Organização de Computadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Organização de Computadores"

Transcrição

1 Organização de Computadores Aula 28 Operação da Unidade de Controle Rodrigo Hausen 17 de novembro de /44

2 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização de computadores Conjunto de Instruções 2.7. Estrutura e Função da CPU 2.8. Operação da Unidade de Controle 2.9. Controle Microprogramado Aula de hoje: Stallings (5a. Edição), Capítulo 14 2/44

3 Microoperações Execução de programa: sequência de ciclos de instrução (fetch-decode-execute-store) Cada ciclo tem diversos passos, as microoperações: Busca instrução: MAR PC, MBR Mem[MAR], IR MBR, PC PC+1 Decodificação instrução: depende do conteúdo do IR Cálculo endereço(s) de operando(s): MAR calcula endereço a partir do IR, etc. Busca operando(s): MBR Mem[MAR], Reg MBR, etc. Executa instrução: depende da instrução Cálculo endereço(s) de operando(s) destino, etc. Cada passo é muito simples (por isso, o micro-) Passos indivisíveis: operações atômicas da CPU 3/44

4 Elementos da Execução de um Programa Execução de Programa 4/44

5 Elementos da Execução de um Programa Execução de Programa Ciclo de Instrução 5/44

6 Elementos da Execução de um Programa Execução de Programa Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução 6/44

7 Elementos da Execução de um Programa Execução de Programa Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução 7/44

8 Elementos da Execução de um Programa Execução de Programa Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução 8/44

9 Elementos da Execução de um Programa Execução de Programa Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução Busca Proc.Indireção Execução Proc. Interrup. 9/44

10 Elementos da Execução de um Programa Execução de Programa Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução Ciclo de Instrução Busca Proc.Indireção Execução Proc. Interrup. μop μop μop μop μop 10/44

11 Busca de Instrução: 4 registradores Memory Address Register (MAR) Conectado ao barramento de endereço do sistema Especifica o endereço para a operação de leitura ou escrita Memory Buffer Register (MBR) Conectado ao barramento de dados do sistema Armazena os dados recém-lidos ou a serem escritos Program Counter (PC) Armazena o endereço da próxima instrução a ser lida Instruction Register (IR) Armazena a última instrução lida 11/44

12 Sequência de Busca Endereço da próxima instrução está no PC Endereço (MAR) é colocado no barramento do sistema Unidade de Controle envia comando de leitura p/ mem. Resultado (dado da memória) aparece no barr. de dados Dado do barramento de dados é colocado no MBR PC incrementado de 1 (pode ser feito em paralelo com leitura de dado da memória) Dado (instrução) copiado do MBR ao IR MBR está livre para outras operações 12/44

13 Sequência de Busca usando RTN RTN = Register Transfer Notation = Notação de Transferência de Registrador t1: MAR PC t2: MBR Memória[MAR], PC PC +1 t3: IR MBR tx = unidade de tempo/ciclo do clock 13/44

14 Sequência de Busca usando RTN RTN = Register Transfer Notation = Notação de Transferência de Registrador t1: MAR PC t2: MBR Memória[MAR], PC PC +1 t3: IR MBR OU t1: MAR PC t2: MBR Memória[MAR] t3: PC PC +1, IR MBR 14/44

15 Regras para Agrupamento de Microoperações 1) Sequência apropriada deve ser seguida MAR PC deve preceder MBR Memória[MAR] 2) Conflitos devem ser evitados Não pode escrever e ler o mesmo registrador ao mesmo tempo ex. MBR Memória[MAR] e IR MBR não podem estar no mesmo ciclo Observe também: PC PC+1 envolve adição. Pode usar a ULA, ou pode ser feita por um circuito independente. Algumas operações da ULA podem necessitar de microoperações adicionais (p. ex. multiplicação de números em ponto flutuante) 15/44

16 Subciclo de Proc. End. Indireto n-1 x y y-1 z k 0 IR opcode end. indireto operando 1 end. indireto operando 2 end. indireto operando N t1: MAR IRx IRy (campo de endereço do IR) t2: MBR Memória[MAR] t3: IRx IRy MBR endereço (parte do MBR contendo end.) MBR conterá um endereço IR está agora no mesmo estado caso estivéssemos usando endereçamento direto Consequência: geralmente, campos de endereço do IR precisam ter tamanho suficiente para endereçar diretamente toda a memória principal. 16/44

17 Subciclo de Proc. Interrupção Executado após o subciclo execute/store. Primeiramente, verifica se ocorreu interrupção. Se ocorreu, executa as seguintes microoperações: t1: MBR PC t2: MAR End. de Salvamento, PC End. do handler t3: Memória[MAR] MBR End. de salvamento geralmente é topo da pilha (em SP). Neste caso, necessita de mais uma microop SP SP 1 Isto é o mínimo indispensável: podem ser necessárias microoperações adicionais para obter o endereço do handler N.B. salvar o resto do contexto é atribuição do handler de interrupção, não das microoperações. 17/44

18 Subciclo de Execução: Exemplo 1 As microoperações no subciclo de execução variam muito de instrução para instrução. 18/44

19 Subciclo de Execução: Exemplo 1 As microoperações no subciclo de execução variam muito de instrução para instrução. Para a instrução ADD R1, X adiciona conteúdo da po-sição de memória X ao registrador R1, resultado em R1. t1: MAR IR endereço (campo de endereço do IR) t2: MBR Memória[MAR] t3: R1 R1 + MBR (por meio da ULA) 19/44

20 Subciclo de Execução: Exemplo 1 As microoperações no subciclo de execução variam muito de instrução para instrução. Para a instrução ADD R1, X adiciona conteúdo da po-sição de memória X ao registrador R1, resultado em R1. t1: MAR IRx IRy (campo de endereço do IR) t2: MBR Memória[MAR] t3: R1 R1 + MBR (por meio da ULA) Note que, neste caso, não pode haver sobreposição das microoperações 20/44

21 Subciclo de Execução: Exemplo 1 As microoperações no subciclo de execução variam muito de instrução para instrução. Para a instrução ADD R1, X adiciona conteúdo da po-sição de memória X ao registrador R1, resultado em R1. t1: MAR IRx IRy (campo de endereço do IR) t2: MBR Memória[MAR] t3: R1 R1 + MBR (por meio da ULA) Note que, neste caso, não pode haver sobreposição das microoperações Observe que a operação de soma depende da organização interna da ULA. P. ex. em uma ULA que possui um registrador de saída R ULAout : t3: R ULAout R1 + MBR t4: R1 R ULAout 21/44

22 Subciclo de Execução: Exemplo 2 ISZ X Increment and Skip if Zero (incremente o conteúdo da posição de memória X e pule próxima instrução se result. da última operação foi zero) t1: MAR IR endereço t2: MBR Memória[MAR] t3: MBR MBR+1 t4: Memória[MAR] MBR, IF (MBR == 0) then PC PC + 1 Ação condicional: a UC verifica e, caso a condição seja verdadeira, executa a ação (incrementar o PC) em uma única microooperação Como MBR só está sendo lido no if e na cópia do seu valor para a memória, pode haver sobreposição. 22/44

23 UC: Requisitos funcionais Após decompor o ciclo de instrução em operações elementares, precisamos definir o que a Unidade de Controle deve fazer para que elas sejam seguidas. Três passos para caracterizar a UC: 1) Definir os elementos básicos do processador 2) Descrever as microoperações que o processador executa 3) Determinar as funções que a UC deve realizar para que as microoperações sejam seguidas 23/44

24 Passo 1: Elementos Básicos do Processador Minimamente: ULA Registradores Caminhos de dados internos Caminhos de dados externos Unidade de Controle 24/44

25 Passo 2: Tipos de Microoperações Pelos exemplos vistos anteriormente, é suficiente categorizar as microoperações em: 1)Transferência de dado entre registradores 2)Transferência de dado de registrador para o exterior (p. ex. barramento do sistema) 3)Transferência de dado do exterior para registrador 4)Execução de operação lógica ou aritmética, usando registradores como fonte e destino. 25/44

26 Passo 3: Funções da Unidade de Controle Duas tarefas básicas. Sequenciamento: Faz com que a CPU siga as microoperações passo a passo Execução Executa, efetivamente, cada microoperação Regidas e executadas por meio de sinais de controle. 26/44

27 Sinais de Controle Clock Uma microoperação (ou conjunto de microoperações simultâneas) por ciclo de clock. do Registrador de Instrução Opcode da instrução atual Determina quais microinstruções executar e sua ordem Flags Estado da CPU Resultados de operações anteriores do Barramento de Controle Interrupções Reconhecimento de sinais de controle originários da CPU (acknowledgments) 27/44

28 Modelo de uma UC Unidade de Controle Sinais de controle para componentes internos à CPU Sinais de controle do barramento do sistema Barramento de Controle Sinais de controle para barramento do sistema 28/44

29 Sinais de Controle Saída Dentro da CPU Causam movimento de dados Activam funções específicas Através do barramento de controle do sistema Para a memória principal Para módulos de entrada/saída 29/44

30 Controle de Leitura/Escrita As operações de leitura/escrita em registradores podem ser pensadas como operações de abertura e fechamento de portas (gates). Um registrador tem 2 gates, um de saída (leitura) e um de entrada (escrita). Rwrite R Rread A operação (leitura/escrita) pode ser controlada por meio de sinais nos gates. 30/44

31 Controle de Leitura/Escrita As operações de leitura/escrita em registradores podem ser pensadas como operações de abertura e fechamento de portas (gates). Um registrador tem 2 gates, um de saída (leitura) e um de entrada (escrita). 1 = Rwrite Rread = 0 R escrita no registrador A operação (leitura/escrita) pode ser controlada por meio de sinais nos gates. 31/44

32 Controle de Leitura/Escrita As operações de leitura/escrita em registradores podem ser pensadas como operações de abertura e fechamento de portas (gates). Um registrador tem 2 gates, um de saída (leitura) e um de entrada (escrita). 0 = Rwrite Rread = 1 R leitura do registrador A operação (leitura/escrita) pode ser controlada por meio de sinais nos gates. 32/44

33 Controle de Leitura/Escrita As operações de leitura/escrita em registradores podem ser pensadas como operações de abertura e fechamento de portas (gates). Um registrador tem 2 gates, um de saída (leitura) e um de entrada (escrita). 0 = Rwrite Rread = 0 R registrador desabilitado A operação (leitura/escrita) pode ser controlada por meio de sinais nos gates. 33/44

34 Organização Interna da CPU Geralmente, um único barramento interno Os gates controlam o movimento de dados de/para o barramento interno Sinais de controle controlam a transferência de dados de/para o barramento do sistema Registradores temporários para o funcionamento adequado da ULA: R ULAin e R ULAout (obs.: na figura 14.6 são os registradores Y e Z) 34/44

35 CPU com Barramento Interno Único Rin ULA Rout 35/44

36 Sequência de Sinais de Controle: Exemplo Busca de instrução: t1: MAR PC UC abre gate de leitura do PC e gate de escrita do MAR Rin ULA Rout 36/44

37 Sequência de Sinais de Controle: Exemplo Memory READ Busca de instrução: t1: MAR PC UC abre gate de leitura do PC e gate de escrita do MAR t2: MBR Memória[MAR] UC abre gate de leitura do MAR, gate de escrita do MBR p/ barr. do sistema e manda comando de leitura para memória Rin ULA Rout 37/44

38 Sequência de Sinais de Controle: Exemplo Busca de instrução: t1: MAR PC UC abre gate de leitura do PC e gate de escrita do MAR t2: MBR Memória[MAR] UC abre gate de leitura do MAR, gate de escrita do MBR p/ barr. do sistema e manda comando de leitura para memória t3: IR MBR UC abre gate de leitura do MBR p/ barr. interno e gate de escrita do IR Rin ULA Rout 38/44

39 UC calcula Funções Lógicas! Cada sinal de controle é função lógica dos bits do IR, das flags, e do tempo de execução atual (um número binário que depende do clock) Unidade de contador Controle Sinais de controle para componentes internos à CPU Sinais de controle do barramento do sistema Sinais de controle para barramento do sistema Barramento de Controle 39/44

40 Controle Hardwired Como cada sinal de controle é função lógica variáveis booleanas, podemos criar circuitos digitais combinacionais que calculem essas funções lógicas. Essa abordagem usando apenas circuitos digitais, não reprogramáveis, é chamada hardwired Entradas: bits do barramento de controle, flags, registrador de instrução, bits do gerador de temporização (um contador binário que tem como entrada o clock) Saídas: sinais binários de controle para os gates dos registradores, para a ULA, e para as linhas de controle do barramento do sistema. 40/44

41 Controle Hardwired: Entradas Flags e bits do barramento de controle Cada bit tem um significado Registrador de Instrução (IR) Opcode causa sinais de controle diferentes para cada instrução Lógica diferente para cada opcode Geralmente, a lógica é facilitada colocando-se um decodificador entre o IR e a UC decodificador: n bits de entrada e 2n bits de saída Clock Coloca-se um contador entre o clock e a UC (chamado gerador de temporização) 41/44

42 UC com Entradas Decodificadas Flags and control bus signals 42/44

43 Controle Hardwired: Problemas Lógica complexa de sequenciamento e de implementação das microoperações Difícil de projetar e de testar Projeto inflexível E se houver um erro de projeto? Só pode ser corrigido alterando-se o circuito! Como geralmente hoje os circuitos são integrados (sem possibilidade de alterá-los), o único jeito de corrigir um erro seria trocar o processador Dificuldade de implementar novas instruções Seria necessário trocar o processador. E se pudéssemos programar as microoperações? Yes, we can! Isso se chama controle microprogramado. 43/44

44 Para Casa Ler o capítulo 14 (a subseção sobre o Intel 8085 é para ser lida como cultura geral, para fixar os conceitos) Exercícios: fazer do 14.1 ao 14.5 (todos os exercícios do capítulo na 5a. edição) Fazer leitura de familiarização do cap. 15 (próxima aula) LEMBREM DE PREPARAR A FOLHA DE CONSULTA PARA A P2! Vejam as condições nos slides da aula /44

18/10/2010. Unidade de Controle Controle. UC Microprogramada

18/10/2010. Unidade de Controle Controle. UC Microprogramada Arquitetura de Computadores Unidade de Controle Controle Microprogramado Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO UC Microprogramada

Leia mais

Oganização e Arquitetura de Computadores

Oganização e Arquitetura de Computadores Oganização e Arquitetura de Computadores Capítulo 14 e 15 Unidade de Controle Parte I Operação da Unidade de Controle 1 Micro-Operações Um computador executa um programa Ciclo: Busca/Executa Cada ciclo

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO

Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO Organização e Arquitetura de Computadores INTRODUÇÃO A Arquitetura de Computadores trata do comportamento funcional de um sistema computacional, do ponto de vista do programador (ex. tamanho de um tipo

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Estrutura e Função do Processador Material adaptado, atualizado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Organização

Leia mais

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Barramento Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Componentes do Computador; Funções dos Computadores; Estrutura de Interconexão; Interconexão de Barramentos Elementos de projeto de barramento;

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO 6: PROCESSADORES. Prof. Juliana Santiago Teixeira

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO 6: PROCESSADORES. Prof. Juliana Santiago Teixeira ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO 6: PROCESSADORES Prof. Juliana Santiago Teixeira julianasteixeira@hotmail.com INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O processador é o componente vital do sistema de computação, responsável

Leia mais

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DO COMPUTADOR

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DO COMPUTADOR ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DO COMPUTADOR Prof. Filippo Valiante Filho http://prof.valiante.info Estrutura do Computador Computador CPU (Central Processing Unit) Sistema de Armazenamento (Memórias) Sistema

Leia mais

28/9/2010. Unidade de Controle Funcionamento e Implementação

28/9/2010. Unidade de Controle Funcionamento e Implementação Arquitetura de Computadores Unidade de Controle Funcionamento e Implementação Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense P.U.R.O. Operação da Unidade de Controle Unidade de controle: parte do

Leia mais

Unidade Central de Processamento UCP (CPU)

Unidade Central de Processamento UCP (CPU) Unidade Central de Processamento UCP (CPU)! Arquitetura Convencional (Von Neumann) UCP BARRAMENTO MEMÓRIA PRINCIPAL ENTRADA E SAÍDA ! Visão geral da CPU UC - UNIDADE DE CONTROLE REGISTRADORES A B C D ALU

Leia mais

Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas:

Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas: Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas: Somar e subtrair Mover um dado de um local de armazenamento para outro Transferir um dado para um dispositivo

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE DE CONTROLE E A INTERPRETAÇÃO DE INSTRUÇÕES. Prof. MSc. Tiago Alves de Oliveira

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE DE CONTROLE E A INTERPRETAÇÃO DE INSTRUÇÕES. Prof. MSc. Tiago Alves de Oliveira ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE DE CONTROLE E A INTERPRETAÇÃO DE INSTRUÇÕES Prof. MSc. Tiago Alves de Oliveira Lembretes Compreender a função da unidade de controle Apresentar o ciclo

Leia mais

Arquitetura de Computadores - Controle Microprogramado. por Helcio Wagner da Silva

Arquitetura de Computadores - Controle Microprogramado. por Helcio Wagner da Silva Arquitetura de Computadores - Controle Microprogramado por Helcio Wagner da Silva Introdução Projeto baseado em HW para a Unidade de Controle Difícil Lógica relativamente complexa para seqüenciamento e

Leia mais

Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann

Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann Introdução à Computação: Arquitetura von Neumann Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 3.1 CPU: Unidade de Processamento Central Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann Unidade de Processamento Central (CPU): Memória Principal Unidade de Processamento

Leia mais

Disciplina: Arquitetura de Computadores

Disciplina: Arquitetura de Computadores Disciplina: Arquitetura de Computadores Estrutura e Funcionamento da CPU Prof a. Carla Katarina de Monteiro Marques UERN Introdução Responsável por: Processamento e execução de programas armazenados na

Leia mais

COMPUTADOR 2. Professor Adão de Melo Neto

COMPUTADOR 2. Professor Adão de Melo Neto COMPUTADOR 2 Professor Adão de Melo Neto Modelo Barramento de Sistema É uma evolução do Modelo de Von Newman. Os dispositivos (processador, memória e dispositivos de E/S) são interligados por barramentos.

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 2 Estrutura de um processador Prof. Leonardo Augusto Casillo Arquitetura de Von Neumann: Conceito de programa armazenado; Dados

Leia mais

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA REVISÃO DE ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Arquitetura X Organização Arquitetura - Atributos de um Sistema Computacional como visto pelo programador, isto é a estrutura

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Organização de Computadores ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Curso: Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Ano: 2011 Instrução Precisam ser entendidas pelo processador Precisam ser decodificadas e

Leia mais

Capítulo 4 Nível da microarquitetura

Capítulo 4 Nível da microarquitetura Capítulo 4 Nível da microarquitetura Nível acima da lógica digital Função: Implementar a ISA (Instruction Set Architecture) O projeto da microarquitetura depende diretamente da ISA, além dos objetivos

Leia mais

Capítulo 3 Organização Interna de um Computador

Capítulo 3 Organização Interna de um Computador Capítulo 3 Organização Interna de um Computador 3.1 UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO A Unidade Central de Processamento - UCP (em inglês, Central Processing Unity - CPU) é a responsável pelo processamento

Leia mais

X Y Z A B C D

X Y Z A B C D 29) A seguinte tabela verdade corresponde a um circuito combinatório de três entradas e quatro saídas. Obtenha a tabela de programação para o circuito em um PAL e faça um diagrama semelhante ao apresentado

Leia mais

Processador: Conceitos Básicos e Componentes

Processador: Conceitos Básicos e Componentes Processador: Conceitos Básicos e Componentes Cristina Boeres Instituto de Computação (UFF) Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Material baseado nos slides de Fernanda Passos Cristina Boeres (IC/UFF)

Leia mais

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores Ciência da Computação Arq. e Org. de Computadores Processadores Prof. Sergio Ribeiro Composição básica de um computador eletrônico digital: Processador Memória Memória Principal Memória Secundária Dispositivos

Leia mais

Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada

Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 20 e 21/30 Prof.

Leia mais

Processador. Processador

Processador. Processador Departamento de Ciência da Computação - UFF Processador Processador Prof. Prof.Marcos MarcosGuerine Guerine mguerine@ic.uff.br mguerine@ic.uff.br 1 Processador Organização básica de um computador: 2 Processador

Leia mais

O Computador Neander Neander - Computador Hipotético Didático

O Computador Neander Neander - Computador Hipotético Didático Neander - Computador Hipotético Didático [Weber 2001] Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Raul Weber - Ed. Sagra. Site - ftp://ftp.inf.ufrgs.br/pub/inf107/ Arquitetura: características gerais Largura

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Conjunto de Instruções Slide 1 Sumário Características de Instruções de Máquina Tipos de Operandos Tipos de Operações Linguagem de Montagem Slide 2 Características

Leia mais

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade.

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. PROCESSADOR ULA Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. ULA Uma ULA típica pode realizar as operações artiméticas: - adição; - subtração; E lógicas: - comparação

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Organização de Computadores ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Curso: Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Ano: 2011 Conhecida como Processador ou é o cerebro do computador Unifica todo sistema e

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Arquitetura de Von Newmann Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Vídeos Vídeo aula RNP http://edad.rnp.br/rioflashclient.php?xmlfile=/ufjf/licenciatura_com

Leia mais

Unidade de Controle. Sinais e temporização da busca de instrução. Prof. Eduardo Appel

Unidade de Controle. Sinais e temporização da busca de instrução. Prof. Eduardo Appel Unidade de Controle Prof Eduardo Appel appel@upftchebr Uma CPU de um microprocessador pode interpretar o conteúdo de uma palavra de memória como sendo o código de instrução Mas pergunta-se: Qual o número

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA E AS INSTRUÇÕES EM LINGUAGEM DE MÁQUINA Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-2 Objetivos Conhecer o processador Compreender os registradores

Leia mais

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 3 Visão de alto nível da função e interconexão do computador Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert

Leia mais

Relembrando desempenho...

Relembrando desempenho... Parte 5 OBS: Essas anotações são adaptações do material suplementar (apresentações PPT) ao Livro do Hennessy e Patterson, 2ª e 3ª Ed. e do Livro do 5ª Ed. A parte final do material corresponde às aulas

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Aula 23 Entrada e Saída (I/O) Rodrigo Hausen 03 de novembro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 1/62 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização de computadores... 2.3. Estruturas

Leia mais

Estrutura e Funcionamento da CPU. Adriano Maranhão

Estrutura e Funcionamento da CPU. Adriano Maranhão Estrutura e Funcionamento da CPU Adriano Maranhão 1 S Relembrando S Compiladores de linguagens ao fazer a conversão da linguagem de alto nível para chegar na fase da linguagem de baixo nível como assembly

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 3 Visão de alto nível da função e interconexão do computador slide 1 Conceito de programa Sistemas hardwired são inflexíveis.

Leia mais

Relembrando desempenho...

Relembrando desempenho... Parte 5 OBS: Essas anotações são adaptações do material suplementar (apresentações PPT) ao Livro do Hennessy e Patterson, 2ª e 3ª Ed. e do Livro do 5ª Ed. A parte final do material corresponde às aulas

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Aula 19 Barramentos: Estruturas de Interconexão Rodrigo Hausen 14 de outubro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 1/40 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização de computadores

Leia mais

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis Unidade II Organização de Computadores Prof. Renato Lellis Ciclo de Execução da Instrução 1. Trazer a próxima instrução da memória até o registrador 2. Alterar o contador de programa para indicar a próxima

Leia mais

Unidade Central de Processamento 2. Registradores

Unidade Central de Processamento 2. Registradores Unidade Central de Processamento 2 Registradores Conceitos Fundamentais Arquitetura da CPU Unidade de Controle Registradores Barramento interno Unidade lógica e Aritmética Registradores Conjunto de unidades

Leia mais

Arquitetura de Computadores Unidade Central de Processamento CPU

Arquitetura de Computadores Unidade Central de Processamento CPU Arquitetura de Computadores Unidade Central de Processamento CPU CPU Funções realizadas pelo processador: Função controle Responsável pela busca, interpretação e controle da execução das instruções, bem

Leia mais

COMPUTADOR. Adão de Melo Neto

COMPUTADOR. Adão de Melo Neto COMPUTADOR Adão de Melo Neto 1 Modelo Barramento de Sistema É uma evolução do Modelo de Von Newman Processador = UCP = unidade de controle + unidade lógica aritmética Memória; Barramento (novo elemento):

Leia mais

ção de Computadores I

ção de Computadores I Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Arquitetura e Organizaçã ção de Computadores I Aula 4 1. Projeto da Arquitetura

Leia mais

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues SEL 433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I Prof. Evandro L. L. Rodrigues Tópicos do curso Conceitos básicos - Aplicações e utilizações dos microcontroladores

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Conjunto de Instruções Givanaldo Rocha de Souza http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br Material do prof. Sílvio Fernandes - UFERSA

Leia mais

Estrutura da CPU Organização de registradores Ciclo de instrução

Estrutura da CPU Organização de registradores Ciclo de instrução Estrutura da CPU Organização de registradores Ciclo de instrução Elucidar o funcionamento da CPU, processamento das informações e a comunicação entre a CPU e demais componentes do computador. O processador

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Arquitetura e Organização de Computadores Conjunto de Instruções Prof. Sílvio Fernandes

Leia mais

Tiago Alves de Oliviera

Tiago Alves de Oliviera Tiago Alves de Oliviera 1 Capítulo 6 do Livro do Mario Monteiro Capítulo 5 (5.1, 5.2, 5. e 5.4) do Livro do Patterson 2 Processador executa instruções CPU (central processing unit) UCP (unidade central

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores. Leslier S. Corrêa

Organização e Arquitetura de Computadores. Leslier S. Corrêa Organização e Arquitetura de Computadores Leslier S. Corrêa O nome refere-se ao matemático John Von Neumann, que foi considerado o criador dos computadores da forma como são projetados até hoje. Entretanto,

Leia mais

Prof. Benito Piropo Da-Rin. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo

Prof. Benito Piropo Da-Rin. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo Prof. Benito Piropo Da-Rin UCP ou microprocessador: Circuito Integrado inteligente (capaz de cumprir diferentes funções determinadas por instruções ) CI capaz de efetuar todas as operações necessárias

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 7

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 7 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 7 Índice 1. A Organização do Computador...3 1.1 Processadores... 3 2 1. A ORGANIZAÇÃO DO COMPUTADOR Um computador digital consiste em um sistema interconectado de processadores,

Leia mais

Organização de Computadores (revisão) André Tavares da Silva

Organização de Computadores (revisão) André Tavares da Silva Organização de Computadores (revisão) André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Conceitos Básicos Microcomputador é um sistema computacional que possua como CPU um microprocessador. Microprocessador

Leia mais

CAPÍTULO 4 CAMINHO DE DADOS E CONTROLE

CAPÍTULO 4 CAMINHO DE DADOS E CONTROLE CAPÍTULO 4 CAMINHO DE DADOS E CONTROLE Introdução Uma implementação MIPS básica Sinopse da implementação Sinais de controle Multiplexadores (muxes) Implementação monociclo Metodologia de clocking Construindo

Leia mais

Organização de computadores. Prof. Moisés Souto

Organização de computadores. Prof. Moisés Souto Organização de computadores Prof. Moisés Souto Moisés Souto docente.ifrn.edu.br/moisessouto professor.moisessouto.com.br moises,souto@ifrn.edu.br @moises_souto Aula 06 CICLO DE INSTRUÇÕES Unidade Central

Leia mais

William Stallings Organização de computadores digitais. Capítulo 11 Estrutura e função da CPU

William Stallings Organização de computadores digitais. Capítulo 11 Estrutura e função da CPU William Stallings Organização de computadores digitais Capítulo 11 Estrutura e função da CPU Encruzilhada na arquitetura de computadores 2004/2005 Antiga opinião Nova visão a energia é de graça, os transistores

Leia mais

Arquitetura: características gerais

Arquitetura: características gerais Neander - Computador Hipotético Didático [Weber 2001] Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Raul Weber - Ed. Sagra. Site - ftp://ftp.inf.ufrgs.br/pub/inf107/ Arquitetura: características gerais Largura

Leia mais

Arquitetura de Computadores - Operação da Unidade de Controle. por Helcio Wagner da Silva

Arquitetura de Computadores - Operação da Unidade de Controle. por Helcio Wagner da Silva Arquitetura de Computadores - Operação da Unidade de Controle por Helcio Wagner da Silva Microoperações Execução de programa... Ciclo de instrução Ciclo de instrução Ciclo de instrução Busca Indireto Execução

Leia mais

3. Unidade Central de Processamento

3. Unidade Central de Processamento 3. Unidade Central de Processamento Um microprocessador é um chip responsável por buscar e executar instruções e dados existentes na memória RAM. Vai de regra as instruções são bastante simples, como por

Leia mais

Implementação da UCP. Construção do caminho de dados Controle Implementação monociclo. Organização de Computadores

Implementação da UCP. Construção do caminho de dados Controle Implementação monociclo. Organização de Computadores Implementação da UCP Construção do caminho de dados Controle Implementação monociclo Conceitos Gerais para Implementação do Processador Conceito de caminho de dados e controle Caminho dos bits de instrução

Leia mais

Unidade Central de Processamento (CPU) Processador. Bernardo Gonçalves Introdução ao Computador 2008/01

Unidade Central de Processamento (CPU) Processador. Bernardo Gonçalves Introdução ao Computador 2008/01 Unidade Central de Processamento (CPU) Processador Bernardo Gonçalves Introdução ao Computador 2008/01 Componentes de um Computador (1) Computador Eletrônico Digital É um sistema composto por: Memória

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Departamento de Ciência da Computação - UFF Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Marcos A. Guerine mguerine@ic.uff.br 1 Dipositivos periféricos ou simplesmente periféricos permitem a comunicação da máquina

Leia mais

Aula 14 Funcionamento de Processadores (Visão específica)

Aula 14 Funcionamento de Processadores (Visão específica) Aula 14 Funcionamento de Processadores (Visão específica) Com base nas aulas de Prof. José Delgado (autorizado) Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@recife.ifpe.edu.br http://dase.ifpe.edu.br/~alsm

Leia mais

ção de Computadores II

ção de Computadores II Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Arquitetura e Organizaçã ção de Computadores II Aula 2 2. MIPS monociclo:

Leia mais

Organização de Sistemas de Computadores

Organização de Sistemas de Computadores Organização de Sistemas de Computadores Cap. 2 (Tanenbaum), Cap. 3 (Weber) 2.1 Processadores 1 CPU UC = buscar instruções na memória principal e determinar o seu tipo ULA = adição e AND Registradores =

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Cristina Boeres página do curso: http://www.ic.uff.br/~boeres/so.html boeres@ic.uff.br Sistemas Operacionais O que é um SO?! um gerenciador de recursos?! uma interface?! máquina virtual?

Leia mais

Tópicos Avançados em Sistemas Computacionais: Infraestrutura de Hardware Aula 06

Tópicos Avançados em Sistemas Computacionais: Infraestrutura de Hardware Aula 06 Tópicos Avançados em Sistemas Computacionais: Infraestrutura de Hardware Aula 06 Prof. Max Santana Rolemberg Farias max.santana@univasf.edu.br Colegiado de Engenharia de Computação COMO UM PROGRAMA ESCRITO

Leia mais

MAC2166 Introdução à Computação Aula 1 Como Funciona um Computador

MAC2166 Introdução à Computação Aula 1 Como Funciona um Computador MAC2166 Introdução à Computação Aula 1 Como Funciona um Computador Kelly Rosa Braghetto DCC IME USP 25 de março de 2014 MAC2166 Introdução à Computação Aula 1 Como Funciona um Computador DCC IME USP 1

Leia mais

Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis

Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Circuitos Lógicos Sequenciais (Parte

Leia mais

FACULDADE LEÃO SAMPAIO

FACULDADE LEÃO SAMPAIO FACULDADE LEÃO SAMPAIO Microcontroladores Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 Componentes CPU Memórias Dispositivos de Entrada/Saída (E/S) Input/Output (I/O) 2 CPU A CPU busca informações

Leia mais

EA869 Pipeline. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof.

EA869 Pipeline. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. EA869 Pipeline Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. Levy Boccato 1 Objetivos Conhecer técnicas de como melhorar o desempenho de um processador.

Leia mais

Algoritmos Computacionais

Algoritmos Computacionais UNIDADE 1 Processador e instruções Memórias Dispositivos de Entrada e Saída Software ARQUITETURA BÁSICA UCP Unidade central de processamento MEM Memória E/S Dispositivos de entrada e saída UCP UNIDADE

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Aula 25 Conjunto de Instruções: Modos de Endereçamento e Formatos Rodrigo Hausen 11 de novembro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 1/26 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Linguagem de Montagem e Linguagem de Máquina Givanaldo Rocha de Souza http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br Conceitos básicos Linguagem/código

Leia mais

Lista de Exercícios 2 Prof. Daniel Caetano Solução

Lista de Exercícios 2 Prof. Daniel Caetano Solução Unidade 4 Lista de Exercícios 2 Prof. Daniel Caetano Solução 4.1) Converta os seguintes números decimais para hexadecimal: 145, 226, 1043, 3456 91h, E2h, 413h, D80h 4.2) Sem converter as bases, faça as

Leia mais

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador Karina Girardi Roggia karina.roggia@udesc.br Departamento de Ciência da Computação Centro de Ciências Tecnológicas Universidade do Estado de Santa Catarina 2016

Leia mais

Primeiro Trabalho de POO Emulador para o Processador Winter

Primeiro Trabalho de POO Emulador para o Processador Winter Primeiro Trabalho de POO Emulador para o Processador Winter Prof. Pedro Carlos da Silva Lara Entrega: 21/10/2014 1 Informações Gerais Winter é um processador hipotético especificado com fim puramente acadêmico.

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL MEMÓRIA Componente de um sistema de computação cuja função é armazenar informações que são manipuladas pelo sistema para que possam ser recuperadas

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída. 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída. 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade IV Gerência de Recursos Entrada e Saída 02/12/2014 Prof. Valeria M. Bastos 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Gerência de Entrada e Saída Fundamentos Evolução Estrutura

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA 1 CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA Montagem e Manutenção de Computadores Prof.: Denis Willian de Moura Diniz PROCESSADORES PARTE II 2 ULA UNIDADE LÓGICA E ARITMÉTICA A ULA - Arithmetic Logic Unit - que em

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores. Hugo Barros

Organização e Arquitetura de Computadores. Hugo Barros Organização e Arquitetura de Computadores Hugo Barros email@hugobarros.com.br Introdução Instruções Primitivas L0 Linguagem de máquina; Divergência de capacidades: Os pc's podem fazer x As pessoas querem

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES. Professor: Clayton Rodrigues da Siva

ARQUITETURA DE COMPUTADORES. Professor: Clayton Rodrigues da Siva ARQUITETURA DE COMPUTADORES Professor: Clayton Rodrigues da Siva OBJETIVO DA AULA Objetivo: Conhecer a estrutura da arquitetura da Máquina de Von Neumann. Saber quais as funcionalidades de cada componente

Leia mais

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização Hardware: Componentes Básicos Arquitetura dos Computadores Dispositivos de Entrada Processamento Dispositivos de Saída Armazenamento Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistema de

Leia mais

Descrição de uma Unidade Processadora Discreta Microprogramável

Descrição de uma Unidade Processadora Discreta Microprogramável Descrição de uma Unidade Processadora Discreta Microprogramável EDNA MIE KANAZAWA WILIAN SOARES LACERDA UFLA Universidade Federal de Lavras DCC Departamento de Ciência da Computação Cx. Postal 37 CEP 37.200-000

Leia mais

http://www.ic.uff.br/~debora/fac! 1 Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal Organização Operações de leitura e escrita Capacidade 2 Componente de um sistema

Leia mais

Circuitos Lógicos Aula 26

Circuitos Lógicos Aula 26 Circuitos Lógicos Aula 26 Aula passada Mais adição Circuito com maior largura Subtração Mais ULA Aula de hoje Memória Funcionamento e arquitetura ROM, RAM e variações Processador Intel Memória Memória:

Leia mais

Organização de Computadores Processadores. Professor: Francisco Ary

Organização de Computadores Processadores. Professor: Francisco Ary Organização de Computadores Processadores Professor: Francisco Ary Introdução O que vimos no último encontro: O que é um computador; Arquitetura Três partes principais: Processador; Memória; e Sistema

Leia mais

SIMULAÇÃO DE MÁQUINA DE REGISTRADORES COM MÁQUINA DE TURING MULTIFITA

SIMULAÇÃO DE MÁQUINA DE REGISTRADORES COM MÁQUINA DE TURING MULTIFITA SIMULAÇÃO DE MÁQUINA DE REGISTRADORES COM MÁQUINA DE TURING MULTIFITA Neste trabalho você deverá construir e testar, com a ferramenta JFLAP, uma MT multifita que simula o funcionamento de um computador

Leia mais

Arquitetura e Organização de Processadores. Aulas 06 e 07. Superescalaridade

Arquitetura e Organização de Processadores. Aulas 06 e 07. Superescalaridade Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Programa de Pós-Graduação em Computação Arquitetura e Organização de Processadores Aulas 06 e 07 Superescalaridade 1. Introdução princípios

Leia mais

16/8/2010. A arquitetura de um sistema computacional representa o modelo da organização e funcionamento de um sistema de processamento

16/8/2010. A arquitetura de um sistema computacional representa o modelo da organização e funcionamento de um sistema de processamento Arquitetura de es Organização de um Sistema Computacional Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense P.U.R.O. Introdução A arquitetura de um sistema computacional representa o modelo da organização

Leia mais

CPUs e Barramentos. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

CPUs e Barramentos. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Seção 3.4 do livro do Tanenbaum Copyleft Rossano Pablo Pinto 2 CPUs possuem um conjunto de pinos que servem para

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 3.4 SISTEMA DE ENTRADA E SAÍDA Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann: Computadores atuais Componentes estruturais: Memória Principal Unidade de Processamento

Leia mais

Aula 15: Ciclo de Execução e Introdução ao Pipeline

Aula 15: Ciclo de Execução e Introdução ao Pipeline Aula 15: Ciclo de Execução e Introdução ao Pipeline Diego Passos Universidade Federal Fluminense Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Diego Passos (UFF) Ciclo de Execução; Intro ao Pipeline FAC

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Evolução e Desempenho dos Computadores Slide 1 Conceitos Arquitetura do Computador Refere-se aos atributos que são visíveis para o programador. Ex: conjunto

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 10 Conjuntos de instruções: Características e funções slide 1 O que é um conjunto de instruções? A coleção completa de instruções

Leia mais

Arquitetura e Organização de Processadores. Aula 1. Introdução Arquitetura e Organização

Arquitetura e Organização de Processadores. Aula 1. Introdução Arquitetura e Organização Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Programa de Pós-Graduação em Computação Arquitetura e Organização de Processadores Aula 1 Introdução Arquitetura e Organização 1. Arquitetura

Leia mais

Execução de Tarefas. O software consiste num conjunto de códigos ou instruções desenvolvidos para facilitar o controlo da máquina.

Execução de Tarefas. O software consiste num conjunto de códigos ou instruções desenvolvidos para facilitar o controlo da máquina. Processador Execução de Tarefas O software consiste num conjunto de códigos ou instruções desenvolvidos para facilitar o controlo da máquina. Um programa para ser executado normalmente precisa de uma requisição

Leia mais