Farmacologia Aspectos gerais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Farmacologia Aspectos gerais"

Transcrição

1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação Departamento de Biologia Farmacologia Aspectos gerais Prof. Raimundo Jr, M.Sc

2 Bibliografia Básica: SILVA, P. Farmacologia. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, RANG, H.P. & DALE, M.M. Farmacologia. 4ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, KATZUNG, BERTRAM. Farmacologia: básica e clínica. 9ª ed. Rio Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, GOODMAN, L. S. & GILMAN, A. As Bases Farmacológicas da Terapêutica. 10ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

3 A diferença entre um remédio e um veneno está só na dosagem. (Paracelso Médico e físico do séc. XVI)

4 O QUE É FARMACOLOGIA? DEFINIÇÃO: estudo dos efeitos das substâncias químicas sobre a função dos sistemas biológicos (interação dos compostos químicos com os organismos vivos) Substância química droga ou fármaco Medicamento Subst. tóxica A farmacologia estuda principalmente droga-medicamento, com seus efeitos benéficos e desejáveis, mas também focaliza a possível e potencial toxicidade dos medicamentos.

5 DROGA Qualquer substância que ocasiona uma alteração no funcionamento biológico por suas ações químicas. Efeito benéfico Efeito adverso Fármaco Agente tóxico FARMACOLOGIA TOXICOLOGIA

6 FARMACOLOGIA Estuda as substâncias que interagem com sistemas vivos por meio de processos químicos, ligando-se a moléculas reguladoras e ativando ou inibindo processos corporais normais. TOXICOLOGIA A ciência que estuda os efeitos nocivos decorrentes das Efeitos terapêuticos Efeitos colaterais interações de substâncias químicas com o organismo.

7

8 Divisões da farmacologia Farmacodinâmica Farmacocinética Farmacologia pré-clínica Farmacologia clínica Farmacognosia fitoterápicos Farmacoterapia Farmacotécnica Farmacoepidemiologia Farmacovigilância

9 CONCEITOS GERAIS Fármaco: Substância química de estrutura química definida, capaz de modificar as funções do organismo - Necessita atingir o local de ação Origem: sintética, animal, vegetal Efeitos: benéficos ou maléficos Administração: através de uma forma farmacêutica através de uma via de administração

10 Medicamento: Subst. ou associação de princípios ativos Ef. benéfico ao organismo Remédio: Substância ou medida utilizada para curar uma determinada enfermidade Medicamento, massagem, rituais Sem comprovação científica Droga: Qualquer estrut. quím. que altere a fisiologia e/ou patologia normal Droga-medicamento ou droga-tóxico Alopatia: É um sistema terapêutico Cura pelo antagonismo

11 Homeopatia: Semelhante cura semelhante Diluições sucessivas Placebo: Sem efeito terapêutico Testes clínicos de novas drogas Tóxico ou veneno: Droga com efeito maléfico - Inerte - Ativo - Nocebo Medicamento oficinal: Preparação na farmácia de manipulação Segue norma e dose farmacopéica Medicamento magistral: Preparação individual Prescrição médica

12

13 DIVISÕES DA FARMACOLOGIA Farmacocinética Farmacodinâmica Principais

14 Farmacologia Farmacocinética Movimento que a droga sofre no organismo Absorção Distribuição Metabolização Excreção Farmacodinâmica Ações da droga no organismo Local de ação Mecanismo de ação Efeito

15

16 Fases envolvidas na ação biológica das drogas no organismo Dose Via de adm 1. Fase farmacêutica Liberação do PA da FF Principal Colateral Viabilidade farmacêutica Efeito 2. Fase farmacocinética Absorção Distribuição Metabolização (biotransformação) Excreção Tóxico Viabilidade biológica 3. Fase farmacodinâmica Integração droga/sítio de ação

17 Biodisponibilidade Bioequivalência Fração do fármaco que realmente atinge a circulação sistêmica, ficando disponível para exercer sua ação terapêutica. Depende de fatores: -Físico-químicos -Farmacêuticos -Fisiológicos biodisponibilidade Rapidez resposta farmacológica

18 Biodisponibilidade X Toxicidade

19 BIOEQUIVALÊNCIA Comprovação por meio de testes que o medicamento genérico tem a capacidade de produzir resposta idêntica ao referência É a equivalência farmacêutica entre dois produtos, ou seja, dois produtos são bioequivalentes quando possuem os mesmos princípios ativos, dose e via de administração, e apresentam estatisticamente a mesma potência.

20 Margem Terapêutica Valor para o qual há efeito farmacológico sem haver efeito tóxico Maior probabilidade de ter o efeito esperado com menor probabilidade de ter efeitos tóxicos

21 REFERÊNCIA X GENÉRICO X SIMILAR - 1º a ser produzido - Protegido por patente - Testes de controle de qualidade (biodisponibilidade) - Nome fantasia

22 REFERÊNCIA X GENÉRICO X SIMILAR - Cópia fiel ao referência - Produzido após o término do período de patente - Testes de controle de qualidade garantidos pela ANVISA (bioequivalência e biodisponibilidade) -Nome do princípio ativo + tarja amarela com G - Assegurado pela Lei dos Genéricos (1999)

PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia.

PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia. PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia fernandabrito@vm.uff.br Pharmakon FARMACOLOGIA Logos Ciência que estuda a ação dos compostos biologicamente ativos no organismos e areação do organismo a estes

Leia mais

atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico

atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico atendente de FARMÁCIA ORIGEM E EVOLUÇÃO DA FARMÁCIA Introdução Introdução O documento farmacêutico mais antigo é uma tábua

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA DA FIBRA PRIMEIRO PERÍODO - EIXO TEMÁTICO: O HOMEM COMO SER BIOLÓGICO E SOCIAL

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA DA FIBRA PRIMEIRO PERÍODO - EIXO TEMÁTICO: O HOMEM COMO SER BIOLÓGICO E SOCIAL MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA DA FIBRA PRIMEIRO PERÍODO - EIXO TEMÁTICO: O HOMEM COMO SER BIOLÓGICO E SOCIAL ANATOMIA HUMANA FISIOLOGIA HUMANA BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR PROFISSIO

Leia mais

Registro e Pós-Registro de Medicamentos

Registro e Pós-Registro de Medicamentos Registro e Pós-Registro de Medicamentos Outubro - 2013 Consultora Técnica Chefe do Departamento de Desenvolvimento Tecnológico (Far/Fiocruz) Gerente de Projetos de Desenvolvimento Tecnológico (Far/Fiocruz)

Leia mais

Conselho Federal de Farmácia (CFF) Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Cebrim/CFF)

Conselho Federal de Farmácia (CFF) Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Cebrim/CFF) Nota Técnica n.º 01/2014 Data de elaboração: 26 de fevereiro de 2014. Tartarato de metoprolol e succinato de metoprolol apresentam diferenças farmacocinéticas, não sendo possível a intercambialidade entre

Leia mais

Farmacologia. Farmacologia. Estuda os aspectos bioquímicos e fisiológicos dos. efeitos dos fármacos. É dividida em duas áreas principais:

Farmacologia. Farmacologia. Estuda os aspectos bioquímicos e fisiológicos dos. efeitos dos fármacos. É dividida em duas áreas principais: Farmacologia Farmacologia Estuda os aspectos bioquímicos e fisiológicos dos efeitos dos fármacos Prof. Carlos Cezar I. S. Ovalle É dividida em duas áreas principais: Farmacocinética Farmacodinâmica 1 Farmacocinética

Leia mais

Qual é a importância da farmácia: A fundamental importância da farmácia de manipulação é o fracionamento das substâncias para cada caso clínico.

Qual é a importância da farmácia: A fundamental importância da farmácia de manipulação é o fracionamento das substâncias para cada caso clínico. Farmácia de Manipulação O que é Farmácia de Manipulação: A farmácia de manipulação ou magistral, é aquela que manipula fórmulas atendendo a diversas especialidades médicas. Qual é a importância da farmácia:

Leia mais

Debater o uso da fosfoetanolamina sintética para o tratamento do câncer

Debater o uso da fosfoetanolamina sintética para o tratamento do câncer Debater o uso da fosfoetanolamina sintética para o tratamento do câncer Audiência Pública Comissão de Seguridade Social e Família Meiruze Sousa Freitas Superintendente de Medicamentos e Produtos Biológicos

Leia mais

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: MEDICINA DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS DISCIPLINA: FARMACOLOGIA II CARGA HORÁRIA: 120 HORAS CRÉDITOS: 06 CÓDIGO: SCF0020 PROFESSOR: CARLOS ALBERTO LACERDA

Leia mais

1º dia de aula, apresentações: A disciplina de CMF-1 Os professores O cronograma As normas O portal universitário

1º dia de aula, apresentações: A disciplina de CMF-1 Os professores O cronograma As normas O portal universitário www.unic.br Grupo educacional KROTON Universidade de Cuiabá UNIC www.unic.br Faculdade de Fisioterapia Faculdade de Enfermagem Faculdade de Nutrição Faculdade de Odontologia Faculdade de Farmácia Faculdade

Leia mais

COMPONENTES CURRICULARES E CORPO DOCENTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CARGA HORÁRIA DOCENTES TITULAÇÃO TEMPO DE EXERCÍCIO TEÓRICA PRÁTICA TOTAL

COMPONENTES CURRICULARES E CORPO DOCENTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CARGA HORÁRIA DOCENTES TITULAÇÃO TEMPO DE EXERCÍCIO TEÓRICA PRÁTICA TOTAL COMP CURRICULARES COMPONENTES CURRICULARES E CORPO DOCENTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CARGA HORÁRIA DOCENTES TITULAÇÃO TEMPO DE EXERCÍCIO TEÓRICA PRÁTICA TOTAL NA IES 1 PERÍODO Introdução às Ciências

Leia mais

Avaliação Económica. Bruno Costa Economista. DEMPS/AER, INFARMED, I.P. Lisboa, 19 de Junho de 2008

Avaliação Económica. Bruno Costa Economista. DEMPS/AER, INFARMED, I.P. Lisboa, 19 de Junho de 2008 Avaliação Económica Bruno Costa Economista DEMPS/AER, INFARMED, I.P. Lisboa, 19 de Junho de 2008 1 Procedimento de avaliação Parecer negativo Mais valia vs comparador (VTA) Equivalência clínica Análise

Leia mais

atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico

atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico atendente de FARMÁCIA CLASSIFICAÇÃO DOS FÁRMACOS Introdução o que são FÁRMACOS? Substância química conhecida e de estrutura

Leia mais

Farmacodinamia. Estudo dos mecanismos de acção e efeitos dos fármacos

Farmacodinamia. Estudo dos mecanismos de acção e efeitos dos fármacos Sumário Farmacodinamia. Conceito de receptor. Afinidade e eficácia; constantes de afinidade. Tipos e subtipos de receptores. Mecanismos transductores / efectores; família da proteína G, receptores ligados

Leia mais

Posologia: A posologia habitual corresponde à ingestão de uma cápsula, três vezes por dia, no momento das principais refeições.

