogenismo. Endometriose. Infertilidade. Climatério. Uroginecologia. Patologia benigna da vulva, do útero e das mamas. Câncer ginecológico: vulva, vagina, útero, ovários e mamas. Violência sexual contra a mulher. Urgências em ginecologia. Ética profissional. OBSTETRÍCIA: Assistência pré-natal. Vacinação da gestante. Assistência ao trabalho de parto e parto. Abortamento. Gestação ectópica. Prematuridade. Pós-datismo. Ruptura prematura de membranas. Crescimento intrauterino restrito.

18 Gemelaridade. Avaliação da saúde fetal. Infecções pré-natais. Gestação e doenças sexualmente transmissíveis. Drogas teratogênicas. Doença Hipertensiva na gestação. Diabete e gestação. Hemorragia ante e pós-parto. Puerpério. Infecção puerperal. Amamentação. 1. CUNNINGHAM, F.G. et al. Williams Obstetrics. 23. ed. MCGraw-Hill, LENTZ, G.M. et al. Comprehensive Gynecology. 6 ed. Philadelphia, Elsevier, FREITAS, F. et al. Rotinas em Ginecologia. 6 ed. Porto Alegre, Artmed, FREITAS, F. et. al. Rotinas em Obstetrícia. 6 ed. Porto Alegre, Artmed, FEBRASGO. Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais FEBRASGO. Manual de Gestação de Alto Risco. FEBRASGO, FEBRASGO. Manual de Orientação Vacinação da Mulher. São Paulo, FEBRASGO, FEBRASGO. Manual de Orientação Trato Genital Inferior MÉDICO HEMATOLOGISTA 1.Interpretação do hemograma. 2.Coagulopatias e trombofilia. 3.Uso de hemocomponentes e reações transfusionais. 4.Diagnóstico diferencial de anemias. 1. BAIN, Lewis e BATES. HEMATOLOGIA PRÁTICA. 9. ed. ARTMED. Especificações: 571 páginas. ISBN: ZAGO, Marco Antônio; PASQUINI, Ricardo; FALCÃO, Roberto Passetto. Hematologia Fundamentos e Prática. 1. ed. Rio: Atheneu páginas. ISBN: MÉDICO NEUROLOGISTA ADULTO

19 1.Neuroanatomia funcional e semiologia das funções cognitivas. 2.Neuroanatomia funcional e semiologia dos nervos cranianos. 3.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema motor. 4.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema sensitivo. 5.Neuroanatomia funcional e semiologia do equilíbrio. 6.Desenvolvimento neuropsicomotor. 7.Exames neurofisiológicos. 8.Exames neurorradiológicos. 9.Neuroanatomia funcional e semiologia das funções cognitivas. 10.Neuroanatomia funcional e semiologia dos nervos cranianos. 11.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema motor. 12.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema sensitivo. 13.Neuroanatomia funcional e semiologia do cerebelo e vias vestibulares. 14.Desenvolvimento neuropsicomotor. 15.Exames neurofisiológicos. 16.Exames neurorradiológicos. 17.Infecções crônicas do sistema nervoso. 18.Infecções agudas do sistema nervoso. 19.Abscessos, encefalite e neurossífilis. 20.Manifestações neurológicas de doenças sistêmicas. 21.Esclerose lateral amiotrófica, Esclerose múltipla. 22.Miastenia gravis. 23.Doença cérebro vascular. 24.Coréias, distonias e tiques. 25.Distúrbios do sono. 26.Doença de Parkinson. 27.Demências. 28.Cefaléia. 29.Epilepsia. 1. CONTINUUM. Periódico da Academia Americana de Neurologia. 2. NEUROLOGY. Revista da Academia Americana de Neurologia. 3. JANKOVIC, Josef. Parkinson's Disease & Movement Disorders. 5. ed. 4. ADAMS AND VICTOR'S. Principles of Neurology. 8. ed. e 9 ed. 5. NETTER, Royden Jones Jr. Neurologia. 6. NEUROLOGY A QUEEN SQUARE TEXTBOOK NELSON. Tratado de Pediatria. MÉDICO NEUROLOGISTA PEDIATRA 1.Neuroanatomia funcional e semiologia das funções cognitivas. 2.Neuroanatomia funcional e semiologia dos nervos cranianos. 3.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema motor.

