UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MÁRCIO SILVÉRIO FILHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MÁRCIO SILVÉRIO FILHO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MÁRCIO SILVÉRIO FILHO O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E A INTERVENÇÃO DO SENADO FEDERAL, A TEORIA DA ABSTRATIVIZAÇÃO Palhoça 2012

2 1 MÁRCIO SILVÉRIO FILHO O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E A INTERVENÇÃO DO SENADO FEDERAL, A TEORIA DA ABSTRATIVIZAÇÃO Monografia apresentada ao Curso de Direito da Universidade do Sul de Santa Catarina, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Direito. Orientadora: Patricia de Oliveira França, Msc. Palhoça 2012

3 2 MÁRCIO SILVÉRIO FILHO O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E A INTERVENÇÃO DO SENADO FEDERAL, A TEORIA DA ABSTRATIVIZAÇÃO Este Trabalho de Conclusão de Curso foi julgado adequado à obtenção do título de bacharel em Direito e aprovado em sua forma final pelo Curso de Direito da Universidade do Sul de Santa Catarina. Palhoça, 07 de novembro de Patricia de Oliveira França, Msc. Universidade do Sul de Santa Catarina Prof(a). Universidade do Sul de Santa Catarina Prof(a). Universidade do Sul de Santa Catarina

4 3 TERMO DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E A INTERVENÇÃO DO SENADO FEDERAL, A TEORIA DA ABSTRATIVIZAÇÃO Declaro, para todos os fins de direito, que assumo total responsabilidade pelo aporte ideológico e referencial conferido ao presente trabalho, isentando a Universidade do Sul de Santa Catarina, a Coordenação do Curso de Direito, a Banca Examinadora e o Orientador de todo e qualquer reflexo acerca desta monografia. Estou ciente de que poderei responder administrativa, civil e criminalmente em caso de plágio comprovado do trabalho monográfico. Palhoça, 07 de novembro de MÁRCIO SILVÉRIO FILHO

5 4 "Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver. Amyr Klink

6 5 RESUMO O presente estudo vislumbra uma abordagem específica relacionada ao dispositivo presente no art. 52, X, da Constituição Federal, do qual se refere à intervenção do Senado Federal nas decisões proferidas pela Corte Suprema do Poder Judiciário em sede do controle difuso de constitucionalidade com o intuito de suspender a lei infraconstitucional viciada. Consequentemente, a abstrativização do controle de constitucionalidade vem à tona por se tratar de uma argumentação que fundamenta a mutação legítima que modifica a interpretação referente a aplicabilidade do referido dispositivo magno. Objetiva-se com o trabalho monográfico, analisar a aplicabilidade do dispositivo constitucional na atualidade, demonstrando os posicionamentos atuais acerca da possível mutação. Introduz-se a referente pesquisa por um todo, partindo dos princípios da Supremacia e Rigidez da Constituição, verificando a origem histórica do controle de constitucionalidade e as influências admitidas pelas constituições anteriores a vigente, procurando uma base para a dissertação acerca dos modelos de controle admitidos no ordenamento jurídico atual. Apresentadas as especificidades de cada instrumento controlador, parte-se para uma análise a respeito da intervenção senatorial, apresentando de forma abrangente as argumentações necessárias para uma melhor compreensão do instituto da abstrativização. Por fim, conclui-se que a mutação constitucional, mesmo que não pacificada no ordenamento jurídico brasileiro, vem sendo utilizada em alguns julgados do Supremo Tribunal Federal apoiado por doutrinadores dos quais defendem a aproximação dos instrumentos controladores, fazendo com que os efeitos das decisões proferidas em sede do controle de constitucionalidade difuso tornem-se vinculantes e erga omnes, algo que até então somente era conferido ao controle de constitucionalidade abstrato. Palavras-chave: Supremacia da Constituição. Controle de Constitucionalidade. Abstrativização. Concreto. Abstrato.

7 6 LISTA DE SIGLAS CRFB Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 STF - Supremo Tribunal Federal STJ - Superior Tribunal de Justiça EC - Emenda Constitucional CCJ - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade ADC - Ação Direta de Constitucionalidade ADO - Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão ADPF - Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental RI - Representação Interventiva

8 7 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO A SUPREMACIA DA CONSTITUIÇÃO E A JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL: CARACTERÍSTICAS DO ESTADO CONSTITUCIONAL BREVE DIGRESSÃO HISTÓRICA SOBRE O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE O judicial review of legislation norte-americano O modelo de controle de constitucionalidade austríaco ANÁLISE EVOLUTIVA DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE BRASILEIRO: UMA BREVE HISTÓRIA DE SUAS CONSTITUIÇÕES PASSADAS Constituição imperial: ano Constituição da República do Brasil de Constituição da República Federativa do Brasil de Constituição da República Federativa do Brasil de Constituição da República Federativa do Brasil de Constituição da República Federativa do Brasil de Constituição da República Federativa do Brasil de CONCEITO DE INCONSTITUCIONALIDADE ESPÉCIES DE INCONSTITUCIONALIDADE Inconstitucionalidade por ação e por omissão Inconstitucionalidade formal e material Inconstitucionalidade total e parcial Inconstitucionalidade originária e superveniente MOMENTOS DE CONTROLE Controle prévio ou preventivo Controle posterior ou repressivo Controle político Controle jurisdicional Controle Híbrido

9 8 3 MODELOS DE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONCENTRADO ADI - Ação direta de inconstitucionalidade ADC - Ação declaratória de constitucionalidade ADPF - Arguição de descumprimento de preceito fundamental ADO - Ação direta de inconstitucionalidade por omissão RI - Representação interventiva federal CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO Reserva de plenário e maioria absoluta O CONTROLE INCIDENTAL DE NORMAS PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONCRETO E SEUS EFEITOS A INTERVENÇÃO DO SENADO FEDERAL NO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO SEPARAÇÃO DOS PODERES E O SISTEMA DE FREIOS E CONTRAPESOS O PAPEL DESEMPENHADO PELO SENADO FEDERAL NO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE INCIDENTAL Circunstâncias justificadoras da participação do Senado Federal no controle de constitucionalidade incidental Resolução do Senado Federal em matéria de controle incidental: natureza jurídica e limites a sua atuação A (im)prescindibilidade da intervenção do Senado Federal. Estaria o Senado obrigado a Suspender os efeitos? Omissão: Juízo discricionário e político de conveniência e de oportunidade ABSTRATIVIZAÇÃO DO CONTROLE CONCRETO DE CONSTITUCIONALIDADE OPOSIÇÃO A ABSTRATIVIZAÇÃO DO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE CONCLUSÃO REFERÊNCIA... 79

