LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) com foco na POPULAÇÃO IDOSA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) com foco na POPULAÇÃO IDOSA"

Transcrição

1 LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) com foco na POPULAÇÃO IDOSA

2 Direitos Sociais 1988: Promulgação da Constituição Federal; A Assistência Social passou a integrar o Sistema de Seguridade Social, como política pública não contributiva; Portanto, é direito do cidadão e dever do Estado.

3 LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social) Lei 8742/93; A LOAS estabelece os objetivos, princípios e diretrizes da política, organização, gestão ações e funcionamento.

4 Estatuto do Idoso Lei de 01/10/2003; Direito ao BPC foi reduzido para 65 anos(antes era 67); Os crimes contra o idoso foram estabelecidos; Garantia de prioridade na tramitação de processos e procedimentos na Justiça.

5 Estatuto do Idoso Em caso de internação, o idoso terá a presença de um acompanhante em tempo integral; Direito assegurado de 50 % de desconto nas atividades culturais, lazer e esportivas e obtenção de passe livre nos transportes públicos.

6 A política de assistência social é composta de programas, projetos, serviços e benefícios que devem ser prestados pelo Estado e pelas entidades de assistência social; As ações de proteção da AS devem ser prestadas de forma integrada e articulada entre si e com outras políticas sociais e estruturadas para atingir a universalidade da cobertura das necessidades de todos que dela necessitem.

7 As ações da política de AS são organizadas para promover o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, a capacidade de proteção da família, a autonomia e o protagonismo dos indivíduos, famílias e comunidades.

8 SUAS (Sistema Único da Assistência Social) A AS é organizada em um sistema descentralizado e participativo, conforme estabelecido pela PNAS (Política Nacional de Assistência Social) de 2004; O SUAS começou a ser implantado em 2005 e as ações da AS são organizadas tendo como referência o território onde as pessoas moram.

9 Os programas, projetos, serviços e benefícios devem ser desenvolvidos nos territórios mais vulneráveis, tendo a família como foco de atenção; As ações da AS no SUAS são organizadas em 2 tipos: básica e especial; Centros de Referência da AS (CRAS); Centros de Referência Especializados da AS ( CREAS).

10 Centro de Referência da Assistência Social - CRAS O CRAS é a unidade pública da AS, de base municipal, localizada em áreas com maiores índices de vulnerabilidade e risco social, destinada à prestação de serviços e programas sócio assistenciais da proteção social básica às famílias.

11 Programa de Atenção Social à Família (PAIF) O PAIF é um conjunto de ações continuadas desenvolvidas no CRAS; Cabe ao PAIF a prestação de serviços de acolhimento, acompanhamento, inserção em serviços sócio educativos e de convivência e demais encaminhamentos das famílias para demais serviços e outras políticas.

12 Importância do PAIF O PAIF se constitui em importante programa para a política de AS pois fortalece a família para exercer seu papel protetivo.

13 Objetivos do PAIF Oferecer proteção integral seus membros; às família e Prevenir o rompimento dos vínculos familiares e a violência nas suas relações.

14 Proteções Sociais do SUAS A AS através da proteção social básica e especial, visa ofertar um conjunto de programas, serviços, projetos e BENEFÍCIOS com o objetivo de afiançar seguranças sociais para a prevenção, proteção e o enfrentamento de situações de vulnerabilidade, risco e a promoção e defesa de direitos.

15 Legislação do SUAS LOAS Lei nº 8742/93; Política Nacional de Assistência Social (PNAS 2004); NOB-RH/SUAS; Decreto nº 5085 de 19/05/2004; Portaria nº 78/04 MDS; Portaria nº 442/05 MDS.

16 Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social - BPC

17 O que é? O BPC é um benefício da política de AS, por isso não é contributivo. Está previsto na CF de 1988 e regulamentado na Lei orgânica de Assistência Social (LOAS Lei 8742/1993), Estatuto do Idoso (Lei 10741/2003) e em normativas de caráter operacional.

18 O benefício consiste no pagamento de um salário mínimo mensal às pessoas idosas (65 anos) e pessoas com deficiência, cuja renda per capita não ultrapasse a ¼ do salário mínimo; Atualmente o salário mínimo vigente é de R$678,00 e a renda per capita em uma família de 4 pessoas equivale a R$169,50 e o gasto de R$5,65 por dia.

19 O BPC integra a proteção social básica do SUAS e deve ser prestado em articulação com os diversos serviços de AS e de outras políticas, na perspectiva de ampliar a proteção a idosos e pessoas com deficiência e suas famílias; É um benefício financiado integralmente com recursos do Governo Federal.

20 Importância do BCP O BPC melhora a renda de idosos e pessoas com deficiência e suas famílias. Estimula a participação e reconhecimento social, o convívio social, autonomia e protagonismo melhorando suas vidas, suas relações familiares e sociais.

21 Objetivo do BCP Garantir um salário mínimo mensal às pessoas idosas e pessoas com deficiência, que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção e nem tê-la provida por sua família.

22 Quem Pode Participar do BCP Pessoas com deficiência incapacitadas para o trabalho e para a vida independente e IDOSOS COM 65 ANOS OU MAIS; Em ambos os casos, a renda familiar por pessoa deve ser inferior a ¼ do salário mínimo.

23 Como Participar do BCP O município colabora com o acesso ao benefício por meio da atuação dos serviços de política de AS, especialmente dos CRAS, através da divulgação do benefício, identificação dos beneficiários, orientação sobre critérios de elegibilidade.

24 Obstáculos à Garantia Constitucional Para a concessão do BPC é necessário que a renda per capita seja inferior a ¼ do SM. A grande maioria dos requerimentos tem sido indeferidos pelo INSS.

25 LOAS Judicial A correção tem sido feita pelo Poder Judiciário para ver garantido o direito sonegado pela autarquia previdenciária; O Poder Judiciário reconhece a condição de miserabilidade do beneficiário por outros meios de prova.

26 LOAS Judicial A limitação do valor da renda per capita não deve ser a única forma de comprovar que a pessoa não possui outros meios para prover a própria manutenção ou tê-la provida pela família. Presume-se absoluta miserabilidade quando comprovada a renda per capita inferior a ¼ do salário mínimo.

27 Laudo Social de BPC/Idoso Requerente de 66 anos, morador da zona rural do município de Ibiúna; Nunca contribuiu para a Previdência Social; Esposa é aposentada pelo INSS (Funrural); Renda Mensal de um salário mínimo; Renda Per Capita superior a ¼ do SM; BPC indeferido pelo INSS. Arquivo

28 Fotos do Local

29

30

31

32 Referências Bibliográficas Loas Anotada: Desenvolvimento Social: Guia de Políticas e Programas do MDS e BPC: Critério Objetivo da Renda Per Capita Obstáculo à Garantia Constitucional Orientação de TCC II UNITINS.

33 Nome e Contato da Palestrante Helena Satie Matsuo Tel.: (11)

34 Momento de Reflexão Onde você quer chegar? Ir alto? Sonhe alto... queira o melhor do melhor... Se pensarmos pequeno...coisas pequenas teremos... Mas se desejarmos fortemente o melhor... o melhor vai se instalar em nossa vida. Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura. Carlos Drumond de Andrade

SEGURIDADE SOCIAL. Tem a finalidade de garantir o mínimo necessário à sobrevivência do indivíduo.

SEGURIDADE SOCIAL. Tem a finalidade de garantir o mínimo necessário à sobrevivência do indivíduo. SEGURIDADE SOCIAL A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

O BPC Trabalho. XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS Oficina de Operacionalização do BPC Trabalho e BPC na Escola Fortaleza, março de 2012

O BPC Trabalho. XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS Oficina de Operacionalização do BPC Trabalho e BPC na Escola Fortaleza, março de 2012 O BPC Trabalho XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS Oficina de Operacionalização do BPC Trabalho e BPC na Escola Fortaleza, março de 2012 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS Secretaria

Leia mais

MÓDULO I IRACI DE ANDRADE DRA. SERVIÇO SOCIAL

MÓDULO I IRACI DE ANDRADE DRA. SERVIÇO SOCIAL MÓDULO I IRACI DE ANDRADE DRA. SERVIÇO SOCIAL ACOMPANHAMENTO E ATENDIMENTO FAMILIAR Configura-se como um ato Configura como um processo continuado ACOMPANHAMENTO FAMILIAR ACOMPANHAMENTO FAMILIAR O QUE

Leia mais

BPC - LOAS SEGURIDADE SOCIAL

BPC - LOAS SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL Art. 196 Saúde Art. 201 Previdência Social Art. 203 A assistência social será prestada a quem dela necessitar, independentemente de contribuição à seguridade social... Constituição da

Leia mais

LEI ORGÂNIGA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL LOAS. LEI n 8.742/93 e Decreto n 6.214/07 04/2016 FERNANDO APRATO

LEI ORGÂNIGA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL LOAS. LEI n 8.742/93 e Decreto n 6.214/07 04/2016 FERNANDO APRATO LEI ORGÂNIGA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL LOAS LEI n 8.742/93 e Decreto n 6.214/07 04/2016 FERNANDO APRATO Conceito Art. 1º A assistência social, direito do cidadão e dever do Estado, é Política de Seguridade

Leia mais

REDE SOCIOASSISTENCIAL

REDE SOCIOASSISTENCIAL REDE SOCIOASSISTENCIAL O que é Vulnerabilidade Social? Pode ser entendida como a condição de risco em que uma pessoa se encontra. Um conjunto de situações mais, ou menos problemáticas, que situam a pessoa

Leia mais

A Política de Assistência Social Um novo desenho.

A Política de Assistência Social Um novo desenho. A Política de Assistência Social Um novo desenho. Profª. Eline Alcoforado Maranhão Sá Profª. Maria Aparecida Guimarães Skorupski Profª Regina Coeli Climaco Matos A Assistência Social como política de proteção

Leia mais

IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS PALMEIRA¹ / PR.

IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS PALMEIRA¹ / PR. IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS PALMEIRA¹ / PR. MARTINS, Mayara Lucia (Estágio I), e-mail: mayamartins1993@hotmail.com.

Leia mais

Helena A Wada Watanabe 2012

Helena A Wada Watanabe 2012 Helena A Wada Watanabe 2012 Política * É uma atividade mediante a qual as pessoas fazem, preservam e corrigem as regras gerais sob as quais vivem. * É inseparável tanto do conflito como da cooperação (valores

Leia mais

CRAS. Rua São Caetano 822 Jardim Alvorada - Fone Programa de Atenção Integral á família - PAIF

CRAS. Rua São Caetano 822 Jardim Alvorada - Fone Programa de Atenção Integral á família - PAIF CRAS O Centro de Referência da Assistência Social é uma unidade publica estatal que atende em áreas específicas com maior vulnerabilidade social. Oferece serviços destinados á família, dentre eles, o Programa

Leia mais

Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação. Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV)

Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação. Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) O que é o SCFV? É realizado em grupos, organizado a partir de percursos, de modo a garantir aquisições progressivas aos seus usuários, de acordo

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO Conceituação: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar

Leia mais

2. BPC Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social. Decreto nº6.214/2003 Alterado pelo Decreto nº de 2011

2. BPC Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social. Decreto nº6.214/2003 Alterado pelo Decreto nº de 2011 2. BPC Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social Decreto nº6.214/2003 Alterado pelo Decreto nº 7.617 de 2011 O BPC É a garantia de um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso,

Leia mais

Curso SUAS Sistema Único de Assistência Social nos CRAS e CREAS

Curso SUAS Sistema Único de Assistência Social nos CRAS e CREAS Associação Brasileira de Formação e Desenvolvimento Social - ABRAFORDES www.cursosabrafordes.com.br DICA: Tecle Ctrl+s para salvar este PDF no seu computador. Curso SUAS Sistema Único de Assistência Social

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL- CRAS JARDIM CARVALHO PONTA GROSSA- PARANÁ

CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL- CRAS JARDIM CARVALHO PONTA GROSSA- PARANÁ CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL- CRAS JARDIM CARVALHO PONTA GROSSA- PARANÁ PACHECO, Flávia Sacchelli (estágio I), e-mail: flavia_sacchelli@yahoo.com.br PUCHTA, Tiago Messias Torres (estágio

Leia mais

ATA Assistente Técnico Administrativo Direito Previdenciário Custeio da Seguridade Social Gilson Fernando

ATA Assistente Técnico Administrativo Direito Previdenciário Custeio da Seguridade Social Gilson Fernando 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA Assistente Técnico Administrativo Direito Previdenciário Custeio da Gilson Fernando Custeio da Lei nº 8.212/1991 e alterações

Leia mais

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos Débora Martini Saúde Direito de todos Núcleo de Apoio a Saúde da Família - NASF Atenção Primária à Saúde Centros de Saúde Assistência

Leia mais

Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica

Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica PROTEÇÃO SOCI AL BÁSI CA - PSB Centro de Referência da Assistência Social CRAS Organização da Rede Socioassistencial

Leia mais

4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA. Deliberações Finais. I Gestão (Programas, projetos, ações e serviços)

4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA. Deliberações Finais. I Gestão (Programas, projetos, ações e serviços) 4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA Deliberações Finais I Gestão (Programas, projetos, ações e serviços) 1. Alterar a legislação do benefício de prestação continuada - BPC (Lei 8.742/1993,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIAL LDO 2016 ANEXO III

DESENVOLVIMENTO SOCIAL LDO 2016 ANEXO III DESENVOLVIMENTO SOCIAL LDO 2016 ANEXO III Assistência Social Código: 5241 Nome do Programa Benefícios Eventuais Objetivo do Programa Fornecer benefícios previstos em Lei, em forma de benefício, para atender

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A TERCEIRA IDADE. Eixo Temático - Temas Transversais. Palavras-chave: Políticas Públicas, Idoso, Envelhecimento.

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A TERCEIRA IDADE. Eixo Temático - Temas Transversais. Palavras-chave: Políticas Públicas, Idoso, Envelhecimento. POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A TERCEIRA IDADE ISSN 2359-1277 Bianca Ferreira de Souza, biancasouzafe10@gmail.com; Rosineide Corrêa, rosicorrea2@outlook.com; Profª Ms. Keila Pinna Valensuela (Orientadora), keilapinna@hotmail.com,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Ações da Secretaria Nacional de

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Ações da Secretaria Nacional de Ações da Secretaria Nacional de Assistência Social - MDS CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 Art. 194 A Seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos poderes públicos e da sociedade,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 34, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 34, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2011. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Esplanada dos Ministérios, bloco F, anexo, ala A, 1º andar, Brasília/DF CEP: 70059-900 RESOLUÇÃO Nº 34, DE

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência/CD Comissão de Seguridade Social e Família/

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência/CD Comissão de Seguridade Social e Família/ AUDIÊNCIA PÚBLICA Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência/CD Comissão de Seguridade Social e Família/ Brasília, 13 de maio de 2015 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Leia mais

PROJETO Servir com Proteção Social

PROJETO Servir com Proteção Social 2012 Coordenador do Projeto: CARLOS HENRIQUE SILVA SANTOS TEL.: 7376-1274 / (019) 7828-5604 (ID 957*31090) e-mail: henriquefaixapreta@yahoo.com.br ou pservircomprotecaosocial@yahoo.com.br PROJETO Servir

Leia mais

ANAIS DO II SEMINÁRIO SOBRE GÊNERO: Os 10 anos da lei Maria da Penha e os desafios das políticas públicas transversais

ANAIS DO II SEMINÁRIO SOBRE GÊNERO: Os 10 anos da lei Maria da Penha e os desafios das políticas públicas transversais IDOSOS E POLÍTICA PÚBLICA: O DESAFIO DA TRANSVERSALIDADE Gisele Maria Ratiguieri giseleratiguieri@hotmail.com Maria Inez Barboza Marques (Orientadora) - marques@sercomtel.com.br UNESPAR/Campus de Paranavaí/PR

Leia mais

Oficina: Operacionalização do BPC Escola e BPC Trabalho

Oficina: Operacionalização do BPC Escola e BPC Trabalho Oficina: Operacionalização do BPC Escola e BPC Trabalho XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS Fortaleza, 22 março de 2012 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS Secretaria Nacional de

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Quem são os usuários da Assistência

Leia mais

comunitária, além de colocá-los a salvo de todas as formas de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

comunitária, além de colocá-los a salvo de todas as formas de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. SISTEMA DE GARANTIA DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Art. 227 - É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida,

Leia mais

Benefício de Prestação Continuada - BPC. Novas regras para operacionalização no INSS com base no Decreto 8.805/16 e ACP

Benefício de Prestação Continuada - BPC. Novas regras para operacionalização no INSS com base no Decreto 8.805/16 e ACP Benefício de Prestação Continuada - BPC Novas regras para operacionalização no INSS com base no Decreto 8.805/16 e ACP 5044874-22.2013.4047100/RS Constituição Federal de 1988- Inciso V do Art. 203 LOAS

Leia mais

Circular 02 - Frente em Defesa do SUAS e da Seguridade Social

Circular 02 - Frente em Defesa do SUAS e da Seguridade Social Circular 02 - Frente em Defesa do SUAS e da Seguridade Social Brasília, 5 de junho de 2016. A Frente em Defesa do SUAS e da Seguridade Social, por meio do grupo de trabalho de mobilização constituído em

Leia mais

Proteção Social às crianças diagnosticadas com microcefalia e suas famílias. PERNAMBUCO Abril de 2016

Proteção Social às crianças diagnosticadas com microcefalia e suas famílias. PERNAMBUCO Abril de 2016 Proteção Social às crianças diagnosticadas com microcefalia e suas famílias PERNAMBUCO Abril de 2016 Objetivo Identificar o papel da Assistência Social na atenção às crianças diagnosticadas com microcefalia

Leia mais

Decreto Federal nº 8.805, de 07 de julho de 2016, que altera o Regulamento do Benefício de Prestação Continuada - BPC

Decreto Federal nº 8.805, de 07 de julho de 2016, que altera o Regulamento do Benefício de Prestação Continuada - BPC Decreto Federal nº 8.805, de 07 de julho de 2016, que altera o Regulamento do Benefício de Prestação Continuada - BPC 247ª Reunião Ordinária do CNAS Brasília, Setembro 2016 Decreto Federal nº 8.805, de

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Anexo IV Metas Fiscais IV.9 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais Anexo IV Metas Fiscais IV.9 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA

PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA Foco prioritário de ação da Política de Assistência Social é a família MATRICIALIDADE SOCIOFAMILIAR Olhar para a família não pelo que lhe falta, mas por sua riqueza. CRAS X CREAS

Leia mais

ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO CENTRO DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS

ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO CENTRO DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS 1 ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO CENTRO DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS Cristina Ionácy Rodrigues e Souza 1 INTRODUÇÃO Ao fomentar que a assistência social é uma política que junto com as políticas setoriais,

Leia mais

Mesa 3 Benefício de Prestação Continuada e Auxílio-Inclusão: Renda para estimular o acesso ao trabalho

Mesa 3 Benefício de Prestação Continuada e Auxílio-Inclusão: Renda para estimular o acesso ao trabalho Mesa 3 Benefício de Prestação Continuada e Auxílio-Inclusão: Renda para estimular o acesso ao trabalho Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência - CPD Brasília, 14 de dezembro de 2016.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.435, DE 6 DE JULHO DE 2011. Mensagem de veto Altera a Lei n o 8.742, de 7 de dezembro de 1993, que dispõe sobre a organização

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PARAISO DO NORTE Avenida Tapejara, 88 Centro - cx. Postal Fone: (44)

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PARAISO DO NORTE Avenida Tapejara, 88 Centro - cx. Postal Fone: (44) LEI Nº 11, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010. Regulamenta a Concessão de Benefícios Eventuais da Política Municipal de Assistência Social. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARAISO DO NORTE Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Centro de Referência de Assistência Social PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Centro de Referência de Assistência Social PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015 CRAS: Maracanã COORDENADOR(A): Eliana de Araújo Vieira PREFEITURA DE MONTES CLAROS PLANO ANUAL DE AÇÃO 2015 QUADRO I Atividades de fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários: Objetivo Atividades

Leia mais

Boletim Eletrônico Casa Abrigo Betel

Boletim Eletrônico Casa Abrigo Betel Boletim Eletrônico Casa Abrigo Betel 4ª edição Julho de 2011 Nesta edição: Palavra da Presidente Palavra da Presidente O que é o Abrigo Betel O que é Beneficio De Prestação Continua. 1 1 2 Galeria de fotos

Leia mais

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 1ª Câmara de Julgamento

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 1ª Câmara de Julgamento Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 1ª Câmara de Julgamento Número do Processo: 44232.003369/2014-20 Unidade de Origem: Benefício: 87/700.615.842-8 Espécie: Recorrente:

Leia mais

IBGE: HABITANTES URBANA: RURAL: AREA 350 KM² 56 comunidades 8 bairros

IBGE: HABITANTES URBANA: RURAL: AREA 350 KM² 56 comunidades 8 bairros IBGE: 2010 16.034 HABITANTES URBANA: 9.871 RURAL:6.150 AREA 350 KM² 56 comunidades 8 bairros Nº Famílias referenciadas: 540 famílias Nº Famílias acompanhadas em grupos: 190 famílias. 1 Coordenadora: 40

Leia mais

CRAS UM ESPAÇO DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DOS JOVENS

CRAS UM ESPAÇO DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DOS JOVENS CRAS UM ESPAÇO DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DOS JOVENS Amanda Silva do CARMO 1 Carla MENOTTI 2 Carolina Gil DAVID 3 Márcia Heloísa de OLIVEIRA 4 RESUMO: A presente pesquisa retrata uma preocupação com a legitimação

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS MUNICÍPIO DE MANAQUIRI

ESTADO DO AMAZONAS MUNICÍPIO DE MANAQUIRI ESTADO DO AMAZONAS MUNICÍPIO DE MANAQUIRI SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO LEI MUNICIPAL N.º 553 DE 23 DE JUNHO DE 2015 Regula a Concessão de Benefícios Eventuais da Política da Assistência Social

Leia mais

Resumo de Direito Previdenciário para o INSS

Resumo de Direito Previdenciário para o INSS Resumo de Direito Previdenciário para o INSS 5ª PARTE LEI ORGÂNICA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL A Assistência Social é um dos 3 ramos da Seguridade Social. Diferentemente da Previdência Social, que possui caráter

Leia mais

CRAS nos Centros de Artes e Esportes Unificados -CEUS

CRAS nos Centros de Artes e Esportes Unificados -CEUS Secretaria Nacional de Assistência Social Ativação dos CEUs do Centro-Oeste CRAS nos Centros de Artes e Esportes Unificados -CEUS Niterói Junho de 2015 www.mds.gov.br/assistenciasocial/protecaobasica Os

Leia mais

Cadastro Único para Políticas Sociais

Cadastro Único para Políticas Sociais Cadastro Único para Políticas Sociais O que é o Cadastro Único? Políticas Universais Saúde Políticas Contributivas Políticas nãocontributivas e seletivas Educação Previdência Social Cadastro Único O que

Leia mais

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo O Que é Defensoria Pública? Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art.

Leia mais

Vigilância Social: Estudando os instrumentais a serem utilizados pelo PAIF/PAEFI

Vigilância Social: Estudando os instrumentais a serem utilizados pelo PAIF/PAEFI Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social Vigilância Social: Estudando os instrumentais a serem utilizados pelo PAIF/PAEFI FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO

Leia mais

Tarifa Social de Energia Elétrica

Tarifa Social de Energia Elétrica Tarifa Social de Energia Elétrica O que é a TSEE Tarifa Social de Energia Elétrica, regulamentada pela Lei no 12.212, de 20 de janeiro de 2010 e pelo Decreto no 7.583, de 13 de outubro de 2011. Consiste

Leia mais

Unidade II LEGISLAÇÃO SOCIAL E. Prof. Vanderlei da Silva

Unidade II LEGISLAÇÃO SOCIAL E. Prof. Vanderlei da Silva Unidade II LEGISLAÇÃO SOCIAL E PREVIDENCIÁRIA Prof. Vanderlei da Silva Estatuto da Criança e do Adolescente ECA O ECA se inspira na doutrina de proteção integral, que busca compreender a criança e o adolescente

Leia mais

POLÍTICA SOCIAL EM SAÚDE, EDUCAÇÃO E HABITAÇÃO

POLÍTICA SOCIAL EM SAÚDE, EDUCAÇÃO E HABITAÇÃO Unidade II POLÍTICA SOCIAL EM SAÚDE, EDUCAÇÃO E HABITAÇÃO Profa. Amarilis Tudella Introdução Nesta unidade, vamos nos aproximar da compreensão do denominado Sistema de Seguridade Social brasileiro. Mais

Leia mais

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições ISHST - Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Criado em 2004, pelo Decreto-lei n.º 171, de 17 de Julho, o Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho (ISHST), I. P., é o organismo

Leia mais

1. Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo.

1. Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo. NOTA TÉCNICA N. 035/2013 Brasília, 24 de outubro de 2013. ÁREA: TÍTULO: Desenvolvimento Social. Reordenamento do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV). REFERÊNCIA: Resolução CNAS n

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social Secretaria Nacional de Assistência Social. Índice de Gestão Descentralizada do SUAS - IGDSUAS

Ministério do Desenvolvimento Social Secretaria Nacional de Assistência Social. Índice de Gestão Descentralizada do SUAS - IGDSUAS Índice de Gestão Descentralizada do SUAS - IGDSUAS MARCO LEGAL O IGDSUAS foi instituído pela Lei n.º 12.435/2011, que altera a Lei n.º 8.742/1993 (LOAS) art. 12-A Regulamentado pelo Decreto n.º 7.636 de

Leia mais

AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA

AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA Sistema Único de Assistência Social Fundos Conselhos SUAS Planejamento Diagnóstico Rede Socioassistencial Serviços Tipificados

Leia mais

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil.

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Diz o art. 48, da Lei 8.213/91: Art. 48. A aposentadoria por idade será devida ao segurado que, cumprida

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE OBJETIVO: Prestar atendimento especializado às famílias e indivíduos cujos direitos tenham sido ameaçados ou violados e/ou que já tenha ocorrido rompimento familiar ou comunitário. PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2012 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL META: COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

ASPECTOS DO DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

ASPECTOS DO DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SEMINÁRIO DA PREVIDÊNCIA SINDIBEL 04/10/2016 ASPECTOS DO DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DECIO BRUNO LOPES VICE PRESIDENTE DE ASSUNTOS DA SEGURIDADE SOCIAL CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS DE SEGURIDADE SOCIAL

Leia mais

Usuários Trabalhadores Entidades Quais e quantos eventos de mobilização antecederam a Conferência? Tipo de Eventos de Mobilização

Usuários Trabalhadores Entidades Quais e quantos eventos de mobilização antecederam a Conferência? Tipo de Eventos de Mobilização REGISTRO DO PROCESSO DA CONFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2015 Informações Gerais da Conferência Municipal: 1. Nome do Município /UF: SURUBIM-PE 2. Identificação da Conferência: VII CONFERÊNCIA MUNICIPAL

Leia mais

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 01 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 01 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 01 Aula 001-011 Direito Previdenciário para o Concurso do INSS LEGISLAÇÃO APLICADA AO CURSO Constituição Federal: Arts. 194 a 204 Lei 8.212/91 (custeio) Lei 8.213/91

Leia mais

Questões Direito Previdenciário

Questões Direito Previdenciário Questões Direito Previdenciário Olá!! Muito obrigado por ter adquirido meu livro. O meu nome é Horácio Souza, sou servidor público Federal, escritor e concurseiro. Escrevi este livro com o objetivo de

Leia mais

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS

IV JORNADA DE ESTUDOS EM SERVIÇO SOCIAL SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS ISSN 2359-1277 SERVIÇO SOCIAL NO CREAS: ENTREVISTA COM A ASSISTENTE SOCIAL DO CREAS Brenda de Oliveira Dias, brendadiasoliveira3@gmail.com Débora dos Santos Marques, dmarx670@yahoo.com.br Gabriela Machado

Leia mais

SEGURIDADE SOCIAL. DIREITO PREVIDENCIÁRIO AFRF - Exercícios SEGURIDADE SOCIAL. SEGURIDADE SOCIAL Princípios Constitucionais

SEGURIDADE SOCIAL. DIREITO PREVIDENCIÁRIO AFRF - Exercícios SEGURIDADE SOCIAL. SEGURIDADE SOCIAL Princípios Constitucionais SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO AFRF - Exercícios Prof. Eduardo Tanaka SAÚDE SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL 1 2 SEGURIDADE SOCIAL Conceituação: A seguridade social compreende

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS O NOVO MOMENTO DO SUAS NOBSUAS 2012 PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS O QUE É: Acordo/Compromisso, entre os entes (Federal, Estadual e Municipal), para ajustar o SUAS local.

Leia mais

FORTALEZA GABINETE DO VEREADOR EULÓGIO NETO Pra nossa gente ser feliz! 0214*63016

FORTALEZA GABINETE DO VEREADOR EULÓGIO NETO Pra nossa gente ser feliz! 0214*63016 PROJETO DE INDIÇÃO N CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA 0214*63016 Cria a Secretaria Municipal da Criança e do Adolescente. EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA. O Vereador abaixo assinado,

Leia mais

GUIA PARA TÉCNICOS E GESTORES DA ASSISTÊNCIA SOCIAL

GUIA PARA TÉCNICOS E GESTORES DA ASSISTÊNCIA SOCIAL GUIA PARA TÉCNICOS E GESTORES DA ASSISTÊNCIA SOCIAL 1 APRESENTAÇÃO O presente Guia tem por finalidade fornecer informações sobre o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social BPC, instituído

Leia mais

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS Escolaridade de nível superior de acordo com a NOB/RH/2006

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO ACESSUAS TRABALHO

PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO ACESSUAS TRABALHO PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO ACESSUAS TRABALHO O SUAS e a mobilização para promoção do acesso ao mundo do Trabalho A assistência social é política pública, direito do cidadão

Leia mais

Sendo assim, saiba quais são os tipos de aposentadoria e quais as condições que o trabalhador deve observar para cada um deles:

Sendo assim, saiba quais são os tipos de aposentadoria e quais as condições que o trabalhador deve observar para cada um deles: O trabalhador brasileiro pode ter acesso à aposentadoria de várias formas, dependendo das condições de saúde, idade, tempo em que o empregado trabalhou com carteira assinada, bem como se o cidadão trabalhou

Leia mais

Integração de Políticas Públicas e seus desafios

Integração de Políticas Públicas e seus desafios Integração de Políticas Públicas e seus desafios Rômulo Paes de Sousa Secretário Executivo do MDS Rio de Janeiro, 5 de agosto de 2011. MODELO PRÉ-SISTÊMICO Transição da Política Pública Baseado em programas

Leia mais

Unidade I DIREITO SOCIAL. Prof. Ligia Vianna

Unidade I DIREITO SOCIAL. Prof. Ligia Vianna Unidade I DIREITO SOCIAL Prof. Ligia Vianna 1- Introdução Constituição Federal Direitos Sociais; ART. 6º.: São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência

Leia mais

Município: GOVERNADOR VALADARES / MG

Município: GOVERNADOR VALADARES / MG O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público definido como prioritário foi o dos brasileiros que estavam em situação de

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário Esta é uma publicação técnica da Secretaria Nacional de Assistência Social

Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário Esta é uma publicação técnica da Secretaria Nacional de Assistência Social Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário Esta é uma publicação técnica da Secretaria Nacional de Assistência Social Dados Internacionais de Catalogação na Publicação(CIP) Agrário, Ministério do Desenvolvimento

Leia mais

NOÇÕS ELEMENTARES SOBRE DIREITO PREVIDENCIÁRIO

NOÇÕS ELEMENTARES SOBRE DIREITO PREVIDENCIÁRIO NOÇÕS ELEMENTARES SOBRE DIREITO PREVIDENCIÁRIO SAÚDE LEI 8.080/90 ASSISTÊNCIA SOCIAL LEI 8.742/93; Dec.6.214/07 PREVIDÊNCIA CF/88, ART. 201 E 202, LEIS 8.212/91 E 8.213/91, DEC. 3.048/99, IN/INSS 20/07

Leia mais

Da Ordem Social: da família, da criança, do adolescente e do idoso.

Da Ordem Social: da família, da criança, do adolescente e do idoso. Da Ordem Social: da família, da criança, do adolescente e do idoso. Cretella Júnior e Cretella Neto Direito Constitucional III Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero jmlrivero@gmail.com Base da ordem social

Leia mais

UNIDADES ASSISTÊNCIAIS:

UNIDADES ASSISTÊNCIAIS: UNIDADES ASSISTÊNCIAIS: - SEDE ADMINISTRATIVA Avenida São João Evangelista, S/N, Engenheiro Pedreira, centro, Japeri. Telefone: (21) 2664-1635 SECRETÁRIO: REGINALDO ALMEIDA SANTOS JUNIOR SUB SECRETÁRIO:

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Da Seguridade Social - Da Previdência Social Professor: André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional Seção III DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Art. 201. A PREVIDÊNCIA

Leia mais

Rede de atenção no SUS e no SUAS e suas inter-relações

Rede de atenção no SUS e no SUAS e suas inter-relações Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Rede de atenção no SUS e no SUAS e suas inter-relações Políticas públicas em álcool e outras drogas: a importância da transversalidade das redes de saúde e assistência

Leia mais

7. ASSISTÊNCIA SOCIAL

7. ASSISTÊNCIA SOCIAL 7. ASSISTÊNCIA SOCIAL O Sistema Único de Assistência Social (SUAS) adota as seguintes categorias de atenção ao cidadão para as ações e serviços de assistência social (BRASIL, 2005): Proteção Social Básica

Leia mais

2) O SUS foi desenvolvido em razão do artigo 198 da Constituição Federal, com base nos seguintes princípios, exceto:

2) O SUS foi desenvolvido em razão do artigo 198 da Constituição Federal, com base nos seguintes princípios, exceto: QUESTÕES DO SUS ) São objetivos do SUS: a) identificação de fatores que condicionem à saúde; b) política financeira de incentivo à saúde; c) ação de ordem social que vise arrecadação de recursos; d) identificação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 5 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 5 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 17, DE 5 DE JUNHO DE 2014 Aprova metas e critérios de partilha para o cofinanciamento federal do Programa Nacional de Promoção da Integração ao Mundo do Trabalho para o exercício de 2014 e

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CASSERENGUE LEI Nº 271/2015 CASSERENGUE, EM 09 DE NOVEMBRO DE 2015.

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CASSERENGUE LEI Nº 271/2015 CASSERENGUE, EM 09 DE NOVEMBRO DE 2015. LEI Nº 271/2015 CASSERENGUE, EM 09 DE NOVEMBRO DE 2015. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS EVENTUAIS EM VIRTUDE DE NASCIMENTO, MORTE, SITUAÇÕES DE VULNERABILIDADE TEMPORÁRIA E D CALAMIDADE

Leia mais

E se possuir empregados permanentes não é segurado especial (art. 195, 8º da CF/88)

E se possuir empregados permanentes não é segurado especial (art. 195, 8º da CF/88) Olá! Segue abaixo o nosso gabarito da Prova do INSS aplicada ontem! Assim que sair o gabarito oficial verificaremos as possibilidades de recursos. E ela não foi o primeiro ato normativo, mas o marco da

Leia mais

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

2. SEGURIDADE SOCIAL NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL SEGURIDADE SOCIAL 1. DEFINIÇÃO Conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à Previdência e à Assistência Social

Leia mais

Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social. Recife, 04 de dezembro de 2013.

Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social. Recife, 04 de dezembro de 2013. Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Recife, 04 de dezembro de 2013. Definição Firmado entre a União, Estados, Distrito Federal e municípios; Instrumento pelo qual se materializam

Leia mais

SERVIÇO ESPECÍFICO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL: PESSOAS IDOSAS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Danila Aparecida BUSSULA 1 Juliene Aglio de OLIVEIRA 2

SERVIÇO ESPECÍFICO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL: PESSOAS IDOSAS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Danila Aparecida BUSSULA 1 Juliene Aglio de OLIVEIRA 2 SERVIÇO ESPECÍFICO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL: PESSOAS IDOSAS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Danila Aparecida BUSSULA 1 Juliene Aglio de OLIVEIRA 2 RESUMO: Este artigo apresenta uma reflexão dos direitos preconizados

Leia mais

TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO

TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO 1 POLÍTICA DE SAÚDE NA SEGURIDADE SEGUNDO OS PRINCÍPIOS DA INTEGRALIDADE, UNIVERSALIDADE E EQUIDADE 2 Acesso

Leia mais

Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social

Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social Junho 2016 Reabilitação Profissional Lei 8213/1991 Artigo 89 Decreto 3048/1999 Artigo 136 A prestação

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

Os 10 anos do Sistema Único de Assistência Social SUAS

Os 10 anos do Sistema Único de Assistência Social SUAS Os 10 anos do Sistema Único de Assistência Social SUAS Em 2015, o SUAS comemora uma década de existência. A experiência de implementação do Sistema público resulta da decisão política de priorização da

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA DE FAMÍLIAS INDÍGENAS

Leia mais

LEI Nº 8.742, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1993 LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL CAPÍTULO I. Das Definições e dos Objetivos

LEI Nº 8.742, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1993 LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL CAPÍTULO I. Das Definições e dos Objetivos Senado Federal Subsecretaria de Informações LEI Nº 8.742, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1993 Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o

Leia mais

O CREAS (CENTRO DE REFERNCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL), E O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL

O CREAS (CENTRO DE REFERNCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL), E O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL O CREAS (CENTRO DE REFERNCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL), E O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL Priscila Beatriz de ALMEIDA 1 Meiryelle Freitas de LIMA 2 Thais Fernanda dos SANTOS 3 Andréia Cristina da Silva ALMEIDA

Leia mais

Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS

Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101,

Leia mais

E M E N T A A C O R D Ã O

E M E N T A A C O R D Ã O Apelação Cível/Reexame Necessário - Turma Espec. I - Penal, Previdenciário e Propriedade Industrial Nº CNJ : 0021343-11.2015.4.02.9999 (2015.99.99.021343-9) RELATOR : Desembargadora Federal SIMONE SCHREIBER

Leia mais

A Política Nacional de Assistência Social - PNAS e a concepção do Sistema Único de Assistência Social - SUAS

A Política Nacional de Assistência Social - PNAS e a concepção do Sistema Único de Assistência Social - SUAS 1 A Política Nacional de Assistência Social - PNAS e a concepção do Sistema Único de Assistência Social - SUAS Profa. Conferencista: Márcia Terezinha de Oliveira Profa. Web: Larissa Marsolik Tissot 2 Programa

Leia mais