20 4.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema sensitivo. 5.Neuroanatomia funcional e semiologia do equilíbrio. 6.Desenvolvimento neuropsicomotor. 7.Exames neurofisiológicos. 8.Exames neurorradiológicos. 9.Neuroanatomia funcional e semiologia das funções cognitivas. 10.Neuroanatomia funcional e semiologia dos nervos cranianos. 11.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema motor. 12.Neuroanatomia funcional e semiologia do sistema sensitivo. 13.Neuroanatomia funcional e semiologia do cerebelo e vias vestibulares. 14.Desenvolvimento neuropsicomotor. 15.Exames neurofisiológicos. 16.Exames neurorradiológicos. 17.Infecções crônicas do sistema nervoso. 18.Infecções agudas do sistema nervoso. 19.Abscessos, encefalite e neurossífilis. 20.Manifestações neurológicas de doenças sistêmicas. 21.Esclerose lateral amiotrófica, Esclerose múltipla. 22.Miastenia gravis. 23.Doença cérebro vascular. 24.Coréias, distonias e tiques. 25.Distúrbios do sono. 26.Doença de Parkinson. 27.Demências. 28.Cefaléia. 29.Epilepsia. 1. CONTINUUM. Periódico da Academia Americana de Neurologia. 2. NEUROLOGY. Revista da Academia Americana de Neurologia. 3. JANKOVIC, Josef. Parkinson's Disease & Movement Disorders. 5. ed. 4. ADAMS AND VICTOR'S. Principles of Neurology. 8. ed. e 9 ed. 5. NETTER, Royden Jones Jr. Neurologia. 6. NEUROLOGY A QUEEN SQUARE TEXTBOOK NELSON. Tratado de Pediatria. MÉDICO ORTOPEDISTA Semiologia e sintomatologia clínicas das doenças ortopédicas e traumatológicas. Alterações congênitas dos membros superiores, membros inferiores e coluna. Exames complementares e de imagem básicos e avançados em ortopedia e traumatologia. Osteomielite e artrite séptica dos membros e coluna. Tumores ósseos e de partes moles. Doenças osteometabólicas. Lesões tendinosas agudas e crônicas e lesões musculares. Fraturas e luxações dos membros inferiores e superiores e coluna na criança e adulto. Fraturas expostas. Lesões ligamentares dos membros superiores e inferiores. Síndromes dolorosas da coluna.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Cargo: ENFERMEIRO/ÁREA 1. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO CARGO: Prestar assistência ao paciente e/ou usuário em clínicas, hospitais, ambulatórios, navios, postos de saúde e em domicílio, realizar consultas e procedimentos

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

CURSO PRIUS PREPARATÓRIO PARA TÉCNICOS DE ENFERMAGEM HUPE / UERJ

CURSO PRIUS PREPARATÓRIO PARA TÉCNICOS DE ENFERMAGEM HUPE / UERJ AME - Dicionário de Administração de Medicamentos na Enfermagem. 2009/2010. Rio de Janeiro: EPUB, 2009. ANVISA. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar - Caderno C: Métodos de Proteção Anti- infecciosa.

Leia mais

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016)

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) ÁREA: ENFERMAGEM RELAÇÃO DE ASSUNTOS 1 - ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE E ADMINISTRAÇÃO APLICADA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS 4º E 5º PERÍODOS MATRIZ 2 4 º Período BIOLOGIA MOLECULAR - 2835 Introdução a Biologia Molecular. Estrutura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DA PROVA GERAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 01- CLÍNICA MÉDICA Insuficiência

Leia mais

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias MÓDULO I NUTRIÇÃO CLÍNICA 1-Absorção, digestão, energia, água e álcool 2-Vitaminas e minerais 3-Proteínas, lipídios, carboidratos e fibras 4-Cálculo das necessidades energéticas 5-Doenças do aparelho digestivo

