Glossário AgroSustentável

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Glossário AgroSustentável"

Transcrição

1 Glossário AgroSustentável

2 Editorial A população do planeta deverá chegar a 9 bilhões de habitantes em Alimentar esses consumidores com carne, fibras e verduras exigirá o aumento da produção e da qualidade agrícola em níveis muito superiores aos que assistimos hoje. Além disso, o aumento da produção envolvem três áreas: Sustentabilidade, Ciência e Educação, sendo esta última representada pela ANDEFedu. As ações da ANDEF e de seus associados contribuem para o incremento dos resultados ao empresário rural brasileiro, trazendo novos conhecimentos 2 e tecnologias, produtos mais eficientes, responsabilidade socio- enfrentará os desafios de um clima cada vez mais instável e a limitação da expansão das áreas plantadas. Diante do desafio mundial de produzir ambiental e, principalmente, mais educação à família rural. O Glossário 3 alimentos de modo sustentável, a Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF) promove e incentiva a ciência e a inovação tecnológica como recursos essenciais para suprir as demandas crescentes da agricultura com cada vez menos uso dos recursos naturais. As iniciativas da entidade, que representa 14 empresas atuantes no País em pesquisa, desenvolvimento, produção e comercialização de defensivos agrícolas, AgroSustentável, iniciativa inédita da instituição dirigida à imprensa nacional, tem a intenção de contribuir para a disseminação do conhecimento sobre a agricultura brasileira, esclarecendo termos e siglas, e a importância da sustentabilidade agrícola e das boas práticas no campo. Esperamos que apreciem. Boa leitura!

3 Introdução A Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF), suas empresas associadas, cooperativas e os canais de distribuição contribuem de forma significativa para a promoção das boas práticas agrícolas com o uso de agrotóxicos. Há mais de 30 anos, muito antes dos temas responsabilidade social e sustentabilidade integrarem a agenda da sociedade, as indústrias fabricantes de defensivos agrícolas já desenvolviam, sob a liderança da ANDEF, programas de educação para a temática. Suas diversas ações de educação têm foco no uso seguro de defensivos agrícolas e na conscientização socioambiental dos produtores rurais. Entre os programas liderados pela Associação, que envolveram nos últimos 20 anos milhares de produtores rurais, estão o Sistema Integrado de Manejo na Produção Sustentável (SIMPAS) e o Curso de Proteção de Plantas, realizado em conjunto com a Universidade Federal de Viçosa (UFV-MG). Outro destaque é o Prêmio ANDEF, que reconhece os esforços de técnicos, agentes multiplicadores, produtores, trabalhadores rurais e suas famílias, na disseminação de ações de educação para a adoção das boas práticas agrícolas no campo. Em 2012, o prêmio da entidade completa 15 anos de existência. Publicações como livros, cartilhas e manuais técnicos sobre os temas de fitossanidade, boas práticas no uso de agrotóxicos e responsabilidade socioambiental são outras importantes ações de educação desenvolvidas pela ANDEF com o apoio de empresas e instituições. Muitas delas estão disponíveis no portal e podem ser baixadas gratuitamente. Acesse e confira. 5

4 Glossário Acaricida Pesticida utilizado no controle de pragas, como os ácaros. (Ver pesticida, pragas primárias e pragas secundárias) Agrotóxico ou defensivo agrícola É o produto químico utilizado na agricultura para combater diferentes tipos de pragas que atacam as lavouras, como insetos, fungos e ervas daninhas. Podem ser inseticidas, fungicidas, herbicidas, acaricidas, formicidas, nematicidas ou moluscicidas. (Ver acaricida, fungicida, herbicida, inseticida e pesticida) Alimento convencional Alimento produzido com o uso de aditivos químicos. O produtor aplica fertilizante no solo para aumentar sua produção, aplica pesticida para proteger suas plantas contra pragas e doenças e 6 usa herbicida para controlar o crescimento das ervas daninhas. (Ver fertilizante, 7 herbicida, pesticida, pragas primárias e pragas secundárias) Alimento orgânico É aquele produzido em sistemas que não utilizam agrotóxicos ou insumos artificiais. Os alimentos orgânicos não podem ser organismos geneticamente modificados (OGM), como os transgênicos. Para um alimento processado ser considerado orgânico e receber o selo de qualidade é preciso que contenha pelo menos 95% de ingredientes originados da agricultura orgânica. (Ver agrotóxico) ANDEF Associação Nacional de Defesa Vegetal, que representa 14 empresas atuantes no País em pesquisa, desenvolvimento, produção e comercialização de defensivos agrícolas.

5 Andefino Mascote da ANDEF, que integra as ações de educação da associação. É engenheiro agrônomo e produtor rural, cultiva a responsabilidade em utilizar as boas práticas agrícolas no campo e manter o convívio harmônico com o meio ambiente. Participa de feiras, eventos e cursos nos meios rural e urbano, além de ilustrar os manuais, cartilhas e as diversas peças de divulgação da entidade. Biotecnologia Conjunto de técnicas e processos de manipulação de células ou de microrganismos que passam pelo nível de transformação do DNA, visando à obtenção de novos produtos, processos ou serviços, com aplicação nas saúdes humana e animal, na agropecuária, no meio ambiente, na indústria e no comércio. APP Área de Preservação Permanente. Podendo ser cobertas por vegetação nativa, essas áreas têm como função preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, além de proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações. 8 Toda a vegetação natural (arbórea ou não) presente ao longo das margens dos rios e ao redor de nascentes e de reservatórios deve ser preservada. 9 Biocombustíveis São combustíveis de origem biológica fabricados a partir de vegetais, como milho, soja, cana-de-açúcar, mamona, canola, babaçu, cânhamo, além do lixo orgânico, podendo ser usados em veículos de forma integral ou misturados com combustíveis fósseis. Sua vantagem é a redução significativa da emissão de gases poluentes. Biomassa Recurso renovável oriundo de matéria orgânica (de origem animal ou vegetal), que pode ser utilizado para produção de energia. A biomassa como fonte de energia passou a ser encarada como uma alternativa aos derivados de petróleo.

6 Cooperativa agrícola Entidade formada por agricultores ou microempresários agrícolas para a qual entregam os seus produtos à comercialização e, vendidos os produtos, recebem o valor da venda de acordo com o preço conseguido pela cooperativa. Ervas daninhas, plantas daninhas Plantas que nascem espontaneamente, em local e momento indesejado, podendo interferir negativamente na agricultura. Culturas invadidas por ervas daninhas crescem mal e podem morrer, pois elas disputam entre si os elementos nutritivos, a água, os raios solares e o espaço. Fitotoxicidade Fenômeno associado a alterações observadas no desenvolvimento das plantas em decorrência de efeitos tóxicos produzidos por agrotóxicos e outros produtos químicos. Uma vez instalada, a fitoto- 10 Etanol (álcool etílico) É um álcool derivado de cereais e vegetais. xicidade pode resultar em perda de produtividade e até mesmo na morte das plantas. (Ver agrotóxicos) 11 No Brasil, utiliza-se cana-de-açúcar para a sua produção, enquanto em outros países, como os Estados Unidos e o México, usa-se o milho. Fungicida Compostos químicos empregados no controle de doenças de Além de ser aplicado na fabricação de bebidas alcoólicas fermentadas plantas causadas por fungos, bactérias e algas. Os fungicidas podem não e produtos de limpeza, tem sido amplamente usado na produção de matar os fungos, mas inibem temporariamente a germinação dos esporos, combustíveis para automóveis. sendo chamados de fungistáticos. Quando inibem ou previnem a produção de esporos são classificados de antiesporulantes. (Ver fungos) FAO Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação FAO (Food and Agriculture Organization) tem como objetivo aumentar a capacidade da comunidade internacional na promoção do suporte adequado e sustentável à segurança alimentar e à nutrição. Fertilizante É toda substância mineral ou orgânica, natural ou sintética, fornecedora de um ou mais nutrientes para as plantas. Há variados tipos de fertilizante: mineral simples, misto e complexo, além do orgânico. Fitossanidade Aplicação prática de medidas de combate às pragas e controle das doenças que engloba conhecimentos e técnicas de várias ciências, entre elas a fitopatologia, ciência das plantas daninhas, e a entomologia. Fungos Grupo de organismos considerados vegetais inferiores. Estão incluídos neste grupo organismos de dimensões consideráveis, como os cogumelos, mas também muitas formas microscópicas, como bolores e leveduras. (Ver fungicida)

7 Herbicida Produto utilizado para destruir ou controlar o crescimento de plantas daninhas, arbustos e outras plantas indesejáveis na cultura. (Ver ervas daninhas, plantas daninhas) Ingestão Diária Aceitável (IDA) É um valor numérico, medido em mg/kg, que significa a quantidade máxima de uma determinada substância que pode ser ingerida, por toda a vida, que parece não oferecer risco à saúde humana, à luz dos conhecimentos atuais. Intervalo de reentrada Número de dias entre a última aplicação de um agrotóxico e a reentrada de pessoas na área tratada sem risco de contaminação. (Ver agrotóxico, intervalo de aplicação e intervalo de segurança ou período de carência) Intervalo de segurança ou período de carência Número de dias que deve ser respeitado entre a última aplicação dos defensivos agrícolas e a colheita. Sua especificação está descrita na bula do produto. Inseticida Pesticida usado para controlar insetos, seus ovos e larvas, principalmente. Os inseticidas são bastante usados na agricultura e sua 12 aplicação é considerada um dos principais fatores responsáveis pelo aumento da produtividade agrícola. (Ver agrotóxico e pesticida) 13 Insetos Formam a maior classe do reino animal, com mais de 800 mil espécies conhecidas. Eles vivem espalhados por todo o mundo, desde as regiões polares até as zonas tropicais, passando por rios, mares e oceanos. Intervalo de aplicação Cada herbicida, fungicida, inseticida ou acaricida tem seu intervalo de aplicação, o qual está especificado nas bulas e receitas agronômicas, devendo ser rigorosamente seguido. Significa o intervalo em dias, horas, entre aplicações dos agrotóxicos. (Ver agrotóxico e receituário agronômico)

8 Este prazo é importante para garantir que o alimento colhido não possua resíduo acima do limite máximo permitido. (Ver agrotóxico e Limite Máximo de Resíduos) Limite Máximo de Resíduos (LMR) É a quantidade máxima de resíduo de agrotóxico permitida no alimento medido em ppm ou ppb (parte por milhão ou bilhão). (Ver agrotóxico e Ingestão Diária Aceitável) Mata ciliar Fica próxima às nascentes, aos córregos, rios e lagos, protegendo suas margens da erosão e do ressecamento dos barrancos, evitando o estreitamento de seus leitos e facilitando a infiltração da água Plantio direto Técnica de cultivo conservacionista na qual procura- 14 da chuva, que chega com maior facilidade ao lençol freático. São consi- -se manter o solo sempre coberto por plantas em desenvolvimento e por 15 deradas áreas de preservação permanente pelo Código Florestal e pelas legislações estaduais. disposições permanentes, com critérios a serem seguidos a partir de 22 de julho de 2008, data da publicação do Decreto 6.514/2008, que define penas previstas na Lei de Crimes Ambientais. A mesma data é o marco temporal para isentar de recuperação as propriedades rurais de até quatro módulos que desmataram as Reservas Legais (RLs). Pesticida Substância química ou agente biológico que visa impedir, controlar ou diminuir qualquer praga. (Ver agrotóxico, pragas primárias e pragas secundárias) resíduos vegetais. A intenção é protegê-lo do impacto das gotas de chuva, do escorrimento superficial e das erosões hídrica e eólica. Matriz energética É toda energia disponibilizada para ser transformada, distribuída e consumida nos processos produtivos. É uma representação quantitativa da oferta de energia, ou seja, da quantidade de recursos energéticos oferecidos por um país ou por uma região. (Ver biocombustíveis, biomassa e etanol) Novo Código Florestal Estabelece disposições transitórias para contemplar as chamadas áreas consolidadas, nas quais há atividades agrossilvopastoris em Áreas de Preservação Permanente (APPs), além de Pragas primárias São aquelas que ocorrem todos os anos, em altas populações, provocando danos econômicos e, por isso, requer medidas de controle. São consideradas pragas primárias o ácaro da ferrugem, a orthezia, a larva minadora (em viveiro ou pomar novo), a cochonilha escama farinha e a broca do tronco. (Ver acaricida, pesticida e pragas secundárias) Pragas secundárias São aquelas que ocorrem em baixas populações, raramente causam danos econômicos e, por isso, não costumam exigir medidas de controle. São classificadas como secundárias as moscas-das-

9 Regiões do Brasil com produção ativa Policultura Culturas de grãos Monocultura* Culturas diversificadas e criação Culturas de grãos e criação Policultura e criação Criação melhorada Criação extensiva Criação extensiva e policultura Florestas Extrativismo Concentração leiteira Fonte: Portal Brasil *predomínio de cana-de-açúcar, laranja e café.

10 -frutas, a mosca branca, o pulgão preto, entre outras. (Ver pesticida e pragas primárias) Receituário agronômico Seu principal objetivo é orientar e regulamentar o uso de agrotóxicos, sendo que o diagnóstico é pré-requisito essencial para a prescrição da receita. Com ela, o agricultor pode adquirir o defensivo agrícola em qualquer estabelecimento comercial registrado na Secretaria da Agricultura e Abastecimento de seu estado. (Ver agrotóxico) Residual Substância ou mistura de substâncias remanescentes, existentes em alimentos e no meio ambiente, sendo decorrentes do uso ou 18 não de defensivos agrícolas, inclusive qualquer derivado específico, como 19 produtos de conversão e de degradação, produtos de reação e impurezas considerados toxicológica e ambientalmente importantes. (Ver agrotóxico e Limite Máximo de Resíduos) Sustentabilidade A sustentabilidade da agricultura leva em consideração os aspectos ambientais, econômicos e sociais, enfatizando a manutenção dos recursos ambientais, a viabilidade econômica e a justiça social. (Ver mata ciliar e Novo Código Florestal) Fontes: ANDEFedu, Agromundo, EcoDesenvolvimento.org, Embrapa, FAO, inpev.

11 Boas práticas no campo Uso de EPI Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são ferramentas de trabalho que visam à saúde do trabalhador. No caso do uso de produtos fitossanitários, os principais são luvas, respiradores, viseira facial ou óculos, jaleco e calça hidrorrepelentes, boné árabe, capuz ou touca, avental e botas e têm a finalidade de reduzir os riscos de intoxicações decorrentes da exposição. Em setembro de 2009, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) publicou várias portarias que alteraram o Certificado de Aprovação por responsabilidade mais conhecido como CA. Foram instituídas normas para ensaios e padrões de qualidade para EPIs e respectivos manuais técnicos de utilização. Na área agrícola, a nova legislação sobre EPI para obtenção ou renovação de CA passou a vigorar em 7 de junho de Com isso, empresas fabricantes e importadoras de EPI têm de realizar procedimentos e ensaios baseados na ISO 27065, além de montar e submeter um processo-padrão ao MTE prevendo possíveis correções por não conformidade. A legislação trabalhista prevê que é OBRIGAÇÃO do EMPREGADOR fornecer, capacitar e educar sobre EPI no trabalho. Em contrapartida, o EMPREGADO deve usar e cuidar do EPI. É responsabilidade do fabricante de EPI cumprir os requisitos estabelecidos na ISO e na Portaria 121 do Ministério do Trabalho, sob pena de não obter o CA e perder o direto de comercializar seus produtos junto a revendas, cooperativas, aos agricultores e à indústria. 21

12 Transporte e armazenamento de defensivos agrícolas A maioria dos agrotóxicos é considerada um produto perigoso. Seu transporte Tecnologia de aplicação de produtos fitossanitários engloba os conhecimentos exige medidas de prevenção de acidentes conforme a legislação vigente. O desrespeito científicos que proporcionem a correta colocação do produto biologicamente às normas de transporte de agrotóxicos é passível de multa tanto para ativo no alvo, em quantidade necessária, de forma econômica, com o mínimo quem vende como para quem transporta esse tipo de produto. Transportar produtos de contaminação de outras áreas. fitossanitários é uma tarefa de alta responsabilidade e exige que sejam Além da capacitação de seus trabalhadores quanto ao uso seguro e eficaz tomadas várias medidas de prevenção para diminuir o risco de acidentes em vias dos equipamentos de aplicação dos defensivos agrícolas, é preciso selecionar públicas e aumentar as chances de sucesso em uma ação de atendimento de um equipamento de qualidade e adequado às condições da cultura (tamanho emergência. São medidas para proteger a integridade física das pessoas, conservar o patrimônio público e preservar o meio ambiente. É preciso ter conhecimento da área, espaçamento de plantio, topografia, distância do ponto de reabastecimento, entre outros), que proporcione o máximo de rendimento com um em transporte de produtos perigosos, disposição e acondicionamento da carga, 22 menor custo, e ter cuidado com o manuseio e o ambiente, para que não haja 23 documentação necessária, veículos adequados, embalagens e EPI. Para o armazenamento, as normas foram revistas e tornaram-se mais rigorosas a partir da publicação do Decreto 4.074, de 4 de janeiro de Além da exigência do Licenciamento Ambiental, as implicações legais em caso de acidente podem ser agravadas se comprovada a não observância das normas vigentes, pois os infratores poderão ser enquadrados na Lei de Crimes Ambientais. Os canais de distribuição de produtos fitossanitários devem cumprir normas para que o armazenamento seja realizado com segurança e responsabilidade. É importante levar em conta a localização e a construção do armazém, fazer um gerenciamento do local, mesmo que em pequenas propriedades, além da higiene, da segurança pessoal e dos cuidados com as embalagens. Tecnologia de aplicação de defensivos agrícolas desperdício e sobras, nem a contaminação de rios, lagos e coleções de água. Outra ação importante é a lavagem de embalagens vazias por meio da Tríplice Lavagem. Programa Nacional de Descarte de Embalagens Vazias A legislação federal (Lei 9.974/2000 e Decreto 4.074/2002) determina que a destinação correta das embalagens vazias de agrotóxicos é de responsabilidade de todos os agentes atuantes na produção agrícola: agricultores, canais de distribuição, cooperativas, indústria fabricante e poder público. O primeiro projeto-piloto do sistema foi implantado em Guariba/SP, em 1993, liderado pela

13 ANDEF e pelo Sindicato Nacional da Indústria de Defesa Vegetal (SINDAG), com o apoio de instituições parceiras. Hoje todo este processo é liderado pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens (inpev). O Brasil é, atualmente, referência internacional no trabalho de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas, sendo que 94% das embalagens primárias (aquelas que entram em contato direto com o produto) e 80% do total das embalagens comercializadas são enviadas para a destinação ambientalmente correta. Segurança alimentar 24 Todo alimento deve oferecer segurança para ser consumido. As quantidades 25 residuais em alimentos são insignificantes, determinadas e Permitidas em Partes por Milhão ou Bilhão (PPM ou PPB), portanto, especialistas desconhecem Sustentabilidade evidências científicas de que, quando usados apropriadamente, os agrotóxicos legalmente aprovados causem efeito maléfico à saúde, tanto dos agricultores como dos consumidores. Para determinar a segurança alimentar dos produtos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) encomenda estudos de resíduos totalmente controlados e validados por laboratórios aprovados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e por meio da cesta alimentar brasileira (o que é consumido diariamente pelos brasileiros) em pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE. Além disso, dois parâmetros são utilizados para dar segurança aos consumidores, o Limite Máximo de Resíduos LMR (quantidade máxima de resíduos permitida para um determinado produto, em uma determinada cultura) e a Ingestão Diária Aceitável IDA (quantidade máxima de uma determinada substância que pode ser ingerida por toda a vida, sem oferecer risco à saúde humana, à luz dos conhecimentos atuais, considerando que o ser humano é 100 vezes mais sensível que um camundongo). Estes parâmetros apresentam a segurança necessária para que os alimentos produzidos no Brasil estejam aptos a serem consumidos. Do ponto de vista prático, para que o consumo do alimento seja ainda mais seguro, o produtor deve obedecer a um único parâmetro: o intervalo de segurança ou período de carência, ou seja, o intervalo de dias entre a aplicação e a colheita, determinado por meio de estudos e citado na bula. A sustentabilidade da agricultura leva em consideração os aspectos ambientais, econômicos e sociais, enfatizando a manutenção dos recursos ambientais, a viabilidade econômica e a justiça social. A agricultura sustentável deve envolver o manejo bem-sucedido de recursos para agricultura, visando satisfazer as necessidades variáveis da humanidade, mantendo ou melhorando a qualidade do meio ambiente e conservando os recursos naturais. Já o desenvolvimento sustentado baseia-se no atendimento das necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações de atender às suas próprias. A sustentabilidade agrícola garante que os consumidores tenham acesso a alimentos baratos, seguros e com qualidade.

14 Práticas sustentáveis na agricultura Os cursos e projetos realizados pela ANDEF e por suas empresas associadas visam à capacitação dos principais agentes do campo, utilizando as inovações no momento da produção. Entre as ações promotoras de boas práticas agrícolas, sociais e ambientais para o desenvolvimento sustentável, destacam-se: Sistemas Integrados do Manejo na Produção Agrícola Sustentável Existente há mais de 20 anos, apresenta tendências e reúne grandes associações do setor agrícola e de insumos (ANDA, IPNI, ABAG, ABRASEM), responsáveis pelo desenvolvimento tecnológico da agricultura brasileira. No simpósio, são apresentadas as mais modernas técnicas e os conceitos para a aplicação de tecnologias em busca da produção agrícola sustentável Curso de Pós-graduação em Proteção de Plantas O curso de pós-graduação em Proteção de Plantas, realizado em conjunto com a Universidade Federal de Viçosa (UFV-MG), é direcionado a engenheiros agrônomos, florestais, agrícolas e professores de Ciências Agrárias. O objetivo é incentivar os participantes a aprimorarem seus conhecimentos nas áreas de pesquisa, legislação, plantas daninhas, entomologia, fitopatologia, boas práticas agrícolas e tecnologia de aplicação. Curso Técnico em Manejo Integrado na Produção Agrícola Sustentável O curso de extensão a distância Manejo integrado em sistemas na produção agrícola sustentável é destinado a técnicos de nível médio em Ciências Agrá-

15 rias e a profissionais com formação superior em qualquer área do conhecimento. Entre os objetivos, destacam-se a capacitação quanto ao manejo integrado aplicado ao controle de pragas, doenças e plantas daninhas, ao impacto ambiental, ao uso correto e seguro de tecnologia de aplicação de produtos fitossanitários, ao manejo e à conservação do solo, nutrição de plantas, certificação e rastreabilidade de produtos agrícolas. O curso é essencialmente prático, possibilitando ao aluno aplicar os conhecimentos aprendidos em sua empresa agrícola. A carga horária é de 439 horas e são oferecidas 100 vagas. Estão envolvidos professores dos departamentos de Fitopatologia, Biologia Animal, Fitotecnia e Solos da UFV, além de profissionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF). Projeto Hortaliças: Alimento Seguro é Saudável Com a intenção de levar conhecimento aos pequenos produtores, teve início em 2005 um projeto focado em melhorar a qualidade de vida e dos alimentos dos pequenos produtores de hortaliças. Desde sua criação, foram capacitados mais de 2 mil produtores de diversas regiões do Estado de São Paulo. O projeto é desenvolvido em parceria com prefeituras, ONGs e universidades. Os resultados obtidos são excepcionais. No início do projeto, em média, o grau de conhecimento dos produtores em relação às boas práticas não passa de 50%. Após o término, chega a ultrapassar 98%. Prêmio ANDEF A maior premiação da agricultura brasileira tem por objetivo fomentar ações de educação no campo visando à sustentabilidade do agronegócio bra- 28 MBA em Fitossanidade O Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, e sileiro. São cinco categorias: indústria, revendas e canais, cooperativismo, campo limpo e jornalismo, que em mais de 15 anos capacitaram mais 10 milhões pessoas, entre 29 a Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF) possuem um longo histórico de elas agentes multiplicadores, agricultores e familiares na implantação de boas práticas parcerias inovadoras. Desta vez, as duas instituições unem seus conhecimentos em agrícolas e de programas de responsabilidade socioambiental. prol da educação. O IAC possui curso de pós-graduação, desde 1999, sendo referendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). A ANDEF dispõe de trabalhos voltados à educação, nos quais se dedica a planejar, organizar, inovar, desenvolver novas formas de educar, além de levar a responsabilidade socioambiental e as boas práticas agrícolas aos campos brasileiros. Com sua primeira turma em 2012, o curso tem o objetivo de reunir conhecimentos sobre fitossanidade, segurança na agricultura, gestão de pessoas, comunicação com as abordagens teórica e prática, além de agregar conhecimentos práticos de engenheiros agrônomos, engenheiros florestais, biólogos e profissionais de nível superior na área de fitossanidade com conhecimento em administração.

16 Ficha Técnica O agroglossário é uma publicação gratuita, distribuída pela ANDEF. 30 Rua Capitão Antônio Rosa, º andar Jardim Paulistano São Paulo/SP CEP Tel.: 55 (11) Direção geral: José A. Annes Marinho Gerente de Educação Produção: TEIA Editorial Edição: Danielly Herobetta Redação: Stefanie Leipert Colaboração: Emília Zampieri Diagramação: Via B Branding + Design

17

PERGUNTAS FREQUENTES E RESPOSTAS.

PERGUNTAS FREQUENTES E RESPOSTAS. PERGUNTAS FREQUENTES E RESPOSTAS. O QUE É IMPORTANTE VOCÊ SABER SOBRE AGROTÓXICOS, CIÊNCIA E TECNOLOGIA. O que são os AGROTÓXICOS? Agrotóxicos, pesticidas, produtos fitossanitários, defensivos agrícolas

Leia mais

AGRICULTURA ORGÂNICA

AGRICULTURA ORGÂNICA Conceitos básicos Oficina do Grupo Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Pobreza Setembro 2009 O que é De modo geral, a agricultura orgânica é uma forma de produção agrícola que não utiliza agrotóxicos,

Leia mais

IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL

IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL ATUALMENTE O BRASIL É O 1º CONSUMIDOR MUNDIAL DE AGROTÓXICOS E A BAHIA OCUPA O 7º LUGAR ENTRE OS ESTADOS DA FEDERAÇÃO IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL Vamos conhecer mais

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Fiscal Federal Agropecuária

Leia mais

Trabalho resgatado da época do Sinac. Título: Os Defensivos Agrícolas e a Comercialização. Autor: Equipe do Decen e Senar.

Trabalho resgatado da época do Sinac. Título: Os Defensivos Agrícolas e a Comercialização. Autor: Equipe do Decen e Senar. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Companhia Nacional de Abastecimento Conab Diretoria de Gestões de Estoques Diges Superintendência de Programas Institucionais e Sociais de Abastecimento

Leia mais

Esclarecimento 1/2015

Esclarecimento 1/2015 Segurança Alimentar Produção primária de vegetais e operações conexas Esclarecimento 1/2015 Clarificam-se: o conceito de produção primária de vegetais e operações conexas, as medidas a adotar para o controlo

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

Engenheiros Agrônomos e Florestais, Biólogos, profissionais de nível superior da área de Fitossanidade.

Engenheiros Agrônomos e Florestais, Biólogos, profissionais de nível superior da área de Fitossanidade. OBJETIVO O curso de MBA-IAC em Fitossanidade objetiva reunir conhecimentos sobre Fitossanidade, segurança na agricultura, gestão de pessoas e comunicação, com abordagem teórica e prática. O curso trará

Leia mais

Café Sustentável. Riqueza do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CAPA. MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO.

Café Sustentável. Riqueza do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CAPA. MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO. 12 MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO.indd 12-1 CAPA 1 30.10.09 16:08:10 Data (M/D/A): 10/30/09 Contato: (61) 3344-8502 Formato (F): 200x200 mm Formato (A): 400x200 mm Data (M/D/A): 10/30/09 Ministério

Leia mais

Prêmio Defesa Vegetal

Prêmio Defesa Vegetal Prêmio Defesa Vegetal 18ª Edição 2015 1. APRESENTAÇÃO No ano de 1.998, a Associação Nacional de Defesa Vegetal, Andef, lançava o Prêmio Mérito Fitossanitário, com o objetivo de homenagear profissionais,

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013 Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013 SOJA BRASILEIRA A soja é a principal cultura agrícola do Brasil - 28 milhões de ha (25% da área mundial plantada)

Leia mais

Agrotóxicos: Análises de Resíduos e Monitoramento

Agrotóxicos: Análises de Resíduos e Monitoramento Agrotóxicos: Análises de Resíduos e Monitoramento Nadia Regina Rodrigues Universidade Estadual de Campinas Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA) Divisão de Análises

Leia mais

IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA

IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA Daniel Schull Brandão 1 ; Fabiana Raquel Muhl 2, Anderson Rhoden 3, Neuri Antonio Feldmann 4 Palavras-Chave:

Leia mais

Curso - MBA em Fitossanidade

Curso - MBA em Fitossanidade Curso - MBA em Fitossanidade 1. Objetivo O curso de MBA-IAC em Fitossanidade objetiva reunir conhecimentos sobre Fitossanidade, segurança na agricultura, gestão de pessoas e comunicação, com abordagem

Leia mais

Agrotóxicos Adjuvantes e Produtos Afins. Autor: Douglas Fernando Ferrari Auditor em Saúde e Segurança do Trabalho IAS/ABNT.

Agrotóxicos Adjuvantes e Produtos Afins. Autor: Douglas Fernando Ferrari Auditor em Saúde e Segurança do Trabalho IAS/ABNT. Agrotóxicos Adjuvantes e Produtos Afins Autor: Douglas Fernando Ferrari Auditor em Saúde e Segurança do Trabalho IAS/ABNT. AGROTÓXICOS DEFINIÇÃO: Agrotóxicos são produtos químicos utilizados para combater

Leia mais

Riscos de contaminação e impacto ambiental

Riscos de contaminação e impacto ambiental Um informativo do Centro Estadual de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, da EMATER, do Centro de Informações Toxicológicas da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde, da Secretaria

Leia mais

Um ano de farta colheita

Um ano de farta colheita Um ano de farta colheita Estamos muito felizes, pois o trabalho que realizamos em 2012 rendeu uma farta colheita, como demonstramos neste balanço: o Balanço de Atividades ANDEFedu de 2012. Além de palestras

Leia mais

Sobre a incompetência do sistema de registro de agrotóxicos

Sobre a incompetência do sistema de registro de agrotóxicos Sobre a incompetência do sistema de registro de agrotóxicos Reginaldo Minaré A produção agrícola ocupa posição de destaque na comunidade brasileira, produz, de fato, os alimentos necessários à população

Leia mais

PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010

PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010 PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, o

Leia mais

Agrotóxicos & polinizadores: Isso combina?

Agrotóxicos & polinizadores: Isso combina? Agrotóxicos & polinizadores: Isso combina? Essa série de cartilhas, voltadas para estudantes do ensino fundamental e médio, que tratam da importância dos serviços de polinização e de suas ameaças, foram

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica - FTE. Gestão da Qualidade Segurança e Meio Ambiente

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica - FTE. Gestão da Qualidade Segurança e Meio Ambiente SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO E STADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL- SUPROF DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DIRDEP EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS EMENTÁRIO:

Leia mais

POSICIONAMENTO DO INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA ACERCA DOS AGROTÓXICOS

POSICIONAMENTO DO INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA ACERCA DOS AGROTÓXICOS POSICIONAMENTO DO INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA ACERCA DOS AGROTÓXICOS O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), órgão do Ministério da Saúde, tem como

Leia mais

NUTRIÇÃO E SUSTENTABILIDADE. Luciana Dias de Oliveira CRN2 4498

NUTRIÇÃO E SUSTENTABILIDADE. Luciana Dias de Oliveira CRN2 4498 NUTRIÇÃO E SUSTENTABILIDADE Luciana Dias de Oliveira CRN2 4498 O que é SUSTENTABILIDADE? Como aliar SUSTENTABILIDADE e NUTRIÇÃO? O que é sustentabilidade? Constituição Federal Art. 225. Todos têm o direito

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE AGROTOXICOS NO BRASIL 2003-2007

EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE AGROTOXICOS NO BRASIL 2003-2007 EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE AGROTOXICOS NO BRASIL 2003-2007 Resumo com base em dados publicados pela Andef- Associação Nacional das Empresas de Defensivos Agrícolas (ORGANIZADOS pelo Diretor executivo da ANDEF

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO Produção Integrada de Arroz Irrigado O que é a Produção Integrada de Arroz Irrigado? A Produção Integrada é definida como um sistema de produção agrícola de

Leia mais

25/06/2015 PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Câmpus de Jaboticabal DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO. Sinonímias: Agrotóxicos

25/06/2015 PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Câmpus de Jaboticabal DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO. Sinonímias: Agrotóxicos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Câmpus de Jaboticabal Depto. Fitossanidade Tecnologia de Aplicação Introdução Cultivo de plantas graníferas (culturas anuais) na safra 2014/15: Área de 57,21 milhões de ha

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS

PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS PLANO DE AÇÃO PARA EXECUÇÃO DO ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA x ABRAS Rosilene Ferreira Souto Luzia Souza Setembro 2014 Parceria Institucional com foco na rastreabilidade Acordo de Cooperação entre

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO.

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. Patrícia Pinheiro da Cunha 1, Magda Beatriz de Almeida Matteucci

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório:

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório: Guia de sustentabilidade na produção de soja na Agricultura Familiar Relatório individual NOME: Prezado senhor (a), Em primeiro lugar, no nome dacoopafi, da Gebana e da Fundação Solidaridad,gostaríamos

Leia mais

AGROTÓXICOS E INSALUBRIDADE: ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS AGRICULTORES DE TEIXEIRAS - MG

AGROTÓXICOS E INSALUBRIDADE: ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS AGRICULTORES DE TEIXEIRAS - MG AGROTÓXICOS E INSALUBRIDADE: ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS AGRICULTORES DE TEIXEIRAS - MG Giovana Oliveira Bugana 1 Eloy Alves Filho 2 Arlete Salcides 3 Resumo Considerando que diversos desequilíbrios

Leia mais

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade Como toda nova ciência ou tecnologia, ela gera dúvidas e receios de mudanças. Isto acontece desde os tempos em que Galileo afirmou que era a Terra que girava em torno do Sol ou quando Oswaldo Cruz iniciou

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

Adequação Ambiental /CAR: Programa Soja Pus. Cristiane Sassagima Neves Engenheira Florestal Analista de Projetos Aprosoja 2015

Adequação Ambiental /CAR: Programa Soja Pus. Cristiane Sassagima Neves Engenheira Florestal Analista de Projetos Aprosoja 2015 Adequação Ambiental /CAR: Programa Soja Pus Cristiane Sassagima Neves Engenheira Florestal Analista de Projetos Aprosoja 2015 MISSÃO Garantir a competitividade e a sustentabilidade dos produtores de soja

Leia mais

Poluição do Solo. Aprofundar os conhecimentos sobre como o solo pode ser poluído e as consequências para o homem e o meio ambiente.

Poluição do Solo. Aprofundar os conhecimentos sobre como o solo pode ser poluído e as consequências para o homem e o meio ambiente. Poluição do Solo 1) Objetivo Geral Aprofundar os conhecimentos sobre como o solo pode ser poluído e as consequências para o homem e o meio ambiente. 2) Objetivo Específico Conscientizar os alunos da importância

Leia mais

Legal. sobre saúde e segurança do produtor e proteção da criança e do adolescente. Legal. Crescer. SC e PR

Legal. sobre saúde e segurança do produtor e proteção da criança e do adolescente. Legal. Crescer. SC e PR Crescer Legal SC e PR Baseado no acordo firmado em 1º de março de 2011 pelo SindiTabaco (Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco), suas empresas associadas e Afubra (Associação dos Fumicultores

Leia mais

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário Programa ABC

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário Programa ABC BANCO DA AMAZÔNIA Seminário Programa ABC O BANCO DA AMAZÔNIA Missão Criar soluções para que a Amazônia atinja patamares inéditos de desenvolvimento sustentável a partir do empreendedorismo consciente.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº. 3, DE 10 DE MARÇO DE 2006

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº. 3, DE 10 DE MARÇO DE 2006 INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA Nº. 3, DE 10 DE MARÇO DE 2006 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA, O DIRETOR PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE

Leia mais

O Melhoramento de Plantas e o Aquecimento Global. Arnaldo José Raizer P&D - Variedades

O Melhoramento de Plantas e o Aquecimento Global. Arnaldo José Raizer P&D - Variedades O Melhoramento de Plantas e o Aquecimento Global 1 Arnaldo José Raizer P&D - Variedades Roteiro Aquecimento Global Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) O setor sucro-energético Melhoramento Genético e

Leia mais

1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL

1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA 1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL Tema: Políticas Públicas no Brasil para o Desenvolvimento da Pecuária Sustentável Plano ABC Elvison

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

As abelhas, os mais importantes agentes polinizadores

As abelhas, os mais importantes agentes polinizadores As abelhas, os mais importantes agentes polinizadores As abelhas são os insetos polinizadores mais importantes, pois a maioria das espécies de plantas é polinizada por esses animais. Tanto a fase jovem

Leia mais

LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007

LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007 LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007 Publicada no DOE(Pa) de 09.10.07. Dispõe sobre Política Estadual para a Promoção do Uso de Sistemas Orgânicos de Produção Agropecuária e Agroindustrial. Lei: A ASSEMBLÉIA

Leia mais

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações JUNHO/2015 NOSSA ASPIRAÇÃO Visão Somos uma coalizão formada por associações empresariais, empresas, organizações da sociedade civil e indivíduos interessados em contribuir para a promoção de uma nova economia

Leia mais

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL.

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 1 BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 2 BIODIESEL. A ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI N o 1.062, DE 2007 (apenso o PL nº 1.

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI N o 1.062, DE 2007 (apenso o PL nº 1. COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N o 1.062, DE 2007 (apenso o PL nº 1.166, de 2007) Institui incentivo fiscal para o controle biológico de pragas

Leia mais

Sebastião Wilson Tivelli Eng. Agr., Dr., PqC da UPD São Roque do Centro de Insumos Estratégicos e Serviços Especializados/APTA tivelli@apta.sp.gov.

Sebastião Wilson Tivelli Eng. Agr., Dr., PqC da UPD São Roque do Centro de Insumos Estratégicos e Serviços Especializados/APTA tivelli@apta.sp.gov. ORGÂNICOS SÃO CAROS. POR QUÊ? Sebastião Wilson Tivelli Eng. Agr., Dr., PqC da UPD São Roque do Centro de Insumos Estratégicos e Serviços Especializados/APTA tivelli@apta.sp.gov.br Quem nunca ouviu ou falou

Leia mais

Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Coordenador de Produção Integrada da Cadeia Agrícola Secretaria

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

Banco Rabobank International Brasil S.A.

Banco Rabobank International Brasil S.A. Banco Rabobank International Brasil S.A. Rabobank Brasil - Política Socioambiental Política Cód: POL-SA Política Socioambiental Pgs: 5 Versão 5.0 Válida desde Julho, 2006 Última Versão: Outubro, 2014 O

Leia mais

Atividade agropecuária e o meio ambiente

Atividade agropecuária e o meio ambiente Atividade agropecuária e o meio ambiente Paula Janaina da Rosa Louro servidora pública do Ministério Público da União 1.Considerações Iniciais A atividade agropecuária abrange a agricultura e a criação

Leia mais

NRR 5 - Produtos Químicos

NRR 5 - Produtos Químicos NRR 5 - Produtos Químicos 5.1. Esta Norma trata dos seguintes produtos químicos utilizados no trabalho rural: agrotóxicos e afins, fertilizantes e corretivos. 5.1.1. Entende-se por agrotóxicos as substâncias

Leia mais

Agronegócios: conceitos e dimensões. Prof. Paulo Medeiros

Agronegócios: conceitos e dimensões. Prof. Paulo Medeiros Agronegócios: conceitos e dimensões Prof. Paulo Medeiros Agricultura e Agronegócios Durante milhares de anos, as atividades agropecuárias sobreviveram de forma muito extrativista, retirando o que natureza

Leia mais

Tipos de Sistema de Produção

Tipos de Sistema de Produção Tipos de Sistema de Produção Os sistemas de cultura dominantes conjunto de plantas cultivadas, forma como estas se associam e técnicas utilizadas no seu cultivo apresentam grandes contrastes entre o Norte

Leia mais

Jornal Canal da Bioenergia A energia das florestas Agosto de 2014 Ano 9 Nº 94

Jornal Canal da Bioenergia A energia das florestas Agosto de 2014 Ano 9 Nº 94 Jornal Canal da Bioenergia A energia das florestas Agosto de 2014 Ano 9 Nº 94 Apesar de pouco explorada, a biomassa florestal pode ser uma das alternativas para a diversificação da matriz energética Por

Leia mais

Funções Ecológicas das APPs e RL: O papel da restauração. Flávio Bertin Gandara Renata Evangelista de Oliveira

Funções Ecológicas das APPs e RL: O papel da restauração. Flávio Bertin Gandara Renata Evangelista de Oliveira Funções Ecológicas das APPs e RL: O papel da restauração Flávio Bertin Gandara Renata Evangelista de Oliveira Silvicultura de Nativas (além da Restauração...) Silvicultura de Nativas Restauração Ecológica

Leia mais

Dia Nacional da Prevenção

Dia Nacional da Prevenção Relatório da Organização Internacional do Trabalho A proteção dos trabalhadores e do meio ambiente Este relatório da celebração do Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho 2014 analisa a situação atual

Leia mais

Legislação Territorial Agenda 21. Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza

Legislação Territorial Agenda 21. Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza Legislação Territorial Agenda 21 Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza O que é Agenda 21? Agenda 21 é um conjunto de resoluções tomadas Eco-92, que

Leia mais

FISCALIZAÇÃO DO COMÉRCIO E USO DE AGROTÓXICOS NO RIO GRANDE DO SUL. Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários

FISCALIZAÇÃO DO COMÉRCIO E USO DE AGROTÓXICOS NO RIO GRANDE DO SUL. Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários FISCALIZAÇÃO DO COMÉRCIO E USO DE AGROTÓXICOS NO RIO GRANDE DO SUL Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários 1 O que são agrotóxicos e afins? DEFINIÇÃO (Art. 1, inciso

Leia mais

Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde

Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde BLOCO I ANFITEATRO A 78 carteiras c/ PG - EA Manutenção e Lubrificação de Máquinas Agrícolas PG -EA Ensaio de Máquinas Agrícolas Radiação Solar- SALA 2 SALA 3 SALA 4 50 carteiras c/ SALA 7 SALA 8 SALA

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

Tecnologia & Engenharia Desafio Prático. Temporada 2014. Tecnologia & Engenharia. Desafio Prático. Torneio Brasil de Robótica

Tecnologia & Engenharia Desafio Prático. Temporada 2014. Tecnologia & Engenharia. Desafio Prático. Torneio Brasil de Robótica Temporada 2014 Tecnologia & Engenharia Desafio Prático Tecnologia & Engenharia Desafio Prático 7 3 1 4 5 6 2 1. Agroenergia: Descrição: trata-se da fabricação e uso dos diversos tipos de biocombustíveis

Leia mais

ENTENDENDO A ISO 14000

ENTENDENDO A ISO 14000 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ENTENDENDO A ISO 14000 Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO

AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO ENCARNITA SALAS MARTIN * INTRODUÇÃO AGROTÓXICOS: INTOXICAÇÕES PROJETO REBÔJO Agrotóxicos, defensivos agrícolas, praguicidas, pesticidas ou biocidas, são denominações de substâncias químicas naturais ou

Leia mais

Data: 05/10/2012 Assunto:

Data: 05/10/2012 Assunto: Veículo: Refrescante Data: 05/10/2012 Assunto: Manejo Integrado de Pragas promove cafeicultura sustentável http://refrescante.com.br/manejo-integrado-de-pragas-promove-cafeicultura-sustentavel.html Os

Leia mais

Legislação Federal e o Sistema de Registro de Agrotóxicos no Brasil

Legislação Federal e o Sistema de Registro de Agrotóxicos no Brasil Seminário Legislação de Agrotóxicos, Receituário Agronomico, Comercialização e Uso - Aspectos Técnicos e Legais Legislação Federal e o Sistema de Registro de Agrotóxicos no Brasil Engº Agrº Júlio Sérgio

Leia mais

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código?

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Dr. Sergius Gandolfi IV Simpósio sobre RAD - Ibt 16/11/2011-14h- Capital (SP) Biólogo, Laboratório de Ecologia

Leia mais

Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente Cenário Mundial. Recife, 04 de dezembro de 2008

Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente Cenário Mundial. Recife, 04 de dezembro de 2008 Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente Cenário Mundial Recife, 04 de dezembro de 2008 Lei 7.802/1989 artigo 3º Agrotóxicos só poderão ser produzidos, importados, exportados, manipulados comercializados

Leia mais

A lagarta acabou com o meu feijão!

A lagarta acabou com o meu feijão! A lagarta acabou com o meu feijão! A UU L AL A Os brasileiros gostam muito de um bom prato de arroz e feijão. Quando vamos ao supermercado e compramos um pacote de feijão pronto para ser cozido, não imaginamos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA SDA/SDC/ANVISA/IBAMA Nº 1, DE 24 DE MAIO DE 2011.

INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA SDA/SDC/ANVISA/IBAMA Nº 1, DE 24 DE MAIO DE 2011. INSTRUÇÃO NORMATIVA CONJUNTA SDA/SDC/ANVISA/IBAMA Nº 1, DE 24 DE MAIO DE 2011. O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA, o SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Controle de Resíduos GT Revisão Resolução CONAMA 05/93

Controle de Resíduos GT Revisão Resolução CONAMA 05/93 Controle de Resíduos GT Revisão Resolução CONAMA 05/93 Oscar de Aguiar Rosa Filho Fiscal Federal Agropecuário Vigilância Agropecuária Internacional Secretaria de Defesa Agropecuária A agropecuária no Brasil:

Leia mais

Uso de agrotóxicos, seus efeitos para a saúde e o ambiente e o uso de outras alternativas

Uso de agrotóxicos, seus efeitos para a saúde e o ambiente e o uso de outras alternativas Uso de agrotóxicos, seus efeitos para a saúde e o ambiente e o uso de outras alternativas Maria Irani Fernandes Moreira 1 e José Robério de Sousa Almeida 2 1 Aluna da Faculdade de Filosofia Dom Aureliano

Leia mais

Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC)

Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC) Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC) ÍNDICE 1. Gestão da Propriedade...03 2. Gestão Ambiental...04 3. Material Propagativo (Sementes, mudas e estacas)...05 4. Localização e Implantação de Cafezais...06

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.813, DE 22 DE JUNHO DE 2006. Aprova a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e dá outras providências.

Leia mais

VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos

VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos Linhas de crédito para o setor florestal Homero José Rochelle Engº Agrônomo ESALQ 1979 Plano de Safra 2014/2015 MAPA - Ministério

Leia mais

Roteiro de visita a campo

Roteiro de visita a campo Roteiro de visita a campo 4Fs Brasil - The Forest Dialogue (TFD) 11-14 Novembro 2012, Capão Bonito, Brasil Dia 1 Domingo, 11 de Novembro 8:00 Saída dos hotéis 8:30 Chegada ao IDEAS e informações sobre

Leia mais

2º Encontro de Lideranças do Agro Negócio. Laércio V. Giampani 30 de julho de 2009.

2º Encontro de Lideranças do Agro Negócio. Laércio V. Giampani 30 de julho de 2009. 2º Encontro de Lideranças do Agro Negócio Laércio V. Giampani 30 de julho de 2009. Conteúdo da Apresentação Contexto e desafios do Agribusiness Global Contribuição do Brasil Contribuição da tecnologia

Leia mais

PRESERVANDO NASCENTES E MANANCIAIS

PRESERVANDO NASCENTES E MANANCIAIS PRESERVANDO NASCENTES E MANANCIAIS A água é um recurso natural insubstituível para a manutenção da vida saudável e bem estar do homem, além de garantir auto-suficiência econômica da propriedade rural.

Leia mais

Info-Guide On-line: Palmito Pupunha

Info-Guide On-line: Palmito Pupunha Info-Guide On-line: Palmito Pupunha Introdução Nas décadas de 40 e 50 o Estado de São Paulo foi um dos maiores produtores nacional de palmito juçara atingindo praticamente 50% da produção nacional. Atualmente

Leia mais

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços A APP era computada a partir das margens de rio ou cursos d água, pelo nível mais alto do período de cheia. Várzeas eram consideradas parte dos rios ou cursos d água, porque são inundadas durante o período

Leia mais

Problemas e desafios Soluções e ações propostas

Problemas e desafios Soluções e ações propostas FÓRUM DAS OFICINAS DO GRUPO DE TRABALHO DE AGRICULTURA ORGÂNICA E AGROECOLOGIA I - Introdução/Apresentações II - Comercialização III - Produção/Pesquisa/Assistência Técnica IV - Produção Animal V - Impactos

Leia mais

Palavras chave: sustentabilidade, insumos agrícolas, empresas transnacionais.

Palavras chave: sustentabilidade, insumos agrícolas, empresas transnacionais. SEMEANDO A (IN) SUSTENTABILIDADE: DISCUSSÃO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE INSUMOS QUÍMICOS NA AGRICULTURA Autora: Doris Sayago 1 Instituição: Centro de Desenvolvimento Sustentável CDS/UnB Palavras chave: sustentabilidade,

Leia mais

L A T I N A M E R I C A

L A T I N A M E R I C A SAFRA 2008 2009: TENDÊNCIAS E DESAFIOS DEFENSIVOS AGRÍCOLAS Engº Agrº José Otavio Menten Diretor Executivo ANDEF Associação Nacional de Defesa Vegetal 01/10/2008 ABMR / SP SAFRA 2008 2009 TENDÊNCIAS E

Leia mais

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS.

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. Graciela Rodrigues Trindade (1) Bacharel em Gestão Ambiental formada

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROPOSTAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROPOSTAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL Agrotóxicos: meu bem, meu mal? Incentivo ao Ensino de Ciências, Saúde e Meio Ambiente. AUTORA: LAURA CAROLINE HELD ORIENTADOR: DARIO XAVIER PIRES

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO)

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) Ingressantes a partir de 2015 1º SEMESTRE HORAS 2º SEMESTRE HORAS Introdução à Engenharia Agronômica 60 Metodologia Científica 60 Álgebra Linear 60 Desenho

Leia mais

Categoria Resumo Expandido Eixo Temático - (Expansão e Produção Rural X Sustentabilidade)

Categoria Resumo Expandido Eixo Temático - (Expansão e Produção Rural X Sustentabilidade) Categoria Resumo Expandido Eixo Temático - (Expansão e Produção Rural Sustentabilidade) Titulo do Trabalho PRODUÇÃO ORGÂNICA DE CANA-DE-AÇÚCAR, MANEJO E BIODIVERSIDADE Nome do Autor (a) Principal Vagner

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS

Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS Imidacloprid 700WG Inseticida de tripla ação: sistêmico, de contato e ingestão Galeão é um inseticida sistêmico, do grupo dos neonicotinóides que

Leia mais

REGULAMENTO XIII PRÊMIO MÉRITO FITOSSANITÁRIO COOPERATIVAS 2009

REGULAMENTO XIII PRÊMIO MÉRITO FITOSSANITÁRIO COOPERATIVAS 2009 REGULAMENTO XIII PRÊMIO MÉRITO FITOSSANITÁRIO COOPERATIVAS 2009 1. Apresentação O Prêmio Mérito Fitossanitário é o reconhecimento ações de responsabilidade social e ambiental das indústrias de defensivos

Leia mais

As Principais Fontes De Energia Presentes No Mundo

As Principais Fontes De Energia Presentes No Mundo As Principais Fontes De Energia Presentes No Mundo INTRODUÇÃO: Desde a pré-história o homem vem se utilizando de diversas fortes e formas de energia, para suprir suas necessidades energéticas, por isso,

Leia mais

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Hoje, um grande desafio para a agropecuária, principalmente em relação à inovação tecnológica, é a harmonização do setor produtivo com os princípios da

Leia mais

Recursos Genéticos brasileiros. Derly José Henriques da Silva Professor do Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Viçosa

Recursos Genéticos brasileiros. Derly José Henriques da Silva Professor do Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Viçosa Recursos Genéticos brasileiros Derly José Henriques da Silva Professor do Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Viçosa Acesso aos recursos genéticos (antes da CDB ECO - RIO 1992) recursos

Leia mais

CADASTRO E PLANO DE TRABALHO SIMPLIFICADO ANTECIPAÇÃO DO VAZIO SANITÁRIO DA SOJA - SAFRA 2015/16

CADASTRO E PLANO DE TRABALHO SIMPLIFICADO ANTECIPAÇÃO DO VAZIO SANITÁRIO DA SOJA - SAFRA 2015/16 CADASTRO E PLANO DE TRABALHO SIMPLIFICADO ANTECIPAÇÃO DO VAZIO SANITÁRIO DA SOJA - SAFRA 2015/16 IDENTIFICAÇÃO DO IRRIGANTE Nome do Produtor: Nome da Propriedade: Endereço da Lavoura: CEP: Município: Estado:

Leia mais

AQUECIMENTO GLOBAL. Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas CAPA

AQUECIMENTO GLOBAL. Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas CAPA CAPA AQUECIMENTO GLOBAL Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas Por Mônica Georgino Um dos maiores desafios da humanidade no século 21 é aprender a lidar

Leia mais

Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS

Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS 0 1. O que são as Boas Práticas Agrícolas? Os consumidores estão cada vez mais preocupados em obter alimentos saudáveis,

Leia mais

Pesquisa e desenvolvimento de tecnologias para modelos sustentáveis de agricultura.

Pesquisa e desenvolvimento de tecnologias para modelos sustentáveis de agricultura. FUNDAÇÃO MOKITI OKADA Mokiti Okada - CPMO Pesquisa e desenvolvimento de tecnologias para modelos sustentáveis de agricultura. Leandro de Almeida Amado Engenheiro Agrônomo, MSc Assistente Técnico Outubro

Leia mais