UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA."

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA Quelen Gianezini O PROCESSO DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR EM MATO GROSSO Porto Alegre 2009

2 QUELEN GIANEZINI O Processo de Expansão do Ensino Superior em Mato Grosso Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do título de Mestre em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Orientadora: Profª Drª Clarissa Eckert Baeta Neves Porto Alegre 2009

3 DADOS INTERNACIONAIS DE CATALOGAÇÃO-NA-PUBLICAÇÃO(CIP) BIBLIOTECÁRIO RESPONSÁVEL: Tatiane Soares Jesus CRB-10/1871 G348p Gianezini, Quelen O Processo de expansão do ensino superior em Mato Grosso / Quelen Gianezini. Porto Alegre, f. : il. Dissertação (Mestrado em Sociologia) _ Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Porto Alegre, BR-RS, Orientadora: Profa. Dra. Clarissa Eckert Baeta Neves. 1. Ensino superior : expansão. 2. Sociologia da educação. 3. Mato Grosso. 4. Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). 5. Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). I. Título. CDD 378

4 QUELEN GIANEZINI O PROCESSO DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR EM MATO GROSSO Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como requisito parcial para a obtenção do título de Mestre em Sociologia. Área de Concentração: Sociologia do Conhecimento COMISSÃO EXAMINADORA Profª Drª Clarissa Eckert Baeta Neves UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa de Pós-Graduação em Sociologia Orientadora Profª Drª Maria Estela Dal Pai Franco UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa de Pós-Graduação em Educação Prof. Dr. Enno Dagoberto Liedke Filho UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa de Pós-Graduação em Sociologia Prof. Dr. Ivaldo Gehlen UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa de Pós-Graduação em Sociologia Prof. Dr. Renato de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa de Pós-Graduação em Sociologia

5 Aos meus pais João e Olga, por me oportunizar condições de adquirir o capital intelectual necessário para chegar tão longe... Aos meus amores Miguelangelo e João Pedro, pela sustentação emocional que me ofereceram durante este empreendimento acadêmico.

6 AGRADECIMENTOS A conclusão desta dissertação não teria sido possível sem a contribuição de muitas pessoas. Entre elas, merece destaque o papel desempenhado por três mulheres, as quais, em distintos momentos, ofereceram-me o alicerce emocional necessário para que eu obtivesse êxito em meu intento científico: Olga, minha mãe, que, por ocasião da seleção de mestrado, deslocou-se para Mato Grosso, a fim de que eu pudesse estudar e elaborar o anteprojeto para a seleção de mestrado; Marizete, minha sogra, por cuidar do João Pedro enquanto eu realizava a extensa pesquisa de campo; e Clarissa, minha orientadora, que me conduziu nesta caminhada acadêmica. Aos professores Anita Brumer, Arabela Oliven, Ivaldo Gehlen, Lorena Holzmann, Luciano Fedozzi, Maíra Baumgarthen, Martha Dalpiaz, Renato de Oliveira, Sônia Guimarães, Susana Soares e Zander Navarro pela confiança em mim depositada e pelos conhecimentos transmitidos. Aos professores integrantes da banca examinadora do projeto Ivaldo Gehlen e Renato de Oliveira, pelas ponderações e contribuições. À Profª Cinara Rosenfield, por me ajudar a sistematizar as entrevistas. Aos entrevistados, pelas informações preciosas, e por disponibilizar documentos oficiais e científicos. Além deles: equipe de Assessoria de Comunicação da UFMT, equipe de assessoria da UNEMAT, em especial a Danieli Tavares. Aos docentes, funcionários e técnicos das duas universidades: Arno Rieder, Kátia Alonso, Tereza Antônia Job e Tânia Beraldo. Aos colegas Adriana Furtado, Airton Amaral, Aline Helmann, Antônio Ferreira, Carlos Alberto Júnior, Carolina Silva, Cristiano Lunardi, Dardo Lorenzo, Débora Silva, Jonas Anderson, Leandro Baseggio, Leonardo Koppe, Lucio Centeno, Maria Karam, Michele Nascimento e Rebeca Souza, pelo coleguismo e pelas profícuas discussões. Aos críticos, porém solidários amigos: Betty Rocha, César Beras, Cleci Bheling, David Vier, Ernani Ott, Fabian Kertischka, Fernanda Takemori, Francinei Benites, Ir. Nelso Bordignon, Jacqueline Silva, Josivaldo dos Santos, Luiz Bica, Lúcia Copetti, Nádia Meinerz, Patrícia Reuillard, Pascal Reuillard, Piotr Trzesniak, Simone Hailliot, Nilson Weisheimer, Sílvia Koller, pelas importantes ponderações acerca do meu trabalho.

7 À antiga UNIVERDE, representada por Maria Inês Kummer e Mauro Kreuz, seus mantenedores; ao Centro Educacional Piaget, representado por Maria Geny Bess; à FAPEMAT, pela bolsa concedida para a realização da pesquisa de campo; à UFRGS, pela contribuição na minha formação, enquanto aluna da graduação em Ciências Sociais e, enquanto aluna da pós-graduação em Sociologia; e, em especial, às universidades objetos de estudo: UFMT e UNEMAT. Às secretárias Rejane Accorsi, do PPG em Sociologia; e Beatriz Accorsi, do Mestrado em Relações Internacionais; à Biblioteca do Instituto de Porto Alegre (IPA), pela acolhida nas inúmeras madrugadas e fins de semana e a todos os órgãos públicos citados no decorrer do trabalho. E, especialmente, a João Pedro e Miguelangelo, os homens da minha vida, por compreenderem minha ausência e por serem solidários em diversos momentos. Agradecer é pouco; na verdade, dedico-lhes este trabalho.

8 Sobre a UFMT: Na verdade, a universidade passou quinze anos ou mais engessada. Engessada mesmo. Agora parece que está caminhando nos trilhos, mas até consertar o estrago que foi feito, demora. Mato Grosso está se expandido, está em crescimento; tudo está por fazer. A gente fica feliz, quando alguém chega com uma proposta de um curso novo, ou de um aumento de vagas. Aqui, em Mato Grosso, como é tudo muito novo, tem muito campo aberto. Acredito que esses apelos são fáceis de atender (EF6). Sobre a UNEMAT: Se fizéssemos uma comparação... uma analogia com a fase de uma pessoa que nasce, criança, adolescente, adulto, jovem, e depois começa a envelhecer... Eu diria que a universidade está numa fase de adolescência ainda, talvez naquela adolescência meio revoltada, talvez ela esteja nesse estágio (EE11). 1 1 Opiniões emitidas pelos entrevistados.

