Resultados do 2T15 Agosto, 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resultados do 2T15 Agosto, 2015"

Transcrição

1 Resultados do Agosto, 2015

2 Destaques Operacional Redução de 0,61 p.p. nas perdas totais no vs., totalizando 9,3% FEC de 3,50 vezes, 14,6% menor do que no ; DEC de 9,97 horas, 22,2% maior do que Investimentos totalizaram R$ 140,4 milhões no vs R$ 166,4 milhões no Receita Líquida registrada no de R$ milhões, alta de 21,1% em relação ao ¹ quando ajustado por ativos e passivos regulatórios Financeiro Despesas operacionais de R$ 490 milhões no, aumento de 21,9% em relação ao Ebitda ajustado² de R$ 296 milhões em vs R$ 327 milhões no Lucro líquido ajustado³ de R$ 48 milhões no vs R$ 72 milhões no Reconhecimento Primeira Distribuidora de Energia Elétrica nas Américas a obter a certificação ISO do Programa de Gestão de Ativos Ganhadora do Troféu Transparência 2015, que reconhece as melhores demonstrações financeiras no Brasil 1. Ajustado com ativo setorial líquido de R$ 631,9 milhões; 2. Ajustado por ativos e passivos regulatórios, previdência privada, ativo possivelmente inexistente e reclassificação de multas reg; 3. Ajustado por ativos e passivos regulatórios. 2

3 Eventos climáticos adversos em dez/14 e jan/15 refletem impacto do DEC; FEC mantém trajetória de redução Índice FEC dos últimos 12 meses foi de 3,50 vezes, e DEC de 9,97 horas Plano para recuperação dos indicadores de qualidade: mil podas, km de manutenção adicional de rede e instalação de 50 km de spacer cables DEC (últimos 12 meses) FEC (últimos 12 meses) 6,84 6,65 22% 6,36 8,64 8,49 8,29-15% 8,35 7,99 8,84 8,16 9,97 4,65 4,37 3,77 4,10 3, DEC (horas) Referência Aneel FEC (vezes) Referência Aneel 3

4 Ações de combate a perdas resultaram em redução de 0,61 p.p. nas perdas totais 10,8% de redução nas perdas não técnicas quando comparamos o ao Iniciativas de combate a perdas contribuíram com aproximadamente R$ 59,1 milhões no resultado da Companhia no Perdas Totais (% últimos 12 meses) 10,5 10,1 9,7 10,2 10,0 9,7 9,9-6% 9,3 6,1 6,1 6,1 6,1 5,9 4,1 3,9 3,6 3,7 3, Perdas técnicas¹ Perdas não técnicas Referência Aneel² 1. Valores estimados pela Companhia para torná-los comparáveis ao referencial para perdas não técnicas do mercado de baixa tensão determinado pela Aneel; 2. Referência Aneel de perdas para o ano regulatório normalizada para o ano civil 4

5 R$ 140 milhões investidos no dos quais R$ 35 milhões foram em ações de manutenção e melhoria da rede Investimentos (R$ milhões) 2T13 Abertura dos investimentos (R$ milhões) % -16% T13 (e) 4T14 Recursos Próprios Recursos de Terceiros Expansão do Sistema Serviços ao Cliente Confiabilidade Operacional 1 TI Recuperação de Perdas Outros 1. Confiabilidade operacional: investimento realizado em modernização da rede e melhoria da qualidade do serviço 5

6 Queda no mercado cativo ex-industrial de 3,3%, refletindo redução da atividade comercial e taxa de desemprego Evolução do consumo vs (GWh) -4,8% ,3% -1,1% ,8% ,2% ,1% ,8% ,4% Residencial Comercial Poder Público e Outros Industrial Mercado Cativo Clientes Livres Mercado Total Evolução do consumo com alocação do mercado livre nas classes vs (GWh) -4,4% ,8% -1,5% -8,8% -2,7% Residencial Comercial Poder Público e Outros Industrial Mercado Total 1. Considera o consumo dos serviços de condomínio na classe comercial 6

7 Receita bruta 67% superior, reflexo principalmente do reajuste tarifário em 2014 e das revisões extraordinárias em 2015 Receita¹ (R$ milhões) % Ativos e Passivos Regulatórios Receita de Construção Dedução da Receita Bruta 719 Receita Líquida (ex-receita de construção) Custos e despesas² (R$ milhões) 27% Opex (ex-custo de construção) Suprimento de Energia Encargos de Transmissão 1. Receita bruta reportada no ajustada pelo reconhecimento de ativos e passivos regulatórios 2. Não inclui depreciação, despesas com entidade de previdência e reembolso CDE/Conta ACR 7

