29 a 31/05/2014 UFRGS Porto Alegre/RS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "29 a 31/05/2014 UFRGS Porto Alegre/RS http://www.enpja.com.br"

Transcrição

1 NOTÍCIAS SOBRE MEIO AMBIENTE NO JORNAL O ALTO URUGUAI: GÊNEROS JORNALÍSTICOS, EDITORIAS JORNALÍSTICAS, ANÁLISE DE CONTEÚDO E DE CONOTAÇÃO DA MENSAGEM NO PRIMEIRO SEMESTRE DE Karine Secretti RUVIARO 2 Vandressa Teixeira GARZON 3 Cláudia Herte de MORAES 4 Resumo: O artigo apresenta resultados parciais do projeto Jornalismo de meio ambiente no Médio Alto Uruguai que tem o objetivo de identificar a abordagem do tema nas publicações da região. Com a metodologia da análise de co4nteúdo, aborda as categorias dos diferentes tipos de gêneros jornalísticos, editorias jornalísticas, conteúdo explícito do texto e da conotação da mensagem, a partir das notícias do jornal O Alto Uruguai, publicado em Frederico Westphalen, no primeiro semestre de Conclui-se que a prática do jornalismo ambiental ainda é pouco explorada, principalmente em um jornal do interior, pois foram encontrados apenas 35 registros no período estudado. Palavras-Chave: Análise de Conteúdo. Frederico Westphalen. Jornalismo Ambiental. Jornal O Alto Uruguai. Médio Alto Uruguai. 1 Resultado de pesquisa intitulada Jornalismo de meio ambiente no Médio Alto Uruguai, Universidade Federal de Santa Maria 2 Karine Secretti Ruviaro: Estudante de graduação do 3º semestre, Comunicação Social Jornalismo UFSM/ Frederico Westphalen, 3 Vandressa Teixeira Garzon: Estudante de graduação do 3º semestre, Comunicação Social Jornalismo UFSM/ Frederico Westphalen, 4 Orientadora da pesquisa: Professora do curso de Comunicação Social Jornalismo UFSM/ Frederico Westphalen, Doutoranda em Comunicação e Informação (UFRGS), 429

2 1. Introdução A pesquisa aqui relatada parte do princípio de que o Jornalismo Ambiental deve ser entendido a partir de seu crescente papel e importância na sociedade. Por isso, se propõe a busca do aprofundamento dos estudos sobre esta temática. (Moraes, 2008). O meio ambiente é pauta nas denúncias de desmatamento e desastres diversos, porém há muito destaque para o enfoque do entretenimento e do alarme, e pouco se reflete sobre causas e consequências. Nas análises da cobertura ambiental, verifica-se a falta de espaços na mídia para os problemas da área. (Girardi, 2010). Também se salienta complexidade do tema, que envolve interesses políticos e econômicos, além de uma necessária formação do jornalista na apuração das informações utilizadas. (Moraes e Corrêa, 2008) Por outro lado, aponta-se que o texto jornalístico deve estar bem escrito e informar seu público, sendo esta a função principal do jornalismo. Porém, quando o tema é o futuro do planeta, o objetivo do jornalismo parece ser ainda maior, pois se inclui também a ideia de uma educação para a melhoria da qualidade de vida a partir de escolhas sustentáveis. (Girardi, 2006). Assim, nosso objetivo é analisar que tipo de mensagem ambiental é trazida para a comunidade a partir do jornal estudado e quais as conotações existentes. Bem como, estudar quais gêneros e editorias jornalísticas são mais exploradas pelo jornal O Alto Uruguai. O artigo apresenta parte inicial dos resultados das análises do projeto intitulado Jornalismo de meio ambiente no Médio Alto Uruguai que investiga como as notícias 6 sobre meio ambiente são apresentadas pelos jornais da cidade de Frederico Westphalen, que atingem a região do Médio Alto Uruguai no Rio Grande do Sul. O recorte realizado5 para este relato são as notícias publicadas no jornal O Alto Uruguai, publicado em Frederico Westphalen (RS), no primeiro semestre de Jornalismo ambiental 6 Notícia é uma representação social da realidade cotidiana produzida institucionalmente e que se manifesta na construção de um mundo possível (ALSINA, 1996, p.185) 430

3 A urgência do debate social em torno das questões ambientais em certa medida não é acompanhada pelo conjunto dos meios de comunicação. Por esta necessidade, no Brasil, desde o início dos anos 1990, jornalistas ambientais passam a constituir grupos de ecojornalistas, que buscam a prática de um jornalismo comprometido com os problemas ambientais. Na área acadêmica, também se constituem grupos de pesquisa e aos poucos ganham espaço nos programas de pós-graduação. Para Bueno (2007) o jornalismo ambiental passa por um processo de amadurecimento. O autor acredita que o conceito deste jornalismo tem que ter seu próprio significado, nem que para isto necessite integrar com outros tipos de jornalismo especializado. Jornalismo ambiental é entendido como a inserção da visão ambiental tendo com pano de fundo a possibilidade da sustentabilidade (Girardi, 2006: 9). Os autores apontam que o jornalismo ambiental segue os preceitos do jornalismo mas reforça a exploração de dados, a apuração, as ligações que envolvem o fato noticiado, suas conseqüências e origens, (...) fornece evidências, diagnósticos que ajudam na construção de um saber ambiental necessários à vida cotidiana. (Girardi e Schwaab, 2008:17-18) Entendemos que o jornalismo ambiental é um jornalismo especializado, porém, como afirma Bueno (2007), ele tem um compromisso maior com o interesse público, e com a democratização do conhecimento. A preocupação do autor é de que o jornalismo sirva como porta-voz dos segmentos já privilegiados socialmente. O jornalismo ambiental, como o saber ambiental, não é propriedade dos que detêm o monopólio da fala, mas deve estar, umbilicalmente, sintonizando com o pluralismo e a diversidade. (BUENO, 2007, p. 14). Para Bueno (2007), mais que noticiar problemas, o jornalismo ambiental precisa ser comprometido com a mudança: [ ] precisa ter um caráter revolucionário, comprometido com a mudança de paradigmas, deve enxergar além das aparências e não ser complacente com aqueles que se apropriaram da temática ambiental para formar ou reforçar a imagem. Deve suspeitar sempre do discurso pretensamente preservacionista de governos e organizações, buscando 431

4 completar além de ações isoladas, quase sempre utilizadas como recursos mercadológicos ou propagandísticos. (BUENO, 2007, p. 17). Bueno (2007) aponta que o jornalismo ambiental é militante no sentido de compromisso com o interesse público, com a democratização do conhecimento, com a ampliação do debate (BUENO, 2007, p. 14). Para isso é preciso investigar causas e consequências, e ser aliado da qualidade de vida dos cidadãos. Uma das premissas do jornalismo ambiental é perceber a realidade que nos cerca de um ângulo mais abrangente, privilegiando a qualidade de vida no planeta e do planeta. (TRIGUEIRO, 2008, p. 81). Trigueiro (2008) enfatiza que o jornalismo ambiental movimenta vários setores sociais, com oportunidade de mobilizar a população a partir do debate através dos meios de comunicação. Para Bueno (2007), a militância necessária do jornalismo ambiental começa com o domínio de conceitos básicos além de o jornalista buscar a crítica contextualizando e politizando este debate. O jornalismo ambiental deve propor-se política, social e culturalmente engajado, porque só desta forma conseguirá encontrar forças para resistir às investidas e pressões de governos, empresas e até de universidades e institutos de pesquisa, muitos deles patrocinados ou reféns dos grandes interesses. (BUENO, 2007, p. 29). Por isso, concordamos com Baccheta (2008) que diz ser o jornalismo ambiental um jornalismo que procura desenvolver a capacidade das pessoas para participar e decidir sobre seu modo de vida na Terra, para assumir em definitivo sua cidadania planetária (BACCHETTA, 2000, p. 18). O autor atribui contribuição essencial do jornalismo na difusão de temas complexos, com a análise de suas implicações de ordem políticas, éticas, sociais e culturais. O questionamento feito pela pesquisa em andamento toma por base o conceito amplamente difundido do desenvolvimento sustentável que é definido pelo relatório da ONU, chamado Nosso Futuro Comum como o desenvolvimento que encontra as necessidades atuais sem comprometer a habilidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades. Com isso, são estabelecidos os propósitos de respeito à proteção ambiental, mas passa a ser considerado um desenvolvimento amplo, apoiado na dimensão econômica e social. Para o jornalismo ambiental é prioridade o atendimento a estas dimensões de sustentabilidade, pois não é possível apresentar apenas os ganhos econômicos caso haja depredação ambiental, tampouco a 432

5 destruição de culturas ou desrespeito às comunidades. Segundo Bueno (2007), o desenvolvimento sustentável tem relação direta com a qualidade de vida e, para o jornalismo ambiental, é muito mais amplo que a vertente econômica do crescimento ou do puro desenvolvimento. Deste modo, o presente artigo pretende colaborar no entendimento de como se dá a construção da notícia ambiental, levando-se em conta os novos paradigmas da sustentabilidade. Entendemos o jornalismo a partir das teorias da construção social da notícia, pois são muitos os elementos envolvidos na prática cotidiana de transformar acontecimentos sociais em fatos notáveis, há interações entre os agentes sociais e os jornalistas. Por isso, conforme Traquina (2005), a construção da notícia está no centro da disputa de um saber especializado, exercido pelos jornalistas. A partir destes pressupostos teóricos, questionamos sobre a abordagem das notícias sobre meio ambiente em nossa região: será que os jornais regionais e de cidades menores incorporam esta preocupação ambiental? Como aparecem as questões econômicas e políticas? São predominantes em relação ao ambiental? 3. Metodologia utilizada A pesquisa faz a análise do jornal O Alto Uruguai, que é o principal periódico impresso da região, e o mais antigo jornal de Frederico Westphalen. Fundado em 1965, a Empresa Jornalística Jornal O Alto Uruguai conta com mais de cinco mil assinantes, distribuídos em 22 municípios da região 7, com uma tiragem média de seis mil exemplares por edição. Semanalmente, são editadas, em média, 90 páginas, sendo aproximadamente 30 páginas nas quartas-feiras e 60 páginas nos sábados. Para estudar as notícias sobre meio ambiente apresentadas pelo jornal O Alto Uruguai foi utilizada a metodologia da Análise de Conteúdo (AC). Com isso, pretende-se fazer o levantamento de várias características sobre a informação ambiental, tais como origem das notícias, temas mais 433

6 usados, formas de utilização da imagem entre outros. Neste artigo, o recorte realizado apresenta os itens referentes aos diferentes gêneros jornalísticos, editorias jornalísticas, e ao conteúdo, em duas características que são interrelacionadas: Conteúdo da mensagem e Conotação da mensagem. A definição metodológica apoia-se na definição de Fonseca Júnior (2006), que indica que o método de AC é destinado à investigação de fenômenos simbólicos por meio de várias técnicas de pesquisa. Assim, a análise de conteúdo, tem por objetivo extrair conhecimentos sobre os aspectos latentes da mensagem analisada. (Fonseca Junior, 2006: ). Para os estudos de jornalismo, é considerado um método adequa6do muito utilizado, pois permite que sejam recolhidos e analisados: [ ] textos, sons, símbolos e imagens impressas, gravadas ou veiculadas em forma eletrônica ou digital encontradas na mídia a partir de uma amostra aleatória ou não dos objetos estudados com o objetivo de fazer inferências sobre seus conteúdos e formatos enquadrando-os em categorias previamente testadas, mutuamente exclusivas e passíveis de replicação. (HERSCOVITZ, 2007, p ). A coleta de dados se deu no período de 1º de janeiro de 2012 a 31 de julho de Escolheu-se o primeiro semestre de 2012, pois neste período haveria a preparação do evento da Rio + 20 (Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável), que teve por objetivo renovar e reafirmar a participação de líderes de países com relação ao desenvolvimento sustentável na planeta Terra. O evento se realizou no Rio de Janeiro, em junho de 2012, e esta proximidade de datas apresentou-se como hipótese de que haveria maior destaque ao tema ambiental nos meios de comunicação em geral. 7 Na região do Médio Alto Uruguai, encontram-se 34 municípios que, juntos somam habitantes segundo dados da Federação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul, em levantamento realizado em 2004 e publicado no Planto Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável (2006). Esta população está dividida com cerca de 52% ainda na zona rural e a principal atividade é a agrícola como geradora de economia, representando 58% da renda média dos municípios (MORAES, 2007) 434

7 4. Análises e discussão dos resultados Conforme explicitamos na metodologia, apresentam-se os resultados iniciais de uma pesquisa com foco no jornal O Alto Uruguai e o foco são as categorias de gêneros jornalísticos, editorias jornalísticas, conteúdo da mensagem e conotação da mensagem a partir da Análise de Conteúdo. No período de coleta representado pelos primeiros seis meses do ano de 2012, foram encontradas 35 matérias 8 com informações sobre meio ambiente, compondo a totalidade do corpus da pesquisa. Para dar início à apresentação de resultados, trazemos os números totais de todas as categorias referentes aos gêneros jornalísticos encontrados, editorias, análise de conteúdo. 7 Tabela 1: Números totais dos diferentes gêneros jornalísticos encontrados Fonte: Elaboração do autor. 8 Nesta pesquisa chamamos de matéria ou matéria jornalística todo o material jornalístico publicado pelo jornal, ou seja, englobando tanto notas, notícias quanto reportagens. 435

8 Tabela 2: Números totais das diferentes editorias jornalísticas encontradas. Fonte: Elaboração do autor. Tabela 3: Números totais das categorias de análise Fonte: Elaboração do autor. 4.1 Gêneros predominantes A escolha desses gêneros se deu pelo fato de que durante a análise de conteúdo foram os que mais apareceram, e sendo assim, realizaremos uma análise mais meticulosa dos seguintes gêneros: nota, notícia e reportagem. Veja a seguir gráfico referente à quantidade de matérias analisadas, sendo destas oito (8) matérias do gênero nota, dezoito (18) do gênero notícia, e nove (9) do gênero reportagem, somando um total de 35 matérias analisadas. 436

9 Figura 1: Gráfico referente aos gêneros predominantes Fonte: Elaboração do autor Para uma melhor compreensão dos gêneros, deve-se levar em conta que cada um deles trás um conceito diferente do outro. Para ser realizada essa distinção, utilizamos o critério de classificação do autor Marques de Mello: A distinção entre a nota, a notícia e a reportagem está exatamente na progressão dos acontecimentos, sua captação pela instituição jornalística e acessibilidade de que goza o público. A nota corresponde ao relato de acontecimentos que estão em processo de configuração e por isso é mais freqüente no rádio e na televisão. A notícia é um relato integral de um fato que já eclodiu no organismo social. A reportagem é o relato ampliado de um acontecimento que já repercutiu no organismo social e produziu alterações que já são percebidas pela instituição jornalística. (MELO, 2003, p.66). Sendo assim, a nota pode ser considerada como uma noticia que apresenta como principais características a brevidade do texto, a qual objetiva transmitir uma informação rápida. Veja a seguir, um exemplo de nota veiculada no jornal O Alto Uruguai, no dia 23 de maio de 2012, com o título Campanha de recolhimento de lixo eletrônico, pilhas e lâmpadas. 437

10 Figura 2: Nota veiculada no jornal O Alto Uruguai, intitulada Campanha de lixo eletrônico, pilhas e lâmpadas, veiculada no dia 23 de maio de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p

11 A nota trazia como informação uma campanha de recolhimento de lixo eletrônico, pilhas e lâmpadas, realizada nos dias 4, 5 e 6 de junho de 2012 em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, com o objetivo principal de desenvolver a conscientização da destinação destes resíduos. Zanchetta (2004) define notícia como uma forma de narração muito familiar entre as pessoas desde os primeiros anos de vida e aponta características linguísticas fundamentais como a concretude, o uso de frases curtas, certa limitação do repertório verbal e redação em terceira pessoa. Veja a seguir, um exemplo de notícia veiculada no Jornal O Alto Uruguai, no dia 16 de junho de 2012, com o seguinte título Hora de conscientizar. Figura 3: Notícia veiculada no jornal O Alto Uruguai, intitulada Hora de conscientizar, veiculada no dia 16 de junho de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p. 18. A notícia trazia como informação que empresas e entidades de Frederico Westphalen 439

12 promoveram a campanha Luz para a vida, que tem por objetivo o recolhimento de lâmpadas e jornais velhos. O recolhimento ocorreu no Largo Vitalino Cerutti (calçadão da praça da matriz) e na sede do 2º Grupamento de Polícia Ambiental. Nesse contexto, a reportagem é o resultado da atividade jornalística. A reportagem possibilita maior liberdade de produção textual, o que torna o trabalho em sala de aula desse gênero mais estimulante para os alunos. Sendo assim, a reportagem busca recuperar e aprofundar as informações apresentadas no cotidiano, além de informar sobre determinado fato, observando suas raízes e seu desenrolar. Também Faraco, ao tratar da reportagem, em texto didático, define-a a partir da notícia. Segundo ele, a reportagem é um texto mais extenso, resultante de uma investigação mais detalhada dos fatos, apresentando as informações em maior profundidade. A mesma técnica foi usada por Faria que, ao abordar sobre reportagem, diz que "o que a diferencia da notícia é sua apresentação mais livre e variada (LARA, p.15) Veja a seguir, um exemplo de reportagem que foi veiculada no Jornal O Alto Uruguai, no dia 30 de maio de 2012, com o seguinte título Ibama regulariza setor de pedras preciosas para venda. 440

13 Figura 4: Reportagem veiculada no jornal O Alto Uruguai, intitulada Ibama regulariza setor de pedras preciosas para venda, veiculada no dia 30 de maio de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p. 1. A reportagem trazia a informação de que representantes da região Ametista do Sul, Planalto, Frederico Westphalen, Rodeio Bonito e Cristal do Sul, assinaram o Termo de Compromisso com o Ibama, a FEPAM e a Cooperativa de Garimpeiros do Médio e Alto Uruguai (Coogamai). O documento tem como finalidade autorizar, por um período curto os trabalhos de extração nos garimpos de Ametista e a comercialização dos produtos em âmbito nacional e internacional. 4.2 Editorias Nossa análise também abrangeu as diferentes editorias do jornalismo, como, por exemplo, a editoria de política a qual teve um total de duas (2) matérias, economia que durante a realização da análise não foi encontrada nenhuma (0), editoria referente à região a qual teve uma totalidade de dezessete (17) matérias analisadas, e na editoria classificada como outros foram analisadas 16 matérias. Para um melhor entendimento, veja a seguir o gráfico referente às editorias analisadas. 441

14 Figura 5: Gráfico referente às diferentes editorias analisadas. Fonte: Elaboração do autor. No jornalismo ambiental a economia aparece na maioria das vezes na condição intrínseca entre o capitalismo e o ambientalismo. Nesse caso, o capitalismo acaba tendo uma visão que privilegia o curto prazo, prevalecendo o interesse individual, enquanto o ambientalismo tem uma visão do longo prazo, visando o bem estar. Contudo o capitalismo considera os recursos naturais como infinitos, já o ambientalismo considera-os como esgotáveis. Sendo assim: Para a economia, a natureza e a vida humana são apenas fatores da produção, objetos e força de trabalho. Deste modo não se percebe o trabalho como um processo vital donde deriva uma satisfação, desprezando-se os valores e qualidades incomensuráveis da atividade humana. (LEFF, 2001, p. 88). Sendo assim, durante a análise das matérias do Jornal O Alto Uruguai, não foi encontrada nenhuma que se referia ao tema economia e meio ambiente. Podemos notar que muitas das noticias veiculadas na editoria de política trazem como fontes personalidades da área política, como, vereadores, deputados estaduais e federais, governadores,dirigentes de partido, outras pessoas que atuam na política, como dirigentes sindicais de ONGs e movimentos sociais. Como podemos notar no exemplo a seguir, que foi veiculado no jornal O Alto Uruguai no dia 11 de fevereiro de 2012, com o título Betinho e o meio ambiente. 442

15 Figura 6: Nota veiculada no jornal O Alto Uruguai, intitulada Betinho e o meio ambiente, no dia 11 de fevereiro de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p.5. A nota referia-se a política, pelo fato de que o vereador Roberto Felin Junior (PP) foi procurado pelos moradores do bairro São Francisco de Paula, devido ao um vazamento de esgoto pelas ruas do bairro. O fato de os moradores terem procurado uma autoridade pública mostra o quanto a política e os problemas sociais estão interligados, e nesse caso, não foi diferente, pois eles procuraram o vereador com a esperança de que fosse tomada uma providência. A editoria de região apresentada no Jornal O Alto Uruguai abrange 22 municípios da região do Médio Alto Uruguai, e na maioria das veiculações traz noticias referentes aos acontecimentos ambientais que fazem parte do cotidiano dos cidadãos dessas diferentes cidades. A maior parte das matérias traz títulos, como: A triste realidade da estiagem, Prefeitura instala lixeiras ecológicas pela cidade, Atividades por uma cidade mais bonita, entre outros. Veja a seguir, um exemplo, extraído do jornal O Alto Uruguai, que foi veiculada no dia 26 de 443

16 29 a 31/05/2014 UFRGS Porto Alegre/RS maio de 2012, e tem como título Curso internacional envolverá nove estados e cinco países. Figura 7: Matéria veiculada no Jornal O Alto Uruguai, intitulada Curso internacional envolverá nove Estados e cinco países, no dia 26 de maio de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p. 9. A matéria referia-se ao Primeiro Curso Internacional de Planejamento Sustentável, promovido pelas administrações municipais do Meio Ambiente e Câmara de Vereadores de Rodeio Bonito e Pinhal. O curso teve como objetivo capacitar todos os participantes a utilizarem conceitos e ferramentas alternativas para projetar ambientes humanos sustentáveis, assim como, implementar tecnologias sociais, respondendo a todas as demandas ambientais emergentes Podemos perceber que, a editoria de outros traz como enfoque principal notícias referentes ao meio ambiente, que na maioria das vezes tem como temática assuntos de âmbito municipal, regional e nacional. Como, uma notícia que abordava o Dia Mundial da Água, outra trazia o balanço geral da Conferência Rio +20, entre outros. Veja a seguir, um exemplo de notícia que foi 444

17 veiculada no jornal O Alto Uruguai, no dia 3 de março de 2012, intitulada de Beleza natural ameaçada pelo lixo dos visitantes. Figura 8: Matéria veiculada no Jornal O Alto Uruguai, intitulada Beleza Natural ameaçada pelo lixo dos visitantes, no dia 3 de março de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p. 4. A matéria referia-se sobre o lixo depositado no Parque da Faguense, localizado no interior do município de Frederico Westphalen, e abordava como a população não respeita as placas sinalizadoras existentes no parque. 4.3 Conteúdo da mensagem A categoria conteúdo da mensagem está relacionada a diferentes itens como, por exemplo, a ideia, intenções e objetivos que se quer transmitir na notícia, atingindo facilmente o seu 445

18 público-alvo por ser a comunicação em si. Falamos, em certa medida, de conteúdos manifestos (explícitos), e partimos deles (tal como se manifesta) e não algo que estaria comunicando através dele. Desta forma, os resultados da análise de conteúdo buscam refletir os objetivos da pesquisa, tendo-se como apoio indícios manifestos no conteúdo das comunicações. Portanto, nesta pesquisa considera-se que o conteúdo da mensagem é um conteúdo manifesto e entendido a partir do conceito de denotação, tal como definem Platão e Fiorin : A relação existente entre o plano da expressão e o plano do conteúdo. Desse modo, significado de denotativo é aquele conceito que um certo significante evoca no receptor. Em outras palavras, é o conceito ao qual nos remete um certo significante (PLATÃO & FIORIN, 2000, p.113) Assim, explica-se que a organização da categoria conteúdo da mensagem foi realizada a partir da análise textual, dividindo-se o conjunto das matérias encontradas entre ações de diferentes atores sociais, por isso de conteúdo governamental, individuais, públicas ou do setor econômico. Em conteúdo governamental encontram-se as notícias sobre ações de órgãos governantes na Região. No conteúdo individual, aparecem informações sobre ações feitas pelos cidadãos de maneira individual, como sobre pequenos agricultores que utilizavam de maneira sustentável os recursos naturais, principalmente os recursos hídricos. No conteúdo de notícias públicas encontramse matérias referentes ao que está acontecendo atualmente em todas as esferas geográficas, como, por exemplo, na cidade de Frederico Westphalen, Região do Médio Alto Uruguai, Estado e País. Considera-se ser explicativo apresentarmos trechos de algumas matérias que continham os conteúdos anteriormente mencionados, nas figuras a seguir. 446

19 Figura 9: Matéria veiculada no jornal O Alto Uruguai, que apresenta trecho com conteúdo governamental, veiculada no dia 21 de janeiro de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p.8. Com relação à figura 9, mostramos um trecho da matéria publicada no dia 21 de janeiro de 2012 com o seguinte título TCE-RS irá fiscalizar gestão de resíduos sólidos, a qual trata do período que os gestores públicos têm para adaptar a coleta seletiva em suas cidades. 447

20 Figura 10: Matéria veiculada no Jornal O Alto Uruguai, que apresenta trecho com conteúdo econômico, veiculada no dia 4 de julho de Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p

21 A figura 10 mostra matéria que se refere ao conteúdo do setor econômico, e foi publicada pelo jornal no dia 4 de julho de O título foi Prêmio Ambiental Henrique Roessler homenageia a Creluz, e a notícia aborda a premiação recebida pela Creluz, apesar de ser um grupo empresarial, as iniciativas de sustentabilidade são promovidas constantemente na empresa, com o enfoque ambiental em primeiro lugar. Figura 11: Matéria veiculada no Jornal O Alto Uruguai, que apresenta trecho com conteúdo de iniciativas públicas, veiculada no dia 16 de junho de

22 Fonte: JORNAL O ALTO URUGUAI, 2012, p.18. A publicação do dia 16 de junho de 2012 feita pelo jornal (Ilustração 3), com o título Hora de conscientizar, aborda a iniciativa de empresas e entidades de Frederico Westphalen para que a população em geral faça a entrega correta de lâmpadas e jornais velhos. Apresenta-se a seguir o gráfico que se refere ao conteúdo da mensagem haja vista que conteúdo e conotação da mensagem são definições diferentes. Nesse gráfico, também foram analisadas as 35 matérias vinculadas no jornal Alto Uruguai no período estudado. 450

23 Figura 12: Gráfico referente ao conteúdo ambiental no Jornal O Alto Uruguai Fonte: Elaboração do autor. Referente à análise do Gráfico, tem-se o seguinte resultado acerca do conteúdo da mensagem. Das 35 matérias analisadas, 28 são de conteúdo público, pois o jornal emite muitas notas/notícias que se referem ao público em geral, principalmente quando são feitas ações que garantem o bem-estar da população do Médio Alto Uruguai. Em seguida, temos quatro mensagens com conteúdo governamental, pois como a região faz parte de rotas turísticas do Estado, e dentro desse contexto sempre há notícias sobre a melhora nas condições de visitação desses pontos turísticos. Por fim, aparecem as mensagens de conteúdo referente às ações individuais as quais apenas três tem como enfoque principal a melhor utilização de algum recurso natural já existente na localidade, e traz muita vezes o produtor rural como personagem principal. Com conteúdo econômico não foi publicada nenhuma mensagem nesta categoria. Para ilustrar o tipo de notícia ambiental de conteúdo público, a categoria que predominou no corpus da pesquisa, apresentamos a matéria publicada em 16 de junho de 2012, na página 19 do jornal. Nesta reportagem é possível perceber que o conteúdo público refere-se ao chamado túnel verde o qual evita que os galhos das árvores tenham que ser cortados a fim de que não encostem na rede elétrica. O jornal, ao alertar para o problema, atua a serviço do interesse público. Em relação ao conteúdo da mensagem, encontramos 28 matérias com o conteúdo público, pois na maior parte dos casos são notas que tendem a mostrar e conscientizar a população do Médio Alto Uruguai quanto a melhor utilização dos recursos naturais, bem como conscientização ambiental. 451

24 Nesse contexto, fichamos quatro matérias de conteúdo governamental as quais geralmente trazem comunicados da administração municipal referentes a alguma modificação ou melhoramento na legislação ambiental do município. Matérias referentes ao conteúdo de ações individuais trazem como enfoque principal ações de indivíduos comuns que utilizam de maneira sustentável os recursos naturais. 4.4 Conotação da mensagem Na coleta de dados dividiu-se a categoria de conotação da mensagem a partir dos campos sociais mais voltados à questão do meio ambiente que são a economia, o meio ambiente, a política e também se havia alguma mensagem de conotação neutra, ou seja, que não estava voltada a nenhuma outra categoria anterior. Esta divisão levou em conta a definição do desenvolvimento sustentável em que as dimensões ambientais, econômicas e sociais (políticas) devem ser valorizadas. Para avaliar os sentidos conotados da mensagem, toma-se como base uma concepção interacional (dialógica) da língua, pois os sujeitos são vistos como atores/construtores sociais, portanto, o texto passa a ser considerado o próprio lugar da interação, e os interlocutores, sujeitos ativos que dialogicamente se constroem e são construídos por intermédio dele (Koch, 2002). Desta forma, no texto coexistem uma gama de implícitos, dos mais variados tipos, somente detectáveis quando se tem, como pano de fundo, o contexto sociocognitivo dos participantes da interação. (KOCH, 2002, p.17). Nesse contexto, a conotação da mensagem é entendida como: Um termo ou uma palavra, além do seu significado denotativo, pode vir acrescido de outros significados paralelos, pode vir carregado de impressões, valores afetivos, negativos e positivos. Assim, sobre um signo linguístico, dotado de um plano de expressão e um 452

Inserção do Pantanal como área de preservação e conservação nas principais mídias impressas de Mato Grosso do Sul 1

Inserção do Pantanal como área de preservação e conservação nas principais mídias impressas de Mato Grosso do Sul 1 Inserção do Pantanal como área de preservação e conservação nas principais mídias impressas de Mato Grosso do Sul 1 Lairtes Chaves RODRIGUES FILHO 2 Greicy Mara FRANÇA 3 Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 08 1 / 6 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto a imprensa sediada na capital e no interior de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 27

PROVA ESPECÍFICA Cargo 27 29 PROVA ESPECÍFICA Cargo 27 QUESTÃO 41 A importância e o interesse de uma notícia são avaliados pelos órgãos informativos de acordo com os seguintes critérios, EXCETO: a) Capacidade de despertar o interesse

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

Câmara Municipal de. Projeto de Lei nº /2008, que institui a Política Municipal de Educação Ambiental

Câmara Municipal de. Projeto de Lei nº /2008, que institui a Política Municipal de Educação Ambiental Câmara Municipal de Projeto de Lei nº /2008, que institui a Política Municipal de Educação Ambiental PROJETO DE LEI Nº /2008 Dispõe sobre a Política Municipal de Educação Ambiental e dá outras providências.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE

PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE CONVÊNIO PUC - NIMA/ PETROBRAS / PMR PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de Valores Ético-Ambientais para o exercício da

Leia mais

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental, cria o Programa Estadual de Educação Ambiental e complementa a Lei Federal nº 9.795/99,

Leia mais

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011.

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. 1 LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. Institui a Política Municipal de Educação Ambiental, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I

Leia mais

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES 1 Apresentação 1. As comunicações, contemporaneamente, exercem crescentes determinações sobre a cultura,

Leia mais

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013

Lei 17505-11 de Janeiro de 2013. Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Lei 17505-11 de Janeiro de 2013 Publicado no Diário Oficial nº. 8875 de 11 de Janeiro de 2013 Súmula: Institui a Política Estadual de Educação Ambiental e o Sistema de Educação Ambiental e adota outras

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 07 1 / 8 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto aos públicos interno e externo do Crea GO de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

Conteúdo programático Semana Titulo Conteúdo 1 História do jornalismo ambiental

Conteúdo programático Semana Titulo Conteúdo 1 História do jornalismo ambiental Dados de identificação Disciplina Jornalismo e Meio Professor Ilza Maria Tourinho Girardi Período Letivo 2014/2 Segunda-feira, das 14h às 18h Sigla COM259 Créditos 4 Carga Horária 60 Súmula Reflexão epistemológica

Leia mais

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo

MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1. Resumo MULTIMÍDIAS PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 VIERO, Lia Margot Dornelles 2 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Geografia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil E-mail:

Leia mais

PROJETO DE LEI N º 1219/2003. Decreta:

PROJETO DE LEI N º 1219/2003. Decreta: A CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO PROJETO DE LEI N º 1219/2003 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Municipal de Educação Ambiental, e dá outras providências. Autor: Vereador Rodrigo

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE Lei nº 4791/2008 Data da Lei 02/04/2008 O Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nos termos do art. 79, 7º, da Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro, de 5 de abril de 1990, não exercida

Leia mais

PALAVRAS-CHAVES: Educação Ambiental Reserva Escolas

PALAVRAS-CHAVES: Educação Ambiental Reserva Escolas A CONTRIBUIÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA CONSERVAÇÃO DA RESERVA R-3 ENVOLVENDO TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS EM SINOP-MT Sinovia Cecília Rauber Curso de Especialização em Educação e Meio Ambiente FASIPE SINOP/MT

Leia mais

Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana

Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana O IDIE - Instituto para o Desenvolvimento e Inovação Educativa, especializado em

Leia mais

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

1 INSTITUIÇÕES E ENTIDADES ENVOLVIDAS NO PROJETO

1 INSTITUIÇÕES E ENTIDADES ENVOLVIDAS NO PROJETO TITULO: Assessoria de Comunicação às Instituições da UFSM no norte gaúcho EJE: Incorporación curricular de la extensión AUTORES: Mariana Cristina Raimondi, Bruna Occhi, Tássia Becker Alexandre. REFERENCIA

Leia mais

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão.

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Página 1 de 8. Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Página 1 de 8. Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Página 1 de 8 LEI Nº 3325, de 17 de dezembro de 1999 Dispõe sobre a educação ambiental, institui a política estadual de educação ambiental, cria o Programa estadual de Educação Ambiental e complementa

Leia mais

ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015.

ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015. ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015. 1 OBJETIVO O objetivo deste documento é estipular um plano de ação para criar e gerenciar perfis do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS CURSO DE JORNALISMO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS 1 1 ÁREAS TEMÁTICAS Respeitada a disponibilidade de carga horária dos professores orientadores e a escolha dos alunos,

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professor, Estágio, Identidade.

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professor, Estágio, Identidade. RELATÓRIOS DE ESTÁGIO: CONTRIBUIÇÕES PARA A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DO PROFESSOR DE PORTUGUÊS BORGES, Ana Maria de Miranda Marques/UFG anamariademiranda2@gmail.com MORAES, Eliana Melo Machado/CAJ-UFG

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - CONSEMAC

CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - CONSEMAC CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - CONSEMAC Indicação CONSEMAC nº 08, de 21 de junho de 2007. Dispõe sobre o Projeto de Lei n 166/2005 de Política Municipal de Educação Ambiental

Leia mais

Revista: Ambiente Que Te Quero Ver 1

Revista: Ambiente Que Te Quero Ver 1 Revista: Ambiente Que Te Quero Ver 1 Adilvane SPEZIA 2 Andreia Primaz ECKHARDT 3 Bianca Lopes CASSOL 4 Jessica da Silva HOCK 5 José Antonio Meira da ROCHA 6 Universidade Federal de Santa Maria - UFSM/FW

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

Conscientização: o caminho para a preservação dos recursos naturais 1

Conscientização: o caminho para a preservação dos recursos naturais 1 Conscientização: o caminho para a preservação dos recursos naturais 1 Caio Felipe Ferreira CARVALHO 2 Karenine Miracelly Rocha da CUNHA 3 Centro Universitário Toledo, Araçatuba, SP RESUMO Este trabalho

Leia mais

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Fica instituída a Política Municipal de Educação Ambiental, seus objetivos, princípios

Leia mais

A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA

A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA Gislane Kátia TESSAROLO AUTORA - MESTRANDA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM LETRAS E LINGUÍSTICA UFG

Leia mais

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global

Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global Este Tratado, assim como a educação, é um processo dinâmico em permanente construção. Deve portanto propiciar a reflexão,

Leia mais

ENADE Publicidade e propaganda: uma análise da tipologia de questões dos ciclos 2006, 2009 e 2012 1.

ENADE Publicidade e propaganda: uma análise da tipologia de questões dos ciclos 2006, 2009 e 2012 1. ENADE Publicidade e propaganda: uma análise da tipologia de questões dos ciclos 2006, 2009 e 2012 1. Profa Dra Nanci Maziero Trevisan 2 Professora e pesquisadora da Universidade Anhanguera de Santo André

Leia mais

LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA - e adota outras providências.

LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA - e adota outras providências. LEI Nº 13.558, de 17 de novembro de 2005 Procedência: Governamental Natureza: PL. 332/05 DO. 17.762 de 17/11/05 Fonte: ALESC/Div. Documentação Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental - PEEA

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS ESCOLA DE EDUCAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE ASSIS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS ESCOLA DE EDUCAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE ASSIS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS ESCOLA DE EDUCAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE ASSIS PROJETO NIVELAMENTO Assis-SP 2014 1 INTRODUÇÃO Unidade na

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MCH0181 HISTÓRIAS EM QUADRINHOS SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA BAKHTINIANA

Leia mais

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 1 Jornal Marco Zero 1 Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 Faculdade internacional de Curitiba (Facinter) RESUMO O jornal-laboratório Marco Zero 6 é

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA A 1ª Conferência Nacional de Defesa Civil e Assistência Humanitária CNDC ocorreu entre os dias 23 e 25 de março

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL E CIDADANIA

GESTÃO AMBIENTAL E CIDADANIA GESTÃO AMBIENTAL E CIDADANIA João Sotero do Vale Júnior ¹ a) apresentação do tema/problema: A questão ambiental está cada vez mais presente no cotidiano da população das nossas cidades, principalmente

Leia mais

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Serena Veloso GOMES² Thamara Rocha Ribeiro FAGURY³ Kalyne Menezes SOUZA4 Silvana Coleta Santos PEREIRA5 Universidade Federal

Leia mais

Projeto O COLUNIsta. PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq. Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel

Projeto O COLUNIsta. PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq. Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq Projeto O COLUNIsta Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel Bolsista: Cleiton Paulo Venâncio Ferreira Matrícula: 002205/06 Bolsista: Camila Rodrigues dos Santos Matrícula:

Leia mais

334 Valdecy de Oliveira Pontes e Alexandra Maria de Castro e Santos Araújo

334 Valdecy de Oliveira Pontes e Alexandra Maria de Castro e Santos Araújo MARTINS, André Ricardo Nunes. A polêmica construída: racismo e discurso da imprensa sobre a política de cotas para negros. Brasília: Senado Federal, 2011, 281p. O livro intitulado A polêmica construída:

Leia mais

I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009

I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009 I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009 Observatório da Educação participação e controle da sociedade civil nas políticas

Leia mais

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ

PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ PROJETO DE LEI ESTADUAL PARANÁ Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. CAPÍTULO I DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Art. 1 - A Política Estadual

Leia mais

LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL PARA O ENSINO DE MÚSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REGIÃO SUL DO BRASIL 1

LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL PARA O ENSINO DE MÚSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REGIÃO SUL DO BRASIL 1 LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL PARA O ENSINO DE MÚSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REGIÃO SUL DO BRASIL 1 Gabriel Ferrão Moreira 2 Prof. Dr. Sérgio Luiz Ferreira de Figueiredo 3 Palavras-chave:

Leia mais

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas o Docente universitária na disciplina Fundamentos de marketing o 12 anos de experiência em comunicação

Leia mais

Comunicação Solidária: um programa de rádio sobre a área social 1

Comunicação Solidária: um programa de rádio sobre a área social 1 Comunicação Solidária: um programa de rádio sobre a área social 1 Bruna Robassa 2 Lamartine Testa 3 Diana Prestes 4 Renata Orsato 5 Anna Carolina Cidade Neiva 6 Jakeline Piantandossi 7 Mônica Kaseker 8

Leia mais

OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE

OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE André William Alves de Assis 1 RESUMO: Como participantes do processo comunicativo,

Leia mais

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA DO ENSINO FUNDAMENTAL

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA DO ENSINO FUNDAMENTAL PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA DO ENSINO FUNDAMENTAL Danilo Coutinho da Silva Bacharel e Licenciado em Geografia - UFPB danilogeog@hotmail.com INTRODUÇÃO A Educação Ambiental (EA) deve

Leia mais

O TEXTO COMO ELEMENTO DE MEDIAÇÃO ENTRE OS SUJEITOS DA AÇÃO EDUCATIVA

O TEXTO COMO ELEMENTO DE MEDIAÇÃO ENTRE OS SUJEITOS DA AÇÃO EDUCATIVA O TEXTO COMO ELEMENTO DE MEDIAÇÃO ENTRE OS SUJEITOS DA AÇÃO EDUCATIVA Maria Lúcia C. Neder Como já afirmamos anteriormente, no Texto-base, a produção, a seleção e a organização de textos para a EAD devem

Leia mais

INSTITUTO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DO BRASIL PROJETO AMAPÁ SUSTENTÁVEL. Programa de Formação de Lideranças do Amapá FormAção.

INSTITUTO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DO BRASIL PROJETO AMAPÁ SUSTENTÁVEL. Programa de Formação de Lideranças do Amapá FormAção. INSTITUTO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DO BRASIL PROJETO AMAPÁ SUSTENTÁVEL Programa de Formação de Lideranças do Amapá FormAção Edital de Seleção Março de 2015 Realização Apoio 2...esgotada a palavra de sua

Leia mais

ANÁLISE DOS TERMOS DE DESIGNAÇÃO PARA INCLUSÃO EDUCACIONAL NO WEBJORNALISMO

ANÁLISE DOS TERMOS DE DESIGNAÇÃO PARA INCLUSÃO EDUCACIONAL NO WEBJORNALISMO ANÁLISE DOS TERMOS DE DESIGNAÇÃO PARA INCLUSÃO EDUCACIONAL NO WEBJORNALISMO PALAVRAS-CHAVE: Análise, Educação, Inclusão. Lucas Lameira Martins RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar um trabalho

Leia mais

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores!

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores! 1 Prezados alunos e professores! O livro Somos os Senhores do Planeta é fruto de um trabalho didático que tem por objetivo reunir em uma única publicação temas sobre o meio ambiente, são textos de fácil

Leia mais

A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO

A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO BECK, Eliane Maria Cabral (UNIOESTE)² PALAVRAS-CHAVE: interpretação, interlocutor, contexto. Resumo: Pretende-se, com este trabalho, analisar a transmissão de informação expressa

Leia mais

PROPOSTA DO PLANO DE AÇÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM RECURSOS HÍDRICOS PARA O ESTADO DO PARÁ.

PROPOSTA DO PLANO DE AÇÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM RECURSOS HÍDRICOS PARA O ESTADO DO PARÁ. PROPOSTA DO PLANO DE AÇÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM RECURSOS HÍDRICOS PARA O ESTADO DO PARÁ. WALDELI ROZANE SILVA DE MESQUITA Secretaria Executiva de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente, Núcleo de Hidrometeorologia

Leia mais

POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Brasília, 25 de novembro de 2009 1 POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO,

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil Após um mais de ano de trabalho e experiências adquiridas a CRIC apresenta à diretoria regional as diretrizes que regem

Leia mais

Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO

Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO 148 Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO Wellington Lima Pereira; Cleide Amorim Leite RESUMO

Leia mais

Jornalismo Ambiental: Análise dos jornais Leia Agora e O Alto Uruguai 1

Jornalismo Ambiental: Análise dos jornais Leia Agora e O Alto Uruguai 1 Jornalismo Ambiental: Análise dos jornais Leia Agora e O Alto Uruguai 1 Adilvane SPEZIA² Andreia Primaz ECKHARDT³ Cristiane Maiara LUZA 4 Cláudia Herte de MORAES 5 Universidade Federal de Santa Maria,

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA ANPUH-BRASIL O PERFIL PROFISSIONAL DOS HISTORIADORES ATUANTES EM ARQUIVOS DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO São Paulo, dezembro de 2012. APRESENTAÇÃO Este documento, produzido

Leia mais

LEI N. 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999

LEI N. 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999 LEI N. 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999 Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências O Presidente da República Faço saber que o Congresso

Leia mais

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Renata de Souza Ribeiro (UERJ/FFP) Thiago Jeremias Baptista (UERJ/FFP) Eixo: Fazendo escola com múltiplas linguagens Resumo Este texto relata

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Reciclagem. qualidade. coleta seletiva. incubação.

PALAVRAS-CHAVE Reciclagem. qualidade. coleta seletiva. incubação. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( X ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA UMA REFLEXÃO SOBRE O TIPO E A QUALIDADE

Leia mais

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL RESUMO Caroline Ferreira 1 O objetivo deste artigo é falar sobre Noticia institucional e o interesse cada vez maior das empresas em cuidar da sua imagem institucional.

Leia mais

Gestão Ambiental Compartilhada

Gestão Ambiental Compartilhada Ministério do Meio Ambiente Secretaria Executiva Departamento de Articulação Institucional Gestão Ambiental Compartilhada Discussão: Licenciamento Ambiental de empreendimentos e atividades com características

Leia mais

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Considerando que a informação arquivística, produzida, recebida, utilizada e conservada em sistemas informatizados,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA RIO EM DADOS

TERMO DE REFERÊNCIA RIO EM DADOS TERMO DE REFERÊNCIA RIO EM DADOS 1. INTRODUÇÃO O Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos pretende contratar instituição de pesquisa com a finalidade de produção de análises estatísticas e econômicas

Leia mais

REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO

REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO PROGRAMA NACIONAL DE ESTRUTURAÇÃO DE DESTINOS TURÍSTICOS (Documento base Câmara Temática de Regionalização) Brasília, 08.02.2013 SUMÁRIO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO... 2 2. DIRETRIZES...

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia Científica Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito e concepção de ciência

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

EDUCAR PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO ENVOLVENDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

EDUCAR PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO ENVOLVENDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA EDUCAR PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO ENVOLVENDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA 1 DEUS, Josiani Camargo & 1 AMARAL, Anelize Queiroz 1 Universidade Estadual do Oeste do Paraná/Unioeste RESUMO Nos

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute

Leia mais

OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL E SUA INFLUÊNCIA NA REPRESENTAÇÃO DE AMBIENTE EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Lucia de Fatima Estevinho Guido

OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL E SUA INFLUÊNCIA NA REPRESENTAÇÃO DE AMBIENTE EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Lucia de Fatima Estevinho Guido OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL E SUA INFLUÊNCIA NA REPRESENTAÇÃO DE AMBIENTE EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Lucia de Fatima Estevinho Guido Universidade Federal de Uberlândia Este trabalho apresenta resultados

Leia mais

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP Resumo O 2ª Opinião - Espaço cultural é um jornal-laboratório que vem sendo

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

A Força da Natureza no Dia da Independência 1

A Força da Natureza no Dia da Independência 1 A Força da Natureza no Dia da Independência 1 Ricardo Jose TORRES 2 Marcelo Jose BOTH 3 Janaína PATZOLD 4 Franciele VISENTIN 5 Vanessa NORA 6 Leoní SERPA 7 UNOESC - Universidade do Estado de Santa Catarina

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA Introdução É importante ressaltar que um plano de comunicação tem a finalidade de tornar conhecida

Leia mais

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Letícia BARROSO 2 Thaís PEIXOTO 3 Centro Universitário Fluminense Campus II- Campos/RJ RESUMO: A falta de espaço nos veículos convencionais

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CLAUDIA LISETE OLIVEIRA GROENWALD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CANOAS RS.

EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CLAUDIA LISETE OLIVEIRA GROENWALD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CANOAS RS. 1 EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CLAUDIA LISETE OLIVEIRA GROENWALD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CANOAS RS. Viver com sustentação tornou-se, nos últimos anos, um conceito de vida que

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO

A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO Neusa Kreuz 1 RESUMO: É indiscutível a grande importância da linguagem oral no processo interacional humano. Trata-se da primeira

Leia mais

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 Juliane Cintra de Oliveira 2 Antônio Francisco Magnoni 2 RESUMO Criado em 2007, o Programa Falando de Política é um projeto de experimentação e extensão cultural em radiojornalismo,

Leia mais

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 624 A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Fabiane Carniel 1,

Leia mais

GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL

GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL 4ª Edição QUANDO O BRASIL SE JUNTA, TODO MUNDO GANHA. Secretaria-Geral da Presidência da República Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Movimento Nacional

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

23b/2010. Briefing Campanhas de Comunicação Projeto Fortalecimento da Capacidade Técnica da Participação Social na Regulação Anexo I

23b/2010. Briefing Campanhas de Comunicação Projeto Fortalecimento da Capacidade Técnica da Participação Social na Regulação Anexo I 23b/2010 Briefing Campanhas de Comunicação Projeto Fortalecimento da Capacidade Técnica da Participação Social na Regulação Anexo I Índice Objeto...03 Contexto...04 Fato Principal...05 Relação total de

Leia mais

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Referência Ficha Técnica Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Elaboração Projeto ART e Acervo Técnico - Equipe

Leia mais

Comunicação e cidadania: relato de experiência sobre a abordagem do conceito de desenvolvimento sustentável pela Revista Geração Sustentável

Comunicação e cidadania: relato de experiência sobre a abordagem do conceito de desenvolvimento sustentável pela Revista Geração Sustentável Comunicação e cidadania: relato de experiência sobre a abordagem do conceito de desenvolvimento sustentável pela Revista Geração Sustentável Criselli MONTIPÓ 1 Pedro SALANEK FILHO 2 Juliana SARTORI 3 Revista

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...3 2 OBJETIVOS DO PROJETO:...5 3 METAS PARA A SUSTENTABILIDADE...6 4 JUSTIFICATIVAS...6 4.1-

Leia mais