Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, o equívoco na alternativa indicada no gabarito oficial, ou seja, a letra C.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, o equívoco na alternativa indicada no gabarito oficial, ou seja, a letra C."

Transcrição

1 1 C 41 C 41 C 61 C Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, o equívoco na alternativa indicada no gabarito oficial, ou seja, a letra C. Os argumentos formulados não procedem, em síntese, porque (a) tratava-se de pergunta de Teoria Geral, conforme consta no item 3 do Programa, e não necessariamente do vigente regime constitucional positivo pátrio, (b) é sim procedente a aplicação na redação da letra indicada no gabarito oficial ao aplicar a conjunção alternativa ou, e não a aditiva e, porque nem todos os limites tem de estar concomitantemente presentes para que se caracterize a sua ocorrência e (c) data venia a eventuais entendimentos contrários e isolados os aspectos formais/processuais não são limites e nem estão assim afirmados/considerados pela franca maioria da doutrina pátria, inclusive a mais tradicional mas sim requisitos/condições de exercício.

2 2 D 42 D 42 D 62 D O candidato recorrente traz, em síntese, argumento em torno a que o contido na letra C das alternativas da questão seria correto em face do quanto articulado no Parecer PGFN/CRJ/Nº 492/2010. O recurso não apresenta pertinência material com a questão recorrida, que não versa em geral e/ou especificamente na letra acima mencionada sobre qualquer aspecto relacionado à temática desenvolvida no referido Parecer da PGFN.

3 3 B 43 B 43 B 63 B Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, por um lado que haveria uma outra alternativa correta (ou seja, a letra A ) além daquela alternativa indicada no gabarito oficial, ou seja, a letra B, e por outro lado que a alternativa indicada no gabarito oficial (ou seja, repita-se, a letra B ) seria incorreta. Os argumentos formulados não procedem, em síntese, porque: (a) a letra A não é correta porque no sistema brasileiro de controle difuso de constitucionalidade o juiz não se limita pela existência de pronunciamento pelo respectivo tribunal ou tribunal superior, salvo se for o caso de (a.1) pronunciamento meritório do STF em ADI, ADC ou por meio de Súmula Vinculante ou, ainda, (a.2) de pronunciamento pelo respectivo tribunal mediante regular processamento de incidente de inconstitucionalidade (na forma do art. 97 da CF-88 c/c arts. 480/482 do CPC); e (b) a letra B, apontada no gabarito oficial, sim é correta porque ressaltava em seu texto, expressamente, que a questão se fazia nos termos expressos da Constituição de 1988 (grifei), e nesta o art. 52, inciso X, é inequívoco no particular do quanto ali demandado (a interpretação do STF, ou de alguns de seus membros, para fins do pronunciamento exarado em ADI e/ou ADC e, em parte e relativamente, para outros pronunciamentos, não se confunde como sabe qualquer intérprete qualificado não se confunde com os termos expressos da Constituição ): aliás, aqui não se trata de boa-fé objetiva, mas de literalidade dos termos da questão (a situação é idêntica àquela onde a questão indique, expressamente, o apontamento da alternativa de resposta conforme a jurisprudência do STF, porém haja eventual divergência doutrinária ainda que não jurisprudencial perante a Corte Máxima em torno do mesmo ponto)!

4 4 D 44 D 44 D 64 D NÃO FOI APRESENTADO RECURSO PARA ESTAS QUESTÔES.

5 5 E 45 E 45 E 65 E Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, que haveria uma outra alternativa correta (ora a letra A, ora a letra C ) além daquela alternativa indicada no gabarito oficial, ou seja, a letra E. Os argumentos formulados não procedem, em síntese, porque (a) a letra A não é correta porque ali se fala em união dissolúvel (grifei) e (b) para a letra C a União não tem dupla personalidade, uma interna e outra externa, ainda que eventualmente a República, que com aquela juridicamente não se confunde, possa eventualmente tê-la.

6 6 A 46 A 46 A 66 A O candidato recorrente alega, em síntese, que ademais da alternativa indicada como incorreta (e, portanto, adequada à questão) pelo gabarito oficial ou seja, a letra A também haveria outra alternativa igualmente adequada ( incorreta ) consubstanciada na letra E. O argumento formulado não procede, em síntese, porque a letra E contempla, precisamente, a orientação jurisprudencial assentada pelo STF em torno da matéria, conforme aliás, assim expressamente solicitado no enunciado da questão.

7 8 D 48 D 48 D 68 D Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, que haveria uma outra alternativa correta (ora a letra B, ora a letra E ) além daquela alternativa indicada no gabarito oficial, ou seja, a letra D. Os argumentos formulados não procedem, em síntese, porque: (a) a letra B não é correta porque analfabeto funcional é conceito mais amplo que analfabeto ou, ainda, mesmo se aquele fosse tomado em seu sentido literal como articulado em alguns recursos ter-se-ia, então, afirmativa mais restritiva da cidadania que o contemplado na CF-88, resultando, de qualquer forma, na incorreção da alternativa; e (b) a letra E não é correta porque limita apenas à hipótese ali contemplada ( só se dará, grifei) quando pelo art. 15 da CF-88 há outras hipóteses e, ainda, a partir do quanto articulado em alguns recursos, verifique-se que a expressão enquanto durarem os seus efeitos é adendo separado por vírgula frente ao restante do texto, e apenas assim pode ser adequadamente lido e compreendido.

8 9 A 49 A 49 A 69 A Os candidatos recorrentes alegam, em síntese: (I) ou que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa incorreta de um lado não seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra A ), pois esta seria correta porque o princípio da legalidade, em todas as suas manifestações constitucionais, se consubstanciaria como reserva de lei ou estrita legalidade ; ou (II) que a letra D sim seria ( exclusivamente ou também ) incorreta porque (a) não apenas a lei, em sentido estrito/formal, atenderia ao suprimento do princípio da legalidade em matéria tributária, mas também a medida provisória, e/ou (b) a excepcionalidade constitucional ao princípio da legalidade tributária (b.1) por um lado, e mesmo para os impostos da União de caráter econômico-regulatório, estaria excepcionalizado pelo 1º do art. 153 apenas para fins da alteração de sua alíquota e não para qualquer outra forma de majoração (conforme referido, em caráter aparentemente amplo, na redação da letra aqui em análise), e (b.2) por outro lado também estaria constitucionalmente contemplada para a CIDE-Combustíveis na forma do art. 177, 4º, I, b da mesma CF-88 (não se limitando, pois, e conforme constou no enunciado da redação da letra aqui em análise, aos impostos ), e/ou (c) também o denominado ICMS-Monofásico, ao menos na hipótese referida no art. 155, 4º, IV, da CF- 88, também compreenderia exceção ao princípio da legalidade, mediante lei, na matéria tributária, por contemplar fixação de alíquota tributária mediante convênio entre os Estados da Federação. Os argumentos formulados em torno à correção e, portanto, à sua inadequação ao comando da questão da letra A, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque é absolutamente pacífico na doutrina e na jurisprudência que o princípio da legalidade, em suas várias manifestações constitucionais, tanto pode ora se apresentar como legalidade geral ou lato sensu como francamente ocorre com sua expressão enquanto direito fundamental individual, pois se assim não fosse (v.g.) todas as pactuações de natureza contratual não expressamente autorizadas e/ou disciplinadas em lei formal seriam inválidas! ou então como reserva de lei ou estrita legalidade como ocorre, por exemplo, na matéria penal e, com algumas exceções admitidas na própria CF- 88, na matéria tributária. Por outro lado, os argumentos formulados em torno à incorreção e, portanto, à sua adequação ao comando da questão da letra D efetivamente procedem, nos mesmos termos em que acima sumariados. Com estes fundamentos, e à vista dos critérios corretivos indicados pela ESAF, proponho a anulação da questão.

9

10 10 D 50 D 50 D 70 D Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, ou que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa correta de um lado não seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra D ) pois esta seria incorreta seja porque ela representaria apenas uma excepcionalidade (e não a regra geral ) de tratamento da matéria pela CF-88, e especialmente por seu art. 5º, seja ainda porque não apenas a própria CF quanto também as leis podem distinguir homens e mulheres em obrigações e/ou direitos, e, por outro lado, que a letra E sim seria ( exclusivamente ou também ) correta especialmente em face do disposto nos arts. 150, II, e 145, 1º, ambos da CF-88 atendendo, pois, alternativa ou concomitantemente, ao solicitado na questão. Os argumentos formulados em torno à incorreção e, portanto, à sua inadequação ao comando da questão da letra D, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque (a) a afirmativa ali consignada, conquanto em construção redacional negativa, expressamente precisamente o mesmo conteúdo extraível em particular do caput e do inciso I do art. 5º da CF-88, e (b) conforme pacífico na doutrina e na jurisprudência somente é lícito à legislação infraconstitucional promover distinções de gênero, na fixação apartada/diferenciada de direitos e/ou obrigações, ou quando assim expressamente já consignado na própria CF-88, ou quando assim seja ajuizado pelo legislador como meio à implementação de distinções, proposições ou franquias por igual diretamente reconhecidas na própria CF-88. Por outro lado, os argumentos formulados em torno à correção e, portanto, à sua adequação ao comando da questão da letra E efetivamente procedem, nos mesmos termos em que acima sumariados. Com estes fundamentos, e à vista dos critérios corretivos indicados pela ESAF, proponho a anulação da questão.

11 11 B 51 B 51 B 71 B Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa incorreta tanto seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra B ) quanto, ainda e por igual, pela letra E, o que imporia a anulação da questão. Os argumentos formulados, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque também a forma de pagamento pela indenização de imóvel urbano na hipótese referida pelo art. 182, 4º, III, da CF-88 é prévia ou seja, primeiramente se dá o pagamento pelo Poder Público Municipal ao titular do imóvel por sua posse e/ou propriedade (ainda que sob a forma de títulos públicos municipais), e apenas posteriormente ocorre a assunção pelo mesmo Poder Público Municipal da legítima titularidade da área em foco, conforme inclusive ressalta a exigência, expressamente contemplada no mesmo dispositivo constitucional, no sentido que a emissão dos referidos títulos seja previamente aprovada pelo Senado Federal. Assim, a assertiva contemplada na letra E da questão estava correta, e consequentemente não atendia ao enunciado da mesma questão.

12 12 C 52 C 52 C 72 C Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa correta de um lado não seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra C ), pois esta seria incorreta, e, por outro lado, que ou a letra A, ou a letra B ou a letra D sim seriam (exclusivamente ou também) corretas atendendo, pois, alternativa ou concomitantemente, ao solicitado na questão. Os argumentos formulados, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque: (a) a letra C, apontada no gabarito oficial, é realmente correta, conforme solicitado no enunciado da questão, porque fala na legitimidade dos partidos políticos para a impetração de mandado de segurança coletivo em favor de pessoas e/ou coletividades independentemente (...) da condição da(s) pessoa(s) beneficiada(s) pela impetração como sua(s) filiada(s), o que: (a.1) nunca foi negado pela jurisprudência do STF, destacadamente o pronunciado no RE nº (rel. Min. Ellen Gracie, 1ª Turma), pois neste precedente analisou-se exclusivamente a legitimidade do partido político para mandado de segurança coletivo em matéria de impugnação à constitucionalidade/validade de exigência tributária, tratando-se, pois de questão afeta à natureza dos interesses tuteláveis pelo remédio constitucional, e não propriamente como referido na letra C da questão à legitimidade, ou não, de atuação do partido político em favor, inclusive, de seus não-filiados; (a.2) sim foi negado por alguma jurisprudência muito antiga do STJ (p.e, e por todos, MS nº 197, publicado na RSTJ 12/215 e julgado ainda em 1990), já superada na própria Corte em favor de um entendimento análogo ao acima referido e adotado pelo STF (vide, em referência, RMS10.131, rel. Min. Peçanha Martins, 2ª Turma, julg ); e (a.3) por igual não foi negado/contrariado pelo advento da nova/vigente Lei do Mandado de Segurança, Lei nº /2009, que em seu art. 21 expressamente distingue, para fins do mandado de segurança coletivo, entre, por um lado, a legitimidade subjetiva tutelável por iniciativa de organização sindical, entidade de classe ou associação ( em defesa de direitos líquidos e certos da totalidade, ou de parte, dos seus membros ou associados, na forma dos seus estatutos e desde que pertinentes às suas finalidades grifei), e, por outro lado, a legitimidade subjetiva tutelável por iniciativa de partido político ( na defesa de seus interesses legítimos relativos a seus integrantes ou à finalidade partidária grifei e negritei), ou seja, inexigindo, quanto a estes últimos (partidos políticos) a afetação entre a legitimidade de iniciativa para o writ e a afiliação que era, afinal e como já acima destacado, a questão propriamente contemplada na letra C da questão;

