Oficina de Informática e Telemática

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Oficina de Informática e Telemática"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ (UESC) Criada pela Lei 6.344, de , e reorganizada pela Lei 6.898, de e pela Lei 7.176, de Oficina de Informática e Telemática Prof. Dr. Rogério Vargas Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)

2 Apresentação Professor: Rogério R. de Vargas Professor do curso de computação da UESC Formação: Bacharel em Informática, Urcamp Mestre em Ciência da Computação, UCPel Doutor em Ciência da Computação, UFRN Áreas de interesse: Inteligência Artificial Processamento gráfico Programação 2/25

3 Perfil dos Discentes O que é ser um Comunicador Social? 3/25

4 Sobre a disciplina... 4/25

5 Oficina de Informática e Telemática Ementa: Impactos da Telemática e Informática na Sociedade Contemporânea. Introdução aos principais conceitos da telemática e informática. Aprendizado prático/laboratorial da utilização de equipamentos e softwares. Utilizacão de redes telemáticas como instrumentos de pesquisa e disponibilização de produtos culturais. Radio e TV nas redes telemáticas a) Compreender os principais conceitos da informática e da telemática b) Introduzir às práticas de equipamentos e softwares. c) Utilizar redes telemáticas como instrumentos de pesquisa. 5/25

6 Oficina de Informática e Telemática CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: A era da informação A revolução tecnológica - história e rumos atuais O mundo digital Os softwares - diversidades de aplicações Redes Telemáticas - origens - desenvolvimentos perspectivas Internet - Rádio e TV nas redes telemáticas 6/25

7 Oficina de Informática e Telemática CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Tecnologias: História e Evolução Seminários Ferramentas de Editoração Ferramentas Multimídias Ferramentas Colaborativas Limite de faltas: 23 aulas Bibliografia: nenhuma oficial 7/25

8 Novas Tecnologias O que são Tecnologias? 8/25

9 Tecnologias (Debate: O que esperar das tecnologias?) 9/25

10 Tecnologias Conceitualmente: Qualquer artefato, método ou técnica criada pelo homem para tornar seu trabalho mais leve, sua locomoção e comunicação mais fáceis ou simplesmente sua vida mais agradável e divertida ; Para entender a história... ISSN Ano 2, Volume jan., Série 22/01, 2011, p /25

11 Tecnologias A engenhosidade da espécie humana originou as mais diferenciadas tecnologias; O raciocínio tem garantido o processo crescente de inovação; Esses conhecimentos quando em prática dão origem a equipamentos, instrumentos, recursos, produtos, processos, ferramentas, dentre outros; 11/25

12 Tecnologias Formalmente: Tecnologia é o emprego de um conjunto de técnicas; Filosoficamente: Da origem grega: Tecno = ofício; Logia = estudo; Técnica? Um procedimento bem definido, tangível ou não, e transmissível, destinado à produzir um resultado útil; 12/25

13 Tecnologias Tecnologias: Essencial para a vida da sociedade moderna: Simples tarefas diárias; Tarefas complexas; Sociedade em busca constante de informações, interatividade, mudanças contínuas e avanços tecnológicos; Inovações Tecnológicas: Redes sociais; Sistemas informatizados; Comunicação ( s, mensagens instantâneas); Comércio eletrônico; Compartilhamento de informações; 13/25

14 Tecnologias Levou ao mundo globalizado e sem fronteiras de comunicação; Novas Tecnologias ou Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC) 14/25

15 Novas Tecnologias 15/25

16 Novas Tecnologias Aplicação de um conhecimento científico ou técnico, de um saber como fazer, de métodos e materiais para a solução de uma dada dificuldade; Alteram os padrões: De trabalho; Do lazer; Da educação; Do tempo; Da saúde; Da manufatura; Da comunicação; ; Assim, surge uma nova sociedade, com novos padrões: De trabalho,(...), novos ambientes de ensino e aprendizagem; 16/25

17 Novas Tecnologias O conceito de Novas Tecnologias é variável e contextual; Pode confundir com o conceito de inovação; Limite de tempo; Difícil definição, visto a rápida evolução tecnológica; 17/25

18 Tecnologia como Parceira 18/25

19 Tecnologia como Parceira A Tecnologia torna possível a transmissão e aperfeiçoamento do conhecimento; Processo educacional em sentido amplo; Pode extrapolar a educação formalizada na escola; Incluir qualquer forma de tecnologia no processo educacional; 19/25

20 Tecnologia como Parceira Sociedade da Informação: Informação rápida e condensada; Informação tornou-se um produto; Conhecimento tornou-se uma mercadoria; Aluno-Cliente e Professor- Fornecedor; 20/25