Posologia: A posologia habitual corresponde à ingestão de uma cápsula, três vezes por dia, no momento das principais refeições. RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Venosmil 200 mg cápsula 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Composição por cápsula: Substância ativa: Cada cápsula contém 200 mg de

Leia mais

Protocolo para Utilização do Levonorgestrel na Anticoncepção Hormonal de Emergência

Protocolo para Utilização do Levonorgestrel na Anticoncepção Hormonal de Emergência Protocolo para Utilização do Levonorgestrel na Anticoncepção Hormonal de Emergência A anticoncepção hormonal de emergência é um método que utiliza concentração de hormônios para evitar gravidez após a

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF)

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) I. DEFINIÇÃO Em atendimento às Diretrizes Curriculares do Ministério da Educação, todo aluno do Curso de Engenharia Florestal deverá, obrigatoriamente,

Leia mais

Solicitação de registro dos novos medicamentos

Solicitação de registro dos novos medicamentos Terceiro Congresso das Hepatites Virais Solicitação de registro dos novos medicamentos Ricardo Borges Gerente Geral de Medicamentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária -ANVISA João Pessoa, 18 de novembro

Leia mais

Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes mencionados na secção 6.1.

Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes mencionados na secção 6.1. RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Daflon 500 500 mg comprimidos revestidos por película 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA e QUANTITATIVA Bioflavonoides (Fração flavonóica purificada

Leia mais

Absorção e distribuição de drogas. Medicamentos. Medicamento é qualquer agente químico que, administrado no organismo vivo, produz efeitos benéficos.

Absorção e distribuição de drogas. Medicamentos. Medicamento é qualquer agente químico que, administrado no organismo vivo, produz efeitos benéficos. Absorção e distribuição de drogas Medicamentos Medicamento é qualquer agente químico que, administrado no organismo vivo, produz efeitos benéficos. Droga é qualquer substância que, administrada no organismo

Leia mais

FARMACOCINÉTICA FARMACODINÂMICA FARMACOCINÉTICA CONCEITOS PRELIMINARES EVENTOS ADVERSOS DE MEDICAMENTOS EAM. Ação do medicamento na molécula alvo;

FARMACOCINÉTICA FARMACODINÂMICA FARMACOCINÉTICA CONCEITOS PRELIMINARES EVENTOS ADVERSOS DE MEDICAMENTOS EAM. Ação do medicamento na molécula alvo; CONCEITOS PRELIMINARES Remédio; Medicamentos; Medicação; Fármaco; Droga; Eventos Adversos de Medicamentos (EAM). EVENTOS ADVERSOS DE MEDICAMENTOS EAM Associado ou não à um dano ao paciente. É o caminho

Leia mais

TOXICOLOGIA FORENSE 29/10/2007

TOXICOLOGIA FORENSE 29/10/2007 TOXICOLOGIA FORENSE 29/10/2007 TOXICOLOGIA RAMOS DE ESTUDO Toxicologia Experimental Toxicidade - Prevenção Toxicologia Analítica Toxicante - Diagnóstico químico Toxicologia Clínica Intoxicação - Tratamento

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Duspatal Retard 200 mg cápsulas de libertação prolongada

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Duspatal Retard 200 mg cápsulas de libertação prolongada RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Duspatal Retard 200 mg cápsulas de libertação prolongada 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada cápsula de gelatina dura de libertação

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Consulta Pública n 01, de 7 de janeiro de 2013 D.O.U de 08/01/2013

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.  Consulta Pública n 01, de 7 de janeiro de 2013 D.O.U de 08/01/2013 Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 01, de 7 de janeiro de 2013 D.O.U de 08/01/2013 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

QUADRO DE VAGAS PARA SISTEMA CONTINUADO DE AVALIAÇÃO DOCENTE 2011/2

QUADRO DE VAGAS PARA SISTEMA CONTINUADO DE AVALIAÇÃO DOCENTE 2011/2 QUADRO DE VAGAS PARA SISTEMA CONTINUADO DE AVALIAÇÃO DOCENTE 2011/2 CAMPUS VAGA(S) CURSO(S) DISCIPLINA(S) C/H PERFIL ANÁPOLIS 1 AGRONOMIA Introdução à Ciência dos Solos (4h) Agrometeorologia e climatologia

Leia mais

Venoruton (com sabor a laranja), 1000 mg, pó para solução oral

Venoruton (com sabor a laranja), 1000 mg, pó para solução oral RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Venoruton (com sabor a laranja), 1000 mg, pó para solução oral 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada saqueta contém 1000 mg de Oxerrutinas.

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Informações aos Encarregados de Educação do trabalho a realizar no: 5º Ano Ciências Naturais Ano Letivo 2015/2016 1. Aulas previstas: Aulas (*) 5º1ª 5º2ª 5º3ª 5º4ª 1º Período: 21 de Setembro - 17 de Dezembro

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 18 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO INTERGONAN 6000 UI pó e solvente para solução injectável para bovinos, ovinos, coelhos e cães 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA

Leia mais

Bromocriptina mesilato

Bromocriptina mesilato Material Técnico Identificação Fórmula Molecular: C 32 H 40 BrN 5 O 5.CH 4 O 3 S Peso molecular: 750.72 DCB/ DCI: 01466 - mesilato de bromocriptina / 3365 CAS: 22260-51-1 INCI: não aplicável Sinonímia:

Leia mais

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin NUTRIÇÃO??? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais do indivíduo,

Leia mais

de laboratório em pesquisas Segurança dos animais Segurança do experimentador

de laboratório em pesquisas Segurança dos animais Segurança do experimentador Segurança no uso de animais de laboratório em pesquisas Segurança dos animais Ética no uso dos animais Segurança do experimentador Como em qualquer laboratório, pratique Boas Praticas Laboratoriais no

Leia mais

Nova Regra para Bulas de Medicamentos

Nova Regra para Bulas de Medicamentos XV ENCONTRO TÉCNICO E XI ENCONTRO EMPRESARIAL - ABRASP Nova Regra para Bulas de Medicamentos RESOLUÇÃO-RDC Nº 47/2009 Carolina K. Rodrigues 21/09/2010 RESOLUÇÃO-RDC Nº 47/2009 DOU de 19/01/2010 (republicação)

Leia mais

SÉRIE SAÚDE EDIÇÃO EM PORTUGUÊS. organizadores. colaboradores

SÉRIE SAÚDE EDIÇÃO EM PORTUGUÊS. organizadores. colaboradores organizadores Maria Rita Garbi Novaes Fernando Lolas Alvaro Quezada Sepúlveda colaboradores Adriana Patricia Acuña Johnson Alberto Herreros de Tejada López Coterilla Aldo Alvarez Risco Ana Victoria Delfino

Leia mais

Comprimido revestido. Valdispert 450 mg são comprimidos revestidos brancos, redondos, brilhantes e biconvexos.

Comprimido revestido. Valdispert 450 mg são comprimidos revestidos brancos, redondos, brilhantes e biconvexos. RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Valdispert 450 mg comprimidos revestidos 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada comprimido revestido contém: 450 mg de extrato (como

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TERESINENSE DE ENSINO-ATE FACULDADE SANTO AGOSTINHO-FSA DIRETORIA DE ENSINO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO NUAPE

ASSOCIAÇÃO TERESINENSE DE ENSINO-ATE FACULDADE SANTO AGOSTINHO-FSA DIRETORIA DE ENSINO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO NUAPE ASSOCIAÇÃO TERESINENSE DE ENSINO-ATE FACULDADE SANTO AGOSTINHO-FSA DIRETORIA DE ENSINO NÚCLEO DE APOIO PEDAGÓGICO NUAPE Programa de Otimização Curricular- POC 2016 Curso Disciplina CH Turno PSICOLOGIA

Leia mais

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013

Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 Programa de Capacitação de Agentes Fiscais SANTA MARIA: 14/08/2013 CONCEITOS RESÍDUO: Resíduos nos estados sólido, semi-sólido ou líquido resultantes de atividades industriais, domésticas, hospitalar,

Leia mais

Projeto de Recuperação Final - 1ª Série (EM)

Projeto de Recuperação Final - 1ª Série (EM) Projeto de Recuperação Final - 1ª Série (EM) Matemática 1 MATÉRIA A SER ESTUDADA Nome do Fascículo Aula Ex de aula Ex da tarefa Funções Inequação do 1º grau, pág 59 2 4,5,6 Funções Inequação do 1º grau,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 79/2004, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 79/2004, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 RESOLUÇÃO Nº 79/2004, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Altera a Resolução nº 100/2003, de 18 de dezembro de 2003, que "define crédito acadêmico e crédito financeiro, fixa os critérios e determina os valores de

Leia mais

Coloque aqui o Título do seu Projeto de Pesquisa. Fulano de Tal

Coloque aqui o Título do seu Projeto de Pesquisa. Fulano de Tal ANEXO 1 (apague essa linha no seu projeto) Coloque aqui o Título do seu Projeto de Pesquisa Fulano de Tal fdtal@email.br Resumo O resumo deve conter entre 150 e 250 palavras e apresentar brevemente justificativa,

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 443/2014

RESPOSTA RÁPIDA 443/2014 RESPOSTA RÁPIDA 443/2014 SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito da Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.1576-9 DATA 01/08/2014 Ao NATS, SOLICITAÇÃO Reinteramos solicitão

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA MULTICÊNTRICO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS

SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA MULTICÊNTRICO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA MULTICÊNTRICO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS A Coordenação local do Programa Multicêntrico de Pós-Graduação

Leia mais

Prof. Luiz F. Silva Jr - IQ-USP

Prof. Luiz F. Silva Jr - IQ-USP Leitura Recomendada: Organic Chemistry, J. Clayden, N. Greeves, S. Warren, P. Wothers, Oxford, Oxford, 2001, cap. 1 e 2. 1.1. Definição e Importância da Química Orgânica Química Orgânica é a química dos