8 Aumento de R$ 88 milhões do Opex em função de despesas não recorrentes e de reclassificação de multas regulatórias Aumento dos custos gerenciáveis (R$ 25,7 milhões) no vs., abaixo da inflação Reclassificação de multas de DIC / FIC / DMIC de Despesas Financeiras para Outras Despesas não gerenciáveis neste representaram aumento de R$ 13,6 milhões no PMSO Opex (R$ milhões) 21,8% 489,8 402,0 78,8 71,4 8,6% 77,8 53,2 22,2 299,6 26,6 0,9 325,3 7,9 Fundo de Pensão PCLD, Cont. e Outros¹ Não Recorrentes Geren. IPCA² PMSO Geren. Não Recorrentes PCLD, Cont. e Outros Fundo de Pensão 1. Multas regulatórias (DIC/FIC/DMIC) no 2. IPCA de 8,89% 8

9 Queda de 9,5% do Ebitda ajustado em função principalmente das despesas não recorrentes no período Redução no Ebitda foi parcialmente compensada com R$ 43,1 milhões de reajuste tarifário, ganho com redução de perdas e venda de energia sobrecontratada acima de 105% no mercado de curto prazo Impacto de R$ 24 milhões no Ebitda em função da receita não recorrente à venda de um imóvel na Rua Tabatinguera no Ebitda - (R$ milhões) -9,5% 71,4 6,2 326,8 43,1 25,7 11,1 13,2 24,1 295,8 78,8 631,9 217,0-382,7 Ebitda CVA Fundo de Pensão Ajustes Contábeis Ebitda Ajustado Tarifa, Mercado e Perdas PMSO Geren. PCLD Baixas, Cont., Multas e Outros Alienação de Ativo em 2014 Ebitda Ajustado Fundo de Pensão Ebitda 1. Multas regulatórias (DIC/FIC/DMIC) 9

10 Lucro Líquido reportado de R$ 48,5 milhões no Lucro líquido (R$ milhões) -48,9-32,5% 71,8 28,5 20,2 28,7 4,8 27,8 25,8 48,5 426,2-354,4 Lucro Liq. CVA Lucro Liq. Ajustado 1 Mercado, Tarifa e Perdas OPEX Fundo de Pensão Resultado Financeiro Depreciação e Amortização Lucro Liq. Não Recorrente 1. ajustado por ativos e passivos regulatórios 10

11 Geração de caixa operacional impulsionada pelo reajuste tarifário em 2014 Variação positiva na geração de caixa operacional em R$ 33,2 milhões devido a reajuste tarifário de 2014 e menor devolução da bolha. Efeito negativo de R$ 54,4 milhões provenientes do aumento do CDI, amortização da 13ª emissão e serviço da dívida da 15ª emissão de debênture Fluxo de Caixa - R$ milhões Saldo inic ial de c aixa Geração de caixa operacional (38) (5) Investimentos (151) (138) Despesa Financeira Líquida / Amortizações Líquidas (169) (223) Despesas com Fundo de Pensão (49) (46) Imposto de Renda (2) (7) Caixa restrito e/ou bloqueado (6) 30 Caixa livre (414) (388) Saldo final de c aixa

12 Nível de endividamento reflete covenant de 3,0x Dívida líquida 1 (R$ milhões) 2,7 +3% 3,7 3,0 3,8 Cronograma de amortização (R$ milhões) Dívida líq. (R$ bilhões) Dívida líq. / Ebitda covenant Fundação Cesp - FCesp Moeda Nacional (s/ Fcesp) Covenants Dívida Líquida/Ebitda 2 3,5x Ebitda Ajustado ² /Despesas Financeiras 1,75x Custo da dívida Prazo médio (anos) 5,99 4,97 Taxa efetiva³ 12,54% 13,89% Custo médio (CDI +) 1,41% a.a 1,49% a.a 1.Divida Líquida conforme covenant; 2. Ajustado pelas despesas referentes a Fundação Cesp e ativos e passivos regulatórios (últimos 12 meses); 3. Taxa efetiva - Valor médio no período 12

13 Declarações contidas neste documento, relativas à perspectiva dos negócios, às projeções de resultados operacionais e financeiros e ao potencial de crescimento das Empresas, constituem-se em meras previsões e foram baseadas nas expectativas da administração em relação ao futuro das Empresas. Essas expectativas são altamente dependentes de mudanças no mercado, do desempenho econômico do Brasil, do setor elétrico e do mercado internacional, estando, portanto, sujeitas a mudanças.