Leia mais

AULAS TEÓRICAS SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 DATA HORÁRIO ASSUNTO PROFESSORES

AULAS TEÓRICAS SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 DATA HORÁRIO ASSUNTO PROFESSORES SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 4 ago 11:00 ÀS 11:50 RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE E ÉTICA MÉDICA FLÁVIA MAGALHÃES 11 ago 11:00 ÀS 11:50 ANAMNESE FLÁVIA MAGALHÃES 18 ago 11:00 ÀS 11:50 SEMIOLOGIA

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso ANEXO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso Células e Tecidos do Sistema Imune Anatomia do sistema linfático Inflamação aguda e crônica Mecanismos de agressão por

Leia mais

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR Aulas teórica s Amb. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 24/7/2015 Abdome Agudo

Leia mais

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES MATERNIDADE ESCOLA JANUÁRIO CICCO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANA BEZERRA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROCESSO SELETIVO PARA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 DATA SALA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 6/2/2015 102. D 13:15-14:10 Tratamento

Leia mais

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny DATA hora AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 25/10/2013 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica 01 Demências; 02 Depressão; 03 Hipertensão Arterial Sistêmica Primária e Secundária; 04 Infecções

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01/2013

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01/2013 EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 0/203 A PREFEITURA MUNICIPAL DE TABOAO DA SERRA, no uso de suas prerrogativas e atribuições legais, torna pública a retificação e inclusão de cargo no Concurso Público Nº 0/203,

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso ANEXO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do Metabolismo (anabolismo x catabolismo) Metabolismo de Carboidratos Metabolismo de Lipídeos Motilidade no trato gastrointestinal Introdução ao Metabolismo

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica. Flexão do substantivo

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica. Flexão do substantivo ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EMPREGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE Ortografia (escrita correta das palavras). Divisão silábica. Pontuação. Acentuação Gráfica. Flexão do substantivo (gênero masculino e

Leia mais

Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS

Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS 1. Terapêutica Clínica Geral: a. Equilíbrio ácido-básico e hidro-eletrolítico. b. Fluidoterapia. c. Terapêutica hematológica (transfusões). d. Utilização

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Especialização Profissional Técnica

Leia mais

RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007

RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 Estado de Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE HERVAL D OESTE RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E/OU PROVAS E TÍTULOS, PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO

Leia mais

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO CARGO/ESPECIALIDADES Art. 378. Ao Consultor Legislativo, Especialidade Assessoramento Legislativo. ÁREAS DE INTERESSE DO SENADO FEDERAL Agronomia;

Leia mais

Pref e i t u r a M u n i c i p a l d e S a n t o E x p e d i t o

Pref e i t u r a M u n i c i p a l d e S a n t o E x p e d i t o ANEXO II DO CONCURSO PÚBLICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ENSINO SUPERIOR Para os Cargos de: 01. Médico PSF, 02. Médico I, 03. Médico II. 01. MÉDICO PSF Programa: I. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: 01. Abordagem

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO 98 IABAS Relatório de Gestão Rio de Janeiro 2010/2011/2012 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO 1 Curso de educação continuada em odontologia Abordagem terapêutica dos pacientes com traumatismo

Leia mais

CALENDÁRIO DA SAÚDE JANEIRO

CALENDÁRIO DA SAÚDE JANEIRO JANEIRO 02 - Dia do Sanitarista 04 - Dia do Hemofílico 14 - Dia do Enfermo 19 - Dia do Terapeuta Ocupacional 20 - Dia do Farmacêutico 24 - Dia Mundial do Hanseniano FEVEREIRO 05 - Dia Estadual do Médico

Leia mais

SECRETARIA DA SAUDE. Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1

SECRETARIA DA SAUDE. Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 SECRETARIA DA SAUDE Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 1 2 UBS Equipe da Atenção Básica UBS Equipe da Atenção Básica + EACS Equipe de Agentes Comunitários da Saúde UBS Equipe da Atenção

Leia mais

Lista de Tabulação CID-BR

Lista de Tabulação CID-BR Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Esta classificação foi elaborada a partir da Lista de Tabulação da CID-BR-9, uma versão da Lista Básica de Tabulação da Classificação Internacional de Doenças

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 16.627, DE 19 DE AGOSTO DE 2013. Define os exemplos de atribuições dos cargos de Arquiteto, Assistente Social, Contador, Enfermeiro, Fonoaudiólogo e Odontólogo, criado pela Lei Complementar

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO

ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO ANALISTA EM SAÚDE/ ASSISTENTE SOCIAL PLANTONISTA REQUISITOS: Certificado ou Declaração de conclusão do Curso de Serviço Social, registrado no MEC; E

Leia mais

PROGRAMA PARA CONCURSO PÚBLICO MODALIDADE:. EDUCADOR INFANTIL ANA CAROLINA M. MINODA PRESIDENTE DA COMISSÃO DE CONCURSOS

PROGRAMA PARA CONCURSO PÚBLICO MODALIDADE:. EDUCADOR INFANTIL ANA CAROLINA M. MINODA PRESIDENTE DA COMISSÃO DE CONCURSOS . EDUCADOR INFANTIL II) MATEMÁTICA para o curso regular do Ensino Médio (2 grau). Conteúdo: Operações fundamentais; potenciação e radiciação; sistemas de medidas (decimais e não decimais); geometria (perímetros,

Leia mais

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO COMUM PARA TODAS AS CATEGORIAS PROFISSIONAIS SAÚDE PÚBLICA E SAÚDE COLETIVA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS 1. História do sistema de saúde no Brasil; 2. A saúde na

Leia mais

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 MED-100 - Unidades de Ensino da área de conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função

Leia mais

Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR

Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Esta classificação foi elaborada a partir da Lista de Tabulação da CID-BR-9, uma versão da Lista Básica de Tabulação da Classificação Internacional de Doenças

Leia mais

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA:

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA: 21cir FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecimento: Portaria nº 604, de 31 de maio de 1995 E-mail: denf@unir.br Campus Porto Velho/RO. BR 364,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Área: Estágio de Enfermagem em Saúde do Adulto I e II Campo de Atuação: Santa Casa de Tupã; Instituto de Psiquiatria de Tupã e Hospital São

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA

I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA FONOAUDIOLOGIA HOSPITALAR EM FUNÇÕES OROFACIAIS Titulação: Aprimoramento Supervisora: Profª Drª Cláudia Regina Furquim de Andrade Características: (duração 12 meses)

Leia mais

DIAS AULA TEMA CONTEÚDO

DIAS AULA TEMA CONTEÚDO MARÇO 04/03 Teórica Noções em Geriatria e Gerontologia - Histórico - Temas básicos: saúde, autonomia, independência, incapacidade e fragilidade - Epidemiologia do envelhecimento - Papel do cuidador - Qualidade

Leia mais

EDITAL 2012 Concurso para Obtenção do Certificado de Área de Atuação em Gastroenterologia Pediátrica

EDITAL 2012 Concurso para Obtenção do Certificado de Área de Atuação em Gastroenterologia Pediátrica EDITAL 2012 Concurso para Obtenção do Certificado de Área de Atuação em Gastroenterologia Pediátrica Pelo presente edital, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Federação Brasileira de Gastroenterologia

Leia mais

ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA

ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA ENFERMAGEM PROGRAMA DA PROVA Enfermagem (todas as especialidades) 1-Fundamentos da Enfermagem. 2-Enfermagem em Saúde Mental. 3-Enfermagem em Saúde Pública. 4-Ética

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem Saúde da Criança e do Adolescente Ano letivo 2011 Série 3º Ano Carga Horária Total h/a T 90 h/a P 54 h/a En. Cl.

Leia mais

Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014.

Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014. Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) Define os temas e objetivos prioritários para apresentação dos projetos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional

Leia mais

03- GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

03- GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA 01- CLÍNICA MÉDICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DA PROVA GERAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2010 - Edema Agudo

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 DO 9-E, de 12/1/01 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria SAS/MS nº 224, de

Leia mais

A Gastroenterologia Visão e perspectivas atuais

A Gastroenterologia Visão e perspectivas atuais A Gastroenterologia Visão e perspectivas atuais A opção pela Gastroenterologia 23 Sociedades Federadas Regionais 54 Serviços de Gastroenterologia reconhecidos e aprovadas pelo MEC 1986 Sede do VI Congresso

Leia mais

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES

TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES TÉCNICO EM EDIFICAÇÕES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Aplicação de softwares na confecção de textos, planilhas, e projetos. 2. Interpretação e desenvolvimento de desenhos técnicos e de projetos arquitetônicos

Leia mais

Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio

Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio Programa de Formação do Internato Complementar de Medicina Interna aprovado pelo Colégio 1 Duração do internato 60 meses. 2 Definição e âmbito: 2.1 A Medicina Interna ocupa-se da prevenção, diagnóstico

Leia mais

PLANO DE ENSINO 3 º 2014 160

PLANO DE ENSINO 3 º 2014 160 PLANO DE ENSINO DISCIPLINA SÉRIE PERÍODO LETIVO CARGA HORÁRIA Enfermagem em Saúde da Criança e do Adolescente 3 º 2014 160 I EMENTA Análise e estudo do indivíduo do período de lactência até a adolescência,

Leia mais

QUADRO GERAL DE SERVIDORES EFETIVOS em 17.07.2015 CARGO Nº DE VAGAS OCUP. OBSERVAÇÕES Administrador de Empresa 2 0 Agente Vigilância em Saúde 30 27

QUADRO GERAL DE SERVIDORES EFETIVOS em 17.07.2015 CARGO Nº DE VAGAS OCUP. OBSERVAÇÕES Administrador de Empresa 2 0 Agente Vigilância em Saúde 30 27 QUADRO GERAL DE SERVIDORES EFETIVOS em 17.07.2015 CARGO Nº DE VAGAS OCUP. OBSERVAÇÕES Administrador de Empresa 2 0 Agente Vigilância em Saúde 30 27 Agente Fiscalização de Transito e Transporte 30 23 Almoxarife

Leia mais

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria O programa de Residência em Pediatria prevê 60 horas de jornada de trabalho semanal, sendo 40 horas de atividades rotineiras e 20 horas de

Leia mais

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd Conselho Universitário - CONSUNI Câmara de Ensino Curso de Graduação em Odontologia da UNIPLAC Quadro de Equivalência para Fins de Aproveitamento de Estudos entre duas Estruturas Curriculares Modulares

Leia mais

PROGRAMAS DAS PROVAS NÍVEL E

PROGRAMAS DAS PROVAS NÍVEL E PARA TODOS OS CARGOS: PORTUGUÊS: 1. Compreensão de textos informativos e argumentativos e de textos de ordem prática (ordens de serviço, instruções, cartas e ofícios). 2. Domínio da norma do português

Leia mais

EDITAL 2014 Concurso para Obtenção do Certificado de Área de Atuação em Gastroenterologia Pediátrica

EDITAL 2014 Concurso para Obtenção do Certificado de Área de Atuação em Gastroenterologia Pediátrica EDITAL 2014 Concurso para Obtenção do Certificado de Área de Atuação em Gastroenterologia Pediátrica Pelo presente edital, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Federação Brasileira de Gastroenterologia

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBITUBA SC PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PMI/CERSP/PSS N o 08/2013 Anexo I Atualizado em 18/10/2013

PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBITUBA SC PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PMI/CERSP/PSS N o 08/2013 Anexo I Atualizado em 18/10/2013 PREFEITURA MUNICIPAL IMBITUBA SC NÍVEL SUPERIOR COMPLETO 201 Assistente Social 202 Enfermeiro 203 Farmacêutico 204 Fonoaudiólogo 205 Médico Clínico Geral - ESF 206 Médico Dermatologista 207 Médico Endocrinologista

Leia mais

Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria

Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria Curso de Técnico Auxiliar de Geriatria Área de Formação: 762. Trabalho Social e Orientação O Técnico Auxiliar de Geriatria é o profissional com múltiplas competências para poder desempenhar as suas funções

Leia mais

1ª Retificação Concurso Público - Edital nº 01/2014

1ª Retificação Concurso Público - Edital nº 01/2014 1ª Retificação Concurso Público - Edital nº 01/2014 A Prefeitura Municipal de Rio Espera - MG no uso de suas atribuições legais torna público a 1ª retificação do Concurso Público nº 01/2014, que objetiva

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA - 2014. Centro de Terapia Intensiva Hospital Bangu

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA - 2014. Centro de Terapia Intensiva Hospital Bangu EDITAL DE SELEÇÃO PARA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA - 2014 Centro de Terapia Intensiva Hospital Bangu Associação de Medicina Intensiva Brasileira COORDENADOR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO:

Leia mais

DIABETES MELLITUS NO BRASIL

DIABETES MELLITUS NO BRASIL DIABETES MELLITUS NO BRASIL 17º Congresso Brasileiro Multidisciplinar em Diabetes PATRÍCIA SAMPAIO CHUEIRI Coordenadora d Geral de Áreas Técnicas DAB/MS Julho, 2012 DIABETES MELITTUS Diabetes é considerado

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

UNP - Universidade Potiguar EDITAL DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - 2015 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

UNP - Universidade Potiguar EDITAL DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - 2015 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA CURSOS DE GRADUAÇÃO UNP - Universidade Potiguar EDITAL DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - 2015 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA CURSOS DE GRADUAÇÃO Curso Disciplina ADMINISTRAÇÃO - NATAL ANÁLISE DE INVESTIMENTOS

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar à disposição de clínicos gerais, a oportunidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2008 ANEXO 2 ATIVIDADES, ESCOLARIDADE E REQUISITOS

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2008 ANEXO 2 ATIVIDADES, ESCOLARIDADE E REQUISITOS PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2008 ANEXO 2 ATIVIDADES, ESCOLARIDADE E REQUISITOS A. CARGOS DE ADMINISTRAÇÃO GERAL NÍVEL SUPERIOR CARGO: PROFESSOR DE ATIVIDADES MUSICAIS

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

MODULO I - MARÇO 2014 SEXTA-FEIRA MANHÃ E TARDE

MODULO I - MARÇO 2014 SEXTA-FEIRA MANHÃ E TARDE MODULO I - MARÇO 2014 Apresentação do curso Conceitos em Geriatria e Gerontologia Epidemiologia do envelhecimento Conceitos de saúde, autonomia e independência Qualidade de vida e Envelhecimento bem-sucedido

Leia mais

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa

RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa RELAÇÃO DESCRITIVA DO ACERVO INDICADO NO PPC Campus Formosa Bacharelado em Engenharia Civil bibliografia complementar ALMEIDA, Márcio de Souza S. Aterros sobre solos moles: projeto e desempenho. 1. reimpr.

Leia mais

ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA

ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA ENFERMAGEM PROGRAMA DA PROVA Enfermagem (todas as especialidades) 1-Fundamentos da Enfermagem. 2-Enfermagem em Saúde Mental. 3-Enfermagem em Saúde Pública. 4-Ética

Leia mais

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR Enfª Dda. Verginia Rossato Enfª Danieli Bandeira Santa Maria, 2012 Portaria GM/MS nº 2529, de 23 de novembro de 2004 Institui o Subsistema Nacional de Vigilância

Leia mais

ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE SAÚDE

ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE SAÚDE ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE SAÚDE 1 ATENÇÃO PRIMÁRIA 1.1 MÉDICO CLINICO GERAL Medicina. ATRIBUIÇÕES: Atendimento aos pacientes em área

Leia mais

ESTRUTURA FUNCIONAL INCOR HCFMUSP

ESTRUTURA FUNCIONAL INCOR HCFMUSP ESTRUTURA FUNCIONAL INCOR HCFMUSP CONSELHO DIRETOR DIRETORIA EXECUTIVA Comissões (*) Assessoria Coordenação e supervisão do conhecimento Divisão de Cardiologia Clínica Coordenação Administrativa do ao