Leia mais

14º Encontro CEAR PERSPECTIVA REGULAMENTAR EM MATÉRIA DE PUBLICIDADE E TRANSPARÊNCIA MEDICAMENTOS E PRODUTOS DE SAÚDE

14º Encontro CEAR PERSPECTIVA REGULAMENTAR EM MATÉRIA DE PUBLICIDADE E TRANSPARÊNCIA MEDICAMENTOS E PRODUTOS DE SAÚDE PERSPECTIVA REGULAMENTAR EM MATÉRIA DE PUBLICIDADE E TRANSPARÊNCIA MEDICAMENTOS E PRODUTOS DE SAÚDE Ricardo Coimbra 11 de Dezembro de 2014 Hotel Real Palácio, Lisboa Agenda A Sociedade e a IF Enquadramento

Leia mais

Métodos Anticoncepcionais

Métodos Anticoncepcionais Métodos Anticoncepcionais Tabelinha O que é? A tabelinha, também conhecida por método rítmico, é baseada em um cálculo realizado a partir de um calendário, para saber o início e o fim do período fértil.

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PPC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE SECRETARIA DO COLEGIADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAMPUS UNIVERSITÁRIO - TRINDADE CEP: 88040-970 - FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÂO DE BOLSISTA Nº13/2016 BOLSA DE DESENVOLVIMENTO PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Área de Concentração

TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÂO DE BOLSISTA Nº13/2016 BOLSA DE DESENVOLVIMENTO PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Área de Concentração TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÂO DE BOLSISTA Nº13/2016 BOLSA DE DESENVOLVIMENTO PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Área de Concentração Desenvolvimento Estrutural de CTI Linha de Desenvolvimento de CTI Estruturação

Leia mais

Unidade Propriedades da matéria

Unidade Propriedades da matéria Unidade 1 1. Propriedades da matéria O que é matéria? O que é matéria? Tudo que ocupa lugar no espaço é feito de matéria. Ex: Mesas, cadeiras, animais, plantas e até o ar que respiramos! Chamamos de corpo

Leia mais

Prof. Márcio Batista

Prof. Márcio Batista Associação Medicamentosa. Riscos. Incidência de 3-5%. 20% usando uma média de 10 fármacos. (paciente hospitalizado: média de 6-8 fármacos) Potencializar os efeitos terapêuticos Diminuir os efeitos colaterais

Leia mais

Áreas Curso Serie Vigência Vagas Seleção Pré-Requisito. Ago, set, Out, Nov. Ago, Set, Out, Nov 2. Ago, Set, Out, Nov 2. Ago, Set, Out, Nov 2

Áreas Curso Serie Vigência Vagas Seleção Pré-Requisito. Ago, set, Out, Nov. Ago, Set, Out, Nov 2. Ago, Set, Out, Nov 2. Ago, Set, Out, Nov 2 Edital/ DERCA nº 03 de 30 de Junho de 0 A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre torna público que estarão abertas as inscrições para o Programa de Monitoria

Leia mais

Quem busca economia prefere Heliotek

Quem busca economia prefere Heliotek Linha de aquecimento para piscina Quem busca economia prefere Heliotek A marca de aquecimento solar do grupo Bosch Aquecedor solar de piscina A opção com melhor custo-benefício para aquecer sua piscina

Leia mais

Classificação. Os meios de cultura são classificados em alguns tipos, que seguem abaixo: Seletivo; Diferencial; Enriquecimento; Transporte;

Classificação. Os meios de cultura são classificados em alguns tipos, que seguem abaixo: Seletivo; Diferencial; Enriquecimento; Transporte; Meios de Cultura Introdução Os meios de cultura são preparações nas quais, ao longo de suas formulações, contêm nutrientes necessários para proporcionar o crescimento de microorganismos; Os mesmos podem

Leia mais

Titulação Mínima. Terça-feira das 9h35 às 11h15 e Quarta-feira das 9h35 às 11h15. Terça-feira das 20h55 às 22h35 e Sexta-feira das 20h55 às 22h35

Titulação Mínima. Terça-feira das 9h35 às 11h15 e Quarta-feira das 9h35 às 11h15. Terça-feira das 20h55 às 22h35 e Sexta-feira das 20h55 às 22h35 Planilha atualizada em 28/01/2015 Vaga Curso Disciplina Ementa Horário CH semanal Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus 1 Pedagogia Literatura

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE FARMÁCIA COMUNITÁRIA

BOAS PRÁTICAS DE FARMÁCIA COMUNITÁRIA A. OBJETIVO BOAS PRÁTICAS DE FARMÁCIA COMUNITÁRIA OF.C-N004-00 P 1 / 13 Definir os princípios gerais a considerar durante o processo de dispensa de medicamentos e outros a realizar em farmácia comunitária.

