PRÉ-PROJETO. Implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Departamento de Anatomia/CCS/UFPE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRÉ-PROJETO. Implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Departamento de Anatomia/CCS/UFPE"

Transcrição

1 PRÉ-PROJETO Implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Departamento de Anatomia/CCS/UFPE 1 de 40

2 1. APRESENTAÇÃO Este documento tem por finalidade servir de orientação para a ELABORAÇÃO de Sistemas de Vigilância Eletrônica, e de CFTV IP, para os ambientes do Prédio CCS/no Departamento de Anatomia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O Sistema será composto por (18) câmeras IP e (22) sensores infravermelhos digitais, localizadas na Uorg Departamento de Anatomia, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). 1.1 Layout de Ligação do Sistema SISTEMA DE MONITORAMENTO CÂMERAS IP Nome das UORGs: Departamento de Anatomia Servidor DIGIFORT NTI Departamento de Anatomia Switch_Local Switch 1 Switch 2 Switch 2 CENTRAL MONITORAMENTO Switch 3 2 de 40

3 2. PREMISSAS 2.1 Gerais Conforme citado acima, este projeto contempla a elaboração de projeto executivo, fornecimento, instalação, configuração, operação, manutenção e assistência técnica de sistemas de monitoração de circuito fechado de TV IP. A empresa CONTRATA deverá apresentar, em até 15 (quinze) dias úteis, o projeto executivo contendo o posicionamento de todos os componentes (câmeras, rádios, ativos, fontes etc.) em planta, memorial descritivo do projeto de instalação com fotografias dos locais visualizados e diagrama de blocos do sistema. Deverá apresentar ainda, lista de equipamentos necessários para a implementação total da solução. Ressalta-se que todos os equipamentos a serem fornecidos devem, obrigatoriamente, ser compatíveis e integráveis as soluções descritas nesse projeto. Todos os componentes instalados ao tempo possuem e deverá possuir classificação IP 66, proteção antivandalismo e travas de segurança. 2.2 Garantia dos Materiais e Serviços Como materiais e serviços entendem-se: A Infraestrutura de instalação, os serviços civis, os cabos, os elementos mecânicos da instalação, os serviços de instalação, passagem dos cabos e afins. A Empresa contratada deverá também obedecer todas as normas de segurança da empresa contratante, no que diz respeito à execução dos serviços, se responsabilizando integralmente pelas consequências advindas do não comprimento das mesmas. A garantia deverá ser total, abrangendo, além dos equipamentos, todos os serviços, cabos, infraestrutura e demais itens do fornecimento sendo de no mínimo 01 (um) ano. 2.3 Assistência Técnica na Garantia dos Equipamentos A Empresa contratada deverá comprovar que possui capacidade técnica para assistência e disponibilizar atendimento do serviço de manutenção / suporte através de ligação telefônica. O protocolo da solicitação deverá ser considerado como o início dos prazos de atendimento. O suporte técnico deverá prestar atendimento nos dias úteis das 08 às 18 horas. 3 de 40

4 O corpo técnico da Contratada deverá ser qualificado para garantir os serviços de suporte e manutenção. Durante o período de garantia não deverá ser cobrado qualquer tipo de taxa, honorário, custo ou equivalente, para a realização dos serviços de assistência técnica. O atendimento das solicitações de garantia de funcionamento do sistema e dos equipamentos deverá ser efetuado no prazo máximo de 12 horas, de forma a não prejudicar as operações e a segurança da unidade. 2.4 Garantia dos Equipamentos Eletrônicos e Aplicativos A Contratada deverá assegurar a capacidade de modernização tecnológica, com novos componentes que venham a ser desenvolvido pelo fabricante, objetivando melhorar o desempenho do equipamento, dispositivo e softwares dos sistemas de segurança; No período de garantia a Contratada fornecerá e instalará gratuitamente, se necessário, equipamentos similares provisórios para permitir a continuidade do funcionamento do sistema, sem interrupções, até que a mesma promova o conserto e reinstalação do(s) equipamento(s) ou material (ais) defeituosos e possa restabelecer o funcionamento regular do sistema em questão; A garantia deverá ser total, abrangendo, além dos equipamentos, todos os serviços, cabos, infraestrutura e demais itens do fornecimento. 2.5 Documentação / Qualificação Técnica Certidão de Registro e Quitação do Licitante e do seu Responsável Técnico, no CREA/PE ou o CREA do local da sua sede, para os serviços de engenharia integrantes do objeto da licitação. Empresa com registro no CREA de outra localidade deverá apresentar certidão devidamente vistada pelo CREA/PE. Comprovação da Capacidade Operacional da Empresa licitante, através de atestado(s) emitido(s) em seu nome, por pessoa jurídica de direito público ou privado, onde constem as execuções de serviços pertinentes e compatíveis em características, quantidades e prazos com o objeto desta licitação e como também com seu responsável(s) técnico(s), devidamente registrado no CREA, acompanhado do Acervo Técnico; Apresentar catálogo e manual em português dos equipamentos apresentados a fim de verificar as características técnicas no momento da apresentação da proposta; 4 de 40

5 Carta de qualificação e certificação do fabricante dos equipamentos do Sistema de Monitoramento e das Câmeras e do Sistema de Gerenciamento e Gravação. A carta deverá estar em nome do proponente que comprove a capacidade e competência suficientes para instalar o Sistema; 2.6 Instalações de Infraestrutura, Cabeamento e Certificação da Rede Materiais e Equipamentos Todos os materiais e equipamentos fornecidos deverão ser novos, sem uso, e estarem em perfeitas condições Execução das Obras Os serviços de instalação compreendem instalações de infraestrutura, cabeamento e certificação da rede. Durante a execução da Infraestrutura e cabeamento lógico, a proponente é responsável por todo e qualquer dano causado às partes da edificação (instalações, paredes, pinturas e etc.), e caso ocorram, deverão ser recuperadas atendendo ao padrão até então existente; Todo e qualquer serviço que venha a comprometer o bom andamento dos trabalhos no horário comercial, deverá ser acordado antecipadamente com o responsável pela unidade; Terminados os trabalhos diários, os ambientes deverão estar limpos desimpedidos e em condições de serem utilizados para as atividades normais de trabalho; Na necessidade de executar serviços fora do horário comercial citado acima, (sábados, domingos, feriados e horário noturno), a proponente deverá agendar com o responsável pela unidade Infraestrutura A descrição de infraestrutura a seguir é indicada tanto para cabeamento elétrico como de dados. A Infraestrutura deve: 1. Ser apropriada ao uso de instalações elétricas ou de dados, impedindo sempre o contato físico entre as duas; 2. Atender as normas técnicas da ABNT; 3. Fornecer projeto com planta da infraestrutura e diagrama com alocação dos pontos; 4. Tomadas elétricas 110 v ou uma 220 v a ser montada em eletrodutos de ferro galvanizado e conduletes, interna ou externamente, ou em calhas (Eletrocalha) de alumínio ou ferro galvanizado fechadas com tampas, inclusive dentro de forros, e em todos os casos com o 5 de 40

6 fornecimento e instalação de acessórios para fixação de tomadas de telecomunicações (RJ- 45 Jacks). Não deve ser admitida em hipótese alguma, passagem de cabos não tubulados, ou em calhas plásticas; 5. Áreas externas deverão obrigatoriamente ser de eletrodutos de ferro galvanizado, presos com abraçadeiras apropriadas ou nos conduletes a cada 1,5 metros, sendo que deverá existir um condulete ou caixa de passagem a cada 180º de curvas e a cada 10 metros de tubulação retilínea; 6. Áreas internas poderão obedecer a uma das seguintes orientações: 7. Eletrodutos em ferro galvanizado ou em PVC, com conduletes de alumínio e tampas próprias para tomadas de dados ou elétricos que deverão obedecer aos mesmos critérios de distâncias estabelecidos para tubulação externa; 8. Calhas tipo rodapé em alumínio ou ferro galvanizado, com divisórias internas que impeçam o contato entre cabeamento de dados e de elétrica em qualquer situação, devem possuir adaptadores próprios para tomadas de dados ou de elétrica; 9. Deverão ser fixados firmemente, com abraçadeiras apropriadas para cada caso, a cada 2,0 metros no mínimo. 6 de 40

7 3. REDE LÓGICA Competência do NTI-Núcleo de Tecnologia da Informação, analisar toda e quaisquer procedimentos em relação à instalação do referido projeto. 3.1 Cabo Metálico Todos os materiais de cabeamento deverão ser projetados para categoria 5e; Deverão ser utilizados cabos de cobre não blindados (UTP), categoria 5e, com 4 (quatro) pares trançados, que atendam plenamente a todos os requisitos físicos e elétricos da norma EIA/TIA - 568; Cada conexão deverá ser identificada mediante etiqueta impressa autoadesiva permanente ou anilhas de identificação nas duas extremidades, que possibilite identificar de forma imediata e inequívoca os pontos de origem e destino; A proponente deverá ao final da instalação fornecer as "As Built's" constando os materiais utilizados, o percurso e endereços dos circuitos, as tabelas de interconexão do Cabeamento lógico descrevendo as ligações entre os elementos Ativos e Passivos com relação ao Rack, bem como, uma tabela descrevendo o endereço de circuito e sua localização na planta; A área de trabalho compreende o espaço entre a tomada de telecomunicações e a estação de trabalho; As tomadas deverão ser do tipo RJ-45 Jacks, categoria 5e; Patch Cords com tamanho de um metro e meio cada um, com conectores RJ-45 machos; 3.2 Fibra Óptica Raio de curvatura, tracionamento do cabo e distancia, deve respeitar as especificações técnica do cabo de acordo com as normas do fabricante; Cabos de Fibra devem ser terminados em quadros de distribuição independente. Esses quadros serão instalados nas mesmas condições dos rakcs suspensos, (próximo a rack de distribuição); Ligação do rack de fibras ao rack de distribuição deve ser por cordões com comprimento Máximo de 3 metros; 7 de 40

8 4. CERTIFICAÇÃO 4.1 TSB67 da ANSI/EIA/TIA conforme abaixo: Na modalidade de teste "CHANNEL", onde é contemplado o teste de todo o caminho ativo, incluindo os Patch Cords. Para essa modalidade de teste a proponente é obrigada a testar todos os itens abaixo para todos pares: 1. Atenuação; 2. Comprimento; 3. Impedância; 4. Crosstalk; 5. Teste contra polaridade reversa; 6. Teste contra fios abertos; 7. Teste contra curto. 4.2 Protocolo Utilizado Este projeto prevê a adoção do protocolo TCP/IP para o tráfego de imagens, voz e dados, podendo haver encapsulamento de outros protocolos usados na rede de transporte. 8 de 40

9 5. REDE ELÉTRICA Rede Elétrica - Competência da PCU-Prefeitura da Cidade Universitária, analisar toda e quaisquer procedimentos em relação à instalação do referido projeto. 1. Aterramento da rede elétrica utilizando malha ou topologia estrela; 2. Fios terras dos equipamentos com comprimento inferior a 6 metros; 3. Circuito Elétrico independente e exclusivo para equipamentos de informática, com aterramento e proteção por disjuntores; 4. Tomadas obedecendo à norma NBR (tomadas Tipo 2p+T, de 10A, para microcomputadores 110 v e 2P de 10A ou 20A, para rede 220 v); 5. Fio terra maior ou, no mínimo, de mesma bitola que os fios de energia (Bitola mínima de 2,5 mm2); 6. Distinção de cores entre os cabos de fase, neutro e terra; 7. Amarração dos cabos deve ser utilizada velcro; 8. O quadro de distribuição deverá suportar todos os disjuntores necessários com capacidade de expansão de 30% no mínimo, e deverá ser alimentado por circuito elétrico individual diretamente do quadro de entrada da rede de distribuição. 9 de 40

10 6. LEGISLAÇÃO, NORMAS E REGULAMENTOS. A Empresa contratada será responsável pela observância das leis, decretos, regulamentos, portarias e normas federais, estaduais e municipais, direta e indiretamente aplicáveis ao objeto do contrato, inclusive por suas subcontratadas e fornecedores. Normas citadas e/ou colocadas em destaque: 1. NBR Execução de instalações elétricas de baixa tensão; 2. NBR Novo Padrão Brasileiro de Tomadas; 3. NBR Eletrotécnica e Eletrônicos - conectores elétricos; 4. NBR Condutores Elétricos; 5. ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas; 6. ANSI - American National Standard Institute; 7. IEC - International Eletrotechnical Comission; 8. IEEE - Institute of Electrical and Electronic Engineers; 9. Normas Americanas EIA/TIA; 10. NBR Normas de Cabeamento Estruturado para Rede Interna de Telecomunicações; 11. Normas do INMETRO; 12. Práticas SEAP - Governo Federal; 13. Códigos, Leis, Decretos, Portarias e Normas Federais, Estaduais e Municipais, inclusive normas de concessionárias de serviços públicos; 14. Instruções e Resoluções dos Órgãos do Sistema CREA / CONFEA; 15. Demais Normas pertinentes e as publicadas posteriormente à publicação destas especificações. 10 de 40

11 7. DEVERES Caberá a Empresa vencedora da licitação repassar toda documentação com as características exigidas para os diversos equipamentos necessários para o funcionamento do Sistema, de acordo com a compatibilidade atualizada. O projeto final deve ser composto por plataformas tecnológicas que garantam os seguintes princípios de funcionamento: 1. Alta disponibilidade; 2. Fácil expansibilidade; 3. Flexibilidade, garantida pelo uso de tecnologias e protocolos abertos. 7.1 Recomendações: 1. A Empresa vencedora deve providenciar no CREA as - ART s - Anotações de Responsabilidade Técnica referentes ao objeto do contrato e especialidades pertinentes nos termos da Lei n. º 6496/77; 2. Responsabilizar-se pelo fiel cumprimento de todas as disposições e acordos relativos à legislação social e trabalhista em vigor, particularmente no que se refere ao pessoal alocado nos serviços e obras objeto do contrato; 3. Atender às normas e portarias sobre segurança e saúde no trabalho e providenciar os seguros exigidos em lei, na condição de única e responsável; 4. Apresentar manuais técnicos em português que comprovem as características requeridas dos sistemas envolvidos. 11 de 40

12 8. SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV IP 8.1 Solução de Câmera O projeto final deve contemplar o fornecimento e instalação de (18) câmeras IP e (24) sensores infravermelhos digitais, que serão integradas aos demais sistemas relacionados nesse projeto. As câmeras deverão ser posicionadas para visualizar o acesso e movimentação de pessoas as UORGs Departamento de Anatomia, obedecendo às orientações ilustradas. A infraestrutura das câmeras deverá garantir o fácil reposicionamento das mesmas. As câmeras fixas deverão ser instaladas em posições que garantam o mínimo de áreas de sombra que impeçam a visualização da movimentação de pessoas nos ambientes. As câmeras fixas deverão possuir caixa de proteção tipo antivandalismo. As imagens das (17) câmeras IP deste projeto, deverão ser armazenadas e visualizadas no formato H264 com 30 (trinta) fotogramas por segundo. As imagens gravadas deverão ser mantidas nos Storages de Gravação (on line) por um período mínimo de 30 (tinta) dias, e em 90 (noventa) dias em BACKUP (fita). Cada câmera deverá utilizar uma taxa de transmissão de dados, em H264 de, no máximo, 2,0 Mbps. 8.2 Software de Gerência e Gravação de Imagens As câmeras parte deste projeto deverão ser integradas ao Software Servidor instalado nos Servidores de Gerência e Gravação já existente no NTI da UFPE, devendo o solicitante dentro de seu projeto final incluir equipamentos e espaço em disco necessário para armazenamento das imagens institucionais gerenciadas pela Segurança UFPE..O Software Servidor deve possibilitar a utilização de módulos de básicos de monitoramento e gravação. 9. DESCRIÇÃO DO PROJETO FINAL 12 de 40

13 O projeto final deve prevê o fornecimento de solução e a prestação de serviço no Sistema integrado de CFTV IP, atendendo aos requisitos deste documento, bem como instalar, configurar, manter, operar e prestar serviços de garantia e assistência técnica nos recursos especificados. 9.1 Solução Técnica das Câmeras O projeto desta Uorg s prevê a utilização de câmeras IP fixa Interna e Externa nos locais de entrada e saída de pessoas e de patrimônios, devem ser elas monitoradas diretamente pela Uorg solicitante, e ao final do expediente, podendo ser estas câmeras operacionalizadas pelos operadores da Central de Monitoramento da UFPE. 9.2 Solução de Transmissão A conectividade entre as câmeras e a Central de Monitoramento, será garantida por meio de enlaces de cabo UTP Cat5e e Fibra Óptica, conforme solução técnica. 9.3 Central de Monitoramento A Central de Monitoramento da Universidade Federal de PE será responsável pelo Monitoramento e acompanhamento das Imagens 24 horas por dia, 7 dias por semana. 9.4 Equipamentos de Processamento e Armazenamento Todos os equipamentos deverão ser conectados a uma rede IP, com suporte aos seguintes protocolos de rede: 1. UDP Multicast para permitir vídeo e áudio em broadcast através da rede. Isto economiza radicalmente a banda de rede utilizada. 2. TCP. 3. UDP Unicast. 4. A infraestrutura de TI contará com diversos servidores que desempenharão as várias funções necessárias à captura e visualização das imagens, backup e gerenciamento de todo o sistema. 5. O Sistema será constituído por (24) câmeras IP e (22) sensores infravermelhos digitais, (24) Licenças do uso do Sistema de Gravação das Imagens. 13 de 40

14 10. LOCALIZAÇÃO DOS SENSORES Item Local de instalação(anatomia) Foco Qtde Tipo Equipamento Sen.01 Floricultura (Térreo) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala. Sen.02 Acesso ao depósito (Térreo) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala. Sen.03 Anfiteatro (Térreo) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala. Sen.04 Anatomia-Circulação(Térreo) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala. Sen.05 Acesso à sala de Anatomia (Térreo) Monitorar circulação de pessoas vindas do elevador e escada. Sen.06 Acesso à escada principal (Térreo) Departamentos de Anatomia e Medicina Social. Monitorar circulação de pessoas vindas da escada principal. Sen.07 Entrada do elevador secundário (2ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas do elevador secundário. Sen.08 Entrada da escada secundária (2ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas da escada secundária. Sen.09 Acesso à escada principal (2ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas da escada principal e corredor de bioquímica. Sen.10 Acesso à escada principal (3ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas da escada principal e corredor de bioquímica. Sen.11 Saída/Entrada principal (3ºandar) Elevador Monitorar circulação de pessoas vindas do elevador principal e corredor de anatomia. 14 de 40

15 Sen.12 Portão de acesso aos setores internos (3ºandar) Monitorar circulação de pessoas para os principais acessos do setor de anatomia. Sen.13 Sala 03(3º andar) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala. Sen.14 Lab de Prática D (3ºandar) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala e vindas da sala de aula. Sen.15 Acesso à sala de aula(3ºandar) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala e vinda do hall do elevador secundário. Sen.16 Saída/Entrada do elevador secundário (3ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas do elevador secundário e escada secundária. Sen.17 Escada acesso sala dos professores (3ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas da sala de espera, secretaria e professores. Sen.18 Saída/Entrada do elevador secundário (4ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas do elevador secundário e escada secundária. Sen.19 Lab C de Anatomia (4ºandar) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala e vindas do hall do elevador secundário. Sen.20 Lab C de Anatomia (4ºandar) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala e vindas do Lab B. Sen.21 Lab B de Anatomia (4ºandar) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala e vindas do corredor do ossário, do Lab C e Lab A. Sen.22 Lab A de Anatomia (4ºandar) Monitorar circulação de pessoas dentro da sala e vindas do corredor do ossário e Lab B. Sen.23 Escada acesso aos BOX (4ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas do Lab A e das salas BOX. Sen.24 Acesso à Lab A de Anatomia (4ºandar) Monitorar circulação de pessoas vindas do corredor do ossário. 15 de 40

16 10.1 Sistema de Alarme Monitorado através de Sensores de Presença Integrado com sistema de CFTV IP DESCRIÇÃO GERAL DO PROJETO: O projeto contempla uma central de alarme profissional, através da tecnologia TCP/IP. A central deverá possuir a quantidade de zonas necessárias ao número de sensores solicitados no projeto básico, e essa, deverá também permitir expansão na quantidade de zonas para futuras ampliações do sistema Solução técnica dos equipamentos Os Sensores para monitoramento dos ambientes serão instalados nas localidades relacionas nos item deste Projeto Básico. O projeto prevê Modulo de Entrada de Alarme IP, que possibilitará a ligação em Paralelo com o sistema de Monitoramento existente na Central da UFPE. Deverá funcionar com a transmissão de dados via, MÓDULO IP/GPRS, o qual deverá possibilitar a comunicação dos dados com um endereço IP previamente configurado, instalado na Receptora de Alarme IP. A via de comunicação e transmissão dos dados deverá ocorrer de forma a permitir a identificação do tipo e local da ocorrência e todos os demais dados do alarme (Exemplo: sistema ativado, desativado, falta de energia, setores de alarmes etc.) pela Central de Monitoramento. A ligação do meio utilizado deverá ser estabelecida automaticamente, de forma plena com obtenção de confirmação de recebimento da mensagem pela Central de Monitoramento. Todos os sensores deverão ser monitorados pela via de comunicação, que deverá ser estabelecida, para a transmissão de dados de informações de invasão, assalto, ativação e desativação, falhas operacionais etc. Os teclados deverão ser instalados nas Portarias do Prédio do Departamento de Arqueologia, para que os usuários utilizem para Ativar o Sistema de Alarme (quando terminarem o expediente), Desativar o Sistema de Alarme (quando chegarem para iniciar o expediente) Solução de Transmissão A conectividade entre os sensores será Central de Alarme, será garantida por meio de enlaces de cabo CCI 22AWG 3 pares, conforme solução técnica. 16 de 40

17 10.4 CARACTERISTICAS TÉCNICAS Central de Alarme (Gerenciamento dos Sensores) Possuir no mínimo 32 partições; Possuir no mínimo 342 zonas para interligar os sensores; Disponibilizar 250 senhas para os usuários; Possibilitar o armazenamento de até 1800 eventos; Possuir discadora para linha telefônica; Envia informação via GPRS e IP; Possuir no mínimo 30 Mb de memória na placa para atualização de firmware e programação do sistema; Possuir Porta de comunicação TCP/IP embutida (10/100Mbps); Possuir Caixa de trilho tipo DIN com terminais removíveis para instalações rápidas; Possuir no mínimo 1 saída AUX supervisionada; Possuir no mínimo 1 Fonte de alimentação 1.7A embutida; Ter a capacidade de conectar até 511 módulos (segurança & MAMA); Possuir LEDs Status Sistema; Teclado de Comando LCD Compatível com a Central de Alarme, item ; Sensor Infravermelho Passivo Digital Sensor: Elemento Quad, com detecção 100% digital; Processamento: auto pulso, três níveis, compensação automática de temperatura digital; Temperatura de operação: -20 C ~ +50 C; Alimentação: 9 ~ 16Vdc, 15mA Max; Cobertura: 12m x 12m x 110 (lente padrão); Escudo metálico: maximiza proteção contra sinais EMI e RFI; Altura de instalação: 2,1m ~ 2,7m; Saída de alarme: N.F. 28Vdc, 0,15ª; Chave anti-tamper: N.F. 28Vdc, 0,15A Max; Conversor analógico/ digital: conversão digital direta, com amplificador de sinal, 1 bit, tipo pulso linear; Local ideal de instalação: Ambiente fechado, livre de animais e ventos fortes. Por ser digital pode ter uma; Melhor regulagem de sua sensibilidade. Possui um programa interno que compara os movimentos detectados; Com uma tabela interna de movimentos e de não movimentos (eliminando grande quantidade de alarme falso); Transmissor de Sinal via IP e GPRS Reporta via linha telefônica em conjunto ao GPRS ou como backup; Aceita reporte GPRS/IP para até duas Receptoras de Monitoramento; Programação e verificação de status via interface Web; Possui duas entradas de alarme com reporte Contact ID e notificação via SMS; 17 de 40

18 Atualização de Firmware via IP ou GPRS; Comunica eventos via SMS para até 8 números celulares; Aceita múltiplas linguagens para acesso via WEB e envio de SMS; Encriptação 256-bit (AES) para reporte GPRS/IP e Interface Web; Compatível com Receptora de Sinal de Alarme via IP/GPRS, item ; Modulo de Entrada e Saída de Alarme IP, 24 entradas e 08 saídas. Modulo de Comunicação via Ethernet 10/100 Mbps automático; Possuir no mínimo 8 Saída de Relé; Possuir no mínimo 24 entradas de relé; Possuir no mínimo Entrada 5VDC a 30VDC; Possuir Interface RS-232, RS-485; Possuir Interface Relógio interno (RTC); Possuir memória de dados (expansível); Possuir CPU 32 bits; Possuir o Servidor WEB; Possuir Atualização remota de Firmware (Bootloader); Possuir Alimentação 12vdc a 24cdc; Seja compatível com Sistema de Monitoramento de de 40

19 11. FOTOS ILUSTRATIVAS Câmera 01 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local da Instalação: Fixada no térreo sobre porta principal de acesso aos Departamentos de Anatomia e Medicina Social. Importância: Monitorar circulação de pessoas entrando e saindo dos corredores. 19 de 40

20 Câmera 02 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66. Local de Instalação: Fixada sobre a porta da sala I do Anfiteatro/Anatomia. Importância: Monitorar circulação de pessoas entrando no local. 20 de 40

21 Câmera 03 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66. Local de Instalação: Fixada na parede da secretaria do Departamento de Patologia. Importância: Monitorar circulação de pessoas entrando e saindo no SVO. 21 de 40

22 Câmera 04 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66. Local de Instalação: Fixada na parede da escada de acesso ao Departamento de Anatomia/SVO. Importância: Monitorar circulação de pessoas na escada, no elevador e no museu do Departamento de Patologia. 22 de 40

23 Câmera 05 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada na marquise próxima ao Anfiteatro do Departamento de Anatomia (sobre loja) do primeiro andar. Importância: Monitorar circulação de pessoas entrando e saindo da sala do local. 23 de 40

24 Câmera 06 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada na parede do prédio anexo do Departamento de Anatomia/CCB. Importância: Monitorar circulação de pessoas no local. 24 de 40

25 Câmera 07 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada na parede do UNATI (sala de aula). Importância: Monitorar circulação de pessoas no local. 25 de 40

26 Câmera 08 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada na parede dos fundos do SVO. Importância: Monitorar circulação de pessoas por traz do Anexo e SVO. 26 de 40

27 Câmera 09 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada no pilar, defronte a escada que dar acesso a Cantina (1º andar) e corredor do Departamento de Anatomia. Importância: Monitorar circulação de pessoas para o primeiro andar. 27 de 40

28 Câmera 10 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada no pilar ao lado do portão de Bioquímica. Importância: Monitorar circulação de pessoas que vem da escada (cantina)/ entrada do Departamento de Bioquímica e portaria principal. 28 de 40

29 Câmera 11 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação Fixada no segundo andar do Departamento de Anatomia, sobre a porta de acesso. Importância: Monitorar circulação de pessoas no segundo andar e nos Departamentos de Bioquímica e Anatomia. 29 de 40

30 Câmera 12 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada no segundo andar dos Departamentos de Anatomia e Bioquímica. Importância: Monitorar circulação de pessoas vindas do corredor dos Departamentos de Anatomia e Bioquímica, vice- versa. 30 de 40

31 Câmera 13 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada no segundo andar, sobre a porta da sala 03 (Departamento de Anatomia). Importância: Monitorar circulação de pessoas no local. 31 de 40

32 Câmera 14 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Localizada no segundo andar do Departamento de Anatomia, na parede do lado da sala 03, no final do corredor (Laboratório D). Importância: Monitorar circulação de pessoas vindas da escada e elevador para o Laboratório. 32 de 40

33 Câmera 15 Descrição: Câmera IP interna com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada no final do corredor do terceiro andar em frente à sala do Laboratório C. Importância: Monitorar circulação de pessoas vindas da escada e elevador para o Laboratório. 33 de 40

34 Câmera 16 Descrição: Câmera IP Externa com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada na parede, voltada para o corredor do terceiro andar do Departamento de Anatomia. Importância: Monitorar circulação de pessoas no corredor do terceiro andar do Departamento. 34 de 40

35 Câmera 17 Descrição: Câmera IP Externa com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada na parede de entrada do Laboratório C, do terceiro andar do Departamento de Anatomia. Importância: Monitorar circulação de pessoas no local. 35 de 40

36 Câmera 18 Descrição: Câmera IP Externa com caixa de proteção IP66 Local de Instalação: Fixada na parede do corredor, final, do terceiro andar do Departamento de Anatomia. Importância: Monitorar circulação de pessoas no local. 36 de 40

37 10.5 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS A seguir, serão apresentados os requisitos mínimos a serem considerados para cada um dos equipamentos/softwares do sistema deste projeto: Câmera IP Fixa Externa, com caixa de proteção IP66. Especificação do hardware da câmera Deve atender aos seguintes requisitos mínimos: Descrição Geral da Câmera Câmera Colorida e Day&Night com remoção de filtro infravermelho e dispositivo de captura com formato de 1/3 Conectividade de network com 100BASE-TX Ethernet RJ-45; deverá ter saída de vídeo analógica para manutenção em formato de Vídeo NTSC; A câmera especificada deve produzir, no mínimo, 30 imagens por segundo na resolução de 1280 x 720p em razão de 16:9; A câmera deverá ter uma sensibilidade à iluminação mínima de 0,2 lux em modo colorido e 0,03 lux em modo P&B; Deverá possuir relação sinal ruído de 50dB ou melhor; Deverá possuir Range Dinâmico Estendido ou Amplo; A câmera deverá possuir capacidade de gerar streams de imagem em H.264 high e MJEPG; A câmera especificada deve ser projetada para suportar alimentação via porta Ethernet (PoE Power over Ethernet), utilizando cabo UTP com conectores RJ45 quando for utilizado um switch que atenda a norma IEEE802.3af. A câmera pode também ser alimentada por fontes externas; A câmera especificada deve ter suporte a função UNICAST que permite a comunicação entre um único emissor e um único receptor via rede. Deve também ter suporte a função MULTICAST que permite a comunicação entre um único emissor e múltiplos receptores quando for utilizada uma rede apropriadamente configurada, com protocolos UDP e IGMP. Devera suportar também os protocolos FTP, ICMP, RTP, RTSP, NTP, HTTPS, SSL, SNMPv2/v3, ARP, DNS; A câmera deverá possuir suporte de autenticação de login HTTPS, Filtro de IP e log de acesso; A câmera deverá possuir suporte a Áudio Bi-direcional em formato de compressão G.711 u- law; Possuir entrada para dispositivo de armazenamento tipo SD CARD, permitindo gravação local de imagens no próprio dispositivo, por alarme tipo queda da rede. Possuir arquitetura aberta com a disponibilização do SDK; 37 de 40

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E QUALIDADE DE VIDA ESCOPO PRÉ-PROJETO Para implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Laboratório de Engenharia Biomédica da UFPE 1. APRESENTAÇÃO 1.1. Este documento tem por finalidade servir de orientação para

Leia mais

Superintendência de Segurança Institucional

Superintendência de Segurança Institucional Superintendência de Segurança Institucional PRÉ-PROJETO Para implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Núcleo de Televisão e Rádio Universitária da UFPE Recife, novembro 2011 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica

Infra-estrutura tecnológica Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação ATTI Supervisão de Infra-estrutura Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Infra-estrutura tecnológica Rede Lógica

Leia mais

Superintendência de Segurança Institucional

Superintendência de Segurança Institucional Superintendência de Segurança Institucional PRÉ-PROJETO Para implantação do Sistema de Segurança Eletrônica para o Centro de Ciências Jurídicas - CCJ UFPE Recife,12 de abril de2012. 1. APRESENTAÇÃO 1.1.

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO CENTRAIS DE ALARMES O presente memorial tem por objetivo descrever as instalações do sistema de proteção

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 113374 Câmera IP Speed Dome Externa (PTZ) para vigilância externa; com sensor de imagem em estado sólido do tipo CCD (Charged Coupe Device) ou CMOS; com lente com zoom ótico de pelo menos

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Introdução ao cabeamento

Leia mais

Soluções completas de segurança em vídeo IP

Soluções completas de segurança em vídeo IP Soluções completas de segurança em vídeo IP Soluções completas de segurança em vídeo IP www.indigovision.com IndigoVision Visão geral A solução empresarial de segurança IP IndigoVision garante o monitoramento

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais

AMT 2018 EG. Central de alarme monitorada Ethernet e GPRS com 18 zonas

AMT 2018 EG. Central de alarme monitorada Ethernet e GPRS com 18 zonas Imagens ilustrativas Teclado LCD Comunicação de dados via tecnologias Ethernet e celular GSM/GPRS Envio de SMS e comunicação via CSD² Opção de configuração remota via TCP/IP GPRS e linha telefônica ¹ É

Leia mais

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone VX-8CH-240C-H 8 Canais de Vídeos e 1 Canal de Audio Suporta 1 (um) Disco Rígido (HD SATA) Compressão de Vídeo H.264 Integração com PTZ Hexaplex -

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Exclusivo sistema de hibernação quando o equipamento encontra-se sem energia vinda da rede elétrica, o

Leia mais

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá 1. ALTA RESOLUÇÃO Câmeras baseadas em IP não estão restritas à baixa resolução das câmeras

Leia mais

Bancada de CFTV - XI 102 -

Bancada de CFTV - XI 102 - T e c n o l o g i a Bancada de CFTV - XI 102 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada de CFTV - XI 102 - INTRODUÇÃO As instalações prediais nos novos

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Os dados são gravados em um cartucho USB. Este modo de gravação oferece total proteção contra a perda

Leia mais

WirelessHART Manager

WirelessHART Manager Descrição do Produto O uso de tecnologias de comunicação de dados sem fio em sistemas de automação industrial é uma tendência em crescente expansão. As vantagens do uso de tecnologia sem fio são inúmeras

Leia mais

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO ÍNDICE 1 Informativos gerais 2 Especificações e Tabelas

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP

PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2014-EMAP O Pregoeiro da Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP, designado pela Portaria nº 149/2013-PRE, de 29 de agosto de 2013, em razão de solicitação da empresa

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem

Leia mais

Gravador digital de vídeo (DVR) de 16 canais Stand Alone

Gravador digital de vídeo (DVR) de 16 canais Stand Alone Gravador digital de vídeo (DVR) de 16 canais Stand Alone VX-16CH-C-H 16 Canais de Vídeos e 1 Canal de Audio Suporta 1 Disco Rígido (HD SATA) Compressão de Vídeo H.264 480 FPS (Frames por Segundo) Integração

Leia mais

Alarme Conteúdo Detalhado:

Alarme Conteúdo Detalhado: 1 PRÉ REQUISITO: Alarme Conteúdo Detalhado: Ter interesse e disponibilidade para aprender conceitos teóricos e práticos em sistemas de alarme com ou sem monitoramento, cerca elétrica e sensores IVA (barreira

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional); Características Fabricada em aço-carbono, com pintura em epóxi preto; Tratamento anticorrosivo; Acabamento em aço inox; Fechadura para acesso aos componentes eletrônicos; Iluminação frontal, com chave

Leia mais

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações Laboratório de Redes. Cabeamento Estruturado Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações de edifícios

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 6 Cabeamento Residencial Cabeamento residencial Sistema que integra os serviços de telecomunicações em uma residência: Rede local de computadores, acesso à internet, controle

Leia mais

Câmeras. Internas. www.foscam.com.br

Câmeras. Internas. www.foscam.com.br Câmeras Internas IP WIRELESS FOSCAM FI9821W A câmera IP FOSCAM FI9821W é uma solução para clientes que procuram um equipamento de alto desempenho, com compressão de imagem H.264 e resolução Megapixel.

Leia mais

MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2

MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2 MODULO SERVIDOR DE GERENCIAMENTO DE CHAVES DE ENCRIPTAÇÃO AÉREA OTAR P25, FASE 2 Servidor de Gerenciamento de Chaves de Encriptação Aérea (Criptofonia) OTAR (Over The Air Rekeying), para emprego na rede

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO A presente licitação tem como objeto a contratação de empresa, especializada e devidamente autorizada pela ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações, prestadora

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME - ARQUIVO 828 -M-AL1.doc Pagina 1 1. GENERALIDADES - Os serviços obedecerão as presentes especificações, a relação de

Leia mais

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo 1. Esta Especificação destina-se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e

Leia mais

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO

RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO RECEPTOR DE SINAIS DE SATÉLITE GPS ELO588 MANUAL DE INSTALAÇÃO Dezembro de 2011 ELO Sistemas Eletrônicos S.A. 100406082 Revisão 0.0 Índice ÍNDICE... I INTRODUÇÃO 1... 1 CONTEÚDO DESTE MANUAL... 1 ONDE

Leia mais

Servidor de Câmera Internet Dia/Noite PoE Megapixel HD Externo TV-IP322P (v1.0r)

Servidor de Câmera Internet Dia/Noite PoE Megapixel HD Externo TV-IP322P (v1.0r) INFORMAÇÕES GERAIS Campo de visão estreito para monitoramento de longa distância Visão noturna a até 20 metros (66 ft.) Pronto para instalação outdoor com grau IP66 à prova de intempéries. Resolução H.264

Leia mais

DAS CARACTERÍSTICAS MÍNIMAS

DAS CARACTERÍSTICAS MÍNIMAS TERMO DE REFERÊNCIA DO OBJETO Contratação de empresa especializada para elaboração de projeto, fornecimento de materiais e instalação de Circuito Fechado de TV (CFTV) para o Museu da Língua Portuguesa.

Leia mais

VS-100. H.264 PoE Servidor Vídeo. H.264 Compressão. Comparação Taxa Compressão

VS-100. H.264 PoE Servidor Vídeo. H.264 Compressão. Comparação Taxa Compressão VS-100 H.264 PoE Servidor Vídeo AirLive VS-100 é um canal servidor de vídeo para facilmente actualizar a sua antiga camera CCTV numa camera IP com capacidade-rede e assim converter o seu sistema local

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: Aquisição de Material de e Permanente (Equipamentos e Suprimentos de Informática), para 001 081266-9 CABO UTP CAT5E FLEXíVEL, CAIXA COM 300MT Lote 1- Destino: Uinfor CX 30 002 113294-5

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

CFTV IP CÂMERAS. NVRs

CFTV IP CÂMERAS. NVRs Portfólio CÂMERAS NVRs CÂMERAS CFTV IP VIP CB1M VIP E2200 VIP S3020 VIP S3230 VIP E3220 VIP S4000 VIP S4020 VIP S4200 VIP S4220 VIP E4220 Z VIP E5212 VIP E5212 I VIP S5036 VIP SD 1.3M 18x VIP SD 1.3MIR

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional); Características Fabricada em aço-carbono, com pintura em epóxi preto; Tratamento anticorrosivo e acabamento em aço inox; Fechadura para acesso aos componentes eletrônicos; Sistema de amortecimento de giros

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone integra todas as conexões entre o backbone do centro administrativo e os racks departamentais,

Leia mais

AO BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL BNDES A/C: CARLA SCHWDE / ELIANE CRISTINA

AO BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL BNDES A/C: CARLA SCHWDE / ELIANE CRISTINA AO BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL BNDES A/C: CARLA SCHWDE / ELIANE CRISTINA PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 21/2009 BNDES Ref.: Informações complementares acerca do Atestado da Celesc. A

Leia mais

Soluções de Rede. Facilidade de Integração Imagens mais Nítidas Maior Flexibilidade. Sistema CFTV Híbrido. Sistema de Segurança

Soluções de Rede. Facilidade de Integração Imagens mais Nítidas Maior Flexibilidade. Sistema CFTV Híbrido. Sistema de Segurança Soluções de Rede Solução de Segurança de Rede com Alta Qualidade de Imagem Facilidade de Integração Imagens mais Nítidas Maior Flexibilidade Os inovadores produtos de videosegurança com base IP da Samsung

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Line Cords e Patch Cables.

Leia mais

Expansores de transmissão por Ethernet via cabo de cobre

Expansores de transmissão por Ethernet via cabo de cobre Expansores de transmissão por Ethernet via cabo de cobre Transmissão por Ethernet via cabo coaxial ou cabo Cat5 existente CopperLine é uma tecnologia avançada e exclusiva que expande redes de transmissão

Leia mais

IP Câmera Cloud. Manual do Usuário

IP Câmera Cloud. Manual do Usuário IP Câmera Cloud Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações necessárias

Leia mais

Câmera CFTV Digital Sem Fio

Câmera CFTV Digital Sem Fio Câmera CFTV Digital Sem Fio Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

Instalação de Serviços de Comunicação de Dados e Voz

Instalação de Serviços de Comunicação de Dados e Voz 1 Instalação de Serviços de Comunicação de Dados e Voz Prezado Usuário, A partir de agora você estará utilizando um sistema que integra Dados, Voz e Imagem em uma rede de alta confiabilidade, com equipamentos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil Características - Único com este conceito no mercado e com preços atraentes; Iluminação frontal, com chave liga/desliga, em quatro opções de cores (azul, verde, vermelho e amarelo); - Possui sistema de

Leia mais

ENH916-NWY. Manual do Usuário

ENH916-NWY. Manual do Usuário ENH916-NWY Manual do Usuário Aviso da FCC Este equipamento foi testado e se encontra em conformidade com os limites de dispositivo digital de Classe B, de acordo com a Parte 15 das Regras de FCC. Estes

Leia mais

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego;

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Características Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Poderá ser utilizado por empresas autorizadas por convenção ou acordo coletivo a usar sistemas

Leia mais

SOLUÇÕES COMPLETAS SOLUÇÕES COMPLETAS. em produtos e serviços de segurança eletrônica e telecomunicações

SOLUÇÕES COMPLETAS SOLUÇÕES COMPLETAS. em produtos e serviços de segurança eletrônica e telecomunicações SOLUÇÕES COMPLETAS em produtos e serviços de segurança eletrônica e telecomunicações SOLUÇÕES COMPLETAS em produtos e serviços de segurança eletrônica e telecomunicações CFTV IP CABEAMENTO ESTRUTURADO

Leia mais

Guia do Usuário. PCtel E1

Guia do Usuário. PCtel E1 Guia do Usuário PCtel E1 Conteúdo Conhecendo o Produto...05 Instalação Física...08 Módulo Supervidor...10 Política de Garantia...12 Aspectos gerais Conhecendo o produto A Pctel desenvolveu uma plataforma

Leia mais

Gravação e Transmissão

Gravação e Transmissão O D-Guard Center é um poderoso sistema de controle e monitoramento, integrado aos mais diversos equipamentos de segurança eletrônica. Ilimitados dispositivos podem ser controlados e monitorados simultaneamente:

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

ANEXO 1A ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS

ANEXO 1A ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS ANEXO 1A ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS ITEM 1 EQUIPAMENTO DE GRAVAÇÃO NVR (NETWORK VÍDEO RECORDER) QUANTIDADE: 01 Suporte a no mínimo 24 canais IP'S Acesso remoto a servidor WeB incorporado ao NVR com

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Projeto Executivo

Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Projeto Executivo Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Projeto Executivo Projeto de Vigilância Eletrônica Integrada contemplando Sistema de CFTV IP, Alarme e Controle de Acesso, para o Centro de Filosofia e Ciências

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO 1 OBJETIVO... 2 2 REMOTA... 2 2.1 DESCRIÇÃO GERAL... 2 2.2 ALIMENTAÇÃO... 2 2.3 RELÓGIO INTERNO... 2 2.4 ENTRADA DE PULSOS... 2 2.5 ENTRADA DIGITAL AUXILIAR... 2 2.6 REGISTRO DA CONTAGEM DE PULSOS (LOG)

Leia mais

a) No item 02, onde se lê: Microcâmera color 3,7mm, CCD 1/3, 380 linhas, 0,3 lux. Leia-se: Conforme item 5.1.2 ( Câmera Colorida Especial).

a) No item 02, onde se lê: Microcâmera color 3,7mm, CCD 1/3, 380 linhas, 0,3 lux. Leia-se: Conforme item 5.1.2 ( Câmera Colorida Especial). Aditamento nº 09 Tomada de Preços nº 0236/2006 Objeto: Fornecimento e instalação de Sistema de Segurança por Circuito Fechado de Televisão e Controle de Acesso à Sede Administrativa da Celesc Data: 11/05/2006

Leia mais

POE-260CAM. Internet. POE Pan-Tilt Camera IP Visão Nocturna POE-260CAM POE-260CAM LAN LAN. WAN ADSL / Cabo Modem LAN

POE-260CAM. Internet. POE Pan-Tilt Camera IP Visão Nocturna POE-260CAM POE-260CAM LAN LAN. WAN ADSL / Cabo Modem LAN h T é uma avançada camera IP POE com funções Pan e Tilt. (Roda e Inclina). Você pode definir uma área particular de patrulha; ela irá depois mover suas lentes em ambas direcções horizontal e vertical continuamente

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 29 de julho de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1. Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio GETS, sendo

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO. Extensor PoE AXIS T8129

GUIA DO USUÁRIO. Extensor PoE AXIS T8129 GUIA DO USUÁRIO Extensor PoE AXIS T8129 PORTUGUÊS INGLÊS Compatibilidade eletromagnética (EMC) Este equipamento gera, usa e pode irradiar energia de radiofrequência e, caso não seja instalado e usado de

Leia mais

Anúncio de Novos Produtos: Controladora para uma porta KT-1 e software EntraPass v6.02

Anúncio de Novos Produtos: Controladora para uma porta KT-1 e software EntraPass v6.02 Anúncio de Novos Produtos: Controladora para uma porta KT-1 e software EntraPass v6.02 A Tyco Security Products tem o prazer de anunciar o lançamento da controladora PoE para uma porta KT-1 da Kantech.

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

AEC Access Easy Controller. Guia de Referência

AEC Access Easy Controller. Guia de Referência AEC Access Easy Controller Guia de Referência Índice 3 1. AEC - Vista Geral do Sistema 4 2. AEC - Componentes Principais 6 3. AEC - Configuração 7 4. AEC - Benefícios 8 5. AEC - Como encomendar? 10 6.

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO. Dome fixo AXIS T90C10 IR-LED. Dome fixo AXIS T90C20 IR-LED PORTUGUÊS

GUIA DO USUÁRIO. Dome fixo AXIS T90C10 IR-LED. Dome fixo AXIS T90C20 IR-LED PORTUGUÊS GUIA DO USUÁRIO Dome fixo AXIS T90C10 IR-LED Dome fixo AXIS T90C20 IR-LED PORTUGUÊS Medidas de segurança Leia com atenção este guia de instalação até o final antes de instalar o produto. Guarde o guia

Leia mais

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados Smart Energy & Power Quality Solutions Registrador de dados ProData O mais compacto registrador de dados Inteligente e compacto: Nosso registrador de dados universal que mais gerencia os custos de energia

Leia mais

ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014. Termo de Referencia

ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014. Termo de Referencia ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 054/2014 Termo de Referencia 1. OBJETO Aquisição de equipamentos de sistema de segurança (circuito fechado DVR), sendo DVR, Câmeras e Fontes 2. Descrição Quantidade Equipamento

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Camada Física Camada Física Camada Física Função: A camada Física OSI fornece os requisitos para transportar pelo meio físico de rede os bits que formam o quadro da camada de Enlace de Dados. O objetivo

Leia mais

Manual do Usuário. ccntelecom.com.br

Manual do Usuário. ccntelecom.com.br Manual do Usuário ccntelecom.com.br PD-FIBER (1 Gbps, 7 Ramais/Clientes) O PD-FIBER é um equipamento constituído de uma placa que concentra alguns produtos já conceituados da CCN Telecom, de forma a reduzir

Leia mais

Aula 4a - Sistemas de Cabeamento

Aula 4a - Sistemas de Cabeamento Aula 4a - Sistemas de Cabeamento Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Sistemas de Cabeamento Uma rede de computadores é um conjunto de recursos inter-relacionados e interligados com o objetivo de formar

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP.

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. VANTAGENS DAS SOLUÇÕES DE VIGILÂNCIA DIGITAL IP É verdade que o custo de aquisição das câmeras digitais IP, é maior que o custo de aquisição das câmeras

Leia mais

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED Aplicações imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect)

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação Controle de Acesso Automático de Veículos Este trabalho tem como objetivo desenvolver uma solução tecnológica que permita o controle dos portões automáticos remotamente através da internet. Aplicando-se

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC FIBRAS ÓPTICAS E ACESSÓRIOS LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA B5NX-CNC PRODUTOS INJETADOS Catálogo de MARCAS DISTRIBUÍDAS Produtos R A Division of Cisco Systems, Inc. RACKS E ACESSÓRIOS Linha

Leia mais

Câmera IP LECVOX 1.3MP com PoE LEC-13DLP

Câmera IP LECVOX 1.3MP com PoE LEC-13DLP Câmera IP LECVOX 1.3MP com PoE LEC-13DLP - Sensor CMOS de alta definição Sony - PoE padrão IEEE 802.3af - 20m de alcance do infra - IP66 (uso interno e externo) - Resolução de 1.3MP (960p) - IR-CUT Descrição

Leia mais

AM@DEUS Manual do Usuário

AM@DEUS Manual do Usuário 80 P R E F Á C I O Este é um produto da marca GTS Network, que está sempre comprometida com o desenvolvimento de soluções inovadoras e de alta qualidade. Este manual descreve, objetivamente, como instalar

Leia mais

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção.

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção. Consiste de um conjunto de produtos de conectividade, empregados de acordo com regras específicas de engenharia; Tais produtos garantem conectividade máxima para os dispositivos existentes e preparam a

Leia mais

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) JUNHO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

Índice Visão Geral... 2 Erro! Indicador não definido. Erro! Indicador não definido. Cabeamento... 4 Requisitos do Sistema... 5 Câmera de Acesso...

Índice Visão Geral... 2 Erro! Indicador não definido. Erro! Indicador não definido. Cabeamento... 4 Requisitos do Sistema... 5 Câmera de Acesso... Índice 1. Visão Geral... 2 1.1 Recursos... 2 1.2 Conteúdo da Embalagem... 3 1.3 Dimensões... 4 1.4 Instalação... Erro! Indicador não definido. 1.5 Conectores... Erro! Indicador não definido. 2. Cabeamento...

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

NGP 822. FXS, FXO e GSM. Visão frontal. 4 ou 8 ramais. 0, 1 ou 2 interfaces celulares. 0, 1 ou 2 interfaces de linhas alógicas. Automação e segurança

NGP 822. FXS, FXO e GSM. Visão frontal. 4 ou 8 ramais. 0, 1 ou 2 interfaces celulares. 0, 1 ou 2 interfaces de linhas alógicas. Automação e segurança NGP 822 FXS, FXO e GSM Visão frontal 4 ou 8 ramais 0, 1 ou 2 interfaces celulares 0, 1 ou 2 interfaces de linhas alógicas Automação e segurança Interface Web LEDs de status do equipamento e das interfaces

Leia mais

COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007

COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007 COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007 OBJETO: Fornecimento, configuração, testes e assistência técnica, durante período de garantia, de 28 (vinte e oito) microcomputadores portáteis (notebooks) de alta mobilidade,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 009/2012 1 DO OBJETO 1.1 - Fornecimento de solução avançada de backup desduplicado, com serviços de assistência técnica e capacitação, visando a integração

Leia mais

Servidor de Gerenciamento de Chaves de Encriptação Aérea OTAR

Servidor de Gerenciamento de Chaves de Encriptação Aérea OTAR Servidor de Gerenciamento de Chaves de Encriptação Aérea OTAR P25 Fase 1 Requisitos Gerais Servidor de Gerenciamento de Chaves de Encriptação (Criptofonia) OTAR (Over The Air Rekeying), para emprego na

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 16 MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Microeletrônica equipamentos microprocessados necessidade

Leia mais

"TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS "TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS I - OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em serviços de Infraestrutura com manutenção corretiva, manutenção preventiva, instalações, desinstalações,

Leia mais

Advantage Line da Bosch A gama que sempre desejou

Advantage Line da Bosch A gama que sempre desejou Advantage Line da Bosch A gama que sempre desejou A Bosch Security Systems aumenta o seu portfólio de vídeo com a Advantage Line - uma nova gama económica de soluções CCTV profissionais. Os produtos da

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços ANSI EIA/TIA 569-B EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços Conforme a EIA/TIA 569A a infra-estrutura é dividida nos seguintes subsistemas: Área de Trabalho; Percursos horizontais; Sala ou armário

Leia mais

Izaias Ulysséa Junior Chefe da Divisão de Licitação. Respostas:

Izaias Ulysséa Junior Chefe da Divisão de Licitação. Respostas: Aditamento nº 08 Tomada de Preços nº 00236/2006 Objeto: Fornecimento e instalação de Sistema de Segurança por Circuito Fechado de Televisão e Controle de Acesso à Sede Administrativa da Celesc Data: 27/04/2006

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA NORMAS AMERICANAS EIA/TIA EIA/TIA 568-B: Commercial Building Telecomunications Cabling Standard Essa norma de 2001 é a revisão da norma EIA/TIA 568-A de

Leia mais

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo.

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Desafios da vigilância por vídeo hoje O mercado de vigilância por vídeo está crescendo, impulsionado por preocupações de segurança

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAUCÁRIA CNPJ: 76.105.535/0001-99

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAUCÁRIA CNPJ: 76.105.535/0001-99 RESULTADO DE LICITAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO Nº 5524/2012 - PREGÃO Nº 098/2012 TIPO MENOR PREÇO OBJETO: "Aquisição de centrais de alarmes e conjuntos de acessórios necessários para instalação de alarmes

Leia mais

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Múltiplas Unidades Consumidoras do Programa Minha Casa Minha Vida com Telemedição Processo Atividade Realizar novas ligações Executa ligação BT Código

Leia mais

Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência

Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência NOVO! Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência Características: Para transmitir e receber simultaneamente (full duplex), Ethernet sobre Base T 10/100 uma distância

Leia mais

SEMPRE INOVANDO COM SOLUÇÕES INTELIGENTES RACK PARA CFTV

SEMPRE INOVANDO COM SOLUÇÕES INTELIGENTES RACK PARA CFTV SEMPRE INOVANDO COM SOLUÇÕES INTELIGENTES RACK PARA CFTV A Empresa: * A Max Eletron é uma empresa voltada ao desenvolvimento e solução, trazendo ao mercado inovações e novas tendências no setor da segurança

Leia mais