Controle de pragas de solo através da irrigação por gotejamento subterrâneo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Controle de pragas de solo através da irrigação por gotejamento subterrâneo"

Transcrição

1 Controle de pragas de solo através da irrigação por gotejamento subterrâneo Eng. Agro. Daniel Pedroso Departamento Agronômico Netafim Brasil Ribeirão Preto, 28 de Setembro de 2012

2 SOBRE A NETAFIM

3 SOBRE A NETAFIM Empresa Israelense; Líder mundial em irrigação localizada; Presente em mais de 120 países; Duas fábricas no Brasil - Recife/PE (Setembro/2012) - Ribeirão Preto/SP

4 América Latina EXPERIÊNCIA NETAFIM - MUNDO MAIS DE HA DE CANA DE AÇUCAR IRRIGADOS AMÉRICAS PAÍS ÁREA (ha) HONDURAS MEXICO PERU BRAZIL ARGENTINA COLOMBIA 300 VENEZUELA 700 ÁFRICA PAÍS ÁREA (ha) AFRICA DO SUL CHAD 800 MAURITIUS OUTROS ÁSIA PAÍS ÁREA (ha) INDIA THAILAND Vietnam HAWAII AUSTRALIA 350 4

5 GOTEJAMENTO

6 O QUE É UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO? Netafim Brasil 6

7 Válvulas Sistema Automação PVC Sistema Filtragem Injetor de solução Tanques de Quimigação 7 Netafim Brasil SISTEMA DE BOMBEAMENTO Fonte de água

8 COMPONENTES DO SISTEMA Cabeçal de controle Filtros Tanques de Quimigação Bombas Controladores

9 Agronomic

10 CONTROLE DE PRAGAS

11 América Latina IRRIGAÇÃO LOCALIZADA POR GOTEJAMENTO Aplicação de água Pontual formando bulbo e faixa úmida 11

12 PERFIL DE EXTRAÇÃO DE ÁGUA 85% das raízes estão nos primeiros 50 cm de profundidade Profundidade do solos (cm) Fonte: Rao, 1997 Extração de umidade (%) 62,0 23,4 8,8 4,4 1,4 12

13 Método de irrigação Eficiência de aplicação Irrigação por Sulcos 50% - 70% Irrigação por Aspersão 70% - 85% Irrigação por Gotejamento 90% - 95% Fonte: Netafim América Latina Zona úmida

14 PRAGAS JA TESTADAS Principais pragas Nome Comum Nematóides Broca gigante Cigarrinha das raízes Migdolus Espécie varios Telchin licus Mahanarva fimbriolata Migdolus spp. Nematoides Migdolus Cigarrinha das Raízes Broca Gigante

15 Aplicação de nematicida via gotejamento Local: Alagoas Gotejador: DripNet PC 1,0 L/h 0,50 Ingrediente ativo: Carbofuran Dose: 5,0 L/ha (dose comercial) N o da amostra Data Área Nível Pop Médio Alto Médio

16 Aplicação de nematicida via gotejamento Local: Alagoas Gotejador: DripNet PC 1,0 L/h 0,50 Ingrediente ativo: Carbofuran Dose: 5,0 L/ha (dose comercial) N o da amostra Data Área Nível Pop Baixo Baixo Baixo

17 Aplicação de nematicida via gotejamento 30 dias Antes Depois

18 Aplicação de inseticida via gotejamento Local: São Paulo e Minas Gerais Gotejador: DripNet PC 1,0 L/h 0,50 Ingrediente ativo: Thiamethoxam Dose: 0,8 L/ha (dose comercial)

19 Aplicação de inseticida via gotejamento I.A. Aplicação Dose P.C./ha Dose I.A./ha 1 -Testemunha Tratamento 2 Tiametoxam Over The Top 0,8 Kg 0,2 Kg Tratamento 3 Tiametoxam Quimigação 0,8 Kg 0,2 Kg Gatilho para aplicação: 2 ninfas / m ou novembro-dezembro Avaliações: tirar a palha e contar número de ninfas e adultos em 1 m linear aos 0, 15, 30, 60, dias após a aplicação; avaliar 8 pontos de 1m / tratamento, com 30 passos de distância entre os pontos de amostragem. 19

20 Foto: arquivo pessoal Netafim Brasil

21 Foto: arquivo pessoal Netafim Brasil

22 Número de ninfas/m Local: Minas Gerais Aplicação 02/12/ DAA 30DAA 45DAA 60DAA 75DAA 90DAA 105DAA 120DAA Test Over the Top Qumigação

23 Número de ninfas/m Local: São Paulo Aplicação 29/10/ DAA 30DAA 45DAA 60DAA 75DAA 90DAA 105DAA 120DAA Test Over the Top Qumigação

24 Controle biológico via gotejamento Local: Alagoas Gotejador: DripNet PC 1,0 L/h 0,50 Ingrediente ativo: Beauverea Bassiana Dose: varias testadas

25

26 Curva de controle vs dosagem Netafim Brasil

27

28 REALIZAÇÃO DE TRATOS CULTURAIS ATRAVÉS DO SEU SISTEMA DE IRRIGAÇÃO

29 Ácidos Orgânicos Hormonios Produtos quimicos Fertilizantes

30 OBRIGADO DANIEL BOTELHO PEDROSO Fone: (16) / OBRIGADO!!!!

IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO NA LAVOURA CANAVIEIRA

IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO NA LAVOURA CANAVIEIRA IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO NA LAVOURA CANAVIEIRA PRODUZA MAIS COM MENOS Eng. Agro. Daniel Pedroso Departamento Agronômico Netafim Brasil Vitória ES, 25 de Setembro de 2014 APRESENTANDO - ME Daniel Botelho

Leia mais

PRAGAS AGRÍCOLAS. Engenheiro Agrônomo - Joelmir Silva PIRACICABA SP CULTURA: CANA-DE-AÇÚCAR

PRAGAS AGRÍCOLAS. Engenheiro Agrônomo - Joelmir Silva PIRACICABA SP CULTURA: CANA-DE-AÇÚCAR PRAGAS AGRÍCOLAS Engenheiro Agrônomo - Joelmir Silva PIRACICABA SP CULTURA: CANA-DE-AÇÚCAR 2010 2 Distribuição Espacial das Pragas < Produtividade Parte aérea Broca Formigas Solo Cupins Migdolus Cigarrinha

Leia mais

Bases do manejo integrado de pragas em cana-de-açúcar. Leila Luci Dinardo-Miranda

Bases do manejo integrado de pragas em cana-de-açúcar. Leila Luci Dinardo-Miranda Bases do manejo integrado de pragas em cana-de-açúcar Leila Luci Dinardo-Miranda CURSO: Manejo integrado de pragas em cana-de-açúcar Leila Luci Dinardo-Miranda 16 e 17/10/2012 infobibos.com.br Cenários

Leia mais

Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo

Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo UNIPAC Curso de Agronomia Manejo Fitossanitário na Cana-de-açúcar Insetos-Pragas GRANDES CULTURAS I - Cultura da Cana-de-açúcar Profa Dra. Fernanda Basso Eng. Agr. Msc. Bruno Lodo Introdução Os danos causados

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO EM CANA DE AÇÚCAR

CONTROLE BIOLÓGICO EM CANA DE AÇÚCAR SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MANEJO DE PRAGAS DA CANA DE AÇÚCAR CONTROLE BIOLÓGICO EM CANA DE AÇÚCAR Diogo Sartori Alarcon SET/2012 Localização das Unidades Buritizal Nova Independência Ribeirão Preto Sta.

Leia mais

Procedimento Técnico e Prático para Fertirrigação

Procedimento Técnico e Prático para Fertirrigação Procedimento Técnico e Prático para Fertirrigação Eng. Agr. Denilson Luís Pelloso Coord. Irrigação Agrofito LTDA Eng. Agr. Bruno Alves Dep. Agronômico Netafim - Brasil 03/09/08 Temas Conceitos básicos

Leia mais

Equipamentos e sistemas para fertirrigação

Equipamentos e sistemas para fertirrigação Equipamentos e sistemas para fertirrigação FERTIRRIGAÇÃO é a aplicação de fertilizantes através da água de irrigação (EMBRAPA UVA E VINHO) Não só adubos são aplicados por meio da água de irrigação pois

Leia mais

Desafios para o controle biológico em cana com ênfase em microrganismos entomopatogênicos. José Eduardo Marcondes de Almeida Pesquisador Científico

Desafios para o controle biológico em cana com ênfase em microrganismos entomopatogênicos. José Eduardo Marcondes de Almeida Pesquisador Científico Desafios para o controle biológico em cana com ênfase em microrganismos entomopatogênicos José Eduardo Marcondes de Almeida Pesquisador Científico CANA-DE-AÇÚCAR A área cultivada com cana-de-açúcar no

Leia mais

Maurício Razera RTC Cana - Piracicaba

Maurício Razera RTC Cana - Piracicaba Maurício Razera RTC Cana - Piracicaba Épossível possívelreduzir reduzircusto custoe produzir mais? Épossível possívelreduzir reduzircusto custoe produzir mais! Resultadosexperimentais em solo arenoso usando

Leia mais

FORMAS DE INJEÇÃO DE FERTILIZANTES COMPONENTES DE UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADA

FORMAS DE INJEÇÃO DE FERTILIZANTES COMPONENTES DE UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADA FORMAS DE INJEÇÃO DE FERTILIZANTES COMPONENTES DE UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADA Motobomba ou reservatório elevado Central de controle: Dispositivos para medir vazão e pressão; registros; válvulas

Leia mais

Métodos de Irrigação Prof. Franke 16

Métodos de Irrigação Prof. Franke 16 Métodos de Irrigação Prof. Franke 16 5 - MÉTODOS DE IRRIGAÇÃO LOCALIZADA 5.1 - SISTEMA DE IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO A irrigação por gotejamento compreende os sistemas de irrigação nos quais a água é aplicada

Leia mais

PRINCIPAIS INSETOS-PRAGA DA CANA-DE-AÇÚCAR E CONTROLE

PRINCIPAIS INSETOS-PRAGA DA CANA-DE-AÇÚCAR E CONTROLE PRINCIPAIS INSETOS-PRAGA DA CANA-DE-AÇÚCAR E CONTROLE Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisadora - Entomologia Agrícola Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios - APTA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR

Leia mais

Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto

Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto unesp Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu. 1. Introdução Os cupins são considerados pragas em plantações florestais em toda a região tropical, sendo

Leia mais

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA INTRODUÇÃO . COMPONENTES Emissores

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA INTRODUÇÃO . COMPONENTES Emissores IRRIGAÇÃO LOCALIZADA 1. INTRODUÇÃO O sistema de irrigação por gotejamento se desenvolveu em função da escassez de água. Este sistema aplica água em apenas parte da área, reduzindo assim a superfície do

Leia mais

2ª GERAÇÃO DA LIMPEZA DA CANA

2ª GERAÇÃO DA LIMPEZA DA CANA 2ª GERAÇÃO DA LIMPEZA DA CANA Suleiman Hassuani 13º SBA Seminário Brasileiro Agroindustrial - STAB 2012 24 e 25 outubro / 2012 Ribeirão Preto - Taiwan Custo do sistema (5 m 3 /tc) Perda açúcar: 1,6% ATR

Leia mais

IMPACTO DA COLHEITA SEM DESPALHA A FOGO SOBRE PRAGAS E DOENÇAS NA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR. Enrico De Beni Arrigoni

IMPACTO DA COLHEITA SEM DESPALHA A FOGO SOBRE PRAGAS E DOENÇAS NA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR. Enrico De Beni Arrigoni IMPACTO DA COLHEITA SEM DESPALHA A FOGO SOBRE PRAGAS E DOENÇAS NA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR Enrico De Beni Arrigoni UNESP DRACENA 15/06/2012 1. INTRODUÇÃO CONAB / MAPA, 2008 Ítem Cana-de-açúcar (t) Produtividade

Leia mais

Modelo: Índice de nacionalização (mínimo): Em valor: % Em peso: % Descrição técnica: Área irrigada: de a ha/h

Modelo: Índice de nacionalização (mínimo): Em valor: % Em peso: % Descrição técnica: Área irrigada: de a ha/h Sistema de irrigação Pivot Central / Linear /h Constituído de: (Quantidades) Pivot Central de a Torres de a Motoredutores de a Pressão de operação: de a Tubulação de interligação do Pivot a Motobomba do

Leia mais

Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001

Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001 Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001 1 Tema: PREPARO REDUZIDO E PLANTIO DIRETO Local: Ribeirão Preto - SP Palestrante: Hilário 2 LOCALIZAÇÃO Latitude: 20º28 41 S UAM Longitude: 47º52 21 W

Leia mais

Sua água na temperatura ideal

Sua água na temperatura ideal Sua água na temperatura ideal A Pizziolo Refrigeração está instalada na cidade de Ubá, na Zona da Mata de Minas Gerais, e em 2011 celebra 40 anos de tradição. Nossa história começou em 1971, quando demos

Leia mais

Plantio de cana-de-açúcar

Plantio de cana-de-açúcar Plantio de cana-de-açúcar Época de plantio 1. Cana de ano e meio - Janeiro a maio; - Tempo de colheita (13 a 20 meses); - Variedades de ciclo precoce, médio e tardio; - Pode ser feito em solos de baixa,

Leia mais

Pragas em cana crua: Monitoramento e controle

Pragas em cana crua: Monitoramento e controle Pragas em cana crua: Monitoramento e controle Eng.Agrº. Luiz Carlos de Almeida Especialista em Tecnologia Agroindustrial Email: almeida@ctc.com.br http://www.ctc.com.br Fone: (19)-34298210 (19)-81973557

Leia mais

Gestão do Controle de Pragas no Grupo Raízen. Ribeirão Preto 24/07/2014

Gestão do Controle de Pragas no Grupo Raízen. Ribeirão Preto 24/07/2014 Gestão do Controle de Pragas no Grupo Raízen Ribeirão Preto 24/07/2014 Números da Raízen Monitoramento de Pragas (Safra13/14): V Broca: 265.000 ha Pragas de Solo: 190.000 ha Cigarrinha: 330.000 ha M Q

Leia mais

Eng. Agr. Luís César Pio Diretor Herbicat

Eng. Agr. Luís César Pio Diretor Herbicat II Simpósio Stab Sobre Plantas Daninhas em Cana-de-Açúcar Manejo químico de plantas daninhas e as MPBs. Tecnologia de aplicação em pós-emergência. O que pode trazer melhores resultados à não intoxicação

Leia mais

TAPETE DE SEGURANÇA SMS 4 / SMS 5

TAPETE DE SEGURANÇA SMS 4 / SMS 5 TAPETE DE SEGURANÇA SMS 4 / SMS 5 A-0082-09B_CAT_tapeteseguranca_ACE_01.indd 1 02.12.09 11:13:57 Tapetes de Segurança - SMS 4 / SMS 5 Tapetes de segurança são utilizados para a proteção humana na máquina

Leia mais

DOSADORES HIDRÁULICOS MULTI-PROPÓSITOS

DOSADORES HIDRÁULICOS MULTI-PROPÓSITOS DOSADORES HIDRÁULICOS MULTI-PROPÓSITOS Os dosadores de produtos químicos MixRite são acionados unicamente por meio da água, sem outro requerimento adicional de energia. Dosadores Um passo adiante tubos

Leia mais

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r?

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r? A CRISE MUNDIAL DOS ALIMENTOS: O que o Brasil pode fazer? Geraldo Barros USA: Inflation, Interest Rates, GDP Int rates Infl 12 14 16 18 6% 8% 1% GDP -4-2 2 4 6 8 1 198 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987

Leia mais

Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo. Sérgio Barbi - ABF

Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo. Sérgio Barbi - ABF Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo Sérgio Barbi - ABF Histórico do Franchising no Brasil 1960 Yázigi abre a primeira franquia no Brasil; Na década seguinte, o McDonald s abre o

Leia mais

Programa de Modernização de Tecnologia

Programa de Modernização de Tecnologia GE Intelligent Platforms Programa de Modernização de Tecnologia Marco Mallagoli Engenheiro de Produto 55 11 94989 0228 marco.mallagoli@ge.com Conteúdo 1 1 Presença Global e Regional 2 Ciclo de Vida dos

Leia mais

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios:

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios: CREBi Media Kit Atualmente, somos a mais representativa mídia eletrônica do setor de jóias e afins e também já superamos em muito as maiores médias de outras categorias de mídia. O CREBi oferece três canais

Leia mais

Seminário na Flórida. Norte-Americano

Seminário na Flórida. Norte-Americano Seminário na Flórida Como Ingressar no Mercado Norte-Americano 22, 23 E 24 DE SETEMBRO DE 2014 Quem é a BACCF? Maior i e mais ativa câmara binacional i da Flóid Flórida Fundada em 1981 Intuito de fomentar

Leia mais

IT-1101 - AGRICULTURA IRRIGADA. (parte 1)

IT-1101 - AGRICULTURA IRRIGADA. (parte 1) 6 Sistemas de irrigação (parte 1) 6.1 Considerações iniciais Aplicação artificial de água ao solo, em quantidades adequadas, visando proporcionar a umidade necessária ao desenvolvimento das plantas nele

Leia mais

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA NOVO PROTOCOLO AMBIENTAL (Única, Orplana e Secretaria do Meio Ambiente) Áreas mecanizáveis Extinção das queimadas

Leia mais

MÉTODOS DE RECICLAGEM A FRIO. Engº Juliano Gewehr Especialista de Produtos e Aplicações

MÉTODOS DE RECICLAGEM A FRIO. Engº Juliano Gewehr Especialista de Produtos e Aplicações MÉTODOS DE RECICLAGEM A FRIO Engº Juliano Gewehr Especialista de Produtos e Aplicações Estabilização de Solos Recicladora Wirtgen Reciclagem de Pavimentos Asfálticos Estabilização de solos Processamento

Leia mais

COMPARATIVO DE DIFERENCIAIS NETAFIM

COMPARATIVO DE DIFERENCIAIS NETAFIM COMPARATIVO DE DIFERENCIAIS NETAFIM O livro comparativo de diferenciais Netafim foi desenvolvido pelo departamento de Marketing da empresa para auxiliar os departamentos de vendas, suporte técnico, agronômico

Leia mais

GASPAR H. KORNDÖRFER (Pesq. CNPq) UNIVERSIDADE FEDERAL UBERLANDIA

GASPAR H. KORNDÖRFER (Pesq. CNPq) UNIVERSIDADE FEDERAL UBERLANDIA GASPAR H. KORNDÖRFER (Pesq. CNPq) UNIVERSIDADE FEDERAL UBERLANDIA Ribeirão Preto/SP, 08/10/2014 PROGRAMA DE ADUBAÇÃO PARA ALTA PRODUTIVIDADE 1. Promover uma melhor exploração do sistema radicular, especialmente

Leia mais

COMO REDUZIR AS PERDAS INDUSTRIAIS ATUANDO SOBRE A LIMPEZA DE CANA. Carlos A. Tambellini

COMO REDUZIR AS PERDAS INDUSTRIAIS ATUANDO SOBRE A LIMPEZA DE CANA. Carlos A. Tambellini COMO REDUZIR AS PERDAS INDUSTRIAIS ATUANDO SOBRE A LIMPEZA DE CANA. Carlos A. Tambellini 1 1.0 COLHEITA / TRANSPORTE / RECEPÇÃO DE CANA - HISTÓRICO 1ª FASE (1960/ 70): Cana queimada Corte manual Carregamento

Leia mais

A experiência da Estação de Tratamento de Esgoto de Itabira e sua contribuição em pesquisa e monitoramento e aprimoramento em parceria com UFMG

A experiência da Estação de Tratamento de Esgoto de Itabira e sua contribuição em pesquisa e monitoramento e aprimoramento em parceria com UFMG A experiência da Estação de Tratamento de Esgoto de Itabira e sua contribuição em pesquisa e monitoramento e aprimoramento em parceria com UFMG J.M. Borges - SAAE - Itabira UFMG/DESA - Universidade Federal

Leia mais

Eficiência Energética no parque fabril WEG

Eficiência Energética no parque fabril WEG Eficiência Energética no parque fabril WEG Motores Tintas Unidades de Negócio Automação Energia Transmissão & Distribuição NEGÓCIO WEG A Solução Global com máquinas elétricas e automação para a indústria

Leia mais

José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq

José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq José Roberto Postali Parra Depto. Entomologia e Acarologia USP/Esalq O Brasil é líder na Agricultura Tropical, com uma tecnologia própria Área (ha) 450.000 400.000 350.000 300.000 Área usada Área agricultável

Leia mais

RELATÓRIO OUTUBRO E NOVEMBRO/2013 LANÇAMENTOS MUNDIAIS E NACIONAIS DE AMENDOINS IC 005-2013 MINTEL

RELATÓRIO OUTUBRO E NOVEMBRO/2013 LANÇAMENTOS MUNDIAIS E NACIONAIS DE AMENDOINS IC 005-2013 MINTEL RELATÓRIO OUTUBRO E NOVEMBRO/203 LANÇAMENTOS MUNDIAIS E NACIONAIS DE AMENDOINS IC 005-203 MINTEL SUMÁRIO: Slide 8 - Lançamentos MUNDIAIS de embalagens de amendoins COMPARAÇÃO 202/203 Slide 9 - Países que

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO Dionisio Link 1 Rodolpho Saenger Leal 2 RESUMO A avaliação econômica do controle preventivo das pragas iniciais da cultura do fumo

Leia mais

DIA DE CAMPO JOHN DEERE / NETAFIM

DIA DE CAMPO JOHN DEERE / NETAFIM DIA DE CAMPO JOHN DEERE / NETAFIM Fazenda Natal Igaraçu do Tietê - SP MARCO LORENZZO CUNALI RIPOLI Sugar Cane Business Unit Agosto / 2006 Ribeirão Preto, 21 de agosto de 2006. 1. Objetivo O objetivo do

Leia mais

Manejo de pragas da cana-de-açúcar ao longo do ciclo de produção

Manejo de pragas da cana-de-açúcar ao longo do ciclo de produção Manejo de pragas da cana-de-açúcar ao longo do ciclo de produção Eng. Agr. Jesus Carmo Desenvolvimento Tecnico de Mercado Cana-de-Açúcar Syngenta jesus.carmo@syngenta.com O atual cenário Os desafios no

Leia mais

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Engº. Agrº. M. Sc. Aldemir Chaim Laboratório de Tecnologia de Aplicação de Agrotóxicos Embrapa Meio Ambiente História da aplicação de defensivos Equipamento de aplicação

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR 1. INTRODUÇÃO O migdolus é um besouro da família Cerambycidae cuja fase larval causa danos ao sistema radicular da cana-de-açúcar, passando a exibir sintomas de seca em toda

Leia mais

UNIDADES DE MANEJO: UMA OPÇÃO DESAFIADORA E MAIS INTELIGENTE

UNIDADES DE MANEJO: UMA OPÇÃO DESAFIADORA E MAIS INTELIGENTE Departamento de Engenharia de Biossistemas ESALQ/USP UNIDADES DE MANEJO: UMA OPÇÃO DESAFIADORA E MAIS INTELIGENTE V Seminário de Agricultura de Precisão Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz 9

Leia mais

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO Adonai Gimenez Calbo & Washington L.C. Silva CAPÍTULO 10 Controladores de irrigação Irrigas são dispositivos pneumáticos que usam ar comprimido para acionar a aplicação

Leia mais

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS)

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) 1. INTRODUÇÃO Uma outra praga que vem assumindo um certo grau de importância é conhecida como o bicudo da cana-de-açúcar de ocorrência restrita no Estado de São Paulo,

Leia mais

IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO NA HEVEICULTURA AGNALDO GOMES DA CUNHA

IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO NA HEVEICULTURA AGNALDO GOMES DA CUNHA IRRIGAÇÃO POR GOTEJAMENTO NA HEVEICULTURA AGNALDO GOMES DA CUNHA TÓPICOS HISTÓRICO FATORES IMPORTANTES VANTAGENS E DESVANTAGENS CUSTOS RESULTADOS CONCLUSÃO HISTÓRICO 1959 Simcha Blass, um engenheiro hidráulico

Leia mais

XIX Congresso Nacional de Irrigação e Drenagem

XIX Congresso Nacional de Irrigação e Drenagem XIX Congresso Nacional de Irrigação e Drenagem Montes Claros, MG, 2009 Oficina 6 Avaliação de Controle dos Sistemas de Irrigação e Fertilização Inovação em Sistemas de Irrigação Localizada Linha do tempo

Leia mais

LINEAMENTOS PARA MELHORAR A GESTÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E FAZER MAIS SUSTENTÁVEL A PROTEÇÃO DA SAÚDE

LINEAMENTOS PARA MELHORAR A GESTÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E FAZER MAIS SUSTENTÁVEL A PROTEÇÃO DA SAÚDE Primeiro lineamento geral: O TRATAMENTO E USO ADEQUADOS DAS ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS CONTRIBUEM A PROTEGER A QUALIDADE DOS CORPOS DE ÁGUA E DEVERIAM SER PARTE DE UMA GESTÃO MAIS EFICIENTE DOS RECURSOS

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA Informações sobre o plantio do eucalipto no Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta COLETA DE SOLO NA

Leia mais

Conjunto de ecossistemas caracterizados por tipos fisionômicos vegetais comuns.

Conjunto de ecossistemas caracterizados por tipos fisionômicos vegetais comuns. OS BIOMAS BIOMAS Conjunto de ecossistemas caracterizados por tipos fisionômicos vegetais comuns. ECOSSISTEMA Comunidade de organismos (biocenose) junto com o ambiente físico e químico (biótopo) no qual

Leia mais

Sistemas de abastecimento de água do da Cidade do Rio de Janeiro, com ênfase no GUANDU.

Sistemas de abastecimento de água do da Cidade do Rio de Janeiro, com ênfase no GUANDU. Sistemas de abastecimento de água do da Cidade do Rio de Janeiro, com ênfase no GUANDU. 23 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO (Grande Rio) Pequenos Mananciais 1 m³/s Sistema Acari 3,8 m³/s Sistema

Leia mais

Progressos Tecnológicos na fermentação com adoção da cana crua

Progressos Tecnológicos na fermentação com adoção da cana crua Progressos Tecnológicos na fermentação com adoção da cana crua Henrique Amorim Workshop Cana Crua: A Experiência Acumulada VII José Paulo Stupiello - Out/2013 Áreas PRODUÇÃO DE ETANOL BEBIDAS DESTILADAS

Leia mais

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone)

O Mercado Mundial de Commodities. Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) O Mercado Mundial de Commodities Palestrante: André Pessôa (Agroconsult) Debatedor: André Nassar (Icone) Um mercado em desequilíbrio: choque de demanda Relação Estoque/Uso (soja, milho, trigo e arroz)

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA CANA DE AÇÚCAR NO BRASIL: UM EXEMPLO A SER SEGUIDO José Roberto Postali Parra Alexandre de Sene Pinto

CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA CANA DE AÇÚCAR NO BRASIL: UM EXEMPLO A SER SEGUIDO José Roberto Postali Parra Alexandre de Sene Pinto CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA CANA DE AÇÚCAR NO BRASIL: UM EXEMPLO A SER SEGUIDO José Roberto Postali Parra Alexandre de Sene Pinto 45 CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA CANA DE AÇÚCAR NO BRASIL: UM EXEMPLO

Leia mais

FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono. Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1

FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono. Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1 FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1 Fibra de Carbono um negócio com fortes barreiras à entrada Precursor Custos de Operação Tecnologia

Leia mais

Desafios da Pesquisa em Controle Biológico na Agricultura no Estado de São Paulo

Desafios da Pesquisa em Controle Biológico na Agricultura no Estado de São Paulo Desafios da Pesquisa em Controle Biológico na Agricultura no Estado de São Paulo Controle biológico com fungos em cana-de-açúcar Antonio Batista Filho batistaf@biologico.sp.gov.br Desafio Produção de alimentos

Leia mais

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Liderança Feminina Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Sobre o Hay Group Hay Group é uma consultoria global em gestão que trabalha com líderes para transformar estratégias

Leia mais

Florescimento e Isoporização: Pagar Para Ver ou Prevenir?

Florescimento e Isoporização: Pagar Para Ver ou Prevenir? Florescimento e Isoporização: Pagar Para Ver ou Prevenir? Augusto Monteiro Agr. Desenv. Mercado Fisiologia e sua aplicação sobre florescimento e isoporização da cana de açúcar Miguel Angelo Mutton Como

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS DO PROGRAMA INTENSIFICAR A FORMA DE INTERAÇÃO COM OS CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO E APOIÁ-LOS NA GESTÃO DE SEU NEGÓCIO

OBJETIVOS GERAIS DO PROGRAMA INTENSIFICAR A FORMA DE INTERAÇÃO COM OS CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO E APOIÁ-LOS NA GESTÃO DE SEU NEGÓCIO PROGRAMA SUPER AÇÃO OBJETIVOS PARTICIPANTES COMITÊ DE DISTRIBUIÇÃO REGRAS GERAIS REMUNERAÇÃO DO PROGRAMA DESTINAÇÃO DA REMUNERAÇÃO PAGAMENTO DA REMUNERAÇÃO DOCUMENTOS DE REMUNERAÇÃO NOVA POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Gestão Sustentável da Construção

Gestão Sustentável da Construção Gestão Sustentável da Construção Vanderley M. John Membro do Conselho Professor da Poli USP www.cbcs.org.br Conteúdo O que é a cadeia da construção Impacto ambiental da construção Impacto social da construção

Leia mais

A experiência da IVECO na substituição do diesel em veículos pesados

A experiência da IVECO na substituição do diesel em veículos pesados A experiência da IVECO na substituição do diesel em veículos pesados Uma parceria IVECO, FPT, BOSCH e RAIZEN Fabio Nicora IVECO - Innovation T&B LATAM (IVECO) 21 de Novembro 2013 VISÃO DO FUTURO ABORDAGEM

Leia mais

DE FERTILIZANTES E Outras características específicas da bomba:

DE FERTILIZANTES E Outras características específicas da bomba: BOMBAS INJECTORAS DE FERTILIZANTES E SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS As bombas injectoras de fertilizantes da Amiad não precisam de fonte externa de alimentação, dado que nelas está incorporado um motor hidráulico

Leia mais

Workshop FAPESP Controle Biológico Cana-de-açúcar Enrico De Beni Arrigoni

Workshop FAPESP Controle Biológico Cana-de-açúcar Enrico De Beni Arrigoni Workshop FAPESP Controle Biológico Cana-de-açúcar Enrico De Beni Arrigoni Controle Biológico das pragas da cana SITUAÇÃO PROBLEMAS OPORTUNIDADES NOVOS DESAFIOS Pragas da cana no Brasil Diatraea saccharalis

Leia mais

3 - Quadro de Comando - Sistema de Irrigação

3 - Quadro de Comando - Sistema de Irrigação 3 - Quadro de Comando - Sistema de Irrigação PAINEL E SEUS COMPONENTES O sistema de irrigação necessita de alguns dispositivos que servem para filtrar a água, controlar a frequência das irrigações, controlar

Leia mais

Filtros T e ROTOFILTERS

Filtros T e ROTOFILTERS Introdução O entupimento de emissores (gotejadores, microaspersores e tubo gotejadores) é a mais importante limitação dos sistemas de irrigação localizada. A dimensão da passagem de água destes componentes

Leia mais

O que é filtragem? Técnicas de filtragem para irrigação. Porque utilizar a filtragem? Distribuição das partículas sólidas

O que é filtragem? Técnicas de filtragem para irrigação. Porque utilizar a filtragem? Distribuição das partículas sólidas Técnicas de filtragem para irrigação Prof. Roberto Testezlaf Faculdade de Engenharia Agrícola UNICAMP IV SIMPÓSIO DE CITRICULTURA IRRIGADA Bebedouro, 06 de julho de 2006 O que é filtragem? Processo de

Leia mais

PREDIAL CATÁLOGO DE PRODUTOS

PREDIAL CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS PREDIAL Mexichem Brasil A Mexichem Brasil é a subsidiária brasileira do Grupo Mexichem, com atuação nos setores de tubos e conexões e de geotêxteis nãotecido e detentora das marcas

Leia mais

Culturas. A Cultura do Feijão. Nome Cultura do Feijão Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Feijão. Nome Cultura do Feijão Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 7 10/16/aaaa 11:19 Culturas A Cultura do Nome Cultura do Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do feijão José Salvador

Leia mais

Aquicultura na América Latina e Caribe Situação Atual, Tendências e Perspectivas

Aquicultura na América Latina e Caribe Situação Atual, Tendências e Perspectivas Aquicultura na América Latina e Caribe Situação Atual, Tendências e Perspectivas Felipe Matias Red de Acuicultura de Las Américas (RAA/ FAO) Secretario Ejecutivo Fenacam, Novembro de 2014 Mudanças na Sociedade

Leia mais

Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160

Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160 Rio Collection 1 2 3 4 Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160 5 6 Tank Top: TT 4286 Color: 477 Bra Top: BT 3331 Color: 160 Legging: LE 4069 Color: 160 Rio Collection Bra Top: BT 3331 Color:

Leia mais

AGRÍCOLA RIO CLARO. Manejo Varietal. Adilson José Rossetto Luiz Carlos Dalben Silvio Luiz Boso Ascana Agnaldo José da Silva Ascana

AGRÍCOLA RIO CLARO. Manejo Varietal. Adilson José Rossetto Luiz Carlos Dalben Silvio Luiz Boso Ascana Agnaldo José da Silva Ascana AGRÍCOLA RIO CLARO Manejo Varietal Adilson José Rossetto Luiz Carlos Dalben Silvio Luiz Boso Ascana Agnaldo José da Silva Ascana Março / 2012 LOCALIZAÇÃO LOCALIZAÇÃO VISTA PARCIAL Distância da Usina Município

Leia mais

CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR

CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR 1. DESCRIÇÃO DA PRAGA Eles ocorrem em todas as regiões do Brasil e são divididos em rei, rainha, soldados e operários, cada um com um trabalho a fazer. São insetos sociais, operários

Leia mais

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país Material embargado até dia 9 de novembro, às 11h do Brasil IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil

Leia mais

Dengue Desidratação Desorção - Despressurização - Difusão aparente Dispositivo Distribuidor -

Dengue Desidratação Desorção - Despressurização - Difusão aparente Dispositivo Distribuidor - ÍNDICE ANALÍTICO A Aberto Absorção Acionado Acionamento pneumático Adesão Aedes aegypti Amostragem Ampulheta Aneróide Apoplasma Aquecimento Arenoso Argiloso Aspersão Ativador de irrigação Ativador de irrigação

Leia mais

Helicoverpa Nucleopolyhedrovirus (NPV) Resumo Técnico: BRASIL - Julho 2013 Anthony Hawes (CEO, AgBiTech Pty Ltd)

Helicoverpa Nucleopolyhedrovirus (NPV) Resumo Técnico: BRASIL - Julho 2013 Anthony Hawes (CEO, AgBiTech Pty Ltd) Helicoverpa Nucleopolyhedrovirus (NPV) Resumo Técnico: BRASIL - Julho 2013 Anthony Hawes (CEO, AgBiTech Pty Ltd) Brasil vs Austrália 8.515.767 km 2 7.692.024 km 2 AU 6% arável vs BR 9% AU 18% árido vs

Leia mais

mídiakit www.tvgazeta.com.br

mídiakit www.tvgazeta.com.br mídiakit www.tvgazeta.com.br JUNHO / 2015 #HISTÓRIA Fundada no aniversário da cidade de São Paulo, a TV Gazeta fala com uma metrópole globalizada com a intimidade de quem esteve presente na vida e no coração

Leia mais

DOSSIER DE MEDIOS AVANCE. El Programa de Instaladores Cualificados de PROINSO supera las 2.000 empresas integradas en todo el mundo

DOSSIER DE MEDIOS AVANCE. El Programa de Instaladores Cualificados de PROINSO supera las 2.000 empresas integradas en todo el mundo DOSSIER DE MEDIOS AVANCE El Programa de Instaladores Cualificados de PROINSO supera las 2.000 empresas integradas en todo el mundo 9 de julio de 2012 1 PROINSO reforça a sua posição no Brasil com o seu

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

GUIA PRACTICA PARA CULTIVO DE ANANÁS

GUIA PRACTICA PARA CULTIVO DE ANANÁS GUIA PRACTICA PARA CULTIVO DE ANANÁS SEÇÃO 1: Preparação do solo para plantio de ananás 1. Identificação da área para o plantio de ananas 1.A área seleccionada deve ter via de acesso 1. Se não tiver via

Leia mais

New Holland TL exitus

New Holland TL exitus New Holland TL exitus TL6OE TL75E TL85E TL95E 2 3 4 A agricultura está cada vez mais diversificada. A agricultura está cada vez mais New Holland. AS Máquinas new holland estão prontas para trabalhar com

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS. Leila L. Dinardo-Miranda

MANEJO DE PRAGAS. Leila L. Dinardo-Miranda MANEJO DE PRAGAS Leila L. Dinardo-Miranda Manejo integrado de pragas Kogan (1998) Sistema de decisão para uso de táticas de controle, isoladas ou associadas harmoniosamente, numa estratégia de manejo baseada

Leia mais

CUBOS FILTRO PRESSURIZADO 5.000 10.000 15.000

CUBOS FILTRO PRESSURIZADO 5.000 10.000 15.000 MANUAL DO USUÁRIO CUBOS FILTRO PRESSURIZADO 5.000 10.000 15.000 M.U. REVISÃO 001 www.cubos.com.br 2 1) INTRODUÇÃO... 3 2) PEÇAS... 3 3) INSTRUÇÕES DE USO... 3 3.1) MONTAGEM... 3 3.1.1) POSICIONAMENTO DO

Leia mais

A Integração da Manufatura na General Motors

A Integração da Manufatura na General Motors A Integração da Manufatura na General Motors Simpósio SAE Brasil Manufatura Automotiva José Eugenio Pinheiro Vice Presidente de Manufatura General Motors - América Latina, África & Oriente Médio 22 de

Leia mais

14 - Controle de nível de fluido (água)

14 - Controle de nível de fluido (água) 14 - Controle de nível de fluido (água) Objetivo; - Analisar o funcionamento de um sensor de nível de fluídos (água). Material utilizado; - Conjunto didático de sensores (Bit9); - Kit didático de controle

Leia mais

Tecnologia Agrícola e Irrigação

Tecnologia Agrícola e Irrigação Introdução Telecomunicações, agropecuária, softwares e segurança não são os únicos setores da tecnologia israelense que estão marcando presença no panorama internacional nas duas últimas décadas. Os agrônomos

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

GESTÃO AVANÇADA DO CONTROLE DE PRAGAS EM GRANDES LAVOURAS DE CANA-DE-AÇÚCAR

GESTÃO AVANÇADA DO CONTROLE DE PRAGAS EM GRANDES LAVOURAS DE CANA-DE-AÇÚCAR INSECTSHOW - IDEA GESTÃO AVANÇADA DO CONTROLE DE PRAGAS EM GRANDES LAVOURAS DE CANA-DE-AÇÚCAR Enrico De Beni Arrigoni ENRICO ARRIGONI SOLUÇÕES EM MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS LTDA. (019) 97128-6262 14 DE

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Marcelo C. Picanço Prof. de Entomologia Universidade Federal de Viçosa Telefone: (31)38994009 E-mail: picanco@ufv.br Situação do Controle de Pragas de Grandes

Leia mais

Governo do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP

Governo do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Governo do Brasil Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Integração Contratual para Acesso a Mercado Rodolfo Osorio de Oliveira Coordenador

Leia mais

Comunicado Técnico 49

Comunicado Técnico 49 Comunicado Técnico 49 ISSN 1679-0162 Dezembro, 2002 Sete Lagoas, MG CULTIVO DO MILHO Pragas da Fase Vegetativa e Reprodutiva Ivan Cruz 1 Paulo Afonso Viana José Magid Waquil Os danos causados pelas pragas

Leia mais

Adesivo Stop Pregos. Adesivo MS Ultra Express. Excelente aderência em diversos tipos de material base.

Adesivo Stop Pregos. Adesivo MS Ultra Express. Excelente aderência em diversos tipos de material base. Produtos Químicos Líder de mercado na maioria dos países europeus; O mais alto nível de atendimento ao cliente do segmento industrial; Excelente imagem da marca: 92% dos engenheiros de estruturas e arquitetos

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa São Paulo, Agosto de 2014 2014 Teleco. Todos os direitos reservados. ÍNDICE

Leia mais

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA CULTURA DA MELANCIA

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA CULTURA DA MELANCIA Informativo Agronômico n o 02 v2.0 NETAFIM BRASIL IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA CULTURA DA MELANCIA INFORMAÇÕES DE CULTIVO 1. CULTURA Melancia Nome Científico: Citrullus vulgaris L. Família: Curcubitaceae Origem:

Leia mais

MANUTENÇÃO DOS MÓDULOS QUADRO DE IRRIGAÇÃO

MANUTENÇÃO DOS MÓDULOS QUADRO DE IRRIGAÇÃO 5- Manutenção MANUTENÇÃO DOS MÓDULOS Os módulos WallGreen são feitos de plástico injetado com alta resistência e proteção U.V. e não necessitam de nenhuma manutenção específica. Ocasionalmente pode acontecer

Leia mais

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Lutécia Beatriz Canalli Eng. Agr., MSc Solos, Dra em Agronomia - Produção Vegetal Sistemas de produção sustentáveis

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO INFORMAÇÕES INICIAIS Antes de iniciar a instalação do Poolmax é necessário adicionar sal à água. Para isso é necessário saber qual o volume de água da piscina, para adicionar a quantidade

Leia mais