Leia mais

COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA

COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA X COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA ( ) 18.01 Abdome Agudo Diagnóstico (algoritmo) ( ) 18.02 Abdome Agudo Inflamatório Diagnóstico e Tratamento ( ) 18.03 Abdome Agudo na Criança ( ) 18.04 Abdome Agudo

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

Resoluções, conquistas e desafios

Resoluções, conquistas e desafios Eventos pré-congresso Cuidados Paliativos Conselhos e Associações de Classe Demências - diagnóstico diferencial TNT Geriatria - Abbott GeriatRio2013 - Programação Preliminar Como responder às demandas

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO)

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) Mês e Ano de elaboração MODELO PARA ELABORAÇÃO DA PAS 2014: Gerência de Programação em Saúde- DEPLAN/SUSAM 1 SUMÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO...3 ELABORAÇÃO...4

Leia mais

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO 1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS Médico Clínico 0 Médico Pediatra 1 Médico de Estratégia PSF 3 Psicólogo Clínico 30 horas 0 Psicólogo Clínico 40 horas 1 Cirurgião Dentista 2 Auxiliar de Saúde Bucal 2 Fonoaudiólogo

Leia mais

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII Rua Rio Branco, 216, Centro, CEP 650-490, São Luís /MA - Fone: (98) 3878.21 Credenciado pela Portaria Ministerial nº 1764/06, D.O.U. 211 de 03.11.06, Seção 01, Folha14 ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

Leia mais

AUXILIAR DE ENFERMAGEM

AUXILIAR DE ENFERMAGEM AUXILIAR DE ENFERMAGEM REQUISITO DE QUALIFICAÇÃO PARA INGRESSO NO CARGO: ESCOLARIDADE: Ensino médio completo+ profissionalizante Coren. HABILITAÇÃO PROFISSIONAL: Registro no Conselho competente. Decreto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA 1. ODONTOPEDIATRIA PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA OTORRINOLARINGOLOGIA Otites Exames Audiológicos Labirintopatias Rinossinusites Doenças da Faringe Hipertrofia Tonsilar Larinites ÉTICA E RELAÇÕES PSICOSSOCIAIS I, II

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO

DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO DATA DA VISITA: 26/11/2013 DATA DA VISITA: 28/04/2015 UNIDADE DE SAÚDE DR MANOEL DA ROCHA COUTINHO Responsável: Adriana dos Santos Leandro Endereço: Rua Fenelon Gomes, 112 Bairro: Ilha do Principe CEP:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE PLANO DE TRABALHO DOCENTE IDENTIFICAÇÃO: COLÉGIO ESTDUAL DARIO VELLOZO CURSO: TÉCNICO EM ENFERMAGEM PROF. ENFª. ARLETE JUÇARA REFOSCO TANURE DISCPLINA: ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA APLICADA A ENFERMAGEM

Leia mais

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Dispõe sobre a atuação fonoaudiológica na área hospitalar privada, pública e filantrópica e em atendimento domiciliar e dá outras providências O presente Parecer tem

Leia mais

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANAÃ DOS CARAJÁS

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANAÃ DOS CARAJÁS PREFEITURA DO MUNICÍPIO CANAÃ DOS CARAJÁS ESTRUTURA PRE REQUISITOS BÁSICOS E HABILITAÇÃO PROFISSIONAL PARA A INVESTIDURA DO CAR ESCOLARIDA NOMINAÇÃO DO CAR OPERACIONAL ELEMENTAR Ensino Fundamental Incompleto

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO (Prograd) EDITAL N 17/2006 SELEÇÃO DE PESSOAL DOCENTE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM E FISIOTERAPIA

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO (Prograd) EDITAL N 17/2006 SELEÇÃO DE PESSOAL DOCENTE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM E FISIOTERAPIA Curso: Enfermagem CAMPUS GOIÂNIA Área de concentração: Fundamental Conteúdo programático: 1- Teorias: Cuidado; Autocuidado; Da diversidade e universalidade transcultural do cuidado; Homem-vida-saúde; Necessidades

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 01.2014 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA DA FUNDAÇÃO DE SAÚDE PÚBLICA DE NOVO HAMBURGO RESIDÊNCIA MÉDICA MEDICINA INTENSIVA

