TERMO DE REFERÊNCIA. Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMO DE REFERÊNCIA. Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi"

Transcrição

1 GE Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT TERMO DE REFERÊNCIA Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi AGOSTO / 2009

2 HISTÓRICO DE REVISÕES RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 2 / 23

3 DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 11/05/ Criação Eliane Aristóteles RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 3 / 23

4 25/08/ Alteração Eliane Aristóteles RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 4 / 23

5 Lei nº 8.666/93, de 21 de junho de Art. 6º Para os fins desta Lei, considera-se: Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. IX- Projeto Básico - conjunto de elementos necessários e suficientes, com nível de precisão adequado, para caracterizar a obra ou serviço, ou complexo de obras ou serviços objeto da licitação, elaborado com base nas indicações dos estudos técnicos preliminares, que assegurem a viabilidade técnica e o adequado tratamento do impacto ambiental do empreendimento, e que possibilite a avaliação do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de execução, devendo conter os seguintes elementos: a) desenvolvimento da solução escolhida de forma a fornecer visão global da obra e identificar todos os seus elementos constitutivos com clareza; b) soluções técnicas globais e localizadas, suficientemente detalhadas, de forma a minimizar a necessidade de reformulação ou de variantes durante as fases de elaboração do projeto executivo e de realização das obras e montagem; c) identificação dos tipos de serviços a executar e de materiais e equipamentos a incorporar à obra, bem como suas especificações que assegurem os melhores resultados para o empreendimento, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução; d) informações que possibilitem o estudo e a dedução de métodos construtivos, instalações provisórias e condições organizacionais para a obra, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução; e) subsídios para montagem do plano de licitação e gestão da obra, compreendendo a sua programação, a estratégia de suprimentos, as normas de fiscalização e outros dados necessários em cada caso; f) orçamento detalhado do custo global da obra, fundamentado em quantitativos de serviços e fornecimentos propriamente avaliados; Decreto nº 3.555, de 8 de agosto de Art. 8º- A fase preparatória do pregão observará as seguintes regras: Aprova o Regulamento para a modalidade de licitação denominada pregão, para aquisição de bens e serviços comuns. I- a definição do objeto deverá ser precisa, suficiente e clara, vedadas especificações que, por excessivas, irrelevantes ou desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou a realização do fornecimento, devendo estar refletida no termo de referência; II- o Termo de Referência é o documento que deverá conter elementos capazes de propiciar a avaliação do custo pela Administração, diante de orçamento detalhado, considerando os preços praticados no mercado, a definição dos métodos, a estratégia de suprimento e o prazo de execução do contrato; Decreto nº 5.450, de 31 de maio de Art. 9º- Na fase preparatória do pregão, na forma eletrônica, será observado o seguinte: Regulamenta o pregão, na forma eletrônica, para aquisição de bens e serviços comuns, e dá outras providências. I- elaboração de termo de referência pelo órgão requisitante, com indicação do objeto de forma precisa, suficiente e clara, vedadas especificações que, por excessivas, irrelevantes ou desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou sua realização; 2º- O termo de referência é o documento que deverá conter elementos capazes de propiciar avaliação do custo pela administração diante de orçamento detalhado, definição dos métodos, estratégia de suprimento, valor estimado em planilhas de acordo com o preço de mercado, cronograma físico-financeiro, se for o caso, critério de aceitação do objeto, deveres do contratado e do CONTRATANTE, procedimentos de fiscalização e gerenciamento do contrato, prazo de execução e sanções, de forma clara, concisa e objetiva. TERMO DE REFERÊNCIA Aquisição de Solução para Acesso à RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 5 / 23

6 Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 6 / 23

7 Equipe Responsável Eliane Aristóteles Moreira matrícula: Departamento de Redes de Telecomunicações DERE Sílvio Ferreira Marques matrícula: Departamento de Redes de Telecomunicações DERE Marcelo José da Silva matrícula: Divisão de Tecnologia e Gestão de Redes DITG Marcos José da Silva matrícula: Divisão de Administração e Segurança de Redes DISR Elaboração Assinatura Data Paulo Roberto Alves de Almeida matrícula: Divisão de Infraestrutura e Gerência de Redes DIIG Aprovação Motivada Considerando que o Termo de Referência elaborado se apresenta de forma conveniente e oportuna para atender a demanda exposta na RQ DERE nº 021/2009, aprovo este Termo. Os elementos para que as empresas especifiquem seus preços estão no Termo de Referência e o valor da estimativa será incluído oportunamente no processo, após pesquisa ao mercado pela área competente. Luis Antonio Gomes Najan matrícula: Departamento de Redes de Telecomunicações DERE Assinatura Data TERMO DE REFERÊNCIA Data: 25/05/2009 RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 7 / 23

8 Título: Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi Objeto / Quantidade 1.2 Aquisição de solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi. 1.3 As especificações técnicas dos equipamentos são aquelas contidas no Anexo I - Especificação Técnica, parte integrante deste documento. Os equipamentos a serem fornecidos deverão ser novos, não sendo aceitos equipamentos remanufaturados. Item 1 Solução Quantidade Total a ser registrada Aquisição Inicial Controlador de rede sem fio 5 2 Ponto de Acesso tipo Ponto de Acesso tipo Sistema de gerenciamento suporta até 500 APs suporta até 100 APs RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 8 / 23

9 1.4 Após a assinatura da respectiva Ata de Registro de Preços, observados os requisitos da legislação que regulamenta o Sistema de Registro de Preços, a Dataprev pretende emitir um pedido inicial composto dos equipamentos e quantidades descritas acima, considerando a coluna Aquisição inicial Entrega 1.5 Os itens que compõem a Solução, que estão descritos no Anexo I - Especificação Técnica, deverão ser entregues no Rio de Janeiro, local indicado pela Dataprev, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias corridos, a contar da data de assinatura da respectiva Autorização de Fornecimento (AF) / Contrato. Dataprev / DERE Departamento de Redes de Telecomunicações Rua Cosme Velho, 6 Cosme Velho Rio de Janeiro CEP: Os volumes serão abertos, em até 02 (dois) dias úteis após a entrega, na presença do fornecedor e da Dataprev, que em conjunto conferirão o conteúdo dos mesmos. A conferência será realizada com base na lista dos materiais e/ou equipamentos descritos na nota fiscal a ser fornecida no ato da entrega, detalhando claramente todas as partes integrantes dos equipamentos. Este detalhamento não poderá ser feito por códigos, e sim pela descrição de cada material e/ou equipamento, com a respectiva quantidade. 1.7 Constatada a ocorrência de divergência entre os equipamentos e/ou volumes entregues e a especificação técnica ou qualquer defeito, fica a CONTRATADA obrigada a providenciar a sua correção ou, a critério da Dataprev, a substituição, e em até 72 (setenta e duas) horas, contadas a partir da notificação da ocorrência por parte da Dataprev, sujeitando-se a CONTRATADA às penalidades previstas no Edital. 1.8 Os volumes contendo os equipamentos para compor a solução deverão estar identificados externamente, com os dados constantes da Nota Fiscal, na qual deverá constar necessariamente o número de série de todos os equipamentos que estiverem sendo entregues Instalação e Aceitação dos Equipamentos 1.9 A Dataprev deverá definir, com o apoio da equipe técnica da CONTRATADA, de que forma o hardware e o software deverão ser instalados e configurados. A CONTRATADA e a Dataprev, de comum acordo, deverão fazer um planejamento das atividades de instalação antes de iniciar a instalação propriamente dita. Esta atividade deverá ser iniciada após a assinatura da AF e ser concluída, em, no máximo, 30 (trinta) dias corridos. A CONTRATADA deverá encaminhar para a Dataprev documentação do planejamento da instalação, em meio eletrônico. Esta documentação deverá ser validada pela Dataprev antes do início efetivo da instalação. A Dataprev terá o prazo de até 03 (três) dias para aprovar esta documentação. O ambiente, como um todo, deverá estar em condições de entrar efetivamente em produção ao término da fase de instalação. A CONTRATADA deverá, caso necessário, reavaliar o planejamento inicial descrito neste item, emitindo nova RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 9 / 23

10 documentação, para avaliação da Dataprev, caso seja observado o não funcionamento adequado dos equipamentos A CONTRATADA deverá realizar a instalação física assistida de todo componente de hardware e software, incluindo sua interligação à rede de dados da Dataprev, que será acompanhada por analistas da Dataprev, no prazo máximo, de 30 (trinta) dias corridos contados a partir do dia seguinte ao da entrega dos equipamentos, respeitado o prazo estabelecido no subitem 2.1, após o qual a Dataprev emitirá o respectivo Termo de Instalação dos equipamentos A CONTRATADA deverá providenciar a aplicação de todas as correções e upgrades de hardware e software liberados até a data da instalação, incluindo a atualização de firmware dos componentes de hardware que compõem a solução. A CONTRATADA deverá encaminhar documento, em meio eletrônico, que comprove a aplicação das atualizações. A instalação dos equipamentos não será considerada como concluída até que as atualizações sejam aplicadas e a documentação seja entregue pela CONTRATADA e validada pela Dataprev Constatada a ocorrência de divergência na especificação técnica ou qualquer outro defeito de operação durante a instalação dos equipamentos, fica a CONTRATADA obrigada a providenciar a sua correção ou, a critério da Dataprev, a substituição do equipamento, em até 72 (setenta e duas) horas, contadas a partir da notificação da ocorrência por parte da Dataprev, sem prejuízo do prazo constante do subitem 3.2, sujeitando-se a CONTRATADA às penalidades previstas no Edital Correrá por conta da CONTRATADA toda e qualquer despesa, independente da sua natureza, decorrente dos serviços de instalação aqui mencionados Os serviços de instalação dos equipamentos não serão considerados concluídos até que toda documentação constante deste subitem seja entregue e aceita pela Dataprev Concluída a instalação dos equipamentos entregues e não tendo sido verificado anormalidades e/ou sanados todos os problemas detectados, a contratada deverá comunicar formalmente a conclusão dos serviços de instalação. Em um prazo de até 15 (quinze) dias corridos após o recebimento do comunicado da contratada informando da conclusão dos serviços de instalação, a Dataprev verificará a conformidade realizada com as condições constantes do Edital e seus Anexos, findo o qual não tendo sido verificado anormalidades e/ou sanados todos os problemas detectados deverá emitir o Termo de Aceitação, iniciando-se a partir dessa data a contagem dos prazos de pagamento e garantia dos equipamentos fornecidos Repasse Tecnológico 1.16 A CONTRATADA deverá prover repasse tecnológico de operação e configuração dos controladores, pontos de acesso (Tipo 1 e Tipo 2) e sistema de gerenciamento a ser realizado no Rio de Janeiro (dentro ou fora das dependências da Dataprev), relativo aos produtos adquiridos, dentro do prazo máximo de 75 (setenta e cinco) dias corridos após a assinatura da respectiva Autorização de RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 10 / 23

11 Fornecimento / Contrato. Este local, dentro ou fora das dependências da Dataprev, deverá ser definido em comum acordo entre a Dataprev e a CONTRATADA Este repasse deverá ser efetuado para o controlador, cada tipo de ponto de acesso (Tipo 1 e Tipo 2) e sistema de gerenciamento, atendendo as seguintes características: Deverá conter duração mínima de 40 (quarenta) horas e atender a, pelo menos, 2 (duas) turmas de 8 (oito) técnicos da Dataprev, abrangendo: Interface com o usuário; Arquitetura do equipamento/solução do fabricante; Características do sistema operacional; Configurações das interfaces; Operação do sistema de gerenciamento; Configurações das características descritas nos itens do Anexo I; Diagnóstico e resolução de problemas inerentes aos produtos cotados O material de acompanhamento deverá ser detalhado, conter todos os assuntos abordados nos cursos e ser fornecido para cada um dos participantes, no início do repasse. O responsável pelo repasse tecnológico deverá falar a língua portuguesa com fluência A parte prática do repasse tecnológico deverá ser executada com, no mínimo, 02 (dois) controladores, 04 (quatro) pontos de acesso e sistema de gerenciamento, por turma. Os equipamentos utilizados poderão ser do mesmo fabricante. Caso sejam diferentes, os modelos e versões deverão ser os mesmos dos equipamentos adquiridos pela Dataprev Faturamento Após a emissão do Termo de Aceitação descrito no item Garantia O prazo de garantia dos equipamentos será de, no mínimo, 36 (trinta e seis) meses, contados a partir da data de emissão do Termo de Aceitação dos equipamentos, conforme descrito no subitem Assistência Técnica e Suporte A CONTRATADA deverá informar quem será o responsável pela assistência técnica, no local de instalação do equipamento, durante o período de garantia e informar o endereço, telefone (0800), fax/ e contato da Assistência Técnica responsável pelo atendimento em garantia, manifestando claramente o credenciamento da referida empresa Este responsável deverá possuir qualificação profissional para o atendimento de assistência técnica e suporte A assistência técnica dos equipamentos na modalidade on site deverá ser RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 11 / 23

12 efetuada no seguinte endereço: Dataprev / DERE Departamento de Redes de Telecomunicações Rua Cosme Velho, 6 Cosme Velho Rio de Janeiro CEP: Durante todo o período de garantia contratual, os serviços de assistência técnica serão prestados por técnicos devidamente habilitados e credenciados pela empresa responsável pela assistência técnica, na modalidade on site Correrá por conta exclusiva da empresa responsável pela assistência técnica a responsabilidade pelo deslocamento dos técnicos às instalações da Dataprev, pela retirada e entrega do equipamento, assim como pelas despesas de transporte, frete e seguro correspondentes A CONTRATADA deverá prover um serviço de suporte à distância para solucionar problemas relativos à configuração, operação e mau funcionamento de software A CONTRATADA deverá possuir acesso direto, através de telefonema ou via correio eletrônico, ao Centro de Assistência Técnica do fabricante A CONTRATADA deverá permitir que a Dataprev possua acesso direto para abertura e acompanhamento de chamados, através de telefonema ou via correio eletrônico, ao Centro de Assistência Técnica A CONTRATADA deverá permitir à Dataprev, o acompanhamento do estado do caso através da Internet, sob demanda O acesso ao Centro de Assistência Técnica deverá estar disponível durante 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano A CONTRATADA deverá permitir o acesso da Dataprev ao seu website para obtenção das novas documentações técnicas e para realizar o download de novas versões de software / firmware envolvidas na solução Abertura e Registro de Ocorrências As solicitações de serviços deverão ser registradas pela CONTRATADA, com controle dos mesmos pela Dataprev. A abertura dos chamados poderá ser efetuada por website ou por telefone (0800), contendo, no mínimo, os seguintes registros: - Data e hora da solicitação; - Descrição da ocorrência; - Número do registro / ocorrência; - Identificação do Solicitante / Atendente Prazos para Solução das Ocorrências As ocorrências deverão ser atendidas no prazo máximo de 12 (doze) horas corridas após a abertura do chamado técnico, sendo todos os atendimentos prestados na RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 12 / 23

13 modalidade on-site, no local descrito no item Caso o problema não seja solucionado em até 48 (quarenta e oito) horas, a CONTRATADA deverá providenciar, em até 48 (quarenta e oito) horas, a substituição do equipamento ou módulo defeituoso por um outro (back up) de configuração e especificação técnica, igual ou superior, em caráter provisório e temporário, pelo prazo máximo de até 30 (trinta) dias corridos, findos os quais a substituição passará a ser definitiva. Este prazo será contado a partir da data da substituição Em caso de substituição definitiva, o equipamento ou módulos substituídos deverão ser novos e originais, recomendados pelo fabricante Será contabilizado como período de indisponibilidade, o prazo a contar entre a formalização do chamado de manutenção corretiva e a solução efetiva do problema, ou a entrada em operação do backup Relatório de Visita Ao término de todo atendimento, o técnico da CONTRATADA deverá preencher um Relatório de Visita, contendo data, hora de chamada, início e término do atendimento, identificação do equipamento / módulo defeituoso, as providências adotadas, peças substituídas e as observações pertinentes. O Relatório de Visita deverá ser assinado pelo técnico responsável e por um técnico da Dataprev. RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 13 / 23

14 Acesso ao Site dos Fabricantes Deverá ser garantido à Dataprev, o pleno acesso ao site do fabricante dos equipamentos objeto deste Termo de Referência, com direito a consultas a quaisquer bases de dados disponíveis para usuários, relativas aos produtos objeto deste Termo de Referência, e, também, a efetuar downloads de quaisquer atualizações de software ou documentação, para os produtos objeto deste Termo de Referência Uso da Língua Portuguesa Em todas as atividades de manutenção ou suporte, deverá ser empregada a língua portuguesa falada e escrita do Brasil. Serão admitidas as seguintes exceções a esta exigência: O uso de termos técnicos em inglês, nas conversações ou correspondências; O acesso a sites com conteúdo na língua inglesa, para consulta a bases de conhecimento ou download de componentes de software; Não será aceito que a abertura e o acompanhamento de chamados tenham que ser feitos em outra língua que não a portuguesa. O atendimento a todos os chamados deverá ser feito na língua portuguesa Sigilo e Inviolabilidade A CONTRATADA deverá garantir o sigilo e a inviolabilidade das informações a que eventualmente possa ter acesso, durante os procedimentos de assistência técnica Conexão / Instalação de outros Produtos A Dataprev se compromete a somente conectar ou instalar produtos que atendam a todas as exigências de compatibilidade (homologação) dos fabricantes dos equipamentos fornecidos, e cuja conexão ou instalação não causem danos materiais aos equipamentos, ou prejudiquem o funcionamento dos mesmos Penalidades Pelo descumprimento dos prazos relacionados à entrega dos equipamentos, será aplicada multa à razão de 2% (dois por cento) do valor total do contrato, por dia de atraso, limitado ao teto de 10% (dez por cento) Pelo descumprimento dos prazos relacionados à assistência técnica em garantia, será aplicada multa à razão de 2% (dois por cento) do valor total caucionado em garantia do cumprimento das obrigações contratuais, por hora de atraso, limitado ao teto de 10% (dez por cento). RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 14 / 23

15 Gestão Contratual Gestão Técnica-Operacional: Responsável pelo Atesto e acompanhamento da execução do serviço. Gestão Executiva: Coordenação Geral de Análise e Classificação de Demandas CGAD Responsável pelo Acompanhamento do Contrato Anexos I e II: Anexo I: Especificação Técnica Anexo II: Glossário RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 15 / 23

16 ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Data: 25/05/2009 Título: Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi A solução para redes sem fio a ser adquirida deve ser composta pelos seguintes elementos: Pontos de Acesso: equipamento que permite o acesso de usuários com placas de redes sem fio à infraestrutura de WLAN instalada, respeitando critérios de desempenho e segurança; Controlador de WLAN: centraliza a manutenção, configuração e otimização dos pontos de acesso gerenciados, otimizando o desempenho e a cobertura da rádio frequência (RF); Sistema de Gerência: permite a monitoração e a administração de toda a solução de redes sem fio, gerando relatórios, alarmes e modelos de configuração. Em função das necessidades diferenciadas para redes WLAN nos diversos pontos de presença da Previdência Social, os pontos de acesso foram divididos em dois tipos. 1. Pontos de Acesso para rede sem fio Tipo 1: Necessita-se que o modelo para esses pontos de acesso atenda, no mínimo, às seguintes características: 1.1. Deve atender aos padrões IEEE a, b e g; 1.2. Deve possuir certificação da Wi-Fi Alliance para a/b/g; 1.3. Deve ser homologado pela ANATEL; 1.4. Deve ser capaz de operar simultaneamente nos padrões a e b/g através de rádios independentes (Dual Radio AP); 1.5. Deve possuir, no mínimo, duas antenas independentes e integradas, uma compatível com o padrão IEEE a e a outra compatível com os padrões IEEE b/g; 1.6. O ganho das antenas deverá ser de, no mínimo, 3 dbi para antenas de 5 GHz e 3 dbi para antenas de 2.4 GHz; 1.7. Deve possuir potência de transmissão máxima não inferior a: 17 dbm (802.11a), 20 dbm (802.11b) e 17 dbm (802.11g); 1.8. Implementar as seguintes taxas de transmissão e com fallback automático: a) IEEE a: 54; 48; 36; 24; 18; 12; 9 e 6 Mbps; b) IEEE b: 11; 5,5; 2 e 1 Mbps; c) IEEE g: 54; 48; 36; 24; 18; 12; 9 e 6 Mbps Deve possuir, no mínimo, uma interface Fast Ethernet 10/100, autosensing, com conector RJ-45, para conexão à rede local fixa; Possuir capacidade de selecionar automaticamente o canal de transmissão, sem necessidade de reinicialização do AP; Permitir o ajuste dinâmico de nível de potência de modo a otimizar o tamanho da célula de RF, sem a necessidade de reinicialização do AP; Deve fazer a atualização automática de firmware ao ser conectado no Controlador WLAN especificado neste documento; RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 16 / 23

17 1.13. Possuir LED que indique no mínimo as seguintes condições: a) Estado de operação; b) Atividade da interface Ethernet; c) Atividade do rádio Deve possuir, pelo menos, uma porta de console para gerenciamento via linha de comando (CLI comand line interface) com conector RJ-45, conector padrão RS-232, Serial over Ethernet ou USB; Deve implementar funcionamento em modo gerenciado por controlador, para configuração de seus parâmetros wireless, gerenciamento das políticas de segurança, QoS e monitorização de RF (rádio frequência); Implementar padrão Wireless Multi-media QoS (WMM) da Wi-Fi Alliance para priorização de tráfego, suportando aplicações em tempo real, tais como, VoIP, vídeo, dentre outras; Deve implementar cliente DHCP, para configuração automática de rede; Deve ser fornecido acompanhado de kit de instalação que permita fixação do equipamento em teto e parede; Deve possuir suporte a controladores WLAN redundantes, no caso de falha do controlador WLAN primário, os Pontos de Acesso relacionados deverão se associar automaticamente a um controlador secundário; Deve suportar, pelo menos, 16 (dezesseis) SSIDs; Deve permitir habilitar e desabilitar a divulgação do SSID; Deve implementar o protocolo IEEE 802.1X, com pelo menos os seguintes métodos EAP: a) EAP-Transport Layer Security (EAP-TLS); b) EAP-TTLS/MSCHAPv2; c) PEAPv0/EAP-MSCHAPv2; d) PEAPv1/EAP-GTC; e) EAP Subscriber Identity Module (EAP-SIM) Deve suportar a autenticação com geração dinâmica de chaves criptográficas por sessão e por usuário; Deve implementar WEP (Wired Equivalent Privacy), chaves estáticas e dinâmicas (40 bits e 128 bits); Deve implementar WPA com algoritmo de criptografia TKIP; Deve implementar WPA-2 (Wi-Fi Protected Access) com algoritmo de criptografia AES assistida em hardware; Deve implementar o padrão IEEE i; Deverá ser fornecido acompanhado de dispositivo para prover alimentação ao ponto de acesso utilizando o padrão IEEE 802.3af; Deverá ser fornecido acompanhado de uma fonte de alimentação externa do mesmo fabricante; Deve ser fornecido acompanhado de todos os acessórios necessários para operacionalização do equipamento, tais como: softwares, cabos de console, cabos de energia elétrica, documentação técnica e manual que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento; Deve ser capaz de realizar o switching local do tráfego gerado entre os clientes a ele associados, sem a necessidade de conectividade com o controlador para o tráfego dos clientes de cada ponto de acesso. Caso haja falha de comunicação com o controlador, os clientes associados devem continuar tendo acesso à rede, sem a necessidade de reautenticação; RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 17 / 23

18 1.32. Possuir sistema anti-furto tipo Kensington Security Lock ou similar. 2. Pontos de Acesso para rede sem fio Tipo 2: Necessita-se que o modelo para esses pontos de acesso atenda, no mínimo, as seguintes características: 2.1. Deve atender aos padrões IEEE a, b e g e n draft 2.0 ou superior; 2.2. Deve possuir certificação da Wi-Fi Alliance para a/b/g e n draft 2.0 ou superior; 2.3. Após a conclusão da normatização do padrão n, deve ser feita a atualização de software e/ou firmware, se necessário, desde que não seja obrigatória a atualização de hardware Deve ser homologado pela ANATEL; 2.5. Deve ser capaz de operar simultaneamente nos padrões a/n e b/g/n, através de rádios independentes (Dual Radio AP); 2.6. Deve possuir, no mínimo, 03 (três) antenas integradas para frequência de 2,4 GHz e no mínimo 03 (três) antenas integradas para frequência de 5 GHz. No caso das antenas transmitirem, simultaneamente, nas frequências de 2,4 GHz e de 5 GHz, deve possuir, no mínimo, 03 (três) antenas; 2.7. O ganho das antenas deverá ser de, no mínimo, 3 dbi para antenas de 5 GHz e 3 dbi para antenas de 2,4 GHz; 2.8. Deve possuir potência de transmissão máxima não inferior a: 17 dbm (802.11a), 18 dbm (802.11b), 17 dbm (802.11g) e 17 dbm (802.11n draft 2.0); 2.9. Implementar as seguintes taxas de transmissão e com fallback automático: a) IEEE a: 54; 48; 36; 24; 18; 12; 9 e 6 Mbps; b) IEEE b: 11; 5,5; 2 e 1 Mbps; c) IEEE g: 54; 48; 36; 24; 18; 12; 9 e 6 Mbps; d) IEEE n draft 2.0: MSC0- MSC15 (6,5 Mbps Mbps) Deve possuir, no mínimo, uma interface de uplink, autosensing, conforme o padrão IEEE 802.3ab, 10/100/1000BASE-T; Possuir capacidade de selecionar automaticamente o canal de transmissão, sem necessidade de reinicialização do AP; Permitir o ajuste dinâmico de nível de potência de modo a otimizar o tamanho da célula de RF, sem a necessidade de reinicialização do AP; Deve fazer a atualização automática de firmware ao ser conectado no Controlador WLAN especificado neste documento; Possuir LED que indique, no mínimo, as seguintes condições: a) Estado de operação; b) Atividade da interface Ethernet; c) Atividade do rádio Deve possuir, pelo menos, uma porta de console para gerenciamento via linha de comando (CLI comand line interface) com conector RJ-45, conector padrão RS-232, Serial over Ethernet ou USB; Deve implementar funcionamento em modo gerenciado por controlador, para configuração de seus parâmetros wireless, gerenciamento das políticas de segurança, QoS e monitorização de RF (Rádio Frequência); Implementar padrão Wireless Multi-media QoS (WMM) da Wi-Fi Alliance para priorização de tráfego, suportando aplicações em tempo real, tais como, VoIP, vídeo, dentre outras; RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 18 / 23

19 2.18. Deve implementar cliente DHCP, para configuração automática de rede; Deve ser fornecido acompanhado de kit de instalação que permita fixação do equipamento em teto e parede; Deve possuir suporte a controladores WLAN redundantes, no caso de falha do controlador WLAN primário, os Pontos de Acesso relacionados deverão se associar automaticamente a um controlador secundário; Deve suportar, pelo menos, 16 (dezesseis) SSIDs; Deve permitir habilitar e desabilitar a divulgação do SSID; Deve implementar o protocolo IEEE 802.1X, com pelo menos os seguintes métodos EAP: a) EAP-Transport Layer Security (EAP-TLS); b) EAP-TTLS/MSCHAPv2; c) PEAPv0/EAP-MSCHAPv2; d) PEAPv1/EAP-GTC; e) EAP Subscriber Identity Module (EAP-SIM) Deve suportar a autenticação com geração dinâmica de chaves criptográficas por sessão e por usuário; Deve implementar WEP (Wired Equivalent Privacy), chaves estáticas e dinâmicas (40 bits e 128 bits); Dever suportar WPA com algoritmo de criptografia TKIP; Deve implementar WPA-2 (Wi-Fi Protected Access) com algoritmo de criptografia AES assistida em hardware; Deve implementar o padrão IEEE i; Deverá ser fornecido acompanhado de dispositivo para prover alimentação ao ponto de acesso utilizando o padrão IEEE 802.3af; Deverá ser fornecido acompanhado de uma fonte de alimentação externa do mesmo fabricante; Deve ser fornecido acompanhado de todos os acessórios necessários para operacionalização do equipamento, tais como: softwares, cabos de console, cabos de energia elétrica, documentação técnica e manual que contenham informações suficientes para possibilitar a instalação, configuração e operacionalização do equipamento; Deve ser capaz de realizar o switching local do tráfego gerado entre os clientes a ele associados, sem a necessidade de conectividade com o controlador para o tráfego dos clientes de cada ponto de acesso. Caso haja falha de comunicação com o controlador, os clientes associados devem continuar tendo acesso à rede, sem a necessidade de reautenticação; Possuir sistema anti-furto tipo Kensington Security Lock ou similar. 3. Controlador de WLAN: Necessita-se que o modelo adquirido para os controladores de WLAN atenda, no mínimo, às seguintes características: 3.1. Deve ser capaz de controlar Pontos de Acesso nos padrões , a/b/g e n (draft 2.0) simultaneamente; 3.2. Após a conclusão da normatização do padrão n, deve ser feita a atualização de software e/ou firmware, se necessário, desde que não seja obrigatória a atualização de hardware Deve atender aos padrões IEEE d e h; RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 19 / 23

20 3.4. Deve possuir fontes de alimentação redundantes instaladas para operar com tensões de 100 a 220Volts AC e 60Hz de frequência, garantindo a operação do sistema em caso de falha de uma das fontes. Neste caso, a substituição da fonte defeituosa deve ser feita com o equipamento em operação, ou seja, sem que seja necessária qualquer parada no equipamento para substituição de qualquer uma das fontes; 3.5. O fabricante deverá fornecer as tomadas elétricas fêmeas compatíveis com o equipamento ofertado, necessárias para a alimentação elétrica dos mesmos; 3.6. Caso o controlador fornecido comporte mais do que duas fontes de alimentação, o mesmo deve ser fornecido configurado com o máximo de fontes instaladas; 3.7. O controlador WLAN deve permitir uma topologia redundante N+1, permitindo escalabilidade e alta disponibilidade. No caso de falha do Controlador WLAN, os Pontos de Acesso relacionados deverão se associar a um controlador WLAN alternativo de forma automática. O controlador redundante poderá estar em uma rede IP diferente; 3.8. Deve ser fornecido com todas as licenças necessárias para controlar, no mínimo, 100 (cem) pontos de acesso simultaneamente; 3.9. Deve possuir, no mínimo, 4 (quatro) portas padrão 1000BaseX permitindo a instalação direta de no mínimo as seguintes interfaces em conector SFP: a) 1000BaseSX; b) 1000BaseLX; c) 1000BaseT Deve ser fornecido e configurado com, no mínimo, quatro interfaces padrão 1000BaseT com conector RJ45; Deve possuir capacidade instalada para controlar pontos de acesso indoor e outdoor, simultaneamente, sem que seja necessária qualquer licença adicional às fornecidas, permitindo ainda criação de redes mesh; Deve implementar o padrão i com certificação WPA e WPA2; Deve implementar WEP (Wired Equivalent Privacy), chaves estáticas e dinâmicas (40 bits e 128 bits); Dever suportar WPA com algoritmo de criptografia TKIP; Deve implementar WPA-2 (Wi-Fi Protected Access) com algoritmo de criptografia AES); Deve implementar autenticação IEEE 802.1X utilizando base de usuários interno ou através de servidor Radius externo; Deve implementar o protocolo IEEE 802.1X, com pelo menos os seguintes métodos EAP: a) EAP-Transport Layer Security (EAP-TLS); b) EAP-TTLS/MSCHAPv2; c) PEAPv0/EAP-MSCHAPv2; d) PEAPv1/EAP-GTC; e) EAP Subscriber Identity Module (EAP-SIM) Possibilitar roaming com integridade de sessão, dando suporte à aplicações em tempo real, tais como, VoIP, VoWLAN, videoconferência, dentre outras; Deve implementar roaming rápido para os usuários autenticados por 802.1X (Fast Secure Roaming). O roaming de um cliente autenticado entre dois Pontos de Acesso deve ser inferior à 150ms (milisegundos); Deve ser fornecido com recursos instalados para implementar mecanismo de autenticação através de portal Web para usuários visitantes; Deve permitir a criação de um usuário especial para gerenciamento de usuários visitantes temporários; Deve ser fornecido com recursos instalados para implementar listas de controle de acesso (ACL) com suporte a contadores (ACL Counters), ou seja, para um determinado RQ DERE 021/2009 TR Aquisição Solução Acesso Rede Multiss. Prev.Social tecnologia Wi-Fi 20 / 23

TERMO DE REFERÊNCIA. Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi

TERMO DE REFERÊNCIA. Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi GE Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT TERMO DE REFERÊNCIA Aquisição de Solução para Acesso à Rede Multisserviços da Previdência Social através de tecnologia Wi-Fi MAIO / 2009 HISTÓRICO DE REVISÕES

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação de Referência Switches Wireless LAN (Controlador de Rede sem Fio) Alguns itens apresentam opções de configuração, refletindo nos aspectos originais de preço e características da máquina Código

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT Termo de Referência Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Termo de Referência Aquisição de Servidores Tipo 1A-1B para camada de Banco de Dados / Alta Disponibilidade RQ DEPI nº 11/2009

Leia mais

Estimativa. Unioeste 42653/2014 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital

Estimativa. Unioeste 42653/2014 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital Filtrado por ( : = '' ) E ( Validade: >= 03/06/2015 ) E (Imprimir quantidades por setor de consumo = Não) 03/06/2015 11:24:27 Página 1 de 1 Fornecedor Classificação Vlr.Un. -------Em haver------- 1 12021

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

Orientações para implantação e uso de redes sem fio

Orientações para implantação e uso de redes sem fio Orientações para implantação e uso de redes sem fio Define requisitos e orientações técnicas para implantação e uso de redes sem fio na Universidade Estadual de Campinas. I. Introdução Este documento apresenta

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 55 Roteiro Definição Benefícios Tipos de Redes Sem Fio Métodos de Acesso Alcance Performance Elementos da Solução

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless)

Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless) 1 Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless) Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000049

Leia mais

Rede sem fio. Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br

Rede sem fio. Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br I Workshop do POP-MG Rede sem fio Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br Sumário Introdução Principais aplicações O padrão IEEE 802.11 Segurança e suas diferentes necessidades Conclusão 2/36

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO:

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: GRUPO 1 Item Quant. Descrição item R$ unitário R$ total 01 123 SWITCH TIPO 01: Equipamento tipo Switch Gigabit Ethernet com capacidade de operação

Leia mais

Termo de Referência ANEXO B ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Termo de Referência ANEXO B ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO B DO TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LOTE 1 Item 1 Switch Core 1. Chassis Cisco Nexus 7010 (N7K-C7010), com 8 (oito) slots para inserção de módulos com portas Ethernet, 2 (dois) slots

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300.

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução s de armazenamento (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução de armazenamento do

Leia mais

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE

MARÇO / 2009 AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2. Diretoria de Infraestrutura de TIC DIT. Departamento de Redes de Telecomunicações DERE TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 20 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SWITCHES NÍVEL 2 MARÇO / 2009 RQ DERE 005/2009 Termo de Referência Aquisição de Switches Nível 2 1 / 22 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 26/01/2009 1 Criação

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE GABINETE DE COMPRAS E LICITAÇÕES PÚBLICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA DA NECESSIDADE DA CONTRATAÇÃO Para atender a solicitação expressa ao processo digital 30719/2012, AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE DE DADOS WIRELESS, COM INSTALAÇÃO,

Leia mais

Wireless LAN (IEEE 802.11x)

Wireless LAN (IEEE 802.11x) Wireless LAN (IEEE 802.11x) WLAN: Wireless LAN Padrão proposto pela IEEE: IEEE 802.11x Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Sem estrutura pré-definida. Cada computador é capaz de se comunicar

Leia mais

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA Nome: Micaella Coelho Valente de Paula Matrícula: 201207115071 2 o Período Contents 1 Introdução 2 2 802.11 3 3 Seu Funcionamento 3 4 História 4

Leia mais

Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point)

Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point) 1 Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point) Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000048

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

Esta dúvida foi esclarecida através da simulação em laboratório dos diversos mecanismos de segurança propiciados pelos Padrões IEEE 802.

Esta dúvida foi esclarecida através da simulação em laboratório dos diversos mecanismos de segurança propiciados pelos Padrões IEEE 802. 6 Conclusão As inúmeras vantagens proporcionadas pela WLAN contribuem para a expansão das redes sem fio IEEE 802.11 nos ambientes empresariais, governamentais e residenciais. Porém, estas redes possuem

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

1 de 47 25/08/2015 10:23

1 de 47 25/08/2015 10:23 1 de 47 25/08/2015 10:23 158149.82015.56073.5134.2733097788.342 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA FORNECIMENTO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE WIRELESS COM SUPORTE, MANUTENÇÃO E SOLUÇÃO DE GERENCIAMENTO.

PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA FORNECIMENTO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE WIRELESS COM SUPORTE, MANUTENÇÃO E SOLUÇÃO DE GERENCIAMENTO. TERMO DE REFERÊNCIA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PARA FORNECIMENTO E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE WIRELESS COM SUPORTE, MANUTENÇÃO E SOLUÇÃO DE GERENCIAMENTO. 1 / 32 1. OBJETO Registro de preços para requisitos

Leia mais

Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio. Redes Sem Fio (Wireless) 1

Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio. Redes Sem Fio (Wireless) 1 Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio Redes Sem Fio (Wireless) 1 INTRODUÇÃO Redes Sem Fio (Wireless) 2 INTRODUÇÃO Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio Base da segurança: Confidencialidade Controle

Leia mais

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Equipamento: O equipamento utilizado nesta demonstração é um roteador wireless D-Link modelo DI-524, apresentado na figura abaixo. A porta LAN desse

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa.

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. Termo de Referência Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. CGAD/COAR - Gerenciamento de Impressão Plataforma Baixa / RQ DSAO nº xxx/2009 1/8 Termo de Referência Aquisição

Leia mais

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Especificações Técnicas Mínimas: 1. O equipamento deve ter gabinete único para montagem

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt Redes sem fio modo de infraestrutura estação-base conecta hospedeiros móveis à rede com fio infraestrutura de

Leia mais

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Protocolo O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Máquina: Definem os formatos, a ordem das mensagens enviadas e recebidas pelas entidades de rede e as ações a serem tomadas

Leia mais

Câmara Municipal de Blumenau Estado de Santa Catarina CONTRATO N 12-1/2014

Câmara Municipal de Blumenau Estado de Santa Catarina CONTRATO N 12-1/2014 CONTRATO N 12-1/2014 A Câmara Municipal de Blumenau, neste ato representado pelo seu Presidente, Vereador Vanderlei Paulo de Oliveira, doravante denominada CONTRATANTE, e a empresa.solução INFORMÁTICA

Leia mais

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network Fundamentos de Tecnologias Wireless Parte 1 Assunto Tecnologias Wireless Introdução à Wireless LAN Algumas questões e desafios Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area

Leia mais

A solução objetiva conjugar a operação dos mecanismos internos do Padrão IEEE 802.11b com uma autenticação externa, utilizando o Padrão IEEE 802.1x.

A solução objetiva conjugar a operação dos mecanismos internos do Padrão IEEE 802.11b com uma autenticação externa, utilizando o Padrão IEEE 802.1x. 1 Introdução A comunicação de dados por redes sem fio (Wireless Local Area Network - WLAN - Padrão IEEE 802.11b) experimenta uma rápida expansão tecnológica, proporcionando novas soluções para serem implementadas

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões As redes locais sem fio (WLANs) constituem-se como uma alternativa às redes convencionais com fio, fornecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível,

Leia mais

Aquisição de Dispositivos de Firewall para CPRJ, CPDF e CPSP

Aquisição de Dispositivos de Firewall para CPRJ, CPDF e CPSP Aquisição de Dispositivos de Firewall para CPRJ, CPDF e CPSP TERMO DE REFERÊNCIA Agosto / 2009 HISTÓRICO DE REVISÕES DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 04/06/2009 1 Criação Marcos José 23/06/2009 1 Alteração

Leia mais

Sistema de rede local sem fio Interference-Free da Extricom. Wireless On the Move

Sistema de rede local sem fio Interference-Free da Extricom. Wireless On the Move Sistema de rede local sem fio Interference-Free da Extricom Wireless On the Move On the Move Sistema de rede local sem fio da Extricom Aumente suas expectativas A arquitetura Interference- Free da Extricom

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Solução de Firewall de Banco de Dados

TERMO DE REFERÊNCIA. Solução de Firewall de Banco de Dados Classificação do Documento: Público TERMO DE REFERÊNCIA CÓDIGO: TR//001/2009 Solução de Firewall de Banco de Dados Sub-Plano: Segurança da Informação Diretoria de Infra-Estrutura de TIC Emissor: DIT /

Leia mais

Uma análise dos mecanismos de segurança de redes locais sem fio e uma proposta de melhoria

Uma análise dos mecanismos de segurança de redes locais sem fio e uma proposta de melhoria Uma análise dos mecanismos de segurança de redes locais sem fio e uma proposta de melhoria Gilson Marques Silva, João Nunes Souza Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia (UFU) 38.400-902

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS 1. OBJETO Este Projeto Básico tem por objeto a especificação dos requisitos técnicos necessários para a aquisição de uma solução de Rede Wireless para

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

Vulnerabilidades em Redes Wifi. Palestrante: Jeann Wilson

Vulnerabilidades em Redes Wifi. Palestrante: Jeann Wilson Vulnerabilidades em Redes Wifi Palestrante: Jeann Wilson Sumário Introdução Principais Utilizações Padrões de rede sem fio Vulnerabilidades Tipos de autenticação Problemas de configuração Tipos de ataques

Leia mais

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES O sistema digital de radiocomunicação será constituído pelo Sítio Central, Centro de Despacho (COPOM) e Sítios de Repetição interligados

Leia mais

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens:

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: Redes Sem Fio Instalação Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: O Projetista é o responsável: Cálculo dos link e perdas Site survey (levantamento em campo das informações)

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 2 Redes Sem Fio Tecnologias Atuais de Redes - Redes Sem Fio 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Alcance Interferência Padrões Segurança Tecnologias Atuais de Redes - Redes

Leia mais

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos.

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Redes Sem Fio Equipamentos de Rede O que já conhecemos. Cabos; Atenas; Tipos de transmissão; 1 O que vamos conhecer. Equipamentos

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica 1 PLACA MÃE E MICROPROCESSADOR Descrição / Especificação Técnica Microprocessador com dissipador e cooler apropriados, tecnologia Mobile (portátil) de 32 e 64 bits. 1.01 Para microprocessadores INTEL,

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Introdução Camada física Subcamada MAC Estrutura do quadro Segurança Introdução

Leia mais

X Semana de Iniciação Científica do CBPF Outubro/03

X Semana de Iniciação Científica do CBPF Outubro/03 X Semana de Iniciação Científica do CBPF Outubro/0 SEGURANÇA EM REDES WIRELESS Bruno Marques Amaral Engenharia de Telecomunicações, UERJ o Período Orientador: Márcio Portes de Albuquerque Co-orientadora:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR. Projeto de Redes de Computadores. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação GOIÂNIA 2014-1

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR. Projeto de Redes de Computadores. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação GOIÂNIA 2014-1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR Projeto de Redes de Computadores 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Henrique Machado Heitor Gouveia Gabriel Braz GOIÂNIA 2014-1 RADIUS

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO DO AMBIENTE DE TIC DA PMSP

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO DO AMBIENTE DE TIC DA PMSP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO DO AMBIENTE DE TIC DA PMSP A PRODAM é uma empresa de economia mista, criada em 1971, com a finalidade de contribuir para a organização administrativa da Prefeitura

Leia mais

NextiraOne Portugal Segurança em Rede Wireless Novembro 2005

NextiraOne Portugal Segurança em Rede Wireless Novembro 2005 NextiraOne Portugal Segurança em Rede Wireless Novembro 2005 Porquê o Wireless? Quais os motivos para rápida vulgarização das REDES WIRELESS? Não necessita de infra-estrutura de cabos Baixo custo Rápida

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA TERESA

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA TERESA Pregão Presencial Nº 000131/2014 Abertura 24/10/2014 09:00 Processo 012339/2014 Lote 00001 - LOTE 01 - IMPRESSORA Descrição Ítem Código Especificação Unidade Quantidade Marca Unitário Valor Total 00001

Leia mais

Segurança em Redes IEEE 802.11. Ienne Lira Flavio Silva

Segurança em Redes IEEE 802.11. Ienne Lira Flavio Silva Segurança em Redes IEEE 802.11 Ienne Lira Flavio Silva REDES PADRÃO IEEE 802.11 O padrão IEEE 802.11 define as regras relativas à subcamada de Controle de Acesso ao Meio (MAC) e camada física (PHY). Da

Leia mais

EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300

EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 Introdução O Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 fornece de alta velocidade com o padrão 802.11n, que realça a sua experiência em jogos online e multimídia.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO N.º 98/2013 REGISTRO DE PREÇOS PROCESSO N.º 003999-09.00/13-0 1 OBJETO Registro de preços para aquisição de Solução de rede sem fio Wireless corporativa compreendendo

Leia mais

Roteador wireless de dual band AC1750 com tecnologia StreamBoost

Roteador wireless de dual band AC1750 com tecnologia StreamBoost TEW-824DRU Roteador wireless de dual band AC1750 com tecnologia StreamBoost TEW-824DRU (v1.0r) Jogos de baixa latência/priorização de voz AC1750: 1,300 Mbps WiFi AC + bandas WiFi N de 450 Mbps Modelagem

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

Criptografa todos os pacotes enviados ao servidor de controle de acesso e não só os pacotes referentes à senha;

Criptografa todos os pacotes enviados ao servidor de controle de acesso e não só os pacotes referentes à senha; administrativo ao equipamento 11.5.1. 11.5.2. 11.5.3. 11.5.4. 11.6. Portas confiáveis e não confiáveis Accounting ) com garantia de entrega dos pacotes transferidos entre cliente e servidor AAA; Criptografa

Leia mais

WL-5470POE Hi-Powered Ponto Acesso POE com oito Modos de Operação

WL-5470POE Hi-Powered Ponto Acesso POE com oito Modos de Operação WL-5470POE Hi-Powered Ponto Acesso POE com oito Modos de Operação omo fornecedor e líder global de soluções WISP, AirLive compreende as aplicações dos ambientes dos operadores WISP. Como resultado, estamos

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA

KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA 1 Parabéns, você acaba de adquirir o equipamento mais avançado e de melhor relação custo/ benefício do mercado para compartilhamento de Internet via

Leia mais

Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT

Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT 1. Pré Requisitos Com base no que foi proposta, a rede wireless do Bloco K da Colina deve atender aos seguintes requisitos: Padrão IEEE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310 Especificação Técnica 1. A Solução de Fitoteca ofertada deverá ser composta por produtos de Hardware e Software obrigatoriamente em linha de produção do fabricante, não sendo aceito nenhum item fora de

Leia mais

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o Wireless Redes sem fio A tecnologia Wireless (sem fio) permite a conexão entre diferentes pontos sem a necessidade do uso de cabos (nem de telefonia, nem de TV a cabo, nem de fibra óptica), através da

Leia mais

PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO WISLIY LOPES JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA LUIZ GUILHERME MENDES PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS GOIÂNIA JUNHO DE 2014 Sumário 1.

Leia mais

Redes sem Fio 2016.1. Segurança em WLANs (802.11) Parte 03. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio 2016.1. Segurança em WLANs (802.11) Parte 03. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 Segurança em WLANs (802.11) Parte 03 Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Protocolos de Segurança para Redes sem Fio WPA (Wi-Fi Protected Access)

Leia mais

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica

Especificação Técnica Para Aquisição. Descrição / Especificação Técnica 1 PLACA MÃE E MICROPROCESSADOR Descrição / Especificação Técnica Microprocessador com dissipador e cooler apropriados, tecnologia Mobile (portátil) de 32 e 64 bits. 1.01 Para microprocessadores INTEL,

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

Configurações do adaptador W-U3300nL

Configurações do adaptador W-U3300nL Configurações do adaptador W-U3300nL Introdução Obrigado por adquirir o adaptador para rede sem fio C3 Tech. Apresentando o que há de melhor em Tecnologia Wireless, o Adaptador para Rede Sem Fio C3 Tech

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

Termo de Referência. de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador,

Termo de Referência. de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador, Termo de Referência Aquisição de solução de gerenciamento de ambiente de nuvem e licenças de software virtualizador, para utilização nos Centros de Processamento do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São

Leia mais

Manual de Configuração de Rede sem Fio.

Manual de Configuração de Rede sem Fio. IFBA: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA Manual de Configuração de Rede sem Fio. 2010 T U R M A : 93631. IFBA - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Prof.: Rafael Reale Disciplina:

Leia mais

Campus Virtuais. Arquitectura de Roaming Nacional. Nuno Gonçalves, Pedro Simões FCCN

Campus Virtuais. Arquitectura de Roaming Nacional. Nuno Gonçalves, Pedro Simões FCCN Campus Virtuais Arquitectura de Roaming Nacional Nuno Gonçalves, Pedro Simões FCCN Versão 2.0 03 de Julho de 2009 Requisitos de uma solução nacional de roaming A implementação de uma solução de nacional

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Wireless nas Escolas

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Wireless nas Escolas ATA DE REGISTRO DE PREÇO Wireless nas Escolas Ata de Registro de Preços referente ao Projeto de Provimento de Equipamentos Ativos de Rede de Dados e Serviços de Instalação Correlatos para Redes sem fio

Leia mais

Protocolo wireless Ethernet

Protocolo wireless Ethernet Protocolo wireless Ethernet Conceituar as variações de redes sem fio (wireless) descrevendo os padrões IEEE 802.11 a, b, g e n. Em meados de 1986, o FCC, organismo norte-americano de regulamentação, autorizou

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas;

ATA DE REUNIÃO. 1) Recebimento de eventuais questionamentos e/ou solicitações de esclarecimentos Até 18/02/2009 às 18:00 horas; ATA DE REUNIÃO CONSULTA PÚBLICA PARA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO WEB-EDI Troca Eletrônica de Dados. Local Dataprev Rua Cosme Velho nº 06 Cosme Velho Rio de Janeiro / RJ. Data: 06/03/2009 10:30 horas. Consolidação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC Redes de Computadores Fabricio Alessi Steinmacher Histórico Funcionamento Padrões Wimax PLC H I S T Ó R I C O Wire (cabo, fio) + Less (sem) IEEE 802.11a IEEE 802.11b IEEE 802.11g IEEE 802.11n Faixa 5GHZ

Leia mais

Redes Sem Fio. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Rede Sem Fio. 2.2. Zona de Cobertura. Tecnologias Atuais de Redes Redes Sem Fio

Redes Sem Fio. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Rede Sem Fio. 2.2. Zona de Cobertura. Tecnologias Atuais de Redes Redes Sem Fio 1. Introdução Geralmente, a forma mais rápida de se implementar uma rede de computadores é por meio da utilização de cabos, sejam eles de par trançado ou de fibra óptica. Para pequenas redes, com poucos

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia PROJETO BÁSICO Serviço de Comunicação Multimídia xxxxxxxxxx, xx de xxxxx de 2009 PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. n 272 da Anatel - SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) O B J E T O SOLICITAÇÃO DE

Leia mais

CGW-PX1 Gateway SIP GSM

CGW-PX1 Gateway SIP GSM Interface de conexão SIP entre PABX e rede Celular Interconecte seu PABX ou Switch SIP com a rede celular GSM O gateway CGW-PX1 é um dispositivo que interconecta seu PABX ou switch de voz com as redes

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul

Estado de Santa Catarina Prefeitura de São Cristóvão do Sul 1 ANEXO VII QUADRO DE QUANTITATIVOS E ESPECIFICAÇÕES DOS ITENS Item Produto Quantidade 1 Aparelhos IP, com 2 canais Sip, visor e teclas avançadas, 2 70 portas LAN 10/100 2 Servidor com HD 500G 4 GB memória

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Manual do Usuário - Repetidor M300EW

Manual do Usuário - Repetidor M300EW ÍNDICE 1. Introdução... 1 1.1.Sobre o Repetidor Wireless M300EW... 1 1.2..Ethernet / Fast Ethernet... 1 1.3.Wireless LAN... 1 1.4..Conteúdo da Embalagem... 1 1.5.Características... 1 1.6..Requisitos de

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais