UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PONTA GROSSA. Ciência para o Desenvolvimento Sustentável.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PONTA GROSSA. Ciência para o Desenvolvimento Sustentável. www.utfpr.edu."

Transcrição

1 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PONTA GROSSA Ciência para o Desenvolvimento Sustentável

2 UTFPR - CAMPUS PONTA GROSSA Conheça a UTFPR e participe da construção contínua da história dessa Instituição! Primeira Universidade Tecnológica do Brasil A UTFPR é uma instituição federal de ensino, que tem evoluído constantemente. Nasceu em 1909 como Escola de Aprendizes Artífices e, depois de algumas transformações, passou a chamar-se Escola Técnica Federal do Paraná, em Desta, passou a Centro Federal de Educação Tecnológica, em 1978, e, finalmente, transformou-se em Universidade Tecnológica Federal do Paraná, em A tradição no ensino, pesquisa e extensão, conquistada devido ao trabalho desenvolvido na Instituição, confere à Universidade status de referência no padrão de qualidade perante o mercado e o meio acadêmico. No Campus Ponta Grossa encontram-se cursos regulares técnicos de nível médio, superiores de graduação bacharelados, engenharias e tecnologias, e os programas de pós-graduação stricto sensu ( 02 mestrados), todos devidamente autorizados e reconhecidos pelo Ministério da Educação MEC, além dos cursos de educação continuada: especializações, cursos de extensão e a formação pedagógica. Mensagem do Diretor-Geral do Campus Ponta Grossa Estimado (a) Leitor (a), Seja muito bem-vindo (a) ao universo das atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas pela nossa admirável comunidade acadêmica. Um dos objetivos desta publicação é mostrar, de forma concisa e agradável, a natureza e as principais características que tornam nossos cursos técnicos, de graduação e de pós-graduação bastante procurados pelos jovens e reconhecidos pela sociedade paranaense e brasileira. A UTFPR acaba de completar 100 anos e, durante este tempo memorável, centenas de milhares de jovens passaram por ela e receberam formação técnica e cidadã da melhor qualidade, que sempre fez a diferença em suas vidas. Venha, você também, fazer parte desta história de sucesso. Traga sua energia e vontade de vencer e tornarse parceiro da primeira Universidade Tecnológica do Brasil, a nossa querida Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Estamos de braços abertos para recebê-lo (la)! Um cordial abraço, Luiz Alberto Pilatti Diretor-Geral do Campus Ponta Grossa O Campus Ponta Grossa foi instalado no antigo Seminário Menor Redentorista, cuja arquitetura original foi mantida, tendo ao centro do bloco principal a capela. Ocupando uma área de 19 mil m 2, aproximadamente, foi instalado oficialmente em dezembro de Hoje, conta com 234 servidores e 2393 estudantes. 2

3 Os Cursos de Educação Profissional Técnica de Nível Médio são aqueles destinados aos alunos que concluíram o Ensino Fundamental. São chamados de Técnicos Integrados de Nível Médio, uma vez que o aluno recebe, num único curso, tanto a formação do Ensino Médio quanto a formação técnica profissional. É um curso com duração de quatro anos e confere ao formado o diploma de Técnico de Nível Médio, garantindolhe o direito de prosseguir seus estudos no nível superior, bem como o de exercer uma atividade profissional técnica. Os Cursos Superiores de Tecnologia propõem formar profissionais focados na inovação tecnológica em áreas que exigem elevado grau de especialização. A organização curricular desses cursos traz, entre seus diferenciais, a estruturação baseada na junção de Ciência, Tecnologia e Gestão, propiciando ao estudante o domínio da Ciência pela aplicação em processos tecnológicos e o desenvolvimento de habilidades gerenciais. Ao término do curso é conferido o grau de Tecnólogo e seu diploma, reconhecido nacionalmente, permite a continuidade de estudos em cursos de pós-graduação. Quanto aos Cursos de Bacharelado, caracterizam-se por uma formação ampla na área em que são ofertados. Dessa forma, a estrutura curricular contempla as disciplinas de formação básica, de formação profissional, de cunho tecnológico e também conteúdos de formação complementar. Ao concluir esses cursos, recebe-se o grau de Bacharel, que possibilita a continuidade de estudos em cursos de pós-graduação. Por sua vez, as Engenharias têm sua base em uma formação generalista com essência científica, sólida formação em técnicas de engenharia e desenvolvimento da capacidade de interpretação, bem como análise crítica e reflexiva de fatos e situações. Têm como diferencial 50% da carga horária em atividades de laboratório. Ao formado, que tem capacidade para buscar e gerar novos conhecimentos, preparo para enfrentar situações novas com iniciativa e criatividade e, ainda, consciência para desenvolver uma conduta ética, humanista, social e ambientalmente responsável, confere-se o grau de Engenheiro. A Formação Pedagógica é um programa que objetiva habilitar profissionais portadores de diploma de nível superior para o exercício do magistério, em disciplinas que integram as quatro últimas séries do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Os cursos de Extensão são de curta duração, e objetivam a atualização e o aprimoramento profissional, dando direito a um certificado. Na UTFPR, na área de ensino, são desenvolvidas duas grandes modalidades de cursos: os regulares e os de educação continuada. Os cursos regulares têm como principais características: As vagas ofertadas são publicadas em Edital Público. Os alunos são selecionados por meio do exame de seleção para os cursos de nível médio e pelo Exame Nacional do Ensino Médio (novo Enem) para os cursos de ensino superior. Permitem ao aluno a mudança no seu nível formativo. Promovem a sua profissionalização. Possibilitam a continuidade de estudos no próximo nível de ensino. Conferem uma determinada titulação e um diploma, reconhecido nacionalmente. Por sua vez, os de educação continuada têm oferta periódica e têm as seguintes características: Conferem aos seus participantes uma complementação e/ou atualização em uma determinada área de conhecimento. São, em geral, de curta duração. Os alunos concluintes recebem um certificado. UTFPR - CAMPUS PONTA GROSSA 3

4 Cursos ofertados no Campus Ponta Grossa UTFPR - CAMPUS PONTA GROSSA A Universidade Tecnológica oferta também Cursos de Pós-Graduação destinados aos portadores de diploma de graduação. São cursos lato especialização ou stricto sensu mestrado e doutorado. Sob a orientação de professores altamente capacitados, contando com laboratórios equipados, infra-estrutura de biblioteca, convênios, parcerias e bolsas de estudos, os alunos de pós-graduação podem realizar pesquisas de ponta, apresentar trabalhos acadêmicos em congressos, workshops, aprimorar seus conhecimentos e dar continuidade solidamente à sua formação. Os cursos de Especialização objetivam a atualização tecnológica em áreas específicas. Os concluintes recebem um certificado. Os cursos de Mestrado têm duração de 2 anos e exigem a elaboração de uma dissertação; enquanto o curso de Doutorado, destinado a quem tenha concluído o programa de mestrado, exige para sua conclusão a elaboração de uma tese. Ambos os trabalhos acadêmicos são apresentados com defesa pública mediante banca examinadora. Cursos de Educação Profissional Técnica de Nível Médio-Técnico Integrado em: 1. Agroindústria 2. Mecânica 1. Curso Subsequente em Informática (modalidade a distância) - Programa E-tec Brasil Graduação: 1. Curso Superior de Tecnologia em Alimentos 2. Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3. Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial 4. Curso Superior de Tecnologia em Fabricação Mecânica 1. Bacharelado em Ciência da Computação 1. Engenharia Eletrônica 2. Engenharia Mecânica 3. Engenharia Química 4. Engenharia de Produção Especialização em: Educação Científica e Tecnológica Engenharia de Segurança do Trabalho Gestão Industrial Conhecimento e Inovação Gestão Industrial Produção e Manutenção Processos Biotecnológicos Obs.: Os cursos de Especialização são cursos não-regulares e somente são abertos se, no mínimo, noventa por cento das vagas ofertadas aos interessados da comunidade forem preenchidas. Mestrado (Stricto Sensu): 1. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - PPGEP 2. Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica - PPGECT 4

5 Além do estudo de qualidade, os alunos do Campus Ponta Grossa encontram oportunidades para crescimento e aprimoramento profissional. A UTFPR procura manter constante integração tanto com universidades estrangeiras, seja por meio da dupla diplomação em algumas áreas, seja pelo intercâmbio de alunos e professores, quanto com as indústrias, a fim de agregar parceiros para a melhoria de suas atividades. Neste sentido, dentre outras ações, acontece o Dia da Indústria, em que são homenageadas empresas e profissionais que se destacam na interação com a UTFPR - Campus Ponta Grossa.Tudo isso na busca de promover e fortalecer a interação entre a Instituição, as empresas e a comunidade. P reocupada com a formação integral do cidadão e com a possibilidade do exercício pleno da cidadania, a UTFPR Campus Ponta Grossa desenvolve também programas como o Comunidade Integrada na Multiplicação do Conhecimento Grupo CIMCO, programa de conscientização e prevenção contra dependência química e toxicológica e doenças sexualmente transmissíveis DSTs. A Instituição promove ainda atividades físicas e artístico-culturais, das quais podem participar alunos, servidores, e comunidade externa. Ciente de seu papel enquanto promotora e incentivadora do conhecimento, a Universidade Tecnológica busca interagir com a comunidade externa, mostrando as possibilidades existentes na Instituição. Nesse sentido, é promovida a ExpoUT, evento em que são apresentados os cursos técnicos, de graduação e de pós-graduação, atividades de extensão ofertadas e, ainda, as produções dos estudantes e pesquisadores do Campus Ponta Grossa. Assim, a comunidade pode conhecer melhor a Universidade e interagir com ela. Seja Bem-Vindo! Diretoria do Campus Ponta Grossa da UTFPR UTFPR - CAMPUS PONTA GROSSA 5

6 6 Alimentos Qualidade de vida e alimentação lado a lado Você sabe como um alimento chega a sua mesa? Com os cursos da UTFPR você aprenderá o funcionamento de todo o processo de industrialização de um alimento. Desde a seleção das matérias-primas até o transporte. E todo esse processo faz com que o profissional atue num mercado de trabalho diversificado. Nos últimos anos a preocupação com a qualidade de vida ganhou espaço no cotidiano das pessoas e, com isso, a preocupação com a preservação ambiental e qualidade da alimentação ganhou ainda mais foco. As pessoas passaram a trabalhar nos horários que se alimentavam e a indústria teve que encontrar soluções para isso aliando rapidez e qualidade, não deixando de lado os ingredientes necessários para manter a saúde de todos. A partir disso, a industrialização de alimentos teve grandes avanços no desenvolvimento de novos produtos, processos, métodos de conservação, análises toxicológicas, microbiológicas e sensoriais, bem como no treinamento e tratamento de resíduos e em pesquisas de viabilidade nutricional, medicinal e econômica de produtos alimentícios de origem animal e vegetal. A área de Alimentos está em alta e continuará ganhando cada vez mais importância na vida de todo ser humano. Alimentos com qualidade para uma vida saudável O Curso Superior de Tecnologia em Alimentos tem duração de quatro anos e confere a você o diploma de Tecnólogo em Alimentos. O curso oferece, além das disciplinas na área de ciência e tecnologia de alimentos, formação gerencial e humana, capacitando-o tanto para o domínio de processos industriais na área de transformação e conservação de alimentos quanto para uma visão estratégica globalizada do setor industrial alimentício. Como Tecnólogo em Alimentos você poderá atuar em moinhos, panifícios, indústria de óleos vegetais e derivados, na obtenção e processamento de amidos e correlatos, na industrialização de conservas vegetais, na conservação e transformação de frutas, na industrialização de cana-de-açúcar e derivados, laticínios, frigoríficos, indústrias de processamento de bebidas e instituições de pesquisa e desenvolvimento. Além disso, você estará apto a realizar atividades como supervisão, coordenação e orientação técnica; estudo de viabilidade técnico-econômica; assistência, assessoria e consultoria; vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico; desempenho e cargo de função técnica; ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio, divulgação técnica e extensão; elaboração de orçamento; padronização, mensuração e controle de qualidade; execução de serviço técnico; produção técnica especializada e condução de trabalho técnico. O Curso Técnico Integrado em Agroindústria é destinado para você que acabou o ensino fundamental, quer fazer o ensino médio e, ao mesmo tempo, obter uma profissionalização, preparando-o para entrar no mercado de trabalho devidamente qualificado, com conhecimento técnico, formação tecnológica e para atuar de forma criativa, ética, empreendedora e consciente dos impactos sócio-culturais. Como Técnico em Agroindústria você poderá trabalhar em indústrias, empresas de consultoria, prestação de serviços, representação e vendas técnicas e empresas públicas, pois Primando pela qualidade na agroindústria estará habilitado a desempenhar atividades como acompanhamento do processo de beneficiamento e industrialização de produtos de origem animal e vegetal; análise da qualidade da matéria-prima e dos produtos; avaliação da qualidade durante o processo de beneficiamento e industrialização dos alimentos; acompanhamento do programa de manutenção de equipamentos na agroindústria e participação nos programas de gestão das empresas. Para tanto, durante os quatro anos de curso, você terá contato com disciplinas na área de gestão, industrialização e química dos alimentos.

7 Agregando Qualidade e Otimização de Processos Nos dias atuais as empresas buscam profissionais, que analisem de uma forma abrangente as questões fundamentais para a sobrevivência da companhia, em um mercado cada vez mais competitivo. Dentre estas, temos a otimização de processos, logística dos materiais produzidos, qualidade dos produtos fornecidos. Não apenas os valores econômicos agregados ao produto, mas principalmente os ambientais e humanos, se tornam essenciais para o avanço global da empresa. Assim, quanto maior a quantidade de subsídios o profissional possuir, maior será o sucesso da empresa e, consequentemente, das pessoas que utilizam os serviços. Produção O Curso de Engenharia de Produção se dedica ao estudo, projeto e à gestão de sistemas integrados de pessoas e ambientes, materiais e equipamentos, com o objetivo de melhorar a produtividade do trabalho, da qualidade do produto e da saúde das pessoas nas atividades que exercem. Os egressos do Curso de Engenharia de Produção poderão atuar em empresas industriais, e de prestação de serviços, bem como no planejamento, coordenação e controle dos recursos produtivos, no âmbito da engenharia de produção, com o objetivo de criar, racionalizar e/ou incrementar processos produtivos. A formação do Engenheiro de Produção permitirá o atendimento de necessidades das empresas, uma vez que possui extensa aplicabilidade de métodos, como de seu contato com ciências humanas, em particular a economia e áreas como sociologia, ciências ambientais, psicologia e matemática aplicada. Dessa forma, o Engenheiro de Produção é um profissional interdisciplinar, permitindo agregar o conhecimento técnico-científico ao sólido embasamento humanístico. Das habilidades desenvolvidas pelo profissional, temos: possuir sólida formação nas ciências básicas, garantindo facilidade em acompanhar o desenvolvimento da tecnologia; ser capaz de refletir quanto ao uso, desenvolvimento e aplicação da tecnologia e seus reflexos na sociedade; entender os valores que permeiam o mercado de trabalho e a construção de sua empregabilidade; propor e executar soluções para problemas complexos, usando raciocínio lógico, além de dominar ferramentas e conceitos da área pertinente à engenharia de produção, e plena capacidade de aplicá-los para solução de problemas. 7

8 Desenvolvimento e inovação em energia Pense em quantas vezes você acendeu e apagou a luz, pegou elevador, ligou o computador, usou o aparelho de microondas ou tomou banho quente. Sem a energia essas facilidades e conforto não são possíveis e, mais que isso, a indústria, o comércio e toda a economia do país ficam comprometidos. Mas para que tudo isso aconteça de forma satisfatória e garantida, há uma série de profissionais que trabalham tanto na aplicação prática e técnica, como em estudos e pesquisas relacionados à energia. O profissional da área atua em atividades que vão desde a geração, transmissão, distribuição até a utilização da energia. Afinal, até mesmo a lâmpada que é instalada em nossas casas teve todo um processo de tecnologia e preparação. O Campus Ponta Grossa da UTFPR oferta o curso para você que busca por uma formação predominantemente prática, necessária à condução de processos industriais, gerência ou supervisão das indústrias, condução e direção de obras, gestão de equipes, técnicas de utilização e manutenção de equipamentos. Sem dúvida, uma área que vai requerer de você ainda mais energia! Robôs, sem ficção científica Elétrica O curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial levará você a estudar dispositivos eletroeletrônicos, entre eles computadores ou outros dispositivos lógicos (como controladores lógicos programáveis ou CNCs), substituindo algumas tarefas da mão-de-obra humana e executando outras que o ser humano não consegue realizar. Por isso, a imagem mais comum da automação é associada à robótica, mas essa é apenas uma das possibilidades, pois ela está presente em tecnologias das indústrias química, petroquímica e farmacêutica, com o uso de transmissores de pressão, vazão, temperatura e outras variáveis necessárias ao processo industrial. Após concluir o curso você terá capacidade de planejar, executar e supervisionar inovações de sistemas e de aplicar ferramentas de gestão tecnológica de processos industriais. Poderá atuar em indústrias eletroeletrônicas, mecânicas, automobilísticas e alimentícias; empresas de consultorias, dentre outras, realizando atividades como elaboração e execução de projetos de automação; manutenção, consultoria, análise e seleção de equipamentos; vendas e assistência técnica e ações voltadas para o controle e supervisão de processos, ou implantar empresa própria, como empreendedor. 8

9 Eletrônica, uma área em constante evolução A Eletrônica pode ser definida como o ramo da ciência que estuda o uso de circuitos formados por componentes elétricos e eletrônicos, com o objetivo principal de captar, armazenar, transmitir e processar informações além do controle de processos e sistemas industriais. No decorrer dos anos, a eletrônica assumiu grande importância em nossas vidas. Ela é a base da moderna tecnologia, da ciência da computação, da informática, dos sistemas de telecomunicações e dos sistemas de automação. Sem a eletrônica os sistemas de controle do mundo moderno não funcionariam. Você já imaginou sua vida sem a eletrônica? Eletrônica O uso da tecnologia para aproximar pessoas e facilitar suas vidas Durante o curso de Engenharia Eletrônica você obterá conhecimentos nas áreas de controle e automação, sistemas de telecomunicações, computação, engenharia biomédica. Desta forma, poderá desenvolver atividades que envolvam eletrônica digital, analógica e de potência, automação industrial e controle, engenharia de software e informática, além do controle de qualidade e engenharia biomédica. O curso proporcionará a você uma sólida formação por meio de disciplinas básicas matemática e física, disciplinas profissionalizantes, intensivas atividades de laboratório, estágio supervisionado, disciplinas optativas focadas nas tecnologias atuais nas áreas de eletrônica e de telecomunicações. Ao final do curso, a fim de receber o título de Engenheiro Eletricista com atribuições nas áreas de eletrônica e telecomunicações, você deverá apresentar um projeto em que, além do desenvolvimento de hardware e de software, será analisada a possibilidade e viabilidade de seu próprio negócio. 9

10 Propiciando avanços tecnológicos e influenciando o modo de vida das pessoas Denomina-se Informática ou Computação o tratamento automático da informação por meio de computadores. Pode-se dizer que a informática é a responsável nos últimos anos por grandes avanços tecnológicos e profundas mudanças na sociedade. Hoje está envolvida em praticamente todos os ramos do conhecimento e inserida em todos os segmentos do setor produtivo. A criação de oportunidades profissionais e de um novo perfil às profissões já estabelecidas advém da passagem da Era da Produção para a Era da Informação. A adoção de redes de computadores cada vez maiores e amplas, como a Internet e as Intranets empresariais, justifica a qualificação de profissionais para essa demanda. Nessa perspectiva, há uma grande solicitação do contexto socioeconômico para a formação de profissionais técnicos em informática, a fim de atender à grande demanda do mercado de trabalho. Dentre os diversos segmentos abrangidos pela informática, destacam-se o desenvolvimento de sistemas e programas e o projeto, a instalação e o desenvolvimento de redes de computadores e de comunicação. Nessa área o Campus Ponta Grossa da UTFPR oferece os cursos de Tecnologia e Bacharelado, buscando proporcionar aos alunos uma sólida formação técnico-científica alinhada a valores humanos e sociais. Informática Desenvolvendo sistemas de forma empreendedora O Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem duração de três anos e objetiva formar profissionais que possam atuar de forma empreendedora e cidadã no desenvolvimento de produtos e serviços de informática, tanto no mercado de trabalho como em negócio próprio. Como Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas você estará apto a trabalhar na documentação e implantação de sistemas informatizados. Você poderá ser analista e programador de sistemas de informação; integrador de sistemas de informação e de soluções em tecnologias de informação; coordenador ou gerente de projetos de sistemas de informação; responsável técnico pelo desenvolvimento de aplicativos e sistemas; diretor técnico, gerente e/ou proprietário de empreendimentos em informática; consultor em tecnologias de desenvolvimento e implantação de sistemas; e elaborador e desenvolvedor de sistemas para a WEB. Computando muitas idéias O Curso de Bacharelado em Ciência da Computação tem duração de quatro anos e visa formar profissionais da área de Computação para atuar em pesquisa, gestão, desenvolvimento, uso e avaliação de sistemas computacionais. Para atingir este objetivo, o curso lhe proporciona uma formação básica e sólida, com destaque para as seguintes áreas: Computação - envolvendo as metodologias e técnicas fundamentais para a elaboração soluções de problemas nos diversos domínios de aplicação; Matemática aprimorando a capacidade de abstrair, de modelar e de desenvolver raciocínio lógico constituindo a base para várias matérias da área de computação; e por fim, a área Social e Profissional proporcionando o conhecimento sócio-cultural e organizacional, apresentando uma visão humanística das questões sociais e profissionais, em consonância com os princípios da ética em computação. Criando e aprendendo a linguagem da programação O Curso Técnico Subsequente em Informática - (Programa e-tec Brasil) - forma profissionais em Informática para Internet de nível médio, segundo os parâmetros do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Especificamente, podemos dizer que o intuito do curso é desenvolver no aluno as habilidades de escrever programas de computador para Internet, seguindo as especificações e paradigmas da lógica de programação e das linguagens de programação; utilizar ferramentas de desenvolvimento de sistemas, na construção de soluções que auxiliam o processo de criação de interfaces e aplicativos empregados no comércio e marketing eletrônicos; e desenvolver e realizar a manutenção de sítios e portais na Internet e na Intranet. O curso, na modalidade de Educação a Distância, é ofertado a alunos com formação no Ensino Médio, que pretendam realizar um curso de educação profissional técnica de nível médio. Toda a comunidade dos polos em que há escolas estaduais conveniadas com o E-Tec Brasil pode se inscrever (atualmente são os polos de Curiúva, Balsa Nova e Figueira, com previsão de ampliação do número de polos.). 10

11 O mundo é mecânico (Santos Dumont) Ao se falar em mecânica, associa-se, automaticamente, a carros e motores. Porém, ao contrário do que se pensa, mecânica não é sinônimo de automóveis. Essa é apenas uma das possibilidades de sua aplicação. Existem inúmeras áreas de aplicação de seus conhecimentos, principalmente no campo fabril, como, por exemplo, nas áreas têxtil, metalúrgica, siderúrgica, automobilística, hidroelétrica, petrolífera, naval e química. Basta lembrarmos das palavras do Pai da aviação quando afirmou que quase todos os produtos que utilizamos são máquinas ou foram fabricados por máquinas. A própria geração de energia, que tanto conforto proporciona aos seres humanos, é uma maravilha da mecânica, que aliada a outros campos do conhecimento e das ciências básicas, permite-nos, em poucas horas, nos deslocar rapidamente ao redor do mundo ou usufruir de ventilação, calefação entre tantas outras mordomias do mundo moderno. Matemática e Física como base para uma formação eclética Aprendendo como se faz para fazer melhor O Curso Técnico Integrado em Mecânica possibilita formar profissionais de nível médio aptos para atuar na área industrial mecânica. Como Técnico em Mecânica, você poderá auxiliar na elaboração de projetos, pesquisas tecnológicas e execução de desenhos de equipamentos mecânicos e seus componentes, nas atividades de cálculos técnicos, orçamentos e especificações de materiais em projetos mecânicos, na coordenação e supervisão de instalações e manutenção preventiva e corretiva de serviços mecânicos, na execução de trabalhos de controle de qualidade, ensaio de materiais, de pesquisa aplicada bem como a execução de processos de fabricação e montagem, gerenciamento da logística industrial e suporte na compra e venda de equipamentos. Vale lembrar que a formação do Técnico Mecânico demanda que se alie conhecimentos teóricos com a experiência em atividades na indústria, isto é, que exista boa interação entre a escola e as empresas, proporcionada por estágios, visitas técnicas e atividades correlatas. Mecânica O Curso de Engenharia Mecânica é destinado a você que busca uma sólida formação em ciências básicas (Matemática e Física) e desenvolvimento de atividades práticas em projetos e laboratórios como os de Automação, Centro de Termotransformação de Materiais, Conformação e Soldagem, Ensaios Mecânicos, Automação da Manufatura, Metalografia e Usinagem. Se você tem facilidade e gosta de ciências exatas, possui raciocínio lógico, sabe trabalhar em equipe, gosta de ter como desafios a solução de problemas e se interessa por informática, este curso é uma ótima opção. Como Engenheiro de Produção Mecânica você estará apto a desenvolver atividades como planejamento, desenvolvimento, controle e otimização de processos; desenvolvimento e especificação de produtos; controle de qualidade; manutenção de máquinas e equipamentos; arranjo físico de equipamentos; análise e elaboração de projetos industriais; otimização do ambiente organizacional; e realização de pareceres e auditorias. Poderá atuar, preferencialmente, na indústria, e nas áreas de consultoria, assessoramento e pesquisa e desenvolvimento. Mecânica com um algo a mais O Curso Superior de Tecnologia em Fabricação Mecânica tem como objetivo formar profissionais capazes de atuar em áreas em que se aplique a gestão de processos de fabricação. Durante o curso, você obterá conhecimentos sobre Física, Cálculo, Desenho, Metalurgia, Metrologia, Moldagem, entre outros, além de Gestão e Empreendedorismo. Como Tecnólogo em Fabricação Mecânica, você deverá ser capaz de pesquisar, planejar e aplicar técnicas relacionadas à área de mecânica, podendo atuar na indústria metal-mecânica, automotiva, naval, aeronáutica, alimentícia, farmacêutica e petroquímica. Também poderá definir estratégias de implantação e manutenção de sistemas de fabricação nos setores industriais e realizar projetos auxiliados por computador, máquinas com comando numérico e controle integrado de manufatura. 11

12 Interação entre economia e ecologia O polo industrial da cidade de Ponta Grossa tem ganhado amplo espaço nos mais diferentes ramos. À medida que o processo de industrialização investe em tecnologia para a produção de bens e produtos, surge a necessidade de profissionais qualificados, não somente para responder a esta demanda, como também para buscar alternativas de controle e minimização dos impactos sociais e econômicos associados e para atender à crescente necessidade de preservação do meio ambiente, levando os profissionais dessa área a serem cada vez mais requisitados atualmente. A atuação do Engenheiro Químico Química O Curso de Engenharia Química proporciona formação nas áreas de engenharia e química e é destinado a você que quer atuar no desenvolvimento de processos para a produção de diversos produtos, em escala industrial, nas áreas de alimentos, biotecnologia, fertilizantes, cimento, papel e celulose, nuclear, tintas e vernizes, polímeros, meio ambiente, entre outras. Como Engenheiro Químico você será capaz de projetar, supervisionar, elaborar e coordenar processos industriais; desenvolver tecnologias limpas, processos de reciclagem e de aproveitamento dos resíduos da indústria química que contribuem para a redução do impacto ambiental. Poderá também coordenar e supervisionar equipes de trabalho; realizar estudos de viabilidade técnico-econômica; executar e fiscalizar obras e serviços técnicos. Ao concluir o curso, você poderá atuar nas áreas administrativa e comercial como engenheiro de produto, de processo, de pesquisa e desenvolvimento; em instituições de pesquisa, em consultorias e no magistério superior. 12

13 Entre os cursos da educação superior encontram-se os de pós-graduação programas de mestrado e doutorado, cursos de especialização, aperfeiçoamento e outros, abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino. No mundo moderno, o sistema de cursos de pós-graduação se impõe como consequência natural do extraordinário progresso do saber em todos os setores, em face do acúmulo de conhecimentos em cada ramo das ciências e da crescente especialização das técnicas, tornando impossível proporcionar formação completa e adequada para muitas carreiras nos limites dos cursos de graduação. Na verdade, o estudante somente poderá obter, no nível da graduação, os conhecimentos básicos de sua ciência e de sua profissão. Desse modo, a fim de atender a demanda da sociedade por profissionais criadores, capazes de desenvolver novos bens, processos e serviços e por docentes qualificados nas universidades para formálos, um programa eficiente de estudo de pós-graduação é condição básica para se conferir à universidade caráter verdadeiramente universitário, para que deixe de ser instituição apenas formadora de profissionais e se transforme em centro criador de ciência e de cultura. Nesse sentido, os objetivos da pósgraduação seriam: 1 - proporcionar ao estudante aprofundamento do saber que lhe permita alcançar elevado padrão de competência Cursos de Pós-graduação Lato Sensu (Especialização): Educação Científica e Tecnológica Engenharia de Segurança do Trabalho Gestão Industrial Conhecimento e Inovação Gestão Industrial Produção e Manutenção Processos Biotecnológicos científica ou técnico-profissional, impossível de adquirir no âmbito da graduação; 2 - oferecer, dentro da universidade, o ambiente e os recursos adequados para que se realize a livre investigação científica. A pós-graduação pode ser stricto sensu e lato sensu. A pós-graduação stricto sensu define o sistema de cursos que se superpõe à graduação, tem caráter regular e essencialmente científico, com objetivos amplos e aprofundados de formação científica ou cultural, sendo parte integrante do complexo universitário. Ela é necessária à realização de fins essenciais da universidade, confere grau acadêmico, que deverá ser atestado de alta competência científica em determinado ramo do conhecimento. Do candidato ao Mestrado exige-se dissertação em que revele domínio do tema escolhido e capacidade de sistematização; para o grau de Doutor requer-se defesa de tese que represente trabalho de pesquisa importando em real contribuição para o conhecimento do tema. Por sua vez, o lato sensu compreende cursos eventuais, de caráter eminentemente prático-profissional, que têm como meta a formação profissional especializada em um domínio científico e técnico limitado à área do saber ou da profissão, designando todo e qualquer curso que se segue à graduação. Oferece apenas certificado de eficiência ou aproveitamento que habilita ao exercício de uma especialidade profissional. Obs.: Os cursos de Especialização são cursos não-regulares e somente são abertos se, no mínimo, noventa por cento das vagas ofertadas aos interessados da comunidade forem preenchidas. Cursos de Pós-graduação Stricto Sensu mestrado e doutorado PPGEP O Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção PPGEP (mestrado) visa capacitar recursos humanos nas mais diversas áreas de atuação da Engenharia de Produção, sendo que nossas principais Linhas de Pesquisa são: Conhecimento e Inovação e Produção e Manutenção. PPGECT O Programa de Pós Graduação em Educação Científica e Tecnológica PPGECT é um mestrado profissional que visa capacitar recursos humanos nas áreas do conhecimento da Educação e Ciências, tais como, matemática, física, química e biologia, visando com isto preparar melhor o docente destas áreas para a aplicação direta junto a suas turmas de alunos da graduação. Pós-Graduação 13

14 O que faz o diferencial da UTFPR - Campus Ponta Grossa: Tecnologia e Humanismo Todos sabemos que uma sólida formação acadêmica é primordial para o futuro profissional, mas no Campus Ponta Grossa da UTFPR esse conceito vai adiante. Acredita-se que o diferencial de um profissional completo, eficaz e eficiente se dá pela ampliação de seus horizontes, por sua capacitação tecnológica ao mesmo tempo de seu desenvolvimento humanista. Este acréscimo de valores é obtido em atividades das mais variadas, que vão das artes cênicas à formação do espírito empreendedor, da conscientização do correto uso dos recursos naturais à necessidade de atualização curricular. Esta diversidade é necessária a todos que desejam obter sucesso não apenas em suas carreiras, mas, sobretudo, em suas vidas. Veja, entre muitas outras oportunidades, o que o Campus Ponta Grossa lhe possibilita a fim de torná-lo um cidadão completo. Projetos Programa de Empreendedorismo e Inovação PROEM Programa da Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias é uma das formas de incentivo, por meio da qual a Instituição possibilita a alunos e egressos, bem como a servidores, parceiros e comunidade externa em geral, o acesso a temas e projetos ligados ao empreendedorismo. O PROEM oferece à comunidade o Hotel Tecnológico e a Incubadora de Inovações Tecnológicas, mecanismos de formação da cultura empresarial que, muitas vezes, frutificam em futuras empresas montadas pelos próprios alunos. Programa Comunidade Integrada na Multiplicação do Conhecimento - CIMCO Inicialmente atuando com o projeto de Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis DSTs, logo ampliou sua atuação à prevenção ao uso indevido de substâncias psicoativas. Engajado no Projeto Educativo e Preventivo sobre Drogas junto a outras instituições e, com base nas informações obtidas no levantamento de dados e trocas de experiências, o Programa CIMCO elaborou uma estratégia de trabalho preventivo-educativo na área de saúde, cujos alvos eram a escola, a família e a sociedade que, devido à forte atuação dos multiplicadores, ganhou reconhecimento da comunidade interna e externa. Multiplicadores são os voluntários (servidores e alunos) que atuam no Programa com a transmissão de conhecimentos sobre prevenção e promoção da qualidade de vida, participam em campanhas internas e externas, eventos e cursos profissionalizantes para a população de baixa renda. Hoje, sob a ótica da qualidade de vida, da promoção humana e dentro das atividades desenvolvidas de voluntariado, o Programa CIMCO busca disseminar conhecimentos sobre mercado de trabalho, cidadania, educação e saúde, pois a UTFPR entende ser necessário implementar a sua política social. 14

15 Projeto UTFPR Cidadã Trata-se de um projeto de cidadania, com ênfase no incentivo ao empreendedorismo social e voluntariado, proposto para ser desenvolvido nas disciplinas de Empreendedorismo dos cursos técnicos e cursos superiores. É um projeto comprometido com os objetivos de desenvolvimento, instituídos em 2000 na Assembléia Geral das Nações Unidas, que resultou nos Oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODM. Espera-se despertar nas pessoas o voluntariado e o empreendedorismo social, para atingimento do objetivo 8: Todos Trabalhando pelo Desenvolvimento, além de contribuir para o alcance de outros objetivos de acordo com a proposta formulada pelos acadêmicos a cada semestre. O empreendedorismo social é um dos conteúdos da ementa da disciplina empreendedorismo, dos cursos da UTFPR, que deve ser vivenciado pelos acadêmicos. Considera-se que não existe desenvolvimento social sem ações empreendedoras. O que gera inovação e desenvolvimento é a capacidade que o ser humano tem de mobilizar recursos para colocar em prática seus planos e sonhos isso é empreendedorismo. Projetos Projeto Multiplicadores para a Inclusão Digital A inclusão digital é considerada um direito de todos os cidadãos e uma condição importante para sua sobrevivência na era da globalização. Atualmente, os alunos do ensino fundamental de algumas redes públicas da região de Ponta Grossa não têm acesso às tecnologias da informação. Para que os alunos possam realizar suas atividades é necessário que eles saibam interagir com a tecnologia, por isso, alguns projetos de Inclusão Digital estão sendo desenvolvidos. O projeto proposto atende os alunos de 5ª a 8ª séries de escolas estaduais e tem disponível uma sala de aula com vinte computadores destinados ao ensino de informática, porém, não possui um profissional especializado para ministrar assuntos relacionados à área. A coordenação e os instrutores, que são alunos graduandos do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UTFPR, são voluntários no projeto. São repassados aos participantes noções básicas de softwares para automação de escritório, tais como: editor de textos, planilhas eletrônicas, internet e elaboração de apresentações. 15

16 Projeto Promovendo a Inclusão Digital do Programa Adolescente Aprendiz O Programa Adolescente Aprendiz do município está voltado para um processo de capacitação que possibilite ao adolescente a inserção no mercado de trabalho proporcionando a socialização, o desenvolvimento de potencialidades e a profissionalização por meio de atividades sócio - educativas. A proposta é composta por vários módulos, dentre eles o de Informática. A coordenadora e os instrutores, que são alunos graduandos do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UTFPR, são voluntários no programa. São repassados aos participantes noções básicas de softwares para automação de escritório, tais como: editor de textos, planilhas eletrônicas, internet e elaboração de apresentações. Projeto VIDA: Vivenciando a Inclusão Digital na Aldeia Projetos A Aldeia David Federmann é uma instituição filantrópica cujo objetivo é oferecer um lar a quem nunca o teve ou o perdeu, por meio de uma estrutura composta por casas com uma mãe social responsável por um número determinado de crianças. Este projeto pretende diminuir a exclusão digital das crianças assistidas pela aldeia, por meio de aulas teóricas e práticas de informática. A coordenação e os instrutores, que são alunos do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UTFPR, são voluntários no programa. 16

17 Projeto UTFPR EM AÇÃO Destinado à comunidade interna do Campus Ponta Grossa, o projeto tem como objetivo proporcionar a prática de atividades físicas e de lazer visando a uma melhor qualidade de vida dos participantes. Nos horários de funcionamento do projeto são ofertadas as seguintes práticas: natação, musculação e modalidades esportivas (vôlei, basquete, futsal, futebol suíço e futebol de campo), sempre com características lúdicas e de condicionamento físico. São utilizadas todas as dependências do CAFIS. As atividades contam com a orientação do corpo docente do CAFIS e dos estagiários. O projeto, desde seu início, apresentou uma demanda crescente, o que tornou necessária a ampliação de atividades e horários. São atendidos, semanalmente, em torno de 750 participantes. Projetos Projeto VOZES Informática para a APADEVI O presente projeto foi criado com objetivo de aumentar a inclusão social e digital de adolescentes e jovens deficientes visuais totais e parciais por meio do curso de informática a ser oferecido pela UTFPR. Participam como instrutores os alunos do curso de Análise e desenvolvimento de Sistemas que voluntariamente se disponibilizaram para ministrar aulas de informática básica como complemento de atividades extras ou para o desenvolvimento do trabalho de conclusão de curso. Durante as aulas, as pessoas com deficiência visual aprendem como trabalhar com o computador e utilizar os programas específicos com o máximo de aproveitamento. 17

18 UT FEST Há 4 anos consecutivos tem sido realizado o festival UT Fest - na instituição, geralmente na época do seu aniversário, em setembro, com concursos de Fotografia, Desenho, Literário (Poesias, Contos e Crônicas), Teatro, Música e Banda e Dança (9 ao todo) e todos podem participar. É praticamente um mês de atividades e há prêmios e troféus para os que se sobressaem. Este projeto tem como objetivo geral: motivar, incentivar e instigar o desenvolvimento e compartilhamento de talentos em nossa comunidade. E, como objetivos específicos por meio de competições e concursos, proporcionar a oportunidade a cada participante de expor talentos que, de outra forma estariam ocultos à nossa comunidade e propiciar um tempo de relaxamento e lazer a todos os envolvidos, enquanto comemoram o aniversário da UTFPR. Além de ser uma oportunidade de fazer os alunos se integrarem e entrosarem entre si à medida que buscam colegas para ensaiarem e se prepararem para as apresentações. Este é um momento essencialmente sócio-cultural da instituição. 18

19 Centro de Atividades Físicas - CAFIS Composto por um ginásio e uma quadra esportiva cobertos, uma piscina semi-olímpica aquecida e aparelhos para musculação bem equipados, além de excelentes professores que acompanham a realização das atividades. Atividades Comunitárias O Campus Ponta Grossa da UTFPR, além do objetivo educativo-profissional, procura oferecer oportunidades de integração de seus alunos com a comunidade, com vista a um objetivo maior: a formação integral do educando. Nessa linha estão as atividades físicas, artísticas, culturais e de lazer oferecidas aos alunos, professores, técnicos-administrativos e comunidade externa, como Dança Artística, Coral, Grupos Musicais e equipes de diversas modalidades desportivas. Essas atividades, além do desenvolvimento cultural e esportivo, podem representar uma forma de valorização e manifestação da personalidade. Estas e outras ações implementadas no Campus Ponta Grossa da Universidade Tecnológica Federal do Paraná objetivam que todo o avanço possa ser utilizado de maneira a gerar uma condição de progresso e desenvolvimento do núcleo familiar, do município, estado, país e do mundo sóciocultural e eticamente sustentável. Demonstram a existência do elemento tecnológico como item essencial na melhoria de vida de todos, mas evidenciam, sobretudo, a obrigação da correta valoração do elemento humano. Tecnologia e Humanismo, mais que um lema, uma vivência incontestável. 19Projetos

20 CAMPUS APUCARANA Rua Marcílio Dias, 635 CEP: Apucarana - PR Fone: (43) CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO Av. Alberto Carazzai,1640 CEP: Cornélio Procópio - PR Fone: (43) CAMPUS DOIS VIZINHOS Estrada para Boa Esperança, km 04 CEP: Dois Vizinhos - PR Fone: (46) CAMPUS CAMPO MOURÃO Rod. BR km 0,5 CEP: Campo Mourão - PR Fone:(44) CAMPUS CURITIBA Av. Sete de Setembro, 3165 CEP: Curitiba - PR Fone: (41) CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO Linha Santa Bárbara s/n - Caixa Postal 135 CEP: Francisco Beltrão - PR Fone: (46) Expediente: Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa Diretor-Geral: Prof. Luiz Alberto Pilatti Diretor de Graduação e Educação Profissional: Prof. João Paulo Aires Diretor de Pequisa e Pós-Graduação: Prof. Antonio Augusto de Paula Xavier Diretor de Planejamento e Administração: Silvana Weinhardt de Oliveira Diretora de Relações Empresariais e Comunitárias: Profa. Eliane Fernandes Pietrovski Assessor de Comunicação: Diego Gomes do Valle Jornalistas responsáveis: Francielly Capristo (MT-4954) e Tássia Arouche (MT-6619) Projeto gráfico e capa: Divonete Camargo Dalpiaz - Seção de Design Gráfico do Campus Curitiba Supervisão Editorial: Vanessa Constance Ambrosio Diagramação: Daniela Arce Gomez e Douglas Rodrigo da Luz Impressão: Gráfica e Editora Fátima Santos Ltda. - Tiragem: exemplares CAMPUS LONDRINA Estrada dos Pioneiros, 3131 CEP: Londrina - PR Fone: (43) CAMPUS MEDIANEIRA Av. Brasil, 4232 CEP: Medianeira - PR Fone: (45) CAMPUS PATO BRANCO Via do Conhecimento, km 1 CEP: Pato Branco - PR Fone: (46) CAMPUS PONTA GROSSA Av. Monteiro Lobato, km 04 CEP: Ponta Grossa - PR Fone: (42) CAMPUS TOLEDO Rua Cristo Rei, 19 CEP: Toledo - PR Fone: (45)

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS MEDIANEIRA. Ciência para o Desenvolvimento Sustentável. www.utfpr.edu.

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS MEDIANEIRA. Ciência para o Desenvolvimento Sustentável. www.utfpr.edu. UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS MEDIANEIRA Ciência para o Desenvolvimento Sustentável www.utfpr.edu.br/medianeira UTFPR - CAMPUS MEDIANEIRA Conheça a UTFPR e participe da construção contínua

Leia mais

CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO

CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO Ciência para o Desenvolvimento Sustentável www.utfpr.edu.br/cornelioprocopio UTFPR - CAMPUS CORNÉLIO PROCÓPIO Conheça a UTFPR Campus

Leia mais

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015/1 SELEÇÃO PARA CURSOS TECNICOS SUBSEQUENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM AGRIMENSURA Aprovado

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0 ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0 SOBRE O CURSO Mercados dinâmicos demandam profissionais com formação completa e abrangente, aptos a liderarem equipes multidisciplinares em empresas de todos os setores econômicos

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 NOVEMBRO/2012 1) CURSOS OFERTADOS: Automação Industrial Eletrônica Eletrotécnica* Informática Informática para Internet* Mecânica* Química* Segurança do Trabalho* * Cursos

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2.0 SOBRE O CURSO O mercado de trabalho precisa de profissionais completos, com habilidades de gestão e que liderem equipes multidisciplinares em empresas de todos os setores econômicos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA Documento elaborado no encontro realizado de 10 a 12 de agosto de 2004. Curitiba, PR Perfil do Profissional Ao final de cada

Leia mais

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE CPA / PESQUISA Comissão avalia qualidade de ensino da FABE Avaliação positiva: A forma de abordagem dos objetivos gerais dos cursos também foi bem avaliada e a qualidade do corpo docente continua em alta.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015 SELEÇÃO PARA ENSINO PROFISSIONAL INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO, EM REGIME INTEGRAL COM DURAÇÃO DE 3 ANOS, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015 INFORMAÇÕES

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da

Projeto. Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e. Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da Projeto Proposta de novo texto para o termo Engenharia de Controle e ( pt ) Automação na Wikipédia Autoria: Estudantes do primeiro período do curso de Eng Ctrl Aut da ( 2009 UFLA (II Professores: Roberto

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

SENAI - Educação profissional

SENAI - Educação profissional www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/unindustria/2013/11/1,29083/senai-educacao-profissional.html 21 de Novembro de 2013 SENAI - Educação profissional As possibilidades

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Edital 029/2012 PROGRAD. Seleção de professores supervisores para o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID)

Edital 029/2012 PROGRAD. Seleção de professores supervisores para o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) Edital 029/2012 PROGRAD Seleção de professores supervisores para o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) O Pró-Reitor de Graduação e Educação Profissional da Universidade Tecnológica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE 2009 SUMÁRIO 1. JUSTIFICATICA... 3 2. OBJETIVO... 3 3. REQUISITOS

Leia mais

PRIMEIRA AULA IPQ DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUÍMICOS

PRIMEIRA AULA IPQ DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUÍMICOS PRIMEIRA AULA IPQ DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUÍMICOS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Campus Capivari Coordenador : Prof. Dr. André Luís de Castro Peixoto

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 51/2014 UNIFESSPA, DE 21 DE JULHO DE 2014 ANEXO I

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/08/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014.

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014. CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA O Curso Técnico de Nível Médio em Eletrotécnica, Eixo Tecnológico Controle e Processos Industriais são organizados em 3 módulos de 400 horas. Ao final do curso, 400 horas

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval Automação Industrial Indústria O Tecnólogo em Automação Industrial é um profissional a serviço da modernização das técnicas de produção utilizadas no setor industrial, atuando na execução de projetos,

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

Ciência para o Desenvolvimento Sustentável

Ciência para o Desenvolvimento Sustentável UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO Ciência para o Desenvolvimento Sustentável www.utfpr.edu.br/patobranco UTFPR - CAMPUS PATO BRANCO Conheça a UTFPR e participe da construção

Leia mais

Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.03.2013 Processo /2013

Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.03.2013 Processo /2013 Etec Professor Horácio Augusto da Silveira Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.03.2013 Processo /2013 Para a Inscrição no Processo Seletivo, é necessário uma

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Administração LFE em Análise de Sistemas

Leia mais

CEFET-RJ para onde vamos? Fevereiro de 2013 Rio de Janeiro

CEFET-RJ para onde vamos? Fevereiro de 2013 Rio de Janeiro CEFET-RJ para onde vamos? Fevereiro de 2013 Rio de Janeiro Nenhum vento sopra a favor, de quem não sabe para onde ir. (Lucius A. Sêneca) Sumário O resultado do CPC Engenharia Estudantes e professores do

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE KENNEDY BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO A Faculdade Kennedy busca sempre melhorar a qualidade, oferecendo serviços informatizados e uma equipe de profissionais preparada para responder

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

CEFET-RJ para onde vamos? Fevereiro de 2013 Rio de Janeiro

CEFET-RJ para onde vamos? Fevereiro de 2013 Rio de Janeiro CEFET-RJ para onde vamos? Fevereiro de 2013 Rio de Janeiro Nenhum vento sopra a favor, de quem não sabe para onde ir. (Lucius A. Sêneca) Sumário O resultado do CPC Engenharia Estudantes e professores do

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Técnico em Informática na Formação de Instrutores Carga Horária: 1000 horas Estágio Curricular:

Leia mais

REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA

REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA Fernando César Almada Santos Universidade de São Paulo - Escola de Engenharia

Leia mais

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO SOBRE O CURSO Com a revolução tecnológica, não é só o mundo que muda, mas a área de tecnologia também. O Engenheiro de Computação é um profissional fundamental para que essa evolução

Leia mais

Introdução A Engenharia Da Computação

Introdução A Engenharia Da Computação Introdução A Engenharia Da Computação AULA I Slide 1 O Que é Engenharia? [De engenho + -aria.] Substantivo feminino 1.Arte de aplicar conhecimentos científicos e empíricos e certas habilitações específicas

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

31. Enfermagem Gerontológica I e II (Enfermagem) 32. Gestão em Saúde I e II (Enfermagem) 33. Primeiros Socorros I (Enfermagem) 34. Primeiros Socorros

31. Enfermagem Gerontológica I e II (Enfermagem) 32. Gestão em Saúde I e II (Enfermagem) 33. Primeiros Socorros I (Enfermagem) 34. Primeiros Socorros CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PARQUE DA JUVENTUDE SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES nº 159/02/2007 O Diretor da Escola Técnica Estadual

Leia mais

SENAI - Educação profissional

SENAI - Educação profissional MAPA DO PORTAL (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CNI/MAPADOSIT E /) SITES DO SISTEMA INDÚSTRIA (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CANAIS/) CONT AT O (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais;

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 34/2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Química Industrial, Bacharelado,

Leia mais

A participação nessas atividades será comprovada através de um formulário denominada Relatório de Atividades Complementares (RAC).

A participação nessas atividades será comprovada através de um formulário denominada Relatório de Atividades Complementares (RAC). Manual do Aluno OBJETIVO A Faculdade do Pará implantou o Programa de Treinamento Profissional (PTP) para que você possa realizar ações práticas, desde o primeiro período do curso, ligado a profissão que

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

O Engenheiro de Controle e Automação é um profissional capacitado para desenvolver soluções que otimizem máquinas, equipamentos e sistemas nas áreas

O Engenheiro de Controle e Automação é um profissional capacitado para desenvolver soluções que otimizem máquinas, equipamentos e sistemas nas áreas O Engenheiro de Controle e Automação é um profissional capacitado para desenvolver soluções que otimizem máquinas, equipamentos e sistemas nas áreas industrial, comercial e agropecuária por meio da aplicação

Leia mais

Controle de Processos: Introdução

Controle de Processos: Introdução Controle de Processos: Introdução Prof. Eduardo Stockler Tognetti & David Fiorillo Laboratório de Automação e Robótica (LARA) Dept. Engenharia Elétrica - UnB Conteúdo 1. Panorama da engenharia de controle

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão Curso: Engenharia Civil SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da UNESA tem por missão formar Engenheiros Civis com sólida formação básica e profissional, alinhada com as diretrizes

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL GLOSSÁRIO EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SENAC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL RIO DE JANEIRO NOVEMBRO/2009 AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Ações educativas destinadas ao desenvolvimento de competências necessárias

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Plano Plurianual de Gestão 2013-2017. Etec Rubens de Faria e Souza. Município: Sorocaba Plano Político Pedagógico

Plano Plurianual de Gestão 2013-2017. Etec Rubens de Faria e Souza. Município: Sorocaba Plano Político Pedagógico Plano Plurianual de Gestão 2013-2017 Etec Rubens de Faria e Souza Município: Sorocaba Plano Político Pedagógico ORIENTAÇÕES: O Projeto Político Pedagógico é a identidade da escola. Nesta tela, apresente

Leia mais

EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL SENAI SESI

EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL SENAI SESI EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL SENAI SESI SENADO FEDERAL COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE AUDIÊNCIA PÚBLICA: IDÉIAS E PROPOSTAS PARA A EDUCAÇÃO BRASILEIRA PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO SESI

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

Tecnologia em Produção de Grãos

Tecnologia em Produção de Grãos Tecnologia em Produção de Grãos Nível/Grau: Superior/Tecnólogo Vagas: 30 Turno: Matutino Duração: 3 anos mais estágio (7 semestres) Perfil do Egresso O profissional estará capacitado para: Produzir grãos

Leia mais

O guia completo da Engenharia: Saiba como escolher o seu curso e se destacar no mercado de trabalho

O guia completo da Engenharia: Saiba como escolher o seu curso e se destacar no mercado de trabalho O guia completo da Engenharia: Saiba como escolher o seu curso e se destacar no mercado de trabalho INTRODUÇÃO Hoje, na FSG, podemos dizer que aproximadamente 85% dos alunos já estão empregados ou realizando

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação 1. Apresentação Em novembro a comunidade do IFSC Câmpus Canoinhas elegerá seus novos dirigentes: Diretor Geral, Chefe de Departamento de Ensino, Pesquisa e

Leia mais

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação do Ministério da Educação, as Atividades Complementares passaram a figurar como importante componente dos Cursos Superiores

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/09/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos DESIGN 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado HABILITAÇÃO: Projeto do Produto PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO Objetivo: Proporcionar

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

Perfil do Curso. O Mercado de Trabalho

Perfil do Curso. O Mercado de Trabalho Perfil do Curso É o gerenciamento dos recursos humanos, materiais e financeiros de uma organização. O administrador é o profissional responsável pelo planejamento das estratégias e pelo gerenciamento do

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA,

Leia mais

APRÊMIO NACIONAL DE GESTÃO EDUCACIONAL - 2011 ANEXO 04 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

APRÊMIO NACIONAL DE GESTÃO EDUCACIONAL - 2011 ANEXO 04 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO APRÊMIO NACIONAL DE GESTÃO EDUCACIONAL - 2011 ANEXO 04 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO ECUCACIONAL 1.1. Histórico da prática eficaz Universidade Positivo é a Instituição de Educação

Leia mais

Projeto Pedagógico de Curso

Projeto Pedagógico de Curso 2012 UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO Projeto Pedagógico de Curso UNIVERSIDADE CUIABÁ DE FACULDADE DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE ENGENHARIA E

Leia mais

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição.

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. TURMA 3 Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE GESTÃO FARMACEUTICA EMPRESARIAL

Leia mais

COMPONENTES CURRICULARES POR TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 7591/2013

COMPONENTES CURRICULARES POR TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 7591/2013 COMPONENTES CURRICULARES POR TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 7591/2013 1. Gestão Empresarial (EII) / Ciências Administrativas (qualquer modalidade) Geral Ciências Administrativas Ciências Contábeis Ciências

Leia mais

Faculdade Figueiredo Costa 42/73

Faculdade Figueiredo Costa 42/73 42/73 CAPITULO VIII GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA AS ATRIBUIÇÕES, ÁREAS DE ATUAÇÃO E O MERCADO DE TRABALHO Engenharia Elétrica é o ramo da engenharia que estuda a energia elétrica, suas propriedades

Leia mais

UNI VERSI DADE DE PERNAMBUCO PEDRO DE ALCÂNTARA NETO

UNI VERSI DADE DE PERNAMBUCO PEDRO DE ALCÂNTARA NETO UNI VERSI DADE DE PERNAMBUCO PEDRO DE ALCÂNTARA NETO OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia Naval e Offshore na UPE desenvolvem a capacidade para planejar, desenvolver

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares ABEPRO Associação Brasileira de Engenharia de Produção DOCUMENTO NÃO CONCLUÍDO Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares Documento elaborado nas reuniões do grupo de trabalho de graduação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA CIVIL MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Civil do CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTACIO RADIAL DE SÃO PAULO tem por missão graduar Engenheiros Civis

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO

ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO ADMINISTRAÇÃO / BACHARELADO Dos cursos mais procurados pelos estudantes, o de Administração é um dos mais novos. Enquanto Medicina e Direito formam profissionais desde o século 19, foi apenas em 1946 que

Leia mais