ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS"

Transcrição

1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO DE INTERIORES Maio / 2004 GEPEA/EPUSP GRUPO DE ENERGIA DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ENERGIA E AUTOMAÇÃO ELÉTRICAS DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Av. Prof. Luciano Gualberto, trav. 3, nº 158, sala A2-43 Cidade Universitária Butantã São Paulo SP CEP FUSP FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Av. Afrânio Peixoto, 14 Butantã São Paulo SP CEP

2 ÍNDICE 1. OBJETIVO LÂMPADAS LÂMPADA FLUORESCENTE COMPACTA ELETRÔNICA PARA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADA INCANDESCENTE DE 100W/127V LÂMPADA FLUORESCENTE COMPACTA ELETRÔNICA PARA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADA INCANDESCENTE DE 100W/220V LÂMPADA FLUORESCENTE TUBULAR DE 32W LÂMPADA FLUORESCENTE TUBULAR DE 16W REATORES REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X16W/127V REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X16W/220V REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X32W/127V REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X32W/220V REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X16W/127V REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X16W/220V REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X32W/127V REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X32W/220V

3 1. OBJETIVO Este relatório tem por objetivo apresentar as especificações técnicas de lâmpadas e reatores eficientes recomendadas para uso nas instalações da Prefeitura Municipal de São Paulo, com a finalidade de ampliar a eficiência no uso da energia elétrica dentro do escopo de atividades do Programa Municipal de Gestão Energética. Além dos requisitos específicos apontados para cada tipo de equipamento, estes deverão atender as normas técnicas da ABNT. Para lâmpadas fluorescentes tubulares: NBR IEC 60081:1997 Lâmpadas fluorescentes tubulares para iluminação geral. Para reatores eletrônicos: NBR 14417:1999 Reatores eletrônicos alimentados em corrente alternada para lâmpadas fluorescentes tubulares Prescrições gerais e de segurança; NBR 14418:1999 Reatores eletrônicos alimentados em corrente alternada para lâmpadas fluorescentes tubulares Prescrições de desempenho. 3

4 2. LÂMPADAS As lâmpadas especificadas a seguir deverão ser utilizadas para substituição de lâmpadas incandescentes de 100W em tensões de alimentação 110V, 127V e 220V e lâmpadas fluorescentes tubulares convencionais de 20W e 40W LÂMPADA FLUORESCENTE COMPACTA ELETRÔNICA PARA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADA INCANDESCENTE DE 100W, 110V OU 127V Tipo: fluorescente compacta com reator integrado à base; Tensão nominal de alimentação: 127V; Potência: 20W a 24W; Fluxo luminoso: igual ou superior a 1400 lumens; Temperatura de cor: superior ou igual a 2700K; Índice de Reprodução de Cor: igual ou superior a 75%; Bulbo: T-4; Base: E-27; Tipo de pó: trifósforo; Vida nominal: igual ou superior a 8000 horas; Garantia mínima: 1 (um) ano; Deverá ser apresentado Selo Procel Inmetro de Desempenho em Iluminação. Philips PL-Electronic-T Daylight 23W; GE Triple Biax 24W; Osram Dulux EL Longlife 23W/21/840; Westinghouse Westinghouse 20W-2700K. 4

5 2.2. LÂMPADA FLUORESCENTE COMPACTA ELETRÔNICA PARA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADA INCANDESCENTE DE 100W, 220V Tipo: fluorescente compacta com reator integrado à base; Tensão nominal de alimentação: 220V; Potência: 23W a 26W; Fluxo luminoso: igual ou superior a 1350 lumens; Temperatura de cor: superior ou igual a 2700K; Índice de Reprodução de Cor: igual ou superior a 75%; Bulbo: T-4; Base: E-27; Tipo de pó: trifósforo; Vida nominal: igual ou superior a 8000 horas; Garantia mínima: 1 (um) ano; Deverá ser apresentado Selo Procel Inmetro de Desempenho em Iluminação. Philips PL-Electronic-T Daylight 23W; GE Triple Biax 23W; Osram Dulux EL Longlife 23W/21-840; Sylvania Mini Lynx 25W. 5

6 2.3. LÂMPADA FLUORESCENTE TUBULAR DE 32W Tipo: tubular; Potência: 32W; Fluxo luminoso: igual ou superior a 2700 lumens; Temperatura de cor: 4000K a 4100K; Índice de Reprodução de Cor: igual ou superior a 85%; Bulbo: T-8 (26 mm); Comprimento: 1,20 m; Base: G13 bipino; Tipo de pó: trifósforo; Vida nominal: igual ou superior a 7500 horas; Garantia mínima: 1 (um) ano. GE Modelo F32T8/SPX41; Sylvania Modelo Octron 32W Designer 4100; Osram Modelo FO32/21-840; Philips Modelo TLDRS32W-S

7 2.4. LÂMPADA FLUORESCENTE TUBULAR DE 16W Tipo: tubular; Potência: 16W; Fluxo luminoso: igual ou superior a 1200 lumens; Temperatura de cor: 4000K a 4100K; Índice de reprodução de cor: igual ou superior a 85%; Bulbo: T-8 (26 mm); Comprimento: 0,60 m; Base: G13 bipino; Tipo de pó: trifósforo; Vida nominal: igual ou superior a 7500 horas; Garantia mínima: 1 (um) ano. Sylvania Modelo Octron 16W Designer 4000; Osram Modelo FO16/21-840; Philips Modelo TLDRS16W-S

8 3. Reatores As especificações técnicas visam à seleção de equipamentos com alta eficiência energética e requisitos de desempenho adequados às instalações elétricas. Desta forma, são considerados adequados reatores com menores distorções harmônicas e elevados fatores de potência e de fluxo luminoso. Em função da existência de uma considerável variação de potências totais e fatores de fluxo luminoso para reatores de uma mesma configuração, foi considerado como critério de eficiência energética o fator de eficácia do reator. Este fator é geralmente informado pelo fabricante no corpo do reator ou em seu respectivo catálogo, porém, caso não esteja informado, pode ser calculado pelo quociente entre o fator de fluxo luminoso expresso em porcentagem pela potência total do conjunto (reator + lâmpada). Verifica-se, atualmente, a descontinuidade de fabricação de muitos reatores eletrônicos em decorrência da efetivação de nova normalização. Muitos reatores tiveram características alteradas ou passam por reformulações de projetos, visando atender os requisitos de segurança e desempenho estabelecidos nas normas NBR e NBR Por esse motivo, como os equipamentos estão passando por transformações e novas tecnologias vêm sendo incorporadas, recomendam-se revisões periódicas destas especificações. 8

9 3.1. REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X16W/127V Configuração: 1x16W; Tensão de alimentação: 127V; Fator de fluxo luminoso: maior ou igual a 0,96; Fator de potência: maior ou igual a 0,97; Distorção harmônica: menor ou igual a 10 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 5,55; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos. Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips Modelo ES16A16; Helfont HRS 161; Intral POUP-AFP 1x16/127/

10 3.2. REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X16W/220V Configuração: 1x16W; Tensão de alimentação: 220V; Fator de fluxo luminoso: maior ou igual a 1,0; Fator de potência: maior ou igual a 0,97; Distorção harmônica: menor ou igual a 20 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 5,26; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos. Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips Modelo ES16A26; Helfont HRS 162; Intral POUP-AFP 1x16/220/50-60; Osram QTIS-B 1x18/

11 3.3. REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X32W/127V Configuração: 1x32W; Tensão de alimentação: 127V; Fator de fluxo luminoso: maior ou igual a 1,0; Fator de potência: maior ou igual a 0,97; Distorção harmônica: menor ou igual a 10 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 2,85; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos. Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips Modelo ES32A16; Helfont HRS 321; Intral POUP-AFP 1x32/127/50-60; Osram QTIS-S 2x32W/127V. 11

12 3.4. REATOR ELETRÔNICO SIMPLES 1X32W/220V Configuração: 1x32W; Tensão de alimentação: 220V; Fator de fluxo luminoso: maior ou igual a 1,0; Fator de potência: maior ou igual a 0,95; Distorção harmônica: menor ou igual a 10 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 2,9; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea ; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos; Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips Modelo ES32A26; Helfont HRS 322; Osram QTIS-B 1x36/ ; Osram QTIS-S 2x32/127V. 12

13 3.5. REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X16W/127V Configuração: 2x16W; Tensão de alimentação: 127V; Fator de fluxo luminoso: maior ou igual a 0,96; Fator de potência: maior ou igual a 0,97; Distorção harmônica: menor ou igual a 10 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 2,70; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea ; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos. Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips Modelo ED16A16; Helfont HRD 161; Intral POUP-AFP 2x16/127/50-60; Osram QTIS-S 2x16/127V. 13

14 3.6. REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X16W/220V Configuração: 2x16W; Tensão de alimentação: 220V; Fator de fluxo luminoso: maior ou igual a 0,93; Fator de potência: maior ou igual a 0,98; Distorção harmônica: menor ou igual a 15 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 2,50; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos. Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips Modelo ED16A26; Helfont HRD 162; Intral RIS P; Osram QTIS-B 2x18W/ ; Osram QTIS-S 2x16/220V. 14

15 3.7. REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X32W/127V Configuração: 2x32W; Tensão de alimentação: 127V; Fator de fluxo luminoso: igual ou superior a 1,0; Fator de potência: maior ou igual a 0,97; Distorção harmônica: menor ou igual a 10 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 1,49; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos. Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips Modelo ED32A16; Helfont HRD 321; Intral POUP-AFP 2x32/127/50-60; Osram QTIS-S 2x32W/127V. 15

16 3.8. REATOR ELETRÔNICO DUPLO 2X32W/220V Configuração: 2x32W; Tensão de alimentação: 220V; Fator de fluxo luminoso: maior ou igual a 1,0; Fator de potência: maior ou igual a 0,97; Distorção harmônica: menor ou igual a 10 por cento; Fator de eficácia do reator: maior ou igual a 1,52; Freqüência de rede: 60 Hz; Freqüência de alimentação: 20 khz a 50 khz; Partida: Rápida, Ultra rápida ou Instantânea; Fator de crista de corrente: menor que 1,7; Temperatura máxima de carcaça: igual a 65ºC; Corpo do reator em material metálico; Vida útil: superior ou igual a horas; Garantia mínima: 2 (dois) anos. Os reatores não deverão ser bivolt ou multivolt e deverão possuir certificação do Inmetro. Philips ED32A26; Helfont HPD 322; Helfont HRD 322; Intral RIS ; Osram QTIS-B 2x36W/

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

Fluorescente Tubular T5

Fluorescente Tubular T5 Ampla e extensa gama de lâmpadas de alta eficiência, em diversos comprimentos, diâmetros e potências.excelente reprodução de cores, alto fluxo luminoso, melhor rendimento e vida mediana de até 24.000 horas,

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO.

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO. CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM REATOR INTEGRADO Revisão I 04/10/2006 ELETROBRÁS/PROCEL DPS DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ESTUDOS

Leia mais

e) ABNT NBR IEC Luminárias - Parte 1: Requisitos gerais e ensaios;

e) ABNT NBR IEC Luminárias - Parte 1: Requisitos gerais e ensaios; MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0084 REATOR ELETRÔNICO PARA LÂMPADA

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM O Inversor de Emergência SLIM trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação

Leia mais

Avaliação de Alternativas à Lâmpada Incandescente (de 60W) Prof. Henrique A. C. Braga, Dr. Eng.

Avaliação de Alternativas à Lâmpada Incandescente (de 60W) Prof. Henrique A. C. Braga, Dr. Eng. Avaliação de Alternativas à Lâmpada Incandescente (de 60W) Prof. Henrique A. C. Braga, Dr. Eng. Por que a lâmpada Incandescente? Fonte: Revista Potência, n o 111, março2015, pg. 23. 2 Por que a Lâmpada

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA QUE DEFINE OS NÍVEIS MÍNIMOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO DO PRODUTO Art. 1 o Os equipamentos objeto desta regulamentação

Leia mais

ETME 01. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS PARA EFICIENTIZAÇÃO Revisão, 12/05/2015

ETME 01. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS PARA EFICIENTIZAÇÃO Revisão, 12/05/2015 ETME 01 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS PARA EFICIENTIZAÇÃO Revisão, 12/05/2015 SUMÁRIO 1.1 OBJETIVO... 4 1.2 NORMAS RECOMENDADAS... 4 1.3 UNIDADES DE MEDIDA... 4 1.4 IDIOMA... 5 1.5 GARANTIAS QUANTO

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA

INVERSOR DE EMERGÊNCIA INVERSOR DE EMERGÊNCIA O Inversor de Emergência trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação normal e emergência.

Leia mais

Introdução. A iluminação é responsável por: 23% do consumo de energia elétrica no setor residencial. 44% no setor comercial. 1% no setor industrial

Introdução. A iluminação é responsável por: 23% do consumo de energia elétrica no setor residencial. 44% no setor comercial. 1% no setor industrial Iluminação 1 Introdução A iluminação é responsável por: 23% do consumo de energia elétrica no setor residencial 44% no setor comercial 1% no setor industrial Iluminação pública é responsável por cerca

Leia mais

1 / 10 Tel: +55 (19) LED Planet Importadora LED Tubes ou Tubular T8

1 / 10 Tel: +55 (19) LED Planet Importadora LED Tubes ou Tubular T8 http://www.ledplanet.com.br/ 1 / 10 LED Planet Importadora LED Tubes ou Tubular T8 Especificação LED Tube T8 600mm 10W - Mod. LP-T8010 Equivalente a fluorescente convencional 600mm 16W ou 20W Parâmetro

Leia mais

HE ES 25 W/865. Ficha técnica do produto

HE ES 25 W/865. Ficha técnica do produto HE ES 25 W/865 LUMILUX T5 HE ES Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, elevada eficiência, economia de energia, com casquilho G5 Aŕeas de aplicação _ Prédios públicos _ Escritórios _ Lojas _ Supermercados

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - LÂMPADAS LUORESCENTES COMPACTAS, COM REATOR INTEGRADO, CONTEMPLADOS PELA. Portaria Inmetro 289/ Código 3383

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - LÂMPADAS LUORESCENTES COMPACTAS, COM REATOR INTEGRADO, CONTEMPLADOS PELA. Portaria Inmetro 289/ Código 3383 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL N o, DE DE DE 2005.

PORTARIA INTERMINISTERIAL N o, DE DE DE 2005. PORTARIA INTERMINISTERIAL N o, DE DE DE 2005. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, E DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR, no uso da atribuição que lhes confere

Leia mais

Lâmpadas fluorescentes tubulares e circulares

Lâmpadas fluorescentes tubulares e circulares LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES E CIRCULARES Lâmpadas fluorescentes tubulares e circulares As lâmpadas fluorescentes produzem mais de 70% da luz artificial em todo o mundo. Proporcionam excelente economia

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA ANEXO 01

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA ANEXO 01 REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA LUMINOTÉCNICO ANEXO 01 Responsabilidade e compromisso com o meio Ambiente SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO E OBJETIVO... 4 2. NORMALIZAÇÃO... 4 3. COMENTÁRIOS LUMINOTÉCNICOS:...

Leia mais

Sérgio Ferreira de Paula Silva

Sérgio Ferreira de Paula Silva Instalações Elétricas 1 Projeto de Instalações Elétricas Projetar uma instalação elétrica para qualquer tipo de prédio ou local consiste essencialmente em selecionar, dimensionar e localizar, de maneira

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS LED COM DISPOSITIVO DE CONTROLE INTEGRADO À BASE

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS LED COM DISPOSITIVO DE CONTROLE INTEGRADO À BASE CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A LÂMPADAS LED COM DISPOSITIVO DE CONTROLE INTEGRADO À BASE (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

OSRAM DULUX D/E. Ficha técnica da família de produto. Fluorescentes compactas de dois tubos, base com 4 pinos para a operação com reator eletrônico

OSRAM DULUX D/E. Ficha técnica da família de produto. Fluorescentes compactas de dois tubos, base com 4 pinos para a operação com reator eletrônico OSRAM DULUX D/E Fluorescentes compactas de dois tubos, base com 4 pinos para a operação com reator eletrônico _ Escritórios, prédios públicos _ Hotéis, restaurantes _ Extremamente econômica _ Boa qualidade

Leia mais

MANUAL. Qualidade DO REATOR. DEMAPE Reatores para Iluminação Tel.: 55 (11) Fax.: 55 (11)

MANUAL. Qualidade DO REATOR.  DEMAPE Reatores para Iluminação Tel.: 55 (11) Fax.: 55 (11) Qualidade A DEMAPE oferece produtos e serviços com excelente qualidade, contínuo processo de melhoria e certificações de acordo com o INMETRO. MANUAL DO REATOR Segredo da qualidade Equipamentos, pesquisas,

Leia mais

SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES

SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA REATORES ELETRÔNICOS PARA LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL PARA REATORES ELETRÔNICOS LÂMPADAS TUBULARES SUMÁRIO 1 INFORMAÇÕES GERAIS... 2 2 PROCESSO DE CONCESSÃO DO SELO PROCEL... 3 3 SUSPENSÃO DA AUTORIZAÇÃO... 5 4

Leia mais

Catálogo de Lâmpadas de LED Ano: 2012

Catálogo de Lâmpadas de LED Ano: 2012 Catálogo de Lâmpadas de LED V.2012.C06 Iluminação LED O mercado de iluminação está passando por mais uma revolução no que se refere à forma de emissão da luz elétrica, possibilitando novas aplicações e

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETROMAGNÉTICOS PARA LÂMPADAS A VAPOR DE SÓDIO

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETROMAGNÉTICOS PARA LÂMPADAS A VAPOR DE SÓDIO CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A REATORES ELETROMAGNÉTICOS PARA LÂMPADAS A VAPOR DE SÓDIO (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA

Leia mais

DULUX L 18 W/840 2G11

DULUX L 18 W/840 2G11 DULUX L 18 W/840 2G11 OSRAM DULUX L LUMILUX Fluorescentes compactas base 2G11 com 4 pinos para a operação com reator eletrônico / eletromagnético Aŕeas de aplicação Escritórios, prédios públicos Lojas

Leia mais

Págs. 1 / 2. Págs. 3 / 4. Págs. 5 / 6. Págs. 9 / 10. Págs. 11 / 12 T-12 HO T-12 T-8 T-5

Págs. 1 / 2. Págs. 3 / 4. Págs. 5 / 6. Págs. 9 / 10. Págs. 11 / 12 T-12 HO T-12 T-8 T-5 lâmpadas Índice 2 3 5 7 Págs. / 2 3 Págs. 3 / T HO T T5 Págs. 5 / 5 2 3 7 Págs. / 2 3 5 7 Págs. / 2 3 5 7 3 5 W W W W W W W W 0W 0W A A A A A A A A A2 A2 A2 A2 230 2 5 5..3 2.5 2. 3.5 3.00 Potência Bulbo

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA INTERMINISTERIAL N o 132, DE 12 DE JUNHO DE 2006. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, E DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria.

Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria. DESCRIÇÃO Luminária de emergência a led de alta potência substitui outras luminárias de emergência a led de baixa eficiência e baixa durabilidade da bateria. APLICAÇÕES Indicada para todas as áreas prediais,

Leia mais

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA

DEPARTAMENTO GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Departamento de Apoio Operacional TERMO DE REFERÊNCIA Aquisição de Material de Elétrica com ENTREGA PARCELADA conforme especificação, para uso da Divisão de Manutenção Predial para utilização na nova sede da SEFAZ. 1. DO OBJETO: Aquisição de material de Elétrica

Leia mais

ILUMINAÇÃO CONCEITOS EQUIPAMENTOS COMPONENTES ESTUDO DE CASO. Prof. Eng. Antonio Gebara José. Ir p/ primeira página

ILUMINAÇÃO CONCEITOS EQUIPAMENTOS COMPONENTES ESTUDO DE CASO. Prof. Eng. Antonio Gebara José. Ir p/ primeira página CONCEITOS EQUIPAMENTOS COMPONENTES ESTUDO DE CASO Prof. Eng. Antonio Gebara José CONCEITO DE CONFORTO (reposta fisiológica a estímulos ambientais) Luz = LUX Ruído = db(a) Temperatura = o C Umidade Relativa

Leia mais

Reatores. A importância do equipamento auxiliar. Da Redação PROJETO ARQUITETÔNICO, DESIGN DE LUMINÁRIAS,

Reatores. A importância do equipamento auxiliar. Da Redação PROJETO ARQUITETÔNICO, DESIGN DE LUMINÁRIAS, a u l a r á p i d a Foto: Getty Center - Los Angeles / Divulgação Lutron Reatores Da Redação A importância do equipamento auxiliar PROJETO ARQUITETÔNICO, DESIGN DE LUMINÁRIAS, luz direta, luz indireta

Leia mais

DESCRIÇÃO - MATERIAL ELÉTRICO Atualizado em 19/12/2013 ITEM UNID. DESCRIÇÃO

DESCRIÇÃO - MATERIAL ELÉTRICO Atualizado em 19/12/2013 ITEM UNID. DESCRIÇÃO DESCRIÇÃO - MATERIAL ELÉTRICO Atualizado em 19/12/2013 ITEM UNID. DESCRIÇÃO 1. UN Abraçadeira em aço carbono tipo U. Bitolas 3/8, ½, ¾, 1, 1 ¼, 1 ½ ou 2. Fabricada em aço carbono, recebe acabamento galvanizado

Leia mais

Linha Master Plus MASTER PLUS. MULTITENSÃO: de 100V a 249V. Energia Elétrica. Energia Elétrica. Características Técnicas

Linha Master Plus MASTER PLUS. MULTITENSÃO: de 100V a 249V.  Energia Elétrica. Energia Elétrica. Características Técnicas reatores Linha Master Plus Linha Master Plus de reatores eletrônicos é composta por produtos de alta qualidade e tecnologia. Sua aplicação contribui para uma instalação elétrica de alta qualidade devido

Leia mais

OSRAM DULUX D/E Fluorescentes compactas de dois tubos, base com 4 pinos para a operação com reator eletrônico

OSRAM DULUX D/E Fluorescentes compactas de dois tubos, base com 4 pinos para a operação com reator eletrônico DULUX D/E 26 OSRAM DULUX D/E Fluorescentes compactas de dois tubos, base com 4 pinos para a operação com reator eletrônico Aŕeas de aplicação Escritórios, prédios públicos Lojas Supermercados e lojas de

Leia mais

catálogo de lâmpadas

catálogo de lâmpadas catálogo de lâmpadas uma ideia ligada em você LÂMPADAS LORENZETTI Acreditamos que a inovação das grandes ideias pode contribuir para um mundo sustentável. Para nós uma mudança simples de atitude aumenta

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos Missão Proporcionar soluções eficientes e de alta qualidade em iluminação, buscando a excelência no atendimento, inovação constante de nossos produtos, superando assim as expectativas

Leia mais

Planejamento e projeto das instalações elétricas

Planejamento e projeto das instalações elétricas Planejamento e projeto das instalações elétricas 1) A energia elétrica fornecida aos consumidores residenciais é resultado da conexão do consumidor com: a) Sistema elétrico de geração; b) Sistema de compatibilidade

Leia mais

HE 14 W/865. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HE Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alta eficiência

HE 14 W/865. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HE Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alta eficiência HE 14 W/865 LUMILUX T5 HE Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alta eficiência Aŕeas de aplicação _ Prédios públicos _ Escritórios _ Lojas _ Supermercados e lojas de departamentos _ Indústria

Leia mais

Trabalho da Disciplina de Expressão Gráfica e Projetos Elétricos

Trabalho da Disciplina de Expressão Gráfica e Projetos Elétricos Trabalho da Disciplina de Expressão Gráfica e Projetos Elétricos Luminotécnica (Lâmpadas e Luminárias) Edcarlos Nunes Patrícia Lins Raphael Leite Thiago Santos 18/09/2011 1 Sumário Cálculo Luminotécnico:

Leia mais

SÉRIE LÂMPADAS LED TUBULARES

SÉRIE LÂMPADAS LED TUBULARES A lâmpada tubular de LED AOD é um semicondutor de iluminação ecologicamente correto que possui uma série de vantagens sobre as lâmpadas tubulares convencionais, tais como, não piscam ao acender, luz suave

Leia mais

MÉTODOS DE CÁLCULO DE ILUMINAÇÃO

MÉTODOS DE CÁLCULO DE ILUMINAÇÃO MÉTODOS DE CÁLCULO DE ILUMINAÇÃO Pode-se determinar o número de luminárias necessárias para produzir determinado iluminamento, das seguintes maneiras: 1ª Pela carga mínima exigida por normas; 2ª Pelo método

Leia mais

Lâmpadas Tubulares de LED

Lâmpadas Tubulares de LED Catálogo Lâmpadas Tubulares de LED Aplicações: Lojas, Escritórios, Farmácias, Hospitais, Escolas, Hotéis, Bancos, Shopping Centers, Supermercados, Armazéns, entre outros. Benefícios: Economiza até 60%

Leia mais

AQUALED 2. LUXPOINT e LUXOPTIM Iluminação de alta performance e baixo consumo de energia. Luz é OSRAM.

AQUALED 2. LUXPOINT e LUXOPTIM Iluminação de alta performance e baixo consumo de energia. Luz é OSRAM. www.osram.com.br LUXPOINT e LUXOPTIM Iluminação de alta performance e baixo consumo de energia AQUALED 2 Segurança e visibilidade. Luminárias de LED para embutir em pisos e paredes. Luz é OSRAM LUXPOINT

Leia mais

CATÁLOGO ELÉTRICO. (Lâmpadas e Reatores) UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO

CATÁLOGO ELÉTRICO. (Lâmpadas e Reatores) UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE ORÇAMENTOS E FINANÇAS COORDENADORIA DE SUPRIMENTOS CATÁLOGO ELÉTRICO (Lâmpadas e Reatores) OURO PRETO FEVEREIRO

Leia mais

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED Sumário 1 OBJETIVO 2 2 DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3 DEFINIÇÃO 3 4 REQUISITOS ESPECÍFICOS 5 5 DOCUMENTAÇÃO 9 6 GARANTIA 11 Superintendência de Engenharia de Sinalização - SSI Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

TASCO. 28º Edição. anos Desde Catálogo Geral Acessórios para Montagens Mecânicas e Eletroeletrônicas.

TASCO. 28º Edição. anos Desde Catálogo Geral Acessórios para Montagens Mecânicas e Eletroeletrônicas. Catálogo Geral - 2011 TASCO Acessórios para Montagens Mecânicas e Eletroeletrônicas 28º Edição TASCO LTDA 30 anos Desde 1980 Referência de Mercado www.tascoltda.com.br Mecânico: Fechos Lingueta Fechos

Leia mais

QUADRO DE VENCEDOR LOTE 01

QUADRO DE VENCEDOR LOTE 01 EDIMAQ QUADRO DE VENCEDOR EDIMAQ DIST. E IMPORT. DE MÁQUINAS LTDA CNPJ: 04.774.824/0001-70 AV. NAÇÕES UNIDAS 1609, ROQUE PORTO VELHO TELEFONE/FAX: (69) 3211-8300 licitacao@edimaq.com Igor Brasil Moura

Leia mais

Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas Fluorescentes Tubulares e Compactas 2 pinos

Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas Fluorescentes Tubulares e Compactas 2 pinos Reatores Eletromagnéticos para s Fluorescentes Tubulares e Compactas 2 pinos Com baixas perdas. Longa durabilidade. Leves e compactos. Baixo nível de ruído e, em sua categoria, são os de menor peso e dimensões.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 78099

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 78099 INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE Av. Prof. Luciano Gualberto, 1289 Cidade Universitária Butantã CEP 05508-010 São Paulo SP BRASIL www.iee.usp.br CNPJ: 63.025.530/0042-82 Inscrição Estadual: isento 1 de

Leia mais

Soluções OSRAM para Iluminação pública O melhor cartão postal da sua cidade: Segurança, qualidade e economia Luz é OSRAM

Soluções OSRAM para Iluminação pública O melhor cartão postal da sua cidade: Segurança, qualidade e economia Luz é OSRAM www.osram.com.br Soluções OSRAM para Iluminação pública O melhor cartão postal da sua cidade: Segurança, qualidade e economia Luz é OSRAM LED Street Light Eficiente e compacta A luminária LUXVANCE LED

Leia mais

DECRETO Nº , DE 18 DE JANEIRO DE 2012.

DECRETO Nº , DE 18 DE JANEIRO DE 2012. DECRETO Nº 17.628, DE 18 DE JANEIRO DE 2012. Regulamenta a Lei nº 11.096, de 11 de julho de 2011, estabelecendo a padronização dos materiais a serem utilizados na implantação e manutenção da iluminação

Leia mais

HO 54 W/865. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HO Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alto rendimento

HO 54 W/865. Ficha técnica do produto. LUMILUX T5 HO Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alto rendimento HO 54 W/865 LUMILUX T5 HO Lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 mm, de alto rendimento Aŕeas de aplicação _ Indústria _ Prédios públicos _ Escritórios _ Túneis, passarelas subterrâneas _ Estacionamentos

Leia mais

Iluminação Econômica

Iluminação Econômica a u l a r á p i d a Iluminação Econômica Por Mauri Luiz da Silva Conforto e eficiência com lâmpadas compactas Fotos: Divulgação Osram ATUALMENTE SÃO MUITAS AS ALTERNATIVAS para uma iluminação que seja

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 17:39 horas do dia 22 de maio de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Curvelo, designado pela portaria 7446 após analise da documentação do Pregão Eletrônico 029/2012,

Leia mais

LINHA SLIM LIGHT V h IRC 70. Vida. Multi Tensão

LINHA SLIM LIGHT V h IRC 70. Vida. Multi Tensão LED LUMINÁRIAS 06 Catálogo de Produtos LUMINÁRIAS DE EMBUTIR LINHA SLIM LIGHT 0-240 V 25.000h 1 Ângulo de Abertura Drivers independentes, proporcionando maior segurança e exibilidade Multi-tensão Design

Leia mais

São produtos que encantam pela sofisticação, durabilidade e eficiência energética. Eklart, iluminar para encantar.

São produtos que encantam pela sofisticação, durabilidade e eficiência energética. Eklart, iluminar para encantar. Nesse catálogo você terá acesso a informações técnicas sobre os produtos EKLART. Produzimos soluções energéticas de alta qualidade e valorizamos tanto os nossos produtos que os consideramos jóias. São

Leia mais

ITEM QUANT UNID DISCRIMINAÇÃO MARCA

ITEM QUANT UNID DISCRIMINAÇÃO MARCA MODALIDADE MAPA DE ADJUDICAÇÃO Elaborado em 04 de Abril de 2016 ( ) PREGÃO PRESENCIAL Nº /2016 ( ) INEXIGÍVEL LICITAÇÃO, ART. 25 INC. ( ) DISPENSA DE LICITAÇÃO ART. 24 INC. II ( ) CONVITE Nº /2016 (X)

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 78100

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE RELATÓRIO DE ENSAIO Nº 78100 INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE Av. Prof. Luciano Gualberto, 1289 Cidade Universitária Butantã CEP 05508-010 São Paulo SP BRASIL www.iee.usp.br CNPJ: 63.025.530/0042-82 Inscrição Estadual: isento 1 de

Leia mais

OS VALORES DESTA PROPOSTA NÃO CONTEMPLAM IPI

OS VALORES DESTA PROPOSTA NÃO CONTEMPLAM IPI CURITIBA, 22 de outubro de 2012. A(o) ROSSI ENGENHARIA FONE: (65) 9602 9198 REPRESENTANTE: MARCELO A/C. ENGº RONALDO FAX: ORÇAMENTO N.º 08.06.12 - A Obra 16:30:13 PREZADOS SENHORES: CONFORME VOSSA SOLICITAÇÃO,

Leia mais

Avanços Tecnológicos e Experiências de Sucesso em Iluminação

Avanços Tecnológicos e Experiências de Sucesso em Iluminação Avanços Tecnológicos e Experiências de Sucesso em Iluminação Abilux Associação Brasileira da Indusria de Iluminação Fórum ANEEL, Brasília 28 de Maio de 2015 Avanços Tecnológicos e Experiências de Sucesso

Leia mais

LED Cleanroom higiene e eficiência

LED Cleanroom higiene e eficiência Lighting LED Cleanroom higiene e eficiência As instalações com necessidades higiénicas elevadas necessitam de luminárias especiais com IP65, fáceis de limpar e isentas de pó, que cumpram todos os requisitos

Leia mais

ARC 600 & 1200 LÂMPADA LED PARA ÁREAS CLASSIFICADAS

ARC 600 & 1200 LÂMPADA LED PARA ÁREAS CLASSIFICADAS ARC 600 & 1200 LÂMPADA LED PARA ÁREAS CLASSIFICADAS Autor: Barel AS Rev 8 Data: 14/01/2016 Barel AS 9917 Kirkenes Noruega www.barel.no ÍNDICE: 1 APLICAÇÕES... 2 2 APROVAÇÕES... 2 3 DADOS TÉCNICOS... 3

Leia mais

QUERETARO TECNOLOGIA INDUÇÃO MAGNÉTICA LÂMPADAS E LUMINÁRIAS

QUERETARO TECNOLOGIA INDUÇÃO MAGNÉTICA LÂMPADAS E LUMINÁRIAS INDUÇÃO MAGNÉTICA LÂMPADAS E LUMINÁRIAS CATÁLOGO 2014 1. Lâmpadas (Single) Série Vênus Voltagem: 120/220/277, 12/24 Temperatura de Cor: 2700/300/4000/000/600K Índice de Reprodução de Cor: IRC >80 (Ra)

Leia mais

CATÁLOGO TOTAL LED PRODUTOS PRINCIPAIS

CATÁLOGO TOTAL LED PRODUTOS PRINCIPAIS CATÁLOGO TOTAL LED PRODUTOS PRINCIPAIS LÂMPADA AR 70 DE LED Potência(W) = 7 w Voltagem = BIVOLT Ângulo de Iluminação = 24 Fluxo Luminoso = 480 LÚMENS Temperatura de Cor = 3000 K Temperatura de Funcionamento

Leia mais

LOTE 2 VALOR TOTAL GLOBAL PARA O LOTE ,00 ITEM 7 - ARAUCÁRIA VALOR TOTAL PARA O ITEM ,00

LOTE 2 VALOR TOTAL GLOBAL PARA O LOTE ,00 ITEM 7 - ARAUCÁRIA VALOR TOTAL PARA O ITEM ,00 .4 Recomposição da parede onde estavam instalados os aparelhos de ar condicionado tipo janeleiro. 7 un. 36,3 36,3 7,9 7,9 - O aparelho deverá ser instalado na parte interna da porta de vidro principal

Leia mais

Chamada Pública de Projetos

Chamada Pública de Projetos Chamada Pública de Projetos Eficiência Energética Coordenação de Usos Finais de Energia Diretoria de Clientes Públicos 02/2016 Uma das maiores empresas globaisde energia Presente em 18 países(quatro continentes)

Leia mais

Lâmpadas fluorescentes compactas

Lâmpadas fluorescentes compactas LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS Lâmpadas fluorescentes compactas Mais luz, menor consumo e design três boas razões para optar pelas lâmpadas fluorescentes compactas da OSRAM. Elas consomem muito menos

Leia mais

VISÃO DE MERCADO São Paulo, 09 de abril 2013

VISÃO DE MERCADO São Paulo, 09 de abril 2013 Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica VISÃO DE MERCADO São Paulo, 09 de abril 2013 TECNOLOGIA MACROECONOMIA LED ILUMINAÇÃO MICROECONOMIA REGULAÇÃO 2 Conceitos: Led iluminação é um componente

Leia mais

Iluminação LED e Projetos Luminotécnicos

Iluminação LED e Projetos Luminotécnicos Iluminação LED e Projetos Luminotécnicos LEOX Soluções em LED Quem Somos A Leox Soluções em LED é uma empresa de origem brasileira, nascida da devoção e espírito empreendedor de seus fundadores. Com o

Leia mais

Técnica Industrial Oswaldo Filizola Ltda. Manual de Instruções Máquina Universal de Ensaios mod. CME. rev. maio/11

Técnica Industrial Oswaldo Filizola Ltda. Manual de Instruções Máquina Universal de Ensaios mod. CME. rev. maio/11 Técnica Industrial Oswaldo Filizola Ltda. Manual de Instruções Máquina Universal de Ensaios mod. CME Índice Introdução... 3 Instalação... 3 Descrição da máquina... 4 Manutenção... 6 Manutenções programadas...

Leia mais

EFICIÊNCIA ALTA QUALIDADE

EFICIÊNCIA ALTA QUALIDADE CATÁLOGO 2016 Catálogo OL ILUMINAÇÃO EFICIÊNCIA ALTA QUALIDADE Ol iluminação, uma empresa que garante e atesta a qualidade de seus produtos para seu consumidor. Contando com a sua larga experiência tecnológica

Leia mais

Os LEDs na iluminação e a suas vulnerabilidades

Os LEDs na iluminação e a suas vulnerabilidades Os LEDs na iluminação e a suas vulnerabilidades Diodos emissores de luz mais eficientes em termos energéticos estão a tornarse rapidamente a solução de iluminação preferida em todo o mundo. As lâmpadas

Leia mais

Figura 1 - Reator Eletromagnético Partida Convencional ou Rápida para Lâmpada Fluorescente - T8 / T10 / T 12

Figura 1 - Reator Eletromagnético Partida Convencional ou Rápida para Lâmpada Fluorescente - T8 / T10 / T 12 Fundada em 1974, a Keiko do Brasil Ind. e Com. Ltda está situada na cida Taboão da Serra SP em uma área construída 6.600 m². A Keiko do Brasil tem a satisfação fornecer para seus clientes, Reatores Eletromagnético,

Leia mais

Lâmpada TUBO LED HO Por que a lâmpada tubo led HO Intral têm qualidade superior?

Lâmpada TUBO LED HO Por que a lâmpada tubo led HO Intral têm qualidade superior? Fabricado no Brasil Lâmpada TUBO LED HO Por que a lâmpada tubo led HO Intral têm qualidade superior? As lâmpadas tuboled HO são indicadas para uso profissional, comercial e industrial. Construídas com

Leia mais

SmartBalance encastrado alia ao desempenho um design inteligente

SmartBalance encastrado alia ao desempenho um design inteligente Lighting SmartBalance encastrado alia ao desempenho um design inteligente A maior parte das pessoas procura aplicar luminárias encastradas com uma superfície de luz, como alternativa às soluções de tipo

Leia mais

Série 15 - Relé de impulso eletrônico e dimmer. Características Produtos aplicação residencial e predial

Série 15 - Relé de impulso eletrônico e dimmer. Características Produtos aplicação residencial e predial Série - Relé de impulso eletrônico e dimmer SÉRIE Características.91.51.81 Relé de impulso eletrônico e relé de impulso com ajuste de intensidade luminosa (Dimmer) Adequado para lâmpadas incandescentes

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 6 Método dos Lumens Porto Alegre - 2012 Tópicos NBR 5413 Iluminância de interiores Método dos Lumens Exemplo de projeto Consumo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO EM BAIXA TENSÃO OBRA: ANEXO 01. Eng. Eletrecista Sandro Waltrich. Av. Osmar Cunha, Ceisa Center, Sala 210 A

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO EM BAIXA TENSÃO OBRA: ANEXO 01. Eng. Eletrecista Sandro Waltrich. Av. Osmar Cunha, Ceisa Center, Sala 210 A MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO EM BAIXA TENSÃO OBRA: ANEXO 01 Proprietário: CREA SC - CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SANTA CATARINA Responsável Projeto: Eng. Eletrecista

Leia mais

GRANDEZAS E UNIDADES FOTOMÉTRICAS

GRANDEZAS E UNIDADES FOTOMÉTRICAS GRANDEZAS E UNIDADES FOTOMÉTRICAS GRANDEZAS LUMINOSAS FUNDAMENTAIS I GRANDEZAS LUMINOSAS FUNDAMENTAIS I 1 É A QUANTIDADE DE ENERGIA RADIANTE CAPAZ DE SENSIBILIZAR O OLHO HUMANO A UNIDADE DESTA GRANDEZA

Leia mais

CATÁLOGO DE LÂMPADAS. TECNOLAMP DO BRASIL - LÂMPADAS E ACESSORIOS Av. Tiradentes, Luz São Paulo, SP

CATÁLOGO DE LÂMPADAS. TECNOLAMP DO BRASIL - LÂMPADAS E ACESSORIOS Av. Tiradentes, Luz São Paulo, SP CATÁLOGO DE LÂMPADAS 2015 1 Índice Sobre a Empresa PAG. 3 Lampâdas de Vapor de Sódio 6 Lampâdas de Vapor Metálico 10 Lampâdas de Vapor de Mercúrio e Mistas 13 Lâmpadas de LED/Especiais 15 2 Sobre a Empresa

Leia mais

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas Botões de Comando e Sinalização Ø 22mm HB2-E (Plastico) A linha de Botões de comando e Sinalizações HB2-E com seu design moderno, alta confiabilidade e baixo custo, com grandes variedades de configurações,

Leia mais

PowerBalance gen2 desempenho sustentável

PowerBalance gen2 desempenho sustentável Lighting PowerBalance gen2 desempenho sustentável PowerBalance gen2 No que respeita à iluminação de um espaço de escritório com luminárias LED, as pessoas geralmente estão dispostas a investir na sustentabilidade,

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

PLANILHA DE SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 9 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 9.1 RAMAIS ALIMENTADORES 9.1.1 Barramento de cobre Ø5,16mm (0,187kg/m) m 10,00 25,20 252,00 1,69 9.1.2 Chave seccionadora de média tensão, com fusível incorporado, sem carga, uso

Leia mais

Elaborado em 09 de Junho de 2016 EMPRESA: FORÇA ELETRICA COMERCIAL LTDA

Elaborado em 09 de Junho de 2016 EMPRESA: FORÇA ELETRICA COMERCIAL LTDA EMPRESA: FORÇA ELETRICA COMERCIAL LTDA (X) TOMADA DE S Nº 017/2016 04 300 U UNIÃO PARALELA DE ALUMÍNIO, BIMETÁLICA PARA CABO 1/0AWG. À TÍTULO DE INCESA 4,20 1.260,00 INFORMAÇÃO A INCESA FABRICA O MODELO

Leia mais

c a s e A R Q U I T E T U R A

c a s e A R Q U I T E T U R A c a s e A Iluminação do salão da Globo Minas, equilibrada e basicamente indireta, foi definida para atender às diferentes atividades realizadas no local. 14 Salão de Eventos da Globo Minas Iluminação equilibrada

Leia mais

BRIKA. a luz sustentável PEQUENA, EFICIENTE E FLEXÍVEL. OPções BRIKA

BRIKA. a luz sustentável PEQUENA, EFICIENTE E FLEXÍVEL. OPções BRIKA BRIKA CARATeristÍcas LUMINária Estanquicidade global: IP 66 (*) Resistência ao choque: IK 08 (**) Tensão nominal: 230 V - 50 Hz Classe elétrica: I or II (*) Peso: from 2.8 to 4.7 kg Materiais: Corpo: Perfil

Leia mais

Lâmpadas halógenas ÍNDICE

Lâmpadas halógenas ÍNDICE ÍNDICE Lâmpadas halógenas HALÓGENA CLASSIC ENERGY SAVER 2.02 HALOPAR 2.03 HALOPIN 2.04 HALOLINE 2.05 HALOSTAR 2.06 HALOSPOT 111 ECO 2.07 HALOSPOT 2.08 DECOSTAR 51 ECO 2.09 DECOSTAR 51 TITAN 2.10 DECOSTAR

Leia mais

Cotação de Preços para o Clube Curitibano. Projeto COPEL Sede Lucius Smythe.

Cotação de Preços para o Clube Curitibano. Projeto COPEL Sede Lucius Smythe. Cotação de Preços para o Clube Curitibano Projeto COPEL Sede Lucius Smythe. Materiais e equipamentos Quantidade Preço Unitário Total Prazo de entrega 1 Lâmpada Tubular a LED 18W, Selo PROCEL 336 R$ - 2

Leia mais

Capítulo 02 - Cálculo luminotécnico apresentação das grandezas luminotécnicas, fórmulas e levantamentos de dados:

Capítulo 02 - Cálculo luminotécnico apresentação das grandezas luminotécnicas, fórmulas e levantamentos de dados: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Capítulo 02 - Cálculo luminotécnico apresentação das grandezas luminotécnicas, fórmulas e levantamentos de dados: Informações Luminotécnicas

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável. Eficiência Energética em Sistemas de Sinalização Semafórica. [ Tecnologia LED (light emitting diode) ] Jan/2009.

Desenvolvimento Sustentável. Eficiência Energética em Sistemas de Sinalização Semafórica. [ Tecnologia LED (light emitting diode) ] Jan/2009. Eficiência Energética em Sistemas de Sinalização Semafórica [ Tecnologia LED (light emitting diode) ] Jan/2009. Semáforos Convencionais Aspectos Físicos: Constituídos por Grupos Focais formados por módulos

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Módulo Transformador para Iluminação de Emergência, até 2 Lâmpadas, Autonomia 1,5 h. Código AFILSI-NICAD Equipamento com a função de transformar uma ou mais luminárias fluorescentes comuns, instalada em

Leia mais

ILUMINÂNCIA E CÁLCULO LUMINOTÉCNICO

ILUMINÂNCIA E CÁLCULO LUMINOTÉCNICO ILUMINÂNCIA E CÁLCULO LUMINOTÉCNICO De acordo com as normas da ABNT, cada ambiente requer um determinado nível de iluminância (E) ideal, estabelecido de acordo com as atividades a serem ali desenvolvidas,

Leia mais

Luminárias Outdoor. UrbanStep. Iluminando o futuro. Segurança para os moradores

Luminárias Outdoor. UrbanStep. Iluminando o futuro. Segurança para os moradores Luminárias Outdoor UrbanStep Iluminando o futuro Segurança para os moradores Oferecendo para você a melhor relação custo-benefício em iluminação viária. Com design otimizado para uso em vias públicas e

Leia mais

ASPECTOS A CONSIDERAR NA APLICAÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM RESPEITO A CONSERVAÇÃO/QUALIDADE DE ENERGIA

ASPECTOS A CONSIDERAR NA APLICAÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM RESPEITO A CONSERVAÇÃO/QUALIDADE DE ENERGIA ASPECTOS A CONSIDERAR NA APLICAÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS COM RESPEITO A CONSERVAÇÃO/QUALIDADE DE ENERGIA Tadeu Lima dos Santos (1) Márcio Zamboti Fortes (2) Erick Scabelo Entringer (3) Resumo

Leia mais

Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica

Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica. Introdução à luminotécnica Lâmpadas e Comandos Iluminação - Grandezas de Luminotécnica; - Iluminação Incandecente; - Iluminação fluorescente; - Lâmpadas de descarga de alta pressão; - Interruptores. Conceitos básicos de luminotécnica

Leia mais

(Anexo 1) Folha de Apoio a Auditoria Baseline. Iluminação

(Anexo 1) Folha de Apoio a Auditoria Baseline. Iluminação Anexos 61 62 (Anexo 1) Folha de Apoio a Auditoria Baseline Iluminação Balastros Eletrónicos -1 Lâmpadas Fluorescentes Tubulares -1 Fatura fornecida: Balastros Ferromagnéticos -2 Lâmpadas Fluorescentes

Leia mais

Em vigor. Aprovação - Operações. (dd/mm/aaaa) Nome: Depto.: Cargo: (dd/mm/aaaa) Nome: Depto.: Cargo: (dd/mm/aaaa) Nome: Depto.

Em vigor. Aprovação - Operações. (dd/mm/aaaa) Nome: Depto.: Cargo: (dd/mm/aaaa) Nome: Depto.: Cargo: (dd/mm/aaaa) Nome: Depto. Versão 1.1 01/10/2013 Página: 1 de 9 Código do Documento RH-P0XX Política Institucional de Eficiência Autor Aprovação - Operações Karen Ribeiro Operações Gerente Planejamento Adm Aprovação - Jurídico Raimundo

Leia mais

PEA 2401 LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I

PEA 2401 LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I PEA 2401 LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS I 1 OBJETIVO DA DISCIPLINA A disciplina tem por objetivo apresentar as bases teóricas e as aplicações dos principais dispositivos, materiais e equipamentos

Leia mais

1000K 2000K 3000K 4000K 5000K 6000K 7000K 8000K 9000K TEMPERATURA DE COR. Emissão de luz NEUTRA. Emissão de luz BRANCA

1000K 2000K 3000K 4000K 5000K 6000K 7000K 8000K 9000K TEMPERATURA DE COR. Emissão de luz NEUTRA. Emissão de luz BRANCA GARANTIA ANG CONDIÇÕES DE GARANTIA: - Testar o produto no ato da compra. - Guardar a Nota Fiscal, ela é a sua garantia na troca do produto com defeito. - Este produto tem garantia apenas contra defeito

Leia mais