Inteligência Artificial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inteligência Artificial"

Transcrição

1 Inteligência Artificial Introdução a Inteligência Artificial: histórico, aplicações, abordagens e problemas Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza

2 Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer partes do documento, em especial a interpretação de tradução, reprodução, distribuição ou comercialização física ou na Web do conteúdo contido nos slides, estão sujeitas a autorização prévia pelo autor. Hugo Vieira Lucena de Souza, 2015 Todos os textos, nomes, marcas e figuras de outras publicações e autores contidos neste documento estão devidamente referenciados através de suas obras originais e protegidos pelas leis de propriedades intelectuais.

3 Agenda Introdução a Inteligência Artificial Histórico e surgimento Motivação para a evolução Concepção dos conceitos Aplicações da Inteligência Artificial Moderna Áreas de conhecimento Tecnologia da Informação Abordagens e Problemas Inteligência Artificial e a Computação Comparação com a computação convencional Referências

4 Introdução a Inteligência Artificial Quando escutamos a palavra Inteligência imaginamos vários aspectos comuns de serem encontrados nas pessoas: Conhecimento Educação Decisão Solução Estes aspectos estão presentes e são fundamentais para que novas tecnologias possam ser criadas, inovando principalmente paradigmas e conceitos da computação;

5 Introdução a Inteligência Artificial Em nossa área, especificamente, tratamos o tema como algo futurista, representado por uma área da computação que tem alavancado pesquisas e bons resultados nos últimos anos. Estamos falando da Inteligência Artificial; Como podemos então tentar definir [existem vários e incontáveis conceitos] o termo Inteligência Artificial?

6 Introdução a Inteligência Artificial Do latim [intelligentia], a palavra inteligência é composta por dois termos: Inter [entre/espaço] e legere [escolha/decisão] O dicionário Michaelis [1] classifica a inteligência como a capacidade de resolver situações novas com rapidez;

7 Introdução a Inteligência Artificial Ainda segundo o dicionário Michaelis [1], Artificial, do latim [artificiale], significa algo produzido pela arte ou indústria do homem; Se alinharmos os termos, podemos dizer que: A inteligência artificial é a área da computação que pesquisa, implementa e expande as teorias evolucionais da inteligência do homem aplicadas à maquina;

8 Introdução a Inteligência Artificial Os paradigmas da I.A. surgiu em meados da década de cinquenta, quando os primeiros computadores modernos estavam no ápice da evolução; O americano John McCarthy propôs com seus colegas cientistas Marvin Minsky, Claude Shannon, Allen Newell, Herbert Simon da University of Carnegie Mellon [EUA] que o comportamento humano fosse simulado e posteriormente abstraído pelos computadores; Como teria sido isso na prática? [2]

9 Introdução a Inteligência Artificial A adequação dos problemas aritméticos às notações computacionais através de fórmulas, corolários e fundamentos da lógica; A adequação dos tipos de entrada de dados aos métodos de percepção humana para a resolução dos problemas computacionais, estando dentre estes métodos a percepção, o sensoriamento, a adaptação e a cognição; O processamento das informações de forma seletiva, o que seria para a época uma espécie de escolha [não havia software até 1960] o que viria depois com o surgimento das linguagens de programação;

10 Introdução a Inteligência Artificial Entretanto, esse conceito de inteligência foi sendo interpretado de várias formas ao longo dos anos; Muitos cientistas achavam que essa ciência não dependia apenas de fatores considerados técnicos, mas sim, do entendimento dos fatores e princípios também filosóficos, sociológicos e epistemológicos; Desde aquela época até hoje estão entre eles: Religião; Ética; Biologia;

11 Introdução a Inteligência Artificial Os primeiros experimentos da evolução computacional com a I.A. se deram na década de cinquenta; Alan Turing publicou um artigo na revista filosófica Mind [3] com o título Computing Machine and Intelligence em que propunha inferir se uma máquina podia ou não alinhar características comportamentais do homem; Neste artigo ele propôs o famoso Teste de Turing, consistindo de um teste de perguntas e respostas que buscava identificar se o computador identificaria, em uma sequencia ordenada se as perguntas estavam sendo respondidas por outro computador ou pelo homem;

12 Introdução a Inteligência Artificial [4] Simulador desenvolvido pela Universidade Estadual de Maringá [UEM];

13 Introdução a Inteligência Artificial Com o surgimento do Teste de Turing, muitos pesquisadores da academia reviram seus conceitos e construíram a hipótese de que a I.A. poderia ser concebida através de duas formas: Inteligência Artificial Forte: baseada na capacidade do computador em resolver problemas através do raciocínio e da lógica; Inteligência Artificial Fraca: baseada na solução de problemas através de métodos não determinísticos, estando entre o processamento e reconhecimento com uma linguagem natural; A criação desses corolários desencadeou muitas críticas que respaldaram na evolução dos computadores;

14 Introdução a Inteligência Artificial Por um lado muitos cientistas, profissionais e pesquisadores defendiam o aprofundamento nas pesquisas e experimentos com computadores avançados enquanto ao mesmo tempo poderiam temer uma revolução das máquinas, o que fora considerado engraçado para a época; O que crescia [e ainda cresce] a passos lentos, expandiu-se em subáreas de modo que a I.A. tida como original tornou-se desfocada para as épocas de setenta e oitenta; A partir das décadas de noventa e dois mil, muitos conceitos surgiram e o avanço se tornou notório;

15 Introdução a Inteligência Artificial A concepção dos engenheiros nos últimos anos foi a de criar teoremas de integração, linguagens próprias, metamodelos, tipos de dados e várias terminologias independentes que fortificassem o entendimento e a integração da neurologia humana à lógica computacional; A I.A. passou, e almeja atualmente, resultados precisos da relação Homem-Máquina. Os campos de atuação, trabalho, desenvolvimento e proprietários de novas teorias conseguiram alavancar essas perspectivas para outras áreas como podemos ver nos dias de hoje;

16 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna A I.A. opera nos anos atuais em diversos campos. Os principais, segundo explicam Stuart Russel et. al. [5] e Ben Coppin [6], são: Área Nanotecnologia Biotecnologia/Neurologia Robótica Astronomia Física Aplicação Dispositivos micro e nano produzidos para reconhecimento de informações precisas; Métodos, meios e técnicas implementadas com redes e sistemas neurais, sensoriais e responsoriais Equipamentos e dispositivos pré ou pós programados com o hardware ou com o software com métodos e técnicas de mapeamento I.A. e algoritmos Aplicativos de mapeamento espacial, ciberespacial, simulação solar, lunar Reconhecimento de padrões, métodos e fórmulas

17 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna A nanotecnologia é uma área de pesquisa e construção de nanodispositivos construídos em escalas atômicas; Muitos pesquisadores consideram a nanotecnologia como umas das revoluções dos últimos anos para o desenvolvimento de novos conceitos, leis e teoremas revolucionários, principalmente para serem aplicados à medicina, a própria T.I., entre outras áreas; A I.A. atua nesse segmento, principalmente com a padronização de dados, tipos de fontes, reconhecimentos sensoriais e cognitivos e de várias maneiras, como podemos ver na seguinte figura:

18 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Aplicação da T.I. e I.A. com nano-dispositivos: [7]

19 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Funcionamento de um nano-dispositivo: [8]

20 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna A Biotecnologia é a ciência que integra as tecnologias aos processos de evolução dos seres vivos. Essa área tem como objetivo propor novas técnicas e métodos que integrem o entendimento da constituição do homem aos meios tecnológicos de pesquisa e produção; A I.A. está fortemente presente neste segmento, quando abrange o mapeamento e o estudo da neurologia. Um dos desafios dos pesquisadores atuais é entender como funciona a combinação do DNA humano para compor novas tecnologias e solucionar problemas presentes no cotidiano da vidas das pessoas;

21 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Primeira Rede Neural artificial com mapeamento do DNA criada em 2011: [9] Processador molecular com fitas de DNA [QIAN e WINFREE, 2011];

22 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna A Robótica é uma das principais [se não principal] áreas de atuação e pesquisas com o uso de inteligência artificial; Muitos profissionais costumam dizer que a projeção de robôs é uma arte que busca alcançar autonomia de funcionamento e manutenção nos aspectos mecatrônicos, funcionais e lúdicos; Para o ramo da I.A., o lúdico representa as técnicas de aprendizagem. Muitos robôs desenvolvidos pelas grandes empresas integram, em parte, um aprendizado parcialmente autônomo. Como podemos entender isso?

23 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna A inteligência humana decorre de vários aspectos de percepção e resposta. Para o primeiro termo, a indústria da robótica trabalha com sensores que captam o meio, habitat ou o nicho em que estão presentes, processando as informações por software avançados; Na prática, a inteligência artificial plena é aquela que alinha os sinais neurais do homem ao processamento e os sinais de respostas são processados pela máquina; Como resultado da simulação da inteligência, os robôs são implementados com sistemas de controle e processamento lógico com linguagens de baixo nível;

24 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Cubo criado por cientistas na suíços é capaz de se movimentar sozinho e funciona com sensores: [10]

25 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Nas áreas de Astronomia e Física, os projetos com I.A. também são extremamente importantes. Muitos institutos e universidades pelo mundo desenvolvem pesquisas espaciais mapeando dados e informações com técnicas de recombinação e mineração de dados; Recombinação de dados: é uma técnica de simulação de dados de diferentes origens e valores para verificar o comportamento de variáveis, algoritmos e tipos de dados; Mineração de dados: é o processo de coletar, analisar e interpretar grandes quantidades de dados. Utilizado em bases de dados com um grande volume de transações por tempo;

26 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Na Tecnologia da Informação, a I.A. está presente em várias subáreas. Dentre as principais, respaldam principalmente planejamento, gestão, decisão e desenvolvimento de software; Para o planejamento temos como exemplo, sistemas estratégicos de negócios. Imagine que as grandes empresas precisam elaborar suas novas campanhas, e que para isso, torna-se necessário analisar vários fatores, dados, informações para elaborar estimativas, simulações, projeções e estudos de casos descritivos; Exemplos práticos: Data warehouse e Group warehouse;

27 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Para a Gestão de negócios, os algoritmos que integram a I.A. também são importantes. Neste contexto, a literatura recomenda que os profissionais desenvolvam sistemas conhecidos como [11]: Sistemas especialistas são: são sistemas que armazenam e gerenciam os domínios de dados utilizando como estratégia a simulação do raciocínio humano. Um domínio contém um conjunto de entidades [objetos] que reportam ações e estados através de relações em um espaço definido e mapeado; Os sistemas especialistas contém: as redes semânticas, que consistem em nós intercomunicados entre as entidades. A lógica é definida através de formalismos, autômatos, estados que possibilitam descrever as propriedades de todo o conjunto;

28 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna Definição de um SE em um contexto da I.A. [11]

29 Aplicação da Inteligência Artificial Moderna As tomadas de decisões são alinhadas à aplicativos considerados inteligentes. Quando os desenvolvedores implementam, por exemplo, engenhos de busca ou algoritmos heurísticos; Os engenhos de busca são: algoritmos que captam e encaminham para uma central de pré-processamento, dados de pessoas e empresas. Na central, são realizados cálculos combinados/não-combinados que geram mais dados, para que estes possam ser relacionados com outros formando um ciclo; Os algoritmos heurísticos são: são aqueles que interpretam dados utilizados e os reutilizam em funções ou procedimentos. Neste caso, os dados servem como fonte de experiência para auxiliar a solução de problemas considerados complexos;

30 Abordagens e problemas Falamos ao longo dos slides as perspectivas de crescimento da I.A., mas dentre tantas teorias e conceitos publicados até hoje, alguns problemas também surgiram; Para a filosofia, a professora da UFSC, Sofia Miguens [12] elenca vários aspectos considerados importantes a serem observados: Desenvolvimento da consciência: percepção dos valores e princípios; Desenvolvimento da analogia interpretativa: se não entender um problema, o que irei fazer? Pesquisar? Desenvolvimento analítico: o que pode ou não inferir no resultado? Há mais de um resultado e como analisar?

31 Abordagens e problemas A abordagem para os problemas da I.A. na Computação abrangem os chamados problemas clássicos. Os problemas refletem situações em que possíveis comportamentos e ações são avaliadas diante à implementação de novas soluções; Podemos citar como problemas clássicos: Problema da Jarra de Água; Problema do caixeiro-viajante; Torres de Hanói;

32 Abordagens e problemas No problema das jarras de água o objetivo é entender como as opções da escolha lógica associada a percepção influenciam o pensamento a reportar a solução de um simples problema; Raciocínio: Você tem duas jarras de água, uma contendo 4 litros e outra contendo 3 litros. Em nenhuma delas estão marcados os níveis de volume ou quaisquer medidas. Existe a possibilidade de encher as jarras com uma bomba que pode ser usada também sem informar a quantidade de água a ser inserida. Como você poderia colocar exatos 2 litros de água na jarra de 4 litros?