Resultados do 1T15 Maio, 2015

Resultados do 1T15 Maio, 2015 Resultados do Maio, 2015 Destaques Operacional e Qualidade do Serviço Redução de 0,83 p.p. nas perdas totais no vs., totalizando 9,3% FEC de 3,21 vezes, 26,5% menor do que no ; DEC de 9,08 horas, 7,8%

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 6 de maio de 2016 Magazine Luiza Destaques Vendas E-commerce Margem Bruta EBITDA e Lucro Líquido Capital de Giro Endividamento Luizacred Aumento da receita bruta de 3% totalizando

Leia mais

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2013

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2013 Rio de Janeiro, 08 de novembro de 2013. LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2013 1. Desempenho Operacional Consumo de Energia Total (GWh) (Cativo + Livre) - Trimestre 1,7% 5.486 840 5.581

Leia mais

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Resultados 3T11 Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Agenda Perfil Coelce e Conquistas 1 Mercado de Energia 2 Resultados Operacionais 3 Resultados Econômico-Financeiros 4 Perguntas e Respostas

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D (Em milhões de reais, exceto se indicado de outra forma) --------- Lucro do Período A Cemig Distribuição apresentou, no exercício de 2008, um lucro líquido de R$709

Leia mais

Receita Operacional Líquida no trimestre de R$ 1.559,7 milhões (+7,0%) e acumulada de R$ 5.656,2 milhões (+11,3%)

Receita Operacional Líquida no trimestre de R$ 1.559,7 milhões (+7,0%) e acumulada de R$ 5.656,2 milhões (+11,3%) Resultados 4º Trimestre e Acumulado 2006 Web Conference Xx de Março de 2007 Erik Breyer Diretor Financeiro e de Relações com Investidores DESTAQUES Receita Operacional Líquida no trimestre de R$ 1.559,7

Leia mais

Resultados do 3T13. 7 de Novembro de 2013

Resultados do 3T13. 7 de Novembro de 2013 Resultados do 7 de Novembro de 2013 2 Grupo Eucatex Destaques Gerais do Receita Líquida R$ 292,9 milhões, crescimento de 17,5% EBITDA Recorrente R$ 60,7 milhões, aumento de 22,9% Margem EBITDA 20,7%, elevação

Leia mais

Apresentação Corporativa Outubro de 2014

Apresentação Corporativa Outubro de 2014 Apresentação Corporativa Outubro de 2014 Grupo Light Estrutura diversificada com atuação nos segmentos de distribuição, geração e comercialização de energia 2 Light em números Distribuição Estado RJ Área

Leia mais

Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia?

Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia? Audiência Pública 004/2007 da ANEEL Segunda Revisão Tarifária Periódica da Coelce Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia? Cláudio J. D. Sales Presidente Instituto Acende Brasil Auditório

Leia mais

Resultados 2014 Fevereiro, 2015

Resultados 2014 Fevereiro, 2015 Resultados Fevereiro, 2015 Destaques do e Afluência na região SE/CO em de 69% da MLT 1 (vs. 102% em ) Hidrologia Nível de reservatórios das usinas da AES Tietê encerraram em 34,7% vs. 51,1% em Rebaixamento

Leia mais

ULTRAPAR. ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03

ULTRAPAR. ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03 ULTRAPAR ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03 Este documento pode conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia. Palavras

Leia mais

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2015

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2015 Rio de Janeiro, 12 de novembro de 2015. LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. 3º TRIMESTRE DE 2015 1. Desempenho Operacional O consumo total de energia na área de concessão da Light SESA (clientes cativos

Leia mais

Resultados 1T15 Maio, 2015

Resultados 1T15 Maio, 2015 Resultados Maio, 2015 Destaques Afluência no SIN no de 62% da MLT 1 (vs. 64% no ) Hidrologia Nível de reservatórios do SIN encerraram em 30,1% vs. 40,5% em Rebaixamento médio do MRE de 20,7% no vs. 3,9%

Leia mais

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração Operações do Mercado de Energia Evolução e Perspectiva Seminário FIEPE 11 de abril de 2013 Paulo Born Conselho de Administração Agenda Visão Geral do Mercado de Energia Governança e Ambientes de Comercialização

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2012

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2012 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo S.A. - www.aeseletropaulo.com.br Prezados Acionistas, A administração da Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo

Leia mais

Resultados. 2T14 Junho, 2014

Resultados. 2T14 Junho, 2014 Resultados Junho, 2014 Destaques Operacional & Comercial Rebaixamento da garantia física de 6,2%, em linha com as projeções da Companhia Comercialização de ~100 MWm com prazo e preço médios de 4,5 anos

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016 Divulgação de Resultados 06 de Maio de 2016 Aviso Importante Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações

Leia mais

RESULTADOS E DESEMPENHO - 1º SEMESTRE DE 2014

RESULTADOS E DESEMPENHO - 1º SEMESTRE DE 2014 RESULTADOS E DESEMPENHO - 1º SEMESTRE DE 2014 Resultados Econômico-Financeiros (R$ milhões) 1S 2014 1S 2013 Variação (1) Variação % Receita Líquida 1.993,3 1.670,4 322,9 19,3% EBITDA 145,4 224,8-79,4-35,3%

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3º trimestre de 2008

Teleconferência de Resultados 3º trimestre de 2008 Teleconferência de Resultados 3º trimestre de 2008 Destaques 3T08 MERCADO Crescimento do consumo na área de concessão de 3,3% no trimestre Redução de 0,30 p.p nas perdas não-técnicas de energia no ano

Leia mais

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013 Resultados 4T12 Fevereiro, 2013 Principais destaques de 2012 Operacional Geração de energia 27% superior à garantia física e 3% acima da registrada em 2011 - Exposição ao mercado spot de 4,4% de setembro

Leia mais

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014 Rio de Janeiro, 15 de maio de 2014. LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014 Desempenho Operacional O total de venda, líquida da compra de energia, no primeiro trimestre de 2014 foi equivalente a 1.264,1

Leia mais

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2013

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2013 Rio de Janeiro, 10 de maio de 2013. LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2013 Desempenho Operacional LIGHT ENERGIA (GWh) 1T13 1T12 % Venda no Ambiente de Contratação Regulada 263,7 1.052,0-74,9% Venda no

Leia mais

Resultados 4T15 / 2015

Resultados 4T15 / 2015 Resultados / 2015 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

Rentabilidade, eficiência e controle da inadimplência como direcionadores do resultado

Rentabilidade, eficiência e controle da inadimplência como direcionadores do resultado Resultado 3T15 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras sobre

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil)

CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 (Em R$ Mil) CNPJ 47.902.648/0001-17 CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 28 DE FEVEREIRO DE 2011 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Bancos 46 Fornecedores 41.785 Aplicações Financeiras 5.541 Provisão

Leia mais

Grupo Energisa Apresentação Institucional 2º trimestre de 2014

Grupo Energisa Apresentação Institucional 2º trimestre de 2014 Grupo Energisa Apresentação Institucional 2º trimestre de 2014 Apresentação Grupo Energisa Aspectos Técnicos e Comerciais Aspectos financeiros Crescimento 2 Grupo Energisa 3 Aquisição do Grupo Rede Em

Leia mais

Resultados do ano de 2015

Resultados do ano de 2015 Resultados do ano de 2015 2 de março de 2016 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

RESULTADOS E DESEMPENHO - 4º TRIMESTRE DE 2013 A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA TRABALHAR TAMBÉM É CAMPEÃ EM EXCELÊNCIA

RESULTADOS E DESEMPENHO - 4º TRIMESTRE DE 2013 A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA TRABALHAR TAMBÉM É CAMPEÃ EM EXCELÊNCIA Resultados 4º trimestre de 2013 RESULTADOS E DESEMPENHO - 4º TRIMESTRE DE 2013 A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA TRABALHAR TAMBÉM É CAMPEÃ EM EXCELÊNCIA Resultados Econômico-Financeiros (R$ milhões) Receita

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2005

Apresentação dos Resultados 2005 Apresentação dos Resultados 2005 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SKY VAN GOGH MULTIMERCADO / Informações referentes a Novembro de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SKY VAN GOGH MULTIMERCADO / Informações referentes a Novembro de 2013 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SKY VAN GOGH MULTIMERCADO 02.908.387/0001-04 Informações referentes a Novembro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T13. dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111

Reunião APIMEC - 3T13. dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111 Reunião APIMEC - 3T13 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - ELETROPAULO METROPOLITANA EL.S.PAULO S.A Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - ELETROPAULO METROPOLITANA EL.S.PAULO S.A Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição

Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição Daniel Mendonça - Abradee Brasília, 28 de novembro de 2014. Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica QUEM SOMOS A Associação Brasileira

Leia mais

Expo Money São Paulo. Setembro, 2013

Expo Money São Paulo. Setembro, 2013 Expo Money São Paulo Setembro, 2013 1 Perfil da AES Tietê 12 usinas hidrelétricas em São Paulo Contrato de concessão de 30 anos válido até 2029 Capacidade instalada de 2.658 MW, com garantia física 1

Leia mais

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I Por João Sicsú e Ernesto Salles 1. O trabalhador perdeu rendimento porque houve inflação? É possível aferir o valor do ganho médio (ou habitual) de um trabalhador. A Pesquisa

Leia mais

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00

DATA 29/05/2014 Pagina 2 2.1.3.1.1.00.00.00 FORNECEDORES E CONTAS A PAGAR NACIONAIS A CURTO PR S C 0,00 582,25 3.432,21 2.849,96 C 2.1.3.1.1.01.00.00 DATA 29/05/2014 Pagina 1 1.0.0.0.0.00.00.00 ATIVO S D 26.200,85 197.350,24 153.749,66 69.801,43 D 1.1.0.0.0.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE S D 15.643,04 197.350,24 153.614,51 59.378,77 D 1.1.1.0.0.00.00.00

Leia mais

Nova Estrutura regulatória Visão Estratégica. Dr. Flavio Decat de Moura Diretor de Finanças, Participações e de Relações com Investidores

Nova Estrutura regulatória Visão Estratégica. Dr. Flavio Decat de Moura Diretor de Finanças, Participações e de Relações com Investidores Nova Estrutura regulatória Visão Estratégica Dr. Flavio Decat de Moura Diretor de Finanças, Participações e de Relações com Investidores O setor elétrico brasileiro saiu do risco racionamento, mas... Situação

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL Audiência Pública nº47 Data: 27/08/2015 Concessão: Bandeirante Cidade: São José dos Campos/SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS SOMOS RESPONSÁVEIS PELA... Regulação Mediação

Leia mais

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira APIMEC RIO Resultados do 1T12 Diretoria Econômico-Financeira e de Relações com Investidores Aviso Esta apresentação pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas

Leia mais

Consumo total no trimestre sobe 2,5% em relação ao 3T14 PCLD se mantém em 1,0% do faturamento em 12 meses

Consumo total no trimestre sobe 2,5% em relação ao 3T14 PCLD se mantém em 1,0% do faturamento em 12 meses Rio de Janeiro, 12 de novembro de 2015. Consumo total no trimestre sobe 2,5% em relação ao 3T14 PCLD se mantém em 1,0% do faturamento em 12 meses Consolidado A receita líquida consolidada no 3T15, desconsiderando

Leia mais

Conceitos Introdutórios. A Inflação nas Finanças. Demonstrações Contábeis

Conceitos Introdutórios. A Inflação nas Finanças. Demonstrações Contábeis Conceitos Introdutórios Mercado Financeiro Brasileiro A Inflação nas Finanças Demonstrações Contábeis Conceitos Introdutórios Retornar Conceitos Introdutórios ADMINISTRAÇÃO A administração é o processo

Leia mais

Release de Resultados 1T de abril de 2016

Release de Resultados 1T de abril de 2016 Release de Resultados 1T16 27 de abril de 2016 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

REVISÃO DO GUIDANCE 2006-2010

REVISÃO DO GUIDANCE 2006-2010 REVISÃO DO GUIDANCE 2006-2010 Diretoria de Finanças, Participações e de Relações com Investidores NOVEMBRO/06 Termo de Renúncia Algumas declarações constantes nesta apresentação são projeções contidas

Leia mais

ARTERIS TRANSCRIÇÃO DA TELECONFERÊNCIA RESULTADOS DO 2T15

ARTERIS TRANSCRIÇÃO DA TELECONFERÊNCIA RESULTADOS DO 2T15 1 ARTERIS TRANSCRIÇÃO DA TELECONFERÊNCIA RESULTADOS DO 2T15 Operadora: Bom dia senhoras e senhores, e obrigada por aguardarem. Sejam bem-vindos à teleconferência da Arteris, para discussão dos resultados

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais)

BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) CIRCULANTE BALANÇO PATRIMONIAL DOS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE JUNHO (em milhares de reais) ATIVO CONSOLIDADO 2008 2007 2008 2007 Numerário disponível 1.265 2.072 5.915 6.418 Aplicações no mercado aberto

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P M A I O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 28 de junho de 2016 Em maio, crédito imobiliário somou R$ 3,9 bilhões Poupança

Leia mais

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009 EDP Energias do Brasil Novembro de 2009 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes 1 Pilares Estratégicos 1 Forte cultura corporativa, cujo principal foco é a valorização das pessoas 2 Plataforma de vendas integrada, com múltiplos canais de venda 3 Grande base de clientes, com CRM visando

Leia mais

Balanço Social Dados Consolidados Unimeds RJ. Fórum Atuarial, Financeiro-Contábil, Mercado e Regulação

Balanço Social Dados Consolidados Unimeds RJ. Fórum Atuarial, Financeiro-Contábil, Mercado e Regulação Balanço Social 2011 Dados Consolidados Unimeds RJ Fórum Atuarial, Financeiro-Contábil, Mercado e Regulação Rio das Ostras-RJ, 13, 14 e 15 de julho-2012 Balanço Social Consolidado 2011 BALANÇO SOCIAL O

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T08 18 de Novembro de 2008

Teleconferência de Resultados 3T08 18 de Novembro de 2008 Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2008 Palestrantes Abel Rochinha Presidente da Coelce Luiz Carlos Bettencourt Diretor Financeiro e de RI da Endesa Brasil 1 1 Destaques 2 Mercado AGENDA s

Leia mais

AES Brasil investe R$ 164 milhões no primeiro trimestre do ano

AES Brasil investe R$ 164 milhões no primeiro trimestre do ano São Paulo, 17 de maio de 2010. AES Brasil investe R$ 164 milhões no primeiro trimestre do ano Valor dos investimentos é 6,6% superior ao registrado no mesmo período de 2009 A AES Brasil investiu R$ 164

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Destaques Destaq 3T15 5,3% -5,1% -2,9% -7,4% R$ 219 milhões R$ 931 milhões CPFL Piratininga 5,31% R$ 475 milhões

Destaques Destaq 3T15 5,3% -5,1% -2,9% -7,4% R$ 219 milhões R$ 931 milhões CPFL Piratininga 5,31% R$ 475 milhões Resultados Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional.

Leia mais

TRIMESTRE Variação (%) SEMESTRE Variação (%) (R$ mm) 2T15 2T14 2T15/2T14 1S15 1S14 1S15/1S14

TRIMESTRE Variação (%) SEMESTRE Variação (%) (R$ mm) 2T15 2T14 2T15/2T14 1S15 1S14 1S15/1S14 São Paulo, 14 de agosto de 2015 - A Somos Educação S.A. (BM&FBOVESPA: SEDU3) divulga seus resultados do 2º trimestre de 2015 (2T15) e do primeiro semestre de 2015 (1S15). Os comentários aqui incluídos

Leia mais

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 Estar Mais Próximo do Cliente B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 RESULTADOS CONSOLIDADOS 2T13 Receita Bruta R$ 1.369,8 MILHÕES +24% Receita Líquida R$ 1.210,5 MILHÕES +22% Lucro Bruto

Leia mais

3º Trimestre de 2008. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008. Viver São J. Pinhais (São J. Pinhais-PR) 2T08

3º Trimestre de 2008. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008. Viver São J. Pinhais (São J. Pinhais-PR) 2T08 3º Trimestre de 2008 Teleconferência de Resultados Lançamentos de 2008 La Vita (Vitoria-ES) 2T08 Beach Park Wellness Resort (Aquiraz-CE) 1T08 Viver Caxias (Caxias do Sul-RS) 3T08 Viver São J. Pinhais (São

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 1T15

RELEASE DE RESULTADOS 1T15 UHE Cachoeira Caldeirão TOTAL DE AÇÕES: 476.415.612 AÇÕES EM TESOURARIA: 840.675 FREE FLOAT: 49% VALOR DE MERCADO: R$ 4,9 bilhões TELECONFERÊNCIA COM WEBCAST EM 07/05/2015 Português/Inglês: 15h Dados para

Leia mais

VALE RIO DOCE S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão:

VALE RIO DOCE S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão: VALE RIO DOCE S/A Empresa: A companhia é uma das maiores mineradoras do mundo, sendo a maior das Américas, baseada na capitalização de mercado. É a maior produtora mundial de minério de ferro e pelotas

Leia mais

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009 EDP Energias do Brasil Novembro de 2009 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO YIELD /

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO YIELD / LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO YIELD 03.054.724/0001-06 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa

Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa II Conferência RELOP Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa AES SUL - Concessionária de Distribuição de Energia Elétrica da Região Sul do Brasil Estratégias Empresariais:

Leia mais

EARNINGS RELEASE 1º SEMESTRE 2007

EARNINGS RELEASE 1º SEMESTRE 2007 Geração e Transmissão S.A. Cemig Geração e Transmissão S.A CNPJ 06.981.176/0001-58 EARNINGS RELEASE 1º SEMESTRE 2007 1 ---------- Lucro Líquido A Cemig Geração e Transmissão apresentou, no primeiro semestre

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T15

Apresentação de Resultados 1T15 Apresentação de Resultados 1T15 1 Destaques do Período Início da operação comercial de quatro parques do LEN A-3 2011 Início da operação comercial: 04 de março de 2015 Os outros 5 parques serão conectados

Leia mais

Energisa S/A Resultados do 1º semestre de 2015

Energisa S/A Resultados do 1º semestre de 2015 Resultados do 1º semestre de 2015 Cataguases, 14 de agosto de 2015 A Administração da ( Energisa ou Companhia ) apresenta os resultados do segundo trimestre (2T15) e dos primeiros seis meses de 2015 (6M15).

Leia mais

Principais Destaques:

Principais Destaques: 1T15 Resultados 1T15 Teleconferência de Resultados em Português Data: 19 de Maio de 2015 Horário: 11:00h (Brasília) 10:00 a.m. (NY DST) Dados para conexão: Telefone: 11 2188 0155 Senha de acesso: Celesc

Leia mais

Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig

Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig Companhia Aberta - CNPJ 17.155.730/0001-64 CEMIG ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$ 922 MILHÕES NO 1º SEMESTRE 2007 Belo Horizonte, Brasil, 14 de agosto de 2007 Companhia

Leia mais

AGENDA: Destaques Desempenho Operacional Mercado de Capitais Estratégias e Perspectivas

AGENDA: Destaques Desempenho Operacional Mercado de Capitais Estratégias e Perspectivas 0 Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam ou podem afetar o nosso

Leia mais

COMUNICADO AO MERCADO DIRECIONAL ANUNCIA LANÇAMENTOS DE R$ 287,9 MILHÕES NO 2T11 COM CRESCIMENTO DE 28,9% EM RELAÇÃO AO 1T11.

COMUNICADO AO MERCADO DIRECIONAL ANUNCIA LANÇAMENTOS DE R$ 287,9 MILHÕES NO 2T11 COM CRESCIMENTO DE 28,9% EM RELAÇÃO AO 1T11. PRÉVIA OPERACIONAL Belo Horizonte, 05 de Julho de 2011 - A Direcional Engenharia S.A., uma das maiores incorporadoras e construtoras do Brasil, com foco no desenvolvimento de empreendimentos populares

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

PRINCIPAIS INDICADORES FINANCEIROS E OPERACIONAIS

PRINCIPAIS INDICADORES FINANCEIROS E OPERACIONAIS Resultados positivos, apesar do período adverso Receita Líquida de R$ 194 milhões EBITDA Ajustado de R$ 143 milhões (Margem de 73,5%) Lucro Líquido Ajustado de R$ 102 milhões (Margem de 52,6%) Rio de Janeiro,

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16

Divulgação de Resultados 1T16 São Paulo - SP, 29 de Abril de 2016. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER CAPITAL PROTEGIDO DÓLAR MULTIMERCADO / Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER CAPITAL PROTEGIDO DÓLAR MULTIMERCADO / Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER CAPITAL PROTEGIDO DÓLAR MULTIMERCADO 11.726.632/0001-53 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Plano Diretor Celesc teleconferência com investidores

Plano Diretor Celesc teleconferência com investidores Plano Diretor Celesc 2030 - teleconferência com investidores Florianópolis, 13 de dezembro de 2012 Aviso Importante As informações contidas nesta apresentação poderão incluir declarações que representem

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRIMESTRE DE 2015 1 CENÁRIO ECONÔMICO O segundo trimestre do ano de 2015 demonstrou uma aceleração da deterioração dos fatores macroeconômicos no Brasil, com aumento

Leia mais

Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011

Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011 Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011 Grupo aumentou quadro de colaboradores próprios em 29%. Juntas, AES Eletropaulo e AES Sul distribuíram energia para mais

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA LOA

AUDIÊNCIA PÚBLICA LOA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E REGULAÇÃO URBANA SEPLAN AUDIÊNCIA PÚBLICA LOA - 2016 Fioravante Batista Ballin Prefeito Municipal Suimar João Bressan Secretário de Planejamento e Regulação Urbana

Leia mais

Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano

Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano Valor faz parte de plano de investimentos crescentes focado em manutenção, modernização e expansão das operações

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE SA Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE SA Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2014

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2014 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2014 Senhores Acionistas, De acordo com as determinações legais e estatutárias, apresentamos o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da Elektro Eletricidade

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 14 de maio de 2012 - A Unidas S.A. anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário.

Leia mais

Geração Distribuída de Energia Elétrica

Geração Distribuída de Energia Elétrica Geração Distribuída de Energia Elétrica Seminário Internacional - Impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos sobre o Setor de Distribuição 20/05/2016 Roberto Castro Conselheiro de Administração Agenda

Leia mais

Destaques Operacionais e Financeiros (R$ mil) 2T14 2T13 Var% 1S14 1S13 Var%

Destaques Operacionais e Financeiros (R$ mil) 2T14 2T13 Var% 1S14 1S13 Var% 2T14 São Paulo, 14 de agosto de 2014: CESP - Companhia Energética de São Paulo (BM&FBOVESPA: CESP3, CESP5 e CESP6), a maior geradora de energia hidrelétrica do Estado de São Paulo e uma das maiores do

Leia mais

Resultados 3T14. CPFL Energia 2014. Todos os direitos reservados.

Resultados 3T14. CPFL Energia 2014. Todos os direitos reservados. Resultados CPFL Energia 2014. Todos os direitos reservados. Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação

Leia mais

A melhor empresa do Brasil para trabalhar também é campeã em excelência. Relatório da Administração 2013

A melhor empresa do Brasil para trabalhar também é campeã em excelência. Relatório da Administração 2013 Elektro Eletricidade e Serviços S.A. Companhia Aberta - C.N.P.J. nº 02.328.280/001-97 Senhores Acionistas, A melhor empresa do Brasil para trabalhar também é campeã em excelência De acordo com as determinações

Leia mais

ANEXO III. Nota Técnica nº 250/2007-SRE/ANEEL Brasília, 21 de agosto de 2007 METODOLOGIA E CÁLCULO DO FATOR X

ANEXO III. Nota Técnica nº 250/2007-SRE/ANEEL Brasília, 21 de agosto de 2007 METODOLOGIA E CÁLCULO DO FATOR X ANEXO III Nota Técnica nº 250/2007-SRE/ANEEL Brasília, 2 de agosto de 2007 METODOLOGIA E CÁLCULO DO FATOR X ANEXO III Nota Técnica n o 250/2007 SRE/ANEEL Em 2 de agosto de 2007. Processo nº 48500.004295/2006-48

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 1T16

Teleconferência de Resultados do 1T16 Teleconferência de Resultados do 1T16 04/ 05 / 2016 1 Destaques & Portfólio Destaques do 1T16 Properties registra no trimestre receita líquida de R$127,0 milhões e EBITDA ajustado de R$102,1 milhões A

Leia mais

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9%

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Resultados 3T15 EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Belo Horizonte, 10 de novembro de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2012 foi de R$ 1.448.887.908,07

Leia mais

Cumprindo Metas Agregando Valor para os Acionistas. Demonstrações Financeiras 2º Trimestre de 2004

Cumprindo Metas Agregando Valor para os Acionistas. Demonstrações Financeiras 2º Trimestre de 2004 Cumprindo Metas Agregando Valor para os Acionistas Demonstrações Financeiras 2º Trimestre de 2004 Agosto 2004 2 Termo de Renúncia Algumas declarações contidas nesta apresentação são projeções contidas

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS 1 Trimestre RESULTADOS OBTIDOS Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA PB TOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL

Leia mais

Transferência da UHE Estreito para a Tractebel Energia

Transferência da UHE Estreito para a Tractebel Energia Transferência da UHE Estreito para a Tractebel Energia Conference Call 221 de dezembro de 2009 Aviso importante Este material pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados

Leia mais

RESULTADOS E DESEMPENHO ANUAL DE 2014

RESULTADOS E DESEMPENHO ANUAL DE 2014 24 de fevereiro de 2015 RESULTADOS E DESEMPENHO ANUAL DE 2014 Resultados Econômico-Financeiros (R$ milhões) 2014 2013 Variação (1) Variação % Receita Bruta 6.467,2 4.817,4 1.649,8 34,2% Receita Líquida

Leia mais

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 05 de Outubro de 2015 ECONOMIA INTERNACIONAL: TAXAS DE JUROS DE

Leia mais

Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008

Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008 Apresentação Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008 Participantes Jorge Cury - Diretor Presidente Marco Mattar - Diretor Vice Presidente Financeiro e Diretor Técnico Rebeca Ouro-Preto - Diretora de Relações

Leia mais

O Legado da Crise Hídrica

O Legado da Crise Hídrica O Legado da Crise Hídrica José Bonifácio de Sousa Amaral Filho Diretor de Regulação Econômico-Financeira e Mercados ARSESP Departamento de Infraestrutura - FIESP São Paulo, 30 de junho de 2016 1 Agência

Leia mais