9 RESUMO O campo da educação superior brasileira pode ser considerado bastante heterogêneo, com características distintas nos diferentes estados da federação, em função de suas histórias, capacidade de mobilização de recursos e de articulação de seus agentes sociais. Nesta dissertação, investigou-se o processo de expansão do ensino superior e suas peculiares iniciativas, a partir de um estudo sócio-histórico do estado de Mato Grosso (MT). Partiu-se da análise das distintas fases do ensino superior mato-grossense: instalação, centralização, interiorização e diversificação (NEVES, 1993), buscando compreender as alianças e os conflitos nelas existentes. O foco principal de análise incidiu sobre o processo de expansão das universidades públicas: a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e seu papel no desenvolvimento do estado. Várias questões nortearam o estudo, como: é possível perceber que as transformações da economia globalizada funcionaram como força propulsora do processo de expansão do ensino superior em Mato Grosso? É possível identificar diferentes fases neste processo de expansão? Qual a importância que tiveram os projetos de criação das universidades estudadas? Neste campo, quais as alianças e tensões existentes entre os agentes sociais na criação e no desenvolvimento das universidades? As hipóteses norteadoras foram: (a) o processo de expansão ocorreu como reflexo do desenvolvimento econômico, impulsionado pela globalização, ocasionando o desencadeamento de distintas fases de expansão; (b) em decorrência do projeto original de ambas as universidades, o ensino superior atenderia a demanda estadual pela formação de professores. Além disso, apesar da baixa densidade populacional, a expansão das universidades ocorreu também com a criação de novos cursos, com o propósito de atender novas demandas e exigências do mercado de trabalho em relação ao domínio de novos conhecimentos; e (c) o processo de expansão do ensino superior em Mato Grosso deu-se pela interiorização das universidades públicas. A metodologia de pesquisa incluiu análise dos projetos de criação e de desenvolvimento das Instituições de Educação Superior (IES), bem como realização de entrevistas semi-estruturadas. Para tanto, foi realizado análise das trajetórias das duas universidades públicas na visão dos agentes sociais (fundadores, gestores, alunos, docentes, técnicos e políticos). Para analisar as distintas fases, foi realizado um levantamento histórico de todas as IES do estado, desde as primeiras experiências a partir do final do século XIX até 2008, resultando na criação de uma linha temporal. O processo de expansão foi analisado: (a) quantitativamente, considerando o ensino, as áreas do conhecimento oferecidas, os números de matrículas, turnos, número de concluintes, locais de oferta (campi e núcleos) e a criação de novas IES; e (b) qualitativamente, analisando-se os espaços de alianças e conflitos entre os agentes sociais para a criação e o desenvolvimento da UFMT e da UNEMAT. Os resultados demonstram que as reações às pressões econômicas, políticas e sociais, impostas respectivamente pela globalização, pela manutenção do poder no campo político e pelas necessidades da sociedade do conhecimento, contribuíram para que a expansão do ensino superior e a expansão dessas universidades, bem como seu fortalecimento, acompanhasse o desenvolvimento de Mato Grosso não apenas na capital e em cidades de grande porte mas, especialmente, pela via da interiorização. Palavras-chave: Ensino Superior; Expansão; Interiorização; Universidade; Universidade Federal de Mato Grosso; UFMT; Universidade do Estado de Mato Grosso; UNEMAT; Mato Grosso.

10 ABSTRACT The field of higher education in Brazil is rather heterogeneous, with distinct characteristics in different states across the country, according to their histories, ability to allocate resources and to articulate social agents. Departing from a socio-historical study, the present dissertation has investigated the process of expansion of higher education in the state of Mato Grosso do Sul (MT), focusing on two public universities in this state, namely the Federal University of Mato Grosso/UFMT and the State University of Mato Grosso/UNEMAT, and their role in the process of development of the state itself. The distinct developmental phases installation, centralization, expansion and diversification were analyzed, as well as their intrinsic alliances and conflicts. The main research questions driving the study were: is it possible to perceive that the changes operated by a global economy boosted the process of expansion of higher education in Mato Grosso? Is it possible to identify different phases in this process? How important were the projects of creation of the universities studied? In this area, which were the existing alliances and tensions between the social agents in both processes of creation and development of these universities? The hypotheses put forward were: (a) the process of expansion occurred as a consequence of the economic development, boosted by globalization, generating distinct expansion phases; (b) according to the original project of both institutions, higher education would attend to the local demand for skilled professionals. However, despite the low population rate, the expansion of the universities followed the creation of new courses, with the object of responding to new demands and requirements of the market; (c) the process of expansion of higher education in the state of Mato Grosso happened as a consequence of the process of expansion of the public universities towards the countryside. The research method included the analysis of both the creation and development projects, with the use of semi-structured interviews. To that end, a literature review of the Higher Education institutions from their first experiences to 2008 was performed, encompassing an analysis of the trajectory of both public universities according to their social agents (founders, managers, students, faculty, technicians and politicians). The process of expansion was analyzed (a) quantitatively, taking into consideration aspects like the teaching process, the areas of knowledge offered, the number of registrations, venues (campi and nucleus) and others; (b) qualitatively, by means of the analysis of the spaces of alliances and conflicts between the social agents so as to the creation and development of UFMT and UNEMAT. Results show that the reactions to the economic, political and social pressures, imposed respectively by globalization, the maintenance of power and the demand for knowledge caused the expansion and strengthening of these two universities to accompany the development of the state of Mato Grosso, by expanding towards the countryside. KEY WORDS: Higher Education; Expansion; University; Mato Grosso.