PROCESSO SELETIVO Nº 01.2014 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA DA FUNDAÇÃO DE SAÚDE PÚBLICA DE NOVO HAMBURGO RESIDÊNCIA MÉDICA MEDICINA INTENSIVA PROCESSO SELETIVO Nº 01.2014 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA DA FUNDAÇÃO DE SAÚDE PÚBLICA DE NOVO HAMBURGO RESIDÊNCIA MÉDICA MEDICINA INTENSIVA EDITAL DE ABERTURA Nº 01.2014 FUNDAÇÃO DE SAÚDE PÚBLICA DE

Leia mais

PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014

PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014 PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014 Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sales

Prefeitura Municipal de Sales FUNDAMENTAL Prefeitura Municipal de Sales Av. Ramillo Salles, 717 Fone/Fax (17) 3557-90 CEP 14980-000 Estado de São Paulo CONCURSO PÚBLICO Nº 01/2015 RETIFICAÇÃO Nº 01 O Prefeito do Município de Sales,

Leia mais

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N o 001 / 2015 ANEXO I. Vagas Gerais. para o cargo. Graduação de Nível Superior em qualquer área

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N o 001 / 2015 ANEXO I. Vagas Gerais. para o cargo. Graduação de Nível Superior em qualquer área EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N o 001 / 2015 ANEXO I N O DE VAGAS PARA OS CARGOS DO CONCURSO PÚBLICO DEFINIÇÃO DOS GRUPOS GRUPO I Função Analista de Planejamento, Orçamento e Gestão Analista de Sista Arquiteto

Leia mais

Com carga horária de 420 horas o curso Saúde do Idoso e Gerontologia é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de

Com carga horária de 420 horas o curso Saúde do Idoso e Gerontologia é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de Com carga horária de 420 horas o curso Saúde do Idoso e Gerontologia é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos,

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

ANEXO I - QUADRO DE CARGOS

ANEXO I - QUADRO DE CARGOS COD NÍVEL ELEMENTAR CARGO CARGA HORÁRIA SEMANAL ANEXO I - QUADRO DE CARGOS VAGAS ÓRGÃO REQUISITO SALÁRIO BASE INICIAL E0 Auxiliar de Serviços Gerais Perfil Serviço de Copa e DAE Fundamental Incompleto

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ODONTOLOGIA Atividades Complementares Atividades extracurriculares desenvolvidades pelo aluno durante os 10 semestres do curso, nas áreas de ensino, pesquisa

Leia mais

Fisiologia da Nutrição na saúde e na Doença da Biologia Molecular ao Tratamento de R$389,00 por R$233,00

Fisiologia da Nutrição na saúde e na Doença da Biologia Molecular ao Tratamento de R$389,00 por R$233,00 Abordagem clínica e nutricional nas Doenças do Esôfago e Estômago Gastroenterologia e Nutrição de R$181,00 por R$108,00 Avaliação e Rastreamento Nutricional na Saúde e na Doença Avaliação Nutricional Aspectos

Leia mais

Município de Rebouças

Município de Rebouças ANEXO I - ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS EDITAL 002/2014 AUXILIAR DE ENFERMAGEM PSF: Atribuições: Realizar procedimentos de enfermagem dentro das suas competências técnicas e legais. Realizar procedimentos de

Leia mais

Diretoria de Ensino Região de Guaratinguetá Programa Escola da Família Projeto APE Ações Preventivas na Escola

Diretoria de Ensino Região de Guaratinguetá Programa Escola da Família Projeto APE Ações Preventivas na Escola Janeiro Calendário da Saúde e do Meio Ambiente 01 Dia Internacional da Paz / Confraternização Universal 02 - Dia do Sanitarista 02 - Dia da Abreugrafia 04 - Dia do Hemofílico 11 Dia do Controle da Poluição

Leia mais

PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015

PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015 PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo QUINTA 06/08/2015 Aula Inaugural Med e Fisiopatologia das doenças respiratórias: edema, inflamação,

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 28 de Fevereiro

Leia mais