OFICINA PROJETOR INTERATIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OFICINA PROJETOR INTERATIVO"

Transcrição

1 1 OFICINA PROJETOR INTERATIVO 1 Hans Peder Behling * Heinz Gunther Schaaf ** Luís Felipe Gonzaga de Campos *** RESUMO Este texto apresenta um relato da oficina Projetor Interativo (ministrada durante a semana de Formação Continuada de Docentes etapa julho/2013). O objetivo central da Oficina Projetor Interativo foi apresentar um novo recurso pedagógico e exemplificar seu uso nos respectivos contextos das disciplinas específicas em diferentes áreas do conhecimento. Partindo de uma equipe multidisciplinar formada por um funcionário do setor de Tecnologia da Informação, um professor de Engenharia Mecânica e um professor de Análise de Imagem, pode-se dizer que todas as etapas, desde a preparação até a execução dessa oficina, ocorreram de forma sui generis: num primeiro momento os ministrantes experimentaram o projetor interativo durante algumas semanas. Cada um propôs um viés e uma abordagem para a oficina, e em seguida discutiram as prioridades, de modo que o conteúdo trabalhado ficou diversificado e complementar, obedecendo ao seguinte roteiro: (1) Apresentação técnica; (2) Uso da ferramenta em diferentes áreas do conhecimento (exemplos específicos da engenharia e da publicidade); (3) incentivo à experimentação do projetor pela plateia; (4) promoção de um debate entre ministrantes e plateia. Entre os resultados, destacam-se as reflexões e os comentários sobre as possibilidades, viabilidade, vantagens e desvantagens do recurso projetor interativo no âmbito da Universidade. Palavras-chave: Projetor Interativo; Tecnologia; Recurso pedagógico. INTRODUÇÃO O objetivo central da Oficina Projetor Interativo foi apresentar um novo recurso pedagógico e exemplificar seu uso nos respectivos contextos das disciplinas específicas em diferentes áreas do conhecimento. Belloni (1999) denomina os computadores interligados em redes de NTICs (Novas Tecnologias de Informação e Comunicação), e outros autores como Lévy (2005) e Gomez (2004) preferem denominações como dispositivos, este último, enfatizando que seu uso na educação requer alguns cuidados especiais, como a verificação da efetiva conectividade das máquinas e a instalação dos programas e dos plugins necessários. Magdalena e Costa (2003) afirmam que o nível educativo de uma 1 * Professor no Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda. **Professor no Curso de Engenharia Industrial Mecânica. ***Funcionário técnico administrativo no setor ServiceDesk GTI UNIVALI. 1

2 2 sociedade informacional é medido pela alfabetização tecnológica, ou seja, pelo relacionamento crítico, assertivo e competente com o ambiente; pelas interações entre os interlocutores e pelos produtos que os indivíduos conseguem gerar a partir dos meios. Palloff e Pratt (2002) afirmam que o acesso e a familiaridade à tecnologia (hardware e software) contribuem para uma maior possibilidade de participação. Para Belloni (1999), a interatividade no contato com bancos de dados e a interação com outros estudantes pode permitir um novo modo de educação, só que isso depende muito da pedagogia de base que inspira e orienta as atividades. A autora deixa claro que a inovação deve priorizar muito mais as metodologias e estratégias de ensino do que as tecnologias propriamente ditas, pois elas não substituem as tecnologias anteriores e nem assumem suas funções, embora transformem profundamente seu uso. Assim, a Oficina Projetor Interativo justifica-se principalmente pelo fato de que a integração das NTICs na educação deixou de ser uma mera opção, passando a exigir dos sistemas educacionais uma série de esforços de imaginação pedagógica e um volume considerável de investimentos financeiros [ ] Sua utilização educativa se integra numa nova concepção da tecnologia educacional, agora concebida como comunicação educacional (BELLONI, 1999, p.104). Para a preparação da Oficina Projetor Interativo, inicialmente os ministrantes foram indicados para entrar em contato com o equipamento. Cada um instalou os softwares necessários para o correto funcionamento do projetor interativo em seus respectivos computadores e recebeu uma breve aula com a apresentação das funcionalidades básicas do equipamento. Em seguida, o projetor interativo ficou à disposição dos ministrantes durante algumas semanas para testes e experimentações, de modo que cada um pudesse avaliar como este recurso poderia ser mais bem aproveitado nas respectivas atividades docentes. Assim, cada ministrante propôs um viés e uma abordagem para a oficina, e em seguida foram discutidas algumas prioridades, de modo que o conteúdo trabalhado ficasse diversificado e complementar, obedecendo a um roteiro bastante pragmático que contemplou um aporte técnico (indispensável para que a plateia pudesse conhecer o equipamento) e exemplos aplicados nas áreas de conhecimento dos ministrantes (engenharia e publicidade). Assim, o roteiro da oficina pode ser resumido da seguinte forma: (1) Apresentação técnica; (2) Uso da ferramenta em diferentes áreas 2

3 3 do conhecimento; (3) Incentivo à experimentação do projetor pela plateia; (4) promoção de um debate entre ministrantes e plateia. As duas ocasiões em que as oficinas foram ministradas enriqueceram o debate acerca do tema, possibilitando um relato neste texto que está estruturado em seis partes: a primeira é esta breve introdução e a segunda trata de alguns aspectos teóricos relacionados ao advento dos computadores e outras tecnologias de informação e comunicação e do seu uso em contextos pedagógicos. A terceira parte apresenta as características dos projetos multimídia e a quarta parte trata de exemplos do seu uso nas disciplinas específicas que a cada semestre são oferecidas pelos ministrantes nos seus respectivos cursos de graduação da UNIVALI. A quinta parte apresenta as principais discussões que ocorreram durante as duas edições da Oficina Projetor Interativo, ministradas durante a semana de Formação Continuada de Docentes etapa julho/2013. A sexta e última parte trata das considerações finais, com reflexões sobre a temática, alguns limites e obstáculos encontrados, sugestões e outras recomendações. 2 NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Em diversas situações na história da humanidade, como na Revolução Industrial e no advento dos meios de comunicação de massa, as tecnologias causaram um mix peculiar de felicidade com temor. Na Revolução Industrial, por exemplo, a euforia com o aumento da oferta de bens de consumo acessíveis ao público, produzidos em série por máquinas industriais, misturava-se com o medo do ser humano de ser substituído pelas mesmas máquinas em seus afazeres diários. No advento dos meios de comunicação de massa, como a TV, por exemplo, novos horizontes se abriram na possibilidade de propagação de mensagens audiovisuais em curto espaço de tempo, e profetizava-se o fim de outros meios de comunicação eletrônicos como o rádio, e impressos como revistas e jornais, o que não aconteceu. (BEHLING, 2006) Em meados do século XX, McLuhan (1995) cunhou o conceito de aldeia global (para referir-se a um mundo em vias de tornar-se globalmente conectado) e pensou nos meios de comunicação como extensões do homem, ou seja, como próteses que possuem a capacidade funcional de ampliar as limitações do corpo humano. Assim como os instrumentos musicais podem ser extensões da construção mental do som, 3

4 4 os computadores podem ser extensões da construção mental do pensamento. (TURKLE, 1995, p.43) A autora afirma que os computadores são interativos e reativos, proporcionando a ilusão da companhia sem as exigências da amizade, de modo que uma pessoa possa ser solitária sem nunca estar sozinha. Turkle (1995) identifica três subculturas dentro da cultura do computador de final dos anos setenta: os virtuosos, os reducionistas e os utilizadores. Os virtuosos eram exímios programadores, preferiam trabalhar mais o software, explorando máquinas e sistemas grandes e complexos, quase incontroláveis, a fim de testar os limites. Os reducionistas preferiam trabalhar o hardware, tendo em vista que estavam mais interessados em máquinas pequenas e projetos restritos, a fim de reduzir a máquina a seus elementos mais simples na busca funcional dos mecanismos. Os utilizadores, por sua vez, possuíam uma relação bem mais prática, despretensiosa e desinteressada com a tecnologia, limitando-se ao seu uso. Até meados dos anos 1980, dominou uma ideologia de que havia apenas uma maneira correta de lidar com os computadores, ocultando grande parte das possibilidades de expressão desse novo meio. Segundo Gosciola (2003), as poucas casas americanas conectadas à internet no início dos anos 1990, ao final dessa década, já somavam 38%, época em que começaram a ser oferecidos monitores coloridos e uma série de outros recursos, fazendo com que o computador passasse a ser compreendido como um novo meio de expressão cultural. (TURKLE, 1995, p.90). 3 CARACTERÍSTICAS DO PROJETOR MULTIMÍDIA Entre as principais características do equipamento, destacam-se: a projeção de curta distância (bem menor do que os equipamentos de data show tradicionais), a interatividade na tela (respondendo aos comandos do usuário), a necessidade de instalação de software específico (download disponível em https://www.dropbox.com/sh/xk5y56tkz2fhueu/jhmuwurcrg). As conexões necessárias são: um cabo USB (para a interatividade), um cabo VGA (para a imagem) e um cabo P2 (para o áudio). 4

5 5 Figura 01 Painel de Conexão Data Show Fonte: (EPSON, 2010, p.22) A interatividade é garantida por uma caneta interativa. A caneta interativa faz basicamente as mesmas funções de um mouse. Figura 02 Caneta Interativa Fonte: (EPSON, 2010, p.50) No primeiro uso ou na mudança de resolução de tela pode ser necessário calibrar a conexão. A calibração pode ser feita de duas formas: (1) normal (25 pontos de calibração, mais rápida e apropriada para a maioria das situações); (2) avançada (49 pontos de calibração, mais lenta e apropriada quando existe a necessidade de maior precisão). 5

6 6 Figura 03 Calibração (1 a etapa) Fonte: (EPSON, 2010, p.48) Antes de iniciar a calibração, o usuário deve escolher o sistema operacional (Windows ou Mac OS). Figura 04 Calibração (2 a etapa) Fonte: (EPSON, 2010, p.48) Para realizar a calibração, basta tocar o centro do círculo com a ponta da caneta interativa. O círculo vai parar de piscar e ficará preto. Em seguida, outro círculo à direita vai começar a piscar. Basta ir repetindo a operação de tocar o centro do círculo até chegar ao final (observando que uma calibração precisa depende da caneta ser segurada num ângulo reto em relação à superfície de projeção e de que o toque seja realizado realmente no centro do círculo que estiver piscando). 6

7 7 Figura 05 Barras de ferramentas Fonte: (EPSON, 2010, p.51) O Quadro 01 apresenta uma breve descrição das funcionalidades de cada um dos ícones da barra de ferramentas no modo Barra de Ferramentas Interativa: Quadro 01 Descrição das funcionalidades dos ícones da barra de ferramentas interativa Ativa a função mouse clicando no ícone da esquerda e a barra de ferramentas aparece na imagem projetada, permitindo o uso da caneta como um mouse para abrir aplicativos, acessar links e operar barras de rolagem. Clicando no ícone da direita, a barra de ferramentas aparece em uma superfície branca vazia (modo quadro branco). Você pode escrever ou desenhar com a caneta, acrescentar imagens, salvar ou imprimir suas páginas. Avançar ou retroceder, de acordo com o aplicativo em uso. Ex.: Quando utilizada com o PowerPoint, permite retroceder ou avançar nos slides, no Word avançar ou retroceder páginas, etc. A ferramenta pincel clicando no ícone da esquerda, escreve ou desenha com um efeito semitransparente. Clicando no ícone da direita, pode-se comutar entre escrever/desenhar e apagar. No modo de apagar, você pode selecionar um apagador de forma livre ou linha reta, ou nas formas circular e retangular para apagar grandes porções. Clicando no ícone da esquerda, podemos selecionar a largura e cor da linha de modo básico/rápido. Clicando no ícone da direita, podemos personalizar a largura e cor da linha de modo mais avançado/preciso. Estes ícones permitem escrever ou desenhar linhas em forma livre, ou apagar em forma livre. Estes ícones permitem desenhar círculos, elipses e formas quadradas (ou apagar em círculos/quadrado, quando comutado. Clicando no ícone da esquerda, desfazemos a última anotação. Clicando no ícone da direita, eliminamos todas as anotações. Clicando no ícone da esquerda, abrimos um teclado virtual na tela, permitindo por exemplo, digitar um site em um navegador WEB. Clicando no ícone da direita, tiramos uma foto da tela com todas as anotações, salvando em um arquivo de imagem (JPG ou BMP). 7

8 8 Clicando no ícone da esquerda, criamos uma cortina que podemos usar para dar destaque a uma região específica da tela. Clicando no ícone da direita, temos uma ferramenta similar à anterior, porém, com formas definidas que podem ser em círculo, triângulo ou quadrado, onde o centro dessa forma fica nítido e todo o resto fica opaco ou semitransparente (as formas e transparências são ajustáveis). Se o ícone da esquerda estiver com a cor vermelha o modo mouse interativo está ativo, caso contrário o modo caneta/desenho estará ativo. Clicando no ícone azul na direita, minimizamos a barra de ferramentas do projetor, deixando-a junto às demais ferramentas. Fonte: Desenvolvido pelos autores As ferramentas do modo Quadro Branco são muito similares às ferramentas do modo Barra de Ferramentas Interativa. O que difere é basicamente o seguinte: Quadro 02 Descrição das funcionalidades dos ícones das barras de ferramentas interativas no Modo Quadro Branco Clicando no ícone da esquerda, é mostrada a lista de páginas salvas. Clicando no ícone da direita, voltamos para o Modo Interativo. Clicando no ícone da esquerda, eliminamos anotações. Clicando no ícone da direita, apagamos a página atual. Clicando no ícone da esquerda, abrimos a imagem de fundo ou uma página salva anteriormente. Clicando no ícone da direita, selecionamos a imagem de fundo. Clicando no ícone da esquerda, criamos uma página nova. Clicando no ícone da direita, Copiamos a página anterior ou a página atual. Clicando no ícone da esquerda, salvamos a(s) página(s) atual(is). Clicando no ícone da direita, abrimos a barra de ferramentas adicionais, onde temos somente os ícones Pré-visualização de impressão e Impressão. Fonte: Desenvolvido pelos autores Percebe-se facilmente que, no Modo Quadro Branco, a barra de ferramentas aparece em uma superfície branca vazia onde o usuário pode escrever ou desenhar com a caneta, acrescentar imagens, salvar ou imprimir suas páginas. Após a apresentação das características e recursos do projetor interativo, partiu-se para os exemplos do seu uso em disciplinas específicas que a cada semestre são oferecidas pelos ministrantes nos seus respectivos cursos de graduação da UNIVALI. 4 O USO DO PROJETOR INTERATIVO Evidentemente não estava entre os objetivos da oficina a fixação dos conceitos específicos das disciplinas dos cursos de engenharia ou publicidade e propaganda, 8

9 9 mas sim, iniciar com uma apresentação técnica das funcionalidades do equipamento, devidamente explicitada de forma prática nos contextos específicos de diferentes disciplinas, de diferentes cursos na universidade. Dois professores do campus Itajaí da UNIVALI (um do Curso de Engenharia Industrial Mecânica e outro do Curso de Publicidade e Propaganda) tiveram contato com o projetor interativo durante algum tempo e ilustraram o uso do equipamento em suas respectivas disciplinas. 4.1 Utilização do Projetor Interativo numa disciplina do Curso de Engenharia Industrial Mecânica A apresentação do docente da área da Engenharia Industrial Mecânica fundamentou-se nos conceitos das disciplinas de ciências dos materiais, mecanismos, comando numérico computadorizado, automobilística e qualidade, com a intenção de apresentar o uso prático de todos os atributos do projetor interativo. Numa análise mais aprofundada, a ferramenta possibilitou demonstrar o complexo diagrama Fe-C (ferro-carbono) da matéria de ciência dos materiais com muita facilidade e agilidade. Igualmente foi possível notar a dinâmica do aparelho interativo quando da demonstração do funcionamento do mecanismo biela-manivela da matéria de mecanismos - com todos os recursos do projetor, demonstraram-se os esforços diretamente no desenho e no gráfico, bem como gerou-se o gráfico com todos os ângulos e os cálculos básicos. Prosseguindo a análise, o equipamento revelou-se um apoiador eficiente quando das explanações sobre a matéria de comando numérico, haja vista que muitos são os detalhes, e mesmo assim se conseguiu asseverar novamente suas características didático educativas, quando da mostra das linhas de programas, movimentação, programação em milímetro, velocidade, corte, avanço do comando numérico e, ainda, do desenho onde se conseguia gerar as usinagens diretamente pelo projetor. Assim, é incontroversa a aplicação desta tecnologia na certificação de um excelente e facílimo aprendizado quando da análise de desenhos e figuras especialmente estudadas na matéria de automobilística. Há infinitas possibilidades de utilização deste projetor até mesmo para assuntos extremamente teóricos, como é o caso da matéria Qualidade, que possibilitou um perfeito desempenho quando da explanação do diagrama de Ishikawa, ou diagrama 9

10 10 de espinha de peixe, pois se conseguiu montá-lo diretamente no quadro. Outrossim, alternativas não se esgotam, há a viabilidade de explicar desde fluxogramas complexos, até os mais simples de uma forma ímpar, fazendo com que o assistente se interesse muito mais pelo aprendizado. Todas estas possibilidades repercutiram em um resultado inquestionável: a educação da Engenharia Mecânica não pode mais se pautar em finitas possibilidades, mas sim se tornar fácil, ágil e ilimitadamente pedagógica, e é exatamente isto que encontramos neste projetor interativo, é este instrumento prático que traz a interação necessária entre professores, alunos e todo tipo de matéria, além da comunicabilidade necessária à propagação da educação do engenheiro mecânico Utilização do projetor interativo numa disciplina do Curso de Publicidade e Propaganda Como o ministrante professor da publicidade em questão é usuário da plataforma Mac OS, a primeira dificuldade encontrada foi justamente a limitação de software, pois as ferramentas do projetor interativo disponíveis para a plataforma Windows são diferentes das ferramentas disponíveis para a plataforma Mac OS (ao menos as versões mais recentes do sistema, como era o caso do computador utilizado, que utilizava a versão do Mac OS). 10

11 11 Figura 06 Limitações do sistema Fonte: files.support.epson.com/htmldocs/bl425wlug/source/intractive/reference/eit_system_req_bl475wi.html Assim, em virtude das limitações impostas pela ausência de algumas das importantes ferramentas do software original do projetor interativo, o professor incorporou alguns recursos do próprio sistema operacional Mac OS, sem encontrar outros problemas associados ao uso do projetor ou às suas funcionalidades principais. Figura 07 Escola de Atenas Fonte: 11

12 12 O professor apresentou alguns conceitos da disciplina Análise de Imagem, apoiado pela obra Escola de Atenas (pintada por volta de 1509 pelo pintor renascentista Rafael Sanzio). Conceitos como dualidades, pontos de fuga, planos, repetições, bem como uma série de categorias semióticas (como ícone, índice e símbolo) foram ilustrados com apoio de diversos recursos da ferramenta Projetor Multimídia sobrepostos à imagem da obra. Figura 08 Marcações do projetor interativo Fonte: Desenvolvido pelos autores O professor apresentou outras imagens para ilustrar o uso do projetor interativo nas explicações de importantes aportes teóricos da disciplina, como os conceitos da semiótica, mais especificamente as categorias peirceanos de signos, denominadas respectivamente ícone, índice e símbolo. 4.3 Estimulando a plateia ao uso da ferramenta Após as apresentações, os ministrantes disponibilizaram o projetor para uso e testes da plateia, no entanto, ao contrário do inicialmente planejado, os participantes preferiram iniciar imediatamente as discussões sobre uma série de possibilidades e limitações ligadas ao uso e disponibilidade do equipamento no presente e no futuro no âmbito da Universidade. 12

13 13 5 DISCUSSÕES DO GRUPO Entre as questões debatidas, merecem destaque: (1) A UNIVALI vai disponibilizar o projetor interativo em todas as salas? (2) Qual ou quais serão os primeiros campi, blocos e/ou cursos? (3) Funciona como um projetor de data show normal? (4) O que vai acontecer com os projetores de data show atuais? (5) Todos os professores serão obrigados a reformatar todas as suas aulas para usar esse novo equipamento? (6) O projetor interativo tem comunicação com internet? (7) Ele pode ser utilizado com qualquer computador? (8) Precisa instalar softwares específicos? Boa parte destas questões foram respondidas por um dos ministrantes da oficina (funcionário técnico administrativo do setor ServiceDesk). Num primeiro momento, nem todas as salas da UNIVALI serão equipadas com o projetor multimídia. Por se tratar de uma tecnologia relativamente nova e de alto valor agregado, a UNIVALI adquiriu apenas poucas unidades e está utilizando em alguns de seus campi, com o intuito de verificar como será a aceitação/adaptação das pessoas que estão envolvidas no processo de ensino e que utilizarão esse novo recurso. No campus Itajaí, já existe uma sala da Pós-Graduação com o recurso instalado. Não há restrições de utilização por centro ou curso, no entanto é necessário realizar agendamento prévio. Os campi Balneário Camboriú e Kobrasol São José também possuem projetores sem restrições para utilização. Recomenda-se entrar em contato com a Vice-Reitoria de Graduação para saber os locais exatos onde os recursos estão instalados por campi. Como a tecnologia não será instalada em todas as salas de aula, não é obrigatório nem necessário que as aulas prontas sejam reformatadas para uso no projetor interativo. Evidentemente que os interessados em utilizar o equipamento terão de fazer algumas modificações, levando em conta as vantagens que a interatividade proporciona. Acredita-se que as aulas prontas já formatadas no modo tradicional podem ser enriquecidas utilizando-se as ferramentas do projetor interativo, uma vez que o fabricante do projetor (Epson) não impõe nenhum bloqueio quanto ao download do software em seu site. Qualquer pessoa tendo ou não comprado o projetor interativo pode acessar a página e executar o download das ferramentas interativas. A princípio não existem restrições quanto a essa prática em nenhuma parte do site do fabricante. 13

14 14 CONSIDERAÇÕES FINAIS A inserção das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação nos ambientes acadêmicos, o crescente uso dessas tecnologias e a inevitável integração das metodologias novas às tradicionais é tão evidente que o assunto vem se mantendo na pauta das discussões pedagógicas contemporâneas. Por isso, o objetivo central da Oficina Projetor Interativo foi apresentar um novo recurso pedagógico, exemplificando seu uso prático nos respectivos contextos em disciplinas de diferentes cursos da UNIVALI. Permanecer atento às tendências tecnológicas e refletir constantemente sobre a inserção e integração dessas tecnologias na manutenção das práticas e metodologias tradicionais, bem como nas respectivas transformações resultantes dessa integração, é um exercício importante, produtivo, e extremamente necessário na contemporaneidade. Assim, as apresentações e discussões geradas na Oficina Projetor Interativo possibilitaram uma alfabetização tecnológica para acesso à nova tecnologia, um estímulo ao relacionamento crítico, assertivo e competente com o ambiente e, principalmente, as interações entre os interlocutores. Entre as principais limitações da oficina, destaca-se aqui o fato de que o pouco tempo impossibilitou que cada um dos participantes pudesse instalar os softwares necessários em seus próprios computadores e efetivamente utilizar individualmente o projetor, exercitando as suas potencialidades. No entanto, acredita-se que essa interatividade, no contato entre os usuários e a tecnologia, depende muito mais da pedagogia de base que inspira e orienta as atividades dos docentes, ou seja, o projetor interativo pode tornar-se extremamente eficiente em contextos específicos das disciplinas oferecidas pelos docentes da Universidade, nas ocasiões em que estes percebem a tecnologia como um verdadeiro aliado. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BEHLING, Hans Peder. Comunicação e linguagem no ciberespaço: análise de curso de educação a distância da Unisul Virtual f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem) Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. Campinas: Autores Associados,

15 15 EPSON. Manual do Usuário - Projetor Interativo Brightlink 455Wi+. Epson America Inc., GOMEZ, Margarita Victoria. Educação em rede: uma visão emancipadora. São Paulo: Cortez / Instituto Paulo Freire, LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, MCLUHAN, Marshall. Os Meios de Comunicação Como Extensões do Homem. (tradução de Décio Pignatari). São Paulo: Cultrix, MAGDALENA, Beatriz Corso; COSTA, Iris Elisabeth Tempel. Internet em sala de aula: com a palavra, os professores. Porto Alegre: Artmed, PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. Construindo Comunidades de Aprendizagem no Ciberespaço. Porto Alegre: Artmed, TURKLE, Sherry. A vida no Ecrã: a identidade na era de Internet. Lisboa: Relógio D Agua Editores,

Comece aqui. Interação com o BrightLink

Comece aqui. Interação com o BrightLink Interação com o BrightLink As canetas interativas BrightLink transformam qualquer parede ou mesa em uma área interativa, com ou sem um Com um computador, você pode usar o Easy Interactive Tools (duas canetas).

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1

UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1 UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1 MARTINS, Sandro Luís Moresco 2 ; VARASCHINI, Patricia 3 ; SANTOS, Leila Maria Araújo 4 1 Trabalho de Pesquisa _ UFSM 2 Programa Especial de Formação de Professores (UFSM),

Leia mais

Av. Pereira Barreto, 1395 Sl 94TN Paraíso Santo André SP 09190-610 www.softmarket.com.br - 11 4426-6078 1/7

Av. Pereira Barreto, 1395 Sl 94TN Paraíso Santo André SP 09190-610 www.softmarket.com.br - 11 4426-6078 1/7 O ebeam Projection é o sistema de comunicações mais moderno que permite transformar a superfície de quadros brancos e projetores comuns, em sistemas de apresentações digitais poderosos e completamente

Leia mais

BRIP. Índice. I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05

BRIP. Índice. I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05 BRIP Índice I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05 1 Aulas interativas 05 2 E-manuais 09 Temas 09 Pesquisa global de Recursos Educativos Digitais 11.1 Pesquisa

Leia mais

T E C N O LO G I A E D U C AC I O N A L LOUSA EDUCACIONAL INTERATIVA

T E C N O LO G I A E D U C AC I O N A L LOUSA EDUCACIONAL INTERATIVA T E C N O LO G I A E D U C AC I O N A L LOUSA EDUCACIONAL INTERATIVA w w w. h o m e l a b. c o m.b r APRESENTAÇÃO Nos últimos anos, o perfil dos alunos no mundo tem mudado em consequência dos estímulos

Leia mais

LOUSA INTERATIVA. ActivPen

LOUSA INTERATIVA. ActivPen LOUSA INTERATIVA Desenvolvidos por e para professores, a Lousa Interativa é composta por um quadro eletrônico branco, conectado a um computador por meio de um cabo USB. Manuseada por meio de uma caneta

Leia mais

Aula: BrOffice Impress primeira parte

Aula: BrOffice Impress primeira parte Aula: BrOffice Impress primeira parte Objetivos Conhecer as características de um software de apresentação; Saber criar uma apresentação rápida com os recursos de imagem e texto; Saber salvar a apresentação;

Leia mais

APOSTILA PARA USO DO COMPUTADOR INTERATIVO E LOUSA DIGITAL

APOSTILA PARA USO DO COMPUTADOR INTERATIVO E LOUSA DIGITAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO APOSTILA PARA USO DO COMPUTADOR INTERATIVO E LOUSA DIGITAL FEVEREIRO 2015 MINISTRO DA EDUCAÇÃO Cid Gomes COLÉGIO PEDRO II Reitor

Leia mais

BrOffice.org - Impress

BrOffice.org - Impress BrOffice.org Impress 1 BrOffice.org - Impress Programa de apresentação, utilizado para criação e manipulação de slides. Os slides criados para uma eletrônica podem conter texto, gráficos, objetos, formas,

Leia mais

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo Manual do Usuário Índice Conheça o Projeto...3 Apresentação...3 Finalidade...3 Objetivo...3 Histórico...4 Usando o Portal...5 Efetuando o cadastro na biblioteca digital...5 Logando na Biblioteca Digital...6

Leia mais

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK 1 SÚMARIO ASSUNTO PÁGINA Componentes da Lousa... 03 Função Básica... 04 Função Bandeja de Canetas... 05 Calibrando a Lousa... 06

Leia mais

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Sumário Apresentação O papel do Aluno Ambiente Virtual de Aprendizagem Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Dúvidas 3 5 6 9 10 11 14

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

Informática Básica. Microsoft Word XP, 2003 e 2007

Informática Básica. Microsoft Word XP, 2003 e 2007 Informática Básica Microsoft Word XP, 2003 e 2007 Introdução O editor de textos Microsoft Word oferece um conjunto de recursos bastante completo, cobrindo todas as etapas de preparação, formatação e impressão

Leia mais

PRIMEIROS PASSOS: AVA CMSM MOODLE. VAGÃO 24h

PRIMEIROS PASSOS: AVA CMSM MOODLE. VAGÃO 24h PRIMEIROS PASSOS: AVA CMSM MOODLE VAGÃO 24h ÍNDICE: 1. Como faço para acessar o site do CMSM? 4 2. Como faço para localizar o AVA-CMSM Vagão 24h? 5 3. Como faço para acessar o AVA-CMSM Vagão 24h? 6 4.

Leia mais

Programa EAD-EJEF. Manual do Estudante

Programa EAD-EJEF. Manual do Estudante Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais - TJMG Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes - EJEF Programa de Educação a Distância do TJMG EAD-EJEF Programa EAD-EJEF Manual do Estudante Versão

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Evolution3.0. Manual do Utilizador

Evolution3.0. Manual do Utilizador Evolution3.0 Manual do Utilizador 1 Conteúdos Conteúdos... 2 Principais Características... 3 Requisitos de Sistema... 4 Instalar e Desinstalar a Aplicação... 5 Instalar... 5 Desinstalar... 8 Evolution

Leia mais

Informática Aplicada

Informática Aplicada Informática Aplicada SO Windows Aula 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 APRESENTAÇÃO Todo computador precisa de um sistema operacional. O Windows

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1 - Área de trabalho e personalizando o sistema... 3 A área de trabalho... 3 Partes da área de trabalho.... 4 O Menu Iniciar:...

Leia mais

Microsoft Office PowerPoint 2007

Microsoft Office PowerPoint 2007 INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007 O Microsoft Office PowerPoint 2007 é um programa destinado à criação de apresentação através de Slides. A apresentação é um conjunto de Sides que são exibidos em

Leia mais

Sistema operacional Windows 7, Windows Live Mail e Adobe Reader. Sistemas operacionais em concursos públicos

Sistema operacional Windows 7, Windows Live Mail e Adobe Reader. Sistemas operacionais em concursos públicos Sistema operacional Windows 7, Windows Live Mail e Adobe Reader Sistemas operacionais em concursos públicos Antes de tudo é importante relembrarmos que o sistema operacional é um tipo de software com a

Leia mais

Diveo Exchange OWA 2007

Diveo Exchange OWA 2007 Diveo Exchange OWA 2007 Manual do Usuário v.1.0 Autor: Cícero Renato G. Souza Revisão: Antonio Carlos de Jesus Sistemas & IT Introdução... 4 Introdução ao Outlook Web Access 2007... 4 Quais são as funcionalidades

Leia mais

Manual do aluno online

Manual do aluno online Manual do aluno online Os 10 mandamentos do aluno de educação online 1 1. Acesso à Internet: ter endereço eletrônico, um provedor e um equipamento adequado é prérequisito para a participação nos cursos

Leia mais

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007

ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 ANDRÉ APARECIDO DA SILVA APOSTILA BÁSICA SOBRE O POWERPOINT 2007 CURITIBA 2015 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007... 3 JANELA PRINCIPAL... 3 1 - BOTÃO OFFICE... 4 2 - FERRAMENTAS DE ACESSO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA TREINAMENTO EM INFORMÁTICA MÓDULO V

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA TREINAMENTO EM INFORMÁTICA MÓDULO V UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA TREINAMENTO EM INFORMÁTICA MÓDULO V MACAPÁ-AP 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu

Uruaçu - 2009. Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Professoras Formadoras do NTE Uruaçu Uruaçu - 2009 Núcleo de Tecnologia Educacional de Uruaçu Rua Maranhão Quadra 02 Lote 01 Bairro JK Uruaçu Goiás Telefone: (62)3357-4237 - Fax : 3357-4217 E-mail nteuruacu@hotmail.com

Leia mais

Características Interativo Evolution IR

Características Interativo Evolution IR Características Interativo Evolution IR Introdução Os quadros interactivos Evolution IR estão a mudar a forma como muitos professores e formadores se aproximam aos seus alunos. Este quadro interactivo

Leia mais

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 06 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA 3. SEQÜÊNCIA DA AULA. 3.1 Iniciando o PowerPoint

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 06 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA 3. SEQÜÊNCIA DA AULA. 3.1 Iniciando o PowerPoint PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 06 1. OBJETIVO Apresentar o PowerPoint, que é o software para montar apresentações na forma de slides da Microsoft. Isso será feito seguindo-se uma seqüência mostrando

Leia mais

Painel de Controle e Configurações

Painel de Controle e Configurações Painel de Controle e Configurações Painel de Controle FERRAMENTAS DO PAINEL DE CONTROLE: - Adicionar Hardware: Você pode usar Adicionar hardware para detectar e configurar dispositivos conectados ao seu

Leia mais

PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA

PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA EE Odilon Leite Ferraz PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA AULA 1 APRESENTAÇÃO E INICIAÇÃO COM WINDOWS VISTA APRESENTAÇÃO E INICIAÇÃO COM WINDOWS VISTA Apresentação dos Estagiários Apresentação do Programa Acessa

Leia mais

Power Point. Autor: Paula Pedone

Power Point. Autor: Paula Pedone Power Point Autor: Paula Pedone INTRODUÇÃO O POWER POINT é um editor de apresentações, pertencente ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de apresentações através da

Leia mais

POWER POINT 2003 CARREGANDO O POWER POINT

POWER POINT 2003 CARREGANDO O POWER POINT ÍNDICE POWER POINT 2003...2 CARREGANDO O POWER POINT...2 JANELA PRINCIPAL...3 PARTES DA JANELA...3 MENUS DO POWER POINT...4 BARRAS DE FERRAMENTAS...6 BARRA DE FERRAMENTA PADRÃO...6 BARRA DE FERRAMENTA

Leia mais

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC Sumário Apresentação... 1 1. Orientações Iniciais... 2 2. Recursos... 4 2.1 Rótulos... 4 2.2 Página de Texto Simples... 8 2.3 Página de Texto Formatado... 12 2.4 Site... 16 2.5 Arquivo... 21 2.6 Pasta

Leia mais

O emprego da lousa digital no processo de aprendizagem de alunos de licenciatura e do ensino médio

O emprego da lousa digital no processo de aprendizagem de alunos de licenciatura e do ensino médio O emprego da lousa digital no processo de aprendizagem de alunos de licenciatura e do ensino médio Filipe Cesar da Silva Discente da Universidade do Sagrado Coração (USC) felipe_mirc@hotmail.com Melissa

Leia mais

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte...

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte... ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3 Acervo... 3 Meus Livros... 4 Livros em destaque... 7 Fórum... 7 Notícias... 8 Ajuda... 9 Suporte... 9 POR QUE USAR... 10 EQUIPE RESPONSÁVEL... 12 CONTATO... 13 O

Leia mais

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 IESAP INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 Prof. MARCOS MENDES Profa. MILENA MENDES MACAPÁ-AP 2008 Sumário O QUE É FORMATACÃO COMO CRIAR E SALVAR UM ARQUIVO

Leia mais

Manual do Professor versão 2.0. FTD Sistema de Ensino

Manual do Professor versão 2.0. FTD Sistema de Ensino Manual do Professor versão 2.0 FTD Sistema de Ensino Plataforma Digital do FTD Sistema de Ensino Concepção Fernando Moraes Fonseca Jr Arquitetura e coordenação de desenvolvimento Rodrigo Orellana Arquitetura,

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA OFICINA Nº8 Desenvolver juntamente aos professores, alunos, equipe diretiva e demais participantes atividades que auxiliem no uso do aplicativo KlogoTurtle e KPresenter assim os

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

MINT Interactive Guia do Usuário (V1.1)

MINT Interactive Guia do Usuário (V1.1) MINT Interactive Guia do Usuário (V1.1) 2011.01 ÍNDICE 1. Preparação ---- 3 2. Executando o MINT Interactive ---- 3 3. Descrição das Funções da Barra de Ferramentas ---- 4 4. Usando o Scrapbook ---- 7

Leia mais

Painel de Controle Windows XP

Painel de Controle Windows XP Painel de Controle Windows XP Autor: Eduardo Gimenes Martorano Pág - 1 - APOSTILA PAINEL DE CONTROLE Pág - 2 - ÍNDICE INTRODUÇÃO:...4 PAINEL DE CONTROLE...4 TRABALHANDO COM O PAINEL DE CONTROLE:...4 ABRINDO

Leia mais

Introdução Microsoft PowerPoint 2013 apresentações Office PowerPoint 2013 Microsoft PowerPoint 2013 textos planilhas Excel Word

Introdução Microsoft PowerPoint 2013 apresentações Office PowerPoint 2013 Microsoft PowerPoint 2013 textos planilhas Excel Word PowerPoint 2013 Sumário Introdução... 1 Iniciando o PowerPoint 2013... 2 Criando Nova Apresentação... 10 Inserindo Novo Slide... 13 Formatando Slides... 15 Inserindo Imagem e Clip-art... 16 Inserindo Formas...

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME Apresentação Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE POWER POINT 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha.

Leia mais

Sumário O Computador... 3 Desligando o computador... 5 Cuidados com o computador... 5 O Windows e as janelas... 6 O que é o Windows?...

Sumário O Computador... 3 Desligando o computador... 5 Cuidados com o computador... 5 O Windows e as janelas... 6 O que é o Windows?... 1 Sumário O Computador... 3 Desligando o computador... 5 Cuidados com o computador... 5 O Windows e as janelas... 6 O que é o Windows?... 6 Usando os programas... 7 Partes da janela:... 7 Fechando as janelas...

Leia mais

AULA: BrOffice Impress terceira parte. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de:

AULA: BrOffice Impress terceira parte. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: AULA: BrOffice Impress terceira parte Objetivo Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: Conhecer a integração dos softwares do BrOffice; Aprender a trabalhar no slide mestre; Utilizar interação entre

Leia mais

Ficha Técnica. Pré-requisitos: não há pré-requisitos. O aluno inicia o curso de Windows 8 com uma introdução à informática.

Ficha Técnica. Pré-requisitos: não há pré-requisitos. O aluno inicia o curso de Windows 8 com uma introdução à informática. Windows 8 O Windows está presente na maior parte dos computadores, seja para uso pessoal ou profissional. Quem vai começar a usar um computador precisa saber trabalhar bem com ele. O Windows 8 é o Sistema

Leia mais

Sistemas Eletrônicos de Apresentação. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 47p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Sistemas Eletrônicos de Apresentação. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 47p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Ismael Souza Araujo Pós-graduado em Gerência de Projetos PMBOK UNICESP, Graduado em Tecnologia em Segurança da Informação - UNICESP. Professor de concurso da área de informática e consultor em EAD.

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

INTRODUÇÃO. Não é exagero afirmar que é o sistema operacional o programa mais importante do computador, sem ele seu equipamento não funciona.

INTRODUÇÃO. Não é exagero afirmar que é o sistema operacional o programa mais importante do computador, sem ele seu equipamento não funciona. INTRODUÇÃO O Microsoft Windows XP é um sistema operacional de interface gráfica multifunções, isso significa que podemos trabalhar com vários programas de forma simultânea. Por ex: poderíamos escutar um

Leia mais

Informática. Rodrigo Schaeffer

Informática. Rodrigo Schaeffer Informática Rodrigo Schaeffer PREFEITURA DE PORTO ALEGRE- INFORMÁTICA Conceitos básicos de Word 2007; formatar, salvar e visualizar arquivos e documentos; alinhar, configurar página e abrir arquivos; copiar,

Leia mais

Segundo Pré-teste. Data de realização. 18 de Novembro de 2007. Local.

Segundo Pré-teste. Data de realização. 18 de Novembro de 2007. Local. Segundo Pré-teste Data de realização. 18 de Novembro de 2007. Local. Duas salas de aula da Pós-graduação do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da EESC/USP. Duração: 4 horas. Dos objetivos. Envolveu

Leia mais

Microsoft Power Point

Microsoft Power Point Microsoft Power Point 1- Introdução... 2 2- Criar uma apresentação... 3 3- Criar uma apresentação com base no modelo de design... 3 4- Cor do fundo da apresentação... 4 5- Ferramentas de Desenho... 6 6-

Leia mais

Computação nas nuvens (Vantagens)

Computação nas nuvens (Vantagens) Computação em Nuvem Computação em nuvem O conceito de computação em nuvem (em inglês, cloud computing) refere-se à possibilidade de utilizarmos computadores menos potentes que podem se conectar à Web e

Leia mais

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO GUIA DO ALUNO Prezado(a) Aluno(a), O Guia do Aluno é um instrumento normativo que descreve os padrões de qualidade dos processos acadêmicos e administrativos necessários ao desenvolvimento dos cursos de

Leia mais

MICROSOFT POWER POINT 2003

MICROSOFT POWER POINT 2003 MICROSOFT POWER POINT 2003 APOSTILA PAGINAS.TERRA.COM.BR/EDUCACAO/INFOCAO 1 Sumário Software de Apresentação 03 Exemplos de Software de Apresentação 04 Considerações para uma boa Apresentação 05 Apresentações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PRÓ REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS INCUBADORA DE EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS PROJETO TELECENTROS COMUNITÁRIOS SOFTWARE DE APRESENTAÇÃO POWER POINT IMPRESS PREZI

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E Unidade III TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO Prof. Me. Eduardo Fernando Mendes Google: um mundo de oportunidades Os conteúdos abordados neste modulo são: Google: Um mundo de oportunidades;

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: ÁREA TEMÁTICA: INTRODUÇÃO

TÍTULO: AUTORES: ÁREA TEMÁTICA: INTRODUÇÃO TÍTULO: ACESSIBILIDADE AO COMPUTADOR POR PESSOAS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS: EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES AUTORES: Silvia Sales de Oliveira; Maria da Piedade Resende da Costa; Nadja

Leia mais

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ÍNDICE BLUELAB RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ELEMENTOS DA TELA INICIAL DO BLUELAB PROFESSOR guia Meu Espaço de Trabalho...07 A INTERFACE DO BLUELAB...07 INICIANDO

Leia mais

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA

ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA ESCOLA EB2,3/S Dr. ISIDORO DE SOUSA Passos para Ligar 1. Verificar se o projector de Vídeo está ligado à corrente tomada do lado esquerdo do quadro, junto à porta, caso não esteja ligue a ficha tripla

Leia mais

MANUAL PARA INCLUSÃO DIGITAL - ANDRAGOGIA - Hardware Autor Gilberto Karnas Direitos Autorais cedido ao ISL2024

MANUAL PARA INCLUSÃO DIGITAL - ANDRAGOGIA - Hardware Autor Gilberto Karnas Direitos Autorais cedido ao ISL2024 Inclusão Digital - Hardware O objetivo dessa cartilha é informar o usuário das características básicas de um computador. Também presente, alguns hardwares que integram a infraestrutura de TI (Tecnologia

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

GERENCIANDO SUA BIBLIOTECA

GERENCIANDO SUA BIBLIOTECA GERENCIANDO SUA BIBLIOTECA ORGANIZANDO SUA BIBLIOTECA Os livros da sua biblioteca são ordenados alfabeticamente pelo título. Clique em ORDENAR POR, na parte superior da página, para alterar a forma como

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT Power Point Básico Santa Maria, julho de 2006 O Power Point é um aplicativo do Microsoft Office direcionado à criação de apresentações.

Leia mais

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO.

SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ. 2 DICAS PEDAGÓGICAS:. 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO. 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD. 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO. SUMÁRIO TUTORIAL DO HQ... 2 DICAS PEDAGÓGICAS:... 2 DOWNLOAD DA INSTALAÇÃO... 2 PASSO 1 FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD... 2 PASSO 2 ESCOLHENDO A VERSÃO... 3 PASSO 3 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO... 4 CRIANDO NOVAS

Leia mais

12 Razões Para Usar. Lightroom. André Nery

12 Razões Para Usar. Lightroom. André Nery 12 Razões Para Usar Lightroom André Nery André Nery é fotógrafo em Porto Alegre. Arquitetura e fotografia outdoor, como natureza, esportes e viagens, são sua área de atuação. Há dez anos começou a ministrar

Leia mais

MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO

MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO MANUAL DO MOODLE VISÃO DO ALUNO Desenvolvido por: Patricia Mariotto Mozzaquatro SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO....03 2 O AMBIENTE MOODLE......03 2.1 Quais as caixas de utilidade que posso adicionar?...04 2.1.1 Caixa

Leia mais

Conhecendo seu telefone

Conhecendo seu telefone Conhecendo seu telefone Fone de ouvido Tecla de navegação S Lentes da câmera Tecla virtual esquerda Teclas de volume Tecla Enviar N Tecla virtual direita Tecla Menu M Tecla Finalizar O Porta da bateria

Leia mais

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como:

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como: Manual do Aluno É com muita satisfação que apresentamos o Reunir Unopar. Ambiente Virtual de Aprendizagem Colaborativa que tem por objetivo principal ser um espaço colaborativo de construção do conhecimento

Leia mais

8/9/2010 WINDOWS. Breve Histórico. Profa. Leda G. F. Bueno. Seu desenvolvimento iniciou-se em 1981

8/9/2010 WINDOWS. Breve Histórico. Profa. Leda G. F. Bueno. Seu desenvolvimento iniciou-se em 1981 Conceitos Básicos e Gerenciamento de Arquivos WINDOWS EXPLORER Profa. Leda G. F. Bueno WINDOWS Sistema operacional criado pela Microsoft Corporation Característica Principal características o uso de janelas

Leia mais

Pro 1420Wi/1430Wi. Projete de qualquer fonte. Interaja com o seu computador. Comece a usar o BrightLink Pro. O que deseja fazer?

Pro 1420Wi/1430Wi. Projete de qualquer fonte. Interaja com o seu computador. Comece a usar o BrightLink Pro. O que deseja fazer? Pro 40Wi/40Wi Comece a usar o BrightLink Pro O BrightLink Pro é uma ferramenta de produtividade para salas de conferência e de aula que permite que crie um quadro branco digital sempre que precisar. Adicione

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Microsoft Windows XP William S. Rodrigues APRESENTAÇÃO WINDOWS XP PROFISSIONAL O Windows XP, desenvolvido pela Microsoft, é o Sistema Operacional mais conhecido e utilizado

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil...

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil... Sumário INTRODUÇÃO... 3 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4 2. Ferramentas e Configurações... 5 2.1 Ver Perfil... 5 2.2 Modificar Perfil... 6 2.3 Alterar Senha... 11 2.4 Mensagens... 11 2.4.1 Mandando

Leia mais

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem...

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem... 1 2 Sumário Bem Vindo... 4 A Disciplina de Dependência Interativa... 5 A Organização da Disciplina... 7 O Processo de Ensino e Aprendizagem... 10 Sua Semana no Curso... 11 O apoio local ao Ensino Semipresencial...

Leia mais

Table of Contents. PowerPoint XP

Table of Contents. PowerPoint XP Table of Contents Finalizando a apresentação...1 Usando anotações...1 Desfazer e repetir...1 Localizar e substituir...2 Substituir...2 Efeitos de transição...3 Esquema de animação...6 Controlando os tempos

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

DESMISTIFICANDO O USO DA LOUSA DIGITAL

DESMISTIFICANDO O USO DA LOUSA DIGITAL DESMISTIFICANDO O USO DA LOUSA DIGITAL Alcione Cappelin alcionecappelin@hotmail.com Cristiane Straioto Diniz cstraioto@gmail.com Eloisa Rosotti Navarro eloisa-rn@hotmail.com Renata Oliveira Balbino rebalbino@yahoo.com.br

Leia mais

Brasil. Características da Look 312P. Instalação da Look 312P

Brasil. Características da Look 312P. Instalação da Look 312P Características da Look 312P 1 2 3 Lente Foco manual pelo ajuste da lente. Bolso Você pode colocar o cabo no bolso. Corpo dobrável Ajuste a Look 312P em diferentes posições. Instalação da Look 312P 1.

Leia mais

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE?

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE? Manual do Usuário INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO TREINAMENTO ON LINE A ATIC Tecnologia do Brasil Ltda. com o objetivo de atender aos seus diversos clientes, oferece treinamentos EAD - Educação a Distância

Leia mais

Aula 02 Software e Operações Básicas. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 02 Software e Operações Básicas. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 02 Software e Operações Básicas Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Revisando Como um computador funciona: Entrada (Dados) Processamento (Análise dos Dados)

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Roteiro de Tutorial das Ferramentas de Usabilidade. Por Heblon Motta Alves Barbosa

Roteiro de Tutorial das Ferramentas de Usabilidade. Por Heblon Motta Alves Barbosa Roteiro de Tutorial das Ferramentas de Usabilidade Por Heblon Motta Alves Barbosa Ampliador de Tela O que é O ampliador de tela é um software que ao ser acionado, aumenta o tamanho da imagem que está sendo

Leia mais

Manual de Utilização Moodle

Manual de Utilização Moodle Manual de Utilização Moodle Perfil Professor Apresentação Esse manual, baseado na documentação oficial do Moodle foi elaborado pela Coordenação de Tecnologia de Informação CTI do câmpus e tem como objetivo

Leia mais

OneDrive: saiba como usar a nuvem da Microsoft

OneDrive: saiba como usar a nuvem da Microsoft OneDrive: saiba como usar a nuvem da Microsoft O OneDrive é um serviço de armazenamento na nuvem da Microsoft que oferece a opção de guardar até 7 GB de arquivos grátis na rede. Ou seja, o usuário pode

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Tablet Widescreen Slimline

Tablet Widescreen Slimline Tablet Widescreen Slimline Manual do Usuário Avançado Instalação Desenho Escrita Navegação Configuração Manutenção www.trust.com/69/faq Instalando e conhecendo seu tablet Trust 6 7 8 9 0 Cabo USB 6 Pontas

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle NE@D - Moodle CONCEITO: O Moodle é uma plataforma de aprendizagem a distância baseada em software livre. É um acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (ambiente modular de aprendizagem

Leia mais

Gabarito - Windows 7-12/12/2014 AULA 01

Gabarito - Windows 7-12/12/2014 AULA 01 Gabarito - Windows 7-12/12/2014 AULA 01 1 1- O Windows Explorer é o navegador de arquivos do Windows. (Verdadeiro)2- O Windows é o navegador de arquivos do Windows Explorer. (Falso)3- O Windows Explorer

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL

EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL 1 2 Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci CARO ALUNO Não existem limites para a educação a distância. Seus desafios

Leia mais

Apresentando o Sistema GeoOffice GPS Profissional

Apresentando o Sistema GeoOffice GPS Profissional Apresentando o Sistema GeoOffice GPS Profissional O Sistema GeoOfficeGPS é uma ferramenta de automação desenvolvida pela Solution Softwares LTDA-ME para auxiliar no armazenamento e manipulação de dados

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

O OpenOffice.org Impress

O OpenOffice.org Impress 1 O OpenOffice.org Impress O OpenOffice.org Impress é uma ferramenta excelente para a criação de apresentações multimídia realmente eficientes. Suas apresentações vão brilhar com figuras, efeitos especiais,

Leia mais

Manual para Envio de Petição Inicial

Manual para Envio de Petição Inicial Manual para Envio de Petição Inicial 1. Após abrir a página do PROJUDI, digite seu usuário e senha 1.1. Para advogados o usuário é o cpf.adv (ex: 12345678900.adv) 1.2. Após digitar os dados (login e senha),

Leia mais

O computador. Sistema Operacional

O computador. Sistema Operacional O computador O computador é uma máquina desenvolvida para facilitar a vida do ser humano, principalmente nos trabalhos do dia-a-dia. É composto basicamente por duas partes o hardware e o software. Uma

Leia mais