11 RÉSUMÉ Le domaine de l enseignement supérieur brésilien peut être considéré comme étant très hétérogène ; il présente des caractéristiques diverses selon les états de la fédération, et ce en fonction de leurs histoires, de leur capacité de mobilisation de ressources et de l articulation de leurs agents sociaux. Le présent travail analyse le processus d expansion de l enseignement supérieur et ses initiatives particulières à partir d une étude socio-historique de l état du Mato Grosso (MT). Il a pour objectif principal l analyse de ce processus et de l expansion des universités publiques l Université Fédérale de l état du Mato Grosso (UFMT) et l Université de l état du Mato Grosso (UNEMAT), ainsi que de leur rôle sur le développement de l état. Dans un premier temps, il a été procédé à une étude des différentes phases de l enseignement supérieur de l état du Mato Grosso : installation, centralisation, intériorisation et diversification, sans compter les alliances et conflits existants dans chacune d entre elles. Plusieurs questions ont orienté ce travail : les transformations de l économie globalisée constituent-elles le moteur du processus d expansion de l enseignement supérieur dans cet état? Différentes phases sont-elles identifiables dans ce processus d expansion? Quelle est l importance des projets de création de ces universités? Quelles sont les alliances et les tensions entre les agents sociaux vis-à-vis de la création et du développement des universités? Les hypothèses proposées ont été les suivantes : (a) le processus d expansion serait un reflet du développement économique issu de la mondialisation, entraînant le déclenchement de phases d expansion distinctes ; (b) à partir du projet d origine des deux universités, l enseignement supérieur répondrait à la demande de l état en ce qui concerne la formation de professeurs. Toutefois, et malgré la faible densité de la population, l expansion des universités a eu lieu à travers la création de nouveaux cursus, dans le but de répondre à de nouvelles demandes et exigences du marché du travail qui requiert la maîtrise de nouvelles connaissances ; (c) le processus d expansion de l enseignement supérieur dans l état du Mato Grosso s est fait par l intériorisation des universités publiques. La méthodologie de recherche comprend l analyse des projets de création et de développement par le biais d entretiens semistructurés. Pour ce faire, un relevé historique des Institutions d Enseignement Supérieur (IES) a été effectué, des premières expériences jusqu à 2008, suivi d une analyse des trajectoires des deux universités publiques du point de vue des agents sociaux (fondateurs, administrateurs, étudiants, professeurs, personnel et politiciens). Le processus d expansion est analysé (a) quantitativement, en tenant compte de l enseignement, des champs de la connaissance offerts, du nombre de plages horaires d enseignement, d étudiants inscrits et de diplômés, des lieux disponibles (campus centraux et annexes) et de la création de nouvelles IES ; (b) qualitativement, en analysant les espaces d alliances et de conflits entre les agents sociaux pour la création et le développement de l UFMT et de l UNEMAT. Les résultats montrent que les réactions aux pressions économiques, politiques et sociales, respectivement imposées par la mondialisation, le maintien du pouvoir dans le champ politique et les besoins de la société de la connaissance, font en sorte que l expansion et la consolidation de ces universités accompagne, via l intériorisation, le développement de l état du Mato Grosso. Mots-clés: Enseignement Supérieur; Expansion; Université; État du Mato Grosso.

12 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Mapa da trajetória para a pesquisa de campo, Figura 2: Modelo de análise teórico-metodológico...39 Figura 3: Gráfico do número de IES por categoria administrativa em MT ( )...83 Figura 4: Gráfico da evolução do número de egressos nas IES de Mato Grosso ( )...89 Figura 5: Gráfico da evolução do número de egressos por categoria administrativa (Pública) nas IES de Mato Grosso ( )...90 Figura 6: Gráfico da Evolução do número de egressos por categoria administrativa (Privada) nas IES de Mato Grosso ( )...90 Figura 7: Mapa da localização dos campi da Universidade Federal de Mato Grosso (2008) Figura 8: Mapa da localização dos polos e municípios atendidos pelo projeto de educação a distância da Universidade Federal de Mato Grosso (2005) Figura 9: Mapa da localização dos campi da Universidade do Estado de Mato Grosso (2008)...169

13 LISTA DE QUADROS Quadro 1: Criação de IES privadas e localidades Quadro 2: Cursos na modalidade parcelada desenvolvidos pela CODEN Quadro 3: Criação de cursos Stricto Sensu na UFMT ( ) Quadro 4: Objetivos do Programa Universidade do Século XXI UFMT Quadro 5: Abertura de Turmas Especiais na UNEMAT, por curso e por ano...176

14 LISTA DE TABELAS Tabela 1: Crescimento do número de IES em Mato Grosso Tabela 2: Evolução de matrículas em cursos de graduação presenciais nas universidades brasileiras no período de 1991 a Tabela 3: Distribuição percentual e taxa de crescimento de matrículas - cursos de graduação presenciais por categoria administrativa Região Centro-Oeste e Mato Grosso, Tabela 4: Número de cursos por área do conhecimento em Mato Grosso (2004)...91 Tabela 5: Número de matrículas em cursos de graduação presencial por turno (2007) Tabela 6: Distribuição da relação de candidatos inscritos sobre vagas oferecidas nas áreas de conhecimento dos cursos de graduação presenciais ofertados pela UFMT (2004) Tabela 7: Número de cursos de graduação presenciais na UFMT, segundo a localização Região Centro-Oeste UF Mato Grosso ( ) Tabela 8: Distribuição de matrículas em cursos de graduação presenciais na UFMT (2004) Tabela 9: Matrículas em cursos de graduação presenciais em universidades estaduais, por turno, segundo a unidade da federação (2007) Tabela 10: Distribuição da relação de candidatos inscritos sobre vagas oferecidas nas áreas de conhecimento dos cursos de graduação presenciais ofertados pela UNEMAT (2004) Tabela 11: Número de cursos de graduação presenciais na UNEMAT, segundo a localização Região Centro-Oeste UF Mato Grosso ( ) Tabela 12: Distribuição de matrículas em cursos de graduação presenciais na UNEMAT (2004) Tabela 13: Percentual do número de concluintes em relação ao de ingressos 4 anos antes, na UNEMAT ( )...197

