Construa Aplicações. Engine de Buscas. Utilizando o Poderoso Apache Solr como

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Construa Aplicações. Engine de Buscas. Utilizando o Poderoso Apache Solr como"

Transcrição

1 Thiago Buchler é formado em Processamento de Dados pela Universidade Unicsul e atua na área de desenvolvimento de software há 8 anos. Atualmente é gerente de projetos e responsável pela arquitetura dos sistemas em Java da Agência Digital Gommo. É sócio da empresa Buchler Tecnologia, especializada em Consultoria em Soluções para aplicações Web, com foco em SEO e armazenamento de informações de alto volume. Construa Aplicações Utilizando o Poderoso Apache Solr como Engine de Buscas Utilize as funcionalidades similares aos maiores buscadores do mundo e agregue relevância aos seus resultados O Solr possui todas as principais funcionalidades dos principais buscadores da Internet, diferente do popular comando LIKE que utilizamos para pesquisas convencionais nos bancos de dados. Se beneficie dessa poderosa API de busca e deixe o seu site muito mais atrativo. ão podemos negar que o Google revolucionou a Internet e nos tornou dependentes de suas ferramentas. Dentre elas, a utilização de sua busca e do GMail entre os usuários de Internet é notória, mas não podemos esquecer de outras tão importantes como o AdSense, AdWords, Analitycs etc. No meio desse pool de aplicações, existe um aspecto que o torna diferencial e que é a base de todo desenvolvimento, que é a maneira como o Google organiza e categoriza informações. Chegam a ser assustadores os resultados exibidos nas pesquisas, principalmente quando observamos a data em que o conteúdo foi indexado. E claro que esse novo modelo acabou fazendo com que os outros buscadores refizessem suas engines de busca, para que o resultado seja cada vez mais relevante e o mais próximo do que o usuário realmente quis buscar. Até agora estamos falando do Google, engine de busca, conteúdo, indexação e você deve estar pensando o que isso tem a ver com este artigo? Tem muito a ver, pois vou falar de uma API de busca muito poderosa e altamente escalável, com diversas funcionalidades para enriquecer suas pesquisas. Neste artigo falaremos um pouco sobre a API de busca da Apache, como podemos tirar proveito deles. Em seguida, conheceremos realmente o Solr e como ele veio complementar as funcionali- estados, mostrando a adição e consulta da informação no índice. Falaremos também sobre a ferramenta lukeall, um bom utilitário para trabalharmos com os índices. 35

2 : : : : Lucene O Lucene (http://lucene.apache.org/) é um projeto de busca de texto open-source da Apache, que conta com uma poderosa engine de pesquisa que se utiliza de diversos analisadores (Analyzers) que garantem a relevância do termo que está sendo pesquisado, através de um algoritmo que vai dando pontos (Score) para os e fazer a escolha certa do analisador, para se trabalhar com o Lucene. A implementação default da API, se utiliza de FileSystem para armazenar as informações, mas também existe a possibilidade de utilizarmos o armazenamento em memória. Dentre suas principais características podemos destacar: nhecido como: você quis dizer: ; quisado; formação que está sendo indexada (Score). Esse algoritmo influencia direto na ordenação do retorno de uma pesquisa; nizada como se fosse um índice de um livro, de uma forma que a recuperação dos termos indexados é facilmente retornada; teúdo seja indexado e pesquisado da forma mais eficiente, com opção de usarmos um analisador para cada campo (Field) armazenado. Score O Score é um assunto muito abrangente e extenso para detalharmos neste artigo, mas é muito importante termos a compreensão de como um termo é avaliado dentro do índice. Caso queira se aprofundar um pouco mais no assunto, veja a Classe Similarity no Javadoc do Apache Lucene (http://lucene.apache.org/java/2_4_1/ api/org/apache/lucene/search/similarity.html). Este link estará também nas referências ao final do artigo. Afinal, o Lucene é um Banco de Dados? Se pesquisarmos a definição de banco de dados no site Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/banco_de_dados), podemos afirmar que sim, pois segundo ele Um banco de dados (ou base de dados), é um conjunto de registros dispostos em estrutura regular que possibilita a reorganização dos mesmos e produção de informação. Um banco de dados normalmente agrupa registros utilizáveis para um mesmo fim. Porém ele não é um Banco de Dados Relacional (RDBMS). Podemos definir que o índice Lucene de uma única tabela, na qual não temos como realizar a normalização das informações e sem o suporte para as consultas relacionais (JOINS). Pode parecer estranho se imaginarmos como podemos substituir um banco de dados e utilizarmos o Lucene, pois não conseguiríamos colocar em prática as boas práticas de modelagem de um banco de dados normalizado, para evitarmos a redundância de informação (figura 1). Mas a ideia do Lucene não é essa e sim oferecer uma forma melhor para realizarmos as pesquisas, agregando funcionalidades que seriam bem complexas e nada performáticas para implementarmos utilizando um banco de dados relacional. Como já comentado anteriormente, o Score é o responsável por com um pouco mais de detalhes, alguns dos fatores que influenciam o resultado. Para o Score fazer sentido devemos analisar o resultado de uma pesquisa e não termos isolados, pois é comum vermos que o score de um termo possa ser 0.22 e, a primeira vista, parece ser um valor bem baixo de relevância e importância do conteúdo. Porém ao analisar o mesmo termo em uma busca com mais resultados, percebemos que a faixa de valor atribuída para outros termos respeita um limite e vemos que esse valor não é baixo ou de pouca relevância como pensamos a princípio. A análise de um documento deve sempre ser feita baseada em outros resultados do mesmo índice e sua relevância se faz dentro desse mesmo universo. Conheça alguns dos fatores que influenciam na composição do Score: é encontrado em um campo pesquisado de um documento, maior fica sua pontuação. que o documento aparece no resultado do termo pesquisado. Seria o inverso da frequência do documento, só que ligada diretamente com o score. Resumindo, termos mais raros possuem um score maior. res) do termo indexado que está sendo pesquisado. Exemplo, caso exista uma banda Legião e outra Legião Urbana e a busca for realizada apenas por Legião, o documento que contém apenas o termo Legião receberá uma pontuação maior, pois possui apenas um termo enquanto o outro possui dois. Além de pensarmos que podemos contar apenas com uma tabela, devemos ter conhecimento que não conseguimos atualizar um documento no índice, ou seja, caso precise atualizar, devemos excluir o documento e inserir um novo com a correção. Para Saber Mais Caso você deseje saber um pouco mais sobre como utilizar a API do Apache Lucene direto, sem utilizar o Apache Solr, confira o artigo Introdução ao Apache Lucene publicado na edição número 14. O artigo contém um ótimo conteúdo abrangendo assuntos não relatados aqui, como, por exemplo, os Analysers, entre outros. 36

3 A nossa proposta neste artigo não é explicarmos o Apache Lucene, e sim conhecermos e entendermos as funcionalidades que o Solr vai agregar, mesmo porque podemos conferir um ótimo artigo na MundoJ sobre o Lucene, na edição de número 14. Agora que conhecemos o básico sobre o Apache Lucene, vamos falar sobre o Solr. Solr O Solr é um servidor autônomo de pesquisa que roda dentro de um Web Container como o Tomcat, Jetty, dentre outros, que usa o Apache Lucene como seu núcleo de pesquisas. O artigo começa falando do Lucene, pois os dois são facilmente confundidos, porém já sabemos qual a real função de ambos. O Solr veio para complementar e agregar diversas funcionalidades, como trabalharmos com buscas distribuídas, replicações dos índices, clusterização, integração com banco de dados etc. Essa quantidade de novos recursos faz com que o Solr seja altamente escalável, garantindo todos os principais requisitos que são utilizados nos maiores sites de buscas do mundo, fazendo com que empresas poderosa engine de busca. Confira mais clientes que aderiram à utilização através do link Junto dessas funcionalidades essenciais para se trabalhar em um ambiente escalável, podemos destacar também: documentos; o schema do índice, realizar pesquisas, fazer uma análise de desempenho dos termos, dentre outras funções; gráfica do termo pesquisado. O famoso você quis dizer. Outras linguagens Como o Solr trabalha com requisições HTTP com respostas em XML/Json, ele é facilmente integrado com qualquer outra linguagem como Python,.Net, Ruby, PHP, Perl etc. Instalando e configurando o Solr Depois de conhecermos a API, vamos ao que realmente interessa. Siga os passos abaixo para fazer o download do Solr. No momento da escrita deste artigo, a versão disponível era a 1.4.0, cujo download possui 59Mb. 1- No site do Solr, na página principal, clique no link Downlo- para a página de escolha de Mirrors. Após clicar em um deles, entre no diretório 1.4.0/ e baixe o arquivo apache-solr (zip ou tgz) ou equivalente. 2- Extraia o conteúdo do pacote em um diretório de sua preferência. Conhecendo o conteúdo do arquivo baixado Dentro do arquivo baixado temos tudo o que precisamos para usar o Solr e suas funcionalidades. Conheça as pastas mais importantes nesse nosso início de aprendizado: ver, no caso apache-solr war. Com ele, pode-se publicar em algum container de sua preferência; Solr off-line. Uma ótima fonte para tirarmos eventuais dúvidas; nalidades encontradas nesse diretório; como Apache Commons e Stax para processameno de XML. Dentro do diretório extraído, vamos focar no diretório example. DE_INSTALACAO/apache-solr-1.4.0/example e nele execute o seguinte comando: java -jar start.jar Isso vai fazer com que o Solr seja iniciado utilizando o servidor Jetty, previamente configurado. Percebemos no log que são carregados e configurados diversos Handlers e componentes para as mais diversas funções, que estão configurados no seu arquivo de configuração. Se a última linha do seu console for algo parecido com Started :8983, é só você abrir o seu navegador e digitar e conferir se você visualiza a página de boas-vindas (figura 2). Figura 2. Página de Saudação do Solr. Na página existe um link para o painel administrativo, porém vamos discutir sobre ele em detalhes em um tópico mais a frente. Configuração do Jetty O arquivo de configuração do container está em localizado em / DIRETORIO_DE_INSTALACAO/solr/apache-solr-1.4.0/example/ etc/jetty.xml, caso precisem realizar alguma modificação ou personalização. Basta alterar e reiniciar o server. Criando um índice Um ponto que facilitou muito a utilização do índice e que o Solr agregou, foi a opção de configurá-lo através de um arquivo XML. O arquivo que contém a configuração do índice no Solr é o schema.xml, localizado em /DIRETORIO_DE_INSTALACAO/ começarmos a fazer nosso índice de CEPs. O arquivo schema.xml é muito grande para colocarmos na íntegra neste artigo, por isso vou destacar apenas a parte responsável pelo índice que é o nó fields do schema, que está localizado aproximadamente na linha 399. Por padrão, vem um índice de produtos configurados, como podemos conferir na Listagem 1. Diferentemente do Lucene, vemos que no índice Solr podemos atribuir o tipo de cada campo como string, float, boolean, date e inclusive podemos personalizar formatos como o text, textgen, 37

4 : : : : 38 texttight, os quais estão declarados através do nó xml fieldtype. O fieldtype é composto por um ou mais analyzers nos quais, além de informar o seu tokenizador, definimos todos os filtros para pesquisa e indexação que devem ser utilizados apenas naquele campo. Podemos definir formas diferentes para realizarmos a indexação e pesquisa do conteúdo, porém não é muito usual esse tipo de procedimento, pois quando o conteúdo é indexado ele aplica os filtros para analisar o conteúdo e atribuir o score, quando pesquisamos utilizando outro tipo de filtro, acabamos perdendo Listagem 1. Índice de produtos padrão. <fields> <field name= id type= string indexed= true stored= true required= true /> <field name= sku type= texttight indexed= true stored= true omitnorms= true /> <field name= name type= textgen indexed= true <field name= alphanamesort type= alphaonlysort indexed= true stored= false /> <field name= manu type= textgen indexed= true stored= true omitnorms= true /> <field name= cat type= text_ws indexed= true stored= true multivalued= true omitnorms= true /> <field name= features type= text indexed= true stored= true <field name= includes type= text indexed= true stored= true termvectors= true termpositions= true termoffsets= true /> <field name= weight type= float indexed= true <field name= price type= float indexed= true <field name= popularity type= int indexed= true stored= true /> <field name= instock type= boolean indexed= true stored= true /> <field name= title type= text indexed= true stored= true <field name= subject type= text indexed= true <field name= description type= text indexed= true <field name= comments type= text indexed= true <field name= author type= textgen indexed= true <field name= keywords type= textgen indexed= true <field name= category type= textgen indexed= true <field name= content_type type= string indexed= true stored= true <field name= last_modified type= date indexed= true <field name= links type= string indexed= true stored= true <field name= text type= text indexed= true stored= false <field name= text_rev type= text_rev indexed= true stored= false <field name= manu_exact type= string indexed= true stored= false /> <field name= payloads type= payloads indexed= true <field name= timestamp type= date indexed= true stored= true default= NOW multivalued= false /> </fields> Analise antes de criar O principal segredo da construção e utilização de um índice é saber estruturá-lo fazendo uma boa análise de como o conteúdo deve ser armazenado e pesquisado. Listagem 2. Índice de CEP. <fields> <field name= id type= string indexed= true stored= true required= true /> <field name= cep type= string indexed= true <field name= logradouro type= text indexed= true <field name= bairro type= string indexed= false <field name= localidade type= text indexed= false <field name= uf type= string indexed= true </fields> Agora já que alteramos a estrutura do nosso índice, devemos informar no schema qual o campo de pesquisa padrão do Solr. Listagem 3. Alteração do campo default de pesquisa. <defaultsearchfield>logradouro</defaultsearchfield> zenamento de todas informações, porém podemos apenas pesquisar nos fields cep, logradouro e uf, sendo que o id é a nossa chave primária do documento e o logradouro o campo default de pesquisa não é informado! Com isso, terminamos nossa alteração na estruturação de um novo índice. Caso queira alterar o campo ou o nome da chave primá- ria, devemos alterar o nome dentro da tag <uniquekey>, informando o nome da nova chave. Com isso, agora é só restartarmos o servidor e conferir se não ocorreu nenhuma exception no log do console. Manipulando os documentos Como comentei no começo do artigo, a interface para manipulação dos documentos são em XML, então vamos construir alguns XMLs para adicionarmos no nosso índice. Crie um diretório ceps dentro de /DIRETORIO_DE_INSTALACAO/apache-solr-1.4.0/ example e copie o post.jar dentro do diretório exampledocs para dentro do diretório criado. Já no diretório de ceps, crie os arquivo post1.xml, post2.xml e post3.xml com os respectivos conteúdos. Listagem 4. Conteúdo do arquivo post1.xml. <add> <field name= id >0001</field> <field name= cep > </field> <field name= logradouro >Avenida Cachoeira Paulista</field> <field name= bairro >Cidade Patriarca</field> <field name= localidade >São Paulo</field> <field name= uf >SP</field> </add>

5 Listagem 5. Conteúdo do arquivo post2.xml. <add> <field name= id >0002</field> <field name= cep > </field> <field name= logradouro >Avenida Paulista</field> <field name= bairro >Bela Vista</field> <field name= localidade >São Paulo</field> <field name= uf >SP</field> </add> Listagem 6. Conteúdo do arquivo post3.xml. <add> <field name= id >0003</field> <field name= cep > </field> <field name= logradouro >Rua Projetada B</field> <field name= bairro >Santa Cruz</field> <field name= localidade >Rio de Janeiro</field> <field name= uf >RJ</field> </add> Após a criação dos arquivos, nosso diretório deve estar igual a figura 3. Listagem 7. Resposta exibida no log. SimplePostTool: version 1.2 SimplePostTool: WARNING: Make sure your XML documents are encoded in UTF-8, other encodings are not currently supported SimplePostTool: POSTing files to SimplePostTool: POSTing file post1.xml SimplePostTool: POSTing file post2.xml SimplePostTool: POSTing file post3.xml SimplePostTool: COMMITting Solr index changes.. Antes de iniciar a adição dos conteúdos, o Solr executa uma requisição de update e logo após postar os conteúdos, ele se encarrega de realizar o commit das informações no índice. A parte do commit funciona como utilizamos nos banco de dados tradicionais. Para executar uma ação de update, devemos repetir os mesmos passos que fizemos para adicionar um documento. O Solr sempre insere o documento quando realizamos a indexação, ou seja, caso ele não exista no índice, o documento é incluído e caso exista, o documento é atualizado. Essa configuração é default, e pode ser alterada no xml de configuração (solrconfig.xml). Para realizarmos a deleção de um documento, devemos criar um XML e podemos informar qual é a uniquekey (chave única) que deve ser excluída ou uma query, como podemos ver nas Listagens 8 e 11, respectivamente: Listagem 8. Exclusão de documento no índice por uniquekey. <delete><id>0123</id></delete> Listagem 9. Exclusão de documento no índice por query. <delete><query>uf:mg</query></delete> Painel administrativo Figura 3. Diretório com os posts. Agora com o servidor startado, vamos executar as adições dos conteúdos. No diretório de ceps execute o comando: java -jar post.jar *.xml Se não ocorreu nada errado, veremos como resposta da execução do nosso comando a listagem de posts que foram realizados no Solr Server. A resposta deve ser parecida com: Agora que já conhecemos um pouco sobre a forma em que o Solr trabalha e sua configuração, vamos conhecer o seu painel administrativo. A primeira coisa que pensamos quando imaginamos um painel administrativo, seria uma interface onde podemos realizar as alterações e configurações que desejamos, porém o painel administrativo que é disponibilizado, funciona mais como uma interface para consulta e análise do índice. Ele não possui funcionalidades para realizarmos as alterações diretamente no admin, em compensação, conseguimos conhecer e saber muitos detalhes do índice, servidor, realizar consultas, entre outras. Admin(Home) porta no qual o servidor está usando. logo a frente no SolrHome, o nome do contexto, no caso solr/. que configuramos no início do artigo. 39

6 : : : : arquivo de configuração do Solr. cachê, entre outros. nos do Solr. Esse tipo de informação não nos interessa muito. os índices, quando configurado. Como o foco artigo não se estende a parte de clusterização, não vamos nos aprofundar nessa sessão. solicitações. É muito utilizado para configurarmos alertas de infraestrutura. do Solr em tempo de execução. Como estamos usando o startup (Jetty) que veio junto com o pacote, vemos a saída direto no console apenas. acessar uma pesquisa mais detalhada através do link full interface. projeto (documentation), as solicitações de correções de eventuais bugs da aplicação (issue tracker), enviar um para a equipe de desenvolvimento (send mail) e o link para a página com a sintaxe para construirmos as queries (Solr query sintaxe). Conseguimos saber também a data em que o server foi iniciado. Através do Schema Browser, podemos conhecer como nossos termos (palavras) foram indexadas no índice e acompanhar a frequência dos principais termos, separados pelos fieds. Isso é muito importante para sabermos se indexamos de maneira correta a nossa informação. A figura 5 exibe o conteúdo do field logradouro. Query (Pesquisas) A composição das querys para elaborarmos nossas pesquisas é um pouco diferente do que conhecemos nos tradicionais banco de dados transacionais. Conheça agora as principais sintaxes para construirmos nossas querys, através da tabela 1. Query SQL cep= cep in (xx, yy) cep <> xx logradouro like '%xxx%' AND OR Query Solr +cep: +cep:() -cep: +logradouro: AND OR Podemos ver que não é nenhum bicho de sete cabeças a sintaxe para realizarmos as consultas. As mudanças que vemos são na forma de utilizarmos o like, o in e <> (diferente). Agora que já criamos nosso índice, indexamos o conteúdo e conhecemos o administrativo, vamos finalmente testar nossas pesquisas. Syntax de Consulta Listagem 10. Pesquisa por CEP. Schema Browser Figura 4. Home do Painel administrativo. <response> <lst name= responseheader > <int name= status >0</int> <int name= QTime >0</int> <lst name= params > <str name= indent >on</str> <str name= rows >10</str> <str name= start >0</str> <str name= q >cep: </str> <str name= version >2.2</str> <result name= response numfound= 1 start= 0 > <str name= bairro >Cidade Patriarca</str> <str name= cep > </str> <str name= id >0001</str> <str name= logradouro >Avenida Cachoeira Paulista</str> </result> </response> Para saber e conhecer as outras opções de consulta, acesse os links Lucene Query Parser Syntax e Solr Query Syntax que estão 40

7 listados nas referências do artigo. Primeiramente, vamos pesquisar por um determinado cep específico, no caso o No Query String disponível no admin, realize a seguinte query: cep: Ao executarmos devemos ter o mesmo resultado da Listagem 10. Na resposta do XML, vamos dividir em dois principais elementos, o header de resposta (responseheader) e o resultado (result). Dentro do nó de parâmetros (params) disponível no header, vemos os parâmetros utilizados para consulta e paginação: O nó de resultado (result) retorna a resposta da pesquisa, com a quantidade de documentos que foram retornados (numfound), endereços cujo o estado seja SP. No Query String disponível no admin, realize a seguinte query uf:sp. Ao executarmos, confira se o resultado é o mesmo da Listagem 11. Listagem 11. Pesquisa por estado. <response> <lst name= responseheader > <int name= status >0</int> <int name= QTime >0</int> <lst name= params > <str name= indent >on</str> <str name= rows >10</str> <str name= start >0</str> <str name= q >uf:sp</str> <str name= version >2.2</str> <result name= response numfound= 2 start= 0 > <str name= bairro >Cidade Patriarca</str> <str name= cep > </str> <str name= id >0001</str> <str name= logradouro >Avenida Cachoeira Paulista</str> <str name= bairro >Bela Vista</str> <str name= cep > </str> <str name= id >0002</str> <str name= logradouro >Avenida Paulista</str> </result> E, por último, vamos fazer um teste pesquisando todos os "estados" de São Paulo (SP) onde o logradouro contenha a palavra Cachoeira. Execute a seguinte query uf:sp +logradouro:cachoeira e confira se o resultado é o mesmo da Listagem 12. Listagem 12. Pesquisa composta. <response> <lst name= responseheader > <int name= status >0</int> <int name= QTime >1</int> <lst name= params > <str name= indent >on</str> <str name= rows >10</str> <str name= start >0</str> <str name= q >uf:sp +logradouro:cachoeira</str> <str name= version >2.2</str> <result name= response numfound= 1 start= 0 > <str name= bairro >Cidade Patriarca</str> <str name= cep > </str> <str name= id >0001</str> <str name= logradouro >Avenida Cachoeira Paulista</str> </result> </response> Agora que já conhecemos como realizar as pesquisas, só precisamos montar nossas novas consultas e desfrutarmos do Solr. Não podemos esquecer que só conseguimos pesquisar os campos que configuramos como indexados (indexed="true") no schema do índice, ou seja, se tentarmos pesquisar por localidade ou bairro, não vamos obter retorno por mais que exista a informação armazenada. Se precisar alterar essa configuração, o índice precisa ser gerado novamente! Considerações finais porém é necessário saber como a informação deve ser armazenada para modelarmos o índice. Por ser um assunto muito amplo, procurei explicar de uma maneira bem sucinta essa poderosa API, não aprofundando muito em termos de extrema importância como os Filtros, a própria configuração do schema, otimizações, pesquisas etc. Apresentaremos nos próximos artigos como utilizar Referências Similarity.html syntax.html 41

Pesquisa em banco de dados relacional utilizando REST com Apache Solr

Pesquisa em banco de dados relacional utilizando REST com Apache Solr rest_ Pesquisa em banco de dados relacional utilizando REST com Apache Solr Utilize o Data Import Handler do Apache Solr para indexar seus dados relacionais em um servidor de busca com acesso por meio

Leia mais

Documentação SEO EXPERT

Documentação SEO EXPERT Documentação SEO EXPERT O módulo SEO Expert ajuda você a rapidamente: Criar e personalizar URLs amigáveis Inserir metatags para páginas de produtos, posts do Facebook e cartões de Twitter em sua loja Este

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 Continuando nossa saga pelas ferramentas do Visual FoxPro 8.0, hoje vamos conhecer mais algumas. A Ferramenta Class Designer A Class Designer é a ferramenta

Leia mais

Este tutorial está publicado originalmente em http://www.baboo.com.br/absolutenm/anmviewer.asp?a=30484&z=300

Este tutorial está publicado originalmente em http://www.baboo.com.br/absolutenm/anmviewer.asp?a=30484&z=300 WinZip: Conheça a fundo um dos utilitários mais famosos da Internet Introdução: A Internet se tornou realmente popular apenas graças à diminuição de preço da banda larga. Mas mesmo na época em que a melhor

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

2 Requisitos Mínimos... 2. 1 Visão Geral 2 Instalando o SDK... da Sun 3 Instalando o Tomcat... do Apache Jakarta Project 4 Instalando o WebIntegrator

2 Requisitos Mínimos... 2. 1 Visão Geral 2 Instalando o SDK... da Sun 3 Instalando o Tomcat... do Apache Jakarta Project 4 Instalando o WebIntegrator Conteúdo I Conteúdo Part I Introdução 2 1 Apresentação... 2 2 Requisitos Mínimos... 2 Part II Instruções de Instalação 2 1 Visão Geral... 2 2 Instalando o SDK... da Sun 2 3 Instalando o Tomcat... do Apache

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec Guia de Consulta Rápida PHP com XML Juliano Niederauer Terceira Edição Novatec Copyright 2002 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes 01 - Apresentação do SiteMaster - News Edition O SiteMaster foi desenvolvido para ser um sistema simples de gerenciamento de notícias, instalado em seu próprio computador e com configuração simplificada,

Leia mais

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal.

A barra de menu a direita possibilita efetuar login/logout do sistema e também voltar para a página principal. MANUAL DO SISCOOP Sumário 1 Menu de Navegação... 3 2 Gerenciar País... 5 3- Gerenciamento de Registro... 8 3.1 Adicionar um registro... 8 3.2 Editar um registro... 10 3.3 Excluir um registro... 11 3.4

Leia mais

PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO PINHÃO PARANÁ MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO CVS NO ECLIPSE

PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO PINHÃO PARANÁ MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO CVS NO ECLIPSE PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO PINHÃO PARANÁ MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO CVS NO ECLIPSE Agosto 2007 Sumário de Informações do Documento Tipo do Documento: Manual Título do Documento: MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO

Leia mais

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5.

Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Esse manual é um conjunto de perguntas e respostas para usuários(as) do Joomla! 1.5. Ele considera que você já tem o Joomla! instalado no seu computador. Caso você queira utilizá lo em um servidor na web,

Leia mais

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo / Mauricio G. F. Nascimento. Editora Novatec

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo / Mauricio G. F. Nascimento. Editora Novatec Introdução Como a idéia deste livro é ir direto ao ponto, vou fazer isso já na introdução. A idéia desse livro não é explicar a teoria e filosofia do PHP, da orientação a objetos, as maravilhas dos design

Leia mais

M Manual ZAIG P. 1 of 35. Project: ZAIG ID: 028 Description: Manual descritivo de utilização das principais janelas do publicador

M Manual ZAIG P. 1 of 35. Project: ZAIG ID: 028 Description: Manual descritivo de utilização das principais janelas do publicador M Manual ZAIG P. 1 of 35 Project: ZAIG ID: 028 Description: Manual descritivo de utilização das principais janelas do publicador Date: Version: Author: terça-feira, 13 de abril de 2010 2 Richard Ikeda

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas LEDS/UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP GUIA DE INSTALAÇÃO Plataforma Windows Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO

SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO Versão: BETA Última atualização: 24/06/2012 Índice O sistema de banco de imagens 03 Pesquisa de fotos 04 Pautas e eventos 08 Cadastro de fotos 09 Edição e indexação

Leia mais

MANUAL COMPLEMENTAR PARA INSTALAÇÃO DOS SISTEMAS SIM E SINASC EM AMBIENTES COM WINDOWS 7 (32 BITS)

MANUAL COMPLEMENTAR PARA INSTALAÇÃO DOS SISTEMAS SIM E SINASC EM AMBIENTES COM WINDOWS 7 (32 BITS) MANUAL COMPLEMENTAR PARA INSTALAÇÃO DOS SISTEMAS SIM E SINASC EM AMBIENTES COM WINDOWS 7 (32 BITS) Introduçã o Este documento tem como objetivo auxiliar o processo de instalação da versão Local dos Sistemas

Leia mais

MANUAL COMPLEMENTAR PARA INSTALAÇÃO DOS SISTEMAS SIM E SINASC EM AMBIENTES COM WINDOWS

MANUAL COMPLEMENTAR PARA INSTALAÇÃO DOS SISTEMAS SIM E SINASC EM AMBIENTES COM WINDOWS MANUAL COMPLEMENTAR PARA INSTALAÇÃO DOS SISTEMAS SIM E SINASC EM AMBIENTES COM WINDOWS Introduçã o Este documento tem como objetivo auxiliar o processo de instalação da versão Local dos Sistemas SIM e

Leia mais

Manual WordPress. Conteúdo Índice. Capítulo 1 Introdução. Capítulo 2 Conceitos básicos do Painel. Capítulo 3 Gerenciamento de Posts ( Artigos)

Manual WordPress. Conteúdo Índice. Capítulo 1 Introdução. Capítulo 2 Conceitos básicos do Painel. Capítulo 3 Gerenciamento de Posts ( Artigos) Manual WordPress Conteúdo Índice Capítulo 1 Introdução Sobre o WordPress Características principais Capítulo 2 Conceitos básicos do Painel Logando no Painel de Controle Alterando Usuário e Senha Painel

Leia mais

Tolerância a Falhas em sistemas distribuídos (programação)

Tolerância a Falhas em sistemas distribuídos (programação) Tolerância a Falhas em sistemas distribuídos (programação) Arthur Zavattieri Cano Lopes Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Maio de 2009. Resumo

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Manual de Instalação GBS-EGIS

Manual de Instalação GBS-EGIS INDÍCE Capítulo Página Microsoft SQL Server 2000 03 Instalação EGIS - SERVIDOR 04 Instalação EGIS - CLIENT 20 Acessando e Configurando o Sistema 24 Instalação do Cliente do MS SQL Server 2000 25 Configurações

Leia mais

Manual de Boas Maneiras no E-mail Marketing

Manual de Boas Maneiras no E-mail Marketing Manual de Boas Maneiras no E-mail Marketing Conheça alguns cuidados que você precisa ter quando elaborar suas campanhas de e- mail marketing. A MailSender elaborou para você um breve manual com as melhores

Leia mais

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Tecgraf/PUC Rio infogrid@tecgraf.puc rio.br 1.Introdução O objetivo deste documento é podermos registrar em um único local todas as informações necessárias

Leia mais

Banco de Dados Oracle 10g

Banco de Dados Oracle 10g 2010 Banco de Dados II Líder: George Petz... 19 Bruno Aparecido Pereira... 07 Gustavo da Silva Oliveira... 24 Luis Felipe Martins Alarcon... 32 Rubens Gondek... 41 Professor: Gilberto Braga de Oliveira

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

Guia de conceitos básicos API Version 2010-01-01

Guia de conceitos básicos API Version 2010-01-01 : Guia de conceitos básicos Copyright 2011 Amazon Web Services LLC ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Conceitos básicos do Amazon RDS... 1 Cadastre-se no Amazon RDS... 2 Inicie uma instância

Leia mais

Como criar e editar Blogs. Manual Básico do. Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz

Como criar e editar Blogs. Manual Básico do. Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz Como criar e editar Blogs Manual Básico do Mario Roberto Barro Jerino Queiroz Ferreira Profª Drª Salete Linhares Queiroz São Carlos Setembro / 2008 Sumário Introdução...3 Criando um Blog no Edublogs...4

Leia mais

Arquivos de Instalação... 4. Instalação JDK... 7. Instalação Apache Tomcat... 8. Configurando Tomcat... 9

Arquivos de Instalação... 4. Instalação JDK... 7. Instalação Apache Tomcat... 8. Configurando Tomcat... 9 Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Mostraremos neste artigo um exemplo de como realizar o cadastro de uma Issue em um projeto existente no portal Java.net.

Mostraremos neste artigo um exemplo de como realizar o cadastro de uma Issue em um projeto existente no portal Java.net. Introdução Página 1 de 7 Mostraremos neste artigo um exemplo de como realizar o cadastro de uma Issue em um projeto existente no portal Java.net. Para iniciar este trabalho, estou considerando que você

Leia mais

AISE - Administração Integrada de Sistemas Elotech. MANUAL AISE RECURSOS HUMANOS: Módulo Portal RH Web

AISE - Administração Integrada de Sistemas Elotech. MANUAL AISE RECURSOS HUMANOS: Módulo Portal RH Web AISE - Administração Integrada de Sistemas Elotech. MANUAL AISE RECURSOS HUMANOS: Módulo Portal RH Web Maringá - Paraná Outubro / 2014 AISE - Administração Integrada de Sistemas Elotech. MANUAL AISE RECURSOS

Leia mais

Sistema de Informação de Nascidos Vivos. Ajuda do sistema Agosto/2009 Versão 2.1

Sistema de Informação de Nascidos Vivos. Ajuda do sistema Agosto/2009 Versão 2.1 Sistema de Informação de Nascidos Vivos Agosto/2009 Versão 2.1 Conteúdo Sistema de Informação de Nascidos Vivos... 1 1 - Acesso ao sistema... 4 2 - Configuração da data do sistema... 5 3 - Barra de ferramentas...

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

Manual de Instalação do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito. Hábil Enterprise NFC-e Gratuito 2013-2015 by Koinonia Software Ltda.

Manual de Instalação do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito. Hábil Enterprise NFC-e Gratuito 2013-2015 by Koinonia Software Ltda. Manual de Instalação do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito Hábil Enterprise NFC-e Gratuito 2013-2015 by Ltda. (0xx46) 3225-6234 I Manual de Instalação Índice Cap. I 1 1 1 As orientações abaixo devem ser utilizadas

Leia mais

Facebook Analytics: Como mensurar e otimizar a presença da sua empresa no Facebook

Facebook Analytics: Como mensurar e otimizar a presença da sua empresa no Facebook Marketing Digital de resultado para Médias e Pequenas Empresas Facebook Analytics: Como mensurar e otimizar a presença da sua empresa no Facebook Ferramentas e experimentos para conseguir melhores resultados

Leia mais

Capture Pro Software. Introdução. A-61640_pt-br

Capture Pro Software. Introdução. A-61640_pt-br Capture Pro Software Introdução A-61640_pt-br Introdução ao Kodak Capture Pro Software e Capture Pro Limited Edition Instalando o software: Kodak Capture Pro Software e Network Edition... 1 Instalando

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando nossas aulas sobre

Leia mais

ModusOne. ModusOne Client. Version: 5.2

ModusOne. ModusOne Client. Version: 5.2 ModusOne ModusOne Client Version: 5.2 Written by: Product Documentation, R&D Date: February 2013 2012 Perceptive Software. All rights reserved ModusOne é uma marca registrada da Lexmark International Technology

Leia mais

WebMail --------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Manual do cliente

WebMail --------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Manual do cliente WebMail --------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Manual do cliente www.plugin.com.br 1 ÍNDICE Prefácio...3 Sobre Este Manual... 3

Leia mais

WEB OF KNOWLEDGE NOTAS DA VERSÃO v5.11

WEB OF KNOWLEDGE NOTAS DA VERSÃO v5.11 WEB OF KNOWLEDGE NOTAS DA VERSÃO v5.11 Os recursos a seguir são planejados para a Web of Knowledge em 28 de julho de 2013. Este documento fornece informações sobre cada um dos recursos incluídos nessa

Leia mais

Manual da Ferramenta Metadata Editor

Manual da Ferramenta Metadata Editor 4 de março de 2010 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Visão Geral 3 3.1 Instalação............................. 3 3.2 Legenda.............................. 4 3.3 Configuração Inicial........................

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Integrando Eclipse e Websphere Application Server Community Edition

Integrando Eclipse e Websphere Application Server Community Edition 1 Integrando Eclipse e Websphere Application Server Community Edition Sobre o Autor Carlos Eduardo G. Tosin (carlos@tosin.com.br) é formado em Ciência da Computação pela PUC-PR, pós-graduado em Desenvolvimento

Leia mais

PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7

PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 Sobre o PostGIS PostGIS é um Add-on (complemento, extensão)

Leia mais

The VISGRAF Video Database Rafaella Gappo Luiz Velho (orientador) Technical Report TR-2009-04 Relatório Técnico. August - 2009 - Agosto

The VISGRAF Video Database Rafaella Gappo Luiz Velho (orientador) Technical Report TR-2009-04 Relatório Técnico. August - 2009 - Agosto Laboratório VISGRAF Instituto de Matemática Pura e Aplicada The VISGRAF Video Database Rafaella Gappo Luiz Velho (orientador) Technical Report TR-2009-04 Relatório Técnico August - 2009 - Agosto The contents

Leia mais

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013)

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013) FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 () 1 Sumário: PROCEDIMENTOS PARA ATUALIZAÇÃO VERSÃO 5.8... 4 ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA VIA CD... 6 1º Passo Atualizações e Alterações da Versão 5.8...

Leia mais

Serviço técnico de Biblioteca e documentação BIBLIOTECA PROF. PAULO DE CARVALHO MATTOS P@RTHENON

Serviço técnico de Biblioteca e documentação BIBLIOTECA PROF. PAULO DE CARVALHO MATTOS P@RTHENON Serviço técnico de Biblioteca e documentação BIBLIOTECA PROF. PAULO DE CARVALHO MATTOS P@RTHENON Botucatu 2013 NOVA FERRAMENTA DE BUSCA INTEGRADA: P@RTHENON 1. Para acessar o P@rthenon: Há três possibilidades

Leia mais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Será utilizado o seguinte critério: Atende / Não atende (Atende em parte será considerado Não atende) Item Itens a serem avaliados conforme

Leia mais

Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0

Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0 Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0 Guia O que é o Anti-Spyware Enterprise Module? O McAfee Anti-Spyware Enterprise Module complementa o VirusScan Enterprise 8.0i para ampliar sua capacidade

Leia mais

Instalando o WordPress em localhost

Instalando o WordPress em localhost Instalando o WordPress em localhost WordPress sem Mistério LEE ARAUJO htto://wordpresssemmisterio.com.br Sumário Instalando o WordPress em Localhost... 2 O Servidor web... 3 Iniciando o servidor... 6 Criação

Leia mais

www.coldfusionbrasil.com.br

www.coldfusionbrasil.com.br www.coldfusionbrasil.com.br 2000 1 O que é Cold Fusion? 3 Arquitetura Cold Fusion 3 Cold Fusion Markup Language (CFML) 4 O que devo saber para programar em CFML? 4 HTML 4 Desenho de Banco de Dados Relacionais

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM Manual DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRGTI 2015 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessando o serviço...

Leia mais

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Atenção: Este é o rascunho inicial deste documento, visite o Maker Planet.COM (HTTP://www.makerplanet.com/) para obter as atualizações deste documento.

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO VERSÃO 2014 Fevereiro de 2014 SIGFIS-Sistema Integrado

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

Capítulo 1 Conceito Básico

Capítulo 1 Conceito Básico Capítulo 1 Conceito Básico O Forzip é um software de gerenciamento de produção de cartões de identificação, desde pequenas quantidades até volumes industriais, que vem sendo aprimorado constantemente com

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Apresento neste artigo como criar uma aplicação web totalmente orientada a objetos usando o framework NHibernate e a linguagem C#. Nossa meta é construir

Leia mais

6 Aplicações Ricas para Internet

6 Aplicações Ricas para Internet 6 Aplicações Ricas para Internet DESENVOLVIMENTO WEB II - 7136 6.1. Evolução das aplicações para web O crescente número de pessoas que usufruem da informatização das tarefas cotidianas, viabilizadas na

Leia mais

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL Deinf/Dine4 Versão 1.3 20/05/2013 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/11/2007 1.0 Elaboração da primeira versão

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas

Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas 1 de 5 21-08-2011 22:15 Lição 1 - Criação de campos calculados em consultas Adição de Colunas com Valores Calculados: Vamos, inicialmente, relembrar, rapidamente alguns conceitos básicos sobre Consultas

Leia mais

Instalando servidor Apache com MySQL e as linguagens ColdFusion e PHP. XAMPP 1.6.7 (xampp-win32-1.6.7-installer.exe), veja aqui.

Instalando servidor Apache com MySQL e as linguagens ColdFusion e PHP. XAMPP 1.6.7 (xampp-win32-1.6.7-installer.exe), veja aqui. Instalando servidor Apache com MySQL e as linguagens ColdFusion e PHP. Escrito por Marcio Nakano (marcionakano.com.br) Data: 29/09/2008 Disponível em http:///blog/post/instalando-apache-mysql-coldfusionphp.pdf

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 1 CDI - Curso de Webdesign - Prof. Paulo Trentin Objetivos para esta aula Debater sobre

Leia mais

Parte I. Demoiselle Mail

Parte I. Demoiselle Mail Parte I. Demoiselle Mail Para o envio e recebimento de e-s em aplicativos Java, a solução mais natural é usar a API JavaMail [http:// www.oracle.com/technetwork/java/java/index.html]. Ela provê um framework

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Alunos: Alessandro Aparecido André Alexandre Bruno Santiago Thiago Castilho

Leia mais

Configurando opções do servidor de páginas e do servidor ftp.

Configurando opções do servidor de páginas e do servidor ftp. Configurando opções do servidor de páginas e do servidor ftp. Após ter criado um diretório virtual, quer seja de http ou de ftp, você pode configurar uma série de opções para este diretório. As configurações

Leia mais

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário BlackBerry Desktop Software Versão: 7.1 Guia do usuário Publicado: 2012-06-05 SWD-20120605130141061 Conteúdo Aspectos básicos... 7 Sobre o BlackBerry Desktop Software... 7 Configurar seu smartphone com

Leia mais

Nome N Série: Ferramentas

Nome N Série: Ferramentas Nome N Série: Ferramentas Competências: Identificar e utilizar técnicas de modelagem de dados; Habilidades: Utilizar ferramentas de apoio ao desenvolvimento de software; Bases Tecnológicas: Metodologias

Leia mais

Manual Ilha Web Imóveis. Sistema para Imobiliárias e Corretores. Ilha Web Internet Ltda.

Manual Ilha Web Imóveis. Sistema para Imobiliárias e Corretores. Ilha Web Internet Ltda. Manual Ilha Web Imóveis Sistema para Imobiliárias e Corretores Ilha Web Internet Ltda. Sumário 1 REQUISITOS DO SERVIDOR...3 2 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO...4 2.1 CRIE UMA BASE DE DADOS...4 2.2 MODIFIQUE O

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

KalumaFin. Manual do Usuário

KalumaFin. Manual do Usuário KalumaFin Manual do Usuário Sumário 1. DICIONÁRIO... 4 1.1 ÍCONES... Erro! Indicador não definido. 1.2 DEFINIÇÕES... 5 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 7 3. ACESSAR O SISTEMA... 8 4. PRINCIPAL... 9 4.1 MENU

Leia mais

Construindo Aplicações Web com. PHPe MySQL. André Milani. Novatec

Construindo Aplicações Web com. PHPe MySQL. André Milani. Novatec Construindo Aplicações Web com PHPe MySQL André Milani Novatec Capítulo 1 Bem-vindo ao PHP Seja bem-vindo ao PHP! O primeiro capítulo deste livro aborda como obter, instalar e configurar corretamente o

Leia mais

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X A primeira coisa a analisarmos é onde ficará posicionado o servidor de Raio-x na rede do cliente, abaixo será colocado três situações básicas e comuns

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senac (Pelotas) Análise e desenvolvimento de Sistemas Sistemas de Informação

Faculdade de Tecnologia Senac (Pelotas) Análise e desenvolvimento de Sistemas Sistemas de Informação Faculdade de Tecnologia Senac (Pelotas) Análise e desenvolvimento de Sistemas Sistemas de Informação Investigando Sistemas de Informação PHP-Nuke Maxwell Rodrigues Laner Sumário 1. Introdução...3 2. 1

Leia mais

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.

1. ACESSO AO SISTEMA. LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com. Manual de uso 1. ACESSO AO SISTEMA LOGIN E SENHA Para ter acesso ao painel administrativo de seu site, acesse o link: http://atualiza.urldosite.com.br Após acessar o link acima, favor digitar seu LOGIN

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Google Sites. A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1

Google Sites. A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1 Google Sites A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1 1. Google Sites A Google veio anunciar que, para melhorar as funcionalidades centrais do Grupos Google, como listas de discussão

Leia mais

Conceitos básicos do Painel

Conceitos básicos do Painel Básico Wordpress Conceitos básicos do Painel Logando no Painel de Controle Para acessar o painel de controle do Wordpress do seu servidor siga o exemplo abaixo: http://www.seusite.com.br/wp-admin Entrando

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

Este tutorial está publicado originalmente em http://www.baboo.com.br/absolutenm/anmviewer.asp?a=30405&z=300

Este tutorial está publicado originalmente em http://www.baboo.com.br/absolutenm/anmviewer.asp?a=30405&z=300 WinRAR: Conheça este excelente compactador de arquivos Introdução: É fato que a Internet está mais rápida com a popularização da banda larga, mas os compactadores de arquivos ainda apresentam muita utilidade

Leia mais

Instalação do VOL Backup para Sistemas Unix-Like

Instalação do VOL Backup para Sistemas Unix-Like Este é o guia de instalação e configuração da ferramenta VOL Backup para Sistemas Unix-Like. Deve ser seguido caso você queira instalar ou reinstalar o VOL Backup em sistemas Linux, Solaris ou BSD. Faça

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation GMP Corporation Gerenciador de Multi-Projetos Manual do Usuário 2000 GMP Corporation Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 24/08/2004 1.0 Versão inicial do documento Bárbara Siqueira Equipe

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO Motor Periférico Versão 8.0 1. Apresentação... 3 2. Instalação do Java... 3 2.1 Download e Instalação... 3 2.2 Verificar Instalação... 3 3. Download do Motor Periférico...

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Extensão PHP para DarumaFrameWork

STK (Start Kit DARUMA) Extensão PHP para DarumaFrameWork STK (Start Kit DARUMA) Extensão PHP para DarumaFrameWork A DarumaFramework está com suas funções nativas ao programador PHP devido a extensão de aplicativo php_darumaframework. Para usar esta extensão,

Leia mais