13 (b) a letra A é realmente incorreta, desatendendo pois ao quanto solicitado no enunciado da questão, porque o habeas corpus não se presta à tutela da liberdade de manifestação, mas apenas à liberdade de locomoção ( direito de ir-e-vir ); (c) a letra B é realmente incorreta, desatendendo pois ao quanto solicitado no enunciado da questão, porque (c.1) afirma, inicialmente, ser cabível mandado de segurança individual, nas situações ali genericamente referidas, quando o correspondente direito líquido e certo não for amparado por habeas corpus sem, contudo, fazer referência igualmente excludente ao campo próprio do habeas data, o que por si só representa que a alternativa deixa campo ao mandamus mais amplo que aquele a ele efetivamente contemplado pela CF-88, e (c.2) independentemente da questão supra afirma, dentre outros aspectos, ser o mandado de segurança individual o remédio constitucional adequado ao ataque à ilegalidade ou ao abuso de poder, que afete a direito líquido e certo de sujeito de direito, quando a aquelas impropriedades forem perpetradas por titular de banco de dados de caráter público, o que não procede porque sendo este um sujeito de direito privado não exercente de poder público não confundir, aqui, com a situação dos titulares de bancos de dados públicos! ou seus atos de natureza propriamente informacional são acionáveis mediante habeas data, ou seus atos de natureza não propriamente informacional são acionáveis mediante ações ordinárias ou cautelares comuns, e não por meio dos remédios constitucionais; e (d) a letra D é realmente incorreta, desatendendo pois ao quanto solicitado no enunciado da questão, porque o mandado de injunção é cabível, apenas, quando a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício de direitos fundamentais, e não como descrito na letra aqui em análise quando aquela omissão normativa justamente torne viável o exercício dos direitos fundamentais.

14 13 D 53 D 53 D 73 D Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, ou que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa incorreta não seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra D ), ou que tanto aquela alternativa quanto, ainda e por igual, as letras B e/ou E atenderiam ao solicitado na questão. Os argumentos formulados, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque: (a) a redação contida na letra D sim está incorreta, conforme solicitado na questão, porque a expressão do comando verbal central ali contido exercerão (...) para configura limitação/vinculação entre a premissa posta (ausência de norma geral federal) e a consequência admitida (possibilidade de legislação pelos Estados para dispor sobre situações urgentes e transitórias de suas peculiaridades administrativas ), resultando pois na assertiva de realidade normativa à matéria francamente distinta àquela no caso, mais ampla admitida pelo art. 24 da CF-88; (b) a letra B está correta, desatendendo pois o solicitada na questão, porque (b.1) seu enunciado não limita a competência material comum aos Estados, Municípios e ao DF (supostamente, como argumentado, excluindo a União), mas apenas apresenta proposição correta em si referida àquela parcela da competência material comum exercível pelos Estados, Municípios e DF, e (b.2) a letra em foco tem redação negativa ( não está atribuída ) e, assim, está materialmente correta frente ao art. 23 da CF-88; e (c) a letra E também está correta, por igual desatendendo pois o solicitado na questão, porque data venia a redação da assertiva é perfeitamente simples, direta e compreensível, conforme inclusive demonstra a existência de um único recurso questionando este aspecto.

15 14 E 54 E 54 E 74 E NÃO FOI APRESENTADO RECURSO PARA ESTAS QUESTÔES.

16 15 A 55 A 55 A 75 A Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, ou que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa incorreta de um lado não seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra A ) pois esta seria correta especialmente em face do inciso I do art. 26 da CF-88, e, por outro lado, que a letra E sim seria ( exclusivamente ou também ) incorreta especialmente por fazer referência a recursos naturais, e não a recursos minerais como proclamado pelo 1º do art. 20 da CF em conceito que seria mais específico/restrito que aquele constante na alternativa ora em foco atendendo, pois, alternativa ou concomitantemente, ao solicitado na questão. Os argumentos formulados em torno à correção e, portanto, à sua inadequação ao comando da questão da letra A, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque deixando de contemplar a assertiva em questão a ressalva que expressamente consigna no inciso I do art. 26 da CF-88 em favor da União e que, portanto, reduz o alcance do comando normativo da primeira parte daquele mesmo dispositivo ela se faz, necessariamente, incorreta. Por outro lado, os argumentos formulados em torno à incorreção e, portanto, à sua adequação ao comando da questão da letra E efetivamente procedem, nos mesmos termos em que acima sumariados. Com estes fundamentos, e à vista dos critérios corretivos indicados pela ESAF, proponho a anulação da questão.

17 16 B 56 B 56 B 76 B Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, ou que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa correta não seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra B ), ou que tanto aquela alternativa quanto, ainda e por igual, a letra A atenderiam ao solicitado na questão. Os argumentos formulados, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque: (a) a redação contida na letra A configura limitação/vinculação da acessibilidade aos cargos e empregos públicos aos brasileiros natos, exigência que a CF-88 não contempla para os cargos e empregos públicos em geral isto é, ressalvados aqueles por ela mesma distinguidos para este fim; e (b) a redação contida na letra B sim está correta, conforme solicitado na questão, porque a expressão ali contida desde que exclusivamente configura realidade normativa à matéria francamente distinta àquela no caso, mais ampla admitida pelo inciso IX do art. 37 da CF-88.

18 17 A 57 A 57 A 77 A Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, ou que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa incorreta não seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra A ) pois esta seria correta, e/ou que, por outro lado, ou a letra C, ou a letra D ou a letra E sim seriam (exclusivamente ou também) incorretas atendendo, pois, alternativa ou concomitantemente, ao solicitado na questão. Os argumentos formulados não procedem, em síntese, porque: (a) a letra A é realmente incorreta, conforme solicitado no enunciado da questão, porque fala em maioria absoluta, que não é o critério do art. 47 da CF-88; (b) a letra C está correta não atendendo, assim, ao enunciado da questão porque (b.1) ao falar sobre a CD em nada limita ou exclui (expressamente ou pelo seu contexto) qualquer competência do CN, do SF e/ou de suas Comissões, e (b.2) porque a questão contém duas assertivas, perfeitamente separadas pela passagem, ou, ainda,, de forma que a sanção expressa na parte final da alternativa aqui analisada claramente se refere apenas à segunda passagem, que está ancorada não no art. 58, 2º, III, da CF-88, mas sim no seu art. 50, 2º; (c) a letra D também está correta não atendendo, assim e mais uma vez, ao enunciado da questão porque fala em crime de responsabilidade (art. 52, III, da CF-88), e não em crime comum (art. 103, I, b, da CF-88); e (d) a letra E por igual está correta não atendendo, novamente, ao enunciado da questão porque o quanto ali descrito está compreendido no art. 54, I, a, da CF-88, e o enunciado desta alternativa em nada limita ou exclui (expressamente ou pelo seu contexto) qualquer outro eventual impedimento por igual existente aos ali referidos agentes políticos.

19 18 C 58 C 58 C 78 C O candidato recorrente alega, em síntese, que a alternativa indicada como correta pelo gabarito oficial ou seja, a letra C seria, na verdade, incorreta. O argumento formulado não procede, em síntese, porque a alternativa em tela, ao afirmar a competência que ali consta, absolutamente não excluiu outras, pois não empregou em seu enunciado nenhuma expressão direta, conotativa ou denotativa de exclusividade. Prova Objetiva 19 E 59 E 59 E 79 E Os candidatos recorrentes alegam, em síntese, que o enunciado da questão que solicitava o apontamento da alternativa incorreta tanto seria atendido pela letra apontada no gabarito oficial (ou seja, a letra E ) quanto, ainda e por igual, pela letra C. Os argumentos formulados, conquanto muito bem apresentados e contundentes, não procedem, em síntese, porque também o pagamento devido aos precatórios alimentares far-se-ão, exclusivamente, na ordem cronológica de sua apresentação ainda que correspondendo a ordenação cronológica própria, o que não é negado/contraditado, expressamente ou pelo seu contexto, pelo texto contido na letra E, de forma que a mesma sim se apresentava como correta e consequentemente não atendia ao enunciado da mesma questão.

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL

AULA 10 CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO BRASIL Faculdade do Vale do Ipojuca - FAVIP Bacharelado em Direito Autorizado pela Portaria nº 4.018 de 23.12.2003 publicada no D.O.U. no dia 24.12.2003 Curso reconhecido pela Portaria Normativa do MEC nº 40,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL : Fábio é universitário, domiciliado no Estado K e pretende ingressar no ensino superior através de nota obtida pelo Exame Nacional, organizado pelo Ministério da

Leia mais

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON QUESTÃO 1 1 - Responda às perguntas abaixo e em seguida assinale a opção correta. I. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios cobrar

Leia mais

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL UNAFE, pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, associação civil

Leia mais

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida 1 Controle da Constitucionalidade 1. Sobre o sistema brasileiro de controle de constitucionalidade, é correto afirmar que: a) compete a qualquer juiz ou tribunal, no primeiro caso desde que inexista pronunciamento

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.696 - RJ (2013/0339925-1) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S/A ADVOGADO : JOSÉ ANTÔNIO MARTINS E OUTRO(S) RECLAMADO : TERCEIRA TURMA

Leia mais

Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades

Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades Remédio constitucional ou remédio jurídico, são meios postos à disposição dos indivíduos e cidadão para provocar a intervenção das autoridades competentes, visando sanar ilegalidades ou abuso de poder

Leia mais

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990.

No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação do artigo 2º, da lei nº 8.072, de 28 de julho de 1990. A NOVA DISCIPLINA DA PROGRESSÃO DE REGIME TRAZIDA PELA LEI Nº 11.464/07. MAURICIO MAGNUS FERREIRA JUIZ DE DIREITO DO TJ/RJ No dia 29 de março de 2007, entrou em vigor a lei nº 11.464/07 que alterou a redação

Leia mais

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos.

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos. FUNDAMENTOS PARA O CABIMENTO DE MANDADO DE SEGURANÇA NA PROVA DE 2º FASE DE DIREITO CONSTITUCIONAL DO IX EXAME DA OAB. A sempre justa banca de Direito Constitucional cometeu, ao meu ver, um grande equivoco

Leia mais

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Os direitos fundamentais previstos na Constituição brasileira de 1988 são igualmente garantidos aos brasileiros e aos

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Com fundamento na recente Lei n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da Administração Pública do dever de licitar, o banco X (empresa pública

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 719.474 - SP (2015/0125771-3) RELATOR AGRAVANTE PROCURADOR AGRAVADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : MUNICIPIO DE GUARULHOS : ANA PAULA HYROMI YOSHITOMI : CECÍLIA CRISTINA

Leia mais

INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA

INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA INTENSIVO OAB REGULAR MÓDULO I - MANHÃ Disciplina: Direito Constitucional Prof. Nathalia Masson Aula: 03/04 MATERIAL DE APOIO MONITORIA I. Anotações de aula II. Simulado III. Lousas I. ANOTAÇÕES DE AULA

Leia mais

Antonio Henrique Lindemberg. 1 - Assinale a assertiva correta:

Antonio Henrique Lindemberg. 1 - Assinale a assertiva correta: Antonio Henrique Lindemberg 1 - Assinale a assertiva correta: a. Segundo a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, pode-se invocar validamente o princípio do direito adquirido em face das leis de ordem

Leia mais

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa:

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: Conceito Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: a) impedir a subsistência da eficácia de norma contrária à Constituição (incompatibilidade vertical) b) conferir eficácia plena

Leia mais

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal Interposição: perante o órgão prolator da decisão Recurso Especial Nomenclatura: REsp Competência: Superior Tribunal de Justiça STJ Prazo para interposição 15 dias; Recurso Extraordinário Nomenclatura:

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Após regular certame licitatório, vencido pelo consórcio Mundo Melhor, o Estado X celebrou contrato de obra pública, tendo por objeto a construção de uma rodovia

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Curso: DIREITO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Data: /0/0 Unid. V Estudo de Casos Rubrica do Professor: Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVA Valor: pontos Pontos obtidos: Professora:

Leia mais

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO Citação 2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2 Prof. Darlan Barroso - GABARITO 1) Quais as diferenças na elaboração da petição inicial do rito sumário e do rito ordinário? Ordinário Réu

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Determinado partido político, que possui dois deputados federais e dois senadores em seus quadros, preocupado com a efetiva regulamentação das normas constitucionais,

Leia mais

Controle de Constitucionalidade. Desenvolvido por :

Controle de Constitucionalidade. Desenvolvido por : Controle de Constitucionalidade Desenvolvido por : Prof. Raul de Mello Franco Júnior e-mail: raul@mp.sp.gov.br Página: www.raul.pro.br Versão para Impressão www.tonirogerio.com.br Conceito Controlar a

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes CONCEITO: É o procedimento de verificar se uma lei ou ato normativo (norma infraconstitucional) está formalmente e materialmente de acordo com a Constituição. Controlar significa

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM 2010/2 PROVA DISCURSIVA DIREITO CONSTITUCIONAL

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM 2010/2 PROVA DISCURSIVA DIREITO CONSTITUCIONAL Questão 1 O Congresso Nacional aprovou e o Presidente da República sancionou projeto de lei complementar modifi cando arti gos do Código Civil, nos termos do art. 22, I da CRFB. Três meses após a entrada

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

EXÉRCITO BRASILEIRO: SEM RESTRIÇÕES PARA INGRESSAR

EXÉRCITO BRASILEIRO: SEM RESTRIÇÕES PARA INGRESSAR EXÉRCITO BRASILEIRO: SEM RESTRIÇÕES PARA INGRESSAR Rosalina Eliana Pereira 1 RESUMO O presente estudo objetiva demonstrar requisitos, impostos pelas Forças Armadas, que causam a exclusão sumária de candidatos

Leia mais

REF: EXERCÍCIO DO DIREITO DE GREVE DOCENTES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO, SUBSTITUTOS E VISITANTES ANÁLISE JURÍDICA.

REF: EXERCÍCIO DO DIREITO DE GREVE DOCENTES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO, SUBSTITUTOS E VISITANTES ANÁLISE JURÍDICA. 1 Brasília (DF), 7 de maio de 2012. Ilustríssimo Senhor Professor LUIZ HENRIQUE SCHUCH, 1º Vice-Presidente do SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR- ANDES-SINDICATO NACIONAL.

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Estado KWY editou norma determinando a gratuidade dos estacionamentos privados vinculados a estabelecimentos comerciais, como supermercados, hipermercados, shopping

Leia mais

Faculdade de Direito de Sorocaba. Direito Constitucional II

Faculdade de Direito de Sorocaba. Direito Constitucional II Faculdade de Direito de Sorocaba Direito Constitucional II Controle da constitucionalidade O controle da constitucionalidade na Constituição Federal Art.. 102, I, a ADI e ADC Art.. 103,? 2º - ADI-omissão

Leia mais

: MIN. ROBERTO BARROSO TRABALHO DA 11ª REGIÃO - AMAZONAS E RORAIMA - SITRAAM

: MIN. ROBERTO BARROSO TRABALHO DA 11ª REGIÃO - AMAZONAS E RORAIMA - SITRAAM MANDADO DE INJUNÇÃO 3.750 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO :SINDICATO DOS SERVIDORES DA JUSTIÇA DO TRABALHO DA 11ª REGIÃO - AMAZONAS E RORAIMA - SITRAAM : JANNE

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte:

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte: DECISÃO RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL. ALEGADO DESCUMPRIMENTO DA SÚMULA VINCULANTE N. 10 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. RECLAMAÇÃO PROCEDENTE. Relatório 1. Reclamação, com pedido de antecipação de tutela, ajuizada

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL José, brasileiro, desempregado, domiciliado no Município ABC, capital do Estado X, chegou a um hospital municipal que não possui Centro de Tratamento Intensivo (CTI)

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 9 19/09/2013 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 759.244 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES)

Leia mais

Nº 108771/2015 ASJCIV/SAJ/PGR

Nº 108771/2015 ASJCIV/SAJ/PGR Nº 108771/2015 ASJCIV/SAJ/PGR Relatora: Ministra Rosa Weber Impetrante: Airton Galvão Impetrados: Presidente da República e outros MANDADO DE INJUNÇÃO. APOSENTADORIA ESPE- CIAL. SERVIDOR PÚBLICO COM DEFICIÊNCIA.

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )2( oãdróca atneme756754 RgA-IA Diário da Justiça de 07/12/2006 14/11/2006 PRIMEIRA TURMA AG.REG.NO AGRAVO DE INSTRUMENTO 457.657-6 RIO DE JANEIRO RELATOR AGRAVANTE(S) AGRAVADO(A/S) : MIN. SEPÚLVEDA PERTENCE

Leia mais

RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 680.089 / SE

RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 680.089 / SE Procuradoria Geral da República N 8616 RJMB / tvm RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 680.089 / SE RELATOR : Ministro LUIZ FUX RECORRENTE : Estado de Sergipe RECORRIDO : B2W Companhia Global do Varejo RECURSO EXTRAORDINÁRIO.

Leia mais

A Constituição Federal, em seu art. 5º, LXXVI, confere a gratuidade do registro civil de nascimento aos reconhecidamente pobres.

A Constituição Federal, em seu art. 5º, LXXVI, confere a gratuidade do registro civil de nascimento aos reconhecidamente pobres. PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO CONVERTIDO EM PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. REGISTRO DE NASCIMENTO. AVERBAÇÃO DE PATERNIDADE RECONHECIDA VOLUNTARIAMENTE. GRATUIDADE. AUSÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. A Constituição

Leia mais

REDAÇÃO OFICIAL LEIS

REDAÇÃO OFICIAL LEIS REDAÇÃO OFICIAL LEIS Lei Ordinária Definição A lei ordinária é um ato normativo primário e contém, em regra, normas gerais e abstratas. Embora as leis sejam definidas, normalmente, pela generalidade e

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO PENAL

DISCIPLINA: DIREITO PENAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO PENAL QUESTÃO Nº 109 Protocolo: 11913003657-0 Não existe qualquer erro material na questão. Nada a ser alterado. O recorrente

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA CÍVEL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO SP O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pela Procuradora da República

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL V EXAME UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA PROVA DO DIA 4/12/2011 DIREITO TRIBUTÁRIO

CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL V EXAME UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA PROVA DO DIA 4/12/2011 DIREITO TRIBUTÁRIO DIREITO TRIBUTÁRIO PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL Trata-se de ação de consignação em pagamento, com previsão no art. 164, I, do CTN, tendo em vista que a Fazenda Municipal se recusa a receber a prestação tributária

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS. Vistos, etc.

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS. Vistos, etc. 'a?/) ool -l botr4 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS IMPETRANTE ADVOGADOS IMPETRADO MANDADO DIE RELATO!' SEGURANÇA N 200.2008.024236-1/002 : Dr. Alexandre

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECLAMAÇÃO 15.309 SÃO PAULO RELATORA RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

Vícios de Constitucionalidade

Vícios de Constitucionalidade Vícios de Constitucionalidade Vício Formal Nomodinâmico O Vício Formal ocorre durante o processo legislativo, dando a idéia de dinamismo, movimento. Vício quanto ao processo legislativo Vicio Formal é

Leia mais

P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L

P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L Trata-se de mandado de segurança impetrado por em face do INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL, objetivando assegurar que a autoridade coautora continue

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO CONCEITO DE CONTROLE CONTROLE, EM TEMA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, É A FACULDADE DE VIGILÂNCIA, ORIENTAÇÃO E CORREÇÃO QUE UM PODER, ÓRGÃO OU AUTORIDADE EXERCE SOBRE A CONDUTA FUNCIONAL

Leia mais

Competência dos Entes Federativos na Legislação Ambiental

Competência dos Entes Federativos na Legislação Ambiental Competência dos Entes Federativos na Legislação Ambiental Abril 2009 Prof. Dr. Roger Stiefelmann Leal nas Constituições Anteriores Constituição de 1946 Art 5º - Compete à União: XV - legislar sobre: l)

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL João e José são pessoas com deficiência física, tendo concluído curso de nível superior. Diante da abertura de vagas para preenchimento de cargos vinculados ao Ministério

Leia mais

CONTROLE CONCENTRADO

CONTROLE CONCENTRADO Turma e Ano: Direito Público I (2013) Matéria / Aula: Direito Constitucional / Aula 11 Professor: Marcelo L. Tavares Monitora: Carolina Meireles CONTROLE CONCENTRADO Ação Direta de Inconstitucionalidade

Leia mais

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL TURMA NACIONAL DE UNIFORMIZAÇÃO DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS

CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL TURMA NACIONAL DE UNIFORMIZAÇÃO DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL TURMA NACIONAL DE UNIFORMIZAÇÃO DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS PROCESSO : 5015568-30.2012.4.04.7201 REQUERENTE : ASTA BUTZKE SIEDSCHLAG REQUERIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE???

E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE??? E O IUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO, AINDA EXISTE??? Esta é uma antiga discussão que, até a presente data, perdura em hostes trabalhistas. Existe o ius postulandi na Justiça do Trabalho? A Carta

Leia mais

14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD

14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD 14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD 1 - Imposto sobre transmissão causa mortis e doação, de quaisquer bens ou direitos (ITCMD) Compete privativamente aos Estados a instituição

Leia mais

Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA. Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG.

Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA. Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG. Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG. Com o objetivo de assessorar juridicamente a ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção

Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção Ilegalidade e inconstitucionalidade da cobrança da Contribuição Sindical Rural. Proposta de sua extinção Kiyoshi Harada* É pacífico na doutrina e na jurisprudência que o crédito tributário resulta do ato

Leia mais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais

Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais Controle de Constitucionalidade de normas pré-constitucionais O Supremo Tribunal Federal possui o poder de decidir sobre a constitucionalidade das normas jurídicas que foram aprovadas antes da entrada

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MANDADO DE SEGURANÇA 32.833 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO :CARLOS RODRIGUES COSTA :LUZIA DO CARMO SOUZA :PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DA

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR INTERPRETAÇÃO, INTEGRAÇÃO E APLICAÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO.

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR INTERPRETAÇÃO, INTEGRAÇÃO E APLICAÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO. CURSO INTENSIVO I DE TRABALHO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Otavio Calvet Data: 01.04.10 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Tema INTERPRETAÇÃO, INTEGRAÇÃO E APLICAÇÃO DO DIREITO DO TRABALHO. Atualizado

Leia mais

DECISÃO. Relatório. Tem-se do voto condutor do julgado recorrido:

DECISÃO. Relatório. Tem-se do voto condutor do julgado recorrido: DECISÃO RECURSO EXTRAORDINÁRIO. CONSTITUCIONAL. DESAPROPRIAÇÃO POR INTERESSE SOCIAL PARA FINS DE REFORMA AGRÁRIA. CLASSIFICAÇÃO DA PROPRIEDADE RURAL. INCLUSÃO DE ÁREAS NÃO APROVEITÁVEIS. PRECEDENTE DO

Leia mais

Administração Pública na CF/88 I

Administração Pública na CF/88 I Administração Pública na CF/88 I Olá Concursando, Hoje vamos continuar estudando um pouco de Direito Constitucional. Vamos fazer um estudo do art. 37 da CF/88, que trata da administração pública. Este

Leia mais

IBAM. Informa, ainda, que o Município tem na sua Lei Orgânica,

IBAM. Informa, ainda, que o Município tem na sua Lei Orgânica, PARECER Nº 1612/2010 1 - TB Tributação. Impossibilidade de aumento do IPTU que supere a inflação, por Decreto, com base em criação ou alteração da planta de valores. Possibilidade de a Câmara exercer controle

Leia mais

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador);

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador); Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Processo do Trabalho / Aula 04 Professor: Leandro Antunes Conteúdo: Procedimento Sumário, Procedimento Sumaríssimo. A competência para julgar acidente de trabalho:

Leia mais

04/09/2014 PLENÁRIO : MIN. TEORI ZAVASCKI

04/09/2014 PLENÁRIO : MIN. TEORI ZAVASCKI Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 16 04/09/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 745.901 PARANÁ RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECDO.(A/S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 184.727 - DF (2012/0112646-2) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS EMENTA PROCESSUAL CIVIL. COMPETÊNCIA. PERIÓDICO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em 2003, João ingressou como sócio da sociedade D Ltda. Como já trabalhava em outro local, João preferiu não participar da administração da sociedade. Em janeiro

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO E PROCESSO TRIBUTÁRIO

DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO E PROCESSO TRIBUTÁRIO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO E PROCESSO TRIBUTÁRIO QUESTÃO Nº 07 Protocolo: 11914006546-7 tributário e/ou junto com o tema direitos fundamentais

Leia mais

SUMÁRIO PARTE I PRÁTICA CONSTITUCIONAL

SUMÁRIO PARTE I PRÁTICA CONSTITUCIONAL SUMÁRIO PARTE I PRÁTICA CONSTITUCIONAL PETIÇÃO INICIAL 1.1. Breve introdução 1.2. Requisitos da petição inicial 1.3. Emenda da petição inicial 1.4. Indeferimento da petição inicial 1.5. Características

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE CONTROLE DIFUSO I) CONCEITO: Também chamado de controle pela via de exceção ou de defesa ou controle aberto, o controle difuso pode ser realizado por qualquer juiz ou tribunal.

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO 747.706 SANTA CATARINA RELATORA RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :VIGANDO SCHULZ : VITÓRIO ALTAIR LAZZARIS E OUTRO(A/S) :INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO

Leia mais

DECISÕES INTERESSANTES SOBRE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO

DECISÕES INTERESSANTES SOBRE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO DECISÕES INTERESSANTES SOBRE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO MANDADOS DE INJUNÇÃO MI 702 EMENTA: MANDADO DE INJUNÇÃO. GARANTIA FUNDAMENTAL (CF, ART. 5º, INCISO LXXI). DIREITO DE GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Tribunal de Justiça do Estado J julgou improcedente ação direta de inconstitucionalidade proposta pelo Prefeito do município W, tendo o acórdão declarado constitucional

Leia mais

OAB EXAME IX 2012.3 FEVEREIRO/2013 2.ª ETAPA COMENTÁRIOS

OAB EXAME IX 2012.3 FEVEREIRO/2013 2.ª ETAPA COMENTÁRIOS PEÇA PROCESSUAL: OAB EXAME IX 2012.3 FEVEREIRO/2013 2.ª ETAPA COMENTÁRIOS OAB 2ª ETAPA PRÁTICA TRABALHISTA Caros amigos e alunos do Pro Labore, Primeiramente, gostaria de externar a minha satisfação quanto

Leia mais

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 39, de 2007, do Senador Alvaro Dias, que Acrescenta o art. 879-A ao Decreto-Lei nº 5.452, de 1º

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL PROCESSO N. : 14751-89.2012.4.01.3400 AÇÃO ORDINÁRIA/SERVIÇOS PÚBLICOS CLASSE 1300 AUTOR (A): ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ESPECIALISTAS EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL RÉ: UNIÃO SENTENÇA TIPO

Leia mais

Controvérsias sobre o fato gerador do IPI

Controvérsias sobre o fato gerador do IPI Controvérsias sobre o fato gerador do IPI Kiyoshi Harada* Não há unanimidade na doutrina e na jurisprudência quanto ao fato gerador do IPI. Muitos doutrinadores sustentam que o produto industrializado

Leia mais

II - Fontes do Direito Tributário

II - Fontes do Direito Tributário II - Fontes do Direito Tributário 1 Fontes do Direito Tributário 1 Conceito 2 - Classificação 3 - Fontes formais 3.1 - principais 3.2 complementares 4 Doutrina e jurisprudência 2 1 - Conceito As fontes

Leia mais

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO(A/S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO REQUERIDO(A/S) :

Leia mais

OAB/SP 136.º EXAME DE ORDEM/2008 PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL. Direito do Trabalho PEÇA PROFISSIONAL PONTO 1

OAB/SP 136.º EXAME DE ORDEM/2008 PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL. Direito do Trabalho PEÇA PROFISSIONAL PONTO 1 OAB/SP 136.º EXAME DE ORDEM/2008 PROVA PRÁTICO-PROFISSIONAL Direito do Trabalho PEÇA PROFISSIONAL PONTO 1 O secretário de relações do trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, com atuação em Brasília

Leia mais

02/10/2014 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES

02/10/2014 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 02/10/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 704.520 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) : MIN.

Leia mais

Athayde Filho e outros) Vistos etc.

Athayde Filho e outros) Vistos etc. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N2 107.2009.000348-7/001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Apelante: Município de Lagoa

Leia mais

DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES

DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES RIPOLL DE MACEDO e OUTROS, com fundamento no art. 105,

Leia mais

Súmulas em matéria penal e processual penal.

Súmulas em matéria penal e processual penal. Vinculantes (penal e processual penal): Súmula Vinculante 5 A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição. Súmula Vinculante 9 O disposto no artigo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.228.778 - MT (2010/0217471-4) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO RECORRIDO : MINISTRO SIDNEI BENETI : WANDER CARLOS DE SOUZA : SÉRGIO DONIZETE NUNES : GILBERTO LUIZ DE REZENDE : DANIELA

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A Processo: TOMADA DE PREÇOS N.º 019/2007. Assunto: JULGAMENTO RECURSO ADMINISTRATIVO PPOSTA COMERCIAL. Recorrente: ELEACRE ENGENHARIA LTDA. A Comissão Permanente de Licitação - CPL da Centrais Elétricas

Leia mais

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro Nota sobre o objeto e o objetivo do livro Nota sobre a forma de utilização do livro 1 Leitura ativa, xxv 2 Ensino participativo, xxvii 3 Utilização da bibliografia, xxviii Introdução - O que é "processo

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO PARTE A ADV/PROC PARTE R REPTE ORIGEM RELATOR : JORGEVALDO ROBINSTON DE MOURA : FÁBIO CORREA RIBEIRO E OUTROS : INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE : JUÍZO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme97404 RgA-ER Diário da Justiça de 06/11/2006 10/10/2006 SEGUNDA TURMA RELATOR : MIN. CEZAR PELUSO AGRAVANTE(S) : AXA SEGUROS BRASIL S/A ADVOGADO(A/S) : FRANCISCO CARLOS ROSAS GIARDINA

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AÇÃO CÍVEL ORIGINÁRIA 2.475 RIO GRANDE DO SUL RELATOR AUTOR(A/S)(ES) PROC.(A/S)(ES) RÉU(É)(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. ROBERTO BARROSO :MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL :PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA :MINISTÉRIO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Tribunal Pleno

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Tribunal Pleno fls. 1 ACÓRDÃO Classe : Direta de Inconstitucionalidade n.º 001628-1.201.8.05.0000 Foro de Origem : Foro de comarca Ubaitaba Órgão : Relator(a) : Desembargador Jatahy Júnior Requerente : Prefeito do Município

Leia mais

Dos Direitos e Garantias Fundamentais.

Dos Direitos e Garantias Fundamentais. MATERIAL DE AULA I) Ementa da aula e breve resumo Dos Direitos e Garantias Fundamentais. Os direitos e garantias fundamentais correspondem às normas constitucionais que possibilitam as condições mínimas

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO DECISÃO 2012 PROCESSO : 36098-81.2012.4.01.3400 IMPETRANTE : SINDICATO DOS TRABALHADORES EM SAÚDE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO IMPETRADO : SECRETARIO DE GESTÃO PÚBLICA DO MINISTÉRIO

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS :ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO

: MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS :ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO MEDIDA CAUTELAR EM MANDADO DE SEGURANÇA 32.299 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em ação de indenização, em que determinada empresa fora condenada a pagar danos materiais e morais a Tício Romano, o Juiz, na fase de cumprimento de sentença, autorizou

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 9 07/04/2015 PRIMEIRA TURMA AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 602.295 RIO DE JANEIRO RELATOR AGTE.(S) ADV.(A/S) AGDO.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO

Leia mais

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal Administração Direta Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Empresa Pública Consórcio Público Direito Privado Sociedade Economia Mista Subsidiária

Leia mais

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV:

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV: Parecer sobre Imposto Sindical A contribuição sindical, também denominada imposto sindical, é espécie de contribuição compulsória devida aos sindicatos, federações e confederações para sustentação econômica

Leia mais

Proposição: Projeto de Lei e Diretrizes Orçamentárias. a) O Excelentíssimo Relator da Lei de Diretrizes

Proposição: Projeto de Lei e Diretrizes Orçamentárias. a) O Excelentíssimo Relator da Lei de Diretrizes NOTA TÉCNICA CONJUNTA Associação Nacional dos Procuradores da República Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Associação Nacional

Leia mais

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos.

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. META 4 LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. EXERCÍCIO 1. (FGV - 2008 - Senado Federal - Policial Legislativo

Leia mais

08/11/2012 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES

08/11/2012 PLENÁRIO : MIN. GILMAR MENDES Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 08/11/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 675.505 RIO DE JANEIRO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S)

Leia mais

RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPETRADOS CONTRA A PROVA OBJETIVA E GABARITO OFICIAL

RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPETRADOS CONTRA A PROVA OBJETIVA E GABARITO OFICIAL O Instituto AOCP, no uso de suas atribuições legais, TORNA PÚBLICO os pareceres dos recursos deferidos e indeferidos, de acordo com o subitem 14.18 do Edital de Abertura nº 0001/2012 do Tribunal Regional

Leia mais