15 LISTA DE SIGLAS ACG Avaliação dos Cursos de Graduação ADUFMT Associação de Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso ADUNEMAT Associação de Docentes da Universidade do Estado de Mato Grosso AM Amazonas ANACEU Associação Nacional dos Centros Universitários ANFOPE Associação Nacional Pró-Formação dos Profissionais de Educação ATUNEMAT Associação dos Técnicos da Universidade do Estado de Mato Grosso APLs Arranjos Produtivos Locais AULP Associação das Universidades de Língua Portuguesa AVALIES Avaliação das Instituições de Educação Superior BIRD Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento CAMOSC Curso de Agronomia para os Movimentos Sociais do Campo CAPES Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CD Conselho Diretor CEE Conselho Estadual de Educação CEF Conselho Federal de Educação CEFET/CUIABÁ Centro Federal de Educação Tecnológica de Cuiabá CEFET/MT Centro Federal de Educação Tecnológica de Mato Grosso CEFETs Centro Federal de Educação Tecnológica CEPROTEC Centro de Educação Profissional e Tecnológica de Mato Grosso CESUP Centro de Ensino Superior Prof. Plínio Mendes dos Santos CESUR Centro de Ensino Superior de Rondonópolis CESUT Centro de Ensino Superior de Tangará da Serra CNE Conselho Nacional de Educação CONSEPE Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSUNI Conselho Universitário CREAD Consórcio Rede de Ensino a Distância CPT Comissão Pastoral da Terra DC Diário de Campo DEAES Diretoria de Estatística e Avaliação do Ensino Superior DINTER Doutorado Interinstitucional

16 EAD Ensino a Distância EAFC Escola Agrotécnica Federal de Cáceres ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes FACAM Faculdade Centro América FACECA Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e Administração FACEDUCTS Faculdade de Educação de Tangará da Serra FACSUL Faculdade do Sul de Mato Grosso FACTERFLOR Faculdade de Ciências Contábeis de Alta Floresta FADAFI Faculdade Dom Aquino de Filosofia, Ciências e Letras FADIR Faculdade de Direito FAFI Faculdade Afirmativo FAFLOR Faculdade de Administração de Alta Floresta FAMA Faculdade do Amapá FAMUNM Faculdade Municipal de Nova Mutum FAPEMAT Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso FASSO Faculdade de Serviço Social FASUMAT Faculdade Sul Mato-grossense FATEV Faculdade de Tecnologia do Vale do Araguaia FAUSB Faculdades Integradas Desembargador Sávio Brandão FCARP Faculdade Católica Rainha da Paz de Araputanga FCESC Fundação Centro de Ensino Superior de Cáceres FCSGN Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte FDI Faculdades Integradas de Diamantino FDMT Faculdade de Direito de Mato Grosso FDTS Faculdade de Direito em Tangará da Serra FEAFLOR Faculdade de Educação de Alta Floresta FESB Faculdade de Estudos Sociais de Barra do Bugres FESMAT Fundação de Ensino Superior de Mato Grosso FIC Faculdade Integrada de Cuiabá FIS Faculdade de Sinop FUCMT Faculdades Unidas Católica de Mato Grosso FCUC Fundação Centro Universitário de Cáceres FURG Fundação Universidade de Rio Grande FUNAI Fundação Nacional Indígena

17 IAUP Associação Internacional de Reitores de Universidades IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ICBCG Instituto de Ciências Biológicas de Campo Grande ICE Instituto Cuiabano de Educação ICEC Instituto Cuiabá de Educação e Cultura ICEN Instituto de Ciências Exatas e Naturais ICHS Instituto de Ciências Humanas e Sociais ICLMA Instituto de Ciências e Letras do Médio Araguaia IGC Índice Geral de Cursos da Instituição ICLC Instituto de Ciências e Letras de Cuiabá IDH Índice de Desenvolvimento Humano IES Instituição de Educação Superior IESC Instituto de Ensino Superior de Cáceres IFECT Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia IFES Instituições Federais de Ensino Superior IFMT Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso INCRA Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INPA Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia IUNM Instituto Universitário do Norte Mato-Grossense IVE Instituto Várzea-Grandense de Educação LDB Lei de Diretrizes e Bases MEC Ministério da Educação e Cultura NIMEC Núcleo Interdisciplinar para a Melhoria do Ensino de Ciências MINTER Mestrado Interinstitucional MPA Movimento dos Pequenos Agricultores MST Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra MS Mato Grosso do Sul MT Mato Grosso NEAD Núcleo de Educação Aberta e a Distância ONU Organização das Nações Unidas OUI Organização Universitária Interamericana PDE Plano de Desenvolvimento da Educação PDI Plano de Desenvolvimento Institucional

18 PIB Produto Interno Bruto PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PPGEDU Programa de Pós-Graduação em Educação PIQD Programa Interinstitucional de Qualificação Docente PROEG Pró-Reitoria de Ensino de Graduação PROPEQ Pró-Reitoria de Pesquisa PROPG Pró-Reitoria de Pós-Graduação PROPLAN Pró-Reitoria de Planejamento PROVIVAS Pró-Reitoria de Vivência Acadêmica e Social PROAD Pró-Reitoria Administrativa PRONERA Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária PUC/RS Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul REUNI Reestruturação e Expansão das Universidades Federais RJ Rio de Janeiro RS Rio Grande do Sul SECITEC Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso SEDUC Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso SETEC Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SIAMAZ Sistema de Informação da Amazônia SINTEP Sindicato dos Profissionais da Escola Pública UCDB Universidade Católica Dom Bosco UCPel Universidade Católica de Pelotas UEA Universidade do Estado do Amazonas UEMT Universidade Estadual de Mato Grosso UEMS Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UERGS Universidade Estadual do Rio Grande do Sul UFSCAR Universidade Federal de São Carlos UFG Universidade Federal de Goiás UFGD Universidade Federal da Grande Dourados UFMG Universidade Federal de Minas Gerais UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul UFMT Universidade Federal de Mato Grosso UNISINOS Universidade do Vale do Rio dos Sinos UFPEL Universidade Federal de Pelotas

19 UFPR Universidade Federal do Paraná UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFSM Universidade Federal de Santa Maria ULSF Associação de Universidades para o Desenvolvimento Sustentável UNAMAZ Associação de Universidades Amazônicas UNDIME União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação UNESP Universidade Estadual de São Paulo UNICAMP Universidade de Campinas UDUAL União de Universidades da América Latina e Caribe UNED Bela Vista Unidade de Ensino Descentralizada Bela Vista UNEDs Unidade de Ensino Descentralizada UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso UNESCO Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura UNIFLOR União das Faculdades de Educação de Alta Floresta UNIC Universidade de Cuiabá UNICEN Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas UNIDERP Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal UNIGRAN Universidade da Grande Dourados UNILASALLE Faculdade La Salle de Lucas do Rio Verde UNIVERDE Faculdade de Lucas do Rio Verde UNINOVA Faculdade Municipal de Nova Mutum UNIP Universidade Paulista UNIR Faculdades Integradas de Rondonópolis UNIRONDON Centro Universitário Cândido Rondon UNISELVA Fundação Universidade da Selva UNIVAG Centro Universitário Várzea Grande UNIVAR Faculdades Unidas do Vale do Araguaia USP Universidade de São Paulo

20 SUMÁRIO INTRODUÇÃO Problema de Pesquisa Justificativa Objetivos Hipóteses Métodos e Técnicas Procedimentos para investigação do objeto Categorias de análise Estrutura da dissertação REFERENCIAL TEÓRICO Globalização, sociedade do conhecimento e educação superior Teoria sociológica dos campos e dos capitais Teoria dos campos e capitais de Pierre Bourdieu A educação superior e sua expansão na atualidade Educação superior e sua respectiva expansão Referenciais da educação superior no Brasil Referenciais da educação superior em Mato Grosso A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR EM MATO GROSSO Antecedentes históricos e socioeconômicos do campo educacional no antigo estado de Mato Grosso As fases do processo de expansão do ensino superior em Mato Grosso Instalação do ensino superior em Mato Grosso Centralização do ensino superior em Mato Grosso Interiorização do ensino superior em Mato Grosso Diversificação do sistema do ensino superior em Mato Grosso Atuais estatísticas da educação superior em Mato Grosso Considerações finais sobre o processo de expansão do ensino superior em Mato Grosso...92

21 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO UFMT: Virtus et Sapientia Antecedentes da UFMT: a luta pela implantação Propostas e projetos da Universidade Federal de Mato Grosso Primeiras iniciativas de interiorização: pesquisa e ensino, a experiência de Aripuanã Expansão I: uma universidade multicampi Expansão II: interiorização, distintos projetos de extensão e ensino Expansão III: aprimoramento dos recursos físicos e humanos e a verticalização através da pósgraduação stricto sensu Estrutura e funcionamento: áreas do conhecimento, perfil docente e discente Perspectivas futuras Considerações finais sobre a UFMT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNEMAT: Universitate Omnium Antecedentes da UNEMAT: a luta pela implantação IESC: tentativas de encampação e federalização Fundação Centro Universitário de Cáceres (FCUC): mantença estadual e os conflitos Fundação Centro de Ensino Superior de Cáceres (FCESC): rupturas e possibilidades para a expansão Fundação de Ensino Superior de Mato Grosso (FESMAT): a um passo da UNEMAT Proposta e projetos da Universidade do Estado de Mato Grosso Projeto, instalação da universidade e primeiras iniciativas Expansão I: a UNEMAT como uma universidade multicampi Expansão II: a UNEMAT e seus distintos projetos Expansão III: o aprimoramento dos recursos físicos e humanos e a verticalização através da pósgraduação stricto sensu A UNEMAT e o campo político mato-grossense O episódio das leis gêmeas Estrutura e funcionamento: áreas do conhecimento, perfil docente e discente Perspectivas futuras Considerações finais sobre a UNEMAT...199

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Resumo Gabriel Mathias Carneiro Leão1 - IFPR, UFPR Rosane de Fátima Batista Teixeira2 - IFPR Grupo de Trabalho Cultura, Currículo e Saberes

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: EXPERIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: EXPERIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Reunião Regional do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação FNCEE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: EXPERIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Ciência, Tecnologia e Inovação Ciência (Conhecer) Tecnologia

Leia mais

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR Metas PNE - Meta 12 Elevar a taxa bruta de matrícula na Educação Superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população

Leia mais

AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL

AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL AVALIAÇÃO E CREDENCIAMENT DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL LUCE, Maria-Beatriz (UFRGS, Porto Alegre, BR) MOROSINI, Marília (PUCRS, Porto Alegre, BR) Projeto ALFA-ACRO ACRO Introdução BRASIL território e

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO Diretores de Unidades Universitárias, coordenadores pedagógicos

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

A UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO E O SIGNIFICADO SOCIAL DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA BAIXADA FLUMINENSE

A UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO E O SIGNIFICADO SOCIAL DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA BAIXADA FLUMINENSE A UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO E O SIGNIFICADO SOCIAL DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA BAIXADA FLUMINENSE INTRODUÇÃO Renan Arjona de Souza (1); Nádia Maria Pereira

Leia mais

Prof. Dr. Carlos Rinaldi Cuiabá, UFMT, 2014

Prof. Dr. Carlos Rinaldi Cuiabá, UFMT, 2014 Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) na UFMT Prof. Dr. Carlos Rinaldi Cuiabá, UFMT, 2014 Hoje, no Brasil, são inúmeras as Instituições de Ensino credenciadas para oferecer cursos na modalidade de

Leia mais

O TERRITÓRIO BRASILEIRO. 6. Fronteiras Terrestres

O TERRITÓRIO BRASILEIRO. 6. Fronteiras Terrestres O TERRITÓRIO BRASILEIRO 6. Fronteiras Terrestres Até o começo do século XVII, os colonizadores se concentraram em cidades fundadas na região litorânea do Brasil, principalmente no Nordeste. A principal

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Especialização em Metodologia do Ensino Superior Imperatriz

Leia mais

REFORMA UNIVERSITÁRIA

REFORMA UNIVERSITÁRIA Comentários da Profa. Dra. MARIA BEATRIZ LUCE (Coord. Núcleo Política Gestão Educação - UFRGS e membro CNE/ Brasil) Conferência DESAFIOS DA REFORMA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: ACESSO, EXPANSÃO E RELAÇÕES

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Superior Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO ÂMBITO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO NO BRASIL Régis Henrique dos Reis Silva UFG e UNICAMP regishsilva@bol.com.br 1.

A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO ÂMBITO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO NO BRASIL Régis Henrique dos Reis Silva UFG e UNICAMP regishsilva@bol.com.br 1. A EDUCAÇÃO ESPECIAL NO ÂMBITO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO NO BRASIL Régis Henrique dos Reis Silva UFG e UNICAMP regishsilva@bol.com.br 1. INTRODUÇÃO Este estudo tem como objeto de análise o processo de

Leia mais

Políticas de Educação a Distância

Políticas de Educação a Distância Políticas de Educação a Distância Prof. Fernando Jose Spanhol Prof. Fernando Jose Spanhol LED/UFSC/ABED- Avaliador SESU-INEP-CEE/SC A Evolução da Legislação 1930 - Criação do Ministério dos Negócios e

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR: AVANÇOS E PERSPECTIVAS

EDUCAÇÃO SUPERIOR: AVANÇOS E PERSPECTIVAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior Diretoria de Políticas e Programas para a Graduação EDUCAÇÃO SUPERIOR: AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasil : ciclo virtuoso na educação Banco Mundial: Última

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

(YROXomR GR(QVLQR *UDGXDomR

(YROXomR GR(QVLQR *UDGXDomR (YROXomR GR(QVLQR 6XSHULRU² *UDGXDomR,QVWLWXWRÃ1DFLRQDOÃGHÃ(VWXGRV (& HÃ3HVTXLVDVÃ(GXFDFLRQDLV Brasília, 2 1 DIRETORIA DE INFORMAÇÕES E ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS João Batista Ferreira Gomes Neto COORDENAÇÃO-GERAL

Leia mais

USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS.

USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. Elaine Jesus Alves UFT elainealves@uft.edu.br Introdução

Leia mais

CAP. 20 REGIÃO CENTRO- OESTE. Prof. Clésio

CAP. 20 REGIÃO CENTRO- OESTE. Prof. Clésio CAP. 20 REGIÃO CENTRO- OESTE Prof. Clésio 1 O MEIO NATURAL E OS IMPACTOS AMBIENTAIS A região Centro- Oeste é formada pelos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal. Ocupa cerca

Leia mais

Cenários contemporâneos em Educação. Prof.ª Dr.ª Cíntia Bueno Marques

Cenários contemporâneos em Educação. Prof.ª Dr.ª Cíntia Bueno Marques Cenários contemporâneos em Educação Prof.ª Dr.ª Cíntia Bueno Marques Composição de cenários Avaliação e Regulação da Educação Ações planejadas de reposicionamento Reflexos e movimentos culturais Educação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

Leia mais

O PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA NO BRASIL E AS MODIFICAÇÕES DA ECONOMIA GOIANA PÓS DÉCADA DE 1960.

O PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA NO BRASIL E AS MODIFICAÇÕES DA ECONOMIA GOIANA PÓS DÉCADA DE 1960. O PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA NO BRASIL E AS MODIFICAÇÕES DA ECONOMIA GOIANA PÓS DÉCADA DE 1960. Glauber Lopes Xavier 1, 3 ; César Augustus Labre Lemos de Freitas 2, 3. 1 Voluntário Iniciação

Leia mais

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ME FACULDADE INTEGRADA DE SANTA MARIA PRELIMINARES POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA Santa Maria, RS Junho - 2010 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO... 1 2. POLÍTICAS DE ENSINO

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014 A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 006 E 014 Resumo Eduardo Marcomini UNINTER 1 Ligia Lobo de Assis UNINTER Grupo de Trabalho Políticas

Leia mais

DA ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES AO IFAM: UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O PROCESSO DE IFETIZAÇÃO NO AMAZONAS.

DA ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES AO IFAM: UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O PROCESSO DE IFETIZAÇÃO NO AMAZONAS. DA ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES AO IFAM: UM BREVE HISTÓRICO SOBRE O PROCESSO DE IFETIZAÇÃO NO AMAZONAS. Martinho Correia Barros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas martinho.correia@ifam.edu.br

Leia mais

Políticas Institucionais de Formação Inicial e Continuada na UNEMAT e o Plano Nacional de Educação: Perspectivas e Desafios da Década

Políticas Institucionais de Formação Inicial e Continuada na UNEMAT e o Plano Nacional de Educação: Perspectivas e Desafios da Década Políticas Institucionais de Formação Inicial e Continuada na UNEMAT e o Plano Nacional de Educação: Perspectivas e Desafios da Década Profa. Ana Maria Di Renzo-Reitora UNEMAT Profa. Rinalda Bezerra Carlos

Leia mais

Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro

Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro O estudo Educação Infantil em Debate - a Experiência de e a Realidade eira faz um paralelo entre as soluções encontradas

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2007 Brasília DF 2009 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO.... 3 PROCESSO DE COLETA

Leia mais

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB.

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Profa. Dra. Nara Maria Pimentel Diretora de Ensino de Graduação da UnB Presidente do Fórum

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: o caso de Mato Grosso

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: o caso de Mato Grosso A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: o caso de Mato Grosso INTRODUÇÃO GIANEZINI, Quelen Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) quelengianezini@terra.com.br Nas últimas décadas

Leia mais

EAD NO BRASIL: A RELAÇÃO ENTRE O IDH REGIONAL E UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

EAD NO BRASIL: A RELAÇÃO ENTRE O IDH REGIONAL E UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE 1 EAD NO BRASIL: A RELAÇÃO ENTRE O IDH REGIONAL E UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE Maringá Pr. 05/2015 Ednar Rafaela Mieko Shimohigashi Centro Universitário Cesumar ednar.shimohigashi@unicesumar.edu.br Eliane

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: PRESENCIAL X EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: PRESENCIAL X EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: PRESENCIAL X EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Ribeirão Preto SP Maio de 2013 Márcia Aparecida Figueiredo Centro Universitário Barão de Mauá - e-mail: marciaead@baraodemaua.br

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 1 CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2010 O Censo da Educação Superior, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), constitui se em importante instrumento

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2003 (Do Sr. Geraldo Resende)

PROJETO DE LEI N.º, DE 2003 (Do Sr. Geraldo Resende) PROJETO DE LEI N.º, DE 2003 (Do Sr. Geraldo Resende) Autoriza o Poder Executivo a instituir a Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art.

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe IESALC UNESCO Caracas Maria Susana Arrosa Soares Coordenadora

Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe IESALC UNESCO Caracas Maria Susana Arrosa Soares Coordenadora Instituto Internacional para a Educação Superior na América Latina e no Caribe IESALC UNESCO Caracas Maria Susana Arrosa Soares Coordenadora Disciplina: Organização da Educação Brasileira Docente: Antônio

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015 CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU PROF.

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, no

Leia mais

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer CAUSAS: Acirramento da concorrência comercial entre as potências coloniais; Crise das lavouras de cana; Estagnação da economia portuguesa na segunda metade do século XVII; Necessidade de encontrar metais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS PARA EDUCAÇÃO DO CAMPO E DIVERSIDADE COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

Leia mais

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018)

PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) PROPOSTA DE METODOLOGIA E PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFB (2014-2018) 1. Introdução O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) busca nortear

Leia mais

Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB: eixos para consolidação

Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB: eixos para consolidação Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB: eixos para consolidação João Carlos Teatini Diretoria de Educação a Distância DED/CAPES Eixos para consolidação do Sistema UAB 1. Alinhar diretrizes de programas

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO 552 PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO Silvio Carvalho Neto (USP) Hiro Takaoka (USP) PESQUISA EXPLORATÓRIA

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA O ENSINO SUPERIOR EM RONDÔNIA

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA O ENSINO SUPERIOR EM RONDÔNIA CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA O ENSINO SUPERIOR EM RONDÔNIA Ivanete Saskoski Caminha, Adriana Leônidas de Oliveira 2 Universidade de Taubaté/Programa de Mestrado em Gestão e Desenvolvimento

Leia mais

Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012

Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012 Ministério da Educação Censo da Educação Superior 2012 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Quadro Resumo- Estatísticas Gerais da Educação Superior por Categoria Administrativa - - 2012 Categoria

Leia mais

O PAPEL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL NO CUMPRIMENTO DAS METAS DO PNE 2014-2024: POTENCIALIDADES E FRAGILIDADES

O PAPEL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL NO CUMPRIMENTO DAS METAS DO PNE 2014-2024: POTENCIALIDADES E FRAGILIDADES 1 O PAPEL DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL NO CUMPRIMENTO DAS METAS DO PNE 2014-2024: POTENCIALIDADES E FRAGILIDADES São Paulo, 12 de Junho de 2015 Rafael Dias de Souza Ferreira - Universidade Federal

Leia mais

O PROJETO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO: aspectos definidores de sua identidade

O PROJETO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO: aspectos definidores de sua identidade O PROJETO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO: aspectos definidores de sua identidade Katia Morosov Alonso* Maria Lúcia Cavalli Neder** O trabalho relativo ao desenvolvimento

Leia mais

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Avaliação Econômica O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Objeto da avaliação: adoção de diferentes mecanismos para a seleção de diretores de escolas públicas brasileiras

Leia mais

Keywords: distance education, vocational training and social services.

Keywords: distance education, vocational training and social services. Ensino superior e Serviço Social brasileiro: análise dos cursos de Serviço Social na modalidade de educação à distancia Taiane Alecrim Mattos 1 taianealecrim@gmail.com Modalidade: Eixos temáticos: Palavras-chave:

Leia mais

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus PERSPECTIVA OBJETIVO INDICADOR META RESULTADOS INSTITUCIONAIS 1 Nº de cursos técnicos e superiores, articulados com os arranjos produtivos locais por Campus; 2 Oferta de cursos técnicos e superiores por

Leia mais

EXPANSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPTANDO DESAFIOS

EXPANSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPTANDO DESAFIOS EXPANSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPTANDO DESAFIOS Maria da Graça Ramos GEUIpesq/UFPel Resumo: No presente texto procura-se estabelecer as relações fundamentais entre a produção da ciência com a

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CONTEXTO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2010

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CONTEXTO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2010 EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CONTEXTO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2010 Contribuições para o Plano Municipal de Educação de Palmas Maio 22, 2012 DAS 20 METAS DO PNE, CINCO ESTÃO DIRETAMENTE LIGADAS ÀS INSTITUIÇÕES

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão Quadriênio 2016-2019 Candidata Franciele Ani Caovilla Follador Slogan: CCS em ação! 1 INTRODUÇÃO Em 1991,

Leia mais

Análise dos sistemas de educação superior no Brasil e em Portugal: o que apontam as políticas educacionais

Análise dos sistemas de educação superior no Brasil e em Portugal: o que apontam as políticas educacionais 1394 Análise dos sistemas de educação superior no Brasil e em Portugal: o que apontam as políticas educacionais X Salão de Iniciação Científica PUCRS Jonas Tarcisio Reis, Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

MAPEAMENTO DE PESQUISAS EDUCACIONAIS EM TORNO DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA TEMAS E DEBATES DAS PESQUISAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (2005-2010)

MAPEAMENTO DE PESQUISAS EDUCACIONAIS EM TORNO DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA TEMAS E DEBATES DAS PESQUISAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (2005-2010) MAPEAMENTO DE PESQUISAS EDUCACIONAIS EM TORNO DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA TEMAS E DEBATES DAS PESQUISAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (2005-2010) Taílla Caroline Souza Menezes¹ e Ludmila Oliveira Holanda

Leia mais

CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM

CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM CENÁRIO DA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM Nível Superior Profª Drª Márcia Barbieri Docente Depto Enfermagem/UNIFESP Membro da Comissão Assessora de Avaliação da área de Enfermagem INEP/MEC Quem

Leia mais

Curso de Especialização em EDUCAÇÃO DO CAMPO

Curso de Especialização em EDUCAÇÃO DO CAMPO Curso de Especialização em EDUCAÇÃO DO CAMPO ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Educação do Campo OBJETIVO DO CURSO: O curso de especialização

Leia mais

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização.

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização. PROGRAMA DE TRABALHO PARA O QUADRIÊNIO 2015-2019 DOS CANDIDATOS À DIREÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

O DOCENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: NO CONTEXTO REAL DO TRABALHO

O DOCENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: NO CONTEXTO REAL DO TRABALHO O DOCENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: NO CONTEXTO REAL DO TRABALHO Marcia Akemi Yamada 1 Soraia Kfouri Salerno 2 Resumo Uma das premissas do trabalho docente na Instituição do Ensino Superior (IES) é a produção

Leia mais

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL SILVA, Régis Henrique dos Reis - NUPEFI/CEPAE/UFG SILVA, Sarah Maria de Freitas Machado - ESEFEGO/UEG

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE

PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES INTEGRANTES DO PCCTAE Ministério da Educação Novembro de 2013 1 SUMÁRIO 1. Apresentação 1.1 Introdução 1.2 Base Legal 1.3 Justificativa 2.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA I FÓRUM DE AVALIAÇÃO DOS CURSOS DO COMITE GESTOR INSTITUCIONAL DE

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES - 2012 a 2021 Instituição: ENSINO DE GRADUAÇÃO Programas/Projetos/Ações Ano Natureza Valores Fonte de Recursos Beneficiado Manutenção

Leia mais

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Eixo temático 1: Fundamentos e práticas educacionais Telma Sara Q. Matos 1 Vilma L. Nista-Piccolo 2 Agências Financiadoras: Capes / Fapemig

Leia mais

Sociologia no ensino médio em Goiânia: O conceito de cidadania dentro do conteúdo programático e os procedimentos teóricometodológicos

Sociologia no ensino médio em Goiânia: O conceito de cidadania dentro do conteúdo programático e os procedimentos teóricometodológicos 1 Sociologia no ensino médio em Goiânia: O conceito de cidadania dentro do conteúdo programático e os procedimentos teóricometodológicos na rede estadual de ensino* Gabriela Paulino do Nascimento** Prof.

Leia mais

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr

Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil. Fernando Jose Spanhol, Dr Sistema de Educação a Distância Publica no Brasil UAB- Universidade Aberta do Brasil Fernando Jose Spanhol, Dr www.egc.ufsc.br www.led.ufsc.br O Sistema UAB Denominação representativa genérica para a rede

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

A EXPANSÃO AGRÍCOLA DA REGIÃO CENTRO OESTE E SUA INSERÇÃO ECONÔMICA NO TERRITÓRIO NACIONAL

A EXPANSÃO AGRÍCOLA DA REGIÃO CENTRO OESTE E SUA INSERÇÃO ECONÔMICA NO TERRITÓRIO NACIONAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO AUP 0270 - PLANEJAMENTO DE ESTRUTURAS URBANAS E REGIONAIS II PROF ANDREÍNA NIGRIELLO A EXPANSÃO AGRÍCOLA DA REGIÃO CENTRO OESTE E SUA INSERÇÃO

Leia mais

DOCUMENTO 03 ENSINO SUPERIOR NO BRASIL

DOCUMENTO 03 ENSINO SUPERIOR NO BRASIL DOCUMENTO 03 ENSINO SUPERIOR NO BRASIL Com o advento da nova Constituição em 1988 e a promulgação e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional em fins de 1996, novas perspectivas foram colocadas

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014-2018 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011 2020 METAS E ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO Marcos Neves Comissão Central PDI do IFSC PNE EXIGÊNCIA CONSTITUCIONAL O art.

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 1. OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 A Diretora de Graduação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas

Leia mais

A EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CENTRO-OESTE BRASILEIRO VIA UNIVERSIDADES ESTADUAIS: CONTEXTOS E CENÁRIOS

A EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CENTRO-OESTE BRASILEIRO VIA UNIVERSIDADES ESTADUAIS: CONTEXTOS E CENÁRIOS A EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO CENTRO-OESTE BRASILEIRO VIA UNIVERSIDADES ESTADUAIS: CONTEXTOS E CENÁRIOS Renata Ramos da Silva Carvalho Resumo: O presente artigo tem como objetivo expor as considerações

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM MATO GROSSO DO SUL: A RELAÇÃO ENTRE O SISTEMA NACIONAL E O SISTEMA ESTADUAL

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM MATO GROSSO DO SUL: A RELAÇÃO ENTRE O SISTEMA NACIONAL E O SISTEMA ESTADUAL AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM MATO GROSSO DO SUL: A RELAÇÃO ENTRE O SISTEMA NACIONAL E O SISTEMA ESTADUAL Resumo Marianne Pereira Souza - UFGD marianne-souza@hotmail.com Giselle Cristina Martins Real

Leia mais

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional UESC Missão: Formar profissionais, construir conhecimento e criar cultura fomentadora da cidadania, do desenvolvimento humano, social, econômico, artístico

Leia mais

Ir. Elvo Clemente. Mons. Urbano Zilles

Ir. Elvo Clemente. Mons. Urbano Zilles Histórico A Pós-Graduação na Universidade é quase tão antiga como a própria instituição. Os títulos de magister (mestre) e doctor (doutor) remontam ao período medieval. Entretanto, como a história da universidade

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO II CONGRESSO UNIVERSITÁRIO

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO II CONGRESSO UNIVERSITÁRIO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO II CONGRESSO UNIVERSITÁRIO TESE PARA O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNEMAT Proponentes: Prof.

Leia mais

PRONATEC: múltiplos arranjos e ações para ampliar o acesso à educação profissional

PRONATEC: múltiplos arranjos e ações para ampliar o acesso à educação profissional PRONATEC: múltiplos arranjos e ações para ampliar o acesso à educação profissional Martha Cassiolato e Ronaldo Coutinho Garcia Diretoria de Estudos e Políticas do Estado, Instituições e Democracia - Diest/

Leia mais

SEMINÁRIOS TRANSDISCIPLINARES HISTÓRIA E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO

SEMINÁRIOS TRANSDISCIPLINARES HISTÓRIA E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO SEMINÁRIOS TRANSDISCIPLINARES HISTÓRIA E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO AS PERSPECTIVAS POLÍTICAS PARA UM CURRÍCULO INTERDISCIPLINAR: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Professor Doutor Carlos Henrique Carvalho Faculdade

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Página 1 de 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.095, DE 24 DE ABRIL DE 2007. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal Brasil e suas Organizações políticas e administrativas GEOGRAFIA Em 1938 Getúlio Vargas almejando conhecer o território brasileiro e dados referentes a população deste país funda o IBGE ( Instituto Brasileiro

Leia mais