10 9 1 INTRODUÇÃO A Supremacia da Constituição Federal frente às normas infraconstitucionais pertencentes ao ordenamento jurídico pátrio torna o sistema controlador de constitucionalidade um instrumento essencial para a garantia de respeitabilidade ao princípio que confere o grau máximo da hierarquia sistemática legislativa a Magna Carta, que tem como seu guardião, a cúpula do Poder Judiciário brasileiro, o Supremo Tribunal Federal. O objeto temático da presente pesquisa busca abordar a intervenção do Senado Federal em sede do controle de constitucionalidade difuso. Intervenção essa, responsável pela suspensão de determinada lei e consequentemente pela conferência de efeito vinculante e erga omnes às decisões proferidas pelo real Guardião da Constituição Federal (STF), quando esse declarar inconstitucional determinada lei ou ato normativo possuidor de vício constitucional, em sede do controle incidental de normas. A moderna teoria da abstrativização do controle de constitucionalidade difuso será da mesma forma abordada pelo fato de fundamentar uma nova tendência de aproximação das características do controle de constitucionalidade difuso ao controle abstrato, principalmente no que tange aos efeitos dos atos decisórios do STF. O presente estudo tem como objetivo verificar a necessidade ou não da intervenção do órgão senatorial em sede do modelo difuso de controle, bem como apresentar a moderna teoria da abstrativização que vem sendo utilizada pelo órgão máximo do Poder Judiciário, ainda que não pacificada, de forma que a decisão proferida incidentalmente no controle de constitucionalidade concreto, no que tange aos efeitos por ela gerados, assemelhe-se a determinadas características presentes nas decisões proferidas em sede do controle de constitucionalidade abstrato. O ato interventivo do Senado Federal presente no art. 52, X da CRFB, demonstra ser objeto de grande relevância no ordenamento jurídico atual, haja vista os divergentes posicionamentos presentes nas decisões judiciais e exposições doutrinárias, fazendo com que não haja um entendimento em comum entre as correntes que defendem de forma antagônica determinada intervenção política. As controvérsias presentes no entendimento acerca da intervenção do Senado Federal e a demonstração da ocorrência de um possível caso de mutação

11 10 constitucional fundada na não mais utilização do dispositivo presente no art. 52, X da CRFB para fornecer efeitos vinculantes e erga omnes as decisões proferidas pelo STF em sede do controle de constitucionalidade difuso, são os motivos pelos quais levaram o pesquisador a procurar aprofundar-se no tema para realização da pesquisa monográfica. Sendo assim, formula-se o seguinte questionamento: Um órgão investido de caráter político, representado por uma das Casas do Congresso Nacional representante do poder legislativo, possui ainda no ordenamento jurídico contemporâneo competência para suspender determinada norma já declarada inconstitucional pelo Guardião da Constituição? A realização da pesquisa será baseada no método de abordagem dedutivo qualitativo, tendo em vista que a construção monográfica partirá de um todo, como os princípios da Supremacia e Rigidez da Constituição Federal, para que seja realizada uma apreciação referente aos posicionamentos atuais acerca do tema, utilizando-se do método monográfico para a concretização da pesquisa. O trabalho monográfico, baseado na doutrina, legislação, jurisprudência e artigos científicos, terá por esse motivo a utilização da técnica de pesquisa bibliográfica. O estudo desenvolveu-se em cinco seções, sendo a primeira e a última reservadas para a introdução e a conclusão e três seções responsáveis pelo desenvolvimento, as quais visam uma melhor compreensão do tema. A segunda seção parte da exposição dos princípios da Supremacia e Rigidez da Constituição Federativa da República do Brasil, de forma introdutória, apresentando em seguida uma breve digressão histórica acerca do controle de constitucionalidade e suas origens, partindo então para uma apresentação dos textos constitucionais passados, presentes nas constituições brasileiras que antecederam a atual. As diversas formas de inconstitucionalidades também estarão presentes na seção segunda para que seja possível a compreensão do momento do qual deva ser realizado o controle de constitucionalidade, tema que encerra a segunda parte do estudo. A terceira seção será responsável pela apresentação dos modelos de controle de constitucionalidade, presentes na atualidade do ordenamento jurídico brasileiro, especificando primeiramente o controle abstrato e suas variadas ações, das quais põe em prática o exercício controlador concentrado. Em seguida será da mesma forma apresentado o controle de constitucionalidade difuso, suas

12 11 especificidades, finalizando com os efeitos gerados pelas decisões proferidas em sede do modelo controlador incidental. Por fim, na quarta seção, será exposto o real tema e problematização do trabalho monográfico, tratando-se da intervenção do Senado Federal no controle de constitucionalidade difuso. Serão apresentados os posicionamentos acerca do ato interventivo senatorial, a separação dos Poderes, a demonstração da moderna teoria da abstrativização e os argumentos a favor de sua implementação, finalizando com os argumentos opositores a teoria que aproxima os dois modelos de controle de constitucionalidade, presentes no ordenamento jurídico pátrio. A pesquisa, assim, colabora para um novo ponto de vista acerca do dispositivo constitucional, presente no art. 52, X da Constituição Federal, tendo em vista a apresentação dos diferentes argumentos e posicionamentos acerca do ato interventivo, de forma que fundamente a nova teoria da abstrativização do controle de constitucionalidade difuso e a nova forma de visualização do Supremo Tribunal Federal, referente a aproximação dos instrumentos controladores.

13 12 2 A SUPREMACIA DA CONSTITUIÇÃO E A JURISDIÇÃO CONSTITUCIONAL: CARACTERÍSTICAS DO ESTADO CONSTITUCIONAL A idealização do controle de constitucionalidade parte de uma premissa que está inteiramente conectada ao Princípio da Supremacia da Constituição Federal em relação a todo o ordenamento jurídico, isso quer dizer que, atos normativos, leis, emendas, e todos os demais dispositivos legais infraconstitucionais que regem a sociedade, devem estar sempre enquadrados na mesma lógica instituída pela Carta Magna do país, estando ela no escalão maior da pirâmide hierárquica jurídica. Nesse sentido Alexandre de Moraes declara: Em primeiro lugar, a existência de escalonamento normativo é pressuposto necessário para a supremacia constitucional, pois, ocupando a constituição a hierarquia do sistema normativo, é nela que o legislador encontrará a forma de elaboração legislativa e o seu conteúdo. Além disso, nas constituições rígidas se verifica a superioridade da norma magna em relação àquelas produzidas pelo Poder Legislativo, no exercício da função legiferante ordinária. Dessa forma, nelas o fundamento do controle é o e que nenhum ato normativo, que lógica e necessariamente dela decorre, pode modifica-la ou suprimi-la 1. "A lei promulgada sem observância dos pressupostos constitucionais, não tratava-se de um injusto, nem de um ato estatal viciado, mas de um nada jurídico." 2 A consequência principal da rigidez constitucional de nosso país é o fato de o texto presente neste documento tornar-se lei fundamental e suprema do Estado. Os fundamentos, conferência de poderes e competências governamentais, estarão presentes na Carta Magna, fazendo com que as autoridades somente encontrem tais matérias no documento constitucional. Nenhum tipo de governo, seja ele federal, estadual ou municipal será superior ou soberano, pois estão abaixo hierarquicamente da Constituição, o que faz com que esses poderes tornem-se limitados pelas normas positivadas expressa ou implicitamente no documento constitucional. 3 A conjuntura entre o princípio da Supremacia da Constituição, a Rigidez constitucional e os direitos fundamentais, é o alicerce para que então fosse criado o 1 MORAES, Alexandre de, Direito Constitucional, São Paulo: Atlas S.A, 2011, p KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. Wmf Martins Fontes 2009, p., DA SILVA, José Afonso, Curso de Direito Constitucional Positivo. São Paulo: Malheiros, 31ª Edição, 2007, p. 46.

14 13 controle de constitucionalidade, instituto que poderá, respeitando as próprias normas da Constituição, modificar e até mesmo suspender, antes ou após sua publicação, dispositivos legais infraconstitucionais "viciosos", presentes nas mais variadas leis e atos normativos que vão de encontro aos fundamentos de validade existentes na norma constitucional. Esse instituto, conhecido como controle de constitucionalidade, é o maior exemplo do que no direito contemporâneo tem-se como pirâmide das normas, pois demonstra a supremacia da CRFB e a total dependência dos demais dispositivos legais para com a Carta Magna. 2.1 BREVE DIGRESSÃO HISTÓRICA SOBRE O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE O controle de constitucionalidade foi desenvolvido através de concepções filosóficas variadas, e os primeiros relatos sobre a criação de institutos similares ao controle, mesmo não havendo uma corte constitucional, foram encontrados na Grécia, por volta dos anos , porém chamava-se graphe paranomon o que significava dizer (arguição de inconstitucionalidade), fazendo com que cada cidadão se tornasse responsável pela defesa das leis e da Constituição pela qual eram regidos. Porém foi recepcionado de uma forma diferenciada, pois sofriam sanções os atos praticados pelos cidadãos e não as normas, o que ocorria era um meio de fiscalização pelo povo em relação aos seus semelhantes, que de certa forma possuíam atitudes legislativas contrárias as normas da época O judicial review of legislation norte-americano A primeira notícia que se teve em relação a um modelo de controle de constitucionalidade, do qual seria possível a revisão jurídica de determinada lei, ocorreu no celebre caso Marbury v. Madison, em 1803, nos Estados Unidos. Isso ocorreu quando o juiz John Marshall de forma inovadora até então, no caso concreto citado, realizou uma verificação acerca da constitucionalidade da lei que estava sendo aplicada, decidindo que nessa situação deveria prevalecer o texto presente 4 BATTAGLINII, Mário. Contributi allá Storia del Controllo di Costituzionalità delle Leggi, Dott. Milão: A. Giuffrè-Editore, 1962, p.10 apud PAES, Sara Maria Stroher, Sistema Brasileiro de Controle de Constitucionalidade: origem e evolução, pg. 2 e 3. Disponível em: www2.senado.gov.b. Acesso em: 18 e agosto de 2012.

15 14 na norma constitucional, pelos motivos já citados no item anterior, sendo eles, a hierarquia e a Supremacia constitucional para com o restante das legislações 5. O controle conhecido hoje como americano, concreto, difuso ou incidental foi criado através desse julgado realizado na Suprema Corte estadunidense, onde o judiciário através de um elemento de controle, somente se pronunciou em ralação ao caso concreto, incidentalmente na demanda entre os famosos autor e réu citados em variadas doutrinas nacionais. A decisão imposta por Marshall somente atingiu as partes pertencentes a esse decisivo processo americano, primeiro exemplo prático do controle de constitucionalidade. 6 João Bosco Marcial de Castro concretiza o célebre caso americano da seguinte forma: No caso Marbury vs. Madison (1803), John Marshall declarou a inconstitucionalidade do artigo 13 da lei 1789, afirmou a incompetência do Tribunal para o exame do caso em concreto e estabeleceu que as partes interessadas buscassem o direito pretendido perante uma Corte de Distrito. Em grau de recurso, se cabível, a questão seria submetida à Suprema Corte. Assentava-se, dessa maneira, o método do controle "difuso" de constitucionalidade, no qual todos os órgãos judiciários, inferiores ou superiores, federais ou estaduais, têm o poder e o dever de não aplicar as leis inconstitucionais nos casos concretos submetidos a seu julgamento. 7 Apesar de ter sido o primeiro sistema controlador de constitucionalidade que se teve notícia, a história do direito constitucional por se tratar de um aspecto jurídico relevante e fundamental para a construção de um ordenamento consistente, demonstra que, não somente o controle de constitucionalidade norte-americano embasou os demais ordenamentos jurídicos contemporâneos, percebendo-se a existência de um modelo de certa forma mais recente, patrocinado pelo jurista e filósofo Hans Kelsen. 5 MENDES, Gilmar. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2009, p BARROSO, Luís Roberto, O Controle de Constitucionalidade no Direito Brasileiro, São Paulo, Saraiva, 2003, p CASTRO, João Bosco Marcial de. O controle de Constitucionalidade das Leis e a Intervenção do Senado Federal. Porto Alegre: Nuria Fabris, 2008, p.24.

16 O modelo de controle de constitucionalidade austríaco A amplitude de abrangência das normas constitucionais, fez com que o controle de constitucionalidade não permanecesse limitado tão somente ao modelo concreto, responsável por uma análise incidental das normas presentes em determinada demanda, do qual somente geraria efeitos entre os litigantes. Por esse motivo, um novo modelo controlador surgiu no início do século XX, com o jurista e filósofo austríaco Hans Kelsen, controle esse que seria positivado no ano de 1920 na Constituição austríaca, e por esse motivo, ainda nos dias de hoje conhecemos o instrumento controlador pelo nome de controle austríaco. 8 O novo modelo, conhecido também por concentrado, ou até mesmo por via de ação, foi constituído com a ideia de se criar um órgão ou tribunal superior onde fosse concentrada uma competência exclusiva para julgamentos de ações que versassem única e exclusivamente a respeito de matérias constitucionais. Nota-se que o novo instrumento controlador possui uma certa disparidade quanto ao originário (americano), pelo fato de na nova modalidade, quando verificado um conflito entre determinada lei ou ato normativo em face da Constituição, o remédio a ser utilizado seria uma ação direta, onde somente seria debatido e julgado o ponto conflitante entre os dois institutos. 9 Entretanto, a principal diferença notada entre os dois institutos está relacionada ao efeito das decisões impostas. No controle por via de ação ou concentrado, nota-se que a partir do momento em que uma lei é julgada inconstitucional, mostrando uma certa incompatibilidade junto a Constituição, necessariamente essa lei deverá ser removida, excluída do ordenamento jurídico da qual pertença, de forma total ou parcial. A partir do momento em que determinada lei ou ato normativo é excluído através do controle por via de ação, gera-se um efeito perante toda a sociedade regida pela Carta Magna, conhecido como efeito erga omnes, passando a não mais existir no mundo jurídico-social daquele estado. 10 Insta destacar que o controle concentrado sofreu algumas alterações com o passar do tempo. Como bem diz a nomenclatura, de forma redundante, esse 8 BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2012, p BARROSO, Luís Roberto, O Controle de Constitucionalidade no Direito Brasileiro, São Paulo, Saraiva, 2003, p LENZA, Pedro. Direito Constitucional Esquematizado, São Paulo:Saraiva, 2012, p. 241.

17 16 controle estava concentrado nas mãos do governo federal, já que era ele o único órgão competente para a propositura da ação controladora. Por esse motivo percebe-se uma reforma significativa, principalmente na Constituição austríaca, relacionada aos entes competentes para o levantamento frente ao estado quanto a determinado conflito entre a Constituição e as normas infraconstitucionais, pelo fato de não mostrar-se como o instrumento mais adequado à preservação dos direitos fundamentais dos indivíduos, abrangendo assim um número maior de entes competentes para tal proposição. 11 Paulo Bonavides bem disserta acerca desta determinada evolução: O sistema, interditando aos cidadãos tal iniciativa, não era dos instrumentos mais adequados a uma defesa direta das liberdades e direitos individuais. Com a reforma constitucional de 1929, a legitimação para suscitar a controvérsia sobre a constitucionalidade, reservada até então com exclusividade a órgão político do Governo Federal, foi dilatada também a órgãos judiciários ordinários, como o Oberster Gerichtshof e o Verwaltungsgerichtshof, que no entanto somente podiam atuar pela via "incidental" ou de "exceção", fazendo assim o sistema austríaco tomar, segundo Cepelletti, um caráter híbrido, com hibridez consistindo na presença de uma via de exceção paralela à via de ação. 12 A garantia dos direitos fundamentais de cada cidadão é a essência principal de qualquer documento constitucional, independente do país em que ela seja publicada, e por esse motivo, nota-se que a evolução do controle constitucional concentrado vai ao encontro da ideologia presente na Carta Magna, abrangendo assim um número maior de entes competentes para o ajuizamento de ações diretas de inconstitucionalidade. 13 Porém, somente essa evolução não se mostrou suficiente, fazendo com que, a partir de então, fosse criado em algumas constituições espalhadas pelo mundo, um sistema onde estivessem incorporados os pontos principais de cada controle existente até então. A essa criação deu-se o nome de controle de constitucionalidade Misto, uma inovação que viria a revolucionar futuramente o sistema de controle constitucional de todas as Constituições. Um dos exemplos fundamentais dessa evolução para um sistema de controle misto é a própria Constituição brasileira, que engloba os dois institutos, 11 BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2012, p BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2012, p LENZA, Pedro. Direito Constitucional Esquematizado, São Paulo:Saraiva, 2012, p. 248

18 17 tanto na forma de controle difuso quanto por ações, visto que o documento constitucional brasileiro possui uma grande gama de ações diretas de inconstitucionalidade (Ação direta de Inconstitucionalidade, Ação Declaratória de Constitucionalidade, Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão, Representação Interventiva, Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) ANÁLISE EVOLUTIVA DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE BRASILEIRO: UMA BREVE HISTÓRIA DE SUAS CONSTITUIÇÕES PASSADAS Apesar de nos dias de hoje, a Lei Maior de o estado brasileiro adotar o sistema misto de controle de constitucionalidade, nem sempre foi essa sua ideologia guardiã constitucional, passando por uma grande evolução sistemática, onde por influência do direito francês, pode-se até mesmo perceber a falta desse instituto na Constituição Imperial, primeira da história constitucional deste país, porém voltando a aparecer na Constituição seguinte Constituição imperial: ano 1824 A palavra império nos remete a figura do Imperador, principal responsável pela organização do país onde exerce sua soberania. E é justamente por esse motivo que a Lei Maior brasileira do ano de 1824 impede a fiscalização constitucional, através de um órgão jurisdicional, pois cabia tão somente ao Imperador a função de solucionar determinados conflitos que iam de encontro a Constituição primeira do Estado brasileiro. 15 A respeito da Constituição Imperial Brasileira, Clèmerson Merlin Clève informa: O dogma da "soberania Parlamentar", a previsão de um Poder Moderador e mais a influência do direito público europeu, notadamente inglês e francês, sobre os homens públicos brasileiros, inclusive os operadores 14 MENDES, Gilmar. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2009, p BULOS, Uadi Lammêgo. Direito Constitucional ao Alcance de Todos, São Paulo, Saraiva, 2ª Ed., 2010, p. 166.

19 18 jurídicos, explicam a inexistência de um modelo de fiscalização jurisdicional da constitucionalidade das leis no Brasil no tempo do Império. 16 Desde os primórdios constitucionais, percebe-se a influência política que recebe o instituto do controle de constitucionalidade, algo de certa forma compreensível para a época, porém algo que insiste e perdura até hoje no controle de constitucionalidade difuso, porém, através do Senado Federal Constituição da República do Brasil de 1891 Ao final da fase imperial brasileira uma das principais consequências notada foi a diminuição das influências jurídicas europeias. A Constituição Republicana brasileira substituiu suas fontes influenciadoras e realizou uma compilação das normas constitucionais norte americanas, vindo a inaugurar a presença do instituto de controle constitucional no Brasil, permanecendo no ordenamento jurídico pátrio até os dias de hoje. Na Magna Carta republicana o constituinte fornece a competência única para o julgamento de determinada lei confrontante com a CRFB ao Supremo Tribunal Federal, onde através de análise do recurso extraordinário, julgaria de forma incidental a convergência existente. 18 No ano de 1894, ainda na vigência da Constituição republicana, a Lei nº 221, de 20 de novembro, foi criada para fundamentar de forma mais ampla o novo sistema de controle de constitucionalidade adotado pelo legislador brasileiro, presente no seu art.13 10: Os juízes e tribunais apreciarão a validade das leis e regulamentos e deixarão de aplicar aos casos ocorrentes as leis manifestamente inconstitucionais e os regulamentos manifestamente incompatíveis com as leis ou com a Constituição 19 Percebe-se, a partir de então, uma transformação significativa no sistema de controle constitucional pelo fato de o grande responsável pela análise jurídica 16 CLÈVE, Clèmerson Merlin. A fiscalização abstrata de constitucionalidade no direito brasileiro. São Paulo: Revista Dos Tribunais, 1995, p CASTRO, João Bosco Marcial de. O controle de Constitucionalidade das Leis e a Intervenção do Senado Federa. Porto Alegre: Nuria Fabris, 2008, p BULOS, Uadi Lammêgo. Direito Constitucional ao Alcance de Todos, São Paulo, Saraiva, 2ª Ed., 2010, p MENDES, Gilmar. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2009, p

20 19 agora passar a ser um órgão jurisdicional, retirando das mãos do governo o poder de revisão e possível exclusão de normas confrontantes com a carta magna Constituição da República Federativa do Brasil de 1934 A Constituição publicada no ano de 1934 vem de certa forma revolucionar o instituto do controle de constitucionalidade brasileiro, pois foi responsável por diversas inovações políticas e jurídicas presentes na Magna Carta pátria. 20 Com a finalidade de garantir a segurança jurídica dentro do instrumento de controle de constitucionalidade, o constituinte, no art. 179 do documento constitucional da época, ordenou que, para que determinada lei ou ato normativo fossem declarados inconstitucionais, esta declaração deveria ser realizada por intermédio da maioria absoluta dos membros do tribunal. 21 Outra inovação relevante criada pela segunda Constituição Republicana brasileira foi a implementação da "declaração de inconstitucionalidade para evitar a intervenção federal", onde foi conferida ao procurador geral da república a competência para propositura de tal declaração (ação de inconstitucionalidade), quando verificadas ofensas aos princípios e direitos fundamentais consagrados na norma constitucional. 22 Dessa forma, percebe-se que a partir de então, o Brasil passa a adotar um novo modelo de controle constitucional em conjunto com o controle incidental, o modelo através de ação, onde o objeto de tal demanda seria única e exclusivamente a possível inconstitucionalidade existente em determinada norma infraconstitucional, alegada na representação interventiva do Procurador Geral da República. 23 Porém, a inovação que mais importa ao presente trabalho monográfico está relacionada à intervenção do Senado Federal, onde a partir de então para que uma norma fosse suspensa no todo ou em parte, quando já declaradas inconstitucionais pelo poder judiciário, seria necessária tal intervenção senatorial, tornando-se tal Casa Legislativa, a responsáveis pela ampliação dos efeitos perante 20 BULOS, Uadi Lammêgo. Direito Constitucional ao Alcance de Todos, São Paulo, Saraiva, 2ª Ed., 2010, pg LENZA, Pedro. Direito Constitucional Esquematizado, São Paulo:Saraiva, 2012, p MENDES, Gilmar. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2009, p BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2012, p. 328.

ARTIGO: Efeitos (subjetivos e objetivos) do controle de

ARTIGO: Efeitos (subjetivos e objetivos) do controle de ARTIGO: Efeitos (subjetivos e objetivos) do controle de constitucionalidade Luís Fernando de Souza Pastana 1 RESUMO: há diversas modalidades de controle de constitucionalidade previstas no direito brasileiro.

Leia mais

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa:

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: Conceito Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: a) impedir a subsistência da eficácia de norma contrária à Constituição (incompatibilidade vertical) b) conferir eficácia plena

Leia mais

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL Faculdade do Vale do Ipojuca - FAVIP Bacharelado em Direito Autorizado pela Portaria nº 4.018 de 23.12.2003 publicada no D.O.U. no dia 24.12.2003 Curso reconhecido pela Portaria Normativa do MEC nº 40,

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes CONCEITO: É o procedimento de verificar se uma lei ou ato normativo (norma infraconstitucional) está formalmente e materialmente de acordo com a Constituição. Controlar significa

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE INTRODUÇÃO: o controle de constitucionalidade só é possível nos sistemas jurídicos em que vige uma Constituição escrita e rígida, pois é tão somente nesses sistemas jurídicos

Leia mais

Faculdade Pitágoras de Ipatinga Campus Bom Retiro Direito Constitucional III

Faculdade Pitágoras de Ipatinga Campus Bom Retiro Direito Constitucional III 1. CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE 1.1. Noções gerais. 1.2. Espécies de inconstitucionalidade. 1.3. Teoria geral do controle de constitucionalidade. 1.4. Modelos de controle de constitucionalidade. 1.5.

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Estado KWY editou norma determinando a gratuidade dos estacionamentos privados vinculados a estabelecimentos comerciais, como supermercados, hipermercados, shopping

Leia mais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais O Supremo Tribunal Federal possui o poder de decidir sobre a constitucionalidade das normas jurídicas que foram aprovadas antes da entrada

Leia mais

Controle de Constitucionalidade. Desenvolvido por :

Controle de Constitucionalidade. Desenvolvido por : Controle de Constitucionalidade Desenvolvido por : Prof. Raul de Mello Franco Júnior e-mail: raul@mp.sp.gov.br Página: www.raul.pro.br Versão para Impressão www.tonirogerio.com.br Conceito Controlar a

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO I) CONCEITO: Também chamado de controle pela via de exceção ou de defesa ou controle aberto, o controle difuso pode ser realizado por qualquer juiz ou tribunal.

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE

DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...7 CAPÍTULO I JUSTIFICATIVA, ASPECTOS HISTÓRICOS E SISTEMAS EXISTENTES DE CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE...19 1. Justificativa

Leia mais

INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA

INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA I. Anotações de aula II. Simulado III. Lousas I. ANOTAÇÕES DE AULA

Leia mais

Vícios de Constitucionalidade

Vícios de Constitucionalidade Vícios de Constitucionalidade Vício Formal Nomodinâmico O Vício Formal ocorre durante o processo legislativo, dando a idéia de dinamismo, movimento. Vício quanto ao processo legislativo Vicio Formal é

Leia mais

Faculdade de Direito de Sorocaba. Direito Constitucional II

Faculdade de Direito de Sorocaba. Direito Constitucional II Faculdade de Direito de Sorocaba Direito Constitucional II Controle da constitucionalidade O controle da constitucionalidade na Constituição Federal Art.. 102, I, a ADI e ADC Art.. 103,? 2º - ADI-omissão

Leia mais

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida 1 Controle da Constitucionalidade 1. Sobre o sistema brasileiro de controle de constitucionalidade, é correto afirmar que: a) compete a qualquer juiz ou tribunal, no primeiro caso desde que inexista pronunciamento

Leia mais

INTENSIVÃO DE SÁBADO PARCERIA CURSO A. CARVALHO E REDE DE ENSINO LFG DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR MARCELO NOVELINO

INTENSIVÃO DE SÁBADO PARCERIA CURSO A. CARVALHO E REDE DE ENSINO LFG DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR MARCELO NOVELINO INTENSIVÃO DE SÁBADO PARCERIA CURSO A. CARVALHO E REDE DE ENSINO LFG DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR MARCELO NOVELINO QUESTÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE Questão n. 1 (CESPE/AGU

Leia mais

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro Nota sobre o objeto e o objetivo do livro Nota sobre a forma de utilização do livro 1 Leitura ativa, xxv 2 Ensino participativo, xxvii 3 Utilização da bibliografia, xxviii Introdução - O que é "processo

Leia mais

Professora Chrystiane Mariz

Professora Chrystiane Mariz Professora Chrystiane Mariz -> CF, EC -> LC, LO, MP -> Atos da administração (ex: portarias) 1* Tratados internacionais sem ser de direitos humanos -> LC, LO, MP 2* Tratados internacionais de direitos

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS ÍNDICE Código Disciplina Página DIR 02-07411 Direito Constitucional I 2 DIR 02-07417 Direito Constitucional II 3 DIR 02-00609 Direito Constitucional III 4 DIR 02-00759 Direito

Leia mais

Da competência privativa da União para legislar sobre seguros

Da competência privativa da União para legislar sobre seguros Da competência privativa da União para legislar sobre seguros A autonomia das entidades federativas pressupõe repartição de competências para o exercício e desenvolvimento de sua atividade normativa. (HORTA,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE - UNIANDRADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CURSO DE EXTENSÃO Professor: José Henrique Cesário Pereira.

CENTRO UNIVERSITÁRIO CAMPOS DE ANDRADE - UNIANDRADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CURSO DE EXTENSÃO Professor: José Henrique Cesário Pereira. Professor: José Henrique Cesário Pereira PARTE IV CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE DAS LEIS. AÇÃO DECLARATÓRIA DE CONSTITUCIONALIDADE (ADECON ou ADC) - Lei n. 9.868, de 10.11.99 CONCEITO A Ação Declaratória

Leia mais

AMANDA RESENDE DE SOUZA O AMICUS CURIAE NO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE

AMANDA RESENDE DE SOUZA O AMICUS CURIAE NO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE Centro Universitário de Brasília - UNICEUB Faculdade de Ciências Jurídicas e de Ciências Sociais FAJS AMANDA RESENDE DE SOUZA O AMICUS CURIAE NO CONTROLE DIFUSO DE CONSTITUCIONALIDADE Brasília 2012 AMANDA

Leia mais

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL UNAFE, pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, associação civil

Leia mais

Controle de Constitucionalidade (Princípios Norteadores)

Controle de Constitucionalidade (Princípios Norteadores) 53 Controle de Constitucionalidade (Princípios Norteadores) Camila Novaes Lopes Juíza de Direito do II Juizado Especial Cível - Capital Durante o curso de Controle de Constitucionalidade ministrado pela

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL João e José são pessoas com deficiência física, tendo concluído curso de nível superior. Diante da abertura de vagas para preenchimento de cargos vinculados ao Ministério

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE Por: Alexandre Solano Bastos Orientador Prof. Anselmo de Souza Rio de Janeiro 2012 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

Da competência privativa da União

Da competência privativa da União Opinião 38 Da competência privativa da União Para legislar sobre seguros ALESSANDRA CARNEIRO A autonomia das entidades federativas pressupõe repartição de competências para o exercício e desenvolvimento

Leia mais

Sentidos tradicionais de constituição. Preâmbulo. Constituição Sociológica. Constituição Sociológica. Constituição Jurídica. Constituição Jurídica

Sentidos tradicionais de constituição. Preâmbulo. Constituição Sociológica. Constituição Sociológica. Constituição Jurídica. Constituição Jurídica Preâmbulo Sentidos tradicionais de constituição 1) IRRELEVANCIA JURIDICA Natureza Jurídica do Preâmbulo? 2) PLENA EFICÁCIA CONSTITUIÇÃO SOCIOLÓGICA CONSTITUIÇÃO JURÍDICA CONSTITUIÇÃO POLÍTICA 3) TESE DA

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Com fundamento na recente Lei n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da Administração Pública do dever de licitar, o banco X (empresa pública

Leia mais

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 17. INTRODUÇÃO... 21 A importância da Lei na sociedade contemporânea... 21

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 17. INTRODUÇÃO... 21 A importância da Lei na sociedade contemporânea... 21 STF00094362 SUMÁRIO NOTA DO AUTOR... 15 AGRADECIMENTOS... 17 LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS... 19 INTRODUÇÃO... 21 A importância da Lei na sociedade contemporânea... 21 CAPÍTULO 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS

Leia mais

200 Questões Fundamentadas do Ministério Público

200 Questões Fundamentadas do Ministério Público 1 Para adquirir a apostila digital de 200 Questões Fundamentadas acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br S U M Á R I O Apresentação...3 Questões...4 Respostas...59 Bibliografia...101 2 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Aspectos gerais do controle de constitucionalidade. Professor : Siddharta Legale

Aspectos gerais do controle de constitucionalidade. Professor : Siddharta Legale Aspectos gerais do controle de constitucionalidade Professor : Siddharta Legale LEITURA BÁSICA Bibliografia sugerida BARROSO, Luis Roberto. O controle de constitucionalidade no direito brasileiro. ASSSUMPÇÃO,

Leia mais

Renovação de Reconhecimento CEE/GP 266/06 de 13 de julho de 2006 - D.O.E. 14/07/2006 Autarquia Municipal DEPARTAMENTO DE DIREITO DO ESTADO 2015

Renovação de Reconhecimento CEE/GP 266/06 de 13 de julho de 2006 - D.O.E. 14/07/2006 Autarquia Municipal DEPARTAMENTO DE DIREITO DO ESTADO 2015 DE DIREITO DO ESTADO 2015 EMENTA O Direito Constitucional é a referência axiológica para a aplicação de todos os ramos do Direito. Nesse sentido, este curso de Prática Jurídica Constitucional possibilita

Leia mais

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas TREINAMENTO AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE RORAIMA Módulo: Processos e Técnicas Legislativas Noções Básicas de Direito Administrativo e Administração Pública Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE AULA PROFESSOR: Antonio Isidoro Piacentin Disciplina: Direito Constitucional II Etapa: ()1ª ( ) 2ª ( ) 3ª ( x ) 4ª Turmas: ( ) F ( ) G (x ) P 1. OBJETIVOS: 1.1. Oferecer aos alunos os conceitos

Leia mais

A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA

A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA A RAZOABILIDADE ENQUANTO ELEMENTO CONSTITUTIVO DA HERMENÊUTICA JURÍDICA D OLIVEIRA, Marcele Camargo 1 ; D OLIVEIRA, Mariane Camargo 2 ; CAMARGO, Maria Aparecida Santana 3 Palavras-Chave: Interpretação.

Leia mais

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER DIVISÃO ESPACIAL DO PODER FORMA DE ESTADO: UNITÁRIO 1. Puro: Absoluta centralização do exercício do Poder; 2. Descentralização administrativa: Concentra a tomada de decisões, mas avança na execução de

Leia mais

Palavras-chave: Controle de constitucionalidade; efeitos; cobrança de tributação previdenciária de inativos.

Palavras-chave: Controle de constitucionalidade; efeitos; cobrança de tributação previdenciária de inativos. EFEITOS DAS DECISÕES JUDICIAIS ASSECURATÓRIAS DE PREVALÊNCIA DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS: REPERCUSSÕES EM RELAÇÃO A DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL NO TOCANTE A COBRANÇA DE TRIBUTAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Determinado partido político, que possui dois deputados federais e dois senadores em seus quadros, preocupado com a efetiva regulamentação das normas constitucionais,

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE E SEUS CONCEITOS OPERACIONAIS Rogério Luiz Coelho 1 Resumo A proposta deste estudo é a de fornecer ao leitor uma compreensão das diversas categorias nominativas utilizadas

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Direito tributário

Maratona Fiscal ISS Direito tributário Maratona Fiscal ISS Direito tributário 1. São tributos de competência municipal: (A) imposto sobre a transmissão causa mortis de bens imóveis, imposto sobre a prestação de serviço de comunicação e imposto

Leia mais

RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO

RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO RESPOSTA A QUESTÃO DE ORDEM SOBRE A INCLUSÃO DE MATÉRIA ESTRANHA À MEDIDA PROVISÓRIA EM PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO ENVIADO À APRECIAÇÃO DO SENADO Em resposta à questão de ordem apresentada pelo Senador

Leia mais

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50 CONHEÇA A VERDADE SOBRE A Porque os interesses de Goiás e do povo goiano estão acima de interesses pessoais e corporativistas. O que é a /2014? É uma Emenda Constitucional, que disciplina a representação

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE Parte 02 (Controle Concentrado, Abstrato e tipos de decisão) CONTROLE CONCENTRADO A ADI genérica pode ser em Âmbito federal (STF) ou em âmbito estadual Competência (TJs);

Leia mais

Parágrafos do art. 102 Art. 103 (e seus parágrafos) Art. 103-A (e seus parágrafos) Art. 125, 2º

Parágrafos do art. 102 Art. 103 (e seus parágrafos) Art. 103-A (e seus parágrafos) Art. 125, 2º 1. Introdução OAB - 2012 A nossa Constituição de 1988 é classificada como uma constituição escrita (Constituições escritas são aquelas cujas normas estão reunidas em um só documento, solenemente promulgado

Leia mais

CAPÍTULO 1 QUESTÕES DE PROVA DE JUIZ DO TRABALHO

CAPÍTULO 1 QUESTÕES DE PROVA DE JUIZ DO TRABALHO CAPÍTULO 1 QUESTÕES DE PROVA DE JUIZ DO TRABALHO 1.1 COMENTÁRIOS INICIAIS DO CAPÍTULO ANÁLISE DA DISCIPLINA NAS PRO- VAS DE JUIZ DO TRABALHO A disciplina Direito Constitucional, como não poderia deixar

Leia mais

INTERVENÇÃO FEDERAL ARTIGO 34 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

INTERVENÇÃO FEDERAL ARTIGO 34 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL INTERVENÇÃO FEDERAL ARTIGO 34 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL É o ato de intervir (tomar parte), toda vez que a ação de um Estado- Membro perturbe o sistema constitucional federativo ou provoque grave anormalidade

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 1.385, DE 2015

NOTA INFORMATIVA Nº 1.385, DE 2015 Consultoria Legislativa NOTA INFORMATIVA Nº 1.385, DE 2015 Relativa à STC nº 2015-03673, do Senador Ricardo Ferraço, que solicita a análise sobre a legislação federal e estadual, acerca da possibilidade

Leia mais

SABER DIREITO FORMULÁRIO

SABER DIREITO FORMULÁRIO Programa Saber Direito TV Justiça Outubro de 2010 Curso: Poder Constituinte Professor: André Alencar SABER DIREITO FORMULÁRIO TÍTULO DO CURSO PODER CONSTITUINTE PROFESSOR ANDRÉ ALENCAR TÍTULO Máximo de

Leia mais

ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL

ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Direito Constitucional / Aula 13 Professor: Marcelo L. Tavares Monitora: Carolina Meireles ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL Lei 9.882/99

Leia mais

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política Carlos Roberto Pegoretti Júnior 1 RESUMO: Os entes políticos, por vezes, encontram-se no pólo passivo de demandas judiciais referentes à entrega

Leia mais

CONTROLE CONCENTRADO

CONTROLE CONCENTRADO Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Direito Constitucional / Aula 11 Professor: Marcelo L. Tavares Monitora: Carolina Meireles CONTROLE CONCENTRADO Ação Direta de Inconstitucionalidade

Leia mais

ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO. Liberdade de profissão

ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO. Liberdade de profissão ESCOLA DE FORMAÇÃO 2007 ESTUDO DIRIGIDO Liberdade de profissão Preparado por Carolina Cutrupi Ferreira (Escola de Formação, 2007) MATERIAL DE LEITURA PRÉVIA: 1) Opinião Consultiva n. 5/85 da Corte Interamericana

Leia mais

O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA

O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA O NOVO CPC E OS PRECEDENTES EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA Fernando Facury Scaff Professor de Direito Financeiro da USP. Doutor e Livre Docente pela mesma Universidade. Sócio de Silveira, Athias, Soriano de Melo,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL : Fábio é universitário, domiciliado no Estado K e pretende ingressar no ensino superior através de nota obtida pelo Exame Nacional, organizado pelo Ministério da

Leia mais

DECISÕES INTERESSANTES SOBRE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO

DECISÕES INTERESSANTES SOBRE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO DECISÕES INTERESSANTES SOBRE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO MANDADOS DE INJUNÇÃO MI 702 EMENTA: MANDADO DE INJUNÇÃO. GARANTIA FUNDAMENTAL (CF, ART. 5º, INCISO LXXI). DIREITO DE GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES 1. DIREITO: é o conjunto de normas de conduta coativa impostas pelo Estado, se traduz em princípios de conduta social, tendentes a realizar Justiça, assegurando

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Tribunal de Justiça do Estado J julgou improcedente ação direta de inconstitucionalidade proposta pelo Prefeito do município W, tendo o acórdão declarado constitucional

Leia mais

CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE: STF REVOLUCIONOU NOSSA PIRÂMIDE JURÍDICA

CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE: STF REVOLUCIONOU NOSSA PIRÂMIDE JURÍDICA CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE: STF REVOLUCIONOU NOSSA PIRÂMIDE JURÍDICA Elaborado em 01.2009 Luiz Flávio Gomes Doutor em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri, mestre

Leia mais

Unidade II. A afirmação pode ser comprovada da leitura do dispositivo transcrito:

Unidade II. A afirmação pode ser comprovada da leitura do dispositivo transcrito: Unidade II 4 IMUNIDADES TRIBUTÁRIAS A Constituição Federal proíbe a instituição de impostos sobre certas pessoas ou situações. Baleeiro (1976, p. 87) ensina que imunidades tributárias são: vedações absolutas

Leia mais

O Servidor Celetista e a Estabilidade

O Servidor Celetista e a Estabilidade O Servidor Celetista e a Estabilidade Resumo Objetiva o presente ensaio estimular a apreciação da questão da estabilidade do servidor público vinculado ao regime da Consolidação das Leis do Trabalho CLT,

Leia mais

A LEGITIMIDADE ATIVA DO DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL NO CONTROLE CONCENTRADO DE CONSTITUCIONALIDADE: UMA PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL

A LEGITIMIDADE ATIVA DO DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL NO CONTROLE CONCENTRADO DE CONSTITUCIONALIDADE: UMA PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL A LEGITIMIDADE ATIVA DO DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL NO CONTROLE CONCENTRADO DE CONSTITUCIONALIDADE: UMA PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Aluno: Felipe Schvartzman Orientadores: Thiago Ragonha Varela

Leia mais

ASPECTOS DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E CONCENTRADO NO DIREITO BRASILEIRO 1

ASPECTOS DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E CONCENTRADO NO DIREITO BRASILEIRO 1 ASPECTOS DO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DIFUSO E CONCENTRADO NO DIREITO BRASILEIRO 1 Anne Caroline Silveira 2 Deborah Heckert Werner 3 Elder Gomes Dutra 4 Fernando Horta Tavares 5 Paula Borges Furtado

Leia mais

Validação dos tratados internacionais ambientais no ordenamento jurídico brasileiro

Validação dos tratados internacionais ambientais no ordenamento jurídico brasileiro Validação dos tratados internacionais ambientais no ordenamento jurídico brasileiro Semana de Produção e Consumo Sustentável Mauricio Pellegrino de Souza FIEMG Convenção de Viena 1969 Direito dos Tratados

Leia mais

Controle da constitucionalidade: França e Brasil

Controle da constitucionalidade: França e Brasil Fonte: Dr. Carlos Roberto Siqueira Castro Seção: Artigo Versão: Online Controle da constitucionalidade: França e Brasil Publicado 3 horas atrás Crédito @fotolia/jotajornalismo Por Maria Augusta Carvalho

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Nº 5301 -PGR-RG MANDADO DE SEGURANÇA Nº 30.585 IMPETRANTE : ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS AMB : ASSOCIAÇÃO DOS JUÍZES FEDERAIS DO BRASIL AJUFE : ASSOCIAÇÃO DOS JUÍZES FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

O FIM DA ISENÇÃO: O PAGAMENTO DA COFINS PELOS ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA Danielle Becker 1

O FIM DA ISENÇÃO: O PAGAMENTO DA COFINS PELOS ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA Danielle Becker 1 O FIM DA ISENÇÃO: O PAGAMENTO DA COFINS PELOS ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA Danielle Becker 1 RESUMO O artigo refere-se á análise da decisão proferida, no mês de setembro de 2008, pelo Supremo Tribunal Federal

Leia mais

N o 4.406/2014-AsJConst/SAJ/PGR

N o 4.406/2014-AsJConst/SAJ/PGR N o 4.406/2014-AsJConst/SAJ/PGR Arguição de descumprimento de preceito fundamental 292/DF Relator: Ministro Luiz Fux Requerente: Procuradoria-Geral da República Interessado: Ministério da Educação Arguição

Leia mais

A legitimidade da CNseg

A legitimidade da CNseg 18 A legitimidade da CNseg Para provocar o controle abstrato de constitucionalidade pelo Supremo Tribunal Federal FELIPE MONNERAT 19 A Constituição Federal de 1988 prevê mecanismos de controle da compatibilidade

Leia mais

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso

Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso Ensino Fundamental com 9 anos de duração - Idade de Ingresso A respeito da idade de ingresso das crianças, no ensino fundamental de 9 anos de duração, ocorreram acaloradas discussões na esfera educacional

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015 As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional:

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO. Auditor

A CONSTITUIÇÃO. Auditor A CONSTITUIÇÃO CESPE/UNB Auditor Questão n. 1 (CESPE/AFCE/TCU - 1995) A hierarquia das normas jurídicas no Brasil faz com que: a) uma lei, em sentido estrito, somente possa ser revogada por uma outra lei,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Curso: DIREITO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Data: /0/0 Unid. V Estudo de Casos Rubrica do Professor: Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVA Valor: pontos Pontos obtidos: Professora:

Leia mais

- Art. 9º-B da Lei nº 11.350/2006, inserido pelo art. 1º da Lei 12.994/2014;

- Art. 9º-B da Lei nº 11.350/2006, inserido pelo art. 1º da Lei 12.994/2014; PARECER Nº 01/2014 SOLICITANTE: CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES DA SEURIDADE SOCIAL CNTSS OBJETO: Vetos Presidenciais à Lei 12.994/2014, que institui piso salarial profissional nacional e diretrizes

Leia mais

Controle de Constitucionalidade das Leis ou Atos Normativos Municipais no Direito Brasileiro

Controle de Constitucionalidade das Leis ou Atos Normativos Municipais no Direito Brasileiro 10 Controle de Constitucionalidade das Leis ou Atos Normativos Municipais no Direito Brasileiro Adriana Valentim Andrade do Nascimento Juíza de Direito da 1ª Vara de Cachoeiras de Macacu O tema em tela

Leia mais

ADI, ADC, ADO e ADPF. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946. Brasília, 27 de maio de 2014-18:23

ADI, ADC, ADO e ADPF. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946. Brasília, 27 de maio de 2014-18:23 Brasília, 27 de maio de 2014-18:23 ADI, ADC, ADO e ADPF AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE (Med. Liminar) - 1946 Origem: DISTRITO FEDERAL Entrada no STF: 21/01/1999 Relator: MINISTRO SYDNEY SANCHES Distribuído:

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM 2010/2 PROVA DISCURSIVA DIREITO CONSTITUCIONAL

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM 2010/2 PROVA DISCURSIVA DIREITO CONSTITUCIONAL Questão 1 O Congresso Nacional aprovou e o Presidente da República sancionou projeto de lei complementar modifi cando arti gos do Código Civil, nos termos do art. 22, I da CRFB. Três meses após a entrada

Leia mais

(Da Sra. Luiza Erundina e outros)

(Da Sra. Luiza Erundina e outros) ** PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o, DE 2013 (Da Sra. Luiza Erundina e outros) Cria a Corte Constitucional; altera a composição, a competência e a forma de nomeação dos Ministros do Superior Tribunal

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL José, brasileiro, desempregado, domiciliado no Município ABC, capital do Estado X, chegou a um hospital municipal que não possui Centro de Tratamento Intensivo (CTI)

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA PA nº 1.36.000.000703/2008-95/GAB.01/PRTO Os Procuradores da República signatários, no cumprimento da determinação contida na CF/88, art. 127,

Leia mais

ARTIGO: TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS E

ARTIGO: TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS E ARTIGO: TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS E O ORDENAMENTO INTERNO Luís Fernando de Souza Pastana 1 RESUMO: este artigo visa observar a relação existente entre os tratados internacionais sobre

Leia mais

E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE???

E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE??? E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE??? Esta é uma antiga discussão que, até a presente data, perdura em hostes trabalhistas. Existe o ius postulandi na Justiça do Trabalho? A Carta

Leia mais

Palavras-chaves: Impeachment, Presidente da Republica, Infrações Político- administrativas.

Palavras-chaves: Impeachment, Presidente da Republica, Infrações Político- administrativas. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA IMPEACHMENT Fernando França Caron Especialista em Direito Constitucional pela Faculdade Damásio de Jesus Docente do Curso de Direito da UNILAGO RESUMO A Constituição Federal de

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Partido Político "Z", que possui apenas três representantes na Câmara dos Deputados, por entender presente a violação de regras da CRFB, o procura para que, na

Leia mais

Antonio Henrique Lindemberg. 1 - Assinale a assertiva correta:

Antonio Henrique Lindemberg. 1 - Assinale a assertiva correta: Antonio Henrique Lindemberg 1 - Assinale a assertiva correta: a. Segundo a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, pode-se invocar validamente o princípio do direito adquirido em face das leis de ordem

Leia mais

PARECER SOBRE O REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NA BAHIA

PARECER SOBRE O REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NA BAHIA PARECER SOBRE O REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NA BAHIA I. Intróito Na qualidade de Professor de Servidor Público da UESB e de advogado da ADUSB, nos fora solicitado pela Diretoria desta entidade sindical

Leia mais

ACÓRDÃO. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS Gabinete do Desembargador RAFAEL DE ARAÚJO ROMANO TRIBUNAL PLENO

ACÓRDÃO. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS Gabinete do Desembargador RAFAEL DE ARAÚJO ROMANO TRIBUNAL PLENO TRIBUNAL PLENO Ação Direta de Inconstitucionalidade Autos n. 2008.005668-5 Requerente: Partido Socialista.Brasileiro -PSB Advogada: Flávia Manarte Hanna Relator: Desdor. Rafael de Araújo Romano EMENTA:

Leia mais

300 Questões Comentadas do Poder Executivo

300 Questões Comentadas do Poder Executivo 1 Para adquirir a apostila de 300 Questões Comentadas acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br ESTA APOSTILA SERÁ ATUALIZADA ATÉ A DATA DO ENVIO S U M Á R I O Apresentação...3 Questões...4 Respostas...82

Leia mais

Hierarquia Constitucional dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos e EC 45 - tese em favor da incidência do tempus regit actum

Hierarquia Constitucional dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos e EC 45 - tese em favor da incidência do tempus regit actum Hierarquia Constitucional dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos e EC 45 - tese em favor da incidência do tempus regit actum Paulo Ricardo Schier As teorias do direito internacional e constitucional,

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE Atualizado em 12/11/2015 CLASSIFICAÇÕES E SISTEMAS DE CONTROLE CLASSIFICAÇÕES DO CONTROLE Quanto ao posicionamento do órgão controlador: Externo: exercido por um ente que

Leia mais

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal Interposição: perante o órgão prolator da decisão Recurso Especial Nomenclatura: REsp Competência: Superior Tribunal de Justiça STJ Prazo para interposição 15 dias; Recurso Extraordinário Nomenclatura:

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 250, de 2005 Complementar, do Senador PAULO PAIM, que estabelece requisitos e critérios diferenciados

Leia mais

VOTO PROCESSO TC 2257/2013 PROTOCOLO TC 2013/128970

VOTO PROCESSO TC 2257/2013 PROTOCOLO TC 2013/128970 VOTO PROCESSO TC 2257/2013 PROTOCOLO TC 2013/128970 Considerando que a Lei Estadual n 6.417, de 26 de maio de 2008, com vigência retroativa a 1 de maio de 2008, dispõe sobre a revisão geral anual dos servidores

Leia mais

EVOLUÇÃO DA APLICAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS SOCIAIS NO ORDENAMENTO JURIDICO BRASILEIRO.

EVOLUÇÃO DA APLICAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS SOCIAIS NO ORDENAMENTO JURIDICO BRASILEIRO. 1 EVOLUÇÃO DA APLICAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS SOCIAIS NO ORDENAMENTO JURIDICO BRASILEIRO. Clarissa Felipe Cid 1 Sumário:1. Introdução. 2. A distinção entre direitos humanos e fundamentais. 3. Como são aplicadas

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECLAMAÇÃO 15.309 SÃO PAULO RELATORA RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL

O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL O NOVO DIVÓRCIO À LUZ DA PROBLEMÁTICA PROCESSUAL Vinícius Paulo Mesquita 1) Notas Introdutórias Com a promulgação da E.C. 66/10, a chamada PEC do Divórcio, a doutrina pátria passou a sustentar em sua grande

Leia mais

Procedência Interessado Número Data Ementa RELATÓRIO PARECER

Procedência Interessado Número Data Ementa RELATÓRIO PARECER Procedência: Junta Comercial do Estado de Minas Gerais - JUCEMG Interessado: Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico - SEDE Número: 14.595 Data: 31 de janeiro de 2006 Ementa: Junta Comercial

Leia mais