Leia mais

ANEXO I EDITAL DE ABERTURA Nº 48/2015-UFAM

ANEXO I EDITAL DE ABERTURA Nº 48/2015-UFAM ANEXO I EDITAL ABERTURA Nº 48/2015-UFAM Unidade Acadêmica FAO Depto. QUADRO I VAGAS PARA AS UNIDAS ACADÊMICAS DA CAPITAL Área de Conhecimento Clínica Integrada - Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo- Facial

Leia mais

REUNIÃO COM COORDENADORES MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE PROGRAMAS DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO SUS

REUNIÃO COM COORDENADORES MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE PROGRAMAS DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO SUS REUNIÃO COM COORDENADORES MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE PROGRAMAS DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO SUS Ana Rita Novaes Coordenação das Práticas Integrativas ti e Complementares e e Secretaria Estadual

Leia mais

NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE DE 2012

NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE DE 2012 NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE DE 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 o O presente Processo Seletivo tem

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FARMACÊUTICA JUNHO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FARMACÊUTICA JUNHO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FARMACÊUTICA JUNHO DE 2016 PRODUTOS INDÚSTRIA DE MEDICAMENTOS 2011 Vendas Internas US$ 25.733 milhões US$ 1.453 milhões 5,6% exportação 13,5% Argentina

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº.: S_DGE_2014/1836 (DSDC/DMDDE) Processo nº: Para:

CIRCULAR. Circular nº.: S_DGE_2014/1836 (DSDC/DMDDE) Processo nº: Para: CIRCULAR Data: 2014/05/07 Circular nº.: S_DGE_2014/1836 (DSDC/DMDDE) Processo nº: Assunto: Adoção de manuais escolares com efeitos no ano letivo de 2014/2015 Para: Secretaria Regional Ed. dos Açores Secretaria

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO FERRUM HAUSMANN 357 mg Comprimido para mastigar 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada comprimido para mastigar contém: Substância

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO BIOMEDICINA

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO BIOMEDICINA FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DO ESPÍRITO SANTO BIOMEDICINA PROFESSORES Disciplina Regime de Trabalho Titulação Qualificação profissional Administração Laboratorial Doutorado em Biotecnologia 1 Afrânio

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERISTICAS DO MEDICAMENTO. Cada comprimido revestido por película contém 50 mg de brometo de pinavério.

RESUMO DAS CARACTERISTICAS DO MEDICAMENTO. Cada comprimido revestido por película contém 50 mg de brometo de pinavério. RESUMO DAS CARACTERISTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Dicetel 50 mg comprimidos revestidos por película 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada comprimido revestido por película contém

Leia mais

INTRODUÇÃO A QUÍMICA MEDICINAL

INTRODUÇÃO A QUÍMICA MEDICINAL INTRODUÇÃO A QUÍMICA MEDICINAL gustavo.silveira@iq.ufrgs.br Sala 201A Bloco E 1 O que é droga? Existem drogas boas e drogas ruins? 2 O que é droga? Compostos que interagem com sistemas biológicos para

Leia mais

RESÍDUOS DE PRODUTOS VETERINÁRIOS E SEU CONTROLE PROGRAMA ELABORADO POR

RESÍDUOS DE PRODUTOS VETERINÁRIOS E SEU CONTROLE PROGRAMA ELABORADO POR RESÍDUOS DE PRODUTOS VETERINÁRIOS E SEU CONTROLE PROGRAMA ELABORADO POR O QUE SÃO RESÍDUOS QUÍMICOS? São vestígios de substâncias que podem ser encontrados nos alimentos de origem animal (carne, leite

Leia mais

FACULDADE LUCIANO FEIJÃO COMISSÃO DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS CEUA PROTOCOLO PARA PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO

FACULDADE LUCIANO FEIJÃO COMISSÃO DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS CEUA PROTOCOLO PARA PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO página 1 N o CEUA FACULDADE LUCIANO FEIJÃO CEUA... PROTOCOLO PARA PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS Título do projeto: IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título em inglês (caso haja necessidade de certificado também

Leia mais

INTRODUÇÃO À ECONOMIA DOS TRANSPORTES

INTRODUÇÃO À ECONOMIA DOS TRANSPORTES UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE CAA NÚCLEO DE TECNOLOGIA ENGENHARIA CIVIL AULA 01 INTRODUÇÃO À ECONOMIA DOS TRANSPORTES Prof. Leonardo Herszon Meira, DSc DEFINIÇÕES

Leia mais

Edital de seleção de trainees 2015 para a Atomic Júnior

Edital de seleção de trainees 2015 para a Atomic Júnior EDITAL São João del-rei, 08 de Maio de 2015 Edital de seleção de trainees 2015 para a Atomic Júnior A Empresa Júnior Atomic Jr., da Universidade Federal de São João del-rei, torna pública, por meio deste

Leia mais

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A número 08 - agosto/2015 DECISÃO FINAL RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é

Leia mais

FLORATIL (Saccharomyces boulardii) Merck S/A Cápsulas 100 & 200 mg

FLORATIL (Saccharomyces boulardii) Merck S/A Cápsulas 100 & 200 mg FLORATIL (Saccharomyces boulardii) Merck S/A Cápsulas 100 & 200 mg APRESENTAÇÕES Cápsulas de gelatina. Floratil 100 mg - Embalagem contendo 12 cápsulas. Floratil 200 mg - Embalagem contendo 6 cápsulas.

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS

TRANSMISSÃO DE DADOS TRANSMISSÃO DE DADOS Aula 2: Dados e sinais Notas de aula do livro: FOROUZAN, B. A., Comunicação de Dados e Redes de Computadores, MCGraw Hill, 4ª edição Prof. Ulisses Cotta Cavalca

Leia mais

ATROPINA 0,5% e 1% ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA. 5 mg/ml de sulfato de atropina - solução oftálmica contendo frasco plástico gotejador de 5 ml

ATROPINA 0,5% e 1% ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA. 5 mg/ml de sulfato de atropina - solução oftálmica contendo frasco plástico gotejador de 5 ml ATROPINA 0,5% e 1% ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA 5 mg/ml de sulfato de atropina - solução oftálmica contendo frasco plástico gotejador de 5 ml 10 mg/ml de sulfato de atropina - solução oftálmica

Leia mais

Proteínas catalisadoras que AUMENTAM a VELOCIDADE das reações, sem sofrerem alterações no processo global.

Proteínas catalisadoras que AUMENTAM a VELOCIDADE das reações, sem sofrerem alterações no processo global. ENZIMAS Proteínas catalisadoras que AUMENTAM a VELOCIDADE das reações, sem sofrerem alterações no processo global. Toda enzima é uma proteína, mas nem toda proteína é uma enzima! CARACTERÍSTICAS GERAIS:

Leia mais

A saúde do tamanho do Brasil

A saúde do tamanho do Brasil A saúde do tamanho do Brasil BREVE HISTÓRIA DE UMA LONGA CAMINHADA A saúde é um direito de todos e um dever do estado. Essa conquista social, incorporada à Constituição Federal de 1988 e construída a partir

Leia mais

INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS

INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS INICIATIVAS DO SEBRAE NA PRODUÇÃO DE ESTUDOS DE CASOS 1 JORNADA ESTUDOS DE CASOS DA PEQUENA EMPRESA Concurso cuja proposta é firmar parcerias com instituições de ensino superior e estimular os alunos de

Leia mais

Curso de Fisioterapia

Curso de Fisioterapia Curso de Fisioterapia Psicologia / Saúde Mental: Acta comportamentalia Aletheia http://www.editoradaulbra.com.br/catalogo/periodicos/periodicos2.html http://pepsic.bvs-psi.org.br/scielo.php?script=sci_issues&pid=1413-0394&lng=pt&nrm=iso

Leia mais

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ).

1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para elaboração e controle dos documentos e registros do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTROS Responsável: Juliana Maria Gomes de Almeida Alves Cópia Controlada

Leia mais

MECANISMO DE INTERCÂMBIO DE INFORMAÇAO SOBRE EVENTOS ADVERSOS GRAVES CAUSADOS POR PRODUTOS MÉDICOS UTILIZADOS NO MERCOSUL

MECANISMO DE INTERCÂMBIO DE INFORMAÇAO SOBRE EVENTOS ADVERSOS GRAVES CAUSADOS POR PRODUTOS MÉDICOS UTILIZADOS NO MERCOSUL MERCOSUR / XXXVII SGT Nº 11/ P. RES. N º /11 MECANISMO DE INTERCÂMBIO DE INFORMAÇAO SOBRE EVENTOS ADVERSOS GRAVES CAUSADOS POR PRODUTOS MÉDICOS UTILIZADOS NO MERCOSUL (REVOGAÇÃO DA RES. GMC Nº 46/08) TENDO

Leia mais

ANÁLISE DE PREÇO E DISPONIBILIDADE DE RANITIDINA 150MG EM DROGARIAS

ANÁLISE DE PREÇO E DISPONIBILIDADE DE RANITIDINA 150MG EM DROGARIAS ANÁLISE DE PREÇO E DISPONIBILIDADE DE RANITIDINA 150MG EM DROGARIAS MOREIRA, Paula.T.D* 1 ; ROMERO, Catarina * 1 ; TACCONI, Isabella D.R.G.B. *1 ; FARIA, Luciane G. *2 *1 Estudante do Curso de Farmácia

Leia mais

Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas

Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas 1. Introdução Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas O ponto de ebulição normal de uma mistura binária líquida é a temperatura na qual a pressão de vapor total da mistura é igual a 1 atm. Ou seja,

Leia mais

Normas relativas à Dispensa de Medicamentos e Produtos de Saúde

Normas relativas à Dispensa de Medicamentos e Produtos de Saúde Adaptação à Região Autónoma da Madeira do documento conjunto da ACSS, I.P. e do INFARMED das Normas relativas à Dispensa de Medicamentos e Produtos de Saúde Normas relativas à Dispensa de Medicamentos

Leia mais

O desenho de um protocolo clínico

O desenho de um protocolo clínico O desenho de um protocolo clínico Dra. Denise de la Reza Sanofi-Aventis Histórico O desenho de um protocolo clínico 1747: Dr. Lind - Primeiro ensaio clínico publicado. Grupos de indivíduos duos com escorbuto

Leia mais

Unidade I. Aula 3.2 Conteúdo: Vida e ambiente. Diluição das soluções CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA

Unidade I. Aula 3.2 Conteúdo: Vida e ambiente. Diluição das soluções CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA Unidade I Vida e ambiente Aula 3.2 Conteúdo: Diluição das soluções 2 Habilidades: Relacionar informações apresentadas em diferentes formas de linguagem e representação usada nas ciências químicas, como

Leia mais

INSTRUMENTOS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL. Mary Anne Fontenele Martins Ouvidoria - Anvisa

INSTRUMENTOS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL. Mary Anne Fontenele Martins Ouvidoria - Anvisa 1 INSTRUMENTOS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL Mary Anne Fontenele Martins Ouvidoria - Anvisa QUEM SE CONSIDERA UM CIDADÃO? CIDADÃO = AQUELE QUE PARTICIPA DAS DECISÕES DA CIDADE QUEM SE CONSIDERA UM CONSUMIDOR?

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró Reitoria de Gestão de Pessoas

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró Reitoria de Gestão de Pessoas PROGRAMA DAS PROVAS CARGOS DO NÍVEL DE CLASSIFICAÇÃO D CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA OS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO LÍNGUA PORTUGUESA Compreensão de textos informativos e argumentativos e de textos de ordem prática

Leia mais

* MÉTODOS DE PESQUISA E AVALIAÇÃO EM ODONTOLOGIA DISCIPLINA EM OFERTA VIRTUAL ( ). (*) ATENÇÃO PRÁTICAS quinzenais

* MÉTODOS DE PESQUISA E AVALIAÇÃO EM ODONTOLOGIA DISCIPLINA EM OFERTA VIRTUAL ( ). (*) ATENÇÃO PRÁTICAS quinzenais 1º PERÍODO 13:30 07:40 15:20 17:10 19:00 20:50 1) Introdução à 1) Introdução à Bioquímica e Biologia Molecular Bioquímica e Biologia Molecular Embriologia Geral e da Face Embriologia Geral e da Face 2)

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES CIM-RS

RELATÓRIO DE ATIVIDADES CIM-RS RELATÓRIO DE ATIVIDADES CIM-RS - 2013- Boletim Informativo: http://www.ufrgs.br/boletimcimrs/ 1 de 8 Introdução O Centro de Informações sobre Medicamentos do Rio Grande do Sul (CIM-RS) funciona desde 1999

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM RADIOFARMÁCIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

FACULDADE LUCIANO FEIJÃO COMISSÃO DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS CEUA PROTOCOLO PARA USO DE ANIMAIS EM AULAS PRÁTICAS IDENTIFICAÇÃO

FACULDADE LUCIANO FEIJÃO COMISSÃO DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS CEUA PROTOCOLO PARA USO DE ANIMAIS EM AULAS PRÁTICAS IDENTIFICAÇÃO Página 1 N o CEUA FACULDADE LUCIANO FEIJÃO CEUA IDENTIFICAÇÃO (deve ser submetido um protocolo para cada aula) Disciplina(s) e curso(s) em que esta aula será ministrada: Nível: PROFESSOR RESPONSÁVEL Nome:

Leia mais

ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA. Processo de Seleção para Residência em Área Profissional da Saúde

ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA. Processo de Seleção para Residência em Área Profissional da Saúde ANEXO II - PROGRAMAS DA PROVA ESCRITA Processo de Seleção para Residência em Área Profissional da Saúde PERFIL: ATENÇÃO BÁSICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para todas as categorias profissionais: Conhecimentos

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: FERROCIANETO DE POTÁSSIO - Código interno de identificação do produto: F1008 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 1 PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE AGENTES BIOLÓGICOS Objetivo: Determinar a natureza, grau e o tempo de exposição dos trabalhadores

Leia mais

THIABENA UCI-FARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. POMADA DERMATOLÓGICA. 50 mg/g

THIABENA UCI-FARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. POMADA DERMATOLÓGICA. 50 mg/g THIABENA UCI-FARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. POMADA DERMATOLÓGICA 50 mg/g I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Thiabena tiabendazol FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO THIABENA POMADA DERMATOLÓGICA: Embalagem

Leia mais

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição glicose

Leia mais

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES) 2013

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES) 2013 EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES) 2013 A Pró-Reitoria de Graduação - PRG e a - DAE, no uso de suas atribuições, em conformidade com o disposto na Portaria

Leia mais

A computação aplicada à resolução de sistemas lineares

A computação aplicada à resolução de sistemas lineares Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Departamento de Sistemas e Computação Programa de Educação Tutorial (PET) A computação aplicada à resolução de sistemas

Leia mais

APROVADO EM INFARMED

APROVADO EM INFARMED RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO BASINAL 100mg comprimidos APROVADO EM 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada comprimido contém 100mg de cloridrato de naltrexona.

Leia mais

EDITAL UnC REITORIA 001/2016

EDITAL UnC REITORIA 001/2016 EDITAL UnC REITORIA 001/2016 Estabelece o Processo de Recomposição de Carga Horária dos Professores de Ensino Superior da UnC, considerando o Artigo 33 do Plano de Carreira, Cargos e Salários da FUnC,

Leia mais

TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) SERVIÇOS RELATIVOS A PATENTES Diretoria de Patentes DIRPA

TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) SERVIÇOS RELATIVOS A PATENTES Diretoria de Patentes DIRPA 204 TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) (I) Pedido e Concessão 200 202 203 Pedido nacional de invenção; Pedido nacional de modelo de utilidade; Pedido nacional de

Leia mais

MICROECONOMIA. Modelo Ricardiano de Troca. Paulo Gonçalves

MICROECONOMIA. Modelo Ricardiano de Troca. Paulo Gonçalves MICROECONOMIA Modelo Ricardiano de Troca aulo Gonçalves pgoncalves@concorrencia.pt Exercício 3 Determinação de reços numa Economia de Economia com dois agentes económicos (os linstones e os Rollingstones),

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. (R$) 864.940.364,29 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais