UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI ARILSON PEREIRA VILAS BOAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI ARILSON PEREIRA VILAS BOAS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI ARILSON PEREIRA VILAS BOAS A FELICIDADE NÃO SE COMPRA E WALL STREET 2: UMA ANÁLISE DA REPRESENTAÇÃO DAS CRISES ECONÔMICAS DE 1929 E 2008 SÃO PAULO 2012

2 ARILSON PEREIRA VILAS BOAS A FELICIDADE NÃO SE COMPRA E WALL STREET 2: UMA ANÁLISE DA REPRESENTAÇÃO DAS CRISES ECONÔMICAS DE 1929 E 2008 Dissertação apresentada a Banca Examinadora como exigência parcial para obtenção do título de Mestre do Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo, sob a orientação da Profa. Dra. Laura Loguercio Cánepa. SÃO PAULO 2012

3 ARILSON PEREIRA VILAS BOAS A FELICIDADE NÃO SE COMPRA E WALL STREET 2: UMA ANÁLISE DA REPRESENTAÇÃO DAS CRISES ECONÔMICAS DE 1929 E 2008 Dissertação apresentada a Banca Examinadora como exigência parcial para obtenção do título de Mestre do Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo, sob a orientação da Profa. Dra. Laura Loguercio Cánepa. Aprovado em / / Profa. Dra. Laura Loguercio Cánepa Prof. Dr. Vander Casaqui Prof. Dr. Rogério Ferraraz

4 Resumo A pesquisa analisa a representação da cultura do dinheiro da classe média e alta dos EUA, nas duas grandes crises que abalaram a economia: a Crise de 1929 a Grande Depressão - e a Crise de 2008 a Bolha imobiliária, vistas a partir de dois filmes: A felicidade não se compra (Frank Capra, 1946, EUA) e Wall Street II: o dinheiro nunca dorme (Oliver Stone, 2010, EUA). A metodologia utilizada compreendeu pesquisa teórica, visualização de filmes ligados ao universo do dinheiro e, especialmente, a análise fílmica de A felicidade não se compra (Frank Capra, 1946, EUA) e Wall Street II: o dinheiro nunca dorme (Oliver Stone, 2010, EUA) focando os personagens representantes das classes média e alta, nos momentos de desespero causados pela falta de dinheiro, sua postura ética e moral perante os negócios e seu comportamento perante a comunidade que os cerca. A análise evidenciou que nos filmes há um esforço para a necessidade de aprender a lidar com o dinheiro e a importância de se proteger contra os especuladores do mercado financeiro. Através da pesquisa e com olhos na cultura do dinheiro, observou-se que a sociedade americana, tanto na ficção como na vida real, ainda não está tão preparada quando o assunto é dinheiro. Palavras-chave 1. Representação. 2. Crises econômicas. 3. Análise Fílmica. 4. Hollywood. Abstract This thesis discusses the representation of the money culture of middle and upper class in movies representing the two major crises that shook the Western economy: the 1929 crisis (the Great Depression) and the 2008 crisis (the Bubble), viewed through the lenses of two films: It s a Wonderful Life (Frank Capra, 1946, USA) and Wall Street II: Money Never Sleeps (Oliver Stone, 2010, USA).The methodology was applied by means of theoretical research and review of such two movies related to the money universe, particularly focusing on characters representative of middle and upper classes, in their moments of despair caused by the lack of money, their moral and ethical stance towards business and their behavior in the community around them. The review revealed the "effort" attempted by these Hollywood movies originating in the need to learn how to deal with money and the importance of protecting oneself against financial market speculators. Through research and with eyes gazing the money culture, it was noted that the American society, both in fiction and real life, is not yet prepared as far as money is concerned. Keywords 1. Representation. 2. Economic crises. 3. Movie review. 4. Hollywood.

5 Agradecimentos A Deus, Senhor do universo, que é o Maior de todos; Aos meus pais, Valdomiro de Bastos Pereira e Iromar de Oliveira Vilas-Bôas Pereira, meu exemplo para a vida toda; Ao Guibor, que apacentou meu coração e me ensinou a paciência; À profa. Bernadette Lyra, que me acordou para essa jornada; A todos os professores, colaboradores e colegas do Mestrado em Comunicação da UAM que me ajudaram, com especial agradecimento para os professores Gelson Santana e Rogério Ferraraz; À amiga Celina Maria Silva de Castro Paiva pela amizade, doçura e motivação. Aos professores Luiz Antônio Vadico e Vander Casaqui que abriram a minha mente; Às pessoas especiais que me iluminaram, tranquilizaram e torceram por mim; À Universidade Anhembi Morumbi que me proporcionou essa incursão maravilhosa no universo da comunicação; Por fim, à minha orientadora professora. Laura Loguercio Cánepa, a quem dedico minha eterna gratidão, carinho, consideração e respeito. Mestres, obrigado!

6 Lista de imagens Fig.1 - Dorothea Lange e a Depressão Americana dos Anos pág.15 Fig.2 - Família Joad em As vinhas da Ira... pág.16 Fig.3 - Deany (Natalie Wood) e Bud Stamper (Warren Beatty)... pág.17 Fig.4 - Personagens Bud e Gekko em Wall Street: Poder e cobiça... pág.20 Fig. 5 - Personagens Mitch e Avery Tolar em A firma... pág.21 Fig. 6 - Personagem Ryan em Amor sem escalas... pág.23 Fig.7 - Cartaz do filme A felicidade não se compra... pág.24 Fig.8 - Cooperativa de crédito imobiliário Bailey..... pág.29 Fig.9 - Reunião da Cooperativa Bailey para tratar da sucessão empresarial... pág.29 Fig.10 - George Bailey tentando acalmar o estouro da manada... pág.31 Fig.11 - Cena inaugural de A felicidade não se compra... pág.32 Fig.12 - George Bailey entra em casa e encontra família decorando árvore de Natal... pág.33 Fig.13 - Personagem Tio Billy com barbante no dedo... pág.34 Fig.14 - Mãos de Tio Billy, o financeiro da Cooperativa Bailey... pág.35 Fig.15 - Bailey, atendende de farmácia, e o painel da Coca-cola ao fundo... pág.35 Fig.16 - Bailey, Tio Billy, empregado e a recepcionista/secretária... pág.36 Fig.17 - Família americana Bailey... pág.38 Fig.18 - Personagem Clarence (Henry Travers)... pág.39 Fig.19 - Cartaz de Wall Street II: O dinheiro nunca dorme... pág.41 Fig.20 - Cena mostrando aparelho celular dos anos pág.47 Fig.21 Personagem Gekko em Wall Street II... pág.48 Fig.22 - Cena mostrando prédios compondo índice Dow Jones... pág.50 Fig.23 - Cena mostrando personagem Zabel se suicidando... pág.52 Fig.24 - Cena mostrando socialites e suas joias... pág.53 Fig.25 - Personagens Ma Joad (Jane Darwell) e Tom Joad (Henry Fonda)... pág.54 Fig.26 - Personagem Bud Fox (Charlie Sheen) e Gekko.... pág.55 Fig.27 Personagem Jake Moore (Shia LaBeouf)... pág.56 Fig.28 - Cena em que Gekko palestra para universitários... pág.57

7 A narrativa, por Luis Fernando Veríssimo Fizeram um filme sobre um dia na vida de um jovem financista, um dos mestres do universo, que comanda seus negócios internacionais de dentro de uma limusine impermeável enquanto lá fora o mundo ou pelo menos Nova York desmorona. No filme há uma fala que define tanto o poder do jovem protagonista, que pode arruinar nações inteiras com um toque no seu celular, quanto o caos que o cerca. Toda riqueza se transformou em riqueza apenas pela riqueza, e o dinheiro, tendo perdido sua qualidade de narrativa, passou a só falar com ele mesmo. Perfeito. O dinheiro perdeu seu papel na grande narrativa do capitalismo que vem da acumulação primitiva de capital e chegou à globalização, e hoje é apenas um interlocutor de si próprio. A narrativa acabou, a riqueza se acumula entre poucos e beneficia ainda menos e o dinheiro, desobrigado de fazer sentido e de seguir qualquer espécie de roteiro, só produz monstros como o jovem financista do filme. O capital financeiro dita a história econômica do mundo e inventou uma nova categoria literária: o diálogo de um só. Gostei de saber que um grupo de economistas de várias partes do mundo lançou um manifesto criticando o que parecia ser uma quase unanimidade as exceções eram Paul Krugman e três ou quatro outros a favor das medidas de austeridade e sacrifício de gastos sociais para combater a atual crise econômica global provocada pelo capital financeiro. O grupo reage à ortodoxia monetarista que faz a vítima pagar pelos desmandos do vilão e tenta interromper o autodiálogo do dinheiro endossado por tantos economistas. Felizmente, não por todos. A grande narrativa do capitalismo foi excitante, enquanto durou. Revolucionou a vida humana e, junto com suas barbaridades, fez coisas admiráveis. Tudo que era sólido se desmanchava no ar, para ser recriado no ciclo seguinte. Mas nem Marx previu que seu fim seria este: no meio de um mundo em decomposição, o dinheiro falando sozinho.

8 SUMÁRIO 1. Introdução... pág Hollywood e as crises econômicas... pág A crise de 1929 no cinema... pág A crise de 2008, seus antecedentes e o cinema... pág Uma fábula sobre o dinheiro: A felicidade não se compra... pág Tema e sinopse... pág Contextualização... pág Comentando o enredo e os elementos da narrativa... pág Uma análise do protagonista... pág Uma análise do mentor... pág A ambição e a Bolha: Wall Street 2... pág Tema e sinopse... pág Contextualização... pág Comentando o enredo e os elementos da narrativa... pág Analisando o protagonista... pág Analisando o mentor... pág Considerações finais... pág Referências bibliográficas... pág.66

9 9 1. Introdução Faz tempo que, na condição de cidadão e homo economicus 1, tenho interesse pelo estudo do que Jameson (2001) chama de cultura do dinheiro 2 " e da relação que a sociedade ocidental, economicamente representada pelas expressões mercado e globalização, teve com as crises econômicas, em particular as de 1929 e Economistas e historiadores afirmam que essas duas crises abalaram o mundo ocidental (delimitado nesta pesquisa no universo da sociedade norteamericana) e mexeram com o dinheiro fazendo com que ele mudasse de mãos. As crises de 1929 e 2008 colocaram em xeque certas teorias micro e macroeconômicas e trouxeram sofrimento para os povos, na forma do desemprego, da fome para os mais pobres e de toda espécie de humilhação que as famílias podiam sofrer pela carência do dinheiro e dos postos de trabalho. Enquanto a Crise de 1929 se concentrou mais nos povos das Américas, especialmente nos EUA, a Crise de 2008 teve um alcance bem maior em função da globalização da economia. Em minha época de estudante das Ciências Econômicas, mais precisamente da Política Econômica, aprendi com meus professores economistas que a cultura do dinheiro é importante para a sociedade, e acreditando nessa teoria, como pesquisador da comunicação, indago: a sociedade dedica esforço para essa chamada cultura do dinheiro? Deveria o homem ocidental aprender a lidar com o dinheiro? Grandes nomes da Economia e da História falaram sobre o dinheiro e o comportamento das pessoas no trato e na falta deste. É fato que o assunto, de forma geral, agrada principalmente àqueles que gostam do dinheiro e de ter dinheiro. No século XVI, Maquiavel (2007, p. 69), em O Príncipe, já dizia que os homens se esquecem mais facilmente da morte do pai do que da perda do patrimônio. Já Max Weber, no começo do século XX, em A ética do protestantismo 1 Homem econômico: racional, informado e centrado em si próprio. Tem a capacidade de decidir a forma a atingir seus objetivos com relação ao dinheiro. (n.d.a.). 2 JAMESON (2001), em sua obra A cultura do dinheiro: ensaios sobre a globalização, afirma que a globalização trouxe conceitos tais como: sociedade de consumo, capital financeiro, pós-modernismo e cultura de massas, e para o entendimento dos fenômenos sociais, culturais e econômicos é preciso recorrer a um exercício de periodização do capitalismo e reconhecer seus diferentes estágios.

10 10 e o espírito do capitalismo no qual aborda o protestantismo, movimento que contestou os dogmas e a organização da Igreja Católica, no século XVI acerca de mercado, afirma sobre os especuladores do século 19: (...) tem havido especuladores das oportunidades de ganho monetário de todos os tipos. Este tipo de empreendedor, o aventureiro capitalista, existiu em toda parte. Suas atividades, à exceção do comércio e do crédito, assim como das transações bancárias, eram de caráter predominantemente irracional e especulativo, ou direcionado para a aquisição pela força, (...) tanto na guerra como na exploração fiscal contínua das pessoas a eles sujeitas. (WEBER, 2003.p.28) Talvez, por isso, o autor tenha afirmado, na epígrafe do capítulo 4 (que para alguns estudiosos, trata-se da síntese de seu livro) que a igreja católica deixou o mosteiro e foi para o mercado da vida: O ascetismo cristão, que de início se retirava do mundo para a solidão, já tinha regrado o mundo ao qual renunciara a partir do mosteiro e por meio da igreja. Mas no geral, tinha deixado intacto o caráter naturalmente espontâneo da vida laica no mundo. Agora avançava para o mercado da vida, fechando atrás de si a vida do mosteiro;... (Id Ibid, p.116) O economista Amartya Sen, prêmio Nobel de Economia no ano de 1998 e um dos idealizadores do IDH (o índice criado pelas Nações Unidas, para comparar o grau de desenvolvimento humano dos países) apresenta um homem que espera uma porção de Justiça. A justiça a que o autor citado se refere tem uma abordagem humanística e, a respeito dela, SILVA (2007) comenta: Sen propõe [a respeito da teoria da justiça...], uma abordagem para o problema da justiça calcada nos conceitos e funções ou funcionamentos e capacitações (...). Seu critério para a avaliação e ordenamento de estados de mundo diferentes utiliza o conceito de capacitações. Por terem acesso a produtos, bens ou serviços, os agentes podem adquirir várias funções mentais e físicas que podem promover uma melhoria em suas condições de vida e no bem estar. (...) Centra o problema da justiça no acesso à renda e bens, enquanto o utilitarismo se funda na busca, por parte dos agentes, de prazer ou felicidade. (SILVA, 2007, p.173). Ainda segundo Sen, o homem em sua história batalha com a dubiedade entre o desejo de ser feliz e o de ter renda e dinheiro guardado no banco. Para complicar ainda mais o dilema, esse dinheiro a ser guardado deve ser investido em imóveis, em produção nacional ou agressivamente aplicado e especulado no mercado de ações?

11 11 E as perguntas continuam: Qual a importância da cultura do dinheiro para a sociedade das Américas e, especialmente, para o povo dos EUA? A sociedade como um todo, inclua-se aí o planeta globalizado, tem consciência da cultura do dinheiro? Diante deste contexto, considero relevante examinar o trato dessas questões em um dos principais produtos culturais de exportação dos EUA o cinema buscando, em filmes de Hollywood, a forma como retratam as principais crises econômicas dos últimos cem anos, que revelaram de maneira intensa a relação das pessoas com o dinheiro e com a falta dele. Para examinar a representação da crise de 1929 em Hollywood, optei pelo filme A felicidade não se compra, dirigido por Frank Capra, em O motivo dessa escolha deveu-se, sobretudo, ao caráter de fábula expressamente pretendido no filme, o que reforça seu objetivo pedagógico. Também a fama que esse filme preserva até os dias de hoje como um dos mais emblemáticos filmes inspiracionais de Hollywood faz dele um exemplo importante para o tipo de análise que se pretende aqui. Já para refletir sobre a representação da crise de 2008, escolhi Wall Street II: O dinheiro nunca dorme (2010), de Oliver Stone. Esse filme, por ser a continuação de uma obra emblemática dos anos 1980, Wall Street Poder e Cobiça (1987), acaba por apresentar uma reflexão mais complexa sobre o mundo das finanças e da ambição, em função da retomada de personagens que se tornaram símbolos do capital especulativo, em particular o sedutor vilão Gordon Gekko, interpretado nas duas ocasiões por Michael Douglas. A partir da análise desses dois filmes, o trabalho tentará responder a algumas questões: De maneira geral, como o cinema de Hollywood tem tratado as crises econômicas? Como a crise de 1929 foi encarada como oportunidade de aprendizado sobre os valores humanos no filme de Frank Capra? Como o cinema americano mostrou o estouro da grande bolha de 2008, cujas consequências ainda podem ser percebidas ao redor do mundo, e cujos responsáveis ainda não foram punidos? Esses fatos marcantes tiveram e ainda têm muitas repercussões sociais, históricas e econômicas, junto às diversas camadas sociais, sendo representados no cinema americano, lugar de onde essas crises tiveram origem. Então, este trabalho também tem a proposta de analisar, através de filmes emblemáticos, de que maneira o cinema de Hollywood deu forma a ideias significativas como a da cultura

12 12 do dinheiro, procurando observar como vão sendo construídas as imagens, diálogos e ideias de riqueza, felicidade, bem estar ou de crise. Para tanto, o caminho percorrido compreendeu conversas com professores e pesquisadores, pesquisa teórica, visualização de filmes ligados à questão econômico-financeira e análise de alguns aspectos narrativos dos filmes em questão, buscando apontar a forma como representam a cultura do dinheiro. O trabalho está dividido em três capítulos. No primeiro, Hollywood e as crises econômicas, procurou-se discutir o problema da cultura do dinheiro e da representação das crises econômicas no cinema de Hollywood, mencionando-se outros filmes importantes além dos que são objetos de análise neste trabalho. No segundo capítulo, Uma fábula sobre o dinheiro A felicidade não se compra, propõe-se análise do filme de Capra, buscando-se compreender como as questões relativas à cultura do dinheiro e da reação às crises foram tratadas. No terceiro capítulo, A ambição e a Bolha Wall Street 2, analisa-se como a crise de 2008 e seus agentes foram representados em Wall Street 2 O dinheiro nunca dorme. Com isso, pretende-se realizar uma aproximação entre as discussões do cinema e da teoria econômica, que poderá abrir espaço para outras análises, mais amplas e/ou mais aprofundadas, em trabalhos posteriores.

13 13 2. Hollywood e as crises econômicas O cinema pode levar a diversas experiências de reflexão sobre atitudes, convenções e comportamentos, mesmo para os espectadores que, prazerosamente e apaixonadamente, frequentam as sessões dos filmes que tratam de negócios. O objeto desta pesquisa está centrado justamente nisso: em filmes que tratam do tema dos negócios, e em particular da cultura do dinheiro, e foram feitos para o grande público assistir nas salas de cinema. Eles também têm em comum o fato de tratarem do tema das crises econômicas. Trata-se das obras A felicidade não se compra (1946, EUA) de Frank Capra, que trata de eventos imediatamente anteriores à Crise de 1929; e Wall Street II: o dinheiro nunca dorme (2010, EUA) de Oliver Stone, que trata da crise econômica internacional de Para introduzir a discussão desses filmes, será necessário contextualizá-los no ambiente social, econômico e cinematográfico em que surgiram que é o objetivo deste capítulo A crise de 1929 no cinema Durante longo período (do século XVIII ao início do século XX), o pensamento econômico sobre o capitalismo seguiu o pensamento dos economistas clássicos, dentre eles, Adam Smith 3, que acreditava na mão invisível do mercado regulando as relações econômicas nesse sistema. De acordo com Marco Antonio Vasconcellos e Manuel Enriquez Garcia: Adam Smith advogava a ideia de que todos os agentes 4, em sua busca de lucrar o máximo, acabam promovendo o bem-estar de toda a comunidade. É como se uma mão invisível orientasse todas as decisões da economia, sem necessidade da atuação do Estado, ou seja, no não intervencionismo do Estado nos assuntos de ordem econômica e financeira. (VASCONCELLOS; GARCIA, 2008, p.18) 3 Adam Smith ( ) foi considerado o precursor da moderna teoria econômica, colocada como conjunto científico sistematizado, com um corpo teórico próprio. Smith era um renomado professor quando publicou sua obra A riqueza das nações, em O livro é um tratado muito abrangente sobre questões econômicas que vão desde as leis de mercado e aspectos monetários até a distribuição de rendimento da terra, concluindo com um conjunto de recomendações políticas. Seus argumentos baseavam-se na livre iniciativa, no laissez-faire. (VASCONCELLOS & GARCIA, 2008, p.19). 4 Os indivíduos, famílias, empresas e governo. (n.d.a).

14 14 Segundo Bremmer, temos: Os defensores do capitalismo puro insistem que se deve permitir que a mão invisível opere a sua mágica e que qualquer esforço do governo no sentido de orientar suas ações pode acabar onerando os mercados e distorcendo o funcionamento natural destes. Outros alegam que os escritos de Smith sobre a moralidade e a empatia natural sugerem que o autor rejeitaria grande parte do dogma libertário justificado em seu nome. (BREMMER, 2011, p. 36). No início do século XX, surgia uma nova teoria, a Keynesiana (de John Maynard Keynes 5 ), que via como fundamental para o bom funcionamento do mercado a intervenção do Estado, com o seu poder de regulador. Durante a trajetória desta pesquisa, pode-se afirmar que tanto Smith como Keynes foram influentes tanto na compreensão da economia quanto nas políticas econômicas implementadas pelos governos norte-americanos para lidar com suas crises. De acordo com Cáceres, o capitalismo americano, após o término da Primeira Guerra Mundial, ao contrário do capitalismo europeu, trepidava ululante em meio a uma agressividade típica dos campeões (1949-p. 140). Fortemente enriquecidos, enquanto as potências europeias lutavam para se recuperar, os Estados Unidos lhes vendiam manufaturas de toda espécie e emprestavam dinheiro. O comércio americano crescera muito no período da Guerra. Mas, com a chegada da Grande Depressão em 1929, tudo mudou, levando a intensos debates sobre o problema da especulação, da autorregulação do mercado e da necessidade ou não da participação do Estado na proteção econômica dos cidadãos. Seria apenas com o começo da II Guerra Mundial, em 1939, que os Estados Unidos dariam um novo salto econômico em função das entradas de dinheiro no país com a continuidade da comercialização de matéria-prima e materiais bélicos para países em guerra. Segundo Steven Jay Schneider, o cinema de Hollywood muito pouco se manifestou com relação ao sofrimento e aos transtornos provocados pela Crise de 1929, na própria época. Para ele, Hollywood, em sua grande maioria, deixou que outras mídias, como o teatro, a literatura e a fotografia documentassem o desastre nacional (2008, p.162). De fato, é sabido que Hollywood, particularmente no período 5 John Maynard Keynes ( ) ocupou a cátedra que havia sido de Alfred Mashall na Universidade de Cambridge. Acadêmico respeitado, Keynes tinha também preocupações com as implicações práticas da teoria econômica. (VASCONCELLOS & GARCIA, 2008, p.23).

15 15 da Grande Depressão, optou por um tipo de entretenimento mais escapista, priorizando os musicais alegres, os filmes policiais, os romances e os épicos. Nesse contexto em que o cinema deixou, pelo menos em um primeiro momento, o trabalho da representação histórica da crise para outras artes, algumas obras importantes surgiram. Entre elas, a fotografia tornou-se uma das expressões mais importantes, transformando-se em referência para os filmes sobre o tema feitos na década seguinte. A foto clássica de Dorothea Langer (Figura 1, na página a seguir), mostrando uma mãe imigrante e seus dois filhos numa situação de desolação, mostra uma situação típica dos retirantes que seriam representados, posteriormente, no filme As vinhas da ira (The Grapes of Wrath, 1940, EUA), de John Ford (Figura 2, na página a seguir), um dos maiores clássicos do cinema hollywoodiano em torno do trauma da depressão econômica, inspirado no livro homônimo lançado no ano anterior, 1939, por John Steinbeck, que receberia o Prêmio Nobel de Literatura por esta obra, em Figura 1: Dorothea Lange e a Grande Depressão Americana dos Anos 30.

16 16 Figura 2: Família Joad em As vinhas da Ira (John Ford, 1939). Sabemos que esse período importante na história do povo americano, causa estranhamento e ao mesmo tempo fascínio, e, conforme cita Bernard Gazier, a penúria absurda explica sem dúvida o fato de ainda termos por esse período verdadeira obsessão, consciente ou inconsciente. (2009, p.7). Ainda, conforme Schneider, o feito histórico e corajoso de Darryl Zanuck [um dos mais importantes produtores de Hollywood nos anos 1930/40], comprando os direitos da obra de John Steinbech para a 20th Century Fox [que produziu o filme de Ford], mesmo que contrário a controladores conservadores daquele estúdio (2008, p.162), foi de grande valia para a documentação histórica, econômica e social do povo americano daquela época, facilitando a compreensão de gerações futuras acerca do flagelo vivido por aquela gente. Como observa Cáceres, essa crise viera mudar a economia e o modo de vida americanos, que assim podia ser descrito no momento imediatamente anterior ao crash da Bolsa que deflagraria a Crise de 1929, encerrada definitivamente apenas com a eclosão da Segunda Guerra Mundial: [No final dos anos 1920] Era a época da abundância sem fim que havia chegado. Todos os estados estavam ligados por ferrovias e vias aéreas, milhões de automóveis estavam em circulação, dezenas de grandes cidades possuíam arranha-céus, 17 milhões de residências estavam ligadas à rede elétrica. Isso contagiou o americano comum. A riqueza parecia estar a espera de todos. Milhões de americanos especulavam na Bolsa de Valores e investiam acima de suas posses, pagando em prestações. Arriscavam as economias de toda uma vida e chegavam a hipotecar a própria casa para especular e aumentar o seu capital. Balconistas e

17 17 lavadeiras, depois de ganhar dinheiro especulando na Bolsa, compravam casacos de pele e iam para o trabalho em seu próprio automóvel. (CÁCERES, 1949, p.141) No filme Clamor do sexo (Splendor in the Grass, 1961, EUA), de Elia Kazan, por exemplo, há a representação em retrospecto desse período da economia americana aquecida e especulativa. Numa cena importante que se passa durante uma missa, a câmera, após exibir a torre da igreja e a chuva (símbolo universal da fertilidade e prosperidade), foca o padre no seu sermão dominical, que diz: - Sim. É um tempo de prosperidade para todos nós. Já na cena em que os pais da protagonista Wilma Dean Loomis (Natalie Wood), típicos representante da classe média americana da época, conversam e acompanham a alta dos papéis na Bolsa de New York pelo rádio e sonham com o retorno do montante de U$ , uma quantia que para o casal representa um mar de oportunidades; inclusive, a possibilidade de enviar a filha para cursar a faculdade no próximo ano, possibilidade essa restrita naquela época somente às famílias mais abastadas, como era o caso da família de Bud Stamper (Warren Beatty), seu par romântico. Figura 3: Deany (Natalie Wood) e Bud Stamper (Warren Beatty).

18 18 No mesmo filme, na cena do réveillon de 1929, no salão de festa da cidade, todos estão reunidos com tudo girando em torno dos Stamper s. Comemoração, clima de festa. A câmera dá um close em uma bexiga rosa com a inscrição 28 e todos no salão contam: - 1, 2, 3..., a bexiga estoura; e, numa panorâmica, essa mesma câmera mostra uma torre de petróleo em miniatura que jorra champagne e o diretor Elia Kazan mostra para o espectador: tempo de fartura, prosperidade e dinheiro. Embora o filme não discuta apenas a questão da crise econômica, estando também interessado em representar a cruel repressão sexual sofrida pelo casal em função das rígidas regras comportamentais da época, O Clamor do Sexo também exibe as consequências da crise de 1929 para cada uma das famílias. O filme representa a crise econômica de 1929 sob a ótica da classe média, tipicamente americana e metropolitana, representada por intermédio da família de Wilma Deany Loomy, e a classe alta, representada através da família de Bud Stamper. A família de classe média, representada por um casal de comerciantes e sua filha única, é um exemplo importante do perfil arrojado do investidor da classe média americana daquela época que apostava todas suas economias em ações e a família de classe alta, representada por um investidor do ramo petrolífero, empresário arrogante e autoritário, pai castrador que começa a fazer encanto para as grandes companhias orientais, representando assim, desde aquela época, uma sombra do mercado capitalista globalizado. Enfim, o cinema de Hollywood representou a Grande Depressão de 1929 sob várias óticas do cenário econômico e sob o olhar dos diretores acerca daquele período, sem desconsiderar a influência do cenário econômico da época em que os filmes foram produzidos. É comum entre todos os filmes o sofrimento que uma crise econômica causa nos agentes econômicos. Em As vinhas da ira (The Grapes of Wrath, 1940, EUA), realizado mais de dez anos após a crise, quem padece são os personagens meeiros representados pela família rural Joad, agricultores com suas terras hipotecadas, que são obrigados a migrar para a cidade grande juntamente com milhares de outras famílias, sem ter confirmadas suas esperanças de uma vida melhor. Se o filme de Kazan trazia, sobretudo, uma crítica geral às normas da sociedade da época, o filme de Ford tinha uma crítica social mais incisiva, discutindo

19 19 claramente os problemas da distribuição de renda e da cidadania (ou da falta dela) através do acesso (ou não) à sobrevivência e aos bens de consumo. Já em A felicidade não se compra, tem-se a representação da classe média urbana, a classe das donas de casa, dos trabalhadores das indústrias que já sonham com a casa própria. O filme, como veremos mais adiante, retoma de maneira fantasiosa fatos dramáticos que remetem facilmente à crise, mas destaca a capacidade de superação das comunidades através da solidariedade A crise de 2008, seus antecedentes e o cinema Com a vitória em 1945 na II Guerra Mundial e a ajuda financeira a vários países, os EUA conheceram, entre 1950 a 1990, a continuidade no processo industrial com a consolidação das grandes corporações e o poderio econômicomilitar ajudado pela chamada Guerra Fria. Nos anos 1980, Ronald Reagan, ex-ator de Hollywood e filiado ao Partido Republicano, foi eleito e reeleito Presidente dos Estados Unidos (em dois mandatos que, em conjunto, foram de 20/01/1981 a 20/01/1989) e estabeleceu um marco na administração do capital financeiro do planeta, promovendo junto com Margareth Thatcher, primeira-ministra britânica por onze anos (de 04/05/1979 a 22/11/1990), uma política neoliberal de inspiração clássica (ou seja, que pregava a liberdade total do mercado) caracterizada, entre outras coisas, pela financeirização da economia, fenômeno do campo macroeconômico que tem como principal característica a apropriação dos ativos da economia pelo mercado financeiro. No campo macroeconômico e na boca dos capitalistas, a expressão alavancagem financeira era constante: o dinheiro gerando dinheiro, auge do capitalismo, um cenário em que os mais ricos ficavam cada vez mais ricos. Para a juventude dessa época, recém-saída das universidades, a possibilidade de ascensão social e a conquista de um cargo de destaque no cenário corporativo, promovendo a melhora do padrão de vida e consumo, possibilitando residir em apartamento ou flat situado em bairros sofisticados e a busca incessante de prestígio tornam-se constantes. Surge, então, a figura do yuppie YUP (Young urban professional), representado nos filmes Negócio arriscado (Paul Brickman, 1983, EUA), Wall Street: poder e cobiça (Oliver Stone, 1987, EUA), O Segredo do meu sucesso (Herbert Ross, 1987, EUA) e Psicopata Americano (Mary Harron, 2000, EUA).

20 20 No filme Wall Street: Poder e cobiça (1987, EUA), de Oliver Stone, a representação desse processo aconteceu de maneira emblemática através do personagem Bud, interpretado pelo ator Charlie Sheen, jovem ambicioso que sonha em conhecer o seu ídolo do mundo dos negócios: o personagem Gekko, interpretado pelo ator Michael Douglas, no filme (Figura 4). Figura 4: Personagens Bud e Gekko em Wall Street: Poder e cobiça (Oliver Stone, 1987). Bud queria status e ascensão social a qualquer preço e para tanto furava cercos, facilitava o vazamento de informações, corria atrás do dinheiro, até que se dá mal e vê um fim para essa ganância sequiosa. Nesse momento, Hollywood mostra para a sociedade que a ascensão meteórica tem sempre um preço. Nesse mesmo filme, Oliver Stone, crítico do capitalismo e filho de um operador da Bolsa de Valores de Nova York, nos apresenta o mentor de Bud, Gekko, um milionário ganancioso e frio, típica representação de grande parte dos executivos daquela época, que contratavam novos talentos num piscar de olhos, ofereciam fortunas, sonhos e depois trituravam, pisavam, demitiam sem maiores preocupações e escrúpulos. A partir de 1990, com a queda da URSS e o fim da Guerra Fria, dá-se a completude do que se entende por globalização do planeta, o desenvolvimento

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo IV

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo IV Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo IV Capítulo Quatro O Guia Definitivo para enfrentar suas Dívidas Em algum nível, mesmo que rudimentar, todos sabemos que o endividamento é perigoso.

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

GRANDE DEPRESSÃO (1929)

GRANDE DEPRESSÃO (1929) GRANDE DEPRESSÃO (1929) A Grande Depressão, ou Crise de 1929, foi uma grave crise econômica iniciada nos Estados Unidos, e que teve repercussões no mundo inteiro. Considerada o mais longo e grave período

Leia mais

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo VIII Capítulo Oito Cinco alternativas para ficar rico sem depender do mercado de ações No meu esforço de surpreendê-lo com verdades sobre a construção

Leia mais

Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff

Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff 31/10/2010 23h56 - Atualizado em 01/11/2010 11h24 Leia a íntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma Rousseff Em Brasília, ela fez primeiro discurso após anúncio do resultado da eleição. Ela afirmou

Leia mais

ECONOMIA MÓDULO 1 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

ECONOMIA MÓDULO 1 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA ECONOMIA MÓDULO 1 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA Índice 1. Apresentação da Disciplina...3 2 1. APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA A disciplina Economia de Mercado objetiva apresentar as relações econômicas que balizam

Leia mais

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores.

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. 2 Ao lado das concepções do trabalho pedagógico para a infância,

Leia mais

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes All You Zombies Wendel Coelho Mendes Versão Portuguesa, Brasil Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959 Esse conto é minha versão sobre a verdadeira história de All You Zombies,

Leia mais

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT)

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O capitalismo teve origem na Europa, entre os séculos XIII e XIV, com o renascimento urbano e comercial e o surgimento de uma nova classe social:

Leia mais

Page 1 of 7. Poética & Filosofia Cultural - Roberto Shinyashiki

Page 1 of 7. Poética & Filosofia Cultural - Roberto Shinyashiki Page 1 of 7 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Poética & Filosofia

Leia mais

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN "Pr. Williams Costa Jr.- Pastor Bullón, por que uma pessoa precisa se batizar? Pr. Alejandro Bullón - O Evangelho de São Marcos 16:16 diz assim: "Quem crer e for batizado,

Leia mais

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s...

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... Aqui não estão as mensagens mediúnicas, mas algumas palavras

Leia mais

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP Brasil: qual é o teu negócio? 1 Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP RESUMO Baseado na composição

Leia mais

ÉTICA NAS EMPRESAS EM UM MUNDO GLOBALIZADO ROBERTO VERTAMATTI

ÉTICA NAS EMPRESAS EM UM MUNDO GLOBALIZADO ROBERTO VERTAMATTI 16:30-18:00 ÉTICA NAS EMPRESAS EM UM MUNDO GLOBALIZADO PALESTRANTE: ROBERTO VERTAMATTI PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DE FINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

Mensagem: Fé provada. Por David Keeling.

Mensagem: Fé provada. Por David Keeling. Mensagem: Fé provada. Por David Keeling. Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renunciese a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; Porque aquele que quiser salvar

Leia mais

5 Eu vou fazer um horário certo para tomar meus remédios, só assim obterei melhor resultado. A TV poderia gravar algum programa?

5 Eu vou fazer um horário certo para tomar meus remédios, só assim obterei melhor resultado. A TV poderia gravar algum programa? Antigamente, quando não tinha rádio a gente se reunia com os pais e irmãos ao redor do Oratório para rezar o terço, isso era feito todas as noites. Eu gostaria que agora a gente faça isso com os filhos,

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

TRANQUILIDADE FAMILIAR. www.viveresaber.com.br

TRANQUILIDADE FAMILIAR. www.viveresaber.com.br TRANQUILIDADE FAMILIAR www.viveresaber.com.br OFERECIDO POR: www.viveresaber.com.br Desenvolvido por: ADELINO CRUZ Consultor, Palestrante e Diretor da Viver e Saber; Bacharel em Comunicação Social; Foi

Leia mais

Minha lista de sonhos

Minha lista de sonhos Licença No: # 122314/LS Fone: +55-11 5539-4719 E mail: vagner@programavirandoojogo.com.br Web: www.programavirandoojogo.com.br 2015 Minha lista de sonhos Com visão 2025 PREPARADO POR VAGNER MOLINA Rua

Leia mais

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA Marketing Prof. Marcelo Cruz O MARKETING E A CRISE FINANCEIRA MUNDIAL Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA I O Impasse Liberal (1929) Causas: Expansão descontrolada do crédito bancário; Especulação

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês

Leia mais

De mãos dadas: RH e marketing

De mãos dadas: RH e marketing De mãos dadas: RH e marketing A união de RH e marketing é um dos melhores caminhos para a sobrevivência de uma empresa - e das próprias áreas Não é incomum, em tempos de turbulência e incertezas econômicas,

Leia mais

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG

VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG VALORES CULTURAIS (INDÍGENAS) KAINGANG Um cacique kaingang, meu amigo, me escreveu pedindo sugestões para desenvolver, no Dia do Índio, o seguinte tema em uma palestra: "Os Valores Culturais da Etnia Kaingáng".

Leia mais

DINHEIRO VINDO DO NADA: Saiba a Verdade Sobre o Sistema Financeiro Mundial. Por David Icke

DINHEIRO VINDO DO NADA: Saiba a Verdade Sobre o Sistema Financeiro Mundial. Por David Icke DINHEIRO VINDO DO NADA: Saiba a Verdade Sobre o Sistema Financeiro Mundial (Texto Traduzido na Íntegra) Por David Icke Uma sociedade sem dinheiro vivo e os microchips são parte de uma ferramenta fundamental

Leia mais

Max WEBER. Apresentando Max Weber. Principais contribuições: 1864-1920 TEMPOS MODERNOS OS CAMINHOS DA RACIONALIDADE

Max WEBER. Apresentando Max Weber. Principais contribuições: 1864-1920 TEMPOS MODERNOS OS CAMINHOS DA RACIONALIDADE Max WEBER 1864-1920 TEMPOS MODERNOS Apresentando Max Weber Principais contribuições: OS CAMINHOS DA RACIONALIDADE O PROTESTANTISMO E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO O MUNDO DESENCANTADO Apresentando Max Weber

Leia mais

Como Atrair a Quantidade de dinheiro que deseja em poucas semanas (OU DIAS)

Como Atrair a Quantidade de dinheiro que deseja em poucas semanas (OU DIAS) Copyright 2008 by Wellington Rodrigues Todos os direitos reservados - 2008 1 Como Atrair a Quantidade de dinheiro que deseja em poucas semanas (OU DIAS) Por: Wellington Rodrigues Todos nós temos direito

Leia mais

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande.

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande. TEMPOS MODERNOS UM FILME DE Jeander Cristian, baseado na obra original de Charlie Chaplin. Pessoas apressadas andam pela cidade grande Tempo é dinheiro! Pessoas acessam informações em tempo recorde na

Leia mais

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Terça-feira, 11 de março de 2014 Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Nádia Junqueira Goiânia - Dalila tem 15 anos, estuda o 2º ano no Colégio

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

Depressão na Gravidez

Depressão na Gravidez De Depressão na Gravidez Um relato de uma mulher com Depressão na Gravidez O E-mail enviado por Gabriela, uma mulher que teve depressão durante a Gravidez e as respostas de apoio e ajudar à essa mulher.

Leia mais

CRISE DE 29. Colapso do sistema financeiro americano

CRISE DE 29. Colapso do sistema financeiro americano CRISE DE 29 Colapso do sistema financeiro americano Antecedentes: Europa destruída pela grande guerra depende do capital americano; EUA responsável por 50% de toda produção industrial do mundo; American

Leia mais

A Visão. Uma Introdução

A Visão. Uma Introdução 1 A Visão Uma Introdução Muitas pessoas sabem, já desde a infância ou juventude, o que querem ser na vida quando forem adultos, como, por exemplo, médico(a), enfermeiro (a), músico (a), advogado (a), ou

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Palácio do Planalto, 12 de março de 2003 Minha cara ministra Emília Fernandes, Minha cara companheira Benedita da

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

ANDERSON CAVALCANTE. Meu pai, meu herói

ANDERSON CAVALCANTE. Meu pai, meu herói ANDERSON CAVALCANTE Meu pai, meu herói Dedicatória Ao meu pai, Eraldo, meu herói e minha referência de vida. 5 Agradecimentos A Deus, por sempre me ajudar a cumprir minha missão. A todos os pais que são

Leia mais

Por que a ausência do pensar e da visão estratégica tendem a anular a ética? Há dois fatores que limitam e amortecepm a consciência ética:

Por que a ausência do pensar e da visão estratégica tendem a anular a ética? Há dois fatores que limitam e amortecepm a consciência ética: presumo Aula-tema 04: Pensamento Ético e Visão Estratégica. Comecemos por uma indagação: Por que a ausência do pensar e da visão estratégica tendem a anular a ética? Há dois fatores que limitam e amortecepm

Leia mais

DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É

DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É BRENNAN MANNING & JOHN BLASE DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É NÃO DO JEITO QUE DEVERIA SER, POIS VOCÊ NUNCA SERÁ DO JEITO QUE DEVERIA SER Tradução de A. G. MENDES Parte 1 R i c h a r d 1 Nem sempre recebemos

Leia mais

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro.

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro. A importância do estudo bíblico para a vida cristã 2 Pedro 1.12-2121 Pr. Fernando Fernandes Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar

Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Gestão da Comunicação em Situações de Crise no Ambiente Médico-Hospitalar Sumário Prefácio: Os hospitais não são essenciais Introdução: O sistema hospitalar mudou, mas continua o mesmo! Imagem pública

Leia mais

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação ***************************************************************************

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação *************************************************************************** DIOCESE DE AMPARO - PASTORAL DA EDUCAÇÃO- MARÇO / 2015 Todo cristão batizado deve ser missionário Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Salmo 24 (25) Amados Educadores

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1 1 O caminho da harmonia. Colossenses 3 e 4 Col 3:1-3 Introdução: Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês seguinte,

Leia mais

Capitalismo, Revolução Russa e Crise de 29

Capitalismo, Revolução Russa e Crise de 29 Capitalismo, Revolução Russa e Crise de 29 Revolução Russa de 1917 A Revolução Russa de 1917 foi uma série de eventos políticos na Rússia, que, após a eliminação da autocracia russa, e depois do Governo

Leia mais

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R Os 10 HÁBITOS DE SUCESSO D O S I N V E S T I D O R E S E M VA L O R W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R Aviso Importante O autor não tem nenhum vínculo com as pessoas, instituições financeiras e produtos,

Leia mais

EDUARDO ZIBORDI CAMARGO

EDUARDO ZIBORDI CAMARGO EDUARDO ZIBORDI CAMARGO Dudu era o segundo filho do casal Flávio Camargo e Elza Zibordi Camargo, quando desencarnou, aos sete anos incompletos. Hoje, além de Flávia, a família se enriqueceu com o nascimento

Leia mais

EMPREENDEDORISMO UNIMÓDULO

EMPREENDEDORISMO UNIMÓDULO EMPREENDEDORISMO UNIMÓDULO Prof. Ricardo Suñer Romera Neto rsromera@hotmail.com Prof. Ricardo Suñer Romera Neto 1 Ementa Estudo dos fundamentos, experiências e conhecimentos acumulados a respeito das atividades

Leia mais

Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE

Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE TEATRO ESPÍRITA... 2 A VISÃO GERAL... 2 EXERCÍCIOS TEATRAIS DRAMATICIDADE COM ESPIRITUALIDADE... 2 DIREÇÃO TEATRAL... 3 O

Leia mais

Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento

Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Longo prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de

Leia mais

American Way Of Life

American Way Of Life Crise de 1929 Ao final da Primeira Guerra, a indústria dos EUA era responsável por quase 50% da produção mundial. O país criou um novo estilo de vida: o american way of life. Esse estilo de vida caracterizava-se

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning)

Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) Estímulo Experimental: Texto para filmagem dos discursos políticos (Brasil Thad Dunning) DISCURSOS 1, 2, 3 e 4 sem mensagem de raça ou classe (o texto do discurso é para ser lido duas vezes por cada ator,

Leia mais

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados POR ENTRETEMPOS, JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO, 04.10.2015 Tião, como é chamado pelos amigos, não toma café. Ainda assim, motivado

Leia mais

Oito passos para uma carreira extraordinária

Oito passos para uma carreira extraordinária Oito passos para uma carreira extraordinária Procurar tornar-se apto para o mercado de trabalho sem saber qual o objetivo desejado é a melhor forma de conseguir bons empregos e uma eterna infelicidade.

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE?

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? Texto: Apocalipse 21:1-2 Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Vi a cidade santa, a nova Jerusalém,

Leia mais

Preces POR QUE NOSSAS PRECES NÃO SÃO ATENDIDAS?

Preces POR QUE NOSSAS PRECES NÃO SÃO ATENDIDAS? Preces POR QUE NOSSAS PRECES NÃO SÃO ATENDIDAS? A grande maioria das pessoas só recorrem à oração quando estão com problemas de ordem material ou por motivo de doença. E sempre aguardando passivamente

Leia mais

apaixonados um pelo outro. Fábio é homossexual e tem em torno de 45 anos. Madalena também tem mais ou menos a mesma idade, e é heterossexual.

apaixonados um pelo outro. Fábio é homossexual e tem em torno de 45 anos. Madalena também tem mais ou menos a mesma idade, e é heterossexual. Apresentação Este projeto é simples e pretende levar para o público algo de elevado conteúdo artístico. O orçamento da pré-produção e da produção é pequeno, já que a peça será encenada por dois atores

Leia mais

6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães

6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicasdiadasmaes 6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães Apresentamos uma seleção com 6 dinâmicas de grupo para o Dia das Mães, são atividades que podem

Leia mais

8 OS TRÊS PRIMEIROS PASSOS PASSO 2: CAPACIDADE

8 OS TRÊS PRIMEIROS PASSOS PASSO 2: CAPACIDADE 8 OS TRÊS PRIMEIROS PASSOS PASSO 2: CAPACIDADE Uau! Lembro como se fosse ontem a sensação de sair da sede da OAB/DF com o bótom da classe e a famosa carteira vermelha. Foi um sentimento realmente indescritível.

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance Sobre o autor: Meu nome é Rodrigo Marroni. Sou apaixonado por empreendedorismo e vivo desta forma há quase 5 anos. Há mais de 9 anos já possuía negócios paralelos ao meu trabalho e há um pouco mais de

Leia mais

Imagem 1 Imagem 2. Fontes: Imagem 1 ROBIN, M. - 100 fotos do século, Evergreen, 1999./ Imagem 2 Le Monde Diplomatique ano 2, nº16 novembro de 2008

Imagem 1 Imagem 2. Fontes: Imagem 1 ROBIN, M. - 100 fotos do século, Evergreen, 1999./ Imagem 2 Le Monde Diplomatique ano 2, nº16 novembro de 2008 Nome: Nº: Turma: Geografia 3º ano Gabarito - Prova Augusto Mar/10 1. Observe as imagens abaixo e faça o que se pede: Imagem 1 Imagem 2 Fontes: Imagem 1 ROBIN, M. - 100 fotos do século, Evergreen, 1999./

Leia mais

12 Riqueza a prosperidade que vem de Deus

12 Riqueza a prosperidade que vem de Deus Introdução A s livrarias e bibliotecas estão repletas de livros que nos ensinam como ganhar dinheiro, ficarmos ricos e prosperarmos em nossos negócios e investimentos. Alguns desses livros, escritos por

Leia mais

É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón. www.sisac.org.br

É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón. www.sisac.org.br É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón www.sisac.org.br "No capítulo 7 da epístola aos Romanos, encontramos o grito desesperado de um homem que não conseguia viver à altura dos princípios que conhecia.

Leia mais

UNIDADE 4 A CRISE DO GUERRA MUNDIAL. CAPITALISMO E A SEGUNDA. Uma manhã de destruição e morte.

UNIDADE 4 A CRISE DO GUERRA MUNDIAL. CAPITALISMO E A SEGUNDA. Uma manhã de destruição e morte. UNIDADE 4 A CRISE DO CAPITALISMO E A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. Uma manhã de destruição e morte. No início de agosto de 1945, os Estados Unidos tentavam, sem resultado, conseguir a rendição japonesa. A solução

Leia mais

CLAYTON LEVY ESPÍRITOS DIVERSOS DIRETRIZES ESPÍRITAS. 4 a EDIÇÃO

CLAYTON LEVY ESPÍRITOS DIVERSOS DIRETRIZES ESPÍRITAS. 4 a EDIÇÃO CLAYTON LEVY ESPÍRITOS DIVERSOS DIRETRIZES ESPÍRITAS 4 a EDIÇÃO CAMPINAS SP 2007 Sumário Mensagem de Bezerra...XI Apresentação...XIII Capítulo I Diretrizes Doutrinárias O papel do Espiritismo...3 Caráter

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PORTUGUÊS - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== BRINCADEIRA Começou

Leia mais

UMA CONVERSA AO REDOR DO FOGÃO SOBRE CAPTAÇÃO DE RECURSOS 1

UMA CONVERSA AO REDOR DO FOGÃO SOBRE CAPTAÇÃO DE RECURSOS 1 UMA CONVERSA AO REDOR DO FOGÃO SOBRE CAPTAÇÃO DE RECURSOS 1 Dois problemas se misturam A verdade do Universo e a prestação que vai vencer Raul Seixas Rodrigo Alvarez O Mosteiro pode acabar * O mosteiro

Leia mais

Miguel Nicolelis: Vamos transformar o RN na Califórnia

Miguel Nicolelis: Vamos transformar o RN na Califórnia Miguel Nicolelis: Vamos transformar o RN na Califórnia Emanuel Amaral CIÊNCiA - Reconhecido internacionalmente, Miguel Nicolelis tem planos ambiciosos para o RN 05/08/2007 - Tribuna do Norte Anna Ruth

Leia mais

CANTOS PARA O NATAL CANTO DE ENTRADA:

CANTOS PARA O NATAL CANTO DE ENTRADA: CANTO DE ENTRADA: CANTOS PARA O NATAL 01. PEQUENINO SE FEZ (SL 95): J.Thomaz Filho e Fr.Fabretti Pequenino se fez nosso irmão, Deus-conosco! Brilhou nova luz! Quem chorou venha ver que o Menino tem razão

Leia mais

PASTORAL DA EDUCAÇÃO - PINDAMONHANGABA ATIVIDADES MAIO/2015

PASTORAL DA EDUCAÇÃO - PINDAMONHANGABA ATIVIDADES MAIO/2015 Vida... Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

PALESTRA DE SISTER MEERA A LEI DA ATRAÇÃO SOB A ÓTICA DO RAJA YOGA MASP Museu de Artes de São Paulo 19 de setembro de 2007

PALESTRA DE SISTER MEERA A LEI DA ATRAÇÃO SOB A ÓTICA DO RAJA YOGA MASP Museu de Artes de São Paulo 19 de setembro de 2007 PALESTRA DE SISTER MEERA A LEI DA ATRAÇÃO SOB A ÓTICA DO RAJA YOGA MASP Museu de Artes de São Paulo 19 de setembro de 2007 O nosso universo é feito de dois tipos de energia: a física (material) e a espiritual

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Parte 01 - Versão 2.3 (Março de 2009)

Parte 01 - Versão 2.3 (Março de 2009) Parte 01 - Versão 2.3 (Março de 2009) Teorias clássica ou neoclássica (liberalismo); Teoria keynesiana; Teoria marxista. Visão do capitalismo como capaz de se auto-expandir e se autoregular Concepção

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br Olá, concurseiro! É um grande prazer poder lhe dar algumas dicas básicas a respeito da sua preparação para um Concurso Público. Sei que esse é um grande sonho, e ter a oportunidade de colaborar com a construção

Leia mais

fazem bem e dão lucro

fazem bem e dão lucro Melhores práticas de fazem bem e dão lucro Banco Real dá exemplo na área ambiental e ganha reconhecimento internacional Reunidos em Londres, em junho deste ano, economistas e jornalistas especializados

Leia mais

2ª Etapa: Propor a redação de um conto de mistério utilizando os recursos identificados na primeira etapa da atividade.

2ª Etapa: Propor a redação de um conto de mistério utilizando os recursos identificados na primeira etapa da atividade. DRÁCULA Introdução ao tema Certamente, muitas das histórias que atraem a atenção dos jovens leitores são as narrativas de terror e mistério. Monstros, fantasmas e outras criaturas sobrenaturais sempre

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 3 - A organização O conceito fundamental para a administração é o de ORGANIZAÇÃO, uma vez que toda a aplicação administrativa vai ocorrer numa organização e

Leia mais

Características de um casamento duradouro

Características de um casamento duradouro Características de um casamento duradouro Características de um casamento duradouro Introdução: Ainda é possível ver um casal já bem idoso de mãos dadas, e que mesmo depois de tantos anos ainda se olham

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

EDUCAR PARA A AMIZADE ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA DA AFETIVIDADE

EDUCAR PARA A AMIZADE ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA DA AFETIVIDADE EDUCAR PARA A AMIZADE 1 ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA DA AFETIVIDADE ANTROPOLOGIA Estudo dos comportamentos e evoluções sociais. Porque AMIZADE??? Porque ela é a base dos relacionamentos saudáveis. Ela nos traz

Leia mais

PENSAMENTOS DE IRMÃ DULCE

PENSAMENTOS DE IRMÃ DULCE PENSAMENTOS DE IRMÃ DULCE 1. "O amor supera todos os obstáculos, todos os sacrifícios. Por mais que fizermos tudo é pouco diante do que Deus faz por nós." 2. "Sempre que puder, fale de amor e com amor

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004 Autoriza o Poder Executivo a criar a Poupança Emigrante e o Fundo de Financiamento ao Emigrante Empreendedor (FEE), com vistas a incrementar a entrada de divisas no

Leia mais