Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance"

Transcrição

1 Revisão do PDM de Vila Real de Santo António Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance Pedro Bettencourt 1 1 Geólogo, Director-Geral NEMUS, Gestão e Requalificação Ambiental Vila Real de Santo António, 23 de Junho de ª Reunião Plenária

2 Avaliação Ambiental Estratégica da Revisão do PDM de VRSA 1. Avaliação Ambiental vs. Avaliação de Impacte Ambiental 2. Escala e dimensão estratégica da Avaliação Amb. 3. Quadro de Referência Estratégico 4. Questões Estratégicas 5. Factores Ambientais 6. Âmbito da Avaliação Ambiental 7. Factores Críticos de Decisão 8. Domínios de Análise 9. Entidades consultadas e pareceres 10. Nota final VRSA, 23 de Junho de / 16

3 Avaliação Ambiental vs. Avaliação de Impacte Ambiental AA incide sobre Programas e Planos Perspectiva estratégica e de longo prazo Processo cíclico e contínuo (objecto de avaliação volátil e nem sempre bem definido) Incerteza e imprecisão relativamente aos efeitos ambientais Fase mais precoce da tomada da decisão Abordagem especulativa AIA incide sobre Projectos Perspectiva de execução e de curto/médio prazo Processo discreto (objecto de avaliação concreto e estabilizado em geral) Maior certeza e precisão relativamente aos efeitos ambientais (impactes) Fase mais adiantada da tomada da decisão Abordagem pragmática VRSA, 23 de Junho de / 16

4 A dimensão +/- estratégia da AA depende da escala do Plano ou Programa em avaliação Programas ou Planos Nacionais Programas ou Planos Regionais Programas ou Planos Intermunicipais Quadro de Referência Estratégico Questões Estratégicas PDM PU PP Factore s Ambi entai s ( EIA) VRSA, 23 de Junho de / 16

5 Quadro de Referência Estratégico A. Documentos Estratégicos (mais relevantes) Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ENCNB) Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável (ENDS) Estratégia Nacional para o Mar Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) Programa Nacional de Turismo de Natureza (PNTN) Plano Portugal Logístico Plano Rodoviário Nacional Lei da Água (58/2005) Estratégia de Desenvolvimento do Algarve Programa Regional de Inovação do Algarve VRSA, 23 de Junho de / 16

6 Documentos Estratégicos PROGRAMA NACIONAL DE TURISMO DE NATUREZA VRSA, 23 de Junho de / 16

7 Quadro de Referência Estratégico B. Instrumentos de Gestão Territorial Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território (PNPOT) Plano Sectorial da Rede Natura (PSRN) 2000 Plano de Bacia Hidrográfica (PBH) do Rio Guadiana Plano de Bacia Hidrográfica (PBH) das Ribeiras do Algarve Plano Regional de Ordenamento Florestal (PROF) do Algarve POOC Vilamoura VRSA Plano de Ordenamento do Parque Natural da Ria Formosa (POPNRF) Plano de Ordenamento da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e VRSA Plano Regional de Ordenamento do Território (PROT) Algarve PDM em vigor (e objecto de revisão) VRSA, 23 de Junho de / 16

8 Instrumentos de Gestão Territorial PLANOS DE ORDENAMENTO PLANO SECTORIAL DA REDE NATURA 2000 PLANOS DE BACIA HIDROGRÁFICA RIO GUADIANA e RIBEIRAS DO ALGARVE PLANO DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA VILAMOURA-VRSA VRSA, 23 de Junho de / 16

9 Questões Estratégicas associadas ao Plano Objectivos Estratégicos de Desenvolvimento de VRSA: Afirmação do concelho de VRSA, pelas suas especificidades e diferenças, enquanto local aprazível para viver e enquanto destino turístico diversificado e de qualidade Reforço da marca de VRSA no desporto, recreio e lazer, na conservação da natureza e no património Protecção, valorização e integração do património natural e construído Promoção da requalificação e da reconversão urbanística Incentivo de novas práticas de mobilidade e implementação de princípios de eficiência energética Minimização dos efeitos da sazonalidade através do reforço da actividade empresarial e comercial para a criação e qualificação de emprego Valorização da posição geoestratégica de VRSA na articulação Algarve/Andaluzia, Portugal/Espanha e Sul da Europa/Norte de África VRSA, 23 de Junho de / 16

10 Factores / Domínios Ambientais Factores mais críticos: Uso do Solo Geologia e Geomorfologia Riscos / Alterações Climáticas Recursos Hídricos Biodiversidade, Fauna e Flora Património Cultural Competitividade territorial Desemprego e desenvolvimento socioeconómico VRSA, 23 de Junho de / 16

11 Âmbito da Análise da Avaliação Ambiental Quadro de Referência Estratégico (Objectivos gerais e específicos) Questões Estratégicas Factores Ambientais Factores Críticos de Decisão Domínios de Análise Indicadores- Chave VRSA, 23 de Junho de / 16

12 Factores Críticos de Decisão (FCD) 1. Uso do Solo e Ordenamento do Território 2. Recursos Naturais e Patrimoniais 3. Competitividade Territorial VRSA, 23 de Junho de / 16

13 Domínios de Análise FCD 1 Uso do Solo e Ordenamento do Território Uso do solo e estrutura ecológica Articulação com instrumentos de gestão territorial Geologia e recursos hídricos FCD 2 Recursos Naturais e Patrimoniais Conservação da natureza e biodiversidade Património arquitectónico e arqueológico Riscos naturais e tecnológicos FCD 3 Competitividade Territorial População e condições de vida Actividades económicas e estratégias de desenvolvimento Mobilidade e acessibilidade VRSA, 23 de Junho de / 16

14 Entidades Consultadas (em Abril de 2008) Entidades que emitiram parecer sobre a PDA: Entidades consultadas que não emitiram parecer: CCDR Algarve ICNB IGESPAR INAG IPTM Região de Turismo do Algarve VRSA, 23 de Junho de / 16

15 Conteúdo dos Pareceres sobre a PDA Pareceres genericamente favoráveis apenas CCDR Algarve teceu algumas considerações: Considerar a Lei 54/2005 Titularidade dos Recursos Hídricos e analisar as servidões relativas ao domínio hídrico público e privado Considerar a condicionante: Zona Crítica à Extracção de Águas Subterrâneas Analisar a delimitação de zonas inundáveis (Art.º 40 da Lei da Água) Analisar os riscos de tsunami e de ruptura de barragens Aprofundar as análises População e condições de vida e Actividades económicas Considerar o DL 794/76: necessidade em prever habitação a custos controlados nos IGT Analisar o contributo esperado do PDM para a melhoria dos níveis de saúde da população Analisar a promoção da acessibilidade aos cidadãos com mobilidade reduzida Acrescentar o Ruído aos domínios de análise propostos VRSA, 23 de Junho de / 16

16 Nota Final Outros processos de avaliação ambiental para VRSA mais adiantados sugerem a necessidade em se consultar outras entidades com responsabilidades ambientais específicas no que se refere ao futuro Relatório Ambiental da Revisão do PDM: ARH Algarve DGADR - Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve Autoridade Nacional de Protecção Civil VRSA, 23 de Junho de / 16

Desenvolvimento do Âmbito e Alcance

Desenvolvimento do Âmbito e Alcance Revisão do PDM de Vila Real de Santo António Avaliação ação Ambiental be Estratégica: Desenvolvimento do Âmbito e Alcance Pedro Bettencourt 1, Pedro Afonso Fernandes 2 1 Geólogo, Director-Geral; 2 Economista

Leia mais

VOLUME II Introdução e enquadramento

VOLUME II Introdução e enquadramento #$ VOLUME I RELATÓRIO SÍNTESE VOLUME II Introdução e enquadramento Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 - Enquadramento das Políticas e Instrumentos de Ordenamento Territorial VOLUME III PATRIMÓNIO NATURAL

Leia mais

Plano de Pormenor da Praia Grande. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território

Plano de Pormenor da Praia Grande. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Índice 1. Localização e Termos de referência 2. Eixos Estratégicos e Objetivos 3. Enquadramento legal 4. Diagnóstico 5. Proposta 6. Concertação

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação Territorial Europeia 2007/2013 Que oportunidades para Lisboa e Vale do Tejo? Centro Cultural de Belém 31 de Março 2008 Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação territorial

Leia mais

Estrutura Regional de Protecção e Valorização Ambiental

Estrutura Regional de Protecção e Valorização Ambiental Documento de Trabalho Área sectorial Estrutura Regional de Protecção e Valorização Ambiental Designação do documento Diagnóstico Estratégico/Visão Contacto da equipa Data 03 07 Equipa: Hipólito Bettencourt,

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação Turismo, Planeamento e Ordenamento do Território no Algarve Dr. Sérgio Palma Brito sergiopalmabrito@gmail.com Faro, 09 de Novembro 1 Estrutura da Apresentação Proposta de Metodologia O Planeamento do Território

Leia mais

Vital Rosário Licenciado em Urbanismo Adjunto da Coordenação do PROT OVT

Vital Rosário Licenciado em Urbanismo Adjunto da Coordenação do PROT OVT http://consulta-protovt.inescporto.pt/ Vital Rosário Licenciado em Urbanismo Adjunto da Coordenação do PROT OVT PENICHE * 06 DE NOVEMBRO DE 2008 PROT: O QUE É É um instrumento de desenvolvimento territorial

Leia mais

VOLUME II Introdução e enquadramento

VOLUME II Introdução e enquadramento #$ VOLUME I RELATÓRIO SÍNTESE VOLUME II Introdução e enquadramento Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 - Enquadramento das Políticas e Instrumentos de Ordenamento Territorial VOLUME III PATRIMÓNIO NATURAL

Leia mais

Visão para o ordenamento do território e das cidades

Visão para o ordenamento do território e das cidades Visão para o ordenamento do território e das cidades Ganhos e Desafios Jeiza Barbosa Tavares Direcção Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano 16 de Maio de 2014 WS 4.1 Visão para o

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA S e m i n á r i o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O MAR GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA IST 03 Nov 2004 Quaternaire Portugal http://www.quaternaire.pt Decreto-lei n.º 380/99: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Leia mais

Ordenamento do Espaço Rural

Ordenamento do Espaço Rural Ordenamento do Espaço Rural Ano lectivo 2005/2006 Capítulo 4 Ordenamento do Espaço Rural 1 4.1 A Política Nacional de Ordenamento do Território 2 Ordenamento do Território Assenta no sistema de gestão

Leia mais

Estratégia para o Crescimento e Inovação Região de Aveiro

Estratégia para o Crescimento e Inovação Região de Aveiro Congresso da 15 de março de 2013 PRIORIDADES Eficiência energética e fontes de energia renovável Eficiente utilização de recursos Inovação e competitividade das PME 2014-2020 Combate à pobreza e à exclusão

Leia mais

11ª aula - Caso de estudo de Tomar

11ª aula - Caso de estudo de Tomar 11ª aula - Caso de estudo de Tomar Plano Director Municipal Tomar Componente Ambiental Figura? Dispersão da Edificação em Tomar Objectivos gerais: Caracterizar os elementos ambientais fundamentais no

Leia mais

Implementação da ENM Abordagens Integradas para a Náutica

Implementação da ENM Abordagens Integradas para a Náutica Implementação da ENM 2013-2020 Abordagens Integradas para a Náutica Náutica 2020 Vila Praia de Âncora, 21 de novembro de 2014 João Fonseca Ribeiro Diretor-Geral de Politica do Mar O Mar-Portugal é um desígnio

Leia mais

Revisão do Plano Diretor Municipal de Grândola

Revisão do Plano Diretor Municipal de Grândola Revisão do Plano Diretor Municipal de Grândola Fase 2 Visão Estratégica, Cenarização e Modelo Territorial Janeiro de 2016 Objetivos da Sessão Fase de Discussão Apresentação dos cenários alternativos para

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020

PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 FORUM REGIONAL ALENTEJO 2020 DESAFIOS E OPORTUNIDADES PLANO DE ACÇÃO REGIONAL ALENTEJO 2020 COMISSÃO DE COORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ALENTEJO Joaquim Fialho joaquim.fialho@ccdr-a.gov.pt Vendas

Leia mais

Os Recursos Geológicos na Região do Norte: Ambiente e Ordenamento do Território

Os Recursos Geológicos na Região do Norte: Ambiente e Ordenamento do Território Os Recursos Geológicos na Região do Norte: Ambiente e 9 de Outubro de 2008 ISEP Recursos Geológicos: Pressupostos Instrumentos Programáticos de Instrumentos Programáticos de Ordenamento Sectorial Acção

Leia mais

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM Janeiro 2010 Fundamentação para a Elaboração do Plano de Pormenor do Conjunto das Azenhas do Boco Termos de Referência Índice 1. Introdução 2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEPÇÃO Planificação anual de Informação Turística e Marketing 12ºano

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEPÇÃO Planificação anual de Informação Turística e Marketing 12ºano Planificação anual de Informação Turística e Marketing 12ºano Turmas N Professora: Sónia Vieira 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina Componente da formação Técnica; Organização semanal de 6 tempos

Leia mais

Plano de Pormenor da Praia do Pedregal (Magoito) Sessão Pública 10.julho.2015

Plano de Pormenor da Praia do Pedregal (Magoito) Sessão Pública 10.julho.2015 Plano de Pormenor da Praia do Pedregal (Magoito) Sessão Pública 10.julho.2015 Índice Área do plano Termos de referência Objetivos Enquadramento legal, regulamentar, estratégico, projetos e programas Outros

Leia mais

Planos Directores Municipais Enquadramento Jurídico

Planos Directores Municipais Enquadramento Jurídico Planos Directores Municipais Enquadramento Jurídico Lei de Bases de OT e Urbanismo Lei n.º 48/98 de 11 de Agosto - Lei de Bases da Política de Ordenamento do Território e de Urbanismo Lei n.º 54/2007 de

Leia mais

Mestrado em Engenharia do Ambiente 4º ano / 1º semestre

Mestrado em Engenharia do Ambiente 4º ano / 1º semestre Mestrado em Engenharia do Ambiente 4º ano / 1º semestre GESTÃO DE AMBIENTE E TERRITÓRIO Instrumentos de ordenamento do território 9ª aula Legislação fundamental OT Lei nº 48/98, de 11 de Agosto - Lei de

Leia mais

O Sistema Nacional de Indicadores de Ordenamento do Território e a sua articulação com outros sistemas de indicadores

O Sistema Nacional de Indicadores de Ordenamento do Território e a sua articulação com outros sistemas de indicadores O Sistema Nacional de Indicadores de Ordenamento do Território e a sua articulação com outros sistemas de indicadores Vitor Campos Director-Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano Porquê

Leia mais

O USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NAS ÁREAS ADJACENTES A PLANOS DE ÁGUA E TRANSFORMAÇÕES RECENTES NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO

O USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NAS ÁREAS ADJACENTES A PLANOS DE ÁGUA E TRANSFORMAÇÕES RECENTES NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO O USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NAS ÁREAS ADJACENTES A PLANOS DE ÁGUA E TRANSFORMAÇÕES RECENTES NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO Carlos Pina, Geógrafo, CCDR-LVT Paula Santana, Geógrafa, CCDR-LVT Subtema: A

Leia mais

ACTA DA 41.ª REUNIÃO SECTORIAL NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VILA NOVA DE GAIA (13 DE JUNHO DE 2007)

ACTA DA 41.ª REUNIÃO SECTORIAL NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VILA NOVA DE GAIA (13 DE JUNHO DE 2007) ACTA DA 41.ª REUNIÃO SECTORIAL NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VILA NOVA DE GAIA (13 DE JUNHO DE 2007) A 41.ª Reunião Sectorial do PDM de Vila Nova de Gaia, em que participaram representantes da CCDR-N,

Leia mais

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Mar nos Programas Temáticos Regionais 2014-2020 João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Panorama Nacional e Internacional Oceano Atlântico Norte Oceano Atlântico Sul Reafirmar Portugal

Leia mais

2ª FASE - AVALIAÇÃO DOS POOC NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA ARH DO TEJO

2ª FASE - AVALIAÇÃO DOS POOC NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA ARH DO TEJO NOTA FINAL Todos os aspectos referidos são decorrentes das análises e reflexões efectuadas pela equipa da ARH do Tejo, pelas 13 Autarquias integradas naquela área de jurisdição, pela Biodesign enquanto

Leia mais

Avaliação Ambiental (AAE) - novos desafios -

Avaliação Ambiental (AAE) - novos desafios - 12ª Conferência de Ambiente do Técnico 31 de Maio, 2007 Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) - novos desafios - Maria do Rosário Partidário O que é a AAE? Instrumento de política ambiental de apoio à

Leia mais

O SISTEMA DE PLANEAMENTO PORTUGUÊS Doutoramento em Arquitetura ULP

O SISTEMA DE PLANEAMENTO PORTUGUÊS Doutoramento em Arquitetura ULP Vítor Oliveira O SISTEMA DE PLANEAMENTO PORTUGUÊS Doutoramento em Arquitetura ULP Aulas de Planeamento Urbano Estrutura da apresentação 1. Introdução 1.1. A Lei de Bases Gerais da Politica Pública de Solos,

Leia mais

Compromissso Documento de Orientação Estratégica. António Oliveira das Neves Funchal, 09 de Julho 2013

Compromissso Documento de Orientação Estratégica. António Oliveira das Neves Funchal, 09 de Julho 2013 Compromissso Madeira@2020 Documento de Orientação Estratégica António Oliveira das Neves Funchal, 09 de Julho 2013 Roteiro da Apresentação 1. Contexto da Programação 2. Estratégia de Desenvolvimento Regional

Leia mais

1 093 225 Receitas Próprias

1 093 225 Receitas Próprias - Programação Plurianual do 213 Investimento por Programas e Medidas Página 1 Anos anteriores 213 214 215 Anos Seguintes TOTAL VICE PRESIDÊNCIA DO GOVERNO 41 - INOVAÇAO E QUALIDADE 1 - PROMOÇAO DA INOVAÇAO

Leia mais

Enquadramento da estratégia da gestão das inundações com os Planos de Gestão de Região Hidrográfica

Enquadramento da estratégia da gestão das inundações com os Planos de Gestão de Região Hidrográfica Enquadramento da estratégia da gestão das inundações com os Planos de Gestão de Região Hidrográfica ZONAS INUNDÁVEIS E RISCOS DE INUNDAÇÃO PLANOS DE GESTÃO DE RISCO DE INUNDAÇÕES 5 fevereiro 2015, auditório

Leia mais

POOC ALCOBAÇA MAFRA FAIXA LITORAL DO CONCELHO DE TORRES VEDRAS 1. INTRODUÇÃO

POOC ALCOBAÇA MAFRA FAIXA LITORAL DO CONCELHO DE TORRES VEDRAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO NORTE CENTRO SUL 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO POOC ALCOBAÇA MAFRA FAIXA LITORAL DO CONCELHO DE TORRES VEDRAS P51 Praia do Amanhã PRAIA A RECLASSIFICAR P51 A P60 Frente Urbana de Santa Cruz

Leia mais

ACTA DA PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO DE REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE SINTRA

ACTA DA PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO DE REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE SINTRA ACTA DA PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO DE REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE SINTRA ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Apresentação dos Documentos de Referência para Entidades Acreditadas (EA) no Domínio do Ambiente

Apresentação dos Documentos de Referência para Entidades Acreditadas (EA) no Domínio do Ambiente Apresentação dos Documentos de Referência para Entidades Acreditadas (EA) no Domínio do Ambiente EA.G.02.01.00 - Guia Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) Cecília Simões APA, 22 de janeiro de 2013 GUIA

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA PRAIA DO PEDREGAL Magoito

PLANO DE PORMENOR DA PRAIA DO PEDREGAL Magoito PLANO DE PORMENOR DA PRAIA DO PEDREGAL Magoito Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território - Divisão de Planeamento e Projetos Estratégicos maio 2015 Área do plano Termos de referência

Leia mais

O Planeamento do. Gestão e ordenamento do território

O Planeamento do. Gestão e ordenamento do território O Planeamento do Território em Portugal Gestão e ordenamento do território Henrique Miguel Pereira Enquadramento jurídico Constituição da República Lei de Bases do Ambiente (Lei 11/1987) Lei de Bases de

Leia mais

Plano Director Municipal Monção

Plano Director Municipal Monção Plano Director Municipal Monção J u n h o 2 0 0 8 C â m a r a M u n i c i p a l d e M o n ç ã o Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental Lugar do Plano, Gestão do Território e Cultura Rua de

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA DECLARAÇÃO AMBIENTAL PLANO DE URBANIZAÇÃO PARA O UP4 DE SANTARÉM - PROPOSTA DE PLANO

AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA DECLARAÇÃO AMBIENTAL PLANO DE URBANIZAÇÃO PARA O UP4 DE SANTARÉM - PROPOSTA DE PLANO AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA DECLARAÇÃO AMBIENTAL PLANO DE URBANIZAÇÃO PARA O UP4 DE SANTARÉM - PROPOSTA DE PLANO OUTUBRO - 2010 2 AAE DO PLANO DE URBANIZAÇÃO UP4 SANTARÉM Índice 1. Introdução... 4

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DA UNIDADE ORGÂNICA Decreto Regulamentar n.º 18/2009, de 4 de Setembro, artigo 10.º

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DA UNIDADE ORGÂNICA Decreto Regulamentar n.º 18/2009, de 4 de Setembro, artigo 10.º UNIDADE ORGÂNICA: DIRECÇÃO MUNICIPAL DE PLANEAMENTO E ORDENAMENTO DIRIGENTE: LUCIANO COSTA CARVALHO DIAS DATA DE ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO ANUAL: 24 DE FEVEREIRO DE 2014 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS OE I - Promover

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALPIARÇA

MUNICÍPIO DE ALPIARÇA MUNICÍPIO DE ALPIARÇA Deliberação de não sujeição a avaliação ambiental estratégica da alteração do Plano de Pormenor da Zona de Os Águias Mário Fernando A. Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Alpiarça,

Leia mais

ecomar GRUPO DE AÇÃO LOCAL

ecomar GRUPO DE AÇÃO LOCAL O DESENVOLVIMENTO LOCAL DE BASE COMUNITÁRIA (DLBC) é um instrumento do Portugal 2020 que visa promover a concertação estratégica e operacional entre parceiros que atuam num território específico (rural,

Leia mais

III Encontro - Agenda 21 Local

III Encontro - Agenda 21 Local III Encontro - Agenda 21 Local Montemor-o-Novo 20 de Novembro Enquadramento Metodologia proposta pela Agência Portuguesa do Ambiente Guia AGENDA 21 Local Um desafio para todos Sistema de Sustentabilidade

Leia mais

Roteiros Turísticos do Património Mundial. Alcobaça~Batalha ~Tomar

Roteiros Turísticos do Património Mundial. Alcobaça~Batalha ~Tomar Roteiros Turísticos do Património Mundial Alcobaça~Batalha ~Tomar O Turismo Cultural hoje 44 milhões de turistas procuram turismo cultural na Europa O património cultural aproxima civilizações e motiva

Leia mais

EDITAL Nº 39/X-2º/

EDITAL Nº 39/X-2º/ /X-2º/2010-11 (Sobre o Plano de Pormenor das Praias de Transição (PP5)) EU, JOSÉ MANUEL MAIA NUNES DE ALMEIDA, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DO CONCELHO DE ALMADA Torno público que na Reunião da Sessão

Leia mais

Legislação temática Ordenamento do território. Decreto-Lei nº Servidões relativas ao serviço de telecomunicações militares.

Legislação temática Ordenamento do território. Decreto-Lei nº Servidões relativas ao serviço de telecomunicações militares. Diploma Resumo Data Alterações, revogações e normas complementares Decreto-Lei nº 37 575 Estabelece regras relativas à localização de edifícios escolares 08-10-1949 Revogado pelo Decreto-Lei nº 80/2010,

Leia mais

Os Instrumentos de Gestão Territorial

Os Instrumentos de Gestão Territorial Workshop Ordenamento do Território e Prevenção de Acidentes Graves Alfragide, 25 de Maio de 2009 Os instrumentos de gestão territorial estão tipificados nos seguintes diplomas legais: Lei de Bases do Ordenamento

Leia mais

Gestão Territorial do RISCO na Região Centro. Coimbra 02 e 03 Dezembro 2013 RISCOS. Zulmira Duarte CCDRC

Gestão Territorial do RISCO na Região Centro. Coimbra 02 e 03 Dezembro 2013 RISCOS. Zulmira Duarte CCDRC SEMINÁRIO Gestão Territorial do RISCO na Região Centro Coimbra 02 e 03 Dezembro 2013 RISCOS na Revisão dos PDM Zulmira Duarte CCDRC 1 RISCOS na revisão dos PDM 1 Pto. Situação PDMse RENs 2 3 Na Revisão

Leia mais

Externalidades associáveis de Ocupação Urbana

Externalidades associáveis de Ocupação Urbana Externalidades associáveis ás s várias v formas de Ocupação Urbana Componente do projecto de investigação Custos e Benefícios, à Escala Local de uma Ocupação Dispersa M.C. Serrano Pinto (UA), L. Arroja

Leia mais

Plano de Situação do Ordenamento do Espaço Marítimo da Região Autónoma da Madeira (PSOEM-Madeira) Subárea 2 da ZEE Um Mar com Futuro

Plano de Situação do Ordenamento do Espaço Marítimo da Região Autónoma da Madeira (PSOEM-Madeira) Subárea 2 da ZEE Um Mar com Futuro Plano de Situação do Ordenamento do Espaço Marítimo da Região Autónoma da Madeira (PSOEM-Madeira) Subárea 2 da ZEE Um Mar com Futuro 1ª Reunião Plenária da Comissão Consultiva da Madeira 8 de abril de

Leia mais

Relatório Ambiental do Plano de Urbanização de Celorico de Basto ANEXOS B Pareceres Relatório FCD

Relatório Ambiental do Plano de Urbanização de Celorico de Basto ANEXOS B Pareceres Relatório FCD Relatório Ambiental do Plano de Urbanização de Celorico de Basto 11.2. ANEXOS B Pareceres Relatório FCD Novembro de 2011 B/6 Relatório Ambiental do Plano de Urbanização de Celorico de Basto I. PARECERES

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

Decreto Presidencial n.º 216/11, de 8 de Agosto

Decreto Presidencial n.º 216/11, de 8 de Agosto Decreto Presidencial n.º 216/11, de 8 de Agosto Página 1 de 10 Considerando que o acesso à terra é fundamental para o processo de reconstrução, construção e desenvolvimento económico e social do País e

Leia mais

Avaliação Ambiental do Plano de Pormenor da Zona de Expansão Norte/ Poente de Vila Real de Santo António

Avaliação Ambiental do Plano de Pormenor da Zona de Expansão Norte/ Poente de Vila Real de Santo António Avaliação Ambiental do Plano de Pormenor da Zona de Expansão Norte/ Poente de Vila Real de Santo António Volume I - Relatório Ambiental Volume II - Resumo Não Técnico ÍNDICE GERAL 1. Introdução 1 2. Breve

Leia mais

Câmara Municipal de Vagos Dezembro de 2010

Câmara Municipal de Vagos Dezembro de 2010 Fundamentação para a Elaboração da Alteração ao Plano de Pormenor da Zona Industrial de Vagos & Justificação para a não sujeição da Alteração ao Plano de Pormenor da Zona Industrial de Vagos a Avaliação

Leia mais

Programa de Ação e Investimentos

Programa de Ação e Investimentos Este documento pretende sintetizar o Programa de Ação que faz parte integrante da Estratégia de Desenvolvimento Local apresentada pela ADREPES na fase de pré-qualificação da parceria do GAL ADREPES COSTEIRO.

Leia mais

Em resposta ao requerimento em epígrafe, cumpro-mo transmitir a V. Ex.ª a seguinte informação:

Em resposta ao requerimento em epígrafe, cumpro-mo transmitir a V. Ex.ª a seguinte informação: Em resposta ao requerimento em epígrafe, cumpro-mo transmitir a V. Ex.ª a seguinte informação: 1. Plano do Ordenamento da Orla Costeira do São Jorge Os Planos de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) traduzem,

Leia mais

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA)

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOS DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E GESTÃO URBANÍSTICA 2010 1. ENQUADRAMENTO LEGAL DO PLANO

Leia mais

O PEDU é, ainda, o elemento agregador de três instrumentos de planeamento, que suportam cada uma daquelas prioridades de investimento:

O PEDU é, ainda, o elemento agregador de três instrumentos de planeamento, que suportam cada uma daquelas prioridades de investimento: APRESENTAÇÃO ENQUADRAMENTO Do Acordo de Parceria Portugal 2020, adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, e dos Programas Operacionais Regionais resultou que os Municípios que correspondessem a centros

Leia mais

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL de

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL de Processo de Revisão do PLANO DIRECTOR MUNICIPAL de VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO 2ª Reunião Plenária da Comissão de Acompanhamento 5 Novembro de 2010 Ordem de trabalhos: 1.Abertura da reunião pelos representantes

Leia mais

Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal

Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal Congresso Estratégias para as novas agriculturas Cenários da evolução futura da agricultura em Portugal Francisco Avillez (Professor Emérito do ISA/UTL e Coordenador Científico da AGROGES) Lisboa, 5 de

Leia mais

Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE)

Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE) Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE) Do SUDOE 2007-2013 à Estratégia 2020 Promoção da inovação e constituição de redes estáveis de cooperação em matéria tecnológica

Leia mais

Avaliação Ambiental da proposta de alteração ao PDM de Leiria

Avaliação Ambiental da proposta de alteração ao PDM de Leiria Avaliação Ambiental da proposta de alteração ao PDM de Leiria Resumo Não Técnico Projecto elaborado para: Câmara Municipal de Leiria Largo da República 2414-006 Leiria EEP 04.10-09/06.18 MARÇO 2010 IDAD-Instituto

Leia mais

Regadio, Paisagem Rural e Ordenamento do Território. Os Novos Oásis?...

Regadio, Paisagem Rural e Ordenamento do Território. Os Novos Oásis?... V Congresso Nacional do Milho Os Novos Oásis?... Maria da Graça Amaral Neto Saraiva Profª Associada da UTL MAOTDR gsaraiva@sapo.pt Culturas de Regadio Oportunidades desenvolvimento rural fixação das populações

Leia mais

Relatório de Caracterização e Diagnóstico

Relatório de Caracterização e Diagnóstico Processo de Revisão do PLANO DIRECTOR MUNICIPAL de VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO 1ª Reunião Plenária da Comissão de Acompanhamento 23 de Junho de 2009 Relatório de Caracterização e Diagnóstico Relatório de

Leia mais

Planeamento dos recursos hídricos

Planeamento dos recursos hídricos PLANOS DE GESTÃO DE REGIÃO HIDROGRÁFICA 2016-2021 Em consulta pública Jun 2015 a Fev 2016 Planeamento dos recursos hídricos Preocupações e Expecta0vas do Sector Agrícola José Nuncio 2 de Fevereiro 2016

Leia mais

Os Riscos Naturais e os. Instrumentos de Gestão Territorial

Os Riscos Naturais e os. Instrumentos de Gestão Territorial Avaliação e Gestão de Perigosidades e Risco Ambiental CEG IGOT UL Os Riscos Naturais e os Instrumentos de Gestão Territorial José Luís Zêzere RISKam Centro de Estudos Geográficos IGOT Universidade de Lisboa

Leia mais

Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e Biodiversidade ENCNB 2025

Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e Biodiversidade ENCNB 2025 Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e Biodiversidade ENCNB 2025 Posição sobre o documento em consulta pública 1. Parecer do CNADS A Ordem dos Biólogos subscreve o parecer do CNADS, nomeadamente

Leia mais

Plano de Situação do Ordenamento do Espaço Marítimo Nacional PSOEM

Plano de Situação do Ordenamento do Espaço Marítimo Nacional PSOEM Plano de Situação do Ordenamento do Espaço Marítimo Nacional PSOEM 1ª Reunião Plenária da Comissão Consultiva - 21 de março de 2016 Princípios compatibilização de usos e atividades e de políticas e instrumentos

Leia mais

Conflitos de ordenamento

Conflitos de ordenamento Des. Designação 1 1 Quarteira nascente conflito Concelho Motivo de conflito Proposta do POOC Loulé Espaço Urbanizável em zona de risco e de enquadramento Alteração para Espaço de Enquadramento que implica

Leia mais

Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas da CIM-RC

Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas da CIM-RC Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas da CIM-RC Bases para o Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas 1 Enquadramento Mensagens chave da 5ª Avaliação das Alterações

Leia mais

Seminário "Proteção do Solo e Combate à Desertificação: oportunidade para as regiões transfronteiriças"

Seminário Proteção do Solo e Combate à Desertificação: oportunidade para as regiões transfronteiriças Seminário "Proteção do Solo e Combate à Desertificação: oportunidade para as regiões transfronteiriças" Bragança, 29 de Outubro de 2012 ADPM Associação de Defesa do Património de Mértola índice 1. A missão

Leia mais

PLANO DE URBANIZAÇÃO DE VALE DO GROU TERMOS DE REFERÊNCIA 1/8

PLANO DE URBANIZAÇÃO DE VALE DO GROU TERMOS DE REFERÊNCIA 1/8 PLANO DE URBANIZAÇÃO DE VALE DO GROU TERMOS DE REFERÊNCIA 1/8 Índice 1. Introdução 2. Enquadramento legal do plano 3. Enquadramento territorial da área de intervenção 4. Oportunidade da elaboração do plano

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I Anexo I Diretivas Diretiva Quadro da Água (DQA) Diretiva Quadro Estratégia Marinha (DQEM) Diretiva 2000/60/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de outubro de 2000, que estabelece um quadro de

Leia mais

Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres. Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação

Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres. Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação Diário da República, 1.ª série N.º 93 13 de maio de 2016 1565 Delimitação da Reserva Ecológica do Município de Fornos de Algodres (n.º de Ordem) Áreas da REN afetadas Fim a que se destina Síntese da Fundamentação

Leia mais

Anexo IV Tabela das Áreas de Actividades

Anexo IV Tabela das Áreas de Actividades Actividades Relacionadas com o Património Cultural 101/801 Artes Plásticas e Visuais 102/802 Cinema e Audiovisual 103/803 Bibliotecas e Património Bibliográfico 104/804 Arquivos e Património Arquivistico

Leia mais

PLANO DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA DA ÁREA TERRITORIAL DA ARH DO TEJO, I.P.

PLANO DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA DA ÁREA TERRITORIAL DA ARH DO TEJO, I.P. PLANO DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA DA ÁREA TERRITORIAL DA ARH DO TEJO, I.P. Sessão de Debate - 11 de Setembro de 2009 Mudança e Inovação para os POOC de 2ª Geração Centro de Informação Geográfica e

Leia mais

Região do Médio Tejo. Características e Desafios

Região do Médio Tejo. Características e Desafios Região do Médio Tejo Características e Desafios 09 março 2015 A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Território e Municípios A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo Atribuições e Competências das

Leia mais

TERRITÓRIO E TURISMO O Algarve entre 1960 e o Século XXI

TERRITÓRIO E TURISMO O Algarve entre 1960 e o Século XXI TERRITÓRIO E TURISMO O Algarve entre 1960 e o Século XXI Dr. Sérgio Palma Brito sergiopalmabrito@iol.pt Universidade do Algarve / Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo Faro, 07 de

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PRÁTICO DA DISCIPLINA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA Mestrado em Engenharia do Ambiente 2008/2009. A. Descrição do caso prático

PLANO DE TRABALHO PRÁTICO DA DISCIPLINA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA Mestrado em Engenharia do Ambiente 2008/2009. A. Descrição do caso prático PLANO DE TRABALHO PRÁTICO DA DISCIPLINA DE AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA Mestrado em Engenharia do Ambiente 2008/2009 A. Descrição do caso prático 1. Contexto estratégico A Comissão de Coordenação e

Leia mais

1. Matriz de compatibilização das classes de espaço dos Planos Directores Municipais com as Classes de Espaço propostas pelo POOC.

1. Matriz de compatibilização das classes de espaço dos Planos Directores Municipais com as Classes de Espaço propostas pelo POOC. Lista de quadros 1. Matriz de compatibilização das classes de espaço dos Planos Directores Municipais com as Classes de Espaço propostas pelo. 2. UOPG do : Correspondência entre classes de espaço (/PDM).

Leia mais

Galicia Norte Portugal

Galicia Norte Portugal Juan Lirón Lago, Director GNP-AECT Secretario GNP-AECT CONFERÊNCIA O POTENCIAL TURÍSTICO DA ÁGUA A água e os produtos turísticos Estudos de caso Viana do Castelo 30 de Outubro de 2013 GNP-AECT GNP-AECT

Leia mais

O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027

O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027 Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027 Nuno fazenda Lisboa, 28 de outubro de 2016 AGENDA ET 27: enquadramento e percurso

Leia mais

Mestrado em Engenharia do Ambiente 1º Ano / 1º Semestre ª aula Prof. Doutora Maria do Rosário Partidário

Mestrado em Engenharia do Ambiente 1º Ano / 1º Semestre ª aula Prof. Doutora Maria do Rosário Partidário Mestrado em Engenharia do Ambiente 1º Ano / 1º Semestre - 2008-09 23ª aula Prof. Doutora Maria do Rosário Partidário 1. Lei de Bases do Ambiente (1987) POLÍTICA NACIONAL DE AMBIENTE Instrumentos de política

Leia mais

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5 Termos de Referência 1. Oportunidade da elaboração do Plano de Pormenor do Parque Empresarial para Novas Estratégias de Localização do Investimento O Plano Director Municipal de Penela, em processo de

Leia mais

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento

ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento SUB Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano 1 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Central 2 Classificação e Qualificação do Solo Solo

Leia mais

Estratégia para a Aplicação de Planos de Intervenção em Espaço Rural em Espaço Periurbano. O caso de Setúbal.

Estratégia para a Aplicação de Planos de Intervenção em Espaço Rural em Espaço Periurbano. O caso de Setúbal. Estratégia para a Aplicação de Planos de Intervenção em Espaço Rural em Espaço Periurbano. O caso de Setúbal. Discussão para obtenção do grau de Mestre em Urbanismo e Ordenamento do Território Patrícia

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica do PP do Parque Termal do Cró

Avaliação Ambiental Estratégica do PP do Parque Termal do Cró Avaliação Ambiental Estratégica do PP do Parque Termal do Cró Volume II - Relatório Ambiental Rua Professor Mota Pinto, 42 F, 2.09, 4100-353 Porto p. 22 618 37 90 f. 22 618 37 44 sede@cotefis.com www.cotefis.con

Leia mais

EDITAL 12/VIII/2005. MUNICIPIO DE ALMADA Assembleia Municipal

EDITAL 12/VIII/2005. MUNICIPIO DE ALMADA Assembleia Municipal /VIII/2005 (Deliberação sobre Aprovação do Plano de Pormenor das Praias Urbanas do Programa Polis na Costa Caparica) EU, JOSE MANUEL MAIA NUNES DE ALMEIDA, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DO CONCELHO

Leia mais

O Despertar da Natureza na Cidade Industrial

O Despertar da Natureza na Cidade Industrial O Despertar da Natureza na Cidade Industrial Imagens em Ecrã Panorâmico Projecto BioRia 04/05/2012, Beja USUS Turismo & Inovação Abílio Silveira 2 Projecto O Projecto Evolução Objetivos Recursos e Divulgação

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PRIORIDADE DE INVESTIMENTO: INVESTIMENTO NA CONSERVAÇÃO, PROTECÇÃO, PROMOÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PATRIMÓNIO CULTURAL

Leia mais

Gestão para criação de um Destino Sustentável

Gestão para criação de um Destino Sustentável Gestão para criação de um Destino Sustentável Sistema LiderA - Turismo Construção Sistemas - Uso Manuel Duarte Pinheiro Engenheiro do Ambiente (1985), Ph.D., Profº do Departamento de Engenharia Civil,

Leia mais

PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL ALVOR - PORTIMÃO TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL ALVOR - PORTIMÃO TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTIMÃO 2012 Índice 1 Introdução; 2 Enquadramento territorial da área de Intervenção; 3 Enquadramento Jurídico;

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS POR CONVITE PI 6.3 PROMOÇÃO DO PATRIMÓNIO CULTURAL UNESCO AVISO N.º CENTRO-14-2016-14 O Mérito do Projeto (MP) é determinado

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DA POLÍTICA DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E A GESTÃO TERRITORIAL NO ÂMBITO LOCAL

O PROGRAMA NACIONAL DA POLÍTICA DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E A GESTÃO TERRITORIAL NO ÂMBITO LOCAL O PROGRAMA NACIONAL DA POLÍTICA DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E A GESTÃO TERRITORIAL NO ÂMBITO LOCAL DIRECÇÃO GERAL DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO URBANO - DGOTDU Campo Grande, 50 1749-014

Leia mais

Delimitação e normativa para a urbanização rural difusa em Mafra

Delimitação e normativa para a urbanização rural difusa em Mafra Delimitação e normativa para a urbanização rural difusa em Mafra Seminário: A Ocupação Dispersa no quadro dos PROT e dos PDM Universidade de Évora Évora 12 de Novembro de 2009 :00 Índice :01 :02 Definição

Leia mais

Instituto Portuário dos Transportes Marítimos Delegação do Sul

Instituto Portuário dos Transportes Marítimos Delegação do Sul Instituto Portuário dos Transportes Marítimos Delegação do Sul Volume I Rf_07070/01 Abr-08 Estudo de Impacte Ambiental do Projecto de Execução da Área de Expansão da Pesca Artesanal no Porto de Olhão Estudo

Leia mais

Workshop Projeto Corredores para a Vida Selvagem

Workshop Projeto Corredores para a Vida Selvagem Workshop Projeto Corredores para a Vida Selvagem 25 de setembro de 2014, Faculdade de Ciências de Lisboa Teresa Leonardo Luís António Ferreira Áreas classificadas são: «Áreas classificadas» as áreas definidas

Leia mais

Gastronomia & Vinhos no contexto do Plano Estratégico Nacional do Turismo. Santarém, 16 de Outubro

Gastronomia & Vinhos no contexto do Plano Estratégico Nacional do Turismo. Santarém, 16 de Outubro Gastronomia & Vinhos no contexto do Plano Estratégico Nacional do Turismo Santarém, 16 de Outubro - 2008 PENT- Plano Estratégico Nacional do Turismo Uma estratégia para o desenvolvimento do Turismo em

Leia mais