CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS"

Transcrição

1 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS Rogério Luiz Coelho 1 Resumo A proposta deste estudo é a de fornecer ao leitor uma compreensão das diversas categorias nominativas utilizadas durante o processo de fiscalização da constitucionalidade de uma lei ou ato normativo. Tal preocupação se justifica, uma vez que, no tocante à sua aplicabilidade, as formas de manifestação do controle envolvem várias questões que se entrelaçam no estudo do tema, indo desde a indagação sobre qual o órgão encarregado de apreciar a matéria, até o modo de manifestação e provocação. Para tanto, analisamos os pressupostos para fiscalização da constitucionalidade dos atos normativos, bem como definimos institutos jurídicos essências para compreensão do sistema de controle de constitucionalidade brasileiro. Palavras chave: controle de constitucionalidade, pressupostos, conceitos operacionais. Abstract The purpose of this study is to provide the reader with an understanding of the different word categories used during the review of the constitutionality of a law or normative act. This concern is justified, since, in terms of its applicability, the forms of manifestation of control involve several issues that are intertwined in the study of the subject, ranging from the question about which the body responsible for assessing the matter, even the way demonstration and provocation. For this purpose, we analyze the conditions for review of constitutionality of normative acts, as well as define legal institutions to understand the essence of judicial system in Brazil. Keywords: judicial review, assumptions, operational concepts. 1 Professor da UNIPAC-Araguari. 1

2 1 Pressupostos do controle É cediço que o controle de constitucionalidade tem por objetivo primordial a defesa da Constituição. A Constituição, por sua vez, dever ser considerada como um conjunto estruturado, não de partes que se adicionam ou se somam, mas de elementos e membros que se enlaçam num todo unitário, que tem, como forma um complexo de normas; como conteúdo, a conduta motivada pelas relações sociais (econômicas, políticas, religiosas, etc.); como fim, a realização dos valores que apontam para o existir da comunidade; e finalmente como causa criadora e recriadora, o poder 2. Estabelecidas tais premissas questiona-ser: Se a Constituição, considerada como lei fundamental de um Estado, carece do sistema de controle de constitucionalidade para se auto-proteger, seria legítimo, portanto, concluir que todo Estado Constitucional, utiliza-se da fiscalização constitucional para efetivar suas matrizes fundamentais? A problemática da indagação exige sejam colocados e definidos, para o exercício do controle, certos pressupostos básicos, haja vista que inexistindo estes não a que se aceitar aquele como mecanismo de concretização constitucional. Para tanto, de maneira geral é possível elencar os seguintes requisitos: a) existência de uma Constituição formal; b) compreensão da Constituição como lei fundamental (rigidez e supremacia constitucionais; distinção entre leis ordinárias e leis constitucionais); c) previsão de pelo menos um órgão dotado de competência para o exercício dessa atividade A Constituição Formal A palavra Constituição abrange toda uma gradação de significados. Em 2 SILVA, José Afonso da. Aplicabilidade das normas constitucionais. 3 ed. São Paulo: Malheiros, p.36 3 CLÈVE, Clèmerson Merlin. A fiscalização abstrata da constitucionalidade no direito brasileiro. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, pág

3 sentido amplo, Constituição é toda a forma de um corpo; em nossa disciplina, emprestando um sentido mais restrito, é a particular maneira de ser do Estado. Do ponto de vista material, a Constituição é o conjunto de normas pertinentes à organização do poder, à distribuição de competência, ao exercício da autoridade, à forma de governo, aos direitos da pessoa humana, enfim, tudo quanto for conteúdo básico referente à composição e ao funcionamento da ordem política. 4 Debaixo desse aspecto, não há Estado sem Constituição, visto que em toda sociedade o poder encontra-se arranjado de certo modo, havendo, ainda que apoiada em arquitetura rudimentar, uma determinada distribuição de tarefas entre os diversos órgãos competentes da Coletividade Política. Todavia, o controle de constitucionalidade exige mais do que uma Constituição Material. Exige uma Constituição em que o processo de elaboração ou modificação das normas constitucionais se diferencie da categoria das normas ordinárias. Esta especificidade traduz-se no quorum exigido para aprovação, na existência de um órgão especial para elaboração, na iniciativa reservada. 5 Demanda, portanto, o reconhecimento de uma Constituição escrita, pois esta é a forma que possibilitaria a realização de uma Constituição formal pressuposto do controle e que considera como elemento discriminatório o regime jurídico das normas cujos preceitos só podem ser modificados através de um processo especial, mais difícil do que o exigido para elaboração das leis ordinárias. Nesse sentido, nos países que prescindem da noção de Constituição escrita, como a Inglaterra Constituição costumeira não há razão para aceitar o controle de constitucionalidade das leis, eis que não existindo dualidade de processos para elaboração normativa a diferença entre lei ordinária e lei constitucional inexiste, por conseguinte desaparece a superioridade destas em relação àquelas. Contudo, não se quer afirmar que a Constituição escrita é pressuposto 4 BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 8. ed. São Paulo: Malheiros, p FERRARI, Regina Maria Macedo Nery. Efeitos da declaração de inconstitucionalidade. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, p

4 suficiente para justificar uma operação de controle de constitucionalidade. É indispensável, também, a compreensão da Constituição como lei fundamental, visto que somente algo que se reconheça como fundamental para um Estado, pode requerer a fiscalização da constitucionalidade das leis. Por outro lado, compreender a Constituição como mandamento essencial exige-se interligar pelo menos três conceitos básicos: a) rigidez constitucional; b) supremacia constitucional; c) distinção entre lei constitucional e lei ordinária. 1.2 A Constituição como Lei Fundamental Foi a partir da existência de constituições escritas que se pode falar em superioridade da lei constitucional frente à ordinária. Com isso, porém, não se quer dizer que em todas as constituições do tipo escrito encontramos superioridade. É necessária uma formal diferença entre leis constitucionais e leis ordinárias, fato este que nos leva a distinção entre constituições rígidas e flexíveis. Diz-se flexível a Constituição cujo processo de reforma coincide com o modo de produção da legislação ordinária, inexistindo diferença formal entre norma constitucional e norma infraconstitucional. 6 Já a rigidez constitucional traduz a necessidade de um processo especial para reforma da Constituição, distinto e, em regra, mais oneroso e complexo do que o necessário para a edição das leis infraconstitucionais. 7 Portanto, o sistema rígido de Constituição, bem como a distinção entre poder constituinte e poder constituído, formam o fundamento do princípio da supremacia constitucional, uma vez que colocam a Constituição no topo de ordenamento jurídico, servindo de embasamento de validade de todas as demais normas. Nesse ínterim, vê-se que só é possível verificar o controle em sistemas de caráter constitucional escrito-rígido, já que só onde se haja estabelecido uma formal diferenciação entre as leis constitucionais e ordinárias de tal 6 BARROSO, Luís Roberto. Interpretação e aplicação da constituição. São Paulo: Saraiva, p Idem, ibidem, p

5 forma a reconhecer a superioridade daquela frente a esta é que existe a necessidade de comprovar a adequação das primeiras frente às segundas. O resultado de ordem prática da compreensão da Constituição como Lei Fundamental traduz-se em uma superlegalidade formal e material. A superlegalidade formal identifica a Constituição como a fonte primária da produção normativa, ditando competências e procedimentos para a elaboração dos atos normativos inferiores. E a superlegalidade material subordina o conteúdo de toda a atividade normativa estatal à conformidade como os princípios e regras da Constituição. A inobservância dessas prescrições formais e materiais deflagra um mecanismo de proteção da Constituição, conhecido na sua matriz norteamericana como judicial review, e batizado entre nós de controle de constitucionalidade Existência de um órgão competente A instituição das regras acima expostas faz surgir a necessidade de se ter um órgão para controlar a constitucionalidade das leis. Ocorre, porém, que com essa necessidade surgiu um grande problema que tem dividido os Estados cultores das Constituições rígidas: A que órgão confiar o controle da constitucionalidade das leis? Conforme a natureza do órgão encarregado de exercê-lo, o controle pode ser classificado em político, jurisdicional ou misto. No controle político, a verificação de compatibilidade das normas com a Constituição Federal é reservada a um órgão sem poder jurisdicional, ou seja, que não compõe a estrutura do Poder Judiciário, geralmente uma corte constitucional autônoma, como por exemplo na França. O controle jurisdicional, por sua vez, é o exercido por órgãos integrantes da estrutura do Poder Judiciário. No Brasil, apesar dos Poderes Legislativo e Executivo realizarem a verificação de compatibilidade, a função precípua é do Judiciário, razão pela qual é o sistema por nós adotado. 8 BARROSO, Luís Roberto. Interpretação e aplicação da constituição. São Paulo: Saraiva, pág

6 De se observar que nesse sistema a identificação do órgão jurisdicional responsável depende do tipo de controle. No controle concentrado, o órgão é o STF, quando o ato normativo for questionado em face da Constituição Federal. No controle difuso, todo e qualquer juiz o tribunal possui competência para declarar a inconstitucionalidade das normas. Já no controle misto, temos certas categorias de leis se submetendo ao controle político e outras ao controle jurisdicional. É o controle adotado na Suíça, já que no referido país as leis locais são submetidas ao controle do Poder Judiciário, enquanto as leis federais ficam a cargo da Assembléia Nacional. 9 2 Conceito de Inconstitucionalidade O transitar pelo terreno da fiscalização da constitucionalidade exige o domínio de alguns conceitos a todo momento utilizados. Bem por isso, convém precisar a noção de inconstitucionalidade e oferecer um panorama a respeito de sua tipologia. 10 Nesse sentido, traz-se à baila os irretocáveis ensinamentos de Regina Maria Macedo Nery Ferrari: Concernente à supremacia constitucional, isto é, ao fato de que a Constituição é a lei fundamental da ordem jurídica, ou, ainda, que para uma norma ser válida necessita buscar sua validade na norma superior de tal forma que, sistematicamente escalonada em um ordenamento jurídico, a sua unidade reduz-se à conformação de todo o ordenamento jurídico á lei fundamental, que, considerada como a de maior escalão, é orientadora da produção de todas as demais normas do sistema, encontra-se a impossibilidade de as normas inferiores, que buscam validade nas normas superiores, 9 SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional. 15. ed. São Paulo: Malheiros, pág CLÈVE, Clèmerson Merlin. A fiscalização abstrata da constitucionalidade no direito brasileiro. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, p

7 contrariem estas e conseqüentemente a Constituição. 11 Chega-se dessa forma à noção de inconstitucionalidade (situação ou estado decorrente de um ou de vários vícios), a qual a maioria da doutrina costuma definir como a desconformidade do conteúdo veiculado pelo ato normativo como algum preceito ou principio constitucional (inconstitucionalidade material), ou vício no devido processo de criação dos atos infraconstitucionais. (inconstitucionalidade formal). 12 Por outro lado, o vício de inconstitucionalidade emanado pelo Poder Público pode estar relacionado com uma ação ou com a inexistência dessa ação. A primeira, denominada de inconstitucionalidade por ação, resulta da prática de ato que, por qualquer de seus elementos, viola a Constituição. Já a inconstitucionalidade por omissão advém da inércia ou do silêncio de qualquer órgão do poder, que deixa de praticar o ato exigido pela Constituição. 13 Nesse sentido, a Lei Maior, obra do poder constituinte, só será efetivamente cumprida quando da atuação dos poderes constituídos no sentido de preencher os espaços deixados à sua atuação. Essa atuação do poder constituído pode significar a edição de uma lei, como a realização de qualquer medida necessária à efetiva aplicação e cumprimento da Constituição. Na verdade, representa um poder-dever constitucionalmente determinado O controle e suas formas de manifestação O objetivo deste tópico é proporcionar ao leitor uma visualização e compreensão das diversas categorias nominativas utilizadas durante o processo de fiscalização da constitucionalidade de uma lei ou ato normativo. Tal preocupação se justifica, uma vez que, no tocante à sua 11 FERRARI, Regina Maria Macedo Nery. Efeitos da declaração de inconstitucionalidade. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, p CLÈVE, Clèmerson Merlin. A fiscalização abstrata da constitucionalidade no direito brasileiro. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, pág FERRARI, Regina Maria Macedo Nery. Efeitos da declaração de inconstitucionalidade. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, p Idem, ibidem, p

8 aplicabilidade, as formas de manifestação do controle envolvem várias questões que se entrelaçam no estudo do tema, indo desde a indagação sobre qual o órgão encarregado de apreciar a matéria, até o modo de manifestação e provocação. Englobando as diversas formas de manifestação do controle de constitucionalidade, Clèmerson Clève 15, Gilmar Ferreira Mendes 16, Gomes Canotilho 17, José Afonso da Silva 18, Luís Roberto Barroso 19, Paulo Bonavides 20 e Regina Maria Macedo Nery Ferrari 21 oferecem elementos que permitem organizar o seguinte quadro: I QUEM CONTROLA: os sujeitos do controle (natureza do órgão exercente): 1. controle político; 2. controle jurisdicional: a) sistema difuso ou americano 3. misto b)sistema concentrado ou austríaco II O QUE SE CONTROLA: o objeto do controle: 1. ação do Poder Público 2. omissão do Poder Público 15 CLÈVE, Clèmerson Merlin. A fiscalização abstrata da constitucionalidade no direito brasileiro. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, MENDES, Gilmar Ferreira. Jurisdição constitucional. 3. ed. São Paulo: Saraiva, CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito constitucional. 6. ed. Coimbra: Almedina, SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional. 15. ed. São Paulo: Malheiros, BARROSO, Luís Roberto. Interpretação e aplicação da constituição. São Paulo: Saraiva, BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 8. ed. São Paulo: Malheiros, FERRARI, Regina Maria Macedo Nery. Efeitos da declaração de inconstitucionalidade. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais,

9 III COMO SE CONTROLA: o tempo do controle (momento de sua realização): 1. controle preventivo (ou a priori); 2. controle repressivo (sucessivo ou a posteriori) IV COMO SE CONTROLA: o modo de controle: 1. controle por via incidental; 2. controle por via principal; 3. controle abstrato e controle concreto: 4. controle por via de exceção e controle por via de ação Nesse sentido, para defender a supremacia constitucional contra as inconstitucionalidades existem três sistemas de controle de constitucionalidade: o político, o jurisdicional e o misto. Segundo José Afonso da Silva o Controle político é o que entrega a verificação da inconstitucionalidade a órgãos de natureza política, tais como: o próprio Poder Legislativo, solução predominante na Europa no século passado; ou um órgão especial, como o Presidium do Soviete Supremo da ex-união Soviética (Constituição da URSS, art. 121, n.4); e o Conseil Constitutionnel da vigente Constituição francesa de 1958 (arts. 56 a 63). 22 O controle jurisdicional é o sistema em que a apreciação será sempre feita pelo Poder Judiciário que, de resto é o órgão a quem compete a última palavra sobre o Direito. Nestes termos, o próprio art. 5º, XXXV, expressamente consagra que a lei não excluirá da apreciação do judiciário lesão ou ameaça de Direito. Não se discute qual seja a lesão a Direito, ou que Direito seja lesionado, basta que alguém alegue violação ou ameaça a Direito seu e estarão abertas as portas do Poder Judiciário para a apreciação. Trata-se de sistema que teve 22 SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional. 15. ed. São Paulo: Malheiros, p

10 origem nos Estados Unidos e é o adotado pelo Brasil. Por outro lado, o controle jurisdicional concebe outras duas formas de sistema: sistema difuso ou americano e o sistema concentrado ou austríaco. No difuso a competência para fiscalizar a constitucionalidade das leis é reconhecida a qualquer juiz chamado a fazer a aplicação de uma determinada lei a um caso concreto submetido à apreciação judicial 23. Já no sistema concentrado a competência para julgar definitivamente acerca da constitucionalidade das leis é reservada a um único órgão, que concentra o exercício no Supremo Tribunal Federal e nos Tribunais de Justiça dos Estados-membros. O misto, por sua vez, realiza-se quando a Constituição submete certas categorias de leis ao controle político e outras ao controle jurisdicional, como ocorre na Suíça, onde as leis federais ficam sob controle político da Assembléia Nacional, e as leis locais sob o controle jurisdicional. 24 De mais a mais, é imperativo ressaltar que a violação da Constituição não se configura apenas pela ação dos Poderes Públicos. Tanto se ofende o Direito fazendo o que ele proíbe como não fazendo o que ordena. Assim que as inconstitucionalidades podem ser cometidas tanto por ação quanto por omissão do Poder Legislativo, ou seja, quando esta elabora legislação infraconstitucional que afronta a Constituição, ou quando fica inerte, isto é, não elabora a legislação infraconstitucional exigida pelo texto constitucional 25. Outra forma de manifestação do controle pauta-se pelo ingresso da lei ou ato normativo no ordenamento jurídico. Assim, enquanto o controle preventivo pretende impedir que alguma norma maculada pela eiva da inconstitucionalidade ingresse no ordenamento jurídico, o controle repressivo busca dele expurgar a norma editada em despeito à Constituição. Por derradeiro, observa-se que para atacar tanto as ações quanto omissões dos Poderes Públicos, o controle judicial ou jurisdicional da 23 CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito constitucional. 6. ed. Coimbra: Almedina, pág SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional. 15. ed. São Paulo: Malheiros, pág BESTER, Gisela Maria. Cadernos de direito constitucional: parte I: Teoria constitucional. Porto Alegre: Síntese, pág

11 constitucionalidade dos atos normativos estatais apresenta duas modalidades, ou seja, assume forma bipartite: a) Controle de Constitucionalidade Difuso, Concreto, Incidental, por via de Exceção ou Indireto. Este modelo de Controle da constitucionalidade surgiu nos EUA, em 1803, por obra do juiz John Marshall, no famoso caso Marbury versus Madison. É conhecido lá como Judicial Review, contemplando o principio do Stare Decisis (estando as coisas assim), em que embora não se preveja um órgão judicial especialmente destinado ao controle, os órgãos judiciários inferiores estão vinculados às decisões preferidas pelos Tribunais Superiores. Baseia-se no critério de interpretação das leis pelos juizes conforme o postulado lei superior derroga lei inferior. Vale dizer que com este modelo é que nasceu toda a teoria a respeito de controle de constitucionalidade amplamente falado. Foi acatado em 1890, ainda pela Constituição Provisória e se oficializou na Constituição Republicana de 1891, perdurando até hoje. Diz-se difuso porque é permitido a qualquer órgão judicial, independentemente de sua hierarquia, ou seja, a competência para apreciar a matéria constitucional não se limita a um único órgão, mas se estende a todos. Diz-se concreto porque é suscitado em um caso concreto (situação especifica) que está sob a apreciação do Poder Judiciário. Incidental por se um incidente no processo principal (surge como um incidente em relação à causa principal). Diz-se, por fim, por exceção e indireto, porque o arguente age apenas em defesa de seu interesse, isto é, não é arguido em uma ação específica e proposta diretamente para tal, mas enquanto matéria de defesa (exceção processual) em um pleito em andamento. 26 Desse modo, este sistema é feito no caso concreto por qualquer órgão do Poder judiciário, de qualquer instância, nos processos de sua competência. A questão constitucional não é objeto da causa, apenas surge como um incidente lógico a ser resolvido sem o que não se pode passar ao mérito. 26 BESTER, Gisela Maria. Cadernos de direito constitucional: parte I: Teoria constitucional. Porto Alegre: Síntese, p

12 Observa-se, ainda, que no controle difuso, só se declara a inconstitucionalidade de uma norma pelo voto da maioria absoluta dos membros dos tribunais ou dos respectivos órgãos especiais (art. 97 da CF/88), valendo esta regra também para o Supremo Tribunal Federal. Mencionado dispositivo, na realidade, trata do Princípio da Reserva de Plenário, o que significa que o órgão fracionário do Tribunal (Turma, Câmara, Seção) não poderá declarar a inconstitucionalidade da lei. 27 b) Controle de Constitucionalidade Concentrado, Abstrato, Principal, por via de Ação ou Direto. Seu surgimento oficial deu-se na Constituição Austríaca de 1º de outubro de 1920, com a criação de uma Corte Constitucional com base nas idéias de Hans Kelsen, sendo que tal Corte era incumbida de apreciar a legitimidade dos atos estatais face à Constituição 28. Foi inserido no Brasil em 1965, pela Emenda Constitucional nº. 16/65 com competência exclusiva para a sua propositura atribuída ao Procurador-Geral da República e julgamento pelo Supremo Tribunal Federal, sendo que inicialmente se realizava por meio de Representação de Inconstitucionalidade e não por uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, o que se veio a ser instituído em 1988, com a promulgação da atual Constituição Federal. Importante esclarecer que o controle concentrado de constitucionalidade baseia-se em uma doutrina contraposta aos fundamentos do controle difuso, especificamente pelo fato de que neste, qualquer juiz ou Tribunal, ao interpretar o direito, deve primar pela prevalência da Constituição sobre qualquer lei que lhe seja contraria e naquele, ao contrario, é defeso, aos juizes comuns apreciar a constitucionalidade das leis, eis que esta tarefa passa 27 CAPEZ, Fernando. Direito constitucional. 7. ed. São Paulo: Edições Paloma, p Idem, ibidem, pág

13 a ser reservada somente a um órgão (art. 102, I, CF/88) 29. De outra forma, diz-se abstrato porque não leva em conta um caso ou situação concreta, mas sempre em relação à lei considerada em tese, abstratamente; Diz-se principal, pois existem ações específicas para tal, nas quais a argüição de inconstitucionalidade é o objeto em discussão; Por fim, o sistema se diz por ação porque é feito exclusivamente com a propositura de ação direta de inconstitucionalidade. OBS: Quadro Comparativo: CONTROLE DIFUSO (OU ABERTO) CONTROLE CONCENTRADO OU RESERVADO (MATRIZ AMERICANA) EUA (MATRIZ AUSTRÍACA) Áustria Todos os órgãos do Poder Judiciário realizam Apenas o órgão de cúpula do Poder Judiciário (sejam Juízes ou Tribunais) realiza (no âmbito federal, STF; no âmbito estadual o Tribunal de Justiça) 29 BESTER, Gisela Maria. Cadernos de direito constitucional: parte I: Teoria constitucional. Porto Alegre: Síntese, pág

14 Ocorre pela Via Incidental (de defesa ou exceção) Ocorre pela Via Principal (de ação direta) (ADI GENÉRICA, ADI POR OMISSÃO, ADC, ADPF) Analisa-se o caso concreto (controle concreto) Analisa-se a lei em tese (controle abstrato) (processo subjetivo) (processo objetivo) Referências bibliográficas BARROSO, Luís Roberto. Interpretação e aplicação da constituição. São Paulo: Saraiva, BESTER, Gisela Maria. Cadernos de direito constitucional: parte I: Teoria constitucional. Porto Alegre: Síntese, BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 8. ed. São Paulo: Malheiros, CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito constitucional. 6. ed. Coimbra: Almedina,

15 CAPEZ, Fernando. Direito constitucional. 7. ed. São Paulo: Edições Paloma, LÈVE, Clèmerson Merlin. A fiscalização abstrata da constitucionalidade no direito brasileiro. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, FERRARI, Regina Maria Macedo Nery. Efeitos da declaração de inconstitucionalidade. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, MENDES, Gilmar Ferreira. Jurisdição constitucional. 3. ed. São Paulo: Saraiva, SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional. 15. ed. São Paulo: Malheiros,

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL Faculdade do Vale do Ipojuca - FAVIP Bacharelado em Direito Autorizado pela Portaria nº 4.018 de 23.12.2003 publicada no D.O.U. no dia 24.12.2003 Curso reconhecido pela Portaria Normativa do MEC nº 40,

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes CONCEITO: É o procedimento de verificar se uma lei ou ato normativo (norma infraconstitucional) está formalmente e materialmente de acordo com a Constituição. Controlar significa

Leia mais

Faculdade Pitágoras de Ipatinga Campus Bom Retiro Direito Constitucional III

Faculdade Pitágoras de Ipatinga Campus Bom Retiro Direito Constitucional III 1. CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE 1.1. Noções gerais. 1.2. Espécies de inconstitucionalidade. 1.3. Teoria geral do controle de constitucionalidade. 1.4. Modelos de controle de constitucionalidade. 1.5.

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE INTRODUÇÃO: o controle de constitucionalidade só é possível nos sistemas jurídicos em que vige uma Constituição escrita e rígida, pois é tão somente nesses sistemas jurídicos

Leia mais

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa:

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: Conceito Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: a) impedir a subsistência da eficácia de norma contrária à Constituição (incompatibilidade vertical) b) conferir eficácia plena

Leia mais

Sentidos tradicionais de constituição. Preâmbulo. Constituição Sociológica. Constituição Sociológica. Constituição Jurídica. Constituição Jurídica

Sentidos tradicionais de constituição. Preâmbulo. Constituição Sociológica. Constituição Sociológica. Constituição Jurídica. Constituição Jurídica Preâmbulo Sentidos tradicionais de constituição 1) IRRELEVANCIA JURIDICA Natureza Jurídica do Preâmbulo? 2) PLENA EFICÁCIA CONSTITUIÇÃO SOCIOLÓGICA CONSTITUIÇÃO JURÍDICA CONSTITUIÇÃO POLÍTICA 3) TESE DA

Leia mais

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro Nota sobre o objeto e o objetivo do livro Nota sobre a forma de utilização do livro 1 Leitura ativa, xxv 2 Ensino participativo, xxvii 3 Utilização da bibliografia, xxviii Introdução - O que é "processo

Leia mais

ARTIGO: Efeitos (subjetivos e objetivos) do controle de

ARTIGO: Efeitos (subjetivos e objetivos) do controle de ARTIGO: Efeitos (subjetivos e objetivos) do controle de constitucionalidade Luís Fernando de Souza Pastana 1 RESUMO: há diversas modalidades de controle de constitucionalidade previstas no direito brasileiro.

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE AULA PROFESSOR: Antonio Isidoro Piacentin Disciplina: Direito Constitucional II Etapa: ()1ª ( ) 2ª ( ) 3ª ( x ) 4ª Turmas: ( ) F ( ) G (x ) P 1. OBJETIVOS: 1.1. Oferecer aos alunos os conceitos

Leia mais

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida 1 Controle da Constitucionalidade 1. Sobre o sistema brasileiro de controle de constitucionalidade, é correto afirmar que: a) compete a qualquer juiz ou tribunal, no primeiro caso desde que inexista pronunciamento

Leia mais

Controle de Constitucionalidade. Desenvolvido por :

Controle de Constitucionalidade. Desenvolvido por : Controle de Constitucionalidade Desenvolvido por : Prof. Raul de Mello Franco Júnior e-mail: raul@mp.sp.gov.br Página: www.raul.pro.br Versão para Impressão www.tonirogerio.com.br Conceito Controlar a

Leia mais

Faculdade de Direito de Sorocaba. Direito Constitucional II

Faculdade de Direito de Sorocaba. Direito Constitucional II Faculdade de Direito de Sorocaba Direito Constitucional II Controle da constitucionalidade O controle da constitucionalidade na Constituição Federal Art.. 102, I, a ADI e ADC Art.. 103,? 2º - ADI-omissão

Leia mais

Controle de Constitucionalidade (Princípios Norteadores)

Controle de Constitucionalidade (Princípios Norteadores) 53 Controle de Constitucionalidade (Princípios Norteadores) Camila Novaes Lopes Juíza de Direito do II Juizado Especial Cível - Capital Durante o curso de Controle de Constitucionalidade ministrado pela

Leia mais

AMANDA RESENDE DE SOUZA O AMICUS CURIAE NO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE

AMANDA RESENDE DE SOUZA O AMICUS CURIAE NO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE Centro Universitário de Brasília - UNICEUB Faculdade de Ciências Jurídicas e de Ciências Sociais FAJS AMANDA RESENDE DE SOUZA O AMICUS CURIAE NO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE Brasília 2012 AMANDA

Leia mais

INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA

INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA I. Anotações de aula II. Simulado III. Lousas I. ANOTAÇÕES DE AULA

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO I) CONCEITO: Também chamado de controle pela via de exceção ou de defesa ou controle aberto, o controle difuso pode ser realizado por qualquer juiz ou tribunal.

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE

DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...7 CAPÍTULO I JUSTIFICATIVA, ASPECTOS HISTÓRICOS E SISTEMAS EXISTENTES DE CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE...19 1. Justificativa

Leia mais

CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE: STF REVOLUCIONOU NOSSA PIRÂMIDE JURÍDICA

CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE: STF REVOLUCIONOU NOSSA PIRÂMIDE JURÍDICA CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE: STF REVOLUCIONOU NOSSA PIRÂMIDE JURÍDICA Elaborado em 01.2009 Luiz Flávio Gomes Doutor em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri, mestre

Leia mais

Professora Chrystiane Mariz

Professora Chrystiane Mariz Professora Chrystiane Mariz -> CF, EC -> LC, LO, MP -> Atos da administração (ex: portarias) 1* Tratados internacionais sem ser de direitos humanos -> LC, LO, MP 2* Tratados internacionais de direitos

Leia mais

O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO PROCESSO LEGISLATIVO

O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO PROCESSO LEGISLATIVO O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO PROCESSO LEGISLATIVO Maurício José de Mendonça Júnior 1 Resumo: Este artigo tem por objetivo a análise do controle de constitucionalidade no processo legislativo, denominado

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE - UNIANDRADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CURSO DE EXTENSÃO Professor: José Henrique Cesário Pereira.

CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE - UNIANDRADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CURSO DE EXTENSÃO Professor: José Henrique Cesário Pereira. Professor: José Henrique Cesário Pereira PARTE IV CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE DAS LEIS. AÇÃO DECLARATÓRIA DE CONSTITUCIONALIDADE (ADECON ou ADC) - Lei n. 9.868, de 10.11.99 CONCEITO A Ação Declaratória

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Estado KWY editou norma determinando a gratuidade dos estacionamentos privados vinculados a estabelecimentos comerciais, como supermercados, hipermercados, shopping

Leia mais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais O Supremo Tribunal Federal possui o poder de decidir sobre a constitucionalidade das normas jurídicas que foram aprovadas antes da entrada

Leia mais

ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL

ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Direito Constitucional / Aula 13 Professor: Marcelo L. Tavares Monitora: Carolina Meireles ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL Lei 9.882/99

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER DIVISÃO ESPACIAL DO PODER FORMA DE ESTADO: UNITÁRIO 1. Puro: Absoluta centralização do exercício do Poder; 2. Descentralização administrativa: Concentra a tomada de decisões, mas avança na execução de

Leia mais

O DIREITO À SAÚDE E O PRINCÍPIO DA RESERVA DO POSSÍVEL 2 O DIREITO À SAÚDE COMO GARANTIA FUNDAMENTAL

O DIREITO À SAÚDE E O PRINCÍPIO DA RESERVA DO POSSÍVEL 2 O DIREITO À SAÚDE COMO GARANTIA FUNDAMENTAL O DIREITO À SAÚDE E O PRINCÍPIO DA RESERVA DO POSSÍVEL Patrícia Gomes Ribeiro * 1 INTRODUÇÃO No ordenamento jurídico pátrio, a Constituição Federal de 1988 prevê em seu artigo 196, a saúde como direito

Leia mais

Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional

Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional Comentário a Acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre o princípio da Inafastabilidade da Prestação Jurisdicional Universidade de Brasília Disciplina: Teoria Geral do Processo II Professor: Dr. Vallisney

Leia mais

INTENSIVÃO DE SÁBADO PARCERIA CURSO A. CARVALHO E REDE DE ENSINO LFG DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR MARCELO NOVELINO

INTENSIVÃO DE SÁBADO PARCERIA CURSO A. CARVALHO E REDE DE ENSINO LFG DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR MARCELO NOVELINO INTENSIVÃO DE SÁBADO PARCERIA CURSO A. CARVALHO E REDE DE ENSINO LFG DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR MARCELO NOVELINO QUESTÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE Questão n. 1 (CESPE/AGU

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO. Auditor

A CONSTITUIÇÃO. Auditor A CONSTITUIÇÃO CESPE/UNB Auditor Questão n. 1 (CESPE/AFCE/TCU - 1995) A hierarquia das normas jurídicas no Brasil faz com que: a) uma lei, em sentido estrito, somente possa ser revogada por uma outra lei,

Leia mais

Aspectos gerais do controle de constitucionalidade. Professor : Siddharta Legale

Aspectos gerais do controle de constitucionalidade. Professor : Siddharta Legale Aspectos gerais do controle de constitucionalidade Professor : Siddharta Legale LEITURA BÁSICA Bibliografia sugerida BARROSO, Luis Roberto. O controle de constitucionalidade no direito brasileiro. ASSSUMPÇÃO,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Com fundamento na recente Lei n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da Administração Pública do dever de licitar, o banco X (empresa pública

Leia mais

ASPECTOS DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E CONCENTRADO NO DIREITO BRASILEIRO 1

ASPECTOS DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E CONCENTRADO NO DIREITO BRASILEIRO 1 ASPECTOS DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E CONCENTRADO NO DIREITO BRASILEIRO 1 Anne Caroline Silveira 2 Deborah Heckert Werner 3 Elder Gomes Dutra 4 Fernando Horta Tavares 5 Paula Borges Furtado

Leia mais

A legitimidade da CNseg

A legitimidade da CNseg 18 A legitimidade da CNseg Para provocar o controle abstrato de constitucionalidade pelo Supremo Tribunal Federal FELIPE MONNERAT 19 A Constituição Federal de 1988 prevê mecanismos de controle da compatibilidade

Leia mais

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS ÍNDICE Código Disciplina Página DIR 02-07411 Direito Constitucional I 2 DIR 02-07417 Direito Constitucional II 3 DIR 02-00609 Direito Constitucional III 4 DIR 02-00759 Direito

Leia mais

Introdução e focalização do tema.

Introdução e focalização do tema. A INCONSTITUCIONALIDADE COMO QUESTÃO PREJUDICIAL NO CONTROLE DIFUSO INCIDENTAL DA CONSTITUCIONALIDADE DAS LEIS PERANTE ÓRGÃOS JURISDICIONAIS DE PRIMEIRA INSTÂNCIA Humberto Dalla Bernardina de Pinho Introdução

Leia mais

Da reserva de administração, da harmonia entre os Poderes e da iniciativa legislativa

Da reserva de administração, da harmonia entre os Poderes e da iniciativa legislativa Vitória, 07 de julho de 2008. Mensagem n º 156/ 2008 Senhor Presidente: Comunico a V. Exa. que vetei totalmente o Projeto de Lei n 116/2007, por considerá-lo inconstitucional, pois padece dos vícios de

Leia mais

Renovação de Reconhecimento CEE/GP 266/06 de 13 de julho de 2006 - D.O.E. 14/07/2006 Autarquia Municipal DEPARTAMENTO DE DIREITO DO ESTADO 2015

Renovação de Reconhecimento CEE/GP 266/06 de 13 de julho de 2006 - D.O.E. 14/07/2006 Autarquia Municipal DEPARTAMENTO DE DIREITO DO ESTADO 2015 DE DIREITO DO ESTADO 2015 EMENTA O Direito Constitucional é a referência axiológica para a aplicação de todos os ramos do Direito. Nesse sentido, este curso de Prática Jurídica Constitucional possibilita

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL João e José são pessoas com deficiência física, tendo concluído curso de nível superior. Diante da abertura de vagas para preenchimento de cargos vinculados ao Ministério

Leia mais

SABER DIREITO FORMULÁRIO

SABER DIREITO FORMULÁRIO Programa Saber Direito TV Justiça Outubro de 2010 Curso: Poder Constituinte Professor: André Alencar SABER DIREITO FORMULÁRIO TÍTULO DO CURSO PODER CONSTITUINTE PROFESSOR ANDRÉ ALENCAR TÍTULO Máximo de

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTITUIÇÕES.

CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTITUIÇÕES. CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTITUIÇÕES. Como é uma questão muito exigida em provas objetivas, resolvi resumir diversos livros sobre o tema e postar no site para vocês. Aí vai: 1. Quanto ao conteúdo: Constituição

Leia mais

Vícios de Constitucionalidade

Vícios de Constitucionalidade Vícios de Constitucionalidade Vício Formal Nomodinâmico O Vício Formal ocorre durante o processo legislativo, dando a idéia de dinamismo, movimento. Vício quanto ao processo legislativo Vicio Formal é

Leia mais

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO CONCEITO DE CONTROLE CONTROLE, EM TEMA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, É A FACULDADE DE VIGILÂNCIA, ORIENTAÇÃO E CORREÇÃO QUE UM PODER, ÓRGÃO OU AUTORIDADE EXERCE SOBRE A CONDUTA FUNCIONAL

Leia mais

Palavras-chave: Controle de constitucionalidade; efeitos; cobrança de tributação previdenciária de inativos.

Palavras-chave: Controle de constitucionalidade; efeitos; cobrança de tributação previdenciária de inativos. EFEITOS DAS DECISÕES JUDICIAIS ASSECURATÓRIAS DE PREVALÊNCIA DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS: REPERCUSSÕES EM RELAÇÃO A DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO TOCANTE A COBRANÇA DE TRIBUTAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas TREINAMENTO AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE RORAIMA Módulo: Processos e Técnicas Legislativas Noções Básicas de Direito Administrativo e Administração Pública Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal

Leia mais

Parágrafos do art. 102 Art. 103 (e seus parágrafos) Art. 103-A (e seus parágrafos) Art. 125, 2º

Parágrafos do art. 102 Art. 103 (e seus parágrafos) Art. 103-A (e seus parágrafos) Art. 125, 2º 1. Introdução OAB - 2012 A nossa Constituição de 1988 é classificada como uma constituição escrita (Constituições escritas são aquelas cujas normas estão reunidas em um só documento, solenemente promulgado

Leia mais

I Curso de Doutoramento em Direito. Ramo de Direito Público. Direito Constitucional. Prof. Doutor Nuno Piçarra Prof. Doutor Raul Araújo

I Curso de Doutoramento em Direito. Ramo de Direito Público. Direito Constitucional. Prof. Doutor Nuno Piçarra Prof. Doutor Raul Araújo I Curso de Doutoramento em Direito Ramo de Direito Público Direito Constitucional Tema geral: A Justiça Constitucional e os seus Modelos Prof. Doutor Nuno Piçarra Prof. Doutor Raul Araújo A) Programa:

Leia mais

APONTAMENTOS SOBRE JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL

APONTAMENTOS SOBRE JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL APONTAMENTOS SOBRE JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL ADOLPHO C. DE ANDRADE MELLO JR. Juiz de Direito - TJ/RJ. Professor de Direito Processual Civil da Unesa I - À GUISA DE INTRODUÇÃO A noção de processo, processo

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE Parte 02 (Controle Concentrado, Abstrato e tipos de decisão) CONTROLE CONCENTRADO A ADI genérica pode ser em Âmbito federal (STF) ou em âmbito estadual Competência (TJs);

Leia mais

LÉO FERREIRA LEONCY. Notas ao final do texto.

LÉO FERREIRA LEONCY. Notas ao final do texto. Colisão de direitos fundamentais a partir da Lei nº 6.075/97: o direito à imagem de presos, vítimas e testemunhas e a liberdade de expressão e de informação LÉO FERREIRA LEONCY Léo Ferreira Leoncy é Aluno

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 1.385, DE 2015

NOTA INFORMATIVA Nº 1.385, DE 2015 Consultoria Legislativa NOTA INFORMATIVA Nº 1.385, DE 2015 Relativa à STC nº 2015-03673, do Senador Ricardo Ferraço, que solicita a análise sobre a legislação federal e estadual, acerca da possibilidade

Leia mais

EFICÁCIA E APLICAÇÃO DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS

EFICÁCIA E APLICAÇÃO DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS EFICÁCIA E APLICAÇÃO DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS 1 Eficácia é o poder que tem as normas e os atos jurídicos para a conseqüente produção de seus efeitos jurídicos próprios. No sábio entendimento do mestre

Leia mais

R E L A T Ó R I O. A Senhora Ministra Ellen Gracie: 1. Eis o teor da decisão embargada:

R E L A T Ó R I O. A Senhora Ministra Ellen Gracie: 1. Eis o teor da decisão embargada: EMB.DECL.NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 571.572-8 BAHIA RELATORA EMBARGANTE(S) ADVOGADO(A/S) EMBARGADO(A/S) ADVOGADO(A/S) : MIN. ELLEN GRACIE : TELEMAR NORTE LESTE S/A : BÁRBARA GONDIM DA ROCHA E OUTRO(A/S)

Leia mais

A LEGITIMIDADE ATIVA DO DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL NO CONTROLE CONCENTRADO DE CONSTITUCIONALIDADE: UMA PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL

A LEGITIMIDADE ATIVA DO DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL NO CONTROLE CONCENTRADO DE CONSTITUCIONALIDADE: UMA PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL A LEGITIMIDADE ATIVA DO DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL NO CONTROLE CONCENTRADO DE CONSTITUCIONALIDADE: UMA PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Aluno: Felipe Schvartzman Orientadores: Thiago Ragonha Varela

Leia mais

ASPECTOS DO DIREITO CONSTITUCIONAL SUA EVOLUÇÃO ATRAVÉS DO TEMPO

ASPECTOS DO DIREITO CONSTITUCIONAL SUA EVOLUÇÃO ATRAVÉS DO TEMPO ASPECTOS DO DIREITO CONSTITUCIONAL SUA EVOLUÇÃO ATRAVÉS DO TEMPO Woille Aguiar Barbosa 1 1. RESUMO Neste trabalho, é apresentado um panorama das diversas concepções do constitucionalismo, através de um

Leia mais

Hierarquia Constitucional dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos e EC 45 - tese em favor da incidência do tempus regit actum

Hierarquia Constitucional dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos e EC 45 - tese em favor da incidência do tempus regit actum Hierarquia Constitucional dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos e EC 45 - tese em favor da incidência do tempus regit actum Paulo Ricardo Schier As teorias do direito internacional e constitucional,

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE Por: Alexandre Solano Bastos Orientador Prof. Anselmo de Souza Rio de Janeiro 2012 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MÁRCIO SILVÉRIO FILHO

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MÁRCIO SILVÉRIO FILHO UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MÁRCIO SILVÉRIO FILHO O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E A INTERVENÇÃO DO SENADO FEDERAL, A TEORIA DA ABSTRATIVIZAÇÃO Palhoça 2012 1 MÁRCIO SILVÉRIO FILHO

Leia mais

CAPÍTULO 1 QUESTÕES DE PROVA DE JUIZ DO TRABALHO

CAPÍTULO 1 QUESTÕES DE PROVA DE JUIZ DO TRABALHO CAPÍTULO 1 QUESTÕES DE PROVA DE JUIZ DO TRABALHO 1.1 COMENTÁRIOS INICIAIS DO CAPÍTULO ANÁLISE DA DISCIPLINA NAS PRO- VAS DE JUIZ DO TRABALHO A disciplina Direito Constitucional, como não poderia deixar

Leia mais

A OBJETIVAÇÃO DO RECURSO EXTRAORDINÁRIO Cristiane Druve Tavares Fagundes*

A OBJETIVAÇÃO DO RECURSO EXTRAORDINÁRIO Cristiane Druve Tavares Fagundes* A OBJETIVAÇÃO DO RECURSO EXTRAORDINÁRIO Cristiane Druve Tavares Fagundes* *Doutoranda, Mestra e Pós-graduada em Direito Processual Civil pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; pós-graduada

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA

A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA D OLIVEIRA, Marcele Camargo 1 ; D OLIVEIRA, Mariane Camargo 2 ; CAMARGO, Maria Aparecida Santana 3 Palavras-Chave: Interpretação.

Leia mais

Plano de Ensino. Distribuição da Carga Horária Matutino Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 02 10 06 08 08 04 Aulas de

Plano de Ensino. Distribuição da Carga Horária Matutino Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 02 10 06 08 08 04 Aulas de Identificação Plano de Ensino Curso: Direito Disciplina: Processo Constitucional Ano/semestre: 2012/1 - Carga horária: Total: 40 Semanal: 2 Professor: Isabelle de Baptista Período/turno: Matutino e Noturno

Leia mais

TÍTULO: O PODER JUDICIÁRIO NA PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS PREVISTOS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

TÍTULO: O PODER JUDICIÁRIO NA PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS PREVISTOS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 TÍTULO: O PODER JUDICIÁRIO NA PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS PREVISTOS NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DIREITO INSTITUIÇÃO: CENTRO

Leia mais

Outrossim, ficou assim formatado o dispositivo do voto do Mn. Fux:

Outrossim, ficou assim formatado o dispositivo do voto do Mn. Fux: QUESTÃO DE ORDEM Nos termos do art. 131 e seguintes do Regimento do Congresso Nacional, venho propor a presente QUESTÃO DE ORDEM, consoante fatos e fundamentos a seguir expostos: O Congresso Nacional (CN)

Leia mais

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal Interposição: perante o órgão prolator da decisão Recurso Especial Nomenclatura: REsp Competência: Superior Tribunal de Justiça STJ Prazo para interposição 15 dias; Recurso Extraordinário Nomenclatura:

Leia mais

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL Jonas Guedes 1 Resumo: O tema abordado no presente artigo versará sobre a impossibilidade jurídica do Tribunal do Júri na Justiça

Leia mais

AULA 04 CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTITUIÇÕES

AULA 04 CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTITUIÇÕES AULA 04 CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTITUIÇÕES 1. Introdução. Diversas são as formas e critérios de classificação uma Constituição. O domínio de tais formas e critérios mostra-se como fundamental à compreensão

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Curso: DIREITO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Data: /0/0 Unid. V Estudo de Casos Rubrica do Professor: Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVA Valor: pontos Pontos obtidos: Professora:

Leia mais

ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO. Liberdade de profissão

ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO. Liberdade de profissão ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO Liberdade de profissão Preparado por Carolina Cutrupi Ferreira (Escola de Formação, 2007) MATERIAL DE LEITURA PRÉVIA: 1) Opinião Consultiva n. 5/85 da Corte Interamericana

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA DIREITO ADMINISTRATIVO Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes e organização; natureza, fins e princípios. Direito Administrativo: conceito, fontes e princípios. Organização

Leia mais

Procedência Interessado Número Data Ementa RELATÓRIO PARECER

Procedência Interessado Número Data Ementa RELATÓRIO PARECER Procedência: Junta Comercial do Estado de Minas Gerais - JUCEMG Interessado: Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico - SEDE Número: 14.595 Data: 31 de janeiro de 2006 Ementa: Junta Comercial

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

02/10/2014 PLENÁRIO :WASHINGTON LUIS SILVA PLÁCIDO

02/10/2014 PLENÁRIO :WASHINGTON LUIS SILVA PLÁCIDO Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 14 02/10/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 823.347 MARANHÃO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES RECTE.(S)

Leia mais

Validação dos tratados internacionais ambientais no ordenamento jurídico brasileiro

Validação dos tratados internacionais ambientais no ordenamento jurídico brasileiro Validação dos tratados internacionais ambientais no ordenamento jurídico brasileiro Semana de Produção e Consumo Sustentável Mauricio Pellegrino de Souza FIEMG Convenção de Viena 1969 Direito dos Tratados

Leia mais

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Profa. Dra. Júnia Mara do Vale

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Profa. Dra. Júnia Mara do Vale NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Profa. Dra. Júnia Mara do Vale Ad(preposição) + ministro,as,are(verbo) que significa servir, executar; para outros vem de ad manus trahere que envolve a idéia de direção

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO

DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO Para conceituar o Direito Administrativo, deve-se partir do significado e da classificação do próprio Direito. Segundo Hely Lopes Meirelles, Direito é o conjunto de regras

Leia mais

Controle difuso. Capítulo II. Análise dos artigos 97, 52 (inciso X) e 102 (incisos referentes ao controle difuso)

Controle difuso. Capítulo II. Análise dos artigos 97, 52 (inciso X) e 102 (incisos referentes ao controle difuso) Capítulo II Controle difuso de constitucionalidade: Análise dos artigos 97, 52 (inciso X) e 102 (incisos referentes ao controle difuso) O controle difuso de constitucionalidade possibilita, no exercício

Leia mais

O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA

O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA Fernando Facury Scaff Professor de Direito Financeiro da USP. Doutor e Livre Docente pela mesma Universidade. Sócio de Silveira, Athias, Soriano de Melo,

Leia mais

N o 4.406/2014-AsJConst/SAJ/PGR

N o 4.406/2014-AsJConst/SAJ/PGR N o 4.406/2014-AsJConst/SAJ/PGR Arguição de descumprimento de preceito fundamental 292/DF Relator: Ministro Luiz Fux Requerente: Procuradoria-Geral da República Interessado: Ministério da Educação Arguição

Leia mais

Da competência privativa da União para legislar sobre seguros

Da competência privativa da União para legislar sobre seguros Da competência privativa da União para legislar sobre seguros A autonomia das entidades federativas pressupõe repartição de competências para o exercício e desenvolvimento de sua atividade normativa. (HORTA,

Leia mais

RELAÇÃO JUIZ INTERPRETAÇÃO; JUIZ CONSTITUIÇÃO

RELAÇÃO JUIZ INTERPRETAÇÃO; JUIZ CONSTITUIÇÃO RELAÇÃO JUIZ INTERPRETAÇÃO; JUIZ CONSTITUIÇÃO João Bosco Nogueira Mancilha 1 Resumo: Este artigo apresenta um apanhado de opiniões e argumentações sobre a Relação entre a interpretação do Juiz e a Constituição,

Leia mais

RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO

RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO Em resposta à questão de ordem apresentada pelo Senador

Leia mais

Juros - Aspectos Econômicos e Jurídicos

Juros - Aspectos Econômicos e Jurídicos 128 Juros - Aspectos Econômicos e Jurídicos Marcelo Mondego de Carvalho Lima 1 Não se pode iniciar este trabalho sem fazer alusão aos d. palestrantes que, em várias semanas, tornaram simples uma matéria,

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA PA nº 1.36.000.000703/2008-95/GAB.01/PRTO Os Procuradores da República signatários, no cumprimento da determinação contida na CF/88, art. 127,

Leia mais

2. O diploma legal hierarquicamente superior da ordem jurídica dos Estados Democráticos de Direito da atualidade denomina-se: Escolher uma resposta.

2. O diploma legal hierarquicamente superior da ordem jurídica dos Estados Democráticos de Direito da atualidade denomina-se: Escolher uma resposta. Direitos Humanos de 1 a 4 Aula Tema 1 1. Os direitos humanos fundamentais e o poder político coexistem sob a égide do sistema de três Poderes harmônicos e independentes entre si, formulado por Montesquieu.

Leia mais

02/10/2014 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES

02/10/2014 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 02/10/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 704.520 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) : MIN.

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Direito tributário

Maratona Fiscal ISS Direito tributário Maratona Fiscal ISS Direito tributário 1. São tributos de competência municipal: (A) imposto sobre a transmissão causa mortis de bens imóveis, imposto sobre a prestação de serviço de comunicação e imposto

Leia mais

PLANO DE AULAS CURSO ONLINE PRINCIPAIS TEMAS PFN (GRUPO 1 + PROCESSO CIVIL)

PLANO DE AULAS CURSO ONLINE PRINCIPAIS TEMAS PFN (GRUPO 1 + PROCESSO CIVIL) PLANO DE AULAS CURSO ONLINE PRINCIPAIS TEMAS PFN (GRUPO 1 + PROCESSO CIVIL) Disciplina: Direito Constitucional Ravi Peixoto, Procurador Municipal. 10 (Dez) horas/aulas. 1 2 3 4 5 6 7 57:00m 54:00m 50:00m

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 9 06/12/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 701.511 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN.

Leia mais

Título: A Importância da Hermenêutica no Sistema de Controle de Constitucionalidade

Título: A Importância da Hermenêutica no Sistema de Controle de Constitucionalidade Título: A Importância da Hermenêutica no Sistema de Controle de Constitucionalidade Área Temática: Sistemas Jurídicos (K) Autora: Maricy Franchini Cavalcanti Advogada pela Faculdade de Direito de Franca

Leia mais

ADI, ADC, ADO e ADPF. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946. Brasília, 27 de maio de 2014-18:23

ADI, ADC, ADO e ADPF. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946. Brasília, 27 de maio de 2014-18:23 Brasília, 27 de maio de 2014-18:23 ADI, ADC, ADO e ADPF AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946 Origem: DISTRITO FEDERAL Entrada no STF: 21/01/1999 Relator: MINISTRO SYDNEY SANCHES Distribuído:

Leia mais

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL UNAFE, pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, associação civil

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO PROCESSO LEGISLATIVO MUNICIPAL

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO PROCESSO LEGISLATIVO MUNICIPAL CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO PROCESSO LEGISLATIVO MUNICIPAL 1 Processo Legislativo na Formação das Leis; 2 Breve Histórico do Controle de Constitu-cionalidade; 3 Controle de Constitu-cionalidade

Leia mais

Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado

Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado Resumo: A Administração Pública se liga ao interesse público e às necessidades sociais,

Leia mais

O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL

O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL Vinícius Paulo Mesquita 1) Notas Introdutórias Com a promulgação da E.C. 66/10, a chamada PEC do Divórcio, a doutrina pátria passou a sustentar em sua grande

Leia mais

FATO GERADOR DO ICMS NA IMPORTAÇÃO RE 540.829-SP - 11/09/2014

FATO GERADOR DO ICMS NA IMPORTAÇÃO RE 540.829-SP - 11/09/2014 FATO GERADOR DO ICMS NA IMPORTAÇÃO RE 540.829-SP - 11/09/2014 ASPECTOS HISTÓRICOS Em passado remoto, o Estado de São Paulo tentou instituir a cobrança do ICMS na importação de mercadorias e o fez por decreto.

Leia mais

DA INCONSTITUCIONALIDADE DA PRISÃO DO DEPOSITÁRIO INFIEL

DA INCONSTITUCIONALIDADE DA PRISÃO DO DEPOSITÁRIO INFIEL 1 DA INCONSTITUCIONALIDADE DA PRISÃO DO DEPOSITÁRIO INFIEL Edson Ribeiro De acordo com a Convenção de Viena (1969), os tratados internacionais são acordos internacionais firmados entre Estados, na forma

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL José, brasileiro, desempregado, domiciliado no Município ABC, capital do Estado X, chegou a um hospital municipal que não possui Centro de Tratamento Intensivo (CTI)

Leia mais

Acórdão nº 7/CC/2014. de 10 de Julho. Relatório

Acórdão nº 7/CC/2014. de 10 de Julho. Relatório Acórdão nº 7/CC/2014 de 10 de Julho Processo nº 09/CC/2013 Acordam os Juízes Conselheiros do Conselho Constitucional: I Relatório O Tribunal Administrativo da Província do Niassa (TAPN), remeteu ao Conselho

Leia mais