21 Tecnologia como Parceira Competências definidas nas Diretrizes Curriculares para Formação de Professores da Educação Básica: Professor transformado em facilitador, animador, tutor, monitor, etc; Impressão que o professor possa ser substituído por recursos tecnológicos; Professor passou a ser parte indispensável do uso da tecnologia em favor da educação; Existem profissionais com perfil inadequado; Professor falando idioma diferente do aluno; Aluno insatisfeito com o conhecimento transmitido; Tecnologia prove um fácil acesso a informação; 21/25

22 Tecnologia como Parceira Formação de professores familiarizados com as Novas Tecnologias; Tecnologia como instrumento; Eficiência (flexibilidade e raciocínio); Tecnologia como ferramenta de ensino e aprendizagem; Processo educacional o qual necessita de interações entre os envolvidos; 22/25

23 Tecnologia como Parceira Mundo que muda rapidamente, especialmente na área da tecnologia da informação e computação Agricultura: Passado: 100 acres para produção agrícola Hoje: 1 acre para a mesma produção (otimização e desempenho) Vivemos a chamada era da informação: Início nos anos 50: desenvolvimento do computador Ganhou força com a popularização dos computadores e internet nos anos 90 23/25

24 Perdidos e Desconectados Por Maurício de Souza 24/25

25 Atividade 1 Pode ser realizada em dupla Trazer para a próxima aula uma lista com quaisquer tema, termo, conceito, palavra, e etc, relativo ao mundo computacional, e que o discente não tenha um concreto conhecimento para promovermos o nivelamento digital da turma 25/25

RESOLUÇÃO N o RESOLVE

RESOLUÇÃO N o RESOLVE RESOLUÇÃO N o Estabelece o Currículo Pleno do Curso de Ciência da Computação - Bacharelado, do Setor de Ciências Exatas, da Universidade Federal do Paraná.. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, órgão

Leia mais

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Código: CTB-252 Pré-requisito:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Programação de

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO Administração Cálculos Financeiros Administração Administração (EII) Administração - Habilitação em Administração de Empresas Administração - Habilitação em Administração

Leia mais

Atualizado em: 10/08/2010

Atualizado em: 10/08/2010 Atualizado em: 10/08/2010 Faculdade Católica Nossa Senhora das Neves Autorizada pela Portaria nº 3.895-MEC DOU 26.11.2004 1. Dados do curso/disciplina Curso: Administração Semestre: 2010.2 Disciplina:

Leia mais

Informática na Educação

Informática na Educação Informática na Educação Apresentação de tópicos do livro Informática na Educação, da autora Sanmya F. Tajra. Todas as referências dos conteúdos apresentados nestes slides são disponíveis no livro citado.

Leia mais

Bacharelado em Ciência da Computação 2009

Bacharelado em Ciência da Computação 2009 Bacharelado em Ciência da Computação 2009 1 Resumo do Curso Tipo do Curso Duração mínima Carga horária mínima obrigatória Bacharelado anos 3.212 horas (contadas em 15 semanas) 21 créditos Turno Regime

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/01/2016 de 05/04/2016. Processo nº 2216/2016.

Leia mais

Plano de Curso Não Regulamentado - Metodologia SENAI de Educação Profissional

Plano de Curso Não Regulamentado - Metodologia SENAI de Educação Profissional PERFIL PROFISSIONAL/IDENTIFICAÇÃO DA OCUPAÇÃO: Ocupação: OPERADOR DE COMPUTADOR CBO: 3172-05 Educação Formação Inicial e Continuada Carga Horária Profissional: Qualificação Profissional Mínima: 160 h Nível

Leia mais

Grade Curricular QUÍMICA USP

Grade Curricular QUÍMICA USP Grade Curricular QUÍMICA USP SEMESTRE 1 5910261 Elementos de Cálculo e Aplicações 8 0 8 5910267 Informática Instrumental 5931001 Química Geral Experimental 8 0 8 5931002 Iniciação à Química 8 0 8 5931003

Leia mais

Público Alvo: Empresas de micro e pequeno porte do setor de Tecnologia da Informação.

Público Alvo: Empresas de micro e pequeno porte do setor de Tecnologia da Informação. GESTÃO COMERCIAL Entidade Proponente: IEL/NR Minas Gerais e SEBRAE Minas Público Alvo: Empresas de micro e pequeno porte do setor de Tecnologia da Informação. OBJETIVOS Geral: Apresentar abordagens integradas

Leia mais

Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto

Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto Aprendizagem e Tecnologia Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto DEFINIÇÕES Tecnologia: A palavra Tecnologia é de origem grega, o prefixo techne significa "ofício" e o sufixo logia corresponde a"que diz". Tecnologia

Leia mais

CTIC - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias. Digitais para Informação e Comunicação CHAMADA DE PROJETOS. Computação em Nuvem

CTIC - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias. Digitais para Informação e Comunicação CHAMADA DE PROJETOS. Computação em Nuvem CTIC - Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias Digitais para Informação e Comunicação CHAMADA DE PROJETOS Computação em Nuvem O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias Digitais

Leia mais

Prof. Dr. Chao Lung Wen Professor Associado e Chefe da Disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Prof. Dr. Chao Lung Wen Professor Associado e Chefe da Disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo TELEDUCAÇÃO EM SAÚDE Prof. Dr. Chao Lung Wen Professor Associado e Chefe da Disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo 11.1. PANORAMA DA TELEMEDICINA A telemedicina

Leia mais

Metodologias de Ensino para a Melhoria do Aprendizado

Metodologias de Ensino para a Melhoria do Aprendizado Metodologias de Ensino para a Melhoria do Aprendizado Victor Ulisses Pugliese viktao@msn.com IFSP Eduardo Noboru Sasaki ensasaki@uol.com.br IFSP Resumo:O projeto tem por objetivo a pesquisa e o estudo

Leia mais

Integralização do Curso Nova grade de Ciência Proposta

Integralização do Curso Nova grade de Ciência Proposta Caros alunos, esse documento é um guia para facilitar o entendimento do processo de migração do currículo e não é definitivo. O processo de criação da nova grade ainda está em fase final de elaboração.

Leia mais

Gerência de Integração de Tecnologias Educacionais GEIED Departamento de Tecnologia e Desenvolvimento Educacional DETED Secretaria Municipal de

Gerência de Integração de Tecnologias Educacionais GEIED Departamento de Tecnologia e Desenvolvimento Educacional DETED Secretaria Municipal de Gerência de Integração de Tecnologias Educacionais GEIED Departamento de Tecnologia e Desenvolvimento Educacional DETED Secretaria Municipal de Educação - SEMED I - articular a disseminação do uso pedagógico

Leia mais

O SOFTWARE R EM AULAS DE MATEMÁTICA

O SOFTWARE R EM AULAS DE MATEMÁTICA O SOFTWARE R EM AULAS DE MATEMÁTICA Renata Teófilo de Sousa (autora) Graduanda - Curso de Matemática UVA Arlécia Albuquerque Melo (co-autora) Graduanda - Curso de Matemática UVA Nilton José Neves Cordeiro

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho EE Esterina Placo (Extensão) Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional:

Leia mais

DIRETRIZES PARA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AO USUÁRIO

DIRETRIZES PARA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AO USUÁRIO III Seminário Internacional PROMOTEO Porto Alegre (RS) 21 e 22 de JANEIRO de 2003 DIRETRIZES PARA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AO USUÁRIO Flávia Audrá Cutolo Organização internacional que agrega os agentes vinculados

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Optativas Comércio Eletrônico Comunicação Oral e Escrita Customização de Sistemas Integrados Desenvolvimento Avançado de Software

Optativas Comércio Eletrônico Comunicação Oral e Escrita Customização de Sistemas Integrados Desenvolvimento Avançado de Software Optativas Comércio Eletrônico Carga Horária: AT (68) AP (00) APS (12) TA (80) Pré-requisito: Mercado Produtor de Software. Modelos de Comércio Eletrônico; Comércio Eletrônico e o Ambiente Empresarial.

Leia mais

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio SIG USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio Os Sistemas de Informações e os Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) podem ser manuais e eletrônicos. I parte SIGs eletrônicos Tecnologias

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Curso, ora criado, será oferecido no turno noturno, com 10 semestres de duração e com 50 vagas iniciais.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Curso, ora criado, será oferecido no turno noturno, com 10 semestres de duração e com 50 vagas iniciais. RESOLUÇÃO CONSEPE 27/2001 CRIA E IMPLANTA O CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO, NO CCT, DO CÂMPUS DE CAMPINAS. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições

Leia mais

Programa Competências Transversais

Programa Competências Transversais Programa Competências Transversais o Consumo Consciente de Energia o Desenho Arquitetônico o Educação Ambiental o Empreendedorismo o Fundamentos de Logística o Finanças Pessoais o Legislação Trabalhista

Leia mais

Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Bragança. Mestrado em: Animação Artística

Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Bragança. Mestrado em: Animação Artística Escola Superior de Educação Instituto Politécnico de Bragança Mestrado em: Animação Artística Unidade Curricular: Metodologia de Investigação em Artes 2007 / 2008 Carlos Morais Pré - requisitos Antes da

Leia mais

ANEXO 5 QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1. Carga Horária. Microbiologia e Parasitologia 90 06 a 15.07.2015 2 Licenciatura em Biologia

ANEXO 5 QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1. Carga Horária. Microbiologia e Parasitologia 90 06 a 15.07.2015 2 Licenciatura em Biologia ANEXO 5 QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1 Curso: Licenciatura Plena em Ciências Biológicas Campus/Núcleo Bloco Disciplina Carga Horária Período Vagas Área de Formação de acordo com item 1.2 do Edital

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2013

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos - SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação

Leia mais

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT Disciplina: Administração de Tecnologia da Informação / 2012_1 Carga horária: 68h Curso/Semestre: 6 ( x ) ADM ( x ) ADM COMEX ( x ) ADM MKT Data de atualização: janeiro 2012 Núcleo: Operações e Logística

Leia mais

Sistemas Distribuídos Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Sistemas Distribuídos Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Sistemas Distribuídos Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

A IMPORTÂNCIA DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM A IMPORTÂNCIA DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1 2 Resumo e, também, houve necessidade de realizar a pesquisa sob uma abordagem qualitativa, uma pesquisa em campo para compreender

Leia mais

EMENTA. Curso de Projetos Microcontrolados utilizando Linguagem C.

EMENTA. Curso de Projetos Microcontrolados utilizando Linguagem C. EMENTA Curso de Projetos Microcontrolados utilizando Linguagem C. Descrição dos Cursos A Hit Soluções Tecnológicas vem através deste documento apresentar a proposta de dois cursos de projetos baseados

Leia mais

Plano de Ensino CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET

Plano de Ensino CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET Matriz Curricular 016-1 Carga Horária 80 H/A EMENTA Estudo dos fundamentos para elaboração de um projeto usuários pela Estudo

Leia mais

Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6

Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6 Anexo G Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000 Adaptado de: http://www.desup.min-edu.pt/posgrad.htm Índice 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6 Ordenação

Leia mais

22 de junho Auditório

22 de junho Auditório 1ª Semana Acadêmica do Programação 22, 23 e 24 de junho 22 de junho Auditório 19h Apresentação da entrevista com Luiz Carlos de Araújo Luiz Carlos de Araújo nasceu em Montenegro (RS) em 3 de agosto de

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR EN - ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E NEGÓCIOS COMUNICAÇÃO SOCIAL - HAB. PUBLICIDADE E PROPAGANDA (100 )

MATRIZ CURRICULAR EN - ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E NEGÓCIOS COMUNICAÇÃO SOCIAL - HAB. PUBLICIDADE E PROPAGANDA (100 ) Página de. Disciplinas Obrigatórias ª SÉRIE - COMUNICAÇÃO SOCIAL - HAB. PUBLICIDADE E PROPAGANDA 0 FILOSOFIA E ÉTICA NFH.000_0 0 FOTOGRAFIA PUB._0 0 HISTÓRIA DA ARTE E DA CULTURA PUB.0_0 0 HISTÓRIA DA

Leia mais

Novas tecnologias ao serviço de uma pedagogia por competências. Ana Isabel Gonçalves Eliseu Alves Manuela Mendes Sónia Botelho

Novas tecnologias ao serviço de uma pedagogia por competências. Ana Isabel Gonçalves Eliseu Alves Manuela Mendes Sónia Botelho Novas tecnologias ao serviço de uma pedagogia por competências Ana Isabel Gonçalves Eliseu Alves Manuela Mendes Sónia Botelho 1 Tecnologia e sociedade de informação A velocidade das mudanças tecnológicas

Leia mais

Introdução Objetivos Valor Secundário dos Documentos Autenticidade e Fidedignidade dos Documentos Metodologia e Resultados História do Diário Oficial

Introdução Objetivos Valor Secundário dos Documentos Autenticidade e Fidedignidade dos Documentos Metodologia e Resultados História do Diário Oficial IV SIMPÓSIO BAIANO DE ARQUIVOLOGIA O DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DA BAHIA: DO IMPRESSO AO DIGITAL, COMO FONTE DE INFORMAÇÃO DE CARÁTER PERMANENTE MARIA DE FÁTIMA S. DE LIMA MARLI BATISTA DOS SANTOS Salvador

Leia mais

CURSO DE PROGRAMAÇÃO BÁSICA PARA A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE INFORMÁTICA EM DOURADOS

CURSO DE PROGRAMAÇÃO BÁSICA PARA A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE INFORMÁTICA EM DOURADOS CURSO DE PROGRAMAÇÃO BÁSICA PARA A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE INFORMÁTICA EM DOURADOS Jong Wan Silva 1 ; Gláucia Gabriel Sass 2 ; Discente do Curso de Ciência da Computação da UEMS, Unidade Universitária

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Prof. Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de técnico em

Leia mais

Impacto das tecnologias informáticas na sociedade

Impacto das tecnologias informáticas na sociedade Impacto das tecnologias informáticas na sociedade Tecnologia de Computadores Tecnologias e Sistemas da Informação 2011/2012 Trabalho elaborado por: Nuno Barros Nº 27283 Filipe Gonçalves Nº 27285 Ângelo

Leia mais

Cursos para valorizar a sua carreira profissional

Cursos para valorizar a sua carreira profissional Cursos para valorizar a sua carreira profissional APRESENTAÇÃO A FUNDAÇÃO REDE AMAZÔNICA (FRAM) é uma Instituição Educacional, sem fins lucrativos, criada e mantida pela Rede Amazônica de Rádio e Televisão

Leia mais

Animações visuais como recurso na evolução do conhecimento sobre o tecido hematopoético

Animações visuais como recurso na evolução do conhecimento sobre o tecido hematopoético Animações visuais como recurso na evolução do conhecimento sobre o tecido hematopoético Antonio Batista de Oliveira Júnior 1 (UFRPE) Romildo de Albuquerque Nogueira 2 (UFRPE) Resumo: A animação visual

Leia mais

Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5

Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5 Anexo F Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000 Adaptado de: http://www.desup.min-edu.pt/posgrad.htm Índice 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5 Ordenação

Leia mais

TURMAS MÓDULO B - 2015 TURMAS MÓDULO C - 2015 TURMAS. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas

TURMAS MÓDULO B - 2015 TURMAS MÓDULO C - 2015 TURMAS. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Calouros - Quintas-feiras, das 18h20 às 20h25 (C3) - Núcleo Comum 03 primeiros Módulos, Veteranos - Quintas-feiras das 20h30 às 22h35 (C3) 2013/02 2012/08 - - - - MÓDULO NÚCLEO

Leia mais

ONE TOONE CURSOS PARTICULARES ADOBE ACROBAT DC

ONE TOONE CURSOS PARTICULARES ADOBE ACROBAT DC ONE TOONE CURSOS PARTICULARES ADOBE ACROBAT DC Plano do Curso. Curso One. Os Cursos desenvolvidos pela One To One, são reflexo da experiência profissional no âmbito da Formação, do Design e Comunicação,

Leia mais

Plano de Ensino CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO PARA JOGOS

Plano de Ensino CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO PARA JOGOS CURSO: TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO PARA JOGOS Matriz Curricular 2016-1 Carga Horária 80 H/A EMENTA Conceitos e evolução da tecnologia de orientação a objetos. Limitações e diferenças

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC DE NOVA ODESSA Código: 234 Município: Nova Odessa Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO II - DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO II - DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO II - DIREITO INTERNACIONAL ECONÓMICO Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular OPÇÃO

Leia mais

Disciplinas que têm material didático

Disciplinas que têm material didático Disciplinas que têm material didático Código CCE0001 GST0001 GST0027 GST0002 GST0003 CCA0066 CCE0002 CCT0001 GST0029 GST0030 GST0031 GST0032 CEL0014 SDE0022 SDE0002 CCE0091 CEL0001 CCA0068 CCT0013 SDE0004

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003805A - Metodologia da Pesquisa em Arte

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003805A - Metodologia da Pesquisa em Arte Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina 0003805A - Metodologia da Pesquisa em Arte Docente(s) Joedy Luciana Barros Marins Bamonte Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2015-2016 Unidade Curricular Inteligência Artificial ECTS 4 Regime Obrigatório Ano 3.º Semestre 1.º Horas de trabalho globais Docente (s) Celestino Gonçalves Total

Leia mais

Da administração à promoção do conhecimento.

Da administração à promoção do conhecimento. Da administração à promoção do. Aula tema 05 Conteúdo: 1. Barreiras à criação do 2. Fatores promotores da criação do Desafios para a criação do nas empresas A criação do nas empresas não é algo fácil de

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. PROFESSOR (A) DA DISCIPLINA: DISCIPLINA: CÁLCULO II MUNICÍPIO: SEMESTRE: PERÍODO: 22 Julho a 02 Agosto de 2013 TURMA:

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. PROFESSOR (A) DA DISCIPLINA: DISCIPLINA: CÁLCULO II MUNICÍPIO: SEMESTRE: PERÍODO: 22 Julho a 02 Agosto de 2013 TURMA: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM MATEMÁTICA PARFOR PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM I IDENTIFICAÇÃO: PROFESSOR (A)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA. Área técnica: Inclusão Digital

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA. Área técnica: Inclusão Digital Área técnica: Inclusão Digital CURSO: Access Básico Objetivo: Capacitar o participante leigo a compreender os recursos básicos de um Banco de Dados do tipo relacional, desde a criação de tabelas, relacionamentos,

Leia mais

Plano de Ensino PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA APLICADA À ENGENHARIA - CCE0292

Plano de Ensino PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA APLICADA À ENGENHARIA - CCE0292 Plano de Ensino PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA APLICADA À ENGENHARIA - CCE0292 Título PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA APLICADA À ENGENHARIA Código da disciplina SIA CCE0292 16 Número de semanas de aula 4 Número

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2009/2010 1 CURSO DO ENSINO REGULAR DISCIPLINA: INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO: 9.º DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONRAÇÃO Rentabilizar as Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO (simplificado)

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO (simplificado) UFSJ PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO (simplificado) SÃO JOÃO DEL REI JANEIRO/2015 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO (simplificado)

Leia mais

Como produzir conteúdos midiáticos digitais à Educação a Distância na educação superior Engº Doutorando Gilberto Oliani

Como produzir conteúdos midiáticos digitais à Educação a Distância na educação superior Engº Doutorando Gilberto Oliani Como produzir conteúdos midiáticos digitais à Educação a Distância na educação superior Engº Doutorando Gilberto Oliani Diretor de Educação a Distância Faculdade de Educação da UNICAMP Campinas, 11 de

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIA E SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIA E SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIA E SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso MESTRADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO 3.

Leia mais

Software Livre na Educação: Desafios e Oportunidades

Software Livre na Educação: Desafios e Oportunidades Software Livre na Educação: Desafios e Oportunidades Prof. Luciano Porto Barreto lportoba@ufba.br Departamento de Ciência da Computação (DCC) Laboratório de Sistemas Distribuídos (LaSiD) Universidade Federal

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO. Programa Projeto x Curso Eventos

PROJETO DE EXTENSÃO. Programa Projeto x Curso Eventos PROJETO DE EXTENSÃO Programa Projeto x Curso Eventos Tipo de Evento Congresso Exposição Festival Curso: Projeto de Pesquisa Espetáculo Prestação Serviço Seminário Eventos Esportivos Produção/Publicação

Leia mais

CURSO ENGENHARIA CIVIL

CURSO ENGENHARIA CIVIL PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA CIVIL Disciplina MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO I Código EC4AN Docente Mariluce Cidade França Doria Semestre 4º/2013.1 Carga horária 40h 1 EMENTA Introdução ao Estudo dos de Construção.

Leia mais

1º Ciclo. Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória (a):

1º Ciclo. Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória (a): 1º Ciclo Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória (a): Áreas não disciplinares (b): Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas Físico-motoras Área de projeto

Leia mais

INE 5323 Banco de Dados I

INE 5323 Banco de Dados I UFSC-CTC-INE Curso de Ciências de Computação INE 5323 Banco de Dados I Ronaldo S. Mello 2006/1 http://www.inf.ufsc.br/~ronaldo/ine5323 Horário Atendimento: Quintas-feiras, das 17h30 às 19h Programa da

Leia mais

McDonald s University Centro de Desenvolvimento de Liderança

McDonald s University Centro de Desenvolvimento de Liderança Luciano Maffia Especialista em Educação Corporativa McDonald s University Centro de Desenvolvimento de Liderança Porque o McDonald s investe tanto em desenvolvimento de Líderes?? KODAK Durante a maior

Leia mais

A CARREIRA DE ENGENHEIRO... Aula 02

A CARREIRA DE ENGENHEIRO... Aula 02 A CARREIRA DE ENGENHEIRO... Aula 02 DEPOIS DO SUFOCO!!!! PREPARANDO PARA O VÔO. Instruções aos PILOTOS. Começa uma nova etapa na vida e esse caminho deve ser trilhado com determinação e esforço, é como

Leia mais

Parte 1. MBA em Gestão de Projetos 2011. Objetivo: Prof. Me. Kenji Taniguchi

Parte 1. MBA em Gestão de Projetos 2011. Objetivo: Prof. Me. Kenji Taniguchi Parte 1 MBA em Gestão de Projetos 2011 Objetivo: Apresentação do Professor Apresentação do Objetivo Formas de Avaliação do Curso Reconhecimento do Público Alvo. Sincronização de grupo Prof. Me. Kenji Taniguchi

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Área Profissional: Indústria Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Mecatrônica

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás Campus Posse Ano 2015

Universidade Estadual de Goiás Campus Posse Ano 2015 Professor: José Ronaldo Leles Júnior Email: juniorleles80@gmail.com Curso: Sistemas de Informação Universidade Estadual de Goiás Campus Posse Ano 2015 A crise do software e sua origem O conceito de Engenharia

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2014

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2014 Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( x )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

GRADE CURRICULAR LICENCIATURA EM MATEMÁTICA I MATÉRIAS OBRIGATÓRIAS

GRADE CURRICULAR LICENCIATURA EM MATEMÁTICA I MATÉRIAS OBRIGATÓRIAS GRADE CURRICULAR LICENCIATURA EM MATEMÁTICA MATÉRIAS DISCIPLINA I MATÉRIAS OBRIGATÓRIAS 1. Álgebra - Álgebra Elementar - Álgebra I - Álgebra II - Álgebra Linear - Lógica Matemática - Teoria dos Números

Leia mais

CONECTIVIDADE GLOBAL E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO SÉCULO XXI Escola de GoveRNo do Rio Grande do Norte Fundação Getulio Vargas

CONECTIVIDADE GLOBAL E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO SÉCULO XXI Escola de GoveRNo do Rio Grande do Norte Fundação Getulio Vargas CONECTIVIDADE GLOBAL E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO SÉCULO XXI Escola de GoveRNo do Rio Grande do Norte Fundação Getulio Vargas O QUE O FUTURO NOS RESERVA? CONECTIVIDADE GLOBAL MÁQUINAS INTELIGENTES

Leia mais

III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira 2013. www.aptel.com.br

III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira 2013. www.aptel.com.br III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira 2013 Criação do fundo setorial CT ENERG (1999) Lei 9.991/2000 determina às concessionárias realizar investimentos mínimos em P&D Lei da Inovação

Leia mais

GESTÃO POR PROCESSOS

GESTÃO POR PROCESSOS GESTÃO POR PROCESSOS O que é um Processo: Uma série de ações que produz um resultado que agrega valor ao produto ou serviço. Gestão de Processos: Conjunto de ações sistemáticas, baseadas em fatos e dados

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Introdução à Engenharia Civil Código: ENGCIV- 000 CH Total: 30 Pré-requisito: -----

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -PLANO DE ENSINO. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -PLANO DE ENSINO. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -PLANO DE ENSINO Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Ementa Proporcionar uma experiência com a programação orientada a objetos através da modelagem conceitual e sua implementação.

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Desenho 2 Área Científica: Desenho Ciclo de Estudos: 1º Ciclo Carácter: Obrigatória Semestre: 1º ECTS: 6 Tempo de Trabalho: Horas de Contacto:

Leia mais

ANO LETIVO 2012/2013 AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS DO PRÉ-ESCOLAR

ANO LETIVO 2012/2013 AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS DO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO 2012/2013 AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS DO PRÉ-ESCOLAR 1º PERÍODO Lamego, 14 de janeiro de 2013 INTRODUÇÃO Para uma eficaz monitorização das competências esperadas para cada criança, no final

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 22-COU/UNICENTRO, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. Altera o anexo III, da Resolução nº 86-COU/ UNICENTRO, de 23 de outubro de 2009, que alterou dispositivos do Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO FINAL PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 001/2016

CLASSIFICAÇÃO FINAL PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 001/2016 CLASSIFICAÇÃO FINAL PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 001/2016 CLASSIFICAÇÃO UNIDADE CURSO DISCIPLINA 1 Guaíba Eng. da Computação Produção Textual 2 Guaíba Eng. da Computação Circuitos Elétricos I 3 Guaíba

Leia mais

Resumo Aula-tema 07: Desbravando o Mundo Digital

Resumo Aula-tema 07: Desbravando o Mundo Digital Resumo Aula-tema 07: Desbravando o Mundo Digital Você já ouviu falar em redes sociais, Twitter, Web 2.0, Blog, Orkut, YouTube? As mudanças que ocorrem na área da tecnologia são constantes e tão rápidas

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROF. CRISTIANO SALMEIRÃO 2014

PLANO DE ENSINO PROF. CRISTIANO SALMEIRÃO 2014 PLANO DE ENSINO PROCESSO PENAL I PROCESSO PENAL I PROF. CRISTIANO SALMEIRÃO 2014 MISSÃO E OBJETIVOS DA INSTITUIÇÃO Promover a formação integral do homem, com valores éticos e cristãos. Preparar profissionais

Leia mais

TRABALHANDO AS RELAÇÕES DO TEOREMA DE PITÁGORAS NO SOFTWARE GEOGEBRA. Palavras-chave: Teorema de Pitágoras; Matemática; Geogebra.

TRABALHANDO AS RELAÇÕES DO TEOREMA DE PITÁGORAS NO SOFTWARE GEOGEBRA. Palavras-chave: Teorema de Pitágoras; Matemática; Geogebra. TRABALHANDO AS RELAÇÕES DO TEOREMA DE PITÁGORAS NO SOFTWARE GEOGEBRA Josislei de Passos Vieira josisleipassos@gmail.com Liliane Martinez Antonow Liliane.martinez@ifsudestemg.edu.br Instituto Federal de

Leia mais

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO Titulo do Projeto: AMBIENTE COMPUTACIONAL PARA PROMOVER A CRIATIVIDADE E A INOVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Convênio: DPCIT /2015 Processo: 1962-16.00/15-7 Fiscal: Alberto Rossi Suplente:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 3º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Alimentícia Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Agroindústria FORMA/GRAU:( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS.

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Educação Superior de Boituva dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia da Informação com rede de computadores que

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE NENHURES PLANO DE ENSINO DO MÓDULO 2

ESCOLA SECUNDÁRIA DE NENHURES PLANO DE ENSINO DO MÓDULO 2 PLANO DE ENSINO DO MÓDULO 2 1 IDENTIFICAÇÃO: Curso: Curso Profissional de Tecnico de Modalidade de: Ensino Profissional Secundário Gestão de Equipamentos Informáticos Componente Curricular: Caracterização

Leia mais

SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Política Social O dever de construir uma civilização verdadeiramente humana, solidária e justa Eixos Universalização dos direitos Unicidade das políticas sociais Caráter

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Etec ETec. São José do Rio Pardo Ensino Técnico Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração

Leia mais

MATRIZ DA PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA A NÍVEL DE ESCOLA DE INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PROVA 24)

MATRIZ DA PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA A NÍVEL DE ESCOLA DE INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PROVA 24) MATRIZ DA PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA A NÍVEL DE ESCOLA DE INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PROVA 24) 2011 9º Ano de Escolaridade 1. INTRODUÇÃO O exame desta disciplina

Leia mais

Pós-graduação Lean Operations Management. Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT

Pós-graduação Lean Operations Management. Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT A Learning Factory tem actualmente como parceiros: 1. Plano curricular (módulos e carga horária) Formação Inicial (4 módulos) Learning Factory Workshop Estágio

Leia mais

Escola: Escola Secundária Eça de Queirós. Curso: SD-R2. Área: Cultura, Lingua e Comunicação. UFCD 5 Cultura, Comunicação e Média

Escola: Escola Secundária Eça de Queirós. Curso: SD-R2. Área: Cultura, Lingua e Comunicação. UFCD 5 Cultura, Comunicação e Média Escola: Escola Secundária Eça de Queirós Curso: SD-R2 Área: Cultura, Lingua e Comunicação UFCD 5 Cultura, Comunicação e Média Ano Lectivo: 2012/2013 Data da Entrega: 31/05/2013 Formadora: Maria Adélia

Leia mais

É o conjunto de atividades de um processo que se desenvolve desde o nascimento de uma ideia até sua comercialização, passando por: estudo do mercado,

É o conjunto de atividades de um processo que se desenvolve desde o nascimento de uma ideia até sua comercialização, passando por: estudo do mercado, Alicia Ruiz Olalde É o conjunto de atividades de um processo que se desenvolve desde o nascimento de uma ideia até sua comercialização, passando por: estudo do mercado, geração de ideias pesquisa básica

Leia mais

Centro de produção de materiais didáticos digitais: a experiência do Instituto UFC Virtual

Centro de produção de materiais didáticos digitais: a experiência do Instituto UFC Virtual ComCiência no.141 Campinas set/2012 Artigo Centro de produção de materiais didáticos digitais: a experiência do Instituto UFC Virtual Por Mauro C Pequeno e Henrique Sérgio L. Pequeno 10/09/2012 A utilização

Leia mais

Encontros Regionais de Educação

Encontros Regionais de Educação Encontros Regionais de Educação Princípios e regulamentação da avaliação Ensino básico Abril de 2016 Decreto-Lei n.º 17/2016, de 4 de abril (terceira alteração ao Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)

Leia mais

Aplicação do ICA-AtoM no acervo fotográfico do Departamento de Arquivo Geral da UFSM

Aplicação do ICA-AtoM no acervo fotográfico do Departamento de Arquivo Geral da UFSM 2º SEMINÁRIO DE ENSINO EM ARQUIVOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL Aplicação do ICA-AtoM no acervo fotográfico do Departamento de Arquivo Geral da UFSM Acadêmico: Henrique Machado dos Santos Orientador: Prof

Leia mais

Gestão da Informação oportunidade ou necessidade? Luis Borges Gouveia

Gestão da Informação oportunidade ou necessidade? Luis Borges Gouveia Gestão da Informação oportunidade ou necessidade? Luis Borges Gouveia Apresentação no IESF 19:00, 12 de Abril de 2006 Gestão da Informação: oportunidade ou necessidade? As preocupações com a Gestão da

Leia mais

CONCEITOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Fundamentos

CONCEITOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Fundamentos /05/20 CONCEITOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Fundamentos Prof. Carlos Faria (adaptação) 20 O QUE É SISTEMA? Grupo de elementos inter-relacionados ou em interação que formam um todo unificado e que trabalham

Leia mais