33 Abordagens e problemas No problema das jarras de água o objetivo é entender como as opções da escolha lógica associada a percepção influenciam o pensamento a reportar a solução de um simples problema; Resposta: Encha totalmente a jarra de 3 litros. Quando a mesma estiver em seu volume máximo, despeje a água na jarra de 4 litros. Como só foram depositados 3 litros, está faltando 1 litro para completar o volume total da jarra de 4 litros. Encha a jarra de 3 litros novamente e complete a jarra de 4 litros, que só faltava 1 litro para ficar cheia. Sobrou 2 litros na jarra de 3 litros. Jogue fora a água da jarra de 4 litros e coloque a água da jarra de 3 litros na jarra de 4 litros;

34 Abordagens e problemas No problema do caixeiro-viajante o objetivo é entender como as opções de escolha cognitiva e decisão influenciam o pensamento a reportar a solução de um simples problema; Raciocínio: Um vendedor tem uma lista de cidades que precisa visitar precisamente uma vez. Há várias estradas diretas entre cada par de cidades na lista que ele contém. Encontre a rota em que o vendedor deverá seguir para que a viagem seja a menor possível, e que comece e termine em uma mesma cidade, que poderá ser qualquer uma de sua lista;

35 Abordagens e problemas No problema do caixeiro-viajante o objetivo é entender como as opções de escolha cognitiva e decisão influenciam o pensamento a reportar a solução de um simples problema; Resposta: Neste problema do cacheiro viajante, as soluções podem ser variadas. É possível obter uma solução através dos seguintes métodos: 1. Análise combinatória em Pn=n!, onde n será a quantidade de clientes visitados; 2. Permutabilidade em n com as combinações de estados possíveis em relação a quantidade de clientes visitados;

36 Abordagens e problemas No problema das Torres de Hanói o objetivo é entender como as opções de escolha lógica e decisão influenciam o pensamento a reportar a solução de um simples problema; Raciocínio: Em algum lugar perto de Hanói há um mosteiro onde os monges dedicam suas vidas a uma tarefa simples. No pátio do mosteiro há três postes altos. Em cima deles há 64 discos, cada um com um buraco no centro e com raios diferente. Quando o mosteiro foi criado, todos os discos estavam em apenas um poste, e cada disco estava em cima daquele com tamanho maior que o seu respectivamente. A tarefa dos monges é basicamente mover todos discos para um dos outros postes. Apenas um disco pode ser deslocado de cada vez, e todos os outros discos precisam estar em um dos postes. Além disso, em nenhum momento, durante a mudança, nenhum disco pode ser colocado sobre um disco menor. É claro que o terceiro poste pode ser usado como local temporário para os discos. Qual a maneira mais rápida para os monges concluírem sua missão?

37 Abordagens e problemas No problema das Torres de Hanói o objetivo é entender como as opções de escolha lógica e decisão influenciam o pensamento a reportar a solução de um simples problema; Resposta: Observe como as torres estão dispostas: [13]

38 Abordagens e problemas No problema das Torres de Hanói o objetivo é entender como as opções de escolha lógica e decisão influenciam o pensamento a reportar a solução de um simples problema; Resposta: A solução deste problema é simples. Supondo que para cada disco serão realizados um movimento em duas torres, a organização poderá caracterizar uma progressão geométrica com a fórmula: Desta forma, n representará a quantidade de disco contidos nas torres e o resultado será a quantidade de movimentos a serem realizados;

39 Abordagens e problemas Antes de concluirmos nossa aula, é importante lembrar a I.A. é uma área de estudos complexa, que exige plena dedicação para entender todos os aspectos e demais áreas de conhecimento abordadas pela mesma; Cada conceito que estudamos nesses slides representam apenas algumas abordagens simples, mas, que, são fundamentais para que possamos entender as demais teorias e as implementações que iremos trabalhar ao longo das próximas aulas; Portanto, baixem o material no unipêvirtual ou no site para que possamos estudar os agentes na próxima aula;

40 Referências [1] Dicionário Michaelis Online. Português. Disponível em: < > Acesso em 07 fev. 2014; [2] Wordpress. Foto-reprodução John McCarthy. Disponível em: < > Acesso em 07 fev. 2014; [3] UMBC. Computer Science and Electrical Engineering. Computing Machine and Intelligence. Disponível em: < turing.pdf > Acesso em 07 fev. 2014; [4] Grupo de Sistemas Inteligentes. Departamento de Informática da Universidade Estadual de Maringá UEM. Teste de Turing. Disponível em: < ia/a_correl/pensar/turing.htm > Acesso em 07 fev. 2014; [5] RUSSEL,S.NorvigP.InteligênciaArtificial.RiodeJaneiro:Campus,2004; [6] COPPIN,B.Inteligênciaartificial.RiodeJaneiro:LTC,2010; [7] Ciclo Básico. Centro Técnico Cientifico da PUC-Rio. Foto-reprodução Nanotecnologia. Disponível em: < nanotecnologia.jpg> Acesso em 07 fev. 2014; [8]HSW. Foto-reprodução Como funciona a nanotecnologia. Disponível em: < > Acesso em 07 fev. 2014; [9] Inovação Tecnológica. Cientistas criam primeira rede neural artificial usando DNA. Disponível em: < artigo=rede-neural-artificial-dna > Acesso em 07 fev. 2014; [10] EXAME.com. Foto-reprodução Cubo robótico pula e se equilibra sozinho. Disponível em: < > Acesso em 07 fev. 2014; [11] DEE-UFMA. Foto-reprodução Sistemas Especialistas. Arquivo institucional da Universidade Federal do Maranhão. Disponível em: < ~lpaucar/teaching/ia2000-1/cap4.html > Acesso em 07 fev. 2014; [12] MIGUENS. Sofia. Alguns problemas da filosofia da I.A. Arquivo institucional da Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: < ~wfil/ia.htm> Acesso em 07 fev. 2014; [13] DEVMEDIA. Foto-reprodução Torres de Hanói. Disponível em: < > Acesso em 07 fev. 2014;

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução a Engenharia de Software: histórico, evolução, aplicações e os principais tipos de software Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais: princípios, tipos, apoio a decisão Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Sistemas de Informações Gerenciais: princípios, tipos, apoio a decisão Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Sistemas de Informações Gerenciais: princípios, tipos, apoio a decisão Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer

Leia mais

Introdução a Gestão da Informação: dado, informação, conhecimento e a organização empresarial Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Introdução a Gestão da Informação: dado, informação, conhecimento e a organização empresarial Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Introdução a Gestão da Informação: dado, informação, conhecimento e a organização empresarial Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados

Leia mais

Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer partes do documento, em

Leia mais

Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer partes do documento, em

Leia mais

Linguagem Formais e Autômatos

Linguagem Formais e Autômatos Linguagem Formais e Autômatos Apresentação da disciplina, metodologia de ensino, conteúdos, avaliações e bibliografia Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a

Leia mais

IA: Introdução. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

IA: Introdução. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br IA: Introdução Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário O que é Inteligência Artificial? IA forte e IA fraca Métodos fortes e Métodos fracos De Aristóteles a Babbage Alan Turing e

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas e técnicas

Leia mais

Redes de Computadores. Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Redes de Computadores. Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Redes de Computadores Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer

Leia mais

Introdução a Gestão de Custos nas pequenas empresas Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Introdução a Gestão de Custos nas pequenas empresas Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Introdução a Gestão de Custos nas pequenas empresas Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer partes do documento,

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução aos Processos de Software: modelos e ciclo de vida de software Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Fabrício Enembreck PPGIA Programa de Pós-Graduação em Informática Aplicada 1 Definições de Inteligência Artificial estudo de como fazer os computadores realizarem coisas que, atualmente,

Leia mais

Introdução a microinformática: fundamentos de software, hardware, sistemas operacionais e tipos de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L.

Introdução a microinformática: fundamentos de software, hardware, sistemas operacionais e tipos de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Introdução a microinformática: fundamentos de software, hardware, sistemas operacionais e tipos de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Introdução a Gestão de Pessoas nas pequenas empresas Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Introdução a Gestão de Pessoas nas pequenas empresas Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Introdução a Gestão de Pessoas nas pequenas empresas Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer partes do documento,

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial João Marques Salomão Rodrigo Varejão Andreão Inteligência Artificial Definição (Fonte: AAAI ): "the scientific understanding of the mechanisms

Leia mais

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia.

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia. 1 Introdução aos Sistemas de Informação 2002 Aula 4 - Desenvolvimento de software e seus paradigmas Paradigmas de Desenvolvimento de Software Pode-se considerar 3 tipos de paradigmas que norteiam a atividade

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics

Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics Engineers Prefácio O Engenheiro 2020 Como será ou deveria

Leia mais

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL 1 Ramo da computação que procura permitir uma máquina simular comportamento inteligente, através de algoritmos e técnicas que simulem situações consideradas específicamente humanas,

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS JOGOS NO CAMPO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

INFLUÊNCIA DOS JOGOS NO CAMPO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL INFLUÊNCIA DOS JOGOS NO CAMPO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Marcelo de Souza 1 bsi.marcelo@gmail.com Prof. Adilson Vahldick, Inteligência Artificial RESUMO: O desenvolvimento de jogos é um campo que atrai

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Aula 1 Ementa Fases do Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Software, apresentando como os métodos, ferramentas e procedimentos da engenharia de software, podem

Leia mais

IC Inteligência Computacional Redes Neurais. Redes Neurais

IC Inteligência Computacional Redes Neurais. Redes Neurais Universidade Federal do Rio de Janeiro PÓS-GRADUAÇÃO / 2008-2 IC Inteligência Computacional Redes Neurais www.labic.nce.ufrj.br Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Redes Neurais São modelos computacionais

Leia mais

Introdução A Engenharia Da Computação

Introdução A Engenharia Da Computação Introdução A Engenharia Da Computação AULA I Slide 1 O Que é Engenharia? [De engenho + -aria.] Substantivo feminino 1.Arte de aplicar conhecimentos científicos e empíricos e certas habilitações específicas

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer partes do documento, em

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Apresentação da disciplina, metodologia de ensino, conteúdos, avaliações e bibliografia Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

MC-102 Aula 01. Instituto de Computação Unicamp

MC-102 Aula 01. Instituto de Computação Unicamp MC-102 Aula 01 Introdução à Programação de Computadores Instituto de Computação Unicamp 2015 Roteiro 1 Por que aprender a programar? 2 Hardware e Software 3 Organização de um ambiente computacional 4 Algoritmos

Leia mais

Introdução à Inteligência Artificial (Capítulo 1 - Russell) Inteligência Artificial. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto

Introdução à Inteligência Artificial (Capítulo 1 - Russell) Inteligência Artificial. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Introdução à Inteligência Artificial (Capítulo 1 - Russell) Inteligência Artificial Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Áreas de Apoio para IA 3. Sub-Áreas da IA 4.

Leia mais

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de

Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de 1 Identificar as mudanças que acontecem na forma e no uso de apoio à decisão em empreendimentos de e-business. Identificar o papel e alternativas de relatórios dos sistemas de informação gerencial. Descrever

Leia mais

PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA

PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA Inteligência Artificial CONCEITOS PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA O que é Inteligência Artificial O que é Inteligência Artificial? É a ciência e engenharia de projetar/construir máquinas inteligentes,

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas. Engenharia de Software. Análise e Projeto de Sistemas. Contextualização. Perspectiva Histórica. A Evolução do Software

Análise e Projeto de Sistemas. Engenharia de Software. Análise e Projeto de Sistemas. Contextualização. Perspectiva Histórica. A Evolução do Software Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Contextualização ENGENHARIA DE SOFTWARE ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS ENGENHARIA DA INFORMAÇÃO Perspectiva Histórica Engenharia de Software 1940:

Leia mais

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O PROJETO DE PESQUISA Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Escolher um tema de pesquisa Por onde começar? Ler para aprender Estrutura do Projeto de Pesquisa A Definição

Leia mais

Engenharia de Software I. Prof. André Castro Garcia

Engenharia de Software I. Prof. André Castro Garcia Engenharia de Software I Prof. André Castro Garcia 1. Introdução 1.1 A IMPORTÂNCIA DO SOFTWARE Nas primeiras décadas da era do computador, o principal desafio era desenvolver um hardware que reduzisse

Leia mais

SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO

SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas

Leia mais

Princípios fundamentais dos Sistemas de Informação: introdução, sistemas e níveis organizacionais e as TICs Prof. MSc Hugo Vieira L.

Princípios fundamentais dos Sistemas de Informação: introdução, sistemas e níveis organizacionais e as TICs Prof. MSc Hugo Vieira L. Princípios fundamentais dos Sistemas de Informação: introdução, sistemas e níveis organizacionais e as TICs Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão

Leia mais

A Grande Importância da Mineração de Dados nas Organizações

A Grande Importância da Mineração de Dados nas Organizações A Grande Importância da Mineração de Dados nas Organizações Amarildo Aparecido Ferreira Junior¹, Késsia Rita da Costa Marchi¹, Jaime Willian Dias¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

NOTA À 2ª EDIÇÃO... VII PREFÁCIO... IX. No Renascimento de uma Nova Era... IX PREÂMBULO... XIII. Organização do livro... xiii. Destinatários...

NOTA À 2ª EDIÇÃO... VII PREFÁCIO... IX. No Renascimento de uma Nova Era... IX PREÂMBULO... XIII. Organização do livro... xiii. Destinatários... NOTA À 2ª EDIÇÃO... VII PREFÁCIO... IX No Renascimento de uma Nova Era... IX Índice PREÂMBULO... XIII Organização do livro... xiii Destinatários... xiv Utilização do livro... xiv Agradecimentos... xiv

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO DISCIPLINA: Metodologia Científica H111900 Finalidade da metodologia científica. Importância da metodologia no âmbito das ciências. Metodologia de estudos. O

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 4ª Série Informática Industrial CST em Mecatrônica Industrial A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I Prof. Hugo Souza Continuando nossas aulas, após verificarmos toda a integração histórica da informática para a educação, veremos

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Figura: Capa do Livro Russell, S., Norvig, P. Artificial Intelligence A Modern Approach, Pearson, 2009. Universidade Federal de Campina Grande Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Pós-Graduação

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO NA EMPRESA DIGITAL

GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO NA EMPRESA DIGITAL Capítulo 10 GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO NA EMPRESA DIGITAL 10.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Por que hoje as empresas necessitam de programas de gestão do conhecimento e sistemas para gestão do conhecimento?

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

CURSO: TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE EAD

CURSO: TÉCNICO EM INFORMÁTICA NA MODALIDADE EAD LÓGIC DE PROGRMÇÃO CURSO: TÉCNICO EM INFORMÁTIC N MODLIDDE ED Disciplina: Lógica de Programação Profa. Jaqueline F. Domenciano Meu nome é Jaqueline F. Domenciano. Sou Especialista em Educação à Distância,

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia Cognitiva e Semiótica Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos

Leia mais

Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO)

Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Parte: 1 Prof. Cristóvão Cunha Objetivos de aprendizagem

Leia mais

1.1. Organização de um Sistema Computacional

1.1. Organização de um Sistema Computacional 1. INTRODUÇÃO 1.1. Organização de um Sistema Computacional Desde a antiguidade, o homem vem desenvolvendo dispositivos elétricoeletrônicos (hardware) que funciona com base em instruções e que são capazes

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle Prof. Hugo Souza Após abordarmos os componentes lógicos, em uma síntese de dependências gradativas, vamos

Leia mais

Introdução 12. 1 Introdução

Introdução 12. 1 Introdução Introdução 12 1 Introdução O crescente avanço no acesso à informação, principalmente através da rede mundial de computadores, aumentou o ritmo de mudanças, impondo uma diminuição no tempo necessário para

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO Departamento: Disciplina: Pré-Requisitos: I D E N T I F I C A Ç Ã O Sistemas de Informação Engenharia de Software Aplicada (ESA) Engenharia de Software (ES) CH: 7 Curso: Bacharelado em Sistemas de Informação

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

Desenvolvimento de Líderes

Desenvolvimento de Líderes Desenvolvimento de Líderes Desempenho da Liderança by Ser Humano Consultoria Liderança é a competência de alguém em exercer influência sobre indivíduos e grupos, de modo que tarefas, estratégias e missões

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação Visão Geral da Tecnologia da Informação I. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação Visão Geral da Tecnologia da Informação I. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação Visão Geral da Tecnologia da Informação I Prof. Hugo Souza Voltando alguns [vários] anos atrás, teremos uma breve revisão sobre a história e a contextualização do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 1, de 1 de março de

Leia mais

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas 4.1 Motivação Sistemas de Informação são usados em diversos níveis dentro de uma organização, apoiando a tomada de decisão; Precisam estar

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Aspectos Importantes - Desenvolvimento de Software Motivação A economia de todos países dependem do uso de software. Cada vez mais, o controle dos processos tem sido feito por software. Atualmente, os

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Gerenciamento de Memória: Introdução O gerenciamento de memória é provavelmente a tarefa mais complexa de um sistema operacional multiprogramado.

Leia mais

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Em ação! PARTE 1: (5 minutos) Procure alguém que você não conhece ou que conhece

Leia mais

Introdução aos Sistemas Distribuídos: histórico, evolução e a computação moderna Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Introdução aos Sistemas Distribuídos: histórico, evolução e a computação moderna Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Introdução aos Sistemas Distribuídos: histórico, evolução e a computação moderna Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou

Leia mais

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição 01. GRANDE ÁREA: CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E NATURAIS 2. Área - Probabilidade Probabilidade Aplicada (aspectos 3. Área - Estatística Fundamentos da Estatística (aspectos Modelagem Estatística Teoria da Amostragem

Leia mais

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação San Luis, 13 y 14 de Novembro de 2014 CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS O CoNaIISI é organizado pela rede de

Leia mais

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO SOBRE O CURSO Com a revolução tecnológica, não é só o mundo que muda, mas a área de tecnologia também. O Engenheiro de Computação é um profissional fundamental para que essa evolução

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Mestrado em Informática, tendo Inteligência Artificial como área de pesquisa.

Mestrado em Informática, tendo Inteligência Artificial como área de pesquisa. André Montevecchi Graduado em Sistemas de Informação. Mestrado em Informática, tendo Inteligência Artificial como área de pesquisa. andre@montevecchi.com.br 1 Agenda Introdução Teste de Turing Robótica

Leia mais

A formação do licenciado em matemática

A formação do licenciado em matemática A formação do licenciado em matemática VIANA,P.A. Sobral Matemática Universidade Estadual Vale do Acaraú 6 de agosto de 2011 paty.alvi@hotmail.com pré-prints da Sobral Matemática no.2011-02 Editor Tarcisio

Leia mais

INSTITUTO DE PÓS GRADUAÇÃO ICPG GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

INSTITUTO DE PÓS GRADUAÇÃO ICPG GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INSTITUTO DE PÓS GRADUAÇÃO ICPG GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Msc. Saulo Popov Zambiasi (saulopz@gmail.com) 11/07/08 10:25 Informação - ICPG - Criciuma - SC 1 Informação - ICPG - Criciuma -

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

CCE 876 - Engenharia de Software. Introdução à Engenharia de Software

CCE 876 - Engenharia de Software. Introdução à Engenharia de Software CCE 876 - Engenharia de Software Introdução à Engenharia de Software Objetivos Introduzir a Engenharia de Software e explicar sua importância. Introduzir os conceitos principais relacionados à Engenharia

Leia mais

Aula 03 - Redes e Conectividade. Prof. Hugo V. L. Souza

Aula 03 - Redes e Conectividade. Prof. Hugo V. L. Souza Aula 03 - Redes e Conectividade Prof. Hugo V. L. Souza Agenda Introdução as Redes de Computadores Fundamentos das redes de alta velocidades e a internet Redes locais e privadas - LANs Redes locais sem

Leia mais

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games 4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games Este Capítulo apresenta o levantamento realizado dos cursos de nível superior no Brasil voltados para a formação de Designers de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR (Currículo 2006.2) Agosto de 2010 Hodiernamente não mais se concebe que a formação do futuro profissional

Leia mais

Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação. (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados

Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação. (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados (Adaptado de O.B. Coelho & G. Bittencourt & C. Moraes) Maria Aparecida Amorim Sibaldo maasibaldo@gmail.com

Leia mais

Universidade Federal de Alfenas

Universidade Federal de Alfenas Universidade Federal de Alfenas Projeto e Análise de Algoritmos Aula 04 Introdução a Análise de Algoritmos humberto@bcc.unifal-mg.edu.br Última aula Fundamentos de Matemática Exercícios: Somatórios; Logaritmos

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 6ª Série Teoria da Computação Ciência da Computação A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL

ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL Universidade d de Coimbra A Universidade nº 1 dos países de expressão portuguesa (World University Rankings, The Times Higher Education Supplement e QS QuacquarelliSymonds) É a universidade portuguesa

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito. Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1.

O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito. Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1. O que é a ciência de dados (data science). Discussão do conceito Luís Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa Versão 1.3, Outubro, 2015 Nota prévia Esta apresentação tem por objetivo, proporcionar

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software O que é a engenharia de software É um conjunto integrado de métodos e ferramentas utilizadas para especificar, projetar, implementar e manter um sistema. Método É uma prescrição

Leia mais

Introdução a Gestão de Projetos e Pequenos Negócios: introdução a pequena empresa Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Introdução a Gestão de Projetos e Pequenos Negócios: introdução a pequena empresa Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Introdução a Gestão de Projetos e Pequenos Negócios: introdução a pequena empresa Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo

Leia mais

Inteligência Computacional

Inteligência Computacional Inteligência Computacional CONSIDERAÇÕES INICIAIS Renato Dourado Maia Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros Fundação Educacional Montes Claros Renato Dourado Maia 2/62 Formação Graduação:

Leia mais

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management)

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management) Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG Maturidade em BPM (Business Process Management) Douglas Rodarte Florentino Belo Horizonte, 21 de Junho de 2010 Agenda Introdução

Leia mais

Algoritmos e Programação de Computadores I. Prof. Eduardo

Algoritmos e Programação de Computadores I. Prof. Eduardo Algoritmos e Programação de Computadores I Prof. Eduardo Professor Eduardo Machado Real - Mestrado em Ciência da Computação - Especialização em Desenvolvimento de Aplicação para a World Wide Web - Licenciatura

Leia mais

A Computação e as Classificações da Ciência

A Computação e as Classificações da Ciência A Computação e as Classificações da Ciência Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Classificações da Ciência A Computação

Leia mais

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo:

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: ALVARELI, Luciani Vieira Gomes. Novo roteiro para elaboração do projeto de trabalho de graduação. Cruzeiro: Centro Paula Souza,

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação I Programação estruturada e fundamentos da linguagem C

Linguagem e Técnicas de Programação I Programação estruturada e fundamentos da linguagem C Linguagem e Técnicas de Programação I Programação estruturada e fundamentos da linguagem C Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Ameliara Freire Continuando as aulas sobre os fundamentos

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais