ANEXO V INSTRUÇÕES PARA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO V INSTRUÇÕES PARA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS"

Transcrição

1 ANEXO V INSTRUÇÕES PARA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS 1. Abertura do Caixa/Suprimento O Operador de Caixa deverá ligar o equipamento e efetuar o logon no Aplicativo de Caixa. Em seguida, deverá conferir a bomba (malote que contém o dinheiro retido a ser utilizado como troco no início do dia). Após a conferência da bomba, deverá efetuar o Suprimento do valor retido, mediante a utilização do código Recebimento/Pagamento Recebimentos são as transações que envolvem pagamento de contas em geral (água, luz, telefone) e os depósitos em dinheiro ou cheque. Pagamentos são todos os saques e débitos em conta. As condições para recebimento de contas em geral encontram-se definidas nas Condições Gerais de Recebimento de Contas. Será de inteira responsabilidade do Operador de Caixa todo e qualquer prejuízo decorrente de recebimentos em desacordo com as normas estabelecidas. Ao receber documentos e dinheiro para pagamento, o Operador de Caixa deve registrar a soma dos valores a serem pagos e o dinheiro entregue (soma ou total). Quando for o caso, calcular o troco. Esse procedimento deverá ser adotado até para valores exatos. Por exemplo: fatura de R$50,00 dinheiro entregue uma nota de R$50,00 registrar na calculadora R$50,00 - R$50,00 = R$0,00. Quando o dinheiro for suficiente para pagar as contas autenticar uma por vez, observando se o valor registrado pelo código de barras é o mesmo registrado no documento (valor de face). Quando o dinheiro não for suficiente para pagar as contas informar ao cliente quanto falta e solicitar que complete o dinheiro ou que informe quais contas devem ser efetivamente autenticadas. Caso o cliente desista de pagar alguma conta, deve-se repetir o procedimento de registro do cálculo. Quando receber valores para depósito, o Operador de Caixa deve registrar na calculadora o valor a ser autenticado para posterior controle e confirmar com o cliente, antes da autenticação, o nome do titular da conta receptora e o valor a ser depositado. No caso de depósito em cheque, o Operador de Caixa deve anotar, em todos os cheques, no verso, NO CAMPO RESERVADO NA LATERAL, o n.º da agência e conta em que será feito o depósito, e apor o carimbo de cruzamento na frente do cheque de forma visível, em que constam os códigos de compensação. O carimbo de cruzamento não deve atingir a tarja magnética CMC7 (campo composto por números no rodapé do cheque) para não prejudicar a captura dos dados. Os cheques recebidos para pagamento de contas devem ser nominativos ao BRB ou à concessionária e no verso deverá constar qual conta está sendo paga e dados complementares, na forma prevista nas Condições Gerais de Recebimento de Contas. Nesse caso, também, deve ser aposto o carimbo de cruzamento, em que constam os códigos de compensação, na frente do cheque e de forma visível. O carimbo de cruzamento não deve atingir a tarja magnética CMC7 (campo composto por números no rodapé do cheque) para não prejudicar a captura dos dados. Para que seja evitada a devolução dos cheques, todas as formalidades de preenchimento deverão ser observadas, como o valor numérico, o valor por extenso, a data, a assinatura, devendo ser observado, ainda, que cheques de valor superior a R$99,99 devem ser nominativos ao favorecido). 3. Organização do Caixa Os procedimentos listados abaixo deverão ser seguidos rigorosamente: 1. os documentos do bagaço deverão ser organizados por tamanho; 2. os títulos de outros bancos deverão ser separados do bagaço;

2 3. os cheques de compensação deverão ser separados dos cheques a liquidar; 4. o dinheiro deve estar separado por valor de face, organizado na mesma posição dentro da gaveta. As cédulas de plásticos devem ficar separadas das cédula de papel; 5. os cheques recebidos para depósito ou pagamentos a serem encaminhados para a compensação devem conter o carimbo de cruzamento. 4. Medidas de Segurança Os procedimentos listados abaixo deverão ser seguidos rigorosamente: 1. a senha é secreta, pessoal e intransferível, somente o dono da matrícula deverá conhecer sua senha; 2. o guichê de caixa deverá permanecer trancado caso não esteja em uso; 3. nos casos de afastamentos e retornos rápidos do Operador de Caixa, o Aplicativo de Caixa deverá ser fechado com um clique no X, no canto superior direito da tela, ou por meio das teclas ALT + F4). Caso não for retornar, o Operador de Caixa deverá realizar o fechamento completo do caixa; 4. ao longo do dia, o Operador de Caixa deverá realizar tantos recolhimentos quantos forem necessários para manter, no guichê, apenas o valor estipulado como limite de encaixe. Recomenda-se que, pelo menos, três vezes ao dia ou sempre que for possível seja realizada a conferência do caixa com a utilização da Posição de Caixa (F7). 5. Sigilo Bancário As unidades de Correspondentes BRB devem conservar sigilo em todas as operações realizadas e serviços prestados. É proibida aos Correspondentes BRB a prestação de qualquer informação a respeito de clientes do Banco a outros clientes ou a terceiros, inclusive sobre dados cadastrais básicos (nome completo, CPF, identidade, endereço, número de conta corrente e de telefone). Da mesma forma, solicitações de informações por telefone ou fax não deverão ser atendidas. O sigilo sobre depósitos deverá ser rigoroso, mesmo internamente. Somente ao titular ou ao seu representante formalmente autorizado, por meio de procuração, poderão ser fornecidas as informações quanto à movimentação e saldo de conta corrente. É proibida a transmissão de qualquer informação a terceiros sobre operações e serviços bancários de clientes do Banco, principalmente por telefone. Caso ocorra a intimação de empregado das Lojas de Conveniência pela Justiça ou pela Polícia para depor sobre fatos relacionados ao BRB, antes de prestar qualquer depoimento, o intimado deverá imediatamente solicitar orientação à SUCOR, que submeterá o caso ao Jurídico do Banco, para que este adote providências que se fizerem necessárias a seu cargo. Todos os acessos à automação bancária do BRB para quaisquer consultas são registradas, ficando gravadas as matrículas, as senhas e as estações utilizadas. Os sistemas de auditoria possibilitam ao Departamento de Auditoria do Banco identificar qualquer consulta, em qualquer tempo, para levantamento de informações necessárias à apuração de responsabilidades. De acordo com a Lei 4.595/64, a quebra de sigilo bancário constitui crime e sujeita os responsáveis à pena de reclusão de um a quatro anos e de multas, aplicando-se, no que couber o Código Penal, sem prejuízo de outras sanções cabíveis. 6. Fechamento de Caixa O Operador de Caixa deverá executar o fechamento do seu caixa, observando os procedimentos abaixo na ordem seguinte: 1. tirar uma POSIÇÃO COMPLETA de caixa (tecla F7);

3 2. separar e conferir todos os documento e cheques. Deve-se priorizar a conferência e organização dos documentos a serem enviados para compensação - títulos de outros bancos e cheques; 3. conferir o numerário e os documentos; 4. fazer o FECHAMENTO PARCIAL do caixa (código 120); 5. colocar as respetivas capas nos documentos a serem enviados para compensação - títulos de outros bancos e cheques; 6. fazer o último recolhimento (código 254); 7. fazer o FECHAMENTO COMPLETO DE CAIXA (código 121) com a autorização do supervisor; 8. desligar os equipamentos, mantendo o modem e N- Break LIGADOS; 9. iniciar a preparação do malote que será entregue ao carro-forte (vide item específico). 7. Estornos Os estornos devem ser evitados ao máximo. Para isso deve-se sempre fazer a conferência do documento na tela para só então efetivar a autenticação. Os erros de autenticação deverão ser corrigidos no ato de sua ocorrência, devendo a autenticação de estorno ser impressa na mesma face da autenticação estornada. Considera-se falta grave, passível de rescisão imediata do Contrato de Prestação de Serviços de Correspondente, a realização indevida de estorno de autenticação (sem o conhecimento ou autorização do cliente). Se houver estorno de transação, deverão ainda ser adotados os seguintes procedimentos: 1. anotação no Livro de Registros de Ocorrências de Estornos e Diferenças de Caixa: o nome, o número da Carteira de Identidade, número do CPF/CNPJ e número de telefone do cliente, bem como os dados do documento a ser estornado: tipo de documento, data e hora da transação realizada, o número da autenticação a ser estornada, a descrição do motivo do estorno e o número da nova autenticação, se houver; 2. aposição das assinaturas do executante do estorno, do responsável pela autorização do estorno e do responsável pela unidade de Correspondente; 3. sempre que houver estornos de GPS, DARF Simples ou Preto e Títulos de outros bancos e não havendo a reautenticação do documento, o fato deverá ser comunicado à SUCOR, no mesmo dia, via correio eletrônico para a caixa postal Deverão constar, no correio, os dados do documento estornado, o motivo do estorno, o nome do cliente e n do telefone dele. Se, após a impressão da posição completa de caixa, no fim do dia, forem constatadas autenticação incorreta ou a não autenticação de documentos, caberá, no primeiro caso, desde que não se trate de documentos da SEFAZ e DETRAN, situações em que não é possível o estorno, em hipótese alguma, a realização do estorno da autenticação incorreta, mediante autenticação correta do documento, observando-se que esse procedimento só será possível no mesmo dia da ocorrência e somente mediante autorização da SUCOR. No segundo caso (documentos não autenticados), o documento poderá ser autenticado. Esses erros são identificados na conferência dos cheques, numerários e documentos. No caso de documentos duplicados, deve-se realizar o estorno da autenticação que difere da via do cliente, efetuando o registro, no Livro de Registro de Ocorrências de Estorno e Diferenças de Caixa, da NSU válida, além dos itens obrigatórios. Caso identificado algum erro em documentos do DETRAN e SEFAZ com relação ao pagamento, a recuperação do valor deverá ser feita diretamente no cedente com autorização do titular. Caso o erro seja no valor cobrado do cliente, o estorno não poderá ser efetivado. Nesse caso, cabe à unidade de Correspondente fazer a anotação no Livro de Registro de Ocorrências de Estornos e Diferenças de Caixa e solicitar, por meio da Central de Relacionamento CR BRB, que o cliente retorne à Loja para que sejam feitos os devidos acertos. Quando se tratar de usuário não cadastrado no sistema BRB, cabe à unidade identificar e localizar o responsável a partir das informações contidas no documento para, em contato telefônico, pedir que ele se dirija à Loja, afim de fazer o devido acerto. Em hipótese alguma, o Operador de Caixa, Supervisor ou o Proprietário poderão se deslocar até a residência do cliente ou usuário para fazer cobranças.

4 8. Diferenças de Caixa Todos os procedimentos de segurança devem ser criteriosamente observados e adotados, a fim de que sejam evitadas diferenças de caixa. Os cálculos de somas de documentos e troco dever ser precisamente conferidos, e o dinheiro dever ser contado pelo menos duas vezes. Para localizar diferenças, o Operador de Caixa deve: 1. tirar uma posição completa de caixa; 2. contar o dinheiro da gaveta mais de uma vez, registrando na fita de caixa; 3. separar todos os documentos; 4. verificar se a quantidade de documentos e cheques confere com o relatório; 5. conferir se o valor autenticado e o valor de face dos documentos são idênticos; 6. verificar se as somas registradas na fita de caixa conferem com os documentos autenticados valor e quantidade; 7. conferir, na medida do possível, os recolhimentos. Possíveis erros que ocasionam falta de numerário: 1. o Operador de Caixa tira o saldo para o cliente e entrega o dinheiro sem efetivar o procedimento de saque; 2. o cliente solicita um saque, mas o Operador de Caixa registra um depósito; 3. o cliente deseja realizar um saque e um pagamento e o Operador de Caixa não soma o valor do pagamento com o valor a ser sacado e realiza somente a retirada de um valor; 4. documentos pagos duas vezes; 5. documentos autenticados sem o desconto; 6. código de barras diferente do valor de face; 7. documento autenticado como dinheiro e pago com cheque. Possíveis erros que ocasionam sobra de numerário: 1. o cliente deseja fazer um depósito, mas o Operador de Caixa realiza um saque; 2. documento não autenticado; 3. código de barras diferente do valor de face; 4. documento autenticado com desconto, mas com a cobrança integral; 5. o depósito é feito em valor menor que o solicitado pelo cliente. Os valores referentes a diferenças de caixa, a maior ou a menor, devem ser registrados no Livro de Registros de Ocorrências de Estornos e Diferenças de Caixa, assim como a data do evento, cabendo ao Operador de Caixa, Supervisor e responsável pela Loja assinarem o referido documento, logo abaixo da anotação feita. 9. Preparo e remessa do malote Todo o procedimento de preparo de malote para remessa dos documentos, cheques e numerários ao BRB deve ser filmado pelo sistema de gravação de imagens existente na unidade de Correspondente, devendo as imagens gravadas ser mantidas em arquivo por um período mínimo de 15 (quinze) dias úteis. Para o preparo do malote, o Operador de Caixa deve adotar os seguintes procedimentos na seguinte ordem: 1. em todos os cheques recebidos para depósito e para pagamento de contas, inclusive, cheques do BRB não liquidados (não autenticados), a serem enviados à COMPENSAÇÃO deve ser aposto o carimbo de cruzamento; 2. juntar os títulos de outros bancos com os cheques capeados com o formulário gerado na coleta de documentos (código 120) e, em seguida, acondicioná-los em um saco plástico; 3. organizar o dinheiro e colocá-lo em outro saco plástico junto à guia de recolhimento Remessa de Valores RV a ser impressa (código 254); 4. juntar os demais documentos (bagaço), separados por tipo, num único pacote preso com elástico, colocando-os num saco plástico;

5 5. utilizar o formulário Guia Totalizadora de Remessa Compensação, carbonado, em três vias, que deverá capear os títulos e cheques; 6. preencher os campos do formulário Guia Totalizadora de Remessa Compensação: Loja de Conveniência, data, visto e carimbo do responsável pela loja, cheque superior, cheque inferior, cheque interno, títulos de outros bancos, informando em cada um dos campos a quantidade de documentos a serem enviados e o valor total por campo, nº do lacre; 7. colocar todos os documentos, o dinheiro e as duas primeiras vias do formulário Guia Totalizadora de Remessa Compensação, devidamente preenchido, dentro do malote e fechá-lo. 10. Programas Sociais Bolsa Família / Cartão Solidariedade O benefício será disponibilizado ao favorecido a partir do décimo dia útil de cada mês. Para o bloqueio e solicitação de 2ª via do cartão, o beneficiário deverá procurar a Agência do BRB em que mantém a conta. 11. Pagamento de Benefícios - INSS O pagamento de benefícios do INSS sujeita-se às seguintes condições básicas: 1. o pagamento nas unidades de Correspondentes BRB Conveniência somente poderá ser efetuado com utilização do cartão; 2. a data de liberação dos benefícios pelo INSS prevista no calendário anual é definida com base no algarismo anterior ao dígito verificador no Número do Beneficiário NB, ou, do Número de Identificação de Trabalhador NIT. Exemplificando: se o número do benefício for , considera-se o algarismo 8 ; Nova tabela de Pagamento Final do número Data do Pagamento 1 e 6 1º dia útil 2 e 7 2º dia útil 3 e 8 3º dia útil 4 e 9 4º dia útil 5 e 0 5º dia útil 3. o benefício fica disponível ao favorecido até o último dia útil do mês seguinte à data prevista para início do período de liberação. Decorrido esse prazo, o benefício será devolvido ao INSS; 4. nas unidades de Correspondentes BRB, obrigatoriamente, o valor total do benefício deverá ser sacado de uma só vez; 5. quando o benefício constar como bloqueado INSS ou devolvido, o beneficiário deverá ser orientado a procurar o INSS, para solucionar o caso. 6. para pagamento do benefício, o Operador de Caixa deverá efetuar os seguintes procedimentos: a) solicitar ao beneficiário (sacador) a apresentação da Carteira de Identidade e do Cartão de Benefício, para identificação; b) efetuar o pagamento, por meio da tecla F10, selecionando a opção Transação Saque INSS (código 3560). 7. No caso de o pagamento do benefício ser feito a procurador, o Operador de Caixa deverá ainda adotar os seguintes procedimentos: a) identificar o procurador por meio de Carteira de Identidade; b) efetuar o pagamento do benefício somente se o procurador estiver devidamente cadastrado pelo INSS, no sistema PBI, não sendo aceitas, em hipótese alguma, procurações emitidas por cartório;

6 c) acessar o código 3560 para que o sistema apresente os dados de procurador. Se o sistema não exibir os dados do procurador é porque não há procurador cadastrado, ou, o prazo da procuração expirou. O procurador não cadastrado no sistema PBI deverá ser orientado a procurar o INSS. 12. Pagamento de Benefícios Renda Minha O pagamento do benefício é feito diretamente à Mãe ou responsável pelo(s) aluno(s), correspondendo a cada criança na escola. Calendário de pagamento: o pagamento do benefício é efetuado do 10º dia útil ao último dia do mês, sendo a data inicial definida com base nos dois últimos algarismos do número referente à matrícula no BRB constante do cartão magnético, de acordo com o calendário a seguir indicado, não sendo efetuados pagamentos antes da data inicial fixada para cada benefício: DOIS ÚLTIMOS NÚMEROS DO CARTÃO MAGNÉTICO (matrícula BRB) DIA ÚTIL 00 até 10 10º 11 até 21 11º 22 até 32 12º 33 até 43 13º 44 até 54 14º 55 até 65 15º 66 até 76 16º 77 até 87 17º 88 até 99 18º Exemplo de Cartão: MARIA HELENA NEVES A data de início do pagamento do benefício é definida com base no número da matrícula do benefício no BRB , considerados os dois últimos algarismos (7 e 0). Assim, a Sra. MARIA HELENA NEVES, portadora do cartão acima está matriculada no BRB como beneficiária do Programa Renda Minha, sob o número Ag 104 (Gama), podendo sacar o valor do benefício a partir do 16º dia útil até o último dia de cada mês. Para o pagamento de benefício, o Operador de Caixa deverá adotar os seguintes procedimentos, lembrando que ESSA TRANSAÇÃO NÃO ADMITE ESTORNOS: 1. teclar F10 e selecionar a opção Transação Pagamento Renda Minha (código 3590); 2. solicitar ao beneficiário que passe o cartão magnético no dispositivo PIN e que, em seguida, digite a senha; 3. efetuar o pagamento pelo valor integral do benefício. Não existe autenticação de documento nem emissão de recibo. O benefício que deixar de ser sacado até o último dia do mês somente será pago a partir da data definida no calendário de pagamento, no segundo mês após aquele a que se referir o benefício não recebido. Exemplo: o pagamento do benefício de fevereiro não efetuado até o último dia do mês será pago somente em abril. Dúvidas a respeito de suspensão de pagamentos podem ser esclarecidas nas Regionais de Ensino em cada Cidade do DF. 13. Teclas de atalho do Aplicativo de Caixa F1 Depósito em conta corrente; F2 Depósito em conta poupança;

7 F4 Saque eletrônico; F5 Estorno; F7 Posição de caixa; F8 Ajuda; F10 Menu transações; F11 Alterna entre calculadora e aplicativo de caixa; F12 Ativa e desativa a calculadora. Essa funcionalidade visa registrar todas as operações aritméticas executadas nas atividades de Recebimento e Pagamento do Caixa. As informações são armazenadas na Bobina eletrônica e também na fita de caixa para controle e gerenciamento do fluxo de caixa com segurança, subsidiando na localização de possíveis diferenças de caixa.

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.12

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.12 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.12 Pagueban...2 Bancos...2 Configurando Contas...5 Aba Conta Banco...5 Fornecedores Referências Bancárias...7 Duplicatas a Pagar...9 Aba Geral...10 Aba PagueBan...11 Rastreamento

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL - PORTOCRED EMPRÉSTIMO PESSOAL COM GARANTIA DE CHEQUE I - Site Portocred

ROTEIRO OPERACIONAL - PORTOCRED EMPRÉSTIMO PESSOAL COM GARANTIA DE CHEQUE I - Site Portocred I - Site Portocred Para acessar o site Portocred, devemos entrar no link: extranet.portocred.com.br/cp e após clicar na opção Crédito Pessoal Perto Check. *Lançar o usuário e a senha que serão informadas

Leia mais

Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney

Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney Condições Gerais de Uso Cartão Rendimento Visa TravelMoney BANCO RENDIMENTO S/A, com sede na Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.092, 19ºandar, São Paulo, Capital, inscrito no C.N.P.J. sob no. 68.900.810/0001-38,

Leia mais

Assim que o usuário entrar nesta ferramenta do sistema a seguinte tela será exibida:

Assim que o usuário entrar nesta ferramenta do sistema a seguinte tela será exibida: O que é o TDMax Web Commerce? O TDMax Web Commerce é uma ferramenta complementar no sistemas de Bilhetagem Eletrônica, tem como principal objetivo proporcionar maior conforto as empresas compradoras de

Leia mais

Circulação de Materiais

Circulação de Materiais Circulação de Materiais Manual APC Manual PER-MAN-001 Circulação de Materiais Sumário 1. EMPRÉSTIMO/DEVOLUÇÃO/DÉBITOS/RENOVAÇÃO... 1-1 1.1 1.2 EMPRÉSTIMO... 1-3 DEVOLUÇÃO... 1-7 1.3 DÉBITOS... 1-10 1.4

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA A Serveloja soluções empresariais é uma empresa de tecnologia, especialista em consultoria, serviços financeiros e softwares. Disponibilizamos diversas soluções de cobranças

Leia mais

Procedimento Quanto a Solicitação e Emissão de Cheque Avulso

Procedimento Quanto a Solicitação e Emissão de Cheque Avulso I - FINALIDADE: Informatizar o processo de solicitação e emissão de cheques avulsos, além de proporcionar maior segurança e sigilo das informações. II - ÂMBITO DE APLICAÇÃO: Este procedimento se aplica

Leia mais

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Divisão de Patrimônio DIPM/GRM/PRAD Manual do Sistema de Patrimônio Versão On-Line Núcleo de Informática Universidade Federal de Mato Grosso do Sul P á g i n a 2 Manual do Sistema de Patrimônio Núcleo

Leia mais

Passo a passo Aditamento a contrato de financiamento/empréstimo pessoal cessão de direitos e obrigações.

Passo a passo Aditamento a contrato de financiamento/empréstimo pessoal cessão de direitos e obrigações. Passo a passo Aditamento a contrato de financiamento/empréstimo pessoal cessão de direitos e obrigações. Para dar início ao processo de transferência do contrato primeiramente é necessário preencher a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE TRIBUTAÇÃO M A N U A L D A NOTA FISCAL AVULSA ÍNDICE 1. Acesso ao Portal do Sistema...6 2. Requerimento de Acesso para os novos usuários...6 2.1 Tipo

Leia mais

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. INFORMAÇÕES REGULAMENTARES:...3 3. ACESSO AO SISTEMA...3 4. INCLUSÃO DE USUÁRIOS...4 5. FATURAMENTO ELETRÔNICO...5 6. GUIA

Leia mais

TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se:

TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se: TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU 1. Definições Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se: Empresa Concessionária: Viação Itu Ltda, pessoa

Leia mais

SICRA Sistema de CAIXA Rápido Eletrônico

SICRA Sistema de CAIXA Rápido Eletrônico SUMÁRIO CONCEITO VANTAGENS PARA O EL PARÂMETRO DO SISTEMA EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS TRANSMISSÃO DE DADOS CONTRATAÇÃO PROCEDIMENTO NO PV PROCEDIMENTOS NA VAN PROCEDIMENTOS NA UL CONFECÇÃO DE DEPÓSITO GERAR

Leia mais

PROCEDIMENTOS DO FINANCEIRO PARA VENDA LOJAS

PROCEDIMENTOS DO FINANCEIRO PARA VENDA LOJAS PROCEDIMENTOS DO FINANCEIRO PARA VENDA LOJAS FORMAS DE PAGAMENTOS Nossa loja aceita as seguintes formas de pagamento: - Dinheiro; - Moeda estrangeira ( dólar e euro ) - Cheque à vista; - Cheque pré-datado;

Leia mais

GUIA DE USO. Sobre o Moip

GUIA DE USO. Sobre o Moip GUIA DE USO Sobre o Moip Sobre o Moip 2 Qual o prazo de recebimento no Moip? Clientes Elo 7 possuem prazo de recebimento de 2 dias corridos, contados a partir da data de autorização da transação. Este

Leia mais

Consignação Manual do Correspondente Consignação

Consignação Manual do Correspondente Consignação Manual do Correspondente Consignação Banestes S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo GCONS - Gerência de Consignação SUMÁRIO 1. Conceito...3 2. Apresentação...3 3. Informações Gerais...3 3.1. Condições

Leia mais

Cartão BRB Pré-Pago. Como adquirir

Cartão BRB Pré-Pago. Como adquirir Cartão BRB Pré-Pago O Cartão BRB Pré-Pago facilita a sua vida e da sua família. Com ele você tem mais controle dos seus castos, paga pequenas despesas do dia a dia, usa em vários lugares do País e pode

Leia mais

José Luiz Silveira Miranda Diretor Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

José Luiz Silveira Miranda Diretor Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. 1 CIRCULAR Nº 868 Aos Estabelecimentos Bancários, Caixas Econômicas e Cooperativas de Crédito participantes do Serviço de Compensação de Cheques e Outros Papéis. Comunicamos que a Diretoria do Banco Central

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP UNIDADE 2.6.15.1 Atender cliente Atender o cliente e analisar a solicitação para identificar se é restituição por pagamento indevido (erro de leitura, erro de cadastro, faturamento indevido), pagamento

Leia mais

SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS

SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS SERVIÇOS DISPONÍVEIS NO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS Através do serviço de extratos do Banrisul Office Banking, o correntista pode consultar e imprimir os movimentos em suas contas (correntes ou poupança),

Leia mais

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1º PASSO: Recebimento do e-mail de aprovação do projeto. 2º PASSO: Preenchimento e assinatura do Termo de Aceitação de Apoio Financeiro e do Cadastro de Portador, que

Leia mais

INADIMPLÊNCIA: E AGORA?

INADIMPLÊNCIA: E AGORA? INADIMPLÊNCIA: INADIMLÊNCIA E AGORA? Inadimplência: E agora? Quantas vezes você já se fez essa pergunta? Já conseguiu resolver este problema? Nesta cartilha iremos orientar, com base na legislação e no

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY Os presentes termos e condições gerais de uso (os Termos de Uso ) definem os direitos e obrigações aplicáveis aos usuários do

Leia mais

CARTÃO DE CRÉDITO BANRISUL

CARTÃO DE CRÉDITO BANRISUL 1 CARTÃO DE CRÉDITO BANRISUL Layout Para Arquivo de Cobrança de Parcelas de Cartão de Crédito Sistema BDL Carteira de Letras Troca de Informações Via Arquivo Magnético Unidade Atendimento e Serviços Unidade

Leia mais

SISTEMA HILUM FISIOTERAPIAS

SISTEMA HILUM FISIOTERAPIAS SISTEMA HILUM FISIOTERAPIAS 2014 Tecnologia da Informação - TI Unimed Cascavel MANUAL HILUM 4.0 - FISIOTERAPIA A ANS estabeleceu um padrão de Troca de Informação em Saúde Suplementar - TISS para registro

Leia mais

1.5. E-commerce: site de vendas do Cartão JOYCARD (www.joycard.com.br) e Hot sites segmentados dos produtos.

1.5. E-commerce: site de vendas do Cartão JOYCARD (www.joycard.com.br) e Hot sites segmentados dos produtos. Prezado(a) Cliente: Seguem abaixo o Termo e Condições de Uso dos produtos JOYCARD comercializados neste site pela ELEMENT. Solicitamos a leitura do Termo do cartão a ser adquirido: Partes De um lado, ELEMENT

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão. Manual do Data: /07/00 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

GUIA RECIBO BANCÁRIO COBRANÇA NÃO REGISTRADA - SLIM

GUIA RECIBO BANCÁRIO COBRANÇA NÃO REGISTRADA - SLIM GUIA RECIBO BANCÁRIO COBRANÇA NÃO REGISTRADA - SLIM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Configuração do Local de Pagamento... 3 3. Teste de Pagamento do Boleto... 10 4. Configurações do Banco... 17

Leia mais

4 MÓDULO 4 DOCUMENTOS COMERCIAIS

4 MÓDULO 4 DOCUMENTOS COMERCIAIS 44 4 MÓDULO 4 DOCUMENTOS COMERCIAIS 4.1 Cheque O cheque é uma ordem de pagamento à vista. Pode ser recebido diretamente na agência em que o emitente mantém conta ou depositado em outra agência, para ser

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão.5 Manual do Data: 04/0/0 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

1. Tela de Acesso pg. 2. 2. Cadastro pg. 3. 3. Abas de navegação pg. 5. 4. Abas dados cadastrais pg. 5. 5. Aba grupo de usuários pg.

1. Tela de Acesso pg. 2. 2. Cadastro pg. 3. 3. Abas de navegação pg. 5. 4. Abas dados cadastrais pg. 5. 5. Aba grupo de usuários pg. Sumário 1. Tela de Acesso pg. 2 2. Cadastro pg. 3 3. Abas de navegação pg. 5 4. Abas dados cadastrais pg. 5 5. Aba grupo de usuários pg. 6 6. Aba cadastro de funcionários pg. 7 7. Pedidos pg. 12 8. Cartões

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Sumário 1 CONCEITO... 4 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões de Acesso... 4 3.2 Plano de Contas... 5 3.2.1 Parcelado... 6 3.2.2 Parcelamento Notas a Prazo...

Leia mais

MANUAL BÁSICO DE NORMAR E ROTINAS DEPARTAMENTO FINANCEIRO. Contamos com o comprometimento e colaboração de todos.

MANUAL BÁSICO DE NORMAR E ROTINAS DEPARTAMENTO FINANCEIRO. Contamos com o comprometimento e colaboração de todos. MANUAL BÁSICO DE NORMAR E ROTINAS DEPARTAMENTO FINANCEIRO DISPOSIÇÕES INICIAIS O manual trás um resumo de algumas normas e rotinas que devem ser seguidas para o bom desempenho das tarefas necessárias para

Leia mais

Relatórios. Financeiro... 3. Detalhes financeiros da classe... 3. Detalhes financeiros do plano... 4. Detalhes financeiros dos alunos...

Relatórios. Financeiro... 3. Detalhes financeiros da classe... 3. Detalhes financeiros do plano... 4. Detalhes financeiros dos alunos... Relatórios Financeiro... 3 Detalhes financeiros da classe... 3 Detalhes financeiros do plano... 4 Detalhes financeiros dos alunos... 5 Vencimento diferenciado... 6 Não emitir boleto... 7 Diferenças entre

Leia mais

Passos para teste de boletos pré-produção

Passos para teste de boletos pré-produção Passos para teste de boletos pré-produção Os passos citados abaixo apenas poderão ser efetuados após a homologação dos boletos junto ao banco. Este processo é realizado pela MTI e liberado à empresa que

Leia mais

Aquisição de Créditos Eletrônicos. lojavirtual@sptrans.com.br

Aquisição de Créditos Eletrônicos. lojavirtual@sptrans.com.br Loja Virtual Aquisição de Créditos Eletrônicos 1 lojavirtual@sptrans.com.br O que é a Loja Virtual Ferramenta que possibilita a aquisição de créditos eletrônicos diretamente pelo site da SPTrans. 2 Quem

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O USO DE CHEQUES

INFORMAÇÕES SOBRE O USO DE CHEQUES INFORMAÇÕES SOBRE O USO DE CHEQUES O cheque é uma ordem de pagamento à vista. Pode ser recebido diretamente na agência em que o emitente mantém conta ou depositado em outra agência, para ser compensado

Leia mais

INSTRUÇÕES DO PORTAL PÓS-VENDAS MUELLER

INSTRUÇÕES DO PORTAL PÓS-VENDAS MUELLER INSTRUÇÕES DO PORTAL PÓS-VENDAS MUELLER O acesso ao Portal deve ser feito através do site da Mueller sendo www.mueller.ind.br. Logo abaixo, o posto deverá clicar no rodapé da página em Intranet/Extranet.

Leia mais

Renovação - ProUni - para o 1º semestre de 2016 UNIFIEO - Centro Universitário FIEO

Renovação - ProUni - para o 1º semestre de 2016 UNIFIEO - Centro Universitário FIEO Renovação - ProUni - para o 1º semestre de 2016 UNIFIEO - Centro Universitário FIEO Renovação - ProUni - para o 1º semestre de 2016 UNIFIEO - Centro Universitário FIEO Renovação - ProUni - para o 1º semestre

Leia mais

Soluções em Recebimentos. Manual Técnico

Soluções em Recebimentos. Manual Técnico Soluções em Recebimentos CNAB400/CBR641 Manual Técnico Layout de Arquivo Remessa para convênios na faixa numérica entre 000.001 a 999.999 (Convênios de até 6 posições) Orientações Técnicas Versão Set/09

Leia mais

Menu Relatórios. Folha Pagto ( Prov / Desctos.) Emissão da Folha de Pagamento. Folha Pagto (Meio Magnético)

Menu Relatórios. Folha Pagto ( Prov / Desctos.) Emissão da Folha de Pagamento. Folha Pagto (Meio Magnético) Folha Pagto ( Prov / Desctos.) Emissão da Folha de Pagamento Esta opção é responsável pela emissão da Folha de Pagamento dos funcionários com movimentação. A impressão poderá ser configurada com separações

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA FUNCIONÁRIOS

REGULAMENTO INTERNO PARA FUNCIONÁRIOS REGULAMENTO INTERNO PARA FUNCIONÁRIOS O presente regulamento interno prescreve normas e procedimentos que devem ser rigorosamente respeitadas pelos funcionários que aceitarem trabalhar para a empresa,

Leia mais

MANUAL DE CONTROLE BANCÁRIO

MANUAL DE CONTROLE BANCÁRIO MANUAL DE CONTROLE BANCÁRIO Prezado Cliente, Este é o material de apoio aos usuários e implantadores do SOFTLAND COMERCIAL, o seu sistema integrado de gestão empresarial. O bom uso deste manual o habilitará

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Movimentações... 4 Movimentações de Caixa... 4 Entradas... 6 Recebimento em Dinheiro... 8 Recebimento em Cheque... 8 Troco... 15 Saídas... 17 Movimentações de Banco... 22

Leia mais

ÍNDICE. Operações com o Cartão Ticket Car...

ÍNDICE. Operações com o Cartão Ticket Car... ÍNDICE Operações com o Cartão Ticket Car... POS Ticket Car :... Funções... Mensagens... Terminal TEF: Ticket Car Novo... Funções... Mensagens... Transação de Venda Manual... Procedimento... Obter boleto...

Leia mais

Perguntas mais frequentes

Perguntas mais frequentes Perguntas mais frequentes CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO Quais as vantagens do Multi Moeda Cash Passport em relação a Cheques de Viagem e ao Cartão de Crédito? Os cartões de crédito aplicam a Variação Cambial,

Leia mais

Manual do Programa de Caixa1

Manual do Programa de Caixa1 Manual do Programa de Caixa1 Para abrir o sistema de Caixa basta cliclar no ícone do programa. Que abrirá a tela conforme imagem abaixo: Como se pode notar, no menu superior as únicas opções ativas são

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio.

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Prezado (a) cliente: Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Procedimentos para envio dos documentos de

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015 1/6 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para concessão de linhas telefônicas móveis, aparelhos e modens, ao pessoal, Técnico, Administrativo e Operacional das empresas do Grupo Santa Helena. Este procedimento

Leia mais

Consulta de Cheques Redecard

Consulta de Cheques Redecard Com seu terminal Redecard, você consulta cheques, direto no banco de dados da Serasa Experian. A Redecard ajuda você a vender sempre de forma mais segura. Com o serviço Consulta de Cheques, em parceria

Leia mais

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro

Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Manual do Fornecedor/cedente (MPE) Balcão Financeiro Painel de recebíveis e Painel de linhas de crédito Versão 1.0 1 As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis

Leia mais

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS Pelo presente contrato, o BANCO DO BRASIL S.A., com sede em Brasília

Leia mais

Meio de pagamento do Itaú na Internet Itaú Shopline, o jeito seguro de pagar pela internet!

Meio de pagamento do Itaú na Internet Itaú Shopline, o jeito seguro de pagar pela internet! Meio de pagamento do Itaú na Internet Pagamento à vista por transferência, Crediário Automático Itaú, Bloqueto Bancário. Itaú Shopline O Itaú está disponibilizando para o site de sua empresa, que vende

Leia mais

Site Tricard A ferramenta de gestão do Cartão Tricard

Site Tricard A ferramenta de gestão do Cartão Tricard Site Tricard A ferramenta de gestão do Cartão Tricard 04 Acessando o Site Tricard Posição de Propostas Acões para sua Loja 09 13 30 Manuais de Treinamento 02 Introdução No Site Transacional Tricard, você

Leia mais

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se:

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal 1. DEFINIÇÕES: Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: EMPRESA CONCESSIONÁRIA Viação Atibaia

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL - PORTOCRED

ROTEIRO OPERACIONAL - PORTOCRED I - Site Portocred Para acessar o site Portocred, devemos entrar no link: extranet.portocred.com.br/cp e após clicar na opção Credito Pessoal Perto Check. *Lançar o usuário e a senha que serão informadas

Leia mais

Setor de Protocolo Administrativo do TJAM

Setor de Protocolo Administrativo do TJAM PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO 50 Setor de Protocolo Elaborado por: Adriano Ramos Gomes Setor de Protocolo

Leia mais

MANUAL CERTIDÃO ELETRÔNICA: REGISTROCIVIL.ORG / INTRANET

MANUAL CERTIDÃO ELETRÔNICA: REGISTROCIVIL.ORG / INTRANET MANUAL CERTIDÃO ELETRÔNICA: REGISTROCIVIL.ORG / INTRANET Informações Usuário O que é uma Certidão Eletrônica? A Certidão Eletrônica é uma certidão gravada em um meio eletrônico (Pen Drive, Disco Rígido,

Leia mais

Conhecendo os Processos de Cobrança

Conhecendo os Processos de Cobrança Conhecendo os Processos de Cobrança 03 Processos de Cobrança Entenda a Fatura Ferramentas de Suporte Consulta de Extratos 05 09 11 16 Consumo Consciente 02 Processos de Cobrança conheça os processos de

Leia mais

MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015

MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015 MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015 1 1. A Certificação por Prova é destinada a profissionais de Previdência Complementar Fechada que atuem na área de Contabilidade. IMPEDIMENTOS 2. O candidato

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

TARIFAS BANCÁRIAS. Para abrir uma conta, os bancos exigem um depósito inicial, que varia conforme a instituição.

TARIFAS BANCÁRIAS. Para abrir uma conta, os bancos exigem um depósito inicial, que varia conforme a instituição. TARIFAS BANCÁRIAS A utilização de bancos é praticamente indispensável aos cidadãos. Contas e impostos, salários e seguros-desemprego são exemplos de transferência de dinheiro normalmente intermediada por

Leia mais

SUA SENHA É SIGILOSA, PESSOAL E INTRANSFERÍVEL.

SUA SENHA É SIGILOSA, PESSOAL E INTRANSFERÍVEL. DÚVIDAS MAIS FREQUENTES - DO CLIENTE 1. Qual o procedimento para se cadastrar na Guia Eletrônica? - Rolar a página e procure pelo item Novo Cliente? - Escolher o perfil: Próprio Interessado: Pessoa Física

Leia mais

Guia. Máquina Bin. Máquina Bin. de Operação. Guia de Operação

Guia. Máquina Bin. Máquina Bin. de Operação. Guia de Operação POS TEF Guia Guia de Operação de Operação Máquina Bin Máquina Bin Bem simples. Bem próximo. Bin é a solução de pagamentos eletrônicos no Brasil que nasceu com a experiência da First Data, líder global

Leia mais

IMPEDIMENTO AO PAGAMENTO

IMPEDIMENTO AO PAGAMENTO MOTIVOS DE DEVOLUÇÃO DE CHEQUES CHEQUES EM PROVISÃO DE FUNDOS MOT DESCRIÇÃO OBSERVAÇÕES 11 Cheque sem fundos 1º apresentação. 12 Cheque sem fundos 2º reapresentação. 13 Conta encerrada. 14 Prática espúria.

Leia mais

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE Guia do Usuário ÍNDICE ÍNDICE Setembro /2009 www.4rsistemas.com.br 15 3262 8444 IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 3 Sou localizado no município... 4 Não sou localizado no município... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 Tela

Leia mais

Ambiente de Pagamentos

Ambiente de Pagamentos GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃOTRIBUTÁRIA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES Ambiente de Pagamentos Manual do Contribuinte Versão 26/09/2011 Índice Analítico 1.

Leia mais

SISTEMA DE GRERJ ELETRÔNICA JUDICIAL

SISTEMA DE GRERJ ELETRÔNICA JUDICIAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DGTEC Diretoria Geral de Tecnologia da Informação DERUS Departamento de Relacionamento com o Usuário MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE GRERJ ELETRÔNICA JUDICIAL

Leia mais

CARTILHA DO PRODUTO. Débito Direto Autorizado. www.unicredcentralsc.com.br. Versão. 01-07/2012

CARTILHA DO PRODUTO. Débito Direto Autorizado. www.unicredcentralsc.com.br. Versão. 01-07/2012 CARTILHA DO PRODUTO Débito Direto Autorizado Versão. 01-07/2012 www.unicredcentralsc.com.br ÍNDICE APRESENTAÇÃO Apresentação...02 Como funciona o DDA...03 DDA Unicred...04 DDA Módulos Internet Banking...06

Leia mais

Manual de Operaça o. Pit-Caixa. Versão 1.0

Manual de Operaça o. Pit-Caixa. Versão 1.0 Manual de Operaça o Pit-Caixa Versão 1.0 Sumário Iniciando o Programa... 3 Tela do Programa... 5 Menu Operador... 6 Abrir/Fechar Sessão... 6 Relatório Sessão... 8 Abrir Gaveta... 8 Efetuar Suprimento...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 MANUAL DO USUÁRIO Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 Rio de Janeiro INPI/CEDIN 2014 BIBLIOTECA DO INPI Vinculada ao Centro de Disseminação da Informação Tecnológica (CEDIN),

Leia mais

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL Portal do Servidor Publico Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL 1 Indice Apresentação do Portal... 03 Acesso ao Portal do Servidor Publico... 04 Solicitar Senha... 04 Disponibilidade do Portal... 06

Leia mais

ACESSAR: www.bmgconsig.com.br. Digite seu Usuário e Senha Digite os algarismos Clique em OK

ACESSAR: www.bmgconsig.com.br. Digite seu Usuário e Senha Digite os algarismos Clique em OK ROTEIRO OPERACIONAL ACESSAR: www.bmgconsig.com.br Digite seu Usuário e Senha Digite os algarismos Clique em OK ACESSO A DIGITAÇAO Clique em Proposta no Menu Selecione Nova IDENTIFICAR A OPERAÇÃO Entidade:

Leia mais

MANUAL DO WEBSIGOM ÍNDICE

MANUAL DO WEBSIGOM ÍNDICE MANUAL DO WEBSIGOM ÍNDICE 1. Procedimentos de utilização pela empresa cliente... 01 2. Funcionalidades do WebSigom... 02 2.1. Cadastro... 03 2.2. Inserir um novo usuário... 03 2.3. Consultar os dados de

Leia mais

Guia ilustrado de documentos para solicitação de auxílios da PROAE Universidade Federal da Bahia

Guia ilustrado de documentos para solicitação de auxílios da PROAE Universidade Federal da Bahia Guia ilustrado de documentos para solicitação de auxílios da PROAE Universidade Federal da Bahia Setembro de 2015 Guia ilustrado de documentos para solicitação de auxílios da PROAE Primeira Versão Setembro

Leia mais

INDICE 1. CADASTRO DE CATEGORIAS...5 2. CADASTRO DE BANCO... 3. CONTAS A RECEBER... 3.1. LANÇAMENTO AUTOMÁTICO DE CONTAS A RECEBER...

INDICE 1. CADASTRO DE CATEGORIAS...5 2. CADASTRO DE BANCO... 3. CONTAS A RECEBER... 3.1. LANÇAMENTO AUTOMÁTICO DE CONTAS A RECEBER... 1 2 INDICE 1. CADASTRO DE CATEGORIAS...5 2. CADASTRO DE BANCO......6 3. CONTAS A RECEBER......6 3.1. LANÇAMENTO AUTOMÁTICO DE CONTAS A RECEBER...6 3.2. LANÇAMENTO MANUAL DE CONTAS A RECEBER...7 3.3. GERAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO

REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO REGULAMENTO DO AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO O presente instrumento estabelece as normas regulamentares do AUTO-ATENDIMENTO SETOR PÚBLICO, destinado ao atendimento de Pessoas Jurídicas de direito público,

Leia mais

Realizando Vendas no site do Cartão BNDES

Realizando Vendas no site do Cartão BNDES Realizando Vendas no site do Cartão BNDES Fornecedor Atualizado em 16/07/2013 Pág.: 1/23 Introdução Este manual destina-se a orientar os fornecedores que irão registrar as vendas no site do Cartão BNDES,

Leia mais

Criar uma sistemática para orientar e padronizar o processo do caixa.

Criar uma sistemática para orientar e padronizar o processo do caixa. Página 1 de 5 1 OBJETIVO Criar uma sistemática para orientar e padronizar o processo do caixa. 2 FLUXOGRAMA DO PROCESSO 3 DEFINIÇÕES Varejo: são produtos a pronta-entrega (Linha Natufarma, Produto de revenda)

Leia mais

MANUAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO TERMINAL DE CARTÃO MAGNÉTICO POS -Terminais Hypercom modelo T7 Plus (para Cooperado) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...

MANUAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO TERMINAL DE CARTÃO MAGNÉTICO POS -Terminais Hypercom modelo T7 Plus (para Cooperado) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... MANUAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO TERMINAL DE CARTÃO MAGNÉTICO POS -Terminais Hypercom modelo T7 Plus (para Cooperado) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...01 2 TRANSAÇÕES DISPONÍVEIS...02 2.1 SOLICITAÇÃO CONSULTAS

Leia mais

Guia de Operação do Terminal Bin

Guia de Operação do Terminal Bin Guia de Operação do Terminal Bin 1. Terminal Bin O começo de bons negócios para sua empresa. Bem simples. Bem próximo. Bin é a solução de pagamentos eletrônicos no Brasil, que nasceu com a experiência

Leia mais

Introdução. Vantagens. Utilização

Introdução. Vantagens. Utilização Introdução O Sistema de Transferência de Propriedade online permite ao Proprietário transferir a Propriedade de um animal de forma alienada ou não, sem a necessidade de encaminhamento da Guia de Transferência

Leia mais

Ministério da Educação FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2013

Ministério da Educação FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2013 Ministério da Educação FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2013 Constituição Federal de 1988 - art. 214; Lei nº

Leia mais

Cadastro e Comercialização de Vale-Transporte Guia de Utilização

Cadastro e Comercialização de Vale-Transporte Guia de Utilização 1º PASSO: ACESSO À PAGINA PARA EMPREGADORES NÃO CADASTRADOS Acesse o site www.tripoa.com.br e selecione a opção Vale-transporte, ou então acesse www.trensurb.gov.br. Neste espaço você será informado sobre

Leia mais

Tutorial contas a pagar

Tutorial contas a pagar Tutorial contas a pagar Conteúdo 1. Cadastro de contas contábeis... 2 2. Cadastro de conta corrente... 4 3. Cadastro de fornecedores... 5 4. Efetuar lançamento de Contas à pagar... 6 5. Pesquisar Lançamento...

Leia mais

SISTEMA HILUM PRESTADORES

SISTEMA HILUM PRESTADORES SISTEMA HILUM PRESTADORES 2014 Tecnologia da Informação - TI Unimed Cascavel MANUAL HILUM 4.0 - PRESTADORES A ANS estabeleceu um padrão de Troca de Informação em Saúde Suplementar - TISS para registro

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO E INFORMAÇÃO DO COMÉRCIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO E INFORMAÇÃO DO COMÉRCIO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO

Leia mais

SicoobNet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.0

SicoobNet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.0 SicoobNet Empresarial Manual do Versão 1.0 Manual do Data: 04/0/2008 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/2008 1.0 Criação do Manual Ileana Karla GECOQ Gerência de Controle e Qualidade Página: 2/122

Leia mais

Nº Versão/Data: Validade: 1.0 01/10/2014 OUTUBRO/2015 FIN. 07 - BORDERÔS MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR

Nº Versão/Data: Validade: 1.0 01/10/2014 OUTUBRO/2015 FIN. 07 - BORDERÔS MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR 1 de 7 msgq - BORDERÔS MACROPROCESSO FINANCEIRO PROCESSO CONTAS A PAGAR BORDERÔS 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÃO DO SERVIÇO E SUA

Leia mais

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS)

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) Sumário 1 - Procedimentos para obter 1ª ART Eletrônica... 2 2 Como obter o Termo de Responsabilidade Técnica... 3 3 - Encaminhar documentos

Leia mais

Operações de Caixa. Versão 2.0. Manual destinado à implantadores, técnicos do suporte e usuários finais

Operações de Caixa. Versão 2.0. Manual destinado à implantadores, técnicos do suporte e usuários finais Operações de Caixa Versão 2.0 Manual destinado à implantadores, técnicos do suporte e usuários finais Sumário Introdução... 3 Suprimento... 3 Sangria... 4 Abertura de Caixa... 6 Fechamento de Caixa...

Leia mais

MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 1 / 14

MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 1 / 14 MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 1 / 14 MA-GCF-002 Versão: 01 Vigência: 2013 Página: 2 / 14 ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Direito de obtenção e utilização... 4 3. Sem direito ao benefício do passe

Leia mais

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031.

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031. Sumário Legenda... 3 1. Caixa... 4 1.1. Caixa... 4 1.1.1. Abertura de Caixa... 4 1.1.1.1. Lançamentos de Caixa... 6 1.1.2. Fechamento de Caixa... 38 1.2. Consultas... 39 1.2.1. Fita do Caixa... 39 1.2.2.

Leia mais

Quadro resumo 12 13 16 16 17

Quadro resumo 12 13 16 16 17 MANUAL Quadro resumo 12 13 16 16 17 e proteção civil. M Cartão deverá designar: O representante autorizado, responsável pela gestão dos recursos repassados pelo Ministério da Integração Nacional em sua

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências.

INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências. INSTRUÇÃO NORMATIVA STN Nº 02, DE 22 DE MAIO DE 2009. Dispõe sobre a Guia de Recolhimento da União - GRU, e dá outras providências. O SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL SUBSTITUTO, no exercício das atribuições

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

Tudo o que você precisa saber sobre o cheque para não correr riscos.

Tudo o que você precisa saber sobre o cheque para não correr riscos. Tudo o que você precisa saber sobre o cheque para não correr riscos. Com cautela e informação o cheque é muito seguro. A importância do cheque no comércio é inquestionável. Por isso é fundamental tomar

Leia mais