Brunno Barreto Caio Vinicius Iwata Cleber Fonseca Gabriel Henrique Guilherme Melino Victor Hugo. Manager Society

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Brunno Barreto Caio Vinicius Iwata Cleber Fonseca Gabriel Henrique Guilherme Melino Victor Hugo. Manager Society"

Transcrição

1 Brunno Barreto Caio Vinicius Iwata Cleber Fonseca Gabriel Henrique Guilherme Melino Victor Hugo Manager Society Monografia: Trabalho de Conclusão de Curso Curso: Técnico em Informática São Caetano do Sul 2013

2 Brunno Barreto Caio Vinicius Iwata Cleber Fonseca Gabriel Henrique Guilherme Melino Victor Hugo Manager Society Trabalho de conclusão de curso apresentado no curso de informática integrado, ETEC Jorge Street, Jardim São Caetano São Caetano do Sul São Caetano do Sul 2013

3 Banca Examinadora Prof: Prof: Prof: Prof: Prof: Prof: Conceito Final:

4 Agradecimentos Gostaríamos de agradecer a todos os nossos amigos do 3º EI que nos deram apoio durante os 3 anos de integrado. Agradecemos todos os nossos professores por trazerem muito mais que aulas, mas experiências de vida que nos ajudará durante nossa caminhada.

5 Resumo O Manager Society é um software desenvolvido em linguagem Visual Basic (com integração ao SQL Server) que tem como função principal gerenciar e administrar a locação de quadras society. De uma maneira fácil e objetiva o Manager Society ajuda os empreendedores de locadoras de gramado sintético (society) a ter em seu controle toda a parte de locação, administração financeira, agenda e venda de produtos dentro de sua unidade. O principal diferencial do Manager Society é ter o controle dos produtos consumidos no interior do empreendimento usando o sistema de comandas. Com um leitor óptico, o usuário poderá cadastrar os produtos pelo código de barras e quando um cliente for consumi-lo o código será inserido na comanda, tendo assim o controle de tudo o que o cliente adquiriu. As locadoras de quadra society estão cada vez mais populares, tendo isso em vista, procuramos desenvolver um gerenciador completo e simples, da forma que qualquer um possa utilizar o software. Palavras Chave: Gerenciar. Administrar. Locação. Quadras Society

6 Abstract The Manager Society is a software developed in Visual Basic (with SQL Server integration) which has as main function manage and administrate the renting of soccer society courts. In an easy and objective way, the Manager Society helps the enterprising of synthetic lawn (society) controlling of the consumed items inside the building using a billing system. With an optical reader, the user can register the products by the bar code and when the client is going to purchase it, the code will be inserted in the bill, controlling everything that the client acquired. The soccer society courts rentals are becoming each day more popular, with that in mid, we tried to develop a complete and simple manager, in a way that anyone be able to use the software. Words Key: Manage. Administrate. Rent. Society Courts

7 Lista de Figuras Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem Imagem

8 Imagem

9 Sumário Introdução Sistema de Comanda Mais praticidade para seu atendimento Diversas Opções Sistema de Comanda Com Leitor de Código Sistema de Comandas Com PDA Especificações da Comanda Diagrama de Fluxo de Dados Diagrama de Fluxo de Dados Contextual Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível Diagrama de Fluxo de Dados Nível O society O Que É Um Society Como Funciona? Mercado Localização Estrutura Equipamentos Investimento Faturamento Funcionários A Quadra/Campo O Bar Divulgação... 30

10 2.13 Automação Escolinha de Futebol Manutenção O Projeto Manager Society Tela: Login Tela: Inicio Tela: Clientes Tela: Produtos Tela: Agenda Tela: Caixa Tela: Funcionários Tela: Faturamento Tela: Estoque Tela: Configurações Tela: Outros Serviços Conclusão Referências... 44

11

12 12 Introdução Bater uma bola com os amigos durante a semana é um hábito cultivado por boa parte da população masculina brasileira, mas que atualmente também é praticada por muitas mulheres. Desde que o futebol se tornou mania nacional, mania essa, que não é lucrativa somente para os clubes, que arrecadam rendas milionárias, ela também tem gerado boas oportunidades de negócios para pequenos empreendedores, e neste caso um bom exemplo é o futebol society, que mistura o futsal (o antigo futebol de salão) com futebol de campo e vem sendo bastante difundido atualmente, conquistando um número cada vez maior de adeptos no Brasil. O mercado é altamente competitivo, diante deste fato torna-se necessário por parte da empresa criar um diferencial para o seu negócio, podendo este oferecer uma quantidade maior de serviços, tais como: instalar no empreendimento um bar, lanchonete ou restaurante (próprio ou terceirizado), afinal tomar uma cervejinha gelada após o jogo também faz parte da "cultura" do futebol, venda e aluguel de equipamentos, oferecer aulas de esportes, realizar competições entre alunos e frequentadores, etc... Nesse tipo de negócio não é necessário ter muitos empregados, geralmente o dono e mais três pessoas são o suficiente para a administração (caso se opte por montar um bar). A informatização é uma tendência cada vez mais presente nessas empresas que buscam o sucesso e querem tornar seu "processo produtivo" mais ágil e econômico. A adoção de um equipamento dessa natureza pode ser capaz de incrementar seus lucros na medida em que ele melhora os serviços aos clientes, ajuda na organização das vendas e gastos, reduz filas, entre outros, e é aí que nosso programa ajudará todas as empresas desse ramo. Oferecer a informatização das locadoras de gramados sintéticos em geral, desde as mais simples até as mais completas, e seus outros serviços. Informatizar todos os dados, informações e serviços, como, o aluguel de churrasqueiras, coletes, bolas, equipamentos, controle dos gastos, vendas, lucros do bar e da locação das quadras.

13 13 - Cadastro de clientes; - Agenda de clientes mensais, anuais e avulsos; - Controle sobre o aluguel e a venda de equipamentos; - Controle do aluguel das churrasqueiras; - Controle do bar; - Controle de fluxo do caixa; - Manutenção das quadras. O controle dos horários dos usuários é feito na maioria das vezes de cabeça, eles sabem de quem é a vez de utilizar a quadra, quando há algum cliente novo eles anotam em papéis pequenos que podem facilmente serem perdidos e causar problemas posteriormente. Não há um controle exato de empréstimos de bola, coletes e vestiários. Antes de começar o horário de um cliente eles distribuem a quantidade de coletes necessária, disponibilizam um vestiário com chave, para serem guardadas os pertences de forma segura, e se for necessário uma bola, caso o cliente não leve a dele. Ao término do horário reservado pelos clientes, os mesmos largam os coletes em qualquer lugar e depois os responsáveis pelo society vão recolhendo podendo haver falta de coletes. A bola na maioria das vezes é devolvida ao término do horário junto com a chave do vestiário, os responsáveis cobram isso porque é importante, mas se eles esquecerem alguém pode levar a bola para casa facilmente. As churrasqueiras são reservadas com antecedência para não haver conflito nas reservas, mas as anotações das reservas são feitas em papéis que não são importantes, blocos de papel de tamanho pequeno que podem facilmente serem perdidos. O pagamento das reservas das quadras e churrasqueiras são feitos na lanchonete junto com os produtos consumidos na lanchonete e a venda dos produtos de futebol. Todas essas vendas e pagamentos são anotados em um mesmo caderno de forma bagunçada, não havendo uma separação por categoria ou setor, junto ao preço do serviço ou produto oferecido. Podemos perceber que em algumas locadoras de gramado sintético, como o exemplo citado, todo o processo desde a reserva até o pagamento as anotações são feitas de modo manual faltando o controle exato dos dados, de forma demasiadamente demorada e gastando-se mais papéis. Para que os empresários

14 14 não se preocupem em montar planilhas e mais planilhas e ter que contar todos os gastos a mão. De maneira bem simples, a empresa terá em um programa todas as funções que ela precisa para ter o controle de usuários, aluguéis de quadra, bar e etc. O programa irá reunir tudo isso em um só lugar de forma prática, rápida e principalmente organizada. O público que frequenta as locadoras de gramado sintético são anuais, avulsos e mensais, então serão criadas essas opções na hora do cadastro, pois os preços de cada tipo de usuário são diferentes, fazendo com que o cadastro diferencie esses usuários para que não haja nem um problema futuro durante a visita do mesmo. O cadastro também trará todos os dados do usuário, para que a empresa possa entrar em contato com o mesmo caso haja algum débito ou cancelamento do aluguel da quadra e também para avisar sobre promoções e campeonatos através do do usuário. A agenda de clientes fixos nós permitirá visualizar os clientes que mais usam a empresa, normalmente os mensais e anuais. Com isso oferecê-los alguns benefícios nos serviços de aluguéis das churrasqueiras e dos equipamentos, algo que não acontecerá com os avulsos. O aluguel das quadras nos permitirá ter o controle dos usuários que usarão as quadras nos dias combinados de forma simples e bem prática. Exemplo: O usuário entrará em contato com a empresa, fará o cadastro dos dados necessários e utilizará umas das opções, avulso ou mensal. Após finalizar o cadastro a empresa entrará na opção de aluguel e visualizará os dias que estão disponíveis para o usuário, ele escolherá um dos dias úteis e a empresa colocará o usuário nesse dia e aparecerá uma imagem na data de ocupado, ou seja, reservado para um certo o usuário, caso não esteja reservado o horário ficará disponível para próximas reservas. Como as quadras, as churrasqueiras também precisam ser reservadas. O controle de aluguéis das churrasqueiras funcionará da mesma maneira, o usuário marcará o dia que deseja utilizar e a churrasqueira será reservada para ele, lembrando que os preços de mensais e avulsos também contam na churrasqueira. Os produtos utilizados nas churrasqueiras também serão marcados na comanda eletrônica.

15 15 Após o usuário adentrar a locadora ele receberá uma comanda para usar no aluguel de coletes, bolas e outros equipamentos, caso haja necessidade. Após o usuário alugar coletes, por exemplo, ele entregará a comanda ao funcionário e ele marcará com o leitor magnético que o usuário fez a locação de tal jogo de coletes. O bar funcionará bem parecido com o aluguel de equipamentos, com a mesma comanda eletrônica, o usuário fará seus pedidos que serão adicionados a comanda, tendo assim o controle de todos os itens que o usuário usufruiu que serão fechados no caixa. O caixa será a opção onde o usuário levará sua comanda e fará o acerto de contas com a empresa. Após passar a comanda pelo leitor, os produtos que o usuário consumiu aparecerão na tela e o valor será revelado, podendo assim o usuário pagar pelos produtos consumidos e receber seu cupom fiscal. A manutenção é bem simples, mostrará quais foram as últimas vezes que o gramado sofreu algum tipo de reparo ou troca. Toda vez que o gramado for reparado, a empresa deverá colocar o dia para que o programa salve e ela possa ter o controle desses concertos. O programa será desenvolvido em Visual Basic, tendo sua base dados salvas em bancos de dados SQL. Para ter um conhecimento maior e melhor no ramo de futebol society, foi feita uma visita técnica em um society. Empresa: Amigos Futebol Society Localização: Alameda Araguaia Nº 580 São Caetano do Sul Horário de Funcionamento: Seg - Sex: 16:00-01:00 / Sáb: 08:00-20:00 / Dom: 08:00-21:00 História: A empresa Amigos Futebol Society foi aberta a mais ou menos 17 anos atrás por um senhor chamado Vagner, com o passar do tempo o proprietário ficou mais velho e pediu a ajuda para seu filho Dante para ajudá-lo a administrar o society. É um lugar que já tem certa tradição, pois já está no mercado a 17 anos, tem vários clientes e há a necessidade de abrir todos os dias da semana. Têm apenas uma

16 16 quadra, três churrasqueiras, dois vestiários e uma lanchonete. Lá também são vendidas algumas chuteiras, bolas e outros equipamentos. Para atrair mais pessoas são feitos campeonatos todos os anos. Foram feitas várias pesquisas em sites para ter mais informações sobre comandas e estabelecimentos society:

17 Sistema de comanda 1.1 Mais praticidade para seu atendimento Muita gente já passou por situações semelhantes a essa: você comprou ou utilizou vários produtos e na hora de fechar a conta no caixa o valor final é cobrado de forma errada, ou aumentando ou diminuindo o valor a pagar. Modernas e práticas, as comandas eletrônicas podem melhorar a produtividade de uma empresa e melhorar a qualidade de seus serviços. Por anos, o famoso bloquinho de anotações foi o fiel companheiro de garçons e atendentes de estabelecimentos na hora de anotar os pedidos do cliente. Porém, com o avanço tecnológico, as empresas ganharam novos aliados para melhorar a qualidade de seu atendimento e serviços. Conheça as vantagens do uso das comandas eletrônicas que prometem facilitar a vida de seus garçons e, consequentemente, dos clientes de seu estabelecimento. 1.2 Diversas opções Além do já conhecido sistema de comandas com leitor de código de barras, presente em panificadoras, restaurantes e outros estabelecimentos existem outros tipos mais modernos à disposição dos garçons para auxiliá-los na hora de atender um cliente. Os palmtops permitem ao garçom oferecer o menu ao mesmo tempo em que anota os pedidos, que ao serem feitos, são enviados diretamente para a cozinha através de ondas de rádio.

18 Sistema de comandas com leitor de código As comandas eletrônicas, geralmente, funcionam da seguinte forma: ao chegar no estabelecimento o cliente recebe uma comanda com código ou numerada. Todos os serviços e produtos utilizados são adicionados a comanda, no final ele leva a comanda ao caixa e através de um leitor podemos ver a conta exata do que foi consumido. Em outros estabelecimentos as comandas funcionam basicamente como um celular pré-pago. Ao entrar no estabelecimento comercial, o cliente recebe uma comanda eletrônica e carrega créditos com o valor que pretende gastar e a cada pedido que fizer, o valor será debitado diretamente da comanda. Caso os créditos acabem basta fazer uma nova recarga. Caso o cliente não gaste todo o crédito, o dinheiro poderá ser devolvido ou ficar acumulado para o cliente gastar da próxima vez que voltar ao estabelecimento, para isso, o cliente deverá se informar sobre os procedimentos de cada estabelecimento. Em alguns casos o prazo de um mês para que o cliente gaste o saldo restante e, depois desse período, o cartão é zerado automaticamente, fazendo com que a pessoa volte várias vezes para gastar o seu crédito e consumir outros produtos e serviços aumentando o lucro da empresa, no entanto, outros lugares não estabelecem prazo de vencimento algum. É a tecnologia trazendo benefícios tanto para o cliente quanto para o dono do estabelecimento, além de evitar situações constrangedoras e estressantes. O software de comanda eletrônica é rápido, preciso e simples de usar. Alguns benefícios do comanda eletrônica: Eliminação de blocos de papel para pedidos; Evita pedidos ou contas erradas; Aumento de produtividade dos pedidos; Aumento da satisfação do cliente; Solicitação de fechamento de conta (pré-conta); Mostrar conta ao cliente (consumo) ao lado dele antes de solicitar a pré-conta; Pesquisar produtos por categoria, evitando perde de tempo em ficar localizando produtos por código ou listas enormes.

19 Sistema de comandas com PDA (Personal Digital Assistants): Ao entrar no estabelecimento, cada cliente recebe 01 comanda numerada. Todos os pedidos de produtos ou serviços são através desta comanda. Ao solicitar um produto ou um tipo de serviço, o vendedor envia o pedido direto para o caixa, armazenando tudo o que for consumido pelo cliente no banco de dados da comanda. Cada estabelecimento do Society deverá ter um PDA, pois é ele que faz a conexão com o caixa para enviar as informações. O PDA é um computador de dimensões reduzidas, possui grande capacidade computacional, cumprindo dentre várias funções a de agenda. Também possui conexão wi-fi, fazendo assim com que seja possível a conexão com o caixa. Preços (média): 01 PDA R$ 350, Especificações da comanda: Nas comandas, além do sistema de código de barras para o controle de vendas, também é permitido o sistema antifurto, que consiste em um sensor que dispara um alarme quando alguma comanda é retirada do estabelecimento sem autorização. As medidas médias das comandas são: 2 mm de espessura; 8,5 x 14,3 cm (l x a). Material em PVC. 160 Comandas Lisas R$ 130,00

20 Diagrama de Fluxo de Dados Diagrama de Fluxo de Dados Contextual Imagem Diagrama de Fluxo de Dados Nível 0 Imagem 1.6.2

21 Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1 Imagem Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.2 Imagem 1.6.4

22 Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.3 Imagem Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.4 Imagem 1.6.6

23 Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.5 Imagem Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.6 Imagem 1.6.8

24 Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.7 Imagem Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.8 Imagem

25 Diagrama de Fluxo de Dados Nível 1.9 Imagem

26 26 2 O Society 2.1 O Que É Um Society? O Futebol Society é um esporte onde é necessário que existam dois times, cada um com sete jogadores. Jogado em uma quadra retangular com grama sintética chamado de society. Ramo de Atividade: Prestação de Serviços Tipo de Negócio: Quadra de Futebol Society Produtos Ofertados/Produzidos: Espaços (quadras) para a prática do futebol 2.2 Como Funciona? Para realizar o aluguel de quadras é preciso realizar um cadastro, onde deve ser definido um tipo de usuário (mensal ou avulso), pois para cada tipo de usuário existe um valor, por exemplo, mensais de 80 reais e o avulso de 150 reais. O aluguel de churrasqueira, equipamentos e consumo é tudo marcado em folhas, que no final são somados todos os valores e o cliente realiza o pagamento no caixa. Todos os procedimentos citados são realizados em papel, não existe nenhum tipo de sistema para gerenciar o empreendimento. 2.3 Mercado O mercado é altamente competitivo. Diante deste fato torna-se necessário por parte do empreendedor criar um diferencial para o seu negócio, podendo este oferecer uma quantidade maior de serviços, tais como: instalar no empreendimento um bar, lanchonete ou restaurante (próprio ou terceirizado), oferecer aulas de esportes, realizar competições entre alunos e frequentadores, etc... Conhecer e caracterizar quem são seus futuros clientes, o que e porque compram, como e quando fazem suas compras e quais são suas tendências de consumo são avaliações essenciais para o sucesso de seu negócio.

27 Localização A localização é fator fundamental neste empreendimento, já que uma boa seleção da clientela é de extrema importância para a sobrevivência do negócio. É necessário que o local escolhido seja de fácil acesso, fique próximo de regiões de grande movimento e conte com uma boa área para estacionamento. A escolha do local para instalar seu negócio é uma decisão muito importante para o sucesso do empreendimento. Certifique-se de que o local escolhido oferece a infraestrutura adequada à sua instalação e propicie seu crescimento. É fundamental avaliar a facilidade do acesso para os clientes, lembrando aí que o perfil de sua clientela é determinante para essa definição. Por exemplo: em princípio, não adianta estar localizado num local com amplo estacionamento mas longe de pontos de ônibus se esse é um meio de transporte predominantemente utilizado por sua clientela. 2.5 Estrutura A estrutura básica deve contar com uma área disponível para a construção das quadras, além é claro, da estrutura de apoio (vestiários, arquibancadas, iluminações, lanchonete, estacionamento e o escritório). 2.6 Equipamentos A posição e a distribuição das máquinas e equipamentos, balcões de atendimento, depósitos, entre outros é importante para a integração dos serviços a serem executados por sua empresa a fim de atingir satisfatoriamente a produção desejada. Assim, você deve lembrar que a harmonia entre o layout interno ( ambiente, decoração, facilidade de movimentação, luminosidade, entre outros) e o layout externo (vitrinas, fachada, letreiros, entradas e saídas, estacionamento, entre outros) e os benefícios decorrentes são algumas das impressões que o cliente levará de sua empresa.

28 28 Os equipamentos básicos são: - Jogos de traves; - Balcões, freezers, geladeiras; - Bolas e acessórios; - Aparelhos de som; - Móveis e utensílios de escritório (telefones, computadores, mesas, cadeiras, etc.) 2.7 Investimentos Irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento, porém, é válido ressaltar que os valores são altos pois incluem despesas com a construção de vestiários, banheiros, bar/lanchonete, preparação da base para colocação da grama sintética, a compra deste material e gastos com a instalação da rede elétrica para iluminação de apenas uma quadra sem cobertura. Há empresas especializadas na construção de quadras esportivas que oferecem diversos tipos de estrutura e tamanhos sob medida para o orçamento e objetivo do empreendedor. 2.8 Faturamento Média nacional de preços, oscilando de cidade para cidade. De 2ª a 6ª: locação de 04 horas por dia, com valor de R$90,00 por hora. Sábados e domingos: Locação de 12 horas, com valor de R$50,00. Escolinha: mensalidade R$25,00 com 70 alunos Faturamento mensal: R$ ,00 Faturamento anual: R$ ,00

29 29 Nessa projeção não foram considerados os faturamentos com horários não nobres, que podem ser trabalhadores entre R$40,00 e R$60,00 por hora. Ainda pode ser ampliado o faturamento de horários para escola e outras instituições são ações que completam o faturamento do empreendimento. 2.9 Funcionários Nesse tipo de negócio não é necessário ter muitos empregados, geralmente o dono e mais três pessoas são o suficiente para a administração (caso se opte por montar um bar). Todas as pessoas que trabalham na sua empresa devem ter algumas características para saber atender bem. É por essas características e alguns atributos - como a habilidade em ouvir e atender os clientes, boa vontade, persistência e paciência, naturalidade na orientação dos clientes, poder de negociação, equilíbrio emocional, capacidade de identificar as necessidades e o perfil dos clientes, iniciativa, agilidade e presteza no atendimento - que você deve orientar-se ao recrutar e selecionar seus funcionários. Essas características podem ser reforçadas e aprimoradas através de treinamentos (que, é bom lembrar, devem ocorrer periodicamente) A Quadra/Campo No que diz respeito a construção dos campos, que requer um espaço com dimensões intermediárias entre as de um campo de futebol e de uma quadra de futsal, geralmente 30 por 50 metros, sendo que seu piso pode ser natural (areia ou gramado) ou artificial (grama sintética, um tipo de carpete aplicado sobre um piso preparado, sendo esse, obviamente, mais regular que o gramado natural).

30 O Bar A montagem do bar é um item muito importante a ser levado em consideração na hora de se planejar o investimento na quadra. Afinal, tomar uma cervejinha gelada após o jogo também faz parte da "cultura" do futebol. A sua localização deve ser estratégica: deve ficar próximo à(s) quadra(s), para que seus frequentadores possam ver o andamento dos jogos enquanto consomem seus produtos. No caso de uma quadra fechada, coberta e com pouco espaço disponível, uma opção é construir o bar em um mezanino dentro da área coberta, facilitando essa visão do jogo Divulgação O ditado popular diz que a propaganda é a alma do negócio, mas a gente pode continuar dizendo que os "músculos" também são importantes. Assim, entendemos que dotar os clientes internos (os funcionários, os "músculos" do negócio) de informações sobre os produtos oferecidos é tão ou mais importante que, efetivamente, vendê-lo ao cliente externo. Voltando à "alma do negócio", concluímos que para atingir o consumidor e garantir as vendas, você deve planejar o seu marketing. E como fazer isso? Bem, a primeira sugestão é partir para uma análise da sua realidade: Identifique quais são os custos de seus serviços, adapte-os e busque a otimização de sua alocação. Mantenha seus consumidores motivados partindo para uma revisão da sua estrutura de comercialização avaliando, paralelamente, se essa estrutura atinge seu mercadoalvo com sucesso. Não perca de vista que o marketing deve ser contínuo e sistemático. Considere ainda que num plano de marketing é importante o conhecimento de elementos como preço, produto (serviço), ponto (localização) e promoção. Avaliar os desejos e necessidades de seus clientes ou usuários em relação a funções, finanças, facilidade, "feeling" (sensibilidade) e futuro.

31 Automação Essa é uma tendência cada vez mais presente nas empresas que buscam o sucesso e você deve avaliar a possibilidade de adotar algum equipamento que possa tornar seu "processo produtivo" mais ágil e econômico. Investigue de que forma a adoção de um equipamento dessa natureza pode ser capaz de incrementar seus lucros na medida em que ele melhora os serviços aos clientes, reduz filas, agiliza a emissão de notas fiscais, entre outros (ex.: caixas eletrônicas isoladas ou integradas, preenchimento de cheques automáticos, impressoras de notas fiscais nos caixas, terminais de informações ao cliente, etc) 2.14 ESCOLINHA DE FUTEBOL No período diurno, para evitar a ociosidade e garantir o faturamento, alguns empreendedores optam por montar escolinhas de futebol para crianças, sendo necessário para isso, a presença de um profissional habilitado. O ensino de futebol para a garotada de sete aos dezesseis anos, nas quadras destinadas à locação, pode ser uma boa opção. Muitos empreendedores escolhem o nome de um jogador de futebol famoso, na ativa ou não, para denominar a escola. Isso pode vir a ser um bom apelo de marketing, mas não é o suficiente. O que vale mesmo, é a qualidade dos profissionais em campo, que devem ser formados em educação física. O empresário precisa se preparar para os meses de férias escolares, quando o movimento cai em até 40%. Contar com uma estrutura de apoio sólida também é primordial nesse segmento, principalmente no que tange à segurança da garotada. Um veículo disponível para remoções em eventuais emergências médicas e o telefone dos pais dos alunos sempre à mão, é imprescindível para se adquirir a confiança destes. As mensalidades podem ser cobradas de acordo com a faixa etária em que se dividirão as turmas, mas sempre deverão ser condizentes com o nível econômico.

32 32 que se deseja atingir, sob o risco de tornar o empreendimento caro demais para a região onde está localizado Manutenção A manutenção e verificação do gramado são feitas regularmente para maior segurança e durabilidade. Em caso de troca do gramado é necessário avisar os clientes, pois a quadra pode ficar fechada durante alguns dias, devido ao gramado sintético conter várias camadas e a cada dia uma delas é colocada.. Imagem 2.15

33 33 3 O Projeto - Manager Society Com o manager society, como o próprio nome já diz, você irá gerenciar o seu society de forma mais segura, rápida e pratica. O logo do programa tem tudo a ver com society, escolhemos este logo porque a cor verde lembra o gramado de um society e o homem dando bicicleta é difícil de ser esquecido, pois este movimento é um dos mais bonitos do futebol. 3.1 Tela: Login Logo no primeiro acesso o programa irá pedir para o usuário, que será o administrador, cadastrar o seu login e a sua senha, pois o administrador terá acesso a informações que outros usuários não terão, como por exemplo, o faturamento da empresa. Imagem 3.1

34 Tela: Inicio Após o usuário se cadastrar no primeiro acesso e efetuar o login, ele terá acesso a tela inicial do programa, está tela contém vários botões, cada um com sua função que será explicada separadamente a seguir, começando pelo botão Clientes. Imagem 3.2

35 Tela: Clientes Na tela Clientes é possível cadastrar novos clientes, excluir, alterar e procurar informações a clientes já existentes. Na hora de cadastrar um novo cliente são necessárias algumas informações pessoais, mas uma facilidade na hora do cadastro é quando o CEP for digitado o endereço será carregado automaticamente, apenas sendo necessário preencher o número da residência. Antes de clicar no botão Excluir é necessário o usuário carregar as informações de um cliente para depois excluí-lo. O botão Inserir funciona para cadastrar novos clientes, para isso é necessário que todos os campos estejam preenchidos. O Alterar é usada para atualizar e mudar as informações necessárias. O Limpar é usado para limpar todos os campos do formulário e o Procurar é usado para procurar e carregar os dados do cliente na tela. Após alguma alteração no banco de dados uma mensagem de confirmação é exibida para que o usuário tenha certeza do que a ação foi realizada com sucesso. Imagem 3.3

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Suporte Técnico A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Horário de Atendimento De segunda-feira à sexta-feira das 09:00 ás 19:00

Leia mais

Guia Rápido do Usuário

Guia Rápido do Usuário Guia Rápido do Usuário 1 Apresentação Auxiliar o cliente Mesa01 de forma rápida e eficaz é o objetivo deste Manual Através dele, você conseguirá esclarecer dúvidas do dia-a-dia na utilização do sistema

Leia mais

Manual NOV - PDV. Versão 1.0

Manual NOV - PDV. Versão 1.0 Manual NOV - PDV Versão 1.0 Sumário 01 Captura de Nota Fiscal...3 02 Remessa de Entrada...6 03 Remessa de Saída......9 04 Pedido Normal...12 05 Pedido Especial...16 06 Nota Fiscal Avulsa...18 07 Controle

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Movimentações... 4 Movimentações de Caixa... 4 Entradas... 6 Recebimento em Dinheiro... 8 Recebimento em Cheque... 8 Troco... 15 Saídas... 17 Movimentações de Banco... 22

Leia mais

Manual versão 12.3-08/03/2013-11:03:25 Sistema Integrado para Gestão de Frotas (11) 3025-6308

Manual versão 12.3-08/03/2013-11:03:25 Sistema Integrado para Gestão de Frotas (11) 3025-6308 O Sistema FleetMax foi desenvolvido com a finalidade de nossos clientes conseguirem liderar com a ferramenta completa o mercado no seu ramo de atividade e acelerar de forma automatizada as rotinas que

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

Manual Prático do Usuário

Manual Prático do Usuário Página 12 Saiba mais Em quanto tempo seu cliente recebe o produto Como é emitida a Nota fiscal e recolhido os impostos Pergunte ao Suporte Todos os pedidos serão enviados em até 24 horas úteis, após a

Leia mais

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Sumário Acessando o sistema gerencial... 1 Enviando logomarca, banners e destaques... 1 Logomarca... 1 Destaques... 2 Banners... 3 Cadastrando produtos... 4 Embalagem...

Leia mais

Página 1. Manual do Operador de Caixa

Página 1. Manual do Operador de Caixa Página 1 Manual do Operador de Caixa Página 2 Sumário Conhecendo a tela de abertura do sistema... 03 Tela principal do sistema... 05 Tela de consulta... 06 Inserir clientes na venda... 07 Funções especiais...

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão. Manual do Data: /07/00 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

1. Passos iniciais. Tutoriais para aprendizado e familiarização com o software Clique no item desejado para ser direcionado para a seção.

1. Passos iniciais. Tutoriais para aprendizado e familiarização com o software Clique no item desejado para ser direcionado para a seção. Tutoriais para aprendizado e familiarização com o software Clique no item desejado para ser direcionado para a seção. Índice 1. Passos iniciais... 2. Gerenciando tarefas... 3. Cadastro de pessoas... 4.

Leia mais

SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA. O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece?

SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA. O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece? SOFTWARE PARA ADMINISTRAÇÃO DE SALÕES DE BELEZA O seu salão já está utilizando os recursos que o sistema TEODORA oferece? Não? Então conheça o sistema que é a maior inovação tecnológica voltada para o

Leia mais

Manual SteelBOX Gestão e Automação de Estúdios Audiovisuais

Manual SteelBOX Gestão e Automação de Estúdios Audiovisuais Manual SteelBOX Gestão e Automação de Estúdios Audiovisuais Alterosa MG Do Software O SteelBOX é o melhor e mais completo software de gestão e automação de estúdios audiovisuais do país, nele pequenos

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

Apresentação... 11. Cadastro... 11.1 Dados cadastrais... 11.2 Notificações... 11.3 Logotipo... 11.4 Venda por estado...

Apresentação... 11. Cadastro... 11.1 Dados cadastrais... 11.2 Notificações... 11.3 Logotipo... 11.4 Venda por estado... Apresentação... 1. Painel de Controle... 2 1.1 Pedidos Pendentes... 3 1.2 Últimos 10 pedidos fechados... 3 1.3 Situação dos pedidos por status... 4 1.4 Total de vendas... 4 2. Financeiro... 2.1 Valores

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Caixa Visão Geral Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões... 4 3.2 Incluir Ponto de Venda (PDV)... 5 3.3 Vincular Conta e Empresa...

Leia mais

Prefeitura de Rio Verde GO. SEFAZ - Secretaria da Fazenda. DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas

Prefeitura de Rio Verde GO. SEFAZ - Secretaria da Fazenda. DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas Prefeitura de Rio Verde GO SEFAZ - Secretaria da Fazenda DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas DMS e Notas Fiscais Eletrônicas Rio Verde, GO, setembro 2009 1 Sumário INTRODUÇÃO... 03 LEGISLAÇÃO...

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação. Documento Controlado Impresso em 09/08/2012 - Revisão 01 1/30

Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação. Documento Controlado Impresso em 09/08/2012 - Revisão 01 1/30 2012 Manual do Sistema OS Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação FUNDEPAG 21/03/2012 Documento Controlado Impresso em 09/08/2012 - Revisão 01 1/30 Sumário 1. Conceito do Software... 3

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão.5 Manual do Data: 04/0/0 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FIMT

MANUAL DO USUÁRIO FIMT FÁCIL IMÓVEL MT MANUAL DO USUÁRIO FIMT GESTOR IMOBILIÁRIO SANDRO RAMIRO 05/06/2015 Manual completo de funcionalidade do Sistema FIMT. Versão 2.0 INTRODUÇÃO PÁGINA INICIAL 03 ANUNCIANTE 04 LANÇAMENTO 05

Leia mais

Os itens adicionados nesta lista serão retirados do estoque até que você os devolva.

Os itens adicionados nesta lista serão retirados do estoque até que você os devolva. Funções do Rackine. Será abordado aqui de forma simples e abreviada, as principais funções de cada tela do Rackine. Focando apenas em descrever o que cada parte do software faz. Para informações relativas

Leia mais

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X.

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Para iniciar o sistema dê um duplo clique no ícone, que se encontra na área de trabalho. 1 Login do sistema. Esta é a tela de login

Leia mais

MEGASALE PAF-ECF AOB SOFTWARE INFORMATICA LTDA

MEGASALE PAF-ECF AOB SOFTWARE INFORMATICA LTDA MEGASALE PAF-ECF 2 MEGASALE PAF-ECF Tabela de Conteúdo Introdução 4 Login Megasale PAF-ECF 5 Frente de Loja (E.C.F) 5 1 Buscando... uma Pré-Venda 9 2 Buscando... um DAV 12 Incluindo Pré-Venda 14 Incluindo

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB CNS LEARNING MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB Versão Online 13 Índice ÍNDICE... 1 VISÃO GERAL... 2 CONCEITO E APRESENTAÇÃO VISUAL... 2 PRINCIPAIS MÓDULOS... 3 ESTRUTURAÇÃO... 3 CURSOS... 4 TURMAS... 4

Leia mais

CUPOM ELETRÔNICO GBARBOSA. Manual do Conveniado

CUPOM ELETRÔNICO GBARBOSA. Manual do Conveniado CUPOM ELETRÔNICO GBARBOSA Manual do Conveniado 1. Acesso ao sistema Para ter acesso ao sistema, o conveniado deve solicitar ao Departamento Financeiro da Cencosud Brasil Comercial Ltda. (GBarbosa), o cadastro

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE LOCAÇÃO IMOBILIÁRIA LISTA DE ATUALIZAÇÕES NOVAS

SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE LOCAÇÃO IMOBILIÁRIA LISTA DE ATUALIZAÇÕES NOVAS SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE LOCAÇÃO IMOBILIÁRIA VERSÃO 7.0 LISTA DE ATUALIZAÇÕES NOVAS Todas as telas do sistema foram remodeladas para utilização da resolução de vídeo 1024 x 768, apresentando agora um

Leia mais

Guia Prático do Usuário

Guia Prático do Usuário Guia Prático do Usuário 3. O que esse Manual aborda Esse manual é um guia prático de utilização do sistema, ele aborda noções gerais sobre gerenciamento de sua empresa além de ter informações detalhando

Leia mais

Manual do Instar Mail Sumário

Manual do Instar Mail Sumário Manual do Instar Mail Sumário 1 - Apresentação do sistema... 2 2 - Menu cliente... 2 3 - Menu Importação... 5 4 - Menu Campanhas... 9 5 - Menu banco de arquivos... 16 6 - Menu agendamento... 16 7 - Menu

Leia mais

Gerenciador de Imóveis

Gerenciador de Imóveis Gerenciador de Imóveis O Corretor Top é o mais completo sistema de gestão de imóveis do mercado, onde corretores terão acesso à agenda, cadastro de imóveis, carteira de clientes, atendimento, dentre muitas

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

MÓDULO CLIENTE 1. O QUE PODE SER FEITO PELO SITE: 3 2. APRESENTAÇÃO DO SITE 4

MÓDULO CLIENTE 1. O QUE PODE SER FEITO PELO SITE: 3 2. APRESENTAÇÃO DO SITE 4 MÓDULO CLIENTE Conteúdo 1. O QUE PODE SER FEITO PELO SITE: 3 2. APRESENTAÇÃO DO SITE 4 2.2 HOME 4 2.3 A VALECARD 5 2.4 PRODUTOS 6 2.5 REDE CREDENCIADA 7 2.6 ROTA 9 2.7 CONTATO 9 3. EMPRESAS 11 3.1. ACESSO

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS 1. CONCEITO Master Vendas não é somente um sistema, e sim, um novo conceito de gestão para sua empresa. Foi desenvolvido por profissionais de informática juntamente com

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

O sistema possui 5 módulos para registros:

O sistema possui 5 módulos para registros: ÍNDICE 1 DESCRIÇÃO...4 2 ACESSO...6 3 DADOS CADASTRAIS...7 3.1 ATUALIZAR CADASTRO...7 3.2 TROCAR SENHA...8 4 GRUPO DE USUÁRIO...9 4.1 INCLUIR...9 4.2 ATUALIZAR...9 5 FUNCIONÁRIOS...10 5.1 INCLUIR...10

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN S U M Á R I O 1Tela de Login...2 2 Painel......3 3 Post...4 4 Ferramentas de Post...10 5 Páginas...14 6 Ferramentas de páginas...21 7 Mídias...25 8 Links......30 1 1- TELA DE LOGIN Para ter acesso ao wordpress

Leia mais

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 jfinanças Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFINANÇAS PESSOAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfinanças Pessoal...

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

Versão 3.0 CARBON SYSTEM. Manual do Software Controla Tudo. Manual do Controla Tudo

Versão 3.0 CARBON SYSTEM. Manual do Software Controla Tudo. Manual do Controla Tudo Versão 3.0 CARBON SYSTEM Manual do Software Controla Tudo Manual do Controla Tudo SOFTWARE PARA CONTROLE DE PONTO VIA IMPRESSÃO DIGITAL OU DÍGITOS Manual do Controla Tudo Versão 3.0 Carbon System Rua Coronel

Leia mais

Manual do Administrador

Manual do Administrador Manual do Administrador Acessando o sistema Após acessar o sistema através da tela de login, você deverá escolher qual prova você quer gerenciar. Se esta é a sua primeira vez utilizando o sistema, provavelmente

Leia mais

Sistema de Produção KJewel

Sistema de Produção KJewel Sistema de Produção KJewel O sistema de Produção do Kjewel foi inicialmente desenhado para atender as necessidades de uma indústria joalheira. Todavia, como as características da indústria de jóias são

Leia mais

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA Manual do Usuário SisCommercePDV NFC-e Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA MANUAL DO USUÁRIO SisCommercePDV Emissor de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) *Manual em desenvolvimento

Leia mais

BH PARK Software de Estacionamento

BH PARK Software de Estacionamento BH PARK Software de Estacionamento WWW.ASASSOFTWARES.COM.BR Índice 1 Informações Básicas... 1 1.1 Sair da aplicação... 1 1.2 Travar aplicação... 1 1.3 Licenciando a aplicação... 1 1.4 Contrato de Manutenção...

Leia mais

Manual do Usuário SystemFarma AutoCred

Manual do Usuário SystemFarma AutoCred Manual do Usuário SystemFarma AutoCred Objetivo O SystemFarma AutoCred foi desenvolvido com o intuito de facilitar a comunicação entre a automação comercial e o Servidor Central do SystemFarma. Com este

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA MEUSOFT MEI

MANUAL DO SISTEMA MEUSOFT MEI MANUAL DO SISTEMA MEUSOFT MEI www.meusoft.com.br Indice Item Descrição Pg 1. Objetivo e Principais Funcionalidades 3 2. Para acessar e instalar a aplicação 4 3. Conhecendo o MeuSoft MEI 6 3.0 Tela inicial

Leia mais

WF Processos. Manual de Instruções

WF Processos. Manual de Instruções WF Processos Manual de Instruções O WF Processos é um sistema simples e fácil de ser utilizado, contudo para ajudar os novos usuários a se familiarizarem com o sistema, criamos este manual. Recomendamos

Leia mais

Cetac - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com.

Cetac - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com. Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com.br SÃO PAULO - SP SUMÁRIO Introdução... 3 Autenticação no sistema administrativo... 4 Apresentação do sistema administrativo... 5 Gerenciamento

Leia mais

MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE

MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE C o n t r o l e E m p r e s a r i a l MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE s i s t e m a s SUMÁRIO INTRODUÇÃO CONCEITOS... 3 ENTRADA DIRETA DE PRODUTOS... 3 INCLUSÃO DE FORNECEDORES E CLIENTES...

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA

MANUAL PARA USO DO SISTEMA Clínicas Odontológicas MANUAL PARA USO DO SISTEMA (GCO) GERENCIADOR CLÍNICO ODONTOLÓGICO SmilePrev Versão 2.0 SmilePrev Clínicas Odontológicas www.smilepev.com 2008 REQUISITOS BÁSICOS DO SISTEMA HARDWARE

Leia mais

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13 Visão Empresa de Contabilidade Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse

Leia mais

Manual do Usuário. Vixen PDV

Manual do Usuário. Vixen PDV 1 Manual do Usuário Vixen PDV 2 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. ENTRANDO NO SISTEMA 4 2.1 TELA LOGIN 4 2.2 CARGA DE TABELAS LOCAIS 4 3. MENU INICIAL 5 4. BARRA DE STATUS 6 5. ABRINDO O CAIXA 6 6. VENDA 7 6.1

Leia mais

Preparativos iniciais

Preparativos iniciais Manual Stone Mobile ÍNDICE 03 03 04 04 05 06 07 07 08 08 09 11 Preparativos iniciais Instalação do Aplicativo Realizando seu cadastro Funções do Aplicativo Enviando uma transação Lista de Transações Realizadas

Leia mais

Circulação de Materiais

Circulação de Materiais Circulação de Materiais Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-3 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-0 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DE MATERIAIS... 3-1 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO

Leia mais

1. Informações sobre Inventário 2

1. Informações sobre Inventário 2 INVENTÁRIO 1. Informações sobre Inventário 2 2. Etapas do Inventário 3 2.1 Etapa 1: Premisas para o Inventário 3 2.1.1 Criando um Novo Inventário 7 2.2 Etapa 2: Contagem 20 2.2.1 Inserindo Contagem/Contagens

Leia mais

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE (Fonte: SEBRAE/MS SEBRAE/SC) APRESENTAÇÃO DE NEGÓCIOS Contabilidade é um trabalho minucioso que atua nas áreas fiscal, tributária e trabalhista; exigindo muita análise e tempo. Por isso, a maioria das

Leia mais

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Sumário Visão geral Bilhetagem Eletrônica... 3 1 TDMax Web Commerce... 4 1.1 Requisitos e orientações gerais... 4 2 Acesso... 5 2.1 Como realizar um cadastro usuário

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

Manual Ciaf NFC-e Gratuito. Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17

Manual Ciaf NFC-e Gratuito. Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17 Manual Ciaf NFC-e Gratuito Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17 1 Cadastro de Clientes Nesta opção iremos armazenar no sistema

Leia mais

ÍNDICE. Operações com o Cartão Ticket Car...

ÍNDICE. Operações com o Cartão Ticket Car... ÍNDICE Operações com o Cartão Ticket Car... POS Ticket Car :... Funções... Mensagens... Terminal TEF: Ticket Car Novo... Funções... Mensagens... Transação de Venda Manual... Procedimento... Obter boleto...

Leia mais

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial...

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial... 1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3 1.1. Conhecendo a Plataforma... 4 1.2. Seleção da Empresa de Trabalho... 4 1.3. Sair do Sistema... 5 1.4. Retornar a tela principal... 5 3. Configurações...

Leia mais

Gerencial Software MANUAL DO USUÁRIO 1

Gerencial Software MANUAL DO USUÁRIO 1 MANUAL DO USUÁRIO 1 SUMÁRIO Tela de Login... 3 Telas de Atualização e Informação... 3 Cadastro de Clientes... 7 Cadastro de Grupos... 7 Cadastro de Subgrupos... 8 Cadastro de Fornecedores... 8 Cadastro

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES

MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES MANUAL HELP-DESK DATACOM AUTOMAÇÕES Esse Manual tem como objetivo explicar todas as funções do novo sistema de abertura de chamados da Datacom Automações. Esse novo programa facilitará o atendimento entre

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO UNIVERSITÁRIO DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES SISTEMA 1ª EDIÇÃO SETEMBRO/2013

Leia mais

Manual do Sistema. SMARsa. Módulo WEB

Manual do Sistema. SMARsa. Módulo WEB Manual do Sistema SMARsa Módulo WEB Índice INTRODUÇÃO...1 OBJETIVOS....1 TELA DE LOGIN...2 Como Utilizar?...2 INICIANDO O TRABALHO...3 TELA INICIAL...3 PERDA DE CONEXÃO:...4 1. ADMINISTRAÇÃO...5 1.1. Alterar

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

Menu Acesso - Lista de Operações Acessíveis Trade Solution - Versão 2.23g

Menu Acesso - Lista de Operações Acessíveis Trade Solution - Versão 2.23g Menu Acesso - Lista de Operações Acessíveis Trade Solution - Versão 2.23g Esta listagem apresenta as operações de acesso de acordo com o módulo do Trade Solution onde elas causam impacto. Se a operação

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000

APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000 APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO II. INICIANDO O OUTLOOK 2000 III. OUTLOOK HOJE IV. ATALHOS DO OUTLOOK V. CONFIGURAR CONTA DE CORREIO ELETRÔNICO VI. RECEBER E-MAIL VII. FILTRAR MENSAGENS

Leia mais

PROPOSTA ELETRÔNICA DA INVESTORS TRUST PARA CONSULTORES

PROPOSTA ELETRÔNICA DA INVESTORS TRUST PARA CONSULTORES PROPOSTA ELETRÔNICA DA INVESTORS TRUST PARA CONSULTORES GUIA DO USUÁRIO www.investors-trust.com f Acessando a Plataforma de Proposta Eletrônica para Consultores Para acessar a plataforma de Proposta Eletrônica

Leia mais

FUTURA SISTEMAS. Futura Mobile. www.futurasistemas.com.br

FUTURA SISTEMAS. Futura Mobile. www.futurasistemas.com.br FUTURA SISTEMAS Futura Mobile APRESENTAÇÃO O Futura Mobile é o sistema denominado como Força de Vendas onde o usuário executará as vendas a partir de Tablets e Smartphones. Foi desenvolvido para a plataforma

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO M3

MANUAL DO USUÁRIO DO M3 MANUAL DO USUÁRIO DO M3 1 CADASTROS 1.1 Clientes Abre uma tela de busca na qual o usuário poderá localizar o cadastro dos clientes da empresa. Preencha o campo de busca com o nome, ou parte do nome, e

Leia mais

Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2

Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2 Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2 CONFIGURAÇÕES DA GUIA GERAIS DO STOREMANAGER... 2 Seção Geral... 2 BOTÕES DE CONFIRMAÇÃO... 3 Seção Código de Barras... 4 Seção Abertura / Fechamento de Caixa...

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13 1-13 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco.

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. Sistema integrado para emissão de nota fiscal eletronica NF-e Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. OmegaBYTE Informática Fones (51) 37375070 (51)

Leia mais

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco.

Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. Sistema integrado para emissão de nota fiscal eletronica NF-e Personalize o sistema de acordo com as necessidades de sua empresa entre em contato conosco. OmegaBYTE Informática Fones (11) 4458-0022 (11)

Leia mais

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Diário On-line Apresentação ----------------------------------------------------------------------------------------- 5 Requisitos Básicos

Leia mais

TUTORIAL DO USUÁRIO CRM SOLUTION EM 05/02/2011

TUTORIAL DO USUÁRIO CRM SOLUTION EM 05/02/2011 TUTORIAL DO USUÁRIO CRM SOLUTION EM 05/02/2011 Manual de operação revisão 20110205 Pagina 1/18 Login no Sistema Para poder utilizar o sistema. 1 - Receba com o gestor do sistema o endereço na WEB no qual

Leia mais

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1 Manual do Usuário Central de Agendamento Versão 1.1 Maio, 2014 Central de Agendamento Manual de utilização Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Setor: Coordenação de Sistemas - COSIS Histórico de Revisões

Leia mais

Treinamento Módulo Contas a Pagar

Treinamento Módulo Contas a Pagar Contas a Pagar Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla F2 Gravar Tecla

Leia mais

Manual de utilização do Relatório de Viagens

Manual de utilização do Relatório de Viagens Manual de utilização do Relatório de Viagens Os Módulos do Sistema de Relatório de Viagens foram criados tendo com base a Regulamentação de Viagem da MGS - Minas Gerais Administração e Serviços S/A (RG/AD/02/10ª).

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma

Leia mais

Manual do Usuário Sistema ERP - Albatroz

Manual do Usuário Sistema ERP - Albatroz Manual do Usuário Sistema ERP - Albatroz Módulo Caixa Super Revisão: 2011.01 Data: 01/01/2011 SISTEMA ERP - ALBATROZ Manual do Usuário Sumário 1 MÓDULO CAIXA SUPER...3 1.1 Acesso ao módulo...3 1.2 Tela

Leia mais

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município Após receber a confirmação de aceite do Credenciamento via e-mail já é possível efetuar o login no sistema

Leia mais

1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 3. FORMAS DE ACESSO... 1 4. COMO ACESSAR O SISTEMA?... 1 5. ESQUECI MINHA SENHA, O QUE DEVO FAZER?... 2 6.

1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 3. FORMAS DE ACESSO... 1 4. COMO ACESSAR O SISTEMA?... 1 5. ESQUECI MINHA SENHA, O QUE DEVO FAZER?... 2 6. 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 3. FORMAS DE ACESSO... 1 4. COMO ACESSAR O SISTEMA?... 1 5. ESQUECI MINHA SENHA, O QUE DEVO FAZER?... 2 6. COMO FAZER UMA SOLICITAÇÃO DE VIAGEM?... 3 7. COMO FAZER A

Leia mais

Visão Cliente da Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13

Visão Cliente da Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13 Visão Cliente da Empresa de Contabilidade Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas

Leia mais

Manual do sistema SMARsa Web

Manual do sistema SMARsa Web Manual do sistema SMARsa Web Módulo Gestão de atividades RS/OS Requisição de serviço/ordem de serviço 1 Sumário INTRODUÇÃO...3 OBJETIVO...3 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo gestão de atividades...4

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa 1 Manual para emissão de Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa Microempreendedor Individual 2014. INTRODUÇÃO A Nota Fiscal Eletrônica Avulsa (NF-e Avulsa)

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?...

Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?... Sumário INTRODUÇÃO... 3 O QUE É CNAB?... 3 QUAL O OBJETIVO DO CNAB?... 3 QUAIS BANCOS E CARTEIRAS O EMPRESÁRIO ERP NOS FORNECE?... 4 COMO CONFIGURAR O CNAB... 5 CADASTRO DE BANCOS... 5 PARAMETROS DO CNAB...

Leia mais

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO 2012 TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 PÓS MÉDIO 1 AULA 1 Verificação de Erros cometidos no Domínio Escrita Fiscal Para verificar o que já foi realizado no domínio escrita fiscal (e também

Leia mais