RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ"

Transcrição

1 INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº

2 COORDENAÇÃO E EXECUÇÃO DO TRABALHO LACTEC Instituto de Tecnologia Para o Desenvolvimento EQUIPE TÉCNICA Leonardo Pussieldi Bastos Divisão de Meio Ambiente LACTEC Camila Ghilardi Cardoso Divisão de Meio Ambiente LACTEC Curitiba, Julho de 2012

3 1. Monitoramento da Ictiofauna O presente relatório apresenta informações complementares sobre as análises histológicas (reprodução) realizadas com peixes migradores de longa e curta distância coletados nas diversas fases de campo do monitoramento da ictiofauna no rio Tibagi na área de influência da UHE de Mauá, dados estes coligidos como parte integrante do Projeto Básico Ambiental. Atividades desenvolvidas Os espécimes coletados durante as fases de campo foram acondicionados em sacos plásticos, sendo então transportados para laboratório. Em laboratório, os exemplares foram transferidos para uma solução de álcool 70% e foi realizada sua quantificação e correta identificação ao menor nível taxonômico possível, inclusive por consultas on-line nos bancos de dados ictiofaunísticos do FISHBASE (www.fishbase.org) e dos Projetos PRONEX e NEODAT II (Fish Collection De cada exemplar capturado foram registradas as seguintes informações: data da coleta, ponto de amostragem, aparelho de pesca e período de captura, número do exemplar, espécie ou morfotipo, comprimento total (cm), comprimento padrão (cm), peso (g), sexo e estádio de maturação gonadal macroscópico, peso das gônadas (Figura 1). Figura 1. Procedimentos de triagem, identificação, quantificação e biometria dos exemplares capturados durante as fases de campo.

4 Os exemplares foram dissecados em laboratório para identificação do sexo e classificação dos diferentes estádios de maturidade por observação macroscópica, segundo metodologia descrita em Vazzoler (1996). O estádio de desenvolvimento gonadal foi determinado através das características relacionadas a cor, transparência, flacidez, tamanho e visualização dos ovócitos. Todas as gônadas foram pesadas em balança de precisão (0,001g) (Figura 2). Para a confirmação de alguns estádios de desenvolvimento ovariano, algumas gônadas foram incluídas em parafinas para a confecção de lâminas permanentes, as quais foram coradas com Hematoxilina-Eosina (HE). A escolha dos ovários (preferencialmente) para tal análise se deve ao fato de o desenvolvimento ovocitário possuir um caráter mais informativo quando comparado ao desenvolvimento gamético ocorrido nos testículos (WEST, 1990). Os cortes histológicos foram analisados em microscópio de luz e permitiram a caracterização dos estádios de maturação ovariana e, quando necessário, a correção da análise macroscópica realizada (Tabelas 1, 2 e 3). Figura 2. Procedimentos de separação e fixação das gônadas para a análise da atividade reprodutiva (IGS, Estádio de maturação gonadal e proporção sexual) dos exemplares capturados durante as fases de campo.

5 Tabela 1. Síntese descritiva dos estádios de desenvolvimento gonadal (ovários) registrados para Prochilodus lineatus nas escalas macro e microscópica. Estádios Características Macroscópicas Características Microscópicas Desovado - ocupam menos da metade até 1/3 da cavidade abdominal; - flácidos, com membranas distendidas; - aspecto hemorrágico; - ovócitos pequenos e visíveis. - ocorrem ovócitos fase II (estoque de reserva); - lamelas ovígeras desorganizadas; - presença de ovócitos não eliminados em reabsorção, espaçados entre si. - Figura 1 Figura 1. Prochilodus lineatus (corimba), 67 cm de comprimento total, coletado em Março de 2010.

6 Tabela 2. Síntese descritiva dos estádios de desenvolvimento gonadal (ovários) registrados para Leporellus vittatus nas escalas macro e microscópica. Estádios Características Macroscópicas Características Microscópicas Maduro - ovários grandes e túrgidos, ocupando quase ou totalmente a cavidade abdominal; - consistência firme; - coloração avermelhada; - vascularização evidente; - ovócitos visíveis. - ovócitos grandes; - diversos folículos com grânulos de vitelo fusionados (fase V); - predomínio de folículos fases V e VI; - membrana vitelínica espessa. - Figura 2 Figura 2. Leporellus vittatus (piau), 25 cm de comprimento total, coletado em Janeiro de 2011.

7 Tabela 3. Síntese descritiva dos estádios de desenvolvimento gonadal (ovários) registrados para Galeocharax knerii nas escalas macro e microscópica. Estádios Características Macroscópicas Características Microscópicas Maduro - ovários grandes e túrgidos, ocupando quase ou totalmente a cavidade abdominal; - consistência firme; - coloração avermelhada; - vascularização evidente; - ovócitos visíveis. - ovócitos grandes; - diversos folículos com grânulos de vitelo fusionados (fase V); - predomínio de folículos fases V e VI; - membrana vitelínica espessa. - Figura 3 Figura 3. Galeocharax knerii (peixe cadela), 29 cm de comprimento total, coletado em Janeiro de 2011.

8 Considerações sobre os resultados A partir das análises macroscópicas e microscópicas complementares das gônadas e da variação sazonal do IGS, pode-se inferir que os ambientes onde as espécies migradoras de longa (Prochilodus lineatus) e curta distância (Leporellus vittatus e Galeocharax knerii) foram capturadas são importantes sítios de desenvolvimento de seu ciclo reprodutivo. Dentre os pontos amostrais analisados, destaca-se novamente o registro dessas espécies na área do reservatório (PONTO AMOSTRAL RESERVATÓRIO). É importante se destacar mais uma vez que esses pontos amostrais não podem ser definidos precisamente como áreas de desova, pois são necessários estudos complementares que envolvem o registro de ovos e larvas de peixes (ictioplâncton). De fato, a escolha dos locais de desova (reprodução) resulta de uma combinação de fatores, incluindo seleção do ambiente pelos adultos, a influência de processos físicos e as adaptações biológicas dos ovos e larvas em relação a esses processos (POWLES et al., 1984). Apesar das distintas espécies de peixes analisadas até o momento apresentarem particularidades nas estratégias e táticas reprodutivas, no conjunto, as espécies com desova total apresentam estações de desova mais bem definidas (meses de verão), sendo que muitas delas realizam longas migrações (como o caso do corimba P. lineatus). As espécies com desova múltipla (parcelada em alguns casos) apresentam estações de reprodução menos definidas (duas a três vezes em um ano), como o caso de lambaris (Astyanax spp.), da saicanga (O. paranensis) e do peixe cadela (G. knerii). Muito embora esses resultados não possam ser considerados conclusivos, como o rio Tibagi na região estudada não apresenta áreas úmidas adjacentes, tais como várzeas e lagoas marginais naturais, os locais de desova e de desenvolvimento inicial provavelmente ocorram em diversos trechos da bacia, tanto na calha principal como em seus tributários, sendo que os sítios reprodutivos das espécies migradoras podem restringir-se ao rio principal e à parte inferior dos principais tributários. Na área de influência da UHE Mauá, todos estes locais (ambientes) foram amostrados intensamente até agora (FASE RIO) pela equipe que está monitorando a ictiofauna como um dos programas integrantes do Projeto Básico Ambiental. De acordo com os resultados observados, a estação reprodutiva para a maior parte das espécies compreende os meses de primavera e verão, estações nas quais ocorreram indivíduos maduros/em reprodução, bem como os maiores valores individuais (fêmeas) e médios para o IGS, um indicador complementar do processo de maturação. A desova das espécies migradoras parece ocorrer principalmente nos meses de dezembro e janeiro (verão), quando foi registrado o maior número de indivíduos desovados junto ao decréscimo nos valores do IGS. Esse período de atividade reprodutiva é coincidente com o observado para outras espécies na bacia do Paraná (VAZZOLER & MENEZES, 1992; VAZZOLER et al., 1997), com maior frequência de fêmeas em atividade reprodutiva entre setembro e janeiro.

9 Referências POWLES, H., AUGER, F. & FITZGERALD, G. J Nearshore ichthyoplankton of a North temperate estuary. Canadian Journal of Fisheries and Aquatic Sciences, 41: VAZZOLER, A. E. A. M.; MENEZES, N. A. (1992). Síntese dos conhecimentos sobre o comportamento reprodutivo dos Characiformes da América do Sul (Teleostei, Ostariophysi). Revista Brasileira de Biologia, 52(4): VAZZOLER, A. E. A. M.; AGOSTINHO, A. A.; HAHN, N. S. (1997). A planície de inundação do alto rio Paraná: aspectos físicos, biológicos e socioeconômicos. Maringá: Eduem, 460p. WEST, G. (1990). Methods of assessing ovarian development in fishes: a review. Australian Journal of Marine and Freshwater Research, 41:

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 36 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

Impacto de barragem hidrelétrica na reprodução de peixes NILO BAZZOLI

Impacto de barragem hidrelétrica na reprodução de peixes NILO BAZZOLI Impacto de barragem hidrelétrica na reprodução de peixes NILO BAZZOLI Nos reservatórios: peixes migradores completam a vitelogênese mas a maturação final e a desova não ocorrem. Peixes muito importantes

Leia mais

5 Ecologia e biologia do peixe Mugil liza (tainha)

5 Ecologia e biologia do peixe Mugil liza (tainha) 5 Ecologia e biologia do peixe Mugil liza (tainha) 5.1. Mugil liza (tainha) Nesta dissertação serão feitos estudos para a medição de metabólitos de HPAs na bílis de tainhas, sendo este um dos peixes mais

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 42 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO ICTIOPLÂNCTON NO MÉDIO RIO URUGUAI: INFLUÊNCIA DE VARIÁVEIS REGIONAIS E LOCAIS

DISTRIBUIÇÃO DO ICTIOPLÂNCTON NO MÉDIO RIO URUGUAI: INFLUÊNCIA DE VARIÁVEIS REGIONAIS E LOCAIS DISTRIBUIÇÃO DO ICTIOPLÂNCTON NO MÉDIO RIO URUGUAI: INFLUÊNCIA DE VARIÁVEIS REGIONAIS E LOCAIS ÍSIS TAMARA DE VLIEGER 1,2, DAVID AUGUSTO REYNALTE TATAJE 1,2 1 Universidade Federal da Fronteira Sul, campus

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 45 2013 COORDENAÇÃO

Leia mais

CONTRATO N RELATÓRIO FINAL

CONTRATO N RELATÓRIO FINAL CONTRATO N 4570008814 RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO ANUAL DE ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA DE JAGUARA COMPANHIA ENÉRGETICA DE MINAS GERAIS - CEMIG PATOS DE MINAS - MG FEVEREIRO/2006 RESPONSABILIDADE TÉCNICA

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 44 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

ASPECTOS BIOLÓGICOS DE DUAS ESPÉCIES DE Astyanax (TELEOSTEI, CHARACIDAE) EM LAGOAS MARGINAIS DO ALTO RIO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL

ASPECTOS BIOLÓGICOS DE DUAS ESPÉCIES DE Astyanax (TELEOSTEI, CHARACIDAE) EM LAGOAS MARGINAIS DO ALTO RIO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL ASPECTOS BIOLÓGICOS DE DUAS ESPÉCIES DE Astyanax (TELEOSTEI, CHARACIDAE) EM LAGOAS MARGINAIS DO ALTO RIO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL Biological aspects of two Astyanax species (TELEOSTEI, CHARACIDAE) in marginal

Leia mais

Biodiversidade Pampeana, PUCRS, Uruguaiana ISSN :11-18, 28 de dezembro de 2005

Biodiversidade Pampeana, PUCRS, Uruguaiana ISSN :11-18, 28 de dezembro de 2005 Biodiversidade Pampeana, PUCRS, Uruguaiana ISSN 1679-6179 3:11-18, 28 de dezembro de 2005 DESCRIÇÃO MORFO-HISTOLÓGICA DO OVÁRIO DE Acestrorhynchus pantaneiro (MENEZES, 1992) (TELEOSTEI, CHARACIDAE), EM

Leia mais

RELATÓRIO FINAL REFERENTE ÀS CAMPANHAS DE CAMPO

RELATÓRIO FINAL REFERENTE ÀS CAMPANHAS DE CAMPO COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS - CEMIG MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NO RESERVATÓRIO DA UHE NOVA PONTE, RIO ARAGUARI-MG (ANO DE 2003) RELATÓRIO FINAL REFERENTE ÀS CAMPANHAS DE CAMPO N.º ST-674-D-RE-Z08-002

Leia mais

ASPECTOS DA BIOLOGIA POPULACIONAL DO TUCUNARÉ (Cichla piquiti) NO RESERVATÓRIO DE LAJEADO, RIO TOCANTINS

ASPECTOS DA BIOLOGIA POPULACIONAL DO TUCUNARÉ (Cichla piquiti) NO RESERVATÓRIO DE LAJEADO, RIO TOCANTINS 11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas ASPECTOS DA BIOLOGIA POPULACIONAL DO TUCUNARÉ (Cichla piquiti) NO RESERVATÓRIO DE LAJEADO, RIO TOCANTINS Leandro Amorim da Silva 1, Fernando Mayer Pelicice

Leia mais

Mestrado em Biologia Marinha M.Afonso-Dias. Reprodução

Mestrado em Biologia Marinha M.Afonso-Dias. Reprodução Conhecer: Época de postura (desova) Tamanho ou Idade maturidade sexual Ciclo reprodutivo inactividade -> desenvolvimento e amadurecimento dos gâmetas gametogénese Espermatogénese - machos Oogénese fêmeas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA REITORIA CENTRO DE AQUICULTURA DA UNESP

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA REITORIA CENTRO DE AQUICULTURA DA UNESP Nível: Histórico: Mestrado/Doutorado Código Capes: AQU00032 Docente(s) Responsável(eis): Prof. Dr. SERGIO RICARDO BATLOUNI Profa. Dra. ELIZABETH ROMAGOSA Situação Ativa Dt. Aprovação 08/10/1994 Dt. Desativação

Leia mais

Maio de Relatório de atendimento à Condicionante 19. LO 067/2010 UHE Irapé. Fundação Biodiversitas

Maio de Relatório de atendimento à Condicionante 19. LO 067/2010 UHE Irapé. Fundação Biodiversitas Relatório de atendimento à Condicionante 19 LO 067/2010 UHE Irapé Maio de 2014 Rio Araçuaí Projeto: MIGRAÇÃO, SÍTIOS DE DESOVA E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE DUAS ESPÉCIES POTENCIALMENTE MIGRADORAS DO RIO

Leia mais

CRESCIMENTO, MORTALIDADE E RECRUTAMENTO PARA Otocinclus (PORTO MURTINHO-MS)

CRESCIMENTO, MORTALIDADE E RECRUTAMENTO PARA Otocinclus (PORTO MURTINHO-MS) CRESCIMENTO, MORTALIDADE E RECRUTAMENTO PARA Otocinclus vitattus (SILURIFORMES, LORICARIIDAE) NO PANTANAL DO NABILEQUE (PORTO MURTINHO-MS) Maiane Jardim Pereira 1 ; Dr Yzel Rondon Súarez 2 1 Programa de

Leia mais

Os resumos serão recebidos no período do dia 15 de setembro a 20 de outubro de 2008

Os resumos serão recebidos no período do dia 15 de setembro a 20 de outubro de 2008 NORMAS DE SUBMISSÃO DE RESUMO 1) Informaçãoes gerais: Os resumos serão recebidos no período do dia 15 de setembro a 20 de outubro de 2008 a) Podem ser submetidos resumos de trabalhos científicos, escritos

Leia mais

PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO DA FAUNA DA UHE SANTO ANTÔNIO

PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO DA FAUNA DA UHE SANTO ANTÔNIO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO DA FAUNA DA UHE SANTO ANTÔNIO SUBPROGRAMA DE MONITORAMENTO DA HERPETOFAUNA DE RIOS QUELÔNIOS AQUÁTICOS RESPONSÁVEIS TÉCNICOS Dr a. Daniely Félix-Silva OBJETIVOS Subprograma Avaliar

Leia mais

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S/A RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO ANUAL DE ICTIOFAUNA NO RESERVATÓRIO E A JUSANTE DA UHE DE NOVA PONTE

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S/A RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO ANUAL DE ICTIOFAUNA NO RESERVATÓRIO E A JUSANTE DA UHE DE NOVA PONTE CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S/A RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO ANUAL DE ICTIOFAUNA NO RESERVATÓRIO E A JUSANTE DA UHE DE NOVA PONTE UBERLÂNDIA/MG AGOSTO/ 2005 EMPRESA RESPONSÁVEL POR ESTE RELATÓRIO Razão

Leia mais

SORAYA VITÓRIO DEL PUENTE

SORAYA VITÓRIO DEL PUENTE SORAYA VITÓRIO DEL PUENTE ATIVIDADE REPRODUTIVA DO PEIXE-ESPADA, Trichiurus lepturus, PROVENIENTE DA PESCA ARTESANAL DO EXTREMO LITORAL NORTE DE SANTA CATARINA Monografia apresentada à disciplina Estágio

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE TRÊS ESPÉCIES DE Astyanax, NO CÓRREGO ITIZ, MARIALVA, PR

ALIMENTAÇÃO DE TRÊS ESPÉCIES DE Astyanax, NO CÓRREGO ITIZ, MARIALVA, PR 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 ALIMENTAÇÃO DE TRÊS ESPÉCIES DE Astyanax, NO CÓRREGO ITIZ, MARIALVA, PR Jislaine Cristina da Silva 1 ; Rosilene Luciana Delariva 2 RESUMO: O estudo e conhecimento

Leia mais

Tipo de crescimento e aspectos reprodutivos do peixe marinho Oligoplites palometa (Osteichthyes: Carangidae), na costa do Rio Grande do Norte, Brasil.

Tipo de crescimento e aspectos reprodutivos do peixe marinho Oligoplites palometa (Osteichthyes: Carangidae), na costa do Rio Grande do Norte, Brasil. ARTIGO DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v2n2p25-30 Tipo de crescimento e aspectos reprodutivos do peixe marinho Oligoplites palometa (Osteichthyes: Carangidae), na costa do Rio Grande

Leia mais

22 a 26 de maio de Toledo - Paraná - Brasil

22 a 26 de maio de Toledo - Paraná - Brasil Estudo da movimentação ascendente e descendente de peixes na escada da UHE (Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta - CESP) Sérgio Issao Fukushima¹, Gilmar Baumgartner², Sérgio Makrakis², Pedro Rogério

Leia mais

Monitoramento da Ictiofauna

Monitoramento da Ictiofauna Cemig Geração e Transmissão S.A PCH Dona Rita Monitoramento da Ictiofauna Instalação: Estudo: Relatório: PCH Dona Rita Empresa Responsável: PRB Consultoria e Projetos Ambientais Responsável Técnico: Luiz

Leia mais

(OSTARIOPHYSI, CHARACIDAE) em um rio da região Sudeste do Brasil, SP

(OSTARIOPHYSI, CHARACIDAE) em um rio da região Sudeste do Brasil, SP - 1 - Ministério da Educação Brasil Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM Minas Gerais Brasil Revista Vozes dos Vales: Publicações Acadêmicas Reg.: 120.2.095 2011 UFVJM ISSN: 2238-6424

Leia mais

Centro de Ciências Tecnológicas, da Terra e do Mar, Universidade do Vale do Itajaí. Caixa Postal 360, Itajaí, Santa Catarina, Brasil.

Centro de Ciências Tecnológicas, da Terra e do Mar, Universidade do Vale do Itajaí. Caixa Postal 360, Itajaí, Santa Catarina, Brasil. 5 ASPECTOS REPRODUTIVOS DE ESPÉCIES ICTIÍCAS DO GÊNERO Stellifer (PISCES, SCIAENIDAE) CAPTURADAS COMO FAUNA ACOMPANHANTE DA PESCA DO CAMARÃO, Xiphopenaeus Kroyeri, NA REGIÃO DE ARMAÇÃO DO ITAPOCOROY, PENHA,

Leia mais

Talita Maris Vieira Gomes*, Wilson Tito Crivellari Damasceno*, Jorge Luiz dos Santos**

Talita Maris Vieira Gomes*, Wilson Tito Crivellari Damasceno*, Jorge Luiz dos Santos** ASPECTOS REPRODUTIVOS DE ELASMOBRÂNQUIOS, CAPTURADOS NA PESCA DE ARRASTO DE PEQUENO PORTE DO CAMARÃO SETE-BARBAS NA PRAIA DE PEREQUÊ (GUARUJÁ) E PONTA DA PRAIA (SANTOS) SÃO PAULO, BRASIL Talita Maris Vieira

Leia mais

ASPECTOS REPRODUTIVOS DE DIPLECTRUM RADIALE (QUOY & GAIMARD, 1824), NA BAÍA DA RIBEIRA,

ASPECTOS REPRODUTIVOS DE DIPLECTRUM RADIALE (QUOY & GAIMARD, 1824), NA BAÍA DA RIBEIRA, ASPECTOS REPRODUTIVOS DE DIPLECTRUM RADIALE (QUOY & GAIMARD, 1824), NA... 53 ARTIGO ASPECTOS REPRODUTIVOS DE DIPLECTRUM RADIALE (QUOY & GAIMARD, 1824), NA BAÍA DA RIBEIRA, ANGRA DOS REIS, RIO DE JANEIRO,,

Leia mais

Evolução induzida pela pesca em Tucunarés azuis ( Cichla piquiti ) no reservatório de Serra da Mesa, GO. 1. Introdução 2. Materiais e Métodos

Evolução induzida pela pesca em Tucunarés azuis ( Cichla piquiti ) no reservatório de Serra da Mesa, GO. 1. Introdução 2. Materiais e Métodos Evolução induzida pela pesca em Tucunarés azuis (Cichla piquiti) no reservatório de Serra da Mesa, GO. Leo Caetano Fernandes da SILVA 1,4, Ronaldo ANGELINI 1,2, Carollinny Vilas Boas dos PASSOS 3, Nathália

Leia mais

AVALIAÇÃO SAZONAL DE PESO, COMPRIMENTO E MATURAÇÃO DE Mugil curema, NO ESTUÁRIO DE SANTOS, SP

AVALIAÇÃO SAZONAL DE PESO, COMPRIMENTO E MATURAÇÃO DE Mugil curema, NO ESTUÁRIO DE SANTOS, SP AVALIAÇÃO SAZONAL DE PESO, COMPRIMENTO E MATURAÇÃO DE Mugil curema, NO ESTUÁRIO DE SANTOS, SP Victor Carrozza Barcellini; Cristal Coelho Gomes; Vanessa Rocha; Gimel Zanin; Lucas Possati Campos; Daniela

Leia mais

RELAÇÃO PESO-COMPRIMENTO DE COLOSSOMA MACROPOMUM E PROCHILODUS NIGRICANS A PARTIR DE DADOS DE DESEMBARQUE EM MANACAPURU AM 1

RELAÇÃO PESO-COMPRIMENTO DE COLOSSOMA MACROPOMUM E PROCHILODUS NIGRICANS A PARTIR DE DADOS DE DESEMBARQUE EM MANACAPURU AM 1 RELAÇÃO PESO-COMPRIMENTO DE COLOSSOMA MACROPOMUM E PROCHILODUS NIGRICANS A PARTIR DE DADOS DE DESEMBARQUE EM MANACAPURU AM 1 Gisele Batista Correia 2 e Carlos Edwar de Carvalho Freitas 3 Resumo Os Characiformes

Leia mais

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia Martin Halverson 67-9996-8739 mmhalver@terra.com.br Realidade da Industria do Paiche Hoy Industria pouca Consolidada- Precisa se Organizar Custo Elevada de

Leia mais

RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DOS RESERVATÓRIOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DE JAGUARA E VOLTA GRANDE

RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DOS RESERVATÓRIOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DE JAGUARA E VOLTA GRANDE RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DOS RESERVATÓRIOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DE JAGUARA E VOLTA GRANDE CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S/A DEZEMBRO/ 2008 UBERLÂNDIA / MG EMPRESA RESPONSÁVEL

Leia mais

Biologia reprodutiva do surubim (Pseudoplatystoma coruscans) Reproduction biology of brazilian catfish (Pseudoplatystoma coruscans)

Biologia reprodutiva do surubim (Pseudoplatystoma coruscans) Reproduction biology of brazilian catfish (Pseudoplatystoma coruscans) Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.30, n.3/4, p.159-167, jul./dez. 2006. Disponível em www.cbra.org.br Biologia reprodutiva do surubim (Pseudoplatystoma coruscans) Reproduction biology of brazilian

Leia mais

TÍTULO: INFLUÊNCIA DA PCH LUIZ DIAS SOBRE A COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA NO RIO LOURENÇO VELHO, MG

TÍTULO: INFLUÊNCIA DA PCH LUIZ DIAS SOBRE A COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA NO RIO LOURENÇO VELHO, MG TÍTULO: INFLUÊNCIA DA PCH LUIZ DIAS SOBRE A COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA NO RIO LOURENÇO VELHO, MG CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS INSTITUIÇÃO: CENTRO

Leia mais

Peixes migradores do rio Uruguai: Monitoramento, ações de manejo e conservação

Peixes migradores do rio Uruguai: Monitoramento, ações de manejo e conservação Peixes migradores do rio Uruguai: Monitoramento, ações de manejo e conservação Prof. Evoy Zaniboni Filho, Dr. Departamento de Aqüicultura / CCA Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis, SC,

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO-CIENTÍFICO VISANDO A DELIMITAÇÃO DE PARQUES AQÜÍCOLAS NOS LAGOS DAS USINAS HIDROELÉTRICAS DE FURNAS E TRÊS MARIAS MG

ESTUDO TÉCNICO-CIENTÍFICO VISANDO A DELIMITAÇÃO DE PARQUES AQÜÍCOLAS NOS LAGOS DAS USINAS HIDROELÉTRICAS DE FURNAS E TRÊS MARIAS MG ESTUDO TÉCNICO-CIENTÍFICO VISANDO A DELIMITAÇÃO DE PARQUES AQÜÍCOLAS NOS LAGOS DAS USINAS HIDROELÉTRICAS DE FURNAS E TRÊS MARIAS MG RELATÓRIO DE CONSULTOR CONVÊNIO 8713 FUNDEP-UFMG Parques Aquícolas SECTES-MG

Leia mais

BIOLOGIA REPRODUTIVA DE Plagioscion squamosissimus (TELEOSTEI, SCIAENIDAE) NA REPRESA DE BARRA BONITA, RIO PIRACICABA (SP)

BIOLOGIA REPRODUTIVA DE Plagioscion squamosissimus (TELEOSTEI, SCIAENIDAE) NA REPRESA DE BARRA BONITA, RIO PIRACICABA (SP) Revista UNIMAR 19(2):447-460, 1997. BIOLOGIA REPRODUTIVA DE Plagioscion squamosissimus (TELEOSTEI, SCIAENIDAE) NA REPRESA DE BARRA BONITA, RIO PIRACICABA (SP) Francisco Manoel de Souza Braga* RESUMO. O

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JULIANA VENTURA DE PINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JULIANA VENTURA DE PINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JULIANA VENTURA DE PINA Avaliação da atividade reprodutiva da ictiofauna capturada na pesca artesanal de arrasto camaroeiro pela comunidade de Itapema do Norte, Itapoá, litoral

Leia mais

Ecologia reprodutiva de Astyanax lacustris (Osteichthyes: Characidae) na Lagoa do Piató, Assú, Rio Grande do Norte, Brasil.

Ecologia reprodutiva de Astyanax lacustris (Osteichthyes: Characidae) na Lagoa do Piató, Assú, Rio Grande do Norte, Brasil. BIOTA AMAZÔNIA ARTIGO Ecologia reprodutiva de Astyanax lacustris (Osteichthyes: Characidae) na Lagoa do Piató, Assú, Rio Grande do Norte, Brasil. Danyelle Alves da Silva 1, Emilly Kataline Rodrigues Pessoa

Leia mais

PARECER TÉCNICO Nº. 001/08 NCA/TEC GOIÂNIA, GO, 18 DE JULHO DE REFERÊNCIA: GRADE ANTI CARDUMES UHE FOZ DO RIO CLARO OBJETIVO DO DOCUMENTO

PARECER TÉCNICO Nº. 001/08 NCA/TEC GOIÂNIA, GO, 18 DE JULHO DE REFERÊNCIA: GRADE ANTI CARDUMES UHE FOZ DO RIO CLARO OBJETIVO DO DOCUMENTO PARECER TÉCNICO Nº. 001/08 NCA/TEC GOIÂNIA, GO, 18 DE JULHO DE 2008. REFERÊNCIA: GRADE ANTI CARDUMES UHE FOZ DO RIO CLARO OBJETIVO DO DOCUMENTO Este documento faz uma avaliação técnica sobre o dimensionamento

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PESCA CURSO DE ENGENHARIA DE PESCA CLEITON SOARES CESAR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PESCA CURSO DE ENGENHARIA DE PESCA CLEITON SOARES CESAR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PESCA CURSO DE ENGENHARIA DE PESCA CLEITON SOARES CESAR ATRIBUTOS REPRODUTIVOS DE Plagioscion squamosissimus (Heckel, 1840), (Perciformes,

Leia mais

Vazão Ambiental no Baixo Curso do Rio São Francisco

Vazão Ambiental no Baixo Curso do Rio São Francisco Vazão Ambiental no Baixo Curso do Rio São Francisco Yvonilde Medeiros UFBA Novembro 2014 VAZÃO AMBIENTAL A qualidade, quantidade e distribuição de água necessárias para manter os componentes, funções e

Leia mais

16) Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887)

16) Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887) 130 Ovos e larvas de peixes de água doce... 16) Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887) Nomes comuns : Pacu e pacu-caranha. Distribuição geográfica: Bacia do rio da Prata (Romagosa; Paiva; Godinho; Storfer,

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: CCBS - CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Disciplina: ZOOLOGIA III (VERTEBRADOS I) Núcleo Temático: DIVERSIDADE BIOLÓGICA Código da Disciplina: 020.1378.9

Leia mais

GOVERNO DE MATO GROSSO Fundação Estadual do Meio Ambiente FEMA-MT

GOVERNO DE MATO GROSSO Fundação Estadual do Meio Ambiente FEMA-MT Atividade Conjunta Fundação Estadual do Meio Ambiente FEMA-MT e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA-MT de: Monitoramento da Atividade Reprodutiva dos Peixes Migradores

Leia mais

RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DA PCH PETI

RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DA PCH PETI RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DA CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. RELATÓRIO FINAL 2011/2012 DATAS DAS COLETAS: 02 e 03 de setembro de 2011 e 29 de fevereiro e 01 de março de 2012 DATA DO RELATÓRIO:

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Disciplina: ZOOLOGIA III (VERTEBRADOS I) Professor(es): Profa Dra Mônica Ponz Louro Código da Disciplina: 020.1378.9

Leia mais

RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DA UHE MIRANDA

RELATÓRIO FINAL MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DA UHE MIRANDA O) RELATÓRIO FINAL - 2000 MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DA UHE MIRANDA Julho / 2001 índice 1 - Apresentação 1 2 - Introdução / Objetivos 1 3 - Procedimentos metolológicos 2 3.1 - Periodicidade das coletas

Leia mais

A B C D E. ONTOGENIA INICIAL DA PIABANHA (Brycon insignis), Souza, G (2003).

A B C D E. ONTOGENIA INICIAL DA PIABANHA (Brycon insignis), Souza, G (2003). O Potencial Reprodutivo O Potencial Reprodutivo de uma população de peixes depende principalmente dos seguintes itens: Do sucesso da desova; Do equilíbrio estrutural do estoque reprodutor; Da taxa de fertilização

Leia mais

UM MÉTODO DE REPRODUÇÃO INDUZIDA PARA O SURUBIM STEINDACHNERIDION MELANODERMATUM (SILURIFORMES, PIMELODIDAE) DO RIO IGUAÇU

UM MÉTODO DE REPRODUÇÃO INDUZIDA PARA O SURUBIM STEINDACHNERIDION MELANODERMATUM (SILURIFORMES, PIMELODIDAE) DO RIO IGUAÇU CDD: 597 UM MÉTODO DE REPRODUÇÃO INDUZIDA PARA O SURUBIM STEINDACHNERIDION MELANODERMATUM (SILURIFORMES, PIMELODIDAE) DO RIO IGUAÇU A METHOD OF INDUCED REPRODUCTION FOR SURUBIM STEINDACHNERIDION MELANODERMATUM

Leia mais

Avaliação de risco de morte de peixes em usinas da Cemig

Avaliação de risco de morte de peixes em usinas da Cemig Workshop da ABRAGE sobre Técnicas de Proteção da Fauna Ictiológica durante a Operação e Manutenção de UHE s Avaliação de risco de morte de peixes em usinas da Cemig Raoni Rosa Rodrigues Maiores riscos

Leia mais

DIFERENCIAÇÃO HEMATOLÓGICA E BIOMÉTRICA ENTRE MACHOS E FÊMEAS DO LAMBARI DO RABO AMARELO ASTYANAX BIMACULATUS

DIFERENCIAÇÃO HEMATOLÓGICA E BIOMÉTRICA ENTRE MACHOS E FÊMEAS DO LAMBARI DO RABO AMARELO ASTYANAX BIMACULATUS DIFERENCIAÇÃO HEMATOLÓGICA E BIOMÉTRICA ENTRE MACHOS E FÊMEAS DO LAMBARI DO RABO AMARELO ASTYANAX BIMACULATUS Marina de Oliveira PEREIRA 1, Andressa Vieira de MORAES 2, Klayton Natan MORAES 3, Adolfo JATOBÁ

Leia mais

COMPOSIÇÃO DAS ESPÉCIES DE PEIXES DO RESERVATÓRIO DE SALTO SANTIAGO, RIO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL.

COMPOSIÇÃO DAS ESPÉCIES DE PEIXES DO RESERVATÓRIO DE SALTO SANTIAGO, RIO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL. COMPOSIÇÃO DAS ESPÉCIES DE PEIXES DO RESERVATÓRIO DE SALTO SANTIAGO, RIO IGUAÇU, PARANÁ, BRASIL. Yuri Matheus Brunhara Contrera 1, Vitor André Frana 2, Carlos Henrique Orsi 2, Gilmar Baumgartner 3. e-mail:

Leia mais

OCORRÊNCIA DA FAMÍLIA LORICARIIDAE (PISCES: SILURIFORMES) NO ALTO CURSO DO RIO SUCURIÚ. Nadialine Stefan Barbosa¹ & Maria José Alencar Vilela 2

OCORRÊNCIA DA FAMÍLIA LORICARIIDAE (PISCES: SILURIFORMES) NO ALTO CURSO DO RIO SUCURIÚ. Nadialine Stefan Barbosa¹ & Maria José Alencar Vilela 2 OCORRÊNCIA DA FAMÍLIA LORICARIIDAE (PISCES: SILURIFORMES) NO ALTO CURSO DO RIO SUCURIÚ. Nadialine Stefan Barbosa¹ & Maria José Alencar Vilela 2 1 Aluna do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da

Leia mais

VARIAÇÃO NAS DENSIDADES DE LARVAS DE PEIXES, DURANTE VÁRIOS PERÍODOS DE DESOVA, NO RESERVATÓRIO DE ITAIPU. Lisandro Bauer UNIOESTE/GERPEL

VARIAÇÃO NAS DENSIDADES DE LARVAS DE PEIXES, DURANTE VÁRIOS PERÍODOS DE DESOVA, NO RESERVATÓRIO DE ITAIPU. Lisandro Bauer UNIOESTE/GERPEL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GIA - 28 16 a 21 Outubro de 5 Curitiba - Paraná GRUPO XI GRUPO DE IMPACTOS AMBIENTAIS - GIA VARIAÇÃO NAS DENSIDADES DE LARVAS DE

Leia mais

UHE Santo Antônio Programa de Conservação da Ictiofauna Subprograma de Monitoramento do Sistema de Transposição de Peixes

UHE Santo Antônio Programa de Conservação da Ictiofauna Subprograma de Monitoramento do Sistema de Transposição de Peixes UHE Santo Antônio Programa de Conservação da Ictiofauna Subprograma de Monitoramento do Sistema de Transposição de Peixes Proposta apresentada à Santo Antônio Energia Belo Horizonte Junho de 2011 1 Apresentação

Leia mais

Mecanismo de transposição de peixes de pequena central hidrelétrica

Mecanismo de transposição de peixes de pequena central hidrelétrica Ciência Rural, Santa Maria, Online Mecanismo de transposição de peixes de pequena central hidrelétrica. ISSN 0103-8478 1 Mecanismo de transposição de peixes de pequena central hidrelétrica Mechanism of

Leia mais

Componentes e pesquisadores envolvidos

Componentes e pesquisadores envolvidos Componentes e pesquisadores envolvidos Impactos sobre aves (avifauna) Dr. Luciano Naka Impactos nas comunidades indígenas e tradicionais - Dr. Philip Fearnside Qualidade da água: monitoramento de níveis

Leia mais

Zootecnia Trop., 24(2): RESUMO

Zootecnia Trop., 24(2): RESUMO Zootecnia Trop., 24(2): 165-176. 2006 Comparação morfometrica e índices somáticos de machos e fêmeas do lambari prata (Astayanax scabripinnis Jerenyns, 1842) em diferente sistema de cultivo Rodrigo Diana

Leia mais

E P E ANALISTA DE PESQUISA ENERGÉTICA MEIO AMBIENTE / ECOLOGIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

E P E ANALISTA DE PESQUISA ENERGÉTICA MEIO AMBIENTE / ECOLOGIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 11 E P E MEIO AMBIENTE / ECOLOGIA EDITAL N o 001/2012 - EPE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com os enunciados das 50 (cinquenta)

Leia mais

PATRÍCIA BARROS PINHEIRO

PATRÍCIA BARROS PINHEIRO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM OCEANOGRAFIA BIOLOGIA REPRODUTIVA DO PEIXE-REI, Elagatis bipinnulata (QUOY & GAIMARD, 1825), CAPTURADO

Leia mais

Relatório de Peixamentos: Safra Gerente de Manutenção de Ativos de Geração Norte: Sergio Teixeira de Castro

Relatório de Peixamentos: Safra Gerente de Manutenção de Ativos de Geração Norte: Sergio Teixeira de Castro RELATÓRIO DE PEIXAMENTOS: SAFRA 2013-2014 SETE LAGOAS, SETEMBRO DE 2014. Relatório de Peixamentos: Safra 2013-2014 Gerente de Manutenção de Ativos de Geração Norte: Sergio Teixeira de Castro Coordenador

Leia mais

Uso da Avaliação Ambiental Integrada para viabilização de empreendimentos hidrelétricos Bacia do rio Chapecó LASE 2016

Uso da Avaliação Ambiental Integrada para viabilização de empreendimentos hidrelétricos Bacia do rio Chapecó LASE 2016 Uso da Avaliação Ambiental Integrada para viabilização de empreendimentos hidrelétricos Bacia do rio Chapecó LASE 2016 São Paulo, 06 de setembro de 2016 Empresas envolvidas Histórico Metodologia Resultados

Leia mais

Estrutura populacional em peixes de água doce. O que a genética conta sobre os grupos de peixes migradores

Estrutura populacional em peixes de água doce. O que a genética conta sobre os grupos de peixes migradores Estrutura populacional em peixes de água doce. O que a genética conta sobre os grupos de peixes migradores Pedro Manoel Galetti Junior Departamento de Genética e Evolução Universidade Federal de São Carlos

Leia mais

Manejo integrado de fauna aquática na várzea: Pirarucu, Quelônios e Jacarés. Juarez Pezzuti NAEA/UFPA Marcelo Crossa - IPAM George Rebêlo - INPA

Manejo integrado de fauna aquática na várzea: Pirarucu, Quelônios e Jacarés. Juarez Pezzuti NAEA/UFPA Marcelo Crossa - IPAM George Rebêlo - INPA Manejo integrado de fauna aquática na várzea: Pirarucu, Quelônios e Jacarés Juarez Pezzuti NAEA/UFPA Marcelo Crossa - IPAM George Rebêlo - INPA Objetivos Gerais 1) Consolidar sistemas de manejo integrado

Leia mais

Relações entre fatores ambientais e a distribuição de ovos e larvas de peixes na sub-bacia bacia do rio Ivinhema, Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil

Relações entre fatores ambientais e a distribuição de ovos e larvas de peixes na sub-bacia bacia do rio Ivinhema, Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil Relações entre fatores ambientais e a distribuição de ovos e larvas de peixes na sub-bacia bacia do rio Ivinhema, Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil Flávio Lima Nascimento 1* e Keshyiu Nakatani 2 1 Embrapa

Leia mais

BIOLOGIA REPRODUTIVA DO PEIXE-REI Odontesthes argentinensis (ATHERINOPSIDAE), DA REGIÃO MARINHA COSTEIRA E REGIÃO ESTUARINA DA LAGOA DOS PATOS.

BIOLOGIA REPRODUTIVA DO PEIXE-REI Odontesthes argentinensis (ATHERINOPSIDAE), DA REGIÃO MARINHA COSTEIRA E REGIÃO ESTUARINA DA LAGOA DOS PATOS. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PÓS-GRADUAÇÃO EM OCEANOGRAFIA BIOLÓGICA BIOLOGIA REPRODUTIVA DO PEIXE-REI Odontesthes argentinensis (ATHERINOPSIDAE), DA REGIÃO MARINHA COSTEIRA E REGIÃO ESTUARINA

Leia mais

Introdução à Histologia e Técnicas Histológicas. Prof. Cristiane Oliveira

Introdução à Histologia e Técnicas Histológicas. Prof. Cristiane Oliveira Introdução à Histologia e Técnicas Histológicas Prof. Cristiane Oliveira Visão Geral Corpo humano organizado em 4 tecidos básicos: Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso Visão Geral - Tecidos consistem

Leia mais

RESUMO O presente estudo tem por finalidade a caracterização das comunidades de peixes e da pesca de um trecho de aproximadamente 32 km do rio Pará, situado entre a jusante da UHE Cajuru e sua confluência

Leia mais

Reprodução do peixe piau preto Leporinus piau (Fowler, 1941) e as variáveis ambientais do açude Marechal Dutra, Rio Grande do Norte

Reprodução do peixe piau preto Leporinus piau (Fowler, 1941) e as variáveis ambientais do açude Marechal Dutra, Rio Grande do Norte ARTIGO DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v2n1p10-21 Reprodução do peixe piau preto Leporinus piau (Fowler, 1941) e as variáveis ambientais do açude Marechal Dutra, Rio Grande do Norte

Leia mais

ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA ICTIOFAUNA EM SANTA CATARINA

ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA ICTIOFAUNA EM SANTA CATARINA ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA ICTIOFAUNA EM SANTA CATARINA Modalidade: ( ) Ensino ( x ) Pesquisa ( ) Extensão Nível: ( x ) Médio ( ) Superior ( ) Pós-graduação Área: ( ) Química ( ) Informática ( ) Ciências

Leia mais

ZOOCIÊNCIAS 10(1): 13-21, abril 2008

ZOOCIÊNCIAS 10(1): 13-21, abril 2008 Relação peso-comprimento para Prochilodus lineatus e Leporinus friderici no rio Araguari, MG.13 Revista Brasileira de ZOOCIÊNCIAS 1(1): 13-1, abril 8 ISSN 1517-677 Relação peso-comprimento para Prochilodus

Leia mais

5ª CAMPANHA DE MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA DAS TERRAS INDÍGENAS DO RIO TIBAGI/PR

5ª CAMPANHA DE MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA DAS TERRAS INDÍGENAS DO RIO TIBAGI/PR 5ª CAMPANHA DE MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA DAS TERRAS INDÍGENAS DO RIO TIBAGI/PR Interessado: CONSÓRCIO ENERGÉTICO CRUZEIRO DO SUL CPF/CNPJ: 08.587.195 /0001-20 Município: Processo: CURITIBA- PR Elaboração

Leia mais

Áreas de Atuação do Engenheiro de Pesca

Áreas de Atuação do Engenheiro de Pesca Universidade Estadual do Oeste do Paraná Centro de Engenharias e Ciências Exatas Curso de Engenharia de Pesca Áreas de Atuação do Engenheiro de Pesca Avaliação dos Recursos Pesqueiros e Impacto Ambiental

Leia mais

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (ISSA) PARA TRECHO DE VAZÃO REDUZIDA

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (ISSA) PARA TRECHO DE VAZÃO REDUZIDA ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (ISSA) PARA TRECHO DE VAZÃO REDUZIDA ESTUDO DE CASO: VOLTA GRANDE DO RIO XINGU Cristiane VIEIRA/Viviane MAGALHÃES/Maria Betânia SOUZA/Gustavo OLIVEIRA XXXI - SEMINÁRIO

Leia mais

DIETA E MORFOLOGIA TRÓFICA DE HYPOSTOMUS ANCISTROIDES (IHERING, 1911) EM DOIS RIACHOS NA REGIÃO DE MARINGÁ, PARANÁ

DIETA E MORFOLOGIA TRÓFICA DE HYPOSTOMUS ANCISTROIDES (IHERING, 1911) EM DOIS RIACHOS NA REGIÃO DE MARINGÁ, PARANÁ 20 a 24 de outubro de 2008 DIETA E MORFOLOGIA TRÓFICA DE HYPOSTOMUS ANCISTROIDES (IHERING, 1911) EM DOIS RIACHOS NA REGIÃO DE MARINGÁ, PARANÁ Karine Orlandi Bonato 1 ; Maria Isabel de Araújo 1 ; Rosilene

Leia mais

Registro de Phrynops williamsi no rio do Chapecó, Oeste de Santa Catarina, Brasil

Registro de Phrynops williamsi no rio do Chapecó, Oeste de Santa Catarina, Brasil NOTA CIENTÍFICA Registro de Phrynops williamsi no rio do Chapecó, Oeste de Santa Catarina, Brasil SPIER, Edson Fernando * ; FAVRETTO, Mario Arthur ** ; ONGHERO JUNIOR, Osvaldo *** ; PIOVEZAN, Jean Carlos

Leia mais

OBJETIVO: O monitoramento dos Bioindicadores realizado no âmbito do Contrato de Prestação de Serviço Nº 652/2014 SUPRG/FURG, tem por objetivos:

OBJETIVO: O monitoramento dos Bioindicadores realizado no âmbito do Contrato de Prestação de Serviço Nº 652/2014 SUPRG/FURG, tem por objetivos: OBJETIVO: O monitoramento dos Bioindicadores realizado no âmbito do Contrato de Prestação de Serviço Nº 652/2014 SUPRG/FURG, tem por objetivos: 1) Avaliar os níveis de concentração de elementos traço em

Leia mais

O TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO PARA MANEJO DE FAUNA SILVESTRE E RELATÓRIO DE RESULTADOS NA ETAPA DE LEVANTAMENTO DE FAUNA

O TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO PARA MANEJO DE FAUNA SILVESTRE E RELATÓRIO DE RESULTADOS NA ETAPA DE LEVANTAMENTO DE FAUNA O TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO PARA MANEJO DE FAUNA SILVESTRE E RELATÓRIO DE RESULTADOS NA ETAPA DE LEVANTAMENTO DE FAUNA. AUTORIZAÇÃO PARA MANEJO DE FAUNA SILVESTRE LEVANTAMENTO

Leia mais

INFLUÊNCIA DE TRIBUTÁRIOS SOBRE O POTENCIAL REPRODUTIVO DE TRÊS ESPÉCIES DE PEIXES DA BACIA DO RIO GRANDE: UM ESTUDO COMPARATIVO

INFLUÊNCIA DE TRIBUTÁRIOS SOBRE O POTENCIAL REPRODUTIVO DE TRÊS ESPÉCIES DE PEIXES DA BACIA DO RIO GRANDE: UM ESTUDO COMPARATIVO 47 INFLUÊNCIA DE TRIBUTÁRIOS SOBRE O POTENCIAL REPRODUTIVO DE TRÊS ESPÉCIES DE PEIXES DA BACIA DO RIO GRANDE: UM ESTUDO COMPARATIVO CRUZ, Cláudia Kelly Fernandes¹; PERINI, Violeta da Rocha¹; LOUREIRO,

Leia mais

Kits Didáticos. Laboratórios Portáteis

Kits Didáticos. Laboratórios Portáteis Kits Didáticos Laboratórios Portáteis Kit pedagógico de genética A Procura do Suspeito (Papiloscopia - Jogo) Kit na forma de jogo para o ensino fundamental e médio para ensino de genética de herança mendeliana

Leia mais

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA EMBORCAÇÃO

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA EMBORCAÇÃO CAMPANHA MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA EMBORCAÇÃO Água e Terra Planejamento Ambiental Ltda. PATOS DE MINAS, MARÇO DE 2008. 1 RESPONSABILIDADE TÉCNICA Água e Terra Planejamento Ambiental

Leia mais

AVALIAÇÃO DE MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS DE PEIXES NO RIO PARANÁ. Sérgio Makrakis UNIOESTE/GERPEL. Cleverson Luiz de Oliveira UNIOESTE/GERPEL

AVALIAÇÃO DE MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS DE PEIXES NO RIO PARANÁ. Sérgio Makrakis UNIOESTE/GERPEL. Cleverson Luiz de Oliveira UNIOESTE/GERPEL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GIA - 29 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XI GRUPO DE ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS (GIA) AVALIAÇÃO DE MOVIMENTOS

Leia mais

Francisco Gerson Araújo 1 Silvana Duarte 1 Rubens Sterental Goldberg 1 liana Fichberg 1

Francisco Gerson Araújo 1 Silvana Duarte 1 Rubens Sterental Goldberg 1 liana Fichberg 1 Indicadores reprodutivos de Parauchenipterus striatulus (Steindachner) (Pisces, Auchenipteridae) na Represa de Ribeirão das Lajes, Rio de Janeiro, Brasil Francisco Gerson Araújo 1 Silvana Duarte 1 Rubens

Leia mais

TÍTULO: LEVANTAMENTO DE PEIXES NA FAZENDA SANTO ANTONIO, AGUDOS, SÃO PAULO

TÍTULO: LEVANTAMENTO DE PEIXES NA FAZENDA SANTO ANTONIO, AGUDOS, SÃO PAULO TÍTULO: LEVANTAMENTO DE PEIXES NA FAZENDA SANTO ANTONIO, AGUDOS, SÃO PAULO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE BAURU

Leia mais

(Pisces, Characiformes) no Parque Estadual da Serra do Mar-Núcleo Santa Virgínia, Mata Atlântica, Estado de São Paulo,, Brasil

(Pisces, Characiformes) no Parque Estadual da Serra do Mar-Núcleo Santa Virgínia, Mata Atlântica, Estado de São Paulo,, Brasil Relação peso-comprimento e fator de condição de Brycon opalinus (Pisces, Characiformes) no Parque Estadual da Serra do Mar-Núcleo Santa Virgínia, Mata Atlântica, Estado de São Paulo,, Brasil Leandro Muller

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Profª Talita Silva Pereira

SISTEMA REPRODUTOR. Profª Talita Silva Pereira SISTEMA REPRODUTOR Profª Talita Silva Pereira O sistema reprodutor masculino é formado: Testículos Vias espermáticas: epidídimo, canal deferente, uretra. Pênis e Escroto Glândulas anexas: próstata, vesículas

Leia mais

AÇÃO DA LUZ SOBRE AS AVES

AÇÃO DA LUZ SOBRE AS AVES AÇÃO DA LUZ SOBRE AS AVES A luz exerce dupla ação nas aves: Estimula função sexual Estabelece o ciclo reprodutivo Alternância entre dia e noite permite sincronização entre animais Ovário (imaturo) = 12.000

Leia mais

67 CICLO REPRODUTIVO DA CARAPEBA PRATEADA DIAPTERUS RHOMBEUS (CUVIER, 1829), NO LITORAL DE PERNAMBUCO BRASIL.

67 CICLO REPRODUTIVO DA CARAPEBA PRATEADA DIAPTERUS RHOMBEUS (CUVIER, 1829), NO LITORAL DE PERNAMBUCO BRASIL. 67 CICLO REPRODUTIVO DA CARAPEBA PRATEADA DIAPTERUS RHOMBEUS (CUVIER, 1829), NO LITORAL DE PERNAMBUCO BRASIL. RANILSON DE SOUZA BEZERRA 1 VERA LÚCIA ALMEIDA VIEIRA 2 ATHIÊ JORGE GUERRA SANTOS 2 1- Pesquisador

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná. CC54Z - Hidrologia. Precipitação: análise de dados pluviométricos. Prof. Fernando Andrade Curitiba, 2014

Universidade Tecnológica Federal do Paraná. CC54Z - Hidrologia. Precipitação: análise de dados pluviométricos. Prof. Fernando Andrade Curitiba, 2014 Universidade Tecnológica Federal do Paraná CC54Z - Hidrologia Precipitação: análise de dados pluviométricos Prof. Fernando Andrade Curitiba, 2014 Objetivos da aula Identificar erros em séries de dados

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 80/06 - COEPP DISCIPLINA/UNIDADE

Leia mais

Revista Eletrônica de Gestão e Tecnologias Ambientais (GESTA)

Revista Eletrônica de Gestão e Tecnologias Ambientais (GESTA) EFEITOS DA REGULARIZAÇÃO DOS RESERVATÓRIOS NA ICTIOFAUNA DO BAIXO CURSO DO RIO SÃO FRANCISCO EFFECTS OF REGULATING RESERVOIRS ON THE ICHTHYOFAUNA OF SÃO FRANCISCO RIVER LOWER COURSE Katia Núbia Chaves

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/27 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/27 Introdução PIB (pecuária): 21

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA E PROGRAMA DE MONITORAMENTO LIMNOLÓGICO DA QUALIDADE DA ÁGUA PCH RIACHÃO

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA E PROGRAMA DE MONITORAMENTO LIMNOLÓGICO DA QUALIDADE DA ÁGUA PCH RIACHÃO PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA E PROGRAMA DE MONITORAMENTO LIMNOLÓGICO DA QUALIDADE DA ÁGUA PCH RIACHÃO Brasil 2013 LISTA DE FIGURAS Figura 1. Pontos de coleta do material ictiológico para o monitoramento

Leia mais

Simulação computacional da dinâmica temporal da espécie Pintado Pseudopaltystoma corruscans sobre diferentes efeitos de pesca

Simulação computacional da dinâmica temporal da espécie Pintado Pseudopaltystoma corruscans sobre diferentes efeitos de pesca Simulação computacional da dinâmica temporal da espécie Pintado Pseudopaltystoma corruscans sobre diferentes efeitos de pesca Tamara Aparecida Nogueira dos Anjos 3 Érica Fernanda da Cruz 2 Solange Gomes

Leia mais

Crenuchidae) na microbacia do Ribeirão Grande, serra da Mantiqueira Oriental. riental,, Estado de São Paulo

Crenuchidae) na microbacia do Ribeirão Grande, serra da Mantiqueira Oriental. riental,, Estado de São Paulo Dinâmica populacional de Characidium lauroi e C. alipioi (Teleostei, Crenuchidae) na microbacia do Ribeirão Grande, serra da Mantiqueira Oriental riental,, Estado de São Paulo Francisco Manoel de Souza

Leia mais

OBJETIVO: MATERIAIS E MÉTODOS:

OBJETIVO: MATERIAIS E MÉTODOS: OBJETIVO: O Programa de Monitoramento dos Macroinvertebrados Bentônicos realizado no âmbito do contrato de prestação de serviço nº 652/2014 no canal de acesso ao Porto do Rio Grande, bacia de evolução

Leia mais