CATÁLOGO DE TECNOLOGIAS DISPONÍVEIS PARA LICENCIAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CATÁLOGO DE TECNOLOGIAS DISPONÍVEIS PARA LICENCIAMENTO"

Transcrição

1 CATÁLOGO DE TECNOLOGIAS DISPONÍVEIS PARA LICENCIAMENTO

2 Catálogo de Tecnologias SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 AGROPECUÁRIA E AGROINDÚSTRIA... 4 ENERGIA PETRÓLEO, GÁS E BIOCOMBUSTÍVEL SAÚDE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL ENGENHARIA ACESSIBILIDADE SOFTWARES Página 2

3 Catálogo de Tecnologias Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Catálogo de Tecnologias Escritório de Transferência de Tecnologia ETT/PUCRS APRESENTAÇÃO O Escritório de Transferência de Tecnologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (ETT/PUCRS) é o setor responsável dentro da universidade pela gestão do seu patrimônio intelectual. Ligado a Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento (PROPESQ) da PUCRS, o ETT foi criado em março de 2005 para promover a aplicação prática dos resultados da pesquisa universitária para o benefício público, através do licenciamento de ativos intangíveis e outras formas de transferência de tecnologia. Nesta perspectiva, é com satisfação que apresentamos o Catálogo de Tecnologias da PUCRS. A publicação está dividida por áreas de pesquisa e tem o objetivo de divulgar as tecnologias disponíveis para licenciamento na universidade. Traz informações sobre as funcionalidades de cada invenção, as vantagens adquiridas com sua implantação e quais as áreas de mercado onde cada invento pode ser empregado. Além disso, estão listados no catálogo e também disponíveis para licenciamento, os softwares registrados pela PUCRS. As tecnologias descritas no catálogo são resultantes das atividades de pesquisa e desenvolvimento da PUCRS e referem-se a produtos e processos tecnológicos, cuja proteção da propriedade intelectual está requerida no Brasil e algumas ainda no exterior. Desta forma, a divulgação do catálogo também traz oportunidades de parceria com empresas em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P, D&I) facilitando a aproximação do setor acadêmico com o empresarial. Página 3

4 Catálogo de Tecnologias AGROPECUÁRIA E AGROINDÚSTRIA Página 4

5 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : PROCESSO DE CULTIVO DE PLANTAS SOB CONDIÇÕES DE HIPERGRAVIDADE Descrição da Tecnologia: Equipamento e processo capazes de induzir os efeitos causados pelo excesso de gravidade, sendo aplicado na modulação, germinação e/ou do desenvolvimento pós-germinativo de plantas de diferentes espécies em um ambiente de centrifugação intermitente. Funcionalidade: O presente processo permite aumento na produtividade total, diminuição do tempo de crescimento, redução da poluição agrotóxica e aumento na qualidade dos produtos e otimização dos custos de produção. Vantagens: Aumento da taxa de germinação, acelerado (redução de tempo de cerca de 50%) e eficiente desenvolvimento, elevada taxa de crescimento (volume e massa) e de produção de metabólitos secundários quando comparados aos processos de cultivo em ambiente com gravidade normal, gerando espécies mais resistentes, produtivas e sustentáveis. Inventores: Thais Russomano, Felipe Prehn Falcão, Leandro Vieira Astarita, Clarice Azevedo Machado, Priscilla Collin, Amanda Assunção Vieira, Marlise Araújo dos Santos Data de depósito: 09/07/2007 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Agroindústria, Madeira Celulose e Móveis. Página 5

6 Catálogo de Tecnologias PI : DISPOSITIVO PARA COLETA DE PRÓPOLIS E MÉTODO DE COLETA DE PRÓPOLIS Descrição da Tecnologia: O presente equipamento refere-se a uma caixa para coleta de própolis de colméias de insetos, entre eles, abelhas. A caixa está dividida em dois compartimentos: um possui um revestimento interno para regulação térmica na área dos favos de cria e para abertura a entrada e saída das abelhas, além de servir também de dreno no caso de acúmulo de umidade. A particularidade desse modelo está no topo da colméia, que possui um conjunto de três peças, sendo que a peça central é móvel e possui uma fenda na linha longitudinal central. Funcionalidade: Através da fenda, por onde entra claridade e calor/frio, as abelhas iniciarão o seu fechamento, tapando-a na parte interna com própolis. Uma vez que a fenda é vedada, a peça é removida, recorta-se o filete de própolis e a peça é recolocada para que o processo seja recomeçado. Além de servir para coleta de própolis evitando a presença de contaminantes como tinta, madeira e outras impurezas, o equipamento Vantagens: Obtenção de própolis recente, limpo de contaminantes e de fácil extração. O contato com a colônia é mínimo, reduzindo o estresse das abelhas, decorrente do manejo e do perigo de ataque de invasores. Visa também a proteção das variações bruscas de temperatura, especialmente em regiões de clima frio. Caso deseje-se a produção de mel, basta manter o filete de própolis de modo que a colônia dedique-se exclusivamente à produção de mel. Inventores: Miro Leopoldo Reckziegel Data de depósito: 20/07/2007 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Agroindústria, Saúde Avançada e Medicamentos. Página 6

7 Catálogo de Tecnologias PI : EQUIPAMENTO PARA INCUBAÇÃO DE PEIXES E OUTROS ANIMAIS E PROCESSO DE CULTIVO DE PEIXES E OUTROS ANIMAIS Descrição da Tecnologia: A presente invenção revela um equipamento para incubação de peixes e outros corpos de prova e um processo de cultivo de peixes e outros animais, ambos utilizando o conceito inventivo de impor uma condição de microgravidade em terra como forma de aumentar a eficiência de produção/desenvolvimento de peixes e outros animais em diferentes estágios de desenvolvimento. Funcionalidade: A tecnologia consiste em acelerar o desenvolvimento (crescimento/ tempo) em espécies de peixes e outros animais. Vantagens: O cultivo de peixe utilizando o presente equipamento é mais eficiente do que a extração na exploração de um recurso finito (pesca convencional), porque não são necessários esforços de procura, a produção é proporcional ao esforço e, portanto pode ser previsível. As condições ambientais podem ser controladas e as características genéticas manipuladas para incrementos na produção. Consegue-se aumentar significativamente a quantidade de peixe produzido comparativamente com a pesca, mas as perspectivas são que a primeira substitua a segunda. O cultivo de peixes oferece vantagens sociais às populações de inúmeros países onde o pescado marinho não pode chegar em boas condições sanitárias e a preços razoáveis. Além disso, alguns vêem a produção orgânica de peixes como uma forma de manter a qualidade do pescado, sem alterar o equilíbrio ambiental. Inventores: Dario Francisco Guimarães de Azevedo, Thais Russomano Data de depósito: 08/07/2008 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Agroindústria, Indústria Oceânica e Polo Naval. Página 7

8 Catálogo de Tecnologias PI : EXTRATO BACTERIANO ELICIADOR, PROCESSO PARA SUA EXTRAÇÃO, COMPOSIÇÃO COMPREENDENDO EXTRATO E PROCESSO DE ESTIMULAÇÃO DA DEFESA DE PLANTAS Descrição da Tecnologia: A presente invenção descreve uma composição estimulante do metabolismo responsável pelo mecanismo de defesa contra doenças, em especial plantas pertencentes ao gênero Solanum. Funcionalidade: Poucas aplicações do produto atóxico promovem o retardo no aparecimento de doenças em batata e diminui/elimina a necessidade do uso de agrotóxicos, sem comprometer o crescimento das plantas. Vantagens: Trata-se de um produto natural aplicado em pequena quantidade, com ação de amplo espectro que fornece pelo menos duas vezes mais proteção contra doenças nas lavouras de batatas quando comparado com produto comercial (BION - Syngenta). Inventores: Leandro Vieira Astarita, Fernando Rostirolla Dalmas, Vera Aparecida Dus Poiatti Data de depósito: 16/12/2008 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Agroindústria. Página 8

9 Catálogo de Tecnologias PI : SISTEMA PARA ARMAZENAMENTO DE GRÃOS E PROCESSO PARA SECAGEM DE GRÃOS - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Fabian Luis Vargas, Juliano D Ornelas Benfica Data de depósito: 29/12/2010 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Agroindústria. Página 9

10 Título Catálogo do documento de Tecnologias ENERGIA Página 10

11 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE CÉLULAS SOLARES Descrição da Tecnologia: Processo de fabricação de células solares que compreende (i) corte e limpeza do silício multicristalino utilizando mecanismos de Gettering, texturação, passivação, filme antireflexo, (ii) difusão de fósforo, (iii) metalização por serigrafia com alumínio, (iv) deposição de contatos nas duas faces, (v) deposição de camada antirefletora. Funcionalidade: Trata-se de um processo para a fabricação de células solares em um forno que possibilita a conversão da radiação solar em energia elétrica, substituindo fontes tradicionais de eletricidade. Vantagens: A utilização de células fotovoltaicas supre a necessidade de energia das propriedades, alimentando aparelhos elétricos e de comunicação, o que também, contribui para o desenvolvimento do meio rural. No meio urbano, a sua utilização pode ocorrer por meio de sistemas integrados à rede elétrica existente, beneficiando o usuário com a redução da conta de luz e, ainda, minimizar o impacto da produção de energia no meio ambiente. Essa forma de produção de energia se destaca por não gerar resíduo ou qualquer tipo de poluição, contribuindo para a preservação dos recursos naturais. A célula solar fotovoltaica tem alta confiabilidade por não haver perda da energia na distribuição e pelo fato de utilizar uma fonte renovável. Assim, oferece baixo custo de manutenção em sua utilização. O presente processo permite melhoria na qualidade e durabilidade das células solares produzidas. Inventores: Adriano Moehlecke, Izete Zanesco Data de depósito: 28/11/2003 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Reciclagem e Despoluição, Semicondutores, Automotivo e Implementos Rodoviários, Máquinas e Implementos Agrícolas, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Software, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações Página 11

12 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : APLICAÇÃO DE MATERIAL POLIOLEFÍNICO EM PROTETOR PARA CABOS DE REDES ELÉTRICAS AÉREAS E PROTETOR PARA CABOS DE REDES ELÉTRICAS AÉREAS RESULTANTES Descrição da Tecnologia: Esta tecnologia compreende um protetor de cabos de redes elétricas aéreas de até 25 KV. Entre as aplicações do produto, está a possibilidade de colocação e de desenvolvimento das atividades citadas sem interrupção da distribuição de energia. O produto funciona como um isolador dos cabos elétricos, permitindo o contato com os mesmos sem risco de passagem da corrente elétrica. Funcionalidade: Esta invenção surgiu da necessidade de prevenir acidentes próximos a redes elétricas aéreas, que podem ser causados por atividades como poda de árvores, construção civil, instalação de painéis, entre outras, que possam ensejar o contato com os cabos elétricos. Vantagens: É fabricado por injeção de material polimérico de baixo custo, com design inovador e que permite uma fácil instalação sobre os cabos, através de encaixes mecânicos entre as peças, que são fixadas umas nas outras por meio de encaixe macho e fêmea. Contém, ainda, travas para vedar a entrada de água entre as conexões. O protótipo do produto já foi testado com êxito e atingiu os objetivos. Inventores: Álvaro Medeiros de Farias Theisen, Sandra Mara Oliveira Einloft, Jonas Alves Fernandes, Lisandra Catalan do Amaral, João Berbardes da Rocha Filho Data de depósito: 29/07/2005 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Energia Eólica, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações. Página 12

13 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : PROCESSO DE LIMPEZA SUPERFICIAL COM ATAQUE ISOTRÓPICO PARA LÂMINAS DE SILÍCIO TEXTURADAS - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Izete Zanesco, Adriano Moehlecke, Gabriel Zottis Filomena. Data de depósito: 27/08/2012 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência Mantenedora da PUCRS (BR/RS); Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica - CEEE-GT; Eletrosul Centrais Elétricas S.A. Área Aplicável: Semicondutores, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações. Página 13

14 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CÉLULAS SOLARES COM OTIMIZAÇÃO DA QUALIDADE DAS LÂMINAS DE SILÍCIO DURANTE A DIFUSÃO DE ALUMÍNIO - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Izete Zanesco, Adriano Moehlecke, Márcia da Silva Pereira. Data de depósito: 27/08/2012 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora DA PUCRS (BR/RS); Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica CEEE-GT; Eletrosul Centrais Elétricas S.A. Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Semicondutores, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações. Página 14

15 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : FORNO E MÉTODO PARA PROCESSAMENTO DE LÂMINAS DE SILÍCIO - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Izete Zanesco, Adriano Moehlecke. Data de depósito: 30/11/2012 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora DA PUCRS (BR/RS). Área Aplicável: Reciclagem e Despoluição, Semicondutores, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações. Página 15

16 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : PROCESSO PARA FORMAÇÃO DE REGIÕES SELETIVAS EM CÉLULAS SOLARES COM RADIAÇÃO LASER - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Izete Zanesco, Adriano Moehlecke, Eduardo Augusto Zenzen. Data de depósito: 30/11/2012 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora DA PUCRS (BR/RS). Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Reciclagem e Despoluição, Semicondutores, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações. Página 16

17 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : PROCESSO DE DIFUSÃO DE DOPANTES EM LÂMINAS DE SILÍCIO PARA A FABRICAÇÃO DE CÉLULAS SOLARES - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Izete Zanesco, Adriano Moehlecke. Data de depósito: 30/11/2012 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora DA PUCRS (BR/RS). Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Reciclagem e Despoluição, Semicondutores, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações. Página 17

18 Título Catálogo do documento de Tecnologias PETRÓLEO, GÁS E BIOCOMBUSTÍVEL Página 18

19 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : REATOR PARA VÁRIAS OPERAÇÕES UNITÁRIAS E PROCESSO REACIONAL - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Luis Alcides Brandini de Boni, Fabiano Zanon, Gabriel Aydos de Assis, Marcírio Ruschel Oliveira. Data de depósito: 14/12/2010 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS). Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Saúde Avançada e Medicamentos, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Petroquímica, Produtos de Borracha e Material Plástico. Página 19

20 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : COMPÓSITO METÁLICO, PROCESSO PARA SUA PRODUÇÃO E EQUIPAMENTOS COMPREENDENDO TAIS COMPÓSITOS - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Luis Alcides Brandini De Boni, Fabiano Zanon, Gabriel Aydos de Assis, Marcírio Ruschel Oliveira. Data de depósito: 14/12/2010 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS). Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Automotivo e Implementos Rodoviários, Máquinas e Implementos Agrícolas, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Petroquímica, Produtos de Borracha e Material Plástico. Página 20

21 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : PROCESSO DE PROTEÇÃO DE BIODIESEL E BIODIESEL OBTIDO POR TAL PROCESSO - Tecnologia depositada em sigilo - Para mais informações entre em contato com o Escritório de Transferência de Tecnologia da PUCRS Inventores: Jairton Dupont, Marlise Araújo dos Santos, Brenno Amaro da Silveira Neto, Thais Russomano, Felipe Prehn Falcão. Data de depósito: 03/06/2011 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (BR/RS) Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos, Agroindústria. Página 21

22 Título Catálogo do documento de Tecnologias SAÚDE Página 22

23 Título do documento Catálogo de Tecnologias MU : DISPOSIÇÃO CONSTRUTIVA APLICADA EM DISPOSITIVO PARA AVALIAÇÃO DO ALINHAMENTO E COLIMAÇÃO DO FEIXE DE RAIOS X DE ESTATIVAS BUCKY VERTICAIS Descrição da Tecnologia: A presente patente tem por objetivo avaliar o alinhamento e colimação do feixe de raios x, de estativas bucky verticais, o que vai de encontro com as características dos instrumentos existentes, já que os testes são realizados atualmente em mesas de exames radiológicos horizontais. Pode-se dizer que os instrumentos existentes hoje, como por exemplo, a Gaveta Bucky Vertical (sistema utilizado para introduzir o chassis durante a realização do exame de raios X) apresenta imprecisão, instabilidade mecanicamente e difícil montagem, sendo indispensável sua calibração. Uma vez calibrada a Gaveta Bucky Vertical, há uma redução no número de repetições de exames durante o procedimento. Funcionalidade: É um sistema capaz de avaliar com um grau mínimo de exatidão, o percentual de desvio do campo de colimação da área desejada pelo operador à área real incidida pela radiação ionizante, neste caso, emitida por raios X e, da mesma forma, avaliar o grau em ângulo, do desvio do feixe incidente no ponto de interesse. Vantagens: O invento também se destaca por garantir precisão no alinhamento dos feixes de raios X e confiabilidade nos resultados, estabilidade mecânica, além de ser de fácil manuseio, permitindo que o alinhamento do sistema seja avaliado nos locais de uso. O diferencial dessa tecnologia é permitir menor exposição aos raios X, tanto do paciente como da equipe envolvida. Inventores: Celso Renato Vieira dos Santos, Célia Regina Dal Mas, Gerson Luis Gonçalves Staevie Data de depósito: 18/05/2001 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos. Página 23

24 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : KIT PARA SURDEZ IMUNOMEDIADA Descrição da Tecnologia: O kit possui placas de plástico com proteína acoplada, controles positivos e negativos para o teste, a partir de misturas (pools) de soros de pacientes testados. O kit possui ainda a proteína purificada, graças ao isolamento do gene, que codifica para o antígeno, permitindo que esse seja sintetizado e purificado em grandes quantidades. Esta invenção se trata de um complemento do processo diagnóstico para detecção de anticorpos contra a proteína HSP70, com pedido de patente já depositado. Funcionalidade: O kit é destinado a diagnosticar um distúrbio de audição neurossensorial, que normalmente não possui tratamento e que pode levar à perda da audição do paciente. Vantagens: O presente Kit é mais específico do que o teste diagnóstico hoje existente no mercado e com maior sensibilidade, auxiliando no prognóstico de pacientes em tratamento. O presente pedido da patente possui custo inferior e, por ser mais específico, reduzirá a margem de resultados falsos positivos. Inventores: Cristina Beatriz Cazabuena Bonorino Data de depósito: 05/02/2002 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos. Página 24

25 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : SISTEMA PARA RECONHECIMENTO DA VOZ ATRAVÉS DE ARQUITETURA HETEROGÊNEA (HARDWARE- SOFTWARE). Descrição da Tecnologia: Esta patente refere-se à implementação de um sistema para reconhecimento da voz, especialmente para operar através do comando do locutor, tais como telefones móveis, computadores, câmeras digitais e quaisquer outros aparelhos que tenham acessibilidade para a sua utilização. A tecnologia é constituída por uma arquitetura heterogênea, com componentes de hardware e software, que garantem a operacionalidade do mesmo. Funcionalidade: O algoritmo utilizado neste sistema visa a promover a eliminação das várias fontes de ruído existente no ambiente. A interface hardware-software é formada por um canal por onde é enviada, do software para o hardware, a informação digital que deve ser reconhecida. Existem algumas soluções heterogêneas baseadas em hardwaresoftware no mercado, porém os algoritmos implementados são complexos e baseados somente em arquitetura do tipo microprocessador de DSP, o qual executa um código précompilado, limitando o desempenho do sistema atual quando em funcionamento em ambientes reais. Vantagens: A presente invenção, cuja implementação é parcialmente em hardware, tem como vantagem o fato de proporcionar o desenvolvimento de sistemas eletrônicos para aplicações móveis, que possam fazer o reconhecimento de voz em tempo real, mesmo em meio ruidoso. Inventores: Fabian Luis Vargas, Rubem Dutra Ribeiro Fagundes, Daniel Barros Júnior Data de depósito: 15/02/2002 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Indústria Oceânica e Pólo Naval, Semicondutores, Saúde Avançada e Medicamentos, Indústria da Criatividade, Agroindústria, Automotivo e Implementos Rodoviários, Máquinas e Implementos Agrícolas, Equipamentos para Indústria de Petróleo e Gás, Software, Eletroeletrônica Automação e Telecomunicações. Página 25

26 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : COLETOR DE SANGUE ARTERIALIZADO DO LÓBULO DA ORELHA Descrição da Tecnologia: O coletor de sangue é constituído por um dispositivo de fixação da orelha e vedação (1), que atua como interface com a anatomia humana, como barreira impeditiva para a saída do sangue e como suporte para um dispositivo de coleta (2), que será acoplado ao mesmo e propicia a coleta e armazenamento do sangue. O dispositivo de coleta (2) é subdividido em módulos de corte (3), coleta (4) e oclusão do corte (5), dispostos em uma estrutura giratória acionada por manipulador (9), que ao ser girado posiciona e alinha cada módulo (3, 4 e 5) com uma abertura (8) que permite contato dos mesmos com a área de coleta de sangue. Funcionalidade: O presente equipamento trata-se de um coletor de sangue do lóbulo da orelha do paciente. O dispositivo e a técnica são passíveis de serem utilizados em ambientes de microgravidade e que torna a invenção adequada para a coleta de sangue inclusive em missões espaciais, uma vez que no espaço não havia como coletar sangue arterial, devido à gravidade que impedia tal ação. Vantagens: Uma das principais vantagens do equipamento é funcionar como também uma barreira impeditiva para a saída do sangue e como suporte para um dispositivo de coleta, que será acoplado ao mesmo, além de ser eficaz na coleta e armazenamento do sangue. Outras vantagens do presente coletor é que ele é de uso prático, de fácil manuseio, não necessitando treinamento ou pessoa especializa, proporciona ainda a eliminação do risco infecção da corrente sanguínea por manipulação da seringa ou cateter, riscos de acidente perfurocortante, punção acidental da artéria, lesão nervosa, podendo ser aplicado em situações de emergência e em missões espaciais. Inventores: Thais Russomano, Jorge Luiz Gavillon, Carlos Luiz Schossler, Celso Renato Vieira dos Santos, Dario Francisco Guimarães de Azevedo, Ester Luiza Pivatto Louzada, Mário Vian Data de depósito: 30/08/2002 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos. Página 26

27 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : APLICAÇÃO DE FLUNARIZINA E CINARIZINA NO TRATAMENTO DE TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS Descrição da Tecnologia: Se refere ao uso de flunarizina para a preparação de medicamento oral para tratamento de transtornos psiquiátricos graves, como esquizofrenia, transtorno esquizoafetivo e transtorno afetivo bipolar. Funcionalidade: O mecanismo de ação atribuído à flunarizina é prevenir os efeitos deletérios da sobrecarga de cálcio celular por reduzir o influxo excessivo de cálcio, sem afetar os níveis normais de cálcio. Vantagens: Os tratamentos existentes normalmente apresentam várias limitações, como eficácia limitada, sintomas colaterais agudos ou crônicos que restringem o uso, além de posologia freqüentemente desconfortável para os pacientes que diminui a adesão ao tratamento. As vantagens do uso da flunarizina são a melhora do desempenho cognitivo em humanos, poucos efeitos adversos, tanto agudos como de longo prazo, eficácia em sintomas negativos e posologia simples. Inventores: Diogo Rizzato Lara Data de depósito: 17/07/2003 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos. Página 27

28 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : USO DE CINARIZINA NO TRATAMENTO DE TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS (caso especial) Descrição da Tecnologia: Se refere ao uso de cinarizina para a preparação de medicamento oral para tratamento de transtornos psiquiátricos graves, como esquizofrenia, transtorno esquizoafetivo e transtorno afetivo bipolar. Funcionalidade: Composto relacionado à flunarizina que apresenta as mesmas propriedades terapêuticas para tratar transtornos psiquiátricos graves. Vantagens: Os tratamentos existentes normalmente apresentam várias limitações, como eficácia limitada, sintomas colaterais agudos ou crônicos que restringem o uso, além de posologia freqüentemente desconfortável para os pacientes que diminui a adesão ao tratamento. As vantagens do uso da flunarizina são a melhora do desempenho cognitivo em humanos, poucos efeitos adversos, tanto agudos como de longo prazo, eficácia em sintomas negativos e posologia simples. Inventores: Diogo Rizzato Lara Data de depósito: 17/07/2003 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos. Página 28

29 Título do documento Catálogo de Tecnologias PI : PROCESSO DE DIAGNÓSTICO PARASITOLÓGICO DE HELMINTÍASE APLICAÇÃO E KIT Descrição da Tecnologia: Trata-se de um kit para diagnóstico da esquistossomose sensível e especifico. A presente tecnologia permite a purificação dos ovos do parasito Schistosoma mansoni a partir de 30g de matéria fecal bruta, com sensibilidade de 100% até quantidade muito pequena de ovos, na ordem de 1,3 ovos por grama de fezes. Além disso, utiliza-se da visualização ao microscópio de luz e tem a vantagem de garantir máxima especificidade, ou seja, é muito difícil para o observador treinado reconhecer como ovo de Schistosoma mansoni uma estrutura que não o seja. Funcionalidade: Como padrão-ouro em comparação com todos os outros métodos de diagnóstico; definição de critério comparativo de infecção em estudos populacionais em áreas endêmicas da parasitose; avaliação da eficácia de vacinas, da eficácia de tratamento e no diagnóstico laboratorial em países desenvolvidos, nas clínicas de Medicina dos Viajantes ( Travel Medicine ). Vantagens: Mais sensível e específico que os métodos clássicos, eficaz como método confirmatório de diagnóstico, dentro de um sistema de varredura, nas áreas de baixa intensidade de transmissão da esquistossomose, sejam focos de recente introdução ou focos resultantes de medidas ineficazes de controle. Inventores: Carlos Graeff Teixeira, Cândida Fagundes Teixeira, Erli Neuhauss Data de depósito: 14/10/2005 Titulares: União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS). Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos. Página 29

30 Título Catálogo do documento de Tecnologias PI : DISPOSITIVO PARA DIGITALIZAÇÃO DE ESTRUTURAS DENTÁRIAS MÉTODO PARA LEITURA DE DADOS 3D ESTRUTURA DENTÁRIA E KIT UTILIZADO EM SCANNER DE BOCA Descrição da Tecnologia: A presente invenção trata de um dispositivo para a leitura e para fornecimento de informação especial (digitalização) de estruturas dentárias. O procedimento de moldagem tradicional envolve tempo e trabalho minucioso, desgaste do paciente, resultando em modelos em gesso que, muitas vezes, são infiéis aos detalhes, com muitas distorções, obrigando o profissional a repetir os procedimentos. A digitalização de estruturas dentárias é um processo difícil e que requer grande precisão. Nos digitalizadores disponíveis, a precisão é prejudicada pela complexidade do funcionamento do aparelho ou pela natural imprecisão do trabalho humano. Funcionalidade: O objetivo da invenção é fornecer um método clinico odontológico para a produção de moldes de estruturas dentárias, a partir de um dispositivo que não cause desconforto para o paciente, e que gere dados tridimensionais apurados para que a estrutura dentária seja utilizada para imprimir um molde em três dimensões. Esse fato representa uma grande evolução no procedimento clínico de moldagem em prótese fixa. Uma impressão deve reproduzir os dentes preparados, os dentes vizinhos e os tecidos adjacentes, nas dimensões exatas das zonas registradas, como propõe esta invenção. Vantagens: O equipamento permite a construção de unidades protéticas mais precisas e eficientes, gerando dados tridimensionais inequívocos. A prototipagem é mais rápida, além de se tornar útil nos estudos de simulação para a construção de prótese dentária. Inventores: Gabriela Cé, Renato Oliveira Rosa, Manuel Menezes de Oliveira Neto Data de depósito: 09/12/2005 Titulares: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (BR/RS) e União Brasileira de Educação e Assistência - Mantenedora da PUCRS (BR/RS) Área Aplicável: Saúde Avançada e Medicamentos. Página 30

Mutação e Engenharia Genética

Mutação e Engenharia Genética Mutação e Engenharia Genética Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Mutações erros não programados que ocorrem durante o processo de autoduplicação do DNA e

Leia mais

REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS

REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS MERCOSUL/GMC/RES.Nº 72/98 REGULAMENTO TÈCNICO REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E EFICÁCIA DOS PRODUTOS MÉDICOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Resoluções Nº 91/93,

Leia mais

Diário Oficial da União DOU 10 de abril de 2001

Diário Oficial da União DOU 10 de abril de 2001 Diário Oficial da União DOU 10 de abril de 2001 RESOLUÇÃO - RDC Nº 56, DE 6 DE ABRIL DE 2001 Estabelece os requisitos essenciais de segurança e eficácia aplicáveis aos produtos para saúde, referidos no

Leia mais

CARTÕES DE COLETA DE AMOSTRAS

CARTÕES DE COLETA DE AMOSTRAS CARDS CARTÕES DE COLETA DE AMOSTRAS Os cartões para extração Biopur proporcionam uma coleta simples, confiável e eficiente, garantindo a preservação de ácidos nucleicos a longo prazo. São ideais para o

Leia mais

12/11/2012. Matriz Transdérmica à Base de Biopolímeros e Potenciadores Naturais de Permeação para Incorporação de Fármacos.

12/11/2012. Matriz Transdérmica à Base de Biopolímeros e Potenciadores Naturais de Permeação para Incorporação de Fármacos. Matriz Transdérmica à Base de Biopolímeros e Potenciadores Naturais de Permeação para Incorporação de Fármacos. Mestranda - Rosana Mírian Barros Mendes Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas/UFPI

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Área de Concentração em Clínica Cirúrgica Cirurgia Videolaparoscópica Prof. Dr. Alexandre Vontobel Padoin (alexandre.padoin@pucrs.br) Marcadores Tumorais e Angiogênese em Oncologia Prof. Dr. Gustavo Franco

Leia mais

EQUIPAMENTOS. Transferência mecânica:

EQUIPAMENTOS. Transferência mecânica: EQUIPAMENTOS Transferência mecânica: Objetivos do equipamento: a) Garantir o acesso seguro à piscina para qualquer pessoa, b) Previnir possíveis riscos de acidente nas transferências ou manipulações, c)

Leia mais

Rio de Janeiro, 23 de junho de 2008.

Rio de Janeiro, 23 de junho de 2008. Rio de Janeiro, 23 de junho de 2008. A presente nota objetiva auxiliar na discussão acerca da definição da expressão derivados dos recursos genéticos no âmbito da internalização do terceiro objetivo da

Leia mais

Sua melhor opção. Manual de Orientação 1

Sua melhor opção. Manual de Orientação 1 Sua melhor opção. Manual de Orientação 1 2 Manual de Orientação Julho/2013 (2 a edição) Indice Orientação ao Paciente Introdução 04 Implantes dentais 04 Titânio - a matéria-prima dos implantes 05 Osseointegração

Leia mais

SECTOR DA SAÚDE. Investigador Entidade. Nº Pág.

SECTOR DA SAÚDE. Investigador Entidade. Nº Pág. SECTOR DA SAÚDE Nº Perfil das PME e Associações Industriais Requeridas Projecto Pretende-se uma empresa que invista na tecnologia associada ao desenvolvimento do projecto, nomeadamente para os testes in

Leia mais

O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI

O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI Francisca Miriane de Araújo- NOVAFAPI Lorena Bezerra Barros- NOVAFAPI Marcela de Lacerda Valença- NOVAFAPI Márcio Edivandro

Leia mais

Ensaios Não Destrutivos

Ensaios Não Destrutivos Ensaios Não Destrutivos DEFINIÇÃO: Realizados sobre peças semi-acabadas ou acabadas, não prejudicam nem interferem a futura utilização das mesmas (no todo ou em parte). Em outras palavras, seriam aqueles

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

Limpeza é fundamental!

Limpeza é fundamental! Limpeza é fundamental! Limpeza é absolutamente fundamental quando o assunto é a produção de alimentos de forma higiênica. A prioridade é evitar a proliferação de germes e eliminar corpos estranhos. Além

Leia mais

Introdução 5. Noções básicas 6. Processo de fabricação 7. Exemplo de fabricação de um FET 12

Introdução 5. Noções básicas 6. Processo de fabricação 7. Exemplo de fabricação de um FET 12 Sumário Introdução 5 Noções básicas 6 Processo de fabricação 7 Exemplo de fabricação de um FET 12 Encapsulamento 15 Confiabilidade de circuitos integrados 17 Cuidados de montagem 17 Apêndice 18 Questionário

Leia mais

ChemoLock. Definindo um novo padrão para a segurança de drogas de risco. Você simplesmente não adora quando as coisas são simples?

ChemoLock. Definindo um novo padrão para a segurança de drogas de risco. Você simplesmente não adora quando as coisas são simples? Apresentando ChemoLock Dispositivo de transferência de sistema fechado sem agulha O primeiro CSTD sem agulha a receber aprovação da FDA 510(k) para aplicações em composições farmacêuticas (ONB) e administração

Leia mais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais Riscos Ambientais Riscos Ambientais São os agentes, elementos ou substâncias presentes nos locais de trabalho. A exposição dos trabalhadores a estes agentes pode causar acidentes com lesões ou danos à

Leia mais

PROGRAMA INOVACRED /FINEP. Empresas com receita bruta anual ou anualizada de até R$ 90 milhões, divididas nos seguintes portes:

PROGRAMA INOVACRED /FINEP. Empresas com receita bruta anual ou anualizada de até R$ 90 milhões, divididas nos seguintes portes: PROGRAMA INOVACRED /FINEP Classificação do porte das empresas Empresas com receita bruta anual ou anualizada de até R$ 90 milhões, divididas nos seguintes portes: Porte I empresas com receita operacional

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

Rachel Siqueira de Queiroz Simões, Ph.D rachelsqsimoes@gmail.com rachel.simoes@ioc.fiocruz.br

Rachel Siqueira de Queiroz Simões, Ph.D rachelsqsimoes@gmail.com rachel.simoes@ioc.fiocruz.br Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Casa da Medicina Unidade Gávea Coordenação Central de Extensão EPIDEMIOLOGIA MOLECULAR Rachel Siqueira de Queiroz

Leia mais

APOSTILA DE RADIOLOGIA

APOSTILA DE RADIOLOGIA APOSTILA DE RADIOLOGIA 2013 Autores ANZILIERO, Luciano. Esp. Curso de Odontologia da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões Campus de Erechim. BELEDELLI, Rodrigo. Ms. Curso de Odontologia

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 Folha: 1 / 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Principais usos recomendados: Master de acelerador de vulcanização de borracha MBTS-80. Acelerador de vulcanização;

Leia mais

LÓGICA DA GESTÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS PERIGOSOS

LÓGICA DA GESTÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS PERIGOSOS LÓGICA DA GESTÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS PERIGOSOS III Seminário Estadual de Acidentes com Produtos Perigosos Belo Horizonte, 27 a 29 de maio de 2008. Gilmar da Cunha Trivelato FUNDACENTRO - CRMG Objetivo

Leia mais

TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA

TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA Augusto Schneider Carlos Castilho de Barros Faculdade de Nutrição Universidade Federal de Pelotas TÉCNICAS Citologia Histologia Imunohistoquímica Citometria Biologia molecular

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Portfólio Tecnológico - 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Portfólio Tecnológico - 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Portfólio Tecnológico - 2013 Título: SISTEMA DE RENOVAÇÃO DE AR APLICÁVEL EM APARELHOS DE AR- CONDICIONADO TIPO SPLIT. Número:

Leia mais

Acesse: http://fuvestibular.com.br/

Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Esse molde é (quase) para sempre Manuais ou mecanizados, de precisão, não importa qual o processo de fundição que tenhamos estudado até agora, todos tinham em comum duas coisas: o fato de que o material

Leia mais

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem O Vírus da Hepatite C (HCV) é considerado o principal agente etiológico responsável por 90 a 95% dos casos de hepatite pós-transfusional não A e não

Leia mais

Projeto Genoma e Proteoma

Projeto Genoma e Proteoma Projeto Genoma e Proteoma Grupo 3: *Artur S. Nascimento *Bárbara S. Costa *Beatrice Barbosa *Tamyres S. E. Guimarães *Yara Cavalcante O que é genoma? O genoma é o conjunto de todo o material genético que

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos ANVISA RDC 306/04 - REGULAMENTO TÉCNICO PARA GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SAÚDE veronica.schmidt@ufrgs.br O perigo do lixo hospitalar. Resíduos biológicos - culturas de microrganismos

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas CEFET-RS. Aula 02. Processo de Fabricação. Prof. Sandro Vilela da Silva. sandro@cefetrs.tche.

Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas CEFET-RS. Aula 02. Processo de Fabricação. Prof. Sandro Vilela da Silva. sandro@cefetrs.tche. Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas CEFET-RS Projeto Físico F Digital Aula 02 Processo de Fabricação Prof. Sandro Vilela da Silva sandro@cefetrs.tche.br Copyright Diversas transparências

Leia mais

Biotecnologia e medicina. Denise Machado

Biotecnologia e medicina. Denise Machado Biotecnologia e medicina Denise Machado Biotecnologia 325 milhões de pessoas no mundo fazem uso de 130 drogas ou vacinas produzidas pelas técnicas da biotecnologia. 70% de tais drogas ou vacinas foram

Leia mais

GRUPO DE ESTUDO DE TRANSFORMADORES, REATORES, MATERIAIS ETECNOLOGIAS EMERGENTES- GTM

GRUPO DE ESTUDO DE TRANSFORMADORES, REATORES, MATERIAIS ETECNOLOGIAS EMERGENTES- GTM XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE Grupo XIII GRUPO DE ESTUDO DE TRANSFORMADORES, REATORES, MATERIAIS ETECNOLOGIAS

Leia mais

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina MATEC ENGENHARIA ENTREGA O MAIOR LABORATORIO PARA PESQUISA DE CÂNCER DA AMÉRICA LATINA Qui, 14/04/11-11h00 SP ganha maior laboratório para pesquisa de câncer da América Latina Instituto do Câncer também

Leia mais

BIOINDICADORES E BIOMARCADORES DE AGROQUÍMICOS NO CONTEXTO DA RELAÇÃO SAÚDE-AMBIENTE

BIOINDICADORES E BIOMARCADORES DE AGROQUÍMICOS NO CONTEXTO DA RELAÇÃO SAÚDE-AMBIENTE BIOINDICADORES E BIOMARCADORES DE AGROQUÍMICOS NO CONTEXTO DA RELAÇÃO SAÚDE-AMBIENTE Cláudio Martin Jonsson Vera Lúcia Castro Jaguariúna, outubro 2005. O modelo de agricultura utilizado atualmente visa

Leia mais

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste.

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste. ESCLEROSE MÚLTIPLA GANHA NOVAS OPÇÕES DE TRATAMENTO. (extraído de http://www.orkut.com.br/main#commmsgs?cmm=17111880&tid=5682929915348274548, em 09/05/2012) Primeira droga em cápsula foi lançada agora

Leia mais

C.GlassR. Ficha técnica. www.t2g.com.br

C.GlassR. Ficha técnica. www.t2g.com.br C.GlassR Ficha técnica Avenida Neyde Modesto de Camargo, 151 Sistema de Envidraçamento- C.Glass (Channel Glass) by T2G Descrição: O Sistema C.Glass é composto por per s de vidros autoportantes, e ao contrário

Leia mais

FIEE Elétrica 2007 Ferramentas para o Monitoramento da Vida Útil de Transformadores

FIEE Elétrica 2007 Ferramentas para o Monitoramento da Vida Útil de Transformadores Ferramentas para o Monitoramento da Vida Útil de Transformadores. Power Transmission and Distribution O transformador é o componente mais crítico de uma subestação Page 2 Abril -2007 Alaor Scardazzi Número

Leia mais

mapa de risco como ferramenta de prevenção de acidentes e minimização de riscos

mapa de risco como ferramenta de prevenção de acidentes e minimização de riscos mapa de risco como ferramenta de prevenção de acidentes e minimização de riscos abordagens na prevenção de acidentes Retrospectivas Análise dos casos de acidentes já ocorridos Prospectivas Mapas de risco

Leia mais

Instruções de Uso TCP DENTAL HP

Instruções de Uso TCP DENTAL HP Visando a praticidade e facilidade ao acesso às instruções de uso, a Ortech Medical está disponibilizando os documentos para download no site: www.ortechmedical.com.br. IMPORTANTE: Para baixar as instruções

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

CURSO EMBALAGENS DE A a V EDIÇÃO NORDESTE. Recife/2013 Accacio Rodrigues

CURSO EMBALAGENS DE A a V EDIÇÃO NORDESTE. Recife/2013 Accacio Rodrigues CURSO EMBALAGENS DE A a V EDIÇÃO NORDESTE Recife/2013 Accacio Rodrigues Formado em Direito, pós graduado em Tributos e Gestão comercial pela Escola de ensino superior Esamc. Há 6 anos trabalha na Empresa

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista

Assessoria ao Cirurgião Dentista Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna a Papaiz edição IV agosto de 2014 Escrito por: Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C O sistema reembasador para qualquer aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c O sistema reembasador para qualquer aplicação A atrofia do osso alveolar

Leia mais

Biofísica. Patrícia de Lima Martins

Biofísica. Patrícia de Lima Martins Biofísica Patrícia de Lima Martins 1. Conceito É uma ciência interdisciplinar que aplica as teorias, a metodologia, conhecimentos e tecnologias da Matemática, Química e Física para resolver questões da

Leia mais

Gerador de nitrogênio. Sistemas de geração de gases, membranas e PSA

Gerador de nitrogênio. Sistemas de geração de gases, membranas e PSA Gerador de nitrogênio Sistemas de geração de gases, membranas e PSA Aplicações de nitrogênio Comidas e bebidas O nitrogênio é um gás ideal para armazenar (fumigação) e transportar alimentos e bebidas.

Leia mais

Redações vencedoras I Concurso de Redação

Redações vencedoras I Concurso de Redação Redações vencedoras I Concurso de Redação 1 Lugar Aluno: Julia Stefani Moraes Professora: Regina M. Macedo de Melo Castro Informação: A melhor maneira de combater o câncer Penso que falar sobre este assunto

Leia mais

Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa. Reação Ag-Ac in vitro

Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa. Reação Ag-Ac in vitro Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa Reação Ag-Ac in vitro Testes sorológicos Uso de soro ou outros fluidos biológicos de paciente p/ diagnóstico laboratorial Demonstração de anticorpos específicos

Leia mais

PARA SIMPLIFICAR E MINIMIZAR ERROS SER MAIS ÁGIL E PRECISO

PARA SIMPLIFICAR E MINIMIZAR ERROS SER MAIS ÁGIL E PRECISO PARA SIMPLIFICAR E MINIMIZAR ERROS SER MAIS ÁGIL E PRECISO SOMOS UMA EMPRESA QUE PROVÊ inteligência e tecnologia que simplificam e levam mais precisão para dentistas MUITO PRAZER SOMOS A COMPASS Somos

Leia mais

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP CENTRO CIRÚRGICO Jardim Japonês Centro Cirúrgico Hospital Maternidade Terezinha de Jesus Juiz de Fora (MG) Queimaduras

Leia mais

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós-

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós- FOUSP Avaliação da precisão da tomografia computadorizada por feixe cônico (cone beam) como método de medição do volume ósseo vestibular em implantes dentários Dissertação apresentada à Faculdade de Odontologia

Leia mais

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi VIROLOGIA HUMANA Professor: Bruno Aleixo Venturi O que são vírus? A palavra vírus tem origem latina e significa "veneno". Provavelmente esse nome foi dado devido às viroses, que são doenças causadas por

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/10 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome comercial: ITA Anti Espumante. Nome químico do principal componente: Cola Coqueiro Granulada. Código interno de identificação do produto: ITA1228.

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE

PLANEJAMENTO E CONTROLE PLANEJAMENTO E CONTROLE COMPETÊNCIAS Conhecer os conceitos de manutenção corretiva, preventiva e preditiva; Elaborar planejamento, programação e controle de manutenção; Empregar o tipo de manutenção adequada,

Leia mais

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos SECAGEM DE GRÃOS Disciplina: Armazenamento de Grãos 1. Introdução - grãos colhidos com teores elevados de umidade, para diminuir perdas:. permanecem menos tempo na lavoura;. ficam menos sujeitos ao ataque

Leia mais

REABILITAÇÃO ATRAVÉS DE HÍBRIDA APARAFUSADA.

REABILITAÇÃO ATRAVÉS DE HÍBRIDA APARAFUSADA. LABORATÓRIO Joaquín Madrueño Arranz Direção Técnica em laboratório de prótese dental próprio Formação e Peritagem em próteses dentais (Fotografias clínicas cedidas pelo Dr. Villar) REABILITAÇÃO ATRAVÉS

Leia mais

MAPAS DE RISCO como ferramentas de prevenção de acidentes e minimização de riscos

MAPAS DE RISCO como ferramentas de prevenção de acidentes e minimização de riscos Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Microbiologia e Parasitologia MAPAS DE RISCO como ferramentas de prevenção de acidentes e minimização de riscos Edmundo C. Grisard & Carlos J. C.

Leia mais

c) Macrófagos e células B apresentam antígenos a células T helper. (Preencha as lacunas.). 2 pontos.

c) Macrófagos e células B apresentam antígenos a células T helper. (Preencha as lacunas.). 2 pontos. Questão 1 Você é um imunologista que quer ficar rico e decide deixar o mundo da ciência, conseguindo um emprego como consultor de roteiro em um novo seriado de drama médico. Você avalia o conhecimento

Leia mais

PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER

PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER Schoeller.indd 1 9/24/12 11:34 AM PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER O Grupo Schoeller, referência de qualidade, está presente em mais de 50 países, em todo o mundo. O emprego da alta tecnologia e a adoção de

Leia mais

PESQUISA CEPEL FINEP MCT EM INSTITUIÇÕES COM TRABALHOS EM ENERGIA RENOVÁVEL XII CBE. www.cresesb.cepel.br. Rio de Janeiro - 18 de novembro de 2008

PESQUISA CEPEL FINEP MCT EM INSTITUIÇÕES COM TRABALHOS EM ENERGIA RENOVÁVEL XII CBE. www.cresesb.cepel.br. Rio de Janeiro - 18 de novembro de 2008 PESQUISA CEPEL FINEP MCT EM INSTITUIÇÕES COM TRABALHOS EM ENERGIA RENOVÁVEL XII CBE Rio de Janeiro - 18 de novembro de 2008 www.cresesb.cepel.br Hamilton Moss de Souza Célia Regina S. H. Lourenço Sérgio

Leia mais

Papilomavírus Humano HPV

Papilomavírus Humano HPV Papilomavírus Humano HPV -BIOLOGIA- Alunos: André Aroeira, Antonio Lopes, Carlos Eduardo Rozário, João Marcos Fagundes, João Paulo Sobral e Hélio Gastão Prof.: Fragoso 1º Ano E.M. T. 13 Agente Causador

Leia mais

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra Cabeamento Óptico Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Vantagens de utilização Total imunidade às interferências eletromagnéticas; Dimensões reduzidas; Maior segurança no tráfego

Leia mais

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO 14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO Há certos parâmetros que são desejados em todos os tipos de equipamentos de processo, como: FUNCIONALIDADE EFICÁCIA CONFIABILIDADE

Leia mais

PT IMPLANTES FACIAIS 1

PT IMPLANTES FACIAIS 1 PT IMPLANTES FACIAIS 1 2 PAIXÃO INSPIRANDO A CIÊNCIA. 3 SILIMED HÁ 35 ANOS LANÇANDO AS NOVAS GERAÇÕES DE IMPLANTES DE SILICONE NO MUNDO. Criada em 1978, no Rio de Janeiro, a Silimed atende as áreas de

Leia mais

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos;

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos; Os 32 itens da NR-32 a serem trabalhados nesta primeira etapa do projeto 32 para implantação nos estabelecimentos de saúde até 2009 foram selecionados e estudados pela diretoria do Sinsaúde por serem os

Leia mais

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA ELEMENTOS DE FACHADA Belo Horizonte, 08 de maio de 2014 1- FACHADAS EM ALUMÍNIO E VIDRO 1.1 ALUMÍNIO A grande questão da utilização do alumínio em fachadas cortina é a definição do tipo de revestimento

Leia mais

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo Aula - Terapia Gênica Unidade Curricular: Cultura de Células Animais Prof. Me. Leandro Parussolo O que é? O que não é? O que será? 1990 (EUA) - Primeiro protocolo clínico de Terapia Gênica em humanos 2

Leia mais

PUCRS CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Genética I AULA PRÁTICA APLICAÇÕES DAS TÉCNICAS DE PCR E ELETROFORESE DE DNA

PUCRS CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Genética I AULA PRÁTICA APLICAÇÕES DAS TÉCNICAS DE PCR E ELETROFORESE DE DNA Analise a seguinte situação hipotética (1): Uma equipe de pesquisadores está realizando um inventário da biodiversidade de uma área tropical ainda inexplorada, porém já sofrendo grande impacto de fragmentação

Leia mais

Mancais para rolamentos de fixação rápida. A competência é nossa A vantagem é sua

Mancais para rolamentos de fixação rápida. A competência é nossa A vantagem é sua Mancais para rolamentos de fixação rápida A competência é nossa A vantagem é sua A p l i c a ç õ e s Qualidade para todos casos: Rolamentos de fixação rápida na indústria Os rolamentos de fixação rápida

Leia mais

Exercício 3 PCR Reação em Cadeia da Polimerase

Exercício 3 PCR Reação em Cadeia da Polimerase Exercício 3 PCR Reação em Cadeia da Polimerase (Polymerase Chain Reaction - PCR) Uma das dificuldades dos pesquisadores frente à análise baseada no DNA é a escassez deste. Na medicina forense pode-se ter

Leia mais

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários Nosso consultório odontológico está equipado para oferecer ao produtor rural todos os tratamentos odontológicos disponíveis na atualidade. Segue abaixo uma discriminação detalhada de cada tratamento oferecido

Leia mais

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula Fratura da Clavícula Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia O osso da clavícula é localizado entre o

Leia mais

Trocadores de calor a placas. A otimização da troca térmica

Trocadores de calor a placas. A otimização da troca térmica Trocadores de calor a placas A otimização da troca térmica Um amplo conhecimento para otimizar seus processos As atividades da Alfa Laval têm um único objetivo: oferecer a você cliente tecnologias que

Leia mais

BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS

BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS ! Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Departamento de Patologia Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami Prof. Dr. Lucas Brandão BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS

Leia mais

Apoptose em Otorrinolaringologia

Apoptose em Otorrinolaringologia Apoptose em Otorrinolaringologia Teolinda Mendoza de Morales e Myrian Adriana Pérez García Definição A apoptose é um processo biológico existente em todas as células de nosso organismo, conhecida desde

Leia mais

Motivação e Aplicações em C&T

Motivação e Aplicações em C&T Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Motivação e Aplicações em C&T Aquiles Burlamaqui Nélio Cacho Luiz Eduardo Eduardo Aranha ECT1103 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre desligado/silencioso

Leia mais

Patentes na Indústria Farmacêutica

Patentes na Indústria Farmacêutica Patentes na Indústria Farmacêutica 1. PATENTES 2. O MERCADO FARMACÊUTICO 3. COMPETIVIDADE DO SETOR 4. A IMPORTÂNCIA DAS PATENTES NO MERCADO FARMACÊUTICO PATENTES PATENTES Definiçã ção o ( LEI 9.279 DE

Leia mais

PCR in situ PCR Hotstart

PCR in situ PCR Hotstart Bruno Matos e Júlia Cougo PCR in situ PCR Hotstart Disciplina de Biologia Molecular Profª. Fabiana Seixas Graduação em Biotecnologia - UFPel PCR in situ - É a técnica de PCR usada diretamente numa lâmina

Leia mais

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM SUBSECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE ODONTOLOGIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ODONTOLÓGICAS Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

Qualidade de vida com implantes dentários 1

Qualidade de vida com implantes dentários 1 DENTES BONITOS Qualidade de vida com implantes dentários 1 VOCÊ PODE REALMENTE IMPLANTAR ALEGRIA? Algumas vezes uma pequena peça de titânio pode revitalizar o seu sorriso e estimular a sua autoconfiança.

Leia mais

Raio X e Tomografia Computadorizada

Raio X e Tomografia Computadorizada Raio X e Tomografia Computadorizada Processamento de Imagens e Sinais Biológicos Aluno: Diego Cordeiro Barboza Professora: Aura Conci 04/2010 Sumário Introdução Descoberta Geração Imagens com Raio X Tomografia

Leia mais

A Fundição Injectada de Alumínio. Princípios e Desafios

A Fundição Injectada de Alumínio. Princípios e Desafios A Fundição Injectada de Alumínio Princípios e Desafios O Passado... Os primeiros exemplos de fundição por injecção (em oposição à fundição por gravidade) ocorrem em meios do século XIX (1800). A patente

Leia mais

Power Pipe Line. Redes de Ar Comprimido

Power Pipe Line. Redes de Ar Comprimido Power Pipe Line Redes de Ar Comprimido Power Pipe Line - PPL - é um novo sistema de tubulação de encaixe rápido projetado para todo tipo de planta de ar comprimido, bem como para outros fluidos, gases

Leia mais

Análise de Óleo. Artigo Técnico

Análise de Óleo. Artigo Técnico Análise de Óleo O uso da análise de óleo como técnica de manutenção começou a ser aplicada na década 50. A crise do petróleo intensificou o uso da análise de óleo, que passou a cumprir uma nova função

Leia mais

Pode ser velhice ou carência de B12

Pode ser velhice ou carência de B12 Por Jane E. Brodyre, The New York Times News Service/Syndicate Pode ser velhice ou carência de B12 Ilsa Katz tinha 85 anos quando sua filha, Vivian Atkins, começou a notar que ela estava ficando cada vez

Leia mais

NÍVEL / ÁREA DE CONHECIMENTO EMPRESA / CIDADE NOME DO PROJETO ATIVIDADES DESAFIO

NÍVEL / ÁREA DE CONHECIMENTO EMPRESA / CIDADE NOME DO PROJETO ATIVIDADES DESAFIO DESAFIO Estruturar um escritório de entrega ágil para atuar junto ao processo de transformação da ideia em inovação garantindo o alinhamento dos produtos com a estratégia, objetivos e metas da empresa

Leia mais

CRONOGRAMA CURSO IMPLANTE E PERIO

CRONOGRAMA CURSO IMPLANTE E PERIO CRONOGRAMA CURSO IMPLANTE E PERIO Equipe: Coordenador Geral: Prof. Dr. Rafael Pinelli Henriques Doutor pela FOB USP Bauru S.P. Diretor COPH Bauru Coordenadora Específica: Profa. Dra. Gabriela Gennaro Especialista

Leia mais

ANALISE DE RESÍDUOS MINERAIS E ORGÂNICOS AGROINDUSTRIAIS COM O USO DA TÉCNICA DE XRF

ANALISE DE RESÍDUOS MINERAIS E ORGÂNICOS AGROINDUSTRIAIS COM O USO DA TÉCNICA DE XRF ANALISE DE RESÍDUOS MINERAIS E ORGÂNICOS AGROINDUSTRIAIS COM O USO DA TÉCNICA DE XRF 1* Ferreira, Ricardo R. F.; 1 Assunção, Hildeu Ferreira.; 1 Ribeiro, Dinalva Donizete Ribeiro; 1** Martins, Alessandro.

Leia mais

Apostila de aula prática REAÇÃO EM CADEIA PELA POLIMERASE (PCR)

Apostila de aula prática REAÇÃO EM CADEIA PELA POLIMERASE (PCR) 1 Universidade Federal Fluminense Instituto Biomédico Departamento de Microbiologia e Parasitologia Disciplina: Virologia Apostila de aula prática REAÇÃO EM CADEIA PELA POLIMERASE (PCR) A técnica de reação

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos REVISÃO 03 DATA DA REVISÃO: 26/06/2011 ACABAMENTO EPÓXI PARTE B FISPQ - 061 ACABAMENTO

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos REVISÃO 03 DATA DA REVISÃO: 26/06/2011 ACABAMENTO EPÓXI PARTE B FISPQ - 061 ACABAMENTO FISPQ - 061 ACABAMENTO EPOXI - Parte B 1. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA Fabricante: Aderência Pisos e Revestimentos Ltda. Endereço: Rua Dr. Sebastião Carlos Arantes, 35 São Paulo SP CEP 04624-130 Telefone:

Leia mais

A revolucionária inspeção de objetos estranhos em linhas de garrafas não retornáveis!

A revolucionária inspeção de objetos estranhos em linhas de garrafas não retornáveis! A revolucionária inspeção de objetos estranhos em linhas de garrafas não retornáveis! A indústria de bebidas geralmente não usa um inspetor de garrafas vazias antes da enchedora para linhas de vidro não

Leia mais

PROVA DE BIOLOGIA. Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/9811533-criticos-aos-transgenicos-estaomalformados-diz-pesquisador.

PROVA DE BIOLOGIA. Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/9811533-criticos-aos-transgenicos-estaomalformados-diz-pesquisador. 13 PROVA DE BIOLOGIA Q U E S T Ã O 1 6 Críticos aos transgênicos estão mal informados, diz pesquisador Cientista que desenvolve seu trabalho pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) diz

Leia mais

TRIZ (Theory of Inventive Problem Solving)

TRIZ (Theory of Inventive Problem Solving) TRIZ (Theory of Inventive Problem Solving) Helena V. G. Navas hvgn@fct.unl.pt 09 Outubro 2013 Teoria da Resolução Inventiva de Problemas, mais conhecida pelo seu acrónimo TRIZ, foi desenvolvida por Genrich

Leia mais

APRESENTAÇÃO 2014 VISÃO CORPORATIVA PETROENGE PETRÓLEO ENGENHARIA LTDA. - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

APRESENTAÇÃO 2014 VISÃO CORPORATIVA PETROENGE PETRÓLEO ENGENHARIA LTDA. - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS VISÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO 2014 PETROENGE PETRÓLEO ENGENHARIA LTDA. - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS EMPRESA Presente no mercado desde 1999, a PETROENGE é uma empresa de engenharia focada na maximização

Leia mais

ANEXO I (Resolução CFM nº 2074/2014) TERMO DE ESCLARECIMENTO, INFORMAÇÃO E CONSENTIMENTO PARA TRANSPORTE DE AMOSTRA DE MATERIAL BIOLÓGICO

ANEXO I (Resolução CFM nº 2074/2014) TERMO DE ESCLARECIMENTO, INFORMAÇÃO E CONSENTIMENTO PARA TRANSPORTE DE AMOSTRA DE MATERIAL BIOLÓGICO ANEXO I (Resolução CFM nº 2074/2014) IDENTIFICAÇÃO/LOGOTIPO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE DADOS DO PACIENTE TERMO DE ESCLARECIMENTO, INFORMAÇÃO E CONSENTIMENTO PARA TRANSPORTE DE AMOSTRA DE MATERIAL BIOLÓGICO

Leia mais

UC SYSTEM (PATENTEADO)

UC SYSTEM (PATENTEADO) UC SYSTEM (PATENTEADO) Solução única para a rápida e eficaz limpeza interna, a seco e em segundos de tubulações industriais. Desenvolvido para utilização em tubulações de indústrias farmacêuticas, químicas,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE A química é a ciência que estuda a estrutura, a composição, as propriedades e as transformações da matéria. Ela é frequentemente

Leia mais

A EFETIVIDADE DO PEELING DE ÁCIDO MANDÉLICO NO TRATAMENTO DA ACNE VULGAR

A EFETIVIDADE DO PEELING DE ÁCIDO MANDÉLICO NO TRATAMENTO DA ACNE VULGAR A EFETIVIDADE DO PEELING DE ÁCIDO MANDÉLICO NO TRATAMENTO DA ACNE VULGAR INTRODUÇÃO Zeferina Alexandra Trizotti da Silva Talita de Oliveira da Silva A acne é uma das alterações cutâneas mais comuns, sua

Leia mais

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade.

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade. Aula 10: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas) 01: Introdução - Características do processo - Etapas envolvidas. - Fatores econômicos e tecnológicos - Ligas emprwegadas 02:

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais